Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)"

Transcrição

1

2 O Qualitas Programa de melhoramento genético da raça Nelore Reconhecido, aprovado e auditado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) Autorizado a emitir o CEIP a partir de 2002

3 O que é o CEIP? CEIP Certificado Especial de Identificação e Produção Criado e Regulamentado em 1995 São 19 projetos aprovados pelo MAPA Zebu: 10 Taurino: 09

4 Pressão de Seleção Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

5 O Qualitas em números Fazendas: 42 Estados: 08 Número de matrizes: Animais em produção: Touros produzidos safra 2010: 1.068

6 Onde estão os rebanhos do Qualitas? RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ PIAUÍ PARAÍBA PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS RONDÔNIA TOCANTINS SERGIPE MATO GROSSO BAHIA GOIÁS DISTRITO FEDERAL MATO GROSSO DO SUL MINAS GERAIS ESPÍRITO SANTO SÃO PAULO RIO DE JANEIRO PARANÁ SANTA CATARINA RIO GRANDE DO SUL

7 POR QUE FAZER MELHORAMENTO GENÉTICO?

8 Lotação esgotada: 925 milhões de pessoas no mundo passam fome - Sônia Bridi - Fantástico 27/05/12. 3

9 Lotação esgotada: 925 milhões de pessoas no mundo passam fome - Sônia Bridi - Fantástico 27/05/12. O governo brasileiro já fez as contas: dá para reduzir para menos da metade a área ocupada por um boi no campo. Hoje em dia não é mais problema técnico, é questão de querer fazer, alerta Arnaldo Carneiro. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência. Com o que já se sabe: melhoramento genético, boas pastagens e manejo.... Poderíamos hoje, com a mesma área da pecuária, dobrar ou triplicar a produção, completa Arnaldo. 3

10 MELHORAMENTO GENÉTICO FUNCIONA?

11 DIFERENÇAS ENORMES

12 Variação Genética Desm. Sobr. CE 10% Melhores 247,0 66% 22% 470,0 65% 23% 30,30 52% 21% Média 202,0 36% 0% 382,0 34% 0% 25,10 26% 0% 10% Piores 149,0 0% -26% 285,0 0% -25% 20,00 0% -20% * Grupo de Contemporâneos de 122 Machos safra 2008 Qualitas

13 Variação Genética

14 PROGRESSO CONTÍNUO ILIMITADO

15 Tendência Genética Perímetro Escrotal Musculosidade

16 PORQUÊ É IMPORTANTE PARA A PECUÁRIA?

17 TEMPO X RESULTADO

18 AVENTURAS GENÉTICAS

19 E COMO MELHORAR?

20 NÃO SE MELHORA O QUE NÃO SE MEDE.

21 O QUE MEDIR?

22

23 MELHOR BOI GORDO = MAIOR LUCRO

24 MEDINDO O QUE IMPORTA

25 PESO DESMAMA

26 GANHO PÓS DESMAMA

27 PERÍMETRO ESCROTAL

28 MUSCULOSIDADE

29 AVALIAÇÃO VISUAL 17 CARACTERÍSTICAS

30 ANIMAIS AVALIADOS 2 VEZES

31 ANIMAIS NO BANCO DE DADOS

32 MEDIÇÕES

33 UNESP JABOTICABAL PROF. DRA. LUCIA PROF. DR. AUGUSTO

34 Interpretando a DEP DEP Diferença Esperada na Progênie Interpretação Deve ser interpretada como uma diferença Sempre dentro da mesma avaliação genética Touro A DEP +10 kg Touro B DEP +3 kg Interpretação correta: Touro A produz sete kg a mais que o Touros B

35 ÍNDICE QUALITAS 20% PD + 40% GPD + 20% PE + 20% Musc.

36

37 NELORE QUALITAS = ANIMAL BEM AVALIADO

38 COMO VERIFICAR SE MEDIMOS O QUE IMPORTA?

39 QUANTO CUSTA PRODUZIR UM BOI GORDO?

40 R$ 27,00 CUSTO/CABEÇA/MÊS

41 R$ 82,00 PREÇO DE VENDA

42

43 Faz. Vale da Providência Safra 2002 Safra 2009 Premissas Pasto Pasto Peso de desmama aos 8 meses (Kg) Custo produção do bezerro R$ 459,00 R$ 459,00 Custo produzida R$ 69,55 R$ 65,89 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,271 0,359 Peso ao fim da recria (kg) Custo de recria (R$/mês) R$ 27,00 R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 98,18 R$ 74,20 Idade de abate (meses) Peso de abate (kg) Rendimento de carcaça (%) 52% 54,0% Peso de abate 17,09 19,14 Custo produzida na terminação R$ 71,36 R$ 44,98 Custo (COT) do boi terminado (R$/boi) R$ 1.296,00 R$ 1.134,00 Custo (COT) do boi terminado R$ 75,84 R$ 59,26 Preço de venda (R$) R$ 82,00 R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.401,26 R$ 1.569,25 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 105,26 R$ 435,25 Margem por boi total(%) 7,51% 38,38% AUMENTO DE 30,8% NO Resultado

44 Produzir uma arroba por R$ 59,26, é o que importa.

45 É POSSÍVEL PRODUZIR UMA ARROBA MAIS BARATA?

46 ANOS DE PROGRAMA NELORE QUALITAS

47 CRIADORES + QUALITAS + EVZ-UFG -PROF. DR. JULIANO

48 120 MELHORES TOUROS NELORE QUALITAS DA SAFRA

49 120 MELHORES TOUROS MACHOS

50 84 DIAS DE AVALIAÇÃO PESAGENS A CADA 28 DIAS

51

52 1 TRATO POR DIA GMD = 1,746 KG

53 ESTAGIÁRIOS E COLABORADORES DA UFG

54 CONSUMO DE M.S. = 10,33 KG/DIA CONSUMO EM % DO P.V. = 2,21%

55 CONVERSÃO ALIMENTAR (KG/KG) = 5,95

56 RESULTADOS CAR CAR P(%) IQ P (%) Peso final (Kg) - - 5,86 1% Receita (R$/cab) ,51 1% Custo da alimentação (R$/cab) - 26,99 1% - -

57 Cenário Safra 2002 Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 198 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,810 Custo produzida R$ 69,55 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,251 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 297 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 106,36 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 1,550 Idade de abate (meses) 24,0 Peso de abate (kg) 485 Rendimento de carcaça (%) 52,0% Peso de abate 16,83 Custo produzida na terminação R$ 63,56 Custo (COT) do boi terminado R$ 74,30 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.380,06 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 129,60 Margem por boi total(%) 10,36%

58 Cenário Safra 2009 Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 209 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,863 Custo produzida R$ 65,89 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,331 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 340 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 80,38 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 1,630 Idade de abate (meses) 23,3 Peso de abate (kg) 504 Rendimento de carcaça (%) 54,4% Peso de abate 18,26 Custo produzida na terminação R$ 52,45 Custo (COT) do boi terminado R$ 64,26 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.497,41 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 324,03 Margem por boi total(%) 27,62% AUMENTO DE 17,25% NO RESULTADO

59 Centro de eficiência alimentar TOUROS Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 216 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,898 Custo produzida R$ 63,75 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,450 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 394 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 59,16 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 1,746 Idade de abate (meses) 22,7 Peso de abate (kg) 539 Rendimento de carcaça (%) 57,5% Peso de abate 20,66 Custo produzida na terminação R$ 39,96 Custo (COT) do boi terminado R$ 53,76 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.694,51 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 583,53 Margem por boi total(%) 52,52% AUMENTO DE 42,16% NO RESULTADO

60 Centro de eficiência alimentar Touros TOP Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 228 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,956 Custo produzida R$ 60,39 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,473 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 415 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 56,31 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 2,128 Idade de abate (meses) 22,7 Peso de abate (kg) 592 Rendimento de carcaça (%) 57,9% Peso de abate 22,84 Custo produzida na terminação R$ 33,40 Custo (COT) do boi terminado R$ 48,63 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.873,24 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 762,26 Margem por boi total(%) 68,61% AUMENTO DE 58,25% NO RESULTADO

61

62 Centro de eficiência alimentar 2011 QLT Justiceiro Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 189 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,766 Custo produzida R$ 72,86 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,369 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 335 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 72,12 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 2,490 Idade de abate (meses) 22,7 Peso de abate (kg) 542 Rendimento de carcaça (%) 57,1% Peso de abate 20,63 Custo produzida na terminação R$ 31,81 Custo (COT) do boi terminado R$ 53,86 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.691,53 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 580,55 Margem por boi total(%) 52,26% REDUÇÃO DE 50% NO CUSTO NO CONFINAMENTO

63 QUALITAS JUSTICEIRO

64 Centro de eficiência alimentar 2011 QLT Jambock Premissas Pasto + Conf Idade de desmama (meses) 7 Peso de desmama (Kg) 223 GMD do nascimento à desmama (Kg/dia) 0,932 Custo produzida R$ 61,75 GMD da desmama aos 18 meses (Kg/dia) 0,486 Perído de recria (meses) 13 Peso aos 18 meses/fim da recria (kg) 415 Custo (COT) de recria (R$/mês) R$ 27,00 Custo produzida na recria R$ 54,84 GMD da recria até o abate (Kg/dia) 2,333 Idade de abate (meses) 22,7 Peso de abate (kg) 609 Rendimento de carcaça (%) 58,5% Peso de abate 23,75 Custo produzida na terminação R$ 33,00 Custo (COT) do boi terminado R$ 46,79 Preço de venda (R$) R$ 82,00 Receita por boi terminado (R$) R$ 1.947,12 Receita - Custo Operacional Total (R$/boi) R$ 836,14 Margem por boi total(%) 75,26% AUMENTO DE 64,9% NO RESULTADO

65 QUALITAS JAMBOCK

66 PRODUZIR UMA ARROBA NO CONFINAMENTO POR R$ 31,81 É O QUE IMPORTA.

67 PRODUZIR ARROBAS TOTAIS POR R$ 46,79 É O QUE IMPORTA.

68

69 Resultados de Fazendas

70 Dados de Abate Vale da Providência Ano 2012 Machos = Média: Rendimento: 54,4% Novilhas = 190 Média: Rendimento: 51,8% Vacas = 900 Média: Rendimento: 50,7%

71 Abate Novilhas Safra 2009

72 Fazenda XXX - Resultado 2011 Características do sistema Rebanho Financeiro Idade de Abate de Machos e Fêmeas 22 meses Categoria Quant. Preço/cab Receitas Custos Idade ao 1º Parto 36 meses Vacas + novilhas 1017 Estação de Monta 120 dias Bezerros mamando 441 Percentual de IA )com repasse( 52% Bezerras mamando 421 Índice de Desmama das vacas 84% Bezerros desmamados 413 Terminação em confinamento de macho 90 dias Bezerras desmamadas 428 Terminação em confinamento de vacas 45 dias Outras receitas R$! ,00 Venda de Touros 28% dos macho Bois 22 meses 292 R$1.904,00 R$ ,00 Peso de Abate de Vacas 517 Kg Touros 20 meses 114 R$4.463,92 R$ ,00 Rendimento de Carcaça das Vacas 50,20% Novilhas 20 meses 78 R$1.000,00 R$! ,00 Peso de Abate de Vacas 17,32 Vacas descarte 227 R$1.645,72 R$ ,00 Peso de Abate dos Bois 515 Kg Estoque máximo 2862 R$ ,0R$! ,79 Rendimento de Carcaça de Bois 56,0% Venda anual 711 Custo/cab/mês R$! 27,68 Peso de Abate dos Bois 19,04 Desfrute 24,8% Preço do boi R$100,00 1,68 Resultado R$ ,2 Preço da vaca R$! 95,00 Área de pasto )ha( 830 Resultado/ha R$741,60

73 AgroPontieri - Resultado 2011 Características do sistema Rebanho Financeiro Idade de Abate de Machos e Fêmeas 22 meses Categoria Quant. Preço/cab Receitas Custos Idade ao 1º Parto 36 meses Vacas + novilhas 336 Estação de Monta 75 dias Bezerros mamando 142 Percentual de IA )sem repasse( 100% Bezerras mamando 128 Índice de Desmama das vacas 80% Bezerros desmamados 135 Terminação em confinamento de machos 90 dias Bezerras desmamadas 123 Terminação em confinamento de vacas 38 dias Outras receitas R$12.232,10 Venda de Touros 22% dos machos Bois 22 meses 122 R$1.797,02 R$ ,9 Peso de Abate de Vacas 537 Kg Touros 20 meses 26 R$5.019,08 R$ ,0 Rendimento de Carcaça das Vacas 50,95% Novilhas 20 meses 73 R$1.369,84 R$99.998,00 Peso de Abate de Vacas 18,25 Vacas descarte 40 R$1.472,51 R$58.900,22 Peso de Abate dos Bois 549 Kg Estoque máximo 855 R$ ,3 R$! ,34 Rendimento de Carcaça de Bois 56,0% Venda anual 261 Custo/cab/mês R$! 23,74 Peso de Abate dos Bois 20,48 Desfrute 30,5% Preço do boi R$!87,74 3,35 Resultado R$ ,96 Preço da vaca R$!82,22 Área de pasto (há) 330 Resultado/ha R$840,21

74 COMO EXPLORAR MELHOR ESTA GENÉTICA

75

76 Categoria Idade Peso GMD Suplemento Custo BEZERRO 8 MESES 255 KG 0,900 Kg/DIA R$434,75 RECRIA 14 MESES 346 KG 0,500 Kg/DIA 0,500 Kg/DIA R$230,89 TERMINAÇÃO 1 17 MESES 436 KG 1,000 Kg/DIA 1,000 Kg/DIA R$147,93 TERMINAÇÃO 2 20 MESES 528 KG 1,000 Kg/DIA 2,500 Kg/DIA R$194,31 BOI GORDO RENDIMENTO 56,7% R$ 50,49 R$1007,88

77 MACHOS Data Fase Idade Peso GMD Suplemento Consumo (dias) (Kg) (% (Kg) P.V.) Produto (Kg/dia) Consumo (Kg/mês) Custo Custo (R$/Kg) (R$/mês) Custo Fixo (R$/mês) Custo Total (R$/mês) 01/10/2011 Nascimento 0 35 R$! 250,00 R$! /11/2011 Mamando 31d 63 0,900 0,05% 80P + VM 0,031 0,9 R$! 1,30 R$! 1,23 R$! 20,00 R$! 21,23 01/12/2011 Mamando 61d 90 0,900 0,05% 80P + VM 0,045 1,3 R$! 1,30 R$! 1,75 R$! 20,00 R$! 21,75 01/01/2012 Mamando 92d 118 0,900 0,05% 80P + VM 0,059 1,8 R$! 1,30 R$! 2,30 R$! 20,00 R$! 22,30 01/02/2012 Mamando 123d 146 0,900 0,05% 80P + VM 0,073 2,2 R$! 1,30 R$! 2,84 R$! 20,00 R$! 22,84 01/03/2012 Mamando 152d 172 0,900 0,05% 80P + VM 0,086 2,6 R$! 1,30 R$! 3,35 R$! 20,00 R$! 23,35 01/04/2012 Mamando 183d 200 0,900 0,05% 80P + VM 0,100 3,0 R$! 1,30 R$! 3,89 R$! 20,00 R$! 23,89 01/05/2012 Mamando 213d 227 0,900 0,05% 80P + VM 0,113 3,4 R$! 1,30 R$! 4,42 R$! 20,00 R$! 24,42 01/06/2012 Desmama 244d 255 0,900 0,05% 80P + VM 0,127 3,8 R$! 1,30 R$! 4,96 R$! 20,00 R$! 24,96 01/07/2012 Recria 274d 270 0,500 0,2% 60P + VM 0,539 16,2 R$! 1,00 R$! 16,18 R$! 20,00 R$! 36,18 01/08/2012 Recria 305d 285 0,500 0,2% 60P + VM 0,570 17,1 R$! 1,00 R$! 17,11 R$! 20,00 R$! 37,11 01/09/2012 Recria 336d 301 0,500 0,2% 60P + VM 0,601 18,0 R$! 1,00 R$! 18,04 R$! 20,00 R$! 38,04 01/10/2012 Recria 366d 316 0,500 0,2% 60P + VM 0,631 18,9 R$! 1,00 R$! 18,94 R$! 20,00 R$! 38,94 01/11/2012 Recria 397d 331 0,500 0,2% 60P + VM 0,662 19,9 R$! 1,00 R$! 19,87 R$! 20,00 R$! 39,87 01/12/2012 Recria 427d 346 0,500 0,2% 60P + VM 0,692 20,8 R$! 1,00 R$! 20,77 R$! 20,00 R$! 40,77 01/01/2013 Terminação 458d 377 1,000 0,3% 60P + VM 1,131 33,9 R$! 0,80 R$! 27,15 R$! 20,00 R$! 47,15 01/02/2013 Terminação 489d 408 1,000 0,3% 60P + VM 1,224 36,7 R$! 0,80 R$! 29,38 R$! 20,00 R$! 49,38 01/03/2013 Terminação 517d 436 1,000 0,3% 60P + VM 1,308 39,2 R$! 0,80 R$! 31,40 R$! 20,00 R$! 51,40 01/04/2013 Terminação 548d 467 1,000 0,5% 60P + VM 2,336 70,1 R$! 0,60 R$! 42,04 R$! 20,00 R$! 62,04 01/05/2013 Terminação 578d 497 1,000 0,5% 60P + VM 2,486 74,6 R$! 0,60 R$! 44,74 R$! 20,00 R$! 64,74 01/06/2013 Terminação 609d 528 1,000 0,5% 60P + VM 2,641 79,2 R$! 0,60 R$! 47,53 R$! 20,00 R$! 67,53 Total 463,7 R$! 0,77 R$!357,87 R$! 650,00 R$! 1007,87 Bezerro 244d 255 0,900 R$! 434,75 Recria 427d 346 0,500 R$! 230,89 Terminação 609d 528 1,000 R$! 342,24 Boi gordo 56,7% R$! 1007,87 R$! 50,49

78 Estamos Longe desta VISÃO?

79 Experimento AgroPontieri Safra 2010

80 Curva de Crescimento - Machos Safra AgroPontieri Nascimento 7 meses 9 meses 12 meses 15 meses 16 meses 17 meses 18 meses 19 meses 20 meses 82

81 500 Curva de Crescimento - Sem os 20% Piores Nascimento 7 meses 9 meses 12 meses 15 meses 16 meses 17 meses 18 meses 19 meses 20 meses

82

83

84

85

86

87

88

89

90

91

92

93 O MELHOR TOURO É O MELHOR BOI GORDO.

94 Nenhum pecuarista deve investir na seleção do rebanho se não esperar algum benefício econômico a partir deste investimento. Scot Consultoria, 2009

95 OBRIGADO Émerson Moraes

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

O papel da genética na. de corte brasileira. Leonardo Souza Qualitas Agronegócios

O papel da genética na. de corte brasileira. Leonardo Souza Qualitas Agronegócios O papel da genética na lucratividade da pecuária de corte brasileira. Leonardo Souza Qualitas Agronegócios Porquefazer melhoramentogenético? Comparação entre pesos vivos de frangos de acordo com linhagens

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400 ORGAO : 33000 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL UNIDADE : 33201 - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ANEXO CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1,

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

Boletim Informativo* Agosto de 2015

Boletim Informativo* Agosto de 2015 Boletim Informativo* Agosto de 2015 *Documento atualizado em 15/09/2015 (Erratas páginas 2, 3, 4 e 9) EXTRATO GERAL BRASIL 1 EXTRATO BRASIL 396.399.248 ha 233.712.312 ha 58,96% Número de Imóveis Cadastrados²:

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2013 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2013 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2014 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2014 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

Circuito Feicorte NFT

Circuito Feicorte NFT Circuito Feicorte NFT 2012 Perfil da Carne Bovina Brasileira (2010) Rebanho Bovino Brasileiro por Estado (mi cab.) Rebanho Bovino (mi cab.) Var. % Var. % % do Total Estado 1999 (a) 2008 (b) 2009 (c) (b)/(a)

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS,

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Graduação em Química Universidade de São Paulo. Claudimir Lucio do Lago Julho de 2007

Graduação em Química Universidade de São Paulo. Claudimir Lucio do Lago Julho de 2007 Programa de Pós-GraduaP Graduação em Química Universidade de São Paulo Claudimir Lucio do Lago Julho de 2007 História Os cursos de mestrado e doutorado do IQ-USP foram iniciados em fevereiro de 1970 nas

Leia mais

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior

Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS Consultor Sênior BEZERROS: VENDER, RECRIAR OU ENGORDAR? Apesar de muitos pecuaristas não adotarem formalmente a estação de monta no Brasil há uma expressiva concentração do numero de animais desmamados no final do 1º semestre.

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00

CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 ORGAO : 36000 - MINISTERIO DA SAUDE UNIDADE : 36211 - FUNDACAO NACIONAL DE SAUDE ANEXO I CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 E G R M I F FUNC.

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO

Leia mais

Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo... 55

Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo... 55 Linha Temática II - Migrações Internas e Internacionais Contemporâneas em São Paulo...... 55 Distribuição relativa (%) de imigrantes bolivianos no Estado de São Paulo em 20 I O..._... 62 Distribuição relativa

Leia mais

Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015

Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015 Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015 Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte A rentabilidade em propriedades típicas de recria-engorda do estado

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

46.051 46.051 S 3 1 90 0 100 46.051

46.051 46.051 S 3 1 90 0 100 46.051 UNIDADE : 14102 - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ACRE UNIDADE : 14105 - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA 0570 GESTAO DO PROCESSO ELEITORAL 50.468 0570 GESTAO DO PROCESSO ELEITORAL 107.350 50.468 RES,

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população não possui coleta

Leia mais

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade.

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade. OUTUBRO 2006 Para chegar ao novo animal, os criadores contaram com a ajuda do superintendente do laboratório de inseminação artificial Sersia Brasil, Adriano Rúbio, idealizador da composição genética

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília Mensagem eletrônica n.º 229/2015-SIC/DIREX/DPF Prezada Senhora, 1. Trata-se de requerimento de informação

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia 0,52% em agosto O Índice Nacional da Construção

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010 Contas Regionais do Brasil 2010 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 28,1 Indústria extrativa 3,0 Indústrias de transformação 16,2 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS Disciplina: Exterior e raças Prof. Mauricio van Tilburg

Leia mais

Gestão de propriedades rurais

Gestão de propriedades rurais Gestão de propriedades rurais Fabiano Alvim Barbosa Médico Veterinário Doutor Produção Animal Professor - Escola de Veterinária - UFMG Setembro, 2012 Alta Floresta - MT Gestão e Planejamento A gestão empresarial

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas Nº de Famílias Beneficiadas pelo Bolsa Família em Relação ao Total de Famílias do Nº de Famílias Beneficiadas / Total de Famílias - ano 2015 (%) 50,00% 48,2% 42,8% Média Nacional - % de Famílias Beneficiadas

Leia mais

Parceiros. Apoio. Consed Rede Andi Brasil Todos pela Educação. Canal Futura Congemas Undime

Parceiros. Apoio. Consed Rede Andi Brasil Todos pela Educação. Canal Futura Congemas Undime Objetivo : Identificar, reconhecer, dar visibilidade e estimular o trabalho de ONGs que contribuem, em articulação com as políticas públicas de educação e de assistência social, para a educação integral

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DAPARAÍBA

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social Oferta de vagas por instituição UNIVERSIDADES FEDERAIS FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE 408 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA 636 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM UMUARAMA/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco Estudo Estratégico n o 4 Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco PANORAMA GERAL ERJ receberá investimentos recordes da ordem

Leia mais

F.19 - Cobertura de coleta de lixo

F.19 - Cobertura de coleta de lixo Comentários sobre os Indicadores de Cobertura até 6 F.19 - Cobertura de coleta de lixo Limitações: Requer informações adicionais sobre as condições de funcionamento (freqüência, assiduidade, volume transportado

Leia mais

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Leonardo Souza Qualitas Consultoria Agropecuária BRAVO BEEF GOIÁS Médico Veterinário leo.nz@terra.com.br 62-3097-1030 62-3383-1170 62-9994-1165 Melhoramento

Leia mais

Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos. 9º Encontro Caisan 11/03/2015

Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos. 9º Encontro Caisan 11/03/2015 Pactuação do processo de construção da Estratégia de Educação Permanente do Sisan para os próximos 4 anos 9º Encontro Caisan 11/03/2015 Contribuição das Conferências de SAN ao debate da educação e formação

Leia mais

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 ACONTE informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 Grupo de novilhas super precoces que estarão à venda no Leilão Nelore Mocho CV do dia 28 de julho em Paulínia, SP. Prenhes aos 12 a 14 meses. Leilões

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

Educação e trabalho em saúde

Educação e trabalho em saúde Educação e trabalho em saúde Dra. Celia Regina Pierantoni, MD, DSc Professora Associada do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do IMS/UERJ. Coordenadora Geral do ObservaRH. Diretora do Centro Colaborador

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 19/03/2015 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG

Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica. Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG Sistemas de Produção em Pecuária de Corte Análise Crítica Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG As organizações empresariais fracassam por um desses motivos: Sistema sem paixão; Paixão

Leia mais

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002).

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002). 1 PROGNÓSTICO CLIMÁTICO (Fevereiro, Março e Abril de 2002). O Instituto Nacional de Meteorologia, órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base nas informações de análise e prognósticos

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). 1 PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). O prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento,

Leia mais

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás O QUE É Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento 1 QUEM SÃO Total de Pessoas: 12.023.703 84% Rural 16% Urbano Total: 10.091.409 Total:

Leia mais

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Universidade de São S o Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Zootecnia Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Prof. Dr. Moacyr Corsi Eng Agro.

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br CLASSIFICAÇÃO NÍVEL DE TECNOLOGIA ADOTADO: extensivo, semi-extensivo, semi-intensivo e intensivo

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011

Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011 Indicador do PIB Trimestral Espírito Santo IV Trimestre de 2011 Vitória, 29 de Maio de 2012 Indicador de PIB trimestral 17 atividades econômicas pesquisadas, em consonância com os setores das Contas Regionais

Leia mais

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Benavente, 18 de Abril de 2013 1 - Resultados produtivos e reprodutivos 1.1 - Indicadores da evolução do efetivo 1.2 - Indicadores de produtividade 2 -

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003). 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Endereço: Eixo Monumental VIA S1 Telefone: + 55 61 344.3333/ Fax:+ 55 61 344.0700 BRASÍLIA / DF - CEP:

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 23/01/15 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged),

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM PARANAVAÍ/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Organização Internacional

Leia mais

5 de fevereiro de 2002

5 de fevereiro de 2002 5 de fevereiro de 2002 O Banco do Estado do Amazonas Bea foi privatizado em 24 de Janeiro de 2002 por R$ 182,9 milhões, equivalentes ao preço mínimo. O adquirente foi o Bradesco, um conglomerado financeiro

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia 0,59% em Junho O Índice Nacional da Construção

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados Apresentação Este relatório apresenta os resultados da 14ª Avaliação de Perdas realizada com os principais supermercados do Brasil. As edições

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais