Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo."

Transcrição

1 Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados

2 Índice Brasil... 4 Balança comercial brasileira números... 5 Gráfico da balança comercial do setor de produtos farmacêuticos brasileiro (2014)... 6 Gráfico com o saldo, Importações e exportações gerais brasileiras(2014)... 7 Gráfico com o saldo, importações e exportações dos produtos farmacêuticos brasileiras (2014)... 8 Evolução das Exportações e Importações de produtos farmacêuticos brasileiros... 9 Gráfico com a evolução das exportações e importações brasileiras ( ) Participação dos produtos farmacêuticos nas exportações e importações totais do Brasil Gráfico com a participação percentual das Exportações de Produtos Farmacêuticos nas Exportações Totais do Brasil Participação percentual das Importações de Produtos Farmacêuticos nas Importações Totais do Brasil Balança Comercial brasileira setores selecionados ( ) Gráfico da balança Comercial brasileira setores selecionados (2014) Estado de São Paulo Balança comercial do Estado de São Paulo (2014) Gráfico da balança comercial do setor de produtos farmacêuticos do estado de São Paulo (2014) Gráfico com o saldo, importações e exportações gerais do estado de São Paulo (2014) Gráfico com o saldo, importações e exportações dos produtos farmacêuticos do estado de São Paulo (2014) Evolução da participação do Estado de São Paulo nas exportações e importações brasileiras Participação das exportações e importações do estado de São Paulo no total das exportações e importações brasileiras (produtos farmacêuticos) Gráfico da parcela da participação do estado de São Paulo nas exportações de produtos farmacêuticos do Brasil ( ) Gráfico com exportações dos produtos farmacêuticos - Brasil e São Paulo ( ) Gráfico com importações dos produtos farmacêuticos - Brasil e São Paulo ( ) Exportações por Unidades da Federação de produtos farmacêuticos ( ) Participação das Unidades da Federação nas exportações brasileiras ( ) Gráfico da evolução das exportações brasileiras Gráfico da evolução das exportações do Estado de São Paulo

3 Gráfico da participação dos estados de Minas Gerais e São Paulo nas exportações brasileiras Gráfico com a fatia das participações das Unidades da Federação nas exportações dos produtos farmacêuticos Importações de produtos farmacêuticos por Unidades da Federação ( ) Participação das Unidades da Federação nas importações brasileiras ( ) Gráfico com a evolução das importações brasileiras Gráfico com a evolução das importações do estado de São Paulo Gráfico com a participação dos estados de Goiás e São Paulo nas exportações Gráfico com a fatia das participações das Unidades da Federação nas Importações dos produtos farmacêuticos (2014) Principais destinos das exportações de produtos farmacêuticos brasileiros e do estado de São Paulo Principais destinos das exportações brasileiras de produtos farmacêuticos Mapa dos principais destinos das exportações brasileiras Principais mercadorias exportadas pelo Brasil Principais destinos das exportações do estado de São Paulo Mapa dos principais destinos das exportações do estado de São Paulo Principais mercadorias exportadas pelo Estado de São Paulo Importações de produtos farmacêuticos por parte do Brasil e pelo estado de São Paulo por país de origem Importações brasileiras por países de origem (capítulo 30 da NCM) Mapa das importações brasileiras por país de origem Principais mercadorias importadas pelo Brasil (capítulo 30 da NCM) Importações do estado de São Paulo por países de origem (capítulo 30 da NCM) Mapa das Importações do estado de São Paulo por países de origem Principais mercadorias importadas pelo Estado de São Paulo (capítulo 30 da NCM) Principais vias e portos utilizados nas exportações e importações de produtos farmacêuticos Principais vias e portos de exportações brasileiras Principais vias e portos para importações brasileiras Principais vias e portos de exportações do Estado de São Paulo Principais vias e portos para importações do Estado de São Paulo Síntese dos principais resultados levantados no estudo

4 Brasil Balança comercial Produtos em geral e produtos farmacêuticos 4

5 Balança comercial brasileira Período: Jan - Dez 2014 Balança comercial geral brasileira (US$ FOB) Balança comercial do setor de produtos farmacêuticos brasileira (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Mês Exportação Importação Saldo Mês Exportação Importação Saldo Jan Jan Fev Fev Mar Mar Abr Abr Mai Mai Jun Jun Jul Jul Ago Ago Set Set Out Out Nov Nov Dez Dez Acumulado Acumulado Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 5

6 Balança Comercial Balanço geral do setor de produtos farmacêuticos brasileiro (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Jan Dez Exportação Importação Saldo Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 6

7 Importação e exportação Saldo Balança Comercial Saldo, Importações e exportações gerais brasileiras (US$ FOB) Período: Jan Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Exportação Importação Saldo 7

8 Balança Comercial Importação e exportação do setor de produtos farmacêuticos brasileiro (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Jan Dez Exportação Importação Saldo Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 8

9 Produtos Farmacêuticos Evolução das Exportações e Importações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Ano Exportações (US$ FOB) Variação percentual Índice Base: 2000=100 Importações (US$ FOB) Variação percentual Índice Base: 1997= ,49% 110, ,10% 107, ,99% 116, ,36% 107, ,57% 128, ,01% 106, ,60% 161, ,04% 125, ,56% 216, ,12% 143, ,11% 284, ,09% 183, ,86% 340, ,75% 247, ,94% 439, ,73% 301, ,18% 492, ,62% 315, ,32% 583, ,06% 428, ,88% 663, ,67% 457, ,85% 682, ,29% 481, ,42% 692, ,46% 522, ,55% 717, ,07% 522,6 Obs.: Dados sujeitos à retificação Elaboração: Sindusfarma / Gerência de Regulação de Mercados 9

10 Em US$ FOB Balança comercial Exportações e importações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: 2000 a Exportações (US$ FOB) Importações (US$ FOB) Elaboração: Sindusfarma / Gerência de Regulação de Mercados 10

11 Participação dos produtos farmacêuticos nas exportações e importações totais do Brasil Capítulo 30 da NCM (US$ FOB) Período: 2000 a 2014 Total - Brasil Produtos Farmacêuticos Total - Brasil Produtos Farmacêuticos Ano Exportações (US$ Fob) Exportações (US$ Fob) Partic. % dos Produtos Farmacêuticos no Total Exportado Importações (US$ Fob) Importações (US$ Fob) Partic. % dos Produtos Farmacêuticos no Total Importado ,397% ,545% ,415% ,738% ,420% ,234% ,384% ,129% ,365% ,841% ,400% ,768% ,451% ,857% ,464% ,915% ,486% ,471% ,705% ,506% ,632% ,352% ,568% ,873% ,616% ,066% ,626% ,096% ,697% ,242% Obs.: Dados sujeitos à retificação Fonte: MDIC/Secex Elaboração: Sindusfarma / Gerência de Regulação de Mercados Economia 11

12 Participação Percentual Mercado Farmacêutico Participação percentual das Exportações de Produtos Farmacêuticos nas Exportações Totais do Brasil Capítulo 30 da NCM Período: 2000 a ,800% 0,700% 0,600% 0,500% 0,705% 0,632% 0,568% 0,616% 0,626% 0,697% 0,400% 0,300% 0,397% 0,415% 0,420% 0,384% 0,365% 0,400% 0,451% 0,464% 0,486% 0,200% 0,100% 0,000% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de Regulação de Mercados 12

13 Participação Percentual 5,000% Mercado Farmacêutico Participação percentual das Importações de Produtos Farmacêuticos nas Importações Totais do Brasil Capítulo 30 da NCM Período: 2000 a ,500% 4,000% 3,500% 3,000% 2,500% 2,545% 2,738% 3,234% 3,129% 2,841% 2,768% 2,857% 2,915% 2,471% 3,506% 3,352% 2,873% 3,066% 3,096% 3,242% 2,000% 1,500% 1,000% 0,500% 0,000% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de Regulação de Mercados 13

14 Balança Comercial Brasileira Saldo Comercial - Setores selecionados (US$ FOB) Período: Setor Exportação Importação Saldo Exportação Importação Saldo Borracha e suas obras Produtos diversos das industrias químicas Plásticos e suas obras Instrumentos e apar.de ótica,fotografia, etc Produtos farmacêuticos Produtos químicos orgânicos Adubos e fertilizantes Veículos automóveis,tratores, ciclos, etc Reator nuclear,cald.,maq.,apar.,instr.mecân Máquinas, aparelhos e mats. elétricos, etc Combustíveis, óleos e ceras minerais, etc Fonte: MDIC/Secex Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 14

15 Balança Comercial Brasileira Saldo Comercial - Setores selecionados (US$ FOB) Período: 2014 Combustíveis, óleos e ceras minerais, etc Máquinas, aparelhos e mats. elétricos, etc. Reator nuclear,cald.,maq.,apar.,instr.mecân Veículos automóveis,tratores, ciclos, etc Adubos e fertilizantes Produtos químicos orgânicos Produtos farmacêuticos Instrumentos e apar.de ótica,fotografia, etc. Plásticos e suas obras Produtos diversos das industrias químicas Borracha e suas obras Fonte: MDIC/Secex Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Milhões

16 Estado de São Paulo Balança comercial Produtos em geral e produtos farmacêuticos 16

17 Balança comercial do Estado de São Paulo Período: Jan - Dez 2014 Balança comercial geral do Estado de São Paulo (US$ FOB) Balança comercial do setor de produtos farmacêuticos do Estado de São Paulo (US$ FOB) - Capítulo 30 da NCM Mês Exportação Importação Saldo Mês Exportação Importação Saldo Jan Jan Fev Fev Mar Mar Abr Abr Mai Mai Jun Jun Jul Jul Ago Ago Set Set Out Out Nov Nov Dez Dez Acumulado Acumulado Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 17

18 Balança Comercial Balanço geral do setor de produtos farmacêuticos do Estado de São Paulo (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Jan Dez Exportação Importação Saldo Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 18

19 Importação e exportação Balança Comercial Saldo, Importações e exportações gerais do Estado de São Paulo (US$ FOB) Período: Jan Dez 2014 Saldo Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Exportação Importação Saldo 19

20 Balança Comercial Importação e exportação do setor de produtos farmacêuticos do Estado de São Paulo (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Jan Dez Exportação Importação Saldo Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 20

21 Produtos Farmacêuticos (capítulo 30 da NCM) Evolução da participação do Estado de São Paulo nas exportações e importações brasileiras Período:

22 Participação das exportações e importações do estado de São Paulo no total das exportações e importações brasileiras (capítulo 30 da NCM) Período: Exportações Capítulo 30 da NCM Importações Capítulo 30 da NCM Ano Brasil (US$ FOB) Estado de São Paulo (US$ FOB) Partic. % das exportações do estado de São Paulo no total das exportações brasileiras (cap. 30 NCM) Ano Brasil (US$ FOB) Estado de São Paulo (US$ FOB) Partic. % das importações do estado de São Paulo no total das exportações brasileiras (cap. 30 NCM) ,9% ,1% ,4% ,9% ,1% ,9% ,9% ,0% ,2% ,1% ,4% ,9% ,7% ,8% ,2% ,4% ,2% ,5% ,4% ,2% ,0% ,7% ,3% ,6% ,5% ,8% ,3% ,7% ,5% ,5% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 22

23 (US$ FOB) Produtos Farmacêuticos Parcela da participação do estado de São Paulo nas exportações de produtos farmacêuticos do Brasil Capítulo 30 da NCM Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Demais Estados Estado de São Paulo 23

24 (US$ FOB) Produtos Farmacêuticos Exportação Capítulo 30 da NCM - Brasil e São Paulo Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Brasil Estado de São Paulo 24

25 (US$ FOB) Produtos Farmacêuticos Importação Capítulo 30 da NCM - Brasil e São Paulo Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Brasil Estado de São Paulo 25

26 Produtos Farmacêuticos Exportações por Unidades da Federação (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Unidades da Federação Ano Brasil São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Santa Catarina Outros Estados Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 26

27 Produtos Farmacêuticos Participação das Unidades da Federação nas exportações brasileiras Período: Unidades da Federação Ano Brasil São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Santa Catarina Outros Estados % 86,9% 9,0% 1,7% 0,1% 0,5% 0,6% 0,0% 0,3% 0,9% % 82,4% 12,2% 1,3% 0,2% 0,4% 0,8% 0,01% 0,2% 2,3% % 81,1% 14,3% 1,1% 0,2% 0,4% 0,3% 0,0% 0,3% 2,3% % 75,9% 18,4% 1,7% 0,5% 0,3% 0,4% 0,0% 0,4% 2,2% % 70,2% 23,8% 1,6% 0,5% 0,7% 0,3% 0,0% 0,4% 2,5% % 74,4% 19,7% 1,4% 0,1% 0,3% 0,4% 0,0% 0,2% 3,4% % 65,7% 20,0% 1,3% 0,9% 0,4% 0,4% 0,0% 0,2% 11,1% % 69,2% 18,0% 1,0% 0,1% 0,4% 0,9% 0,0% 0,2% 10,1% % 66,2% 15,8% 4,0% 0,2% 0,5% 0,7% 0,02% 0,3% 12,2% % 60,4% 15,5% 10,8% 0,2% 0,4% 1,4% 0,0% 0,2% 11,0% % 57,0% 12,6% 12,7% 0,2% 0,5% 2,1% 0,02% 0,2% 14,6% % 57,3% 9,8% 10,5% 0,1% 0,4% 2,2% 0,02% 0,3% 19,4% % 58,5% 9,7% 24,9% 0,2% 0,7% 2,0% 0,03% 0,3% 3,8% % 55,3% 9,6% 27,5% 0,4% 1,5% 2,3% 0,05% 0,3% 3,1% % 57,5% 7,7% 28,0% 0,7% 0,4% 2,3% 0,01% 0,2% 3,2% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Nota: Com relação as exportações de produtos farmacêuticos (capítulo 30 da NCM) realizadas no ano de 2014, o estado que mais se destacou foi São Paulo, responsável por 57,5% do total de produtos farmacêuticos exportados em todo território nacional, seguido pelo estado de Minas Gerais, responsável por 28% dos produtos exportados. Ambos os estados foram responsáveis por mais de 85% do total das exportações de produtos farmacêuticos em todo o território nacional. Pode-se observar que no ano de 2000, São Paulo foi responsável por cerca de 86,9% do total de produtos farmacêuticos exportados, já o estado de Minas gerais no mesmo ano foi responsável por 1,7% das exportações. O que podemos observar na tabela, é que no decorrer dos anos, entre 2000 e 2014, ocorreu no estado de São Paulo uma queda de 29,4 pontos percentuais na participação das exportações de produtos farmacêuticos, já para o estado de Minas Gerais teve-se um crescimento de 26,3 pontos percentuais na participação das exportações. Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 27

28 Produtos Farmacêuticos Evolução das exportações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 28

29 Produtos Farmacêuticos Evolução das exportações do Estado de São Paulo (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 29

30 100,0% Produtos Farmacêuticos Participação* dos estados de Minas Gerais e São Paulo nas exportações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: ,0% 80,0% 70,0% 86,9% 82,4% 81,1% 75,9% 70,2% 74,4% 65,7% 69,2% 66,2% 60,0% 60,4% 57,0% 57,3% 58,5% 55,3% 57,5% 50,0% 40,0% 30,0% 20,0% 24,9% 27,5% 28,0% 10,0% 10,8% 12,7% 10,5% 0,0% 1,7% 1,3% 1,1% 1,7% 1,6% 1,4% 1,3% 1,0% ,0% (*): Em relação ao valor total das exportações brasileiras do capítulo 30 da NCM Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados São Paulo Minas Gerais 30

31 FATIA DAS PARTICIPAÇÕES DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO NAS EXPORTAÇÕES DOS PRODUTOS FARMACÊUTICOS CAPÍTULO 30 DA NCM PERÍODO: 2014 Demais Unidades da Federação 6,8% Minas Gerais 28% São Paulo 57,5% Rio de Janeiro 7,7% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 31

32 Produtos Farmacêuticos Importações por Unidades da Federação (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Unidades da Federação Ano Brasil São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Santa Catarina Outros Estados Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 32

33 Produtos Farmacêuticos Participação das Unidades da Federação nas importações brasileiras Período: Unidades da Federação Ano Brasil São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Santa Catarina Outros Estados % 59,1% 17,2% 0,7% 0,01% 0,6% 1,0% 0,03% 0,1% 21,3% % 60,9% 17,1% 0,7% 0,3% 0,4% 1,0% 0,1% 0,1% 19,3% % 61,9% 18,5% 0,6% 0,1% 0,5% 1,8% 0,1% 0,1% 16,5% % 61,0% 18,8% 0,7% 0,1% 0,5% 1,5% 0,1% 0,2% 17,0% % 59,1% 21,5% 0,4% 0,2% 0,3% 0,9% 0,3% 0,1% 17,2% % 53,9% 15,6% 0,6% 2,5% 0,4% 2,3% 0,6% 0,5% 23,7% % 49,8% 14,2% 1,6% 6,6% 0,4% 2,2% 0,6% 1,6% 23,0% % 52,4% 14,3% 1,2% 8,3% 0,5% 1,6% 0,6% 1,2% 20,0% % 53,5% 15,0% 1,4% 8,5% 0,5% 2,2% 0,3% 1,1% 17,5% % 55,2% 13,7% 1,3% 10,2% 0,5% 2,0% 0,2% 0,9% 16,1% % 53,7% 13,9% 1,8% 10,8% 0,4% 1,7% 0,2% 0,7% 16,8% % 52,6% 14,9% 2,6% 13,6% 0,4% 2,7% 0,1% 2,3% 10,7% % 49,8% 14,7% 2,0% 17,6% 0,4% 2,6% 0,3% 2,9% 9,8% % 47,7% 15,1% 2,1% 18,3% 0,3% 2,5% 0,2% 2,3% 11,3% % 49,5% 12,5% 2,4% 16,0% 0,3% 2,0% 3,1% 2,5% 11,6% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados Nota: Com relação as importações de produtos farmacêuticos (capítulo 30 da NCM) realizadas no ano de 2014, o estado que mais se destacou foi o estado de São Paulo, responsável por 49,5% do total de produtos farmacêuticos importados em todo o território nacional, seguido pelo estado de Goiás, o qual foi responsável por 16% do total de produtos importados. Ambos os estados foram responsáveis por mais de 65,5% do total das importações realizadas no setor farmacêutico em todo território nacional. Pode-se notar que no ano de 2000, o estado de São Paulo foi responsável por 59,1% das importações de produtos farmacêuticos que ocorreram naquele ano, já o estado de Goiás foi responsável por apenas 0,7% das importações no mesmo ano. Ao analisar a tabela acima, observa-se que no decorrer dos anos, entre 2000 e 2014, ocorreu no estado de São Paulo uma queda de 9,6 pontos percentuais na participação das importações de produtos farmacêutico, já para o estado de Goiás teve-se um crescimento de 15,99 pontos percentuais na participação das importações. Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 33

34 Produtos Farmacêuticos Evolução das importações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 34

35 Produtos Farmacêuticos Evolução das importações do estado de São Paulo (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 35

36 70,0% Produtos Farmacêuticos Participação* dos estados de Goiás e São Paulo nas importações brasileiras (US$ FOB) Capítulo 30 da NCM Período: ,0% 59,1% 60,9% 61,9% 61,0% 59,1% 50,0% 53,9% 49,8% 52,4% 53,5% 55,2% 53,7% 52,6% 49,8% 47,7% 49,5% 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% 6,6% 8,3% 8,5% 10,2% 10,8% 13,6% 17,6% 18,3% 16,0% 0,0% 2,5% 0,01% 0,3% 0,1% 0,1% 0,2% (*): Em relação ao valor total das importações brasileiras do capítulo 30 da NCM Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados São Paulo Goiás 36

37 FATIA DAS PARTICIPAÇÕES DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO NAS IMPORTAÇÕES DOS PRODUTOS FARMACÊUTICOS CAPÍTULO 30 DA NCM PERÍODO: 2014 Demais Unidades da Federação 19,5% São Paulo 49,5% Goiás 16% Minas Gerais 2,4% Rio de Janeiro 12,5% Elaboração: Sindusfarma / Gerência de regulação de mercados 37

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano: 66,55% acum. 12 meses: 68,50%

I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano: 66,55% acum. 12 meses: 68,50% dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13-870 -953-919 -937-1.015-601 -623-714 -780-780 -860-266 Novembro de edição n. 28 I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano:

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT) o turismo compreende as atividades realizadas

Leia mais

mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO

mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado,

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil 18_Animal Business-Brasil O Brasil e as biotecnologias reprodutivas

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2014

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS 1º. Semestre 2013 O Google Analytics é um serviço gratuito oferecido pelo Google que permite analisar as estatísticas de visitação de um site. Este é o primeiro

Leia mais

Mercado em Foco: Chile

Mercado em Foco: Chile Mercado em Foco: Chile EXPOMIN, 2014 Breve estudo com informações sobre as perspectivas de negócios da economia do Chile. Apresentamos também uma análise do comércio exterior de máquinas e equipamentos

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos

Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos DEFESA COMERCIAL ABIMAQ - Defesa Comercial Objetivo Fundamental: Neutralizar práticas desleais ao comércio, realizadas por empresas ou governos

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/07/11 02/08/11 30/08/11 27/09/11 25/10/11 22/11/11 20/12/11 17/01/12 14/02/12 13/03/12 10/04/12 08/05/12 05/06/12 03/07/12 31/07/12 28/08/12 25/09/12

Leia mais

368 municípios visitados

368 municípios visitados TURISTAS INTERNACIONAIS 60,3% visitaram o Brasil pela primeira vez 91,4 % Copa como o principal motivo da viagem 83% o Brasil atendeu plenamente ou superou suas expectativas 95% tem intenção de retornar

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Acumulado e Mensal Editado em: Março/2015 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 A crise financeira internacional continua afetando negativamente o comércio exterior paranaense: apesar das exportações terem aumentado 43,44% em março,

Leia mais

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil Relação Econômica Bilateral e Ⅰ.Comércio Exterior e Os principais parceiros de intercâmbio comercial brasileiro são os, a e a. A presença do não é significativa comparando a esses países. As exportações

Leia mais

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES GOVERNO FEDERAL PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL Março/2004 PORTO DE SANTOS Localização dos Terminais Derivados Petróleo Autos Inflam. Papel Margem Esquerda Contêineres. Trigo

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC

BRASIL 16.783.231 13.806.365 21,56 SANTA CATARINA 585.066 578.707 1,10 Fonte: MDIC BALANÇA COMERCIAL DE SC BALANÇA COMERCIAL EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES CATARINENSES 1 EXPORTAÇÕES CATARINENSES - DEZEMBRO/2015 As exportações catarinenses cresceram 1,10 no mês de dezembro de 2015 em relação

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 Focos estratégicos Diversificação e agregação de

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos Gabinete de Estratégia e Estudos Síntese Estatística gabinete de estratégia e estudos INVESTIMENTO DIRECTO Exterior em Portugal e Portugal no Exterior Agosto de 26 Índice Tratamento e análise dos dados

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional:

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avaliações para o desenho amostral em rodovias segundo a metodologia proposta para a PTI Palestrante: Alfredo García Ramos (Consultor

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012 Setor de Incorporadoras no Brasil Junho, 2012 Agenda Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 Desempenho das Incorporadoras Listadas Fundamentos do Setor 2 Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 VGV Lançado

Leia mais

O Setor em Grandes Números. Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo

O Setor em Grandes Números. Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo O Setor em Grandes Números Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo I - CADEIA PRODUTIVA NÚMERO ESTIMADO DE EMPRESAS EM 2012 Lapidação / Obras de pedras 350 INDÚSTRIA Joalheria ouro e

Leia mais

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5%

Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% Estatísticas do Comércio Internacional Fevereiro 2015 09 de abril de 2015 Em termos nominais, as exportações aumentaram 2,1% e as importações diminuíram 3,5% As exportações de bens aumentaram 2,1% e as

Leia mais

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Uma função social no Município de Coronel Xavier Chaves Aluno: Alexandre Rodrigues Loures A

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária... Sede Nacional Sede Nacional -SP Fundação: 1937- origem em um sindicato têxtil; Possui 1.500 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; O

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 As exportações em novembro apresentaram diminuição de 27,64% em relação a outubro. Continuam a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela vigésima-segunda

Leia mais

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos 1 Departamento de Comércio Exterior 19 de outubro de 2015 Boletim de Estatísticas de Comércio Exterior do Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos BECE ABIHPEC 008/2015 2 ÍNDICE Notas explicativas...03

Leia mais

PERFIL DE MERCADO PRODUCTO: SISTEMAS DE INSPECCION POR VIDEO N.C.M.: 9031.80.99

PERFIL DE MERCADO PRODUCTO: SISTEMAS DE INSPECCION POR VIDEO N.C.M.: 9031.80.99 PERFIL DE MERCADO PRODUCTO: SISTEMAS DE INSPECCION POR VIDEO N.C.M.: 9031.80.99 Perfil elaborado en octubre de 2008 TRATAMIENTO ARANCELARIO E IMPOSITIVO 1) IMPUESTOS Y TASAS: 1.1) ARANCELES DE IMPORTACIÓN

Leia mais

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL Observatório do Turismo de Paranaguá Destino Indutor do Paraná ATENDIMENTOS POR CENTRAIS DE INFORMAÇÕES JANEIRO A DEZEMBRO 2014 RODOVIÁRIA - PRAÇA

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS CADEIA PRODUTIVA DO SETOR DE CALÇADOS Pecuária Couros Importação de insumos Importação de calçados prontos Petroquímica

Leia mais

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP PALESTRA Redução de Custos no Comércio Exterior Fábio Martins Faria Curitiba, 29 de outubro de 2014 1 - REALIDADE BRASIL: PAÍS EXPORTADOR DE PESO 2

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR PAINEL 1 COMO AUMENTAR A PARTICIPAÇÃO DO PAÍS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTOS BRASILEIROS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo,

Leia mais

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões:

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões: Electrolux AB 1. Principais Características Matriz: Electrolux AB Localização: Estocolmo, Suécia Ano de fundação: 1901 Internet: www.electrolux.com Faturamento (2000): US$ 11.537 mi Empregados (2000):

Leia mais

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família.

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família. CONHEÇA A ADT A empresa que protege seus bens e sua família. NOSSA EMPRESA MAIOR EMPRESA ESPECIALIZADA EM SEGURANÇA E INCÊNDIO A ADT pertence à Tyco, a maior empresa de segurança e incêndio do mundo, com

Leia mais

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED*

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* São Paulo, 29 de abril de 2015 Março de 2015 Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* No primeiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil registraram um total

Leia mais

Organização da Aula Geografia Econômica Mundial

Organização da Aula Geografia Econômica Mundial Organização da Aula Geografia Econômica Mundial Aula 5 Blocos econômicos e infraestrutura Comércio exterior e suas necessidades Prof. Diogo Labiak Neves Diferenciações espaciais e suas interferências Blocos

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014

COMÉRCIO INTERNACIONAL 2014 EXPORTAÇÕES (POR CAPÍTULO) 2013 2014 50 Artigos de seda 462 282-38,9% 51 Artigos de lã 60.801 63.996 5,3% 52 Artigos de algodão 145.006 154.454 6,5% 53 Outras fibras têxteis vegetais 4.839 4.169-13,8%

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2011 - Indicadores DSPDCE - 2012 Ação Cultural Externa Relatório Anual 0 Indicadores DSPDCE 0 .Iniciativas apoiadas pelo IC a) Número (total): 0 b) Montante global:.0,0,* Áreas Geográficas África América Ásia Europa Médio Oriente e Magrebe

Leia mais

CONSULADOS (011) 285.0433 - FAX (11) 284.4862 ( 011) 3814.6644 - FAX (11) 3815.7538 (011) 284.1355-288.5857 FAX (11) 285.0748

CONSULADOS (011) 285.0433 - FAX (11) 284.4862 ( 011) 3814.6644 - FAX (11) 3815.7538 (011) 284.1355-288.5857 FAX (11) 285.0748 CONSULADOS NOME ENDEREÇO FONE E-MAIL ÁFRICA DO SUL Avenida Paulista, 1754-12º andar - Cerqueira César - São Paulo - SP - CEP: 01310-200 (011) 285.0433 - FAX (11) 284.4862 ALEMANHA Avenida Brigadeiro Faria

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012

Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2006-2012 Brasília, agosto de 2013 Sumário 1 Perfil da demanda

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5

TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5 TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5 A-0082-09B_CAT_tapeteseguranca_ACE_01.indd 1 02.12.09 11:13:57 Tapetes de Segurança - SMS 4 / SMS 5 Tapetes de segurança são utilizados para a proteção humana na máquina

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais

SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA. Sondagem da América Latina

SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA. Sondagem da América Latina SONDAGEM ECONÔMICA DA AMÉRICA LATINA Novembro, 2013 O QUE É A SONDAGEM IFO/FGV? Decisões econômicas são pautadas por avaliações a respeito da situação atual e na expectativa de comportamento futuro das

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO CPS-4000

INSTALAÇÃO DO SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO CPS-4000 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO CPS-4000 CONTEÚDO 1 INSTALAÇÃO SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO...3 2 PROGRAMAÇÃO INICIAL...7 2.1 INSTALAÇÃO TARGET E USO DO TEMPLATE...7 3 UTILIZANDO O ARQUIVO TEMPLATE...9

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 Depenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 As exportações em junho apresentaram redução de 8,57% sobre maio após expansão por quatro meses consecutivos. Desta forma, supera a marca de US$ 1 bilhão

Leia mais

Tiago Sarmento Barata

Tiago Sarmento Barata VII JORNADAS DE ARROZ 2009 Corrientes, 3 de septiembre Oportunidades e desafios para o arroz do Mercosul no mercado internacional Tiago Sarmento Barata MERCADO GARANTIDO! CRESCIMENTO POPULACIONAL Nascimentos:

Leia mais

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 Preliminares Paridade do Poder de Compra (PPC) Equilíbrio de longo prazo Bens comercializáveis (PPC) e não-comercializáveis Câmbio

Leia mais