Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras."

Transcrição

1 CONCEITOS TÁTICOS E SISTEMAS Conceitos Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. Tipos de sistemas: Sistemas defensivos: Tem como objetivo impedir as manobras ofensivas utilizadas pelo adversário. Sistemas ofensivos: tem como objetivo chegar ao gol adversário através de manobras pré-estabelecidas. Manobras: Ações individuais ou coletivas, aplicadas nos diferentes sistemas de jogo Táticas: Uma gama de estratégias previamente elaboradas, aplicadas de acordo com os adversários e as condições que envolvem uma partida MARCAÇÃO Disposição dos jogadores na quadra, com o objetivo de impedir uma ação ofensiva do adversário Marcação pode ser: Pressão: Total ou parcial e Meia quadra Tipos de Marcação: Zona (pressão total ou parcial e meia quadra) Ë pouco recomendada, pois no Futsal atual, onde os jogadores deslocam-se constantemente sem posições fixas, facilmente o ataque se colocará em vantagem numérica sobre a defesa em determinados setores da quadra. Vantagens: pouco desgaste físico, pois cada jogador mantém a sua posição. Desvantagens: Se não for bem treinada facilita o erro, possibilita o adversário utilizar dois jogadores em um setor. Individual (pressão total ou parcial e meia quadra) É a mais utilizada no Futsal atual, onde cada jogador da defesa marca um oponente do ataque por toda a quadra de jogo, isto é, o defensor desloca-se com seu oponente por toda a quadra. Vantagens: Contra equipes de pouca condição física; recomendada para equipes iniciantes; facilita identificar o erro. Desvantagens: Compromete o sistema de cobertura; facilita o adversário utilizar o bloqueio; a equipe deve ter ótima condição física. Mista (pressão total ou parcial e meia quadra) Muito utilizada no Futsal de alto nível, exige muito a coordenação nos movimentos pelos praticantes. Neste tipo de marcação, onde há uma variação entre a marcação por zona e a marcação individual, há uma troca de marcadores em determinados setores da quadra. Vantagens: Facilita o sistema de cobertura e diminui o desgaste físico. Desvantagens: Contra indicado para iniciantes; erro de coordenação na troca de marcação coloca o adversário em superioridade numérica. Tipos de marcação mais utilizadas Marcação Diagonal ou gangorra (3 x 1) Pode ser com marcação total ou parcial. Consiste em tirar espaços do homem de posse da bola, e os defensores formam uma linha diagonal atrás do jogador que marca o adversário com bola. Este tipo de marcação também é conhecido como Gangorra, isto é, no momento que a bola é passada de um atacante para o outro, a defesa irá aproximar-se para a marcação, quando o atacante estiver com a bola a frente de sua área de meta os defensores devem posicionar-se atrás do marcador do atacante com a posse de bola, formando um triângulo entre os defensores na quadra de ataque.

2 Esta marcação também é conhecida como marcação no homem de posse de bola, pois a característica principal é efetiva marcação pressão no jogador que no momento estiver com a posse de bola, evitando qualquer ação de ataque daquele atleta. Marcação de faltas (formação de barreiras) É muito importante um sistema de defesa pré-determinado, para que o adversário não tenha êxito na cobrança de uma falta. Devemos primeiramente saber como montarmos a barreira e após onde posicionaremos os homens da sobra (aqueles que não ficarão na barreira). Para formar a barreira e a sobra, devemos primeiro considerar o local da quadra que a falta será cobrada e após posicionarmos a barreira com o número necessário de jogadores. Recomenda-se utilizar as seguintes formações de barreira, com os respectivos jogadores na sobra. Ao formar a barreira deve-se considerar: Os jogadores da barreira não devem deslocar-se da barreira (sair) antes que a bola seja movimenta pelo adversário, para evitar que com um chute direto a bola passe pela barreira. Deve-se também evitar que os jogadores da barreira tentem adivinhar onde a bola será passada. Colocar nas extremidades da barreira jogadores rápidos, para que os mesmos possam sair e tentar impedir o chute do adversário. Quando a barreira estiver dentro da área, pode-se utilizar o jogador da extremidade da barreira e oposto ao goleiro, um pouco mais atrás que os demais componentes da barreira, sem deixar espaço entre ele e os demais por onde a bola possa passar. Nesta situação, que chamamos de Escalonar a barreira, evita-se de colocar muito jogador na barreira e podemos ter mais jogadores na sobra para marcar.

3 SISTEMAS Podemos definir sistema como a colocação dos jogadores em quadra como o objetivo de anular as manobras ofensivas das equipes adversárias (defender) e confundir seus dispositivos defensivos para marcar um gol (atacar), ou seja, é a distribuição ordenada dos jogadores em quadra. Os sistemas podem ser defensivos ou ofensivos. Os sistemas ofensivos de acordo com MUTTI (2003, p. 180) podem ser 2 x 2, 3 x 1, 1 x 3, 1 x 2 x 1, 2 x 1 x 1, 1 x 2 x 2 ou 4 x 0. Nos sistemas defensivos o mesmo autor identifica a marcação por zona e a marcação individual como os sistemas defensivos. SISTEMA 2 X 2. Esse sistema utiliza dois jogadores e dois no ataque. É o sistema de jogo mais simples que uma equipe pode adotar. Por essa razão, é o sistema mais utilizado nas categorias menores, pelos principiantes e pelas equipes de menor condição técnica. Esse sistema pode ser considerado a causa primária do sistema 3 x 1 e 1 x 3, pois a formação 2 x 2 se dá tanto como quando a equipe ataca como quando defende. Quando um dos atacantes recua para dar mais estrutura à defesa ou um defensor apóia o ataque tem início o sistema 3 x 1 1 x 3. O sistema 2 x 2 não oferece muitas opções de jogadas, em razão da colocação dos jogadores em quadra, o que torna tanto o ataque como a defesa deficientes ou carentes de mais apoio; no entanto, apesar sas limitações, podem-se conseguir bons resultados, principalmente em quadras menores. - X1 é jogador que atua pelo lado esquerdo defensivo. - X2 é jogador que atua pelo lado direito defensivo. - X4 é jogador que atua pelo lado esquerdo ofensivo. - X3 é jogador que atua pelo lado direito ofensivo. SISTEMA 3 x 1 Esse sistema se caracteriza pela existência de um jogador fixo na defesa, dois alas que fazem o vaivém de defesa e ataque e um pivô que joga sempre mais adiantado, tanto quando ataca como quando defende. É um sistema em a equipe ataca e defende com três jogadores. A formação 3 x 1 se dá quando a equipe inicia suas manobras ofensivas no seu setor defensivo com três jogadores, que se movimentam procurando um espaço para receber e tocar a bola até o pivô; quando se defende, cabe ao fixo vigiar a zona central da defesa e aos dois alas, as duas zonas laterais da quadra. O pivô deve se colocar no centro da quadra, tendo como função o primeiro combate ao adversário em qualquer setor da quadra. Nessa formação inicial de defesa podem ocorrer variações de cobertura ou de combate. Por sua vez, a formação 1 x 3 se verifica quando a equipe está no ataque, ou seja, a bola foi tocada ao pivô e os alas avançam para a meia quadra adversária para realizar manobras ofensivas na tentativa de chute a gol. O fixo só deverá ir ao setor ofensivo em casos excepcionais e, quando acontecer, deverá haver cobertura naquele setor. Esse sistema oferece uma gama de opções no que diz respeito a ações ofensivas, e é mais utilizado pelas equipes que possuem jogadores de maior gabarito técnico.

4 - X1 é jogador que atua no centro defensivo Fixo - X2 é jogador que atua pelo lado direito defensivo/ofensivo Ala - X3 é jogador que atua pelo lado esquerdo ofensivo/ofensivo Ala - X4 é jogador que atua no centro ofensivo - Pivô SISTEMA 1 x 2 x 1 e 2 x 1 x 1 Esses sistemas de jogo são mais utilizados nos lances de saída de bola no tiro de meta, onde os jogadores se posicionam adotando esses sistemas com o intuito de provocar uma reação na marcação da equipe adversária, e logo realizam movimentações para confundir seus dispositivos defensivos, e conseguir executar suas jogadas sem que a equipe defensora consiga neutralizar o lance. Esses sistemas podem ser considerados como variantes de outros sistemas como o 2 x 2, 3 x 1 e 4 x 0. SISTEMA 4 X 0 O sistema 4 x 0 é o mais moderno posicionamento utilizado no futsal e caracteriza-se pela colocação de 4 jogadores no setor defensivo na armação das jogadas. É também conhecido como 4 em linha e exige uma constante movimentação dos jogadores. Na Europa, principalmente na Espanha, é muito utilizado em virtude das dimensões das quadras que, quase em sua maioria, são de 40 x 20 metros. No Brasil começa a ganhar adeptos porque é um sistema que possibilita uma grande combinação de movimentos e uma alternância de posicionamento que dificultam muito a marcação adversária. O sistema 4 x 0 também oferece amplas opções de jogadas, por esta razão é hoje um dos mais utilizados pelas equipes de alto rendimento.

5 X1 atua pelo centro direito e quando sai para o ataque o X4 retorna para o seu lugar X2 Realiza a mesma função que X1 voltando pela lateral X3 atua pela lateral esquerda e entra pelo meio quando os jogadores X1 e X2 sairem pelo meio X4 mesma função (pelo lado direito) de X3 SISTEMA 1 X 2 X 2 OU 1 X 4 Com as modificações realizadas nas regras oficiais do futsal, um novo sistema de jogo foi criado. Falamos da permissão do goleiro atuar fora da área de meta, o que permitiu a opção de um novo posicionamento dos jogadores para atacar a equipe defensora, procurando estabelecer uma superioridade numérica afim de facilitar a posse de bola e, consequentemente a finalização das jogadas. É utilizado bastante nos finais de partidas onde uma equipe necessita de um resultado. Pode ser usado com o goleiro ou mesmo um jogador de linha na posição com objetivo de melhorar p passe e a situação ofensiva. X1 atua pelo centro direito do ataque sai como opção para o goleiro X2 atua pelo centro esquerdo do ataque sai como opção para o goleiro X3 atua pela lateral esquerda mais ofensivo e retorna para o lugar de X1 e X2 X4 mesma função (pelo lado direito) de X3

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Colégio Adventista de Rio Preto Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Futebol de Salão - Futsal Caracterização: É um jogo coletivo desportivo, entre duas equipes, sendo cada uma constituída por doze

Leia mais

Princípios Táticos. Aprofundamento em Futebol

Princípios Táticos. Aprofundamento em Futebol Princípios Táticos Aprofundamento em Futebol DEFENSIVO Linha Bola Gol Equilíbrio homem-bola e Numérico Acompanhamento Cobertura Desarme Linhas de Marcação Tipos de Marcação Princípios Táticos OFENSIVO

Leia mais

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken TÉCNICO CBV SAQUE POR CIMA - Sem SALTO Saque sem salto 1 a ensinar; Técnica geral será utilizada, nos saques com salto TRANSFERÊNCIA. POSTURA

Leia mais

CAPÍTULO 7.1. Basquetebol. Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis. cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20

CAPÍTULO 7.1. Basquetebol. Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis. cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20 7 CAPÍTULO Basquetebol 7.1 Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20 cap7.1.indd 2 27/05/13 18:20 PRINCIPIANTE 1 X 1 + 1 PRINCIPIANTE 01 PRINCIPIANTE

Leia mais

Evolução Tática do Futebol. Prof. Esp. Sandro de Souza

Evolução Tática do Futebol. Prof. Esp. Sandro de Souza Evolução Tática do Futebol Prof. Esp. Sandro de Souza O Campo Comprimento: 90 min e 120 máx Largura: 45 min 90 máx Os Jogadores Posicionados de acordo com a região do campo DEFESA MEIO-CAMPO ATAQUE ZAGUEIROS

Leia mais

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Faculdade de Motricidade Humana Escola Secundária Fernando Namora Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Orientadores: Professores Estagiários:

Leia mais

JORGE CASTELO EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA. Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013

JORGE CASTELO EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA. Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013 JORGE CASTELO! EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013 Jorge Castelo Data de Nascimento: 26-01-1957; Nacionalidade: Portuguesa; Profissões:

Leia mais

Fundamentos técnicos do Handebol

Fundamentos técnicos do Handebol Resumo com autoria de Edvaldo Soares de Araújo Neto e Anália Beatriz A. S. Almeida. Fundamentos técnicos do Handebol Recepção Conceito: ato de receber a bola normalmente com as duas mãos; Objetivo: amortecer

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Complexas

Leia mais

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO Capacidades táticas Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.1.3 Tirar vantagem tática cap5.1.3.indd 1 27/05/13 18:07 cap5.1.3.indd 2 27/05/13 18:07 APRENDIZAGEM TÁTICA

Leia mais

Entidade Mantenedora: SEAMB Sociedade Espírita Albertino Marques Barreto CNPJ: /

Entidade Mantenedora: SEAMB Sociedade Espírita Albertino Marques Barreto CNPJ: / A5 ATIVIDADES DE MATEMÁTICA Aluno: Complete com os números que faltam: 1 4 6 8 10 12 14 16 17 18 20 Anexo: Conceitos Matemáticos Dinâmica Escolher uma forma criativa para apresentar a situação criada

Leia mais

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 FUTSAL Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 ÍNDICE Índice... i FUTSAL... 1 Fundamentos técnicos:... 1 Posições dos Jogadores no Futsal:... 1 Regras:... 2 Campo... 2 Área de

Leia mais

CAPÍTULO Reconhecer espaços. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO Reconhecer espaços. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO Capacidades táticas Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.1.5 Reconhecer espaços cap5.1.5.indd 1 27/05/13 18:09 cap5.1.5.indd 2 27/05/13 18:09 APRENDIZAGEM TÁTICA

Leia mais

VOLEIBOL 8º Ano. Voleibol. Origem e Evolução: 07/05/2013. William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette

VOLEIBOL 8º Ano. Voleibol. Origem e Evolução: 07/05/2013. William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette VOLEIBOL 8º Ano Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette Brasil 1915 Pernambuco Colégio Marista ou ACM s São Paulo 1916 1954 CBV 1982 afirmação brasileira

Leia mais

Prof. Maick da Silveira Viana

Prof. Maick da Silveira Viana Regras do Handebol Prof. Maick da Silveira Viana REGRA 1 A quadra do jogo REGRA 2 - A duração da partida A partida de handebol consiste em dois tempos divididos por um intervalo de 10 minutos. A duração

Leia mais

Técnica-Táctica e Treino

Técnica-Táctica e Treino FUTSAL Técnica-Táctica e Treino Legenda Atacante Defesa Deslocamento Deslocamento com bola Marcações Barra Pino / Meco Passe Barreira Remate Simulação Salto Guarda-Redes Bola Deitar Sentar Pi Princípios

Leia mais

"Nunca esqueça que a vaidade é inimiga do espírito de equipe."

Nunca esqueça que a vaidade é inimiga do espírito de equipe. OBSERVAÇÕES COM RELAÇÃO AO: ARREMESSO DE GOLEIRO; ARREMESSO DE META; TIRO LATERAL. Caros colegas Oficiais, Dirigentes, Técnicos, Professores, Atletas e demais interessados pelo Futsal, estamos encaminhando

Leia mais

METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL. Osvaldo Tadeu da Silva Junior METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL Osvaldo Tadeu da Silva Junior INICIAÇÃO ÀS TÉCNICAS INDIVIDUAIS INTRODUÇÃO FUTSAL: Da iniciação ao Alto nível Daniel Mutti A técnica consiste na execução individual dos

Leia mais

ALUNO (A): Nº. 2- Quantos jogadores de handebol ficam na reserva? A. 5jogadores. B. 6jogadores. C. 7jogadores. D. 8jogadores. E. 9jogadores.

ALUNO (A): Nº. 2- Quantos jogadores de handebol ficam na reserva? A. 5jogadores. B. 6jogadores. C. 7jogadores. D. 8jogadores. E. 9jogadores. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 6º A, B, C DISCIPLINA:

Leia mais

"Em um momento mágico de trégua no mundo mitológico do xadrez, os peões trocaram suas armas por uma bola e resolveram jogar uma partida de futebol..." Futebol de Tabuleiro Livro de Regras Rafael Cotait

Leia mais

PRIMEIRA PROVA SOMATIVA COM USO DO TEMPORIZADOR

PRIMEIRA PROVA SOMATIVA COM USO DO TEMPORIZADOR Esta avaliação é composta por 20 questões objetivas, ou seja, somente uma questão está correta. O tempo para cada questão, será de um minuto para escolher uma das alternativas, fique atento, pois, a mudança

Leia mais

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

CAPÍTULO 7.3. Handebol. Pablo Juan Greco Juliana Pacheco Magalhães Fernando Lucas Geco. cap7.3.indd 1 27/05/13 18:21

CAPÍTULO 7.3. Handebol. Pablo Juan Greco Juliana Pacheco Magalhães Fernando Lucas Geco. cap7.3.indd 1 27/05/13 18:21 7 CAPÍTULO Handebol 7.3 Pablo Juan Greco Juliana Pacheco Magalhães Fernando Lucas Geco cap7.3.indd 1 27/05/13 18:21 cap7.3.indd 2 27/05/13 18:21 PRINCIPIANTE 1 X 0 PRINCIPIANTE 01 1 X 0 PRINCIPIANTE 02

Leia mais

Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização. Treinador do Sporting CP (14/15)

Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização. Treinador do Sporting CP (14/15) Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização Treinador do Sporting CP (14/15)! Modelo de Jogo baseado no! Relatório de Estágio de:! Pereira, G. (2013) - FMH! Estoril 2011/2012 Contextos de Exercitação!

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL

COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL O futebol é um esporte coletivo jogado principalmente com os pés, como seu nome próprio diz (foot=pé, ball=bola). O futebol

Leia mais

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O MATERIAL O volante e a raqueta OS JOGADORES O jogo pode ser disputado por dois jogadores de cada lado (pares Homens,

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE MARCAÇÃO QUADRANTE EM EQUIPES DE FUTSAL DE ALTO RENDIMENTO RESUMO

IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE MARCAÇÃO QUADRANTE EM EQUIPES DE FUTSAL DE ALTO RENDIMENTO RESUMO IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE MARCAÇÃO QUADRANTE EM EQUIPES DE FUTSAL DE ALTO RENDIMENTO PEDROSA, Olakson Pinto. Professor do Curso de Educação Física da ULBRA * MEDEIROS, Robson Duarte de. Graduado em Educação

Leia mais

WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version. Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa

WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version. Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa (Este questionário é de consulta livre open book e baseia-se nas regras do Ultimate WFDF

Leia mais

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP 1. Diferenças entre as Leis de Jogo do Futsal e as regras aplicadas na TAGUSCUP Não há faltas

Leia mais

CONTEÚDO DOS 6º ANOS MAT E VESP REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016

CONTEÚDO DOS 6º ANOS MAT E VESP REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016 CONTEÚDO DOS 6º ANOS MAT E VESP REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016 Jogos cooperativos e jogos cooperativos Conceitos: Nos jogos cooperativos existe cooperação, que significa agir em conjunto para superar

Leia mais

História do Basquetebol

História do Basquetebol História do Basquetebol Foi inventado por um professor Canadiano, James Naismith no ano de 1891. Em Dezembro do mesmo ano, teve lugar o primeiro jogo, no Springfield College, nos EUA. O seu primeiro nome

Leia mais

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO ARTº 1º Os jogos de Futsal serão realizados preferencialmente nos recintos de Andebol (aproveitando as suas marcações) ou em um quarto de campo de futebol de 11 (quando possível

Leia mais

CPMG - POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS APOSTILA DE FUTSAL DO 9 O ANO

CPMG - POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS APOSTILA DE FUTSAL DO 9 O ANO CPMG - POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS APOSTILA DE FUTSAL DO 9 O ANO A QUADRA DE FUTSAL 1- Dimensões A quadra de jogo será um retângulo com o comprimento de 40 metros e largura de 20 metros. As linhas

Leia mais

UNIVERSO - Disciplina: Futebol e Futsal Prof. Sandro de Souza

UNIVERSO - Disciplina: Futebol e Futsal Prof. Sandro de Souza SISTEMAS OFENSIVOS E DEFENSIVOS DO FUTSAL Sistema é o posicionamento organizado dos jogadores de uma equipe na quadra. Para que o professor posicione a equipe na quadra de forma organizada, inteligente,

Leia mais

Federação Mineira de Handebol Filiada a CBHb Confederação Brasileira de Handebol Fundada em 20 de julho de 1971

Federação Mineira de Handebol Filiada a CBHb Confederação Brasileira de Handebol Fundada em 20 de julho de 1971 REGULAMENTO CAMPEONATO MINEIRO INFANTIL DE CLUBES 2013 1. A Competição será realizada de acordo com o Regulamento Geral de Competições da FMH, pelas regras oficiais da IHF e por este Regulamento Especifico.

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO

COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO 1. Goleiro como um jogador de quadra. A regra era seis (06) jogadores de quadra + 1 goleiro. Pela

Leia mais

Badminton. badminton. badminton. badminton. badminton 3/27/2014. Caraterização. Caraterização. O Campo. Duração do Jogo

Badminton. badminton. badminton. badminton. badminton 3/27/2014. Caraterização. Caraterização. O Campo. Duração do Jogo Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização O Campo O é um jogo desportivo de raquetes cujo objectivo é marcar pontos e evitar que o adversário

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE Badminton FUNDÃO, MARÇO DE 2010 Professor Frederico Dias APRESENTAÇÃO / CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1 Escola Secundária De São Pedro Da Cova Voleibol 25-01-2011 Ano lectivo 2010/2011 1 índice Serviço Recepção Passe de costas Remates Manchete Situação de jogo Vídeo Objectivo do jogo Terreno de jogo Toques

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

Chute É o ato de golpear a bola, desviando ou dando trajetória à mesma, estando ela parada ou em movimento.

Chute É o ato de golpear a bola, desviando ou dando trajetória à mesma, estando ela parada ou em movimento. UI MARIA LENIR ARAÚJO MENESES Prof Esp. Leonardo Delgado FUNDAMENTOS TÉCNICOS DO JOGADOR DE FUTEBOL Para uma melhor prática do futebol, faz-se necessário o conhecimento e domínio de algumas técnicas básicas,

Leia mais

BASQUETEBOL: FUNDAMENTOS OFENSIVOS.

BASQUETEBOL: FUNDAMENTOS OFENSIVOS. BASQUETEBOL: FUNDAMENTOS OFENSIVOS. INTRODUÇÃO MARIO ROBERTO GUARIZI IVO ANDRÉ POLONIO UNESP Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Ciência e Tecnologia Pres. Prudente - SP. Departamento de Educação

Leia mais

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III UNIDADES DE FORMAÇÃO HORAS 1. CARACTERIZAÇÃO DO JOGO 6 2. REGRAS DO JOGO E REGULAMENTOS ESPECÍFICOS 4 3. MEIOS DE ENSINO DO JOGO 20 4. COMPONENTES

Leia mais

Questões dos 6º anos

Questões dos 6º anos 2012 - AVALIAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 4ª BIMESTRE Questões dos 6º anos 1- Lembrando que tanto o futebol como o handebol são esportes coletivos, quais comportamentos podemos observar com relação a forma

Leia mais

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas 2012 / 2013 Arbitrar o Tag-Rugby Programa Nestum Rugby nas Escolas AS LEIS DE JOGO DO TAG RUGBY Tamanho da Bola Escalão Infantis (A e B) a bola a utilizar deverá ser a nº3 Escalão Iniciados e Juvenis a

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

Mentalidade Tática no Futebol. Prof.:Msd. Ricardo Luiz Pace Júnior

Mentalidade Tática no Futebol. Prof.:Msd. Ricardo Luiz Pace Júnior Mentalidade Tática no Futebol Prof.:Msd. Ricardo Luiz Pace Júnior O JOGO COMO OBJETO DE ESTUDO O que é a mentalidade tática? Mentalidade tática é a capacidade que deve possuir o jogador de Futsal, para

Leia mais

REPORT MANCHESTER UNITED

REPORT MANCHESTER UNITED REPORT MANCHESTER UNITED Newcastle Vs. Man. UTD 3-3 Premier League Equipa Inicial Manchester United Nomes Nº Posição David De Gea 1 GR Ashley Young 18 DD 1-4-2-3-1 Chris Smalling 12 DC Daley Blind 17 DC

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 As Regras do Jogo de Basquete Oficiais da FIBA são válidas para todas as situações de jogo não especificamente mencionadas nestas Regras do Jogo 3x3. Art. 1 Quadra

Leia mais

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS DISPOSIÇÕES GERAIS REALIZAÇÃO 19 de março de 2016 no Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo, para crianças nascidas entre 2007 e 2004. CERIMÔNIA DE ABERTURA Em cada grupo, às 08h30

Leia mais

Textos para Leitura e Exploração

Textos para Leitura e Exploração COMPONENTE CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Textos para Leitura e Exploração Handebol. 8º ano - Ensino Fundamental II Professora: Raísa Prado. 1º Bimestre / 2016. Página 1 História do handebol Em 29 de outubro

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

Professor: Paulo Adolfo Kepler (Zé)

Professor: Paulo Adolfo Kepler (Zé) Professor: Paulo Adolfo Kepler (Zé) INTRODUÇÃO Caro aluno! Você acaba de ingressar no fascinante mundo do Xadrez, o jogo de tabuleiro mais praticado no mundo. Você estará no comando de um poderoso exército,

Leia mais

Modelo Sénior - Visionamento

Modelo Sénior - Visionamento Modelo Sénior - Visionamento Características para um bom distribuidor: Altura Velocidade/Agilidade Visão Periférica Inteligência Imprevisibilidade Responsabilidade Personalidade em jogo: liderança, independência

Leia mais

CONTEÚDO DOS 7º ANOS REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016

CONTEÚDO DOS 7º ANOS REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016 CONTEÚDO DOS 7º ANOS REFERENTE AO 4º BIMESTRE DE 2016 Qual a diferença entre jogo e esporte O jogo é definido como uma atividade de caráter lúdico com normas livremente estabelecidas pelos participantes.

Leia mais

VII JOGOS DOS APOSENTADOS FENACEF 2016

VII JOGOS DOS APOSENTADOS FENACEF 2016 REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE Art. 1º. O campeonato de futebol soçaite será realizado com as regras estabelecidas pelo Regulamento Geral do VII JOGOS FENACEF, pelo que dispuser o presente regulamento

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE Art. 1º. O Critério de disputa está previsto no REGULAMENTO GERAL. Art.2º. Será realizado nos dias 21 a 23/04/2005, nas dependências do campus da Unemat. Art. 3º. É

Leia mais

REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB. Por Daniel Pomeroy Diretor Oficiais de Arbitragem da CBFS

REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB. Por Daniel Pomeroy Diretor Oficiais de Arbitragem da CBFS REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB Por REGRA 1 A SUPERFÍCIE DE JOGO Placas de publicidade ao redor da quadra de jogo A publicidade vertical, se existir, deverá estar a: 1 Um metro das linhas laterais, exceto

Leia mais

Aprendendo a jogar Xadrez

Aprendendo a jogar Xadrez O núcleo de xadrez da nossa Escola continua particularmente activo, e dando continuidade ao material produzido para o número anterior da nossa revista, onde detalhou a forma como se procede à anotação

Leia mais

REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB

REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB REGRAS DE JOGO E DECISÕES DA IFAB REGRA 1 A SUPERFICIE DE JOGO Placas de publicidade ao redor da quadra de jogo A publicidade vertical, se existir, deverá estar a: 1 Um metro das linhas laterais, exceto

Leia mais

1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo.

1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo. 1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo. 2. O jogador que receber um cartão azul será excluído

Leia mais

ABC DO XADREZ GUIA DE APRENDIZAGEM

ABC DO XADREZ GUIA DE APRENDIZAGEM AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE ARCOZELO ABC DO XADREZ GUIA DE APRENDIZAGEM A Coordenadora: Prof. Fernanda Marinho Regras Básicas A posição do Tabuleiro deve ser colocada de uma forma que o jogador

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL SÚMULA E RELATÓRIO DA PARTIDA

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL SÚMULA E RELATÓRIO DA PARTIDA SÚMULA E RELATÓRIO DA PARTIDA JOGO: Campeonato: Jogo: Data: Estádio: Horário: FICHA TÉCNICA Rodada: UF: EQUIPE DE ARBITRAGEM FUNÇÃO NOME COMPLETO CAT. UF Árbitro: Árbitro Assistente 1: Árbitro Assistente

Leia mais

Referenciais de FORMAÇÃO

Referenciais de FORMAÇÃO Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação

Leia mais

IV Torneio Treta Futebol Society TRETA CHAMPIONS LEAGUE 2016

IV Torneio Treta Futebol Society TRETA CHAMPIONS LEAGUE 2016 IV Torneio Treta Futebol Society TRETA CHAMPIONS LEAGUE 2016 Datas e horários: Inicio em 01/10/2016 até 26/11/2016 Horário das 15h00min às 17h30min Sobre o número de atletas por equipe: Inscrições de no

Leia mais

Regras do Jogo - Futsal

Regras do Jogo - Futsal Regras do Jogo - Futsal Pré-Jogo: A escolha dos campos é determinada por um sorteio efetuado por meio de uma moeda. A equipa favorecida pela sorte escolhe a baliza em direção à qual atacará durante a primeira

Leia mais

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos CLAUDE BAYER CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos técnicos (Prática) 02/05 Aspectos táticos

Leia mais

TÉNIS DE PRAIA REGRAS

TÉNIS DE PRAIA REGRAS TÉNIS DE PRAIA REGRAS 1. O campo O campo será composto por um retângulo de 16 metros de comprimento e 8 metros de largura. Será dividido pela sua metade por uma rede sustentada por postes que, na sua parte

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol

Leia mais

Fundamentos do Futebol

Fundamentos do Futebol Fundamentos do Futebol Sumário Apresentação Capítulo 1 O passe 1.1 Passe Simples 1.2 Passe Peito do pé 1.3 Passe com a lateral externa do pé 1.4 Passe de cabeça 1.5 Passe de Calcanhar 1.6 Passe de bico

Leia mais

Regras do Futsal. Confira as principais regras do futsal de acordo com Livro Nacional de Regras da CBFS, aprovado pela Fifa:

Regras do Futsal. Confira as principais regras do futsal de acordo com Livro Nacional de Regras da CBFS, aprovado pela Fifa: Regras do Futsal Apesar da semelhança em vários pontos com o futebol de campo, as regras do futsal são diferentes. Regras básicas foram mantidas e outras como a dimensão da quadra, as marcações, número

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS AÇÕES DE FINALIZAÇÃO EM JOGOS DE FUTSAL: uma análise técnico-tática

CARACTERIZAÇÃO DAS AÇÕES DE FINALIZAÇÃO EM JOGOS DE FUTSAL: uma análise técnico-tática CARACTERIZAÇÃO DAS AÇÕES DE FINALIZAÇÃO EM JOGOS DE FUTSAL: uma análise técnico-tática Alexandre Andrade Gomes / UNI-BH Leonardo Henrique Silva Fagundes / UNI-BH Pablo Ramon Coelho de Souza / UNI-BH Alessandro

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Voleibol! Caraterização Voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, separadas por uma

Leia mais

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? A equipa e o Campo O é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujos objectivos são introduzir

Leia mais

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto Guifões 21/05/2012 Introdução: Os jogadores Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Os nossos jogadores sabem cada

Leia mais

Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015

Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015 Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015 INFANTIL REGULAMENTO: A Sub-diretoria de Futsal Infantil de Esportes do Jaraguá Clube Campestre realizará, no período de 30/08 a 14/11/2015.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA TODO O CAMPO (O MODELO ADOPTADO NAS SELECÇÕES NACIONAIS DE SUB 16 E 20 FEM. E NO C.N.T CALVÃO) RICARDO VASCONCELOS EUGÉNIO RODRIGUES Clinic Campeonatos Nacionais

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Futsal! Caraterização O Futsal é uma modalidade praticada por duas equipas, compostas cada uma por cinco elementos

Leia mais

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia Escola Secundária Dr. João Araújo Correia CONTEÚDOS E CARGAS PARA O ESINO SECUNDÁRIO NO ANO LECTIVO 2015-2016 Considerando: - O Programa de Educação Física; - O documento de apoio elaborado por Docentes

Leia mais

Futebol. Origem. Caraterização

Futebol. Origem. Caraterização Origem Foi na Grã-Bretanha, durante o Séc. XIX que as suas regras começaram a ser definidas e a aproximar-se das que hoje são praticadas. O primeiro regulamento data de 1823 e a primeira associação de

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 6ª PROVA 5º ANO 2016

EDUCAÇÃO FÍSICA 6ª PROVA 5º ANO 2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 6ª PROVA 5º ANO 2016 Handebol Devido ao fato do esporte ter sido desenvolvido por um professor de educação física, o handebol ganhou grande aceitação nas escolas e colégios de muitos países,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO

PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO BASQUETE TRIO: CHAVE U 1º SORTEIO KLABIN OC 2º SORTEIO KLABIN CP 3º SORTEIO KLABIN LGS O congresso técnico e sorteio dos confrontos será realizado no dia do evento. Data: 06/07/2016

Leia mais

Regulamento específico das modalidades

Regulamento específico das modalidades Festival de Jogos 6ª a 8ª séries 2013 Regulamento específico das modalidades Colégio Santa Dorotéia TAPABOL (MASC./ FEM.) 1) Os jogos terão 16 minutos de duração. Aos 8 minutos será feita a inversão de

Leia mais

IVÁN MARTÍN LEÓN MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS. ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa Apontamentos João Cardoso

IVÁN MARTÍN LEÓN MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS. ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa Apontamentos João Cardoso BLOQUEIOS DIRECTOS E BLOQUEIOS INDIRECTOS IVÁN MARTÍN LEÓN Design: PlanetaBasket MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa 2010 Apontamentos João Cardoso INTRODUÇÃO Ao ver o

Leia mais

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO JDICT Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.2 Jogos de inteligência e criatividade tática cap5.2.indd 1 27/05/13 18:16 cap5.2.indd 2 27/05/13 18:16 APRENDIZAGEM

Leia mais

Normas I Torneio Inter- Freguesias de Voleibol do Nordeste (4x4)

Normas I Torneio Inter- Freguesias de Voleibol do Nordeste (4x4) Normas I Torneio Inter- Freguesias de Voleibol do Nordeste (4x4) CAPÍTULO I Instalações e Materiais Terreno de jogo - Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 metros de largura. 1) Linhas de marcação

Leia mais

Conheça as medidas oficiais da quadra e as regras do Beach Tennis

Conheça as medidas oficiais da quadra e as regras do Beach Tennis Para começar a jogar Conheça as medidas oficiais da quadra e as regras do Beach Tennis Por Marcela Evangelista HÁ MAIS DE 30 ANOS, quando o Beach Tennis surgiu nas areias da Itália, tratava-se de uma atividade

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o 2016-2017 DISCIPLINA / ANO: Educação Física / 11º Ano MANUAL ADOTADO: Em Movimento 10/11/12 Edições ASA II, S.A. GESTÃO DO TEMPO 1º PERÍODO Nº de

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

CAPÍTULO III METODOLOGIA

CAPÍTULO III METODOLOGIA CAPÍTULO III METODOLOGIA 1. Amostra Para a realização deste trabalho foram recolhidos dados de 4 jogos completos de Hóquei em Patins, relativos ao Campeonato Europeu de Juvenis, nos quais havia necessariamente

Leia mais

ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012

ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012 ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012 Para conhecimento geral, informa-se que a FIFA, através da sua Circular Nº 1265, de 09.06.2011, divulgou as alterações às Leis do Jogo do Futsal 2011/2012,

Leia mais

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados)

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Nome: Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Observe a figura acima e responda as questões a seguir: 1. A sequência se refere à prova de. 2. Em que distâncias essa prova

Leia mais

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido.

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. www.barcodetablefootball.com Como jogar Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. É o melhor e mais realista de todos os jogos

Leia mais

Regras Oficiais de Basquetebol 2010

Regras Oficiais de Basquetebol 2010 Regras Oficiais de Basquetebol 2010 Manual de Arbitragem Arbitragem a 3 Árbitros Aprovado por Central Board da FIBA San Juan, Porto Rico, 17 de Abril de 2010 Válido em Portugal a partir de 01 de Outubro

Leia mais

Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão

Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão - BASQUETEBALL O basquete é um desporto coletivo inventado em 1891 pelo professor de educação física canadense

Leia mais