Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS"

Transcrição

1 Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos

2 O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos, os setores ainda não conseguiram retomar o patamar verificado em janeiro de A queda de Veículos Automotores, Reboques e Carrocerias reflete, em parte, as medidas específicas de restrição às importações do segmento por parte do governo da Argentina. Importações A diminuição das compras de Bens de Consumo Duráveis, sobretudo de veículos automotores, pode estar relacionada ao recente aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Saldo O aumento do saldo comercial ocorreu pelo crescimento das exportações e redução nas importações.

3 PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS (em ) jan/13 Part(%) jan/14 Part(%) Var (%) SAO PAULO ,7% ,1% -6% -238 MINAS GERAIS ,4% ,2% 0% -13 RIO DE JANEIRO 861 5,4% ,8% 83% 711 PARA ,8% ,2% 6% 72 RIO GRANDE DO SUL ,5% ,7% 4% 41 ESPIRITO SANTO ,4% 982 6,1% -4% -39 PARANA 968 6,1% 905 5,6% -7% -63 MATO GROSSO ,4% 805 5,0% -21% -211 BAHIA 680 4,3% 682 4,3% 0% 2 SANTA CATARINA 561 3,5% 559 3,5% 0% -2 Total do Grupo ,3% ,6% 2% 260 Total Geral ,0% ,0% 0% 59

4 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO RS NO MÊS (em ) jan/13 Part(%) jan/14 Part(%) Var (%) Argentina ,1% ,0% 3% 3 Estados Unidos 85 8,2% 93 8,6% 9% 8 Paraguai 38 3,7% 92 8,5% 142% 54 Alemanha 26 2,5% 55 5,1% 112% 29 Uruguai 35 3,4% 45 4,2% 29% 10 Holanda 39 3,8% 43 4,0% 10% 4 China 39 3,8% 39 3,6% 0% 0 Índia 2 0,2% 32 3,0% 1500% 30 Eslovênia - 0,0% 32 3,0% 0% 32 Chile 28 2,7% 31 2,9% 11% 3 Total do Grupo ,3% ,9% 44% 173 Total Geral ,0% ,0% 4% 42

5 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Alimentos ,0% ,6% 47,5% 113 Químicos ,2% ,5% 5,6% 10 Máquinas e equipamentos 66 6,4% 91 8,4% 37,9% 25 Tabaco 84 8,1% 80 7,4% -4,8% -4 Couro e calçados 74 7,1% 79 7,3% 6,8% 5 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis - 0,0% 59 5,5% 0,0% 59 Veículos automotores, reboques e carrocerias 72 6,9% 56 5,2% -22,2% -16 Borracha e plástico 25 2,4% 26 2,4% 4,0% 1 Produtos de metal 31 3,0% 25 2,3% -19,4% -6 Materiais elétricos 14 1,4% 16 1,5% 14,3% 2 Celulose e Papel 17 1,6% 15 1,4% -11,8% -2 Móveis 12 1,2% 14 1,3% 16,7% 2 Têxteis 8 0,8% 8 0,7% 0,0% 0 Metalurgia 7 0,7% 7 0,6% 0,0% 0 Produtos diversos 6 0,6% 7 0,6% 16,7% 1 Minerais não-metálicos 8 0,8% 7 0,6% -12,5% -1 Madeira 8 0,8% 4 0,4% -50,0% -4 Material de transporte 1 0,1% 3 0,3% 200,0% 2 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 7 0,7% 3 0,3% -57,1% -4 Vestuário e acessórios 3 0,3% 2 0,2% -33,3% -1 Farmoquímicos e farmacêuticos - 0,0% 1 0,1% 0,0% 1 Extrativa mineral 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Bebidas 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Impressão e reprodução de gravações - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,1% ,94% 21,3% 183 Básicos ,8% 21 1,9% -85,3% -122 Serviços - 0,0% - 0,0% - 0 Transações Especiais 32 3,1% 12 1,1% -62,5% -20 Total Geral ,0% ,0% 4,0% 41

6 MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE JANEIRO

7 R$ MILHÕES EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL NOS MESES DE JANEIRO Fonte: MDIC/SECEX, deflacionados pelo IPCA acumulado até jan/2014.

8 EXPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) jan/13 jan/14 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,7% -2 Automóveis, camionetas e utilitários ,4% -10 Autopeças ,5% -3 Calçados ,4% 1 Caminhões e ônibus ,0% 3 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,3% -1 Couro ,3% 5 Edição e Impressão ,3% 0 Laminados longos e planos de aço 2 2-2,7% 0 Laticínios ,7% 0 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,5% 13 Medicamentos e fármacos ,7% 1 Petroquímicos ,4% 0 Plásticos e suas obras ,8% 2 Tratores ,8% 0 Vestuário ,7% 0 Vinho ,9% 0 Total do Grupo ,2% 9 Total Geral ,0% 42

9 EXPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO DO RS NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Complexo Soja (componentes selecionados) 32 5,7% ,7% 432,0% 139 Soja (grão) 0 0,0% 0 0,0% -100,0% 0 Óleo de soja 8 1,4% 30 5,4% 285,4% 22 Farelo de soja 24 4,3% ,3% 480,8% 117 Milho (grão) 0 0,0% 0 0,0% -100,0% 0 Trigo (grão) ,0% 4 0,8% -96,6% -127 Complexo Carnes (componentes selecionados) ,2% ,7% -23,9% -33 Carne de frango in natura 91 16,0% 72 12,9% -21,1% -19 Carne de frango industrializada 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Carne suína in natura 30 5,2% 18 3,2% -39,5% -12 Carne bovina in natura 4 0,8% 5 0,8% 6,3% 1 Carne bovina industrializada 12 2,1% 10 1,8% -17,6% -2 Demais produtos do agronegócio ,1% ,8% 3,7% 10 Agronegócio ,8% ,7% -1,9% -10 Total Geral ,0% ,0% 4,0% 41

10 EXPORTAÇÕES DA AGROINDÚSTRIA DO RS NO MÊS (em ) jan/13 Part(%) jan/14 Part(%) Var (%) Soja 32 11,5% ,2% 433,2% 139 Aves 93 33,5% 74 18,8% -20,1% -19 Bovinos, Suínos e outras reses 53 18,9% 39 9,9% -25,4% -13 Máquinas e Equipamentos 25 9,2% 32 8,1% 25,9% 7 Couros e peles curtidos e produtos similares 27 9,9% 32 8,1% 16,1% 4 Arroz 20 7,1% 17 4,4% -12,2% -2 Celulose 13 4,7% 11 2,9% -13,2% -2 Fumo 6 2,1% 7 1,7% 15,0% 1 Laranja 1 0,3% 5 1,2% 472,1% 4 Adubos e Fertilizantes 5 1,7% 4 0,9% -22,1% -1 Desdobramento de madeira 1 0,4% 2 0,4% 34,5% 0 Rações, suplementos vitamínicos ou semelhantes 1 0,3% 1 0,3% 75,8% 1 Outros 1 0,3% 0 0,1% -42,3% 0 Produtos Veterinários, dosados - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Milho 0 0,0% 0 0,0% 736,5% 0 Inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário 0 0,1% 0 0,0% -96,4% 0 Cana-de-açúcar - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Leite - 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Trigo - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Agroindústria ,0% ,0% 42,4% 118 Total geral

11 EXPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,5% ,1% 13,6% 87 Bens de consumo não-duráveis ,8% ,3% -14,1% -29 Bens de capital 87 8,4% 97 9,0% 11,5% 10 Bens de consumo semiduráveis 44 4,2% 43 4,0% -2,3% -1 Bens de consumo duráveis 31 3,0% 26 2,4% -16,1% -5 Transações especiais 32 3,1% 12 1,1% -62,5% -20 Combustíveis e lubrificantes 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 4,0% 42

12 EXPORTAÇÕES DO RS POR INTENSIDADE TECNOLÓGICA NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Baixa tecnologia ,0% ,4% 15,3% 65 Média-alta tecnologia ,4% ,6% -6,5% -25 Média-baixa tecnologia ,2% ,1% 13,2% 14 Produtos não industriais 100 9,7% 91 8,4% -9,0% -9 Alta tecnologia 18 1,7% 16 1,5% -11,1% -2 Total ,0% ,0% 4,2% 43

13 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Veículos automotores, reboques e carrocerias ,4% ,3% 0,9% 2 Máquinas e equipamentos ,3% ,6% -3,7% -5 Químicos ,7% ,0% -14,5% -21 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 30 3,9% 38 5,2% 26,7% 8 Borracha e plástico 37 4,8% 32 4,4% -13,5% -5 Materiais elétricos 25 3,2% 25 3,4% 0,0% 0 Produtos de metal 27 3,5% 25 3,4% -7,4% -2 Metalurgia 19 2,5% 22 3,0% 15,8% 3 Alimentos 23 3,0% 20 2,7% -13,0% -3 Produtos diversos 13 1,7% 15 2,1% 15,4% 2 Têxteis 9 1,2% 13 1,8% 44,4% 4 Minerais não-metálicos 13 1,7% 8 1,1% -38,5% -5 Celulose e Papel 7 0,9% 7 1,0% 0,0% 0 Móveis 3 0,4% 6 0,8% 100,0% 3 Fumo - 0,0% 5 0,7% 0,0% 5 Couro e calçados 4 0,5% 3 0,4% -25,0% -1 Farmoquímicos e farmacêuticos 3 0,4% 3 0,4% 0,0% 0 Material de transporte 22 2,8% 3 0,4% -86,4% -19 Bebidas 3 0,4% 2 0,3% -33,3% -1 Madeira 3 0,4% 2 0,3% -33,3% -1 Extrativa mineral 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Vestuário e acessórios 2 0,3% 1 0,1% -50,0% -1 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 14 1,8% 1 0,1% -92,9% -13 Impressão e reprodução de gravações 1 0,1% - 0,0% -100,0% -1 Indústrias diversas - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total da Indústria ,8% ,62% -6,8% -51 Básicos 25 3,2% 32 4,4% 28,0% 7 Serviços - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -5,7% -44

14 IMPORTAÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL POR GRUPO DE PRODUTOS NO MÊS (em ) jan/13 jan/14 Var(%) Milhões Adubos, fertilizantes e defensivos ,7% -27 Automóveis, camionetas e utilitários ,5% -19 Autopeças ,5% 10 Calçados ,7% -1 Caminhões e ônibus - 2 0,0% 2 Carrocerias e reboques para veículos automotores ,2% 1 Couro 1 1-1,0% 0 Edição e Impressão ,1% 0 Laminados longos e planos de aço ,8% 3 Laticínios ,3% 1 Máquinas e implementos agrícolas, exceto tratores ,5% 1 Medicamentos e fármacos ,0% -1 Petroquímicos ,0% 3 Plásticos e suas obras ,8% 3 Tratores ,2% 0 Vestuário ,3% 1 Vinho 2 2 4,0% 0 Total do Grupo ,2% -24 Total Geral ,7% -44

15 IMPORTAÇÕES DO RS POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,8% ,0% 1,3% 6 Bens de capital ,6% ,9% -12,6% -23 Bens de consumo duráveis ,1% 81 11,1% -25,7% -28 Bens de consumo não-duráveis 31 4,0% 31 4,2% 0,0% 0 Bens de consumo semiduráveis 11 1,4% 12 1,6% 9,1% 1 Combustíveis e lubrificantes 1 0,1% 1 0,1% 0,0% 0 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% -5,7% -44

16 SALDO COMERCIAL DO RIO GRANDE DO SUL NO MÊS (em ) jan/13 jan/14 Var. (%) Alimentos ,0% 116 Bebidas ,0% 1 Borracha e plástico ,0% 6 Celulose e Papel ,0% -2 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,3% 72 Couro e calçados ,6% 6 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,2% -12 Extrativa mineral Farmoquímicos e farmacêuticos ,3% 1 Impressão e reprodução de gravações ,0% 1 Indústrias diversas Madeira ,0% -3 Máquinas e equipamentos ,1% 30 Materiais elétricos ,2% 2 Material de transporte ,0% 21 Metalurgia ,0% -3 Minerais não-metálicos ,0% 4 Móveis ,1% -1 Produtos de metal ,0% -4 Produtos diversos ,3% -1 Químicos ,9% 31 Tabaco ,7% -9 Têxteis ,0% -4 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,9% -18 Vestuário e acessórios 1 1 0,0% 0 Total da Indústria ,8% 234 Básicos ,3% -129 Serviços 0 0 0,0% 0 Transações Especiais ,5% -20 Total Geral ,6% 85

17 BALANÇA COMERCIAL DO BRASIL Janeiro de 2014

18 O COMÉRCIO EXTERIOR DO BR EM JANEIRO Exportações A queda de 14% nas vendas externas para a Argentina e de 5% para a União Europeia foram os principais destaques. A perspectiva de comércio com o País vizinho para 2014 é negativa, em função do agravamento dos desequilíbrios macroeconômicos que têm levado a uma desvalorização acentuada da taxa de câmbio. Importações As importações continuam mostrando resistência, mesmo em um cenário de desvalorização da taxa de câmbio. Para os próximos meses, espera-se que os desembarques continuem aumentando, porém a taxas menores em comparação com Saldo Tipicamente, o mês de janeiro é caracterizado por um saldo da balança comercial mais fraco, em função das férias coletivas das empresas e da entressafra agrícola, o que acaba impactando as exportações. Entretanto, esse foi o pior resultado desde 1994.

19 PRINCIPAIS DESTINOS DAS EXPORTAÇÕES DO BR NO MÊS (em ) jan/13 Part(%) jan/14 Part(%) Var (%) China ,7% ,6% 28% 473 Estados Unidos ,9% ,2% 12% 224 Argentina ,8% ,5% -14% -191 Holanda 880 5,5% ,3% 34% 296 Japão 697 4,4% 528 3,3% -24% -169 Índia 65 0,4% 396 2,5% 509% 331 Chile 234 1,5% 368 2,3% 57% 134 Provisão de Navios e Aeron ,6% 351 2,2% -17% -72 Coreia do Sul 456 2,9% 342 2,1% -25% -114 Itália 353 2,2% 325 2,0% -8% -28 Total do Grupo ,8% ,1% 11% 884 Total Geral ,0% ,0% 0% 59

20 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTOS NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Extrativa mineral ,7% ,9% 28,5% 849 Alimentos ,8% ,9% -3,8% -125 Metalurgia ,6% ,7% -8,2% -153 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,2% 941 5,9% -18,5% -213 Químicos 902 5,6% 892 5,6% -1,1% -10 Celulose e Papel 555 3,5% 696 4,3% 25,4% 141 Máquinas e equipamentos 579 3,6% 680 4,2% 17,4% 101 Material de transporte 196 1,2% 385 2,4% 96,4% 189 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis 203 1,3% 320 2,0% 57,6% 117 Couro e calçados 282 1,8% 313 2,0% 11,0% 31 Materiais elétricos 211 1,3% 263 1,6% 24,6% 52 Borracha e plástico 228 1,4% 201 1,3% -11,8% -27 Produtos de metal 199 1,2% 149 0,9% -25,1% -50 Madeira 140 0,9% 140 0,9% 0,0% 0 Minerais não-metálicos 150 0,9% 137 0,9% -8,7% -13 Têxteis 201 1,3% 106 0,7% -47,3% -95 Tabaco 125 0,8% 105 0,7% -16,0% -20 Farmoquímicos e farmacêuticos 112 0,7% 98 0,6% -12,5% -14 Produtos diversos 95 0,6% 86 0,5% -9,5% -9 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos 116 0,7% 82 0,5% -29,3% -34 Móveis 43 0,3% 42 0,3% -2,3% -1 Bebidas 38 0,2% 26 0,2% -31,6% -12 Vestuário e acessórios 11 0,1% 11 0,1% 0,0% 0 Impressão e reprodução de gravações 2 0,0% 4 0,0% 100,0% 2 Indústrias diversas 3 0,0% 1 0,0% -66,7% -2 Total da Indústria ,9% ,94% 5,1% 704 Básicos ,0% ,4% -33,0% -582 Serviços 4 0,0% 4 0,0% 0,0% 0 Transações Especiais 491 3,1% 428 2,7% -12,8% -63 Total Geral ,0% ,0% 0,4% 59

21 EXPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIA DE USO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,0% ,1% -2,5% -263 Bens de consumo não-duráveis ,3% ,2% -10,8% -334 Combustíveis e lubrificantes 484 3,0% ,0% 132,0% 639 Bens de capital 893 5,6% ,9% 23,1% 206 Transações especiais 491 3,1% 428 2,7% -12,8% -63 Bens de consumo duráveis 489 3,1% 377 2,4% -22,9% -112 Bens de consumo semiduráveis 146 0,9% 132 0,8% -9,6% -14 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 0,4% 59

22 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR SEGMENTO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Químicos ,6% ,9% 2,6% 70 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,0% ,9% 18,9% 380 Máquinas e equipamentos ,8% ,4% 6,1% 120 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,6% ,9% 2,7% 52 Extrativa mineral ,1% ,5% -13,7% -302 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,9% ,1% -22,9% -543 Material de transporte 644 3,2% ,1% 58,9% 379 Materiais elétricos ,0% 894 4,5% -10,9% -109 Metalurgia 718 3,6% 844 4,2% 17,5% 126 Farmoquímicos e farmacêuticos 777 3,9% 655 3,3% -15,7% -122 Alimentos 558 2,8% 552 2,7% -1,1% -6 Borracha e plástico 528 2,6% 527 2,6% -0,2% -1 Produtos de metal 513 2,6% 475 2,4% -7,4% -38 Produtos diversos 365 1,8% 381 1,9% 4,4% 16 Têxteis 328 1,6% 339 1,7% 3,4% 11 Vestuário e acessórios 230 1,1% 275 1,4% 19,6% 45 Minerais não-metálicos 228 1,1% 214 1,1% -6,1% -14 Celulose e Papel 158 0,8% 159 0,8% 0,6% 1 Couro e calçados 115 0,6% 124 0,6% 7,8% 9 Bebidas 101 0,5% 100 0,5% -1,0% -1 Móveis 55 0,3% 61 0,3% 10,9% 6 Impressão e reprodução de gravações 28 0,1% 27 0,1% -3,6% -1 Madeira 14 0,1% 13 0,1% -7,1% -1 Tabaco 2 0,0% 6 0,0% 200,0% 4 Indústrias diversas - 0,0% 3 0,0% 0,0% 3 Total da Indústria ,8% ,86% 0,4% 84 Básicos 431 2,2% 424 2,1% -1,6% -7 Serviços 6 0,0% 6 0,0% 0,0% 0 Transações Especiais - 0,0% - 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 0,4% 77

23 IMPORTAÇÕES DO BRASIL POR CATEGORIAS DE USO NO MÊS (em ) jan/13 Part. (%) jan/14 Part. (%) Var. (%) Bens intermediários ,4% ,9% 1,2% 137 Bens de capital ,6% ,3% 4,5% 140 Combustíveis e lubrificantes ,3% ,1% -10,5% -239 Bens de consumo não-duráveis ,9% ,6% -4,6% -64 Bens de consumo duráveis 815 4,1% 807 4,0% -1,0% -8 Bens de consumo semiduráveis 524 2,6% 635 3,2% 21,2% 111 Bens não especificados em outra categoria 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Transações especiais 0 0,0% 0 0,0% 0,0% 0 Total Geral ,0% ,0% 0,4% 77

24 SALDO COMERCIAL DO BRASIL NO MÊS (em ) jan/13 jan/14 Var. (%) Alimentos ,3% -119 Bebidas ,5% -11 Borracha e plástico ,7% -26 Celulose e Papel ,3% 140 Coque e derivados do petróleo e de biocombustíveis ,4% 660 Couro e calçados ,2% 22 Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ,9% -414 Extrativa mineral ,1% Farmoquímicos e farmacêuticos ,2% 108 Impressão e reprodução de gravações ,5% 3 Indústrias diversas ,7% -5 Madeira ,8% 1 Máquinas e equipamentos ,4% -19 Materiais elétricos ,3% 161 Material de transporte ,4% -190 Metalurgia ,4% -279 Minerais não-metálicos ,3% 1 Móveis ,3% -7 Produtos de metal ,8% -12 Produtos diversos ,3% -25 Químicos ,4% -80 Tabaco ,5% -24 Têxteis ,5% -106 Veículos automotores, reboques e carrocerias ,1% -265 Vestuário e acessórios ,5% -45 Total da Indústria ,6% 620 Básicos ,2% -575 Serviços ,0% 0 Transações Especiais ,8% -63 Total Geral ,4% -18

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2012 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS jan/11 Part(%) jan/12 Part(%) Var (%) SAO PAULO 3.328 21,9% 3.672 22,7% 10,3% 344

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações A queda de 28% na comparação mensal pode ser explicada por: 1) Dois

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A exportação de produtos básicos registrou queda de 87,3% ante outubro

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Além da forte queda da indústria (-18,5%), ressalta-se o fato de que somente

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2016 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações O principal destaque negativo ficou por conta do impacto contracionista

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Abril Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Abril Setores de

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Produção Industrial Março de 2015

Produção Industrial Março de 2015 Produção Industrial Março de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - MARÇO/1 Em março, a indústria de Santa Catarina produziu 4,0% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sexto resultado

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Maio Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Maio Setores de destaque

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Novembro 2012 As exportações em novembro apresentaram diminuição de 27,64% em relação a outubro. Continuam a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela vigésima-segunda

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Outubro 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação AGO SET OUT

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Agosto 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação JUN JUL AGO

Leia mais

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO

DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS E COMERCIAIS EGITO DADOS GERAIS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES Indice: - Dados Gerais Básicos e Indicadores Sócio-Econômicos - Balanço de Pagamentos - Comércio Exterior - Composição do Comércio Exterior - Direção do Comércio

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Comentários. Em agosto/2015, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em. média, 0,97% quando comparados a julho/2015, número superior ao

Comentários. Em agosto/2015, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em. média, 0,97% quando comparados a julho/2015, número superior ao Comentários Em agosto/2015, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em média, 0,97% quando comparados a julho/2015, número superior ao observado na comparação entre julho/2015 e junho/15(0,72%) Tabela

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA

PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA PANORAMA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA 3ª Edição Última atualização 07 de Março de 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 1. A DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL... 6 1.1. Evolução da Participação da Indústria

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira !"#"#!$%&"'()* * " + # (, " - --.&"- "/"& 0+- &#"./" - "0 - () " 1 # 2- (, - 34/ % - &5"() #-6 $ 7-" &"'()"" (,8 32- )-" 8 7- & () 98 % ) #- 2-

Leia mais

Comentários. Em julho de 2015, a produção industrial nacional mostrou recuo de

Comentários. Em julho de 2015, a produção industrial nacional mostrou recuo de Comentários Em julho de 2015, a produção industrial nacional mostrou recuo de 1,5% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, segundo resultado negativo consecutivo,

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Outubro de 2015 Dezembro/2015 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação cresceu 0,3% em outubro de 2015,

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia Metodologia 1 SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Considerações gerais O PIB mensal é um índice de acompanhamento da economia paulista e tem como propósito principal oferecer uma visão

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL OUTUBRO DE 2014 Outubro de 2014 www.fiergs.org.br Indústria cresce pelo quarto mês seguido O IDI/RS, Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul, apontou

Leia mais

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes

China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes China X Nordeste: Uma Qualificação das Transações Comerciais Bilaterais Recentes Maria Cristina Pereira de Melo Doutora epós-doutora em Economiapela Universidade de Paris XIII Professora do Departamento

Leia mais

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi São Paulo, 31 de agosto de 2015 JULHO DE 2015 Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi Entre janeiro e julho de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$

Leia mais

REINO UNIDO Comércio Exterior

REINO UNIDO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC REINO UNIDO Comércio Exterior Setembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

Comentários. Em outubro de 2015, a produção industrial nacional recuou 0,7% frente

Comentários. Em outubro de 2015, a produção industrial nacional recuou 0,7% frente Comentários Em outubro de 2015, a produção industrial nacional recuou 0,7% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, quinto resultado negativo seguido, acumulando nesse

Leia mais

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 A crise financeira internacional continua afetando negativamente o comércio exterior paranaense: apesar das exportações terem aumentado 43,44% em março,

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED*

Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* São Paulo, 29 de abril de 2015 Março de 2015 Primeiro trimestre registra US$ 12,1 bi em IED* No primeiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil registraram um total

Leia mais

ARGENTINA Comércio Exterior

ARGENTINA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC ARGENTINA Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Indicadores Conjunturais

Indicadores Conjunturais Ano 29 número 12 Fevereiro 2015 Indicadores Conjunturais SISTEMA FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - DEPARTAMENTO ECONÔMICO Resultados de Dezembro de 2014 Vendas Industriais página 04 O resultado

Leia mais

NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009

NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009 O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE-ETENE INFORME SETORIAL INDÚSTRIA E SERVIÇOS NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009 Ano IV No 2 O nosso

Leia mais

Tabela 72 Empresas da Indústria que Utilizavam Computadores, segundo Atividades Estado de São Paulo 2001 Atividades

Tabela 72 Empresas da Indústria que Utilizavam Computadores, segundo Atividades Estado de São Paulo 2001 Atividades Tecnologia da Informação No, 72,34% das empresas industriais pesquisadas afirmaram utilizar computadores. As categorias fabricação e refino de petróleo e álcool, fabricação de máquinas, aparelhos e material

Leia mais

Raio-X dos Investimentos

Raio-X dos Investimentos Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior: Investimento líquido brasileiro no exterior foi negativo: No mês de abril de 2010 os investidores brasileiros internalizaram US$ 365 milhões. Entretanto,

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002

AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 Novembro de 2002 AS IMPORTAÇÕES NO PERÍODO 1995/2002 1 Sumário e Principais Conclusões...5 As Importações no Período 1995-2001...13 As Importações, Segundo as Categorias

Leia mais

RÚSSIA Comércio Exterior

RÚSSIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC RÚSSIA Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

63 ESPECIAL SONDAGEM

63 ESPECIAL SONDAGEM Indicadores CNI SONDAGEM 63 ESPECIAL Tributação Indústria reprova sistema tributário brasileiro Número elevado de tributos, complexidade e instabilidade de regras lideram as avaliações negativas A tributação

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo

Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo Este boxe apresenta a estrutura da economia paulista e sua evolução nos últimos dez anos, comparando-as com a do país. Gráfico 1 PIB Variação real

Leia mais

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi São Paulo, 04 de novembro de 2015 SETEMBRO DE 2015 Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi Ao final do terceiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014

Pesquisa Impactos da Escassez de Água. Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Pesquisa Impactos da Escassez de Água Gerência de Pesquisas Divisão de Pesquisas Novembro 2014 Perfil Foram ouvidas 487 empresas localizadas no Estado do Rio de Janeiro A maioria é de pequeno porte (76,8%);

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL METODOLOGIA. Versão 2.0

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL METODOLOGIA. Versão 2.0 COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL METODOLOGIA Versão 2.0 Brasília - Março/2012 Versão 3.0 Brasília-DF Setembro/2014 COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL METODOLOGIA Versão 2.0 Brasília - Março/2012 Versão

Leia mais

Comentários. Em julho/15, os preços das Indústrias de Transformação variaram, em

Comentários. Em julho/15, os preços das Indústrias de Transformação variaram, em Comentários Em julho/15, os preços das Indústrias de Transformação variaram, em média, 0,68% quando comparados a junho/15, número superior ao observado na comparação entre junho/15 e maio/15 (0,34%). Tabela

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Investimento em Controle Ambiental das Indústrias no Brasil 1997/2002 Rio de Janeiro

Leia mais

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Segundo Trimestre de 2013 Energia Geração, Transmissão e Distribuição Conjuntura Projeto Banco Macroeconômica do Brasil Energia Geração, Transmissão e Distribuição

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica

TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica TAXA DE CÂMBIO EFETIVA REAL Nota Metodológica (Atualizada em março de 2015) Foram construídas quarenta e três taxas de câmbio efetivas reais, sendo trinta e seis taxas de exportação e sete taxas de importação.

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNASUL Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Agosto

Leia mais

A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA. Estrutura

A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA. Estrutura A INDÚSTRIA DO ESTADO DA BAHIA Estrutura A principal característica da indústria do é a pequena diversificação de sua estrutura. Os quatro gêneros mais significativos de indústria química, metalúrgica,

Leia mais

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014 ISSN 2179-8745 Boletim de Comércio Exterior da Bahia Janeiro 2014 Sumário SUMÁRIO Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento José Sergio Gabrielli Superintendência de Estudos Econômicos

Leia mais

Pesquisa Industrial- Empresa. Pesquisa Industrial- Produto. Data 21/06/2013

Pesquisa Industrial- Empresa. Pesquisa Industrial- Produto. Data 21/06/2013 Pesquisa Industrial- Empresa 2011 Pesquisa Industrial- Produto Data 21/06/2013 Apresentação Aspectos metodológicos Análise de resultados Resultados gerais em 2011 Estrutura das receitas, dos custos e despesas,

Leia mais

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo.

Comércio exterior. Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Comércio exterior Dados gerais e do capítulo 30 da NCM relacionados ao comércio exterior do Brasil e do Estado de São Paulo. Janeiro 2015 Sindusfarma Gerência de Regulação de Mercados Índice Brasil...

Leia mais

MERCOSUL. Principais produtos exportados por MG para o

MERCOSUL. Principais produtos exportados por MG para o MERCOSUL Nome oficial: Mercado Comum do Sul Estados membros: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela Idiomas oficiais: Espanhol e Português Estados associados: Chile, Colômbia, Equador,

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

Em 2014, IED registra queda de 2,3%

Em 2014, IED registra queda de 2,3% São Paulo, 04 de fevereiro de 2015. Dezembro de 2014 Em 2014, IED registra queda de 2,3% O total de investimentos estrangeiros diretos (IED) que ingressou no Brasil em 2014 foi de US$ 62,5 bilhões, uma

Leia mais

SURINAME Comércio Exterior

SURINAME Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SURINAME Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações

- 300. Saldo BC Importações Importações s/gás Exportações Carta de Conjuntura nº2 Dezembro de 2015 Setor Externo As cotações do dólar recuaram em relação aos últimos meses, chegando a taxa média em novembro a ficar em R$ 3,77, cerca de 2,77% abaixo da taxa média

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,3 (estimativa janeiro ) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Risco do país: A (AAA=risco

Leia mais

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012

Comércio Exterior Cearense Fevereiro de 2012 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

COREIA DO NORTE Comércio Exterior

COREIA DO NORTE Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COREIA DO NORTE Comércio Exterior Dezembro de 2014 Índice. Dados

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 4 11 de maio de 2006 M A C R O C H I N A Ano Nº 11 de maio de 6 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês - Primeiro trimestre de 6. Para surpresa de muitos analistas, o Banco Central

Leia mais

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

POLÍTICA DE IMPORTAÇÃO E ESTRUTURA DE PROTEÇÃO EFETIVA NO BRASIL NO PERÍODO RECENTE

POLÍTICA DE IMPORTAÇÃO E ESTRUTURA DE PROTEÇÃO EFETIVA NO BRASIL NO PERÍODO RECENTE POLÍTICA DE IMPORTAÇÃO E ESTRUTURA DE PROTEÇÃO EFETIVA NO BRASIL NO PERÍODO RECENTE Marta Castilho Universidade Federal Fluminense Seminário Estado, Tributação e Seguridade Social Seminário Estado, Tributação

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais