DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015"

Transcrição

1 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

2 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² ,64% 5,82% População - mil (1) 460 0,24% 2,88% Densidade - pop/km² (1) 2, PIB - R$ milhões (1) ,17% 3,16% PIB per capita - R$ (1) Exportação - US$ milhões (2) 0,16 0,01% 0,07% Importação - US$ milhões (2) 0,65 0,00% 0,05% FONTES: IBGE Contas Regionais, SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO (1) 2012 (2) 2015

3 PIB

4 PIB POR UF (Fonte: IBGE) PIB POR ESTADO 2012 São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Distrito Federal Bahia Goiás Pernambuco Espírito Santo Pará Ceará Mato Grosso Amazonas Maranhão Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Alagoas Rondônia Sergipe Piauí Tocantins Amapá Acre Em milhões de R$ FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

5 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL PIB POR UF POR (Fonte: ESTADO IBGE) NO PIB BRASILEIRO 2012 São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Distrito Federal Bahia Goiás Pernambuco Espírito Santo Pará Ceará Mato Grosso Amazonas Maranhão Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Alagoas Rondônia Sergipe Piauí Tocantins Amapá Acre 6,3% 5,8% 4,0% 3,9% 3,8% 2,8% 2,7% 2,4% 2,1% 2,1% 1,8% 1,5% 1,3% 1,2% 0,9% 0,9% 0,7% 0,7% 0,6% 0,6% 0,4% 0,2% 0,2% 0,2% 9,2% 11,5% 32,1% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

6 Crescimento real do PIB por UF - em % (Fonte: IBGE) VARIAÇÃO REAL DO PIB POR ESTADO EM % /2009 Tocantins Espírito Santo Rondônia Mato Grosso do Sul Acre Paraíba Paraná Amazonas Minas Gerais Goiás Maranhão Pará Amapá Ceará São Paulo Pernambuco Brasil Alagoas Rio Grande do Sul Bahia Santa Catarina Sergipe Rio Grande do Norte Rio de Janeiro Distrito Federal Piauí Mato Grosso FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

7 EVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DE RORAIMA Brasil ÍNDICE 2002 = 100 EVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DE RORAIMA (FONTE: IBGE) (ÍNDICE 1985 = 100) Brasil 114,1 109,5 100,0 106,9 103,5 100,0 101,2 110,1 120,7 132,5 123,6 120,8 114,1 138,3 126,5 126,1 150,8 134,7 166,1 147,4 174,0 155, FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

8 VARIAÇÃO % INTERANUAL DO PIB BRASILEIRO E DE RORAIMA EVOLUÇÃO DO PIB BRASILEIRO E DO DISTRITO FEDERAL (FONTE: IBGE) (ÍNDICE 1985 = 100) Brasil 12.0% 10.0% Brasil 9.6% 8.0% 7.6% 7.5% 6.0% 4.0% 3.1% 4.0% 4.9% 4.4% 3.2% 6.3% 4.0% 2.6% 6.1% 5.2% 4.6% 2.0% 0.5% 0.0% -0.3% -2.0% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

9 2002 Rio Grande do Norte EVOLUÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DO ESTADO EM RORAIMA NO PIB BRASILEIRO Ranking PIB 26º 27º 27º 27º 27º 27º 27º 27º 27º 27º 27º 27º Renda per capita 15º 12º 22º 17º 14º 13º 13º 14º 14º 14º 14º 14º 20,0% 18,0% 16,0% 0,16 0,16 0,14 0,15 0,15 0,16 0,16 0,17 0,17 0,17 0,17 14,0% 12,0% 10,0% 8,0% 6,0% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

10 PARTICIPAÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO PIB DE RORAIMA E DO BRASIL Atividades RR Brasil Total 100,0% 100,0% Adm., saúde e educação púb. 50,7% 16,6% Comércio e reparação de bens 10,9% 12,7% Construção 8,3% 5,7% Outros serviços 8,4% 15,7% Atividades imobiliárias e aluguel 6,3% 8,2% Agropecuária 4,7% 5,3% Intermediação financeira 4,1% 7,2% Transporte e armazenagem 2,5% 5,4% Ind de transformação 1,4% 13,0% Eletricidade, gás e água 1,4% 3,1% Serviços de informação 1,2% 2,9% Ind extrativa mineral 0,1% 4,3% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

11 PARTICIPAÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO PIB DE PARTICIPAÇÃO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES NO PIB DE RORAIMA RORAIMA 2012 Adm., saúde e educação púb. 50,65% Comércio e reparação de bens Outros serviços Construção Atividades imobiliárias e aluguel Agropecuária Intermediação financeira Transporte e armazenagem Eletricidade, gás e água Ind de transformação Serviços de informação Ind extrativa mineral 10,91% 8,37% 8,30% 6,33% 4,72% 4,10% 2,47% 1,42% 1,40% 1,24% 0,08% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

12 VARIAÇÃO % DO PIB DE RORAIMA POR ATIVIDADE ECONÔMICA Atividades econômicas Var % 2012 Construção 9,9% Indústria de transformação -11,2% Comércio e serviços de manutenção e reparação -14,3% Indústria extrativa mineral -83,4% Intermediação financeira, seguros e previdência completamentar 25,7% Total 4,8% Outros serviços 8,2% Transportes, armazenagem e correio 33,2% Agricultura, silvicultura e exploração florestal 9,2% Administração, saúde e educação públicas 7,5% Atividades imobiliárias e aluguel 3,5% Produção e distribuição de Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza 15,5% urbana Serviços de informação -15,0% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

13 PIB PER CAPITA

14 PIB PER CAPITA POR ESTADO PIB PER CAPITA POR UF (Fonte: IBGE) Distrito Federal São Paulo Rio de Janeiro Espírito Santo Santa Catarina Mato Grosso Rio Grande do Sul Paraná Brasil Mato Grosso do Sul Minas Gerais Goiás Rondônia Amazonas Amapá Tocantins Sergipe Pernambuco Acre Rio Grande do Norte Bahia Pará Ceará Paraíba Alagoas Maranhão Piauí FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO em R$ per capita

15 EVOLUÇÃO DA RENDA PER CAPITA DO BRASIL E DE RORAIMA RENDA PER CAPITA DO BRASIL E DE RORAIMA R$ correntes / ano ,7% 78,5% Brasil Relação RR / BR 78,5% ,0% 78,0% ,0% ,5% ,7% 68,8% ,1% 72,8% ,1% 70,2% 68,8% 74,0% 72,0% 70,0% 68,0% ,0% FONTE: IBGE Contas Regionais ELABORAÇÃO: BRADESCO

16 POPULAÇÃO

17 POPULAÇÃO POR UF (Fonte: IBGE) POPULAÇÃO POR ESTADO em mil pessoas São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Pernambuco Ceará Pará Maranhão Santa Catarina Goiás Paraíba Espírito Santo Amazonas Alagoas Piauí Rio Grande do Norte Mato Grosso Distrito Federal Mato Grosso do Sul Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá Em habitantes FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

18 INDICADORES SOCIAIS

19 TAXA DE FECUNDIDADE COMPARAÇÃO ENTRE AS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2012 Acre Amapá Amazonas Maranhão Pará Alagoas Tocantins Mato Grosso do Sul Mato Grosso Paraíba Piauí Rondônia Sergipe Ceará Pernambuco Rio Grande do Norte Bahia Brasil Paraná Espírito Santo Goiás Minas Gerais São Paulo Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Distrito Federal Santa Catarina 1,70 1,70 1,68 1,66 1,65 1,64 1,62 1,61 1,60 1,95 1,94 1,89 1,87 1,87 1,87 1,87 1,86 1,83 1,82 1,80 2,10 2,07 2,26 2,34 2,51 2,45 2,41 1,50 1,70 1,90 2,10 2,30 2,50 2,70 2,90 2,66 19 FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

20 ESPERANÇA DE VIDA COMPARAÇÃO ENTRE AS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2012 Santa Catarina Distrito Federal São Paulo Espírito Santo Rio Grande do Sul Minas Gerais Paraná Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Brasil Mato Grosso do Sul Goiás Mato Grosso Ceará Amapá Acre Bahia Tocantins Pernambuco Paraíba Sergipe Pará Amazonas Rondônia Piauí Alagoas Maranhão 69,4 73,5 73,2 72,9 72,8 72,5 72,5 72,2 72,1 71,9 71,6 71,3 70,9 70,5 70,3 70,2 70,0 74,9 74,7 74,5 74,4 77,0 76,8 76,8 76,6 76,1 75,8 67,0 69,0 71,0 73,0 75,0 77,0 79,0 77,7 20 FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

21 % DA CLASSE E NA POPULAÇÃO DAS UFs EM 2013 FONTE: IBGE Classe E Maranhão Ceará Bahia Paraíba Pernambuco Sergipe Piauí Rio Grande do Norte Pará Acre Tocantins Amazonas Rondônia Amapá Brasil Espírito Santo Mato Grosso Minas Gerais Rio de Janeiro Goiás Mato Grosso do Sul Rio Grande do Sul Distrito Federal Paraná São Paulo Santa Catarina FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 20,7% 20,2% 17,9% 17,3% 16,9% 16,5% 15,4% 13,7% 13,4% 12,5% 10,9% 9,9% 9,5% 8,5% 8,4% 7,2% 6,3% 30,2% 30,1% 28,7% 28,3% 26,7% 25,5% 25,4% 24,5% 23,9% 33,9% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40%

22 % DAS CLASSES A, B e C NA POPULAÇÃO DAS UFs EM 2013 FONTE: IBGE Santa Catarina São Paulo Distrito Federal Paraná Rio Grande do Sul Mato Grosso do Sul Rio de Janeiro Goiás Mato Grosso Minas Gerais Espírito Santo Brasil Amapá Rondônia Amazonas Tocantins Acre Rio Grande do Norte Pará Piauí Pernambuco Sergipe Paraíba Bahia Ceará Maranhão Alagoas FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 53,3% 56,6%60,1% 49,5% 53,3% 53,3% 47,3% 49,3% 49,4% 47,3% 46,6% 44,8% 43,1% 83,4% 74,5% 77,0% 78,1% 81,6% 81,8% 73,7% 68,8% 70,7% 72,8% 73,6% 62,7% 66,7% 67,0% 62,5% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% 55% 60% 65% 70% 75% 80% 85% 90%

23 PARTICIPAÇÃO DAS CLASSES SOCIAIS EM RORAIMA EM 2004 E 2013 Classes sociais no Estado de em 2004 Classe B 1,7% Class e A 1,8% Classe C 27,4% Classes sociais no estado de em 2004 Classe E 49,2% Classe B 4,7% Classe D 19,9% Classe A 4,5% Classe E 17,9% Classe C 49,9% Classe D 23,0% Classes sociais no estado de em 2013 FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

24 % DA POPULAÇÃO ABAIXO DA LINHA DE POBREZA - COMPARAÇÃO Maranhão Alagoas Acre Ceará Amazonas Bahia Piauí Pará Pernambuco Paraíba Sergipe Amapá Rio Grande do Norte Tocantins Rondônia Brasil Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Espírito Santo São Paulo Mato Grosso Distrito Federal Paraná Goiás Minas Gerais Mato Grosso do Sul Santa Catarina 8,4% 8,2% 7,5% 7,3% 7,3% 6,9% 6,6% 6,4% 5,8% 4,4% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 10,5% 15,9% 15,1% 24,1% 23,9% 23,6% 22,3% 20,9% 30,2% 28,3% 28,0% 27,9% 27,6% 27,6% 27,4% 26,9% 36,6% 34,7% 4,0% 9,0% 14,0% 19,0% 24,0% 29,0% 34,0% 39,0%

25 * % DA POPULAÇÃO ABAIXO DA LINHA DE POBREZA - RORAIMA 55,5% 56,5% 50,5% 48,0% 45,5% 40,5% 41,2% 37,6% 35,5% 34,4% 30,5% 26,9% 30,8% 28,4% 25,5% 26,4% 20,5% 16,1% 15,5% 10,5% 18,3% 13,4% 22,6% 20,9% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

26 % MAIS POBRE DA POPULAÇÃO COM RENDA TOTAL IGUAL À DO 1% MAIS RICO COMPARAÇÃO Sergipe Maranhão Bahia Rio Grande do Norte Amazonas Alagoas Piauí Distrito Federal Ceará Brasil Acre Tocantins Paraíba Mato Grosso Pernambuco Rio de Janeiro Mato Grosso do Sul Pará Espírito Santo Minas Gerais Goiás São Paulo Amapá Rondônia Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 8,0% 17,9% 17,1% 17,1% 17,1% 17,1% 17,1% 17,0% 15,5% 15,5% 15,4% 15,4% 15,4% 15,4% 13,9% 13,9% 13,2% 13,2% 12,5% 12,5% 11,8% 11,1% 11,1% 10,5% 20,5% 24,3% 28,3% 28,3% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0%

27 * * * * % MAIS POBRE DA POPULAÇÃO COM RENDA TOTAL IGUAL À DO 1% MAIS RICO - RORAIMA 28% 26% 24,3% 26,3% 24% 22% 23,3% 22,3% 20% 19,6% 20,5% 18% 16% 14% 14,7% 14,7% 15,5% 14,7% 14,7% 12% 11,8% 12,5% 11,8% 11,1% 10% FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

28 DESIGUALDADE (ÍNDICE DE GINI) COMPARAÇÃO 2013 Distrito Federal Distrito Federal Sergipe Maranhão Bahia Amazonas Rio Grande do Norte Rio de Janeiro Brasil Paraíba Alagoas Acre Amapá Tocantins Piauí Ceará Mato Grosso Pernambuco Pará Mato Grosso do Sul Espírito Santo São Paulo Minas Gerais Goiás Rio Grande do Sul Rondônia Paraná Santa Catarina 0,435 FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 0,543 0,541 0,532 0,531 0,527 0,525 0,525 0,525 0,522 0,519 0,515 0,514 0,505 0,502 0,502 0,497 0,494 0,494 0,489 0,484 0,478 0,476 0,469 0,560 0,560 0,558 0,420 0,470 0,520 0,570 0,620 0,670 0,578 0,624

29 * DESIGUALDADE (ÍNDICE DE GINI) RORAIMA 0,59 0,583 0,57 0,561 0,564 0,55 0,53 0,51 0,540 0,534 0,533 0,509 0,512 0,538 0,524 0,539 0,515 0,542 0,521 0,524 0,540 0,531 0,49 0,47 0,45 0,451 0,43 0,41 0,426 0,443 FONTE: IPEADATA, PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

30 DESENVOLVIMENTO IDH Distrito Federal São Paulo Santa Catarina Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Sul Espírito Santo Goiás Minas Gerais Mato Grosso do Sul Brasil Mato Grosso Amapá Tocantins Rondônia Rio Grande do Norte Ceará Amazonas Pernambuco Sergipe Acre Bahia Paraíba Piauí Pará Maranhão Alagoas FONTE: PNUD ELABORAÇÃO: BRADESCO 0,783 0,774 0,761 0,749 0,746 0,740 0,735 0,731 0,729 0,727 0,725 0,708 0,707 0,699 0,690 0,684 0,682 0,674 0,673 0,665 0,663 0,660 0,658 0,646 0,646 0,639 0,631 0,824 0,6 0,65 0,7 0,75 0,8 0,85 0,9

31 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO

32 NÚMERO DE EMPREGADOS POR ESTADO MIL EMPREGADOS EMPREGO TOTAL POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Ceará Pernambuco Santa Catarina Pará Goiás Maranhão Espírito Santo Paraíba Amazonas Mato Grosso Piauí Rio Grande do Norte Distrito Federal Mato Grosso do Sul Alagoas Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

33 PARTICIPAÇÃO DO NÚMERO DE EMPREGADOS POR ESTADO EMPREGO TOTAL POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Bahia Rio Grande do Sul Paraná Ceará Pernambuco Santa Catarina Pará Goiás Maranhão Espírito Santo Paraíba Amazonas Mato Grosso Piauí Rio Grande do Norte Distrito Federal Mato Grosso do Sul Alagoas Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá 4,10% 3,95% 3,70% 3,64% 3,36% 3,15% 1,94% 1,72% 1,68% 1,59% 1,56% 1,53% 1,44% 1,39% 1,32% 1,01% 0,87% 0,74% 0,32% 0,30% 0,22% 7,75% 7,12% 6,20% 6,01% 10,91% 0,0% 7,0% 14,0% 21,0% 22,47% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

34 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO POR OCUPAÇÃO NA ATIVIDADE Part EM c/ carteira % Part s/carteria PARTICIPAÇÃO Part outros DO EMPREGO COM E SEM CARTEIRA ASSINADA PRINCIPAL NOS ESTADOS 2013 FONTE: IBGE DF SP RJ SC PR MS RS MG ES GO Brasil MT AP RO PE AL RN RR SE AM AC TO PB BA CE PA PI MA Part c/ carteira Part s/ carteira 65,0% 63,1% 58,4% 57,9% 56,1% 52,5% 50,3% 49,7% 51,1% 50,1% 49,4% 50,2% 43,2% 43,0% 42,6% 43,7% 39,9% 40,2% 37,2% 41,2% 37,9% 34,6% 35,9% 34,1% 32,5% 26,1% 29,6% 25,5% 27,0% 23,2% 23,5% 24,2% Part outros 25,0% 17,4% 24,1% 23,0% 25,0% 24,8% 26,0% 19,8% 24,8% 24,5% 26,8% 25,5% 15,7% 15,0% 17,1% 12,4% 15,6% 21,3% 15,0% 19,2% 18,2% 21,9% 19,2% 21,8% 29,7% 28,3% 26,2% 34,8% 31,1% 30,7% 28,0% 31,3% 27,9% 31,8% 39,6% 33,3% 33,3% 35,1% 35,0% 36,8% 39,0% 37,3% 40,8% 37,3% 40,3% 41,3% 44,9% 49,8% 52,3% 19,3% 22,0% 24,5% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

35 Fonte: Secex Elaboração: Bradesco PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO POR OCUPAÇÃO NA ATIVIDADE PRINCIPAL NO RORAIMA E NO BRASIL 2013 Outros 35,0% Com Carteira Assinada 40,2% RORAIMA EMPREGO POR POSIÇÃO NA OCUPAÇÃO - Brasil Expectativa de intensidade do impacto de uma piora do cenário econômico atual Fonte: Secex Elaboração: Brad Sem Carteira Assinada 24,8% Outros 31,3% Com Carteira Assinada 49,4% BRASIL Sem Carteira Assinada 19,2% FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

36 FONTE: IBGE SALÁRIO MÉDIO POR ESTADO 2013 SALÁRIO MÉDIO POR UF EM R$ Distrito Federal Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Mato Grosso Rio Grande do Sul Paraná Mato Grosso do Sul Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

37 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA POR ESTADO SALÁRIO 2013 MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA POR UF FONTE: IBGE EM R$ Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Mato Grosso Rio Grande do Sul Paraná Mato Grosso do Sul Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

38 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS SEM CARTEIRA ASSINADA POR ESTADO SALÁRIO 2013 MÉDIO DOS EMPREGADOS SEM CARTEIRA ASSINADA POR UF FONTE: IBGE EM R$ Rio de Janeiro São Paulo Amapá Santa Catarina Mato Grosso Rio Grande do Sul Paraná Mato Grosso do Sul Brasil Amazonas Rondônia Tocantins Espírito Santo Goiás Acre Minas Gerais Rio Grande do Norte Sergipe Pará Bahia Paraíba Pernambuco Maranhão Piauí Alagoas Ceará Em R$ FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

39 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM E SEM CARTEIRA ASSINADA NO RORAIMA E NO BRASIL 2013 Estatísticas RR Brasil Emprego (mil pessoas) Rendimento médio (R$) 1.577, ,00 FONTE: IBGE - PNAD ELABORAÇÃO BRADESCO

40 EMPREGO E SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA

41 FONTE: RAIS EMPREGO FORMAL POR ESTADO NÚMERO DE EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA 2014 EMPREGADOS São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Sul Bahia Santa Catarina Pernambuco Ceará Goiás Distrito Federal Pará Espírito Santo Mato Grosso Maranhão Paraíba Mato Grosso do Sul Amazonas Rio Grande do Norte Alagoas Piauí Sergipe Rondônia Tocantins Acre Amapá FONTE: MTE RAIS ELABORAÇÃO: BRADESCO

42 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA E NO BRASIL POR SETOR 2014 Atividades Econômicas RR Brasil Administração pública 48,0% 18,9% Comércio varejista 16,4% 16,3% Serviços de alojamento 8,4% 8,7% Ensino 5,1% 3,9% Construção civil 4,3% 5,7% Adm imóveis, valores mobiliários 3,6% 11,1% Comércio atacadista 3,0% 3,3% Transporte e comunicações 2,3% 5,6% Alimentos e bebidas 1,7% 3,9% Agropecuária 1,7% 3,0% Serv Médicos, odontológicos 1,5% 3,9% SIUP 1,3% 0,9% Instituição financeira 0,7% 1,7% Atividades Econômicas RR Brasil Minerais não metálicos 0,6% 0,9% Madeira e mobiliário 0,6% 1,0% Papel, papelão e editorial e gráfico 0,2% 0,8% Extrativa mineral 0,1% 0,5% Química 0,1% 1,9% Metalúrgica 0,1% 1,6% Borracha, fumo, couros 0,1% 0,7% Têxtil e vestuário 0,1% 2,0% Material elétrico e de comunicação 0,0% 0,6% Mecânica 0,0% 1,3% Material de transporte 0,0% 1,2% Calçados 0,0% 0,6% Total 100,0% 100,0% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

43 PARTICIPAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA POR SETOR Administração pública Comércio varejista Serviços de alojamento Ensino Construção civil Adm imóveis, valores mobiliários Comércio atacadista Transporte e comunicações Alimentos e bebidas Agropecuária Serv Médicos, odontológicos SIUP Instituição financeira Minerais não metálicos Madeira e mobiliário Papel, papelão e editorial e gráfico Extrativa mineral Química Metalúrgica Borracha, fumo, couros Têxtil e vestuário Material elétrico e de comunicação Mecânica Material de transporte Calçados FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO 8,4% 5,1% 4,3% 3,6% 3,0% 2,3% 1,7% 1,7% 1,5% 1,3% 0,7% 0,6% 0,6% 0,2% 0,1% 0,1% 0,1% 0,1% 0,1% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 16,4% 48,0% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0%

44 set/05 nov/05 jan/06 mar/06 mai/06 jul/06 set/06 nov/06 jan/07 mar/07 mai/07 jul/07 set/07 nov/07 jan/08 mar/08 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09 set/09 nov/09 jan/10 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 jan/11 mar/11 mai/11 jul/11 set/11 nov/11 jan/12 mar/12 mai/12 jul/12 set/12 nov/12 jan/13 mar/13 mai/13 jul/13 set/13 nov/13 jan/14 mar/14 mai/14 jul/14 set/14 nov/14 jan/15 mar/15 mai/15 jul/15 set/15 EVOLUÇÃO DO EMPREGO FORMAL EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO EVOLUÇÃO 12 DO EMPREGO MESES FORMAL EM RORAIMA E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES FONTE: MTE (CAGED E RAIS) ÍNDICE ACUM JAN/2002= ,0 148,0 Brasil 145,8 150,3 151,3 138,0 137,5 131,2 128,0 126,3 131,5 118,0 108,0 115,6 103,3 105,7 107,0 110,0 112,0 113,1 114,7 98,0 FONTE: MTE (CAGED E RAIS) ELABORAÇÃO: BRADESCO

45 set/03 dez/03 mar/04 jun/04 set/04 dez/04 mar/05 jun/05 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA EM VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL EM RORAIMA E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES RORAIMA E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES EM % FONTE: MTE (CAGED E RAIS) 6,0% 5,0% 4,4% 5,1% Brasil 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% 1,8% 2,1% 2,3% 2,8% 2,2% 1,5% 1,4% 0,0% 0,1% -1,0% 0,5% -0,2% 0,6% -0,3% -1,3% -2,0% -3,0% -2,2% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

46 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EVOLUÇÃO DO SALÁRIO MÉDIO REAL DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES EVOLUÇÃO DO EMPREGO FORMAL EM RORAIMA E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES ÍNDICE ACUM JAN/2002=100 FONTE: MTE (CAGED E RAIS) 1.600, , ,0 Brasil 1.082, , , , , , , ,0 800,0 997,0 810,1 868,6 935,1 980,9 997, , , ,8 600,0 400,0 FONTE: MTE Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

47 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EM % CRESCIMENTO DO SALÁRIO MÉDIO REAL DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES VARIAÇÃO DO EMPREGO FORMAL EM RORAIMA E NO BRASIL - ACUMULADO 12 MESES FONTE: MTE (CAGED E RAIS) 11% 8,5% 6,4% 7,2% Brasil 6% 1% 0,7% 5,0% 1,6% 2,7% 4,8% 1,5% 3,4% 3,4% 0,6% -4% -3,5% -9% -7,0% -14% FONTE: MTE Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

48 SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA E NO BRASIL POR SETOR EM R$ 2014 Atividades Econômicas RR Brasil SIUP Instituição financeira Ensino Administração pública Serv Médicos, odontológicos Adm imóveis, valores mobiliários Material elétrico e de comunicação Agropecuária Transporte e comunicações Construção civil Comércio atacadista Extrativa mineral Serviços de alojamento Minerais não metálicos Atividades Econômicas RR Brasil Borracha, fumo, couros Química Madeira e mobiliário Alimentos e bebidas Material de transporte Papel, papelão e editorial e gráfico Comércio varejista Metalúrgica Mecânica Têxtil e vestuário Calçados Total FONTE: MTE Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

49 Fonte: RAIS SALÁRIO MÉDIO DOS EMPREGADOS COM CARTEIRA ASSINADA EM RORAIMA POR SETOR ECONÔMICO 2014 SIUP Instituição financeira Ensino Administração pública Total Serv Médicos, odontológicos Adm imóveis, valores mobiliários Material elétrico e de comunicação Agropecuária Transporte e comunicações Construção civil Comércio atacadista Extrativa mineral Serviços de alojamento Minerais não metálicos Borracha, fumo, couros Química Madeira e mobiliário Alimentos e bebidas Material de transporte Papel, papelão e editorial e gráfico Comércio varejista Metalúrgica Mecânica Têxtil e vestuário Em R$ FONTE: MTE Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

50 VARIAÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA ASSINADA E SALÁRIO MÉDIO REAL EM RORAIMA E NO BRASIL ÚLTIMOS 12 MESES (SETEMBRO/15) Estatísticas RR Brasil Emprego -0,3% -1,3% Salário Real -3,5% 0,6% Massa Real -3,9% -0,6% FONTE: MTE RAIS e Caged ELABORAÇÃO BRADESCO

51 ATIVIDADE ECONÔMICA

52 VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO FONTE: IBGE VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO R$ MILHÕES São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Amazonas Espírito Santo Pará Goiás Pernambuco Mato Grosso Ceará Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Maranhão Paraíba Alagoas Sergipe Distrito Federal Rondônia Piauí Tocantins Amapá Acre Em milhões de R$ FONTE: IBGE - PIA ELABORAÇÃO: BRADESCO

53 PARTICIPAÇÃO DO VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL FONTE: IBGE PARTICIPAÇÃO DO VALOR DA TRANSFORMAÇÃO INDUSTRIAL POR ESTADO POR ESTADO EM % São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Amazonas Espírito Santo Pará Goiás Pernambuco Mato Grosso Ceará Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Maranhão Paraíba Alagoas Sergipe Distrito Federal Rondônia Piauí Tocantins Amapá Acre 7,05% 6,98% 4,88% 4,05% 3,08% 2,87% 2,68% 2,60% 1,73% 1,29% 1,21% 1,02% 0,69% 0,48% 0,43% 0,40% 0,36% 0,23% 0,22% 0,14% 0,09% 0,08% 0,03% 0,01% 11,25% 11,16% 34,99% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% FONTE: IBGE -PIA ELABORAÇÃO: BRADESCO

54 RECEITA BRUTA RECEITA DO BRUTA COMÉRCIO DE REVENDA DO COMÉRCIO VAREJISTA POR ESTADO ESTADO R$ MILHÕES 2013 FONTE: IBGE Em milhões de R$ São Paulo Minas Gerais Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Pernambuco Goiás Ceará Distrito Federal Espírito Santo Mato Grosso Maranhão Mato Grosso do Sul Paraíba Rio Grande do Norte Pará Alagoas Piauí Amazonas Sergipe Rondônia Tocantins Amapá Acre FONTE: IBGE - PAC ELABORAÇÃO: BRADESCO

55 PARTICIPAÇÃO NA RECEITA BRUTA DO COMÉRCIO VAREJISTA PARTICIPAÇÃO NA RECEITA BRUTA DO COMÉRCIO VAREJISTA POR ESTADO POR ESTADO 2013 FONTE: IBGE EM % São Paulo Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Santa Catarina Bahia Pernambuco Goiás Ceará Espírito Santo Distrito Federal Mato Grosso Maranhão Mato Grosso do Sul Rio Grande do Norte Paraíba Pará Piauí Alagoas Amazonas Sergipe Rondônia Tocantins Amapá Acre 4,68% 4,39% 3,57% 3,46% 2,76% 2,24% 2,09% 2,07% 1,47% 1,46% 1,29% 1,23% 1,18% 1,01% 0,98% 0,89% 0,76% 0,32% 0,22% 0,21% 0,20% 0,14% 9,73% 9,72% 7,84% 7,16% 28,95% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% 35,00% FONTE: IBGE - PAC ELABORAÇÃO: BRADESCO

56 ago/07 nov/07 fev/08 mai/08 ago/08 nov/08 fev/09 mai/09 ago/09 nov/09 fev/10 mai/10 ago/10 nov/10 fev/11 mai/11 ago/11 nov/11 fev/12 mai/12 ago/12 nov/12 fev/13 mai/13 ago/13 nov/13 fev/14 mai/14 ago/14 nov/14 fev/15 mai/15 ago/15 EVOLUÇÃO Volume DO de VOLUME Vendas no Comércio DE VENDAS Varejista Regional NO Acumulado COMÉRCIO de 12 meses VAREJISTA - EM Índice RORAIMA Acum Jan/2002 E = NO BRASIL ACUMULADO DE 12 MESES 100 Índice 2011 = ,0 150,0 Brasil 153,4 130,0 131,4 110,0 90,0 70,0 78,1 62,5 72,6 84,6 84,2 97,2 113,1 108,9 113,4 50,0 30,0 FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO: BRADESCO

57 ago/07 nov/07 fev/08 mai/08 ago/08 nov/08 fev/09 mai/09 ago/09 nov/09 fev/10 mai/10 ago/10 nov/10 fev/11 mai/11 ago/11 nov/11 fev/12 mai/12 ago/12 nov/12 fev/13 mai/13 ago/13 nov/13 fev/14 mai/14 ago/14 nov/14 fev/15 mai/15 ago/15 EM CRESCIMENTO % Variação do DO Volume VOLUME de Vendas no DE Comércio VENDAS Varejista NO Regional COMÉRCIO Acumulado de 12 VAREJISTA meses - EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO DE 12 MESES 38,0% Brasil 28,0% 27,0% 18,0% 8,0% 10,2% 15,4% 10,6% 20,0% 19,3% 10,6% 10,9% 4,9% 14,1% 3,6% 6,2% -2,0% 0,6% -1,5% -3,1% -12,0% FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO: BRADESCO

58 VARIAÇÃO DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA POR ESTADO ACUMULADO DE 12 MESES ATÉ AGO/15 Volume de vendas no varejo - variação acumulada nos últimos doze meses, até maio de Fonte: IBGE Acre Sergipe Rondônia Mato Grosso do Sul Tocantins Santa Catarina Rio de Janeiro Paraná Rio Grande do Norte Amapá Minas Gerais Pará Piauí Ceará Brasil Maranhão São Paulo Rio Grande do Sul Pernambuco Espírito Santo Bahia Mato Grosso Amazonas Alagoas Paraíba Distrito Federal Goiás -6,2% FONTE: IBGE - PMC ELABORAÇÃO BRADESCO 0,0% -0,1% -0,3% -0,4% -0,7% -0,8% -1,5% -2,0% -2,1% -3,0% -3,1% -3,2% -3,3% -3,7% -3,9% -3,9% -4,2% -4,2% 2,7% 2,2% 1,5% 1,0% 0,3% 0,0% 0,0% 6,0% 14,1% -8,00% -6,00% -4,00% -2,00% 0,00% 2,00% 4,00% 6,00% 8,00% 10,00% 12,00% 14,00% 16,00%

59 AGRÍCOLA

60 PRODUÇÃO AGRÍCOLA POR ESTADO E PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO NACIONAL SAFRA 2015 Estados Produção (Toneladas) Produção (%) Amapá ,02% ,05% Distrito Federal ,12% Amazonas ,14% Acre ,15% Rondônia ,17% Ceará ,41% Rio Grande do Norte ,44% Sergipe ,52% Rio de Janeiro ,52% Piauí ,55% Espírito Santo ,58% Tocantins ,61% Estados Produção (Toneladas) Produção (%) Paraíba ,77% Pará ,89% Maranhão ,93% Santa Catarina ,02% Pernambuco ,70% Bahia ,23% Alagoas ,32% Rio Grande do Sul ,92% Mato Grosso do Sul ,38% Mato Grosso ,93% Goiás ,63% Minas Gerais ,37% Paraná ,96% São Paulo ,66% 60 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

61 PRODUÇÃO AGRICOLA POR ESTADO SAFRA 2015 E: IBGE PRODUÇÃO DOS ESTADOS Em milhões São Paulo Paraná Minas Gerais Goiás Mato Grosso Mato Grosso do Sul Rio Grande do Sul Alagoas Bahia Pernambuco Santa Catarina Maranhão Pará Paraíba Tocantins Espírito Santo Piauí Rio de Janeiro Sergipe Rio Grande do Norte Ceará Rondônia Acre Amazonas Distrito Federal Amapá 94,13 88,56 81,56 65,43 60,23 37,06 31,39 21,06 16,08 9,61 8,78 8,45 7,32 5,80 5,48 5,16 4,92 4,92 4,13 3,84 1,62 1,38 1,34 1,17 0,43 0,19 374,65 EM MILHÕES DE TONELADAS FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

62 PARTICIPAÇÃO % DA PRODUÇÃO AGRICOLA POR ESTADO NO TOTAL PRODUZIDO SAFRA PARTICIPAÇÃO 2015 DOS ESTADOS NA PRODUÇÃO NACIONAL FONTE: IBGE Em % São Paulo Paraná Minas Gerais Goiás Mato Grosso Mato Grosso do Sul Rio Grande do Sul Alagoas Bahia Pernambuco Santa Catarina Maranhão Pará Paraíba Tocantins Espírito Santo Piauí Rio de Janeiro Sergipe Rio Grande do Norte Ceará Rondônia Acre Amazonas Distrito Federal Amapá 9,96% 9,37% 8,63% 6,93% 6,38% 3,92% 3,32% 2,23% 1,70% 1,02% 0,93% 0,89% 0,77% 0,61% 0,58% 0,55% 0,52% 0,52% 0,44% 0,41% 0,17% 0,15% 0,14% 0,12% 0,05% 0,02% 39,66% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% 35,00% 40,00% 45,00% 62 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

63 PRODUÇÃO E PARTICIPAÇÃO DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS EM RORAIMA E NO BRASIL SAFRA 2015 Produtos - safra 2015 Brasil Volume Part % Volume Part % Mandioca (Toneladas) ,9% ,5% Banana (Toneladas) ,9% ,8% Arroz (Toneladas) ,3% ,3% Soja (Toneladas) ,2% ,1% Laranja (Toneladas) ,8% ,5% Milho (1ª Safra) (Toneladas) ,6% ,3% Abacaxi (Mil frutos) ,1% ,2% Tomate (Toneladas) ,8% ,4% Feijão (2ª Safra) (Toneladas) ,5% ,1% 63 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

64 PARTICIPAÇÃO % DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS NO TOTAL PRODUZIDO POR RORAIMA SAFRA 2015 FONTE: IBGE PARTICIPAÇÃO DOS PRODUTOS AGRICOLAS - RORAIMA EM% Mandioca (Toneladas) 34,9% Banana (Toneladas) 20,9% Arroz (Toneladas) 20,3% Soja (Toneladas) 14,2% Laranja (Toneladas) 3,8% Milho (1ª Safra) (Toneladas) 3,6% Abacaxi (Mil frutos) 1,1% Tomate (Toneladas) 0,8% Feijão (2ª Safra) (Toneladas) 0,5% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 64 FONTE E PROJEÇÃO: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO * Projeção

65 DISTRIBUIÇÃO REGIONAL VAR. % DA ÁREA DA DE GRÃOS PRODUÇÃO SAFRA 2012/2013 DE GRÃOS 2013/14 Fonte: Conab Elaboração: Bradesco MT PR RS GO MS MG BA SP SC MA PI TO PA RO SE DF CE PE RR AC ES AL PB AM RN RJ AP 3,93% 3,71% 3,45% 2,12% 1,75% 1,67% 0,76% 0,65% 0,54% 0,47% 0,34% 0,08% 0,08% 0,07% 0,04% 0,03% 0,03% 0,02% 0,01% 0,01% 0,00% FONTE: CONAB ELABORAÇÃO: BRADESCO 8,98% 7,22% 6,02% 17,75% 15,64% 24,60% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0%

66 1990/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /15* mil toneladas Produção Nacional de Grãos (Arroz, Feijão, Milho, Trigo, Soja, Algodão) PRODUÇÃO DE GRÃOS (ARROZ, FEIJÃO, MILHO, TRIGO, SOJA E ALGODÃO) Mil toneladas FONTE: CONAB ELABORAÇÃO BRADESCO

67 BALANÇA COMERCIAL

68 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS SOBRE PIB PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO PIB ESTADUAL FONTES: IBGE, SECEX PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NO PIB POR ESTADO EM % Pará Mato Grosso Espírito Santo Santa Catarina Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Mato Grosso do Maranhão Brasil Bahia Alagoas Goiás Tocantins Amapá Amazonas São Paulo Rio de Janeiro Rio Grande do Ceará Paraíba Pernambuco Rondônia Piauí Sergipe Distrito Federal Acre 3,6% 2,7% 2,5% 1,7% 1,3% 1,1% 0,8% 0,5% 0,4% 0,3% 0,1% 12,2% 11,2% 10,7% 9,4% 9,3% 8,6% 8,5% 8,0% 7,5% 7,4% 6,8% 6,2% 6,1% 16,1% 19,8% 26,2% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 30,7% FONTES: SECEX E IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

69 EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS FONTE: SECEX Em milhares de US$ EXPORTAÇÕES POR ESTADO EM US$ MILHÕES São Paulo Minas Gerais Rio Grande do Sul Rio de Janeiro Paraná Mato Grosso Espírito Santo Pará Santa Catarina Bahia Goiás Mato Grosso do Maranhão Piauí Rondônia Tocantins Ceará Pernambuco Amazonas Alagoas Distrito Federal Rio Grande do Amapá Paraíba Sergipe Acre FONTE: SECEX LABORAÇÃO: BRADESCO

70 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO TOTAL EXPORTADO PELO BRASIL PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO São Paulo Minas Gerais Rio Grande do Sul Rio de Janeiro Paraná Mato Grosso Espírito Santo Pará Santa Catarina Bahia Goiás Mato Grosso do Sul Maranhão Piauí Rondônia Tocantins Ceará Pernambuco Amazonas Alagoas Distrito Federal Rio Grande do Norte Amapá Paraíba Sergipe Acre 9,39% 8,78% 8,02% 6,84% 5,48% 5,39% 4,11% 4,11% 3,02% 2,49% 1,68% 0,57% 0,55% 0,53% 0,52% 0,41% 0,40% 0,25% 0,15% 0,15% 0,13% 0,07% 0,05% 0,01% 0,00% 11,55% 23,31% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

71 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NO ESTADO EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO 12 MESES ÍNDICE ACUM JAN/2001 = 100 EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DE RORAIMA Brasil 895, , ,2 648,2 576,7 637,2 540,3 625,1 496,4 593, , ,9 269,2 433,2 358,8 400,9 276,6 428,0 354,8 355,7 310,0 294,8 50 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

72 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES NO ESTADO DE RORAIMA E NO BRASIL EM % VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DE RORAIMA - ACUMULADO 12 MESES ACUMULADO 12 MESES 300% 250% 200% Brasil 211,0% 150% 100% 50% 0% -50% 31,6% 93,5% 55,7% 16,5% 28,3% -6,7% -38,9% -31,7% 47,7% -29,9% 31,3% -0,1% -47,1% 61,2% -17,7% -61,3% -100% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

73 VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO ACUMULADO 12 MESES (SET/15) VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES POR ESTADO Piauí Acre Maranhão Rio Grande do Norte Sergipe Alagoas Tocantins Espírito Santo Distrito Federal Rondônia São Paulo Mato Grosso do Sul Santa Catarina Paraná Bahia Goiás Brasil Mato Grosso Rio Grande do Sul Amazonas Paraíba Minas Gerais Rio de Janeiro Pará Ceará Amapá Pernambuco -0,7% -6,7% -7,7% -10,3% -11,2% -12,0% -12,2% -12,4% -12,7% -14,7% -16,9% -17,7% -19,4% -21,6% -22,5% -22,6% -25,6% -28,0% -29,2% -35,6% -45,0% -59,9% -61,3% 24,5% 16,0% 6,4% 108,2% 241,7% -90% -40% 10% 60% 110% 160% 210% 260% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

74 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DOS ESTADOS SOBRE PIB PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO PIB ESTADUAL FONTES: IBGE, SECEX PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES NO PIB ESTADUAL EM % Amazonas Rio Grande do Sul Mato Grosso do Sul Maranhão Paraná Espírito Santo Pernambuco Santa Catarina Bahia São Paulo Brasil Goiás Rio de Janeiro Ceará Minas Gerais Pará Sergipe Amapá Mato Grosso Tocantins Rondônia Paraíba Piauí Distrito Federal Rio Grande do Norte Alagoas Acre FONTES: MDIC E IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 11,3% 10,7% 10,5% 10,1% 9,3% 9,0% 8,7% 7,2% 6,0% 5,6% 4,6% 3,7% 3,7% 3,3% 2,8% 2,0% 1,8% 1,8% 1,6% 1,4% 1,3% 1,2% 0,2% 0,2% 16,1% 15,1% 20,1% 33,8% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40%

75 IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS FONTE: SECEX IMPORTAÇÕES POR ESTADO EM US$ MILHÕES São Paulo Rio de Janeiro Santa Catarina Paraná Rio Grande do Sul Amazonas Minas Gerais Bahia Espírito Santo Pernambuco Maranhão Mato Grosso do Goiás Ceará Mato Grosso Distrito Federal 880 Pará 761 Rondônia 500 Alagoas 446 Paraíba 397 Rio Grande do 216 Sergipe 161 Tocantins 112 Piauí 98 Amapá 41 9 Acre Em milhares de US$ FONTE: SECEX LABORAÇÃO: BRADESCO

76 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL DAS IMPORTAÇÕES DOS ESTADOS NO TOTAL IMPORTADO PELO BRASIL PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES POR ESTADO São Paulo Rio de Janeiro Santa Catarina Paraná Rio Grande do Sul Amazonas Minas Gerais Bahia Espírito Santo Pernambuco Maranhão Mato Grosso do Sul Goiás Ceará Mato Grosso Distrito Federal Pará Rondônia Alagoas Paraíba Rio Grande do Norte Sergipe Tocantins Piauí Amapá Acre 9,46% 7,52% 7,34% 5,75% 5,54% 5,02% 4,82% 3,05% 3,05% 2,28% 2,05% 1,97% 1,67% 0,80% 0,66% 0,57% 0,37% 0,33% 0,30% 0,16% 0,12% 0,08% 0,07% 0,03% 0,01% 0,00% 36,87% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

77 set/05 jan/06 mai/06 set/06 jan/07 mai/07 set/07 jan/08 mai/08 set/08 jan/09 mai/09 set/09 jan/10 mai/10 set/10 jan/11 mai/11 set/11 jan/12 mai/12 set/12 jan/13 mai/13 set/13 jan/14 mai/14 set/14 jan/15 mai/15 set/15 EVOLUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES NO ESTADO EM RORAIMA E NO BRASIL ACUMULADO EVOLUÇÃO DAS 12 IMPORTAÇÕES MESES BRASILEIRAS E DO ESTADO DE RORAIMA ÍNDICE ACUM JAN/2001 = 100 FONTE: IBGE Brasil 413,4 425, ,2 325,5 338, ,9 233,9 241, ,8 151,9 154,1 138,1 142, , ,1 23,1 50,5 FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

78 set/05 dez/05 mar/06 jun/06 set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 CRESCIMENTO DAS IMPORTAÇÕES NO ESTADO DE RORAIMA E NO EM BRASIL % VARIAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS E DO ESTADO DE RORAIMA - ACUMULADO 12 MESES ACUMULADO 12 MESES 400% 350% 300% Brasil 295,8% 361,9% 250% 200% 150% 159,0% 100% 50% 0% -50% -53,6% 44,3% 50,8% 61,6% -25,2% 43,6% 18,4% -31,9% 30,3% 6,2% 35,4% -19,5% -100% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO: BRADESCO

79 VARIAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES POR ESTADO ACUMULADO 12 MESES (SET/2015) Rio G. do Norte Alagoas Acre Rondônia Pará Bahia Santa Catarina Distrito Federal Mato Grosso Minas Gerais Ceará Rio de Janeiro Goiás Brasil Sergipe São Paulo Paraíba Pernambuco Paraná Espírito Santo Maranhão Amazonas Rio Grande do Sul Mato Grosso do Sul Tocantins Piauí Amapá -2,9% -11,7% -12,9% -13,1% -13,7% -15,5% -16,5% -17,1% -19,5% -19,9% -20,9% -21,3% -21,4% -23,0% -24,4% -25,0% -25,2% -26,4% -27,8% -39,8% -50,5% -51,3% 9,9% 3,7% 2,1% 0,4% 21,8% 35,4% -80% -60% -40% -20% 0% 20% 40% 60% 80% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

80 VARIAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EM RORAIMA ACUMULADO 12 MESES (SET/15) Estatísticas RR Brasil Exportações -61,3% -17,7% Importações 35,4% -19,5% FONTE: SECEX ELABORAÇÃO BRADESCO

81 Depec-Bradesco O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações e projeções. Todos os dados ou opiniões dos informativos aqui presentes são rigorosamente apurados e elaborados por profissionais plenamente qualificados, mas não devem ser tomados, em nenhuma hipótese, como base, balizamento, guia ou norma para qualquer documento, avaliações, julgamentos ou tomadas de decisões, sejam de natureza formal ou informal. Desse modo, ressaltamos que todas as consequências ou responsabilidades pelo uso de quaisquer dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo o BRADESCO de todas as ações decorrentes do uso deste material. Lembramos ainda que o acesso a essas informações implica a total aceitação deste termo de responsabilidade e uso.

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 Para o ano de 2007, o Produto Interno Bruto PIB do Estado de Rondônia apresentou um crescimento de 5,2% em relação ao ano anterior, ficando assim com 16ª a colocação no ranking

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS MAIO DE 2016 PRODUTOS CADEIA DE ELETROELETRÔNICOS Matérias-primas Básicas Aço Motores Componentes Outros insumos

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2010 Contas Regionais do Brasil 2010 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 28,1 Indústria extrativa 3,0 Indústrias de transformação 16,2 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Espírito Santo Governador Renato Casagrande

Espírito Santo Governador Renato Casagrande Espírito Santo Governador Renato Casagrande Parte I O Comércio Internacional no Espírito Santo Parte II Ranking Federativo Parte III Propostas Comércio Internacional no Espírito Santo Ranking Nacional

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO Maria da Piedade Morais 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental Brasília, 28 de junho de 2011 Objetivos

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA Pesquisa Mensal de Comércio. Abril 2012

CONJUNTURA ECONÔMICA Pesquisa Mensal de Comércio. Abril 2012 CONJUNTURA ECONÔMICA Abril 2012 CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil. Dieese. Subseção Força Sindical. Elaboração: 21/07/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil. Dieese. Subseção Força Sindical. Elaboração: 21/07/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil Dieese. Subseção Força Sindical Elaboração: 21/07/2015 De acordo com os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

Saldo de Empregos Celetistas Cearense - Fevereiro de 2014

Saldo de Empregos Celetistas Cearense - Fevereiro de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil As Políticas Públicas de Emprego no Brasil 1 Índice 1. Mercado de Trabalho no Brasil 2. FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador 2.1. Programas e Ações 2.2. Principais avanços na execução dos Programas e Ações

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 Borracha Natural Consumo Interno 300 mil toneladas/ano 64% Importação 262 mil toneladas/ano 36% Produção

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 19/03/2015 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS OUTUBRO DE 2015 1 PRODUTOS 2 Os tratores e máquinas agrícolas são movidos a diesel. São fabricados os seguintes tipos

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 Alfredo Tsunechiro 2 Vagner Azarias Martins 3 1 - INTRODUÇÃO 1 2 3 Qual a verdadeira magnitude do valor da produção agropecuária

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Ministério da Saúde Ministério da PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Fevereiro 2013 Ministério da Ministério da CRONOGRAMA 2013 Semana Saúde na Escola Adesão de 20/02 a 10/03 Ações nas escolas entre os dias 11 e

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados julho/15 21 de agosto de 2015 Secretaria de Política Econômica CRIAÇÃO LÍQUIDA DE POSTOS DE TRABALHO (variação mensal absoluta do emprego*) Critério

Leia mais

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco

Estudo Estratégico n o 4. Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco Estudo Estratégico n o 4 Como anda o desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro? Valéria Pero Adriana Fontes Luisa de Azevedo Samuel Franco PANORAMA GERAL ERJ receberá investimentos recordes da ordem

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Estrutura e Distribuição Geográfica Estrutura Estatutária A GEAP GEAP é administrada por por um um Conselho Deliberativo responsável pela pela definição da da

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Sondagem Festas Juninas 2015

Sondagem Festas Juninas 2015 Sondagem Festas Juninas 0 de Maio de 0 0 Copyright Boa Vista Serviços Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 0 o Perfil dos respondentes... 0 o Comemoração das Festas Juninas... 09 o Do que os consumidores

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem

Leia mais

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil O Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil é mais uma publicação do Plano Juventude Viva, que reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 23/01/15 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged),

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 1 Gastos públicos com cultura no Brasil: 1985-1995 Contrato de prestação de serviços que entre si celebram a União Federal, por intermédio da Secretaria

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 PRODUTOS HIGIENE PESSOAL 61% Sabonetes Higiene Oral Desodorantes Talcos Higiene Capilar Produtos para Barbear Fraldas

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2012

Contas Regionais do Brasil 2012 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2012 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio de Janeiro, 14/11/2014 Contas Regionais do Brasil Projeto

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA 5ª Edição Última atualização 17 de Dezembro de 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL... 6 1.1. Evolução da Participação da

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Desvio de Finalidade Papel Imune

Desvio de Finalidade Papel Imune Desvio de Finalidade Papel Imune Compliance com as Leis de Defesa da Concorrência ALERTA: Evitar quaisquer discussões ou conversações sobre temas sensíveis à livre competição entre as empresas associadas,

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência)

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Desenvolvido a partir de 2009: integra as bases de dados dos Sistemas de registros de aplicadas doses (SI-API), Eventos adversos (SI-EAPV), usuários de imunobiológicos

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004 03 DE MAIO DE 2004 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO/ABRIL -

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Rede ABEn de Pesquisa em Educação em Enfermagem GT EDUCAÇÃO 2012 Portaria Nº 17/2012 Realizar a Pesquisa Panorama da Formação em Enfermagem no Brasil no período

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

Sergipe. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Sergipe. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Sergipe Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO SERGIPE Sergipe 2,29 milhões* 715,2 mil* População Domicílios 48,2% 51,8% Gênero 31,4 36,0 2017 2030 Idade

Leia mais

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012 GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão- SEPOG Gerência do Observatório e Desenvolvimento Regional - GODR Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia

Leia mais

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Índice Estado página Amazonas (cidade-sede Manaus)... 3 Bahia (cidade-sede Salvador)... 8 Ceará (cidade-sede Fortaleza)... 13 Distrito

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 13/07/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 940.028.686 778.153.936 1.235.490.401 550.568.691 569.079.592

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 1 PRODUTOS 2 SUPERMERCADOS SÃO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS CLASSIFICADOS COMO AUTO- SERVIÇO: CONSUMIDORES COMPRAM OS PRODUTOS

Leia mais

A NECESSIDADE DE AUDITORES-FISCAIS DO TRABALHO NO BRASIL: UMA ANÁLISE CONTEMPLANDO O GRAU DE DESCUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

A NECESSIDADE DE AUDITORES-FISCAIS DO TRABALHO NO BRASIL: UMA ANÁLISE CONTEMPLANDO O GRAU DE DESCUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA A NECESSIDADE DE AUDITORES-FISCAIS DO TRABALHO NO BRASIL: UMA ANÁLISE CONTEMPLANDO O GRAU DE DESCUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA RELATÓRIO FINAL ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA IPEA/SINAIT Nº 25/2010

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

Rondônia. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Rondônia. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Rondônia Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO RONDÔNIA Rondônia 1,81 milhão* 601,9 mil* População Domicílios Classe B 4% Classe A 3% Classe E 26% RO R$

Leia mais

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 6, n. 47 - Outubro/2015 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br

Leia mais

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS TRÊS TIPOS DE DIFERENCIAIS (não confunda!!!) 1 Diferencial clássico 2 Diferencial S.T. 3 Diferencial nas

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais