COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO"

Transcrição

1 COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

2 RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de informação que um dispositivo apresenta Medida em Pixels (picture elements) monitores DPI (Dots Per Inch) impressoras PIXEL: representa uma unidade que pode ser controlada individualmente e contém informações sobre cores e brilho. Seu tamanho depende de como a resolução da tela foi configurada.

3 TELAS Duas medidas fundamentais e relacionadas: TAMANHO dimensões físicas da tela, medido diagonalmente em polegadas (inch), que equivale a 2,54 cm e pode ser representada por aspas duplas. Ex.: 32" 32 polegadas RESOLUÇÃO quantidade de informação possível de se exibir nesses limites físicos. Ex.: 1024 x 768 px.

4 TAMANHO DE TELA 5,1 * Tamanho de tela definido pela medida da diagonal em polegadas

5 RESOLUÇÃO DE TELA TELAS ÁREA IMAGENS PIXELS têm formato retangular largura (horiz.) x altura (vert.) divididas em pontos (pixels) menor unidade de informação de imagem, organizados em colunas (vert.) e linhas (horiz.) RESOLUÇÃO medição que indica quantos pixels há em cada linha e coluna da tela

6 RESOLUÇÃO DE TELA * Resolução de 1920 x 1080 px indica que a tela uma matriz é capaz de exibir 1920 pixels por linha e 1080 por coluna

7 RESOLUÇÃO Válida também para imagens e vídeos. Ex.: uma figura de 300 x 250 px um filme de 720 x 405 px TAMANHO DE TELA X RESOLUÇÃO Pixel: seu tamanho varia conforme dispositivo Ex.: duas telas de 20 polegadas, 1. com resolução de 1600 x 900 px 2. com resolução de 1366 x 768 px

8 RESOLUÇÃO Cada pixel suporta uma cor, ou uma informação. Quanto mais pixels, mais detalhada e rica a imagem, pois mais informações a tela pode exibir. Assim, o monitor 1 do exemplo anterior (1600 x 900 px) é melhor que o outro, para certas aplicações.

9 RESOLUÇÃO 160 x 120 px 300 x 225 px * Mesma imagem, diferentes resoluções

10 DENSIDADE DE PIXELS (PPI) Telas podem ser compatíveis com diferentes resoluções. Ex.: - um monitor de 20 que suporta 1366 x 768 px - um iphone 6 de 4,7 que exibe 1334 x 750 px As telas suportam resoluções cada vez maiores, mesmo em dimensões reduzidas. Pixels muito pequenos, quase impossível distinguilos a olho nu.

11 DENSIDADE DE PIXELS (PPI) * Tecnologia Retina, da Apple pixels tão pequenos que o efeito equivale à existência de quatro pixels onde só havia um

12 DENSIDADE DE PIXELS (PPI) Assim, o pixel como a menor informação exibida em telas perde um pouco do sentido, especialmente em mobiles: mais que a resolução em si, a noção de qualidade passa a considerar quão difícil é distinguir os pontos na tela. Por isso, passou-se a considerar a densidade de pixels, através da medida PPI (Pixel Per Inch ou Pixels por Polegada).

13 DENSIDADE DE PIXELS (PPI) Maior o PPI, melhor a qualidade da tela: mais pontos nas mesmas dimensões físicas resulta em mais detalhes. Pouca diferença em telas grandes, mas relevante em mobiles, muito mais próximos dos olhos. Ex.: iphone 6 tela com 326 PPI PPI e DPI (Dots Per Inch ou Pontos Por Polegada) são semelhantes, mas DPI aplica-se a impressões e escaneamentos.

14 ASPECT RATIO (PROPORÇÃO DE TELA) Outra característica importante de telas: a proporção que determina quão largas são. Formatos: mais quadrados ou mais esticados, como telas de cinema. Isso influencia na exibição de imagens, vídeos e resoluções. A indústria, então, usa padrões: aspect ratio ou proporção de tela.

15 ASPECT RATIO (PROPORÇÃO DE TELA) Mais comum até pouco tempo: formato 4:3 Mais comum atualmente: 16:9, formato panorâmico (widescreen) Existem outros, embora pouco utilizados. O aspect ratio deve combinar com a resolução. Ex.: telas 4:3 não são adequadamente preenchidas ao usar 1600 x 900 px

16 ASPECT RATIO (PROPORÇÃO DE TELA) * Aspect ratio ou proporção de tela

17 TAMANHO x RESOLUÇÃO MÍNIMA Relação entre o tamanho da tela e a resolução mínima recomendada: MEDIDA NOMINAL RESOLUÇÃO x x x x 1200

18 PADRÕES DE RESOLUÇÕES A indústria foi obrigada a adotar padrões de resoluções, até para indicar a qualidade de imagem Em tese, quanto maior a resolução, melhor a qualidade. Surgem denominações como Full HD e 4K.

19 PADRÕES DE RESOLUÇÕES VGA (Video Graphics Array) padrão de saída de vídeo criado nos anos 1980, usava resolução de 640 x 480 pixels. XGA (Extended Graphics Array) surgiu nos anos 1990 complementando as especificações do VGA e SVGA. Usado para indicar 1024 x 768 pixels, muito tempo comum em telas 4:3. Resolução HD (High Definition) (720p) faz referência à resolução de 1280 x 720 pixels, que combina com telas widescreen (16:9).

20 PADRÕES DE RESOLUÇÕES Resolução Full HD (1080p) representa a resolução de 1920 x 1080 pixels, igualmente apropriada à proporção de 16:9. Resolução 4K ou UHD (2160p) padrão quatro vezes superior, representa a combinação de 3840 x 2160 pixels. Resolução 8K ou FUHD (4320p) define uma combinação de 7680 x 4320 pixels, 16 vezes maior que o Full HD.

21 PADRÕES DE RESOLUÇÕES * VGA x FULL HD x 4K

22 PADRÕES DE RESOLUÇÕES * FULL HD x 8K

23 PADRÕES DE RESOLUÇÕES 4320p 2160p VGA x HD x FULL HD x 4K x 8K

24 PADRÕES DE RESOLUÇÕES Quadro comparativo de resoluções

25 RESOLUÇÃO ESPACIAL Fonte: Wikipédia

26 RESOLUÇÃO ESPACIAL Fonte: Wikipédia

27 RESOLUÇÃO ESPACIAL Fonte: Wikipédia

28 RELAÇÃO PIXELS x BITS Cada pixel requer uma quantidade de bits, de acordo com o seu modelo de cores. Ex.: SISTEMA RGB

29 RELAÇÃO PIXELS x BITS COR PRIMÁRIA 256 níveis (8 bits = 1 Byte) PIXEL COR 32 BITS COR P&B 3 cores (RGB) x 8 bits = 24 bits (true color) 16 M de cores 8 bits p/ o canal alfa 256 níveis de transparência 1 bit (Ex: 0 = Branco, 1 = Preto) Resolução de 800 x 600, 32 bits 1,83 MB de vídeo x 768, 24 bits 2,26 MB de vídeo

30 CORES RGB EM 3 BITS

31 RESOLUÇÃO DE IMAGENS DPI (Points Per Inch ou Pontos Por Polegada) Medida da resolução da impressora. Impressoras a laser e ink jet típicas imprimem em até 300 dpi. Fotocompositoras: 1270 ou 2540 dpi. Maior capacidade de dpi produz saída mais suave e limpa. O termo dpi também é usado para medir resolução de digitalização e para indicar resolução de bitmap. Imagens para visualização em monitor não precisam ter mais que 100 dpi. Imagens a ser impressas, recomenda-se o mínimo de 300 dpi.

32 RESOLUÇÃO DE IMAGENS O número de pixels por polegada de imagens em formato bitmap é medido em ppi (pixels por polegada) ou dpi (pontos por polegada). Resoluções baixas podem resultar em aparência granulada em imagens de formato bitmap. Resoluções altas produzem imagens mais suaves, mas resultam em arquivos maiores.

33 RESOLUÇÃO DE IMAGENS 50 dpi 5 KB 300 dpi 170 KB

34 RESOLUÇÃO GRÁFICA 1. Resolução horizontal: 2. Tamanho ponto horizontal: 3. Resolução vertical: 4. Tamanho ponto vertical: 5. Total pontos endereçáveis: 6. Resolução de área: 7. Razão de aspecto (gráfica): 8. Razão de aspecto (física): horiz_res, vert_res e area_res definem resoluções físicas ndh, ndv e total_nr_dots definem resoluções gráficas Dispositivos de visualização podem ter mesma resolução gráfica com resoluções físicas muito diferentes. Ideal seria um aspect ratio igual ou próximo a 1.

35 REFERÊNCIAS DOS SLIDES * Imagens do artigo de Emerson Alecrim Resoluções HD, Full HD, 4K, 8K e outras de 07/03/2014, atualizado em 17/03/2015 Publicado no site Infowester, disponível em:

36 REFERÊNCIAS DOS SLIDES SOARES, Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Processamento Digital de Imagens Aula 1 a 4. Disponível em <http://www.inf.ufg.br/~fabrizzio/mestrado/pdi/aulas/>. Acesso em 15 fev CAVALCANTI, Jorge. Website com material didático da disciplina Computação Gráfica da UNIVASF. Disponível em <http://www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti/comp_graf.ht ml>. Acesso em 19 mar Infowester. Resoluções HD, Full HD, 4K, 8K e outras. Disponível em <http://www.infowester.com/resolucoes.php>. Acesso em 22 ago

37

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

Computação Gráfica - 03

Computação Gráfica - 03 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Computação Gráfica - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Tamanho e resolução da imagem

Tamanho e resolução da imagem Tamanho e resolução da imagem Para se produzir imagens de alta qualidade, é importante compreender como é que os dados dos pixels da imagem são medidos e mostrados. Dimensões dos pixels O número de pixels

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA ARQUITETURA GRÁFICA Frame-buffer

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Introdução A possibilidade de utilizarmos imagens, gráficos, desenhos e textos artísticos

Leia mais

Placas de Vídeo. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Placas de Vídeo. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Placas de Vídeo Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Dispositivo responsável pela comunicação entre a placa mãe e o monitor de vídeo para reproduzir imagens. Dispositivo básico de output. Converte

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

ATENÇÃO: * Arquivos com tamanho superior a 500 KB NÃO SERÃO ACEITOS * SOMENTE serão aceitos documentos do formato: PDF

ATENÇÃO: * Arquivos com tamanho superior a 500 KB NÃO SERÃO ACEITOS * SOMENTE serão aceitos documentos do formato: PDF TUTORIAL DE DIGITALIZAÇÃO DIRIGIDO AO USO DO PROCESSO ELETRÔNICO Adaptado do tutorial elaborado pelo colega MAICON FALCÃO, operador de computador da subseção judiciária de Rio Grande. Introdução Este tutorial

Leia mais

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta TRATAMENTO DE IMAGENS Elisa Maria Pivetta CATEGORIAS DE IMAGENS Distinguem-se geralmente duas grandes: Bitmap (ou raster) - trata-se de imagens "pixelizadas", ou seja, um conjunto de pontos (pixéis) contidos

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta Teoria da Cor TI Elisa Maria Pivetta A percepção da cor é um processo complexo, resultante da recepção da luz pelo olho e da interpretação desta pelo cérebro. O que de fato determina a cor de um objeto

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

Especificações / SCANNER

Especificações / SCANNER Especificações / SCANNER S.O. Windows 7 (32 bits e 64 bits) Windows 8 (32 bits e 64 bits) Windows 8 (32 bits e 64 bits) Volume diário recomendado A partir de 12.000 páginas por dia (varia com volume de

Leia mais

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica Diferenças entre Mídia Impressa e Eletrônica Resolução Web >> 72dpi Impressão >> 300dpi Padrão de cores Web >> RGB Impressão >> CMYK Tipos de Arquivos Web >> GIF / JPEG Impressão >> TIF / EPS Tamanho dos

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR Sistemas de unidades do computador Unidade de Armazenamento e informação Unidade de Frequência Unidade de Transmissão Unidade de velocidade de transmissão Unidade de

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Padrões de Proporção... 3 3. Qualidade das Imagens... 6 4. Fotos Panorâmicas... 7 5. Youtube... 8 Página 2 de 9 1. Objetivo

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

Como enviar fotos de câmeras digitais

Como enviar fotos de câmeras digitais Como enviar fotos de câmeras digitais Se as fotos que você deseja enviar para o Geo-Obras foram capturadas com uma câmera digital, será necessário copiá-las para o computador. A maioria dos modelos utiliza

Leia mais

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP ÍNDICE EXPORTANTO EM COREL DRAW 1 - definindo o tamanho pág. 3 2 - padrão (sistema de cores - cmyk) pág. 3 3 - resolução pág. 4

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

Imagens Digitais Tratamento de Imagens

Imagens Digitais Tratamento de Imagens Imagens Digitais Imagens de Bitmap Bitmap = Mapa de Bits ou Imagens Raster São as imagens formadas por pixels em oposição às imagens vetoriais. Imagens de Bitmap Imagem de bitmap Imagem vetorial Imagens

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Prof. Célio Conrado 1

Prof. Célio Conrado 1 O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada e saída (dispositivos de E/S). Todo objeto que faz parte do sistema e tem por

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática Imagem Prof. Thales Vieira 2014 O que é uma imagem digital? Imagem no universo físico Imagem no universo matemático Representação de uma imagem Codificação

Leia mais

Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Processadores Memória Principal Memória Secundária

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

CEFET-RS Curso de Eletrônica

CEFET-RS Curso de Eletrônica CEFET-RS Curso de Eletrônica 7 - Vídeo Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.br Unidade 07.1 Vídeo Principal periférico de saída desde o final da década de 70;

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas LIGADORES DE VIDEO: VGA, DVI, S-VIDEO E COMPONENTE VIDEO José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I

INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I Unidade II O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada

Leia mais

Informática Básica para o PIBID

Informática Básica para o PIBID Universidade Federal Rural do Semi Árido Programa Institucional de Iniciação à Docência Informática Básica para o PIBID Prof. Dr. Sílvio Fernandes Roteiro O Tamanho e Resolução de imagens O Compactação

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO Que é Computação Gráfica Quais as Áreas da Computação Gráfica Dimensões 2D e 3D Primitivas Gráficas Imagem Matricial e Imagem Vetorial Rasterização

Leia mais

INFORMÁTICA DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA. Prof. MSc. Glécio Rodrigues de Albuquerque

INFORMÁTICA DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA. Prof. MSc. Glécio Rodrigues de Albuquerque INFORMÁTICA DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA de Albuquerque Ementa Conceitos de Hardware e Software Dispositivos de Entrada e Saída Processadores e Memórias Componentes das janelas Paint e WordPad Arquivos

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1 Linhas de Orientação de Media GS1 Portugal 1 Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 Propriedades da imagem... 5 Cor e Qualidade... 5 Clipping Paths... 5 Fundo... 6 Borda... 6 Formato

Leia mais

Sidnei Costa Souza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO

Sidnei Costa Souza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO Sidnei Costa Sza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO A imagem está em alta baixa resolução? Vai serrilhar/pixealizar a imagem? Estas são perguntas muito comuns em um bureau de saída de fotolito. Estas

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage SeçãodoCorpo Imagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger SeçãodoCorpo Imagens Índice

Leia mais

ÍNDICE. Tela de Configuração...03. Dados de Etiqueta...04. Configuração da Impressora...05. Configuração do Papel...06. Itens para Inserção...

ÍNDICE. Tela de Configuração...03. Dados de Etiqueta...04. Configuração da Impressora...05. Configuração do Papel...06. Itens para Inserção... Layout de Etiquetas ÍNDICE Tela de Configuração...03 Dados de Etiqueta...04 Configuração da Impressora...05 Configuração do Papel...06 Itens para Inserção...07 Recursos...08 Configurações dos Itens Selecionados...09

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Controlando o trabalho impresso 1

Controlando o trabalho impresso 1 Controlando o trabalho impresso 1 O seu driver da impressora fornece a melhor qualidade de saída para vários tipos de necessidades de impressão. No entanto, você pode desejar ter mais controle sobre a

Leia mais

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS Glossário 2004 Electronics for Imaging, Inc. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos das Avisos de caráter legal deste produto. 45044849

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

Manual PAINT.NET de imagens

Manual PAINT.NET de imagens Manual PAINT.NET de imagens 1. Instalação 1.1 - Para instalar o programa paint.net, o primeiro passo é baixá-lo do endereço a seguir e salvá-lo em seu computador. http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/paint_net/paint.net.3.36.exe

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1... 3 Apresentação do Photoshop... 3 Barra de Menus... 3 Barra de Opções... 3 Barra de Ferramentas...4

Leia mais

Manual Sistema MLBC. Manual do Sistema do Módulo Administrativo

Manual Sistema MLBC. Manual do Sistema do Módulo Administrativo Manual Sistema MLBC Manual do Sistema do Módulo Administrativo Este documento tem por objetivo descrever as principais funcionalidades do sistema administrador desenvolvido pela MLBC Comunicação Digital.

Leia mais

Tratamento fotográfico básico

Tratamento fotográfico básico Tratamento fotográfico básico Vamos começar com um trato na luz e na cor na imagem. Algumas imagens, por sub-exposição, principalmente, precisam ter alterados, alguns parâmetros. Nível: O primeiro deles

Leia mais

REVISÃO DAS PUBLICAÇÕES

REVISÃO DAS PUBLICAÇÕES O arquivo index.htm. Código fonte. REVISÃO DAS PUBLICAÇÕES Erros que podem ocorrer: Verificar a barra ( / ) que fecha as marcações; Inverter os comandos FRAMESET E FRAME SRC; Espaço entre a marcação FRAME

Leia mais

Aula Au 3 la 9 Windows-Internet

Aula Au 3 la 9 Windows-Internet Aula 39 Aula 1 Resolução de Vídeo São as dimensões de uma imagem ou tela na horizontal e vertical, medida em pixels. O termo pixel tem origem do inglês, sendo composto pelas palavras picture (imagem) e

Leia mais

Manual do. Peticionamento Eletrônico

Manual do. Peticionamento Eletrônico Manual do Peticionamento Eletrônico Este documento contém orientações sobre como gerar documentos para o serviço de Peticionamento Eletrônico no Portal e-saj Tribunal de Justiça de São Paulo. Resumo Os

Leia mais

Formatos de Imagem PNG. Universidade Federal de Minas Gerais. Bruno Xavier da Silva. Guilherme de Castro Leite. Leonel Fonseca Ivo

Formatos de Imagem PNG. Universidade Federal de Minas Gerais. Bruno Xavier da Silva. Guilherme de Castro Leite. Leonel Fonseca Ivo Universidade Federal de Minas Gerais Formatos de Imagem PNG Bruno Xavier da Silva Guilherme de Castro Leite Leonel Fonseca Ivo Matheus Silva Vilela Rafael Avelar Alves Belém Belo Horizonte, 5 de maio de

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Prof Fabrízzio Alphonsus A M N Soares 2012 Capítulo 2 Fundamentos da Imagem Digital Definição de Imagem: Uma imagem

Leia mais

Professor: Paulo Macos Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 4/6/2011 1

Professor: Paulo Macos Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 4/6/2011 1 Professor: Paulo Macos Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 4/6/2011 1 Do inglês, Cascading Style Sheet, ou folha de estilo em cascata. É uma linguagem

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Referência de cores Fiery

Referência de cores Fiery 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 11 de junho de 2014 Conteúdo 3 Conteúdo Introdução à referência de cores

Leia mais

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN Com o Corel você vai trabalhar com um dos aplicativos mais usados no campo do design e da auto-edição, já que permite operar com dois tipos de gráficos (vetoriais

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA EDIÇÃO DE IMAGENS POWER POINT Criar

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 5 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores ajuda você a entender como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida. Menu

Leia mais

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Classificação dos dispositivos (ou periféricos) ricos) Entrada Teclado Rato, touchpad, pointing device, track ball Scanner Câmaras digitais (fotográficas

Leia mais

Informática Aplicada à Química. Hardware entrada de dados

Informática Aplicada à Química. Hardware entrada de dados Informática Aplicada à Química Hardware entrada de dados Tecnologias de Entrada de Dados Tecnologias de Entrada de Dados 1ª Geração 2ª Geração 3ª Geração 4ª Geração 5ª Geração Fita de Papel Cartões Perfurados

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS ALCANCE DINÂMICO Nos sensores de imagem CCD (charge-coupled device) ou CMOS (complementary metal oxide semiconductor), o alcance dinâmico (ou dinâmica) é especificado tipicamente como a razão entre o sinal

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Aula 3

Sistemas de Informação Geográfica Aula 3 Sistemas de Informação Geográfica Aula 3 Introdução Equipamentos de entrada de dados são dispositivos que convertem dados analógicos e mapas impressos no papel em mídia m eletrônica ou digital para serem

Leia mais

Simplificando a obtenção e a utilização de imagens digitais - scanners e câmeras digitais

Simplificando a obtenção e a utilização de imagens digitais - scanners e câmeras digitais T Ó P I C O E S P E C I A L Simplificando a obtenção e a utilização de imagens digitais - scanners e câmeras digitais André Wilson MACHADO*, Bernardo Quiroga SOUKI** Resumo Um dos grandes benefícios que

Leia mais

- Representação da Informação pelo computador - Sistemas de Numeração - Código Binário - Digitalização

- Representação da Informação pelo computador - Sistemas de Numeração - Código Binário - Digitalização Disciplina Bases Computacionais Aula 03 Informação, Dados, Variáveis, Algoritmos Roteiro da Aula: - Representação da Informação pelo computador - Sistemas de Numeração - Código Binário - Digitalização

Leia mais

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB.

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. O Portal Art3 é um sistema que permite uma grande flexibilidade na entrega e aprovação de seus

Leia mais

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica professor Rafael Hoffmann Cor Modelos cromáticos - Síntese aditiva/cor-luz Isaac Newton foi o responsável pelo desenvolvimento da teoria das cores. Em

Leia mais

Codec. Finalização de audiovisual. Bit Rate (Taxa de Bits) formatos de exportação. Pro res. ProRes 16/05/13. Sigla de COmpressor/DEcompressor.

Codec. Finalização de audiovisual. Bit Rate (Taxa de Bits) formatos de exportação. Pro res. ProRes 16/05/13. Sigla de COmpressor/DEcompressor. Codec Finalização de audiovisual Sigla de COmpressor/DEcompressor. Conjunto de instruções que permite comprimir um sinal de vídeo ou áudio, para armazenamento, e descomprimir, para reprodução. Bit Rate

Leia mais

Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary

Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary Introdução O dispositivo de saída mais utilizado por um computador é o dispositivo

Leia mais

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS:

AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: AVISO DE DIREITOS AUTORAIS: Todo o material desta apostila (incluídos textos e imagens) estão protegidos por direitos autorais de seu criador: Wauton Ribeiro Zambrini CPF: 258.936.178-51 sendo proibida

Leia mais

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress Introdução a Informática - 1º semestre AULA 04 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Criar apresentações básicas com uso do LibreOffice Impress; o Manipular a estrutura de tópicos para a digitação de

Leia mais

B. Piropo. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo

B. Piropo. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo B. Piropo Computadores usam internamente o sistema binário. O sistema binário adota apenas dois algarismos com os quais pode representar qualquer número. Portanto: Computadores só podem trabalhar com números.

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim Dispositivos de Vídeo Prof. Rafael Sandim Roteiro Conceitos Básicos Adaptadores de Vídeo Placas de Vídeo Tipos de Monitores Frequência Vertical e Frequência Horizontal Conceitos Básicos Pixel Resolução

Leia mais

Chapter 2 Guia de referência rápida 2-

Chapter 2 Guia de referência rápida 2- Chapter 2 Guia de referência rápida 2- Este capítulo descreve como descompactar e exibir imagens de maneira rápida com o kit de desenvolvimento de software (SDK) para captura de imagens.net RasterMaster.

Leia mais

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Representação e armazenamento de imagens Process. de Imagem - Prof. Sheila Cáceres 2 Representação Matricial

Leia mais

_PTBR. Guia de configuração de digitalização para aplicativos TWAIN

_PTBR. Guia de configuração de digitalização para aplicativos TWAIN _PTBR Guia de configuração de digitalização para aplicativos TWAIN Como usar a fonte de dados TWAIN Como iniciar a Ferramenta de validação de scanner... 2 A caixa de diálogo Ferramenta de validação de

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

Manual De Digitalização De Documentos

Manual De Digitalização De Documentos Manual De Digitalização De Documentos Manual de utilização Versão 1.1 Rua Princesa Isabel Feliz RS 95770-000 T. (51) 3637-4424 sti@feliz.ifrs.edu.br http://salas.feliz.ifrs.edu.br ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 01/2015

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20 Sumário: Os subsistemas vídeo. A RAM vídeo. Aula Teórica 20 Leitura Recomendada: Capítulo 37 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware Book, Addison-Wesley. Capítulos 4 e 11 - Peter Norton, Peter

Leia mais

FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB

FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB Bons web sites necessitam de uma correta integração entre textos e imagens. Este artigo contém o mínimo que você precisa saber sobre imagens para a web. Introdução

Leia mais

Projeto de Jogos Parte II Gráficos

Projeto de Jogos Parte II Gráficos Projeto de Jogos Parte II Gráficos Paulo V. W. Radtke pvwradtke@gmail.com http://www.ppgia.pucpr.br/~radtke/jogos Conteúdo Introdução Vídeo Considerações (PC e celular) O Mundo em Blocos de Imagem Sprites

Leia mais

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens Fundamentos de Imagens Digitais Aquisição e Serão apresentadas as principais características de uma imagem digital: imagem do ponto de vista matemático processo de aquisição e digitalização de uma imagem

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico

Características do vídeo. Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo. Características do vídeo analógico. Características do vídeo analógico Características do vídeo Aquisição, síntese, edição e reprodução de vídeo Vídeo media dinâmico Vídeo corresponde a um movimento sequencial de um conjunto de imagens, chamados fotogramas ou frames. Frame

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1... 3 Apresentação... 3 Iniciando o CorelDRAW X3... 4 Componentes... 5 Barra de Menus... 6 Barra Padrão...

Leia mais

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe Computação Gráfica Dispositivos de Visualização Profa. Carolina Watanabe Material elaborado pela Profa. Marcela X. Ribeiro, UFSCar, Atualizado pela Profa. Carolina Watanabe, UNIR 1 Dispositivos de Visualização/Exibição

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais

Sumário. 1 - Pacote de instalação... 2. 2 - Conceitos básicos... 2. 3 - Chave de Proteção... 4. 4 - Instalando o Software Compacto...

Sumário. 1 - Pacote de instalação... 2. 2 - Conceitos básicos... 2. 3 - Chave de Proteção... 4. 4 - Instalando o Software Compacto... Sumário 1 - Pacote de instalação... 2 2 - Conceitos básicos... 2 3 - Chave de Proteção... 4 4 - Instalando o Software Compacto... 4 5 - Registrando o Software Compacto... 9 6 - Usando o software Compacto...

Leia mais