Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Exportaminas"

Transcrição

1

2 NOTA TÉCNICA MERCOSUL* - Agronegócio, Eletrônica e TIC e Biotecnologia * Mercado Comum do Sul, composto pela República Federativa do Brasil, República da Argentina, República do Paraguai, República Oriental do Uruguai, República Bolivariana da Venezuela (que foi integrada ao bloco no caráter de membro efetivo em 2012 e Estado Plurinacional da Bolívia (em processo de adesão desde 2012). Para efeitos analíticos, esta nota técnica inclui dados da República Bolivariana da Venezuela e do Estado Plurinacional da Bolívia de 2010 a BRASIL EXPORTAÇÕES DOS SETORES DE AGRONEGÓCIO, ELETRÔNICA E TIC E BIOTECNOLOGIA NO BRASIL Brasil - Agronegócio, Eletroeletrônica e TIC e Biotecnologia Total exportado - BR Agronegócio Eletroeletrônica e TIC Biotecnologia O Brasil exportou para o Mercosul o equivalente a US$ 5,63 bilhões de produtos do setor de Agronegócio, US$ 1,89 bilhão do setor de Eletroeletrônica e TIC e US$ 659,82 milhões do

3 setor de Biotecnologia em Nesse ano, o total de exportações brasileiras para o bloco foi de US$ 26,67 bilhões, o que significa que a participação do setor de Agronegócio foi de 21,1%, de Eletroeletrônica e TIC foi de 7,1% e a do setor de Biotecnologia foi de 2,5%. IMPORTAÇÕES DOS SETORES DE AGRONEGÓCIO, ELETRÔNICA E TIC E BIOTECNOLOGIA NO BRASIL Brasil - Agronegócio, Eletroeletrônica e TIC e Biotecnologia Total Importado - BR Agronegócio Eletroeletrônica e TIC Biotecnologia O Brasil importou do Mercosul o equivalente a US$ 11,23 bilhões de produtos do setor de Agronegócio, US$ 285,96 milhões do setor de Eletroeletrônica e TIC e US$ 426,38 milhões do setor de Biotecnologia em Nesse ano, o total de importações brasileiras do bloco foi de US$ 22,26 bilhões, o que significa que a participação do setor de Agronegócio foi de 50,4%, de Eletroeletrônica e TIC foi de 7,1% e a do setor de Biotecnologia foi de 2,5%.

4 BALANÇA COMERCIAL AGRONEGÓCIO BRASIL X MERCOSUL Brasil - Agronegócio Exportação Importação O saldo da Balança Comercial de Agronegócio entre Brasil e Mercosul fechou o ano de 2014 deficitária em US$ 5,60 bilhões. No período analisado (2010 a 2014), houve um crescimento médio anual de 10,7% para as exportações e de 22,2% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor sofreram aumento de 8,3% e as importações de 110,2%. Isso fez com que a balança sofresse uma redução de 3.746,1% de seu valor. BALANÇA COMERCIAL ELETROELETRÔNICA E TIC BRASIL X MERCOSUL

5 Brasil - Eletroeletrônica e TIC Exportação Importação O saldo da Balança Comercial de Eletroeletrônica e TIC entre Brasil e Mercosul fechou o ano de 2014 superavitária em US$ 1,60 bilhão. No período analisado (2010 a 2014), houve uma redução média anual de 6,6% para as exportações e um crescimento de 5,3% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor sofreram queda de 19,4% e as importações de 6,5%. Isso fez com que a balança sofresse uma redução de 21,4% de seu valor. BALANÇA COMERCIAL BIOTECNOLOGIA BRASIL X MERCOSUL Brasil - Biotecnologia Exportação Importação

6 O saldo da Balança Comercial de Biotecnologia entre Brasil e Mercosul fechou o ano de 2014 superavitária em US$ 233,44 milhões. No período analisado (2010 a 2014), houve um aumento médio anual de 3,1% para as exportações e de 7,3% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor sofreram queda de 5,7% e as importações de 7,0%. Isso fez com que a balança sofresse uma redução de 3,1% de seu valor.

7 MINAS GERAIS EXPORTAÇÕES DOS SETORES DE AGRONEGÓCIO, ELETRÔNICOS E TIC E BIOTECNOLOGIA EM MINAS GERAIS Minas Gerais - Agronegócio, Eletroeletrônicos e TIC e Biotecnologia Total Exportado - MG Agronegócio Eletroeletrônica e TIC Biotecnologia Minas Gerais exportou para o Mercosul o equivalente a US$ 327,79 milhões de produtos do setor de Agronegócio, US$ 150,19 milhões do setor de Eletroeletrônica e TIC e US$ 49,63 milhões do setor de Biotecnologia em 2014, sendo esses os menores valores do período analisado. Nesse ano, o total de exportações mineiras para o bloco foi de US$ 2,08 bilhões, o que significa que a participação do setor de Agronegócio foi de 15,8%, de Eletroeletrônica e TIC foi de 7,2% e a do setor de Biotecnologia foi de 2,4%.

8 IMPORTAÇÕES DOS SETORES DE AGRONEGÓCIO, ELETRÔNICOS E TIC E BIOTECNOLOGIA EM MINAS GERAIS Minas Gerais - Agronegócio, Eletroeletrônicos e TIC e Biotecnologia Total Importado - MG Agronegócio Eletroeletrônica e TIC Biotecnologia Minas Gerais importou do Mercosul o equivalente a US$ 207,47 milhões de produtos do setor de Agronegócio, US$ 22,81 milhões de Eletroeletrônica e TIC e US$ 9,02 milhões do setor de Biotecnologia em Nesse ano, o total de importações mineiras do bloco foi de US$ 1,88 bilhão, o que significa que a participação do setor de Agronegócio foi de 11,1%, de Eletroeletrônica e TIC foi de 1,2% e a do setor de Biotecnologia foi de 0,5%.

9 AGRONEGÓCIO BALANÇA COMERCIAL MINAS GERAIS X MERCOSUL Minas Gerais - Agronegócio Exportação Importação O saldo da Balança Comercial de Agronegócio entre Minas Gerais e Mercosul fechou o ano de 2014 superavitária em US$ 120,32 milhões. No período analisado (2010 a 2014), houve um crescimento médio anual de 15,0% para as exportações e de 10,5% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor aumentaram 81,8% de seu valor e as importações aumentaram 6,7%. Isso fez com que a balança sofresse aumento de 954,6% de seu valor. PRINCIPAIS PRODUTOS DA PAUTA EXPORTADORA - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos do Agronegócio exportados por MG para o bloco US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 LEITE UHT E LEITE EM PÓ ,8% 36,3% ALGODÃO E PRODUTOS TÊXTEIS DE ,1% 11,6% ALGODÃO BOVINOS E BUBALINOS VIVOS ,0% 10,0% AÇÚCAR DE CANA OU BETERRABA ,8% 8,7% CAFÉ VERDE E CAFÉ TORRADO ,6% 8,4% SEMENTES ,5% 5,6% CARNE BOVINA ,0% 4,3% PRODUTOS DO CACAU ,1% 2,8% RAÇÕES PARA ANIMAIS DOMÉSTICOS ,8% 2,2% PREPARAÇÕES A BASE DE CEREAIS ,2% 2,0%

10 PRINCIPAIS DESTINOS MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais destinos - Agronegócio 4,5% 5,2% 4,2% 20,0% 66,1% Venezuela Argentina Paraguai Uruguai Bolívia A Venezuela foi o principal destino das exportações de Agronegócio de Minas Gerais dentro do Mercosul, com US$ 216,55 milhões em 2014, valor que equivale a 66,1% do montante exportado do setor pelo Estado para o bloco econômico, seguido por Argentina, com US$ 65,62 milhões e 20,0% de participação, Paraguai, com US$ 17,15 milhões e 5,2% de participação, Uruguai, com US$ 14,65 milhões e 4,5% de participação, e Bolívia, com US$ 13,82 milhões e 4,2% de participação. PRINCIPAIS PRODUTOS DA PAUTA IMPORTADORA - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos do setor de Agronegócio importados do bloco por MG US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 CEREAIS ,0% 40,3% PRODUTOS DO CACAU ,8% 24,0% LEITE UHT E LEITE EM PÓ ,1% 8,5% PRODUTOS E SUBPRODUTOS DA INDÚSTRIA DE MOAGEM ,8% 5,8% PRODUTOS HORTÍCOLAS, LEGUMINOSAS, RAÍZES E ,3% 3,3% TUBÉRCULOS PREPARADOS OU CONSERVADOS UVAS ,0% 2,1% PAPEL ,8% 2,1% PÊRAS ,2% 2,1% OUTROS PRODUTOS ALIMENTÍCIOS ,0% 1,6% OLEOS VEGETAIS ,4% 1,5%

11 PRINCIPAIS ORIGENS MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais origens dos produtos importados do Mercosul - Agronegócio 14,4% 0,04% 20,2% 65,3% Argentina Paraguai Uruguai Bolívia A Argentina foi a principal origem das importações mineiras de Agronegócio dentro do Mercosul, com US$ 135,57 milhões em 2014, valor que equivale a 65,3% do montante importado do bloco econômico pelo Estado no setor, seguido por Paraguai, com US$ 41,99 milhões e 20,2% de participação, Uruguai, com US$ 29,82 milhões e 14,4% de participação, e Bolívia, com US$ 86,55 mil e 0,04% de participação.

12 ELETROELETRÔNICA E TIC BALANÇA COMERCIAL MINAS GERAIS X MERCOSUL Minas Gerais - Eletroeletrônica e TIC Exportação Importação O saldo da Balança Comercial de Eletroeletrônica e TIC entre Minas Gerais e Mercosul fechou o ano de 2014 superavitária em US$ 127,38 milhões. No período analisado (2010 a 2014), houve uma redução média anual de 0,4% para as exportações e um crescimento de 6,9% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor sofreram queda de 29,0% e as importações de 60,2%. A balança sofreu uma redução de 17,3% de seu valor. PRINCIPAIS PRODUTOS - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos de Eletroeletrônica e TIC exportados por MG para o bloco US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 FIOS, CABOS E CONDUTORES PARA USO ELÉTRICO ,6% 51,1% APARELHOS P/ INTERRUPÇÃO, PROTEÇÃO DE ,8% 11,7% ENERGIA, SUAS PARTES GERADORES E TRANSFORMADORES, ELÉTRICOS ,3% 9,9% AP. DE ILUMINAÇÃO E SINALIZAÇÃO P/ VEÍCULOS ,9% 7,4% APARELHOS ELETRO-MECÂNICOS OU TÉRMICOS, ,7% 4,4% DE USO DOMÉSTICO APARELHOS DE AR CONDICIONADO ,0% 2,7% APARELHOS PARA FILTRAR OU DEPURAR ,7% 2,4% INSTRUM. E APAR. DE MEDIDA, CONTROLE OU ,4% 2,3% PRECISÃO OBRAS DE FERRO FUND. FERRO OU AÇO ,4% 1,9% FERRAMENTAS DE USO MANUAL ,1% 1,1%

13 PRINCIPAIS DESTINOS MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais destinos dos países do Mercosul - Eletroeletrônica e TIC 6,3% 5,0% 1,9% 11,5% 75,3% Argentina Venezuela Paraguai Bolívia Uruguai A Argentina foi o principal destino das exportações de Eletroeletrônica e TIC de Minas Gerais dentro do Mercosul, com US$ 113,43 milhões em 2014, valor que equivale a 75,3% do montante exportado do setor pelo Estado para o bloco econômico, seguido por Venezuela, com US$ 17,22 milhões e 11,5% de participação, Paraguai, com US$ 9,48 milhões e 6,3% de participação, Bolívia, com US$ 7,51 milhões e 5,0% de participação, e Uruguai, com US$ 2,85 milhões e 1,9% de participação. PRINCIPAIS PRODUTOS DA PAUTA IMPORTADORA - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos do setor de Eletroeletrônica e TIC importados do bloco por MG US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 FIOS, CABOS E CONDUTORES PARA USO ELÉTRICO ,8% 26,4% APARELHOS PARA TRAT. COM MUDANCA DE TEMP ,2% 20,8% APARELHOS TRANSMISSORES E RECEPTORES ,7% 15,7% REFRIGERADORES E CONGELADORES ,9% 14,2% GERADORES E TRANSFORMADORES, ELÉTRICOS ,3% 9,3% INSTRUM. E APAR. DE MEDIDA, CONTROLE OU ,9% 6,0% PRECISÃO MÁQUINAS E APAR. PARA SOLDAR ,8% 1,9% APARELHOS P/ INTERRUPÇÃO, PROTEÇÃO DE ENERGIA, ,9% 1,6% SUAS PARTES AP. DE ILUMINAÇÃO E SINALIZAÇÃO P/ VEÍCULOS ,8% 1,1% APARELHOS PARA FILTRAR OU DEPURAR ,2% 1,0%

14 PRINCIPAIS ORIGENS MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais origens dos produtos importados do Mercosul - Eletroeletrônica e TIC 0,7% 0,5% 98,8% Argentina Paraguai Uruguai A Argentina foi a principal origem das importações mineiras de Eletroeletrônica e TIC dentro do Mercosul, com US$ 22,53 milhões em 2014, valor que equivale a 98,8% do montante importado do bloco econômico pelo Estado no setor, seguido por Paraguai, com US$ 156,27 mil e 0,7% de participação, e Uruguai, com US$ 120,95 mil e 0,5% de participação. BIOTECNOLOGIA BALANÇA COMERCIAL MINAS GERAIS X MERCOSUL

15 72 Minas Gerais - Biotecnlogia Exportação Importação O saldo da Balança Comercial de Biotecnologia entre Minas Gerais e Mercosul fechou o ano de 2014 superavitária em US$ 40,62 milhões. No período analisado (2010 a 2014), houve uma redução média anual de 5,0% para as exportações e um crescimento de 3,8% para as importações. Por outro lado, se comparado ao ano anterior, as exportações de 2014 do setor sofreram queda de 3,0% e as importações de 49,0%. Isso fez com que a balança sofresse um aumento de 21,3% de seu valor. PRINCIPAIS PRODUTOS DA PAUTA EXPORTADORA - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos do setor de Biotecnologia exportados por MG para o bloco US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 OBRAS DE FERRO FUND. FERRO OU AÇO ,1% 25,8% OUTRAS OBRAS DE BORRACHA ,2% 23,8% PRODUTOS QUÍMICOS INORGÂNICOS ,3% 13,7% PLÁSTICOS E SUAS OBRAS ,1% 12,9% INSETICIDAS, DESINFETANTES E PRODUTOS ,6% 10,1% SEMELHANTES PRODUTOS FARMACÊUTICOS ,1% 5,4% CORREIAS DE BORRACHA ,0% 2,8% COMPRESSORES E BOMBAS ,6% 1,1% DEMAIS PROD. DAS IND. GRÁFICAS, TEXTOS, PLANOS E ,4% 1,0% PLANTAS DEMAIS MÁQUINAS, APARELHOS E INSTRUMENTOS ,0% 0,9% MECÂNICOS PRINCIPAIS DESTINOS MINAS GERAIS X MERCOSUL

16 Principais destinos dos países do Mercosul - Biotecnologia 1,7% 3,9% 11,7% 12,0% 70,6% Argentina Venezuela Paraguai Bolívia Uruguai A Argentina foi o principal destino das exportações de Biotecnologia de Minas Gerais dentro do Mercosul, com US$ 35,06 milhões em 2014, valor que equivale a 70,6% do montante exportado do setor pelo Estado para o bloco econômico, seguido por Venezuela, com US$ 5,98 milhões e 12,0% de participação, Paraguai, com US$ 5,82 milhões e 11,7% de participação, Bolívia, com US$ 1,93 milhão e 3,9% de participação, e Uruguai, com US$ 849,56 mil e 1,7% de participação. PRINCIPAIS PRODUTOS DA PAUTA IMPORTADORA - MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais produtos do setor de Biotecnologia importados do bloco por MG US$ 2013 US$ 2014 Variação (%) Part. % 2014 PRODUTOS FARMACÊUTICOS ,7% 42,3% PLÁSTICOS E SUAS OBRAS ,1% 27,5% OBRAS DE FERRO FUND. FERRO OU AÇO ,8% 8,8% SEMEN E EMBRIÕES ,5% 8,0% OUTRAS OBRAS DE BORRACHA ,2% 5,1% PRODUTOS E PREP. P/ LIMPEZA ,8% 4,6% DEMAIS PRODUTOS QUÍMICOS ,3% 2,3% PRODUTOS QUÍMICOS ORGÂNICOS ,4% 0,5% COMPRESSORES E BOMBAS ,2% 0,3% TUBOS, PERFIS, CHAPAS E FIOS DE ,8% 0,3% BORRACHA

17 PRINCIPAIS ORIGENS MINAS GERAIS X MERCOSUL Principais origens dos produtos importados do Mercosul - Biotecnologia 12,0% 35,2% 52,9% Argentina Uruguai Paraguai A Argentina foi a principal origem das importações mineiras de Biotecnologia dentro do Mercosul, com US$ 4,77 milhões em 2014, valor que equivale a 52,9% do montante importado do bloco econômico pelo Estado no setor, seguido por Uruguai, com US$ 3,17 milhões e 35,2% de participação, e Paraguai, com US$ 1,08 milhão e 12,0% de participação. Nota metodológica: Para definição dos setores Agronegócio, Eletroeletrônica e TIC e Biotecnologia, foram utilizados um conjunto de NCMs classificados com base em pesquisa junto a entidades representativas dos setores. Agronegócio: SEAPA, MAPA; Eletroeletrônica e TIC: SINDIVEL e Biotecnologia: AMBIOTEC.

18 NOTA DE CITAÇÃO ELABORAÇÃO: SEDE/EXPORTAMINAS 1 FONTE: MDIC/SECEX/ALICEWEB 2 TRADE MAP/ITC 3 EXPEDIENTE GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS GOVERNADOR: FERNANDO PIMENTEL SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SECRETÁRIO: ALTAMIR RÔSO EXPORTAMINAS SECRETÁRIO ADJUNTO: ROGÉRIO BELLINI CONTEÚDO TÉCNICO ANDRESSA BORGES D ABREU FELIPE LOPES VIEIRA VASCONCELOS ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CÍNTIA REZENDE EXPORTAMINAS TELEFONE: (31) EXPORTAMINAS é a Unidade Central De Comércio Exterior da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico do Governo de Minas Gerais 2 Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio / Secretaria de Comércio Exterior / Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior 3 International Trade Centre

19

MERCOSUL. Principais produtos exportados por MG para o

MERCOSUL. Principais produtos exportados por MG para o MERCOSUL Nome oficial: Mercado Comum do Sul Estados membros: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela Idiomas oficiais: Espanhol e Português Estados associados: Chile, Colômbia, Equador,

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES Indice: - Dados Gerais Básicos e Indicadores Sócio-Econômicos - Balanço de Pagamentos - Comércio Exterior - Composição do Comércio Exterior - Direção do Comércio

Leia mais

Desafios do Comércio Exterior Brasileiro. Desafios do Comércio Exterior Brasileiro

Desafios do Comércio Exterior Brasileiro. Desafios do Comércio Exterior Brasileiro Desafios do Comércio INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Desafios do Comércio Balança Comercial Brasileira INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Desafios do Comércio Evolução da Balança Comercial

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Bahamas Comércio Exterior

Bahamas Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Bahamas Comércio Exterior Novembro de 215 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados Índice Brasil...

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

HAITI Comércio Exterior

HAITI Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC HAITI Comércio Exterior Outubro de 2015 Tabela 1 Principais Indicadores

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

ESPANHA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS ESPANHA

Leia mais

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2014

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM

OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM OPORTUNIDADES PARA EMPRESAS DE MINAS GERAIS EM PORTUGAL MISSÃO MG OURÉM MINAS GERAIS x PORTUGAL PANORAMA INTERNACIONAL INTERCÂMBIO COMERCIAL COM PORTUGAL Brasil Exportações US$ 822 Mi Minas Gerais Exportações

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1

CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1 CONCENTRAÇÃO DA PAUTA COMERCIAL DO BRASIL COM AS ECONOMIAS DA CHINA E DO JAPÃO 1 Silvio Miyazaki 2 1 - INTRODUÇÃO 1 2 A busca de mercados externos alternativos aos tradicionais - Estados Unidos, Europa

Leia mais

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 APRESENTAÇÃO Minas Gerais se consolida como um dos mais importantes estados exportadores do Brasil, pela grande produção de commodities e pelos esforços

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Acumulado e Mensal Editado em: Março/2015 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 7 7 de fevereiro de 2007 M A C R O C H I N A Ano Nº 7 7 de fevereiro de 7 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Consolidado de. Em, a China registrou o maior crescimento anual

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

BANGLADESH Comércio Exterior

BANGLADESH Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BANGLADESH Comércio Exterior Fevereiro de 2015 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 07 Julho 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

COREIA DO SUL Comércio Exterior

COREIA DO SUL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO SUL Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado da Croácia Secretaria de Comércio Exterior SECEX - MDIC Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de Produção Estatística CGPE RADAR COMERCIAL A Croácia foi a sexagésima

Leia mais

São Paulo, 16 de julho de 2013.

São Paulo, 16 de julho de 2013. São Paulo, 16 de julho de 2013. Junho 2013 Balança comercial tem resultado inesperado em junho: o resultado da balança comercial brasileira surpreendeu as expectativas para o mês de junho. O superávit

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 As exportações em novembro apresentaram diminuição de 27,64% em relação a outubro. Continuam a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela vigésima-segunda

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Chefe da AGE: Derli Dossa. E-mail: derli.dossa@agricultura.gov.br Equipe Técnica: José Garcia Gasques. E-mail: jose.gasques@agricultura.gov.br

Leia mais

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Luxemburgo. 1 Panorama do País

RADAR COMERCIAL Análise do Mercado de Luxemburgo. 1 Panorama do País Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Edição 08 - Janeiro de 2015 2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Esta edição do Boletim do Agronegócio Internacional dedica atenção especial à análise do comércio exterior do setor em 2014. A agricultura

Leia mais

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr.

Risco do país: D (A1 = risco menor; D = risco maior) Chefe de Estado: Aqilah Salah Issa Tx. câmbio (fim do período): 1 EUR = 1,51778 LYD (abr. Informação Geral sobre a Líbia Área (km 2 ): 1 759 540 Primeiro-Ministro: Abdullah al-thini População (milhões hab.): 6,3 (estimativas ) Risco de crédito: 7 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital:

Leia mais

Gráfico 01 - Evolução do comércio exterior da Dinamarca - 2008-2010. 2008 2009 2010 Anos

Gráfico 01 - Evolução do comércio exterior da Dinamarca - 2008-2010. 2008 2009 2010 Anos Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior DEPLA Coordenação Geral de

Leia mais

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução O Modelo de Geração de Empregos do BNDES 1 (MGE) estima o número de postos de

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO MERCOSUL 1994 A 2003

INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO MERCOSUL 1994 A 2003 INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO A Marco Antônio Martins da Costa Melucci Friedhlde Maria Kutner Manolescu -Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas FCSA Universidade do Vale do Paraíba. Av. Shishima

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL

OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL OPORTUNIDADES PARA A PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL 1. Produção de Leite Rodrigo Sant`Anna Alvim 1 O Brasil conta com um setor leiteiro que vem crescendo substancialmente nos últimos anos. Grande importador

Leia mais

VANUATU Comércio Exterior

VANUATU Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC VANUATU Comércio Exterior Abril de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Governo do Brasil Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Integração Contratual para Acesso a Mercado Rodolfo Osorio de Oliveira Coordenador

Leia mais

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 47,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA = risco

Leia mais

AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002

AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 Novembro de 2002 AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 1 Sumário e Principais Conclusões...5 As Importações no Período 1995-2001...13 As Importações, Segundo as Categorias

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 A crise financeira internacional continua afetando negativamente o comércio exterior paranaense: apesar das exportações terem aumentado 43,44% em março,

Leia mais

25 de abril de 2015/ nº 012

25 de abril de 2015/ nº 012 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao

Leia mais

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014

120,0. Principais Produtos Exportados - 2014 Principais Produtos Importados - 2014 Informação Geral sobre o Chile Área (km 2 ): 756 096 Risco de crédito (*): População (milhões hab.): 17,7 (estimativa ) Risco do país: A2 (A = risco menor; D = risco maior) Capital: Santiago do Chile Unidade

Leia mais

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 70 000 62 207 60 000 valores em milhares de euros 50 000 40 000 30 000 20 000 21 786 17 825 8 620 10

Leia mais

CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011

CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011 CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011 2010: BALANÇO DO COMÉRCIO EXTERIOR DA FLORICULTURA BRASILEIRA Antonio Hélio Junqueira

Leia mais

LIGA ÁRABE Comércio Exterior

LIGA ÁRABE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC LIGA ÁRABE Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Balança alimentar portuguesa evidencia desequilíbrio da roda dos alimentos. Figura 1

Balança alimentar portuguesa evidencia desequilíbrio da roda dos alimentos. Figura 1 BALANÇA ALIMENTAR PORTUGUESA 14 de Dezembro de 26 - CONSUMO DE PROTEÍNAS E GORDURAS EM PORTUGAL É TRÊS VEZES SUPERIOR AO RECOMENDADO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS DIMINUI 16% EM 14 ANOS E É ULTRAPASSADO

Leia mais

África do Sul - Síntese País

África do Sul - Síntese País Informação Geral sobre a África do Sul Área (km 2 ): 1 219 090 Vice-Presidente: Cyril Ramaphosa População (milhões hab.): 53 (2013) Risco de crédito: 4 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Pretória

Leia mais

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): 41 285 Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país:

Leia mais

Análise da Balança Comercial

Análise da Balança Comercial Análise da Balança Comercial Produtos Transformados de Plástico Mensal Editado em: Fevereiro/2013 www.abiplast.org.br Notas Explicativas 1. Introdução A ABIPLAST tem divulgado dados estatísticos relacionados

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Austrália - Síntese País

Austrália - Síntese País Informação Geral sobre a Austrália Área (km 2 ): 7 682 400 Primeiro-Ministro: Tony Abbott População (milhões hab.): 23,6 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Camberra Risco do país: BBB (AAA

Leia mais

O Comércio na América do Sul e oportunidades para o Brasil

O Comércio na América do Sul e oportunidades para o Brasil LC/BRS/R.185 Setembro de 2007 Original: português CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório no Brasil O Comércio na América do Sul e oportunidades para o Brasil Trabalho realizado

Leia mais

O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR

O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR Durval de Noronha Goyos Jr. Aula Magna - Universidade de

Leia mais

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 3 500 3 336 3 000 valores em milhares de euros 2 500 2 000 1 500 1 000 1 367 1 279 727 500

Leia mais

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone)

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) O Mercado Mundial de Commodities Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) Um mercado em desequilíbrio: choque de demanda Relação Estoque/Uso (soja, milho, trigo e arroz)

Leia mais

1. Histórico. . Iniciativa para as Américas (Miami 94) . 34 paises, menos Cuba. . Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001

1. Histórico. . Iniciativa para as Américas (Miami 94) . 34 paises, menos Cuba. . Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001 1. Histórico. Iniciativa para as Américas (Miami 94). 34 paises, menos Cuba. Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001 1. Histórico. Reunião Ministeriais de negociação - Denver 1995 - Cartagena

Leia mais

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL INTEGRAÇÃO CONTRATUAL Uma Estratégia de Acesso ao Mercado Internacional Pedro Viana Borges Esp. Pol. Públicas P e Gestão Governamental Internacionalização de Cooperativas Integração Regional no Mercosul

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006 M A C R O C H I N A Ano Nº 11 de maio de 6 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Primeiro trimestre de 6. Para surpresa de muitos analistas, o Banco Central

Leia mais

Em 2014, IED registra queda de 2,3%

Em 2014, IED registra queda de 2,3% São Paulo, 04 de fevereiro de 2015. Dezembro de 2014 Em 2014, IED registra queda de 2,3% O total de investimentos estrangeiros diretos (IED) que ingressou no Brasil em 2014 foi de US$ 62,5 bilhões, uma

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010

Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010 Produção de Commodities e Desenvolvimento Econômico O Esforço Empresarial Brasileiro Instituto de Economia UNICAMP 29 de março de 2010 A produção de commodities e a transformação econômica do Brasil João

Leia mais

INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL Mário Jales *

INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL Mário Jales * Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais Institute for International Trade Negotiations INSERÇÃO DO BRASIL NO COMÉRCIO INTERNACIONAL AGRÍCOLA E EXPANSÃO DOS FLUXOS COMERCIAIS SUL-SUL

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Produção Industrial Março de 2015

Produção Industrial Março de 2015 Produção Industrial Março de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - MARÇO/1 Em março, a indústria de Santa Catarina produziu 4,0% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sexto resultado

Leia mais

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi São Paulo, 04 de novembro de 2015 SETEMBRO DE 2015 Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi Ao final do terceiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE

OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE OPORTUNIDADES PARA AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ÁFRICA DO SUL, ANGOLA E MOÇAMBIQUE Gerência de Inteligência e Estratégia de Negócios Núcleo África e Oriente Médio Julho/2015 AGENDA Comparação de mercados

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

A Indústria de Alimentação

A Indústria de Alimentação A Indústria de Alimentação 61 A indústria brasileira de alimentação está inserida na cadeia do agronegócio e representa parte significativa do PIB. O texto aponta as características do setor, seu desempenho

Leia mais

Mercados informação global

Mercados informação global Mercados informação global Relações Económicas Portugal - Paraguai Novembro 2010 Índice 1. Relações Económicas Portugal Paraguai 3 1.1 Comércio 3 1.1.1 Importância do Paraguai nos fluxos comerciais para

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 1. Mercado nacional: preços pagos ao produtor e produção histórica e estimada no Mercosul Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em julho, ponderados

Leia mais