São Paulo, 20 de maio de Projeto por:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "São Paulo, 20 de maio de 2006. Projeto por:"

Transcrição

1 Identidade Visual

2 São Paulo, 20 de maio de 2006 Projeto por:

3 Objeto da prestação de serviço: Concepção de nome e identidade Visual Objetivo da prestação de serviço: A partir das necessidades apresentadas pelo cliente, o estúdio Mandala desenvolveu um projeto de identidade visual que atendesse as necessidades de comunicar sinteticamente o conceito proposto, possibilitando a estruturação de uma marca com valor agregado e uma visualidade intrínseca.

4 1.0 o Conceito

5 1.1 Roupas Da Multicultura a Antropofagia A Contemporaniedade é marcadamente multicultural. A moda evidencia isso ao apropriar-se de diferentes referências culturais, costurando-as em uma única roupa. Vemos hoje coleções de estilistas brasileiros inspiradas em Gustav Klimt. Modelos brasileiras usando roupas de franceses inspiradas em motivos africanos. Coleções inspiradas em folclore russos feitas por latino americanos. Essa multiculturalidade não se reflete só em termos estéticos, podemos observar essa mistura no próprio processo de confecção de cada peça. Tecidos vindos da China, algodão vindo da Índia, aviamentos franceses, misturam-se a máquinas americanas e alemãs para se fazer roupas aqui no Brasil. O nome TARSILA surge nesse contexto multicultural pois, assim como a história do bairro do Bom Retiro e do universo da moda contemporânea, a arte de Tarsila do Amaral lida diretamente com essas relações entre diferentes culturas.

6 1.2 Tarsila A artista Antropofágica Auto-retrato -1923, óleo 73 X 60cm, Museu Nacional de Beas Artes No dia 11 de janeiro de 1928, a pintora Tarsila do Amaral ( ) oferece a Oswald de Andrade ( ), como presente de aniversário, uma de suas recentes pinturas, sem saber que ela viria a ser a propulsora de uma das mais originais movimentos artísticos da arte moderna brasileira. Enquanto contemplava aquele estranho homem pintado por Tarsila, de pés enormes fincados na terra, cuja pequena cabeça parece apoiar-se melancolicamente em uma das mãos, cercado por um ambiente seco e quente, tendo como testemunha apenas o céu azul, o sol e um misterioso cacto verde, Oswald de Andrade foi indagado por seu amigo e escritor Raul Bopp ( ), que o acompanhava na observação: Vamos fazer um movimento em torno desse quadro?. Abaporu (1928), que em tupi-guarani significa antropófago, foi o nome escolhido para aquela figura selvagem e solitária. O modernismo de Tarsila, através do movimento antropofágico, buscou deglutir as formas importadas para produzir algo genuinamente nacional, sem cair na antiga relação modelo/cópia, que dominou uma parcela da arte do período colonial e da arte brasileira acadêmica do século XIX e XX. Auto-retrato -1924, óleo 38 X 32,5cm, Col. do Gov. do Estado de São Paulo Dessa maneira Tarsila utilizou-se da multiculturalidade para produzir suas obras, sem perder de vista o país em que vivia e a diversidade de seu povo.

7 2.0 o logo

8 A tipologia da marca foi desenvolvida baseada na tela São Paulo de 1924 de Tarsila de Amaral. Nota-se que a palavra Gazo acompanha o clima de crescimento industrial da época, com uma verticalidade elegante. Mas carrega também um requinte ainda artesanal, com sua tipologia manual que preserva irregularidades, o que mantém a presença humana e o caráter único e exclusivo da letra. Esse mesmo conceito é o que acompanha o pensamento da moda contemporânea. Já que a tendência é cada vez mais tornar o processo industrial diferenciado e exclusivo para o consumidor moderno. São Paulo (Gazo) óleo 50 X 60cm, Tarsila do Amaral

9 Logo 3 CORES: PANTONE 5835 C - 88% C-30,98% M-25,49% Y-75,29% K- 0,78% C - 74% M-67% Y-67% K-90% C - 0% M-0% Y-0% K-0%

10 Logo 1 COR: C - 74% M-67% Y-67% K-90%

11 3.0 aplicação

12 Logo: Deve sempre ser aplicado com um respiro mínimo de 33% de seu tamanho. Título Fonte: DIN BOLD Espaçamento entrelinhas 20 pt Espaçamento Entrefontes: 100 pt A tipologia da marca foi desenvolvida baseada na tela São Paulo de 1924 de Tarsila de Amaral. Nota-se que a palavra Gazo acompanha o clima de crescimento industrial da época, com uma verticalidade elegante. Mas carrega também um requinte ainda artesanal, com sua tipologia manual que preserva irregularidades, o que mantém a presença humana e o caráter único e exclusivo da letra. Esse mesmo conceito é o que acompanha o pensamento da moda contemporânea. Já que a tendência é cada vez mais tornar o processo industrial diferenciado e exclusivo para o consumidor moderno. Texto: DIN normal Espaçamento entrelinhas 12 pt Espaçamento Entrefontes: 50 pt

13 Fonte: família DIN & DIN ALTERNAtE DIN Light DIN Regular A tipologia da marca foi desenvolvida baseada A tipologia da marca foi desenvolvida baseada DIN Alternate Medium A tipologia da marca foi desenvolvida baseada DIN Alternate Black DIN Black A tipologia da marca foi desenvolvida baseada A tipologia da marca foi desenvolvida baseada Aaaaaaa

14 Sacola: O caminho trabalhado para aplicação do nome Tarsila buscou dialogar diretamente com os elementos geo-métricos da arquitetura moderna e as telas modernistas de Tarsila sobre a cidade de São Paulo, resultando em uma comunicação mais conceitual da marca.

15 Cartão de Visita: Cládio Rizzo Cicolo +55 (11)

16 Campanha:

17 w w w. m a n d a l a. a r t. b r Mandala - arte & tecnologia +55 (11) / +55 (11) av. conselheiro rodrigues alves, 289 casa 7 - cep / sp/brazil

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 1822 1922 100 anos da Independência do Brasil ANTECEDENTES DA SEMANA DE ARTE MODERNA 1912 CHEGADA DE OSWALD DE ANDRADE DA EUROPA Oswald de Andrade retorna de

Leia mais

Modernismo Semana de Arte Moderna

Modernismo Semana de Arte Moderna Modernismo Semana de Arte Moderna Tendência vanguardista que rompe com padrões rígidos e caminha para uma criação mais livre, surgida internacionalmente nas artes plásticas e na literatura a partir do

Leia mais

pesquisa Cultura no Brasil

pesquisa Cultura no Brasil pesquisa Cultura no Brasil I NTRODUÇÃO No senso comum a palavra cultura é usada como sinônimo de conhecimento e erudição. Porém, é um termo com várias acepções e diferentes níveis de profundidade e especificidade.

Leia mais

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY Os seis passos para a modernidade Chegada da Família Real Portuguesa (1808); Missão Artística Francesa; Academia Imperial

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME:

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME: 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME: Quando os portugueses chegaram ao Brasil, em 1500, observaram que os índios expressavam-se através da pintura em seus corpos, em objetos e em paredes. A arte

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A identidade visual da Virada da Saúde foi desenvolvida para expressar o conceito do evento.

APRESENTAÇÃO. A identidade visual da Virada da Saúde foi desenvolvida para expressar o conceito do evento. APRESENTAÇÃO A identidade visual da Virada da foi desenvolvida para expressar o conceito do evento. urbanidade e saúde qualidade de vida do homem sustentabilidade como promoção de saúde protagonismo pertencimento

Leia mais

A Identidade Visual de uma empresa é um de seus principais patrimônios.

A Identidade Visual de uma empresa é um de seus principais patrimônios. Apresentação A Identidade Visual de uma empresa é um de seus principais patrimônios. É por meio dela que uma instituição apresenta, seus valores, sua filosofia, sua postura profis-sional, torna-se visível

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal. SECOM / PR Janeiro de 2015

Manual de uso da marca do Governo Federal. SECOM / PR Janeiro de 2015 Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 Introdução 3 1.2 Logomarca do Governo Federal 4 1.3 Proporções e medições 5 1.4 Zona de eclusão 6 1.5

Leia mais

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008 Programa do Serviço Educativo Museu Municipal i de Óbidos 2.º Semestre 2008 Programa Semestral Mês Dias Título Público-alvo Agosto Quintas, Sextas, Sábado No Ateliê do Pintor um Tesouro Escondido Crianças

Leia mais

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na

Leia mais

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Neoclassicismo ou Academicismo: * Últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX; * Retoma os princípios da arte da Antiguidade grecoromana; * A

Leia mais

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR LÉO KOHLER ENSINO FUNDAMENTAL II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA PROJETO: Arte Popular Professora Orientadora: Graciele Moreira Turma: 7ª

Leia mais

Quem Foi Pablo Picasso?

Quem Foi Pablo Picasso? FICHA Nº3 Pablo PICASSO Quem Foi Pablo Picasso? Você está para conhecer como surgiram os desenhos, pinturas e esculturas de Picasso. Quem foi esse homem? Picasso era um homem baixinho, gordo e muito inteligente.

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através de formas irreconhecíveis. O formato tradicional (paisagens

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL L INTRODUÇÃO A marca é a expressão da identidade de uma instituição diante do seu público. Por isso, é importante que todo tipo de comunicação da instituição utilize a identidade

Leia mais

Manual de uso da marca da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social

Manual de uso da marca da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social Manual de uso da marca da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social Manual de uso da marca da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social Apresentação... 3 Marca e

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE APLICAÇÕES GRÁFICAS DA LOGOMARCA DO PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE

MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE APLICAÇÕES GRÁFICAS DA LOGOMARCA DO PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE APLICAÇÕES GRÁFICAS DA LOGOMARCA DO PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE Introdução 01 Logotipo / Modulação 1.1 Slogan 1.2 Redução 1.3 Versão 3D 1.4 Construção Modular 1.5 Logotipo

Leia mais

MANUAL DE APLICAÇÃO DE MARCA

MANUAL DE APLICAÇÃO DE MARCA MANUAL DE APLICAÇÃO DE MARCA Este manual foi desenvolvido através de estudos e pesquisas visando orientar de forma coerente e objetiva a correta utilização da Marca USE. Você verá, detalhadamente, todos

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA O conjunto marca/logotipo é o elemento gráfico e visual pelo qual somos reconhecidos nos diversos meios em que atuamos. As suas formas foram concebidas

Leia mais

Manual de Identidade Visual da Marca Fiat

Manual de Identidade Visual da Marca Fiat Manual de Identidade Visual da Marca Fiat Conceito A construção de um logo...é Em última instância o reflexo da integração da empresa que simboliza. Seu efeito depende consideravelmente da sua exposição

Leia mais

Manual de Uso e Aplicação da Marca do Centro Universitário Newton Paiva

Manual de Uso e Aplicação da Marca do Centro Universitário Newton Paiva Manual de Uso e Aplicação da Marca do Centro Universitário Newton Paiva O Manual de Utilização da Logomarca do Centro Universitário Newton Paiva tem o objetivo de cuidar do maior cartão de visitas de uma

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL

MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL MAIO/2016 Manual de uso da marca do Governo Federal I. Marca do Governo Federal...3 II. Zona de exclusão...4 III. Versão simplificada....5 IV. Reduções mínimas............................

Leia mais

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA 1 O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA INTRODUÇÃO Este artigo relata a experiência de monitora em Desenho de Moda, no Curso Superior

Leia mais

MANUAL DE USO E APLICAÇÃO DA MARCA INSTITUCIONAL

MANUAL DE USO E APLICAÇÃO DA MARCA INSTITUCIONAL MANUAL DE USO E APLICAÇÃO DA MARCA INSTITUCIONAL Manual da Marca Institucional.indd 1 05/07/2011 10:53:33 INTRODUÇÃO Este manual apresenta, documenta e normatiza a utilização da nova identidade visual

Leia mais

Versão 0 Aveiro 20 MAI 2015. normas da marca INCUBADORA DE EMPRESAS DA REGIÃO DE AVEIRO

Versão 0 Aveiro 20 MAI 2015. normas da marca INCUBADORA DE EMPRESAS DA REGIÃO DE AVEIRO Versão 0 Aveiro 20 MAI 2015 normas da marca normas da marca / / Génese Forma elementar Forma revestida Repetição das formas normas da marca / / Arquitetura Sobreposição Simplificação Elemento nuclear Sistema

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ÍNDICE INTRODUÇÃO INSPIRAÇÃO ASSINATURA INSTITUCIONAL ÍCONE APLICAÇÃO EM FUNDO COLORIDO MARCA EM NEGATIVO POSITIVO ESCALA DE CINZA LIMITE DE REDUÇÃO E ÁREA DE NÃO INTERFERÊNCIA

Leia mais

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta ISSN 2236-0719 Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta Universidade Estadual de Campinas Outubro 2011 Apresentação de Mesa-Redonda - 5 Carlos Gonçalves Terra

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO:

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: CONTEÚDO: Gênero: Retrato /Fotografia Técnica: Pintura óleo sobre tela Elementos formais: cor e luz Os recursos formais de representação: figuração

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: Fundamental II 8ª série) DISCIPLINA: Artes PROFESSOR (A): Equipe de Artes TURMA: TURNO: Roteiro e Lista de estudo para recuperação

Leia mais

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque?

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque? Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Elias Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE ARTE 1) Após analisar a obra a seguir, responda o que se pede. Os fuzilamentos de 3 de Maio de 1808.

Leia mais

Semana de Arte Moderna

Semana de Arte Moderna Semana de Arte Moderna 8º Ano 4º Bimestre 2015 Professor Juventino Introdução Ano foi marcado de 1922 por grandes mudanças na política e na cultura. Transformações no mundo. 1º centenário da independência.

Leia mais

SIMULADO DE ARTES FUNDAMENTAL

SIMULADO DE ARTES FUNDAMENTAL NOME: DATA DE ENTREGA: / / SIMULADO DE ARTES FUNDAMENTAL 1) Há algum tempo atrás, os livros, as revistas, os jornais, as fotografias, o cinema e a televisão eram em preto e branco. Hoje as cores fazem

Leia mais

Manual de aplicação de marcas

Manual de aplicação de marcas Manual de aplicação de marcas Índice geral 1. Padrões institucionais 1.1 Cores 1.2 Tipografia 1.3 Usos proibidos 2. Marcas 2.1 Claro 2.2 Pictogramas 2.3 Claro hdtv 2.3.1 Claro hdtv vertical 2.4 Claro fio

Leia mais

Manual de uso da marca do Governo Federal

Manual de uso da marca do Governo Federal Manual de uso da marca do Governo Federal SECOM / PR - 2011 Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 Introdução 03 1.2 Logomarca do Governo Federal 04 1.3 Proporções e medições 05 1.4 Zona de eclusão

Leia mais

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA Cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, incluindo as influências recebidas das culturas portuguesa e indígena que se manifestam

Leia mais

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira Profa. Ms. Eliene Silva Disponível em: http://www.mauc.ufc.br/expo/1967/index1.htm http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9205/antoniobandeira Biografia

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual F u n d a ç ã o C e l e s c d e S e g u r i d a d e S o c i a l MALHA CONSTRUTIVA 1 Apresentação... 5 Variações da marca... 6 Malha Construtiva... 7 Dimensionamento... 8 Área de Segurança... 9 Limite de

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

Manual de uso da marca Revisão: 01 - Janeiro/2011. Este Manual é a primeira publicação disponibilizada para o uso da Marca Marajó

Manual de uso da marca Revisão: 01 - Janeiro/2011. Este Manual é a primeira publicação disponibilizada para o uso da Marca Marajó Manual de uso da marca Revisão: 01 - Janeiro/2011 Este Manual é a primeira publicação disponibilizada para o uso da Marca Marajó 2 Índice 1. Apresentação... 3 2. Missão, Visão e Princípios e Valores...

Leia mais

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L PLACAS DE OBRAS

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L PLACAS DE OBRAS M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L A P R E S E N T A Ç Ã O Este manual tem como objetivo estabelecer a comunição do Governo do Paraná em placas de obras, definindo o uso de fontes, cores,

Leia mais

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Gustavo KRELLING 2 Maria Zaclis Veiga FERREIRA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO O produto artístico é uma releitura fotográfica

Leia mais

Manual UnivFumec.qxd 29/10/2004 16:49 Page 1

Manual UnivFumec.qxd 29/10/2004 16:49 Page 1 Manual UnivFumec.qxd 29/10/2004 16:49 Page 1 1 Manual UnivFumec.qxd 29/10/2004 16:49 Page 2 MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL UNIVERSIDADE F U M E C 2 Manual UnivFumec.qxd 29/10/2004 16:49 Page 3 O maior patrimônio

Leia mais

CONJUNTO GRÁFICO. A marca do Governo do Estado foi criada com tipologias, cores. e leiaute que traduzem os valores e objetivos da nova gestão.

CONJUNTO GRÁFICO. A marca do Governo do Estado foi criada com tipologias, cores. e leiaute que traduzem os valores e objetivos da nova gestão. A marca do Governo do Estado foi criada com tipologias, cores e leiaute que traduzem os valores e objetivos da nova gestão. Ela combina elementos gráficos que simbolizam austeridade e leveza, força e sensibilidade,

Leia mais

Concurso Arte na Capa 2011

Concurso Arte na Capa 2011 Concurso Arte na Capa 2011 Roteiro de participação O Concurso Arte na Capa 2011 terá como atividade principal o exercício de releitura dos grandes movimentos artísticos, tendo como tema paisagens naturais

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL INTRODUÇÃO Este manual tem como objetivo coletar os elementos da identidade gráfica da Tabôa e as aplicações de uso. A tipografia e cores corporativas serão usados exclusivamente

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 49/15, 2015 de 7 de outubro de 2015. SUMÁRIO 2 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE MODA I... 4 02 HISTÓRIA: ARTE E INDUMENTÁRIA...

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL

MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL MANUAL DE USO DA MARCA DO GOVERNO FEDERAL JUNHO/2016 Manual de uso da marca do Governo Federal I. Marca do Governo Federal....3 II. Área de não interferência...4 III. Redução máxima e versão simplificada...5

Leia mais

DESIGN BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO: PROCESSOS E EXPERIMENTOS EM MODA

DESIGN BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO: PROCESSOS E EXPERIMENTOS EM MODA DESIGN BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO: PROCESSOS E EXPERIMENTOS EM MODA Brazilian contemporary design: process and experiments in fashion Moura, M., Dr, Universidade Estadual Paulista, monicamoura.design@gmail.com

Leia mais

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A A TEMPESTADE É um quadro que mostra um profundo senso de

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal

Manual de Uso da Marca do Governo Federal Manual de Uso da Marca do Governo Federal SECOM/PR-2005 Manual de Uso da Marca Apresentação BRASIL, UM PAÍS DE TODOS. De um lado, sincretismo, diversidade, variedade. De outro, união, afinidade, integração.

Leia mais

ACADEMIA UNIVERSAL ARTE E PROFISSÃO : 52 ANOS DE ENSINO PROFISIONALIZANTE EM PONTA GROSSA PR

ACADEMIA UNIVERSAL ARTE E PROFISSÃO : 52 ANOS DE ENSINO PROFISIONALIZANTE EM PONTA GROSSA PR ACADEMIA UNIVERSAL ARTE E PROFISSÃO : 52 ANOS DE ENSINO PROFISIONALIZANTE EM PONTA GROSSA PR Aracely Mehl Gonçalves 1 A Academia Universal é uma escola de nível médio, fundada em outubro de 1954, pelas

Leia mais

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar Acho que criatividade não é uma qualidade exclusiva dos artistas. Viver é um exercício de criatividade. Por Marialba

Leia mais

Inteligência de Negócios

Inteligência de Negócios Conteúdo do Trabalho: Definição da Proposta e da Equipe (até 3 pessoas) Modelagem do Banco de Dados e Dicionário de Dados A entrega será realizada em um documento Word, PDF ou Access 1 Produção de filmes

Leia mais

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO?

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O que torna as exposições diferentes entre si? O que torna as exposições diferentes entre si? Local da exposição? Num parque Sob céu aberto... Num Museu... No corredor de um Shopping...

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

ANEXO II MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

ANEXO II MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ANEXO II MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1.1. Símbolo O símbolo Infraero é um importante elemento da identidade visual da empresa, contribuindo para transmitir os atributos de sua imagem. O deseno do símbolo

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE Fonte: http://www.musee-orsay.fr/fr/collections/catalogue-des-oeuvres/resultatcollection.html?no_cache=1&zoom=1&tx_damzoom_pi1%5bzoom%5d=0&tx_da mzoom_pi1%5bxmlid%5d=001089&tx_damzoom_pi1%5bback%5d=fr%2fcollec

Leia mais

Desenho Percepção Visual Anatomia Artística Pintura

Desenho Percepção Visual Anatomia Artística Pintura Desenho Percepção Visual Anatomia Artística Pintura Plínio Santos Filho, Ph.D. CE 05 - Autoretrato 02 Vincent Van Gogh CE 05 Este Caderno de Exercícios contém desenhos e pinturas que são autoretratos feitos

Leia mais

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um momento de ruptura que dividiu a arte brasileira entre academicismo e modernismo. Não foi, porém, uma unanimidade nacional e gerou

Leia mais

COMUNICAÇÃO I-D-E-N-T-I-D-A-D-E-S e Outros Olhares Inclusão social de jovens infratores através das artes plásticas

COMUNICAÇÃO I-D-E-N-T-I-D-A-D-E-S e Outros Olhares Inclusão social de jovens infratores através das artes plásticas COMUNICAÇÃO I-D-E-N-T-I-D-A-D-E-S e Outros Olhares Inclusão social de jovens infratores através das artes plásticas PORFIRO, André Luiz 1 Palavras-Chave: Ensino de arte, Inclusão social e Ressignificação

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Uso e aplicação do logotipo

Manual de Identidade Visual. Uso e aplicação do logotipo Manual de Identidade Visual Uso e aplicação do logotipo 2 Apresentação O Manual de Identidade Visual da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, é um documento técnico, elaborado

Leia mais

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX SEMANA DE ARTE MODERNA História da Arte Profª Natalia Pieroni ANTECEDENTES - Industrialização do país em função do fortalecimento da economia do café (pós Primeira Guerra).

Leia mais

Leitura de imagens. DEPEJA Setor de Educação de Jovens e Adultos

Leitura de imagens. DEPEJA Setor de Educação de Jovens e Adultos Leitura de imagens DEPEJA Setor de Educação de Jovens e Adultos LEITURA DE IMAGEM 1º. Passo: Identifique Como a obra visual foi feita (composição) Como o artista a produziu 2º. Passo: Contextualize Quem

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual apresentação....................................3 Versões horizontal e vertical........................4 grid de construção................................5 Cores institucionais...............................6

Leia mais

PARTE 01 Questões Teóricas

PARTE 01 Questões Teóricas PARTE 01 Questões Teóricas SOMAR OS PONTOS CORRESPONDENTES ÀS PROPOSIÇÕES ASSINALADAS CORRETAMENTE E MARCAR NA FOLHA DE RESPOSTAS A SOMA ENCONTRADA. 01 - No Renascimento, o Moisés de Michelangelo não expressava

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri 3 MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Diretoria de Comunicação Social

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

Enap. Manual de uso da marca

Enap. Manual de uso da marca Manual de uso da marca O símbolo transmite seriedade, objetividade e contemporaneidade compatíveis com a instituição e também continuidade em relação ao sinal de identificação anteriormente usado. O desenho

Leia mais

PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO 1 FOLHA DE CARTOLINA DUPLA FACE PRETA; 02 METROS DE TECIDO ALGODÃOZINHO

PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO 1 FOLHA DE CARTOLINA DUPLA FACE PRETA; 02 METROS DE TECIDO ALGODÃOZINHO PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO MÊS DATA COMEMORATIVA MATERIAL JUSTIFICATIVA OBJETIVO JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL 14/02- DIA DA AMIZADE; 21/03- DIA DO TEATRO; 27/03-

Leia mais

SANTA CATARINA. INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br

SANTA CATARINA. INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br SANTA CATARINA INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br Idealização Promoção www.cowparadesantacatarina.com.br Idealização Promoção Parceiro AS A CowParade é considerada a maior exposição de

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

VISÕES DE MUNDO NA OBRA ABAPORU DE TARSILA DO AMARAL 1 RESUMO

VISÕES DE MUNDO NA OBRA ABAPORU DE TARSILA DO AMARAL 1 RESUMO VISÕES DE MUNDO NA OBRA ABAPORU DE TARSILA DO AMARAL 1 CARNEIRO, Elisiane 2 ; SOUZA, Gabriel²; MILKE, Tatiele³; BECKER, Elsbeth Léia Spode³ 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA. 2 Curso de Publicidade e Propaganda

Leia mais

Orientadora: Aura Maria de Paula Soares Valente Mestre pela Universidade Federal do Paraná. Ballet Fashion

Orientadora: Aura Maria de Paula Soares Valente Mestre pela Universidade Federal do Paraná. Ballet Fashion Débora Aparecida Iasbek Graduação em Moda; Centro Universitário de Maringá. Pós-Graduação em Artes Visuais: Cultura e Criação, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Orientadora: Aura Maria de Paula

Leia mais

Manual UNIPAC. de identidade visual. www.unipac.br. Normas e padrões de utilização

Manual UNIPAC. de identidade visual. www.unipac.br. Normas e padrões de utilização Manual de identidade visual Normas e padrões de utilização www.unipac.br apresentação A Universidade Presidente Antônio Carlos vem, através deste documento, apresentar e consolidar um dos bens mais valiosos

Leia mais

A soma será feita da seguinte forma:

A soma será feita da seguinte forma: TESTE VOCACIONAL Teste sua vocação Testes vocacionais não fazem milagres, não têm poder de apontar uma única profissão a ser seguida, mas são um bom norte acerca de aptidões e interesses. O questionário

Leia mais

Manual de Identidade Visual. FACEPE Manual de Identidade Visual 1

Manual de Identidade Visual. FACEPE Manual de Identidade Visual 1 Manual de Identidade Visual FACEPE Manual de Identidade Visual 1 1. MARCA Apresentação Aplicação Cores Institucionais Família Tipográfica Reprodução da Marca Usos Incorretos Redução Área de Respiro Aplicação

Leia mais

Memorial do Imigrante

Memorial do Imigrante Memorial do Imigrante www.memorialdoimigrante.sp.gov.br Juca Martins/Olhar Imagem Localizado no edifício da antiga Hospedaria dos Imigrantes, construída entre 1886 e 1888 para receber os imigrantes recém-chegados

Leia mais

APRESENTAÇAO FRANQUEADO

APRESENTAÇAO FRANQUEADO APRESENTAÇAO FRANQUEADO 1. Personalidade da Marca Cosmopolita, moderna e inovadora! Londres é uma cidade que mistura diferentes culturas e referências para criar uma personalidade unica. A Inglaterra sempre

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS CONTEÚDOS 01 RENOVAÇÃO DA MARCA 02 CONSTRUÇÃO DA MARCA 03 DIMENSÕES MÍNIMAS MARGEM MÍNIMA DE SEGURANÇA 04 05 06 CORES COMPORTAMENTOS SOBRE FUNDOS TIPOGRAFIA E RESPETIVOS ESTILOS

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL PROJETO ESCOLA BRASIL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL PROJETO ESCOLA BRASIL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL LOGOMARCA - VERSÃO PREFERENCIAL VERTICAL 02 LOGOMARCA - VERSÃO SECUNDÁRIA HORIZONTAL 03 LOGOMARCA - VERSÃO TERCIÁRIA HORIZONTAL 04 CORES - PANTONE E QUADRICROMIA Pantone 7406

Leia mais

NORMAS DE APLICAÇÃO DO LOGOTIPO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO

NORMAS DE APLICAÇÃO DO LOGOTIPO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO NORMAS DE APLICAÇÃO DO LOGOTIPO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO IMPORTANTE O LOGOTIPO CENTRO HOSPITALAR DE SÃO JOÃO É UM SÍMBOLO PROTEGIDO LEGALMENTE. NÃO PODE SER ALTERADO EM PARTE OU NO SEU TODO. TODA

Leia mais

Versão 1. Versão 2. Tipos de aplicação da marca

Versão 1. Versão 2. Tipos de aplicação da marca Aplicações Tipos de aplicação da marca 01 São aceitas duas aplicações, horizontal e vertical, com redução proporcional do letreiro em relação ao desenho no segundo caso. Versão 1 Versão 2 Versão para aplicação

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ÍNDICE 1. MARCA Definições de Interesse... 03 Conceito... 04 Desenho... 06 Cores... 07 Tipografia... 08 Uso Incorreto da Marca... 09 Redução da Marca... 10 Versões Monocromáticas...

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual ÍNDICE 1. Marca 1.1 Apresentação 1.2 Versões de assinatura 1.2.1 Recomendações 1.3 Negativo e positivo 1.4 Escala de cinza 1.5 Versão não cromia 1.6 Área de proteção 1.7 Redução

Leia mais

Departamento de Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

Departamento de Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Apresentação Introdução / Conceito 02 Área de Proteção 03 Versões 04 Aplicação Sobre Fundo Colorido 06 Aplicação Sobre Fundo Claro e/ou Escuro 07 Aplicação

Leia mais

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar através de empréstimo, a instituições, nomeadamente, de

Leia mais

Manual de utilização do selo

Manual de utilização do selo Manual de utilização do selo Introdução O manual do selo Empresa Parceira da Saúde tem a função de ordenar e padronizar o signo que distingue e diferencia a parceira, compreendendo padrões e regras de

Leia mais

História da arte estilo ENEM

História da arte estilo ENEM História da arte estilo ENEM 01 - Assinale a alternativa que menciona o acontecimento a que Oswald de Andrade se reporta para nomear o Movimento Antropofágico. a) A adesão de Graça Aranha ao movimento

Leia mais

Contexto do Dadaísmo

Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá O movimento Dadá ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011

Manual de Uso da Marca do Governo Federal. SECOM / PR Novembro de 2011 SECOM / PR 1.1 Introdução 3 1.2 Logomarca do Governo Federal 4 1.3 Proporções e medições 5 1.4 Zona de eclusão 6 1.5 Reduções mínimas 7 1.6 Variantes de cor 8 1.7 Cores da logomarca 9 1.8 Aplicação sobre

Leia mais

Modernismo. Semana de Arte Moderna

Modernismo. Semana de Arte Moderna Modernismo Semana de Arte Moderna A Semana de Arte Moderna de 22 Realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, contou com a participação de escritores, artistas plásticos,

Leia mais

E-book. Passo-a-Passos Técnicas Exclusivas

E-book. Passo-a-Passos Técnicas Exclusivas E-book Passo-a-Passos Técnicas Exclusivas 1 Pintura em Madeira FLORAL DECORATIVO Materiais Necessários Pincel Condor ref. 601 nº 16 Pincel Condor ref. 606 nº 10 e 16 Pinta-Bolinhas Condor ref. 555 Bandeja

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual A empresa Chrysalis Nutri Essences nasceu de uma necessidade de atender a uma grande demanda na área de saúde, qualidade de vida e educação alimentar, com a finalidade de prestar

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: Aula 1: Cores primárias e cores secundária Aula 2: Luz e sombra 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 9 o ano Unidade 1

Sugestões de avaliação. História 9 o ano Unidade 1 Sugestões de avaliação História 9 o ano Unidade 1 5 Nome: Data: Unidade 1 1. Observe as tabelas e responda à questão. CARVÃO ano Grã-Bretanha alemanha estados unidos 1871 117 29 42 1880 147 47 65 1890

Leia mais

Governador - José Serra

Governador - José Serra Governador - José Serra Secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania - Luiz Antonio Marrey Secretário Adjunto da Justiça e da Defesa da Cidadania - Izaís José de Santana FUNDAÇÃO ITESP Diretor Executivo

Leia mais