Português 3 aula 1 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Português 3 aula 1 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS"

Transcrição

1 Português 3 aula 1 1. Euclides da Cunha, em Os Sertões, retrata um Nordeste isolado do resto do país. A Guerra de Canudos, para o autor, foi o resultado de um problema social que o governo brasileiro não conseguiu conter. 2. O autor de Os Sertões posiciona-se a favor do sertanejo, retratado como um guerreiro em meio às adversidades tanto do clima do sertão quanto do descaso do governo. 3. O fragmento destacado é representativo da obra de Monteiro Lobato. Nele observamos a descrição do homem sertanejo realizada com maestria pelo escritor; este homem iria se tornar um modelo para a observação do homem interiorano, o personagem descrito chamavase Jeca Tatu. 4. O fragmento destacado pertence ao livro Urupês, de Monteiro Lobato. 5. Os fatos históricos apresentados no texto destacado são: a Independência do Brasil ( o grito histórico ), a Libertação dos Escravos ( 13 de maio ) e a Proclamação da República ( 15 de novembro ). 1. Sobre Monteiro Lobato, pode-se afirmar que o autor apresentava restrições à arte modernista propagada por Anita Malfatti. Em famoso artigo publicado pelo jornal O Estado de São Paulo chamado Paranóia ou Mistificação ; o autor critica duramente as inovações propostas pelo expressionismo que Anita trouxera da Alemanha. 2. O fragmento destacado, de Monteiro Lobato, remete ao personagem central de sua produção literária: o caboclo, o sertanejo do interior paulista. O autor critica a i- nércia e o atavismo do homem interiorano. 3. O fragmento destacado pertence à produção literária de Monteiro Lobato. Deve-se observar que o autor foi um crítico do homem sertanejo e de sua ausência de pretensões. 4. As características apresentadas remetem à produção poética de Augusto dos Anjos, autor que no início do século XX produziu apenas um livro chamado EU, cuja poética era marcada pela visão crítica e ácida à humanidade de forma geral. Deve-se observar ainda que o autor produziu versos marcados pelo rigor formal e por uma visão filosófica do mundo, cuja profundidade tem sido pouco estudada pela crítica. 5. Pode-se considerar que Augusto dos Anjos produziu uma obra poética marcada pelo cientificismo e pela preocupação filosófica, que apresenta imagens repulsivas, inspiradas na morte e na decomposição da matéria, como se pode observar em poemas como Psicologia de um vencido. Sobre Jorge Amado, pode-se afirmar que sua obra focaliza casos e costumes da vida baiana, contemplando tópicos, como os rituais afros de Salvador e os dramas próprios das plantações de cacau do sertão, principalmente na primeira parte de sua produção literária, da qual podemos citar o livro Suor. 6. Sobre Augusto dos Anjos, pode-se afirmar que sua produção literária foi marcada pelo pessimismo aliado à ciência, que acusava a degradação humana mediante associações e comparações com processos químicos e biológicos. 7. Sobre o livro Os Sertões, de Euclides da Cunha, pode-se considerar que se trata de um enorme ensaio sobre o Brasil, que analisa tanto a formação racial e histórica do povo quanto a conformação de sua geografia, como se pode observar nas partes que o formam: A terra, O homem e A luta. 8. O personagem Policarpo Quaresma, protagonista do romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, pode ser caracterizado pela postura ufanista quanto à pátria e à nacionalidade. As ideias de Policarpo são representantes de um país que jamais existiu e que jamais prosperou, pois os ideais não prosperaram diante do confronto com os modelos existentes na época. 9. Pode-se afirmar que Triste Fim de Policarpo Quaresma é um romance representativo do período pré-modernista da produção literária nacional. O autor apresenta uma visão crítica da realidade brasileira que visa a criticar o ufanismo dos escritores pertencentes ao romantismo. 10. O título do romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, antecipa ao leitor o final trágico do protagonista determinado pela sua trajetória de vida. Pode-se considerar que o personagem Policarpo não 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3 1

2 poderia sobreviver em um mundo que lhe era tão estranho, haja vista ter sido ele levado à condenação e à morte por suas ideias. 11. Um dos principais aspectos a ser observado no romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, é a criticidade com a qual o autor analisa a sociedade de sua época. Pode-se ainda considerar que este aspecto é relevante em toda a produção literária do escritor carioca, pois pode-se observá-lo também em romances como Clara dos Anjos e nos contos escritos por Barreto. 12. Sobre o romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, pode-se afirmar que se opõe ao romantismo e que não retrata as palavras de Antônio Cândido, pois ironiza as posturas nacionalistas românticas através do protagonista. Pode-se citar, para destacar tal aspecto, os livros de autores românticos que o protagonista possuía, pois a bibliografia de Policarpo era de autores que caracterizavam o romantismo nacionalista. 13. Sobre o romance Os Sertões, de Euclides da Cunha, pode-se afirmar que o autor descreve, nas duas primeiras partes do livro, respectivamente, o meio ambiente e o homem que constituíam o sertão baiano, valendo-se, para isso, das teorias científicas desenvolvidas na época. Pode-se ainda considerar que Euclides, ao descrever os sertanejos, idealiza suas qualidades morais e físicas e conclui que seu heroísmo era resultado da fé nos ensinamentos religiosos do líder Antônio Conselheiro. 14. Acerca de Euclides da Cunha, pode-se afirmar que o autor, ao entrar em contato com a população de Canudos, para onde fora junto à quarta expedição do exército brasileiro, passa a posicionar-se favoravelmente ao povo sertanejo, pois ele observara que a guerra que ali se travava era injusta e desnecessária. Assim, Euclides passa a aprovar a causa dos sertanejos em detrimento à sua formação militar positivista. 15. Ao completarmos as lacunas, teremos: Livro posto entre a literatura e a sociologia naturalistas, Os Sertões assinalam um fim e um começo: o fim do imperialismo literário, o começo da análise científica aplicada aos aspectos mais importantes da sociedade brasileira (no caso, as contradições contidas na diferença de cultura entre as regiões litorâneas e o interior). Alternativa correta: C 16. A leitura dos excertos 1 e 2 permite-nos considerar que o primeiro é um trecho de Os Sertões, obra em que Euclides da Cunha descortina o interior do Brasil, traçando um retrato do Arraial de Canudos e do líder místico Antônio Conselheiro. (O segundo fragmento pertence ao romance de Lima Barreto: Triste Fim de Policarpo Quaresma.) 17. Sobre a produção literária de Euclides da Cunha, podese afirmar que apesar de a utilização de personagens ficcionais junto a figuras históricas que protagonizaram os acontecimentos ter facilitado a composição da narrativa, o autor evitou inserir impressões pessoais sobre o episódio. Deve-se lembrar que há forte influência do realismo e do naturalismo na composição do romance de Cunha, tais escolas pregavam que a arte deveria ser impessoal, portanto, o autor deveria evitar inserir-se no que estava sendo narrado. aula 2 1. O que se convencionou chamar de Pré-Modernismo, no Brasil, não constitui uma "escola literária", ou seja, não temos um grupo de autores afinados em torno de um mesmo ideário, seguindo determinadas características. Na realidade, Pré-Modernismo é um termo genérico que designa uma vasta produção literária que abrangeria os primeiros 20 anos deste século. Aí vamos encontrar as mais variadas tendências e estilos literários, desde os poetas parnasianos e simbolistas, que continuavam a produzir, até os escritores que começavam a desenvolver um novo regionalismo, além de outros mais preocupados com uma literatura política e outros, ainda, com propostas realmente inovadoras. 2. Pode-se afirmar, a partir da estrofe lida, que há na poética de Augusto dos Anjos a forte presença de uma dimensão niilista, este traço pode ser observado pela referência aos sons subterrâneos e pelo choro da energia abandonada. 3. Recordações do escrivão Isaías Caminha foi publicado em Lisboa em 1909 e é um livro em que, em tom memorialista, o narrador-personagem expõe, de forma realista e crítica, a existência, no Rio de Janeiro do início do século XX, de uma sociedade classista e preconceituosa, alimentada por uma imprensa bajuladora e de conveniência, igualmente medíocre. Este traço também pode ser observado em outras obras do autor como o livro de crônicas Os Bruzundangas. 4. O texto apresentado foi retirado de Os Sertões, de Euclides da Cunha, e apresenta traços que podem ser considerados realista-naturalistas, como se pode observar na descrição do sertão. Em Os Sertões, Euclides da 2 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3

3 Cunha fez a narrativa quase documental da Guerra de Canudos. (Deve-se observar que as demais alternativas contêm afirmações corretas sobre a obra-prima de Euclides da Cunha.) 5. a) Em Triste fim de Policarpo Quaresma, romance mais importante de Lima Barreto, o escritor denunciou a burocracia no processo político brasileiro, o preconceito de cor e de classe e incorporou fatos ocorridos durante o governo do Marechal Floriano. No plano cultural, Policarpo pretendia que os brasileiros adotassem a língua indígena em oposição ao português. No plano agrícola, pretendia o protagonista que fosse realizada a reforma agrária. E no campo político, a adesão incondicional e fatal ao governo forte de Floriano Peixoto. b) Pode-se considerar que Policarpo pretendia contribuir para o engrandecimento da pátria, através de ações que modificariam a sociedade brasileira. 1. O nacionalismo de Quaresma tem traços eminentemente cômicos, deve-se compreender que o autor pretende criar a sátira não apenas através do personagem protagonista, mas sim analisar e caricaturizar a pátria e o nacionalismo ufanista vigente no período em que o romance se passa. 2. A leitura do excerto de Cidades Mortas, de Monteiro Lobato, apresentado no enunciado da questão, permitenos afirmar que o narrador observa a gramática e os gramáticos de modo irreverente. Observa-se esse aspecto no segundo parágrafo. 3. Os conceitos apresentados podem ser relacionados à obra Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, em que o protagonista desenvolve-se como herói problemático, símbolo das contradições humanas impostas pela via prussiana seguida pelo Brasil: através da figuração do seu miserável destino. 4. Os fragmentos destacados do romance Os Sertões, de Euclides da Cunha, revelam uma característica do primeiro romance definitivo da literatura brasileira do século XX. Pode-se considerar que Os Sertões foi um livro fundamental para o desenvolvimento de uma literatura que questionasse o sistema político vigente e o posterior desenvolvimento de uma literatura engajada socialmente. 5. Os excertos destacados pertencem, respectivamente, aos romances: O Ateneu, de Raul Pompéia, Jeca Tatu, de Monteiro Lobato e Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto. 6. A leitura dos sonetos A lágrima, de Augusto dos Anjos e Lembranças apagadas, de Cruz e Sousa permitem as seguintes considerações: I. A poética de Augusto dos Anjos inaugurou a proposta de um novo modelo poético que se desenvolve, a priori, por uma visão pessimista da vida e utilizando uma linguagem inovadora, repleta de termos científicos que desagradou aos críticos da época. No poema destacado, pode-se observar a visão cientificista do autor, na descrição da lágrima (primeira estrofe). II. Cruz e Souza foi um ícone da estética simbolista que desenvolveu uma obra em que utiliza as principais características deste movimento literário surgido na França. No poema destacado, pode-se observar a relação que se estabelece entre o passado, simbolizado pelo Lírio e pela Rosa. III. Pode-se associar os poemas lidos por: a ousadia do primeiro ser mais evidente e clara, enquanto o segundo apresenta características pouco polêmicas. Pode-se ainda considerar que ambos os autores desagradaram aos poderosos da imprensa de suas respectivas épocas, o primeiro pelo vocabulário nãopoético, principalmente, e o segundo pela presença de elementos da Rosa-Cruz em sua obra., B, C, E, F 7. Com uma linguagem cientificista-naturalista, ao lado de uma incrível vulgaridade, Augusto dos Anjos atingiu uma incrível popularidade, com idéias pessimistas, de impacto sobre o novo século, sobretudo com a ameaça da grande guerra mundial, somando tendências passadas e futuras. 8. Os fragmentos destacados apresentam, respectivamente, elementos que podem ser associados aos autores: Antero de Quental, Cesário Verde e Augusto dos Anjos. 9. Euclides da Cunha relata e denuncia a realidade nordestina de miséria e fome, no livro Os Sertões, sua grande obra. Nessa obra, ele faz uma descrição minuciosa da região, sua formação geológica, seu clima, sua vegetação, e também, a batalha com o exército que exterminou toda a sua população, população esta que apesar de toda a força de combate do exército, nunca se rendeu. 10. No fragmento destacado, Policarpo chama de proprietários da língua os portugueses. Deve-se observar que Policarpo pretendia que a língua tupi-guarani fosse adotada como língua nacional. 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3 3

4 11. A argumentação desenvolvida por Policarpo em sua petição é fundamentada em elementos filosóficos. Deve-se observar que os argumentos que estão apresentados no terceiro parágrafo fazem referência a elementos que estabelecem uma análise das qualidades da língua indígena a partir de aspectos questionáveis. aula 3 1. O trecho destacado faz parte do Manifesto Futurista escrito por Marinetti. O primeiro manifesto do movimento foi publicado em 20 de fevereiro de 1909, assinado por Filippo Tommaso Marinetti (1876/1944); apresentava como pontos fundamentais a exaltação da vida moderna, da máquina, da eletricidade, do automóvel, da velocidade. 2. Tristan Tzara e Marinetti são nomes relacionados, respectivamente, aos movimentos Dadaísta e Futurista. 3. O trecho destacado pode ser associado ao Barroco. Deve-se observar os questionamentos referentes à religiosidade. 2. Neste poema, Manuel Bandeira debocha dos traços estilísticos da estética parnasiana, considerada passadista pelos modernistas ridicularizando-a, ou seja, imitando-a em tom jocoso. Deve-se lembrar que as referências aos sapos remetem aos poetas parnasianos. 3. Acerca do poema Vou-me embora pra Pasárgada, de Manuel Bandeira, não se pode afirmar que se apresenta desprovido de um procedimento metafórico, haja vista Pasárgada ser uma metáfora para bons momentos da vida do autor (a infância), bem como uma fuga da realidade em que o autor vivia. Pode-se ainda considerar que Pasárgada é uma metáfora de paraíso. 4. Os Sertões é obra de Euclides da Cunha, e Cidades mortas é de autoria de Monteiro Lobato. 5. São autores, obras e características relacionadas ao Prémodernismo: Lima Barreto, Os sertões e ecletismo. O Modernismo, por sua vez, pode ser associado a: Oswald de Andrade, Mário de Andrade, fragmentação da narrativa, ruptura com a tradição e irreverência. 6. A Semana de Arte Moderna e o movimento literário que a sucedeu apresentam como característica a busca de uma literatura voltada para a expressão dos falares brasileiros, seus regionalismos e, principalmente, o falar coloquial e popular. 4. O trecho destacado pode ser caracterizado pela presença de elementos do Neoclassicismo. Pode-se observar a presença de elementos da mitologia e o tratamento que lhes foi dado pelo autor. 5. O trecho pertence ao livro O Guarani, de José de Alencar, e pertence ao Romantismo. 1. O Modernismo brasileiro apresenta como uma de suas principais características a utilização, por seus autores, das paródias para ironizar textos do passado. Juó Bananére realizou, no trecho destacado, uma paródia do poema Lembrança de morrer, em que o poeta afirma ter sido enterrado embaixo de uma árvore, em um lugar solitário e triste, sob uma cruz que dizia: foi poeta, sonhou e amou na vida. 7. José de Alencar é autor de Iracema, principal romance da vertente indianista do Romantismo e que é marcado pela linguagem lírica. Raul Pompéia é autor de O Ateneu, romance que apresenta elementos memorialistas, relacionado ao Realismo-Naturalismo e que se constrói como romance. Lima Barreto escreveu Triste fim de Policarpo Quaresma, romance que realiza uma crítica ao nacionalismo ufanista dos primeiros anos da república em nosso país, que pode ser associado ao Pré-modernismo. 8. O Parnasianismo representa o mecanicismo do processo de composição poético, enquanto o Modernismo, embora consequência do Parnasianismo, haja vista ser seu questionador, representa uma ruptura com os modelos propostos pelo movimento literário do século XIX. 9. Álvares de Azevedo foi um autor romântico que se destacou principalmente por textos que podem ser relacionados ao mal-do-século, e não ao indianismo. 4 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3

5 10. A Semana de Arte Moderna lutou sobretudo pela nacionalização da literatura brasileira por meio da valorização da linguagem e da cultura popular. Na medida em que é um anti-herói indígena que nasce negro, Macunaíma revela a busca dessas raízes nacionais. aula 4 1. O parágrafo destacado pertence ao artigo Paranóia ou Mistificação que Monteiro Lobato publicara no jornal O Estado de São Paulo. Nesse artigo, o autor critica duramente os modelos artísticos propostos pela vanguarda européia expressionista que Anita Malfatti trouxera para o Brasil, pela primeira vez, em uma exposição de suas obras. Observa-se a forte oposição de Lobato às ideias modernistas e, de modo geral, à geração de O período corretamente preenchido é: A artista, criticada por Monteiro Lobato, em texto conhecido por Paranóia ou mistificação, apresentava características expressionistas. (Observar comentários da questão 1). 3. Sobre o Modernismo, pode-se afirmar que rompeu as barreiras entre a prosa e a poesia, valorizando o prosaico e o humor e criticando duramente o academicismo. Os modernistas brasileiros, em particular Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti Del Picchia, realizaram uma ruptura com a forma e a temática poética, ao criar um poesia marcada pela presença de elementos narrativos e por tematizar o cotidiano do homem comum brasileiro. 4. Sobre o Modernismo brasileiro, pode-se considerar que a Semana de Arte Moderna, que aconteceu em São Paulo, ratificaria as premissas do direito à pesquisa estética, disseminada em tantas expressões (literatura, música, pintura, escultura) quantas fossem as dos participantes do movimento. Devemos lembrar que participaram da Semana poetas, músicos, pintores, arquitetos, enfim, um grupo diversificado de artistas e de formas de arte. 1. O movimento modernista brasileiro pretendia rever criticamente o nosso passado histórico e nossas tradições culturais, eliminando definitivamente o nosso complexo de colonizados, apegados a valores estrangeiros. Portanto os artistas desse movimento defendiam uma visão nacionalista, porém crítica, da realidade brasileira. 2. I. Correta. II. Correta. III. Incorreta. Os jornais da época dedicaram à Semana de Arte Moderna nada mais do que algumas colunas, agindo com indiferença ou criticando severamente o evento. 3. A leitura dos fragmentos destacados permite-nos considerar que o vocabulário usado pelo narrador e a apropriação do verso clássico colaboram para o sentido parodístico do texto. Devemos lembrar que a paródia foi um dos recursos empregados pelos modernistas para, de modo humorístico, romper com os modelos literários passadistas. 4. A leitura dos textos destacados permite-nos afirmar que os dois fragmentos ganham novos sentidos quando confrontados. A leitura dos fragmentos mostra-nos que, na história da literatura, o presente dialoga com o passado, o contexto em que foram produzidos é essencial para estabelecer os respectivos sentidos. 5. A partir da leitura do poema destacado de Mário de Andrade, pode-se considerar que os dois últimos versos retomam os anteriores, sem permitir uma progressão de i- deias, pois os dois últimos versos sintetizam os anteriores. 6. O autor analisado na questão é Oswald de Andrade, que escreveu o Manifesto de Poesia Pau-Brasil. 7. Sobre o Modernismo Brasileiro, pode-se afirmar que, primeiro, no Brasil, foi uma ruptura, um abandono de princípios e de técnicas consequentes; tratava-se, pois, de uma revolta contra o que era a inteligência nacional. Segundo, a poesia Pau-Brasil era ágil e cândida, como uma criança, pois a síntese opunha-se ao detalhe naturalista, o equilíbrio geométrico opunha-se à morbidez romântica e a surpresa opunha-se à cópia. Por fim, podese ainda afirmar acerca do modernismo brasileiro que a busca da luz, da máquina, da velocidade. Era um ideário precioso aos modernistas, como representam os versos destacados no item IV. 8. Os contos do livro em questão caracterizam-se pela introspecção dos personagens e pela sondagem psicológica, de inspiração freudiana. Outras características marcantes de Contos Novos é a linguagem fácil e a transgressão de certas normas gramaticais. 9. Apenas Mário de Andrade se apropria do falar coloquial brasileiro em sua obra. 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3 5

6 10. Sobre Mário de Andrade, pode-se afirmar que na década de 20, o marco de sua ficção está em uma rapsódia em que busca demonstrar não o caráter do homem brasileiro, mas o aspecto pluralista de nossa cultura, representada pelo mais estranho dos heróis, o personagem Macunaíma, que dá nome ao livro. A poesia de Andrade chegou a servir, de certo modo, como exemplificação de seus ideais estéticos modernistas, como se observa em Prefácio interessantíssimo e em poemas de Paulicéia Desvairada. Ainda sobre Mário de Andrade, pode-se afirmar que era enorme seu interesse pela cultura popular, e não apenas pelas manifestações artísticas, mas também pela linguagem das ruas que via buscar as bases de uma verdadeira gramática brasileira ; em oposição aos traços lusitanos que predominavam na produção literária brasileira na época. 11. A leitura dos excertos destacados permite-nos considerar que há identidade e princípios ideológicos entre o poema de Oswald de Andrade e o Manifesto Antropófago, assim como entre o poema de Cassiano Ricardo e o Manifesto do Verde-Amarelismo. O Modernismo aprofundou o que o romantismo tinha iniciado: a subversão dos gêneros; poesia, por exemplo, aproximou-se do ritmo da prosa e adotou o verso livre como instrumento para a elaboração dos poemas. Oswald de Andrade procurou enfocar um Brasil moderno a partir da luta e da absorção de outras culturas como forças antagônicas que se mesclam, enquanto a visão do verde-amarelismo é a da absorção pela confraternização, da cordialidade e da interação pacífica entre culturas diferentes. 12. Sobre Macunaíma, pode-se afirmar que a maior parte da história se passa na floresta amazônica, onde Macunaíma viveu ao lado dos irmãos Maanape e Jiguê. Entretanto, também há o cenário urbano, para onde o personagem protagonista se dirige na busca do gigante que roubara seu amuleto. 13. João Cabral de Melo Neto pertence à Terceira Fase do Modernismo brasileiro, ou Pós-Modernismo, que teve início em Sobre a produção literária de Mário de Andrade, podese afirmar que Paulicéia Desvairada, livro de poemas, abre-se com um Prefácio interessantíssimo em que o poeta declara ter fundado o desvairismo. Macunaíma, sua obra mais conhecida, representa a união do indígena ao negro brasileiro, e prega uma louvação ao folclore e a tradição cultural brasileira. Amar, verbo intransitivo apresenta um enredo que se caracteriza por desmascarar a hipocrisia e o convencionalismo da burguesia paulistana. 15. A leitura dos poemas destacados de Oswald de Andrade apresenta, como recurso poético, o recorte e a recriação, em versos, de trechos da carta de Caminha, dando-lhes novos títulos que sugerem uma revisão histórica da famosa carta do navegante português, bem como o uso da paródia, que fora apregoado pelos modernistas. aula 5 1. Uma das principais características da proposta literária de Oswald de Andrade foi a ruptura com os padrões da língua literária culta e a busca de uma língua brasileira, que incorporasse todos os erros gramaticais, vistos por ele como verdadeiras contribuições para a definição da nacionalidade. 2. Macunaíma representa não só as qualidades de Mário de Andrade como multiartista que era, mas também a plena realização do projeto nacionalista dos escritores de sua geração. 3. Mário de Andrade caracterizou Macunaíma como uma rapsódia, nome que, na música, designa um tipo de composição que utiliza uma variedade de motivos populares, todos encadeados. 4. Na primeira fase do Modernismo brasileiro, os escritores propuseram a criação de um novo modelo poético em que se quebravam com os modelos do século XIX. Tais idéias, consideradas revolucionárias e inovadoras, podem ser observadas na criação de obras como Macunaíma, de Mário de Andrade e Memórias sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade. 5. O livro Brás, Bexiga e Barra Funda, de Antônio de Alcântara Machado, é ambientado na São Paulo dos imigrantes italianos pobres do início do século XX. Pode ainda observar que a variante lingüística utilizada pelo autor pode ser associada à comunidade italiana que se instalou na capital paulista nos primeiros anos do séc. XX. 6. A produção literária de Antônio de Alcântara Machado utiliza-se de temática que pode ser associada ao cotidiano da cidade de São Paulo (observe o comentário da questão 5). 6 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3

7 1. Bandeira descobriu a poesia na condição de doente em repouso, e essa condição foi um dos principais temas de sua obra. 2. Considera-se o poema Irene no Céu como uma homenagem à mulher negra, pois o poema enaltece Irene ao representar a deferência de São Pedro, porteiro do céu, em relação a ela. 3. Oswald de Andrade, como pode ser visto no fragmento de Carlos Drummond de Andrade destacado, participou dos movimentos Pau-Brasil e Antropófago do qual participou ativamente como líder e criador. 4. Pode-se considerar, a partir de leitura do excerto do texto de Drummond, que Oswald de Andrade manteve intacta sua personalidade forte e agressiva, haja vista sua produção dos últimos dias manter características da produção inicial do autor. 5. Foram participantes do movimento Antropófago os artistas Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Raul Bopp e Antônio de Alcântara Machado. 6. A irreverência dos escritores da primeira fase do Modernismo no Brasil, tais como Oswald de Andrade, determinou uma mudança que permitiu a propulsão de estilos pessoais. 7. O excerto apresentado pode ser associado ao Modernismo, de linha Pau-brasil e Antropofagia. Deve-se observar que Mário de Andrade foi membro fundador e participante dos três movimentos destacado anteriormente. 8. As frases destacadas podem ser associadas, respectivamente, ao Romantismo e a Antropofagia. 9. O lema dos parnasianos era a arte pela arte, sem preocupações de ordem sociopolíticas. 10. Ambas as personagens representam seu povo e sua pátria. Fran_ Português_3_JF-08/REV.: Juliana. 3ª SÉRIE E EXTENSIVO VOLUME 1 PORTUGUÊS 3 7

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século *Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século XX; * É quando surge uma literatura social, através de

Leia mais

Alunos: Francini Medeiros, Giseli Duarte, Hadassa Marques, Jéssica Santos, Luana Beatriz e Sérgio Araújo. Turma: 9020511.

Alunos: Francini Medeiros, Giseli Duarte, Hadassa Marques, Jéssica Santos, Luana Beatriz e Sérgio Araújo. Turma: 9020511. Alunos: Francini Medeiros, Giseli Duarte, Hadassa Marques, Jéssica Santos, Luana Beatriz e Sérgio Araújo. Turma: 9020511. "Todo momento pré é de prenúncios, de pressupostos. Todo momento pré transita

Leia mais

Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. Serie Serie Unidade

Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. Serie Serie Unidade Content Area: Literatura Brasileira Grade 11ª. Quarter 1ª. / Objetivos de Aprendizado O projeto literário da poesia simbolista. Os momentos de incerteza, indefinição e pessimismo que marcaram a transição

Leia mais

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012)

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) MODERNISMO História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) O século XX inicia-se no Brasil com muitos fatos que vão moldando a nova fisionomia do país. - progresso técnico - novas fábricas surgidas

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Hugo de Carvalho Ramos Ano Letivo - 2015 Série ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO - Todas essas atividades, tanto as perguntas como respostas deverão ser COPIADAS E RESPONDIDAS

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente Curricular: Língua

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES DLA LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA I Professor: Manoel Anchieta Nery JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com)

Leia mais

Lıter tur. O Pré-Modernismo no Brasil... 15. As vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil... 37

Lıter tur. O Pré-Modernismo no Brasil... 15. As vanguardas artísticas europeias e o Modernismo no Brasil... 37 s u m r ı o Lıter tur 1 O Pré-Modernismo no Brasil... 15 Primeira leitura: Como imagino o Municipal amanhã João do Rio... 15 Um pouco de História... 19 Principais características do Pré-Modernismo no Brasil...

Leia mais

MODERNISMO Primeiro Momento. Motivos Autores - Obras

MODERNISMO Primeiro Momento. Motivos Autores - Obras MODERNISMO Primeiro Momento Motivos Autores - Obras Características do Modernismo Liberdade de Expressão 1. Poética Estou farto do lirismo comedido Do lirismo bem comportado Do lirismo funcionário público

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY Os seis passos para a modernidade Chegada da Família Real Portuguesa (1808); Missão Artística Francesa; Academia Imperial

Leia mais

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 1822 1922 100 anos da Independência do Brasil ANTECEDENTES DA SEMANA DE ARTE MODERNA 1912 CHEGADA DE OSWALD DE ANDRADE DA EUROPA Oswald de Andrade retorna de

Leia mais

Uma semana nem tão moderna assim

Uma semana nem tão moderna assim Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/meus-livros/ (acessado em 08/03/2012) 11/02/2012 às 8:10 \ Livros da Semana Uma semana nem tão moderna assim A capa de '1922' é baseada na de 'Pauliceia Desvairada',

Leia mais

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil Português 3º ano Wilton Vanguardas na Europa e no Brasil Roberson de Oliveira 1 Vanguardas na Europa e no Brasil No dia 20 de dezembro de 1917, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o artigo Paranoia

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Período: 77.1 79.2 OBJETIVOS: Levar o aluno a conhecer e sistematizar o processo das técnicas e das formas, das técnicas e das principais concepções poéticas e ideológicas dos movimentos de vanguarda européia

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua das Ameixeiras, 119 Núcleo Cristo Rei Fone/Fax: 0xx42 3624 3095 CEP 85060-160 Guarapuava Paraná grpcristorei@seed.pr.gov.br PLANO DE TRABALHO

Leia mais

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL AULA 13 LITERATURA PROFª Edna Prado REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL Na aula de hoje falaremos sobre o Realismo português. Mas para começarmos é importante que você saiba o que é realismo. Veja: REAL+ISMO

Leia mais

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um momento de ruptura que dividiu a arte brasileira entre academicismo e modernismo. Não foi, porém, uma unanimidade nacional e gerou

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 01 Leia o poema Pintura admirável de uma beleza, de Gregório de Matos. Vês esse sol de luzes coroado? Em pérolas a aurora convertida? Vês a lua de estrelas guarnecida? Vês o céu de

Leia mais

Português 3 Módulo 5 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA O ROMANTISMO NO BRASIL

Português 3 Módulo 5 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA O ROMANTISMO NO BRASIL Português 3 Módulo 5 O ROMANTISMO NO BRASIL 1. a) O poeta defende o menosprezo pelas regras de metrificação enquanto mera convenção. O poeta a- firma usar todas as metrificações, baseado apenas em sua

Leia mais

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS ROMANTISMO O Romantismo foi uma estética artística surgida no início do século XVIII, que provocou uma verdadeira revolução na produção literária da época. Retratando a força dos sentimentos, ela propôs

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA

PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA PORTUGUÊS e SOCIOLOGIA Terceiro ano integrado EDI 3-2009 Instruções: Leia atentamente cada questão para resolvê-la com segurança. A marcação do gabarito deverá ser feita com caneta de tinta azul ou preta

Leia mais

Marisa Gomes da Silva e Amilton José Araújo Graduandos do 7º semestre do curso de Letras Vernáculas da UNEB, Campus XXIII, Seabra.

Marisa Gomes da Silva e Amilton José Araújo Graduandos do 7º semestre do curso de Letras Vernáculas da UNEB, Campus XXIII, Seabra. O MODERNISMO HERÓICO DOS ANOS 20 E O REGIONALISMO DOS ANOS 30. Marisa Gomes da Silva e Amilton José Araújo Graduandos do 7º semestre do curso de Letras Vernáculas da UNEB, Campus XXIII, Seabra. RESUMO

Leia mais

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA Unidade 2, Tema 2 e 3. Págs. 50 53 Personagem. Pág. 55 e 64 Ampliando Conhecimentos. Págs. 60-61 Conceitos Históricos. Pág. 65 Em foco. Págs. 66-71 GUERRA DE CANUDOS

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

Vanguardas. Prof. Adriano Portela

Vanguardas. Prof. Adriano Portela Vanguardas Prof. Adriano Portela O que significa Vanguarda? Do francês avant-garde Termo militar que designa aquele que, durante uma campanha, vai à frente da unidade. No campo das artes e ideias, aqueles

Leia mais

A arte do século XIX

A arte do século XIX A arte do século XIX Índice Introdução ; Impressionismo ; Romantismo ; Realismo ; Conclusão ; Bibliografia. Introdução Durante este trabalho irei falar e explicar o que é a arte no século XIX, especificando

Leia mais

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo PORTUGUÊS LITERATURA 1) Realismo 1.1) Introdução: É a denominação genérica da reação aos ideais românticos existentes na segunda metade do século XIX. As profundas transformações ocorridas na sociedade

Leia mais

História da arte estilo ENEM

História da arte estilo ENEM História da arte estilo ENEM 01 - Assinale a alternativa que menciona o acontecimento a que Oswald de Andrade se reporta para nomear o Movimento Antropofágico. a) A adesão de Graça Aranha ao movimento

Leia mais

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX SEMANA DE ARTE MODERNA História da Arte Profª Natalia Pieroni ANTECEDENTES - Industrialização do país em função do fortalecimento da economia do café (pós Primeira Guerra).

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: 1 Considerado um dos mais importantes escritores de todos os tempos, Edgar Allan Poe se inscreveu na história da literatura mundial com seu estilo inconfundível.

Leia mais

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. A A Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 A A Aula 1.2 Conteúdo: Semana de Arte Moderna. 3 A A Habilidade: Reconhecer, diferenciar e saber utilizar diversas técnicas

Leia mais

AULA 23 LITERATURA MODERNISMO NO BRASIL PRIMEIRA FASE

AULA 23 LITERATURA MODERNISMO NO BRASIL PRIMEIRA FASE AULA 23 LITERATURA PROFª Edna Prado MODERNISMO NO BRASIL PRIMEIRA FASE I AUTORES A primeira fase, conhecida como heróica, compreende o período de 1922 a 1930 e apresenta o desejo de liberdade, de ruptura

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários.

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários. CARGA HORÁRIA: 60 horas-aula Nº de Créditos: 04 (quatro) PERÍODO: 91.1 a 99.1 EMENTA: Visão panorâmica das literaturas produzidas em Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São

Leia mais

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1 Língua Portuguesa 1º ano Unidade 1 Linguagem Linguagem, língua, fala Unidade 4 - capítulo 12 Linguagem verbal e não verbal Unidade 4 - capítulo 12 e 13 Signo linguístico Unidade 4 - capítulo 12 Denotação

Leia mais

Diverso é o mundo, e ainda bem.

Diverso é o mundo, e ainda bem. LPLB ME 2 O CONCURSO VESTIBULAR/2001 PÁG. 23 LPLB Questões de 51 a 63 Diverso é o mundo, e ainda bem. (Adaptado de TOLEDO, Roberto Pompeu de. Revista VEJA. São Paulo: Abril, 28 de março de 2001.) PÁG.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite coleção Nov s P l vr s N O V A E D I Ç Ã O Nov s P l vr s Nov e ıç o 2 Ricardo Silva Leite Emília Amaral Mestre em Teoria Literária e doutora em Educação pela Unicamp, professora do Ensino Médio e Superior

Leia mais

Cabra macho e cidadão do mundo

Cabra macho e cidadão do mundo Cabra macho e cidadão do mundo Uma poesia antilírica, dirigida ao intelecto, mais presa à realidade objetiva do poema enquanto criação; Cronologicamente pertence à geração de 45, mas dela se afasta pela

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE. São obras que exemplificam o surto do romance a que se refere o crítico:

LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE. São obras que exemplificam o surto do romance a que se refere o crítico: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 3º ano Disciplina: Literatura Data da prova: 16/04/2014. LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE 01. (PUCCAMP -SP)

Leia mais

Turma: 3º ano FG e ADM

Turma: 3º ano FG e ADM COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 3º ano FG e ADM Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE COLEGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL Rua Haroldo Hamilton, 271 Centro - CEP 85905-390 Fone/Fax 45 3378-5343 - Email: colegiodariovellozo@yahoo.com.br www.toodariovellozo.seed.pr.gov.br

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

Língua Portuguesa 10º ano. Planificação anual e trimestral

Língua Portuguesa 10º ano. Planificação anual e trimestral Língua Portuguesa 10º ano Planificação anual e trimestral Ano lectivo: 2010 / 2011 As competências e objectivos que a seguir se indicam foram escolhidos e extraídos do Programa, no âmbito da Leitura, da

Leia mais

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS:

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: Romantismo Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: 1. ( C ) Foi a primeira e forte reação ao Neoclassicismo. 2. ( E ) O romantismo não valorizava a

Leia mais

Modernismo. adeilsonsousa

Modernismo. adeilsonsousa Modernismo adeilsonsousa SEMANA DE ARTE MODERNA Aconteceu nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, ano do Centenário da Independência e da Criação do Partido Comunista Brasileiro Marco cultural de um

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 13 Em relação à produção literária do Modernismo brasileiro, mais especificamente à de Mário e Oswald de Andrade, assinale a alternativa correta. a) A ficção de Mário de Andrade aborda

Leia mais

A MEMÓRIA NA LITERATURA

A MEMÓRIA NA LITERATURA A MEMÓRIA NA LITERATURA O MEMORIALISMO OCASIONAL Uma confissão indireta, uma revelação camuflada, às s vezes inconsciente, do que sepassa na cabeça a do escritor, das suas experiências e das recordações

Leia mais

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO. Atividade 1 Antes de você iniciar a leitura

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - LÍNGUA E LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA- Grupos D, E, F, G e L TEXTO I

PADRÃO DE RESPOSTA - LÍNGUA E LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA- Grupos D, E, F, G e L TEXTO I PADRÃO DE RESPOSTA - LÍNGUA E LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA- Grupos D, E, F, G e L TEXTO I 5 Eu estava deitado num velho sofá amplo. Lá fora, a chuva caía com redobrado rigor e ventava fortemente. A

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede:

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Português Leitura de texto 3 os anos Wilton fev/11 Nome: Nº: Turma: 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego Do claustro, na

Leia mais

400 anos do cavaleiro sonhador

400 anos do cavaleiro sonhador 400 anos do cavaleiro sonhador Há 400 anos, Miguel de Cervantes publicava a primeira parte de Dom Quixote, livro que marcou a história da literatura. Críticos e estudiosos retomam a efeméride para discutir

Leia mais

UMA DOCUMENTAÇÃO VISUAL E LITERÁRIA DA MORTE SEVERINA NO SERTÃO NORDESTINO

UMA DOCUMENTAÇÃO VISUAL E LITERÁRIA DA MORTE SEVERINA NO SERTÃO NORDESTINO UMA DOCUMENTAÇÃO VISUAL E LITERÁRIA DA MORTE SEVERINA NO SERTÃO NORDESTINO Glayce Rocha Santos COIMBRA; Maria Elizia BORGES Faculdade de Artes Visuais FAV/UFG glaycerocha@hotmail.com RESUMO Este artigo

Leia mais

SEMANA DE ARTE MODERNA

SEMANA DE ARTE MODERNA SEMANA DE ARTE MODERNA Evento realizado por artistas e intelectuais no Teatro Municipal de São Paulo entre 13 e 17 de fevereiro de 1922. O objetivo era romper com o academicismo, valorizar a cultura popular

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Prof. Paulo Alexandre

Prof. Paulo Alexandre Prof. Paulo Alexandre As indicações mostradas nesta apresentação funcionam como guia de estudos do Realismo e do Naturalismo. Todas as informações devem ser complementadas pelo aluno, com a utilização

Leia mais

COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO VESTIBULAR PUCPR 2009/2010 PROVA DE LITERATURA

COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO VESTIBULAR PUCPR 2009/2010 PROVA DE LITERATURA COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO VESTIBULAR PUCPR 2009/2010 PROVA DE LITERATURA Nenhuma questão com problema no gabarito. Nenhuma falha mais clamorosa. Logo, podemos considerar excelente

Leia mais

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária.

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Histórico e Justificativa No ano de 2012, ao participar de uma quadrilha temática, em homenagem ao

Leia mais

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO Ano: 3º ANO Disciplina: História Professor Responsável: Wladson Quiozine OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO 1. Retomar os aspectos essenciais do conteúdo programático da disciplina de História do Ensino

Leia mais

LITERATURA PORTUGUESA II AULA 04: A PROSA REALISTA TÓPICO 02: A PROSA DE EÇA DE QUEIRÓS Fonte [1] Eça de Queirós em 1882. José Maria de Eça de Queirós (Póvoa de Varzim, 1845 Neuilly-sur- Seine, 1900) estudou

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA EM IRACEMA E MACUNAÍMA

A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA EM IRACEMA E MACUNAÍMA 1 A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA EM IRACEMA E MACUNAÍMA Isaac Santos Cajé (UNIT) INTRODUÇÃO Os estudos recentes da literatura portuguesa alargaram as fontes, possibilitando um novo olhar para velhos

Leia mais

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM

Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM Exercícios Questões Inéditas Modelo ENEM 1. Psicologia de um vencido Eu, filho do carbono e do amoníaco, Monstro de escuridão e rutilância, Sofro, desde a epigênese da infância, A influência má dos signos

Leia mais

Conteúdo para avaliações do 4º Bimestre1º ano E.M

Conteúdo para avaliações do 4º Bimestre1º ano E.M Conteúdo para avaliações do 4º Bimestre1º ano E.M Produção/gramática Matemática Química Biologia História Geografia Gramática- Módulo 6 Formação de palavras Capítulo 1 Derivação Capítulo 2 Composição e

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Poesia 2ª fase. Carlos Drummond de Andrade

Poesia 2ª fase. Carlos Drummond de Andrade Poesia 2ª fase Carlos Drummond de Andrade O poeta mais importante da segunda fase da poesia modernista brasileira (1930-1945) é Carlos Drummond de Andrade. Alguns críticos consideram o escritor o maior

Leia mais

MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945)

MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945) MODERNISMO SEGUNDA GERAÇÃO (1930-1945) Tarsila do Amaral, cartão-postal, 1929 1. Que elementos da natureza estão representados nessa obra? 2. Que aspectos da natureza brasileira Tarsila do Amaral escolheu

Leia mais

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS Aline Cavalcante e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq/UFPB) aline.mbz@hotmail.com Orientador: Dr. Elio Chaves Flores (PPGH/UFPB) elioflores@terra.com.br

Leia mais

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1 Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana avier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Este trabalho se propõe uma jornada Arcoverde adentro

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.600, DE 2010 (Do Sr. Roberto Alves)

PROJETO DE LEI N.º 7.600, DE 2010 (Do Sr. Roberto Alves) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.600, DE 2010 (Do Sr. Roberto Alves) Institui a semana nacional Monteiro Lobato DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: EDUCAÇÃO E CULTURA; E CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

Leia mais

As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária

As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária As 120 grandes obras da Literatura Brasileira, segundo o professor Alfredo Bosi Para você usufruir e construir sua cultura literária OU: não morra antes de ler estes livros! Que tal uma lista com as 120

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA RAVENA FLÁVIA MEDEIROS DE FREITAS, POLIANA SALDANHA DE SOUSA, PATRICIA FERREIRA DOS SANTOS, AIVONEIDE DE OLIVEIRA

Leia mais

Identificar o uso da língua como instrumento de comunicação e informação, utilizando suas várias possibilidades de uso;

Identificar o uso da língua como instrumento de comunicação e informação, utilizando suas várias possibilidades de uso; Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO PARA O ENEM 2015. Profº Uriel Bezerra

HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO PARA O ENEM 2015. Profº Uriel Bezerra HISTÓRIA DA ARTE REVISÃO PARA O ENEM 2015 Profº Uriel Bezerra QUESTÃO 91 (ENEM - 2009) Os melhores críticos da cultura brasileira trataram-na sempre no plural, isto é, enfatizando a coexistência no Brasil

Leia mais

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro Olimpíada de LP Escrevendo o futuro QUATRO GÊNEROS EM CARTAZ: OS CAMINHOS DA ESCRITA Cristiane Cagnoto Mori 19/03/2012 Referências bibliográficas RANGEL, Egon de Oliveira. Caminhos da escrita: O que precisariam

Leia mais

futurismo Filippo Marinetti Oswald de Andrade Anita Malfatti

futurismo Filippo Marinetti Oswald de Andrade Anita Malfatti FUTURISMO O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 20 de fevereiro de 1909 com a publicação do Manifesto Futurista, pelo poeta italiano Filippo Marinetti, no jornal

Leia mais

ANEXO 2 PLANIFICAÇÃO DE UNIDADE DIDÁTICA OS LUSIADAS

ANEXO 2 PLANIFICAÇÃO DE UNIDADE DIDÁTICA OS LUSIADAS ANEXO 2 PLANIFICAÇÃO DE UNIDADE DIDÁTICA OS LUSIADAS Agrupamento de Escolas da Zona Urbana de Viseu Escola Básica Grão Vasco Departamento Curricular de Línguas - Grupo de Português Ano Letivo 2012/ 2013

Leia mais

Lindo e Triste Brasil

Lindo e Triste Brasil SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 07 / / 0 II AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF UNIDADE: ALUNO(A): Nº: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA:

Leia mais

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Filosofia da Educação 60 horas Metodologia Científica 60 horas Iniciação à Leitura e Produção de Textos Acadêmicos 60 horas Introdução à filosofia e

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Português. 3º ano Modernismo 1ª fase Wilton Maio/10 MODERNISMO NO BRASIL (1ª. FASE)

Nome: Nº: Turma: Português. 3º ano Modernismo 1ª fase Wilton Maio/10 MODERNISMO NO BRASIL (1ª. FASE) Nome: Nº: Turma: Português 3º ano Modernismo 1ª fase Wilton Maio/10 MODERNISMO NO BRASIL (1ª. FASE) O Modernismo brasileiro foi iniciado com o advento da Semana de Arte Moderna, ocorrida em 1922, no centenário

Leia mais

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Comentário: Comentário:

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Comentário: Comentário: A primeira frase do emissor do texto denota inicialmente sua intenção de se pôr em uma situação simétrica, e não submissa ou inferior, aos não índios. O código de vocês, adotado como contato e respeitado

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS

AVALIAÇÃO DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS DA UNIDADE I PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS QUESTÃO 01: Avalie as afirmativas seguintes em relação ao Romantismo. (1,0) I. As primeiras manifestações literárias do Romantismo ocorreram nos países europeus mais

Leia mais

SSOA - SERVIÇO DE SELEÇÃO, ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO

SSOA - SERVIÇO DE SELEÇÃO, ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO Caro(a) Aluno(a) A prova da 2ª fase da UFBA exige, além dos pré-requisitos da primeira fase(conhecimento do conteúdo programático aliado a habilidades de analisar, comparar, julgar, fazer generalizações,

Leia mais

Educador(a): Deise Lúcide

Educador(a): Deise Lúcide Educando(a): Número: Turma: 3º EM Data: / / Educador(a): Deise Lúcide Fazer no caderno estas atividades, marcando as dúvidas, se houver, para que eu possa explicar e corrigir quando retornarmos às aulas.

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a GRADE CURRICULAR DO MESTRADO EM LETRAS: LINGUAGEM E SOCIEDADE DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS 34 CRÉDITOS Teorias da Linguagem (60h/a 04 Teorias Sociológicas (60h/a 04 Metodologia da Pesquisa em Linguagem (30h/a

Leia mais

Correção Atividades. Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL

Correção Atividades. Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL Língua Portuguesa DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Pablo Alex L. Gomes Pablito Correção Atividades As Meninas Velazquez 01) Qual comportamento humano é representa, em forma de brincadeira, pela figura acima:

Leia mais

CONCEITO CONTO POPULAR LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO GÊNERO NARRATIVO AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS

CONCEITO CONTO POPULAR LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO GÊNERO NARRATIVO AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS TÓPICO 02: GÊNEROS LITERÁRIOS CONCEITO Segundo Victor Manuel de Aguiar e Silva em Teoria da Literatura, os gêneros literários

Leia mais

A PERMANÊNCIA DO REGIONALISMO NO ROMANCE BRASILEIRO: O CERRADO DE CARMO BERNARDES. Palavras-chave: Regionalismo Evolução Estética - Permanência

A PERMANÊNCIA DO REGIONALISMO NO ROMANCE BRASILEIRO: O CERRADO DE CARMO BERNARDES. Palavras-chave: Regionalismo Evolução Estética - Permanência A PERMANÊNCIA DO REGIONALISMO NO ROMANCE BRASILEIRO: O CERRADO DE CARMO BERNARDES Vanilde Gonçalves dos Santos LEITE; Rogério SANTANA F L - UFG vanildegsl@hotmail.com Palavras-chave: Regionalismo Evolução

Leia mais

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS CONTEXTO HISTÓRICO As vanguardas européias foram manifestações artístico-literárias surgidas na Europa,

Leia mais

Affonso Romano: A glória do autor é virar folclore

Affonso Romano: A glória do autor é virar folclore Affonso Romano: A glória do autor é virar folclore Com mais de 50 livros publicados, Affonso Romano de Sant Anna é uma das referências da literatura brasileira contemporânea. Agora mesmo, ele está saindo

Leia mais

BAPTISTA, Abel Barros. O livro agreste. Campinas: Editora Unicamp, 2005. Gustavo Silveira Ribeiro UFMG

BAPTISTA, Abel Barros. O livro agreste. Campinas: Editora Unicamp, 2005. Gustavo Silveira Ribeiro UFMG Resenhas BAPTISTA, Abel Barros. O livro agreste. Campinas: Editora Unicamp, 2005. Gustavo Silveira Ribeiro UFMG A leitura de O livro agreste desconcerta. Nascido de um curso de literatura brasileira ministrado

Leia mais