SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA"

Transcrição

1 SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA José Luiz Moraes Vasconcelos e Mauro Meneghetti DPA FMVZ UNESP, Botucatu, SP A pecuária de corte exige dos produtores máxima eficiência para garantia do retorno econômico. Desta forma, elevados índices de produção, associados à alta eficiência reprodutiva, devem ser metas que norteiam os técnicos e criadores a alcançarem maior produtividade e satisfatório retorno econômico na atividade. Neste contexto, a otimização da eficiência reprodutiva é um dos principais fatores que contribuem para a melhora da performance produtiva e da lucratividade dos rebanhos bovinos. Segundo o ANUALPEC (2004), o rebanho brasileiro de bovinos de corte possui cerca de 64 milhões de matrizes (56,8% da raça Nelore), responsáveis pela produção de 42 milhões de bezerros ao ano, dos quais apenas 6% são provenientes de inseminação artificial (IA). Ainda cita que o intervalo entre partos médio é de 20 meses e que a taxa de concepção é cerca de 60%. Esses números evidenciam a premente necessidade de melhorar os índices reprodutivos para aumentar a produtividade e obter intervalo entre partos mais próximos do ideal (365 dias), ou seja, obter a produção de um bezerro/vaca/ano. Fêmeas zebuínas possuem período de gestação de aproximadamente 290 dias e considerando o objetivo de obter a desmama de um bezerro/vaca/ano, estas devem estabelecer nova gestação dentro de 70 a 80 dias após o parto. Entretanto, anestro pósparto e falhas na detecção do estro são as principais limitações para que tal objetivo seja atingido. A inseminação artificial é uma das principais ferramentas que os produtores dispõem para promover o progresso genético e aumentar a produtividade do rebanho, na medida em que o sêmen de touros de interesse zootécnico podem ser amplamente utilizados. No entanto, entre as dificuldades para utilização desta ferramenta destaca-se a observação de cio, tempo de manejo, uso de mão-de-obra e taxa de ciclicidade do rebanho. Em todo o mundo existem relatos que indicam baixa taxa de serviço em bovinos, principalmente devido a

2 530 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte comprometimento na eficiência da detecção de estro. Este comprometimento é maior em rebanhos Bos indicus devido a particularidades de comportamento reprodutivo (estro de curta duração com elevado porcentual de manifestação noturna). Visando minimizar a observação de cio e otimizar o manejo e uso de mão-de-obra foram desenvolvidos protocolos de sincronização da ovulação, que além de auxiliarem na indução da ciclicidade, permitem a IA, de todos os animais, em horário pré-determinado (IATF), contornando os desafios da observação de cio. Além disto, permitem que os animais sejam trabalhados em grupos. Um protocolo de sincronização de ovulação deve ser de fácil aplicabilidade, ter alta probabilidade de sucesso, ser interessante economicamente (relação custo/benefício) e ser administrado num curto período de tempo. O objetivo desta revisão é apresentar resultados de trabalhos desenvolvidos no Brasil utilizando IATF. EFEITO DO MOMENTO DA APLICAÇÃO DE PGF 2Α EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL COM TEMPO FIXO NA TAXA DE CONCEPÇÃO EM NOVILHAS DE CORTE O objetivo desse experimento foi avaliar o efeito do momento da aplicação de PGF2α em protocolo de inseminação artificial com tempo fixo, na taxa de concepção de novilhas meio sangue Nelore/Red Angus (N = 35), com idade meses e escore da condição corporal de 3,5-3,75. As novilhas foram divididas aleatoriamente em dois grupos, Grupo 1 (n = 17): Inserção de dispositivo intravaginal de progesterona (CIDR ) + aplicação de Benzoato de Estradiol (BE) 2,0 mg IM (Estrogin ) no Dia 0; aplicação de cloprostenol (Ciosin ) 0,53 mg IM no Dia 7; remoção do CIDR no Dia 9; aplicação de BE 0,8 mg IM 24 horas após remoção do CIDR ; IATF 60 horas após remoção do CIDR (36 horas após BE) e Grupo 2 (n = 18): Inserção de CIDR + aplicação de BE 2,0 mg IM no Dia 0; aplicação de cloprostenol 0,53 mg IM + remoção do CIDR no Dia 9; aplicação de BE 0,8 mg IM 24 horas após remoção do CIDR; IATF 60 horas após remoção do CIDR (36 horas após BE). O diagnóstico de gestação foi realizado trinta dias após a inseminação artificial em tempo fixo, através de ultra-sonografia (Scanner 100-Pie Medical ). Os resultados foram analisados por qui-quadrado. O grupo 1, que recebeu PGF2α no dia 7, teve tendência (P= 0,13) de maior taxa de concepção na IATF (64,7%; 11/17) do que o grupo 2 (38,9%; 7/18). Provavelmente

3 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte devido a luteólise que ocorreu antecipadamente no grupo 1, a única fonte de progesterona ficou sendo o CIDR, o que fez com que os níveis de progesterona ficassem baixos, aumentando a pulsatilidade de LH, promovendo a manutenção do crescimento do folículo dominante, o que provavelmente aumentou o diâmetro do folículo ovulatório, a taxa de ovulação ao final do protocolo, e também a formação de um CL de maior diâmetro. Esses resultados preliminares indicam que a alteração no momento da aplicação de PGF2α pode aumentar a taxa de concepção na inseminação artificial em tempo fixo em novilhas sincronizadas com CIDR e benzoato de estradiol. ÉPOCA DE PARIÇÃO DE NOVILHAS NO ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL E NA RESPOSTA A PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da época de parição no escore de condição corporal (ECC) no início de estação de monta (EM) e na resposta a protocolo de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) em vacas primíparas de corte. No experimento 1 foi avaliado o efeito da época do parto na alteração do ECC pré e pós-parto em 87 novilhas Nelore e 68 ½ sangue Red Angus x ½ sangue Nelore, que foram inseminadas em datas diferentes para parir de forma distribuída nos meses de setembro a dezembro. O ECC foi avaliado mensalmente no pré e pós-parto, de junho a fevereiro. No experimento 2, foram utilizadas 538 primíparas de duas fazendas (60 Nelore e 123 ½ sangue Red Angus na fazenda 1 e 355 Nelore na fazenda 2), entre 33 e 104 DPP e parto de setembro a dezembro. As vacas foram sincronizadas com o protocolo: inserção do dispositivo intravaginal de progesterona (CIDR, Pfizer, 1,9 g de progesterona) novo ou pré-utilizado por 9 ou 18 dias), junto à inserção do CIDR foi feita aplicação de estrógeno (2,0 mg de Benzoato de Estradiol, Estrogin, Farmavet, i.m.), após sete dias (dia 7) foi aplicado PGF2α (12,5 mg de Dinoprost, Lutalyse, Pfizer, i.m.). No dia 9 foi retirado o CIDR, os bezerros foram removidos das mães e receberam uma injeção com 0,5 mg de Cipionato de Estradiol (E.C.P., Pfizer, i.m.). Todos os animais foram inseminados 46 a 52 horas após a retirada do CIDR. Após a inseminação dos animais, os bezerros retornaram com suas mães. Apenas nos animais da fazenda 2 foi avaliada a taxa de sincronização, por dois exames de ultra-som (Aloka SSD-500, 5,0 MHz) e determinada de acordo com a presença e

4 532 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte ausência de folículo dominante no momento da IATF e 48 horas após. O diagnóstico de gestação foi feito por ultra-som 28 dias após a IATF. A análise estatística do experimento 1 foi feita no PROC MIXED e do experimento 2 no PROC LOGISTIC do SAS. No experimento 1 o mês de parição teve efeito (p<0,001) na dinâmica do ECC ao longo dos nove meses do período experimental, os animais com parto nos meses de setembro e outubro apresentaram redução mais acentuada no ECC do que aqueles com parto em novembro e dezembro. No experimento 2 houve tendência (p=0,07) do ECC influenciar a sincronização ao protocolo, os animais com melhor ECC tiveram maior taxa de sincronização. O ECC teve efeito linear (p<0,0001) sobre a taxa de concepção, mostrando melhora na taxa de concepção proporcional ao aumento no ECC. Não foi observado efeito de raça ou de fazenda na taxa de concepção. A taxa de concepção das vacas efetivamente sincronizadas foi de 58,9% (99/168) e não foi verificado efeito de qualquer variável. Estes dados mostram a importância dos animais apresentarem bom ECC no momento da IATF e para se conseguir isto não se deve antecipar a parição das novilhas de corte. EFEITO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE MANEJO REPRODUTIVO EM VACAS DE CORTE PARIDAS Após o parto, vacas de corte apresentam quadro de balanço energético negativo. Algumas estratégias de manejo podem ser aplicadas nestas situações, visando à indução de ciclicidade, minimizar ocorrência de ciclos curtos e aumentar a eficiência reprodutiva. Estas estratégias provavelmente trarão melhor controle da estação de monta, possibilitando as vacas emprenhar em período mais adequado, permitindo desta maneira, a concentração das parições e melhor desenvolvimento dos bezerros. O objetivo deste experimento foi comparar diferentes estratégias de manejo reprodutivo, na porcentagem de vacas gestantes ao final da estação de monta, porcentagem de vacas gestantes por inseminação artificial, número de dias para o nascimento dos bezerros e no intervalo entre partos. Foram utilizadas 724 vacas cruzadas (Brangus x Nelore), divididas aleatoriamente em 5 grupos: G1 (n=143) controle: monta natural (1:25) por 107 dias;

5 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte G2 (n=143) observação de cio e inseminação artificial nos primeiros 57 dias, seguida por repasse de touros (1:25) por mais 50 dias; G3 (n=145) dispositivo intravaginal de progesterona (CIDR) por 6 dias, remoção de bezerros por 60 horas, observação de cio e inseminação artificial por 57 dias, seguida por repasse de touros (1:25) por mais 50 dias; G4 (n=144) remoção de bezerros por 48 horas, seguido de aplicação de GnRH (Fertagyl, 50mg, i.m.), juntamente com a inserção do CIDR, sendo que após 6,5 dias, retirou-se o dispositivo e foi aplicado PGF2α (Lutalyse, 25mg, i.m.), realizando-se nova remoção de bezerros por 48 horas, seguida por aplicação de GnRH e IATF. Após 7 dias os animais foram colocados em repasse com touros por 107 dias. G5 (n=149) recebeu o mesmo protocolo do G4, sendo que após a IATF os animais ficaram apartados para re-observação de cio e inseminação, entre os dias 17 a 25, entrando em repasse com touros, por mais 82 dias. Foi realizado diagnóstico de gestação por exame de ultrasonografia, utilizando-se o aparelho modelo Aloka SSD 500, com transdutor linear de 7,5 MHz, via retal, 30 dias após o início da estação de monta (G3, G4 e G5) e 30 dias após o final da estação de monta, em todos os grupos. As variáveis binomiais (porcentagem de vacas gestantes e porcentagem de vacas gestantes por inseminação artificial) foram analisadas por regressão logística. As variáveis contínuas (dias médios para nascimento dos bezerros e intervalo entre partos) foram analisadas por análise de variância. As estratégias de manejo reprodutivo não influenciaram a porcentagem de vacas gestantes ao final da estação de monta, 92,3; 89,5; 82,8; 96,5; 91,3%, respectivamente. As taxas de concepção na IATF nos grupos 4 e 5 foram 47,2 e 51,7%, respectivamente. A porcentagem de vacas gestantes de IA foi diferente (P<0,01) entre os tratamentos, 0,0; 69,5; 67,5; 48,9 e 75,0, respectivamente (Tabela 1). Houve efeito de grupo (P<0,01) no número de dias para o nascimento dos bezerros (38, 44; 39; 30; 24 dias) e no intervalo entre partos (400; 402; 401; 382; 375 dias), respectivamente. Os resultados mostram que a técnica de IATF permite antecipar nascimento e emprenhar as vacas no início da estação de monta, o que consequentemente reduz o número de dias para o nascimento dos bezerros e o intervalo entre partos.

6 534 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte A associação da IATF e observação do cio de retorno (17 a 25 dias) permite ter mais bezerros nascidos de IA. Tabela 1 - Efeitos das estratégias de manejo reprodutivo na porcentagem de vacas gestantes ao final da estação de monta e a porcentagem de vacas gestantes de inseminação artificial Grupos Número de animais (n) Taxa Concepção a IATF (%) % Vacas gestantes ao final de estação de monta % Vacas gestantes por IA Touros ,3 a 0,0 a IA + Touros ,5 a 69,6 c Sincronização de Cio + Touros ,8 a 67,5 c IATF + Touros ,2 a 96,5 a 48,9 b IATF + Re-observação + Touros ,7 a 91,3 a 75,0 d Valores com diferentes subscritos na mesma coluna diferem (P<0,01). Tabela 2 - Efeitos das estratégias de manejo reprodutivo no número de dias médios para nascimento dos bezerros e no intervalo entre partos Grupos Número de Número de dias Intervalo entre animais (n) para o nascimento partos (dias) Touros a 400 a IA + Touros a 402 a Sincronização de Cio + Touros a 401 a IATF + Touros b 382 b IATF + Re-observação + Touros b 375 b Valores com diferentes subscritos na mesma coluna diferem (P<0,01). USO DE PROTOCOLO DE IATF ASSOCIADO A DIAGNOSTICO PRECOCE DE GESTAÇÃO E RESSINCRONIZAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR O NÚMERO DE VACAS GESTANTES POR IA EM ESTAÇÃO DE MONTA REDUZIDA O objetivo deste trabalho foi avaliar se estratégia reprodutiva (IATF no inicio da EM associado com observação de cio no retorno, diagnóstico precoce de gestação e resincronização) permite maximizar o número de animais gestantes por IA em estação de monta (EM) reduzida (37 dias) em vacas de corte pós-parto.

7 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte Foram utilizadas 316 vacas da raça Nelore e aneloradas com 64 ± 17 dias pós-parto (de 40 a 110 dias) no momento da IATF. Os animais foram mantidos em regime de pastejo extensivo de Brachiaria decumbens e suplementação mineral. O escore de condição corporal (ECC) foi avaliado no momento da IATF, sendo de 3,06 ± 0,45 (de 2,25 a 3,75), usando a escala de 1 (muito magra) a 5 (muito gorda). Todas as vacas foram sincronizadas e inseminadas em tempo fixo com o mesmo protocolo, no início da EM (dia 0): no dia -11 foi realizada a inserção de dispositivo intravaginal de progesterona (1,9 g de progesterona, CIDR, Pfizer Saúde Animal) previamente utilizado por nove ou dezoito dias juntamente com a aplicação de 2,0 mg de Benzoato de Estradiol (2,0 ml de Estrogin, Farmavet). No dia -4 foi aplicado 12,5 mg de dinoprost trometamina, (2,5 ml de Lutalyse, Pfizer Saúde Animal), dose reduzida testada por Losi et al. (2005), apenas nos animais que tinham a presença de corpo lúteo (CL). No dia -2, pela manhã, foi removido o dispositivo CIDR, os bezerros foram separados de suas mães e foi aplicado 0,5 mg de cipionato de estradiol (0,25 ml de ECP, Pfizer Saúde Animal). No dia 0, 48 a 54 horas após a retirada do CIDR, todos os animais foram inseminados artificialmente. Após a inseminação de todos os animais, os bezerros retornaram com suas mães. Na IATF foi utilizado descongelador eletrônico de sêmen (Fertilize ) para facilitar e agilizar o processo sem comprometer o padrão de descongelamento. OS exames de ultra-som foram realizados com aparelho Aloka SSD- 500 com transdutor linear de 5,0 MHz. A taxa de ciclicidade foi avaliada por dois exames de ultra-som, nos dias -11 e -4 (US 1 e 2), sendo considerados em anestro as vacas que não apresentaram CL nas duas avaliações. A taxa de sincronização foi avaliada pelos exames ultra-som no momento da IATF e 48 horas após esta (US 3 e 4), considerando sincronizados os animais com presença e ausência de folículo dominante nos dois exames, respectivamente. A taxa de concepção na IATF foi avaliada por ultra-som (US 5) 28 dias após a IATF. As taxas concepção no retorno em cio e na ressincronização foram avaliadas por ultra-som (US 6) 28 dias após o final da EM. Foi realizado detecção de cio apenas entre os dias 18 e 24 pós IATF, pois devido alta sincronização os animais tendem a retornar em cio sincronizado após a IATF, sendo que os animais detectados em cio foram inseminados 12 horas após a detecção. Em todos os animais, exceto os que foram inseminados no entre os dias 18 e 24, foi feito diagnóstico precoce de gestação (US 5) e as vacas vazias foram

8 536 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte ressincronizadas. Todas as vacas vazias receberam dispositivo intravaginal de progesterona (CIDR ) e foram classificadas de acordo com a presença ou ausência de CL ao exame de ultra-som. Passados seis dias foi retirado o dispositivo e aplicado 2,5 ml de Lutalyse nas vacas com presença de CL ou 200 UI de ecg (Folligon, Intervet) naquelas que não apresentaram CL. Neste dia os bezerros dessas vacas foram removidos por 72 horas e as vacas inseminadas 12 horas após detecção de estro. As variáveis, taxa de ovulação e de concepção, foram analisadas por regressão logística (SAS), sendo incluídas nos modelos as variáveis ciclicidade, condição corporal, manifestação de estro e pré-utilização do CIDR. Touro e inseminador foram incluídos no modelo para avaliar taxa de concepção. BE (dia -11) US 1 7 dias Lutalyse (dia -4) CIDR 2 d. E.C.P. (dia -2) RB US = ultra-som RB = remoção de bezerro IATF (dia 0) dia 18 2 d. 2 d. 24 dias dia 24 dia 28 6 dias. dia 34 dia 37 dia 65 No início da EM, 83,2% (263/316) dos animais estavam em anestro. O protocolo de IATF utilizado sincronizou 89,0% (234/263) dos animais em anestro e 90,6% (48/53) dos que estavam ciclando. A taxa de concepção foi maior (P<0,05) nas vacas ciclando (66,0%, 35/53) do que nas vacas que estavam em anestro (47,5%, 125/263). A taxa de sincronização ao protocolo não foi influenciada pelo ECC, sendo 88,3% (113/128) nos animais com menor ECC ( 2,75), 87,4% (83/95) nas vacas com ECC intermediário (3,00 e 3,25) e 90,3% (84/93) naquelas com maior ECC ( 3,50). Foi observado efeito (P<0,05) do escore condição corporal na taxa de concepção, sendo 42,1% (53/126) para menor ECC, 55,3% (52/94) nas vacas com ECC intermediário e 59,1% (55/93) para vacas com maior ECC. Obs. Cio US 2 US 3 US 4 US 5 CIDR Cio + IA 3 d. Final EM 28 dias US 6

9 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte Não foi observado efeito do período de pré-utilização de CIDR nas respostas ao protocolo. As taxas de sincronização foram 88,8% (159/179) e 88,3% (121/137) e as taxas de concepção foram 50,8% (91/179) e 50,4% (69/137) nos animais que receberam CIDR préutilizado por nove e dezoito dias, respectivamente. Foi observado alta taxa de manifestação de estro (77,2%) nas 48 horas entre o momento da retirada do CIDR e a IATF e os animais que mostraram estro tiveram maior (P<0,01) taxa de sincronização (93,4%; 228/244) do que as que não mostraram cio (72,2%; 52/72). A taxa de concepção não foi diferente nos animais que mostraram ou não estro (52,1%; 127/244 vs. 45,8%; 33/72, respectivamente). Tabela 03 - Efeito de ciclicidade, ECC, período de pré-utilização do CIDR e manifestação de estro nas taxas de ovulação e concepção ao protocolo de IATF Taxa de Ovulação (n) Taxa de Concepção (n) Ciclicidade Anestro 89,0% (234/263) 47,5% (125/263) a Ciclando 90,6% (48/53) 66,0% (35/53) b Escore de Condição Corporal 2,75 88,3% (113/128) 42,1% (53/126) a 3,00 87,4% (83/95) 55,3% (52/94) b 3,50 90,3% (84/93) 59,1% (55/93) b Pré-utilização do CIDR 9 dias 88,8% (159/179) 50,8% (91/179) 18 dias 88,3% (121/137) 50,4% (69/137) Manifestação de Estro Sim 93,4% (228/244 ) x 52,1% (127/244) Não 72,2% (52/72) Y 45,8% (33/72) a,b letras diferentes na mesma coluna diferem (P<0,05). x,y letras diferentes na mesma coluna diferem (P<0,01). Os resultados de sincronização e de concepção ao protocolo de IATF foram de 89,2% e 50,6%, respectivamente. No retorno sincronizado do cio, 18 a 24 dias após a IATF, a taxa de detecção de estro foi de apenas 36,7% (33/90), e considerou-se apenas as vacas com presença de CL ao diagnostico de gestação aos 28 dias, sendo que a taxa de concepção desses animais foi 69,7% (23/33). Na

10 538 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte ressincronização foram inseminados 58,2% (71/122) dos animais tratados e a taxa de concepção nesses animais foi 63,4% (45/71). Nos animais com presença de CL e que receberam meia dose de Lutalyse (2,5ml) a taxa de serviço foi 56,1% (32/57) e a de concepção foi 71,9% (23/32). Nos animais em anestro, que receberam ecg (200UI Folligon ) a taxa de serviço foi 60,0% (39/65) e a de concepção foi 56,4% (22/39). Dessa forma, a taxa de prenhez cumulativa por IA foi 69,3%. Verificouse que o ECC no início da EM foi determinante na velocidade com que as vacas ficaram gestantes ao longo da estação de monta (Gráfico 1). A estratégia utilizada, IATF no inicio da EM mais observação de cio por 7 dias (entre os dias 18 a 24) diagnóstico precoce de gestação aos 28 dias e ressincronização foi eficiente, pois permitiu emprenhar 69,3% da vacas por IA em EM de 37 dias, e melhores resultados podem ser alcançados se os animais apresentarem adequado ECC no início da EM. Taxa de Gestação (%) ,1 55,3 42,1 IATF (dia 0) 68,8 60,6 50,0 Observação de Cio (18 a 24 dias) 79,6 76,6 65,9 Ressincronização (37 dias) ECC 2,75 ECC 3,00 e 3,25 ECC 3,50 Dias de Estação de Monta Gráfico 1 - Efeito do ECC na taxa de gestação ao longo da estação de monta VALIDAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE SINCRONIZAÇÃO DA OVULAÇÃO EM VACAS DE CORTE Em 2005 foi desenvolvido um protocolo para sincronização de ovulação de vacas de corte (Meneghetti et al. 2005a. A Hora Veterinária 147: 25-27). Esse protocolo proporcionou taxa de concepção de 50,6% na inseminação artificial em tempo fixo (IATF) e consistia em: D0 inserção de um dispositivo intravaginal de P4 (CIDR, Pfizer) associado

11 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte à aplicação de 2 mg de benzoato de estradiol (2 ml, IM, Estrogin, Farmavet). No D7 foi administrado 12,5 mg de dinoprost trometamina (2,5 ml, IM, Lutalyse, Pfizer). Quarenta e oito horas após, no D9, o CIDR foi retirado, foi aplicado 0,5 mg de cipionato de estradiol (0,25 ml, IM, ECP, Pfizer) e os bezerros foram separados das mães até o término da IATF, que foi realizada 48 horas após a retirada do CIDR. Esse estudo teve como objetivo validar o protocolo supracitado. Os dados de 7527 vacas de corte, sincronizadas com esse protocolo durante a estação de monta 2005/2006, foram analisados por regressão logística. A taxa de concepção na IATF foi de 48,9% (3681/7527) e foi influenciada (P<0,001) pelas variáveis categoria, raça e escore de condição corporal (ECC). A taxa de concepção diferiu entre vacas secas, primíparas e multíparas, sendo de 39,4% (137/348), 46,3% (937/2022) e 50,5% (2607/5157), respectivamente. Vacas cruzadas (½ Bos taurus taurus / ½ Bos taurus indicus) apresentaram maior taxa de concepção quando comparado a vacas Bos taurus taurus e vacas Nelore [62,3% (964/1547), 53,0% (150/283) e 45,1% (2567/5697)]. Vacas com menor ECC mostraram menor taxa de concepção na IATF [ECC 2,5: 41,9% (687/1638); ECC 2,75: 50,3% (831/1653); ECC 3,0: 49,4% (1006/2035); ECC 3,25: 49,2% (386/785); ECC 3,5: 54,5% (771/1416)]. O número de vezes que o dispositivo CIDR havia sido utilizado anteriormente (0 vs. 1 vs. 2) não afetou a taxa de concepção na IATF. Esses resultados validam o protocolo para sincronização de ovulação em vacas de corte e fatores como categoria, raça e ECC devem ser levados em consideração antes de se implementar um programa de IATF em vacas de corte. ADIÇÃO DE ECG OU REMOÇÃO DE BEZERRO NO FINAL DE PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO A suplementação de LH ao final de protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) melhora o desenvolvimento folicular resultando em incremento nas taxas de sincronização e concepção. Este efeito pode ser obtido através da aplicação de ecg (Baruselli et al., 2002; Perez et al., 2004) ou com a remoção temporária dos bezerros (RB) (Meneghetti et al., 2001), porém a adição do ecg não teve efeito aditivo à remoção de bezerros quando utilizadas em protocolo de IATF a base de estrógeno e dispositivo intravaginal de progesterona (Meneghetti et al., 2005). O objetivo deste experimento foi

12 540 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte comparar o efeito da aplicação de ecg ou RB ao final de protocolo de IATF à base de P4 e estradiol. Vacas paridas da raça Nelore (n=559) com escore de condição corporal 3,40 + 0,31 e entre 40 e 90 dias pósparto, mantidas em regime de pasto com suplementação mineral, foram sincronizadas com o mesmo protocolo base: no dia 0 os animais receberam um dispositivo intravaginal de P4 (CIDR, 1,9 g de P4, Pfizer) novo ou pré-utilizado por 9 ou 18 dias e cipionato de estradiol (1,0 mg, i.m., E.C.P., Pfizer). O dispositivo permaneceu nos animais por nove dias e dois dias antes da retirada (dia 7) foi aplicado PGF 2α (12,5 mg de dinoprost trometamina, i.m., Lutalyse, Pfizer), na retirada do CIDR (dia 9) foi feita nova aplicação de cipionato de estradiol (0,5 mg, i.m., E.C.P., Pfizer). A IATF foi realizada 48 a 54 horas após a retirada do dispositivo. Os animais foram divididos aleatoriamente em quatro grupos, sendo: Controle; RB: remoção de bezerros entre a retirada do CIDR e a IATF; 300 ecg ou 400 ecg: receberam aplicação de 300 ou 400 UI de ecg (i.m., Folligon, Intervet) no momento da retirada do CIDR, respectivamente. No momento da IATF e 48 horas após foi realizado exame de ultra-som (Aloka SSD-500, 5,0 MHz) para determinar a taxa de ovulação. O diagnóstico de gestação foi feito por ultra-som 28 dias após a IATF. A análise estatística foi feita por regressão logística. Não foi verificado diferença na taxa de sincronização entre os grupos, sendo 82,3% (107/130) no grupo controle, 86,5% (135/156) no grupo RB, 80,8% (105/130) no grupo 300 ecg e 83,9% (120/143) no grupo 400 ecg. Foi verificado efeito de grupo (p=0,10) na taxa de concepção que foi 41,5% (54/130), 51,3% (80/156), 46,9% (61/130) e 54,5% (78/143) para os grupos controle, RB, 300 ecg e 400 ecg, respectivamente. Os grupos remoção e 400 ecg foram superiores ao grupo controle enquanto o grupo 300 ecg foi semelhante aos demais. Estes dados sugerem que no protocolo testado, remoção de bezerros ou aplicação de ecg devem ser utilizadas pois resultaram em maior taxa de concepção em vacas paridas da raça Nelore. CONCLUSÕES A técnica de IATF esta bem consolidada e existem protocolos que permitem aumentar a porcentagem de vacas gestantes de inseminação artificial no inicio da estação de monta, sem a necessidade de observação de cio. Fatores como ECC, qualidade do sêmen e do

13 I Simpósio Internacional de Produção de Gado de Corte inseminador devem ser levados em consideração antes de se implementar um programa de IATF. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANUALPEC Anuário estatístico da produção animal. São Paulo, FNP Consultoria & Comércio, BARUSELLI P.S., MARQUES M.O., CARVALHO N.A.T., MADUREIRA E.H., CAMPOS FILHO E.P. Efeito de diferentes protocolos de inseminação artificial em temp fixo na eficiência reprodutiva de vacas de corte lactantes. Revista Brasileira de Reprodução Animal, v. 26, p , LOSI T.C., MARTINS Jr. A. P., MENEGHETTI M., VILELA E.R., VASCONCELOS J.L.M. Protocolos de sincronização de ovulação a base de progesterona e estradiol, em vacas de corte paridas. 01: Avaliação de diferentes doses de Prostaglandina. Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 16, 2005, Goiânia. Anais: Resumo 187. MENEGHETTI M., LOSI T.C., MARTINS JR. A.P., VILELA E.R., VASCONCELOS J.LM. Uso de protocolo de IATF associado a diagnostico precoce de gestação e ressincronização como estratégia para maximizar o número de vacas gestantes por IA em estação de monta reduzida. A Hora Veterinária, v. 147, p , 2005a. MENEGHETTI M., CERRI R.L.A., FERREIRA Jr. N., VILELA E.R., VASCONCELOS J.LM. Efeito da remoção dos bezerros no folículo dominante e na taxa de ovulação ao primeiro GnRH em protoclos de sincronização em vacas Nelore em anestro. Revista Brasileira d ereprodução Animal. v. 25, p , MENEGHETTI M., LOSI T.C., MARTINS JR. A.P., VILELA E.R., VASCONCELOS J.LM. Protocolos de sincronização de ovulação a base de progesterona e estradiol, em vacas de corte paridas. 3: Efeito do uso de ECP, Benzoato de Estradiol e GnRH como estímulo ovulatório. Congresso Brasileiro de Reprodução Animal, 16, 2005b, Goiânia. Anais: Resumo 188. PEREZ G. C., SANTOS R.M., VASCONCELOS J.L.M., PEREIRA E.T.N., ARAÚJO D.B., SÁ FILHO O.G. Effect of ecg and/or calf removal after CRESTAR protocol in Nellore cows. Journal of Animal Science, v. 82, p.371, Abst.

14 542 - V Simpósio de Produção de Gado de Corte

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: .

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=576>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Inseminação artificial em horário fixo de fêmeas bovinas de corte com cio sincronizado

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/54 Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/54 Eficiência reprodutiva IP e PS MN e IA Taxa de concepção Detecção de estro

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE Éder Augusto Gonçalves 1 ; Fábio Luiz Bim Cavalieri 2 ; José Mauricio Gonçalves

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Universidade Federal do Ceará INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO Doutorando: MV Msc Rodrigo Vasconcelos de Oliveira Introdução Bovinocultura=> + eficiência reprodutiva Limitações: Anestro pós-parto longo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS

UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PÓS-GRADUAÇÃO EM REPRODUÇÃO E PRODUÇÃO EM BOVINOS UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS MATHEUS GUAPO PAVARINA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SP

Leia mais

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE INFORZATO, Guilherme Repas SANTOS, William Ribeiro Martins dos CLIMENI, Bruno Santi Orsi DELLALIBERA,

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas INFLUÊNCIA DA CONDIÇÃO CORPORAL E CATEGORIA REPRODUTIVA NAS TAXAS DE GESTAÇÃO DE VACAS NELORE SUBMETIDAS À PROTOCOLO DE IATF, NA REGIÃO DA AMAZÔNIA LEGAL. TOLEDO, G.A. ¹ ; RIBEIRO, A.P.C.²; RIBEIRO, G.M.³

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EMPRENHAR A VACA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL APÓS O PARTO

EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EMPRENHAR A VACA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL APÓS O PARTO TIAGO LEIVA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EMPRENHAR A VACA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL APÓS O PARTO Cria em gado de corte: o bezerro é o produto comercializado. Gado de leite (alta produção): a vaca precisa parir

Leia mais

Manejo reprodutivo de vacas de leite criadas a pasto. José Luiz Moraes Vasconcelos

Manejo reprodutivo de vacas de leite criadas a pasto. José Luiz Moraes Vasconcelos Manejo reprodutivo de vacas de leite criadas a pasto José Luiz Moraes Vasconcelos De que vaca e de que pasto estamos falando? Cenários? Holandesa ou mestiça? Pasto bom ou ruim? Verão ou inverno? Produção

Leia mais

Indução e sincronização de cio em caprinos

Indução e sincronização de cio em caprinos Indução e sincronização de cio em caprinos Plínio de Oliveira FASSIO 1 ; Larissa de Oliveira FASSIO 2 ; Angélica Campos MARTINS 3 ; Claudiane de Assis SOUZA 3 ; Vanessa Daniela Lázara de ASSIS 3 ; André

Leia mais

Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte

Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte Como aumentar a quantidade e a qualidade de bezerros em rebanhos de corte Pietro Sampaio Baruselli 1, Márcio de Oliveira Marques 2, Roberta Machado Ferreira 1, Manoel Francisco de Sá Filho 1, Emiliana

Leia mais

Ricardo Macedo Gregory & Dimas Correa Rocha Laboratório de Reprodução Animal, Faculdade de Veterinária UFRGS baragem@terra.com.br

Ricardo Macedo Gregory & Dimas Correa Rocha Laboratório de Reprodução Animal, Faculdade de Veterinária UFRGS baragem@terra.com.br RICARDO MACEDO GREGORY & DIMAS CORREA ROCHA 147 PROTOCOLOS DE SINCRONIZAÇÃO E INDUÇÃO DE ESTROS EM VACAS DE CORTE NO RIO GRANDE DO SUL Ricardo Macedo Gregory & Dimas Correa Rocha Laboratório de Reprodução

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL MANUAL TÉCNICO SOBRE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BOVINOS Introdução A IATF é uma realidade na pecuária brasileira. Sua utilização proporciona tantas vantagens que se

Leia mais

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti MGA Premix Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte Mauro Meneghetti mauro.menghetti@pfizer.com Pré-Monta + MGA Premix: Um novo conceito em sincronização de vacas de corte

Leia mais

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Um dos diferenciais da Tecnopec é desenvolver e apoiar pesquisas visando obter protocolos

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 SISTEMA ANTILUTEOLÍTICO E MORTE EMBRIONÁRIA EM FÊMEAS BOVINAS JEAN CAIO FIGUEIREDO DE ALMEIDA¹, ANA KELLY MENDES DA SILVA¹, GESSIANE PEREIRA DA SILVA¹, BRENDA JULIANE SILVA DOS SANTOS¹, CAMILA DE ALMEIDA

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE PIETRO SAMPAIO BARUSELLI ET AL. 155 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE Pietro S. Baruselli 1, Gabriel A. Bó 2, Everton L. Reis 1 e Márcio O. Marques 1 1 Departamento de Reprodução

Leia mais

PRINCIPAIS LIMITAÇÕES REPRODUTIVAS NO PERÍODO PÓS PARTO EM VACAS DE CORTE

PRINCIPAIS LIMITAÇÕES REPRODUTIVAS NO PERÍODO PÓS PARTO EM VACAS DE CORTE PRINCIPAIS LIMITAÇÕES REPRODUTIVAS NO PERÍODO PÓS PARTO EM VACAS DE CORTE SOARES, João Felipe B. 1 ; ARALDI, Daniele F. 2 Palavras-chave: Pecuária de corte. Índices de Produtividade. Fertilidade. Introdução

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

EFEITOS DA CONDIÇÃO CORPORAL NAS TAXAS DE CONCEPÇÃO EM VACAS NELORE E SEU IMPACTO FINANCEIRO.

EFEITOS DA CONDIÇÃO CORPORAL NAS TAXAS DE CONCEPÇÃO EM VACAS NELORE E SEU IMPACTO FINANCEIRO. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde Departamento de Medicina Veterinária Curso de Medicina Veterinária em Betim Amilto Ribeiro da Silva EFEITOS

Leia mais

MATÉRIA DE CAPA. Fábrica de BEZERR. Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais. Luiz H.

MATÉRIA DE CAPA. Fábrica de BEZERR. Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais. Luiz H. ~. ~ MATÉRIA DE CAPA Fábrica de BEZERR Em dez anos, IATF cresce 40 vezes no Paíse a eficiência pode melhorar ainda mais Luiz H. Pitombo No ano passado, 8 milhões de fêmeas bovinas, 75% delas das raças

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DE CIDR REUTILIZADO E PROGESPON DE PRIMEIRO USO EM NOVILHAS RECEPTORAS DE EMBRIÕES (BOS TAURUS X BOS INDICUS)

AVALIAÇÃO DO USO DE CIDR REUTILIZADO E PROGESPON DE PRIMEIRO USO EM NOVILHAS RECEPTORAS DE EMBRIÕES (BOS TAURUS X BOS INDICUS) REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DE GARÇA/FAMED ANO IV, NÚMERO, 08, JANEIRO DE 2007. PERIODICIDADE:

Leia mais

IATF em novilha. CEP 05508-000, São Paulo-SP, Brasil; *manoel@firmasa.com.br

IATF em novilha. CEP 05508-000, São Paulo-SP, Brasil; *manoel@firmasa.com.br 54 Manoel Francisco de Sá Filho et al. IATF em novilha Manoel F. Sá Filho 1* ; Lindsay U. Gimenes 2 ; José Nélio S. Sales 2 ; Gabriel A. Crepaldi 2 ; Adriana G. Medalha 1 ; Pietro S. Baruselli 2 1 FIRMASA-

Leia mais

IMPACTO DA IATF NA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EM BOVINOS DE CORTE

IMPACTO DA IATF NA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EM BOVINOS DE CORTE Pietro S. Baruselli et al. 113 IMPACTO DA IATF NA EFICIÊNCIA REPRODUTIVA EM BOVINOS DE CORTE Pietro S. Baruselli 1, Henderson Ayres 1, Alexandre H. Souza 1, Claudiney M. Martins 1, Lindsay U. Gimenes 1,

Leia mais

PEDRO ANDRÉ DE SENE BIERNASKI ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM REPRODUÇÃO ANIMAL

PEDRO ANDRÉ DE SENE BIERNASKI ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM REPRODUÇÃO ANIMAL PEDRO ANDRÉ DE SENE BIERNASKI ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM REPRODUÇÃO ANIMAL CURITIBA 2011 PEDRO ANDRÉ DE SENE BIERNASKI ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM REPRODUÇÃO ANIMAL Trabalho apresentado

Leia mais

AVANÇOS NOS PROTOCOLOS DE SUPEROVULAÇÃO DE BOVINOS

AVANÇOS NOS PROTOCOLOS DE SUPEROVULAÇÃO DE BOVINOS AVANÇOS NOS PROTOCOLOS DE SUPEROVULAÇÃO DE BOVINOS Manoel F. Sá Filho, Claudiney M. Martins, José Nélio S. Sales, Roberta M. Ferreira, Pietro S. Baruselli. Departamento de Reprodução Animal, FMVZ-USP,

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015 Tabela 01 - Taxa de Gestação ao final da estação de monta Lote Qtd. Animais Diag. Prenhas (%) Gestação Sem DG LOTE 01 J MULTIPARAS 09 100 100 89 89.00 0 LOTE 02 J MULTIPARAS 09 132 130 116 89.23 2 LOTE

Leia mais

AVALIAÇÃO DA TAXA DE PRENHEZ DE VACAS TRATADAS COM DISPOSITIVOS DE PROGESTERONA REUTILIZADOS

AVALIAÇÃO DA TAXA DE PRENHEZ DE VACAS TRATADAS COM DISPOSITIVOS DE PROGESTERONA REUTILIZADOS 1 AVALIAÇÃO DA TAXA DE PRENHEZ DE VACAS TRATADAS COM DISPOSITIVOS DE PROGESTERONA REUTILIZADOS RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito dos protocolos de IATF Crestar com dois implantes auriculares

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

Manejo reprodutivo em bovinos

Manejo reprodutivo em bovinos Manejo reprodutivo em bovinos Índices Zootécnicos Bovinos de corte Atual Preconizado Natalidade 60% 75-80% Desmame 55% 76% Idade ao primeiro parto Intervalo entre partos 21 meses Bovinos de leite 48 meses

Leia mais

REDVET. Revista Electrónica de Veterinaria E-ISSN: 1695-7504 redvet@veterinaria.org Veterinaria Organización España

REDVET. Revista Electrónica de Veterinaria E-ISSN: 1695-7504 redvet@veterinaria.org Veterinaria Organización España REDVET. Revista Electrónica de Veterinaria E-ISSN: 1695-7504 redvet@veterinaria.org Veterinaria Organización España Carrijo Junior, Osmar Alves; Langer, Jackson Avaliação de Protocolo de Inseminação Artificial

Leia mais

O USO DE ECG INFLUENCIA A TAXA DE CONCEPÇÃO EM VACAS NELORE DE DIFERENTES CONDIÇÕES CORPORAIS SUBMETIDAS AO MESMO PROTOCOLO DE IATF?

O USO DE ECG INFLUENCIA A TAXA DE CONCEPÇÃO EM VACAS NELORE DE DIFERENTES CONDIÇÕES CORPORAIS SUBMETIDAS AO MESMO PROTOCOLO DE IATF? O USO DE ECG INFLUENCIA A TAXA DE CONCEPÇÃO EM VACAS NELORE DE DIFERENTES CONDIÇÕES CORPORAIS SUBMETIDAS AO MESMO PROTOCOLO DE IATF? 1 ERIKA ALINE RIBEIRO DIAS 2,5, RUBENS PAES DE ARRUDA 3, RONI APARECIDO

Leia mais

Coleta e Análise de Dados

Coleta e Análise de Dados Uma ferramenta para melhorar os resultados no campo Renato Pavan Anderlini Médico Veterinário Mestrado UNESP Botucatu Cel: (11) 986 770 089 renato.pavan@multbovinos.com.br BeefExpo 2015 O que são dados?

Leia mais

Manual de Inseminação. Artificial em Tempo Fixo. (IATF) em gado leiteiro.

Manual de Inseminação. Artificial em Tempo Fixo. (IATF) em gado leiteiro. Manual de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) em gado leiteiro. Introdução: As vacas leiteiras, durante a lactação, apresentam características fisiológicas particulares que diferenciam o comportamento

Leia mais

ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV)

ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV) ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV) antonio hugo bezerra colombo 1, Liziane Zaniboni 1, Fabio Luiz Bim Cavalieri 2, Luiz Paulo Rigolon

Leia mais

SEPARAÇÃO FENOTÍPICA E TAXAS DE PRENHEZ APÓS INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE

SEPARAÇÃO FENOTÍPICA E TAXAS DE PRENHEZ APÓS INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE SEPARAÇÃO FENOTÍPICA E TAXAS DE PRENHEZ APÓS INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM BOVINOS DE CORTE Lucas Henrique Brito Sales 1, Robertha Veloso Rebello 2, Ana Cláudia Maia Soares 3, Joana Ribeiro da

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF)

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Gado de Leite Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho C A P Í T U L O 3 3. IATF como ferramenta no melhoramento genético de bovinos de leite 3.1 Introdução

Leia mais

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE Prof. Adelmo Ferreira de Santana Caprinocultura e Ovinocultura E-mail afs@ufba.br Departamento de Produção Animal Escola de Medicina Veterinária

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

AVANÇOS NOS PROTOCOLOS REPRODUTIVOS EM FÊMEAS BOVINAS UTILIZANDO SÊMEN SEXADO

AVANÇOS NOS PROTOCOLOS REPRODUTIVOS EM FÊMEAS BOVINAS UTILIZANDO SÊMEN SEXADO AVANÇOS NOS PROTOCOLOS REPRODUTIVOS EM FÊMEAS BOVINAS UTILIZANDO SÊMEN SEXADO Manoel F. Sá Filho, Alexandre H. Souza, Claudiney M. Martins, José N. S. Sales, Gabriel A. Crepaldi, Pietro S. Baruselli Departamento

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS HORMONAIS SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE VACAS NELORE INSEMINADAS EM TEMPO FIXO

EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS HORMONAIS SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE VACAS NELORE INSEMINADAS EM TEMPO FIXO 74 Artigo Científico EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS HORMONAIS SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE VACAS NELORE INSEMINADAS EM TEMPO FIXO Diogo Ribeiro CÂMARA 1*, Ricardo Felippe FIGUEIRA 2, Otto Cabral PORTELA

Leia mais

GABRIEL ARMOND CREPALDI. Eficácia de diferentes protocolos de indução da ovulação e de intervalos de inseminação em vacas de corte submetidas à IATF

GABRIEL ARMOND CREPALDI. Eficácia de diferentes protocolos de indução da ovulação e de intervalos de inseminação em vacas de corte submetidas à IATF GABRIEL ARMOND CREPALDI Eficácia de diferentes protocolos de indução da ovulação e de intervalos de inseminação em vacas de corte submetidas à IATF São Paulo 2009 GABRIEL ARMOND CREPALDI Eficácia de diferentes

Leia mais

ÔMEGAS PARA O QUE SERVEM?

ÔMEGAS PARA O QUE SERVEM? TM ÔMEGAS PARA O QUE SERVEM? Permitem as células do corpo a sintetizar hormônios reprodutivos Aumentam a resposta inflamatória e anti-inflamatória em células e tecidos Participam do processo de contrações

Leia mais

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade.

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade. OUTUBRO 2006 Para chegar ao novo animal, os criadores contaram com a ajuda do superintendente do laboratório de inseminação artificial Sersia Brasil, Adriano Rúbio, idealizador da composição genética

Leia mais

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda São Paulo, 12 março de 2014 Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda Suprir a demanda de mercado com produtos de qualidade e sustentáveis. Este é

Leia mais

Expressão de estro aumenta a fertilidade e reduz perdas de gestação em protocolos de IATF e TETF. Marcos Henrique Colombo Pereira

Expressão de estro aumenta a fertilidade e reduz perdas de gestação em protocolos de IATF e TETF. Marcos Henrique Colombo Pereira Marcos Henrique Colombo Pereira possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade de Passo Fundo (2009) e Mestrado em Produção Animal pela UNESP Botucatu (2012). Tem experiência na área de Produção

Leia mais

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada.

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada. !"#"! $"%!! Introdução Durante sua evolução, os ovinos e os caprinos desenvolveram alternativas reprodutivas para assegurar o nascimento de suas crias nos períodos de maior fartura de água e alimentos.

Leia mais

O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas

O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas ISSN 0100-8625 O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas 25 Bagé, RS Junho, 2002 Autor José Carlos Ferrugem Moraes Méd. Vet., Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Caixa Postal 242, Bagé, RS,

Leia mais

INTER-RELAÇÕES ENTRE NUTRIÇÃO E REPRODUÇÃO EM FÊMEAS BOVINAS DE CORTE

INTER-RELAÇÕES ENTRE NUTRIÇÃO E REPRODUÇÃO EM FÊMEAS BOVINAS DE CORTE INTER-RELAÇÕES ENTRE NUTRIÇÃO E REPRODUÇÃO EM FÊMEAS BOVINAS DE CORTE Professor Álan Maia Boges Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias Escola de Veterinária da UFMG O desempenho reprodutivo compromete

Leia mais

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Manejo reprodutivo de caprinos Qual a importância de um bom manejo reprodutivo? Determina a eficiência do sistema de produção Estacionalidade

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

INTERFERÊNCIA DO GRUPO GENÉTICO E DO MÊS DE NASCIMENTO DO BEZERRO NO DESEMPENHO REPRODUTIVO DE VACAS NELORE

INTERFERÊNCIA DO GRUPO GENÉTICO E DO MÊS DE NASCIMENTO DO BEZERRO NO DESEMPENHO REPRODUTIVO DE VACAS NELORE INTERFERÊNCIA DO GRUPO GENÉTICO E DO MÊS DE NASCIMENTO DO BEZERRO NO DESEMPENHO REPRODUTIVO DE VACAS NELORE 1 FERREIRA M. V. B.; 2 GORDIN C.;L.; 3 LEMPP B.; 4 FERREIRA N. M. B. RESUMO O presente trabalho

Leia mais

ERIKO DA SILVA SANTOS

ERIKO DA SILVA SANTOS ERIKO DA SILVA SANTOS Efeito das caracteristicas morfologicas e da dinfimica vascular do foliculo e corpo ltiteo sobre a fertilidade de vacas de corte submetidas a protocolo de sincronizacdo do estro e

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE Fábio Dias 1 ; Joanir P. Eler 2 ; José Bento S. Ferraz 2 ; Josineudson A. II de V. Silva 3 1 Zootecnista, MSc. Agro Pecuária CFM Ltda, Av. Feliciano

Leia mais

USO DE GONADOTROFINA FOLÍCULO ESTIMULANTE PARA O AUXÍLIO DO CRESCIMENTO FOLICULAR FINAL EM VACAS EM ANESTRO NA IATF : FOLLTROPIN

USO DE GONADOTROFINA FOLÍCULO ESTIMULANTE PARA O AUXÍLIO DO CRESCIMENTO FOLICULAR FINAL EM VACAS EM ANESTRO NA IATF : FOLLTROPIN USO DE GONADOTROFINA FOLÍCULO ESTIMULANTE PARA O AUXÍLIO DO CRESCIMENTO FOLICULAR FINAL EM VACAS EM ANESTRO NA IATF : FOLLTROPIN FOLLTROPIN é um produto à base de Hormônio Folículo Estimulante (FSH) purificado

Leia mais

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo Sistema Integrado Tropicana Manual Tropicana de Manejo Manual Tropicana de Manejo INTRODUÇÃO Vantagens proporcionadas pela Estação de Monta No período de acasalamento No parto e nascimento Na desmama Na

Leia mais

USO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BUBALINOS CRIADOS EM SISTEMA DE PRODUÇÃO NA VÁRZEA NO ESTADO DO AMAPÁ

USO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BUBALINOS CRIADOS EM SISTEMA DE PRODUÇÃO NA VÁRZEA NO ESTADO DO AMAPÁ 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO AGROPECUÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS EM CIÊNCIA ANIMAL EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA AMAZÔNIA ORIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA CURSO DE MESTRADO

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO

RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO Josilaine Aparecida da Costa Lima 1 ; Aya Sasa 2 1 Acadêmica do curso de Zootecnia da UEMS, Unidade

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRITICOS DE CONTROLE (APPCC) NO MANEJO REPRODUTIVO DE BOVINOS

ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRITICOS DE CONTROLE (APPCC) NO MANEJO REPRODUTIVO DE BOVINOS 1 ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRITICOS DE CONTROLE (APPCC) NO MANEJO REPRODUTIVO DE BOVINOS (analysis of hazards and critical control points in a system of production cattle) RESUMO: o trabalho tem como

Leia mais

AVALIAÇÃO DA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE MULTÍPARAS SUBMETIDAS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO*

AVALIAÇÃO DA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE MULTÍPARAS SUBMETIDAS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO* AVALIAÇÃO DA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE MULTÍPARAS SUBMETIDAS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO* Marcelle Christine Nascimento Ferreira 1, Rodolfo Miranda 1, Marcelo

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

Trabalho de campo supervisionado. força à natureza. Inseminação artificial em tempo fixo dá uma

Trabalho de campo supervisionado. força à natureza. Inseminação artificial em tempo fixo dá uma Inseminação artificial em tempo fixo dá uma força à natureza Associado ao repasse com touros, método que usa fármacos para sincronizar ovulação propicia maior eficiência reprodutiva e abre caminho para

Leia mais

IATF em Novilhas. Pietro Sampaio Baruselli

IATF em Novilhas. Pietro Sampaio Baruselli IATF em Novilhas Pietro Sampaio Baruselli Prof. Titular do Departamento de Reprodução Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Universidade de São Paulo Novilhas > 24 m = 13,2 milhões 80% destas

Leia mais

XXV Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões (SBTE) 18 a 20 de agosto de 2011

XXV Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões (SBTE) 18 a 20 de agosto de 2011 R075 - IATF/TETF/IA CARACTERÍSTICAS FOLICULARES Y REPRODUCTIVAS EN OVEJAS USANDO PROTOCOLOS DE SINCRONIZACIÓN DE ESTROS BASADOS EN TRATAMIENTOS CORTOS CON PROGESTERONA Y PGF2ALFA RODRIGO V ALLENDE 1 ;

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Carvalho Siqueira, Lucas; Coelho de Oliveira, João Francisco; da Silveira Loguércio, Rosane; Kurtz Löf,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia ISSN: 1982-1263

Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia ISSN: 1982-1263 Inseminação artificial em tempo fixo Kleber da Cunha Peixoto Junior 1*, Yessica Trigo 2 Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia ISSN: 1982-1263 1 Médico Veterinário, D. Sc.,Professor do Curso de

Leia mais

Emprego da TE para melhorar a eficiência reprodutiva em vacas de leite Pietro Sampaio Baruselli

Emprego da TE para melhorar a eficiência reprodutiva em vacas de leite Pietro Sampaio Baruselli Emprego da TE para melhorar a eficiência reprodutiva em vacas de leite Pietro Sampaio Baruselli Prof. Titular do Departamento de Reprodução Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Universidade

Leia mais

NUEVOS AVANCES EN PROTOCOLOS DE IATF EN GANADO BOS INDICUS Y BOS TAURUS

NUEVOS AVANCES EN PROTOCOLOS DE IATF EN GANADO BOS INDICUS Y BOS TAURUS NUEVOS AVANCES EN PROTOCOLOS DE IATF EN GANADO BOS INDICUS Y BOS TAURUS Pietro Sampaio Baruselli, José Nélio S. Sales, Gabriel A. Crepaldi, Manoel F. Sá Filho 1 Departamento de Reprodução Animal, FMVZ-USP,

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO "LATO SENSU" EM PRODUÇÃO E

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PRODUÇÃO E UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO "LATO SENSU" EM PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DE BOVINOS INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS

ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS Bicudo, S.D.*; Azevedo, H.C.; Silva Maia, M.S.; Sousa, D.B.; Rodello, L. DRARV - FMVZ UNESP Botucatu - *sony@fmvz.unesp.br Características reprodutivas

Leia mais

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80 Nome do Documento Novas Funcionalidades DataCollection versão 2.80 1. Carregar Observações O DataCollection permite que o usuário insira observações específicas aos animais. Estas observações serão exibidas

Leia mais