Arquitetura de gerência de rede WiMAX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquitetura de gerência de rede WiMAX"

Transcrição

1 Cyntia Yumiko Arakaki *, José Luís Schifferli Lopes, Fabrício Lira Figueiredo Este artigo apresenta uma arquitetura funcional de gerência de rede para suporte à gerência de infraestrutura de rede baseada na tecnologia WiMAX nomádico, capaz de atender à demanda mercadológica e também de nortear o desenvolvimento de um protótipo de SW que desempenhe as funções de gerência de falhas, desempenho, configuração e aprovisionamento de fluxos de serviço da rede WiMAX. A concepção da arquitetura baseia-se no estado atual dos modelos especificados pelos principais fóruns e organizações de padronização internacional, como, por exemplo, IEEE, TM Forum e ITU-T, e também pelos principais fornecedores de tecnologia e soluções de gerência de rede WiMAX. Esta abordagem é empregada com o propósito de identificar um conjunto de funcionalidades de gerência relevantes para prover algum diferencial competitivo e para atender à demanda de novos serviços multimídia oferecidos numa rede banda larga sem fio fixa, móvel e nomádica. Uma das potencialidades da solução apresentada é a modularidade imposta às aplicações de gerência, que permite a evolução das funcionalidades e a inovação da solução para novas demandas, como WiMAX móvel. Palavras-chave: Arquitetura. rede WiMAX. Funcionalidades de gerência. Fornecedores de soluções WiMAX. Introdução A Worldwide Interoperability for Microwave Access (WiMAX) é uma tecnologia de banda larga sem fio, que provê acesso fixo ou móvel a serviços de telecomunicações sem fio com elevadas taxas de transmissão. Seu principal objetivo é prover serviços de banda larga na última milha do usuário. É baseada na família de padrões do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), suportada pelo WiMAX Forum, um consórcio mundial da indústria, cujo foco é garantir a interoperabilidade dos equipamentos, divulgar e promover o uso da tecnologia de forma global. Neste contexto, gerenciar uma rede WiMAX é prover mecanismos para auxiliar uma organização a alcançar metas como disponibilidade, desempenho e qualidade de serviço, visando principalmente ao foco no atendimento a clientes/usuários de serviços de telecomunicações, bem como assegurar competitividade no aprovisionamento dos serviços, com compromisso de custo e benefício. As definições adotadas na tecnologia, inclusive quanto à capacidade de gerenciamento, são fatores determinantes para especificar as funcionalidades do sistema de gerência. Deve-se levar também em consideração, além do aspecto tecnológico, o modelo de negócio e o modelo operacional necessários para prover serviços de dados, voz e multimídia suportados pela tecnologia WiMAX. O modelo de regras de negócio consiste no estabelecimento de funções, obrigações e deveres do provedor de serviço e nos relacionamentos envolvidos na realização do negócio. O modelo operacional consiste em definir os processos e sistemas de gerência necessários para atender os serviços providos pela tecnologia WiMAX. Neste trabalho, com o intuito de gerar subsídios para a concepção de uma proposta de arquitetura para suportar a gerência de rede WiMAX, foram realizadas pesquisas com os principais fornecedores de solução de gerência de rede, bem como fórum e organizações de padronização internacional. Na literatura, os principais fóruns e organizações internacionais, além de outros que tratam de especificação de processos e funções de gerência, são TM Forum, ITU-T e IEEE. A Seção 1 apresenta os principais fornecedores pesquisados nos sites da Web, com análise das funcionalidades relevantes das soluções de gerência. A Seção 2 apresenta os fóruns e as organizações internacionais, oferecendo uma visão básica dos assuntos tratados. Na Seção 3 é apresentada a arquitetura de gerência concebida. E, finalmente, na Seção 4, a conclusão do trabalho. 1 Pesquisa de mercado dos fornecedores de produtos e soluções WiMAX As pesquisas de mercado selecionadas nos sites apontam como principais, entre muitos outros fornecedores de produtos e soluções de gerência de rede, os seguintes: WiMAX nomádico: Airspan (Inglaterra), Alvarion (Israel), Aperto Networks (EUA), Redline Communications (EUA), SR Telecom (Canadá), Proxim (EUA) e Siemens (Alemanha); WiMAX móvel: Alcatel, Motorola e Nortel Networks. *Autor a quem a correspondência deve ser dirigida: Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

2 1.1 Análise da solução dos fornecedores A análise da solução dos fornecedores considera as principais funcionalidades (FCAPS core) que devem ser implementadas, para suportar as áreas funcionais de gerências de falhas, desempenho e configuração. Foram identificadas as seguintes funcionalidades: monitoração de alarmes em tempo real; relatórios de alarmes em tempo real; filtragem e sumarização de alarmes; monitoração (coleta e análise) de dados de desempenho; alerta de violação de limiares de desempenho; relatórios de desempenho e de violação de QoS; descoberta/localização dos elementos de rede; aprovisionamento de fluxos de serviços; monitoração de estados de configuração; configuração dos elementos de rede; relatórios de inventário dos elementos de rede. 2 Estado atual IEEE, TM Forum e ITU-T são considerados os principais fóruns e organizações de padronização internacional que desenvolvem padrões, processos de negócio e funções de gerência aplicáveis para serviços baseados em WiMAX. A seguir são apresentadas as descrições dos trabalhos e das áreas de atuação desses fóruns e organizações. 2.1 Modelo de referência do IEEE O padrão IEEE define a especificação de interface aérea da Wireless Metropolitan Area Network (WMAN), oficialmente conhecida como padrão Wireless MAN IEEE. Este acesso banda larga poderá atender à necessidade de conexão de redes de área metropolitana (MAN) sem fio. Com o padrão IEEE , as organizações e residências ganham uma maneira nova e fácil de obter o serviço de banda larga. A denominação WiMAX é atribuída aos produtos certificados, desenvolvidos segundo a família de padrões do IEEE, que atendem aos testes de conformidade e interoperabilidade de acordo com os perfis (profiles) definidos pelo WiMAX Forum. O objetivo é ter produtos multifornecedor com interoperabilidade, viabilizando a produção em escala com uma conseqüente redução de custos. O acesso banda larga sem fio baseia-se na utilização de estações-base que suportam raios de cobertura na ordem de quilômetros. Na topologia WiMAX as estações-base não precisam, necessariamente, ser instaladas em torres. As antenas da estação-base podem ser colocadas no telhado de um edifício alto ou de outra estrutura elevada. Uma unidade próxima do cliente, similar a uma estrutura de TV via satélite, é suficiente para conectar a estação-base ao cliente. O IEEE propõe um modelo de referência para gerenciamento de rede WiMAX nomádico, conforme Figura 1. Esse modelo é composto de Sistema de Rede (NMS), recursos gerenciados, Base Station (BS) e Subscriber Station (SS), e Service Flow Database (SFD). O NMS gerencia os recursos BS e SS por meio de protocolo de gerenciamento Simple Network Management Protocol (SNMP). O SFD contém informações de fluxos de serviço e informações da qualidade de serviço associados a BS e SS. Fonte: IEEE Figura 1 Modelo de referência IEEE para gerência WiMAX 52 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

3 A Management Information Base (MIB) padrão da BS e SS também é definida pelo IEEE. Essa MIB é referente à interface-padrão do IEEE (Broadband Wireless Access Systems) e define objetos gerenciados usando o protocolo no padrão SNMP. A Figura 2 apresenta o modelo de referência do IEEE em camadas de protocolo. Nesse modelo, a camada Medium Access Control Layer (MACL) compreende três subcamadas: Service-Specific Convergence Sublayer (CS), MAC Common Part Sublayer (CPS) e Subcamada de segurança. 2.2 Modelo de referência do TM Forum O TeleManagement Forum (TM Forum) é um consórcio internacional de provedores de PHY MAC Padrão CS SAP Subcamada de convergência específica do serviço (CS) MAC SAP Subcamada de parte comum MAC (MAC CPS) Subcamada de segurança PHY SAP Camada física (PHY) Dados/Plano de controle serviços de telecomunicações e fornecedores de equipamentos, sistemas de gerência e sistemas de suporte a operação (OSS). Tem como missão auxiliar os provedores de serviços e operadores de rede a automatizar seus processos de negócio de forma eficaz, do ponto de vista de custo e tempo. O enhanced Telecom Operations Map (etom) (TM FORUM,) define a estrutura de processos de negócio. Baseia-se no modelo em camadas para organizar os processos. A Figura 3 apresenta a parte de processos de negócio relativos a operações do modelo etom. Os processos de negócio de operações no nível mais alto do modelo etom estão estruturados em: Suporte e disponibilidade de operações, Aprovisionamento, Garantia de qualidade de serviço e Faturamento. Esses processos Entidade de gerenciamento CS Entidade de gerenciamento MAC CPS Subcamada seg. Entidade de gerenciamento PHY Plano de gerenciamento Sistema de Gerência WiMAX Figura 2 Modelo de referência IEEE do IEEE Operações Suporte e Disponibilidade de Operações Aprovisionamento Garantia de Qualidade Faturamento Relacionamento com o Cliente (CRM) Suporte e Disponibilização de CRM Marketing de Lançamento de Produtos e Serv. Vendas Processamento de Ordem de Atendimento Gerência da Interface com o Cliente Procpssamento de Problemas QoS e SLA para o Cliente Retenção e Fidelidade Faturamento e Arrecadação Gerência e Operações de Serviços (GOS) Suporte e disponibilização da GOS Configuração e Ativação de Serviços Problemas nos Serviços Qualidade de Serviços Tarifação de Serviços e Instâncias Específicas Gerência e Operações de Recursos (GOR) Suporte e Disponibilização da GOR Relacionamento com Fornecedores/ Parceiros (GRFP) Suporte e Disponibilização da GRFP Aprovisionamento de Recursos Requisição de f/p Problemas nos Recursos Gerência e Notificação de Problemas de f/p Desempenho de Recursos Coleta e Distribuição de Dados sobre Recursos Desempenho de f/p Gerência da Interface com Fornecedor/Parceiro Encontro de Contas e Pagamentos de f/p Figura 3 Processo de negócio de operações níveis 2 e 3 do etom Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez

4 permitem a identificação dos requisitos funcionais e de informação de sistemas de suporte, bem como a identificação de informações a serem trocadas entre os processos da solução de gerência. Para prover suporte às áreas de operações e gerência, de desenvolvimento de produto e infra-estrutura e de estratégia e planejamento de infra-estrutura, produto, de TI e de organização, o modelo de processos (etom) é suportado por outros modelos e resultados do TM Forum, como os modelos Shared Information/Data (SID) e Multi- Technology Operations System Interface (MTOSI), que permitem o desenvolvimento do desenho da solução e a obtenção de sistemas de gerência e operação necessários para suportar os respectivos processos de negócio. 2.3 Modelo de referência do ITU-T O ITU-T é um órgão da International Telecommunications Union (ITU) responsável pela elaboração de recomendações sobre questões técnicas, de operação e de tarifação de serviços relativas às tecnologias e redes de telecomunicações para fins de padronização no nível internacional. O modelo Telecommunications Management Network (TMN), conforme Figura 4, aborda os conceitos de funções de gerência para redes de telecomunicações. São definidas cinco camadas de gerência, as quais consistem de: camada de gerência de negócio (BML), camada de gerência de serviço (SML), camada de gerência de redes (NML), camada de gerência de elementos (EML) e elementos de rede (NE). Esse modelo se baseia no conceito de que as gerências atribuídas para cada camada são diferentes, mas inter-relacionadas. No relacionamento top down, a camada superior impõe requisitos para a camada inferior. No relacionamento bottom up, a camada inferior provê capacidades ou habilidades de gerência e operação para a camada superior. O papel desempenhado por cada camada no modelo pode ser descrito como se segue: 1. Camada de gerência de negócios: é responsável pela gerência do empreendimento como um todo. As principais funcionalidades atribuídas a esta camada são estabelecimento de metas, finanças, orçamento, planejamento, marketing, estratégia e políticas de gerência, e operações e acordos entre as organizações. 2. Camada de gerência de serviços: é responsável pelas funcionalidades de gerência de aprovisionamento, operação, administração e manutenção de serviços. As principais funcionalidades são gerência de solicitação e configuração de serviços, gerência de problemas e qualidade de serviços, tarifação de serviços para suportar gerência de contato com clientes e com outros provedores de serviços, bem como suportar a geração de faturas e o atendimento de qualidade do serviço disponibilizado. Camadas de gerência Bottom-up BML negócios serviços SML Áreas funcionais de gerência falhas NML EML NE redes elementos Elementos de rede desempenho configuração contabilização segurança Top-down Figura 4 Modelo TMN de gerenciamento de camadas 54 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

5 3. Camada de gerência de redes: é responsável pelo gerenciamento da rede provido pela camada de gerência de elementos, bem como por suportar a camada de gerência de serviços. As principais funcionalidades são: visão global de toda a rede, gerência de configuração e alocação de recursos para suportar aprovisionamento de serviços, medida de utilização de recursos, cadastro de recursos da rede para suportar o aprovisionamento, reconfiguração, crescimento, modificação, manutenção e armazenamento de dados de recursos de rede, históricos, status corrente, bem como de dados estatísticos e tendências referentes à rede e de suas capacidades (configuração dos circuitos, conexões, enlaces, recursos físicos, etc.). 4. Camada de gerência de elementos: é responsável pelas atividades de supervisão, monitoração e controle dos componentes (equipamentos/dispositivos) de infra-estrutura da rede e de tecnologia (telecomunicações e tecnologia de informação). Engloba as funcionalidades de gerências de falhas, desempenho, configuração, coleta de dados de utilização de recursos e segurança. 5. Elementos de rede: são elementos (equipamentos/dispositivos) gerenciados pela camada de gerência de elemento. A recomendação ITU-T M.3400 define as funcionalidades de gerência para as camadas do modelo. Essa recomendação provê estrutura e decomposição de funções para todas as camadas. Por ser abrangente, sem redundância de funções e sem a visão dos sistemas que a implementam, serve como referência para extrair as funcionalidades específicas envolvidas na especificação de sistemas de gerência que suportam a gerência e a operação dos serviços providos pela tecnologia WiMAX. A recomendação define cinco áreas funcionais de gerência, suportadas por todas as camadas de gerência, as quais são compostas por gerências de falhas, desempenho, configuração, contabilização e segurança (FCAPS). 3 Concepção da solução Com base nos modelos de referência apresentados na Seção 2, e considerando os conceitos abordados, é concebida a solução de gerência de rede WiMAX, incluindo também as soluções dos fornecedores. A Figura 5 apresenta a visão da concepção. ITU-T M.3400, M.3010 e M.3050 IEEE Arquitetura funcional rede WiMAX Fornecedores de soluções de gerência WiMAX TM Forum etom Figura 5 Abordagem da concepção da solução Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez

6 A Figura 6 apresenta aglutinação dos modelos, gerência e operação dos recursos do modelo em camadas do etom, áreas funcionais de gerência do modelo em camadas da TMN e plano de gerência do modelo de referência IEEE Considerando a metodologia e os princípios apresentados na concepção, são caracterizados os seguintes requisitos da arquitetura funcional de gerência da rede WiMAX: As principais funcionalidades demandadas para a tecnologia WiMAX, levando em consideração o padrão de referência IEEE , focado no provimento de disponibilidade de serviços com qualidade ao usuário, são: - aprovisionamento de fluxos de serviços (QoS, regras de classificador); - configuração e consulta das capacidades básicas das estações radiobase (BS) e estação-cliente (SS); - configuração dos parâmetros e consulta dos dados de desempenho; - configuração dos canais uplink e downlink e perfil de burst; - diagnóstico de problemas e de desempenho. As entidades de gerenciamento envolvidas: - BS a) Camada MAC: Subcamada CS. b) Camada MAC: Subcamada CPS. c) Camada MAC: Subcamada Segurança. d) Camada física (PHY). - SS a) Camada MAC: Subcamada CPS. b) Camada MAC: Subcamada Segurança. c) Camada física. - Partes comuns a BS e SS a) Camada MAC: Subcamada CPS. b) Camada MAC: Subcamada CS. c) Camada física. Capacidades da solução de gerência em suportar as áreas funcionais de gerências de falhas, desempenho e configuração na camada de gerência de elemento de rede. Capacidade da solução em gerenciar as tecnologias que possuem MIB SNMP embarcado e Command Line Interface (CLI). Gerência e Operações de Recursos (GOR) etom Suporte e Disponibilização da GOR Aprovisionamento de Recursos Problemas nos Recursos Desempenho de Recursos Coleta e Distribuição de Dados sobre Recursos Plano de gerência IEEE Subcamada de convergência de serviço-específico (CS) Subcamada de parte comum MAC + Funções de Gerência M.3400 TMN segurança configuração falhas desempenho contabilização Plano de gerência IEEE Subcamada de segurança Subcamada física Figura 6 Aglutinação dos modelos 56 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

7 3.1 Arquitetura de gerência de rede WiMAX A Figura 7 apresenta a arquitetura funcional de gerência de rede WiMAX da solução concebida. 3.2 Módulos funcionais Os elementos de rede considerados na rede WiMAX são os equipamentos BS e SS. A solução oferece funcionalidades para gerenciar falhas, desempenho e configuração dos elementos de rede. As principais funcionalidades de gerência suportadas estão associadas a: camadas MAC, PHY e RF do setor da BS; canais uplink das camadas MAC, PHY e RF do setor da BS; canais downlink das camadas MAC, PHY e RF da BS; capacidades básicas das camadas MAC, PHY e RF da SS. Como núcleo, a arquitetura será composta de módulos que realizam as funcionalidades de gerência de falhas, desempenho e configuração da rede WiMAX. 3.3 Funcionalidades Para atender à demanda do mercado, bem como aos modelos de referência definidos pelos fóruns e organizações de padronização com relação a esta tecnologia, na arquitetura funcional proposta são definidas as seguintes funcionalidades de gerência: descoberta automática de Base Stations (BS); pré-aprovisionamento e aprovisionamento de fluxos de serviço; configuração de QoS e regras de classificador de pacotes; configuração das capacidades básicas da Base Stations (BS) e Subscriber Stations (SS); configuração dos canais uplink e downlink; pré-aprovisionamento e aprovisionamento de fluxos de serviço; gerência de estado de configuração dos recursos (componentes associados aos equipamentos); diagnóstico e monitoração de problemas nos recursos; monitoração de estado dos links, enlace entre as BS e SS; coleta e monitoração de desempenho de recursos; configuração de limiares dos parâmetros de desempenho; Outros sistemas Interface com sistemas de hierarquia superior Cliente Java Servidor Web & Java Gerência de falhas Gerência de configuração Gerência de desempenho Módulos de relatórios Camada de mediação Cliente Web CLI SNMP Rede WiMAX Figura 7 Arquitetura funcional de gerência de rede WiMAX Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez

8 Computador Arquitetura de gerência de rede WiMAX alerta de violação de limiares de desempenho; monitoração de violação de limiares de QoS; monitoração de desempenho de tráfego de fluxos de serviços; relatórios de falhas para diagnóstico de problemas; relatórios de estado/cadastro de configuração das BS e SS; relatórios de dados de desempenho para manutenção preventiva. A potencialidade da solução proposta, que é a modularidade imposta às aplicações de gerência, permite a evolução das funcionalidades e a inovação da solução. Dentre as várias possibilidades, é possível destacar: gerência de segurança; gerência de serviço diferenciado baseado em QoS e parâmetros de tráfego; gerência de falhas e desempenho com visualização de alarmes e estatísticas suportados em mapas georeferenciados; gerência de aprovisionamento de fluxos de serviço baseada em Service Oriented Architecture (SOA). Conclusão Cresce o interesse dos usuários finais por novos serviços multimídia oferecidos numa rede com características de banda larga e mobilidade plena (em alta velocidade) e amplas áreas de cobertura. A tecnologia WiMAX (802.16) surgiu como uma opção para atender às demandas de banda larga e mobilidade, oferecendo, portanto, um caminho para atingir as oportunidades de mercado. A WiMAX pode disponibilizar conectividade de banda larga sem fio, tanto fixa quanto móvel, nomádica e portátil, conectando-se sem a necessidade de cabos a uma estação-base. Sua aplicabilidade é imensa (conforme Figura 8); é apontada como a próxima geração da banda larga sem fio. Diante dessa potencialidade, é fundamental cuidar da saúde da rede WiMAX, isto é, gerenciar sob todos os aspectos, principalmente, falhas, desempenho e configuração da rede. Observando estes fatores, este trabalho propõe uma arquitetura funcional de gerência de rede WiMAX versátil, capaz de atender à demanda mercadológica e também de nortear o desenvolvimento de um protótipo de SW para desempenhar as gerências de falhas, desempenho e configuração da rede WiMAX. Em razão da característica de modularidade imposta às aplicações de gerência, esta solução permite acrescentar novas funcionalidades, possibilitando a evolução para novas demandas, como WiMAX móvel. SS SS VoIP PC VIDEO Cliente Internet/Web LAN Cliente residencial BS Rede WiMAX SS VoIP VoIP PC PC Computador Computador Internet LAN PSTN Video Server BS Cliente - Organização Núvem IP Centro de gerência Clientes voz/dados/vídeo móvel Figura 8 Aplicabilidade da tecnologia WiMAX 58 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

9 Agradecimentos Este trabalho recebeu apoio financeiro do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (FUNTTEL). Referências INSTITUTE OF ELECTRICAL AND ELECTRONICS ENGINEERS (IEEE) : Parte 16: Air Interface for Fixed Broadband Wireless Access Systems, 1 October INSTITUTE OF ELECTRICAL AND ELECTRONICS ENGINEERS (IEEE) f: Parte 16: Air Interface for Fixed Broadband Wireless Access Systems, Amendment 1: Management Information Base, 1 December INSTITUTE OF ELECTRICAL AND ELECTRONICS ENGINEERS (IEEE) e: Parte 16: Air Interface for Fixed Broadband Wireless Access Systems, Amendment 2: Physical and Medium Access Control Layers for Combined Fixed and Mobile Operation in Licensed Bands and Corrigendum, 28 February INSTITUTE OF ELECTRICAL AND ELECTRONICS ENGINEERS (IEEE) i/001r4: Draft Amendment to IEEE Standart Local and Metropolitan Area Networks Part 16: Management Information Base Extension, October ITU TELECOMMUNICATIONS STANDARDIZATION SECTOR (ITU-T). Recommendation M.3010: Principles for a telecommunications management network, 4 February ITU TELECOMMUNICATIONS STANDARDIZATION SECTOR (ITU-T). Recommendation M.3400: TMN management functions, February ITU TELECOMMUNICATIONS STANDARDIZATION SECTOR (ITU-T). Recommendation M : (etom)enhanced Telecom Operations Map Supplement 3: etom to M.3400 mapping, May TELEMANAGEMENT FORUM. GB921: etom enhanced Telecom Operations Map. The Business Process Framework, Release 7.0. Abstract Homepages consultadas REVISTA DE WiMAX. Disponível em: <http://www.revistadewimax.com.br>. Acesso em: 28 ago. TELEMANAGEMENT FORUM. Disponível em: <http://www.tmforum.org>. Acesso em: 28 ago. WiMAX FORUM. Disponível em: <http://www.wimaxforum.org. Acesso em: 28 ago. AIRSPAN. Disponível em: >Acesso em: 28 ago. ALVARION. Disponível em: <http://www.alvarion.com>. Acesso em 28 ago. APERTO NETWORKS. Disponível em: <http://www.apertonet.com>. Acesso em 28 ago. REDLINE COMMUNICATIONS. Disponível em: <http://www.redlinecommunications.com>. Acesso em 28 ago. PROXIM WIRELESS. Disponível em: <http://www.proxim.com>. Acesso em 28 ago. SR TELECOM. Disponível em: <http://www.srtelecom.com>. Acesso em 28 ago. SIEMENS. Disponível em: <http://www.siemens.ie/carrier/topics/wimax>. Acesso em 28 ago. ALCATEL-LUCENT. Disponível em: <http://www.alcatel-lucent.com>. Acesso em 28 ago. NORTEL. Disponível em: <http://www.nortel.com/wimax>. Acesso em 28 ago. TELECO. Disponível em:<http://www.teleco.com>. Acesso em 28 de ago. This article presents a WiMAX network management architecture to support the management of nomadic WiMAX technology, able to meet the market demand and also guide the development of a SW prototype to perform the fault, performance, configuration and service flow provisioning management functions for WiMAX network. The architecture design is based on the current status of the models specified by the main international standardization organizations, such as IEEE, TMForum and ITU-T, and also by the main WiMAX network management solutions and technologies vendors. This approach is taken with the purpose of identifying all the relevant management features to provide a competitive edge, to meet the Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez

10 demands of new multimedia services in fixed, mobile and nomadic wireless broadband networks. One of the solution highlights is the modularity imposed to management applications allowing functionality evolution and innovation for new demands such as mobile WiMAX. Key words: Architecture. WiMAX network management. Management functionalities. 60 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 3, n. 2, p , jul./dez. 2007

1 Introdução O avanço da tecnologia viabilizou a implementação de comunicação em faixa larga ( broadband ) que possibilita o tráfego de grandes volumes de informação em altas taxas. Novas tecnologias vêm

Leia mais

Unidade IV GOVERNANÇA DE TI

Unidade IV GOVERNANÇA DE TI GOVERNANÇA DE TI Unidade IV 4 etom ENHANCED TELECOM OPERATIONS MAP 1 Em 1986, o International Telecommunications Union Telecommunications (ITU-T) definiu uma arquitetura-padrão para o gerenciamento de

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Gerência de redes LTE

Gerência de redes LTE Gerência de redes LTE Cyntia Yumiko Arakaki, Jadir Antonio da Silva *, Dick Carrillo Melgarejo, Flávia Martinho Ferreira Rocha Este artigo apresenta uma proposta de arquitetura da solução de gerência de

Leia mais

Mapeamento do CPqD-OSP/Provisioning utilizando o framework de processos de negócios enhanced Telecom Operations Map (etom)

Mapeamento do CPqD-OSP/Provisioning utilizando o framework de processos de negócios enhanced Telecom Operations Map (etom) Mapeamento do CPqD-OSP/Provisioning utilizando o framework de processos de negócios enhanced Telecom Operations Map (etom) Simone Garcia Schmidt *, Tatiana Cristina Nogueira Pereira O New Generation Operations

Leia mais

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom)

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Vergílio Antonio Martins

Leia mais

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Metodologia da Pesquisa Científica Outros trabalhos em: www.projetoderedes.com.br

Leia mais

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum).

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Otimização do Código Convolucional Turbo do WiMAX em Ponto Fixo

Otimização do Código Convolucional Turbo do WiMAX em Ponto Fixo Otimização do Código Convolucional Turbo do WiMAX em Ponto Fixo Ailton Akira Shinoda 1 1 Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista - UNESP, Ilha Solteira, SP, shinoda@dee.feis.unesp.br

Leia mais

1. Funcionalidades TMN

1. Funcionalidades TMN 1. Funcionalidades TMN Uma TMN pretende suportar uma ampla variedade de áreas gerenciais que abrange o planejamento, instalação, operação, administração, manutenção e provisionamento de serviços de telecomunicações.

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

TRANSMISSÃO DE SINAIS DE VÍDEO COM TECNOLOGIA WIMAX: ESTUDO DA CAMADA MAC POR MEIO DE SIMULAÇÃO

TRANSMISSÃO DE SINAIS DE VÍDEO COM TECNOLOGIA WIMAX: ESTUDO DA CAMADA MAC POR MEIO DE SIMULAÇÃO TRANSMISSÃO DE SINAIS DE VÍDEO COM TECNOLOGIA WIMAX: ESTUDO DA CAMADA MAC POR MEIO DE SIMULAÇÃO Gabriel Nicoletti Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC gncl@puccamp.edu.br David Bianchini Sistemas de

Leia mais

Unidade IV GOVERNANÇA DE TI. Prof. Gislaine Stachissini

Unidade IV GOVERNANÇA DE TI. Prof. Gislaine Stachissini Unidade IV GOVERNANÇA DE TI Prof. Gislaine Stachissini TMN - Telecommunication Management Network Definido como uma arquitetura padrão para o gerenciamento de redes de Telecom em 1986, utiliza o modelo

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Sistemas de Telefonia Celular Evolução dos Sistemas Celulares WMAN WiMAX Arquitetura

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 2: Tecnologia WiMAX INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Neste segundo módulo, abordaremos a tecnologia WiMAX, que faz

Leia mais

GTER 25. Experiências e Tendências de Interoperabilidade em WiMAX. Rubens Kühl Jr. rubens.kuhl@neovia.com.br, rubensk@gmail.com

GTER 25. Experiências e Tendências de Interoperabilidade em WiMAX. Rubens Kühl Jr. rubens.kuhl@neovia.com.br, rubensk@gmail.com GTER 25 Experiências e Tendências de Interoperabilidade em WiMAX Rubens Kühl Jr. rubens.kuhl@neovia.com.br, rubensk@gmail.com Pioneira na tecnologia WiMAX, tecnologia estado da arte para transmissão de

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Onde Estamos? Sistemas de comunicação wireless Redes locais wireless

Leia mais

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI Dezembro 2011 INTRODUÇÃO A transmissão de dados via ondas de radio não é novidade, segundo Haykin e Moher, as primeiras

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Unidade 3 3.1 Introdução 3.2. Definições 3.3. Motivações 3.4. Problemas 3.5. Desafios 3.6. Padronização e Arquitetura 3.7. Gerência

Leia mais

WiMAX no Brasil. Rodrigo Constantin Ctenas Zaccara Computação Móvel IME USP

WiMAX no Brasil. Rodrigo Constantin Ctenas Zaccara Computação Móvel IME USP WiMAX no Brasil Rodrigo Constantin Ctenas Zaccara Computação Móvel IME USP 2008 INTRODUÇÃO WiMAX é acrônimo para Worldwide Interoperability for Microwave Access, sendo este uma definição de protocolo para

Leia mais

Cap. 02 Modelo de Informação

Cap. 02 Modelo de Informação Cap. 02 Modelo de Informação 2.1 Padrões de Gerência de Redes 2.2 Arquitetura da Solucão SNMP 2.3 Objetos, Instâncias e MIBs 2.4 MIB-2 2.5 Structure of Management Information (SMI v1) 2.6 SMI V2 Luís F.

Leia mais

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca <ulisses.cotta@gmail.com> DESEMPENHO DE REDES Fundamentos de desempenho e otimização de redes Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 Sumário 1. Introdução 2. Gerência de redes 3. Fundamentos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX 1 1 Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005 2 2 Enquadramento A tecnologia 802.16 / afecta domínios tecnológicos cruciais para os operadores:

Leia mais

SENAI - FATESG. Gerência de Redes. Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc.

SENAI - FATESG. Gerência de Redes. Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc. SENAI - FATESG Gerência de Redes Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc. Introdução Redes de Computadores É um conjunto de computadores autônomos interconectados [Tanenbaum, 1997] Introdução Mainframe

Leia mais

Uma Arquitetura para a Integração e Avaliação da Tecnologia Voz sobre IP em Enlaces PLC

Uma Arquitetura para a Integração e Avaliação da Tecnologia Voz sobre IP em Enlaces PLC Uma Arquitetura para a Integração e Avaliação da Tecnologia Voz sobre IP em Enlaces PLC André M. Zenun 1, Diego L. Kreutz 2, Rafael R. Righi 1 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis SENAI-SC Rodovia

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Provisão de Qualidade de Serviço (QoS) em Redes Integradas WiMAX EPON

Provisão de Qualidade de Serviço (QoS) em Redes Integradas WiMAX EPON 1 / 23 Provisão de Qualidade de Serviço (QoS) em Redes Integradas WiMAX EPON Mariana Piquet Dias Nelson Luis Saldanha da Fonseca (Orientador) Instituto de Computação - UNICAMP, Campinas/SP, Brasil 5 de

Leia mais

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Leonardo Lemes Fagundes leonardo@exatas.unisinos.br São Leopoldo, 15 de outubro de 2004 Roteiro Apresentação da disciplina Objetivos Conteúdo programático Metodologia

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações

Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Este tutorial apresenta o modelo TMN (Telecommunications Management Network) para gerenciamento de redes de Telecomunicações criado pelo ITU-T (International

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL 16 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

3 A Tecnologia Wireless, Padrão WiMAX e a Licitação das Faixas de 3,5Ghz

3 A Tecnologia Wireless, Padrão WiMAX e a Licitação das Faixas de 3,5Ghz 3 A Tecnologia Wireless, Padrão WiMAX e a Licitação das Faixas de 3,5Ghz 3.1. Introdução A tecnologia wireless interliga dispositivos sem o uso de fios ou cabos para transmitir diversos tipos de informações

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 4: Tecnologia Wi-Fi INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Este módulo trata da tecnologia de acesso sem fio mais amplamente

Leia mais

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade Futuro das comunicações ópticas e a convergência com sistemas de mobilidade Convivência de Redes Móveis com as Fixas FORA E DENTRO DA CASA DENTRO DA CASA Mercado de Tablet deverá explodir nos próximos

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados

Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso

Leia mais

H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed

H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ H.323: Visual telephone systems and equipment for local area networks which provide a nonguaranteed quality of service Resumo para a disciplina de Processamento Digital de

Leia mais

Roteiro I Redes WiMAX. WiMAX, de onde deriva a tecnologia e perspectivas de evolução. Taxas de transferência, características quanto a mobilidade.

Roteiro I Redes WiMAX. WiMAX, de onde deriva a tecnologia e perspectivas de evolução. Taxas de transferência, características quanto a mobilidade. Curso: Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Professor: Marco Câmara Aluno: Guilherme Machado Ribeiro Turma: 12 matutino Roteiro I Redes WiMAX 1-Histórico WiMAX, de

Leia mais

Cassiano Jung, Diego Férri, Eduardo Molon, Ivan Wendt, Rodrigo Porto

Cassiano Jung, Diego Férri, Eduardo Molon, Ivan Wendt, Rodrigo Porto Cassiano Jung, Diego Férri, Eduardo Molon, Ivan Wendt, Rodrigo Porto Introdução O que é WiMAX O Inicio do WiMAX Arquitetura do protocolo Vantagens Desvantagens Segurança no WiMAX Utilização no Brasil Futuro

Leia mais

A partir de 1998 passou a se dedicar ao segmento de telecom, tendo sido Gerente de Operação e 1

A partir de 1998 passou a se dedicar ao segmento de telecom, tendo sido Gerente de Operação e 1 Sistemas de Automação de Infra-estrutura de Sites de Telecom Este tutorial apresenta a descrição de conceitos de Sistemas de Automação de Infra-estrutura de Sites de Telecom. (Versão revista do tutorial

Leia mais

Autor: Patrick Freitas Fures

Autor: Patrick Freitas Fures FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA Conectividade WIMAX Autor: Patrick Freitas Fures Relatório Técnico apresentado ao Profº. Nataniel Vieira com requisito parcial para obtenção

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br Cidades Digitais Desmistificando a Tecnologia INATEL Competence Center Av. João de Camargo, 510 Santa Rita do Sapucai MG Tel: (35) 3471 9330 Bruno Soares Henriques O que é Cidade Digital City Cloud, Digital

Leia mais

Computação Móvel: Redes sem Fio (WAN / LAN)

Computação Móvel: Redes sem Fio (WAN / LAN) Computação Móvel: Redes sem Fio (WAN / LAN) Mauro Nacif Rocha DPI/UFV 1 Os Primórdios Final da década de 80 e década de 90 2 1 Wide Area Mobile Data Services ARDIS EMBARC MobileComm Nextel RadioMail RAM

Leia mais

SSC0748 - Redes Móveis

SSC0748 - Redes Móveis - Redes Móveis Introdução Redes sem fio e redes móveis Prof. Jó Ueyama Agosto/2012 1 Capítulo 6 - Resumo 6.1 Introdução Redes Sem fo 6.2 Enlaces sem fo, características 6.3 IEEE 802.11 LANs sem fo ( wi-f

Leia mais

OSS. Sistemas de Suporte à Operação

OSS. Sistemas de Suporte à Operação OSS Sistemas de Suporte à Operação OSS Sistemas de Suporte à Operação As atuais redes de comunicação estão convergindo para um cenário em que a comunicação se torna cada vez mais factível, praticamente

Leia mais

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr. IEEE 802.16 - WiMAX Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br WiMax - Worldwide Interoperability for Microwave Access WiMAX Forum:

Leia mais

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA LISA PERFIL DO CLIENTE Indústria: Telecomunicações Empresa: TIM Brasil Colaboradores: 12,167 mil EMPRESA

Leia mais

A CONVERGÊNCIA DE DADOS E VOZ NA PRÓXIMA GERAÇÃO DE REDES. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

A CONVERGÊNCIA DE DADOS E VOZ NA PRÓXIMA GERAÇÃO DE REDES. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com A CONVERGÊNCIA DE DADOS E VOZ NA PRÓXIMA GERAÇÃO DE REDES Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução A convergência, atualmente um dos temas mais discutidos na indústria de redes,

Leia mais

Como agregar valor aos negócios de provedores de internet

Como agregar valor aos negócios de provedores de internet Encontro de provedores regionais Feira de Santana Como agregar valor aos negócios de provedores de internet Urbano Matos Internet das coisas Fonte: FIESC - PEDIC 2022 Novos paradigmas de trabalho Fonte:

Leia mais

MANUAL CLIENTE TODA A

MANUAL CLIENTE TODA A MANUAL CLIENTE TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho dos serviços de telecomunicações

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, julho de 2013 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina Apresentação do Professor Metodologia

Leia mais

Inovações tecnológicas e seus impactos na gestão de faturamento

Inovações tecnológicas e seus impactos na gestão de faturamento Inovações tecnológicas e seus impactos na gestão de faturamento José Felicio Frezza, Marta Rettelbusch de Bastos Resumo As inovações tecnológicas oriundas do uso do Protocolo Internet (IP) estão cada vez

Leia mais

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Mestrado em Engenharia de Redes de Comunicações TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Parte I Redes tradicionais: - Redes Fixas de Voz e Dados - Redes Móveis: SMT, SMRP As Redes de Acesso à Internet: - ISP - WISP

Leia mais

GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços

GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços Este Tutorial apresenta os conceitos básicos de Gerência Integrada de Redes e Serviços (GIRS) como defina pela UIT sob o título de TMN(Telecommunications Management

Leia mais

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez Advanced Wireless Networks Overview & Configuration Workshop by Nicola Sanchez Microwave Wireless Telecom - Brasil Distribuidor Mikrotik no Brasil Fornecedor de Soluções em Redes Wireless Consultoria e

Leia mais

UMTS. www.teleco.com.br 1

UMTS. www.teleco.com.br 1 UMTS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Universal Mobile Telecommunications System (UMTS) padrão de 3ª Geração de sistemas celulares para evolução de redes GSM. Autor: Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

NETCOM 2007 PALESTRA:

NETCOM 2007 PALESTRA: NETCOM 2007 PALESTRA: SOLUÇÕES DE COBERTURA INDOOR PARA APLICAÇÕES WIMAX Marcelo Yamaguchi RFS Radio Frequency Systems Página 1 de (6) INTRODUÇÃO A demanda cada vez maior por portabilidade, mobilidade,

Leia mais

Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML

Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML Integração de Sistemas de Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Utilizando GML Novembro/2003 Agenda Introdução Contexto Problema Objetivo Solução Integração de Sistemas de Telecom Rede Externa de

Leia mais

Introdução. Sistemas de Comunicação Wireless. Sumário. Visão Geral de Redes Móveis "#$%%% Percentual da população com telefone celular

Introdução. Sistemas de Comunicação Wireless. Sumário. Visão Geral de Redes Móveis #$%%% Percentual da população com telefone celular Sumário Sistemas de Comunicação Wireless! #$%%% & Visão Geral de Redes Móveis Introdução Percentual da população com telefone celular Brasil 19% 34% 2001 2005 Fonte: Global Mobile, Goldman Sachs, DiamondCluster

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras

General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras Tópicos O que é GPSR Arquitetura do Sistema Estados Operacionais do Celular GPRS Classes do Celular GSM/ GPRS Protocolos do GPRS Transmitindo Pacotes

Leia mais

Convergência fixo-móvel

Convergência fixo-móvel Convergência fixo-móvel 74 RTI SET 2005 Einar Edvardsen, da Telenor R&D (Noruega) É possível a convergência entre redes fixas e móveis? Um projeto desenvolvido na Europa mostra que sim. A idéia é promover

Leia mais

EMBRATEL WHITE PAPER

EMBRATEL WHITE PAPER EMBRATEL WHITE PAPER CARRIER ETHERNET Neste artigo, a Embratel destaca a história, arquitetura, princípios e serviços que a solução de Carrier Ethernet possui. A tecnologia Ethernet foi concebida na década

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

CA Nimsoft Monitor para servidores

CA Nimsoft Monitor para servidores DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 CA Nimsoft Monitor para servidores agility made possible CA Nimsoft para monitoramento de servidores sumário CA Nimsoft Monitor para servidores 3 visão geral da solução

Leia mais

Voz para a rede LTE. Ricardo Takaki *, Juliano João Bazzo

Voz para a rede LTE. Ricardo Takaki *, Juliano João Bazzo Ricardo Takaki *, Juliano João Bazzo A tecnologia LTE tem sido considerada uma tendência natural para a convergência dos sistemas de telefonia celular de segunda e terceira geração. Essa tecnologia, entretanto,

Leia mais

SUMÁRIO. UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LABORATÓRIO DE REDES

SUMÁRIO. UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LABORATÓRIO DE REDES UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LABORATÓRIO DE REDES CARLOS RAFAEL GUERBER SUMÁRIO 1 AMBIENTE SEM FIO...3 1.1 CATEGORIAS, ALCANCE E APLICAÇÕES...3 1.1.1 Padrões IEEE...5

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel

ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Comentários MINUTA TERMO DE REFERENCIA Lote 9A ABRANGÊNCIA: atendimento a no mínimo 60% dos municípios 853 mineiros conforme padrões Anatel Resposta: Fica mantido o texto da minuta do TR. 2.2 O provimento

Leia mais

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Sistemas de Informação Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Conjunto de Módulos Processadores (MP) capazes de trocar informações e compartilhar recursos,

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti UNIDADE II Metro Ethernet Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas Metropolitanas e geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu pois, de

Leia mais

O Futuro das Redes Wi-Fi e as Promessas do WiMAX. Fabrício Lira Figueiredo - CPqD

O Futuro das Redes Wi-Fi e as Promessas do WiMAX. Fabrício Lira Figueiredo - CPqD O Futuro das Redes Wi-Fi e as Promessas do WiMAX Fabrício Lira Figueiredo - CPqD Abril/2004 PARTE I: Wi-Fi 2 PARTE I: Wi-Fi Evoluçã ção Conceitos Aspectos de Segurança Diferenciais Aplicaçõ ções e Serviços

Leia mais

Liderando a Evolução para Redes Mesh

Liderando a Evolução para Redes Mesh Tendências do mercado A realidade do século 21 A conectividade em Banda Larga tem se transformado numa utilidade tão básica quanto a a eletricidade e o gás As redes mesh wireless fazem hoje, desta tecnologia,

Leia mais

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization

TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 TIM Brasil Padroniza Testes e Antecipa Erros em Aplicações com CA Service Virtualization PERFIL DO CLIENTE Indústria: Telecomunicações Empresa: TIM Brasil Colaboradores:

Leia mais

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Julho/2010 Objetivo Este tutorial tem como objetivo fornecer informações técnicas e recomendações na utilização de roteadores 3G para implantação

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

Avaya Virtualization Provisioning Service

Avaya Virtualization Provisioning Service Avaya Virtualization Provisioning Service Uma solução que fornece visibilidade, validação, automatização e geração de relatórios ao longo dos diferentes servidores, aplicações e dispositivos de rede para

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES

DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES DISPONIBILIZAÇÃO DE SERVIÇOS BASEADOS EM LOCALIZAÇÃO VIA WEB SERVICES GRACE KELLY DE CASTRO SILVA, PATRÍCIA MARIA PEREIRA e GEOVANE CAYRES MAGALHÃES (ORIENTADOR) CPqD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO SITEC2010 - Semana do Instituto de Tecnologia Aluno: Edson Adriano Maravalho Avelar Orientador: Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias 1 Motivação Aumento

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

Redes 10 Gigabit Ethernet

Redes 10 Gigabit Ethernet Redes 10 Gigabit Ethernet Ederson Luis Posselt 1, Joel Henri Walter 2 1 Instituto de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) Bairro Universitário na Av. Independência 2293 Santa Cruz do Sul

Leia mais

Serviços Geridos como melhorar a eficiência do negócio com a NextiraOne. Cisco Expo 2011. 21 de Setembro Centro de Congressos do Estoril

Serviços Geridos como melhorar a eficiência do negócio com a NextiraOne. Cisco Expo 2011. 21 de Setembro Centro de Congressos do Estoril Geridos como melhorar a eficiência do negócio com a NextiraOne Cisco Expo 2011 21 de Setembro Centro de Congressos do Estoril 21 de Setembro Agenda do evento 11h 40m NextiraOne estratégia e oferta de valor

Leia mais

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Hoje em dia, as empresas valorizam mais os resultados. E procuram tecnologia de próxima geração para gerar ganhos tanto na produtividade como

Leia mais

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX.

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. APRESENTAÇÃO A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. AI METRIX é o nome original da empresa que desenvolveu o software

Leia mais

Unified Communications & IP Tl Telephony. IDC, 2 e 3 Abril de 2008

Unified Communications & IP Tl Telephony. IDC, 2 e 3 Abril de 2008 Unified Communications & IP Tl Telephony IDC, 2 e 3 Abril de 2008 Abril de 2008 Sumário Enquadrar sucintamente o ambiente que se vive na indústria em torno desta nova (r)evolução tecnológica. Constatar

Leia mais