MATÉRIA DE CAPA. Fábrica de BEZERR. Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais. Luiz H.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATÉRIA DE CAPA. Fábrica de BEZERR. Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais. Luiz H."

Transcrição

1 ~. ~ MATÉRIA DE CAPA Fábrica de BEZERR Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais Luiz H. Pitombo

2 No ano passado, 8 milhões de fêmeas bovinas, 75% delas das raças de corte e 25% das de leite, tiveram ovulação sincronizada para realização da inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Este volume representa 65% de todas as inseminações realizadas no País, que beneficiaram em tomo de 10% das fêmeas em idade reprodutiva. Estes números revelam o quanto a técnica ainda pode crescer. Na média do País, o intervalo entre partos (IEP) é calculado em 17 meses e o período de serviço (parto até concepção) em 225 dias. Tais índices mostram uma baixa eficiência, que pode ser superada com técnicas como a IATF, que permite à fêmea ficar gestante entre 70 a 80 dias da parição, com o IEP caindo.l2ara os ideais 12 meses com produção aos almejados bezerros. Este é um dos fatores importantes que ajudam a mostrar seus benefícios e a justificar parte de sua evolução, particularmente nas fazendas de pecuária de corte, como aponta Lino Rodrigues Filho, presidente da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia). Mas ele também destaca a falta de mão de obra nas fazendas para se realizar o processo da inseminação artificial (IA) convencional, que passou a ser suprida por equipes terceirizadas que prestam todo o serviço da IATF e hoje respondem por mais de 70% da aplicação, como estima o dirigente. A retomada do cruzamento com raças taurinas e a valorização destes produtos igualmente estimulam o uso, bem como também a concentração dos trabalhos num período curto de tempo. Outro atrativo é possibilitar a programação dos nascimentos num momento desejado, com a obtenção de lotes homogêneos de bezerros de qualidade, além de viabilizar o trabalhar com volumes grandes de fêmeas. Vale lembrar que a dificuldade de observação do cio para a IA se acentua com fêmeas zebuínas, pois essas o apresentam num período de tempo mais curto, além do que animais a pasto com bezerro ao pé tendem a não ciclar. Com a IATF, fica dispensado o desmame precoce. O próprio interesse dos laboratórios que fabricam os produtos utilizados é outro elemento que contribuiu para sua expansão nos animais de corte em função expressivo contingente de matrizes, como lembra Rodrigues Filho. NOVOS USUÁRIOS E EFEITO DO SÊMEN O presidente da Asbia comenta que não existem dados que permitam identificar claramente quem são os usuários responsáveis pelo incremento da IATF, mas considera que houve crescimento tanto por parte daqueles que já realizavam IA convencional como também por outros pecuaristas que passaram a adotar a técnica. Como existem touros que, por razões individuais, se mostram melhores em seus resultados a campo que outros, centrais realizam levantamentos entre clientes e veterinários, formando grupos de reprodutores mais indicados aos pecuaristas. No entanto, Rodrigues explica que a entidade, empresas do setor e pesquisadores iniciam estudos que irão estabelecer quais as melhores análises para se obter tais resultados no laboratório, sem precisar ficar na dependência da coleta de dados de campo. Neimar Correa Severo, membro da diretoria da Asbia, avalia que grande parte dos problemas que interferem no resultado da IATF estão relacionados ao manejo, à sincronização e à maneira que é feita a IA. Mas ele também aponta a influência do efeito do touro, exemplificando que enquanto uns podem resultar em elevados índices de 70% de prenhez, outros ficam nos 40%, mesmo com todo o cuidado que se tem nas análises de laboratório das centrais, salienta. Ele também aponta que, em função do processo de sexagem, os resultados obtidos com este tipo de sêmen fica perto de 50%, abaixo do produto convencional. Contudo, há indicações de como elevar estes resultados com ajustes nos procedimentos da IATF. No momento atual, uma preocupação que chama a atenção é em relação à contratação dos veterinários. Rodrigues Filho ressalta que a demanda aquecida favorece aqueles profissionais que cobram pouco, mas que podem ter pouca experiência e comprometer os

3 resultados. De qualquer forma, a perspectiva que enxerga para os próximos anos é de um contínuo crescimento da IATF, inclusive com evolução no leite, e uma proporcional redução da IA convencional. CONTROLE DAS VARIÁVEIS "Com a IATF a fazenda torna-se uma fábrica de produzir bezerros", compara o médico-veterinário Pietro Sampaio Baruselli, destacado pesquisador da Universidade de São Paulo (USP/FMVZ). Atualmente, comenta que, em geral, se atinge 50% de prenhes a cada IATF, "o que não é ruim", como avalia. No entanto, diz que as melhores fazendas já chegam a 60%, enquanto as tops batem em 70%. Estes são trabalhos impecáveis, com todas as etapas extremamente controladas, quer as relacionadas ao ambiente ou aos processos. Os protocolos disponíveis demoraram anos para serem estabelecidos e es14 - NOVEMBRO ---'--."-- tão plenamente definidos e com um patamar de resultados que não têm muito o que mudar através da ciência, como avalia Baruselli, que também preside a Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões (SBTE). No entanto, diz que um problema que prejudica os resultados é quando pessoas o alteram acreditando que o vão melhorar, mas acabam por comprometer o trabalho. Para se ter bons resultados, é necessário contar com equipe bem treinada e comprometida com os resultados, que vai seguir à risca os processos e fazer as devidas anotações sobre as vacas. O veterinário reforça que o sucesso com a técnica é fruto de uma sornatória de elementos, como o bom manejo nutricional, pois as fêmeas necessitam estar com escore corporal adequado, em tomo de três, numa escala de um a cinco. Animais com escore 2,5, em condições naturais, não chegam a manifestar, mas, para não ficarem paradas, Baruselli diz que poderão ser sincronizadas, embora as taxas de pre _... --_._--.". I I nhez sejam menores, de 30% a 40%. Ele acrescenta que as primíparas representam unia categoria especialmente sensível ao aspecto nutricional. A parte sanitária também merece especial atenção - antes, durante e depois do processo - para doenças como leptospirose, IBR/BVD, brucelose e outras, devendo se utilizar vacas que não apresentam doenças infecciosas que possam comprometer a reprodução. A logística do manejo requer planejamento apurado, evitando que os animais sejam molestados desnecessariamente. É preciso se atentar à localização dos piquetes, do' curral e à formação de lotes homogêneos de animais. Outro aspecto importante que o veterinário indica é para a qualidade do curral, das instalações e dos equipamentos, pois os animais precisarão ficar contidos adequadamente. "Caso não se tenha estas instalações, é claro que um programa desses não poderá ser feito", comenta. --

4 ~ MATÉRIA DE CAPA ros poderá ser com uma proporção diferente, ou seja, um reprodutor para 40 vacas, uma vez que 75% das fêmeas já estarão prenhas. Baruselli defende o uso de sêmen pelos importantes ganhos genéticos que traz, alertando que, no caso do uso de touros de repasse, se procure animais de qualidade oriundos de programas de melhoramento. Os protocolos de aplicação dos produtos apresentam algumas variações, a depender se forem fêmeas zebuínas ou taurinas, com os resultados finais sendo equivalentes, desde que respeitadas as respectivas particularidades, informa Baruselli. Também DIFERENTES existem variações a depender da categoria, se são vacas ou novisituações E PROTOCOLOS lhas, especialmente para esta últibaruselli calcula que cada ma de sangue zebuíno. "Elas não prenhez de IATF fique em torno podem ser com excesso de prode R$ 45/animal, considerando gesterona, pois poderá bloquear a ovulação", adverte. Quando do o mesmo valor de R$ 15 para os a.redução do número de touros, deprodutos usados no protocolo, para a uso de implantes com este hormônio, o vendo-se manter um reprodutor para veterinário diz que tanto os auriculares dose do sêmen e a mão de obra. Tocada 20/25 vacas até o fim da estação como os vaginais funcionam bem. Semando por referência um lote de 100 de monta, que terá duração de 90 dias. I gundo informa, os hormônios aplicavacas, o montante investido chega Com este manejo, é possível se alcana R$ 4.500, valor que se paga plenados são iguais aos que o animal produz çar de 70% a 75% de prenhez já nos mente e ainda deixa o adicional de R$ e, se ajustados nas quantidades correprimeiros 25 dias da estação, e de 80% ao se considerar os ganhos aditas, não acarretam problemas. a 90% ao final dela. cionais gerados pelo aumento na taxa Baruselli comenta que a raça NeO outro sistema que o veterinário de concepção, maior peso a desmama lore tem conquistado precocidade na por serem filhos de touros provados - e comentou, de três IATFs (esquema I seleção de fêmeas, que já ciclam aos ilustrativo B, na página 17), surgiu antecipação da concepção. 14 meses, por exemplo. No entanto, após os bons resultados de pesquisa Existem diferentes maneiras para diz que, em geral, nos rebanhos comerobtidos com uma ressincronização. ciais estas ainda se mostram tardias. De se introduzir a técnica dentro de uma Como no caso anterior, a primeira estação de monta, que dependerá das acordo com o veterinário, a IATF podecaracterísticas da fazenda e das me- I sincronização começa 40 dias após o. ria ser utilizada em situações pontuais, tas desejadas. "Não existe receita,. parto, com o diagnóstico de gestação I por exemplo, para otimizar a produção pode ser utilizada uma única sincro- i por ultrassom ocorrendo 30 dias após I de bezerros e quando se utilizaria rea inseminação. Um novo protocolo nização com repasse com touro que produtores que imprimissem essa cade sincronização tem aí início, com a já se atinge redução do IEP, ou até racterística, iniciando-se um processo segunda IATF ocorrendo dez dias detrês sem a necessidade de touros", de seleção e descarte das tardias. pois. Novamente, 30 dias se passam comenta Baruselli. antes do segundo diagnóstico de gespioneirismo No primeiro caso, o trabalho de tação, quando a terceira sincronização RECOMPENSADO sincronização começa 40 dias após o se inicia, permitindo a última insemi- I parto e se prolonga por dez dias (veja A Agropecuária Estrela do -Céu, em nação ao término da estação de monlavínia, região de Araçatuba, no noroesquema ilustrativo A). Realizada a ta aos 80 dias. A taxa de prenhez por IATF, é introduzido o touro de repasse este do estado de São Paulo, está entre após dez dias, sendo que o retorno ao, inseminação artificial fica em torno de as primeiras propriedades a utilizar a 88% (50% na primeira IATF, 50% na IATF no País, em 2002, quando ainda cio das fêmeas vazias ocorrerá 21 dias segunda e 50% na terceira). após a inseminação, com variações de estava em fase de pesquisa e em ajusvale lembrar que, ao se optar por 18 a 25 dias. Como existe uma contes pelo grupo do médico-veterinário duas IATFs, o repasse final com toucentração deste cio, não será possível Pietro Baruselli. Quanto à escolha do sêmen, reforça a necessidade de se buscar aqueles de maior fertilidade na técnica, oriundos de empresas especializadas e que sejam de alto valor genético para a produção de bons bezerros. Com o sêmen sexado, Baruselli explica que se tem resultado inferior, por sua menor viabilidade no trato genital da vaca. No entanto, diz que é possível melhorar taxas de prenhez para perto de 80% do sêmen convencional, ao se inseminar com "atraso" de 6 horas, em relação ao sêmen convencional, e, portanto, mais próximo da ovulação. I 16 NOVEMBRQ ~ ~------==~---

5 Passados mais de dez anos, o proprietário, Álvaro Borges, não pensa duas vezes e garante "a IATF funciona perfeitamente". Na estação de monta do ano passado, com duração de três meses, entre setembro e dezembro, obteve elevada taxa prenhez de 81,7%, com 914 matrizes, utilizando nas vacas uma IATF seguida do repasse com touros, ou com uma ressincronização para as primíparas, seguida também de repasse. A base do rebanho é Nelore com cruzamento com Angus, utilizando neste caso repasse com touros Brahman ou Nelore. Nas fêmeas FI Angus/ Nelore, que estão sendo retidas para aumentar sua presença no rebanho, a inseminação é feita com Brahman e repasse com touros Braford ou Brangus. Mantendo proximidade com pesquisadores até hoje, Borges comenta: "Não tenho medo não, pois nós precisamos deles e eles de nós". Na parte sanitária, foi buscar a assessoria de ~,fi!"'~. A 1"IATF Parto,. B + 40 dias..- 'V!Iii''íVtr~+10 dias I I I/---t DO 010 Parto,+10dias"- f-1i--1 Estações de monta com o uso de IAy'F_/: ~~h _. ~ TOu';; US - ultrasonografia; D-dias ~ j--. I Estaçãode monta (90dias) I l'latf J US,.,. iii/+-- JOdia,~ I "---1 DO 030 Tveraldo Santos Dutra, da Unesp de Araçatuba, enquanto que para IATF utiliza os serviços do também médicoveterinário Márcia Marques, do Paraná, que igualmente participa dos trabalhos de Baruselli e que se juntou à 2 a latf I US.. t.. _ dias ~ fwjj"!:w,fjj 3'IATF I Estação de monta (80 dias) I 090 I /I I I ~ D Fonte: Baruselli, P.,e outros. Adaptação: Revista AG. Estrela do Céu logo no início do uso da técnica. Borges, que presidiu a Câmara do Boi Gordo, da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), tem sua atividade centrada na cria e, para a comerciali-,. to-o.-a

6 ~ MATÉRIA DE CAPA zação de sua safra de bezerros, criou um leilão em 2000 que vem ocorrendo sempre ao final de abril. A data foi estratégica, pois os remates são escassos no período e com isso existe a possibilidade de preços melhores. No entanto, sua propriedade tinha uma estação de monta de seis meses e se desejava uma oferta mais concentrada desses animais, fatores que o atraíram para a IATF. Além disso, ao antecipar os nascimentos, conseguiria bezerros de maior peso, que lhe renderiam valores mais atraentes. "Um bezerro que chegue ao leilão com dez meses de idade pesará de 40 kg a 60 kg a mais, que, cotado a R$ 4,00/kg, rende R$ 200,00/cabeça a ~ais, na média", explica. O pecuarista diz que praticava a desmama precoce para melhorar a reconcepção das matrizes, técnica que não precisa usar mais e que se mostrava mais onerosa que a IATF. Uma dificuldade que tinha era a da mão de obra para as inseminações, visando ao cruzamento industrial, mas diz que passou a terceirizar o trabalho com a IATF. Esta questão da mão de obra, aliada a um bom curral e animais bem nutridos, são aspectos fundamentais, como aponta, para o sucesso da técnica. Ele acrescenta a necessidade de se ter um planejamento adequado e ficar atento à qualidade dos touros e do sêmen, "são muitas as variáveis que afetam a técnica", reconhece Borges. Ele lembra especialmente de um ajuste importante que necessitou fazer no curral, que foi a concretagem do piso para evitar a formação de lama. O veterinário Márcio Marques, satisfeito com os resultados e índices obtidos hoje, conta que o manejo das primíparas foi um gargalo que mereceu mais atenção e precisou ser enfrentado, pois os índices de prenhez estavam em 35% na IATF. Na ocasião, elas eram manejadas no mesmo lote das multíparas, de maior porte e que exerciam competição, preju18 - NOVEMBRO 2013 dicando a nutrição. Desta forma, passou-se a manejá-ias em lotes separados, mantendo-as nos melhores pastos e com o fornecimento de sal proteinado na seca e energético nas águas, além da adoção de uma res- sincronização. "As novilhas de primeira cria ainda estão em fase de crescimento e amamentam um bezerro, assim precisamos fazer com que emprenhem logo, antes que percam sua condição corporal", explica Marques. Realizada a primeira inseminação, 23 dias depois todas as fêmeas desta categoria recebem implantes, iniciando o processo para a segunda IATf. Após oito dias, estes são retirados e todas são submetidas ao diagnóstico de gestação por ultrassom, quando as prenhas são apartadas e as demais continuam no processo até serem novamente inseminadas em 48 horas. Os touros de repasse entram 15 dias depois, na proporção de 1:20, e aí permanecem até o fim da estação de monta. No caso das vacas, a sincronização também começa 30 dias após o parto, com a IATF ocorrendo dez dias depois. Como no caso das primíparas, os touros de repasse entram após 15 dias. A proporção adotada é a de 1:20 ou 1:25, o que pode ser alterado para cerca de 1:50 após um período inicial de 24 dias, quando ocorre o pico de retomo ao cio. Em outra propriedade no município de Agudos/SP são mantidas as fêmeas jovens nulíparas, que respondem bem à cobertura com touros e que por dificuldade de mão de obra não foram submetidas à IATF. Não existem limitações da técnica para essa categoria, informa Marques, desde que estejam ciciando. O veterinário tem cuidado especial com a qualidade do sêmen e a escolha dos melhores animais para a técnica, sendo que todo o sêmen é submetido a novos testes antes de ser utilizado. Ele considera que a qualidade do sêmen precisa melhorar no Pais. Álvaro Borges avalia que os investimentos e os custos com a IATF compensam e que irá continuar a utilizá-ia. Por outro lado, comenta que está aberto a participar de pesquisas e a testar possíveis novos protocolos. ~

7 PADRÃO DE QUALIDADE DE SÊMEN CENTRAL JÓIA DA ÍNDIA CAMPO GRANDE MS O sêmen produzido pela Central Jóia da Índia possui algumas características que interferem positivamente no sucesso de um plano de inseminação. Uma dessas características é o uso da palheta média (0,53 ml) e também a concentração utilizada que é de 50 milhões de células espermáticas por dose. Tal característica proporciona uma qualidade e eficiência maior de nossas doses pelo fato de possuirmos um maior número de células viáveis por dose. Temos como exemplo o touro Cacau OMEL 38, de propriedade do Sr Orivaldo Tadeu Marques de Mello, que tem seu sêmen descongelado com média de 40% de motilidade e vigor 3,5. Isto significa que, 40% de 50 milhões das células estão com movimento progressivo, ou seja, em uma única dose de sêmen deste animal possuímos 20 milhões de células espermáticas viáveis, o que proporciona maior sucesso e eficiência com seu uso. Tiago Rodrigues Paulino - crmv- ms 4205 Médico Veterinário da Central Joia da Índia. Fone:

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015 Tabela 01 - Taxa de Gestação ao final da estação de monta Lote Qtd. Animais Diag. Prenhas (%) Gestação Sem DG LOTE 01 J MULTIPARAS 09 100 100 89 89.00 0 LOTE 02 J MULTIPARAS 09 132 130 116 89.23 2 LOTE

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA José Luiz Moraes Vasconcelos e Mauro Meneghetti DPA FMVZ UNESP, Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br

Leia mais

CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Entrevistado: Marcelo Brandi Vieira Mestre em Reprodução Animal Diretor Técnico da Progen Inseminação Artificial BI: Qual a importância da Inseminação Artificial

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

Coleta e Análise de Dados

Coleta e Análise de Dados Uma ferramenta para melhorar os resultados no campo Renato Pavan Anderlini Médico Veterinário Mestrado UNESP Botucatu Cel: (11) 986 770 089 renato.pavan@multbovinos.com.br BeefExpo 2015 O que são dados?

Leia mais

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão?

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão? CUIDADOS NO MANUSEIO DO SÊMEN CONGELADO O manuseio adequado do sêmen congelado é essencial para manter ótimos resultados nos programas de inseminação artificial, tanto no sêmen sexado como no sêmen convencional.

Leia mais

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda São Paulo, 12 março de 2014 Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda Suprir a demanda de mercado com produtos de qualidade e sustentáveis. Este é

Leia mais

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus ANGUS: Rentabilidade e mercado Fábio Schuler Medeiros Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus Nossos Questionamentos... Como está a

Leia mais

UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO

UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO UM NOVO FOCO NA GESTÃO DAS CENTRAIS DE INSEMINAÇÃO No inicio da inseminação artificial (IA) no Brasil, em meados da década de 1970, os principais argumentos gerenciais dos técnicos e produtores para a

Leia mais

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo Sistema Integrado Tropicana Manual Tropicana de Manejo Manual Tropicana de Manejo INTRODUÇÃO Vantagens proporcionadas pela Estação de Monta No período de acasalamento No parto e nascimento Na desmama Na

Leia mais

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5 INFORMATIVO Bauru, 21 de março 2008 nº 012 Saiba como aumentar a fertilidade em seu rebanho Pág. 2 O Informativo NOBRE desse mês, trás uma série de informações para seus leitores,sobretudo para quem deseja

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil o índice para guiar suas melhores decisões! O QUE É O BCBI? Desenvolvido com o suporte técnico do Geneticista Senior da L`Alliance Boviteq,

Leia mais

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade.

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade. OUTUBRO 2006 Para chegar ao novo animal, os criadores contaram com a ajuda do superintendente do laboratório de inseminação artificial Sersia Brasil, Adriano Rúbio, idealizador da composição genética

Leia mais

QUALIDADE VERDANA 2014

QUALIDADE VERDANA 2014 ano 2 MAIO 2014 EDIÇão 02 www.verdanaagropecuaria.com.br camapuã/ms INFORMATIVO Mais valor para você Editorial QUALIDADE VERDANA 2014 1 1 A QUALIDADE QUE FEZ A DIFERENÇA em 2013 ENCONTRO 2013 Vinte e seis

Leia mais

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Um dos diferenciais da Tecnopec é desenvolver e apoiar pesquisas visando obter protocolos

Leia mais

Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte

Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte Pietro Sampaio Baruselli 1, Márcio de Oliveira Marques 2, Roberta Machado Ferreira 1, Manoel Francisco de Sá Filho 1, Emiliana

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE 1 O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE Prof. Dr. Antonio Ferriani Branco PhD em Nutrição e Produção de Ruminantes afbranco@uem.br O SISTEMA VACA-BEZERRO Os fatores que afetam mais significativamente

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE Fábio Dias 1 ; Joanir P. Eler 2 ; José Bento S. Ferraz 2 ; Josineudson A. II de V. Silva 3 1 Zootecnista, MSc. Agro Pecuária CFM Ltda, Av. Feliciano

Leia mais

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%) O Qualitas Programa de melhoramento genético da raça Nelore Reconhecido, aprovado e auditado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) Autorizado a emitir o CEIP a partir de 2002 O

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

Conheça a primeira central de inseminação do mundo.

Conheça a primeira central de inseminação do mundo. Conheça a primeira central de inseminação do mundo. A primeira central de inseminação do mundo nasceu nos Estados Unidos e veste verde e amarelo há mais de 40 anos. A C.R.I. Genética é uma cooperativa

Leia mais

Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar

Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar ISSN 0103-376X Setembro, 2006 Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar 57 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/54 Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/54 Eficiência reprodutiva IP e PS MN e IA Taxa de concepção Detecção de estro

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Com o mercado aquecido, agosto tem pouca variação O custo da produção na pecuária de corte aumentou no primeiro semestre deste ano, mais que em todo o ano de 2012. Com a alta do dólar, o cenário da exportação

Leia mais

INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO

INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO INSTRUÇÔES PARA PREENCHIMENTO PROGRAMA GESTÃO DE PROPRIEDADES DE SUCESSO DE MA T O GROSSO Qual a finalidade da planilha? Hoje em dia, e no futuro cada vez mais, a realidade econômica irá exigir uma maior

Leia mais

INDEX ASBIA MERCADO 2014

INDEX ASBIA MERCADO 2014 INDEX ASBIA MERCADO 2014 INDEX ASBIA Mercado de sêmen 2014. O relatório do INDEX ASBIA 2014 representa aproximadamente 92% do mercado de sêmen no Brasil, incluindo as raças de corte e leite e é composto

Leia mais

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR.

EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. EMATER PARANÁ CONDOMÍNIOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS DE LEITE NO MUNICÍPIO DE TOLEDO PR. Gelson Hein Médico Veterinário Unidade Local de Toledo NOVEMBRO

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Universidade Federal do Ceará INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Doutorando: MV Msc Rodrigo Vasconcelos de Oliveira Introdução Bovinocultura=> + eficiência reprodutiva Limitações: Anestro pós-parto longo

Leia mais

NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES

NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES Acadêmicas: Caroline Wrague e Luiza P. Nunes INTRODUÇÃO: A produção ovina ocorre predominantemente em sistemas de criação extensiva no Sul do Brasil. A quantidade e qualidade

Leia mais

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE INFORZATO, Guilherme Repas SANTOS, William Ribeiro Martins dos CLIMENI, Bruno Santi Orsi DELLALIBERA,

Leia mais

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras.

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras. Projeto SIMGIR 1 1 Introdução 2 Escolha das Raças 3 Parceria 4 Produção 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais Receptoras Bezerras F1 5-2 Calendário de Manejo 5-3 Projeto de Comercialização dos

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Cenário positivo para a pecuária Paranaense. Com pequena participação nas exportações brasileiras de carne bovina, o Paraná vem registrando aumento nas vendas externas acima do crescimento médio nacional,

Leia mais

ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011

ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011 São Paulo, dezembro de 2011 ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011 Faturamento no Brasil deve crescer 20% em 2011, alcançando R$60milhões A Alta Genetics bate novo

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL 1. A RAÇA ABERDEEN ANGUS Originária da Escócia, a raça foi selecionada em função de suas características superiores de precocidade, fertilidade, rusticidade,

Leia mais

Calf Notes.com. Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia. Introdução

Calf Notes.com. Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia. Introdução Calf Notes.com Calf Note #99 Mortalidade de Bezerros e Distocia Introdução Durante anos observamos que partos difíceis têm um efeito dramático na saúde e sobrevivência de bezerros. Quando as vacas precisam

Leia mais

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE Éder Augusto Gonçalves 1 ; Fábio Luiz Bim Cavalieri 2 ; José Mauricio Gonçalves

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é A IMPORTÂNCIA DE UM BOM PROJETO NA PECUÁRIA DE CORTE. A idéia de projeto, em qualquer atividade econômica é bastante elástica. Em geral um projeto é resultado de um estudo minucioso do ambiente onde se

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

Ciclo pecuário. Comportamento de preços

Ciclo pecuário. Comportamento de preços Comportamento de preços... Continuação da aula anterior 3 fenômenos de preço Sazonalidade: seca e águas / safra entre safra Ciclo da pecuária: Flutuação de preços que ocorre periodicamente na comercialização

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DO MANEJO DE VACAS LEITEIRAS EM PRODUÇÃO 1 Ricardo Dias Signoretti A atual situação econômica da cadeia produtiva do leite exige que os produtores realizem todas as atividades

Leia mais

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS Disciplina: Exterior e raças Prof. Mauricio van Tilburg

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80 Nome do Documento Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80 1. Carregar Observações O DataCollection permite que o usuário insira observações específicas aos animais. Estas observações serão exibidas

Leia mais

PROJETO PECUÁRIO A EQUIPE DEVERÁ DEFENDER SUA A PROPOSTA NA APRESENTAÇÃO!

PROJETO PECUÁRIO A EQUIPE DEVERÁ DEFENDER SUA A PROPOSTA NA APRESENTAÇÃO! PROJETO PECUÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Nome: Sr. João das Rosas PROPOSTA DE FINANCIAMENTO (por ano) Finalidade : Custeio Pecuário - O cálculo do valor proposto deve ser com base no número de animais

Leia mais

José Ferreira Pankowski

José Ferreira Pankowski José Ferreira Pankowski O conselheiro técnico da Associação dos Criadores de Nelore de Mato Grosso, José Ferreira Pankowski, é o entrevistado da semana do site da Nelore MT. Ele fala sobre o desenvolvimento

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: .

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=576>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Inseminação artificial em horário fixo de fêmeas bovinas de corte com cio sincronizado

Leia mais

Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade

Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade Gestão na Suinocultura Com Foco na Produtividade Marco Lubas Cuiabá 05-05-2010 Produtividade 1. Quanto está produzindo? 2. Quanto é o potencial de sua produção? 3. Quais os Limitantes? PRODUTIVIDADE X

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 1 ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 2 Capitulo 1 - Parceiros e Principal Fornecedor. Parceiros do projeto In Vitro Brasil

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 ACONTE informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 Grupo de novilhas super precoces que estarão à venda no Leilão Nelore Mocho CV do dia 28 de julho em Paulínia, SP. Prenhes aos 12 a 14 meses. Leilões

Leia mais

Trabalho de campo supervisionado. força à natureza. Inseminação artificial em tempo fixo dá uma

Trabalho de campo supervisionado. força à natureza. Inseminação artificial em tempo fixo dá uma Inseminação artificial em tempo fixo dá uma força à natureza Associado ao repasse com touros, método que usa fármacos para sincronizar ovulação propicia maior eficiência reprodutiva e abre caminho para

Leia mais

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA PASTAGENS: INTENSIDADE DE MANEJO E ADEQUAÇÃO ESTRATÉGICA. O que mais impressiona na nossa pecuária de corte é a possibilidade de um uso bastante conveniente e de baixo custo das pastagens. O Brasil, um

Leia mais

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba Sebastião Teixeira Gomes Viçosa Novembro 1996 1 Índice Especificação Página 1. Introdução... 2 2. Notas Metodológicas... 2 3. Recursos Disponíveis... 3 4. Raça

Leia mais

Nutrição e Manejo de Vacas de leite no pré-parto

Nutrição e Manejo de Vacas de leite no pré-parto FCA-UNESP-FMVZ Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR Departamento de Melhoramento e Nutrição Animal-DMNA Site: www.gruponutrir.com.br diretorianutrir@gmail.com Nutrição e Manejo de Vacas de leite

Leia mais

DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE

DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE-CAMPUS CONCÓRDIA DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE RODRIGO KRAMER RODRIGUES- Aluno do curso de M. Veterinária

Leia mais

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS Orivaldo Rodrigues de Oliveira 1 ; Francisca Elda Ferreira Dias 2 ; Andréa Azevedo Pires de Castro 3. 1 Aluno do

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BOVINOS Introdução A IATF é uma realidade na pecuária brasileira. Sua utilização proporciona tantas vantagens que se

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS Prof. Dr. Jurandir Ferreira da Cruz Eng. Agr. Rita de Cássia Nunes Ferraz Introdução A eficiência da produção de um rebanho está diretamente relacionada com o número

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE LEITE DA EMBRAPA E O PREÇO DO LEITE

CUSTO DE PRODUÇÃO DE LEITE DA EMBRAPA E O PREÇO DO LEITE CUSTO DE PRODUÇÃO DE LEITE DA EMBRAPA E O PREÇO DO LEITE Sebastião Teixeira Gomes 1 1. INTRODUÇÃO Desde sua criação, em 1977, o Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Leite (CNPGL), da EMBRAPA, vem se

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013

SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013 SIMPOSIO DE GADO LEITEIRO RIBEIRÃO PRETO SP AGO/2013 MAURICIO SILVEIRA COELHO 35 9133 1825 mauricio@grupocaboverde.com.br WWW.GRUPOCABOVERDE.COM.BR FAZENDA SANTA LUZIA - HISTÓRICO Proprietário: José Coelho

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

Nova Sistemática de Consultoria. Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo

Nova Sistemática de Consultoria. Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo Nova Sistemática de Consultoria Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo Conceitos Normas para Consultoria Tipos de Consultoria Módulo Consultores Conceitos Consultor Técnico Associado: profissional formado na

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Colonial Agropecuária e Fazenda Calciolândia F-1, A MATRIZ MAIS ADEQUADA AO SISTEMA DE PRODUÇÃO

Leia mais