Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14"

Transcrição

1 Conjuntura Econômica A conjuntura econômica do último mês e da primeira quinzena de agosto foi marcada por redução do IPCA no Mato Grosso do Sul e estabilidade no Brasil. Além disso, acertou-se a expansão do mercado brasileiro de carne bovina para a Rússia e o câmbio segue a trajetória de valorização. Assim, destaca-se que há 10 anos a Rússia se posiciona entre os três principais países importadores de carne bovina in natura do Mato Grosso do Sul. Com a maior expansão desse mercado, as exportações tenderão a aumentar. Apesar de ainda serem prematuras as estimativas da magnitude desse aumento, essa expansão poderá contribuir para o bom desempenho da pecuária, diante do cenário de alta inflação e baixo crescimento da economia brasileira. No mês de julho, no Brasil, o IPCA praticamente se manteve estável, contendo a menor variação desde De acordo com o IBGE, em Campo Grande, o IPCA variou 0,17%, inferior 0,30 p. p. em relação a junho. Uma das justificativas para essa desaceleração deveu-se, principalmente, pela deflação do setor de transportes (inflação negativa de 0,85%), seguido por queda da inflação no grupo de alimentos e bebidas que detiveram variação de 0,21% para -0,03%. Em 12 meses o IPCA está acumulado em 6,51% e de janeiro a julho 4,17%. 2 1,5 1 0,5 0-0,5-1 Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % Fonte: FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS (FGV) INSTITUTO BRASILEIRO DE ECONOMIA (IBRE); INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICAS (IBGE); Elaboração: UNITEC/FAMASUL 2,28 2,26 2,24 2,22 2,20 2,18 2,16 Figura 2 Taxa de câmbio comercial, em R$/US$ 0,13 0,01-0,55-0,61 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 2,21 2,23 IPCA INPC IGP-M IGP-DI 2,22 2,21 2,22 2,22 2,24 2,22 2,21 2,23 2,27 2,24 2,23 Taxa de câmbio Fonte: BANCO CENTRAL DO BRASIL (BC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL 1

2 1-jul 2-jul 3-jul 4-jul 5-jul 6-jul 7-jul 8-jul 9-jul 10-jul 11-jul 12-jul 13-jul 14-jul 15-jul 16-jul 17-jul 18-jul 19-jul 20-jul 21-jul 22-jul 23-jul 24-jul 25-jul 26-jul 27-jul 28-jul 29-jul Bovinocultura de Corte Mercado Interno O preço da arroba do boi, no mês de julho, deteve uma leve queda de 0,67% em relação a junho deste ano, ao girar em torno de R$ Porém, em comparação ao mesmo período do ano passado, o resultado é positivo, com um aumento de praticamente 30% no preço. Em julho, a oferta continuou restrita, em função da menor quantidade de animais de pasto, bem como a falta de animais de confinamento em algumas regiões do estado. As escalas nesse sentido, variaram durante o mês entre 5 a 7 dias. Diante disso, três frigoríficos do estado decretaram férias coletivas durante o mês, dada redução no número de abates, e um fechou. Para completar este cenário, na outra ponta, a demanda, continua aquém do esperado. Nesse sentido, também para agosto as previsões ainda são de ofertas restritas, uma vez que terminará o primeiro ciclo de confinamento e no intervalo para o segundo ciclo deverá reduzir a quantidade de animais prontos para abate. Figura 3 Preço da arroba do boi, em Mato Grosso do Sul, em R$ à vista 118,00 117,50 117,00 116,50 117,74 117,44 117,09 117,15 116,89 116,73 116,67 116,00 115,50 116,22 115,87 116,31 115,00 114,50 Preço Médio Linear (Preço Médio) Fonte e Elaboração: UNITEC/SISTEMA FAMASUL 2

3 1-jul 2-jul 3-jul 4-jul 5-jul 6-jul 7-jul 8-jul 9-jul 10-jul 11-jul 12-jul 13-jul 14-jul 15-jul 16-jul 17-jul 18-jul 19-jul 20-jul 21-jul 22-jul 23-jul 24-jul 25-jul 26-jul 27-jul 28-jul 29-jul No mercado da vaca gorda, em julho, o preço médio da arroba registrado foi de R$ 108,75. Em relação a junho houve um pequeno aumento de 0,32%, quando o preço foi de R$ 108,40. Já em comparação ao mesmo período do ano passado houve valorização de 20,18%, quando a arroba alcançou R$ 90,49. Isto porque, a oferta de fêmeas continua restrita, em função, principalmente, da preservação das matrizes. Figura 4 - Preço da arroba da vaca em Mato Grosso do Sul, em R$ à vista 109,20 109,10 109,07 109,00 108,90 108,93 108,94 108,80 108,77 108,70 108,60 108,50 108,67 108,71 108,63 108,61 108,53 108,60 108,65 108,40 108,30 108,20 Preço Médio Linear (Preço Médio) Fonte e Elaboração: UNITEC/SISTEMA FAMASUL 3

4 Milhares Abates Assim, ao seguir a tendência de queda nos abates ao longo do ano, em julho, houve redução de 6,91% em relação a junho, marcando a segunda maior queda registrada em Essa queda foi ainda mais acentuada em comparação ao mesmo período do ano passado, representada por 15,22% Figura 5 - Número de bovinos abatidos em Mato Grosso do Sul Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SIPOA-SFA/MS Elaboração: UNITEC FAMASUL 4

5 Preços no Varejo No varejo, observou-se durante o mês de julho, queda nos preços de cortes considerados nobres, como filé mignon e alcatra, em relação a junho. Tal fato pode ser explicado, por uma demanda que continuou restrita, reagindo pouco a estímulos do mercado bovino, justamente porque o consumidor se comportou com mais cautela, neste período, em função de suas expectativas sobre a economia. Figura 6 Variação dos preços no varejo dos principais cortes bovinos 15,0% 11,7% 10,0% 5,0% 0,0% -5,0% -4,2% -1,2% -0,3% 0,1% 0,0% 4,7% -1,7% -1,8% 0,2% -3,7% -0,9% -4,2% -10,0% -15,0% -12,3% Acém Agulha Alcatra Contra - Filé Costela Ripa Coxão Mole Cupim Fígado Filé Mignon Lagarto Músculo Paleta Patinho Peito Picanha Fonte: Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (NEPES) Universidade Anhanguera/Uniderp Elaboração: UNITEC/FAMASUL imagem ilustrativa 5

6 01/07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/ /07/2014 Relação de Troca:Bezerro x Boi Gordo No mercado de reposição, o ágio de valorização do bezerro continuou em um patamar elevado (com uma relação de troca média de 1,82), diante do aumento de 1,04%, em relação a junho, no preço do bezerro e da leve queda no preço da arroba do boi gordo. Desse modo o nelore de 08 a 12 meses, segundo dados do CEPEA, foi cotado a R$ 1.050,18 durante o mês de julho, com valorização de 31,02% em relação ao mesmo período de 2013, quando o bezerro valia R$ 801,53. Figura 7 Preço médio do bezerro à vista em Mato Grosso do Sul vs. relação de troca (boi gordo de 1100, , , , , ,00 980,00 960,00 1,90 1,88 1,86 1,84 1,82 1,80 1,78 1,76 1,74 1,72 1,70 Preço Bezerro Relação de troca Fonte: CEPEA/ESALQ/USP Elaboração: UNITEC/FAMASUL 6

7 Mil toneladas Bovinocultura de Corte Mercado Externo No Mato Grosso do Sul, julho foi marcado por aumentos de receita e volume de carne bovina in natura exportada, em relação ao mês passado. De acordo com dados do SECEX-MDIC, as receitas aumentaram em 17,26% e o volume em 17,02%. Quando comparado a julho de 2013, os resultados são ainda mais positivos, onde o aumento na receita foi de 28,31% e no volume 18,78%. Assim em julho a receita somou US$ 70,3 milhões e o volume 14,9 mil toneladas exportadas. Tendo a Rússia como principal país comprador, com uma participação de 60,42%. Figura 8 - Exportação de carne bovina in natura de Mato Grosso do Sul, em mil toneladas ,5 11,7 12,1 11,2 9,4 9,0 14,0 12,1 11,7 11,6 14,9 12,7 12,5 12,0 9,9 12,8 13,0 10,9 14, Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL 7

8 Principais Importadores Tabela 1 - Principais países importadores de carne bovina in natura sul-mato-grossense em Julho de 2014 US$ FOB Peso Líquido(Kg) Preço Médio(US$/Kg) % do Total Rússia ,43 60,42 Hong Kong ,80 11,94 Venezuela ,31 8,68 Chile ,49 5,86 Egito ,54 5,91 Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL 8

9 Bovinocultura de Leite Mercado Interno De acordo com o Conseleite/MS, o valor de referência para o leite padrão comercializado no Mato Grosso do Sul em julho de 2014 foi de R$ 0,8623, representando uma alta de 2,5% em relação a junho. A tendência para agosto é de aumento na captação de leite em 7 p. p., de modo que a preocupação das indústrias será com o excedente. Neste cenário e diante da expansão do mercado brasileiro para a Rússia, estuda-se a possibilidade de exportações,dada a potencialidade na produção de leite. Tabela 2 - Extrato de volume entregue de até 100 litros/dia, posto propriedade, R$/Litro Mês Padrão jul/13 0,8236 ago/13 0,8446 set/13 0,8628 out/13 0,8880 nov/13 0,8371 dez/13 0,7800 jan/14 0,7681 fev/14 0,7481 mar/14 0,7702 abr/14 0,7978 mai/14 0,8271 jun/14 0,8413 jul/14 0,8623 ago/14* 0,8756 MÉDIA 0,8124 *Valor projetado para agosto de Fonte: CONSELEITE/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 9

10 Desconsiderando a inflação, figura 6, percebe-se que o preço do leite reduziu em relação a julho do ano passado 0,41%. E em relação ao mês passado houve aumento de 3,6%. Figura 9 - Valores CONSELEITE/MS de referência para o leite em Mato Grosso do Sul, valores deflacionados pelo IGP-DI (base=jan/2012) R$ 1,00 R$ 0,80 R$ 0,60 R$ 0,40 R$ 0,20 R$ 0,00 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: CONSELEITE/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL Quanto aos preços no atacado do leite e derivados de Mato Grosso do Sul, a maioria apresentou alta em relação a junho. Com destaque para requeijão que rompeu o período de estabilidade no preço e apresentou alta de 8,9% e mussarela que deteve alta de 4,5%. O comportamento ascendente foi acompanhado pelos demais produtos, exceto para o leite consumidor que apresentou queda (0,5%), leite cru e o creme de leite industrializados que não detiveram variações. Figura 10 Variação média dos principais produtos lácteos no atacado no atacado de Mato Grosso do Sul, em julho de 2014, em R$ 10,0% 8,0% 8,9% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% 4,5% 0,3% 1,0% 0,5% 3,1% -0,5% 0,0% 1,5% 1,4% 0,0% 0,9% -2,0% *Valor estimado para julho de 2014 Fonte: CONSELEITE/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 10

11 Preços no Varejo Na outra ponta do mercado de lácteos, a do varejo, observou-se uma queda de 31,4% no preço do leite tipo C, rompendo com a estabilidade no preço de R$ 2,99 vivenciada durante o ano. Outro destaque do período foi refletido no preço de varejo da mussarela que sofreu alta de 3,8%. Enquanto que os demais produtos lácteos seguiram uma trajetória descendente. Figura 11 Preços no varejo dos principais produtos lácteos 15% 10% 9,2% 5% 3,8% 0% -5% -2,8% -2,1% -10% -5,8% -5,7% -15% -12,7% -20% -25% -30% -35% -31,4% Queijo Minas (1kg) Queijo muçarela Fatiado (1kg) Longa vida desnatado (litro) Longa vida integral (litro) Leite Tipo C (litro) Requeijão Requeijão cremoso (220g) cremoso (200g) Requeijão cremoso (250gr) Fonte: Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (NEPES) Universidade Anhanguera/Uniderp Elaboração: UNITEC/FAMASUL 11

12 Exportação e Importação de Derivados No Brasil, em julho, as exportações de manteiga tiveram incremento de 293% e o leite e creme de leite em pó 167%. No entanto, a balança comercial de lácteos continuou negativa e apresentou déficit de US$ 4,7 milhões Figura 12 Importação de produtos lácteos do Brasil jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Leite e Creme de Leite em Pó Manteiga Queijos Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL Figura 13 - Exportação de produtos lácteos do Brasil jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Leite e Creme de Leite em Pó Manteiga Queijos Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL 12

13 Suinocultura Mercado Interno O preço do suíno vivo no mês de julho atingiu R$ 6,54/Kg, representando em relação a junho um leve aumento de 0,17%. Enquanto o preço da carcaça foi R$ 3,42 com uma pequena redução de 0,92%. Na comparação a julho do ano passado, descontando a inflação, houve aumento de 31,47% no preço do peso vivo e de 18,84% na carcaça. Figura 14 - Preço médio dos suínos no atacado no Mato Grosso do Sul, nominal e deflacionado pelo IGP-DI (base=julho/2013) jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 6,54 6,23 3,42 3,26 Peso Vivo (ao produtor) Peso Vivo (deflacionado) Carcaça (no atacado) Carcaça (deflacionado) Fonte: CEASA/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 13

14 Milhares Abates Em julho, o número de abates suínos aumentou 15,97% em relação a junho, já em comparação ao mesmo período do ano passado os abates aumentaram 11,96%. Isto, ao seguir uma trajetória de alta ao longo do ano. 140 Figura 15 - Número de suínos abatidos em Mato Grosso do Sul Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SIPOA-SFA/MS Elaboração: UNITEC FAMASUL 14

15 Preço no Varejo Os preços no varejo dos principais cortes suínos sofreram quedas em relação a junho. Assim o preço da bisteca caiu 2,97%, da costeleta 2,98% e do pernil 2,37%. Apesar disso, em comparação ao mesmo período de 2013, houve aumento respectivamente, de 11,12%, 16,70% e de 15,87%. 12,00 Figura 16 Preços no varejo dos principais cortes suínos 11,00 10,00 9,00 8,00 7,00 6,00 5,00 4,00 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Bísteca (kg) Costeleta (kg) Pernil (kg) Fonte: Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (NEPES) Universidade Anhanguera/Uniderp. Elaboração: UNITEC FAMASUL 15

16 Suíno vivo P/Kg Relação de Troca Suíno (Kg)/Milho (Kg) Relação de troca: Suínos x Milho Neste cenário, destaca-se ainda a relação de troca entre suínos e milho. Justamente porque devido a queda no preço do milho durante o mês, o custo deste insumo para a suinocultura reduziu e ampliou os índices de troca. Considerando julho de 2011, 2012, 2013 e 2014, observa-se, de acordo com o CEASA, que o preço no atacado do suíno vivo, variou de R$ 2,05/Kg a R$ 3,42/Kg (aumento de 66,83%), enquanto que o milho no mesmo período, variou de R$ 0,39/Kg a R$ 0,27/Kg (queda de 30,63%). Assim a relação de troca passou de 5,32 para 12,79, o ápice desse aumento foi em julho de 2013, quando houve recuperação da atividade. No atual cenário 1Kg de suíno é trocado por 12,79Kg de milho, cenário esse considerado ideal para a atividade. Figura 17 Preço dos suínos e relação de troca entre suínos e milho 4,00 3,50 12,79 3,42 14,00 12,00 3,00 9,44 10,00 2,50 2,00 2,05 2,05 2,60 8,00 1,50 5,32 5,76 6,00 1,00 4,00 0,50 2,00 0,00 jul/11 jul/12 jul/13 jul/14 0,00 Suíno Troca Fonte: CEASA/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 16

17 Mil toneladas Mercado Externo As exportações de suínos em julho apresentaram melhora em relação a julho de Segundo dados do SECEX-MDIC, em julho deste ano a receita da carne suína in natura aumentou 68,02% e o volume 38,09% em relação a junho. Neste cenário, a Ucrânia continuou na posição de principal país importador de carne suína do estado e ampliou sua participação relativa de 27,58% para 42,57%, com uma pequena redução no preço médio de 0,55%, mas ainda detendo o maior preço em relação ao demais importadores. Figura 18 - Exportação de carne suína in natura de Mato Grosso do Sul em mil toneladas ,7 1,6 1,3 1,3 1,3 1,3 1,2 1,2 1,1 1,1 1,0 1,1 0,87 0,85 0,94 0,90 0,86 0,83 0,79 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL Principais Importadores Tabela 3 - Principais países importadores de carne suína in natura sul-mato-grossense em maio de 2014 US$ FOB Peso Líquido(Kg) Preço Médio(US$/Kg) % do Total Ucrânia ,20 42,57 Hong Kong ,77 20,68 Geórgia ,99 17,16 Quirguistão ,91 8,87 Angola ,19 6,51 Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/FAMASUL 17

18 Avicultura Mercado Interno Em julho, o preço médio das aves no atacado caiu 2,82% em relação a junho de Ao comparar julho deste ano, quando o preço foi de R$ 3,92 a julho de 2013 representado por R$ 3,76, houve aumento de 4,22%. Quando descontada a inflação houve queda de 0,8% em relação ao ano passado e de 2,43% em relação a junho deste ano. Figura 19 - Preço médio das aves no atacado no Mato Grosso do Sul, nominal e deflacionado pelo IGP-DI (base=julho/2013) 4,40 4,20 4,00 3,80 3,92 3,73 3,60 3,40 3,20 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Preço nominal Preço deflacionado Fonte: CEASA/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 18

19 Milhões Abates Quanto ao número de abates de aves, houve aumento de 10% em relação a junho. A tendência nesse sentido é de alta, uma vez que a carne de frango e o seu custo de produção é inferior as demais proteínas animais, sendo nestes aspectos, dada restrição orçamentária do consumidor, substituto direto das demais carnes, diante de um cenário de cautela econômica Figura 20 - Número de aves abatidas em Mato Grosso do Sul 14,0 13, ,2 13,0 12,4 12,3 13,5 13,3 12,4 13,2 13,0 12,6 12,4 13,2 12,2 13,3 12, ,8 11, Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SIPOA-SFA/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 19

20 Preços no Varejo No varejo, apenas o peito e coração de frango detiveram alta. O maior destaque no período foi a queda de 26,71% no preço do peito sem osso, 11,17% nas coxas/sobre coxas e de 9,70% nas coxas em relação a junho deste ano, ao seguir a tendência de queda nos preços de atacado das aves. Figura 21 Preços no varejo dos principais cortes de aves 20,00% 15,00% 15,59% 10,00% 5,00% 0,00% -5,00% -10,00% -1,23% -0,46% -9,70% -11,17% -3,19% -26,71% Frango/galin. abat. Asas Coxas Coxas/Sobre Coxas Coxinha Da Asa 0,41% Peito S/ Osso Peito Coração de Frango Congelado -0,49% Moela -15,00% -20,00% -25,00% -30,00% Fonte: Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (NEPES) Universidade Anhanguera/Uniderp Elaboração: UNITEC/FAMASUL 20

21 Aves P/KG Troca Aves/Milho Relação de Troca: Aves x Milho Em função da redução no preço do milho, a 3,44 Kg a R$ 3,92 (aumento de 13,95%), enquanto que relação de troca entre aves e milho aumentou. Uma o preço do milho reduziu cerca de 30%. Assim a vez que ao considerar julho de 2011, 2012, 2013 e relação de troca passou de 8,92 para 14,65, em outras 2014 o preços das aves no atacado variaram de R$ palavras, 1Kg de aves é trocado por 14,65Kg de milho. Figura 22 Preço das aves e relação de troca entre aves e milho 4,00 14,65 16,00 3,90 3,92 14,00 3,80 13,66 3,76 12,00 3,70 3,60 3,50 8,92 9,58 10,00 8,00 3,40 3,44 3,41 6,00 3,30 4,00 3,20 2,00 3,10 jul/11 jul/12 jul/13 jul/14 Aves Troca 0,00 Fonte: CEASA/MS Elaboração: UNITEC/FAMASUL 21

22 Mil toneladas Mercado Externo Em julho, as exportações de carne de frango in natura aumentaram 27,42% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto que em relação a junho deste ano o aumento registrado foi de 36,48%. Assim o volume exportado em julho foi de 15,8 mil toneladas que contribuíram para uma receita de US$ 38,6 milhões. No mês, a Arabia Saudita retornou a posição de principal importador de carne de frango do estado, ao aumentar suas compras em 57,73% e seu volume de aquisições em 47,02%. Fato que contribuiu para ampliar sua participação relativa de 23,71% para 27,81% Figura 23 - Exportação de carne de frango in natura de Mato Grosso do Sul, em mil toneladas 8 8,59 12,01 12,96 9,35 9,20 12,53 12,20 14,94 13,17 13,59 11,38 11,23 11,53 15,83 13,70 10,69 12,69 14,09 12, Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC SISTEMA FAMASUL 22

23 Principais Importadores Tabela 4 - Principais países importadores de carne de frango in natura sul-matogrossense em maio de 2014 US$ FOB Peso Líquido(Kg) Preço Médio(US$/Kg) % to Total Arabia Saudita ,40 27,81 Japão ,90 20,86 China ,53 17,89 Emirados Arabes Unidos ,26 5,90 Fonte: SECEX (MDIC) Elaboração: UNITEC/SISTEMA FAMASUL ELABORAÇÃO Pecuária Daniela Teixeira ANALISTA TÉCNICA Adriana Mascarenhas DIAGRAMAÇÃO Bllener Tavares 23

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA A conjuntura econômica do último mês foi marcada por aceleração dos principais índices de inflação em todo Brasil. Em janeiro, o IPCA avançou 1,24% em nível de Brasil, esta foi a maior

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Figura 1 Aumento dos preços no acumulado de 12 meses em Campo Grande - MS (%) 6,83 HABITAÇÃO MÃO DE OBRA ARTIGOS DE LIMPEZA

Figura 1 Aumento dos preços no acumulado de 12 meses em Campo Grande - MS (%) 6,83 HABITAÇÃO MÃO DE OBRA ARTIGOS DE LIMPEZA %Aumento Preços Conjuntura Econômica A conjuntura econômica de agosto foi marcada pelo aumento da inflação, baixo crescimento da economia, taxa de câmbio levemente desvalorizada, insegurança política e

Leia mais

Preço Médio da Soja em Mato Grosso do Sul - Junho de 2011 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço Médio da Soja em Mato Grosso do Sul - Junho de 2011 - Em R$ por saca de 60 kg. 1 2 NORTE Os preços pagos aos Produtores Rurais na região Norte do Estado neste mês de junho variaram entre a mínima de R$ 38,5 no dia 3/6 no município de São Gabriel do Oeste e a máxima de R$ 4, no dia

Leia mais

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 CONJUNTURA ECONÔMICA A inflação perdeu força em abril de 214, os principais índices de inflação apresentaram crescimento, porém em ritmo menor que o registrado em março. O IPCA, principal índice de preços

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE -mai 3-mai -mai 7-mai 8-mai 9-mai -mai 3-mai -mai 5-mai -mai 7-mai -mai -mai -mai 3-mai -mai 7-mai 8-mai 9-mai 3-jun -jun 5-jun -jun 7-jun -jun BOVINOCULTURA DE CORTE» MERCADO INTERNO Os preços médios

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA Em março deste ano o IGP-M calculado pela FGV registrou alta de 0,51%, no acumulado de 12 meses a alta chega a 11,57%. O IPCA (índice oficial) subiu 0,43% em fevereiro, recuo de 0,47

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE (1ª semana)

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE (1ª semana) ISS 316-119 ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE (1ª semana) MERCADO INTERNO: Os preços da arroba do boi e da vaca, na primeira quinzena de março de 13, apresentaram uma média de R$ 9,75 e R$ 85,6, respectivamente.

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE Milhares BOVINOCULTURA DE CORTE» MERCADO INTERNO Os preços médios da arroba do boi e da vaca na segunda semana de julho continuaram a crescer, finalizando o período em R$ 96,9 e R$91,11 (à vista e livre

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE MERCADO INTERNO: Os valores de referência do Conseleite/MS para o leite em Mato Grosso do Sul, em fevereiro de 213, mantiveram-se praticamente estáveis quando se comparado

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO: Para o inicio do ano, em relação ao mês de dezembro de 212, os preços da arroba do boi e da vaca mantiveram-se praticamente estáveis, tendo o valor médio

Leia mais

Balança Comercial de Mato Grosso do Sul

Balança Comercial de Mato Grosso do Sul 1 2 Bilhões (US$) BALANÇA COMERCIAL DE MATO GROSSO DO SUL A IMPORTÂNCIA DO AGRONEGÓCIO NO DESEMPENHO DO SETOR EXTERNO DO ESTADO Com dados consolidados para o ano de 2011, acerca do desempenho da economia

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O principal índice de inflação da economia brasileira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor- Amplo (IPCA) foi -0,23% em junho, taxa muito inferior ao mês de maio e inferior também

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

Perspectivas de Mercado

Perspectivas de Mercado Perspectivas de Mercado Estratégico Nível Gestão Gerencial Nível Caixa Nível Operacional Pecuária Custos de Corte Tecnologia do uso da informa ção Alcides Torres Insumos Bens de Fabiano R. Tito Rosa Scot

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA Os três principais índices de inflação (IPCA, IGP-M e IGP-DI) registraram alta no mês de setembro. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor-Amplo (IPCA) foi de 0,16% no mês, taxa

Leia mais

BOLETIM RURAL Bovinocultura de leite. Edição nº 09/2017 Outubro/2017 CONJUNTURA ECONÔMICA

BOLETIM RURAL Bovinocultura de leite. Edição nº 09/2017 Outubro/2017 CONJUNTURA ECONÔMICA BOLETIM RURAL Bovinocultura de leite. Edição nº 09/2017 Outubro/2017 CONJUNTURA ECONÔMICA Considerando os três principais índices de inflação (IPCA, IGP-M e IGP-DI) verifica-se valor menor em dois dos

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ANÁLISE SOJA MERCADO INTERNO: Nos primeiros dez dias do mês de maio houve valorização nos preços praticados da saca de soja de 6 kg quando comparados aos preços observados em 1 de maio,,38% de aumento

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA Desde fevereiro os três principais índices de inflação (IPCA, IGP-M e IGP-DI) não registravam alta simultaneamente no mesmo mês. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor-Amplo (IPCA)

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Maio de 2015 Benefício do câmbio mais depreciado sobre as exportações de carnes será limitado pela queda da demanda de mercados relevantes Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 MERCADO INTERNACIONAL O Brasil teve uma performance impressionante na produção de carnes nos últimos anos: tornou-se o maior exportador

Leia mais

:: CONJUNTURA ECONÔMICA INTERNACIONAL

:: CONJUNTURA ECONÔMICA INTERNACIONAL :: CONJUNTURA ECONÔMICA INTERNACIONAL O início de 2016 vem sido marcado por instabilidade em diversas áreas do globo. A inconstância do setor petrolífero e a desaceleração da economia chinesa estão abalando

Leia mais

Análise Bovinocultura

Análise Bovinocultura Análise Bovinocultura BOLETIM SEMANAL MÊS PARADO: No primeiro mês do ano de 2013 o preço da arroba do boi gordo à vista em Mato Grosso seguiu firme na casa dos R$ 84/@, registrando na última cotação de

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Junho de 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Junho de 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Pecuária Junho de 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Roussef Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura (resultados de julho de 2008) setembro/08 1 Principais destaques Em julho/08 as micro e pequenas empresas (MPEs) apresentaram queda de 3% no faturamento real

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno

BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno No Mato Grosso do Sul, na semana de 10 a 14/ago, os preços da arroba do boi e da vaca registraram relativa estabilidade. Os preços registrados em agosto se acomodaram

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Junho de 2014

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Junho de 2014 Nº 27 Oferta restrita e preços firmes no mês da Copa Frigoríficos, supermercados e churrascarias já têm motivos para comemorar com os resultados da Copa do churrasco. Ainda que não seja um movimento capaz

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O início do segundo semestre de 2017 registra alta no principal índice de inflação da economia brasileira. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor-Amplo (IPCA) foi 0,24% em julho,

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Dezembro de 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Dezembro de 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Pecuária Dezembro de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Roussef Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário JOSÉ VICENTE FERRAZ JULIANA MORETTI ANGELO 20 de Junho 2008 Investment Grade Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (milhões

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015

PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015 PANORAMA SEMANAL DO MERCADO SUÍNO DO DF 06/02/2015 Cotação Diária do Suíno Vivo, por Unidade da Federação Data MG SP PR SC RS DF MT Carcaça CEPEA 05/02/2015 R$ 3,68 R$ 3,35 R$ 3,17 R$ 3,23 R$ 3,28 R$ 4,01

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC. Campo Grande. Janeiro de 2009 (0,28%)

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC. Campo Grande. Janeiro de 2009 (0,28%) NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC Campo Grande MS Janeiro de 2009 (0,28%) Campo Grande MS NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC. Campo Grande. Abril de 2009 (0,33%) Campo Grande MS

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC. Campo Grande. Abril de 2009 (0,33%) Campo Grande MS NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS - NEPES - Índice de Preço ao Consumidor - IPC Campo Grande MS Abril de 2009 (0,33%) Campo Grande MS NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI INFORMATIVO MENSAL LAPESUI Maio de 2013 Nº 15 SUINOCULTURA RECUPERA O FÔLEGO EM MAIO As exportações brasileiras estavam caindo desde março, quando ocorreu o embargo do produto nacional pela Ucrânia devido

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O ano de 2014 foi marcado por decisões políticas e incertezas econômicas no Brasil. Dentre as decisões políticas permeou um momento histórico em que o país se encontrou dividido. Além

Leia mais

BOVINOCULTURA DE LEITE

BOVINOCULTURA DE LEITE BOVINOCULTURA DE LEITE CONJUNTURA ECONÔMICA O principal índice de inflação da economia brasileira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor- Amplo (IPCA) apresentou variação positiva de 0,33% em fevereiro

Leia mais

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Zootecnista FAZU Msc. Melhoramento Genético UNESP MBA em Marketing FEA USP AUSMEAT Curso de Formação

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Ano 6 - Edição 25 Agosto 2014 VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Por Prof. Dr. Sergio De Zen, Pesquisador; Equipe Pecuária de Corte As cotações praticadas em todos os elos da cadeia pecuária

Leia mais

O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina. Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR

O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina. Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR Aspectos abordados Carne no mundo (Visão Geral) Histórico: ambiente institucional e

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O principal índice de inflação da economia brasileira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor- Amplo (IPCA) foi 0,14% em abril, taxa menor que março e inferior ao mesmo período

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Na média, pecuarista ganha da inflação em setembro Em setembro, o custo efetivo da pecuária, pesquisado pela CNA/Cepea-USP, teve alta de apenas 0,22%, enquanto que a inflação medida pelo IGP-M alcançou

Leia mais

Margem de comercialização da carne bovina nos diferentes elos da cadeia. Novembro de 2009

Margem de comercialização da carne bovina nos diferentes elos da cadeia. Novembro de 2009 Margem de comercialização da carne bovina nos diferentes elos da cadeia Novembro de 2009 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. METODOLOGIA... 2 2.1. BASE DE DADOS... 2 2.2. MÉTODO DE ANÁLISE... 3 3. EVOLUÇÃO DOS

Leia mais

Relatório da Pesquisa Conjuntural

Relatório da Pesquisa Conjuntural -12,3% -13, -13,5% -13,1% -12,7% -12,4% -12,7% -7,9% -9,3% -6,9% -2,7% -0,2% I Resultado Nacional Os dados divulgados no Relatório da Pesquisa Conjuntural, elaborados com base nas informações das empresas

Leia mais

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária fevereiro de 2013. 1 - Considerações Iniciais A Suinocultura é uma das atividades da agropecuária mais difundida e produzida no mundo. O porco, espécie

Leia mais

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov.

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov. 4 SETOR EXTERNO As contas externas tiveram mais um ano de relativa tranquilidade em 2012. O déficit em conta corrente ficou em 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando pequeno aumento em relação

Leia mais

PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina

PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003 Carne bovina A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne bovina, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS 0,5% Exportação 46% Leite 41% Leite Condensado e Creme de Leite 55% Venezuela 11% Argélia Leite Fluido 34

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI INFORMATIVO MENSAL LAPESUI Outubro Nº 20 Mercado em ascensão para o final do ano De janeiro à agosto ste ano, as exportações carne suína tiveram uma queda 6% em relação ao mesmo período do ano passado,

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO De 07 a 17 de outubro, o preço médio da arroba do boi, no estado, foi de R$ 126,12. No período houve leve valorização de 1,67%. Mesmo com o preço da arroba em patamar

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 6, n. 47 - Outubro/2015 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Junho de 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Junho de 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Pecuária Junho de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Roussef Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam

Leia mais

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações Carta de Conjuntura nº2 Dezembro de 2015 Setor Externo As cotações do dólar recuaram em relação aos últimos meses, chegando a taxa média em novembro a ficar em R$ 3,77, cerca de 2,77% abaixo da taxa média

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - Março de 2010 0,43% Campo Grande MS NÚCLEO DE

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2012 Vitória, dezembro de 2012 Cesta Básica

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 1. Mercado nacional: preços pagos ao produtor e produção histórica e estimada no Mercosul Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em julho, ponderados

Leia mais

Tendências importantes para o spread e inadimplência

Tendências importantes para o spread e inadimplência Tendências importantes para o spread e inadimplência A inadimplência confirma mínima histórica em 3,0% e o spread bancário volta a se elevar, alcançando 13,1%. Os dois movimentos são os principais destaques

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

25 de abril de 2015/ nº 012

25 de abril de 2015/ nº 012 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo O que esperar Desenvolver do do mercado de de leite no no e fortalecer Brasil e o e no agronegócio no mundo O que esperar do mercado de leite no Rafael Ribeiro de Lima Filho zootecnista Scot Consultoria

Leia mais

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg SOJA» MERCADO INTERNO Na primeira semana de março houve leve apreciação nos preços da saca de 6 Kg de soja em grãos, estes cresceram em média 1,2% em relação aos preços observados 6/mar. Mas em comparação

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Novembro de 2013 Milho: Neste mês o mercado de milho registrou comportamento diferenciado. Em algumas localidades ocorreram quedas nos preços, caso do Paraná, e sustentação em outras,

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33 RENDA VARÍAVEL O Ibovespa principal indicador da bolsa de valores brasileira fechou o mês de março em queda (-0,84%). A Bovespa segue bastante vulnerável em meio à desaceleração econômica e a mudança de

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009

LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009 LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em agosto, ponderados pela produção, dos sete estados pesquisados

Leia mais

Preço Médio da Soja em Mato Grosso do Sul - Fevereiro de Em R$ por saca de 60 kg.

Preço Médio da Soja em Mato Grosso do Sul - Fevereiro de Em R$ por saca de 60 kg. 1 2 NORTE Os preços pagos aos Produtores Rurais na região Norte do Estado neste mês de fevereiro variaram entre a mínima de R$ 41,00, observada no final do mês no município de São Gabriel do Oeste e a

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Workshop Regional sobre Cooperativismo Lácteo América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Vicente Nogueira Netto Fepale OCB/CBCL Cotrial Curitiba, 08 de julho de 2008 Agenda Mudanças recentes no

Leia mais

PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003. Carne bovina

PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003. Carne bovina PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003 Carne bovina A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne bovina, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO

BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO 0 R$/@ R$/@ BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO De 25 de fevereiro a 04 de março, o mercado da bovinocultura de corte foi marcado por leves variações nos preços da arroba do boi (0,21%) e da vaca (-0,18%).

Leia mais

Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro

Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro Mudança do cenário internacional e reflexos para o setor externo brasileiro Irailton Silva Santana Júnior 1 Vinícius de Araújo Mendes 1 Introdução O presente relatório concentra a análise da economia brasileira

Leia mais

Desempenho da Economia de Caxias do Sul Dezembro de 2015

Desempenho da Economia de Caxias do Sul Dezembro de 2015 Dezembro/2015 1- Desempenho da Economia de Caxias do Sul A economia de Caxias do Sul, em dezembro, apresentou indicador com leve recessão no mês (-0,3%). Foi a Indústria que puxou o índice para baixo,

Leia mais

Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia

Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia FEVEREIRO 2007 Índices de preços são números que agregam e representam os preços de uma determinada cesta de produtos. Sua variação mede, portanto,

Leia mais

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Circular Técnico nº 20 No acompanhamento da cultura do milho 2ª safra de Mato Grosso do Sul foram visitadas 52 propriedades entre os dias 22 e 25 de abril de 2013

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com. Agronegócio Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.br GRÃOS Produção (milhões de T. USDA - Fevereiro de 2014; Projeções

Leia mais

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial Edição 08 Agosto 1 2 3 Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 4 Comportamento Acumulado de janeiro a julho 2015 As exportações

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 68 1 a 15 de fevereiro de 211 ANÚNCIOS DE INVESTIMENTOS De

Leia mais