Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização. Treinador do Sporting CP (14/15)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização. Treinador do Sporting CP (14/15)"

Transcrição

1 Modelo de Jogo de MARCO SILVA e sua Operacionalização Treinador do Sporting CP (14/15)!

2 Modelo de Jogo baseado no! Relatório de Estágio de:! Pereira, G. (2013) - FMH! Estoril 2011/2012 Contextos de Exercitação! criados por! Pedro Mendonça

3 Sistema de Jogo:!

4 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

5 Macro Princípio Posse e Circulação da Bola com um jogo muito apoiado colocando-se a equipa em Campo Grande. Objetividade na circulação da bola, desequilibrando preferencialmente a equipa adversária pelos corredores laterais.

6 SubPrincípios 1)! Na 1ª Fase de Construção, os Laterais adotam uma postura mais ofensiva subindo para a linha dos Médios Defensivos.

7 SubPrincípios 2) A ligação entre a 1ª Fase de Construção e a 2ª Fase de Construção é feita, preferencialmente, em posse de bola com jogo apoiado pelos Médios Defensivos, que têm a função de lateralizar o jogo.

8 SubPrincípios 3) Preocupação em criar situações de 2x1 (Lateral e Extremo) e 3x2 (Lateral, Extremo e Médio Ofensivo) nos corredores laterais, para criar situações de finalização. 2x1 3x2

9 SubPrincípios 4) Presença de um Ponta de Lança mais fixo na área, que deve servir de referência nos cruzamentos.

10 SubPrincípios 5) Quando a bola está num dos corredores laterais, o Médio Defensivo, o Defesa Lateral (este excepto na 1ª Fase de Construção) e o Extremo do lado oposto ao da bola devem deslocar-se para o corredor central, formando uma zona de equilíbrio ofensivo.

11 SubPrincípios 6) Em situações de finalização, o Médio Ofensivo é responsável por estar na zona da marca de grande penalidade, o Extremo contrário ao 2º poste e o Ponta de Lança atacar o 1º poste.

12 TRANSIÇÃO DEFENSIVA

13 Macro Princípio Pressão imediata aos adversários logo após a perda da posse da bola.

14 SubPrincípios 1)! Os jogadores mais próximos da bola, devem assumir uma atitude bastante agressiva sobre o portador da bola, procurando recuperá-la ou impedir a progressão dos adversários sobre o terreno de jogo.

15 SubPrincípios 2)! Adaptação dos restantes jogadores da equipa ao posicionamento do adversário.

16 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

17 Macro Princípio Defesa à zona pressionante com os jogadores a formarem um bloco coeso e compacto num bloco médio (movimentando-se em função do posicionamento da bola), com os corredores laterais definidos como zonas pressionantes.

18 SubPrincípios 1)! Na 1ª Fase de Pressão (1º Momento) os Laterais adversários são da responsabilidade dos Extremos, ficando o Ponta de Lança encarregue dos Centrais. Este marca o Central do lado da bola, sendo que se houver uma variação do sentido do jogo para o outro Central, a responsabilidade da sua marcação é do Médio Ofensivo.

19 SubPrincípios 2)! O jogo da equipa adversária deve ser canalizado para os corredores laterais, onde são definidas as zonas pressionantes. O Ponta de Lança deve cortar a linha de passe entre Centrais para obrigar o passe para o corredor lateral.

20 SubPrincípios 3)! Se a bola entrar pelo corredor central da equipa, os jogadores do meiocampo devem exercer uma forte pressão ao portador da bola com o intuito de obrigar o adversário a jogar a bola para trás e/ou para o lado.

21 SubPrincípios 4)! Quando a bola está num dos corredores laterais, o Lateral e o Extremo do lado contrário, assim como o Médio Defensivo oposto devem fechar o corredor central, criando uma zona de equilíbrio defensivo.

22 SubPrincípios 5)! Em situações de cruzamento favorável à equipa adversária, os Centrais e o Lateral do lado oposto ao da bola devem ocupar a zona central da área, ocupando cada um deles a zona do 1º poste, zona central e zona do 2º poste. Os Médios Defensivos devem ocupar a zona central à frente dos defesas, próximo da entrada da área. No que diz respeito à zona lateral onde se encontra a bola, o Lateral e Extremo desse lado devem fazer pressão ao adversário com a posse da bola de forma a evitar que o cruzamento seja realizado.

23 TRANSIÇÃO OFENSIVA

24 Macro Princípio Procurar rapidamente o espaço livre nas costas da linha defensiva adversária (espaço entre o Central e o Lateral).

25 SubPrincípios 1)! Preocupação em colocar a bola no corredor central, e a partir daí realizar um passe para as costas da linha defensiva adversária, para a entrada dos Extremos. Caso não se consiga colocar a bola no corredor central, devem colocar a bola nas costas da defesa adversária para a entrada dos Extremos nos corredores laterais.

26 SubPrincípios 2)! A equipa deve criar situações de superioridade numérica ofensiva (sobreposições exteriores ou interiores).

27 SubPrincípios 3)! Se a transição rápida mencionada anteriormente não for conseguida, há preocupação em realizar um passe de segurança que permita a manutenção da posse da bola e entrar em Organização Ofensiva.

28 CONTEXTOS DE EXERCITAÇÃO

29 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Na 1ª Fase de Construção, os Laterais adotam uma postura mais ofensiva subindo para a linha dos Médios Defensivos. Organização:! GR+(6+4) x (5+5)+GR Pontuação:! - Cada vez que conseguirem ultrapassar a linha de meio-campo com a bola controlada ganham 1 ponto; - Cada golo vale 2 pontos, vencendo quem mais pontos realizar. Descrição:! - Jogo 11x11 em que uma das equipas sai sempre a jogar com a bola desde trás (a partir do seu GR) tentando ultrapassar a linha de meio-campo com a bola controlada para em seguida marcar golo; - Equipa que sai a jogar só pode ter 7 jogadores no seu meio-campo e limitados às suas zonas de ação (saindo delas quando ultrapassarem a linha de meiocampo com a bola ou a perderem); - Adversários tentam recuperar a bola com 5 jogadores no meio-campo adversário; - Sempre que a bola sai do espaço de jogo ou há faltas reinicia-se a situação desde o GR; - Fazem-se jogos de 8 minutos com pausa de 2 minutos para hidratação, análise ao trabalho desenvolvido e troca de funções entre as equipas.

30 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio A ligação entre a 1ª Fase e a 2ª Fase de Construção é feita, preferencialmente, em posse de bola com jogo apoiado pelos Médios Defensivos, que têm a função de lateralizar o jogo. Organização:! (2+2) x (1+2) Pontuação:! - Cada vez que os Médios Defensivos conseguem passar a bola por entre uma das balizas ganham 1 ponto; - Cada vez que a equipa em inferioridade numérica consegue passar com a bola controlada pela linha final da equipa em superioridade numérica ganham 1 ponto. Descrição:!! - Espaço de jogo dividido em duas metades iguais (com todos os jogadores limitados aos espaços em que iniciaram a situação). Os Centrais iniciam a situação perante a oposição de um adversário e tentam c o l o c a r a b o l a n u m d o s M é d i o s Defensivos que perante a oposição de dois adversários tentam passar a bola pelas balizas laterais; - Se os jogadores em inferioridade numérica recuperarem a bola tentam passar com ela controlada pela linha final da equipa em inferioridade numérica; - Fazem-se vários jogos de 2 minutos de duração no máximo com pausas (densidade 1/4) para hidratação, afinar porcas e parafusos e análise ao trabalho desenvolvido.

31 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Preocupação em criar situações de 2x1 (Lateral e Extremo) nos corredores laterais, para criar situações de finalização. Organização:! 2x1 e 1x0+GR Descrição:!! - Ao sinal do Treinador o Extremo avança com a bola para dentro do espaço de jogo e com o apoio do seu Lateral (inicialmente no exterior do espaço de jogo) tentam ultrapassar a linha final do adversário para em seguida cruzarem a bola para a finalização do Ponta de Lança perante o Guarda-Redes adversário. - Cada situação dura no máximo 10 segundos. Pontuação:! - Cada golo marcado pela equipa em superioridade numérica vale 2 pontos; - Sempre que defesa recuperar a bola ou atacantes falhem o remate, equipa em inferioridade numérica ganha 1 ponto.

32 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Preocupação em criar situações de 3x2 (Lateral, Extremo e Médio Ofensivo) nos corredores laterais, para criar situações de finalização. Organização:! 3x2 e 1x0+GR Descrição:!! - Ao sinal do Treinador o Extremo avança com a bola para dentro do espaço de jogo e com o apoio do seu Lateral e Médio Ofensivo (inicialmente no exterior do espaço de jogo) tentam ultrapassar a linha final do adversário para em seguida cruzarem a bola para a finalização do Ponta de Lança perante o Guarda-Redes adversário. - Cada situação dura no máximo 10 segundos. Pontuação:! - Cada golo marcado pela equipa em superioridade numérica vale 2 pontos; - Sempre que defesa recuperar a bola ou atacantes falhem o remate, equipa em inferioridade numérica ganha 1 ponto.

33 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Presença de um Ponta de Lança mais fixo na área, que deve servir de referência nos cruzamentos. Organização:! 1x1+GR com 4 jogadores a cruzar a bola Pontuação:! - Cada golo do Ponta de Lança junto aos postes vale 2 pontos, na zona central da baliza vale 1 ponto; - Cada golo do defesa nas balizas formadas pelas bandeiras vale 1 ponto; - Vence quem obtiver mais pontos no final do tempo estipulado. Descrição:!! - Na zona central da grande área marca-se um retângulo onde se colocam 1 Ponta de Lança e 1 Defesa Central. Nas zonas laterais estão 4 jogadores com bola para cruzarem, alternadamente, para o Ponta de Lança marcar golo na baliza defendida pelo Guarda-Redes; - O Defesa Central tenta evitar que o Ponta de Lança marque golo e tenta marcar numa das duas balizas formadas pelas bandeiras (transição ofensiva, referências da equipa); - Fazem-se cruzamentos consecutivos durante 1 minuto e 30 segundos (um cruzamento de cada vez), após o final desse tempo troca-se de jogadores dentro do retângulo (densidade 1/4).

34 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Quando a bola está num dos corredores laterais, o Médio Defensivo, o Lateral (este exceto na 1ª fase de construção) e o Extremo do lado oposto ao da bola, devem deslocarse para o corredor central, formando uma zona de equilíbrio ofensivo. Organização:! 2GR+9 x 9+GR Pontuação:! - Cada golo na baliza regulamentar vale 2 pontos; - Cada golo numa das balizas colocadas na linha de meio-campo vale 1 ponto; - Vence quem obtiver mais pontos no final de todas as repetições. Descrição:!! - Jogo em que utilizando-se apenas um corredor lateral e central de um meiocampo, as equipa tentam marcar golo; - Uma das equipas atacando a baliza regulamentar e a outra atacando duas balizas colocadas na linha de meiocampo; - Após as duas equipas passarem pelas duas funções, utiliza-se o corredor lateral contrário; - Fazem-se jogos de 8 minutos com pausa de 2 minutos para hidratação, análise ao trabalho desenvolvido e troca de funções entre as equipas.

35 ORGANIZAÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Em situações de finalização, o Médio Ofensivo é responsável por estar na zona da marca de grande penalidade, o Extremo contrário ao 2º poste e o Ponta de Lança atacar o 1º poste. Organização:! 4x3+GR Pontuação:! - Cada golo marcado pela equipa em superioridade ofensiva vale 2 pontos; - Sempre que defesa recuperar a bola ou atacantes falhem o remate, equipa em inferioridade defensiva ganha 1 ponto. Descrição:!! - Ao sinal do Treinador o Médio Ofensivo coloca a bola em profundidade para a entrada do Extremo que perseguido pelo adversário tenta cruzar a bola para uma das três opções que dispõe dentro da grande área; - Todos os jogadores devem começar nos sinalizadores correspondentes; - Os três atacantes que tentam finalizar o cruzamento do Extremo devem ocupar os espaços pretendidos (Ponta de Lança ao 1º poste; Médio Ofensivo junto à marca de grande penalidade e Extremo contrário ao 2º poste), e vencer a oposição de dois defesas adversários; - Cada situação dura no máximo 10 segundos (alternar cruzamento de um lado e do outro).

36 TRANSIÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Os jogadores mais próximos da bola, devem assumir uma atitude bastante agressiva sobre o portador da bola, procurando recuperá-la ou impedir a progressão dos adversários sobre o terreno de jogo. Organização:! 6x4 Pontuação:! - Cada 10 passes consecutivos realizados pelos jogadores da equipa em superioridade numérica valem 1 ponto; - Passar com a bola controlada pela linha final adversária dá 2 pontos à equipa em inferioridade numérica. Descrição:!! - No espaço assinalado, a equipa em superioridade numérica tenta circular a bola pelos seus jogadores perante a oposição dos adversários (5 atacantes por fora e 1 por dentro ); - A equipa em inferioridade numérica tenta recuperar a bola e ultrapassar a linha final da equipa adversária (linha vermelha contínua, depois dos cones azuis); - Os jogadores das duas equipas devem reagir rapidamente de forma a impedirem que os adversários atinjam os seus objetivos; - Fazem-se jogos sucessivos de 2 minutos (findos os quais há troca de funções entre os jogadores).

37 TRANSIÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Adaptação dos restantes jogadores da equipa ao posicionamento do adversário. Organização:! GR+10x10+GR Pontuação:! - Cada golo na baliza regulamentar vale 2 pontos; - Cada passe realizado após o ganho da bola (nos instantes seguintes) pelos amarelos para o interior do retângulo vermelho dá-lhes 1 ponto; - Vence quem obtiver mais pontos no final de todas as repetições. Descrição:!! - Jogo com as equipas completas (11 jogadores em cada equipa) em quase todo o campo (exceto uma das grandes áreas); - A equipa verde sai a jogar desde o seu Guarda-Redes tentando marcar golo à equipa adversária (que tenta recuperar a bola e marcar golo em seguida); - Sempre a equipa verde perde a posse da bola, deve conseguir evitar que a equipa amarela consiga fazer passes bem sucedidos no interior do retângulo vermelho, orientando-os para trás ou para as zonas laterais. - Fazem-se jogos de 8 minutos com pausa de 2 minutos para hidratação, análise ao trabalho desenvolvido e troca de funções entre as equipas.

38 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Na 1ª Fase de Pressão (1º Momento) os Laterais adversários são da responsabilidade dos Extremos, ficando o Ponta de Lança encarregue dos Centrais. Este marca o Central do lado da bola, sendo que se houver uma variação do sentido do jogo para o outro Central, a responsabilidade da sua marcação é do Médio Ofensivo. Organização:! GR+4x4 (a dobrar) Pontuação:! - Vence ponto a primeira equipa a conseguir atingir os objetivos: linha defensiva tenta passar com a bola controlada pela linha marcada pelos cones azuis ou marcar numa das 2 mini-balizas e a linha ofensiva tenta recuperar a bola para em seguida marcar golo na baliza regulamentar. Descrição:!! - Em cada meio-campo joga-se uma situação de GR+4x4, sendo que a equipa sem Guarda-Redes tem de defender duas mini-balizas; - Ao sinal do Treinador os Guarda-Redes colocam a bola num dos Centrais para iniciar as situações; - Em seguida a equipa que sai a jogar desde trás (linha defensiva) tenta passar com a bola controlada pela linha marcada pelos cones azuis ou então colocar a bola dentro de uma das duas mini-balizas; - A outra equipa (linha ofensiva) tenta recuperar a bola para em seguida tentar fazer golo; - Cada situação dura no máximo 20 segundos.

39 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio O jogo da equipa adversária deve ser canalizado para os corredores laterais, onde são definidas as zonas pressionantes. O Ponta de Lança deve cortar a linha de passe entre Centrais para obrigar o passe para o corredor lateral. Organização:! 2x1 + (3x4) ou 2x1+GR Pontuação:! - Amarelos pontuam de ultrapassarem a linha final da equipa verde na zona lateral ou então se marcarem golo; - Verdes pontuam se recuperarem a bola e a conseguirem colocar no Treinador. Descrição:!! - O Treinador coloca a bola em jogo para o nº4 da equipa amarela. O nº9 da equipa verde deve conseguir evitar que ele coloque a bola no nº5 amarelo, fazendo-o jogar para a zona lateral onde a equipa amarela em inferioridade de 3x4 tenta ultrapassar a linha final da equipa verde. Se jogadores verdes recuperarem a bola colocam-na de imediato no Treinador; - Se nº4 amarelo consegue colocar no nº5 amarelo, este coloca para o nº9 ou nº10 amarelos que tentam marcar golo perante a oposição de um defesa e do Guarda- Redes; - Fazem-se jogos sucessivos de 2 minutos (findos os quais há troca de funções entre os jogadores).

40 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Se a bola entrar pelo corredor central da equipa, os jogadores do meio-campo devem exercer uma forte pressão ao portador da bola com o intuito de obrigar o adversário a jogar a bola para trás e/ou para o lado. Organização:! (6+1) x 4 Pontuação:! - Amarelos pontuam se conseguirem dar 10 passes consecutivos sem interceção e se o jogador interior conseguir receber a bola de um lado e passá-la para o outro; - Verdes pontuam se recuperarem a bola e a conseguirem conduzir para fora do círculo maior. Descrição:! - A equipa em superioridade numérica (6 jogadores exteriores mais 1 interior) tenta circular a bola e colocá-la no jogador interior (colocado dentro do círculo menor) para que este em seguida a consiga colocar num dos 3 jogadores exteriores da outra metade do campo; - A equipa em inferioridade numérica tenta recuperar a bola e evitar que ela entre no atacante interior. Se a bola entrar nele, devem imediatamente invadir o círculo menor (não o podem fazer sem a bola estar lá) e tentam evitar que o atacante interior consiga colocá-la num dos seus colegas do lado oposto ao qual a bola foi passada; - Fazem-se jogos sucessivos de 2 minutos (findos os quais há troca de funções entre os jogadores).

41 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Quando a bola está num dos corredores laterais, o Lateral e o Extremo do lado contrário, assim como o Médio Defensivo oposto devem fechar o corredor central, criando uma zona de equilíbrio defensivo. Organização:! GR+10x10+GR com 2 apoios ofensivos Pontuação:! - Cada golo na baliza regulamentar vale 2 pontos; - Sempre que alguma equipa conseguir dar 10 passes consecutivos sem interceção num dos corredores, ganha 1 ponto; - Vence quem obtiver mais pontos no final de todas as repetições. Descrição:!! - Jogo com as equipas completas (11 jogadores em cada equipa) em todo o campo, havendo 2 apoios ofensivos para a equipa com a posse da bola; - Divide-se o campo de jogo em dois corredores (de área a área); - As equipas têm como objetivo marcar golo ou conseguir dar 10 passes consecutivos sem interceção dos adversários, num dos corredores do campo de jogo; - Fazem-se jogos de 6 minutos com pausa de 2 minutos para hidratação, análise ao trabalho desenvolvido e troca de funções entre as equipas.

42 ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA SubPrincípio Em situações de cruzamento favorável à equipa adversária, os Centrais e o Lateral do lado oposto ao da bola devem ocupar a zona central da área, ocupando cada um deles a zona do 1º poste, zona central e zona do 2º poste. Os Médios Defensivos devem ocupar a zona central à frente dos defesas, próximo da entrada da área. No que diz respeito à zona lateral onde se encontra a bola, o Lateral e Extremo desse lado devem fazer pressão ao adversário com a posse da bola de forma a evitar que o cruzamento seja realizado. Organização:! 4x7+GR Pontuação:! - Cada golo obtido pelos atacantes vale 2 pontos; - Se defesas recuperarem a bola e marcarem golo numa das 2 balizas colocadas perto da linha de meio-campo ganham 1 ponto. Descrição:!! - Numa das metades do campo de jogo, faz-se uma situação de 4x7+GR; - Ao sinal do Treinador o Médio Ofensivo a m a r e l o ( n º 1 0 ) c o l o c a a b o l a e m profundidade para a entrada do seu Extremo Direito (nº7); - Em seguida, o Lateral e Extremo adversários (nº5 e nº11) tentam evitar que ele consiga cruzar a bola para a área; - Os restantes jogadores ocupam as suas posições (previamente estipuladas) dentro do espaço assinalado pelo tracejado vermelho, para conseguirem marcar golo (atacantes) ou recuperar a bola (defesas); - O golo só é válido se for obtido com remate dentro das zonas delimitadas a tracejado vermelho; - Cada situação dura no máximo 20 segundos.

43 TRANSIÇÃO OFENSIVA SubPrincípio Preocupação em colocar a bola no corredor central, e a partir daí realizar um passe para as costas da linha defensiva adversária, para a entrada dos Extremos. Caso não se consiga colocar a bola no corredor central, devem colocar a bola nas costas da defesa adversária para a entrada dos Extremos nos corredores laterais. Organização:! (1x2+GR) e (3x2+GR) Pontuação:! - Cada golo obtido pelos atacantes vale 2 pontos; - Sempre que defesas recuperam a bola ganham 1 ponto. Descrição:!! - Junto a uma das grandes áreas e dentro do espaço delimitado a tracejado vermelho, o Ponta de Lança (nº9 amarelo) tenta ultrapassar os dois defesas adversários, passando com a bola controlada pela linha da grande área para em seguida marcar golo (no tempo estipulado); - Se defesas recuperarem a bola, tentam colocá-la de imediato no corredor central, num dos seus 3 jogadores colocados junto à linha de meio-campo (preferencialmente no Ponta de Lança - nº9 verde), a partir daqui, este coloca a bola em profundidade para a entrada de um dos seus Extremos e numa situação de 3x2+GR tentam marcar golo (no tempo estipulado). - Cada situação dura no máximo 10 segundos.

44 Comentários: Muito Bom Top do Top!! Assuntos:! Periodização Tática Modelo de Jogo! Treino de! Futebol

JORGE CASTELO EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA. Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013

JORGE CASTELO EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA. Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013 JORGE CASTELO! EXERCÍCIOS PARA TREINAR A MANUTENÇÃO DA POSSE DA BOLA Fórum dos Treinadores Portugueses de Futebol 2013 Jorge Castelo Data de Nascimento: 26-01-1957; Nacionalidade: Portuguesa; Profissões:

Leia mais

Disposição Tática. Processo Ofensivo

Disposição Tática. Processo Ofensivo Disposição Tática A equipa do Manchester United apresentou-se taticamente para este jogo num 1-4-2-3-1. Os jogadores estavam nas seguintes posições: GR: De Gea, DD: Young, DE: Darmian (Borthwick- Jackson),

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

Report SC Internacional

Report SC Internacional BRASILEIRÃO Report SC Internacional 2016/2017 João Pedro Colaço Araújo INTERNACIONAL vs Coritiba DATA DO JOGO 1-0 TITULARES 1 Danilo Fernandes EQUIPA SUPLENTES UTILIZADOS 19 Marquinhos Esquema Tático 1-4-2-3-1

Leia mais

REPORT MANCHESTER UNITED

REPORT MANCHESTER UNITED REPORT MANCHESTER UNITED Newcastle Vs. Man. UTD 3-3 Premier League Equipa Inicial Manchester United Nomes Nº Posição David De Gea 1 GR Ashley Young 18 DD 1-4-2-3-1 Chris Smalling 12 DC Daley Blind 17 DC

Leia mais

A organização defensiva no modelo de jogo

A organização defensiva no modelo de jogo Valter Donaciano Correia Tudo sobre Futebol, os métodos, os conceitos, os princípios, os processos e a teoria tática A organização defensiva no modelo de jogo www. teoriadofutebol.com; nembriss@hotmail.com

Leia mais

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Faculdade de Motricidade Humana Escola Secundária Fernando Namora Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Orientadores: Professores Estagiários:

Leia mais

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva.

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva. Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO Guarda-redes Posturas de Prontidão Desportiva Posturas de Prontidão Desportiva no Guarda-redes de Futsal Posturas de prontidão desportiva

Leia mais

Torneio das Habilidades

Torneio das Habilidades Torneio das Habilidades de maio de 2016 10:45 h Regulamento Torneio das Habilidades O torneio das habilidades decorrerá no Complexo Desportivo de Amarante, no dia a partir das 10:15h. Este torneio é destinado

Leia mais

Princípios Táticos. Aprofundamento em Futebol

Princípios Táticos. Aprofundamento em Futebol Princípios Táticos Aprofundamento em Futebol DEFENSIVO Linha Bola Gol Equilíbrio homem-bola e Numérico Acompanhamento Cobertura Desarme Linhas de Marcação Tipos de Marcação Princípios Táticos OFENSIVO

Leia mais

CAPÍTULO 7.1. Basquetebol. Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis. cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20

CAPÍTULO 7.1. Basquetebol. Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis. cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20 7 CAPÍTULO Basquetebol 7.1 Juan Carlos P. Moraes Alexandre Santos Anselmo Cleiton Pereira Reis cap7.1.indd 1 27/05/13 18:20 cap7.1.indd 2 27/05/13 18:20 PRINCIPIANTE 1 X 1 + 1 PRINCIPIANTE 01 PRINCIPIANTE

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como um jogo

Leia mais

Análise ao Villarreal Club de Fútbol

Análise ao Villarreal Club de Fútbol Análise ao Villarreal Club de Fútbol João Pedro Colaço Araújo Atletico Vs. Villarreal CF Pontos Fortes 11 mais utilizado da época/ Rating Contra Ataque FORTE Bolas Paradas Defensivas Proteção da Baliza

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL 1 SITUAÇÕES ESPECIAIS 1.1 PONTAPÉ DE SAÍDA 1.2 GUARDA-REDES 1.3 REPOSIÇÃO DA BOLA EM JOGO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL 1 SITUAÇÕES ESPECIAIS 1.1 PONTAPÉ DE SAÍDA 1.2 GUARDA-REDES 1.3 REPOSIÇÃO DA BOLA EM JOGO EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL O Futsal é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas (cada equipa tem: 5 jogadores em campo e 7 suplentes), cujo objectivo é introduzir a bola na baliza adversária

Leia mais

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras.

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. CONCEITOS TÁTICOS E SISTEMAS Conceitos Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. Tipos de sistemas: Sistemas defensivos:

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

Chuta como os profissionais. Com o Campo de Futebol da PLAYMOBIL podes fazer passes curtos, passes longos e, até, rematar para o alto.

Chuta como os profissionais. Com o Campo de Futebol da PLAYMOBIL podes fazer passes curtos, passes longos e, até, rematar para o alto. Chuta como os profissionais. Com o Campo de Futebol da PLAYMOBIL podes fazer passes curtos, passes longos e, até, rematar para o alto. O novo guarda-redes da PLAYMOBIL também pode sair da baliza, deslocar-se

Leia mais

04. PPT Princiṕios do Jogo PPT Caracterizac aõ Ni veis Desempenho 26 Caderno Exercićios 45 Documento Apoio Formac aõ Futsal FPF -DE FINAL 102

04. PPT Princiṕios do Jogo PPT Caracterizac aõ Ni veis Desempenho 26 Caderno Exercićios 45 Documento Apoio Formac aõ Futsal FPF -DE FINAL 102 04. PPT Princiṕios do Jogo 1 05. PPT Caracterizac aõ Ni veis Desempenho 26 Caderno Exercićios 45 Documento Apoio Formac aõ Futsal FPF -DE FINAL 102 Etapas_Formacao_Jogador_Futsal 144 00. Apresentação 220

Leia mais

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III UNIDADES DE FORMAÇÃO HORAS 1. CARACTERIZAÇÃO DO JOGO 6 2. REGRAS DO JOGO E REGULAMENTOS ESPECÍFICOS 4 3. MEIOS DE ENSINO DO JOGO 20 4. COMPONENTES

Leia mais

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ANO 2 BIMESTRE

EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ANO 2 BIMESTRE SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS EDUCAÇÃO

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Complexas

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP 1. Diferenças entre as Leis de Jogo do Futsal e as regras aplicadas na TAGUSCUP Não há faltas

Leia mais

Fundamentos técnicos do Handebol

Fundamentos técnicos do Handebol Resumo com autoria de Edvaldo Soares de Araújo Neto e Anália Beatriz A. S. Almeida. Fundamentos técnicos do Handebol Recepção Conceito: ato de receber a bola normalmente com as duas mãos; Objetivo: amortecer

Leia mais

FUTSAL NAS CATEGORIAS DE BASE. CONSTRUÇÃO DO JOGO DEFENSIVO: Conceitos e atividade práticas

FUTSAL NAS CATEGORIAS DE BASE. CONSTRUÇÃO DO JOGO DEFENSIVO: Conceitos e atividade práticas FUTSAL NAS CATEGORIAS DE BASE CONSTRUÇÃO DO JOGO DEFENSIVO: Conceitos e atividade práticas INTRODUÇÃO O futsal é uma modalidade em que ações apresentam grande imprevisibilidade e variabilidade, exigindo

Leia mais

CAPÍTULO III METODOLOGIA

CAPÍTULO III METODOLOGIA CAPÍTULO III METODOLOGIA 1. Amostra Para a realização deste trabalho foram recolhidos dados de 4 jogos completos de Hóquei em Patins, relativos ao Campeonato Europeu de Juvenis, nos quais havia necessariamente

Leia mais

CAPÍTULO Reconhecer espaços. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO Reconhecer espaços. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO Capacidades táticas Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.1.5 Reconhecer espaços cap5.1.5.indd 1 27/05/13 18:09 cap5.1.5.indd 2 27/05/13 18:09 APRENDIZAGEM TÁTICA

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

modalidade Basquetebol

modalidade Basquetebol modalidade Basquetebol Documento de apoio às aulas de Educação Física Criado em: 2017/Maio/19 Atualizado em: 2017/Maio/19 ref: Documento_de_apoio_n10_Basquetebol Basquetebol "Em 1891, na cidade de Springfield,

Leia mais

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1 Escola Secundária De São Pedro Da Cova Voleibol 25-01-2011 Ano lectivo 2010/2011 1 índice Serviço Recepção Passe de costas Remates Manchete Situação de jogo Vídeo Objectivo do jogo Terreno de jogo Toques

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Futsal! Caraterização O Futsal é uma modalidade praticada por duas equipas, compostas cada uma por cinco elementos

Leia mais

Prof. Ms. Sandro de Souza. Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol

Prof. Ms. Sandro de Souza. Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol Prof. Ms. Sandro de Souza Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol Desenhe um campo de Futebol com as suas dimensões e marcações. A Meta Qual o número mínimo de jogadores, em um time,

Leia mais

Sessão de Treino do Real Madrid 23 de Maio de 2014 CARLO ANCELOTTI REAL MADRID

Sessão de Treino do Real Madrid 23 de Maio de 2014 CARLO ANCELOTTI REAL MADRID CARLO ANCELOTTI REAL MADRID O Real Madrid treinado pelo Italiano Carlo Ancelotti fez na 6ª Feira (23/04/2014) a última sessão de treino antes da Final da Liga dos Campeões da UEFA (24/05/2014) contra o

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL DOCUMENTO DE APOIO 7º ANO BREVE HISTÓRIA DA MODALIDADE O Futsal surge no final do século XX, na década de 90,

Leia mais

História do Basquetebol

História do Basquetebol História do Basquetebol Foi inventado por um professor Canadiano, James Naismith no ano de 1891. Em Dezembro do mesmo ano, teve lugar o primeiro jogo, no Springfield College, nos EUA. O seu primeiro nome

Leia mais

O TREINO DOS GUARDA- REDES

O TREINO DOS GUARDA- REDES O TREINO DOS GUARDA- REDES Antes de mais deve ter-se em conta que os guarda-redes (GR) têm uma influência decisiva no jogo. No entanto, a maioria dos treinadores acaba por dedicar uma pequena percentagem

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO e 12º ANO JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS (11.º ano e 12.º ano) ACÇÕES PSICO-MOTORAS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente

Leia mais

Futebol. Origem. Caraterização

Futebol. Origem. Caraterização Origem Foi na Grã-Bretanha, durante o Séc. XIX que as suas regras começaram a ser definidas e a aproximar-se das que hoje são praticadas. O primeiro regulamento data de 1823 e a primeira associação de

Leia mais

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO JDICT Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.2 Jogos de inteligência e criatividade tática cap5.2.indd 1 27/05/13 18:16 cap5.2.indd 2 27/05/13 18:16 APRENDIZAGEM

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES

APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES O JOGADOR PADRÃO APOSTILA PÁGINA 6 As onze PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE UM BOM JOGADOR 1 - Sendo um jogo de conjunto, procurar sempre, e o mais rápido possível

Leia mais

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol 0-0-00 Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Docentes: Prof. Aux. António Paulo Ferreira Ass. Conv. Bruno Regalo Basquetebol II º Semestre Objectivos - Conhecer a estrutura formal e funcional do

Leia mais

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto Guifões 21/05/2012 Introdução: Os jogadores Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Os nossos jogadores sabem cada

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO Campeonato de Abertura CORFEBOL CAMPEONATO DE ABERTURA ENQUADRAMENTO O Campeonato de Abertura surge como complemento às competições seniores da Federação Portuguesa de Corfebol:

Leia mais

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO ARTº 1º Os jogos de Futsal serão realizados preferencialmente nos recintos de Andebol (aproveitando as suas marcações) ou em um quarto de campo de futebol de 11 (quando possível

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO Grupo Disciplinar de Educação Física JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente e realiza

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Defesa Exercícios em 2x2 Defesa Exercícios em 2x2Correr para ajudar 1º passo O exercício começa com o X1 no lado esquerdo do campo, a defender o atacante com bola tentando levá-lo para a linha de fundo.

Leia mais

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares Objectivos Conhecer factores importantes do jogo Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal Conhecer elementos de sanções técnicas e Conhecer elementos de sanções técnicas e disciplinares

Leia mais

TÉNIS DE PRAIA REGRAS

TÉNIS DE PRAIA REGRAS TÉNIS DE PRAIA REGRAS 1. O campo O campo será composto por um retângulo de 16 metros de comprimento e 8 metros de largura. Será dividido pela sua metade por uma rede sustentada por postes que, na sua parte

Leia mais

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO Capacidades táticas Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.1.3 Tirar vantagem tática cap5.1.3.indd 1 27/05/13 18:07 cap5.1.3.indd 2 27/05/13 18:07 APRENDIZAGEM TÁTICA

Leia mais

Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar!

Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar! Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar! Bruno Travassos 1 & Duarte Araújo 2 1 Universidade da Beira Interior / Faculdade Motricidade Humana - UTL 2 Faculdade Motricidade

Leia mais

Regras do Jogo - Futsal

Regras do Jogo - Futsal Regras do Jogo - Futsal Pré-Jogo: A escolha dos campos é determinada por um sorteio efetuado por meio de uma moeda. A equipa favorecida pela sorte escolhe a baliza em direção à qual atacará durante a primeira

Leia mais

Evolução Tática do Futebol. Prof. Esp. Sandro de Souza

Evolução Tática do Futebol. Prof. Esp. Sandro de Souza Evolução Tática do Futebol Prof. Esp. Sandro de Souza O Campo Comprimento: 90 min e 120 máx Largura: 45 min 90 máx Os Jogadores Posicionados de acordo com a região do campo DEFESA MEIO-CAMPO ATAQUE ZAGUEIROS

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! O que é o Basquetebol? O Basquetebol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujos objectivos

Leia mais

FUTEBOL. Como se define? Acção individual ofensiva de relação entre dois jogadores da mesma equipa, que permite a troca de bola entre eles.

FUTEBOL. Como se define? Acção individual ofensiva de relação entre dois jogadores da mesma equipa, que permite a troca de bola entre eles. FUTEBOL Gesto Técnico: Passe com o pé Acção individual ofensiva de relação entre dois jogadores da mesma equipa, que permite a troca de bola entre eles. Utiliza-se quando existe um colega desmarcado, em

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física 9º ANO - 1º PERÍODO UNIDADE DIDÁTICA TESTES DE C.F. ATLETISMO GINÁSTICA SOLO Conteúdos -

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, DURAÇÃO DO JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 3. ARBITRAGEM 4. QUADRO COMPETITIVO E CRITÉRIOS

Leia mais

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO REGULAMENTO CAPÍTULO I 1. Generalidades 1.1. Todos os jogos serão realizados no Salão da Associação Cultural e Recreativa de Maceirinha; 1.2. Não são permitidas alterações de horários ou adiamento de jogos;

Leia mais

DEFESA À ZONA: ROUBAR SEM CORRER, A GESTÃO DO ESPAÇO COMO ESTRATÉGIA RESUMO

DEFESA À ZONA: ROUBAR SEM CORRER, A GESTÃO DO ESPAÇO COMO ESTRATÉGIA RESUMO DEFESA À ZONA: ROUBAR SEM CORRER, A GESTÃO DO ESPAÇO COMO ESTRATÉGIA RESUMO A fim de desejar uma organização defensiva estruturada e coesa, os treinadores geralmente pensam em milhões formas de treinar

Leia mais

Sistema Defensivo 5:1

Sistema Defensivo 5:1 Sistema Defensivo 5:1 Treino Especifico dos Defesas Rolando Freitas Seleccionador Nacional Júnior Masculino Técnico de Grau 3 Mestre em Ciências do Desporto Treino de Alto Rensimento Desportivo O sistema

Leia mais

Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol

Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol Livro do Professor 117 Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol Cooperar com os companheiros no objetivo do Basquebol, desempenhando com oportunidade e correção as ações solicitadas

Leia mais

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO:

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: INICIAÇÃO AO FUTEBOL Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: O jogo de futebol não é feito apenas de fundamentos (movimentos técnicos), a relação com a bola é uma das competências essênciais

Leia mais

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken TÉCNICO CBV SAQUE POR CIMA - Sem SALTO Saque sem salto 1 a ensinar; Técnica geral será utilizada, nos saques com salto TRANSFERÊNCIA. POSTURA

Leia mais

Grupo I Voleibol (25 pontos)

Grupo I Voleibol (25 pontos) Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2014 1ª FASE PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Duração da prova: 45 minutos --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina

Colégio Adventista de Rio Preto. Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Colégio Adventista de Rio Preto Prof. Daniel Prandi Prof. Sheila Molina Futebol de Salão - Futsal Caracterização: É um jogo coletivo desportivo, entre duas equipes, sendo cada uma constituída por doze

Leia mais

Técnica-Táctica e Treino

Técnica-Táctica e Treino FUTSAL Técnica-Táctica e Treino Legenda Atacante Defesa Deslocamento Deslocamento com bola Marcações Barra Pino / Meco Passe Barreira Remate Simulação Salto Guarda-Redes Bola Deitar Sentar Pi Princípios

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL 2013 2017 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões etários 2 3. Constituição das Equipas 3 3.1. Infantis (andebol de 5) 3 3.2. Iniciados, Juvenis e Juniores (andebol de 7) 3 4.

Leia mais

"Em um momento mágico de trégua no mundo mitológico do xadrez, os peões trocaram suas armas por uma bola e resolveram jogar uma partida de futebol..." Futebol de Tabuleiro Livro de Regras Rafael Cotait

Leia mais

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas 2012 / 2013 Arbitrar o Tag-Rugby Programa Nestum Rugby nas Escolas AS LEIS DE JOGO DO TAG RUGBY Tamanho da Bola Escalão Infantis (A e B) a bola a utilizar deverá ser a nº3 Escalão Iniciados e Juvenis a

Leia mais

REGRAS DO FooBaSKILL Março 2017

REGRAS DO FooBaSKILL Março 2017 REGRAS DO FooBaSKILL Março 2017 1 INTRODUÇÃO O FooBaSKILL é uma nova disciplina que foi desenvolvida por três professores suíços de educação física e desportiva. Ela põe em prática os atributos do futebol

Leia mais

Duração da Prova: 60 minutos com 30 minutos de tolerância. EXEMPLO

Duração da Prova: 60 minutos com 30 minutos de tolerância. EXEMPLO Prova de Aferição de Expressões Físico-Motoras Prova 28 2.º Ano de Escolaridade 2017 Decreto-Lei n.º 17/2016, de 4 de abril Guião da Prova Duração da Prova: 60 minutos com 30 minutos de tolerância. 8 Páginas

Leia mais

CONSELHO DE ARBITRAGEM

CONSELHO DE ARBITRAGEM CONSELHO DE ARBITRAGEM Avaliação Época 2015/2016 Setúbal, 23 de Abril de 2016 Árbitros C3 Grupos A, B e C C4 Grupos A e B e CF TESTE ESCRITO 1. Vai ser executado um lançamento de bola ao solo, dentro da

Leia mais

!" # $ $ ( (* $ ( (+. %, $ ( (+ 1º ÁRBITRO 2º ÁRBITRO ZONA DE DEFESA DEFESA ATAQUE ATAQUE ZONA DE SUBSTITUIÇÃO BANCO SUPLENTES

! # $ $ ( (* $ ( (+. %, $ ( (+ 1º ÁRBITRO 2º ÁRBITRO ZONA DE DEFESA DEFESA ATAQUE ATAQUE ZONA DE SUBSTITUIÇÃO BANCO SUPLENTES º ÁRBITRO 9 metros ZONA DE DEFESA 3 metros 3 metros ZONA DE ATAQUE ZONA DE ATAQUE metros ZONA DE DEFESA ZONA DE SERVIÇO ZONA DE SERVIÇO metros ZONA DE SUBSTITUIÇÃO 2º ÁRBITRO BANCO SUPLENTES ZONA DE AQUECIMENTO

Leia mais

Voleibol de Praia Equuspolis, Golegã (19h00-22h00) Futebol de Praia Equuspolis, Golegã (19h00-21h00)

Voleibol de Praia Equuspolis, Golegã (19h00-22h00) Futebol de Praia Equuspolis, Golegã (19h00-21h00) PROGRAMA* DIA 7 DIA 8 DIAS 10, 11, 12 E 13 DIAS 14 DIA 15 DIAS 17,18, 19 E 20 DIAS 21, 22 E 23 DIAS 24, 25 E 26 DIA 27 E 28 DIA 29 Apresentação das Equipas Equuspolis Golegã (22h00) Desfile Cada equipa

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 As Regras do Jogo de Basquete Oficiais da FIBA são válidas para todas as situações de jogo não especificamente mencionadas nestas Regras do Jogo 3x3. Art. 1 Quadra

Leia mais

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido.

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. www.barcodetablefootball.com Como jogar Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. É o melhor e mais realista de todos os jogos

Leia mais

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA TODO O CAMPO (O MODELO ADOPTADO NAS SELECÇÕES NACIONAIS DE SUB 16 E 20 FEM. E NO C.N.T CALVÃO) RICARDO VASCONCELOS EUGÉNIO RODRIGUES Clinic Campeonatos Nacionais

Leia mais

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos CLAUDE BAYER CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos técnicos (Prática) 02/05 Aspectos táticos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis (Futebol) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO FAIAL ANGÚSTIAS ATLÉTICO CLUBE FAYAL SPORT CLUB CLUBE FLAMENGOS GRUPO DESPORTIVO CEDRENSE

Leia mais

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO Preparação da 29ª Jornada do Campeonato Nacional da 2ª Divisão Sporting clube de espinho 20-4-2011 Clube Desportivo de Tondela Dados do clube observado: Características: AF Porto;

Leia mais

Festival de Jogos 9ª ano e Ensino Médio/2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO DAS MODALIDADES

Festival de Jogos 9ª ano e Ensino Médio/2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO DAS MODALIDADES Festival de Jogos 9ª ano e Ensino Médio/2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO DAS MODALIDADES TAPABOL 1) Os jogos terão 16 minutos de duração. Aos 8 minutos será feita a inversão de quadra. Vencerá a equipe que

Leia mais

ANDEBOL. Nível Introdutório

ANDEBOL. Nível Introdutório Nível ANDEBOL Nível Não Com posse de bola: Desmarca-se, oferecendo linha de passe. Opta por passe, ou por drible em progressão para finalizar. Finaliza em remate em salto. Perde a posse de bola, assume

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON COLÉGIO TERESIANO BRAGA 1. O CAMPO

DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON COLÉGIO TERESIANO BRAGA 1. O CAMPO COLÉGIO TERESIANO BRAGA DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON 1. O CAMPO O jogo realiza-se num campo retangular com 13,40 m x 5,18 metros para jogos de singulares e 13,40 m x 6,10 m para jogos de pares, limitados

Leia mais

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos O Voleibol sentado é um dos desportos Paralímpicos mais entusiasmantes que está a atrair a atenção por ser competitivo e espetacular e pelo seu potencial para promover mudança social positiva. As próximas

Leia mais

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 FUTSAL Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 ÍNDICE Índice... i FUTSAL... 1 Fundamentos técnicos:... 1 Posições dos Jogadores no Futsal:... 1 Regras:... 2 Campo... 2 Área de

Leia mais

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O MATERIAL O volante e a raqueta OS JOGADORES O jogo pode ser disputado por dois jogadores de cada lado (pares Homens,

Leia mais

Regras do Jogo. Regras Subbuteo (PT) Posse de Bola. Pontapé de saída. Intercepção

Regras do Jogo. Regras Subbuteo (PT) Posse de Bola. Pontapé de saída. Intercepção Regras Subbuteo (PT) Regras do Jogo Posse de Bola A acontecer esta situação, a equipa defensora pode reclamar BACK e a bola mudará 1.1. A equipa que possui a bola será denominada equipa atacante e a outra

Leia mais

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? A equipa e o Campo O é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujos objectivos são introduzir

Leia mais

Práticas pedagógicas Educação Física

Práticas pedagógicas Educação Física Práticas pedagógicas Educação Física Recomendada para o Ensino Fundamental Ciclo II (7a e 8a séries) Tempo previsto: 2 aulas Elaboração: Equipe Técnica da CENP Professor(a): Apresentamos aqui três (3)

Leia mais

O JOGO DE XADREZ. Vamos conhecer as peças que compõe o jogo: O Tabuleiro

O JOGO DE XADREZ. Vamos conhecer as peças que compõe o jogo: O Tabuleiro O JOGO DE XADREZ O xadrez é um esporte intelectual, disputado entre duas pessoas que possuem forças iguais (peças) sobre um tabuleiro. Este jogo representa uma batalha em miniatura, onde cada lado comanda

Leia mais

*Esta é a versão 1.2 do Neymar Jr s Five 2017 está sujeita a alterações.

*Esta é a versão 1.2 do Neymar Jr s Five 2017 está sujeita a alterações. *Esta é a versão 1.2 do Neymar Jr s Five 2017 está sujeita a alterações. REGRAS DO JOGO NEYMAR JR S FIVE* 1. FINTA-OS A TODOS 2. O CAMPO DO JOGO 3. BALIZA 4. NÚMERO DE JOGADORES 5. EQUIPAMENTO DOS JOGADORES

Leia mais

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico!

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! Associação de Andebol de Viseu Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! REGRA 1 Terreno de Jogo Balizas Marcações Zonas de segurança Zona de aquecimento REGRA 2 Tempo de Jogo, Sinal Final e time-out

Leia mais

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL 2002/2003 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ANDEBOL DE 5/7...4 2.1. ESCALÕES ETÁRIOS E VARIANTES DA MODALIDADE...4 2.2 BOLA DE JOGO...4

Leia mais

Regras do Voleibol. Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana

Regras do Voleibol. Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana Regras do Voleibol Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana Instalações e Equipamentos DIMENSÕES A quadra de jogo é um retângulo medindo 18m x 9m, circundada por uma zona livre de no mínimo 3m de largura em

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 11 e 12 Aula U.D. Nº: 7 e 8 de 10 Instalações: Pavilhão Data: 13-10-2009 Hora: 10h15min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

CAPÍTULO 1. Os elementos. O jogo de xadrez é um desafio para a mente. J. W. von Goethe O TABULEIRO DE XADREZ

CAPÍTULO 1. Os elementos. O jogo de xadrez é um desafio para a mente. J. W. von Goethe O TABULEIRO DE XADREZ CAPÍTULO 1 Os elementos O jogo de xadrez é um desafio para a mente. J. W. von Goethe O TABULEIRO DE XADREZ Joga-se xadrez sobre um tabuleiro quadrado, formado por 64 casas quadradas, sendo sua cor, alternadamente,

Leia mais