Recorde de Receita Líquida Total de R$ 1,415 bilhão (+21,4%) e recorde de EBITDA² Consolidado de R$ 214,0 milhões (+26,0%)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recorde de Receita Líquida Total de R$ 1,415 bilhão (+21,4%) e recorde de EBITDA² Consolidado de R$ 214,0 milhões (+26,0%)"

Transcrição

1 Mogi das Cruzes, 28 de julho de 2014 A JSL (BM&FBOVESPA: JSLG3 e ADR Nível 1: JSLGY), empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita líquida, apresenta seus resultados do 2T14, o qual inclui, a JSL Logística, e separadamente, os resultados da JSL Concessionárias, e Movida que somadas, compõem os resultados da JSL Consolidada. As informações financeiras e operacionais são apresentadas em reais e conforme práticas contábeis adotadas no Brasil, e as comparações referem-se aos dados reportados e auditados do 2T13 e 1T14, exceto onde indicado. As comparações dos resultados da Movida com 2013 são proforma devido a aquisição em dezembro de Índice Comentários da administração Desempenho dos negócios Análise do resultado Investimentos Fluxo de Caixa Movida JSL Concessionárias Estrutura de Capital i ROIC Mercado de Capitais Eventos Societários Glossário Anexos Teleconferência e Webcast 29 de julho de h00 (Brasília) com tradução simultânea Português: +55 (11) Inglês: +1 (646) Código de acesso: JSL Webcast: Relações com Investidores Tel: (11) /7422/ JSL - Consolidada # Destaques Financeiros 2T13* 1T14 2T14 * x * Receita Bruta Total 1.287, , ,3 20,4% 13,3% 2.468, ,6 18,2% 5.692,9 Receita Líquida 1.165, , ,7 21,4% 13,1% 2.223, ,2 19,9% 5.188,7 Lucro Líquido recorrente² 23,0 13,8 19,5-15,2% 41,3% 53,0 33,3-37,2% 80,2 Margem Líquida recorrente² 2,0% 1,1% 1,4% -0,6 p.p. +0,3 p.p. 2,4% 1,2% -1,2 p.p. 1,5% EBITDA recorrente² 169,8 182,5 214,0 26,0% 17,3% 342,2 396,5 15,9% 767,8 Margem EBITDA recorrente² 14,6% 14,6% 15,1% +0,5 p.p. +0,5 p.p. 15,4% 14,9% -0,5 p.p. 14,8% EBITDA-A recorrente² 257,6 298,3 334,5 30,0% 12,1% 497,1 548,6 10,4% 1.264,6 Margem EBITDA-A recorrente² 22,1% 23,9% 23,6% +1,5 p.p. -0,3 p.p. 22,4% 20,6% -1,8 p.p. 24,4% # Desconsidera despesas com empresas pré-operacionais * Considera a partir do mês de dezembro de 2013 para a Movida Recorde de Receita Líquida Total de R$ 1,415 bilhão (+21,4%) e recorde de EBITDA² Consolidado de R$ 214,0 milhões (+26,0%) Destaques do 2T14 JSL Consolidada (comparações com 2T13): Receita bruta Consolidada de R$ 1,550 bilhão, crescimento de 20,4% EBITDA-A 1,2 de R$ 334,5 milhões, crescimento de 30,0% EBITDA 2 de R$ 214,0 milhões, crescimento de 26,0% Lucro líquido 2 de R$ 19,5 milhões Destaques do 2T14 JSL Logística + Movida (comparações com 2T13): Receita bruta total de R$ 1,233 bilhão, crescimento de 23,4% Receita bruta de Serviços de R$ 1,012 bilhão, crescimento de 10,8% EBITDA-A 1,2 de R$ 323,3 milhões, crescimento de 30,2% EBITDA² de R$ 205,0 milhões, crescimento de 25,9% Lucro líquido 2 de R$ 16,5 milhões Revenda usual de Ativos de R$ 120,1 milhões, crescimento de 39,9% Destaques Financeiros 2T13* 1T14 2T14 JSL - Logística + Movida* * x * Receita Bruta Total 999, , ,1 23,4% 11,9% 1.912, ,9 22,1% 4.500,2 Receita Bruta de Serviços 913,2 946, ,2 10,8% 7,0% 1.761, ,2 11,2% 3.861,2 Receita Bruta de Venda de Ativos 85,8 155,8 220,8 157,3% 41,7% 151,1 376,6 149,2% 639,0 Receita Líquida 894, , ,6 25,9% 12,5% 1.708, ,7 24,5% 4.088,0 Lucro Líquido recorrente² 21,0 16,1 16,5-21,4% 2,5% 49,1 32,6-33,6% 78,3 Margem Líquida recorrente² 2,3% 1,6% 1,5% -0,8 p.p. -0,1 p.p. 2,9% 1,5% -1,4 p.p. 1,9% EBITDA-A¹ recorrente² 248,3 292,9 323,3 30,2% 10,4% 478,0 616,2 28,9% 1.229,3 Margem EBITDA-A¹ recorrente² 27,8% 29,3% 28,7% +0,9 p.p. -0,7 p.p. 28,0% 29,0% +1,0 p.p. 30,1% EBITDA recorrente² 162,8 179,9 205,0 25,9% 14,0% 327,7 384,9 17,5% 742,0 Margem EBITDA recorrente² 18,2% 18,0% 18,2% +0,0 p.p. +0,2 p.p. 19,2% 18,1% -1,1 p.p. 18,1% EBITDA de Serviços recorrente² 162,4 176,3 190,4 17,2% 8,0% 327,0 366,7 12,1% 717,3 Margem EBITDA de Serviços recorrente² 20,1% 20,8% 20,8% +0,7 p.p. -0,1 p.p. 21,0% 20,8% -0,2 p.p. 20,7% * Considera a partir do mês de dezembro de 2013 para a Movida (1) EBITDA-A ou EBITDA Adicionado - corresponde ao EBITDA acrescido do custo contábil residual da Venda de Ativos imobilizados, o qual não representa desembolso operacional de caixa, uma vez que se trata da mera representação contábil da baixa dos ativos no momento de sua alienação. Dessa forma, a Administração da Companhia acredita que o EBITDA-A é a medida prática mais adequada do que o EBITDA tradicional como aproximação da geração de caixa, de modo a aferir a capacidade da Companhia cumprir com suas obrigações financeiras. (2) Exclui efeitos não recorrentes, conforme detalhado na tabela da página 9 deste documento

2 I. COMENTÁRIOS DA ADMINISTRAÇÃO Dados Reportados JSL Consolidada No 2T14, a JSL Consolidada registrou uma receita bruta de total de R$ 1,550 bilhão, composta por R$ 1,012 bilhão de Serviços (Logística + Movida), R$ 220,8 milhões de Venda de Ativos (Logística + Movida) e R$ 344,9 milhões da JSL Concessionárias, sendo que este valor já contempla as eliminações das operações entre os negócios. No 2T14, a receita bruta de revenda usual de ativos apresentou crescimento de 39,9% comparado ao 2T13 devido a alta liquidez e maior disponibilização dos ativos, atraves da rede de canais de vendas estruturada (Concessionárias e Seminovos). Fazendo um exercício onde excluímos o mês da Copa do Mundo, junho de 2014, e junho de 2013 para efeito de comparação, notamos que o crescimento da Receita Bruta de Serviços (Logística + Movida) seria de 12,8% (+2,0 p.p.) no 2T14 e 12,4% (+1,2 p.p.) no, comparado ao 2T13 e respectivamente. O EBITDA recorrente totalizou R$ 214,0 milhões com aumento de 26,0% em relação ao 2T13, composto por: JSL Logística: R$ 197,0 milhões, crescimento de 21,0%, devido a melhora nos custos com terceiros e agregados em função da redução na participação de cargas gerais e novas operações com melhores margens e também da redução nos custos com peças/pneu e manutenção, parcialmente compensada pelo aumento de despesas com tecnologia da informação, consultorias, PDD, dissídio, dentre outros; Movida: R$ 8,1 milhões, aumento de 153,1%, devido ao aumento no número das diárias em função da abertura de novas lojas e da maior quantidade de frota; JSL Concessionárias: R$ 9,0 milhões, aumento de 26,7%, em função do aumento no volume de veículos usados. O custo médio da dívida líquida da Companhia foi de 9,2% no 2T14, apresentando aumento de 0,6 p.p. em relação ao 2T13, mesmo com aumento de 3,5 p.p. no CDI médio (7,3% no 2T13 para 10,8% no 2T14). Assim o aumento da despesa financeira se justificou pelo crescimento do saldo médio da dívida líquida, fundamentalmente vinculado a investimentos para expansão dos negócios, os quais garantem a geração de caixa futura, tendo em vista que a maior parte destes investimentos são atrelados a contratos fechados. O Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 19,5 milhões, no período, comparada a R$ 23,1 milhões no 2T13 impactado pelos motivos descritos acima. Para referência, apresentamos na tabela a seguir os resultados da JSL Consolidada (Logística + Movida + Concessionárias): Resultado JSL Consolidada JSL Logística JSL Concessionárias 2T14 Movida Eliminações JSL Consolidada¹ JSL Logística JSL Concessionárias Movida Eliminações JSL Consolidada ¹ Receita Bruta 1.190,4 344,9 46,2 (31,2) 1.550, , ,7 82,4 (99,5) 5.692,9 Receita Líquida 1.086,1 315,7 44,1 (31,2) 1.414, , ,7 78,4 (99,5) 5.188,7 Lucro Bruto recorrente 167,0 59,3 9,7-236,0 612,4 213,9 18,5-844,9 Margem Bruta recorrente 15,4% 18,8% 22,1% - 16,7% 15,2% 17,9% 23,6% - 16,3% EBIT recorrente 101,0 6,5 3,6-111,1 373,1 16,6 6,0-395,7 Margem EBIT recorrente 9,3% 2,0% 8,2% - 7,9% 9,3% 1,4% 7,7% - 7,6% Lucro Líquido recorrente 15,1 3,0 1,4-19,5 75,4 1,9 2,9-80,2 Margem Líquida recorrente 1,4% 0,9% 3,1% - 1,4% 1,9% 0,2% 3,7% - 1,5% EBITDA recorrente 197,0 9,0 8,1-214,0 728,4 25,9 13,6-767,8 Margem EBITDA recorrente 18,1% 2,8% 18,3% - 15,1% 18,1% 2,2% 17,4% - 14,8% EBITDA-A recorrente 303,2 11,1 20,2-334, ,9 35,3 31, ,6 Margem EBITDA-A recorrente 27,9% 3,5% 45,7% - 23,6% 29,8% 3,0% 40,1% - 24,4% ¹ Desconsidera despesas de empresas pré-operacionais Vale salientar que o foco da Companhia continua sendo a prestação de serviços logísticos (originalmente executado pela JSL Logística e agora incrementado com o serviço de rent a car através da Movida), sendo que a rede de concessionárias possui uma operação independente e importante à complementaridade do negócio, que reforça a capilaridade dos canais de revenda dos ativos, diferenciando ainda mais a JSL no giro dos ativos, contribuindo para o aumento da competitividade e fortalecimento do posicionamento da JSL no mercado. Abaixo detalhamos os resultados individuais. 2

3 II. DESEMPENHO DOS NEGÓCIOS JSL Logística As comparações referem-se aos dados, reportados e auditados dos períodos do 2T13 e, exceto onde indicado. Importante ressaltar que tais números não consideram quaisquer resultados da JSL Concessionárias e Movida, bem como, quaisquer eliminações entre estes negócios e o de logística. Receita Bruta Destaques Financeiros do 2T14 JSL Logística Receita Líquida 4.018, , , ,1 894,5 808, ,1 879, , ,7 2T13 2T14 4 Serviços EBITDA recorrente 1 EBITDA de Serviços recorrente 1 EBIT EBIT de Serviços Lucro Líquido recorrente¹ ² ¹ Exclui os efeitos das despesas não recorrentes correspondentes aos gastos com aquisições, projetos especiais, dentre outros, no montante de R$ 0,4 milhões no 2T13, R$ 3,3 milhões no, R$ 11,4 milhões no 2T14, R$ 11,7 milhões no 2S14 e R$ 17,8 milhões nos últimos. ² Exclui o impacto das despesas descritas no item 1. Considera alíquota de 34,0% para R$ 0,4 milhão no 2T13, R$ 3,3 milhões no, R$ 11,4 milhões no 2T14, R$ 11,7 no 2S14 e R$ 17,8 milhões nos últimos. 3

4 1. Receita Bruta Receita Bruta Total JSL - Logística Receita Bruta x Receita Bruta de Serviços 913,2 925,9 983,7 7,7% 6,2% 1.761, ,7 8,4% 3.807,8 Serviços Dedicados 471,4 466,8 519,8 10,3% 11,4% 906,8 986,5 8,8% 1.985,2 Gestão e Terceirização 249,0 263,9 272,4 9,4% 3,2% 490,2 536,2 9,4% 1.053,6 Transporte de Passageiros 103,7 114,4 111,9 7,9% -2,2% 199,9 226,3 13,2% 434,8 Cargas Gerais 77,4 67,6 66,4-14,2% -1,8% 141,8 134,0-5,5% 282,1 Outros 11,7 13,3 13,3 13,7% 0,0% 22,9 26,6 16,2% 52,0 Receita Bruta de Venda de Ativos 85,8 151,4 206,7 140,9% 36,5% 151,1 358,1 137,0% 618,6 Revenda usual de Ativos 85,8 107,9 105,9 23,4% -1,9% 151,1 213,8 41,5% 474,3 Venda de Ativos com Gestão - 43,5 100,8 n.a. n.a ,3 n.a. 144,3 Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC n.a. n.a. - - n.a. - Receita Bruta Total 999, , ,4 19,1% 10,5% 1.912, ,7 18,6% 4.426,3 No 2T14, a JSL Logística registrou receita bruta Total de R$ 1,190 bilhão, crescimento de 19,1%, em relação ao 2T13 composta por: Serviços Receita Bruta de Serviços de R$ 983,7 milhões, crescimento de 7,7% em relação ao 2T13, onde Serviços Dedicados e Gestão e Terceirização representaram 80,5%; Receita com os mesmos contratos (RMC) aumentou 6,5% no 2T14. Venda de Ativos A receita com Revenda de Ativos foi 140,9% maior do que no 2T13, devido ao crescimento de 23,4% na revenda usual de ativos, além de R$ 100,8 milhões com venda de ativos com gestão. RMC Receita com os Mesmos Contratos RMC 2T13 2T14 x Receita Bruta de Serviços 834,8 889,1 6,5% 1.595, ,4 9,5% Serviços Dedicados 408,5 455,9 11,6% 776,0 879,8 13,4% Gestão e Terceirização 235,5 242,4 2,9% 459,1 482,0 5,0% Transporte de Passageiros 103,7 111,9 8,0% 199,8 226,3 13,3% Cargas Gerais 75,4 65,6-13,0% 137,6 131,7-4,3% Outros 11,7 13,3 13,5% 22,9 26,6 15,9% Composição da Receita Bruta de Serviços Por linha de negócio 4

5 Composição da Receita Bruta de Serviços Por setor da economia 2,6% 2T13 13,6% 12,6% 11,2% 13,4% 8,5% 7,3% 10,0% 6,8% 5,5% 1,0% 2,2% 5,3% 1,7% 2T14 13,9% 12,5% 12,0% 11,8% 8,7% 8,7% 8,1% 7,1% 5,9% 2,4% 2,4% 4,8% 2,5% 14,9% 12,8% 11,4% 13,7% 8,4% 6,0% 10,0% 6,1% 5,5% 1,0% 2,3% 5,4% 1,8% 14,6% 12,7% 12,1% 12,4% 9,0% 7,1% 8,2% 6,7% 6,1% 2,0% 2,5% 4,8% 2,1% 14,2% 12,6% 11,6% 12,4% 8,6% 8,0% 9,1% 6,5% 6,1% 1,6% 2,5% 4,7% Alimentício Público Siderurgia e Mineração Automotivo Transporte municipal e intermunicipal Agricultura Papel e Celulose Químico Bens de Consumo Prestação de Serviços Energia elétrica Bens de Capital Outros A JSL contribui com o aumento da produtividade de seus clientes e além de permitir que possam alocar capital no foco do seu negócio através do mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e de sua alta capacidade de investimento. A JSL possui um portfólio diversificado de clientes em vários setores da economia, com base em contratos de longo prazo, e sem ter dependência de nenhum especificamente resultando na resiliência do negócio. Essa estratégia de diversificação de receitas contribui para a mitigação de riscos e amplia as oportunidades para um crescimento sustentável. III. ANÁLISE DO RESULTADO 1. Receita Líquida Receita Líquida Receita Líquida JSL - Logística O total das deduções registradas no 2T14 foi de R$ 104,3 milhões, composta principalmente por impostos sobre vendas, descontos concedidos e devoluções, o que correspondeu a 10,5% da receita bruta de Serviços da Companhia. A redução de 1,0 p.p. e 0,2 p.p. em relação ao 2T13 e ao 1T14 respectivamente, foi devida principalmente a redução de ICMS, em razão do menor volume de receitas com incidência deste tributo. Seguindo a tendência da receita bruta, a receita líquida de Serviços foi de R$ 879,8 milhões, crescimento de 8,8% comparado ao 2T13. x Receita Bruta 999, , ,4 19,1% 10,5% 1.912, ,7 18,6% 4.426,3 Receita Bruta de Serviços 913,2 925,9 983,7 7,7% 6,2% 1.761, ,7 8,4% 3.807,8 Receita Bruta de Venda de Ativos 85,8 151,4 206,7 140,9% 36,5% 151,1 358,1 137,0% 618,6 Deduções da Receita (104,6) (99,1) (104,3) -0,3% 5,2% (204,0) (203,4) -0,3% (408,1) Receita Líquida 894,5 978, ,1 21,4% 11,0% 1.708, ,3 20,8% 4.018,2 Receita Líquida de Serviços 808,7 827,9 879,8 8,8% 6,3% 1.557, ,7 9,6% 3.401,1 Receita Líquida de Venda de Ativos 85,8 150,4 206,2 140,3% 37,1% 151,1 356,6 136,0% 617,1 5

6 2. Custo e Lucro Bruto Custos Custos 2T13¹ 1T14 2T14 ¹ ¹ x¹ ¹ Custo de Serviços (680,2) (680,8) (733,1) 7,8% 7,7% (1.291,8) (1.413,9) 9,5% (2.818,3) Com pessoal (241,8) (241,6) (277,9) 14,9% 15,0% (458,7) (519,5) 13,3% (1.017,9) Com agregados e terceiros (144,5) (149,3) (150,5) 4,2% 0,8% (268,1) (299,8) 11,8% (603,0) Combustíveis e lubrificantes (56,9) (52,2) (59,2) 4,0% 13,4% (109,6) (111,4) 1,6% (232,7) Peças / pneus / manutenção (61,8) (62,9) (61,8) 0,0% -1,7% (116,2) (124,7) 7,3% (245,9) Depreciação (85,2) (85,1) (94,5) 10,9% 11,0% (165,9) (179,6) 8,3% (350,4) Outros (90,0) (89,8) (89,1) -1,0% -0,8% (173,4) (179,0) 3,2% (368,4) Custo de Venda de Ativos (85,5) (147,2) (195,1) 128,2% 32,5% (150,3) (342,2) 127,7% (596,6) Revenda Usual de Ativos (85,5) (109,0) (106,2) 24,2% -2,6% (150,3) (215,1) 43,1% (469,5) Venda de Ativos com Gestão - (38,2) (88,9) n.a. 132,7% - (127,1) n.a. (127,1) Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC n.a. n.a. - - n.a. - Custo Total (765,7) (828,0) (928,2) 21,2% 12,1% (1.442,1) (1.756,1) 21,8% (3.414,9) ¹ Proforma JSL - Logística Custos em % da Receita Líquida Custos (% da Receita Líquida) 2T13¹ 1T14 2T14 ¹ JSL - Logística ¹ x¹ ¹ Custo de Serviços (em % da Receita Líquida de Serviços) 84,1% 82,2% 83,3% -0,8 p.p. +1,1 p.p. 82,9% 82,8% -0,1 p.p. 82,9% Com pessoal 29,9% 29,2% 31,6% +1,7 p.p. +2,4 p.p. 29,4% 30,4% +1,0 p.p. 29,9% Com agregados e terceiros 17,9% 18,0% 17,1% -0,8 p.p. -0,9 p.p. 17,2% 17,6% +0,4 p.p. 17,7% Combustíveis e lubrificantes 7,0% 6,3% 6,7% -0,3 p.p. +0,4 p.p. 7,0% 6,5% -0,5 p.p. 6,8% Peças / pneus / manutenção 7,6% 7,6% 7,0% -0,6 p.p. -0,6 p.p. 7,5% 7,3% -0,2 p.p. 7,2% Depreciação 10,5% 10,3% 10,7% +0,2 p.p. +0,4 p.p. 10,6% 10,5% -0,1 p.p. 10,3% Outros 11,1% 10,9% 10,1% -1,0 p.p. -0,8 p.p. 11,1% 10,5% -0,6 p.p. 10,8% Custo de Venda de Ativos (em % da Receita Líquida de Venda de Ativos) 99,6% 97,8% 94,6% -5,0 p.p. -3,2 p.p. 99,5% 96,0% -3,5 p.p. 96,7% Revenda Usual de Ativos (% da Receita Líquida de Revenda) 99,6% 101,0% 101,6% +2,0 p.p. +0,6 p.p. 99,5% 101,3% +1,8 p.p. 99,0% Venda de Ativos com Gestão (% da Receita Líquida de Venda com Gestão) n.a. 89,8% 87,3% n.a. -2,5 p.p. n.a. 88,1% n.a. 88,1% Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC06 (% da Receita Líquida de Aluguel) n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. Custo Total (em % da Receita Líquida Total) 85,6% 84,6% 85,5% -+0,1 p.p. +0,9 p.p. 84,4% 85,1% +0,7 p.p. 85,0% ¹ Proforma Lucro Bruto JSL - Logística Lucro Bruto x Lucro Bruto de Serviços 128,5 147,0 146,7 14,2% -0,2% 265,9 293,8 10,5% 582,8 Margem Bruta de Serviços (em % da Receita Líquida de Serviços) 15,9% 17,8% 16,7% +0,8 p.p. -1,1 p.p. 17,1% 17,2% +0,1 p.p. 17,1% Lucro Bruto da Venda de Ativos 0,3 3,2 11,2 3633,3% 250,0% 0,8 14,4 1700,0% 20,5 Margem Bruta da Venda de Ativos (em % da Receita Líquida de Venda de Ativos) 0,4% 2,2% 5,4% +5,0 p.p. +3,2 p.p. 0,5% 4,0% +3,5 p.p. 3,3% Lucro Bruto Total 128,8 150,3 157,9 22,6% 5,1% 266,6 308,2 15,6% 603,3 Margem Bruta Total (em % da Receita Líquida Total) 14,4% 15,4% 14,5% +0,1 p.p. -0,9 p.p. 15,6% 14,9% -0,7 p.p. 15,0% Efeitos não recorrentes² - - (9,1) n.a. n.a. - (9,1) n.a. (9,1) Lucro Bruto de Serviços (sem efeitos não recorrentes) 128,5 147,0 155,8 21,2% 6,0% 265,9 302,9 13,9% 591,9 Margem Bruta de Serviços (em % da Receita Líquida de Serviços) 15,9% 17,8% 17,7% +1,8 p.p. -0,1 p.p. 17,1% 17,7% +0,6 p.p. 17,4% Lucro Bruto Total (sem efeitos não recorrentes) 128,8 150,3 167,0 29,7% 11,1% 266,6 317,3 19,0% 612,4 Margem Bruta Total (em % da Receita Líquida Total) 14,4% 15,4% 15,4% +1,0 p.p. +0,0 p.p. 15,6% 15,4% -0,2 p.p. 15,2% A Margem Bruta Total apresentou um aumento de 0,1 p.p. e uma redução de 0,9 p.p., comparada ao 2T13 e ao 1T14 respectivamente, devido principalmente aos custos adicionais não provisionados com rescisões. Excluindo o efeito destes custos a Margem Bruta Total apresentaria um crescimento de 1,0 p.p., com relação ao 2T13 e ficaria estável em relação ao 1T14. 6

7 Custo de Serviços O Custo de Serviços apresentou uma redução de 0,8 p.p. em termos da receita liquida de serviços, na comparação com o 2T13 e um aumento de 1,1 p.p. versus o 1T14, conforme detalhado a seguir: Pessoal O aumento de 1,7 p.p. é derivado dos custos adicionais de rescisões no valor de R$ 9,1 milhões (efeito não recorrente); uma vez que tais rescisões foram em função dos ajustes efetuados neste período para otimização na estrutura operacional e consequentemente não estavam provisionadas no resultado. Importante destacar que dentro deste valor não incluímos os gastos referentes às desmobilizações; Terceiros e Agregados A redução de 0,8 p.p. é em função da redução na participação de cargas gerais e de novas operações com maiores margens; Peças/Pneus e Manutenção A redução de 0,6 p.p. é explicada principalmente pela renovação da frota em alguns contratos onde garantimos a disponibilidade do ativo que vendemos para o cliente no início do contrato e que possuem uso severo; Outros A redução de 1,0 p.p. se deve, principalmente, ao crédito de R$ 4,5 milhões de multas e avarias passiveis de reembolsos e de R$ 1,6 milhão de redução no volume de equipamentos sublocados temporariamente para as operações. Pessoal O aumento de 2,4 p.p. é derivado dos custos adicionais de rescisões mencionados anteriormente; Combustíveis O aumento de 0,4 p.p. é oriundo do início do período de safra do setor sucroalcooleiro. Custo de Venda de Ativos Seguindo a tendência da Receita com a Venda de Ativos, o Custo de Venda de Ativos foi de R$ 195,1 milhões, aumento de 128,2% comparado ao 2T Despesas Operacionais e Resultado Financeiro Excluindo os efeitos não recorrentes, as despesas operacionais antes do resultado financeiro representariam 7,5% da receita líquida de Serviços no 2T14, aumento de 0,9 p.p. e 0,1 p.p. em relação ao 2T13 e 1T14, respectivamente, conforme detalhado a seguir: 7

8 Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro JSL - Logística Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro x Despesas administrativas e comerciais (49,6) (59,5) (61,2) 23,4% 2,9% (98,7) (120,8) 22,4% (235,8) Despesas tributárias (1,2) (0,7) (0,7) -41,7% 0,0% (2,0) (1,4) -30,0% (3,8) Outras receitas (despesas) operacionais (2,9) (1,4) (6,3) 117,2% 350,0% (8,1) (7,8) -3,7% (8,4) Total (53,7) (61,6) (68,3) 27,2% 10,9% (108,7) (129,9) 19,5% (248,0) Efeitos não recorrentes¹ (0,4) (0,3) (2,3) 475,0% 666,7% (3,3) (2,6) -21,2% (8,7) Total sem efeitos não recorrentes (53,3) (61,3) (66,0) 23,8% 7,7% (105,4) (127,3) 20,8% (239,4) Provisão para Contingências (6,1) (6,1) (7,2) 18,0% 18,0% (12,0) (13,3) 10,8% (32,9) Total sem efeitos não recorrentes e sem contingências (47,2) (55,2) (58,8) 24,6% 6,5% (93,4) (114,0) 22,1% (206,5) ¹ Relacionadas à aquisições, projetos especiais, dentre outros Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro em % da Receita Líquida de Serviços JSL - Logística Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro (% da Receita Líquida de Serviços) x Despesas administrativas e comerciais 6,1% 7,2% 7,0% +0,9 p.p. -0,2 p.p. 6,3% 7,1% +0,8 p.p. 6,9% Despesas tributárias 0,1% 0,1% 0,1% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 0,1% 0,1% +0,0 p.p. 0,1% Outras receitas (despesas) operacionais 0,4% 0,2% 0,7% +0,3 p.p. +0,5 p.p. 0,5% 0,5% +0,0 p.p. 0,2% Total 6,6% 7,4% 7,8% +1,2 p.p. +0,4 p.p. 7,0% 7,6% 0,6 p.p. 7,3% Efeitos não recorrentes¹ 0,1% 0,0% 0,3% +0,2 p.p. +0,3 p.p. 0,2% 0,2% +0,0 p.p. 0,3% Total sem efeitos não recorrentes 6,6% 7,4% 7,5% +0,9 p.p. +0,1 p.p. 6,8% 7,5% 0,7 p.p. 7,0% Provisão para Contingências 0,8% 0,7% 0,8% +0,0 p.p. +0,1 p.p. 0,8% 0,8% +0,0 p.p. 1,0% Total sem efeitos não recorrentes e sem contingências 5,8% 6,7% 6,7% +0,9 p.p. +0,0 p.p. 6,0% 6,7% 0,7 p.p. 6,1% ¹ Relacionadas à aquisições, projetos especiais, dentre outros Despesas Administrativas e Comerciais JSL - Logística Despesas Administrativas e Comerciais x Pessoal (24,5) (27,5) (29,1) 18,8% 5,8% (50,1) (56,6) 13,0% (111,9) Prestação de serviços (7,9) (13,1) (10,8) 36,7% -17,6% (15,5) (23,9) 54,2% (48,4) Comunicação, propaganda e publicidade (4,4) (4,2) (3,9) -11,4% -7,1% (7,8) (8,1) 3,8% (16,9) Alugueis de imóveis de terceiros (2,7) (3,3) (2,9) 7,4% -12,1% (4,5) (6,1) 35,6% (11,4) Depreciação (2,0) (1,5) (1,5) -25,0% 0,0% (3,2) (3,0) -6,3% (4,9) Outros (8,1) (10,0) (13,1) 61,7% 31,0% (17,5) (23,1) 32,0% (42,4) Total (49,6) (59,5) (61,2) 23,4% 2,9% (98,7) (120,8) 22,4% (235,8) Total (em % da Receita líquida de Serviços) 6,1% 7,2% 7,0% +0,9 p.p. -0,2 p.p. 6,3% 7,1% +0,8 p.p. 6,9% Efeitos não recorrentes² (0,4) (0,3) (2,3) 475,0% 666,7% (3,3) (2,6) -21,2% (8,7) Total sem efeitos não recorrentes (49,2) (59,2) (58,9) 19,7% -0,5% (95,4) (118,2) 23,9% (227,2) Total sem efeitos não recorrentes (em % da Receita líquida de Serviços) 6,1% 7,2% 6,7% +0,6 p.p. -0,5 p.p. 6,1% 6,9% +0,8 p.p. 6,7% ¹ Relacionadas à aquisições, projetos especiais, dentre outros Outras Receitas (Despesas) Operacionais JSL - Logística Outras Receitas (Despesas) Operacionais x Outras Receitas (Despesas) Operacionais (2,9) (1,4) (6,3) 117,2% 350,0% (8,1) (7,8) -3,7% (8,4) Total (% da Receita Líquida de Serviços) -0,4% -0,2% -0,7% -0,3 p.p. -0,5 p.p. -0,5% -0,5% +0,0 p.p. -0,2% Ajustes de Efeitos não recorrentes ,0% - Outras Receitas (Despesas) Operacionais sem Efeitos não recorrentes (2,9) (1,4) (6,3) 117,2% 350,0% (8,1) (7,8) -3,7% (8,4) Provisão para Contingências (6,1) (6,1) (7,2) 18,0% 18,0% (12,0) (13,3) 10,8% (32,9) Outras Receitas Operacionais sem Contingências e efeitos não recorrentes Outras Receitas Operacionais sem Contingências e efeitos não recorrentes (% da Receita Líquida de Serviços) 3,2 4,7 0,9-71,9% -80,9% 4,0 5,5 37,5% 24,5 0,4% 0,6% 0,1% -0,3 p.p. -0,5 p.p. 0,3% 0,3% +0,0 p.p. 0,7% No 2T14, as despesas operacionais antes do resultado financeiro, desconsiderando os efeitos não recorrentes, atingiram R$ 66,0 milhões, 23,8% superior ao 2T13, devido ao estorno de R$ 2,6 milhões de PPR (Programa de Participação nos Resultados) reclassificada para custos no período anterior (2T13), aumento de R$ 3,5 milhões de PDD; R$ 1,1 milhão de gastos com manutenção de tecnologia da informação; R$ 0,8 milhão de dissídio; R$ 0,8 8

9 milhão com consultorias (principalmente tributária e jurídica); e um efeito positivo, no período anterior (2T13), de R$ 1,5 milhão de créditos extemporâneos de impostos. Resultado Financeiro JSL - Logística Resultado Financeiro x Juros financeiros líquidos (48,9) (65,2) (71,5) 46,2% 9,7% (95,0) (136,7) 43,9% (250,9) Rendimentos sobre aplicações financeiras 7,7 14,2 10,5 36,4% -26,1% 14,1 24,7 75,2% 65,4 Juros sobre empréstimos e financiamentos (56,6) (79,4) (82,0) 44,9% 3,3% (109,1) (161,4) 47,9% (316,3) Outros itens financeiros 6,9 (3,0) (5,6) -181,2% 86,7% 10,7 (8,6) -180,4% (14,8) Total (42,0) (68,2) (77,1) 83,6% 13,0% (84,3) (145,2) 72,2% (265,7) Total (em % da Receita líquida de Serviços) 5,2% 8,2% 8,8% +3,6 p.p. +0,6 p.p. 5,4% 8,5% +3,1 p.p. 7,8% O aumento de 46,2% nos juros financeiros líquidos em comparação com o 2T13 é justificado pelo aumento da dívida líquida média que foi de R$ 2,354 bilhões no 2T13 para R$ 3,246 bilhões no 2T14 (+37,9%), devido aos investimentos em expansão (das operações logísticas e das demais empresas/negócios), e pelo aumento de 0,5 p.p. no custo médio da dívida líquida, justificado pelo aumento da taxa do CDI (7,3% no 2T13 para 10,8% no 2T14), além da variação na composição da dívida (aumento da participação de dívida vinculada ao CDI). Descrição dos efeitos não recorrentes JSL - Logística Abertura dos efeitos não Descrição Linha recorrentes Impactos no EBITDA 0,4 0,3 11,4 3,3 11,7 17,8 Gastos com aquisições, projetos especiais, Custo com Pessoal, Despesas Projetos especiais e aquisições primordialmente relacionados à implantação de um administrativa e comerciais - novo sistema de ERP, rescisões não provisionadas prestação de serviço e Outras 0,4 0,3 11,4 3,3 11,7 17,8 em função do projeto de otimização na estrutura corporativa, dentre outros. Receitas (Despesas) Operacionais Total de efeitos não recorrentes 0,4 0,3 11,4 3,3 11,7 17,8 4. EBITDA e EBITDA-A EBITDA-A excluindo efeitos não recorrentes JSL - Logística EBITDA-A sem efeitos não recorrentes x EBITDA de Serviços 162,0 172,0 174,4 7,7% 1,4% 326,3 346,4 6,2% 690,0 Ajustes de Efeitos não recorrentes¹ 0,4 0,3 11,4 2750,0% 3700,0% 3,3 11,7 254,5% 17,8 EBITDA de Serviços sem efeitos não recorrentes 162,4 172,3 185,8 14,4% 7,8% 329,6 358,1 8,6% 707,8 Margem EBITDA de Serviços sem efeitos não recorrentes 20,1% 20,8% 21,1% +1,0 p.p. +0,3 p.p. 21,2% 21,0% -0,2 p.p. 20,8% EBITDA sem efeitos não recorrentes 162,8 175,5 197,0 21,0% 12,3% 327,7 372,5 13,7% 710,6 Margem EBITDA sem efeitos não recorrentes 18,2% 17,9% 18,1% -0,1 p.p. +0,2 p.p. 19,2% 18,0% -1,2 p.p. 17,7% EBITDA-A sem efeitos não recorrentes 248,3 284,5 303,2 22,1% 6,6% 478,0 587,7 22,9% 1.180,1 Margem EBITDA-A sem efeitos não recorrentes 27,8% 29,1% 27,9% +0,1 p.p. -1,2 p.p. 28,0% 28,5% +0,5 p.p. 29,4% ¹ Relacionadas à aquisições, projetos especiais, dentre outros O EBITDA de Serviços recorrente foi de R$ 185,8 milhões no 2T14, com margem EBITDA de Serviços recorrente de 21,1%, aumento de 14,4% e 1,0 p.p. respectivamente, em relação ao 2T13, devido a melhora nos custos com terceiros e agregados, em função da redução na participação de cargas gerais e novas operações com maiores margens; peças e manutenções, vinculadas a renovação de contratos de Gestão e Terceirização de Frotas que geram menos manutenção; parcialmente compensada pelo aumento de despesas com tecnologia da informação, consultorias, PDD, dissídio, dentre outros. 9

10 Cabe mencionar que, enquanto houver expansão dos negócios da Companhia, a margem EBITDA estará abaixo do seu potencial, dado que a adição de novos contratos demanda um ciclo de implantação que se reflete em custos pré-operacionais, ao mesmo tempo em que tais contratos ainda não geram receitas e possuem uma curva gradual até atingir sua plena capacidade; A receita da JSL é o resultado de um somatório de contratos. Cada um desses contratos representa um ciclo que se inicia com a compra financiada dos ativos a serem utilizados na operação. Uma vez implantados os recursos necessários para execução da operação (pessoal, estrutura física, dentre outros) e os ativos equipados, inicia-se a prestação de serviços, a qual gerará fluxo de caixa ao longo de todo o prazo contratual, que pode variar de 2 a 10 anos, dependendo do contrato. A última etapa deste ciclo é a revenda do ativo ao término do contrato, cujo valor residual estimado é levado em conta na precificação e, portanto, compõe o retorno esperado da operação; Dessa forma, com o objetivo de melhor refletir o ciclo de negócio da Companhia, a JSL adiciona ao EBITDA o custo contábil residual da venda de ativos imobilizado, capturando assim, o efeito da última etapa da vida do contrato o que definimos como EBITDA-A ou EBITDA Adicionado. Para mais informações sobre o conceito do EBITDA-A, consulte o glossário deste relatório. 5. Lucro Líquido Lucro Líquido excluindo efeitos não recorrentes JSL - Logística Lucro Líquido sem efeitos não recorrentes x Lucro antes dos impostos 33,2 20,5 12,5-62,3% -39,0% 73,7 33,0-55,2% 89,6 Provisão para IR e CS e Diferido (12,4) (6,1) (4,9) -60,5% -19,7% (25,1) (11,0) -56,2% (25,9) Lucro Líquido Total 20,7 14,4 7,6-63,3% -47,2% 48,5 22,0-54,6% 63,7 Efeitos não recorrentes ¹ ² 0,3 0,2 7,5 2400,0% 3650,0% 2,2 7,7 250,0% 11,7 Lucro Líquido Total sem efeitos não recorrentes 21,0 14,6 15,1-28,1% 3,4% 50,7 29,7-41,4% 75,4 Margem Líquida Total sem efeitos não recorrentes 2,3% 1,5% 1,4% -0,9 p.p. -0,1 p.p. 3,0% 1,4% -1,6 p.p. 1,9% ¹ Relacionadas à aquisições, projetos especiais, dentre outros ² Considera alíquota de 34,0% para R$ 0,4 milhões no 2T13, R$ 3,3 milhões no, R$ 11,4 milhões no 2T14, R$ 11,7 no 2S14 e R$ 17,8 milhões nos últimos O lucro líquido sem efeitos não recorrentes foi de R$ 15,1 milhões, queda de 62,3% em relação ao 2T13 devido ao aumento na despesa com juros, justificado principalmente pelos investimentos em expansão (das operações logísticas e das demais empresas/negócios) e aumento da taxa de juros, aumento de despesas com tecnologia da informação, consultorias, PDD, dissídio, dentre outros, parcialmente compensados pela melhora nos custos com terceiros e agregados, redução com os custos de manutenção devido à renovação de contratos. IV. INVESTIMENTOS Destinação dos Investimentos no 2T14: 74% para expansão dos negócios; 78% em Gestão e Terceirização e Serviços Dedicados; 45% em caminhões. No 2T14, o investimento bruto total foi de R$ 347,6 milhões, sendo que para Renovação foi feito um investimento de R$ 77,3 milhões e uma receita com Revenda usual de ativos de R$ 105,9 milhões, perfazendo um investimento líquido negativo de R$ 28,6 milhões, conforme a tabela a seguir: 10

11 Investimento Investimentos por Natureza 2T14 % do Total % do Total % do Total Investimento Bruto Total 347,6 100,0% 655,2 100,0% 1.287,5 100,0% 1) Renovação líquido (28,6) (89,0) (206,6) Investimento 77,3 22,2% 124,8 19,0% 267,7 20,8% Receita com Revenda usual de ativos (105,9) (213,8) (474,3) 2) Expansão 258,0 74,2% 502,4 76,7% 972,8 75,6% 3) Outros (TI, benfeitorias, etc.) 12,2 3,5% 27,9 4,3% 47,0 3,7% Total Investimento Líquido 241,7 441,4 813,2 Investimentos Equipamentos 2T14 % do Total % do Total % do Total Caminhões 157,7 45,4% 301,8 46,1% 463,1 36,0% Máquinas e Equipamentos 30,6 8,8% 67,7 10,3% 88,3 6,9% Veículos Leves 93,2 26,8% 157,5 24,0% 449,8 34,9% Ônibus 53,9 15,5% 100,2 15,3% 214,9 16,7% Demais 12,2 3,5% 27,9 4,3% 71,3 5,5% Investimento Total 347,6 100,0% 655,2 100,0% 1.287,5 100,0% Investimentos por Linha de Negócio 2T14 % do Total % do Total % do Total Serviços Dedicados 79,7 22,9% 159,8 24,4% 307,2 23,9% Gestão e Terceirização 189,6 54,6% 364,8 55,7% 696,4 54,1% Transportes de Passageiros 54,1 15,6% 84,4 12,9% 166,3 12,9% Cargas Gerais 0,2 0,1% 0,5 0,1% 20,3 1,6% Demais 24,0 6,9% 45,6 7,0% 97,3 7,6% Investimento Total 347,6 100,0% 655,2 100,0% 1.287,5 100,0% O modelo de negócios da Companhia presume que os investimentos são necessariamente atrelados a contratos assinados, os quais garantem a geração de caixa futura das operações, em geral com volumes mínimos garantidos. Sendo assim, a Companhia pode definir os investimentos em expansão, da mesma maneira que pode arbitrar sobre o melhor momento para a compra e venda de seus ativos, podendo postergar sua revenda, sem que prejudique os custos com manutenção, tendo em vista a baixa idade média de sua frota. A JSL fechou o 2T14 com um saldo de R$ 4,168 bilhões de ativo imobilizado bruto. Dos ativos operacionais da JSL, R$ 273,2 milhões estavam alocados no balanço e não estavam gerando receita, conforme composição abaixo: R$ 140,7 milhões não estavam gerando receitas por encontrarem-se em fase de implantação de novos contratos (R$ 134,9 milhões) e em trânsito para serem disponibilizados para as lojas (R$ 5,8 milhões); R$ 132,5 milhões (balanço) estavam contabilizados em bens disponibilizados para venda renovação de frotas, o que corresponde aos ativos nas lojas de seminovos, redução de 4,9% em relação ao 1T14. V. FLUXO DE CAIXA Fluxo de Caixa Sintético¹ x Lucro antes dos Impostos 33,2 20,5 12,5-62,3% -38,9% 73,6 33,0-55,2% Depreciação e Amortização 87,4 86,6 96,0 9,9% 10,9% 169,4 182,5 7,8% Custo da Venda de Ativos² 77,8 107,4 106,0 36,2% -1,3% 149,7 213,4 42,6% Outros ajustes não caixa ao lucro líquido 53,8 80,5 77,2 43,7% -4,0% 108,1 157,7 45,9% Contas a receber, Estoque e Fornecedores (sem Vendas de Ativos com Gestão) 102,8 (86,2) (130,5) -227,0% -51,5% 68,9 (216,7) 414,5% Vendas de Ativos com Gestão 24,9 (62,5) (48,4) -294,5% 22,5% 24,9 (110,9) 545,3% Outros Ativos e Passivos (1,1) (18,6) 32,7-3147,0% -276,0% (33,0) 14,1-142,7% Juros pagos (55,8) (66,9) (56,4) 1,0% -15,7% (100,3) (123,3) 22,9% Geração Operacional de Caixa 322,9 60,8 89,1-72,4% 46,6% 461,3 149,9-67,5% Aumento do Imobilizado³ (96,7) (154,6) (163,8) 69,3% 6,0% (194,3) (318,4) -63,9% Outros Investimentos 4 (2,0) (27,1) (100,3) 4940,2% -269,8% (3,6) (127,4) -3395,7% Caixa Líquido das Atividades de Investimentos 224,2 (120,9) (175,0) -178,1% 44,7% 263,3 (295,9) -212,4% Aumento (Redução) de Capital n.a n.a - - n.a Dividendos + JCP (3,7) (19,1) (3,1) -14,9% n.a. (20,7) (22,2) n.a Empréstimos e Financiamentos 179,0 (71,8) 288,4 61,1% 501,7% 229,2 216,6 5,5% Ações em Tesouraria - (3,7) (7,1) n.a 91,6% - (10,9) n.a Aumento (Redução) do Caixa 399,5 (215,5) 103,1-74,2% 147,8% 471,8 (112,4) 123,8% ¹ Considera como caixa o montante de aplicações financeiras classificadas como ativo circulante (Títulos e Valores Mobiliários) ² Custo não caixa ³ De acordo com o IFRS, as variações de caixa apresentadas na linha de aumento do imobilizado da demonstração do fluxo de caixa contemplam apenas os valores efetivamente desembolsados pela Companhia. Tais aquisições realizadas com financiamentos vinculados não apresentam reflexo na demonstração do fluxo de caixa quando da sua contratação, pois o banco paga direto o fornecedor. Entretanto, à medida que tais financiamentos são amortizados, os respectivos desembolsos de caixa se refletem na linha de Empréstimos e Financiamentos. 4 No 2T14 houve um AFAC (adiantamento para futuro aumento de capital) de R$ 86,3 milhões para a JSL Concessionárias No 2T14, a geração operacional de caixa foi de R$ 89,1 milhões devido ao aumento no Contas a receber, Estoques e redução de Fornecedores devido ao queda no saldo líquido (amortizações menos contratações) de fornecedores relacionados a ativos adquiridos em períodos anteriores no montante de R$ 121,5 milhões; por R$ 48,4 milhões de 11

12 Vendas de Ativos com Gestão relacionado a novos carros vendidos; e R$ 33,7 milhões em recebimento de mútuos de empresas do grupo. Saldo de contas a receber Serviços Venda de Ativos com Gestão CPC06 Revenda de ativos para JSL Concessionárias Total 2T14 691,0-140,2 ~ - 28,8 ~ - 14,0 874,1 Expectativa de redução do contas a receber (média por trimestre) Contas a receber de 71 dias em relação à receita líquida de Serviços Eliminado no resultado consolidado As aquisições de ativo imobilizado que representaram efetivo desembolso de caixa totalizaram R$ 163,8 milhões e R$ 49,4 milhões de fornecedores a pagar no 2T14, conforme demonstrado abaixo: Aquisição de Imobilizado Investimento Total 443,0 307,6 347,6-21,5% 13,0% 1.287,5 Caixa (porção paga e a pagar com recursos próprios)¹ 160,8 234,4 213,3 32,6% -9,0% 776,5 Porção financiada 100,7 70,0 73,2-27,3% 4,6% 511,0 ¹ Referente à porção dos investimentos já desembolsados, conforme a Demonstração do Fluxo de Caixa, e valores a pagar pela Companhia. Impacto no fluxo de caixa Fluxo de caixa livre antes do investimento de expansão Vale ressaltar que os EBITDAs observados nos períodos também estão impactados pelos efeitos do crescimento, uma vez que os novos contratos demandam custos pré-operacionais enquanto ainda não estão gerando receitas, e possuem uma curva gradual até atingir sua plena capacidade; Outro fator relevante é a flexibilidade na gestão do investimento. O modelo de negócios da Companhia presume que os investimentos são necessariamente atrelados a contratos assinados, os quais garantem a geração de caixa futura das operações, em geral com volumes mínimos garantidos. Sendo assim, a Companhia pode definir os investimentos em expansão, da mesma maneira que pode arbitrar sobre o melhor momento para a compra e venda de seus ativos, podendo postergar sua revenda, sem que prejudique os custos com manutenção, tendo em vista a baixa idade média de sua frota. 12

13 VI. Movida A Movida foi incorporada à JSL em dezembro de 2013; Vale ressaltar que a Movida impactou os resultados da JSL Consolidada em 2013 apenas no mês de dezembro; Apesar disto, as informações apresentadas abaixo são proforma, para proporcionar melhor comparação. Embora a Movida já faça parte do mercado e esteja posicionada de forma estratégica e diferenciada, com base operacional, sistemas e pessoal capacitado, ela ainda está em desenvolvimento, passando pela expansão da base de ativos e pontos de venda em função do seu modelo de negócio e do tempo necessário para usufruir das sinergias com a operação da JSL. Desde a sua incorporação a Movida aumentou 12 lojas, de 29 para 41, e aumentou significativamente a quantidade de carros, de para cerca de 8.850, sendo em operação, 500 em implantação e 450 carros em estoque para venda. Movida (Proforma¹) Demostrações de Resultados 2T13¹ 1T14² 2T14 ' 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14² x' ¹ Receita Líquida 23,0 27,5 44,1 +91,7% +60,4% 45,5 71,5 +57,1% 118,7 EBIT 0,4 2,1 3,6 +800,0% +71,4% 1,2 5,8 +383,3% 1,7 Lucro Líquido (2,1) 1,5 1,4 +166,7% -6,7% (2,1) 2,9-238,1% (5,6) EBITDA de Serviços 2,3 4,0 6,0 +160,9% +50,0% 5,7 10,0 +75,4% 9,5 EBITDA 3,2 4,3 8,1 +153,1% +88,4% 7,0 12,4 +77,1% 13,2 EBITDA-A 12,9 8,4 20,2 +56,6% +140,5% 24,9 28,5 +14,5% 48,3 EBITDA de Serviços (Desconsiderando Efeito Sublocação) 2,3 7,8 9,5 +313,0% +21,8% 5,7 17,2 +201,8% 18,7 EBITDA (Desconsiderando Efeito Sublocação) 3,2 8,1 11,5 +259,4% +42,0% 7,0 19,7 +181,4% 22,4 Margem EBIT 1,6% 7,8% 8,2% +6,6 p.p. +0,4 p.p. 2,7% 8,1% -2,6 p.p. 1,4% Margem Líquida -9,1% 5,5% 3,1% +12,2 p.p. -2,4 p.p. -4,6% 4,0% +4,6 p.p. -4,7% Margem EBITDA de Serviços 18,3% 17,3% 20,0% +1,7 p.p. +2,7 p.p. 21,8% 18,8% -21,6 p.p. 11,8% Margem EBITDA 13,8% 15,8% 18,3% +4,5 p.p. +2,5 p.p. 15,5% 17,3% -15,3 p.p. 11,1% Margem EBITDA-A 56,2% 30,6% 45,7% -10,5 p.p. +15,1 p.p. 54,7% 39,9% -54,3 p.p. 40,7% Margem EBITDA de Serviços (desconsiderando efeito sublocação) 18,3% 33,7% 31,6% +13,3 p.p. -2,1 p.p. 21,8% 32,6% -21,5 p.p. 23,9% Margem EBITDA (desconsiderando efeito sublocação) 13,8% 29,5% 26,2% +12,4 p.p. -3,3 p.p. 15,5% 27,5% -15,2 p.p. 18,9% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações relativas a 2013 são Proforma para melhor comparação. ²Proforma VI.1) VOLUMES E RECEITAS Receita Bruta 2T13¹ 1T14 2T14 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14 ' x' ¹ Receita Bruta de Serviços 13,5 24,7 32,0 +137,0% +29,6% 28,8 56,7 +96,9% 85,4 Receita Bruta de Venda de Ativos 10,7 4,4 14,2 +32,7% +222,7% 19,1 18,6-2,6% 38,8 Receita Bruta Total 24,2 29,1 46,2 +90,9% +58,8% 47,9 75,3 57,2% 124,3 ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. Movida (Proforma¹) No 2T14, a receita bruta total aumentou 90,9% em comparação ao 2T13, devido principalmente ao aumento de 137,0% na receita bruta de serviços, vinculado ao aumento do número de diárias em função do aumento da frota operacional. A diária média dos contratos com alugueis diários apresentaram um crescimento de 13,5% na comparação do 2T14 versus o 2T13. Incluindo os contratos com alugueis mensais, a diária média total (diários + mensais) apresenta uma redução de 15,4%. A receita bruta de venda de ativos aumentou 32,7% em comparação com 2T13 em consequência da maior disponibilidade no giro dos ativos. Com o progresso das sinergias com a JSL Concessionárias, a Movida vendeu 89,6% dos ativos para a empresa do grupo no período. Movida (Proforma¹) Receita Líquida 2T13¹ 1T14² 2T14 ' 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14² x' ¹ Receita Líquida de Serviços 12,3 23,1 29,9 +143,1% +29,4% 26,3 53,0 +101,5% 79,9 Receita Líquida de Venda de Ativos 10,7 4,4 14,2 +32,7% +222,7% 19,1 18,6-2,6% 38,8 Total 23,0 27,5 44,1 +91,7% +60,4% 45,5 71,5 +57,1% 118,7 ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. ²Proforma 22,1% 91,8% No 2T14, a receita líquida apresentou aumento de 91,7% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, seguindo a tendência da receita bruta. 13

14 Qtd. Diárias (milhares) +180,0% Receita Bruta de Serviços +137,0% ,3 13,5 13,6 15,1 24,7 32,0 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 Taxa de Ocupação* +5,8p.p. Diária Média (em R$) -15,4% Excluindo o aumento do aluguel mensal, a Diária Média seria R$ 124,8 63,9% 62,9% 67,5% 71,0% 65,5% 68,7% 112,7 110,0 107,3 99,4 101,2 93,1 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 * Novo cálculo da taxa de ocupação, considerando o total de veículos menos os carros em implantação e disponíveis para venda VI.2) REDE DE ATENDIMENTO A Movida terminou junho de 2014 com 41 lojas, sendo 38 lojas próprias e 3 franquias. Junho/13 Abertas Fechadas Junho/14 Mesmas Lojas Evolução Lojas + 12 novas lojas + 2 franquias jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 Lojas Próprias Franquias 14

15 VI.3) CUSTOS E DESPESAS Movida (Proforma¹) Custos e Despesas 2T13¹ 1T14 2T14 ' 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14 x' ¹ Custos com Serviços (10,2) (16,1) (22,3) +118,6% +38,5% (20,9) (38,4) +83,7% (61,6) Depreciação (2,8) (2,2) (4,4) +57,1% +100,0% (5,8) (6,6) +13,8% (11,4) Outros (7,5) (14,0) (17,8) +137,3% +27,1% (15,1) (31,8) +110,6% (50,2) Custo com Venda de Ativos (9,7) (4,1) (12,1) +24,7% +195,1% (17,8) (16,2) -9,0% (35,1) Despesas (2,7) (5,1) (6,1) +125,9% +19,6% (5,5) (11,2) +103,6% (20,3) Total (22,6) (25,3) (40,5) +79,2% +60,1% (44,2) (65,8) +48,9% (117,0) ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. No 2T14, os custos com serviços tiveram um aumento de 118,6% e as despesas de 125,9% em comparação ao 2T13 devido à ampliação da frota neste trimestre e à abertura de 14 novas lojas no período (exceto franquias), com consequente aumento nos gastos com pessoal, aluguel de imóveis e despesas gerais. Em relação à receita líquida de serviços, os custos com serviços mais as despesas apresentaram queda de 10,9 p.p., de 104,7% no 2T13 para 93,8% no 2T14, o que demonstra uma maior diluição das despesas e custos fixos em razão do aumento da receita líquida de serviços. VI.4) RESULTADO FINANCEIRO Movida (Proforma¹) Resultado Financeiro 2T13¹ 1T14² 2T14 ' 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14² x' ¹ Receitas Financeiras 0,2 0,3 0,3 +50,0% +0,0% 0,3 0,5 +66,7% 0,8 Despesas Financeiras (3,7) (0,4) (2,3) -37,8% +475,0% (4,7) (2,7) -42,6% (6,3) Total (3,5) (0,1) (2,0) -42,9% +1900,0% (4,3) (2,2) -48,8% (5,5) ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. ²Proforma O resultado financeiro líquido foi uma despesa financeira líquida de R$ 2,0 milhões, 42,9% menor na comparação com o 2T13 devido a redução do saldo médio da dívida líquida. VI.5) RESULTADO LÍQUIDO E EBITDA Movida (Proforma¹) Lucro Líquido e EBITDA 2T13¹ 1T14² 2T14 ' 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14² x' ¹ Lucro Antes dos Impostos (3,2) 2,0 1,6 +150,0% -20,0% (3,1) 3,6-216,1% (3,8) Provisão para IR e CS 1,1 (0,5) (0,2) -118,2% -60,0% 1,0 (0,7) -170,0% (1,7) Lucro Líquido Total (2,1) 1,5 1,4 +166,7% -6,7% (2,1) 2,9-238,1% (5,6) Margem Líquida Total -9,1% 5,5% 3,1% +12,2 p.p. -5,5 p.p. -4,6% 4,0% +8,6 p.p. -4,7% EBITDA de Serviços 2,3 4,0 6,0 +160,9% +50,0% 5,7 10,0 +75,4% 9,5 EBITDA 3,2 4,3 8,1 +153,1% +88,4% 7,0 12,4 +77,1% 13,2 EBITDA-A 12,9 8,4 20,2 +56,6% +140,5% 24,9 28,5 +14,5% 48,3 EBITDA de Serviços (Desconsiderando Efeito Sublocação) 2,3 7,8 9,5 +313,0% +21,8% 5,7 17,2 +201,8% 18,7 EBITDA (Desconsiderando Efeito Sublocação) 3,2 8,1 11,5 +259,4% +42,0% 7,0 19,7 +181,4% 22,4 Margem EBITDA de Serviços 18,3% 17,3% 20,0% +1,7 p.p. +2,7 p.p. 21,8% 18,8% -21,6 p.p. 11,8% Margem EBITDA 13,8% 15,8% 18,3% +4,5 p.p. +2,5 p.p. 15,5% 17,3% -15,3 p.p. 11,1% Margem EBITDA-A 56,2% 30,6% 45,7% -10,5 p.p. +15,1 p.p. 54,7% 39,9% -54,3 p.p. 40,7% Margem EBITDA de Serviços (desconsiderando efeito sublocação) 18,3% 33,7% 31,6% +13,3 p.p. -2,1 p.p. 21,8% 32,6% -21,5 p.p. 23,9% Margem EBITDA (desconsiderando efeito sublocação) 13,8% 29,5% 26,2% +12,4 p.p. -3,3 p.p. 15,5% 27,5% -1522,5% 18,9% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. ²Proforma O EBITDA de Serviços no 2T14 foi de R$ 6,0 milhões, aumento de 160,9% em relação ao 2T13, principalmente devido ao aumento no número das diárias em função da abertura de novas lojas e da maior quantidade de frota, diluindo as despesas e custos fixos, representando uma margem de 20,0%, aumento de 1,7 p.p.. Excluindo o efeito da sublocação com a JSL, a margem EBITDA de Serviços seria 31,6%. A Movida apresentou um lucro líquido de R$ 1,4 milhão no 2T14, pelos mesmos motivos citados anteriormente, além da redução das despesas financeiras e da constituição de R$ 0,4 milhão de imposto de renda diferido de prejuízos de períodos anteriores. 15

16 VI.6) INVESTIMENTOS Movida (Proforma¹) Investimentos 2T13¹ 1T14 2T14 ' (em R$ milhões) 2T14 x 2T13¹ 2T14 x 1T14 x' ¹ Frota 10,2 25,8 126, ,8% +391,3% 18,0 152,4 +747,3% 185,0 Renovação 10,2 5,2 15,6 +52,7% +201,8% 18,0 20,8 +15,6% 39,6 Expansão 0,0 20,6 111,0 N.A. +438,8% 0,0 131,6 N.A. 145,4 Lojas 0,0 0,6 1,8 N.A. +188,9% 0,0 2,3 N.A. 3,7 Novas 0,0 0,6 1,5 N.A. +140,8% 0,0 2,0 N.A. 3,1 Antigas 0,0 0,0 0,3 N.A. N.A. 0,0 0,3 N.A. 0,6 Total 10,2 26,4 128, ,5% +386,5% 18,0 154,7 +760,1% 188,7 ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. No 2T14, a Movida investiu R$ 126,6 milhões em veículos, sendo R$ 111,0 milhões em expansão da frota e R$ 15,6 milhões em renovação. Além disso, investiu R$ 1,8 milhão em lojas, sendo R$ 1,5 milhão em abertura de novas lojas e R$ 0,3 milhão em lojas já existentes. Vale ressaltar que, dos carros comprados, foram adquiridos através da JSL Concessionárias, evidenciando a sinergia entre os negócios. Frota Final do Período Idade média 0,5 ano Movimentação de Frota ,9% T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 Comprados Vendidos VI.7) FLUXO DE CAIXA Fluxo de Caixa Sintético¹ x Lucro antes dos Impostos (3,2) 2,0 1,6-150,2% -21,6% (3,1) 3,6-216,3% Depreciação e Amortização 2,8 2,2 4,4 53,6% 99,4% 5,8 6,5 12,4% Custo da Venda de Ativos² 9,7 4,0 12,1 24,3% 205,8% 17,8 16,1-9,8% Outros ajustes não caixa ao lucro líquido n.a n.a - - n.a Contas a receber, Estoque e Fornecedores 2,2 7,8 111,0 4930,4% -1318,1% 1,5 118,8-8003,3% Outros Ativos e Passivos (3,5) (2,2) (10,1) 186,0% 351,0% (3,4) (12,3) 260,4% Juros pagos n.a n.a - - n.a Geração Operacional de Caixa 8,1 13,8 118,9 1371,3% 764,7% 18,6 132,7 615,0% Aumento do Imobilizado³ (10,0) (26,4) (128,5) 1189,6% 386,7% (13,8) (154,8) -1021,5% Outros Investimentos n.a n.a (3,9) - 100,0% Caixa Líquido das Atividades de Investimentos (1,9) (12,6) (9,5) 407,7% -24,5% 0,9 (22,2) -2606,8% Aumento (Redução) de Capital 1,3 12,7 11,7 803,8% -8,5% 1,3 24,4 n.a Dividendos + JCP n.a n.a. - - n.a Empréstimos e Financiamentos (0,5) (0,7) 0,5-192,2% 166,0% (3,7) (0,2) 93,4% Ações em Tesouraria n.a n.a - - n.a Aumento (Redução) do Caixa (1,1) (0,6) 2,6-335,3% 522,3% (1,5) 2,0 230,5% No 2T14 houve geração operacional de caixa de R$ 118,9 milhões, principalmente em função da melhora nas contas de capital de giro, oriundo da compra a prazo de veículos, da venda de ativos, e do melhor resultado antes dos impostos. O aumento de capital é oriundo de um AFAC que foi utilizado para compra de veículos. 16

17 VII. JSL Concessionárias de Veículos Demonstrações de Resultados 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Receita Líquida 282,4 264,5 315,7 +11,8% +19,3% 532,0 580,3 +9,1% 1.191,7 Lucro Bruto 48,8 51,1 59,3 +21,5% +16,1% 93,9 110,3 +17,5% 213,9 EBIT recorrente 2 5,6 0,2 6,5 +15,2% +3343,1% 11,5 6,7-41,7% 16,6 Lucro Líquido recorrente 2 2,0 (2,3) 3,0 +46,7% +177,1% 3,9 0,7-82,1% 1,9 EBITDA recorrente 2 7,1 2,6 9,0 +26,7% +247,8% 14,5 11,5-20,7% 25,9 Margem Bruta 17,3% 19,3% 18,8% +1,5 p.p. -0,5 p.p. 17,7% 19,0% +1,3 p.p. 17,9% Margem Líquida Recorrente 2 0,7% -0,9% 0,9% +0,2 p.p. +1,8 p.p. 0,7% 0,1% -0,6 p.p. 0,2% Margem EBITDA Recorrente 2 2,5% 1,0% 2,8% +0,3 p.p. +1,9 p.p. 2,7% 2,0% -0,7 p.p. 2,2% ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros VII.1) VOLUMES E RECEITAS Em virtude da baixa idade média e do perfil de utilização dos veículos da Movida, no 2T14, 89,6% da venda dos ativos foram através das Concessionárias, o que demonstra uma relevante sinergia entre as empresas. Receita Bruta 1T13 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves 165,1 187,1 175,1 188,8 +0,9% +7,9% 352,2 363,9 +3,3% 750,1 Vendas Varejo 162,5 183,7 171,8 184,6 +0,5% +7,5% 346,3 356,4 +2,9% 731,7 Novos 122,2 136,0 111,2 121,6-10,6% +9,4% 258,2 232,8-9,8% 486,1 Usados 40,3 47,8 60,6 63,0 +31,9% +4,0% 88,1 123,6 +40,4% 245,6 Vendas Diretas # 2,6 3,4 3,3 4,2 +24,2% +27,9% 6,0 7,5 +25,2% 18,3 Pesados 59,8 59,8 46,5 94,7 +58,4% +103,6% 119,5 141,2 +18,1% 300,3 Vendas Varejo 56,7 56,6 44,2 90,9 +60,6% +105,6% 113,3 135,1 +19,3% 289,5 Novos 50,2 52,8 40,6 64,9 +23,0% +59,9% 103,0 105,6 +2,5% 253,6 Usados 6,5 3,8 3,6 25,9 +585,4% +623,1% 10,2 29,5 +188,2% 35,8 Vendas Diretas # 3,1 3,2 2,3 3,8 +19,1% +65,4% 6,3 6,1-3,0% 10,8 F&I 6,4 7,1 7,0 7,0-0,9% +0,1% 13,5 14,0 +3,8% 28,2 Pós Vendas 42,2 46,0 53,1 54,4 +18,3% +2,6% 88,2 107,5 21,9% 205,1 Total geral 273,5 300,0 281,6 344,9 +15,0% +22,5% 573,5 626,5 +9,2% 1.283,7 # Considera apenas a comissão como receita 17

18 Volume de Vendas de Veículos 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x (em unidades) Leves ,6% +19,8% ,3% Vendas Varejo ,2% +1,5% ,7% Novos ,8% +6,2% ,9% Usados ,1% -2,9% ,2% Vendas Diretas ,0% +45,2% ,3% Pesados ,5% +54,0% ,3% Vendas Varejo ,8% +78,3% ,7% Novos ,7% +46,7% ,4% Usados ,8% +333,3% ,3% 223 Vendas Diretas ,9% +35,5% ,3% Total ,3% +22,1% ,0% Nota: o eventual descasamento da evolução do número de veículos vendidos em relação à receita total ocorre, pois na venda direta as unidades vendidas têm sua receita registrada apenas com base na comissão paga pela montadora, e na venda varejo as unidades vendidas são registradas com o valor integral do bem, adicionado de eventuais bonificações. No 2T14, o volume total aumentou 12,3% em função do aumento das vendas diretas de leves, dos usados leves e novos pesados. A receita total aumentou 15,0% em relação ao 2T13 principalmente em função do aumento na receita com vendas de veículos pesados e leves usados. Veja a seguir comentários adicionais: Veículos Leves: Aumento de 11,6% na quantidade de veículos leves vendidos em relação ao 2T13, principalmente em vendas diretas, atingindo veículos no 2T14 (sendo destes, vendidos para a JSL e Movida), aumento nas vendas de veículos usados, que aumentou 18,1%, chegando a veículos vendidos no 2T14, parcialmente compensados pela redução de 17,8% das vendas de leves novos (venda varejo). Em relação ao 1T14, o aumento de 20,6% no volume deveu-se principalmente pelo aumento das vendas diretas de leves, em função do maior volume comprado pela JSL Logística e Movida. A receita bruta aumentou 0,9% em relação ao 2T13 influenciada principalmente pelo aumento de 31,9% na receita com a venda de veículos usados, e do aumento de 7,6 p.p. na participação das vendas diretas de veículos novos no mix total, passando de 43,2% no 2T13 para 50,8% no 2T14. Veículos Pesados: Em relação ao 2T13, houve aumento de 170,8% das vendas de usados, em função de uma operação de compra e venda com terceiros de um lote de veículos usados, e do aumento de 11,0% na quantidade de veículos novos (vendas varejo e vendas diretas); A receita bruta aumentou 58,4% em relação ao 2T13, com destaque para o aumento de 585,4% na venda de veículos usados devido à operação mencionada acima. 18

19 A JSL Concessionárias de Veículos encerrou o período de 30 de junho de 2014 com 39 lojas em operação, conforme o quadro a seguir: LOJAS Bandeira Junho/2013 Abertas Fechadas Junho/2014 Mesmas Lojas ORIGINAL AVANTE PONTO TRANSRIO TOTAL Nota: As lojas abertas foram: Original em São Paulo (Vila Prudente, São Miguel e São Matheus), Original Taubaté II, Ponto em São Paulo (São Matheus), Transrio em Sergipe (Aracajú e Itabaína) e Tocantins (Gurupi, Araguaína e Palmas). Receita Líquida Receita Líquida 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves 179,9 167,2 178,1-1,0% +6,5% 337,8 345,3 +2,2% 709,2 Novos 133,7 108,6 117,2-12,4% +7,9% 252,4 225,8-10,5% 473,0 Usados 46,1 58,6 60,9 +32,0% +4,0% 85,3 119,5 +40,0% 236,2 Pesados 47,3 36,8 73,6 +55,7% +100,2% 88,6 110,4 +24,5% 239,3 Novos 43,6 33,3 48,5 +11,3% +45,8% 79,2 81,8 +3,4% 205,0 Usados 3,6 3,5 25,0 +588,8% +619,3% 9,4 28,5 +202,0% 34,3 Vendas Diretas 6,2 5,4 7,4 +18,9% +36,6% 11,7 12,8 +10,2% 27,9 Leves 3,2 3,3 3,9 +22,0% +20,2% 5,7 7,2 +26,5% 17,6 Pesados 3,0 2,2 3,5 +15,6% +61,1% 6,0 5,7-5,2% 10,3 F&I 6,7 6,6 6,5-2,8% -1,3% 12,8 13,2 +3,1% 26,6 Pós Vendas 42,3 48,5 50,1 +18,3% +3,2% 81,2 98,6 +21,5% 188,8 Total 282,4 264,5 315,7 +11,8% +19,3% 532,0 580,3 +9,1% 1.191,7 A variação da receita líquida no 2T14 em relação ao 2T13 e 1T14 praticamente acompanhou a variação da receita bruta nestes períodos. VII.2) DESEMPENHO FINANCEIRO Preços Médios Preço Médio (em R$ mil) 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves Vendas Varejo 34,7 34,0 36,0 +3,8% +5,9% 34,6 35,0 +1,2% 34,2 Novos 43,2 45,6 47,0 +8,7% +3,0% 41,7 46,3 +11,1% 45,6 Usados 22,2 23,2 24,8 +11,7% +7,2% 23,1 24,0 +3,8% 22,8 Vendas Diretas 0,8 0,9 0,8-5,2% -11,9% 1,0 0,8-13,8% 0,9 Pesados Vendas Varejo 163,1 162,5 187,4 +14,9% +15,3% 156,7 178,5 +13,9% 174,7 Novos 176,6 167,8 182,9 +3,6% +9,0% 176,7 176,8 +0,1% 176,9 Usados 78,9 119,6 199,6 +153,1% +66,9% 73,2 184,6 +152,2% 160,7 Vendas Diretas 6,9 6,4 7,8 +12,5% +22,1% 6,4 7,2 +13,2% 6,5 19

20 Custo dos Produtos Vendidos (CPV) e Lucro Bruto Custos 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves (162,3) (150,0) (162,6) +0,2% +8,4% (305,2) (312,6) +2,4% (643,8) Novos (122,9) (100,2) (109,8) -10,6% +9,6% (233,2) (210,1) -9,9% (439,4) Usados (39,4) (49,8) (52,7) +33,9% +5,9% (72,0) (102,5) +42,4% (204,4) Pesados (43,2) (33,1) (61,4) +42,3% +85,6% (80,0) (94,5) +18,1% (212,7) Novos (40,0) (29,9) (42,8) +6,9% +43,1% (71,3) (72,7) +1,9% (185,8) Usados (3,1) (3,2) (18,6) +492,9% +485,6% (8,7) (21,8) +151,5% (26,9) Vendas Diretas Leves Pesados F&I (0,5) (0,5) (0,5) -0,7% -3,8% (0,9) (1,0) +5,6% (1,9) Pós Vendas (27,7) (29,9) (31,9) +15,5% +6,9% (51,9) (61,8) +19,1% (119,4) Total (233,6) (213,5) (256,4) +9,8% +20,1% (438,0) (469,9) +7,3% (977,8) Custos (em % da Receita Líquida por linha de negócio) 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves 90,2% 89,7% 91,3% +1,1 p.p. +1,6 p.p. 90,4% 90,5% +0,1 p.p. 90,8% Novos 91,9% 92,3% 93,7% +1,8 p.p. -1,5 p.p. 92,4% 93,0% +0,6 p.p. 92,9% Usados 85,4% 85,0% 86,6% +1,2 p.p. -1,6 p.p. 84,3% 85,8% +1,5 p.p. 86,6% Pesados 91,4% 90,0% 83,5% -7,9 p.p. +6,5 p.p. 90,3% 85,7% -4,6 p.p. 88,9% Novos 91,8% 89,9% 88,2% -3,6 p.p. +1,7 p.p. 90,1% 88,9% -1,2 p.p. 90,6% Usados 86,3% 91,3% 74,3% -12,0 p.p. +17,0 p.p. 91,7% 76,4% -15,3 p.p. 78,5% Vendas Diretas Leves Pesados F&I 7,1% 7,4% 7,3% +0,2 p.p. +0,2 p.p. 7,2% 7,4% +0,2 p.p. 7,2% Pós Vendas 65,4% 61,6% 63,8% -1,6 p.p. -2,2 p.p. 64,0% 62,7% -1,3 p.p. 63,2% Total 82,7% 80,7% 81,2% -1,5 p.p. -0,5 p.p. 82,3% 81,0% -1,3 p.p. 82,1% Lucro Bruto 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Leves 17,6 17,2 15,5-11,7% -9,8% 32,6 32,7 +0,4% 65,4 Novos 10,8 8,4 7,3-32,1% -12,6% 19,2 15,7-18,0% 33,6 Usados 6,8 8,8 8,2 +21,0% -7,2% 13,4 17,0 +27,0% 31,7 Pesados 4,1 3,7 12,2 +197,9% +230,8% 8,6 15,8 +84,1% 26,6 Novos 3,6 3,4 5,7 +59,7% +69,8% 7,8 9,1 +16,3% 19,3 Usados 0,5 0,3 6, ,4% +2022,0% 0,8 6,7 +763,2% 7,4 Vendas Diretas 6,2 5,4 7,4 +18,9% +36,6% 11,7 12,8 +10,2% 27,9 Leves 3,2 3,3 3,9 +22,0% +20,2% 5,7 7,2 +26,5% 17,6 Pesados 3,0 2,2 3,5 +15,6% +61,1% 6,0 5,7-5,2% 10,3 F&I 6,2 6,1 6,1-2,9% -1,1% 11,9 12,2 +2,9% 24,7 Pós Vendas 14,7 18,6 18,1 +23,6% -2,7% 29,2 36,8 +25,7% 69,4 Total 48,8 51,1 59,3 +21,5% +16,1% 93,9 110,3 +17,5% 213,9 Margem Bruta (em % da Receita Líquida de cada linha de negócio) 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 Leves 9,8% 10,3% 8,7% -1,1 p.p. -1,6 p.p. 9,6% 9,5% -0,1 p.p. 9,2% Novos 8,1% 7,7% 6,3% -1,8 p.p. -1,5 p.p. 7,6% 7,0% -0,6 p.p. 7,1% Usados 14,6% 15,0% 13,4% -1,2 p.p. -1,6 p.p. 15,7% 14,2% -1,5 p.p. 13,4% Pesados 8,6% 10,0% 16,5% +7,9 p.p. +6,5 p.p. 9,7% 14,3% +4,6 p.p. 11,1% Novos 8,2% 10,1% 11,8% +3,6 p.p. +1,7 p.p. 9,9% 11,1% +1,2 p.p. 9,4% Usados 13,7% 8,7% 25,7% +12,0 p.p. +17,0 p.p. 8,3% 23,6% +15,3 p.p. 21,5% Vendas Diretas 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. 100,0% Leves 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. 100,0% Pesados 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. 100,0% F&I 92,9% 92,6% 92,7% -0,2 p.p. +0,2 p.p. 92,8% 92,6% -0,2 p.p. 92,8% Pós Vendas 34,6% 38,4% 36,2% +1,6 p.p. -2,2 p.p. 36,0% 37,3% +1,3 p.p. 36,8% Total 17,3% 19,3% 18,8% +1,5 p.p. -0,5 p.p. 17,7% 19,0% +1,3 p.p. 17,9% x 20

21 O aumento de 21,5% no lucro bruto e o aumento de 1,5 p.p. na margem bruta do 2T14 x 2T13, deveu-se principalmente: Veículos Leves: Novos (vendas varejo e vendas diretas): o lucro bruto diminuiu 19,7% e a margem bruta reduziu 0,9 p.p. na comparação com o 2T13 em função do menor volume e margem na venda varejo pelas condições gerais de mercado, parcialmente compensado pelo aumento no volume das vendas diretas; Usados: Aumento de 21,0% no lucro bruto causado principalmente pelo aumento das vendas, conforme explicado no item Receita Bruta, apesar da redução de 1,2 p.p. na margem bruta. Veículos Pesados: Novos (vendas varejo e vendas diretas): o lucro bruto aumentou 39,5% em relação ao 2T13 devido ao maior volume de vendas diretas e varejo, além do aumento de 3,6 p.p. na margem bruta de novos varejo pelas condições de mercado; Usados: lucro bruto de R$ 6,4 milhões no 2T14 principalmente em função do lote citado anteriormente. Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro Despesas Operacionais 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 12 meses Despesas com Vendas (39,6) (49,1) (53,0) +33,8% +7,9% (76,1) (102,1) (191,2) Pessoal (14,0) (19,8) (20,0) +42,9% +0,8% (26,9) (39,8) (69,9) Comissões (5,9) (4,8) (4,5) -24,3% -7,6% (10,9) (9,3) (20,6) Depreciação e Amortização (1,4) (2,2) (2,4) +75,9% +9,6% (2,8) (4,7) (8,5) Lojas (15,8) (20,0) (22,0) +39,2% +9,7% (31,3) (42,0) (80,0) Marketing (2,6) (2,2) (2,4) -5,5% +11,7% (4,3) (4,6) (10,5) Despesas Administrativas (3,6) (1,8) (0,6) -84,3% -68,0% (7,0) (2,3) (6,9) Pessoal (3,2) (1,4) (1,9) -38,4% +43,8% (5,3) (3,3) (7,1) Depreciação e Amortização (0,1) (0,1) (0,1) -32,5% -11,4% (0,2) (0,1) (0,6) Gerais (0,4) (0,4) (0,3) -32,2% -26,0% (1,5) (0,6) (0,9) Total (43,2) (50,9) (53,6) +23,8% +5,3% (83,0) (104,4) (198,1) Efeitos não recorrentes 2 (0,1) - (0,7) +1074,5% N.A. (0,6) (0,7) (0,8) Total sem efeitos não recorrentes 2 (43,2) (50,9) (52,8) +22,3% +3,8% (82,4) (103,7) (197,3) ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros Despesas Operacionais (em % da Receita Líquida) 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x 12 meses Despesas com Vendas 14,0% 18,6% 16,8% +2,8 p.p. -1,8 p.p. 14,3% 17,2% +2,9 p.p. 16,0% Pessoal 5,0% 7,5% 6,3% +1,4 p.p. -1,2 p.p. 5,0% 6,7% +1,7 p.p. 5,9% Comissões 2,1% 1,8% 1,4% -0,7 p.p. -0,4 p.p. 2,0% 1,6% -0,4 p.p. 1,7% Depreciação e Amortização 0,5% 0,8% 0,8% +0,3 p.p. -0,1 p.p. 0,5% 0,8% +0,3 p.p. 0,7% Lojas 5,6% 7,6% 7,0% +1,4 p.p. -0,6 p.p. 5,9% 7,1% +1,2 p.p. 6,7% Marketing 0,9% 0,8% 0,8% -0,1 p.p. -0,1 p.p. 0,8% 0,8% +0,0 p.p. 0,9% Despesas Administrativas 1,3% 0,7% 0,2% -1,1 p.p. -0,5 p.p. 1,3% 0,4% -0,9 p.p. 0,6% Pessoal 1,1% 0,5% 0,6% -0,5 p.p. +0,1 p.p. 1,0% 0,6% -0,4 p.p. 0,6% Depreciação e Amortização 0,0% 0,0% 0,0% -0,0 p.p. -0,0 p.p. 0,0% 0,0% +0,0 p.p. 0,1% Gerais 0,1% 0,1% 0,1% -0,1 p.p. -0,1 p.p. 0,3% 0,1% -0,2 p.p. 0,1% Total 15,3% 19,2% 17,0% +1,6 p.p. -2,3 p.p. 15,6% 17,6% +2,0 p.p. 16,6% Efeitos não recorrentes 2 0,0% 0,0% 0,2% +0,2 p.p. -0,2 p.p. 0,1% 0,1% +0,0 p.p. 0,1% Total sem efeitos não recorrentes 2 15,3% 19,2% 16,7% +1,4 p.p. -2,5 p.p. 15,5% 17,5% +2,0 p.p. 16,6% ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros 21

22 Aumento das despesas operacionais em 23,8% ou 1,6 p.p. em relação à receita líquida, na comparação com o 2T13, em função de: Aumento de 33,8% nas despesas com vendas, impactadas principalmente pela abertura das novas lojas, com impacto de R$ 7,7 milhões no 2T14 e R$ 0,7 milhão em gastos não provisionados com a redução de quadro de pessoal. Excluindo as novas lojas o aumento seria de 5,6% na mesma comparação. Resultado Financeiro Resultado Financeiro 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Juros Financeiros Líquidos (1,6) 0,5 0,4-126,1% -10,7% (2,5) 0,9-136,0% 0,6 Rendimentos sobre Aplicações Financeiras 0,1 0,5 0,4 +294,5% -10,8% 0,4 0,9 +125,0% 1,2 Despesas Financeiras (1,7) (0,0) (0,0) -99,8% -22,4% (2,9) (0,0) -100,0% (0,6) Outros itens financeiros (1,2) (1,6) (1,4) +14,3% -14,7% (2,4) (3,0) +25,0% (6,0) Floor Plan (0,9) (1,2) (1,2) +31,2% +3,9% (2,2) (2,4) +9,1% (5,2) Total (3,7) (2,4) (2,2) -40,1% -6,1% (7,0) (4,6) -34,3% (10,6) Total (em % da Receita Líquida Total) 1,3% 0,9% 0,7% -0,6 p.p. -0,2 p.p. 1,3% 0,8% -0,5 p.p. 0,9% No 2T14, o resultado financeiro totalizou uma despesa financeira líquida de R$ 2,2 milhões em comparação com uma despesa financeira líquida de R$ 3,7 milhões no 2T13. A diminuição foi em função da reversão dos juros financeiros líquidos de R$ 1,6 milhão no 2T13 para uma posição credora de R$ 0,4 milhão no 2T14 em razão da diminuição do saldo médio da dívida, que passou de R$ 51,3 milhões no 2T13 para uma posição credora de R$ 26,0 milhões no 2T14, devido à quitação do endividamento em setembro de 2013 através de recursos do AFAC de R$ 85,7 milhões. Lucro Líquido e EBITDA Lucro Líquido e EBITDA 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Lucro Antes do Impostos 1,8 (2,2) 3,5 +92,7% +260,4% 3,8 1,3-65,8% 5,2 Provisão para IR e CS 0,2 (0,1) (1,0) -661,1% -739,8% (0,5) (1,1) +120,0% (3,9) Lucro Líquido Total 2,0 (2,3) 2,5 +25,4% +208,7% 3,3 0,2-93,9% 1,3 Efeitos não recorrentes 2 (0,1) - (0,7) -1074,5% N.A. (0,6) (0,7) +16,7% (0,8) Lucro Líquido recorrente 2 2,0 (2,3) 3,0 +46,7% +229,7% 3,9 0,7-82,1% 1,9 Margem Líquida Total recorrente 2 0,7% -0,9% 0,9% +0,2 p.p. +1,8 p.p. 0,5% 0,1% -0,4 p.p. 0,2% EBITDA recorrente 2 7,1 2,6 9,0 +26,7% +247,8% 14,5 11,5-20,7% 25,9 Margem EBITDA recorrente 2 2,5% 1,0% 2,8% +0,3 p.p. +1,9 p.p. 2,7% 2,0% -0,7 p.p. 2,2% ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores e gastos pré-operacionais de novas lojas. Considera alíquota de 34% para R$ 0,1 milhão no 2T13, R$ 0,0 milhão no 1T14, R$ 0,7 milhão no 2T14 e R$ 0,8 milhão nos últimos. O EBITDA recorrente no 2T14 foi de R$ 9,0 milhões, aumento de 26,7% em relação ao 2T13, devido principalmente ao aumento do lucro bruto em pesados usados e lucro bruto em pós vendas, parcialmente compensado pela redução do lucro bruto em leves e pelo aumento das despesas com vendas em função das novas lojas; O lucro líquido recorrente no 2T14 foi de R$ 3,0 milhões, aumento de 46,7% em relação ao 2T13 pelos mesmos fatores descritos acima, além da melhora de R$ 1,8 milhão no resultado financeiro parcialmente compensado pelo aumento do imposto de renda em R$ 1,2 milhão. 22

23 VII.3) ESTRUTURA DE CAPITAL E FLUXO DE CAIXA Capital de Giro Operacional Capital de Giro Operacional Final do período 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 Capital de Giro (Em dias) 2T13 1T14 2T14 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 Contas a receber 36,8 39,8 44,3 +20,3% +11,5% Estoques ¹ 168,6 205,9 213,9 +26,9% +3,9% Fornecedores ¹ 66,1 81,0 89,0 +34,7% +9,8% Floor Plan 90,9 79,9 51,9-42,9% -35,1% Total 48,4 84,7 117,3 +142,3% +38,5% Contas a receber ¹ Estoques ² Fornecedores ² Floor Plan ² Total ¹ Este número foi ajustado com o objetivo de manter a comparabilidade dos dados, houve reclassificação da conta redutora de fornecedores em trânsito para estoques em trânsito, no 2T12. ¹ Calculado sobre a Receita líquida ² Calculado sobre o CPV Aumento de 142,3% no capital de giro operacional na comparação com o 2T13, em função de: (i) aumento de R$ 45,3 milhões ou 26,9% em estoques, principalmente em função das novas lojas (+R$ 30,2 milhões em pesados e +R$ 11,5 milhões em leves); (ii) aumento de R$ 7,5 milhões em contas a receber, principalmente pelas comissões de vendas diretas a receber, que aumentaram R$ 5,7 milhões e (iii) pela diminuição do saldo de Floor Plan em R$ 39,0 milhões, em função do pagamento de veículos em estoque fora do período de carência de juros, pagos com recursos provenientes de AFAC realizado pela JSL no 2T14, parcialmente compensados pelo aumento em R$ 22,9 milhões em Fornecedores. Investimentos Investimentos 1T14 x 1T13 2T14 x 1T14 x Lojas 2,9 4,3 3,7 +2,9% -15,0% 7,1 8,0 +12,7% 44,2 Benfeitorias 0,6 2,4 3,5-30,8% +45,8% 4,0 5,8 +45,0% 9,9 Expansão 2,3 1,8 0,2 +130,6% -87,8% 3,1 2,0-35,5% 34,1 Veículos Test Drive 4,9 1,6 4,6-0,9% +184,7% 6,5 6,2-4,6% 13,6 Total 7,7 5,8 8,2-1,2% +43,3% 13,6 14,0 +2,9% 57,6 Dos R$ 8,2 milhões investidos no 2T14: R$ 3,5 milhões em benfeitorias, em lojas de veículos leves (R$ 2,9 milhão) e pesados (R$ 0,6 milhão); R$ 0,2 milhão em expansão nas novas lojas de pesados; R$ 4,6 milhões em 88 veículos para test-drive. Fluxo de Caixa Fluxo de Caixa Sintético 2T14 x 2T13 2T14 x 1T14 x Resultado antes da provisão tributária 1,8 (3,1) 4,4 141,9% +242,9% 3,8 1,3-65,8% 5,2 Depreciação e Amortização 1,5 2,8 2,1 46,0% -22,1% 3,0 4,9 +63,3% 9,2 Custo da Venda de Ativos 3,3 2,5 2,6-20,7% 5,0% 5,6 5,0-10,7% 8,5 Outros ajustes não caixa ao lucro líquido 3,8 (0,1) 0,2-95,7% 327,8% 5,1 0,1-98,0% 0,8 Contas a receber, Estoque e Fornecedores (26,2) 4,5 (17,7) 32,6% -490,9% (21,2) (13,1) +38,2% (25,4) Floor Plan 23,3 (13,5) (28,0) -220,1% -107,3% 11,1 (41,5) -473,9% (44,7) Outros Ativos e Passivos (2,0) 5,9 (34,0) -1573,1% -676,2% 10,9 (28,1) -357,8% (19,3) Juros pagos (3,4) (0,0) 0,0 100,2% 200,0% (4,5) ,0% (2,6) Geração Operacional de Caixa 2,0 (1,0) (70,3) -3578,9% -6754,9% 13,8 (71,4) -617,4% (68,3) Aumento do Imobilizado - (6,0) (8,0) n.a. -35,1% - (14,0) n.a. (49,7) Outros Investimentos - - (0,2) n.a. n.a. - (0,2) n.a. (0,2) Caixa Líquido das Atividades de Investimentos - (6,0) (8,3) n.a. -39,2% - (14,2) n.a. (49,9) Aumento (Redução) de Capital - 12,3 86,3 n.a. 600,9% - 98,6 n.a. 223,4 Empréstimos e Financiamentos (3,4) (0,2) 0,0 100,7% 112,5% (9,4) (0,2) +97,9% (86,8) Outros n.a. n.a. - - n.a. - Aumento (Redução) do Caixa (1,3) 5,2 7,7 677,7% 49,8% 4,5 12,9 +186,7% 18,3 23

24 Aumento de R$ 7,7 milhões no caixa no 2T14 em função de: (i) AFAC realizado pela JSL Logística no valor de R$ 86,3 milhões para o pagamento de partes relacionadas no valor de R$ 37,6 milhões (em outros ativos e passivos) e pagamento de veículos em estoque fora do período de carência de juros (Floor Plan), citado anteriormente e (ii) consumo de R$ 17,7 milhões nas contas de capital de giro, principalmente pelo aumento nos estoques em função das novas lojas. VIII. ESTRUTURA DE CAPITAL - Consolidada Endividamento - JSL Consolidada 31/03/ /06/ /09/ /12/ /03/ /06/2014 Caixa e aplicações financeiras (485,1) (883,3) (1.032,1) (764,2) (553,4) (666,4) Dívida bruta - Curto prazo 526,0 581,5 517,3 531,2 584,6 727,0 Dívida bruta - Longo prazo 2.295, , , , , ,5 Dívida bruta total 2.821, , , , , ,4 Divida líquida 2.336, , , , , ,1 Perfil da Dívida Líquida Consolidada: 45% da dívida líquida estava atrelada a taxas Pré-Fixadas (inclui financiamentos vinculados a TJLP) e 55% a taxas flutuantes (basicamente a CDI). Composição do endividamento líquido 30/06/2014 Cronograma de amortização Linha Compromissada de R$ 150 mm ¹Aquisição de veículos leves via recursos próprios para um giro mais eficiente da frota. A liquidez da JSL é de R$ 816 milhões, composta de R$ 666 milhões de caixa e aplicações e R$ 150 milhões de Overdraft (linha de crédito compromissada), ainda não sacada, com prazo de 4 anos. Vale destacar que esta linha de crédito é sem garantia e não está sujeita as clausulas de "market flex" e mudanças materiais adversas ("MAC"). 24

25 JSL Consolidada Resultado Financeiro - JSL Consolidada x Juros financeiros líquidos (53,3) (64,6) (71,0) 33,2% 9,9% (100,3) (135,6) 35,2% (253,8) Rendimentos sobre aplicações financeiras 7,9 14,8 11,1 40,5% -25,0% 14,5 25,8 77,9% 66,9 Juros sobre empréstimos e financiamentos (61,2) (79,4) (82,1) 34,2% 3,4% (114,9) (161,4) 40,5% (320,7) Outros itens financeiros 7,6 (6,0) (10,3) -235,5% 71,7% 9,0 (16,4) -282,2% (24,9) Total (45,7) (70,7) (81,3) 77,9% 15,0% (91,3) (152,0) 66,5% (278,7) Total (em % da Receita líquida de Serviços) 4,2% 6,5% 6,8% +2,6 p.p. +0,3 p.p. 4,4% 6,7% +2,3 p.p. 6,1% Custo médio da dívida líquida(a.a.) JSL Consolidada Vale destacar que a taxa de juros no Brasil, representada pelo CDI, no período 2T14 x 2T13 subiu 3,4 p.p., sendo assim o impacto no custo médio da dívida da Companhia equivale a apenas um quinto desta elevação. A Companhia possui títulos de dívida emitidos, os quais contém limitação à sua alavancagem, com base no índice Dívida Líquida sobre o EBITDA-A e EBITDA-A sobre os juros líquidos, sendo que tais limites destes indicadores são, respectivamente, de menor ou igual a 3,0 vezes e maior ou igual a 2,0 vezes. Como é possível verificar na tabela a seguir, este índice, ajustado com as despesas não recorrentes com aquisições e projetos especiais, fechou o período, respectivamente em 2,7 e 5,0 vezes, patamar que permite a Companhia continuar crescendo com níveis prudentes de alavancagem, e dentro do planejado. Indicadores de Alavancagem (fim do período) Saldos 31/03/2013 JSL Consolidada 30/06/2013 JSL Consolidada 30/09/2013 JSL Consolidada 31/12/2013 JSL Consolidada 31/03/2014 JSL Consolidada 30/06/2014 JSL Consolidada Dívida líquida / EBITDA-A² 2,6x 2,6x 2,6x 2,4x 2,5x 2,7x Dívida líquida / EBITDA² 3,7x 3,8x 3,9x 3,8x 4,2x 4,4x EBITDA-A²/ Juros líquidos 4,5x 4,8x 5,0x 5,3x 5,1x 5,0x EBITDA²/ Juros líquidos 3,1x 3,3x 3,3x 3,4x 3,1x 3,0x Imobilizado¹/ Dívida líquida 1,2x 1,3x 1,3x 1,3x 1,2x 1,2x Caixa³ / dívida bruta de curto prazo 0,9x 1,5x 2,0x 1,4x 1,2x 1,1x ¹ Imobilizado + Recebível e Estoques venda a prazo (Venda de Ativos com Gestão / CPC 06) + Seminovos ² Período acumulado dos últimos, recorrente ³ Caixa + Linha compromissada 25

26 IX. ROIC Auditado O ROIC do 2T14 foi auditado conforme demonstrado abaixo: ROIC Auditado - 30/06/2014 JSL Consolidada* JSL Logística Operações com mais de de faturamento Outras operações (menos de de faturamento) JSL Concessionárias Movida Receita Líquida 5.189, , ,1 464, ,7 78,4 Lucro Bruto 845,2 612,4 608,3 4,1 213,9 19,1 (-) Despesas Administrativas e de Vendas (457,2) (239,6) (182,2) (47,5) (199,2) (13,9) (+) Despesas Extraordinárias (M&A e Consultoria de Processos) 11,1 10, ,7 - (-) Outros Receitas (Despesas) Operacionais (5,9) (8,4) 1,5 (9,5) 1,1 1,4 EBIT 393,2 374,8 427,7 (52,9) 16,5 6,6 (-) Impostos¹ (118,0) (112,4) (128,3) 15,9 (5,0) (2,0) (=) Lucro Operacional Líquido menos Impostos (NOPLAT) (A) 275,3 262,3 299,4 (37,0) 11,6 4,6 Dívida Líquida Média (jun/13 + jun/14)/ , , ,1 945,2 185,1 48,5 (+) Valor Presente das Operações (CPC 06) (134,3) (134,3) (134,3) (=) Dívida Líquida Média (jun/13 + jun/14)/2 sem efeito CPC , , ,8 945,2 185,1 48,5 (+) Patrimônio Líquido Médio (jun/13 + jun/14)/ ,6 979,1 979,1-30,5 7,3 (=) Capital Investido (B) 3.817, , ,9 945,2 215,5 55,9 ROIC (A/B) 7,2% 7,4% 11,5% -3,9% 5,4% 8,2% ROIC sem efeito do ágio 7,8% 7,9% 12,7% -3,9% 6,4% 8,5% Lucro Operacional Líquido menos Impostos (NOPLAT) 275,3 262,3 299,4 (37,0) 11,6 4,6 (+) Custo não Caixa: Custo da Venda de Ativos² 496,8 469,5 379,7 89,8 9,5 17,8 (=) NOPLAT incluindo o Custo da Venda de Ativos (D) 772,0 731,8 679,1 52,8 21,0 22,4 ROIC (C/B) 20,2% 20,6% 26,1% 5,6% 9,8% 40,1% ROIC sem efeito do ágio e incluindo o Custo da Venda de Ativos 21,8% 22,1% 28,7% 5,6% 11,6% 41,3% * Contempla a consolidação dos resultados financeiros da JSL Logística, JSL Concessionárias, Movida e despesas de empresas pré-operacionais já considerando as eliminações entre os negócios, considera a partir do mês de Dezembro da Movida ¹ Considera alíquota efetiva de 30% ² Custo Residual da Venda de Ativos - não caixa O gráfico abaixo ilustra o spread entre o ROIC das operações maduras e o custo da dívida após os impostos: Spread do ROIC Operações Maduras x Custo da Dívida Líquida após Impostos ROIC operações Maduras (mais de 12 meses de faturamento) Custo da Dívida Líquida da JSL Consolidada após impostos (34%) 2T13 4T13 2T14 12,0% 11,9% 11,5% 5,7% 6,1% 6,1% Spread +6,2 p.p. +5,9 p.p. +5,4 p.p. ROIC operações Maduras (mais de 12 meses de faturamento) - sem ágio Custo da Dívida Líquida da JSL Consolidada após impostos (34%) 13,4% 13,3% 12,7% 5,7% 6,1% 6,1% Spread +7,7 p.p. +7,2 p.p. +6,6 p.p. 26

Destaques Abertura de Capital, 100% primária e listagem no Novo Mercado, com captação bruta de R$ 477,9 milhões

Destaques Abertura de Capital, 100% primária e listagem no Novo Mercado, com captação bruta de R$ 477,9 milhões Reunião Pública com APIMEC - SP Resultados 2010 e 4T10 06 de Abril de 2011 Destaques 2010 Abertura de Capital, 100% primária e listagem no Novo Mercado, com captação bruta de R$ 477,9 milhões Receita Bruta

Leia mais

Divulgação de Resultados 4T14 e 2014

Divulgação de Resultados 4T14 e 2014 Divulgação de Resultados 4T14 e 2014 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011, têm como base os números preliminares preparados

Leia mais

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA Base Legal CPC 03 e Seção 07 da NBC TG 1.000 O presente auto estudo embasará os conceitos e procedimentos técnicos contemplados no CPC 03 (IFRS Integral) e na Seção 07

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO Legislação Societária CIRCULANTE Numerário disponível 8.081 6.646 Consumidores e revendedores 83.995 67.906 Devedores

Leia mais

ATIVO

ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO CIRCULANTE Numerário disponível 5.803 1.361 17.311 8.292 Aplicações no mercado aberto 1.216.028 665.948 1.216.530

Leia mais

Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day

Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day Você espera o melhor. A gente faz. Locamerica Day SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento 2015/16 1993 Fundação com 16 carros 2008 PRIVATE EQUITY Maior disciplina financeira

Leia mais

UNIPAR CARBOCLORO ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T14

UNIPAR CARBOCLORO ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T14 UNIPAR CARBOCLORO ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1T14 São Paulo, 15 de maio de 2014 A UNIPAR CARBOCLORO S.A. (BM&FBOVESPA: UNIP3, UNIP5 e UNIP6), empresa brasileira líder de mercado na Região Sudeste na fabricação

Leia mais

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS fg 2º TRIMESTRE DE 2016 Retomada do crescimento de vendas totais e mesmas lojas, aliada a ganho consistente de market share no mercado total a. A receita líquida totalizou R$4,3 bilhões no 2T16, com retomada

Leia mais

2T15. Comentários de Desempenho. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 2T15 e 1S15

2T15. Comentários de Desempenho. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 2T15 e 1S15 São Paulo, 03 de Agosto de 2015 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do segundo trimestre de 2015 (2T15) e do primeiro semestre de 2015 (1S15). As informações financeiras

Leia mais

EcoRodovias Concessões anuncia resultado do 1T16: Lucro líquido atinge R$ 122,1 milhões, crescimento de 38,0%

EcoRodovias Concessões anuncia resultado do 1T16: Lucro líquido atinge R$ 122,1 milhões, crescimento de 38,0% EcoRodovias Concessões anuncia resultado do 1T16: Lucro líquido atinge R$ 122,1 milhões, crescimento de 38,0% São Bernardo do Campo, 12 de maio de 2016 EcoRodovias Concessões e Serviços S.A. anuncia seus

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 São Paulo, 03 de agosto de 2006. Confab Industrial S.A. (BOVESPA:CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes aos

Leia mais

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%.

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. São Paulo, 27 de outubro de 2011 A Autometal S.A. [Bovespa:

Leia mais

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16.

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. São Paulo, 10 de agosto de 2016 As informações trimestrais (2TR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP)

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013

Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013 Mogi das Cruzes, 25 de fevereiro de 2014 A JSL (BM&FBOVESPA: JSLG3 e ADR Nível 1: JSLGY), empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita

Leia mais

IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A)

IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A) IN 371/2002 Estudo de Viabilidade (Claro Telecom Participações S.A) São Paulo, SP 30 de Setembro de 2014 1 IN CVM 371/2002 CPC 32 Planos de Longo Prazo 2014-2024 Ativos Fiscais Diferidos Realização Ativos

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP)

Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T09 e 1S09 (R$ milhões - USGAAP) Julho, 2009 1 Divisão de aluguel de carros Receita líquida (R$ milhões) 197,1 271,3 CAGR: 31,3% 357,2 442,7 585,7 278,6 4,8% 291,9

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1T16

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 1T16 1) VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe-Maxion é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 Brasil Pharma Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 2 Destaques 2T16 Destaques: Margem Bruta Margem bruta de 30,0%, com crescimento de 1,6 p.p. em relação ao 1T16 e 2,4 p.p. em relação ao

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 3T16

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 3T16 1) VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe- é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também líder

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 Publicação, 07 de maio de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFONICA DATA

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 6 de maio de 2016 Magazine Luiza Destaques Vendas E-commerce Margem Bruta EBITDA e Lucro Líquido Capital de Giro Endividamento Luizacred Aumento da receita bruta de 3% totalizando

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Publicação, 26 de julho de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A., SP, Brasil.

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR)

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) 1 de 8 31/01/2015 14:50 DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) Até 31.12.2007, a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) era obrigatória para as companhias abertas e

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas

Leia mais

Resultados Título da apresentação

Resultados Título da apresentação Resultados 2015 Título da apresentação Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros do Banco Pan. Essas declarações estão baseadas

Leia mais

Energia faturada por classe de consumidores (em GWh)

Energia faturada por classe de consumidores (em GWh) 1 Perfil A AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S.A. ( Companhia ) é uma companhia de capital aberto, de direito privado, autorizada a operar como concessionária do Serviço Público de Distribuição de

Leia mais

Earnings Release. Relações com Investidores. Destaques do 1T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 1T11

Earnings Release. Relações com Investidores. Destaques do 1T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 1T11 Relações com Investidores Bruno Padilha de Lima Costa Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brasilinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 1T11 Terça-feira, 17 de maio de 2011

Leia mais

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. CNPJ: 42.540.2 11/000 1-6 7 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO A T I V O 2005 2004 CIRCULANTE Numerário disponível 805 12.378 Aplicações

Leia mais

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A.

ULTRAPAR PARTICIPAÇÕES S.A. MD&A - ANÁLISE DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS Primeiro Trimestre 2012 (1) Informações financeiras selecionadas: (R$ milhões) 1º Tri 12 1º Tri 11 4º Tri 11 Variação 1T12 X 1T11 Variação 1T12 X 4T11 Receita

Leia mais

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy 3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy São Paulo, 13 de novembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta Apresentação pode conter declarações prospectivas, as quais estão sujeitas a riscos e incertezas, pois foram baseadas

Leia mais

Divulgação de Resultado 1T15

Divulgação de Resultado 1T15 Divulgação de Resultado 1T15 1 Dados de mercado em 07/05/2015 Cotação: R$2,35 Valor de Mercado: R$155.302.955,40 T e l e c o n f e r ê n c i a 1T15 Teleconferência em português 08 de maio de 2015 Sexta-feira,

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ MAGAZINE LUIZA S.A Versão : 2. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ MAGAZINE LUIZA S.A Versão : 2. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Resultado do 3 o Trimestre de 2016

Resultado do 3 o Trimestre de 2016 Resultado do 3 o Trimestre de 2016 Teleconferência - 11/11/2016 João Silveira - CEO Marcus Martino - CFO e Diretor de RI Disclaimers Esta apresentação contém informações sobre os negócios da Par Corretora,

Leia mais

Renar atinge R$4,7 milhões de EBITDA no 1S14 (+R$8,3mm vs. 1S13), e Revisa Guidance 2014

Renar atinge R$4,7 milhões de EBITDA no 1S14 (+R$8,3mm vs. 1S13), e Revisa Guidance 2014 Renar atinge R$4,7 milhões de EBITDA no 1S14 (+R$8,3mm vs. 1S13), e Revisa Guidance 2014 Resultado do 1S14 é o melhor dos últimos 10 anos Fraiburgo, 13 de agosto de 2014 A Renar Maçãs (BM&FBovespa: RNAR3)

Leia mais

1. ANÁLISE DE DESEMPENHO OPERACIONAL DA AUTOBAN. Janeiro a Março/2013

1. ANÁLISE DE DESEMPENHO OPERACIONAL DA AUTOBAN. Janeiro a Março/2013 1. ANÁLISE DE DESEMPENHO OPERACIONAL DA AUTOBAN Janeiro a Março/2013 As informações financeiras e operacionais abaixo são apresentadas de acordo com a Legislação Societária e as comparações são referentes

Leia mais

Lucro líquido da BRF cresce 109,4% e chega aos R$2,2 bilhões em 2014

Lucro líquido da BRF cresce 109,4% e chega aos R$2,2 bilhões em 2014 Lucro líquido da BRF cresce 109,4% e chega aos R$2,2 bilhões em 2014 Aumento da eficiência operacional resultou em EBITDA de R$4,9 bilhões no acumulado do ano, 56,4% superior ao de 2013 São Paulo, 26 de

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara IX DESAFIO CULTURAL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS- 2016 Questões de Planejamento Tributário Prof. Oscar Scherer Questão nº 01 A constituição de Fundos de Investimentos Mobiliário é uma alternativa interessante

Leia mais

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo

Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo Tribunais - Exercícios AFO e Direito Financeiro Exercício - Contabilidade Alexandre Américo 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MÓDULO DE QUESTÕES DE CONTABILIDADE

Leia mais

EBITDA e Lucro Líquido Ajustado Pro Forma do Grupo CVC apresentaram Crescimentos de 10,8% e 18,7%, respectivamente, no 3T16. Destaques do Período*

EBITDA e Lucro Líquido Ajustado Pro Forma do Grupo CVC apresentaram Crescimentos de 10,8% e 18,7%, respectivamente, no 3T16. Destaques do Período* Santo André, 03 de novembro de 206: CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Divulgação de Resultados. Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa

Divulgação de Resultados. Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa Divulgação de Resultados Alteração no Agrupamento de Custos e Despesas e Revisão da Forma e Conteúdo do Demonstrativo de Fluxo de Caixa Objetivos e documentos impactados Objetivo: Agrupamento de Custos

Leia mais

Comentários de DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS - 4T12 E 2012

Comentários de DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS - 4T12 E 2012 São Paulo, 13 de maio de 2013 A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do quarto trimestre de 2012 (4T12) e do ano de 2012. As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE As informações a seguir estão apresentadas de forma consolidada. Os valores estão apresentados de acordo com as normas expedidas pela CVM Comissão de

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

25 de abril de 2016 LOJAS RENNER S.A. (BM&FBOVESPA: LREN3), maior varejista de moda no Brasil, anuncia seus resultados do primeiro trimestre (1T16).

25 de abril de 2016 LOJAS RENNER S.A. (BM&FBOVESPA: LREN3), maior varejista de moda no Brasil, anuncia seus resultados do primeiro trimestre (1T16). 25 de abril de 2016 LOJAS RENNER S.A. (BM&FBOVESPA: LREN3), maior varejista de moda no Brasil, anuncia seus resultados do primeiro trimestre (1T16). COMENTÁRIOS DA ADMINISTRAÇÃO Informações Consolidadas

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

Destaques do 2º trimestre de 2016

Destaques do 2º trimestre de 2016 Destaques do 2º trimestre Principais Destaques Melhora do EBITDA e da margem EBITDA no 2T16 em relação ao 1T16, em todas as operações de negócio. Fluxo de caixa livre positivo de R$ 807 milhões no 2T16:

Leia mais

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09 Banco do Brasil Divulgação do Resultado 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social.

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social. Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Professor: Roberto César Balanço Patrimonial ATIVO Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro - em movimento, sua conversão em dinheiro

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06 Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06 0 Plataforma integrada Plataforma integrada 123 agências 20.096 carros 13.116 carros Estratégia de negócios Objetivos Vantagens competitivas Oportunidades

Leia mais

Perfil Energia gerada

Perfil Energia gerada 1. Perfil A AES Tietê, uma das geradoras do grupo AES Brasil, é uma Companhia de capital aberto com ações listadas na BM&FBovespa e está autorizada a operar como concessionária de uso do bem público, na

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

GRUPO TECHNOS ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2016

GRUPO TECHNOS ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2016 RESULTADO 1T16 GRUPO TECHNOS ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de abril de 2016 - As informações financeiras e operacionais a seguir são apresentadas em base consolidada,

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M.

A receita de uso de rede diminuiu 6,1% em relação ao 3T11 e apenas 0,6% em relação ao 2T12, principalmente em função da redução da VU-M. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.340,9 5.128,2 4,1 4.923,2 8,5 15.574,6 14.326,7 8,7 Receita de serviço móvel 5.078,2 4.959,7 2,4 4.697,9 8,1 14.962,1 13.535,4 10,5 Franquia e utilização

Leia mais

Resultado do 1 o Trimestre de 2016

Resultado do 1 o Trimestre de 2016 Resultado do 1 o Trimestre de 2016 Teleconferência - 12/05/2016 João Silveira - CEO João Villas - CFO e Diretor de RI Disclaimers Esta apresentação contêm informações sobre os negócios da Par Corretora,

Leia mais

Comentário do Desempenho

Comentário do Desempenho Gerdau S.A. Comentário do Desempenho Controladora 1T16 Desempenho no 1º trimestre Controladora A Gerdau S.A. é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro, capital. A Companhia

Leia mais

A Locamerica entregou geração positiva de Caixa de R$38 milhões em 2015 e expandiu sua Margem EBITDA para 57%

A Locamerica entregou geração positiva de Caixa de R$38 milhões em 2015 e expandiu sua Margem EBITDA para 57% Resultados 4T15 e 2015 A Locamerica entregou geração positiva de Caixa de R$38 milhões em 2015 e expandiu sua Margem EBITDA para 57% Belo Horizonte, 21 de março de 2016 - A Companhia de Locação das Américas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Receita Líquida Móvel 5.540, ,3 (1,7) 5.128,3 8, , ,0 9,2

Receita Líquida Móvel 5.540, ,3 (1,7) 5.128,3 8, , ,0 9,2 NEGÓCIO MÓVEL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.540,4 5.636,3 (1,7) 5.128,3 8,0 11.176,7 10.234,0 9,2 Receita de serviço móvel 5.219,2 5.270,5 (1,0) 4.959,8 5,2 10.489,7 9.884,2 6,1 Franquia

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO CNPJ. 13.018.171/000190 BALANÇO PATRIMONIAL EM R$. 1,00 A T I V O 31.12.2007 31.12.2006 ATIVO CIRCULANTE 138.417.550 134.143.301 Caixa e Bancos 1.286.238 3.838.555

Leia mais

Release de Resultados

Release de Resultados São Paulo, 14 de novembro de 2016 O Banco Sofisa S.A. (SFSA4), banco múltiplo, especializado na concessão de crédito para empresas de pequeno e médio porte, anuncia hoje seu resultado do 3º trimestre de

Leia mais

TEGMA anuncia crescimento de 30,4% da receita bruta no 3T11

TEGMA anuncia crescimento de 30,4% da receita bruta no 3T11 TEGMA anuncia crescimento de 30,4% da receita bruta no 3T11 Teleconferência de Resultados do 3T11 Data: Quarta-Feira, 09 de Novembro de 2011 > Português 11:00 (horário de Brasília) 08:00 (horário Nova

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T14 e 9M14

Apresentação de Resultados 3T14 e 9M14 Apresentação de Resultados 3T14 e 9M14 Highligts i. Geração de caixa. Geração de caixa nos nove primeiros meses de R$ 169,0 milhões (proporcional) e de R$ 86,9 milhões no trimestre, crescimento significativo

Leia mais

Resultados da Mills no 1T16

Resultados da Mills no 1T16 Resultados da Mills no 1T16 Relações com Investidores BM&FBOVESPA: MILS3 Rio de Janeiro, 5 de maio de 2016 - A Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. (Mills) apresenta os seus resultados referentes

Leia mais

Souza Barros Fique por dentro. Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant. Ricardo Pansa Presidente e DRI. Maio de 2013

Souza Barros Fique por dentro. Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant. Ricardo Pansa Presidente e DRI. Maio de 2013 Souza Barros Fique por dentro Apresentação dos Resultados 1T13 Nutriplant Ricardo Pansa Presidente e DRI Maio de 2013 Nutriplant: opção de investimento em insumos diferenciados para o agronegócio brasileiro.

Leia mais

Desempenho no 3º trimestre de 2016 Controladora

Desempenho no 3º trimestre de 2016 Controladora Desempenho no 3º trimestre Controladora A Metalúrgica Gerdau S.A. é uma empresa holding que controla direta ou indiretamente todas as empresas Gerdau no Brasil e no exterior. É uma sociedade anônima de

Leia mais

PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011

PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011 PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011 BOMBRIL DIVULGA RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTE DE 2011 A Bombril S/A (Bovespa: BOBR4), com 63 anos de atividade, atuando no segmento de indústria de higiene e limpeza,

Leia mais

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14 São Paulo, 14 de agosto de 2015 - A Somos Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 2º trimestre de 2015 (2T15) e do primeiro semestre de 2015 (1S15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS.

SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS. SANTOS BRASIL ENCERRA O 4T15 COM CRESCIMENTO DE 13,0% NO TOTAL DE CONTÊINERES MOVIMENTADOS. São Paulo, 09 de março de 2016 As informações trimestrais (ITR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP)

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 5 de novembro de 2009 Teleconferência

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1T15 São Paulo, Brasil, 7 de maio de A Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Companhia ) (LLIS3), empresa do setor de vestuário e

1T15 São Paulo, Brasil, 7 de maio de A Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Companhia ) (LLIS3), empresa do setor de vestuário e São Paulo, Brasil, 7 de maio de 2015 - A Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Companhia ) (LLIS3), empresa do setor de vestuário e acessórios de alto padrão no Brasil, apresenta seus resultados

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T06 e José Carlos Grubisich Carlos Fadigas

Teleconferência de Resultados 4T06 e José Carlos Grubisich Carlos Fadigas Teleconferência de Resultados e 2006 José Carlos Grubisich Carlos Fadigas Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos,

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores acionistas, A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A., ( CVC ou Companhia ) apresenta a seguir seu Relatório da Administração e as informações contábeis intermediárias

Leia mais

Receita Bruta de R$ 103,6 milhões. Variação negativa de 2,5% na comparação com o 3T09;

Receita Bruta de R$ 103,6 milhões. Variação negativa de 2,5% na comparação com o 3T09; Apresentação Aviso Importante Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes:

EXERCICIOS SOBRE DFC. As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em X2, eram os seguintes: EXERCICIOS SOBRE DFC As demonstrações contábeis da Empresa Cosmos, sociedade anônima de capital aberto, em 31.12.X2, eram os seguintes: ATIVO X1 X2 PASSIVO X1 X2 Disponível 3.000 1.500 Fornecedores 54.000

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Receita Bruta da Profarma atinge R$ 702,6 milhões no 1T08 com crescimento de 26,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2008 A Profarma Distribuidora de Produtos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA NIRE nº CNPJ/MF nº /

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA NIRE nº CNPJ/MF nº / ITENS DA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. CONVOCADA PARA 29 DE ABRIL DE 2016 BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA NIRE

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015 Resultados 1º Trimestre de 2015 8 de Maio de 2015 Receita líquida avança 14,8%, com sólido crescimento orgânico Cnova Receita líquida: +14,8% Vendas mesmas lojas: +4,0% EBITDA (1) : R$ 1,057 bilhão Margem

Leia mais

CNPJ /

CNPJ / 1 CNPJ 07.522.669/0001-92 Demonstrações Contábeis Regulatórias dos Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Conteúdo Balanço Patrimonial Regulatório 3 Demonstração do Resultado Regulatória 5

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2T16

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2T16 1) VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe- é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também líder

Leia mais

Lucro Líquido de R$129,4 milhões ou R$1,69 por ação no 3T07 e R$348,9 milhões ou R$4,54 por ação em 9M07.

Lucro Líquido de R$129,4 milhões ou R$1,69 por ação no 3T07 e R$348,9 milhões ou R$4,54 por ação em 9M07. Lucro Líquido de R$129,4 milhões ou R$1,69 por ação no 3T07 e R$348,9 milhões ou R$4,54 por ação em 9M07. São Paulo, 09 de novembro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

(A) (B) (C) (D) (E)

(A) (B) (C) (D) (E) 01- FCC 2014 A Cia. Investidora adquiriu 90% das ações da Cia. Gama por R$ 5.000.000,00. Na data da aquisição, o Patrimônio Líquido da Cia. Gama era de R$ 3.500.000,00 e o valor justo líquido dos ativos

Leia mais

Apresentação do Roadshow Teleconferência de Resultados 2T16

Apresentação do Roadshow Teleconferência de Resultados 2T16 Apresentação do Roadshow Teleconferência de Resultados 2T16 1 Nota Importante As declarações a respeito de perspectivas futuras sobre os negócios e projeções de resultados operacionais e financeiros da

Leia mais