O professor faz diferença?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O professor faz diferença?"

Transcrição

1 Artigo publicado no Correio do Estado em 24/07/09 Campo Grande - MS A pedagogia faz diferença. Esta é a tese que será defendida no Seminário Internacional promovido pela Secretaria Estadual de Educação em parceria com o Instituto Alfa e Beto. O Seminário tem como título Profissão Professor: o resgate da pedagogia, e será realizado em Campo Grande no dia 2 de setembro de O título do seminário reflete o seu objetivo: demonstrar que a valorização da profissão do professor passa pelo resgate da pedagogia. Por que resgatar a Pedagogia? Que Pedagogia cabe resgatar? A partir do Romantismo, no século XIX, e com intensidade maior no século XX, a pedagogia foi alvo de inúmeras e intensas críticas por filósofos, sociólogos e educadores. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. Mas qual a essência da tradição pedagógica? A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas cada vez mais contundentes e rigorosas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. O ensino deve ser intencional, direto, estruturado, sistemático, dirigido. Nada disso implica abandonar a atenção pessoal ao aluno, a motivação, os cuidados com a linguagem. Também não implica abandonar o uso de técnicas de descoberta guiada sempre que nas mãos de um bom guia. O resgate da tradição pedagógica se faz com o uso dos conhecimentos científicos. O Dr. Clermont Gauthier, da Universidade do Québec, irá mostrar como a evidência científica sugere que quando determinados princípios e práticas são adotados, os resultados são melhores. Essas evidências são comuns ao ensino das mais diferentes disciplinas e níveis de ensino, e precisam ser levadas a sério. Além de rever a evidência sobre o que funciona, em geral, o seminário oferecerá uma visão aprofundada de três temas específicos a alfabetização, o ensino da língua materna e o ensino da matemática. Não por acaso, esses são os três temas escolhidos como prioridade de atuação da Secretaria Estadual de Educação. José Morais, da Universidade Livre de Bruxelas, irá apresentar uma revisão da literatura científica sobre alfabetização: o que é, quando se deve alfabetizar, que métodos se devem usar, como avaliar se o aluno aprendeu a ler, o que deve saber um professor alfabetizador. O ensino da língua materna é particularmente crítico, pois, uma vez consolidada a alfabetização, ele é instrumental para o aluno poder compreender o

2 que lê nas diversas disciplinas. Nos últimos anos, além dos descaminhos que levaram ao caos na alfabetização, o ensino da língua portuguesa também vem cedendo a modismos pedagógicos que precisam ser revistos. A concepção predominante no Brasil é a de que é possível compreender o sentido dos textos sem um esforço sistemático de entender a sua estrutura gramatical subjacente. O que se deve ensinar? É importante ensinar gramática? O que, como e quando deve ser ensinado? Essas são algumas das questões que o Professor Roger Beard, da Universidade de Londres, virá debater com os educadores sul-mato-grossenses. Ensino da Matemática será o tema desenvolvido pelo Professor Nuno Crato, Presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática e profundo conhecedor não apenas das mazelas que afetam o ensino da matemática em nosso país, mas também das soluções e saídas cientificamente comprovadas que podem nos ajudar a ensinar melhor. Os educadores poderão se surpreender com as evidências científicas sobre o que funciona na educação, em geral, e, especialmente, na alfabetização e no ensino da língua materna e da matemática. O seminário também irá demonstrar que o um professor como qualquer profissional não é um mágico: ele é tão bom quanto os métodos que utiliza. A discussão será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. O convite está feito. Vamos resgatar a tradição pedagógica? Vamos voltar a ensinar? Vamos resgatar o orgulho de ser professor?

3 Artigo publicado no Estado de Minas Belo Horizonte - MG A pedagogia faz diferença. Esta é a tese que será defendida no Seminário Internacional promovido pela APP Associação dos Professores Públicos de Minas Gerais em parceria com o Instituto Alfa e Beto. O seminário se intitula Profissão Professor: o resgate da pedagogia, e será realizado em Belo Horizonte no dia 31 de agosto de O título do seminário reflete o seu objetivo: demonstrar que a valorização da profissão do professor passa pelo resgate da pedagogia. Por que resgatar a Pedagogia? Que Pedagogia cabe resgatar? A partir do Romantismo, no século XIX, e com intensidade maior no século XX, a pedagogia foi alvo de inúmeras e intensas críticas por filósofos, sociólogos e educadores. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. Mas qual a essência da tradição pedagógica? A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas cada vez mais contundentes e rigorosas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. O ensino deve ser intencional, direto, estruturado, sistemático, dirigido. Nada disso implica abandonar a atenção pessoal ao aluno, a motivação, os cuidados com a linguagem. Os resultados do sistema educacional de Minas Gerais Estado de Minas Gerais refletem exatamente a situação econômica do estado, ou seja, o desempenho dos alunos se explica mais pelo nível sócio-econômico das famílias do que pela diferença trazida pela escolha. Se o fator sócio-econômico for controlado, os resultados seriam equivalentes aos dos demais estados. Esse é o desafio a ser encontrado: criar uma escola que faz diferença. O resgate da tradição pedagógica se faz com o uso dos conhecimentos científicos. O seminário irá mostrar como a evidência científica sugere que quando determinados princípios e práticas são adotados, os resultados são melhores. Essas evidências são comuns ao ensino das mais diferentes disciplinas e níveis de ensino, e precisam ser levadas a sério. Além de rever a evidência sobre o que funciona, em geral, o seminário oferecerá uma visão aprofundada de três temas específicos a alfabetização, o ensino da língua materna e o ensino da matemática. Em cada tema serão abordadas as questões sobre o que ensinar, como ensinar e como avaliar. Os educadores serão surpreendidos com as evidências

4 científicas sobre o ensino dessas disciplinas. O seminário também irá demonstrar que o um professor como qualquer profissional não é um mágico: ele é tão bom quanto os métodos que utiliza. Serão debatidas questões tais como o que é alfabetizar, quais são os métodos mais eficazes, se devemos ensinar gramática ou se é preciso ensinar tabuadas e frações. A discussão será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. O convite está feito. Vamos resgatar a tradição pedagógica? Vamos voltar a ensinar? Vamos resgatar o orgulho de ser professor?

5 Artigo publicado no Jornal do Comércio Porto Alegre RS A pedagogia faz diferença. Esta é a tese que será defendida no Seminário Internacional promovido pela Secretaria Estadual de Educação em parceria com o Instituto Alfa e Beto e a UNDIME. O seminário tem como título Profissão Professor: o resgate da pedagogia, e será realizado em Porto Alegre no dia 26 de agosto de A partir do Romantismo, séculos XIX e XX, a pedagogia foi alvo de intensas críticas. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. A Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul elegeu a alfabetização como a prioridade da atual gestão, face à constatação dos resultados que vinham sido obtidos. Este tema será abordado por José Morais, professor da Universidade de Bruxelas. A discussão do tema constituirá uma oportunidade ímpar para que as autoridades educacionais, pesquisadores e professores superem seus preconceitos, atualizem seus conhecimentos e questionem seus pressupostos. O seminário abordará questões como o que é alfabetizar, quais são os métodos mais eficazes, como sabemos que existem métodos mais eficazes, como devemos avaliar a alfabetização e como devem ser formados os professores alfabetizadores. Além da alfabetização das crianças, o seminário abordará dois outros temas o ensino da língua materna e o da matemática. A discussão sobre os pontos em questão será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. O convite está feito.

6 Artigo publicado no Jornal do Commercio Recife PE A pedagogia faz diferença. Esta é a tese que será defendida no Seminário Internacional intitulado Profissão Professor: o resgate da pedagogia, a ser realizado em Recife no dia 24 de agosto de O título do seminário reflete o seu objetivo: demonstrar que a valorização da profissão do professor passa pelo resgate da pedagogia. A partir do Romantismo, nos séculos XIX e XX, a pedagogia foi alvo de inúmeras e intensas críticas por filósofos, sociólogos e educadores. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas cada vez mais contundentes e rigorosas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. O ensino deve ser intencional, direto, estruturado, sistemático, dirigido. Nada disso implica abandonar a atenção pessoal ao aluno, a motivação, os cuidados com a linguagem. No seminário em Recife, a alfabetização das crianças será um dos temas abordados por José Morais, professor da Universidade de Bruxelas. No Estado de Pernambuco este é o primeiro e mais grave problema da educação. Em maio deste ano, um teste de ditado com alunos do 2º ao 5º ano em alguns municípios pernambucanos representativos revelou o estado de calamidade vigente: mais de 70% desses alunos são analfabetos. A rendição da tradição pedagógica aos modismos é um dos responsáveis por essa situação. Acreditamos que essa discussão constitui uma oportunidade ímpar para que as autoridades educacionais, pesquisadores e professores superem seus preconceitos, atualizem seus conhecimentos e questionem seus pressupostos. O seminário abordará questões como o que é alfabetizar, quais são os métodos mais eficazes, como sabemos que existem métodos mais eficazes, como devemos avaliar a alfabetização e como devem ser formados os professores alfabetizadores. O seminário colocará em evidência o fosso que existe entre o conhecimento científico atual e as crenças e práticas que ainda prevalecem em nosso país a respeito dessa questão. Além de resgatar a tradição pedagógica e tratar da alfabetização das crianças, o seminário abordará dois outros temas o ensino da língua materna e o da matemática. Em cada tema serão abordadas as questões sobre o que ensinar,

7 como ensinar e como avaliar. Os educadores serão surpreendidos com as evidências científicas sobre o ensino dessas disciplinas. O seminário também irá demonstrar que o um professor como qualquer profissional não é um mágico: ele é tão bom quanto os métodos que utiliza. A discussão dos temas será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. O convite está feito. Vamos resgatar a tradição pedagógica? Vamos voltar a ensinar? Vamos resgatar o orgulho de ser professor?

8 Artigo publicado no Jornal do Brasil Rio de Janeiro RJ A pedagogia faz diferença. E por quê? A resposta é simples: precisamos refletir sobre o modo de ensinar. E refletir também sobre o papel do professor, suas competências e desempenho. Há um conjunto de questões importantes para o debate no Brasil, especialmente quando se discute a qualidade da Educação nas nossas escolas. Devemos resgatar a pedagogia, sim. Mas qual pedagogia? A partir do Romantismo, no século XIX, e com intensidade maior no século XX, a pedagogia foi alvo de inúmeras e intensas críticas por filósofos, sociólogos e educadores. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. Essa é a tese que será defendida no Seminário Internacional promovido pela Secretaria de Educação Integral em parceria com o Instituto Alfa e Beto. O seminário tem como título Profissão Professor: o resgate da pedagogia, e será realizado no Rio de Janeiro dia 28 de agosto de O título reflete o seu objetivo: demonstrar que a valorização da profissão do professor passa pelo resgate da pedagogia. A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. O ensino deve ser intencional, direto, estruturado, sistemático, dirigido. Nada disso implica abandonar a atenção pessoal ao aluno, a motivação, os cuidados com a linguagem. A avaliação realizada pela Secretaria Municipal de Educação no inicio do ano letivo reflete uma situação conhecida, mas calamitosa: poucos alunos conseguem atingir os níveis mínimos de conhecimento necessários para prosseguir seus estudos com sucesso. Percentagem significativa dos alunos sequer foi alfabetizada de maneira adequada. O resgate da tradição pedagógica se faz com o uso dos conhecimentos científicos. O seminário irá mostrar como a evidência científica sugere que quando determinados princípios e práticas são adotados, os resultados são melhores. Além de rever a evidência sobre o que funciona, em geral, o seminário oferecerá uma visão aprofundada de três temas específicos a alfabetização, o ensino da língua materna e o da matemática.

9 Embora o ensino geral precise ser repensado à luz da tradição pedagógica, o ensino da língua materna merece atenção especial. Este ponto é particularmente crítico, pois, uma vez consolidada a alfabetização, ele é instrumental para o aluno poder compreender o que lê nas diversas disciplinas. Nos últimos anos, além dos descaminhos que levaram ao caos na alfabetização, o ensino da língua portuguesa também vem cedendo a modismos pedagógicos que precisam ser revistos. A concepção predominante no Brasil é a de que é possível compreender o sentido dos textos sem um esforço sistemático de entender a sua estrutura gramatical subjacente. O que se deve ensinar? É importante ensinar gramática? O que, como e quando deve ser ensinado? Essas são algumas das questões que o Professor Roger Beard, da Universidade de Londres, virá debater com os educadores cariocas. Os educadores poderão se surpreender com as evidências científicas sobre o que funciona na educação, em geral, e, especialmente, na alfabetização e no ensino da língua materna e da matemática. O seminário também irá demonstrar que o um professor como qualquer profissional não é um mágico: ele é tão bom quanto os métodos que utiliza. A discussão será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. Está posto o convite. Agora, vamos ao debate. A valorização do professor requer o resgate da pedagogia das garras das ideologias.

10 Artigo publicado no Jornal de Brasília em 06/08/2009. Brasília - DF A pedagogia faz diferença. E por quê? A resposta é simples: precisamos refletir sobre o modo de ensinar. E refletir também sobre o papel do professor, suas competências e desempenho. Há um conjunto de questões importantes para o debate no Brasil, especialmente quando se discute a qualidade da Educação nas nossas escolas. Devemos resgatar a pedagogia, sim. Mas qual pedagogia? A partir do Romantismo, no século XIX, e com intensidade maior no século XX, a pedagogia foi alvo de inúmeras e intensas críticas por filósofos, sociólogos e educadores. Embora partindo de diferentes perspectivas, o alvo sempre foi o mesmo: a pedagogia tradicional. Para facilitar as críticas, a pedagogia tradicional sempre foi apresentada como o que há de pior. No processo, ao invés de criticar eventuais limitações da pedagogia tradicional, o que se perdeu foi a tradição pedagógica. É isso que cabe resgatar. Essa é a tese que será defendida no Seminário Internacional promovido pela Secretaria de Educação Integral em parceria com o Instituto Alfa e Beto. O seminário tem como título Profissão Professor: o resgate da pedagogia, e será realizado em Brasília no dia 27 de agosto de O título reflete o seu objetivo: demonstrar que a valorização da profissão do professor passa pelo resgate da pedagogia. A essência da tradição pedagógica é ensinar. As evidências científicas cada vez mais contundentes e rigorosas demonstram a diferença que faz o professor que domina os conteúdos e que sabe ensinar. O ensino deve ser intencional, direto, estruturado, sistemático, dirigido. Nada disso implica abandonar a atenção pessoal ao aluno, a motivação, os cuidados com a linguagem. Também não implica abandonar o uso de técnicas de descoberta guiada sempre que nas mãos de um bom guia. Brasília possui o sistema de educação mais bem organizado do país, do ponto de vista de infra-estrutura, salário de professores e recursos pedagógicos. O desempenho dos alunos, em termos absolutos, encontra-se entre os melhores do país. No entanto, como todos reconhecem, esse desempenho é muito fraco muito aquém do que seria necessário para dar aos alunos das escolas públicas uma chance de sucesso. Além disso, como é de conhecimento geral, a diferença de desempenho dos alunos de Brasília com os demais alunos do país se deve, fundamentalmente, ao nível sócio-econômico da população local. Se esse fator for controlado, os resultados seriam equivalentes aos dos demais estados. Esse é o desafio a ser encontrado: criar uma escola que faz diferença.

11 O resgate da tradição pedagógica se faz com o uso dos conhecimentos científicos. O seminário irá mostrar como a evidência científica sugere que quando determinados princípios e práticas são adotados, os resultados são melhores. Essas evidências são comuns ao ensino das mais diferentes disciplinas e níveis de ensino, e precisam ser levadas a sério. Além de rever a evidência sobre o que funciona, em geral, o seminário oferecerá uma visão aprofundada de três temas específicos a alfabetização, o ensino da língua materna e o ensino da matemática. Em cada tema serão abordadas as questões sobre o que ensinar, como ensinar e como avaliar. Os educadores serão surpreendidos com as evidências científicas sobre o ensino dessas disciplinas. O seminário também irá demonstrar que o um professor como qualquer profissional não é um mágico: ele é tão bom quanto os métodos que utiliza. Serão debatidas questões tais como o que é alfabetizar, quais são os métodos mais eficazes, se devemos ensinar gramática ou se é preciso ensinar tabuadas e frações. A discussão será feita à luz da evidência científica mais atualizada e das práticas de ensino utilizadas nos países em que a educação constitui, de fato, um instrumento de promoção da equidade e de mobilidade social. Os seminários contam com a participação de quatro especialistas internacionais em diferentes áreas da educação que prometem enriquecer o debate com visões atualizadas sobre como os países mais desenvolvidos na educação lidam com três aspectos centrais para a valorização do magistério: conteúdo do programa pedagógico; maneiras de ensinar e suas comprovações científicas e preparação de professores. Está posto o convite. Agora, vamos ao debate. A valorização do professor requer o resgate da pedagogia das garras das ideologias.

Educação baseada em evidências

Educação baseada em evidências Educação baseada em evidências Textos para discussão Resultados do ENEM 2013 Texto 2015-01 Abril 2015 APRESENTAÇÃO Textos para discussão do apresentam dados, análise e evidências para informar o público

Leia mais

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009. Resenhas 161 ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009. Márcia Moreira Pereira* marcia.moreirapereira@gmail.com *Possui graduação em Letras pela Universidade

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

18) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA LICENCIATURA

18) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA LICENCIATURA 18) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA LICENCIATURA 18.1) Matriz curricular do turno matutino Fase 1 a N. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas 01 Introdução à informática

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

Alfabetizar as crianças na idade certa com Paulo Freire e Emilia Ferreiro Práticas socioconstrutivistas

Alfabetizar as crianças na idade certa com Paulo Freire e Emilia Ferreiro Práticas socioconstrutivistas Alfabetizar as crianças na idade certa com Paulo Freire e Emilia Ferreiro Práticas socioconstrutivistas Apoio Pedagógico Memória, cultura e literatura O prazer de ler e recriar o mundo, Elias José Preservando

Leia mais

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento A contribuição do interesse e da curiosidade por atividades práticas em ciências, para melhorar a alfabetização de

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS ISSN 2316-7785 UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS Resumo Adriano Torri Souza UFSM adriano.torrisouza@gmail.com

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO.

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. LETICIA VICENTE PINTO TEIXEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS). Resumo É sabido o quanto é grande o esforço das escolas em ensinar a leitura

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 V. 01, N. 02 (2013) A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Patrícia

Leia mais

Resgate histórico dos ternos pitagóricos como ferramenta pedagógica para o ensino do Teorema de Pitágoras

Resgate histórico dos ternos pitagóricos como ferramenta pedagógica para o ensino do Teorema de Pitágoras Resgate histórico dos ternos pitagóricos como ferramenta pedagógica para compreensão do Teorema de 1 Georgiane Amorim Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil georgianeamor@hotmail.com

Leia mais

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA Maria Ignez de Souza Vieira Diniz ignez@mathema.com.br Cristiane Akemi Ishihara crisakemi@mathema.com.br Cristiane Henriques Rodrigues Chica crischica@mathema.com.br

Leia mais

O PERMEAR HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA E SEUS DESAFIOS ATUAIS. MORAIS, Suzianne 1 VILLELA, Pollyana 2

O PERMEAR HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA E SEUS DESAFIOS ATUAIS. MORAIS, Suzianne 1 VILLELA, Pollyana 2 O PERMEAR HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA E SEUS DESAFIOS ATUAIS MORAIS, Suzianne 1 VILLELA, Pollyana 2 RESUMO: Este trabalho tem como propósito apresentar e analisar o percurso histórico e cultural que a

Leia mais

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações.

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações. 24 CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE Profª Ms Angela Maria Venturini Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro/ISERJ RESUMO O Curso Normal Superior (CNS) do Instituto Superior de Educação

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

Projeto Jornal Educativo Municipal

Projeto Jornal Educativo Municipal Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Santa Bárbara de Goiás Secretaria Municipal da Educação Santa Bárbara de Goiás - GO Projeto Jornal Educativo Municipal Santa Bárbara de Goiás Janeiro/2013 Estado

Leia mais

UM RETRATO DAS MUITAS DIFICULDADES DO COTIDIANO DOS EDUCADORES

UM RETRATO DAS MUITAS DIFICULDADES DO COTIDIANO DOS EDUCADORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 UM RETRATO DAS MUITAS DIFICULDADES DO COTIDIANO DOS EDUCADORES Claudia Davis: É preciso valorizar e manter ativas equipes bem preparadas

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ALUNOS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA: UM OLHAR SOBRE SUAS PRÁTICAS DOCENTES

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica.

ENSINO FUNDAMENTAL. De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica. ENSINO FUNDAMENTAL De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica. Art. 32 "o Ensino Fundamental, com duração mínima de oito

Leia mais

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM MARÇO/ABRIL/2012 Considerações sobre as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Resolução CNE/CEB

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO 2010 Programa: Pós-Graduação stricto sensu em Educação/PPGE Área de Concentração: Sociedade,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de PAULO FREIRE E A ALFABETIZAÇÃO Vera Lúcia Queiroga Barreto 1 Uma visão de alfabetização que vai além do ba,be,bi,bo,bu. Porque implica uma compreensão crítica da realidade social, política e econômica

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT Luciano Feliciano de Lima Universidade Estadual de Goiás lucianoebenezer@yahoo.com.br Resumo: Esse minicurso tem por objetivo evidenciar possibilidades

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS ANAIS

APRESENTAÇÃO DOS ANAIS APRESENTAÇÃO DOS ANAIS ARANHA, M.S.F.. Apresentação dos Anais. In: III Congresso Brasileiro Multidisciplinar de Educação Especial, 2002, Londrina (PR). CD-ROM do III Congresso Brasileiro Multidisciplinar

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

INFORMATIVO Nº 1 / 2014. Senhores pais

INFORMATIVO Nº 1 / 2014. Senhores pais INFORMATIVO Nº 1 / 2014 Senhores pais Mais um ano se inicia... Não temos palavras para agradecer a confiança que depositam em nosso trabalho ao matricularem seus filhos na Premier. Após um período de alguns

Leia mais

Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX

Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX Miriam Correia da Silva¹ Mercedes Carvalho² RESUMO

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NUMA ESCOLA DO CAMPO

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NUMA ESCOLA DO CAMPO eliane.enaile@hotmail.com Introdução Nos últimos anos, as reflexões realizadas sobre a alfabetização têm mostrado que a aquisição da escrita é um processo complexo e multifacetado. Nesse processo, considera

Leia mais

Como a educação integral vem sendo pensada nas escolas? Como ela está sendo feita? Por que é tão difícil consolidá-la no contexto da prática escolar?

Como a educação integral vem sendo pensada nas escolas? Como ela está sendo feita? Por que é tão difícil consolidá-la no contexto da prática escolar? ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E AS DIFERENÇAS NA ESCOLA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INTEGRAL Rosângela Machado Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis A palestra intitulada Organização Curricular e as

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NA EDUCAÇÃO BIOLÓGICA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NA EDUCAÇÃO BIOLÓGICA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NA EDUCAÇÃO BIOLÓGICA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Maria José Rodrigues de Farias Universidade Estadual da Paraíba lyarodriguesbio@gmail.com Introdução Atualmente os modelos

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS ISSN 2316-7785 FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS José André Tavares de Oliveira Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 363/2010

MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 363/2010 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 363/2010 EMENTA: Estabelece o Currículo do Curso de Graduação em Pedagogia-Licenciatura Niterói. O CONSELHO DE ENSINO E

Leia mais

Simone de Sousa Barbosa e Silva

Simone de Sousa Barbosa e Silva PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR PAAE (SEE/MG): POLÍTICA PÚBLICA EDUCACIONAL ATINENTE AOS DIREITOS SOCIAIS E ESTRATIFICAÇÃO DO WELLFARE STATE, A SERVIÇO DA LUTA POR JUSTIÇA SOCIAL, OU MERA

Leia mais

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática.

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. Justificativa A Matemática faz parte do cotidiano das pessoas. Nas diversas atividades

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS. Capítulo I. Finanças Pessoais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS. Capítulo I. Finanças Pessoais 1 EDUCAÇÃO FINANCEIRA EM 3 CAPÍTULOS Capítulo I Finanças Pessoais 2 CAPÍTULO II Introdução ao Sistema Financeiro 3 CAPÍTULO III Alternativas de Investimento 4 O Brasil necessita um sistema financeiro saudável,

Leia mais

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Eixo temático 2: Formação de Professores e Cultura Digital Vicentina Oliveira Santos Lima 1 A grande importância do pensamento de Rousseau na

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2008 Ementa:Dispõe sobre as diretrizes e procedimentos para implantação do Sistema de Avaliação das Aprendizagens nas Escolas da Rede Estadual de Ensino a partir do ano letivo

Leia mais

Este artigo é uma breve resenha da tese de mestrado em economia de Albernaz,

Este artigo é uma breve resenha da tese de mestrado em economia de Albernaz, AMELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: UM DESAFIO PARA O SÉCULO XXI Introdução ANGELA ALBERNAZ* Este artigo é uma breve resenha da tese de mestrado em economia de Albernaz, 2002, 1 cujo objetivo

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 242/2014 Altera a Deliberação CONSEP Nº 107/2012, que Dispõe sobre o Currículo Pleno do Curso de Pedagogia - Licenciatura, regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. e Alexsandro da Silva. 1 Andréa Carla Agnes e Silva é dinamizadora do Programa "Escola Aberta", sob orientação de Telma Ferraz Leal

1. INTRODUÇÃO. e Alexsandro da Silva. 1 Andréa Carla Agnes e Silva é dinamizadora do Programa Escola Aberta, sob orientação de Telma Ferraz Leal TÍTULO: OFICINA DE LEITURA: UMA PROPOSTA DINÂMICA PARA FORMAÇÃO DE LEITORES AUTORA: Andréa Carla Agnes e Silva 1 INSTITUIÇÃO: Universidade Federal de Pernambuco Escola Aberta ÁREA TEMÁTICA: Educação 1.

Leia mais

Que as novas tecnologias de

Que as novas tecnologias de Resenha A teoria e a prática de EAD GIUSTA, Agnela da Silva; FRANCO, Iara Melo (orgs.). Educação a Distância: uma articulação entre a teoria e a prática Paulo Roberto Salles Garcia Mestre em Comunicação

Leia mais

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas Descrição da infraestrutura física destinada aos cursos, incluindo laboratórios, equipamentos instalados, infraestrutura de informática e redes de informação. Relação de laboratórios, oficinas e espaços

Leia mais

PARCERIA DE SUCESSO AMOG / IFSULDEMINAS. TRÊS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM ANDAMENTO

PARCERIA DE SUCESSO AMOG / IFSULDEMINAS. TRÊS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM ANDAMENTO PARCERIA DE SUCESSO AMOG / IFSULDEMINAS. TRÊS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM ANDAMENTO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E TECNOLOGIA IFSULDEMINAS CAMPUS MUZAMBINHO Parceria ASSOCIAÇÃO DOS

Leia mais

Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil.

Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil. Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil. 1 Autora :Rosângela Azevedo- PIBID, UEPB. E-mail: rosangelauepb@gmail.com ²Orientador: Dr. Valmir pereira. UEPB E-mail: provalmir@mail.com Desde

Leia mais

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR O USO DO BLOG COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR Isnary Aparecida Araujo da Silva 1 Introdução A sociedade atual vive um boom da tecnologia,

Leia mais

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA PROPOSTAS

Leia mais

Trabalho e educação. Vamos aos fatos

Trabalho e educação. Vamos aos fatos Trabalho e educação Vamos aos fatos O maior problema da educação brasileira é o povo brasileiro. Sinto muito, mas esta é a conclusão a que muitos de nossos educadores chegaram. Somos uma nação materialista,

Leia mais

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA A GARANTIA DO PERCURSO ESCOLAR DO ALUNO NA CONVIVÊNCIA DOS DOIS REGIMES DE ENSINO: ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE OITO ANOS E ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE NOVE ANOS. IMPLANTANDO

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

O significado do Ensino Médio Público na visão dos estudantes

O significado do Ensino Médio Público na visão dos estudantes *Pôster: O Significado do Ensino Médio Público na Visão dos Estudantes. Apresentado no XIV Seminário de Pesquisa do CCSA. Realizado no período de 24 a 26 de setembro de 2008, na UFRN. Autores: ; ;. O significado

Leia mais

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes > Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), inicialmente, tinha como objetivo avaliar o desempenho

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Não se aprende por exercícios, mas por práticas significativas. Essa afirmação fica quase óbvia se pensarmos em como uma

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 13/2009 Altera os Anexos e I da Resolução n. 64/2006 do CONSEPE, que aprova o Projeto

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. 16\10\14 das 8h30 às 11h30

SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. 16\10\14 das 8h30 às 11h30 Câmpus de Presidente Prudente SÍNTESE DA 5ª REUNIÃO DE REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FCT/PRESIDENTE PRUDENTE. Presentes: 16\10\14 das 8h30 às 11h30 DOCENTES: Cinthia

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná

Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE METODOLOGIA PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS E ALFABETIZAÇÃO FORMAÇÃO DE DOCENTES

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12 Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC 30/05/12 Alguns dados disponíveis sobre analfabetismo Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo

Leia mais

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática

A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática A importância dos Registros de Representação Semiótica no Ensino da Matemática PROF. MS. JOSÉ JOÃO DE MELO (josejoaomelo@gmail.com) PROF ESP. AUGUSTO RATTI FILHO (gutoratti@outlook.com.br) PROF DR. ROGERIO

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais Edilson José de Carvalho¹ Jarbas de Holanda Beltrão² 1 Pedagogo e Especialista em Educação

Leia mais

Currículo em Movimento: o compromisso com a qualidade da educação básica

Currículo em Movimento: o compromisso com a qualidade da educação básica Currículo em Movimento: o compromisso com a qualidade da educação básica Ministério da Educação Secretaria da Educação Básica Diretoria de Concepções e Orientações Curriculares para Educação Básica Qualidade

Leia mais

PATRÍCIA SANTOS COUTO UFRPE/LACAPE JOSINALVA ESTACIO MENEZES UFRPE/LACAPE jomene@ufrpe.br

PATRÍCIA SANTOS COUTO UFRPE/LACAPE JOSINALVA ESTACIO MENEZES UFRPE/LACAPE jomene@ufrpe.br UMA EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DE JOGOS E MATERIAL CONCRETO EM CAPACITAÇÕES COM PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM PERNAMBUCO: INTERDISCIPLINARIDADE, REFLEXOS E PERSPECTIVAS PATRÍCIA

Leia mais

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO Cícero Félix da Silva; Izailma Nunes de Lima; Ricardo Bandeira de Souza; Manoela

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO 190 RELATÓRIO FINAL BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO Uma das características mais marcantes da chamada sociedade da informação é o extraordinário desenvolvimento

Leia mais

TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Maria Teresa Marques Amaral. Introdução

TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Maria Teresa Marques Amaral. Introdução TUTORIA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Maria Teresa Marques Amaral Introdução Buscando no dicionário a palavra tutor vamos encontrar como primeira definição o jurídico: indivíduo que exerce uma tutela (dita tutoria)

Leia mais

Pedagogia Profª Silvia Perrone. Ensino de Língua Portuguesa. Roteiro. Teorias que orientam o ensino

Pedagogia Profª Silvia Perrone. Ensino de Língua Portuguesa. Roteiro. Teorias que orientam o ensino Pedagogia Profª Silvia Perrone Ensino de Língua Portuguesa Roteiro Teorias que orientam o ensino: empirista e construtivista. A visão de texto nas diferentes teorias. Ensinar a produzir textos na escola.

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

PROVINHA BRASIL E HABILIDADES DE LEITURA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE OS NÍVEIS DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

PROVINHA BRASIL E HABILIDADES DE LEITURA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE OS NÍVEIS DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1 PROVINHA BRASIL E HABILIDADES DE LEITURA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE OS NÍVEIS DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO INTRODUÇÃO Solange dos Santos (UFS) A leitura tem sido por muito tempo um tema muito debatido

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Jornadas da Educação, 2015

Jornadas da Educação, 2015 República de Moçambique Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação Jornadas da Educação, 2015 A nossa escola por uma educação inclusiva, humanista

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA Vera Lúcia de Brito Barbos Mestranda em Educação Lúcia de Araújo R. Martins UFRN 1. INTRODUÇÃO Podemos considerar que estamos atravessando um dos maiores

Leia mais

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock ABCEducatio entrevista Sílvio Bock Escolher uma profissão é fazer um projeto de futuro A entrada do segundo semestre sempre é marcada por uma grande preocupação para todos os alunos que estão terminando

Leia mais

Metodologia de pesquisa-ação na prática extensionista

Metodologia de pesquisa-ação na prática extensionista IV Seminário de Extensão da UFRN- Natal, 26-11-2008 Metodologia de pesquisa-ação na prática extensionista Michel Jean-Marie Thiollent Professor associado COPPE/UFRJ Coordenador de Extensão Decania do Centro

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE ABRANTES CURRICULUM VITAE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE ABRANTES CURRICULUM VITAE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE ABRANTES CURRICULUM VITAE ALCINO JOSÉ BRÁS HERMÍNIO Curriculum Vitae Alcino José Brás Hermínio Página 1/6 INFORMAÇÃO PESSOAL Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) BRÁS HERMÍNIO,

Leia mais

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO Sílvia Cristina Fernandes Paiva 1 Ana Arlinda Oliveira 2 A leitura literária na escola Podemos afirmar que a leitura é fundamental para construção

Leia mais

COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS COLÉGIO J. OLIVEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS 01. JUSTIFICATIVA: Entendemos que a Educação de Jovens e Adultos foi concebida para resgatar aqueles que por vários motivos tenham

Leia mais

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ALFABETIZAÇÃO NO TEMPO CERTO NAs REDES MUNICIPAIS DE ENSINO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS

Leia mais

111 ENSINO FUNDAMENTAL

111 ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO FUNDAMENTAL 111 A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NO MUNICÍPIO 112 O Sistema Público Municipal de Ensino de Viana, acompanhando as mudanças educacionais de ordem político-pedagógica

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Érika Cristina Mashorca Fiorelli, UNESP - Presidente Prudente-SP, SESI/SP; Ana

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais