Direito Tributário. Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro. Professora Giuliane Torres

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direito Tributário. Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro. Professora Giuliane Torres"

Transcrição

1 Direito Tributário Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro Professora Giuliane Torres

2

3 Direito Tributário SUCESSÃO EMPRESARIAL, RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA E RESPONSABILIDADEDE TERCEIRO SUCESSÃO EMPRESARIAL De acordo com o art. 132 do Código Tributário Nacional, as pessoas jurídicas de direito privado decorrentes de fusão, transformação, incorporação ou cisão respondem pelos tributos devidos até a data do ato pela pessoa originária, ou seja, a sucessora é responsável pelos débitos da sucedida existentes até a data da formalização do negócio. Fusão: A + B = C A = ANTARCTICA B = BRAHMA C = AMBEV Assim, o que a Antarctica e a Brahma deviam de tributos, passa a ser todo da Ambev. Incorporação: A compra B = A maior. Se a Antarctica compra (incorpora) a Brahma, resulta numa empresa Antarctica maior. Assim, a Antarctica continua responsável pelos tributos que ela deve e passa a ser responsável pelos tributos que a Brahma devia. Transformação: A Ltda se transforma numa empresa A S.A., assim, a S.A. fica responsável pelos tributos devidos pela A Ltda. Art A pessoa natural ou jurídica de direito privado que adquirir de outra, por qualquer título, fundo de comércio ou estabelecimento comercial, industrial ou profissional, e continuar a respectiva exploração, sob a mesma ou outra razão social ou sob firma ou nome individual, responde pelos tributos, relativos ao fundo ou estabelecimento adquirido, devidos até à data do ato: 3

4 I integralmente, se o alienante cessar a exploração do comércio, indústria ou atividade; II subsidiariamente com o alienante, se este prosseguir na exploração ou iniciar dentro de seis meses a contar da data da alienação, nova atividade no mesmo ou em outro ramo de comércio, indústria ou profissão. No caso de, por exemplo, a Sadia comprar uma filial da Perdigão, mas apenas uma filial, não a empresa toda, quem responderia pelos débitos tributários daquela filial? Nesse caso, se quem vendeu a filial continua atuando no mercado, não paralisou as atividades, vai ter que pagar pelo débito que gerou. Assim, quem comprou só responde pelos débitos tributários subsidiariamente. Contudo, se a empresa que vendeu não está funcionando ali e na verdade não parou as atividades, apenas parou por um período, o CTN estabelece o prazo de 6 meses. Se parar por mais de 6 meses, quem comprou será o responsável pelos débitos. Se for até 6 meses, quem vendeu permanece o responsável pelos débitos. 1º O disposto no caput deste artigo não se aplica na hipótese de alienação judicial: (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) I em processo de falência; (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) II de filial ou unidade produtiva isolada, em processo de recuperação judicial.(incluído pela Lcp nº 118, de 2005) 2º Não se aplica o disposto no 1º deste artigo quando o adquirente for: (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) I sócio da sociedade falida ou em recuperação judicial, ou sociedade controlada pelo devedor falido ou em recuperação judicial; (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) II parente, em linha reta ou colateral até o 4º (quarto) grau, consangüíneo ou afim, do devedor falido ou em recuperação judicial ou de qualquer de seus sócios; ou (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) III identificado como agente do falido ou do devedor em recuperação judicial com o objetivo de fraudar a sucessão tributária. (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) 3º Em processo da falência, o produto da alienação judicial de empresa, filial ou unidade produtiva isolada permanecerá em conta de depósito à disposição do juízo de falência pelo prazo de 1 (um) ano, contado da data de alienação, somente podendo ser utilizado para o pagamento de créditos extraconcursais ou de créditos que preferem ao tributário. (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005) 1º No caso de falência e recuperação judicial, o CTN disciplina que a regra acima explicada não se aplica. Contudo, para evitar fraudes, existe a seguinte exceção: * Quando, mesmo em falência ou recuperação judicial, o adquirente for familiar até o 4º grau. * Também responde, mesmo em falência ou recuperação judicial, o adquirente que está agindo como "laranja" do vendedor. 4

5 Sucessão Empresarial, Responsabilidade Tributária e Responsabilidade de Terceiro Profª Giuliane Torres RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA Há diversos casos de responsabilidade dentro do CTN que podem ser aplicados para qualquer tributo. Mas o legislador pode criar outros casos, que estão dispostos na legislação tributária de cada tributo. A pessoa nomeada como responsável tributário tem que estar vinculada ao fato gerador. Não pode ser qualquer pessoa. Para que alguém seja responsabilizado tem que haver expressa disposição de lei. Não pode estar implícito na lei. Responsabilidade não se presume. Ninguém é obrigado a nada senão em virtude de lei. Quando o legislador disser que o contribuinte é responsável, ele pode excluir essa responsabilidade ou atribuir essa responsabilidade de forma supletiva, ou seja, esse alguém não pode ser cobrado de imediato. Primeiro se cobra da pessoa principal e após, do subsidiário. Responsabilidade: Quando se fala em responsabilidade se sabe que quem vai ter que pagar é alguém que não praticou o fato gerador, pois quem praticou o fato gerador é o contribuinte. Contudo, há situações em que o dever de pagar do responsável já surge de imediato, junto com o fato gerador. Art Sem prejuízo do disposto neste capítulo, a lei pode atribuir de modo expresso a responsabilidade pelo crédito tributário a terceira pessoa, vinculada ao fato gerador da respectiva obrigação, excluindo a responsabilidade do contribuinte ou atribuindo-a a este em caráter supletivo do cumprimento total ou parcial da referida obrigação. RESPONSABILIDADE DE TERCEIROS Nas hipóteses do art. 134 do CTN, a responsabilidade dos terceiros é subsidiária (e não propriamente solidária, como dita a norma), ou seja, o cumprimento da obrigação tributária primeiro deve ser exigido do contribuinte. Por outro lado, só existe tal obrigação subsidária caso o não pagamento da obrigação pecuniária tenha sido decorrente de atos nos quais os terceiros intervieram ou das omissões pelas quais forem responsáveis. A responsabilidade de terceiros é diferente das demais, pois não há transferência de responsabilidade. Art Nos casos de impossibilidade de exigência do cumprimento da obrigação principal pelo contribuinte, respondem solidariamente com este nos atos em que intervierem ou pelas omissões de que forem responsáveis: I os pais, pelos tributos devidos por seus filhos menores; II os tutores e curadores, pelos tributos devidos por seus tutelados ou curatelados; III os administradores de bens de terceiros, pelos tributos devidos por estes; IV o inventariante, pelos tributos devidos pelo espólio; 5

6 V o síndico e o comissário, pelos tributos devidos pela massa falida ou pelo concordatário; VI os tabeliães, escrivães e demais serventuários de ofício, pelos tributos devidos sobre os atos praticados por eles, ou perante eles, em razão do seu ofício; VII os sócios, no caso de liquidação de sociedade de pessoas. Parágrafo único. O disposto neste artigo só se aplica, em matéria de penalidades, às de caráter moratório. Requisitos para a responsabilização de terceiros: 1. Impossibilidade de cobrança ao contribuinte. 2. Tem que haver ação ou omissão do terceiro. A responsabilidade acima, apenas se aplica em multa de caráter moratório, ou seja, multa pelo atraso, que é relativamente pequena. Para as multas de ofício, a responsabilidade é do contribuinte, não do responsável. Art São pessoalmente responsáveis pelos créditos correspondentes a obrigações tributárias resultantes de atos praticados com excesso de poderes ou infração de lei, contrato social ou estatutos: I as pessoas referidas no artigo anterior; II os mandatários, prepostos e empregados; III os diretores, gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito privado. 6

Direito Tributário. Aula 16. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 16. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 16 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Súmula 554-STJ. Márcio André Lopes Cavalcante DIREITO TRIBUTÁRIO

Súmula 554-STJ. Márcio André Lopes Cavalcante DIREITO TRIBUTÁRIO Súmula 554-STJ Márcio André Lopes Cavalcante DIREITO TRIBUTÁRIO RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA Responsabilidade tributária por sucessão empresarial abrange não apenas os tributos, como também as multas moratórias

Leia mais

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DO CONTADOR, ADMINISTRADOR E EMPRESÁRIO E OS CRIMES DE LDD. RONEY S. FREIRE CORRÊA AFRFB DRF/VARGINHA-MG

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DO CONTADOR, ADMINISTRADOR E EMPRESÁRIO E OS CRIMES DE LDD. RONEY S. FREIRE CORRÊA AFRFB DRF/VARGINHA-MG A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DO CONTADOR, ADMINISTRADOR E EMPRESÁRIO E OS CRIMES DE LDD. RONEY S. FREIRE CORRÊA AFRFB DRF/VARGINHA-MG ART 134 DO CTN Nos casos de impossibilidade de exigência do cumprimento

Leia mais

Legislação e tributação comercial

Legislação e tributação comercial 5.5 Sujeito passivo É a pessoa, física ou jurídica, obrigada ao cumprimento da obrigação tributária. Como vimos o sujeito ativo tem o direito de exigir. O sujeito passivo tem o dever de prestar o seu objeto.

Leia mais

Responsabilidade Tributária: Na Sucessão Empresarial, na Dissolução Irregular e na Substituição Tributária. Marcelo Campos

Responsabilidade Tributária: Na Sucessão Empresarial, na Dissolução Irregular e na Substituição Tributária. Marcelo Campos Responsabilidade Tributária: Na Sucessão Empresarial, na Dissolução Irregular e na Substituição Tributária Marcelo Campos Responsabilidade Tributária Art. 121. Sujeito passivo da obrigação principal é

Leia mais

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA Conceito OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA Obrigação é a relação jurídica que se estabelece entre um sujeito ativo (credor), que pode exigir de um sujeito passivo (devedor) uma prestação de caráter patrimonial (objeto)

Leia mais

UNIDADE 5 OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA

UNIDADE 5 OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA UNIDADE 5 OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA Sujeito Ativo Sujeito Passivo Objeto Causa Sujeito Ativo (Credor) Pode ser: Direto Estado (Capacidade Plena) Por delegação Por Sub-rogação - Desmembramento territorial Sujeito

Leia mais

Efeitos da sucessão no Direito Tributário. Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos:

Efeitos da sucessão no Direito Tributário. Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos: Efeitos da sucessão no Direito Tributário Kiyoshi Harada Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos: Art. 133. A pessoa natural ou jurídica de direito privado que adquirir

Leia mais

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA PRINCIPAL E ACESSÓRIA

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA PRINCIPAL E ACESSÓRIA 1 OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA PRINCIPAL E ACESSÓRIA Conceito: A relação tributária surge da ocorrência de um fato previsto em uma norma como capaz de produzir esse efeito; a lei descreve um fato e atribui a este

Leia mais

FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS

FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS ANEXO PRE 145.16 FECHAMENTO DE CONCESSIONÁRIAS ROTEIRO ILUSTRATIVO DE ASSUNTOS QUE MERECEM ATENÇÃO NA DESCONTINUIDADE DE NEGÓCIOS I ASPECTOS FISCAIS 1. Verificação de Passivos e Ativos Federais: 1.1. Secretaria

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO PROFESSOR FLÁVIO

DIREITO TRIBUTÁRIO PROFESSOR FLÁVIO FACULDADE CEARENSE CURSO: DIREITO DIREITO TRIBUTÁRIO PROFESSOR FLÁVIO 1 ASSUNTOS AULA 7 1) Responsabilidade Tributária 2) Solidariedade 3) Capacidade Tributária Passiva 4) Domicílio Tributário 5) Suspensão

Leia mais

SE LIGA... a) Exercício em Dupla I 05 pontos 01/04/2011. b) 1ª Avaliação (com consulta ao CTN e CF/88) 15 pontos 15/04/2011

SE LIGA... a) Exercício em Dupla I 05 pontos 01/04/2011. b) 1ª Avaliação (com consulta ao CTN e CF/88) 15 pontos 15/04/2011 SE LIGA... a) Exercício em Dupla I 05 pontos 01/04/2011 b) 1ª Avaliação (com consulta ao CTN e CF/88) 15 pontos 15/04/2011 nivea@cordeiroeaureliano.com.br 1 Obrigação Tributária ria Nívea Cordeiro 2011

Leia mais

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA. FATO GERADOR e OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA. Curso Online Intensivo OAB/FGV - V Exame Unificado

OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA. FATO GERADOR e OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA. Curso Online Intensivo OAB/FGV - V Exame Unificado Curso Online Intensivo OAB/FGV - V Exame Unificado Direito Tributário Aula 07 Professor Claudio Carneiro Fato Gerador Classificação do Fato Gerador Elementos do Fato Gerador Integral Relação Jurídica Tributária

Leia mais

Aula Responsabilidade Tributária

Aula Responsabilidade Tributária Aula Responsabilidade Tributária 1) Determinada pessoa física adquiriu de outra uma papelaria, estipulando-se, no contrato de compra e venda do estabelecimento, que o vendedor assumia plena responsabilidade

Leia mais

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira

As sociedades empresárias no Código Civil. José Rodrigo Dorneles Vieira As sociedades empresárias no Código Civil José Rodrigo Dorneles Vieira jrodrigo@portoweb.com.br 1. A LEGISLAÇÃO EMPRESARIAL: ANÁLISE GERAL 2. CARACTERIZAÇÃO DO EMPRESÁRIO Conceito de empresário A questão

Leia mais

Prof. Alexandre Lugon LEI FATO GERADOR DEVER JURÍDICO = PRESTAÇÃO TRIBUTO SANÇÃO DO ATO ILÍCITO

Prof. Alexandre Lugon LEI FATO GERADOR DEVER JURÍDICO = PRESTAÇÃO TRIBUTO SANÇÃO DO ATO ILÍCITO UNIDADE IV OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA LEI FATO GERADOR SUJEITO ATIVO SUJEITO PASSIVO DEVER JURÍDICO = PRESTAÇÃO Obrigação Trib Principal Prestação DE DAR: TRIBUTO SANÇÃO DO ATO ILÍCITO PENALIDADE PECUNIÁRIA

Leia mais

Aula 10: Responsabilidade tributária.

Aula 10: Responsabilidade tributária. Aula 10: Responsabilidade tributária. Bom pessoal, só recapitulando, vimos na aula passada diversos aspectos da relação obrigacional tributária: - Hipótese de incidência; - Fato gerador; - Sujeito ativo

Leia mais

SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SOS OAB Direito Tributário Rafael Saldanha 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÃO 01 É tributo contraprestacional: (A) a CSLL. (B) o IRPJ. (C) a COFINS. (D)

Leia mais

Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello. Unidade III

Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello. Unidade III Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Unidade III DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES Obrigação tributária Ao falar da obrigação tributária, é inevitável socorrer-se das lições de Direito Civil em que apresenta-se

Leia mais

LEGALE CURSO DE EXECUÇÃO TRABALHISTA. Sujeito Passivo / Grupo de Empresas / Sucessão

LEGALE CURSO DE EXECUÇÃO TRABALHISTA. Sujeito Passivo / Grupo de Empresas / Sucessão LEGALE CURSO DE EXECUÇÃO TRABALHISTA Sujeito Passivo / Grupo de Empresas / Sucessão Professor: Rogério Martir Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad Del Museo Social Argentino, Advogado

Leia mais

Curso Direito Tributário Teoria e Exercícios AFRF (ESAF) Professor Alberto Macedo. Aula 09 Responsabilidade Tributária

Curso Direito Tributário Teoria e Exercícios AFRF (ESAF) Professor Alberto Macedo. Aula 09 Responsabilidade Tributária Conteúdo 1. RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - INTRODUÇÃO... 3 2. RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA POR SUBSTITUIÇÃO... 4 3. RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA POR TRANSFERÊNCIA... 6 3.1. RESPONSABILIDADE DOS SUCESSORES...

Leia mais

Fato Gerador. fato que gera a obrigação tributária. Refere-se à concretização da hipótese de incidência Deve ser definido em lei Exemplos:

Fato Gerador. fato que gera a obrigação tributária. Refere-se à concretização da hipótese de incidência Deve ser definido em lei Exemplos: Fato Gerador fato que gera a obrigação tributária. Refere-se à concretização da hipótese de incidência Deve ser definido em lei Exemplos: Prestar serviços (ISS) Fazer circular mercadorias (ICMS) Receber

Leia mais

Fato Gerador LINHA DO TEMPO

Fato Gerador LINHA DO TEMPO Fato Gerador LINHA DO TEMPO 1º ) Lei criou o imposto com a sua HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA 2º ) Ocorreu o FATO GERADOR do imposto 3º ) Consequentemente surge o OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA 4º ) Ocorre o LANÇAMENTO

Leia mais

Desse modo, esse adquirente

Desse modo, esse adquirente 1-(FCC - 2012 - Prefeitura de São Paulo - SP - Auditor Fiscal do Município) Uma pessoa adquiriu bem imóvel, localizado em área urbana de município paulista, sem exigir que o vendedor lhe exibisse ou entregasse

Leia mais

Dissolução, Liquidação e Extinção da PJ

Dissolução, Liquidação e Extinção da PJ Dissolução, Liquidação e Extinção da PJ 001 O que se entende por extinção da pessoa jurídica? A extinção da firma individual ou de sociedade mercantil é o término da sua existência; é o perecimento da

Leia mais

QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO

QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO QUESTÕES ENADE - DIREITO TRIBUTÁRIO QUESTÕES ENADE 2011 1 - Os elementos que o Estado deve ter em mente ao determinar o valor da taxa a ser cobrada do contribuinte (...) devem resultar da intensidade e

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Zeta é uma sociedade empresária cujo objeto social é a compra, venda e montagem de peças metálicas utilizadas em estruturas de shows e demais eventos. Para o regular

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Senhor Alexandre Leite)

PROJETO DE LEI Nº, DE (Do Senhor Alexandre Leite) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Senhor Alexandre Leite) Altera a Constituição das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, bem como insere o artigo 15-A no Novo

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 7 Empresário e estabelecimento empresarial Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Evolução - Empresa Teoria subjetiva Corporações de ofício Teoria objetiva atos de comércio lista taxativa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.336, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2001. Institui Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e

Leia mais

STF CONSIDEROU INCONSTITUCIONAL RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS POR DÍVIDAS PREVIDENCIÁRIAS 23 MESES APÓS REVOGAÇÃO DO TEXTO JULGADO PELA CORTE.

STF CONSIDEROU INCONSTITUCIONAL RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS POR DÍVIDAS PREVIDENCIÁRIAS 23 MESES APÓS REVOGAÇÃO DO TEXTO JULGADO PELA CORTE. STF CONSIDEROU INCONSTITUCIONAL RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS POR DÍVIDAS PREVIDENCIÁRIAS 23 MESES APÓS REVOGAÇÃO DO TEXTO JULGADO PELA CORTE. Roberto Rodrigues de Morais A notícia divulgada pelo STF de

Leia mais

DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO NA RECUPERAÇÃO E NA FALÊNCIA DE EMPRESÁRIO OU SOCIEDADE EMPRESÁRIA

DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO NA RECUPERAÇÃO E NA FALÊNCIA DE EMPRESÁRIO OU SOCIEDADE EMPRESÁRIA DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO NA RECUPERAÇÃO E NA FALÊNCIA DE EMPRESÁRIO OU SOCIEDADE EMPRESÁRIA José da Silva Pacheco SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Da nova lei sobre recuperação judicial e falência. 2.1. Da referida

Leia mais

Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível

Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível Fabyola Emilin Rodrigues - criminal Newton Coca Bastos Marzagão - cível RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL DOS ADMINISTRADORES CENÁRIO ATUAL RESPONSABILIDADE CRIMINAL - PERSPECTIVA GLOBALIZADA Convenção de Viena

Leia mais

OS LIMITES PARA A RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DOS SÓCIOS E ADMINISTRADORES POR DÉBITOS TRIBUTÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA

OS LIMITES PARA A RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DOS SÓCIOS E ADMINISTRADORES POR DÉBITOS TRIBUTÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA OS LIMITES PARA A RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DOS SÓCIOS E ADMINISTRADORES POR DÉBITOS TRIBUTÁRIOS DA PESSOA JURÍDICA 1. Introdução Miguel Teixeira Filho Advogado em Joinville/SC www.teixeirafilho.com.br

Leia mais

PARECER NORMATIVO Nº 1, DE 24 DE SETEMBRO DE 2002

PARECER NORMATIVO Nº 1, DE 24 DE SETEMBRO DE 2002 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL PARECER NORMATIVO Nº 1, DE 24 DE SETEMBRO DE 2002 Ementa: IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF. IRRF. RETENÇÃO EXCLUSIVA. RESPONSABILIDADE. No caso de imposto de renda

Leia mais

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional. O Secretário da Receita Federal do Brasil e a Procuradora-Geral da Fazenda Nacional,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2016

PROJETO DE LEI Nº DE 2016 PROJETO DE LEI Nº DE 2016 Altera os prazos previstos na Lei nº 13.254, de 13 de janeiro de 2016, que dispõe sobre o Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) de recursos, bens ou direitos

Leia mais

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha

Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha Simulado Super Receita 2013 Direito Tributário Simulado Rafael Saldanha 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 01 - (ESAF/2012) Analise as proposições a seguir e

Leia mais

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2013 Dissolução, Liquidação e Extinção da PJ 001 O que se entende por extinção da pessoa jurídica? A extinção da pessoa jurídica é o término da sua existência; é o perecimento

Leia mais

Direito Tributário para o Exame de Ordem

Direito Tributário para o Exame de Ordem Direito Tributário para o Exame de Ordem 3 Conceito de Tributo. 4 Legislação Tributária. 5 Obrigação Tributária. 6 Crédito Tributário. (1a. Parte: Conceito, Constituição) Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO Claudio Borba

DIREITO TRIBUTÁRIO Claudio Borba DIREITO TRIBUTÁRIO Claudio Borba FISCALIZAÇÃO Art. 194 e parágrafo único, CTN Art. 194 - A legislação tributária, observado o disposto nesta Lei, regulará, em caráter geral, ou especificamente em função

Leia mais

Aula Crédito tributário: conceito e constituição. 7. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento.

Aula Crédito tributário: conceito e constituição. 7. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento. Aula 4 6. Crédito tributário: conceito e constituição. 7. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento. 1. (AFAM.UFRJ.2005.62) O Código Tributário Nacional numa interpretação autêntica ou legal estabelece

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL

DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL A SOCIEDADE NO CÓDIGO CIVIL DE 2002 Art. 981. Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha,

Leia mais

FGV.OAB 2010/2 DIREITO TRIBUTARIO

FGV.OAB 2010/2 DIREITO TRIBUTARIO FGV.OAB 2010/2 DIREITO TRIBUTARIO 1. Em Direito Tributário, cumpre à lei ordinária: (A) estabelecer a cominação ou dispensa de penalidades para as ações ou omissões contrárias a seus dispositivos. (B)

Leia mais

Curso de Legislação - IPVA/SP

Curso de Legislação - IPVA/SP 1 Curso de Legislação - IPVA/SP Professor Fernando Corrêa professor.fernando.mauricio@gmail.com 2 LEI Nº 13.296, de 2008 IPVA / SP Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA Considera-se

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE 2007 - DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA Alterado pela PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 - DOU DE 22/01/2010 Dispõe sobre a prova

Leia mais

1 Classificação das sociedades

1 Classificação das sociedades 1 Classificação das sociedades Qto à forma de exploração do objeto Qto à personificação Qto ao regime de constituição Qto à forma de constituição Qto à nacionalidade Qto ao capital Qto à responsabilidade

Leia mais

Fiscal Legislação Tributária Questões Imposto de Renda - 1 Rafael Saldanha

Fiscal Legislação Tributária Questões Imposto de Renda - 1 Rafael Saldanha Fiscal Legislação Tributária Questões Imposto de Renda - 1 Rafael Saldanha 2014 2015 Copyright. Curso Agora Eu Eu Passo - - Todos os direitos reservados ao ao autor. Legislação Receita Federal IRPF e IRPJ

Leia mais

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição]

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] CAPÍTULO I. Introdução ao Curso de Contabilidade Introdução ao Curso de Contabilidade 1. Contabilidade. 2. Contabiliza.se o quê. 3. O

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA AFRFB 2013 Teoria e Exercícios Professor: MURILLO LO VISCO AULA 08 IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA JURÍDICA PARTE 01

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA AFRFB 2013 Teoria e Exercícios Professor: MURILLO LO VISCO AULA 08 IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA JURÍDICA PARTE 01 AULA 08 IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA JURÍDICA PARTE 01 Olá, concursando! Com esta aula iniciamos o estudo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ). Para que você possa acompanhar o desenvolvimento do

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda N.º 191 - Seção 1, sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PORTARIA Nº 1751, DE 2 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal

Leia mais

RESUMÃO PLUS DE DIREITO TRIBUTÁRIO PARA A OAB

RESUMÃO PLUS DE DIREITO TRIBUTÁRIO PARA A OAB 1 RESUMÃO PLUS DE DIREITO TRIBUTÁRIO PARA A OAB O presente resumo aborda os assuntos mais cobrados pela FGV nos exames de Ordem que realizou. A sequência em que a matéria é apresentada leva em consideração

Leia mais

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65

ARTIGO 65 DA LEI Nº , DE 11 DE JUNHO DE Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial ARTIGO 65 ARTIGO 65 LEI Nº 12.249, DE 11 DE JUNHO DE 2010 Art. 65. Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições desta Lei, os débitos administrados pelas autarquias e fundações

Leia mais

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.491, DE 19 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre os débitos a

Leia mais

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. Conceito

CRÉDITO TRIBUTÁRIO. Conceito Conceito CRÉDITO TRIBUTÁRIO O crédito tributário corresponde ao direito do Estado de exigir o tributo, ou melhor, de exigir o objeto da obrigação tributária principal do sujeito. Contribuição do crédito

Leia mais

RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação)

RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação) RODRIGO R. MONTEIRO DE CASTRO LEANDRO SANTOS DE ARAGÃO (Coordenação) Direito Societário e a Nova Lei de Falências e Recuperação de Empresas Editora Quartier Latin do Brasil Castro, Rodrigo R. Monteiro

Leia mais

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 ANO XXV - 2014-1ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DIPJ 2014 - PESSOAS JURÍDICAS E EQUIPARADAS - DISPOSIÇÕES GERAIS... Pág. 276 SIMPLES NACIONAL DASN-SIMEI

Leia mais

Obrigatoriedade. Autonomia do Crédito Tributário. Origem:

Obrigatoriedade. Autonomia do Crédito Tributário. Origem: Direito Tributário Crédito tributário:conceito e constituição. Lançamento: conceito e modalidades de lançamento. Hipóteses de alteração do lançamento. Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com

Leia mais

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei /2005)

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei /2005) TABELA DE CORRESPONDÊNCIA 1 (Dec.-lei 7.661/1945 e Lei 11.101/2005) TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E DECLARAÇÃO DA FALÊNCIA Da caracterização da falência Art. 1.º... Art. 94 Art. 2.º... Art. 94 Art. 3.º...

Leia mais

Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Exercícios Direito Tributário Exercício Rafael Saldanha 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÃO 01 Um município brasileiro, desconsiderando as regras

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Responsabilidade Tributária Clarissa Costa De Almeida * Cassiano Lúcio Lisboa Veríssimo ** Marcelo Cunha Barata *** TEXTO: INTRODUÇÃO Segundo o dicionário jurídico a palavra responsabilidade

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

Goodwill Contábil x Goodwill. I Workshop em Contabilidade e Tributação

Goodwill Contábil x Goodwill. I Workshop em Contabilidade e Tributação Goodwill Contábil x Goodwill Fiscal: Casamento ou Divórcio? I Workshop em Contabilidade e Tributação 18 e 19/11/2015 Prof. Jorge Vieira Goodwill e Ganho por Compra Vantajosa: Reconhecimento e mensuração

Leia mais

Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal

Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal Os Impactos do Novo Código de Processo Civil e a Execução Fiscal Rafhael Frattari Professor de Direito Tributário da FUMEC/MG Vilas Boas, Lopes e Frattari Advogados Aplicação do NCPC à Execução Fiscal»

Leia mais

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS

CURSO JURÍDICO FMB CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS MÓDULOS Sumário DIREITO TRIBUTÁRIO... DIREITO TRIBUTÁRIO PROFS. GUILHERME ADOLFO DOS SANTOS MENDES E DIMAS MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito Tributário - Conceito; Tributo -

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016 ANO XXVII - 2016-4ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DECLARAÇÃO SOBRE A OPÇÃO DE TRIBUTAÇÃO DE PLANOS PREVIDENCIÁRIOS DPREV 2016 INFORMAÇÕES GERAIS...

Leia mais

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA

A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA PRÁTICA CONSIDERAÇÕES INICIAIS A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA É UMA DAS MODALIDADES DE SUJEIÇÃO PASSIVA TRIBUTÁRIA; ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10

João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10 DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL João, empresário individual e um grande chefe de cozinha, manteve, ao longo de 10 anos, um restaurante de comida portuguesa, que contava com clientela fiel e constante.

Leia mais

PRESTAÇÃO: PAGAR TRIBUTO SUJEITO PASSIVO CONTRIBUINTE RESPONSÁVEL SUBSTITUTO SUCESSOR OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA

PRESTAÇÃO: PAGAR TRIBUTO SUJEITO PASSIVO CONTRIBUINTE RESPONSÁVEL SUBSTITUTO SUCESSOR OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA Conceito O DIREITO TRIBUTÁRIO É DIREITO OBRIGACIONAL COMUM, POIS REGE RELAÇÕES PATRIMONIAIS DE DÉBITO, ENTRE MAIS DE UM SUJEITO, UM DOS QUAIS É UM ENTE PÚBLICO. SE É DIREITO OBRIGACIONAL,

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO

DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO DIREITO EMPRESARIAL, INVESTIMENTO E INTERNACIONALIZAÇÃO Grupos societários e o regime legal das insolvências e recuperação de empresas Paulo Valério Relevância do tema no contexto da conferência a) Aspetos

Leia mais

ANEXO III MODELOS DE DECLARAÇÕES E COMPROMISSOS

ANEXO III MODELOS DE DECLARAÇÕES E COMPROMISSOS ANEXO III MODELOS DE DECLARAÇÕES E COMPROMISSOS MODELO 1 - CARTA DE ENCAMINHAMENTO DOS DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO Ref. Concorrência nº. / Campo O (Licitante), (qualificação), por meio de seu representante

Leia mais

Processo Administrativo Fiscal PAF

Processo Administrativo Fiscal PAF Processo Administrativo Fiscal PAF Ivan Luís Bertevello www.macedosoaresebertevello.adv.br IMPUGNAÇÕES FRENTE A AUTUAÇÕES FISCAIS Um dos princípios reguladores do Processo Administrativo Fiscal (PAF) é

Leia mais

A Lei /09 e a Responsabilidade Tributária dos Sócios e Administradores

A Lei /09 e a Responsabilidade Tributária dos Sócios e Administradores A Lei 11.941/09 e a Responsabilidade Tributária dos Sócios e Administradores Leonardo Ribeiro Pessoa (30.06.09) A Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009, oriunda da conversão da Medida Provisória nº 449,

Leia mais

Responsabilidade Tributária

Responsabilidade Tributária III CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO ATUAL IBDT/AJUFE/FDUSP-DEF Responsabilidade Tributária de advogados, auditores, contadores, etc., por Planejamento Fiscal Roberto Ferraz Caso real, sigiloso,

Leia mais

CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL ALTERA AS LEIS Nº 401/2005 E Nº 334/2001

CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL ALTERA AS LEIS Nº 401/2005 E Nº 334/2001 CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL ALTERA AS LEIS Nº 401/2005 E Nº 334/2001 MARÇO/2013 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 8 TÍTULO I DA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA... 8 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕ ES GERAIS... 8 CAPÍTULO II

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação, xiii

SUMÁRIO. Apresentação, xiii SUMÁRIO Apresentação, xiii 1 A Contabilidade e a Gestão Tributária, 1 1.1 Introdução, 1 1.2 Os objetivos da atividade de gestão tributária, 1 1.3 Características profissionais exigidas para o cargo de

Leia mais

Responsabilidade Tributária: A aplicação do interesse comum na solidariedade tributária.

Responsabilidade Tributária: A aplicação do interesse comum na solidariedade tributária. Instituto Brasiliense de Direito Público IDP Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário Lorena Vasconcelos de Abreu Bosa Responsabilidade Tributária: A aplicação do interesse comum na solidariedade

Leia mais

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades

LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades LIQUIDAÇÃO EXTRAJUDICIAL Encerramento Compulsório das Atividades Clique para editar o nome do autor Diretoria de Normas e Habilitação Clique para das editar Operadoras o cargo do - DIOPE autor Gerência-Geral

Leia mais

Imposto do selo especial sobre a transmissão de bens imóveis destinados a habitação

Imposto do selo especial sobre a transmissão de bens imóveis destinados a habitação Imposto do selo especial sobre a transmissão de bens imóveis destinados a habitação Grupo de Trabalho para a Promoção do Desenvolvimento Sustentável do Mercado Imobiliário Objectivo da criação do imposto

Leia mais

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL

MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Benigno Cavalcante MANUAL DE DIREITO EMPRESARIAL Sumário Apresentação... 17 Abreviatura... 21 CAPÍTULO I HISTÓRIA DO DIREITO COMERCIAL 1. O Surgimento do Direito Comercial... 25 1.2. Evolução do Direito

Leia mais

Responsabilidade Tributária: dissolução irregular, subsidiariedade, solidariedade e substituição tributária

Responsabilidade Tributária: dissolução irregular, subsidiariedade, solidariedade e substituição tributária Responsabilidade Tributária: dissolução irregular, subsidiariedade, solidariedade e substituição tributária Pós-Doutora pela Universidade de Lisboa; Doutora pela PUC/SP; Mestre pela UFC; Professora Graduação

Leia mais

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON QUESTÃO 1 1 - Responda às perguntas abaixo e em seguida assinale a opção correta. I. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios cobrar

Leia mais

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos.

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação LEI Nº 16.653, DE 23 DE JULHO DE 2009 Altera a Lei nº 13.569,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência

Leia mais

Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa

Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa SUMÁRIO Capítulo 1 Teoria Geral do Direito de Empresa... 17 1. Origens do Direito Empresarial.... 17 2. Autonomia do Direito Empresarial... 20 3. Fontes do Direito Empresarial... 21 4. Do Direito de Empresa...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE ATOS INTEGRANTES DA TABELA DE PREÇOS DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS.

ESPECIFICAÇÃO DE ATOS INTEGRANTES DA TABELA DE PREÇOS DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS. S ESPECIFICAÇÃO DE INTEGRANTES DA TABELA DE S DOS SERVIÇOS PERTINENTES AO REGISTRO PÚBLICO DE EMPRESAS MERCANTIS E ATIVIDADES AFINS. Resolução Plenária n.º 006/2016, que reajustou a tabela de preços da

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS EM ANGOLA O IMPOSTO INDUSTRIAL E O ESTATUTO DOS GRANDES CONTRIBUINTES

TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS EM ANGOLA O IMPOSTO INDUSTRIAL E O ESTATUTO DOS GRANDES CONTRIBUINTES PAULA ROSADO PEREIRA Doutora em Direito Professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Consultora da SRS Advogados TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS EM ANGOLA O IMPOSTO INDUSTRIAL E O ESTATUTO DOS

Leia mais

CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO

CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO I Razão social das pessoas jurídicas promoventes: ACS INCORPORAÇÃO S/A CNPJ/MF Nº 08.145.855/0001-12 Av. José de Souza Campos, 753, Cambuí, Campinas/SP, CEP 13025-320

Leia mais

SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade?

SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade? SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade? I. MULTAS (Legislação do SPED) - I por apresentação extemporânea: a) R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente

Leia mais

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 1.1 Evolução histórica 1.2 Na Constituição Federal de 1988: arts. 155, I, e 156, II 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL

Leia mais

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Cobrança do ISSQN Inscrição em Dívida Ativa A Inscrição dos débitos

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA DA SILVA FACUNDES Turma: 8ºDIV

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000494413 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2071046-64.2013.8.26.0000, da Comarca de Guarulhos,

Leia mais

Responsabilidade na sucessão. Maria Rita Ferragut Doutora PUC/SP e Livre-docente USP

Responsabilidade na sucessão. Maria Rita Ferragut Doutora PUC/SP e Livre-docente USP Responsabilidade na sucessão Maria Rita Ferragut Doutora PUC/SP e Livre-docente USP Responsabilidade por sucessão Arts. 129 a 133 do CTN Transferência da obrigação de quitar o crédito tributário para um

Leia mais

Responsabilidade Tributária de

Responsabilidade Tributária de Responsabilidade Tributária de Sócios e Administradores Responsabilidade Societária Responsabilidade d Tributária i Responsabilidade Previdenciária Planejamento Pessoa Jurídica (Sociedade) / Sócio / Administrador

Leia mais

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I

Sumário. Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas Apresentação Parte I Sumário Os autores... 5 Lista de abreviaturas e siglas... 15 Apresentação... 17 Parte I Questões preliminares Capítulo I Formação do título executivo... 21 Marilei Fortuna Godoi Introdução... 21 1. Aspectos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial.

Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial. Prof. Thiago Gomes Quem é o empresário individual? É a pessoa física que exerce atividade empresarial. O empresário individual realiza atualmente atividades que não necessitam de grandes investimentos.

Leia mais

Direito Tributário para o Exame de Ordem

Direito Tributário para o Exame de Ordem Direito Tributário para o Exame de Ordem 7 Garantias e Privilégios do Crédito Tributário. 8 Administração Tributária CTN. 9. Espécies Tributárias. (1a. Parte) Garantias do Crédito Tributário: Bens e rendas

Leia mais