25 de abril de 2015/ nº 012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "25 de abril de 2015/ nº 012"

Transcrição

1 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao mês anterior, segundo os números divulgados pelo IBGE. As principais indústrias que "puxaram" este crescimento no Estado foram a de fabricação de biocombustíveis e de fertilizantes. As mudanças ocorridas no setor de biocombustíveis, no segundo semestre do ano passado, colaboraram para o aumento da demanda e produção deste produto, pois o percentual obrigatório de biodiesel misturado ao óleo diesel comercializado ao consumidor final passou de 5% (B5) para 7% (B7). Já para o cenário da indústria de fertilizantes, a inserção de novas plantas no Estado, em 2015, contribuiu para o aumento produtivo deste segmento. Por fim, apesar do crescimento industriário matogrossense o setor, como um todo, ainda enfrenta diversas dificuldades como alto custo com energia elétrica e elevada carga tributária, que vem refletindo negativamente na confiança dos empresários. Painel da Decisão: Estimativas Unidade 2014 Ant A Atual B (a/b) 1 VBP Soja 2015 R$ bi 21,58 20,63 22,40 8,6% 2 VBP Algodão 2015 R$ bi 4,47 3,29 3,36 2,2% 3 VBP Milho 2015 R$ bi 3,91 3,65 3,84 5,3% 4 VBP Boi 2015 R$ bi 8,91 9,03 9,20 1,8% 5 VBP MT Agro 2015 R$ bi 43,57 41,40 43,64 5,4% 6 Dólar RS/US$ 2,65 3,18 3,19 0,3% 7 Selic % a.a. 11,75 13,33 13,73 0,4p.p. 8 IGPDI % 3,93 6,96 6,77 0,2p.p. 9 IPCA % 6,38 8,34 8,30 0,0p.p. Realizado Acumulado Unidade 2014 Ant A Atual B (a/b) 10 Bal. Com. MT US$ bi 13,03 4,80 3,12 35,0% 11 B. C. Agronegócio MT US$ bi 15,27 5,26 3,50 33,5% 12 Export. Gerais MT US$ bi 14,80 5,33 3,56 33,2% 13 Import. Gerais MT US$ bi 1,77 0,53 0,44 17,6% 14 Empregos Formais MT unid ,4% 15 Empregos Agro MT unid ,6% 16 Nº Índ. Carne Bovina Base 01/12 92,80 106,48 105,65 0,8% 17 Nº Índ. Carne Suína Base 01/12 97,55 110,35 111,70 1,2% 18 Nº Índ. Carne de Aves Base 01/12 130,53 132,56 130,89 1,3% 19 Nº Índ. Lácteos Base 01/12 137,38 141,30 141,81 0,4% 20 Nº Índ. C. Bas. Cuiabá Base 01/12 114,19 125,86 125,79 0,1% 21 Cesta Básica Cuiabá R$ 319,25 351,87 351,67 0,1% Confira mais informações sobre os indicadores nos gráficos das páginas seguintes. SALDO NEGATIVO: Os dois primeiros meses de 2015, registraram números positivos no setor de emprego em Mato Grosso. As contratações com carteira assinada superaram as demissões, principalmente nos setores da agropecuária e serviços, possibilitando assim saldo positivo para o Estado. Já a partir de março deste ano, houve uma reversão neste cenário, sendo que em abril o saldo total de empregos formais apresentou queda de 49% no comparativo com o mês anterior. O setor que mais demitiu foi o comércio, com participação de 29,49% no total de demissões, seguido pelo setor da agropecuária e serviços. Essa queda nas contratações, pode ser explicada pela desaceleração do consumo doméstico devido ao cenário econômico recente, e consequentemente a baixo nível de confiança dos empresários matogrossenses. Além disso, a queda de 247% em relação a março no setor da agropecuária pode ser explicada por um fator sazonal, como o fim da colheita de soja, entre demais fatores. Na última semana o relatório Focus do Banco Central apresentou aumento de 0,4 p.p. na expectativa a curto prazo para a taxa Selic, com a intenção de controlar a inflação. Mesmo com aumento de 4% no valor do tomate, a cesta básica de Cuiabá em abril mantevese estável com relação a março, fechando a R$351,67 no mês. Com um menor volume nas exportações, o saldo da balança comercial do agronegócio obteve queda de 33,5% no acumulado de janeiro a abril deste ano. Segundo os dados da Secex, as exportações gerais apresentaram uma baixa de 33,2%, impactada principalmente pelas menores exportações do complexo de soja. PARTICIPAÇÃO DE ADMISSÃO E DEMISSÃO E VARIAÇÃO NO SALDO DO EMPREGOS EM ABRIL POR SETOR EM MATO GROSSO 35% 153% 200% 30% 150% 5% 247% 100% 25% 32% 50% 20% 0% 55% 50% 15% 100% 10% 150% 5% 200% 250% 0% 300% Indúst. de tranform. Const. Civil Comércio Serviços Agropec. Participação admissão Variação de emprego* *Variação do saldo de emprego em relação ao mês de março. Fonte: Ministério do trabalho Participação demissão Variação mensal do saldo

2 25 de abril de 2015/ nº Valor Bruto da Produção Soja (R$ bi) 2 Valor Bruto da Produção Algodão (R$ bi) 25,00 20,00 15,00 Soja 5,00 4,00 3,00 Algodão 10,00 2,00 5,00 1, Valor Bruto da Produção Milho (R$ bi) 4 Valor Bruto da Produção Boi (R$ bi) 7,00 Milho 10,50 Bovinocultura 6,00 9,00 5,00 7,50 4,00 6,00 3,00 4,50 2,00 3,00 1,00 1, Valor Bruto da Produção Agropecuária MT (R$ bi) 6 Dólar 50,00 MT 3,30 3,10 Cotações em R$ 40,00 30,00 2,90 2,70 2,50 20,00 2,30 10,00 2, ,90 Fonte: Banco Central do Brasil

3 25 de abril de 2015/ nº Selic (%) 2,00 8 Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (%) 14,00 Selic 1,50 IGPDI 13,00 12,00 1,00 11,00 0,50 10,00 9,00 8,00 0,00 0,50 7,00 1,00 Fonte: Banco Central do Brasil Fonte: FGV/IBRE 9 IPCA (%) 10 Balança Comercial Total MT (US$ milhões) 1,40 1,20 IPCA Total MT 1, , ,60 0,40 0, , Fonte: IBGE; Elaboração: Imea Fonte: Aliceweb / MDIC; Elaboração: Imea Balança Comercial Agro MT (US$ milhões) Agronegócio MT Exportações Gerais MT (US$ milhões) Total MT Fonte: AgroStat; Elaboração: Imea Fonte: Aliceweb / MDIC; Elaboração: Imea

4 25 de abril de 2015/ nº Importações Gerais MT (US$ milhões) 14 Empregos Formais MT Total MT Total MT Fonte: Aliceweb / MDIC; Elaboração: Imea Fonte: Ministério do Trabalho 15 Empregos Formais do Agronegócio 16 Nº Índice Carne Bovina Agronegócio MT 115,00 110,00 105,00 100,00 95,00 90,00 85,00 80,00 75,00 70,00 Carne Bovina Fonte: Ministério do Trabalho / 17 Nº Índice Carne Suína 18 Nº Índice Carne De Aves 140,00 Carne Suína 140,00 Carne De Aves 120,00 100,00 135,00 80,00 130,00 60,00 125,00 40,00 20,00 120,00 115,00

5 25 de abril de 2015/ nº Nº Índice Derivados Lácteos 20 Nº Índice Cestá Básica 160,00 155,00 150,00 145,00 Derivados Lácteos 130,00 125,00 120,00 Cestá Básica 140,00 115,00 135,00 130,00 125,00 110,00 105,00 120,00 100,00 21 Valor da Cesta Básica (R$) 360,00 350,00 340,00 330,00 320,00 310,00 300,00 290,00 280,00 270,00 Valor

6 25 de abril de 2015/ nº 012 Tabela 1 Histórico do Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária, em Mato Grosso (R$ milhões) VBP Histórico * 2015* (15/14) Soja % Algodão % Milho % Canadeaçúcar % Arroz % Produtos florestais e Lenha % *Estimativa (março/15) Boi % Aves % Leite % Suínos % Total % Tabela 2 Variações dos Preços e Produções das Culturas, em Mato Grosso Cultura * 2015* Produção Preço Produção Preço Produção Preço Produção Preço Produção Preço Soja 9,3% 12,9% 3,9% 18,3% 10,7% 14,3% 11,1% 1,2% 7,0% 3,0% Milho 16,9% 37,5% 98,7% 3,7% 62,2% 25,4% 21,4% 1,0% 13,7% 13,7% Algodão Pluma 67,3% 23,1% 14,5% 19,2% 36,0% 17,7% 44,8% 7,3% 14,0% 15,4% Algodão Caroço 67,3% 33,1% 14,5% 25,8% 36,0% 44,2% 40,8% 21,4% 11,5% 3,2% Canadeaçúcar 2,7% 15,2% 3,7% 24,8% 24,1% 5,8% 3,9% 3,3% 0,9% 1,2% Arroz 7,2% 0,0% 42,0% 14,1% 14,5% 34,7% 9,7% 6,5% 2,5% 1,6% Boi 5,4% 14,9% 9,0% 5,1% 11,6% 5,3% 6,5% 26,5% 7,3% 15,6% Vaca 46,8% 12,2% 19,2% 4,9% 6,2% 5,2% 11,0% 29,6% 16,5% 15,3% Leite 6,2% 3,9% 7,7% 2,8% 1,8% 17,6% 4,2% 7,2% 4,2% 2,6% Produtos Florestais 12,2% 3,1% 2,3% 10,7% 9,2% 35,4% 2,8% 1,3% 1,4% 2,0% Aves 12,1% 3,2% 15,9% 0,0% Suínos 3,1% 20,3% 13,2% 5,9% *Estimativa (março/15)

7 25 de abril de 2015/ nº 012 TABELA 3 RANKING DAS EXPORTAÇÕES POR PRODUTOS MATOGROSSENSES (US$ MILHÕES) Ranking Produto 2015 Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Jan Abr/15 1 Grãos, sementes e frutos 1.400, , ,7 915,8 453,3 201,9 80,2 19,1 19,9 0,9 146,9 939,1 514, ,9 45% 63% 3 Resíduos das indústrias alimentares 288,4 252,4 295,4 184,1 400,8 129,6 165,5 195,0 98,5 144,4 117,8 217,2 142,3 621,8 35% 51% 5 Carnes e miudezas 146,7 125,6 117,3 141,7 141,1 102,3 127,9 106,1 138,2 73,1 89,3 87,5 104,1 354,1 19% 29% 4 Algodão 25,5 41,5 23,3 9,9 72,4 140,0 159,4 100,6 111,8 53,4 40,5 50,9 62,0 206,8 22% 143% 2 Gorduras e óleos animais ou vegetais 38,7 24,6 28,3 47,4 35,3 13,1 18,2 15,3 9,0 3,9 25,5 9,6 25,7 64,8 166% 34% 7 Cereais 7,4 1,2 1,3 48,0 251,3 202,7 294,7 294,3 390,6 374,9 131,8 48,6 14,4 569,7 70% 93% 9 Pedras e metais preciosos 19,9 22,4 9,1 18,8 16,9 12,7 16,2 10,6 14,9 14,2 11,5 8,8 10,1 44,6 15% 49% 8 Madeira, carvão vegetal 8,4 8,2 8,3 7,9 7,6 7,2 9,5 7,7 10,7 5,9 7,4 9,2 8,4 31,0 9% 0% 6 Peles e couro 8,3 12,7 8,5 14,9 11,3 12,6 12,1 7,2 14,1 9,4 7,1 8,3 6,7 31,4 19% 20% 10 Outros produtos de origem animal 5,2 5,1 4,0 5,3 5,7 5,4 5,4 5,1 6,4 4,8 4,8 5,6 4,0 19,2 29% 23% 11 Outros 1,9 4,8 8,5 12,8 10,6 8,0 7,1 5,5 4,3 2,6 2,9 2,9 4,6 12,9 62% 141% Total 1.951, , , , ,2 835,6 896,2 766,5 818,3 687,5 585, ,7 897, ,0 35% 54% Fonte: Alicew eb/mdic; Elaboração: Imea TABELA 4 RANKING DAS IMPORTAÇÕES POR PRODUTOS EM MT (US$ MILHÕES) 2015 Ranking Produto Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Jan Abr/15 1 Adubos ou fertilizantes 77,1 172,9 73,7 110,2 133,2 89,7 79,3 111,1 69,5 73,6 74,1 56,8 50,1 254,7 12% 35% 2 Combustíveis e óleos minerais 21,5 11,2 18,0 22,9 24,0 27,1 26,3 22,2 16,6 25,3 20,4 18,3 21,1 85,1 15% 2% 3 Reatores nucleares e suas partes 7,8 6,5 2,5 6,8 1,0 3,1 2,0 2,8 3,1 3,9 1,9 3,7 4,3 13,8 16% 45% 4 Aeronaves e aparelhos espaciais 0,1 0,2 0,1 0,3 4,1 2,1 7,3 3,5 0,0 46,2 0,0 1,1 1,2 48,6 9% 1199% 5 Ferro fundido, ferro e aço 1,9 0,9 0,5 2,6 1,1 1,3 1,9 1,3 0,8 1,2 0,5 1,1 1,2 4,0 5% 37% 6 Obras de ferro fundido, ferro ou aço 1,0 0,1 0,2 0,0 0,1 0,4 0,2 0,4 0,1 0,1 0,2 0,1 1,2 1,6 785% 16% 7 Produtos químicos industriais 1,1 1,6 2,1 5,9 12,8 11,3 6,9 5,6 4,0 2,8 1,7 1,6 0,6 6,6 61% 41% 8 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 0,4 15,5 0,6 0,3 0,3 0,8 0,3 0,1 1,2 0,2 0,1 0,3 0,6 1,2 136% 60% 9 Borracha e suas obras 1,0 0,9 1,4 1,6 0,9 1,3 0,9 0,9 1,0 0,9 0,8 0,7 0,5 2,9 30% 51% 10 Plásticos e suas obras 2,2 2,4 2,1 2,5 1,9 2,2 0,0 0,0 2,1 2,4 1,2 2,5 0,5 6,6 80% 78% 11 Outros 52,3 28,7 27,2 5,5 7,7 2,9 3,8 2,0 4,0 2,5 4,0 2,4 2,6 11,6 8% 95% Total 166,3 241,0 128,4 158,6 187,1 142,0 128,8 150,1 102,3 159,1 104,8 88,7 84,0 436,6 5% 49% Fonte: Alicew eb/mdic; Elaboração: Imea

8 25 de abril de 2015/ nº 012 TABELA 5 INDICADORES DO COMÉRCIO EXTERIOR DE MATO GROSSO Indicadores Unidade * Participação Agronegócio Exportação Agro/Total 98,7% 97,9% 98,7% 98,7% Balança Comercial MT US$ milhões , , , ,42 Balança Comercial Agronegócio US$ milhões , , , ,54 PIB R$ milhões Termos de Troca 0,96 1,00 1,06 0,92 Dólar Médio R$/US$ 1,95 2,16 2,35 3,04 Fonte: Alice Web, AgroStat, Banco Central do Brasil, IBGE; Elaboração: Imea *Até abril TABELA 6 INDICADORES DO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL Indicadores Unidade * Participação Agronegócio Exportação Agro/Total 39,5% 41,3% 43,0% 44,0% Balança Comercial Brasil US$ milhões , , , ,81 Balança Comercial Agronegócio US$ milhões , , , ,49 PIB R$ bilhões 4.402, ,00 PIB Agronegócio R$ bilhões 1.051, ,24 Termos de Troca 0,28 0,29 0,28 0,25 Dólar Médio R$/US$ 1,95 2,16 2,35 3,04 Fonte: Alice Web, AgroStat, Banco Central do Brasil, IBGE; Elaboração: Imea *Até abril TABELA 7 EMPREGOS EM MATO GROSSO POR SETOR Indicadores * 2015** Extrativa Mineral Indústria de Transformação Serviços Industriais de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca Fonte: M.T.E. Elaboração: Imea *Até abril Total Agronegócio Imea

9 25 de abril de 2015/ nº 012 TABELA 8 RANKING DAS EXPORTAÇÕES DE MT POR DESTINO (US$ MILHÕES) Ranking Produto Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr 2015 Jan Abr/15 1 China 923,0 833,0 646,9 545,6 323,6 111,6 90,3 29,2 40,4 20,7 59,4 689,9 307, ,9 55% 67% 2 Países Baixos (Holanda) 236,4 145,9 212,6 137,5 136,7 65,5 68,0 98,7 28,0 57,1 28,8 32,4 56,5 174,7 75% 76% 3 Indonésia 89,8 70,4 83,9 17,4 116,3 64,7 104,5 88,4 89,8 91,5 56,3 85,8 49,6 283,2 42% 45% 4 Rússia 60,9 39,8 61,6 33,6 35,7 41,7 37,4 13,8 25,2 3,2 20,8 25,4 39,2 88,6 54% 36% 5 Vietnã 38,2 7,9 10,1 26,8 102,9 34,2 69,0 47,0 72,1 84,3 29,3 35,7 36,7 186,0 3% 4% 6 Espanha 31,5 100,8 95,7 90,1 29,8 38,8 9,3 6,0 1,6 0,7 38,0 64,1 31,4 134,2 51% 0% 7 Irã 11,3 4,0 3,7 11,5 38,6 59,7 76,7 96,3 168,1 84,9 47,9 17,4 31,1 181,2 79% 174% 8 Egito 16,8 28,1 3,7 51,8 33,7 25,6 31,0 23,0 7,9 11,4 11,7 10,2 29,7 63,0 191% 77% 9 Venezuela 59,0 44,3 49,1 48,5 54,0 4,1 42,5 22,7 60,5 8,3 24,5 15,4 27,6 75,8 79% 53% 10 França 1,9 15,1 16,0 28,7 9,0 16,2 5,0 3,6 2,0 2,0 2,7 9,6 26,9 41,2 179% 1351% 11 Outros 482,3 456,8 408,3 415,2 525,9 373,5 362,7 337,9 322,7 323,5 266,2 401,9 260, ,2 35% 46% Total 1.951, , , , ,2 835,6 896,2 766,5 818,3 687,5 585, ,7 897, ,0 35% 54% Fonte: Alicew eb/mdic; Elaboração: Imea TABELA 9 RANKING DAS IMPORTAÇÕES DE MT POR ORIGEM (US$ MILHÕES) Ranking Produto Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr 2015 Jan Abr/15 1 Estados Unidos 23,8 23,2 5,7 10,8 8,1 6,3 19,3 12,4 9,8 36,5 9,5 22,0 8,7 76,7 60% 63% 2 Bolívia 21,5 11,0 17,8 22,5 24,0 26,9 26,1 22,2 16,6 25,1 20,0 18,1 21,0 84,2 16% 2% 3 Belarus 8,5 21,0 16,9 34,0 32,1 19,5 13,9 18,6 5,4 0,0 4,8 7,0 10,7 22,5 54% 27% 4 Israel 0,0 0,3 9,0 0,1 0,1 6,5 0,3 17,0 0,0 0,1 9,0 2,4 6,3 17,7 165% 5 Canadá 11,0 40,7 7,9 33,2 14,8 13,9 16,7 1,8 8,8 21,8 5,6 5,4 14,3 47,1 166% 30% 6 Catar 5,1 0,8 0,0 0,0 0,4 0,0 0,0 5,8 14,1 9,8 18,8 0,6 5,2 34,3 811% 0% 7 China 9,9 19,0 5,0 4,0 21,0 13,8 7,9 16,1 7,7 12,6 6,4 4,4 3,4 26,8 23% 66% 8 Alemanha 2,2 11,2 5,6 4,2 16,5 2,5 2,4 6,2 0,3 3,8 4,1 0,2 4,2 12,3 90% 9 Rússia 15,3 21,9 7,6 25,0 27,3 14,0 5,6 6,3 9,8 23,4 6,8 2,3 1,8 34,4 20% 88% 10 Países Baixos (Holanda) 0,1 2,7 0,2 0,1 0,0 0,1 2,0 0,2 2,7 11,3 2,1 0,2 2,3 15,8 822% 11 Outros 69,0 89,1 52,8 24,8 42,7 38,6 34,4 43,5 27,0 14,8 17,7 26,2 6,2 64,8 76% 91% Total 166,3 241,0 128,4 158,6 187,1 142,0 128,8 150,1 102,3 159,1 104,8 88,7 84,0 436,6 5% 49% Fonte: Alicew eb/mdic; Elaboração: Imea

10 25 de abril de 2015/ nº 012 TABELA 10 PREÇOS MÉDIOS NO VAREJO EM CUIABÁ CARNES E LÁCTEOS Produto Unidade Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr 2015 Boi R$/kg 16,6 16,7 16,9 17,1 17,4 17,3 18,2 18,1 18,8 19,3 20,2 20,2 19,9 19,8 1% 19% Frango R$/kg 9,7 10,1 9,9 10,0 10,0 10,1 9,9 10,1 10,3 10,3 10,1 10,1 10,1 10,0 1% 1% Suíno R$/kg 11,3 11,1 11,0 11,3 11,5 11,5 11,6 11,8 11,9 12,9 12,9 12,9 13,1 13,2 1% 19% Leite R$/l 9,9 10,0 10,3 10,4 10,6 10,6 12,0 11,4 11,1 11,0 11,0 10,8 10,9 11,0 0% 10% TABELA 11 PREÇOS MÉDIOS NO VAREJO EM CUIABÁ CESTA BÁSICA Produto Unidade Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr 2015 Cesta Básica R$ 335,2 324,2 345,8 330,5 314,8 309,0 310,5 313,4 326,4 322,9 346,9 344,3 351,9 351,7 0% 8% Carne R$/kg 111,2 111,8 111,2 110,0 110,2 113,3 119,1 118,3 121,3 122,9 124,2 124,0 125,1 124,1 1% 11% Leite R$/l 17,2 18,3 17,9 17,9 18,0 18,3 18,2 18,3 18,3 17,6 18,0 17,3 17,4 17,8 2% 3% Feijão R$/kg 17,0 17,2 16,9 16,2 15,4 14,1 13,2 12,8 12,9 13,8 18,6 20,1 21,7 21,3 2% 24% Arroz R$/kg 6,4 6,4 6,6 6,9 6,7 6,7 6,9 6,4 6,5 7,0 7,2 7,2 7,0 6,6 5% 3% Farinha R$/kg 4,6 5,1 4,6 4,7 4,8 4,8 5,2 5,0 4,6 4,4 4,3 4,3 4,3 4,4 1% 14% Batata R$/kg 21,6 21,7 26,9 23,3 18,7 15,3 14,5 14,2 20,2 20,0 31,9 27,2 26,2 24,0 8% 11% Tomate R$/kg 56,1 46,7 58,9 49,8 41,5 37,6 37,1 41,7 46,8 41,5 47,6 48,3 53,6 55,7 4% 19% Pão Francês R$/kg 49,7 45,9 50,3 50,8 49,6 46,6 46,7 46,1 45,8 46,1 46,1 46,1 46,1 46,1 0% 0% Café em Pó R$/kg 9,0 9,0 9,1 9,0 8,9 9,0 9,0 8,7 8,8 8,7 8,8 8,7 8,8 9,1 3% 1% Banana R$/unid. 17,4 16,0 17,2 16,6 16,3 18,0 16,5 16,9 16,3 15,5 15,5 16,2 16,6 17,5 6% 9% Açúcar R$/kg 4,9 5,0 5,1 5,0 4,9 4,7 4,7 4,6 4,7 4,7 4,5 4,6 4,5 4,4 3% 13% Óleo R$/gr 2,7 2,8 3,1 3,1 3,0 2,9 2,8 2,8 2,8 2,8 2,7 2,7 2,8 2,9 3% 5% Manteiga R$/gr 17,6 18,3 17,8 17,2 16,9 17,7 16,6 17,4 17,5 18,0 17,6 17,6 17,7 17,8 0% 3% PRESIDENTE Rui Carlos Ottoni Prado SUPERINTENDENTE Otávio Lemos de Melo Celidonio ELABORAÇÃO Sâmyla Sousa e Felipe Carvalho. EQUIPE TÉCNICA Analistas: Ana Paula Baroni, Ângelo Ozelame, Jéssica Brandão, José Victor Zamparini, Kimberly Montagner, Paulo Ozaki, Rafael Chen, Regiane Campos, Rondiny Carneiro, Sâmyla Sousa, Tainá Heinzmann, Talita Takahashi, Tiago Assis e Yago Travagini Estagiários: Alexandre Rego, Aline Kaziuk, Bruna Noab, Caroline Vieira, Edílson Freire, Felipe Carvalho, Gabriel Gomes, Júlio Marques, Nathalia Markus, Ricardo Silva, Wilson Chitto e Yasmin Barbant. INDICADORES ATUAL ANTERIOR SELIC (AO ANO) 13,25% 12,75% TJLP (AO ANO) 5,50% 5,50% IPCA 04/15 0,71% 1,32% IPCA 12 MESES 8,17% 8,13% IGPDI 04/15 0,92% 1,21% IGPDI 12 MESES 3,94% 3,45%

BOLETIM SEMANAL R$ 61,80 R$ 61,00 R$ 1.650,00

BOLETIM SEMANAL R$ 61,80 R$ 61,00 R$ 1.650,00 3/4 5/4 7/4 9/4 11/4 13/4 15/4 17/4 19/4 21/4 23/4 25/4 27/4 29/4 1/5 3/5 Contratos Negociados Cents de US$/bu Análise Estatística de Algodão Algodão LAVOURA NOS ESTADOS UNIDOS: A semeadura nos Estados

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00

BOLETIM SEMANAL R$ 68,70 R$ 67,90 R$ 430,00 R$ 400,00 13/2 15/2 17/2 19/2 21/2 23/2 25/2 27/2 1/3 3/3 5/3 7/3 9/3 11/3 13/3 15/3 Contratos Negociados (x 1000) Cents de US$/bu Análise Estatística de Algodão Algodão PREÇOS CAEM: Assim como no cenário de âmbito

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise 21/6 23/6 25/6 27/6 29/6 1/7 3/7 5/7 7/7 9/7 11/7 13/7 15/7 17/7 19/7 Contratos Negociados (x 1000) Cents de US$/bu ** Relatório produzido pelo IMEAMT e divulgado pela CERRADO INVEST www.cerradocorretora.com.br

Leia mais

BOLETIM SEMANAL R$ 47,20. 22-jun R$ 151,95

BOLETIM SEMANAL R$ 47,20. 22-jun R$ 151,95 4-jun 6-jun 11-jun 13-jun 15-jun 19-jun 21-jun 4-jun 6-jun 8-jun 10-jun 12-jun 14-jun 16-jun 18-jun 20-jun 22-jun BOLETIM SEMANAL Análise Estatística de Algodão NOVA SAFRA CHEGANDO: A área plantada de

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise. 08 de março de 2013 Número: 243

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise. 08 de março de 2013 Número: 243 Soja - Análise BOLETIM SEMANAL O PESO DO DIESEL: O aumento em janeiro de 5,4% no preço do diesel nas refinarias refletiu em acréscimo médio nas bombas do combustível em Mato Grosso. Essa elevação, de R$

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

1 de abril de 2016/ nº 022

1 de abril de 2016/ nº 022 R$/US$ 1 de abril de 2016/ nº 022 Salvo pelo agronegócio: O agravamento da crise econômica no Brasil tem afetado diretamente a geração de empregos no país, visto que os números da indústria, comércio e

Leia mais

Cesta básica volta a subir em Novembro

Cesta básica volta a subir em Novembro Piracicaba, 03 de dezembro de 2014. Cesta básica volta a subir em Novembro Os preços médios mensais da Cesta Básica de Piracicaba ICB - ESALQ/FEALQ, calculado pela EJEA, têm oscilado nos últimos meses

Leia mais

Análise Bovinocultura

Análise Bovinocultura Análise Bovinocultura BOLETIM SEMANAL MÊS PARADO: No primeiro mês do ano de 2013 o preço da arroba do boi gordo à vista em Mato Grosso seguiu firme na casa dos R$ 84/@, registrando na última cotação de

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 As exportações em novembro apresentaram diminuição de 27,64% em relação a outubro. Continuam a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela vigésima-segunda

Leia mais

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário JOSÉ VICENTE FERRAZ JULIANA MORETTI ANGELO 20 de Junho 2008 Investment Grade Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (milhões

Leia mais

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações Carta de Conjuntura nº2 Dezembro de 2015 Setor Externo As cotações do dólar recuaram em relação aos últimos meses, chegando a taxa média em novembro a ficar em R$ 3,77, cerca de 2,77% abaixo da taxa média

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2012 Vitória, dezembro de 2012 Cesta Básica

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil Perspectivas para o setor agrícola no Brasil O que a conjuntura macroeconômica nos reserva? Felippe Serigati O queaconteceucom o setoragrícola nas últimas décadas? A importânciado agronegócioparao Brasil

Leia mais

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Conjuntura Econômica A conjuntura econômica do último mês e da primeira quinzena de agosto foi marcada por redução do IPCA no Mato Grosso do Sul e estabilidade no Brasil. Além disso, acertou-se a expansão

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Economia Mineira: estrutura produtiva e desempenho recente

Economia Mineira: estrutura produtiva e desempenho recente Economia Mineira: estrutura produtiva e desempenho recente O objetivo deste boxe é analisar a evolução da economia mineira no triênio 212-214 e nos primeiros meses de 215, avaliando o impacto de mudanças

Leia mais

25 de julho de 2014/ nº 003

25 de julho de 2014/ nº 003 De olho no Risco País: Com o cenário de incertezas políticas e econômicas brasileiras, é verificado um efeito sobre o índice que calcula o Risco País (EMBI+ Risco Brasil), realizado pela JP Morgan. Em

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA A conjuntura econômica do último mês foi marcada por aceleração dos principais índices de inflação em todo Brasil. Em janeiro, o IPCA avançou 1,24% em nível de Brasil, esta foi a maior

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

Boletim Regional Florianópolis

Boletim Regional Florianópolis Boletim Regional Florianópolis Carlos Hamilton Araújo Novembro de 2014 Índice I. Introdução II. Inferências Nacionais III. Região Sul IV. Santa Catarina V. Mercado de Crédito 2 I. Introdução 3 Missão do

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO 1) COMÉRCIO INTERNACIONAL EM 2014 As exportações foram: o US$ 225,1 bilhões Brasil; o US$ 96,7 bilhões do Agronegócio, o que representou 43% das exportações

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 Depenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 As exportações em junho apresentaram redução de 8,57% sobre maio após expansão por quatro meses consecutivos. Desta forma, supera a marca de US$ 1 bilhão

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007 M A C R O C H I N A Ano Nº 7 7 de fevereiro de 7 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Consolidado de. Em, a China registrou o maior crescimento anual

Leia mais

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Segundo Trimestre de 2013 Energia Geração, Transmissão e Distribuição Conjuntura Projeto Banco Macroeconômica do Brasil Energia Geração, Transmissão e Distribuição

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA O uso da terra no Brasil Evolução das Áreas de Produção Milhões de hectares 1960 1975 1985 1995 2006 Var.

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone)

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) O Mercado Mundial de Commodities Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) Um mercado em desequilíbrio: choque de demanda Relação Estoque/Uso (soja, milho, trigo e arroz)

Leia mais

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas NOTA TÉCNICA MERCOSUL* - Agronegócio, Eletrônica e TIC e Biotecnologia 2010-2014 * Mercado Comum do Sul, composto pela República Federativa do Brasil, República da Argentina, República do Paraguai, República

Leia mais

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados Índice Brasil...

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL

Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL MUDANÇA À VISTA: Mesmo com os produtores sofrendo com as incertezas provenientes do atraso das chuvas em Mato Grosso, o mercado acredita em uma expansão significativa

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011 BOLETIM MENSAL Ano 27 N o 09 Setembro 2011 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta. Monsanto

Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta. Monsanto Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta Monsanto 11 de junho de 2013 1 Objetivo do trabalho 2 Objetivo do presente trabalho é demonstrar a importância econômica da utilização da tecnologia no aumento

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r?

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r? A CRISE MUNDIAL DOS ALIMENTOS: O que o Brasil pode fazer? Geraldo Barros USA: Inflation, Interest Rates, GDP Int rates Infl 12 14 16 18 6% 8% 1% GDP -4-2 2 4 6 8 1 198 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987

Leia mais

Produção Industrial Março de 2015

Produção Industrial Março de 2015 Produção Industrial Março de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - MARÇO/1 Em março, a indústria de Santa Catarina produziu 4,0% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sexto resultado

Leia mais

Economia Goiana no Ano de 2014

Economia Goiana no Ano de 2014 Equipe de Conjuntura - IMB * Economia Goiana no Ano de 2014 Diante de um ambiente externo e interno desafiador, o cenário macroeconômico brasileiro recente não se mostra muito favorável a grandes melhorias,

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 A saúde suplementar no Brasil cresceu consistentemente nos últimos anos e o país ocupa lugar de destaque no cenário mundial.

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Edição 08 - Janeiro de 2015 2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Esta edição do Boletim do Agronegócio Internacional dedica atenção especial à análise do comércio exterior do setor em 2014. A agricultura

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro

A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais A indústria de biodiesel no Brasil: panorama atual e visão de futuro Leonardo Zilio Assessor Econômico leonardo@abiove.org.br Brasília/DF 26 de

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

Panorama Econômico - Outubro/08

Panorama Econômico - Outubro/08 Panorama Econômico - Outubro/08 COMÉRCIO INTERNACIONAL BALANÇA COMERCIAL MENSAL (OUTUBRO/2008) - MDIC Fato Em outubro, a Balança Comercial fechou com superavit de US$ 1,21 bilhão, resultado de exportações

Leia mais

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques Novembro 2014 Motivação Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas

Leia mais

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 68 1 a 15 de fevereiro de 211 ANÚNCIOS DE INVESTIMENTOS De

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES 1. CESTA BÁSICA FAMILIAR No mês de dezembro 2014,

Leia mais

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros 21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo Alexandre Mendonça da Barros 20 de Outubro de 2014 Índice As transformações da economia agrícola

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Cenário macroeconômico e perspectivas para 2014/2018 maio de 2014 Perspectivas para a economia mundial Perspectivas para a economia brasileira Perspectivas para os Pequenos

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais