JORNAL. Participe do Baile de Aniversário de 35 anos da Unimed. Cooperados aprovam gestão da Unimed Florianópolis IMPRESSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JORNAL. Participe do Baile de Aniversário de 35 anos da Unimed. Cooperados aprovam gestão da Unimed Florianópolis IMPRESSO"

Transcrição

1 JORNAL EDIÇÃO Nº Julho de 2006 IMPRESSO CORREIOS IMPRESSO ESPECIAL Nº DR/SC UNIMED do Cooperado Cooperados aprovam gestão da Unimed Florianópolis O desempenho da atual Gestão da Unimed Florianópolis foi aprovado por 88% dos cooperados que participaram de pesquisa realizada pela Cooperativa, em parceria com o Instituto MAPA. Páginas Centrais Participe do Baile de Aniversário de 35 anos da Unimed Página 12

2 2 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de 2006 O poder do conhecimento A chegada dos 35 anos da Unimed Florianópolis é motivo de reflexão para todos nós que fazemos parte de seu universo. Uma reflexão que exige, pelo menos em parte, conhecer a Cooperativa nas suas diretrizes e em suas mais diversas faces, entender suas metas e reconhecer o seu crescimento inquestionável, sem ignorar seus desafios. Para isso, é necessário pesar pontos fortes e fracos, questionar e ouvir quem faz parte do seu cenário. Foi assim que nossa Diretoria resolveu realizar uma pesquisa de opinião e de satisfação entre os cooperados. Os resultados, que você vai conhecer nesta edição, desvendam o pensamento dos médicos que compõem o Quadro Social da Cooperativa mas, acima de tudo, demonstram uma nova consciência sobre a Unimed e sobre o mercado na qual está inserida. Mais do que apontar números e índices, as respostas advindas da pesquisa deixam claro que os cooperados vêm recebendo as mensagens repassadas pelas Assembléias (foram 12 somente nesta gestão), veículos de comunicação, ações de aproximação junto aos médicos, cursos de formação, entre outros instrumentos utilizados para enviar informações e gerar interação. Hoje, falar em Agência Nacional de Saúde Suplementar, sinistralidade dos planos, custo operacional, gestão de recursos, mercado e prospecção de clientes deixou de ser exclusividade dos dirigentes da Cooperativa. Hoje, falar em ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), sinistralidade dos planos, custo operacional e gestão de recursos deixou de ser exclusividade dos dirigentes da Cooperativa. Preocupar-se com o mercado, com o retorno do marketing na prospecção de novos clientes e com a cada vez mais exigente legislação que rege os planos de saúde passou a fazer parte do cotidiano daqueles que já descobriram que a Medicina vai muito além das portas dos consultórios. É evidente que isso não é uma realidade para todos os médicos, assim como é óbvio que muito ainda precisa ser ampliado neste novo pensar. Porém, é essencial reconhecer desde já o poder do conhecimento e os avanços que somente ele é capaz de gerar. É certo, ainda, que tais avanços também se traduzem em reivindicações, no identificar daquilo que precisa ser melhorado. Isso, na verdade, é tão imprescindível quanto enxergar os pontos positivos e as conquistas, na medida em que nos permite visualizar, ou reafirmar, as questões sobre as quais devemos continuar atuando. Somente com a compreensão de todo o cenário que estamos vivendo é que poderemos fazer crescer ainda mais a nossa Cooperativa, para que os próximos anos cheguem com ainda mais vitórias. Obrigado, cooperados, pela inestimável contribuição. Edevard J. de Araujo Presidente Expediente Unimed Florianópolis Dom Jaime Câmara, 94 - Centro Fone (48) Diretoria Executiva Edevard José de Araujo Presidente Marcolino Cargnin Cabral Vice-Presidente Jorge Humberto Barbato Filho Superintendente Marco Antônio Curi Al Cici Diretor de Contas Médicas Hildebrando Couto Scofano Diretor Educação Cooperativista Conselho de Administração Iberê do Nascimento João Batista Bonassis Júnior João Pedro Carreirão Neto Luiz Gustavo Escada Ferreira Lygia Goretti Bruggemann Peters Márcia Regina Ghellar Nilson Campos Lobo e Silva Roberto Henrique Benedetti Rolf Hillmann Vanir Cardoso Conselho de Ética Cooperativista Ana Rosa de O. Dellagiustinna André Sobierajski dos Santos Antoine Chryssovergis Gerson José Coelho Maurício Cherem Buendgens Newton Djalma do Valle Pereira Ricardo Fantazzini Russi Conselho Fiscal Eugênio Grillo Jairo Vieira Mahmud Khalil Zardeh Paulo Arlindo Philippi Sérgio Lima de Almeida Thales Roberto Schott da Silva Diretoria de Gestão Jaime J. S. Vieira Administrativa-Financeira Octavio Lebarbenchon Neto Comercial e Marketing Otávio Ferreira Luiz Operacional José Francisco Salm Júnior Tecnologia da Informação Edição Texto Texto Final Assessoria de Comunicação Jornalistas Lena Obst e Denise Christians Fotografia Renato Gama Editoração e Arte-Final FLN Comunicação Impressão Gráfica Impresul Tiragem exemplares

3 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de BENEFÍCIOS AOS COOPERADOS Produção Médica cresce com consultas do Intercâmbio e SC Saúde Estatísticas da Diretoria de Gestão Operacional da Unimed Florianópolis demonstraram, no período de março a maio de 2006, o expressivo impacto de 53% no movimento financeiro originário dos atendimentos prestados pelos cooperados aos clientes de Intercâmbio Estadual e Nacional. O índice foi constatado no volume de notas processadas pelos Departamentos de Produção de Contas Médicas e de Intercâmbio, bem como nos valores pagos à Rede Cooperada e Credenciada. Do importante crescimento apontado pela Cooperativa, 20% são provenientes do atendimento aos servidores públicos do Estado de Santa Catarina, através do Plano SC Saúde. Unificação de honorários proporciona valorização da consulta O Conselho de Administração (CA) foi autorizado pela última Assembléia Geral Extraordinária (17/5/2006) a unificar o valor da consulta paga pela Unimed Florianópolis em R$ 38,00, exceto para as consultas do plano SC Saúde. Quanto aos demais procedimentos, foi alterado o fator redutor de 50 para 30%, incluindo o plano SC Saúde. Os novos valores serão implementados nos atendimentos prestados a partir de 10 de junho (meio papel) e 15 de junho (meio eletrônico), cujo crédito será efetuado dia 20 de agosto de As mudanças foram feitas na busca de proporcionar uma maior valorização da consulta e em virtude da necessidade de unificar a variação de contratos com diferentes honorários existentes na Cooperativa. Como ainda predominam na Singular os contratos em pré-pagamento, com a consulta a R$ 33,60, a maioria dos cooperados passou a ser beneficiada com a medida adotada. Também é meta da Diretoria Executiva e do CA consolidar o princípio da igualdade nos honorários, objetivando a conquista de melhorias na remuneração dos cooperados, que é uma preocupação permanente da atual gestão. A unificação dos valores é indispensável, ainda, para a redução da quantidade de tabelas utilizadas pela Cooperativa (atualmente 34 e cerca de 260 mil notas/mês), assim como para facilitar o pagamento da CBHPM, o processamento operacional e o entendimento do relatório de Produção. PRODUÇÃO PAGA COOPERADOS FLORIANÓPOLIS MARÇO A MAIO/ , ,01 25% 8% 20% 47% , ,38 NACIONAL ESTADUAL SC SAÚDE FLORIANÓPOLIS NACIONAL QUANTIDADE NOTAS 2006 INTERCÂMBIO X TOTAL (1.000) ,6 95,2 82, ,9 45,9 16, ,7 0 fev/06 mar/06 abr/06 mai/ , ,5 ESTADUAL INTERCÂMBIO 204,4 159,2 276,5 FLORIANÓPOLIS PRODUÇÃO 2006 (R$) INTERCÂMBIO X TOTAL (1.000) 8.247, ,8 FLORIANÓPOLIS 133,4 fev/06 mar/06 abr/06 mai/ TOTAL , , , ,4

4 4 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de 2006 Diretorias profissionalizam a Gestão da Cooperativa A administração da Unimed Florianópolis vem exigindo a implantação de uma série de ferramentas na busca da eficiência indispensável no mercado e em defesa do patrimônio de seus cooperados. Com essa visão, a gestão da Cooperativa foi distribuída em Diretorias estratégicas, das quais apresentamos suas funções na matéria abaixo, como forma de informar aos médicos que compõem o Quadro Social da Unimed. Diretoria de Gestão Administrativa e Financeira DGAF Diretor de Gestão: Jaime José da Silveira Vieira Objetivo: Administrar de forma econômica, competitiva e temporal os recursos humanos, financeiros e de infra-estrutura da Unimed Florianópolis, objetivando maximizar os resultados para os cooperados. Principais Atividades: A gestão e o controle do orçamento da Cooperativa aprovado em assembléia, assegurando a realização dos compromissos firmados com os cooperados. Gerenciar as entradas e saídas de dinheiro da Cooperativa, utilizando recursos e técnicas para realização dos seus objetivos e obrigações financeiras. Administrar os bens móveis e imóveis da Cooperativa, propriedade de todos os cooperados, de forma a garantir suas condições de uso, bem como seu valor de mercado. Gerenciar as compras e a contratação de serviços necessários para o funcionamento administrativo da Cooperativa, buscando sempre a melhor relação custo x benefício, utilizando com segurança e responsabilidade o dinheiro da Singular. Propor meios para expansão dos negócios da Cooperativa, observando aspectos legais e seus objetivos sociais, bem como surgerir as melhores alternativas de investimento. Manter sistema contábil fidedigno e transparente para demonstrar aos cooperados e ao mercado a real situação econômica e financeira da Cooperativa, atendendo a legislação vigente. Participar de negociações junto à ANS, para obtenção de autorização de novos empreendimentos, revisão de projetos e/ou propostas já autorizadas, com fins de minimizar os encargos financeiros e obter os melhores resultados para os cooperados. Diretoria de Gestão Operacional - DGOP Diretor de Gestão: Otávio Ferreira Luiz Objetivo: Propiciar as condições necessárias ao funcionamento das áreas responsáveis pela operacionalização dos produtos e serviços disponibilizados aos clientes da Cooperativa, subsidiando os cooperados na consecução de suas atividades. Principais Atividades: Contratação e gestão da rede de prestadores de serviços complementares para atender à demanda originária dos consultórios dos cooperados, nos cuidados de atenção à saúde de seus pacientes. Estruturação e viabilização das modalidades de atendimentos aos clientes e colaboradores dos consultórios e clínicas cooperadas, por meio da Central Telefônica Call Center e Atendimento Pessoal, na orientação e autorização dos procedimentos solicitados pelos médicos das diversas especialidades. Recepção, análise e processamento mensal das produções Médica-Hospitalares dos cooperados, viabilizando os respectivos pagamentos destes e de toda a Rede Prestadora de Serviços. Coordenação das áreas de Autorização de Procedimentos, Auditoria Médica, Prévia, Pró-ativa e de Contas Hospitalares, responsáveis pela operacionalização dos contratos celebrados com os clientes empresariais e pessoas físicas, em consonância com a legislação reguladora da área de saúde suplementar, bem como o desenvolvimento e monitoramento dos controles dos custos com a atenção à saúde, focados na busca do equilíbrio financeiro dos contratos, melhoria da remuneração dos cooperados e na consolidação da Unimed no mercado de saúde nacional. Formação e gestão do grupo de acompanhamento dos pacientes com internação de longa permanência, que é integrado por Médicos Auditores Cooperados, Enfermeiros, Assistência Social, Equipe de Autorização, Medicina Preventiva e Unimed Lar, com atuação nos principais hospitais da Rede Credenciada. Gestão das Atividades de Intercâmbio Estadual e Nacional da Cooperativa.

5 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de Diretoria de Gestão Comercial e Marketing DGCM Diretoria de Gestão da Tecnologia da Informação - DGTI Diretor de Gestão: Octávio René Lebarbenchon Neto Objetivo: Gestão de vendas e de contratos empresariais da Cooperativa, cumprindo metas que possibilitem um aumento no número de clientes, com o objetivo de gerar trabalho para o médico cooperado. Principais Atividades: Comercializar planos participativos e que possam atender às diferentes demandas que buscam na Unimed um diferencial de qualidade, bom atendimento e confiança. Coordenar a área de Marketing, alavancando vendas através de campanhas focais que visem à fidelização do cliente, da marca e, conseqüentemente, da organização. Gerenciar os contratos empresariais de pré-pagamento e coempresariais, além do gerenciamento integrado e segmentado por carteira, com a meta de obter o equilíbrio financeiro dos contratos e balizar a sinistralidade dos planos. Promover o relacionamento com o cliente, através de ações importantes, como a agenda médica e a Central de Leitos Unimed, bem como aquelas que garantam a satisfação dos usuários dos planos, no sentido de evitar danos legais e financeiros à Cooperativa. Coordenar ações de Medicina Preventiva e todos os seus programas: Universidade da Saúde, Ciclo de Palestras, cursos para Diabéticos e Gestantes, participação em eventos e projeto Floripa Saudável 2040, entre outros, com o compromisso de atender ao cliente da Cooperativa com qualidade e reduzir custos com internações. Coordenar o SOS Unimed e o Unimed Lar. Coordenar as ações de Responsabilidade Social, instrumentos de fidelização e manutenção da Unimed no mercado. Destacam-se os programas Capital Criança, em parceria com a Prefeitura Municipal de Florianópolis, que vem reduzindo o índice de mortalidade infantil na região a níveis de primeiro mundo, e o PROERD, em parceria com a Polícia Militar de Santa Catarina, no combate às drogas e à violência, junto aos alunos das escolas da Grande Florianópolis. Desenvolver novos produtos. Gerenciar o cadastro. Diretor de Gestão: José Francisco Salm Júnior (Consultor Instituto Stela Paidéia) Objetivo: Prover as tecnologias da informação necessárias à consecução dos objetivos da Cooperativa, contribuindo para o desempenho eficaz dos processos internos, decisórios e produtivos, bem como para a comunicação e integração entre os cooperados, clientes, colaboradores, fornecedores e a sociedade. Principais Atividades: Coordenar a identificação e priorização das tecnologias da informação demandadas pela Cooperativa, considerando a participação de todas as áreas envolvidas no uso destas tecnologias, buscando otimizar a relação custo/benefício. Coordenar a elaboração do plano estratégico de tecnologia da informação na Cooperativa, mantendo-o atualizado e focado nas diretrizes emanadas do planejamento estratégico empresarial. Coordenar a integração entre os sistemas de informações e ambientes informacionais, promovendo a padronização dos softwares e dos equipamentos de informática, para a redução de custos operacionais. Contribuir para a melhoria de produtividade dos processos de gestão empresarial, pelo uso de sistemas aplicativos, desenvolvidos interna ou externamente. Definir a política de uso de softwares aplicativos. Gerenciar o acervo de dados corporativos, assegurando sua disponibilidade, confiabilidade, integridade e segurança. Gerenciar os recursos de informática, controlando os direitos dos cooperados de propriedade dos softwares aplicativos desenvolvidos para a Cooperativa, com o devido registro no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual. Assegurar a disponibilidade da rede computacional e da infraestrutura de informática corporativa, com segurança, qualidade e confiabilidade. Garantir a segurança da rede computacional e dos sistemas nela instalados, preservando-os de acessos não autorizados, interna ou externamente, e protegendo-os de vírus e programas similares, danosos ao patrimônio da empresa. Coordenar e elaborar o orçamento da área de Tecnologia da Informação na Cooperativa e executar o seu acompanhamento. Administrar os contratos relativos a locação e manutenção de equipamentos, prestação de serviços para suporte, desenvolvimento e manutenção de sistemas, bem como os de atualização técnica e suporte técnico a softwares, todos relacionados à área de TI.

6 6 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de 2006 PESQUISA COM COOPERADOS Maior aprovação no atendimento, desempenho e canais de comunicação Como forma de avaliar o grau de satisfação e de desempenho no relacionamento com seus cooperados, a Unimed Florianópolis realizou uma pesquisa junto aos médicos que integram seu Quadro Social, no último mês de abril. A ação foi realizada em parceria com o Instituto MAPA, com uma amostra de 305 entrevistas finais completas válidas, distribuída entre médicos das diversas especialidades. Os cooperados avaliaram o desempenho da Unimed Florianópolis em onze aspectos diferentes, sendo que o mais positivo foi em relação à agilidade e cordialidade no atendimento prestado pela DVAC Divisão de Atendimento ao Cooperado, e ao atendimento personalizado que o setor presta aos médicos, alcançando a aprovação de 89% do público pesquisado. Em seguida, outros quatro aspectos tiveram mais de 80% de avaliações positivas: desempenho da atual Diretoria à frente da administração da Singular (88%); pagamento correto e em dia (83%); disponibilidade de informações e dos canais de comunicação entre Cooperativa e cooperado (83%); e organização nas áreas da sede da Unimed (81%). Já os tópicos que resultaram em maior índice de reprovação foram os benefícios oferecidos aos cooperados (22%), o tempo de retorno das reclamações (21%), a aproximação entre Cooperativa e cooperado (20%), os canais de acesso à direção (19%) e a resolução de problemas (16%). Ótimo Bom Ruim Péssimo Não responderam Agilidade e Cordialidade no Atendimento Prestado pelo DAC Pagamento Correto e em Dia Disponibilidade de Informações e dos Canais de Comunicação entre Cooperativa e Cooperado Organização nas Áreas da Sede da Unimed Florianópolis Aproximação entre a Cooperativa e o Cooperado Resolução de Problemas Benefícios Oferecidos aos Cooperados Programas de Capacitação Programas de Relacionamento e Integração Promovidos Canais de Acesso à Direção da Cooperativa Tempo de Retorno das Reclamações Base: 305 entrevistados Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA DESEMPENHO DA UNIMED FLORIANÓPOLIS AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ATUAL DIRETORIA 1% 4% 7% % 66% Base: 305 entrevistados Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% Ótimo Bom Ruim Péssimo Não sabe Perfil dos Médicos entrevistados 56% são cooperados há mais de 10 anos e apenas 11% se filiaram há menos de 5 anos. 52% atendem mais de 70% de seus pacientes pela Unimed. 60% atuam em consultório próprio, 52% em hospital público, 43% em clínica própria, 39% em hospital privado e 35% em clínica de terceiros. 55% fizeram residência médica e não se especializaram mais, 30% têm pós-graduação ou algum tipo de especialização, 10% fizeram mestrado e outros 5% chegaram a fazer doutorado. 71% do sexo masculino e 29% do sexo feminino. Principais Solicitações Aumento do valor das consultas e/ou honorários, assim como no valor de procedimentos e exames. Maior controle na conduta dos cooperados (auditoria, fiscalização, combate a fraudes), punição aos médicos com atitudes irregulares e ações de conscientização dos profissionais. Redução de custos administrativos. Administração eficiente dos custos da Cooperativa. Ação junto aos clientes para a redução das faltas às consultas, inclusive com a punição dos faltosos. Redução do prazo de retorno. Maior acesso dos cooperados à Direção. Maior valorização dos médicos cooperados. Criação de mais instrumentos para a capacitação dos cooperados.

7 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de Valor dos Honorários Dois terços dos entrevistados têm a opinião de que o valor dos honorários pagos pela Unimed a seus cooperados, em relação a outros convênios, está na média. Para um em cada quatro profissionais pesquisados (25%) o valor pago está abaixo da média, sendo que para 14% está um pouco abaixo e para 11% está muito abaixo. Já em relação às possibilidades da Unimed, 52% consideram que o valor dos honorários repassados está dentro das possibilidades da Cooperativa. Avaliação do Papel da ANS Quanto ao papel da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) como reguladora das operadoras de planos de saúde, os cooperados fizeram as seguintes avaliações: Os critérios da ANS limitam os rendimentos dos médicos (70%) A ANS tem um papel fundamental para organizar o setor (67%) As regras da ANS inibem a adesão de novos clientes à Unimed (49%) As regras da ANS desestimulam os cooperados da Unimed" (48%) A ANS exerce um papel justo" (32%) VALOR DOS HONORÁRIOS PAGOS PELA UNIMED A SEUS COOPERADOS, EM RELAÇÃO A OUTROS CONVÊNIOS Muito acima da média Pouco acima da média Na média Pouco abaixo da média Muito abaixo da média Não responderam Muito acima das possibilidades Pouco acima das possibilidades Dentro das possibilidades Pouco abaixo das possibilidades Muito abaixo das possibilidades Não responderam 1% 2% 6% 11% 14% 66% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% VALOR DOS HONORÁRIOS QUANTO ÀS POSSIBILIDADES DA UNIMED 2% 6% 16% 24% Base: 305 entrevistados Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA 52% * Menos de 0,5% Base: 305 entrevistados Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% Falta dos Clientes às Consultas Dois terços dos cooperados pesquisados têm problemas com falta em consultas de clientes da Unimed. Quem mais sofre com o problema são os cooperados mais novos, assim como aqueles que dedicam mais tempo a consultórios. Para 38% dos cooperados PROBLEMAS COM FALTA A CONSULTAS DE PACIENTES DA UNIMED NADA 35% 28% MUITO pesquisados que têm problemas com falta em consultas, as faltas afetam muito o seu rendimento, e para 51% afetam pouco. Apenas em 11% dos casos essas faltas não afetam em nada o rendimento do cooperado. QUANTO AS FALTAS AFETAM O RENDIMENTO NADA 11% 38% MUITO 37% POUCO 51% Base: 305 entrevistados Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA POUCO Base: 198 entrevistados que têm problemas com faltas a consultas de pacientes UNIMED Período de coleta: 10 a 25 de abril/2006 Fonte: Instituto MAPA

8 8 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de 2006 MEDICINA PREVENTIVA Promoção da Saúde é aliada da Cooperativa Com a meta de prevenir doenças e agravos através da promoção em saúde, a Unimed criou, em 2004, o Departamento de Medicina Preventiva. Os resultados conquistados de lá para cá não deixam dúvidas quanto ao sucesso dos programas instalados pelo setor, que vêm se traduzindo em qualidade de vida aos participantes das ações, no fortalecimento da marca Unimed em meio à comunidade e na diminuição de custos para a Cooperativa. Dos programas desenvolvidos pela Unimed, destaca-se a Universidade da Saúde, voltada para o público acima de 40 anos de idade e que reúne 198 clientes, 71% na faixa etária de 50 a 69 anos. Com atividades realizadas em dois núcleos sede da ACM e Universidade Estácio de Sá, o programa chega ao final do primeiro semestre de 2006 com 89 horas de aulas e comemora a redução do índice de sedentarismo de seus participantes de 41% para 3%. A partir de agosto de 2006, será inaugurado o Núcleo Beira-Mar Norte, que colocará à disposição da comunidade uma base operacional e pessoal técnico capacitado para cadastrar e orientar os clientes, ampliando a cobertura do programa. Merecem ser ressaltadas também as importantes respostas obtidas no Ciclo de Cursos e Palestras, ministradas até o momento por 110 médicos cooperados, num total de 250 temas abordados em mais de 1 mil palestras para cerca de pessoas. Já nos Cursos Temáticos realizados pela Cooperativa, as programações destinadas a gestantes e diabéticos vêm atraindo um número crescente de clientes, que recebem informações sobre hábitos saudáveis de vida e cuidados especiais, de acordo com as necessidades específicas de cada grupo. Paralelamente, o Departamento também realiza a ação Floripa Saudável 2040, programa executado em parceria com a Sociedade Catarinense de Pediatria e que visa a educação para a saúde das crianças nas escolas. Por fim, somam-se ainda as ações educativas e interventivas, feitas junto a eventos dos mais diversos setores e portes na Grande Florianópolis, assim como procedimentos de enfermagem, verificação de pressão arterial, aplicação de testes de glicose e colesterol, peso, altura e Índice de Massa Corpórea, vacinas e orientações de auto-cuidado. Além de tudo isso, é realizado um acompanhamento sistemático e periódico dos clientes, por intermédio do sistema de Telemonitoramento de Saúde. Com uma metodologia desenvolvida a partir dos conceitos de Gestão de Relacionamento e Técnicas de Auto-Cuidado, 215 clientes vivenciam um estreito vínculo com a Cooperativa, que passa a desempenhar um papel pró-ativo na perspectiva de um novo modelo assistencial, cujo foco passa a ser promoção à saúde, prevenção de doenças e intervenção precoce nas complicações. 50% 25% 0% ATENDIMENTOS EM PROGRAMAS E EVENTOS REFERENTES AO PERÍODO DE JANEIRO A MAIO DE % 40% 20% 0% Programas Universidade da Saúde Ciclo de Cursos e Palestras Floripa Saudável 2040 Empresa Saudável Telemonitoramento Gestantes Diabéticos Eventos Total de Atendimentos 17% 8% Obesidade SITUAÇÃO INICIAL 17% 22% RESULTADOS CLÍNICOS 15% SITUAÇÃO INICIAL 30% 41% 3% Sedentarismo APÓS 12 MESES 25% 55% DM Controlado Colesterol <200 HAS Controlada Obs.: Estudo realizado com 150 clientes (ano 2005) Resultados obtidos na Universidade da Saúde População estudada de 10% dos clientes inscritos no programa, avaliados por um período de 12 meses. Utilização do plano de saúde: Redução no número de consultas - 40,22% Redução no número de exames laboratoriais - 23,81% Redução no número de exames cardiológicos - 38,24% Redução no número de sessões de fisioterapia - 60% ROI - Return on Investiment (indicador utilizado para avaliar o resultado sobre um determinado investimento). Entre os clientes monitorados pela Medicina Preventiva, o resultado mostrou que, para cada real investido, houve um retorno de R$ 6,39 para a Cooperativa. APÓS 12 MESES

9 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de Unimed assina Pacto Empresarial Contra a Corrupção A Unimed Florianópolis assinou, no último dia 22 de junho, o Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção, firmado junto às principais associações empresariais e industriais do Brasil. O Pacto foi criado pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, ao lado do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, com a meta de propagar boas práticas de ética que possam erradicar a corrupção do rol das estratégias para a obtenção de resultados econômicos. A ação define um conjunto de diretrizes e procedimentos que deverá ser adotado pelos signatários no relacionamento com os poderes públicos e que será divulgado amplamente para que o mercado utilize-o como referência no trato com as empresas, fortalecendo suas marcas como socialmente responsáveis. A Singular de Florianópolis é a única do país associada ao Instituto Ethos de Responsabilidade Social e é também a única empresa da área de saúde citada no Relatório de Práticas Empresariais de Responsabilidade Social, da referida entidade. O documento contra a corrupção também foi assinado pela Unimed do Brasil, Unimed do Rio de Janeiro e Unimed Blumenau. Compromissos As signatárias do Pacto assumem publicamente os compromissos de: - Adotar, ou reforçar, todas as ações e procedimentos necessários para que as pessoas que integram as suas estruturas conheçam as leis a que estão vinculadas, ao atuarem em nome de cada uma das signatárias ou em seu benefício, para que possam cumpri-las integralmente, especialmente nos relacionamentos com agentes públicos: no exercício da cidadania; na qualidade de integrante da coletividade e, portanto, constitucionalmente, agente do desenvolvimento sustentável; como contribuinte; na condição de fornecedor ou adquirente de bens ou serviços para ou do governo; tomar todas as iniciativas para que um número cada vez maior de empresas e organizações afiliadas venham a aderir ao presente Pacto. Conquista do Selo de Responsabilidade Social 2006 A Unimed Florianópolis comemora junto a seus cooperados, colaboradores e clientes a conquista do Selo de Responsabilidade Social 2006, concedido pela Unimed do Brasil e pela Fundação Unimed. Neste ano, a Cooperativa da capital catarinense, que beneficia anualmente cerca de 100 mil pessoas com seus programas, atingiu sua pontuação máxima (94 pontos de um total de 100) e obteve a mais alta graduação do selo (nível quatro). Para a pontuação, são avaliados os seguintes quesitos: valores e transparências, público interno, meio ambiente, comunidade, clientes, fornecedores, governo e sociedade. A Edição 2006 do Selo de Responsabilidade Social do Sistema Unimed teve um incremento de 29% em participação e de 7% em certificação, se comparada aos índices de Neste ano, o selo certificará 40% das 376 Unimeds, comprovando que as cooperativas já têm as ações de responsabilidade social incorporadas à gestão. Outro dado importante é o número de programas sociais do Sistema Unimed cadastrados no Banco de Responsabilidade Social, que aumentou de 115, em 2003, para um total de em 2006, distribuídos por todo o território nacional, representando um aumento de 885%.

10 10 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de 2006 Reajuste dos planos de saúde é insuficiente No último dia 19 de maio, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou o índice máximo de reajustes para os planos de saúde, que será de até 8,89%. O percentual está abaixo dos índices autorizados nos últimos três anos e não cobre a inflação média. Além disso, o reajuste está muito aquém da necessidade dos planos, que reivindicavam um índice próximo aos 16%, a fim de compensar os aumentos de custos médico-hospitalares e com materiais de saúde, superiores a 20% nos últimos 12 meses. Em nota oficial divulgada pela Unimed do Brasil, o Sistema posicionou-se sobre o índice: A ANS deveria utilizar as planilhas de custos de cada plano de saúde, e autorizar reajustes de acordo com esses números, não-lineares. Cada operadora tem seus próprios números, decorrentes de suas atividades. Por isso, um índice igual para todas não reflete a realidade do mercado. Ampliado rol de infrações e penalidades A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou a Resolução Normativa (RN) 124, que cria novos tipos de infrações à legislação dos planos de saúde e também diversifica as penalidades a serem aplicadas pela agência reguladora à operadora irregular. A RN é parte do processo de regularização dos planos, que já cassou 141 empresas por falta de documentos e outras 174 por endereço irregular. A antiga resolução estipulava 45 tipos de condutas irregulares, listados de acordo com a multa pecuniária correspondente. A nova regra é organizada de acordo com a natureza das infra- PARA REFLETIR Planos de Saúde perderam 5 milhões de usuários nos últimos anos A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) insiste, faz tempo, que o número de usuários de planos de saúde privados vem crescendo consistentemente. Até agora nenhuma entidade representativa do segmento havia se manifestado oficialmente a respeito do tema, mas essa situação mudou. Com base nas estatísticas divulgadas pela ABRAMGE (Associação Brasileira de Medicina de Grupo), de 1999 para cá, logo após a entrada em vigor da lei dos planos de saúde, a massa de consumidores dos planos passou de 45 milhões para cerca de 36 ou 37 milhões de pessoas. As razões que levaram à queda do número de participantes são: A entrada em vigor de uma lei tipicamente brasileira, baseada mais em boas intenções do que na realidade, a qual, por suas exigências de atendimento e cobertura, encarece os novos planos de saúde, muito mais abrangentes e com menos possibilidade de manobra para respeitarem a capacidade financeira da população. A crise de emprego, que até agora deixa um percentual alto dos trabalhadores brasileiros fora do chamado emprego formal. Como a maior parte dos planos de saúde privados brasileiros são contratados pelas empresas para ções e define 71 tipos infracionais, divididos em três conjuntos: infrações regulatórias, econômico-financeiras e assistenciais. Infrações como a ausência do envio de informações à ANS e cláusulas contratuais em desacordo com a regulação são, com freqüência, as que motivam a assinatura de TCACs (Termos de Compromisso de Ajuste de Conduta). No momento, 106 TCACs estão em fase de acompanhamento e mais de termos, celebrados com 400 operadoras, aguardam aprovação da diretoria colegiada da agência. seus funcionários, a queda do número de empregos formais se refletiu no número de beneficiários de planos de saúde. Ainda no setor empresarial, as baixas taxas de crescimento, as altas taxas de juros e a carga tributária escorchante também cobraram seu preço, diminuindo a capacidade das empresas manterem benefícios extrasalariais para seus funcionários, entre eles, os planos de saúde. A insegurança jurídica, que não permite a definição clara dos índices de reajuste de parte dos planos de saúde, fez com que várias operadoras se retraíssem, revendo as formas de comercialização dos planos individuais e familiares, à disposição de quem não tem a chance de ter um plano de saúde empresarial. A soma de todos esses fatores resultou na diminuição acentuada do número de participantes do sistema privado de saúde e no aumento das despesas do governo com saúde, já que a única alternativa para muitas pessoas passou a ser a rede pública, já congestionada e sem recursos para atender dignamente grande parte de seus usuários.

11 JORNAL UNIMED EDIÇÃO Nº Julho de Cooperados participam com sugestões para a Reforma Estatutária Cooperados da Unimed Florianópolis puderam colaborar com a proposta de Reforma Estatutária que vem sendo estudada através de uma Comissão especialmente criada com esse fim, acompanhada pela Diretoria e o Conselho de Administração. No período de 1º a 30 de junho, a proposta esteve disponível para conhecimento e consulta pública na Intranet Cooperados. Já com as sugestões apresentadas pelos médicos, a Comissão está elaborando o documento final do trabalho, que posteriormente será votado em Assembléia Geral Extraordinária (AGE) específica para deliberar o assunto, em data ainda a ser informada. O Rito da AGE da Reforma Estatutária foi definido na última Assembléia, em 17 de maio passado. Confira: a) As propostas do Conselho de Administração/Comissão que não receberam destaques pelos cooperados durante a fase de consulta pública serão votadas em bloco por capítulos. b) Apresentação da proposta de alteração do Conselho de Administração/Comissão, relativa aos destaques apresentados durante a fase de consulta pública. c) Apresentação das propostas do Conselho de Administração/Comissão e ÚLTIMAS NOTÍCIAS dos destaques feitos pelos cooperados, durante a fase de consulta pública, por ordem cronológica. d) Cada autor de proposta (Conselho de Administração/Comissão e cooperado presente) poderá justificar sua sugestão pelo tempo máximo de três minutos. e) Cada proposta, seja do Conselho/Comissão ou de cooperado(a), poderá receber manifestações contrárias por um cooperado, respeitando-se também o tempo máximo de três minutos. f) Coloca-se em votação a proposta do Conselho/Comissão, que deverá ser aprovada conforme estabelecido no Estatuto (2/3 dos presentes). g) Em caso de aprovação da proposta do Conselho/Comissão, passase a deliberar sobre o assunto seguinte. h) Em caso de rejeição à proposta do Conselho/Comissão, serão apreciadas as demais propostas, ou seja, o projeto original e as respectivas emendas. i) Durante a Assembléia Geral Extraordinária não poderão ser apresentadas emendas ou propostas. Apoio ao esporte No mundo todo o esporte está relacionado à saúde e vice-versa. Portanto, seguindo a Política Nacional de Marketing do Sistema Unimed, a Singular de Florianópolis tem dado apoio ao esporte (futebol), em consonância com as demais Unimeds catarinenses, que têm patrocinado esportes locais, como vôlei e vela, entre outros. Vale ressaltar ao cooperado que o Sistema Unimed aplica de 0,3% a 0,4% do seu faturamento em marketing. Na Região Sul, o investimento no setor gira em torno de 1%, sendo que as grandes Unimeds chegam a destinar 1,5% ou até 3%. Já a Unimed Florianópolis, através de uma estratégia de maximização de seus investimentos, aplica hoje 0,5% do seu faturamento bruto no setor. De acordo com as revistas especializadas, como a HSM Management as grandes empresas de serviços aplicam de 3% a 5% do seu faturamento bruto em marketing. A Unimed tem feito a sua parte sempre visando incrementar as vendas, prospectar novos clientes e fidelizá-los. Além disso, o patrocínio que a Cooperativa oferece aos atletas e clubes esportivos se dá através de planos de saúde, revertendo em trabalho médico, e não em dinheiro. O apoio aos times como Avaí e Figueirense foi firmado em 2001, parceria que está focada nas ambulâncias em campo, planos de saúde e um pequeno apoio financeiro, ação que faz parte da proposta nacional de apoio ao futebol via Unimed do Brasil e reforçada pelas Unimed Florianópolis, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belém e em Santa Catarina pelas Unimed Joinville, Tubarão, Alto Vale e Litoral. Todos semelhantes contratualmente. Campanha de migração de planos atende exigência da ANS A Unimed Florianópolis vem realizando a operação Total Flex, campanha de migração visando cumprir a nova normativa da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), que através da Súmula nº 09 determina o processo de regulamentação dos contratos em Custo Operacional. A referida Súmula da ANS impossibilita o repasse integral dos custos assistenciais da pessoa jurídica contratante para o cliente vinculado ao plano, o que caracteriza a prática como um cartão de desconto, produto que as operadoras de saúde não podem oferecer aos seus clientes. A operadora que não adequar devidamente os contratos corre risco de sofrer multas que variam de 50 mil a 1 milhão de reais. Na Singular da capital catarinense, a operação Total Flex abrange mais de 170 contratos que, juntos, somam cerca de 35 mil clientes. Aproveitando a oportunidade, a Diretoria de Gestão Comercial e Marketing da Cooperativa estará readequando e padronizando os contratos de Custo Operacional para a adoção da CBHPM. Além da regulamentação dos planos, o processo de migração também possibilita vantagens à Unimed, com a eliminação de guias de consultas em papel, reduzindo custos administrativos e proporcionando maior segurança ao sistema.

12 Participe do Baile de Aniversário de 35 Anos da SUA Unimed O aniversário de 35 anos da Unimed Florianópolis será comemorado com o Baile da Unimed, que neste ano acontecerá no próximo dia 26 de agosto, a partir das 21 horas, no CentroSul. A venda de convites iniciou no dia 24 de julho, com algumas novidades viabilizadas pela Diretoria Executiva, como forma de facilitar ainda mais a participação dos cooperados no evento. A visualização da posição das mesas e das pessoas que estarão em cada uma delas poderá ser acessada através da Intranet Cooperados. Além disso, os médicos que tiverem dificuldades de irem até a sede da Singular fazer a compra dos convites poderão solicitar à Unimed o envio de moto-boy e/ou office-boy para que possa fazer o pagamento e receber os ingressos. As reservas poderão ser feitas junto à DVAC (Divisão Atendimento ao Cooperado), através do fone permanecendo válidas pelo período de cinco dias. Após esse prazo, os lugares deverão ser confirmados e pagos. O valor do convite será de R$ 75,00 por pessoa, até o dia 11 de agosto, passando para R$ 85,00 a partir de 12/8. Cardápio Simplificado Sushi Bar Bufê de Frios, Terrines e Saladas Aperitivos Volantes Tabule de Couscous Marroquino com Frutos do Mar Risotto de Vitela, Alho Porro e Funghi Vatapá de Camarão Mousses Salgadas Variadas Bufê de Pratos Quentes Camarão à Newburg flambado em conhaque francês, ao molho de creme de leite com vermouth, mostarda Dijon, cogumelos frescos, tomate e salsinha Tournedos com Alcachofras ao Marsala medalhas de mignon envoltos em tira de bacon ao molho ferrugem com o vinho italiano, lascas de alcachofra e especiarias Filé de Garoupa ao Pesto de Pinhão Serrano e Agrião Arroz Branco Farofa de Castanhas Ravióli de Cordeiro à Tirolesa Batata Duchese Açorda de Siri Cremes e Consomes Mesa de Fondue Chocolate com Frutas Frescas e Frutas Secas Chocolate Branco ao Rum Goiabada com Queijos Diversos Carta de Vinhos ::} Kriter Brut Blanc de Blancs {:: Espumante da Borgonha, França, do produtor Kriter, composto por uvas das castas Chardonnay e Chenin Blanc. Tem 11,5 de graduação alcoólica, 13g/l de açúcar, elaborado pelo processo Charmat longo. Com estimativa de guarda de 2 anos, foi considerado best buy pela revista Wine Enthusiast. Sua coloração é amarelo-palha intenso e seu perlage fino e persistente. Tem boa complexidade e aromas frutados (maçãverde, pêra e cítricos). Enche a boca, com agradável frescor. Acompanha canapés à base de pescado, salmão defumado com blinis, vol-au-vents recheados com siri, tempura de lagostins. Perfeito com creme de cassis. Servir a 6-8 C. ::} Abadal Cabernet Franc Tempranillo {:: Vinho tinto da Catalunha, região demarcada Pla de Bages, Espanha, do produtor Masies d Avinyó, safra Composto por 60% de Cabernet Franc e 40% de Tempranillo, tem 13 de graduação alcoólica. Foi envelhecido 4 meses em barricas de carvalho e tem estimativa de guarda de 7 anos. Recebeu 91 pontos da Wine Enthusiast. Sua coloração é rubi, intenso. Aromas de frutas silvestres maduras (framboesa e groselha), sobre notas especiadas e agradável herbáceo. Boca rica, fresca e macia, com boa persistência. Harmoniza bem com calderetas (carne guisada com legumes), escabeche de perdiz, lombinho de porco e aves assadas. Servir a C. (Validada pelo Clube do Vinho da ACM) *Adaptada das fichas técnicas elaboradas pelo sommelier Guilherme Corrêa, da Decanter.

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO - EAESP FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E

Leia mais

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com.

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com. Outubro 2012 NATAL www.unirn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 30 anos de história no RN www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE ANS - n.º 34531-8 Palavra

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Lei nº 13.003/2014 Jacqueline Torres Gerente Executiva GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores O porquê de uma nova lei O mercado de planos de saúde organiza-se

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços Maio de 2014 2 A pesquisa Amostra 639 entrevistas A PESQUISA Intervalo de confiança 95% Margem de erro 7% por segmento Data da coleta 13 a 22 de Maio de 2014 3 DESCRIÇÃO

Leia mais

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU Confederação COOPERATIVA DE 2º GRAU Federação ou Central COOPERATIVA

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

UNIMED FESP. Dra. Maria Manuela Almeida Nunes Mazzini. Gerente de Gestão em Saúde. manuela.mazzini@unimedfesp.coop.br 22/07/2013 1

UNIMED FESP. Dra. Maria Manuela Almeida Nunes Mazzini. Gerente de Gestão em Saúde. manuela.mazzini@unimedfesp.coop.br 22/07/2013 1 UNIMED FESP Dra. Maria Manuela Almeida Nunes Mazzini Gerente de Gestão em Saúde manuela.mazzini@unimedfesp.coop.br 1 PERFIL UNIMED UNIMED FESP Quantidade de usuários 565.582 Área de abrangência Quantidade

Leia mais

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste?

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste? PERGUNTAS E RESPOSTAS REAJUSTE ANUAL E DENÚNCIA DE CONVÊNIOS E MENSALIDADES REAJUSTADAS JULHO DE 2014 REAJUSTE ANUAL 1. O que é um reajuste anual e qual é sua base legal? O reajuste anual é um mecanismo

Leia mais

1º Seminário de Melhores Práticas

1º Seminário de Melhores Práticas 1º Seminário de Melhores Práticas SESI /DR/ACRE Painel 3 Educação e Saúde SESISAÚDE Programa de Saúde do Trabalhador Aparecida Ribeiro Tagliari Costa Sumário O Programa SESISAUDE foi implantado no ano

Leia mais

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS Brasília, 08 de junho de 2010. Cumprimento de Contratos das Operadoras com os Laboratórios Clínicos. DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL - DIDES Gerência de

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto.

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto. 1- INTERCÂMBIO A negociação entre as UNIMEDS do País, que geram relações operacionais específicas e normatizadas para atendimento de usuários na área de ação de uma cooperativa ou contratados por outra

Leia mais

A Prática na Unimed João Pessoa

A Prática na Unimed João Pessoa A Prática na Unimed João Pessoa 27º Encontro Nacional de Núcleos de Desenvolvimento Humano e Comitês Educativos Unimed do Brasil São Paulo, Julho/2015 COOPERATIVISMO E GOVERNANÇA Princípios e Características

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo Artigo original Avaliação dos pl de saúde no estado de São Paulo Jorge Carlos Machado-Curi I, Tomás Patricio Smith-Howard II, Jarbas Simas III, Marcos Eurípedes Pimenta IV, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015 Lei nº 13.003/2014 Novembro de 2015 Informações Gerais 1173 operadoras com beneficiários cadastrados 72 milhões de beneficiários - planos de assistência médica e/ou planos odontológicos Receita bruta de

Leia mais

Guia Plano de Saúde Agregados

Guia Plano de Saúde Agregados Guia Plano de Saúde Agregados Coberturas O plano de Saúde de Agregados, contratado pela Celos a Unimed Florianópolis, é regulamentado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar e possui segmentação Ambulatorial

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Maio de 2011 1. Apresentação Apresentamos o Manual de Orientações Técnicas e Administrativas

Leia mais

Diagnóstico da Cadeia Produtiva da Pesca nos Municípios do litoral centro-norte catarinense. - Resultados. Março 2010

Diagnóstico da Cadeia Produtiva da Pesca nos Municípios do litoral centro-norte catarinense. - Resultados. Março 2010 Diagnóstico da Cadeia Produtiva da Pesca nos Municípios do litoral centro-norte catarinense - Resultados Março 2010 1 Índice Objetivos Metodologia Resultados Cadeia Produtiva da pesca Armadores de pesca

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS)

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Debates GVSaúde Acreditação Operadoras de Planos de Saúde Helton Marcondes Coordenação de Processos e Qualidade - GEPP Roteiro Unimed-BH em Números;

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 277. Página 1

ANEXO RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 277. Página 1 ANEXO DA RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 277 Página 1 ANEXO I Dimensão Nome da Quantitativo Dimensão de Itens Peso Nota Mínima Programa de Dimensão 1 Melhoria da Qualidade 11 1 70 PMQ Dimensão 2 Dinâmica da

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

jornal cooperado hospital unimed Necessidade para vencer desafios do mercado e cumprir exigências legais Edição 174 Setembro de 2010 IMPRESSO

jornal cooperado hospital unimed Necessidade para vencer desafios do mercado e cumprir exigências legais Edição 174 Setembro de 2010 IMPRESSO Grande Florianópolis jornal cooperado Santa Catarina Edição 174 Setembro de 2010 IMPRESSO CORREIOS IMPRESSO ESPECIAL Nº 68001056 DR/SC UNIMED AF_Jornal Cooperado_Set_F.indd 1 hospital unimed Necessidade

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Apresentação. Prezado beneficiário,

Apresentação. Prezado beneficiário, LANOIII Apresentação Prezado beneficiário, Visando dar continuidade à prestação dos melhores serviços em saúde e promover uma melhor qualidade de vida ao beneficiário, a CompesaPrev apresenta o CompesaSaúde

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas. Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico

Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas. Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico www.bethonico.com.br APRESENTAÇÃO Desde o ano 2000, a Bethonico Planejamento

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Pelo presente instrumento, com fundamento nos termos que dispõe o art. 5º, 6º, da Lei 7.347/85, bem como no art. 5º e 6º do Decreto 2.181/97 e art. 5º da Lei Complementar

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Seção II Das Definições

Seção II Das Definições RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 310, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre os princípios para a oferta de contrato acessório de medicação de uso domiciliar pelas operadoras de planos de assistência à saúde.

Leia mais

Públicos de Interesse. Promoção da Saúde na empresa 004 Qualidade no Atendimento 006 Ações de Relacionamento 012

Públicos de Interesse. Promoção da Saúde na empresa 004 Qualidade no Atendimento 006 Ações de Relacionamento 012 A empresa Governança Estratégia Visão da Sustentabilidade Públicos de Interesse Desempenho Públicos de Interesse Promoção da Saúde na empresa 004 Qualidade no Atendimento 006 Ações de Relacionamento 012

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS Para que todos os empregados possam ter suas dúvidas esclarecidas, os questionamentos recebidos pela Comissão Saúde serão respondidos

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Ciclo de Debates GV Saúde 18.outubro.2006 João Alceu Amoroso Lima Vice Presidente SulAmérica Saúde 1. Panorama de Mercado 2. Ações A SulAmérica - Curto/Médio/Longo

Leia mais

Guia Prático de Utilização do Plano

Guia Prático de Utilização do Plano Guia Prático de Utilização do Plano Aqui você tem o que há de melhor para a sua saúde. O QUE É A UNIMED APRESENTAÇÃO Sua finalidade é prestar assistência médica e hospitalar de alto padrão, dentro do sistema

Leia mais

Unimed Norte Capixaba. "Menos Burocracia Mais Produtividade"

Unimed Norte Capixaba. Menos Burocracia Mais Produtividade Unimed Norte Capixaba "Menos Burocracia Mais Produtividade" Sobre Nós! Unimed Norte Capixaba, fundada em 09 de maio de 1990 no município de Linhares no Norte do Estado do Espírito Santo. Conta com 279

Leia mais

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46

WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 WORKSHOP Registro e Manutenção dos Produtos RN 356 IN-DIPRO 45 IN-DIPRO 46 NORMATIVOS Resolução Normativa nº 356, de 2014 Altera a RN nº 85, de 2004. Altera a RN nº 89, de 2003. Altera a RN nº 309, de

Leia mais

O conceito de assistência à saúde...

O conceito de assistência à saúde... Prof. Humberto Medrado hmedrado@ventureconsultoria.com.br O conceito de assistência à saúde... Estabelecer prioridades Planejar, avaliar e implementar continuamente ações de assistência integral à saúde

Leia mais

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente.

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa Brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

Avaliação Atuarial de Banco de Dados

Avaliação Atuarial de Banco de Dados Avaliação Atuarial de Banco de Dados ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP São José dos Pinhais, 12 de Junho de 2007. Índice 1. Introdução---------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS JAN/10 TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS O presente aditamento é parte integrante do Contrato de Assistência Médica

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CAPÍTULO I DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Artigo 1º - O Centro de Pesquisas Clínicas (CPC)

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Agência Nacional de Saúde Suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora de planos de saúde do Brasil Audiência Pública, 10 de abril de 2013 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora do Governo

Leia mais

DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I

DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I DR. PEDRO JORGE GAYOSO DIRETORIA DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS I I Recursos e Serviços Próprios II Recursos e Serviços Próprios SAU II DIRETOR: DR. PEDRO JORGE LEITE GAYOSO DE SOUSA. COORDENADOR GERAL

Leia mais

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano.

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano. Guia do beneficiário Aqui você encontra informações sobre seu plano. BEM VINDO À UNIMED SETE LAGOAS! A partir de agora você e sua família podem contar com uma operadora do maior sistema cooperativista de

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos Índice FenaSaúde na Redação Reajuste dos Planos de Saúde Apresentação 6 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 8 2. Como funcionam as regras de reajuste dos planos de saúde? 3. Quais as regras

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde Experiência Bradesco Saúde Pontos O Mercado de Saúde Suplementar O Contexto da Bradesco Saúde A Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde 2 Despesas Totais

Leia mais

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil Gestão de Qualidade O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, visando a qualidade assistencial e a satisfação do cliente compromete-se a um entendimento

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS Belo Horizonte, Novembro de 2013. Diretoria de Crédito Consignado Diretoria Executiva Comercial Diretoria Executiva Administrativa e de Atendimento

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

SETEMBRO 2013. Há muitas coisas que só parecem impossíveis enquanto não tentamos fazê-las. André Gide

SETEMBRO 2013. Há muitas coisas que só parecem impossíveis enquanto não tentamos fazê-las. André Gide SETEMBRO 2013 Há muitas coisas que só parecem impossíveis enquanto não tentamos fazê-las. André Gide Reflexões Por que mudar? Se o Plano de Saúde é bom? Se a operação do sistema atual é boa? Será que é

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, Dezembro de 2014

Lei nº 13.003/2014. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, Dezembro de 2014 Lei nº 13.003/2014 Coletiva de Imprensa Rio de Janeiro, Dezembro de 2014 As metas da ANS Melhores resultados em saúde Aumenta a qualidade na prestação de serviços na saúde suplementar Garantia da rede

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES Em atendimento à Decisão Normativa TCU no. 96 de 04/03/2009, especificamente quanto ao conteúdo expresso em seu Anexo II, letra A, item 16, cabe registrar as seguintes atividades:

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação. O que significa para a TI e a linha de negócios (LOB)

A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação. O que significa para a TI e a linha de negócios (LOB) A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação Maio de 2014 O novo comprador de tecnologia e a mentalidade de aquisição Existe hoje um novo comprador de tecnologia da informação Esse comprador

Leia mais

Projeto de gestão em serviços de urgência e emergência

Projeto de gestão em serviços de urgência e emergência Projeto de gestão em serviços de urgência e emergência Composição do Financiamento do Setor Saúde - estimativa para 2006 MEDICAMENTOS 16% FEDERAL 25% DESEMBOLSO DIRETO 10% ESTADUAL 11% PLANOS E SEGUROS

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Prezado Cooperado, Em 2012 a economia brasileira apresentou forte desaceleração, tendo uma das mais baixas taxas de crescimento da América Latina, inferior até as pessimistas

Leia mais

Agradecimentos... 7. Nota à segunda edição... 17. Prefácio... 21. Introdução... 23. As Operadoras de Planos e Seguros de Saúde...

Agradecimentos... 7. Nota à segunda edição... 17. Prefácio... 21. Introdução... 23. As Operadoras de Planos e Seguros de Saúde... Su m á r i o Agradecimentos... 7 Nota à segunda edição... 17 Lista de siglas e abreviaturas... 19 Prefácio... 21 Introdução... 23 Capítulo I Etiologia Histórica dos Planos e Seguros de Saúde... 27 1.1

Leia mais

Gestão das organizações contábeis

Gestão das organizações contábeis Gestão das organizações contábeis Análise dos resultados da pesquisa Dezembro/2014 por Roberto Dias Duarte Sobre a pesquisa O Sistema Público de Escrituração Digital e seus vários subprojetos têm sido

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 PROCEDIMENTOS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PROJETOS EMPRESARIAIS INOVADORES PARA INGRESSO E PARTICIPAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ IESJ. A INCUBADORA

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER?

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? FIQUE ATENTO! A operadora é obrigada a divulgar os planos de saúde que comercializa em sua página na internet. 1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? Individual ou Familiar

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE Brasília, 2015 O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE, entidade associativa de Direito

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010 Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde Atibaia, 21 de abril de 2010 Cenário atual DESAFIOS Desafios da Sustentabilidade Pressão constante sobre os custos Incorporação de novas tecnologias

Leia mais