Ressecção em bloco de tumores na bexiga. com HybridKnife UROLOGIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ressecção em bloco de tumores na bexiga. com HybridKnife UROLOGIA"

Transcrição

1 Ressecção em bloco de tumores na bexiga com HybridKnife UROLOGIA

2 Os 4 passos de trabalho na ressecção em bloco Marcação Antes da elevação, o tumor é marcado circularmente com pontos de coagulação, que também representam a linha de ressecção. A margem de segurança lateral até a borda do tumor é de aprox. 5 7 mm. 02 Elevação Utilizando a função jato de água, o tumor é elevado por injeções nos pontos marcados. O líquido se acumula na submucosa, formando uma margem de segurança para a membrana muscular. Dessa forma diminui-se o risco de perfuração durante a ressecção.

3 com HybridKnife Incisão/dissecção A ressecção e posterior corte é realizada no plano elevado. Os modos DRY CUT ou ENDO CUT Q oferecem um corte de alta qualidade e com ótima hemostasia. As repetidas elevações proporcionam uma boa apresentação do plano de corte (por baixo do tumor) e contribui para a realização da ressecção R0 desejada. 04 Coagulação posterior Os vasos ou hemorragias que ocorrem durante ou após a ressecção podem ser coagulados com FORCED COAG.

4 ESD com HybridKnife a técnica que está marcando A função de jato de água para a elevação da mucosa com lesão na endoscopia AS VANTAGENS DA ESD NO TRATO INTESTINAL GIT A dissecção submucosa endoscópica ESD é uma técnica empregada internacionalmente para tratar carcinomas precoces no trato gastrointestinal. Com HybridKnife a ESD é realizada de forma fácil e segura, com curva de aprendizado ascendente. Os quatro passos de trabalho, marcação, elevação, incisão/dissecção e coagulação podem ser executados sem mudar o instrumento. Desta forma é possível fazer a ressecção em bloco de tumores e carcinomas precoces não invasivos nas camadas musculares com HybridKnife, com uma borda de ressecção segura R0, lateralmente e na extensão de profundidade. Os estudos de usuários renomados confirmam que:* com HybridKnife também podem ser realizadas ressecções de tumores com 20 mm de diâmetro e largura, de uma vez só reduz a taxa de reincidência o plano de ressecção é elevado, reduzindo o risco de perfuração após a ressecção, o tecido pode ser avaliado histologicamente com segurança

5 As vantagens da aplicação no GIT podem ser transferidas para a urologia? Após a marcação usando a função de eletrocirurgia e após a elevação, pode ser feita a ressecção do tumor e hemorragias podem ser coaguladas As experiências até aqui na ressecção de tumores na bexiga com HybridKnife. Como às paredes dos órgãos no trato intestinal, esôfago, estômago e intestino, a bexiga tem estruturação de camadas similar, mucosa, submucosa e membrana muscular. O princípio de elevação é o mesmo, como também os passos individuais da ressecção em bloco de um carcinoma na bexiga com HybridKnife. Os primeiros Hospitais relatam intervenções bem sucedidas num número pequeno de pacientes.** Por esta razão, o novo procedimento de ressecção com HybridKnife será comparado num amplo estudo multicêntrico com o método de ressecção convencional. Será dado atenção especial à ressecção em bloco. O tecido resultado de ambas técnicas de ressecção serão comparados com relação à avaliação patológica que influencie o tratamento seguinte. Além disso, são esperadas as primeiras avaliações, se há e qual é a influência positiva do novo procedimento sobre a taxa de reincidência. Participam do estudo multicêntrico: Hospital Universitário de Tübingen, Clínica de Urologia Centro Médico da Universidade de Munique, Clínica de Urologia Hospital Universitário de Regensburgo, Clínica de Urologia Hospital Universitário de Erlangen, Clínica de Urologia Hospital Universitário de Caridade de Berlim, Clínica de Urologia Clínica da Diaconia de Estugarda, Clínica de Urologia

6 Ressecção com alça TUR-B colocando o padrão em teste Até aqui o procedimento preferido: TUR-B com alça, utilizando técnica monopolar ou bipolar RISCO DE REINCIDÊNCIA INDUZIDO PELO PROCEDIMENTO A ressecção transuretral convencional com alça ainda é o procedimento predominante para a remoção e diagnóstico de tumores na bexiga de forma minimamente invasiva. No entanto, a partir de um diâmetro de 7 mm, não é mais possível remover tumores em bloco. O tumor tem de ser fracionado, o que está em oposição às recomendações oncológicas usuais. Ao cortar um tumor possivelmente são liberadas células tumorais que podem conduzir ao novo crescimento do tecido tumoral. Além disso, o desmembramento do tecido dificulta a avaliação patológica com diagnóstico preciso. Todos esses critérios indicam que vale a pena colocar o padrão ouro para teste em comparação à ressecção em bloco com HybridKnife.

7 Ressecção em bloco de tumores na bexiga com HybridKnife Ressecção em bloco dos tumores de bexiga. Todos os passos individuais são realizados com HibridKnife, sem trocar os instrumentos. UMA ALTERNATIVA NOVA E PROMISSORA? Pode-se fazer a ressecção do tumor na bexiga em uma peça com a função eletrocirúrgica do instrumento HybridKnife. Através da elevação da mucosa o plano de ressecção é elevado e reduz-se o risco de perfuração da membrana muscular. A técnica em bloco permite uma avaliação patológica mais exata, após a ressecção. Pode-se comprovar a remoção completa do tumor através da borda de ressecção contínua no tecido saudável. O estudo multicêntrico randomizado verificará se o procedimento novo obteve vantagens com relação ao padrão ouro, quanto a: melhor avaliação patológica Capacidade de avaliar a invasão do tumor (extensão lateral e vertical do tumor, estado R) melhor subestadiamento de tumores T1 declarações iniciais sobre as taxas de reincidência e progressão

8 Os modelos HybridKnife Recomendamos esses tipos de sonda para a utilização na bexiga: Tipo I: Tipo T: Versátil na aplicação, alto grau de liberdade O modelo com as melhores propriedades para preparação e trabalho sob tensão, excelentes propriedades de coagulação Recomendações de ajuste Marcação FORCED COAG, efeito 2, 50 watts Elevação efeito Incisão/Dissecção DRY CUT, efeito 3-5, 70 watts ENDO CUT Q, efeito 2, Duração do corte 4, intervalo de corte 4 Coagulação FORCED COAGs, efeito 2, 50 watts HybridKnife Tipo T Ø 2,3 mm; comprimento 1,9 m N HybridKnife Tipo I Ø 2,3 mm; comprimento 1,9 m N

9 A estação de trabalho para urologia Ressecção de tumores na bexiga com HybridKnife. E demais aplicações no trato urológico. Com base no módulo eletrocirúrgico VIO 300 D com os módulos adicionais de cirurgia por jato de água e de coagulação com plasma de argônio, a estação de trabalho urológica VIO é praticamente completa para atender a todas as especialidades do centro cirúrgico. Você vai encontrar mais aplicações para Urologia em nossa homepage. erbe-med.com Estação de trabalho de urologia VIO 300 D (eletrocirurgia) APC 2 (Coagulação com plasma de argônio) ERBEJET 2 (dissecção por jato de água) ESM 2 (sistema de aspiração) Adaptador de ressecção bipolar

10 Referências * Repici A. et al, High efficacy of endoscopic submucosal dissection for rectal laterally spreading tumors larger than 3 cm, Gastrointest Endosc 2013; 77: Schumacher B. et al, Endoscopic submucosal dissection of early gastric neoplasia with a water-jet assisted Hybrid-Knife: A Western single centers s experience, Gastrointest Endosc 2012, 75: Schumacher B. et al, Water-jet assisted endoscopic submucosal dissection (ESDH) in comparison to conventional ESD technique for treatment of early gastric cancer, Gastrointest Endosc 2012, DDW abstract accepted. Neuhaus H. et al, First Clinical Trial of Endoscopic Submucosal Resection (ESD) of Early Gastric Neoplasia with a Water-Jet Hybridknife (ESDH), Gastrointest Endosc 2009; 69: AB259. Neuhaus H. et al, Endoscopic Submucosal Resection (ESD) of Early Barrett s Neoplasia (EBN) With a Water-Jet HybridKnife (ESDH): First Prospective Clinical Trial, Gastrointest Endosc 2010; 71: AB125. ** Fritsche HM. et al, Water-jet-aided transurethral dissection of urothelial carcinoma: a prospective clinical study; J Endourol Oct; 25(10): doi: /end Epub 2011 Aug 4. Nagele U. et al, Waterjet hydrodissection: first experiences and short-term outcomes of a novel approach to bladder tumor resection; World J Urol Aug; 29(4): doi: /s Epub 2011 Feb 9. Aqui o link diretamente para o vídeo Erbe Elektromedizin GmbH Waldhoernlestrasse Tuebingen Alemanha Tel Fax erbe-med.com Erbe Elektromedizin GmbH

Elevação por jato de água antes da EMR ou ESD. Segura e seletiva com a Sonda flexível ou HybridKnife GASTROENTEROLOGIA

Elevação por jato de água antes da EMR ou ESD. Segura e seletiva com a Sonda flexível ou HybridKnife GASTROENTEROLOGIA Elevação por jato de água antes da EMR ou ESD Segura e seletiva com a Sonda flexível ou HybridKnife GASTROENTEROLOGIA Elevação por jato de água protege e otimiza Instrumento cirúrgico ERBEJET 2 com jato

Leia mais

E L E T R O C I R U R G I A / C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A. HybridKnife

E L E T R O C I R U R G I A / C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A. HybridKnife E L E T R O C I R U R G I A / C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A E s t a ç ã o d e t r a b a l h o E S D c o m H y b r i d K n i f e HybridKnife 4 Passos de Tr abalho 1 Instrumento. Elevaç ão e

Leia mais

CIRURGIA POR JATO DE ÁGUA ERBEJET 2

CIRURGIA POR JATO DE ÁGUA ERBEJET 2 CIRURGIA POR JATO DE ÁGUA ERBEJET 2 A diversidade da cirurgia por jato de água: ERBEJET 2 com Instrumentos híbridos Intervenções menos invasivas na cirurgia e endoscopia A cirurgia por jato de água com

Leia mais

BiCision. Termofusão e dissecção com a vantagem π SELAGEM DE VASOS

BiCision. Termofusão e dissecção com a vantagem π SELAGEM DE VASOS BiCision Termofusão e dissecção com a vantagem π SELAGEM DE VASOS O conceito de segurança do BiCision: Máxima termofusão mínima borda de coagulação Com o BiCision vasos e tecidos poderão ser preparados,

Leia mais

CANCER GÁSTRICO PRECOCE (T1, qualquer N) Compromete mucosa até submucosa INDEPENDENTE se há linfonodometastático

CANCER GÁSTRICO PRECOCE (T1, qualquer N) Compromete mucosa até submucosa INDEPENDENTE se há linfonodometastático Simone Guaraldi sguaraldi@inca.gov.br CANCER GÁSTRICO PRECOCE (T1, qualquer N) Compromete mucosa até submucosa INDEPENDENTE se há linfonodometastático i CANCER GÁSTRICO PRECOCE (T1, qualquer N) Compromete

Leia mais

Terapia Endoscópica para Tumores Esofágicos e Gástricos Precoces: Quando Indicar? Fauze Maluf-Filho

Terapia Endoscópica para Tumores Esofágicos e Gástricos Precoces: Quando Indicar? Fauze Maluf-Filho Terapia Endoscópica para Tumores Esofágicos e Gástricos Precoces: Quando Indicar? Fauze Maluf-Filho Roteiro Do que estamos falando? Indicação Restrita x Primária Base Racional do Tratamento Endoscópico

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA (Actualização limitada do texto em Março de 2009) M. Babjuk, W. Oosterlinck, R. Sylvester, E. Kaasinen, A. Böhle, J. Palou Introdução Eur Urol 2002;41(2):105-12

Leia mais

Gaiola lateral MEMMINGER-IRO Alojamento individual da bobina

Gaiola lateral MEMMINGER-IRO Alojamento individual da bobina Gaiola lateral MEMMINGER-IRO Alojamento individual da bobina Advanced Knitting Technology MEMMINGER-IRO GMBH Jakob-Mutz-Straße 7 72280 Dornstetten - Alemanha Tel. +49 7443 281-0 Fax +49 7443 281-101 info@memminger-iro.de

Leia mais

C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A. Uma nova dimensão em cirurgia com jato de água:

C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A. Uma nova dimensão em cirurgia com jato de água: C I R U R G I A C O M J A T O D E Á G U A E r b E J E T 2 Uma nova dimensão em cirurgia com jato de água: o ERBEJET 2 no sistema VIO cirurgia com jato de água O procedimento suave no centro cirúrgico.

Leia mais

DIVERTÍCULO DE ZENKER. R1 Jean Versari - HAC

DIVERTÍCULO DE ZENKER. R1 Jean Versari - HAC DIVERTÍCULO DE ZENKER R1 Jean Versari - HAC Divertículo de Zenker Evaginação da mucosa e submucosa do esôfago posterior por área de fraqueza entre as partes tireofaríngea e cricofarínega do músculo constritor

Leia mais

Highlights Edição do 3. trimestre de Imagiologia por fluorescência

Highlights Edição do 3. trimestre de Imagiologia por fluorescência Highlights 2016 Edição do 3. trimestre de 2016 Imagiologia por fluorescência Fonte: Prof. Boni, University of Insubria, Varese, Itália (imagem endoscópica) Visualização do sistema linfático com ICG na

Leia mais

cirurgia de alta frequência A p l i c a ç ã o e c o n s e l h o s p r á t i c o s

cirurgia de alta frequência A p l i c a ç ã o e c o n s e l h o s p r á t i c o s cirurgia de alta frequência A p l i c a ç ã o e c o n s e l h o s p r á t i c o s Aplic aç ão par a gastroenterologia Índice Introdução 03 Cirurgia AF na endoscopia Efeitos térmicos 05 Corte Coagulação

Leia mais

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO CAPÍTULO 18 MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO 1. INTRODUçãO Leiomiomas uterinos são os tumores mais frequentes do trato genital feminino, clinicamente aparentes em 25% das

Leia mais

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016 A incidência de tumores neuroendócrinos (TNE) retais tem aumentado ao longo dos últimos 35 anos. A maioria dos TNEs retais são diagnosticados por acaso, provavelmente devido ao aumento do número de sigmoidoscopias

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ALÇA DE POLIPECTOMIA DESCARTÁVEL. (Nome técnico: Alça de Polipectomia)

MANUAL DO USUÁRIO ALÇA DE POLIPECTOMIA DESCARTÁVEL. (Nome técnico: Alça de Polipectomia) MANUAL DO USUÁRIO Produto: ALÇA DE POLIPECTOMIA DESCARTÁVEL (Nome técnico: Alça de Polipectomia) LER MANUAL DO USUÁRIO ANTES DE FAZER USO DO PRODUTO PRODUTO DE USO ÚNICO. PROIBIDO REPROCESSAR PRODUTO ESTÉRIL.

Leia mais

RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas

RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas Especializanda: Renata

Leia mais

Anastomose pancreática: quando melhor com o estômago e quando melhor com o intestino? Orlando Jorge M. Torres Professor Livre-Docente UFMA

Anastomose pancreática: quando melhor com o estômago e quando melhor com o intestino? Orlando Jorge M. Torres Professor Livre-Docente UFMA Anastomose pancreática: quando melhor com o estômago e quando melhor com o intestino? Orlando Jorge M. Torres Professor Livre-Docente UFMA Cameron JL, et al. Ann Surg 2006;244:10-15 Fatores de risco Pâncreas

Leia mais

Shaver Intrauterino Bigatti (IBS ) GYN /2016-PT

Shaver Intrauterino Bigatti (IBS ) GYN /2016-PT Shaver Intrauterino Bigatti (IBS ) GYN 48 7.0 01/2016-PT IBS, um método alternativo para cirurgia intrauterina de alta frequência No momento, a ressecção convencional pode ser considerada um procedimento

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 6

ORGANIZADOR. Página 1 de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 Página de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA ) Mulher de 6 anos, com prole constituída, optou por método contraceptivo cirúrgico. Após avaliar o caso, o médico

Leia mais

ELETROCIRURGIA V I O 3 0 0 S

ELETROCIRURGIA V I O 3 0 0 S ELETROCIRURGIA V I O 3 0 0 S Eletrocirurgia com sistema: dosagem automátic a de potência par a o centro cirúrgico. Dosagem automátic a da potência no VIO 300 S par a efeitos reproduzíveis no tecido Com

Leia mais

Centro Clínico Champalimaud

Centro Clínico Champalimaud Centro Clínico Champalimaud O Centro Clínico Champalimaud (CCC) é uma instituição médica, científica e tecnológica de última geração, onde, a par da prestação integrada e interdisciplinar de cuidados clínicos

Leia mais

A.C.Camargo apresenta: A maneira mais gostosa de ser saudável é se alimentando bem.

A.C.Camargo apresenta: A maneira mais gostosa de ser saudável é se alimentando bem. A.C.Camargo apresenta: A maneira mais gostosa de ser saudável é se alimentando bem. Refeições balanceadas auxiliam: A digestão O bom-humor O bem-estar A prevenção de doenças como o câncer A digestão começa

Leia mais

A obstrução colônica aguda é uma condição grave que traz risco de vida, e que requer tratamento cirúrgico imediato.

A obstrução colônica aguda é uma condição grave que traz risco de vida, e que requer tratamento cirúrgico imediato. INTRODUÇÃO: Cerca de 10 a 30% dos pacientes com câncer colorretal (CCR) vão apresentar obstrução colônica como apresentação inicial. A obstrução colônica aguda é uma condição grave que traz risco de vida,

Leia mais

SETOR DE ABDOME - JOURNAL CLUB

SETOR DE ABDOME - JOURNAL CLUB SETOR DE ABDOME - JOURNAL CLUB Leonardo S. Carvalho OBJETIVOS Avaliar a capacidade da MDCT com MPRs, para a predição da ressecabilidade do adenocarcinoma pancreatico MATERIAL E MÉTODO Trabalho retrospectivo

Leia mais

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia

22 - Como se diagnostica um câncer? nódulos Nódulos: Endoscopia digestiva alta e colonoscopia 22 - Como se diagnostica um câncer? Antes de responder tecnicamente sobre métodos usados para o diagnóstico do câncer, é importante destacar como se suspeita de sua presença. As situações mais comuns que

Leia mais

DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU

DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU TRAQUEOTOMIA Profa Livre Docente Regina H. Garcia Martins DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU Unesp TRAQUEOTOMIA X TRAQUEOSTOMIA INDICAÇÕES DE TRAQUEOTOMIA DESOBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS

Leia mais

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno Situações especiais Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update 2014 Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Metástases Cerebrais

Leia mais

Endoscopia rígida praticada em bovinos VET /2016-PT

Endoscopia rígida praticada em bovinos VET /2016-PT Endoscopia rígida praticada em bovinos VET 24 6.0 07/2016-PT Conjunto de telorressectoscopia de SEEH/HOSPES Desenvolvido na clínica de obstetrícia, ginecologia e andrologia para animais de grande e pequeno

Leia mais

HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES

HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES DGO USP RIB PRETO HISTEROSCOPIA CIRURGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA Histerectomia Taxas excessivamente altas em alguns países

Leia mais

Imagens de adição -úlceras

Imagens de adição -úlceras Tracto Digestivo 8 -Estudos contrastados do tubo digestivo (conclusão) Imagens de adição (cont.) os processos ulcerativos A radiologia digestiva na era da endoscopia 9 -A imagiologiaseccional no estudo

Leia mais

Pinça de coagulação e dissecção CLICKLINE Duo de SHAWKI GYN /2015-PT

Pinça de coagulação e dissecção CLICKLINE Duo de SHAWKI GYN /2015-PT Pinça de coagulação e dissecção CLICKLINE Duo de SHAWKI GYN 50 5.0 06/2015-PT Introdução: Na maioria dos procedimentos de qualquer cirurgia laparoscópica, quando uma dissecção minunciosa tem que ser feita,

Leia mais

GYN /2016-PT. Tradição e futuro. Soluções para a histeroscopia cirúrgica

GYN /2016-PT. Tradição e futuro. Soluções para a histeroscopia cirúrgica GYN 57 1.1 11/2016-PT Tradição e futuro Soluções para a histeroscopia cirúrgica Shaver intrauterino BIGATTI (IBS ) A maioria das histeroscopias cirúrgicas pode ser executada com o sistema de Shaver IBS

Leia mais

SONDAS ENTERAIS. Freka UMA SOLUÇÃO PARA CADA NECESSIDADE

SONDAS ENTERAIS. Freka UMA SOLUÇÃO PARA CADA NECESSIDADE SONDAS ENTERAIS TRANSNASAIS PERCUTÂNEAS Freka UMA SOLUÇÃO PARA CADA NECESSIDADE SONDAS TRANSNASAIS e Intestinal Freka Paed CH 6.5 Freka Sonda Enteral Freka Sonda Enteral CH 15 Freka Trelumina Freka Paed

Leia mais

Aluna: Bianca Doimo Sousa Orientador: Prof. Dr. Jaques Waisberg. Hospital do Servidor Público Estadual

Aluna: Bianca Doimo Sousa Orientador: Prof. Dr. Jaques Waisberg. Hospital do Servidor Público Estadual Hospital do Servidor Público Estadual Programa de Iniciação Científica em Gastroenterologia Cirúrgica EXPRESSÃO IMUNO-HISTOQUÍMICA DO RECEPTOR DE FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO (EGFR) NO CARCINOMA COLORRETAL:

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

Cirurgia Micrográfica de Mohs

Cirurgia Micrográfica de Mohs Cirurgia Micrográfica de Mohs O câncer de pele está cada vez mais predominante, e estima-se que cerca de 20% da população mundial desenvolverá câncer de pele em sua vida. Felizmente, o câncer de pele tem

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia?

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? TROCANDO IDÉIAS XX MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? Gutemberg Almeida ISSVD UFRJ ABPTGIC Carcinoma Microinvasor IA1 - Invasão do estroma < 3 mm em profundidade e < 7 mm em extensão IA2 - Invasão

Leia mais

Tendo em vista um tratamento menos invasivo nestes pacientes, foram propostas uma série de alternativas endoscópicas.

Tendo em vista um tratamento menos invasivo nestes pacientes, foram propostas uma série de alternativas endoscópicas. INTRODUÇÃO A buried bumper syndrome (BBS) é uma complicação decorrente da gastrostomia endoscópica percutânea, e consiste no crescimento de mucosa gástrica sobre o anteparo interno da gastrostomia com

Leia mais

Curso de Metodologia Científica para Residentes. Luiz Watanabe e Ana Márcia Gaudard

Curso de Metodologia Científica para Residentes. Luiz Watanabe e Ana Márcia Gaudard Curso de Metodologia Científica para Residentes e Preceptores da SES/DF - 2008 Luiz Watanabe e Ana Márcia Gaudard PRÁTICA CLÍNICA BASEADA EM EVIDÊNCIAS COMO DESENVOLVER UMA ESTRATÉGIA DE BUSCA? EXPLOSÃO

Leia mais

Journal Club (set/2010)

Journal Club (set/2010) Journal Club (set/2010) van Werven et al Academic Medical Center University of Amsterdam Netherland Thiago Franchi Nunes Orientador: Dr. Rogério Caldana Escola Paulista de Medicina Universidade Federal

Leia mais

- Papel da Quimioterapia Neo e

- Papel da Quimioterapia Neo e Carcinoma Urotelial de Bexiga: Tratamento Sistêmico na Doença Músculo-Invasiva - Papel da Quimioterapia Neo e Adjuvante Igor A. Protzner Morbeck, MD, MSc Prof. Medicina Interna Univ. Católica de Brasília

Leia mais

Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária.

Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária. Congresso Norte Nordeste de Coloproctologia 2017 21 de abril de 2017 - Sexta-feira 07:50 às 08:00 Pré-abertura 08:00 às 09:00 Doenças orificiais: Tratamento da doença hemorroidária. Se complica por que

Leia mais

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dr. Bruno Pinto Ribeiro Residente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Introdução Mais de 99% câncer de tireóide tópico Locais ectópicos struma ovarii, pescoço Objetivo

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Assunto: Habib 4X e Habib 4X Laparoscópico Dispositivos para ressecção bipolar Canoas, Julho de 2012. Câmara Técnica de

Leia mais

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Roteiro da Apresentação 1. Estrutura da Pesquisa Científica 2. Classificação dos estudos epidemiológicos 3.

Leia mais

Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de. Anatomia Patológica

Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de. Anatomia Patológica Serviço de Anatomia Patológica 10.01.2014 Procedimentos relativos ao envio de amostras biológicas para o Serviço de Anatomia Patológica Margarida Ferreira Mariana Cruz INTRODUÇÃO A qualidade de um exame

Leia mais

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III?

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III? Microcarcinoma cervical-questões: : igual ao da NIC III? Yara Furtado Professora assistente da UNIRIO Médica do Ambulatório de Patologia Cervical do Instituto de Ginecologia da UFRJ FIGO Committee on Ginecologic

Leia mais

15º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA TÍTULO DO TRABALHO: REGULADOR DE ARGAMASSA (MODALIDADE: HABITAÇÃO) APRESENTAÇÃO

15º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA TÍTULO DO TRABALHO: REGULADOR DE ARGAMASSA (MODALIDADE: HABITAÇÃO) APRESENTAÇÃO 15º CONCURSO FALCÃO BAUER DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA TÍTULO DO TRABALHO: REGULADOR DE ARGAMASSA (MODALIDADE: HABITAÇÃO) APRESENTAÇÃO Uma solução simples, produzida com chapas dobradas ou perfis. Seu objetivo

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1 Escalas Recife, 2014 Definição de Escala É a relação matemática constante entre o comprimento de uma linha

Leia mais

PROCESSO: Razão Social: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: - CNPJ: Telefone: ( ) Fax: ( )

PROCESSO: Razão Social: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: - CNPJ: Telefone: ( ) Fax: ( ) PROCESSO: 071111585 Razão Social: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: - CNPJ: Telefone: ( ) Fax: ( ) Prezado Senhores: Solicitamos a Vossa Senhoria, informar os preços dos materiais, bens ou serviços

Leia mais

O FIO GUIA CORRETO PARA CADA APLICAÇÃO

O FIO GUIA CORRETO PARA CADA APLICAÇÃO HORIZON FIOS SISTEMA GUIA DE NITINOL LIGAÇÃO O nome Três você benefícios já conhece, da o tecnologia produto você de já camada confia. SEGURANÇA SUPERIOR Todos os nossos fios guia de nitinol, com um eixo

Leia mais

I Data: 24/05/05. II Grupo de Estudo: III Tema: IV Especialidade(s) envolvida(s):

I Data: 24/05/05. II Grupo de Estudo: III Tema: IV Especialidade(s) envolvida(s): Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 016/05 Tema: Ultra-sonografia dinâmica de vias urinárias I Data: 24/05/05 II Grupo de Estudo: Silvana Márcia Bruschi Kelles Lélia Maria de Almeida Carvalho

Leia mais

Nos primeiros lugares das dores de cabeça da Urologia

Nos primeiros lugares das dores de cabeça da Urologia N i i l d d d b d Nos primeiros lugares das dores de cabeça da Urologia Câncer de próstata :malignidade mais diagnosticada em homens Incontinência urinária afeta diretamente qualidade de vida Cirurgia:

Leia mais

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata

Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE DE CAMPINAS Revisão da Anatomia e definição dos volumes de tratamento: câncer de próstata JUMARA MARTINS R3 RADIOTERAPIA/ 2013 FCM- UNICAMP Anatomia Classificação

Leia mais

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges RADIOGRAFIA ABDOMINAL Profª Drª Naida Cristina Borges Produção de Radiografias Diagnósticas Preparo adequado jejum/enema Pausa da inspiração evita o agrupamento das vísceras Indicações para a Radiologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS. Disciplina:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS. Disciplina: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS Disciplina: Técnica Cirúrgica e Anestesiologia Veterinárias CCV-005 Prof. Álvaro Enéas Ribeiro

Leia mais

como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center

como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center Esôfago de Barrett: quando acompanhar e como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center Não possuo conflitos de interesse; Esôfago de Barrett

Leia mais

Rastreamento para Câncer de Pulmão

Rastreamento para Câncer de Pulmão Rastreamento para Câncer de Pulmão Rosana S Rodrigues Coordenadora de Pesquisa - Área de Imagem ID Or Médica Radiologista Hospital Copa D Or e HUCFF/UFRJ Rastreamento anual por TC de baixa dose (LDCT)

Leia mais

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE Hospital Municipal Cardoso Fontes Serviço de Cirurgia Geral Chefe do serviço: Dr. Nelson Medina Coeli Expositor: Dra. Ana Carolina Assaf 16/09/04 René Lambert DEFINIÇÃO Carcinoma

Leia mais

Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções. Bárbara Rodrigues

Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções. Bárbara Rodrigues Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções Bárbara Rodrigues Radiologia Intervencionista A RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA (RI) é uma especialidade que possibilita uma avaliação dinâmica

Leia mais

Postes de Vinha. Lintéis. Aplicações. Tecnologia para a indústria de concreto pré-fabricado e protendido

Postes de Vinha. Lintéis. Aplicações. Tecnologia para a indústria de concreto pré-fabricado e protendido N O R D I M P I A N T I P R O D U C T S A P P L I C A T I O N S T U R N K E Y S E R V I C E G L O B A L Postes de Vinha e Lintéis Aplicações Postes de Vinha Lintéis Tecnologia para a indústria de concreto

Leia mais

Cancro do cólon e recto. - Estratégia de prevenção e vigilância -

Cancro do cólon e recto. - Estratégia de prevenção e vigilância - XXII Reunião Anual do N.G.H.D Cancro do cólon e recto - Estratégia de prevenção e vigilância - Luísa Glória Hospital de Santarém, EPE Estratégia de prevenção e vigilância Rastreio de CCR Avaliação de indivíduos

Leia mais

Protocolos e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico

Protocolos e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico s e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico Nu Profa. Dra. Luciana Almeida Lopes e Prof. Dr. Hermes Pretel São Carlos 2009 Visite nosso site: www.nupen.com.br Nu Melanoplastia Melanoplastia, também

Leia mais

05/03/ /2015. Equipe NATS, Bom dia!

05/03/ /2015. Equipe NATS, Bom dia! 05/03/2015 03/2015 Biópsia de nódulo tireoidiano SOLICITANTE : Juíza Cláudia Helena Batista, da 3ª Unidade Jurisdicional do Juizado Especial de Belo Horizonte NÚMERO DO PROCESSO: 9013419.97.2015.813.0024

Leia mais

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Pacientes com carcinoma de celulas escamosas (CEC) comumente se apresentam com massa cervical O primario geralmente é revelado após avaliação clínica O primário pode ser desconhecido

Leia mais

Aula- 7 Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC) Profª Tatiani

Aula- 7 Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC) Profª Tatiani Aula- 7 Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC) Profª Tatiani Sistema de Classificação de Resultados de Enfermagem (NOC) Um resultado se define como......a criação de diversos instrumentos de avaliação,

Leia mais

REVASCULARIZAÇÃO ÓTIMA DO MIOCÁRDIO

REVASCULARIZAÇÃO ÓTIMA DO MIOCÁRDIO REVASCULARIZAÇÃO ÓTIMA DO MIOCÁRDIO Porque usar Ondas de Choque na Cardiologia? Características das Ondas de Choque O que são ondas de choque? Ondas de choque são ondas acústicas, semelhantes à ondas de

Leia mais

IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS

IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS IMAGIOLOGIA NOS TUMORES DE CÉLULAS RENAIS Tiago Saldanha José Durães Serviço de Radiologia HEM - CHLO Curso de carcinoma de células renais Lisboa 2015 PAPEL DOS MÉTODOS DE IMAGEM Diagnóstico Estadiamento

Leia mais

Produtos para Cultivo Celular

Produtos para Cultivo Celular Produtos para Cultivo Celular CULTIVO CELULAR Através da técnica de cultivo celular, células animais ou vegetais são mantidas vivas em crescimento fora do seu tecido original, em condições controladas.

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II SONDAS. Professora: Enfª:Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br)

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II SONDAS. Professora: Enfª:Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II SONDAS Professora: Enfª:Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) SONDAS CURTAS NASOGÁSTRICAS As mais utilizadas são as sondas de Levin e de reservatório gástrico

Leia mais

Fazer um diagnóstico. Necessidade dos testes. Foco principal. Variabilidade do teste. Diminuição das incertezas definição de normal

Fazer um diagnóstico. Necessidade dos testes. Foco principal. Variabilidade do teste. Diminuição das incertezas definição de normal Fazer um diagnóstico Avaliação Crítica tentativa de tomar uma decisão adequada usando informações inadequadas resultado de testes diminuir a incerteza do diagnóstico Ideal saber viver com a incerteza saber

Leia mais

Calha DLP de climatização

Calha DLP de climatização Calha DLP de climatização AR CONDICIONADO AQUECIMENTO CANALIZAÇÕES A GAMA ADAPTADA A QUALQUER TIPO DE APLICAÇÃO [ DLP CLIMATIZAÇÃO ] Produtos e sistemas Calha DLP de climatização Um sistema especialmente

Leia mais

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Lesões Benignas do FígadoF Tumores Epiteliais Hepatocelular Hiperplasia nodular focal Hiperplasia

Leia mais

XXII WORSHOP UROLOGIA ONCOLÓGICA Março 2017 Hotel Solverde, Espinho

XXII WORSHOP UROLOGIA ONCOLÓGICA Março 2017 Hotel Solverde, Espinho 09h00 10h00 POSTERS Sexta-Feira,Friday, 10 Março 10h00 10h15 coffee-break ANDROLOGIA - ANDROLOGY 10h15 10h30 Como optimizar a terapêutica médica na disfunção eréctil? How to optimize the medical treatment

Leia mais

Câncer do Laringe. Revisão Anatômica Dados Epidemiológicos Etiologia Fatores de Risco Diagnóstico Estadiamento Tratamento Rehabilitação

Câncer do Laringe. Revisão Anatômica Dados Epidemiológicos Etiologia Fatores de Risco Diagnóstico Estadiamento Tratamento Rehabilitação Câncer do Laringe Revisão Anatômica Dados Epidemiológicos Etiologia Fatores de Risco Diagnóstico Estadiamento Tratamento Rehabilitação Prof. Dr. Luiz Roberto de Oliveira - 2004 Revisão Anatômica Divisão

Leia mais

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS. Leonardo Oliveira Moura

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS. Leonardo Oliveira Moura TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS Leonardo Oliveira Moura Dissecção da Aorta Emergência aórtica mais comum Pode ser aguda ou crônica, quando os sintomas duram mais que 2 semanas Cerca de 75%

Leia mais

Módulo: Câncer de Colo de Útero

Módulo: Câncer de Colo de Útero Módulo: Câncer de Colo de Útero Caso 1 TR, 32 anos, médica, sem comorbidades Paciente casada sem filhos Abril/13 Citologia Útero- Negativo para células neoplásicas Abril/14 - Citologia uterina- Lesão alto

Leia mais

Sistema LAPspay para cães e felinos

Sistema LAPspay para cães e felinos VET 32 6.0 01/2016-PT Sistema LAPspay para cães e felinos Ooforectomia / Ovariohisterectomia laparoscópicas Técnica com portal único e múltiplo Técnica LAPspay multiportal Laparoscópio padrão 62046 AA

Leia mais

Curso de Cirurgia Laparoscópica Urológica Parte IV

Curso de Cirurgia Laparoscópica Urológica Parte IV 81 Curso de Laparoscopia Curso de Cirurgia Laparoscópica Urológica Parte IV Rui Lages*, Rui Santos** *Consultor de Urologia H. S. João de Deus Fão **Consultor de Urologia H. S.ta Isabel Marco de Canaveses

Leia mais

FICHA TÉCNICA UNIFIX MS ESPELHO

FICHA TÉCNICA UNIFIX MS ESPELHO F.I.S.P.Q. N 13 - Página 1/5 MERCOTRADE IMP. E EXP. LTDA Matriz: Av. Panamericana, 641 91050-001 Porto Alegre - RS Fone: 51-3208.5000 Fax: 51-3208.5050 Fax:11-3796.6116 CNPJ: 94.583.788/0001-50 Informação

Leia mais

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Paulo Eduardo Novaes, MD, PhD Departamento de Radioterapia Hospital AC

Leia mais

Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret

Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret Serviço de Cirurgia Geral III Dr Antônio Borges Campos Denissa F. G. Mesquita Extensionista da Cir. do Ap. Digestório Samuel Luz Moreno

Leia mais

Highlights Edição do 1 trimestre de Cirurgia Cardíaca e Vascular

Highlights Edição do 1 trimestre de Cirurgia Cardíaca e Vascular Highlights 2016 Edição do 1 trimestre de 2016 Cirurgia Cardíaca e Vascular Ótica EndoCAMeleon HOPKINS Variável em todos os aspectos O ângulo de visão ajustável variavelmente entre 0 120 permite adequar

Leia mais

BANCADA MULTIUSO Modelo HD (Heavy Duty)

BANCADA MULTIUSO Modelo HD (Heavy Duty) BANCADA MULTIUSO Modelo HD (Heavy Duty) Parabéns pela sua escolha de uma bancada da oodorking by M Bimbatti. Com cuidados apropriados, poderá ser usada por gerações. A seguir recomendações para assegurar

Leia mais

www.sralojamentos.com.br Sumário Abaixo cada etapa da nossa apresentação Sobre Nós Nossa História Nossos Serviços Nossa Equipe Contato Sobre Nós A empresa Santa Rita Alojamentos, conta hoje com uma equipe

Leia mais

Câncer de Endométrio Hereditário

Câncer de Endométrio Hereditário Disciplina de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo Coordenador do Serviço de Cirurgia Oncológica I Disciplina Eletiva de Fundamentos da Cirurgia Oncológica Professor Afiliado Abner Jorge Jácome Barrozo

Leia mais

PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar?

PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar? PET/CT no estadiamento do câncer de esôfago e gástrico. Quando indicar? ESÔFAGO ESÔFAGO - AVALIAÇÃO DO TUMOR PRIMÁRIO ULTRASSONOGRAFIA ENDOSCÓPICA É o método de escolha ESTADIAMENTO TUMORAL extensão do

Leia mais

Manual técnico Caixas de bornes KL

Manual técnico Caixas de bornes KL Manual técnico Caixas de bornes KL 1 4 6 5 3 7 2 A caixa pequena com aprovações recebidas mundialmente, disponível para pronta entrega em diversos tamanhos padrão. O sistema de acessórios práticos torna

Leia mais

Matérias Primas e Processos para Marcenaria

Matérias Primas e Processos para Marcenaria Entre os materiais mais utilizados pelo marceneiro no revestimento de chapas e painéis estão as lâminas ou folhas de madeira. As lâminas surgiram da necessidade de se reduzir custos, e são obtidas através

Leia mais

siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores

siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere é um abrasivo estruturado Hightech único. A inovação reside na estrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO LESÕES CANCERIZÁVEIS DA BOCA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO LESÕES CANCERIZÁVEIS DA BOCA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO LESÕES CANCERIZÁVEIS DA BOCA Ubiranei Oliveira Silva INTRODUÇÃO Conceitos de Lesão e Condição Cancerizável Lesão cancerizável (pré-câncer, prémalignidade)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Tratamento de Água: Filtração DISCIPLINA: SANEAMENTO PROF. CARLOS EDUARDO F MELLO e-mail: cefmello@gmail.com Conceito É um processo

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CAIXA PADRÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO CAIXA PADRÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO CAIXA PADRÃO ÍNDICE O QUE É O ABRIGO? O QUE É A CAIXA PADRÃO? QUAIS AS VANTAGENS? COMO INSTALAR O ABRIGO E A CAIXA PADRÃO POSIÇÕES POSSÍVEIS PARA INSTALAÇÃO DO ABRIGO E DA CAIXA PADRÃO

Leia mais

SELAGEM DE VASOS E R B E B i C i s i o n. Termofusão e dissecç ão com a vantagem π

SELAGEM DE VASOS E R B E B i C i s i o n. Termofusão e dissecç ão com a vantagem π SELAGEM DE VASOS E R B E B i C i s i o n Termofusão e dissecç ão com a vantagem π O conceito de segur anç a do BiCision: Má xima termofusão mínima borda de coagul aç ão Com o BiCision vasos e tecidos poderão

Leia mais

Herniorrafia inguinal ou femoral por videolaparoscopia

Herniorrafia inguinal ou femoral por videolaparoscopia V Jornada Nacional de Economia da Saúde II Jornada de Avaliação de Tecnologias em Saúde do IMIP Herniorrafia inguinal ou femoral por videolaparoscopia Enfª Tania Conte, Luiz H. P. Furlan MD, MsC, Marlus

Leia mais

PREPARAÇÃO, COLOCAÇÃO E CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS DA PEG/J

PREPARAÇÃO, COLOCAÇÃO E CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS DA PEG/J INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE PREPARAÇÃO, COLOCAÇÃO E CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS DA PEG/J Em Doentes com Doença de Parkinson em estado avançado tratados com Duodopa versão 1 (11/2013)

Leia mais

Modelagem de Carteiras. Carteiras de Couro

Modelagem de Carteiras. Carteiras de Couro Carteiras de Couro Carteira I Este modelo corresponde a carteira de formato retangular, dobrável e com divisões internas, para cédulas, cartões e documentos. Seus moldes são: Algumas indicações sobre os

Leia mais

Construction. Barreira contra a humidade ascendente. Descrição do produto. Dados do produto. Dados técnicos

Construction. Barreira contra a humidade ascendente. Descrição do produto. Dados do produto. Dados técnicos Ficha de Produto Edição de julho de 2016 Nº de identificação: 07.617 Versão nº 1 SikaMur InjectoCream-100 Barreira contra a humidade ascendente Descrição do produto Utilizações Características/ Vantagens

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS FUNCIONAIS E MANOMETRIA DO APARELHO

Leia mais

ONCOLOGIA. Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br)

ONCOLOGIA. Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) ONCOLOGIA Aula I Profª.Enfª: Darlene Carvalho (www.darlenecarvalho.webnode.com.br) CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS Lábeis Estáveis Perenes CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS Células lábeis: São aquelas em constante renovação

Leia mais