Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken"

Transcrição

1 Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken TÉCNICO CBV

2 SAQUE POR CIMA - Sem SALTO Saque sem salto 1 a ensinar; Técnica geral será utilizada, nos saques com salto TRANSFERÊNCIA. POSTURA GERAL. PÉ DO GOLPE A FRENTE; BRAÇO CONTRARIO SEGURANDO A BOLA A FRENTE DO CORPO; PESO DO CORPO NA PERNA DE TRÁS. BOM LANÇAMENTO DA BOLA (FUNDAMENTAL EM TODO TIPO DE SAQUE) BOA PREPARAÇÃO PARA O GOLPE COTOVELO ALTO; MÃO DO GOLPE PRÓXIMO DA ORELHA.

3 SAQUE POR CIMA SEM SALTO Golpe no centro da BOLA; Peso do corpo se transfere para o pé da frente; Braço acompanha a trajetória da bola.

4 SAQUE COM SALTOS FLUTUANTE e VIAGEM CONCEITO DO FUNDAMENTO Queda c/ pé do golpe a frente Salto forte Salto 50cm finais Queda + Longe 1m.

5 SAQUE COM SALTO FLUTUANTE E ALAVANCA DE 1 BRAÇO SEGUIR OS CONCEITOS DO FUNDAMENTO Marcar o ponto de partida do deslocamento; Lançamento para dentro da quadra; Salto forte e em projeção; Salto com alavanca de um braço; Lançamento com 1 das mãos e na última passada; Queda com um pé a frente.

6 SAQUE COM SALTO FLUTUANTE E ALAVANCA DE 1 BRAÇO.

7 SAQUE COM SALTO FLUTUANTE E ALAVANCA DE 1 BRAÇO

8 SAQUE COM SALTO Variação.

9 SAQUE COM SALTO VIAGEM SEGUIR OS CONCEITOS DO FUNDAMENTO Marcar o ponto de partida para o deslocamento; Lançamento para dentro da quadra; Com 1 ou 2 mãos; O pé do golpe a frente; Salto forte e em projeção; 1 ou 2 passadas; Salto com alavanca de 2 braços; Queda com o pé do golpe a frente; Mais distante possível da linha de fundo.

10 SAQUE COM SALTO VIAGEM

11 SAQUE COM SALTO VIAGEM

12 SAQUE COM SALTO VIAGEM

13 RECEPÇÃO ALTA (Toque/Espalmada) Conceito do fundamento Posição Adiantada; Posição do corpo voltado ao sacador; Braços e mãos na altura do ombro; Pronto para golpear a bola em toque ou espalmada; Contato se dá com os dedos firmes. Linha de recepção é adiantada; Erro recorrente: Afastar-se da rede e tocar na bola abaixo do ombro.

14 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Conceito do fundamento Forma de jogar: Equipes Iniciantes; Jogo + lento/bolas altas. Divide-se a quadra em 2 zonas, e, que determina a ação motora a ser utilizada. Zona de ataque Recepção de saque curto. COMO CHEGAR? Zona de defesa - Recepção de saques intermediários e longos, Como CHEGAR?

15 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) ZONA DE ATAQUE ZONA DE DEFESA RECEPÇÃO DE SAQUE CURTO RECEPÇÃO DE SAQUE INTERMEDIARIO LONGO

16 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) ZONA DE ATAQUE; RECEPÇÃO DE SAQUE CURTO. Queda da bola dentro da zona de ataque DESLOCAMENTO ATÉ O PONTO DE QUEDA DA BOLA; MANCHETE, feita com um afundo a frente, a outra perna em flexão, joelho indo em direção ao chão. Golpe se dá próximo da linha do ombro; ERRO RECORRENTE, chegar ao ponto de queda da bola, com os pés paralelos.

17 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Zona de defesa. Recepção em MANCHETE, para saques que caem na zona de defesa, que seja no centro ou fundo de quadra Aplica-se a MANCHETE, tendo como princípio, Estar atrás da linha da bola/trajetória. Independente do ponto de queda da bola. Deslocamento até o ponto de queda da bola, chegar com os 2 pés paralelos, ou um ligeiramente a frente, e corpo voltado para a posição ideal do levantamento.

18 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Conceito do fundamento depende: Forma de jogar; Jogo veloz para pontas. Quadra de jogo é dividida em 3 zonas, - Define a ação motora a ser utilizada. Zona de ataque; Zona intermediária ou centralizada; Zona de fundo de quadra

19 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Zona de Ataque Zona intermediá ria Zona de fundo de quadra

20 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Zona de Ataque. Exatamente igual ao princípio de RECEPÇÃO, de saque curto. Zona intermediária ou centralizada. Aplica-se o conceito de estar atrás da linha da bola/trajetória.

21 RECEPÇÃO BAIXA (Manchete) Zona de fundo de quadra. Nesta zona de recepção, aplica-se o recurso de manchete LATERAL; O recurso é utilizado afim de otimizar, a saída rápida para o ataque de bola rápida nas posições 1, 2 e 6. Jogador da posição, 5, gira para dentro e o pé direito para trás; Jogador da posição 1, gira para dentro e o pé esquerdo para trás; Levar 1 braço ao ponto de contato e depois o outro O contato com a bola se dá na lateral do corpo; ERROS RECORRENTES: Preparar a Manchete embaixo e depois leva-la ao ponto de contato. Aproximar-se da rede.

22 Levantamento Posição Inicial Levantador na rede (pos. 4,3 e 2) Acompanhar o saque; Posição de prontidão; Para o Toque Para o deslocamento Ficar de frente para a Recepção; Mãos a frente do corpo.

23 Levantamento Levantamento da RECEPÇÃO com qualidade A Esperar o passe na posição (2 e meio ou 3); Ajustar e ficar de frente para posição 4; Pés paralelos, direito a frente; Saltar e levantar. Braços em semiflexão e acima da cabeça; Mãos abertas em forma de CONCHA ; contato com a bola utilizando os 10 dedos.

24 Levantamento Contato se dá próximo da cabeça; Após o contato os braços acompanham a trajetória da bola.

25 Levantamento Levantamento a partir da RECEPÇÃO com qualidade B ou C. Deslocar-se rápido até o ponto de queda da bola; Girar com o PÉ DIREITO, embaixo da bola; Ficar de frente para o POSTE. No passe C, pés paralelos esquerdo pouco à frente; Para posição 2 ou 1, a bola sairá pela frente do Levantador

26 Levantamento Levantamento com salto; Salto quase embaixo da bola; Braços saindo da altura peito. Em bolas altas ou rápidas e com direção à quadra adversária: Saltar utilizando maior alavanca dos braços. Tocar na bola antes de cruzar a REDE.

27 Levantamento Levantamentos especiais. Domínio dos levantamentos especiais; Domínio do levantamento em MANCHETE.

28 Levantamento Dicas simples e preciosas que todo levantador deve saber. Recepção A. Levantamento para a 2; Bola sai pela cabeça. Levantamento para F1; Bola sai pelo ombro esquerdo. Recepção B Levantamento para a 2; Bola sai pelo ombro direito. Levantamento para a F1; Bola sai pela cabeça.

29 Ataque Conceito do fundamento: Baseado na qualidade da RECEPÇÂO. A B C Recepção com qualidade A e talvez B : Todos atletas utilizam 1 passada de ATAQUE, após o levantamento. Importante Observação SE a equipe joga em velocidade para as extremas. Ponto de partida mais próximo da rede. Recepção com qualidade C Normalmente 2 passadas para pontas e opostos. Ponto de partida mais distante da rede.

30 Ataque Pontos de partida. B A A B A

31 Ataque Brasil juvenil 2009

32 Ataque Cuba Juvenil 2009

33 Ataque Argentina 2009

34 Ataque Necessidades Técnicas de todo jogador: Pontas Centrais Opostos Atacar em todas as direções: Metro final da quadra. Utilizar: Largadas; Caixinhas Explorar bloqueio e para voltar

35 Ataque Utilizar ataque com finta Individual: Ataque contra a corrida.

36 Ataque Inclusive os centrais.

37 Ataque Ainda os CENTRAIS: Ponto de partida; Preparação rápida do braço (todos) O braço do golpe ao passar pela cabeça é levado para trás; Mão próximo da cabeça/orelha. Muito importante: Ponto de salto; Não saltar em projeção para a rede No passe B, saltar próximo do levantador.

38 Ataque Manobras para otimizar o ATAQUE e/ou CONTRA ATAQUE; Todos atacantes Divisão em 2 areas : Esquerdo e Direito Atacante que está do lado direito, sai com pé direito; Atacante que está do lado esquerdo, sai com pé esquerdo.

39 Bloqueio Perguntas importantes: Qual o teu conceito Técnico? Qual o teu conceito Tático? Qual o teu conceito Tático no Bloqueio/Defesa? Quais são as suas estratégias de Bloqueio? Postura Geral: Pernas; Tronco; Braços/mãos; Distância da rede.

40 Bloqueio Domínio das passadas de bloqueios: LATERAL Todos atletas CRUZADA Todos os atletas MISTA Normalmente os centrais Lateral: Utilizada em: Levantamentos próximos; Ajustes na marcação passada mais lenta; Acompanhando os centrais- passada mais rápida; Técnica do saltito para ganhar distância. Trabalho de braço; Utilização de alavancas?

41 Bloqueio Passada cruzada (todos atletas): Trabalho de Pés/pernas: Evitar: Girar a ponta do pé para a direção do deslocamento; Girar o quadril/tronco e cruzar a perna contrária; Peso corporal no PÉ que girou; Ponto de FORÇA: Para a direita/pé direito; Para esquerda/ pé esquerdo. Evitar estar com os 2 pés no chão ao mesmo tempo, no deslocamento; Na aproximação para o salto: Chegar com os 2 pés voltados ao campo adversário.

42 Bloqueio Trabalho dos braços: Braços em semiflexão ou meia alavanca, no deslocamento; Entrada dos braços: Após o salto entrada rápida dos braços ao campo adversário; Corpo contraído, principalmente dedos, braços e abdômen. MUITO IMPORTANTE: A entrada dos braços deverá ser pela frente do rosto; utilizada. Independente da passada

43 Bloqueio Utilização de alavanca com os braços estendidos? Depende Desde que o conceito seja seguido: Por exemplo, entrada dos braços se dá erradamente pela lateral do corpo.

44 Bloqueio Passada Mista: (normalmente pelos Centrais) Lateral + Cruzada; ou Cruzada + Lateral Trabalho dos Pés: Na passada lateral, a força Inicial do deslocamento se dá pelo pé contrário.

45 Bloqueio Composição de Bloqueio Coletivo: Base. Central chegando ao lado da Base; Central não chegando ao lado da Central chegando ao lado da Base: Bloqueio equilibrado; Área fechada Sistema de defesa em teoria EQUILIBRADO.

46 Bloqueio Central não chegando ao lado da BASE Velocidade do jogo impede a boa chegada: Fechar a área com as mãos aproximando da BASE.

47 Outros dados importantes: PONTUAR no bloqueio é importante 2 a 3 pts por set. Valorize a amortecida pelo Bloqueio; Estabeleça as prioridades de cada REDE. Isto ajuda na melhora de leitura de jogo. Por fim, estabeleça as estratégias por REDE. Bloqueio Orientações importantes para a BASE do Bloqueio Uma boa referência para a marcação é saltar em frente ao ponto de salto do atacante; Para fechar o corredor, mão ESQUERDA em frente da bola; Para fechar a diagonal, mão DIREITA em frente da bola.

48 Defesa Conceito do fundamentos: Baseado na qualidade de RECEPÇÃO. Recepção ou Defesa com qualidade A. Centro de gravidade mais BAIXO. Recepção ou Defesa com qualidade B ou C. Centro de gravidade mais ALTO

49 Defesa Postura Básica: Pés paralelos; Pernas em semiflexão; Tronco a frente; Braços separados à frente do corpo. Conceito do Goleiro : Num RAIO de 2 m, é a área de responsabilidade Individual, e nessa área a bola deverá subir

50 Defesa Tipos de defesa: Baixa Manchete. Alta Espalmada Com Quedas Com Queda: Mergulho Rolamento

51 Defesa Pontos importantes na DEFESA: Qualidade na defesa gera contra ataque; Defender para as posições 6 e 3, ideal. Evitar preparar a MANCHETE, antes da hora. Evitar movimentar-se demais. Estar parado no momento do Ataque adversário. Valorizar a DEFESA e o SISTEMA DEFENSIVO

52 Trabalho prático Jogo com CTs, estratégias etc. Composição das Equipes A (grupos 1 + 8) B (grupos 2 +6) C (grupos 3 +10) D (grupos 4 +9) E (grupos 5 +7)

53 Trabalho prático Jogo com CTs, estratégias etc. Equipe A x Equipe B Sistema de ataque 5x1, Recepção com 3 CT A grupo 5 e CT B Grupo 7 Equipe C x Equipe D Sistema de ataque 4x2, centro recuado e recepção com 4. CT C Grupo 1 CT D Grupo 6 Equipe E x Equipe B Sistema de ataque 5 x 1 Defesa a definir e recepção idem CT E Grupo 4 CT B Grupo 9

54 Trabalho prático Jogo com CTs, estratégias etc. Equipe A x Equipe D Sistema de ataque 5 x 1 CT A Grupo 3 x CT D Grupo 10 Equipe C x Equipe E Sistema 5 x 1 CT C Grupo 2 CT E Grupo 8

55 Defesa

56 Defesa

VOLEIBOL 8º Ano. Voleibol. Origem e Evolução: 07/05/2013. William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette

VOLEIBOL 8º Ano. Voleibol. Origem e Evolução: 07/05/2013. William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette VOLEIBOL 8º Ano Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette Brasil 1915 Pernambuco Colégio Marista ou ACM s São Paulo 1916 1954 CBV 1982 afirmação brasileira

Leia mais

Grupo I Voleibol (25 pontos)

Grupo I Voleibol (25 pontos) Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2014 1ª FASE PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Duração da prova: 45 minutos --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Existe a denominada área de saque, que é constituída por duas pequenas linhas nas laterais da quadra, o jogador não pode sacar de fora desse limite.

Existe a denominada área de saque, que é constituída por duas pequenas linhas nas laterais da quadra, o jogador não pode sacar de fora desse limite. Fundamentos Um time que deseja competir em nível internacional precisa dominar um conjunto de seis habilidades básicas, denominadas usualmente sob a rubrica "fundamentos". Elas são: saque, passe, levantamento,

Leia mais

Apostila do 1º trimestre - Disciplina: Educação Física I - VOLEIBOL

Apostila do 1º trimestre - Disciplina: Educação Física I - VOLEIBOL Centro Educacional Sesc Cidadania Ensino Fundamental II Goiânia, / /2017. 8º ano Turma: Nome do (a) Aluno (a): Professora: Raquel Louredo RODÍZIO DE POSIÇÕES Apostila do 1º trimestre - Disciplina: Educação

Leia mais

METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL. Osvaldo Tadeu da Silva Junior METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL Osvaldo Tadeu da Silva Junior INICIAÇÃO ÀS TÉCNICAS INDIVIDUAIS INTRODUÇÃO FUTSAL: Da iniciação ao Alto nível Daniel Mutti A técnica consiste na execução individual dos

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO EDITAL Nº 003/2016, DE 14 DE JANEIRO DE 2016 Seleção para Alunos de Pós-Graduação Lato Sensu para

Leia mais

HANDEBOL. Profesores: Daniel / Sheila. Colégio Adventista de Rio Preto

HANDEBOL. Profesores: Daniel / Sheila. Colégio Adventista de Rio Preto HANDEBOL Profesores: Daniel / Sheila Colégio Adventista de Rio Preto Técnicas Defensivas Handebol 1. Posição básica defensiva: É a postura que deve adotar os jogadores, posicionando-se para intervir na

Leia mais

Educação Física - 6º AO 9º ANO

Educação Física - 6º AO 9º ANO Conteúdos Programáticos Propostos para a Disciplina: Bimestre 6º ano 7º ano 8º ano 9º ano 1º bimestre Jogo e : Competição e cooperação Jogos populares Jogos pré-desportivos Jogos cooperativos : modalidade

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ 1 ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima. Princípios a considerar Um barreirista é também um velocista Correr rápido

Leia mais

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras.

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. CONCEITOS TÁTICOS E SISTEMAS Conceitos Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. Tipos de sistemas: Sistemas defensivos:

Leia mais

O voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujo objectivo é

O voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujo objectivo é Caracterização do O voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujo objectivo é enviar a bola por cima da rede, fazendo-a cair no campo adversário e evitando que ela caia no nosso

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa PREPARATION GLIDE DELIVERY RECOVERY DESCRIÇÃO DAS VÁRIAS FASES A Técnica Rectilínea do Lançamento do Peso está dividida nas seguintes fases:,, e.

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

Badminton. Badminton

Badminton. Badminton Badminton Badminton Badmínton História da Modalidade Atualmente, acredita-se que o jogo da poona, de origem indiana e trazido para a Europa pelos oficiais ingleses, esteja na origem do badmínton. Em 1873,

Leia mais

Corfebol. Sinais dos Árbitros

Corfebol. Sinais dos Árbitros Corfebol Sinais dos Árbitros 2006 Este livro deve ser considerado um apêndice às Regras de Corfebol. Contém os sinais aprovados para serem utilizados pelos Árbitros de Corfebol. Todos os sinais devem ser

Leia mais

Fundamentos do Futebol

Fundamentos do Futebol Fundamentos do Futebol Sumário Apresentação Capítulo 1 O passe 1.1 Passe Simples 1.2 Passe Peito do pé 1.3 Passe com a lateral externa do pé 1.4 Passe de cabeça 1.5 Passe de Calcanhar 1.6 Passe de bico

Leia mais

esportivas das aulas de Educação Física nas escolas de todo país.

esportivas das aulas de Educação Física nas escolas de todo país. O Futsal, também conhecido como Futebol de Salão, é uma modalidade esportiva que foi adaptada do futebolde campo para as quadras. O futsal é muito praticado no Brasil, fazendo parte de uma das principais

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA O presente

Leia mais

Prof. Maick da Silveira Viana

Prof. Maick da Silveira Viana Regras do Handebol Prof. Maick da Silveira Viana REGRA 1 A quadra do jogo REGRA 2 - A duração da partida A partida de handebol consiste em dois tempos divididos por um intervalo de 10 minutos. A duração

Leia mais

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014 ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº de Abrantes ESCOLA: Escola Básica, D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO:.º ANO LETIVO 0/0 METAS DE APRENDIZAGEM: Domínio da Aptidão Física (EDF00);

Leia mais

As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra

As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra VERSÃO RESUMIDA Introdução do manual É feito para quem quer resultados, tenistas ou professores! 1 Simples e completo! 11 fundamentos que tratam

Leia mais

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1 Escola Secundária De São Pedro Da Cova Voleibol 25-01-2011 Ano lectivo 2010/2011 1 índice Serviço Recepção Passe de costas Remates Manchete Situação de jogo Vídeo Objectivo do jogo Terreno de jogo Toques

Leia mais

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Jogo 7x7 Jogo 5x5 FUTEBOL Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Recepção e controlo Enquadar ofensivamente

Leia mais

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados)

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Nome: Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Observe a figura acima e responda as questões a seguir: 1. A sequência se refere à prova de. 2. Em que distâncias essa prova

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ANO 2 BIMESTRE

EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ANO 2 BIMESTRE SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS EDUCAÇÃO

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA ANTÓNIO ALEIXO INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 Despacho normativo nº1-a/2017 de 10 de fevereiro DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Ano de Escolaridade:

Leia mais

SISTEMAS DE RECEPÇÃO NO VOLEIBOL (parte 1)

SISTEMAS DE RECEPÇÃO NO VOLEIBOL (parte 1) 1 CURSO: Técnico em Agropecuária Integrado ao ensino médio DISCIPLINA: Educação Física I CARGA HORÁRIA: 80hs PROFESSOR(A): Paulo Fernando Mesquita Junior paulo.junior@santarosa.ifc.edu.br site: profpaulojunior@santarosa.ifc.edu

Leia mais

BADMINTON. no Desporto Escolar - Iniciação ao Treino

BADMINTON. no Desporto Escolar - Iniciação ao Treino BADMINTON no Desporto Escolar - Iniciação ao Treino B DMINTON REGULAMENTOS CAMPO SINGULARES 1 Linha de serviço longo de singulares ou linha de fundo 2 Linha lateral de singulares 4 Linha de serviço curto

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 6º ano Ano letivo: 201.2014 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

Chute É o ato de golpear a bola, desviando ou dando trajetória à mesma, estando ela parada ou em movimento.

Chute É o ato de golpear a bola, desviando ou dando trajetória à mesma, estando ela parada ou em movimento. UI MARIA LENIR ARAÚJO MENESES Prof Esp. Leonardo Delgado FUNDAMENTOS TÉCNICOS DO JOGADOR DE FUTEBOL Para uma melhor prática do futebol, faz-se necessário o conhecimento e domínio de algumas técnicas básicas,

Leia mais

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-G/2016, de 6 de abril Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Parte Introdutória ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Etapa: 3ª Etapa Unidade de Ensino:10ª UE Aula nº: 64-65,66 Professor: Bernardo Tavares Data: 13/04/2015 + 16/04/2015 Turma: 7 Nº previsto

Leia mais

Patrocínio: Apoio: COPA METROPOLITANA DE GEROVOLEI 14 outubro a 04 de novembro de TERCEIRA IDADE E MASCULINO E FEMININO

Patrocínio: Apoio: COPA METROPOLITANA DE GEROVOLEI 14 outubro a 04 de novembro de TERCEIRA IDADE E MASCULINO E FEMININO Patrocínio: Apoio: COPA METROPOLITANA DE GEROVOLEI 14 outubro a 04 de novembro de 2017. TERCEIRA IDADE E MASCULINO E FEMININO REGULAMENTO OFICIAL ARTIGO I Nome: Copa Metropolitana de GeroVolei ARTIGO II

Leia mais

TESTES FÍSICOS - Resultados Atleta: NICOLAS OLIVEIRA

TESTES FÍSICOS - Resultados Atleta: NICOLAS OLIVEIRA TESTES FÍSICOS - Resultados Atleta: NICOLAS OLIVEIRA Agilidade: executar movimentos dinâmicos com precisão, utilizando velocidade e destreza de movimentos, demonstrando facilidade em se deslocar. Resultados

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE Badminton FUNDÃO, MARÇO DE 2010 Professor Frederico Dias APRESENTAÇÃO / CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação - Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico 2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado

Leia mais

CONTEÚDOS ANO DE ESCOLARIDADE 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º

CONTEÚDOS ANO DE ESCOLARIDADE 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2016-17 Capacidades Condicionais e Coordenativas Gerais Resistência Geral; Força Resistente; Força Rápida; Força Rápida; Velocidade de Reação Simples e Complexa; Velocidade

Leia mais

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior ATLETISMO Osvaldo Tadeu da Silva Junior OBJETIVO DA DISCIPLINA Conhecer, compreender e analisar os processos de ensino aprendizagem e treinamento das corridas; Conhecer, compreender e analisar os processos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO Ano/Turma 7º/8º/9º Período N.º aulas previstas

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano Jogos Pré-Desportivos Educação Física 5.º ano Conhecer o objetivo do jogo, o funcionamento e as regras do jogo. Jogos sem bola: Em situação de ataque cria oportunidades com superioridade numérica para

Leia mais

Histórico basquetebol James Naismith 1891

Histórico basquetebol James Naismith 1891 BASQUETEBOL Histórico O basquetebol é uma modalidade esportiva coletiva, que foi idealizada nos Estados Unidos da América pelo canadense James Naismith no ano de 1891 na cidade de Springfield no estado

Leia mais

Escrito por Andreza Viana de Oliveira Seg, 13 de Maio de :26 - Última atualização Seg, 27 de Maio de :12

Escrito por Andreza Viana de Oliveira Seg, 13 de Maio de :26 - Última atualização Seg, 27 de Maio de :12 Empunhadura ( forehand ) Em geral a raquete deve ser empunhada como se o jogador estivesse apertando a mão com ela. Isso pode não parecer natural, mas com paciência e prática se tornará um hábito. Empunhadura

Leia mais

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo.

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo. V O L E I B O L A quadra de jogo A quadra de voleibol mede 18 x 9 metros e é demarcada por linhas de 5 centímetros de espessura. Possui uma linha central que divide a quadra em duas áreas com 9 x 9 metros.

Leia mais

Resistência Muscular. Prof. Dr. Carlos Ovalle

Resistência Muscular. Prof. Dr. Carlos Ovalle Resistência Muscular Prof. Dr. Carlos Ovalle Resistência Muscular Resistência muscular é a capacidade de um grupo muscular executar contrações repetidas por período de tempo suficiente para causar a fadiga

Leia mais

O TREINO DOS GUARDA- REDES

O TREINO DOS GUARDA- REDES O TREINO DOS GUARDA- REDES Antes de mais deve ter-se em conta que os guarda-redes (GR) têm uma influência decisiva no jogo. No entanto, a maioria dos treinadores acaba por dedicar uma pequena percentagem

Leia mais

Escola de Salto com Vara de Leiria. Princípios do salto com vara

Escola de Salto com Vara de Leiria. Princípios do salto com vara Princípios do salto com vara Caros amigos treinadores e atletas, Nesta breve exposição sobre os princípios do salto com vara pretendo expor o que entendo serem os princípios básicos do salto com vara.

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

2012/13 ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOUSÃ CORFEBOL DOCUMENTO DE APOIO CARLOS QUARESMA

2012/13 ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOUSÃ CORFEBOL DOCUMENTO DE APOIO CARLOS QUARESMA 2012/13 ESCOLA SECUNDÁRIA DA LOUSÃ CORFEBOL DOCUMENTO DE APOIO CARLOS QUARESMA ÁREA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO FORMAÇÃO PROFISSIONAL Sebenta de CORFEBOL Documento de Apoio 1 Índice História Regras

Leia mais

Lançamento Dardo e do Disco

Lançamento Dardo e do Disco Lançamento Dardo e do Disco Trabalho elaborado por: -Diana Isabel nº2 -Marina Gomes nº10 10ºD 2013/2014 Lançamento Do Dardo O que é? Lançamento de dardo é uma modalidade do atletismo na qual o atleta lança

Leia mais

Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo 3/27/2014. Caraterização. A pista. Disciplinas. Velocidade

Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo 3/27/2014. Caraterização. A pista. Disciplinas. Velocidade Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização A pista O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos

Leia mais

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO Escala de Equilíbrio de Berg 1.SENTADO PARA EM PÉ INSTRUÇÕES: Por favor, fique de pé. Tente não usar suas mãos como suporte. ( ) 4 capaz de permanecer em pé sem o auxílio das mãos e estabilizar de maneira

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 11 e 12 Aula U.D. Nº: 7 e 8 de 10 Instalações: Pavilhão Data: 13-10-2009 Hora: 10h15min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012

Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2011/2012 Informação/ Exame de Equivalência à Frequência Disciplina de Educação Física 3ºciclo 1. Objeto de Avaliação A prova tem por referência o Programa de Educação Física. A prova desta

Leia mais

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 1 -CRISTO REDENTOR (abraço universal) 2- SAUDAÇÃO ORIENTAL (respeito e humildade) 3 -MEDITAÇÃO TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 PARTE I - ALONGAMENTO 4 -ROT AÇÃO DO TRONCO 1. Abrir mãos alternadas (acompanhar

Leia mais

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização Caraterização O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos dos saltos,

Leia mais

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ESTAFETAS 192 DOMÍNIO DAS TÉCNICAS III FASE - APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS I- Ensino / Aprendizagem - Aquisição da noção de transmissão, através de jogos. - Aquisição

Leia mais

PEP GUARDIOLA. Construção no último terço do campo: criação de oportunidades de golo

PEP GUARDIOLA. Construção no último terço do campo: criação de oportunidades de golo PEP GUARDIOLA Construção no último terço do campo: criação de oportunidades de golo SubPrincípio: Equipa muito Subida : Equipa bem subida, para que os Extremos iniciem a jogada perto da baliza adversária

Leia mais

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF PROVA DE FLEXÃO DE BRAÇO NA BARRA FIXA BARRA (SOMENTE PARA O SEXO MASCULINO) Os procedimentos a serem adotados pelo

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Mário Santos Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 1 e 2 Aula U.D. Nº: 1 e 2 de 3 Instalações: Pavilhão Data: 13-04-2010 Hora: 10h20min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES

APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES APOSTILA JOGADORES CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES O JOGADOR PADRÃO APOSTILA PÁGINA 6 As onze PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE UM BOM JOGADOR 1 - Sendo um jogo de conjunto, procurar sempre, e o mais rápido possível

Leia mais

ANDEBOL. Nível Introdutório

ANDEBOL. Nível Introdutório Nível ANDEBOL Nível Não Com posse de bola: Desmarca-se, oferecendo linha de passe. Opta por passe, ou por drible em progressão para finalizar. Finaliza em remate em salto. Perde a posse de bola, assume

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física 9º ANO - 1º PERÍODO UNIDADE DIDÁTICA TESTES DE C.F. ATLETISMO GINÁSTICA SOLO Conteúdos -

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ZONA URBANA DA FIGUEIRA DA FOZ ESCOLA DO ENSINO BÁSICO DO 2º E 3º CICLOS DR. JOÃO DE BARROS TEMAS/CONTEÚDOS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ZONA URBANA DA FIGUEIRA DA FOZ ESCOLA DO ENSINO BÁSICO DO 2º E 3º CICLOS DR. JOÃO DE BARROS TEMAS/CONTEÚDOS 2ª Período 1ª Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ZONA URBANA DA FIGUEIRA DA FOZ ESCOLA DO ENSINO BÁSICO DO 2º E 3º CICLOS DR. JOÃO DE BARROS ANO LETIVO 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DOS CONTEÚDOS DA DISCIPLINA:

Leia mais

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl Posicionamento do corpo Permanece na horizontal em decubito ventral, realizando movimentos de rolamentos laterais, em seu eixo longitudinal. Posicionamento da cabeça O rosto fica em contato com a água,

Leia mais

Unidade didática do Andebol Objetivos gerais do Andebol

Unidade didática do Andebol Objetivos gerais do Andebol 126 Recursos do Professor Unidade didática do Andebol Objetivos gerais do Andebol Cooperar com os companheiros no alcance do objetivo do Andebol, desempenhando com oportunidade e correção as ações solicitadas

Leia mais

PI Instrução inicial: Exercícios/ Objectivos

PI Instrução inicial: Exercícios/ Objectivos 5º Unidade de Ensino 21.01 a 15.02 10 Aulas Professor Estagiário: João Santos Turma: 7º B Objectivos : Gestão rotinas organizativas; Desenvolvimento competências de instrução e questionamento; Garantir

Leia mais

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS 1 Sexo: - Masculino. (1) - Feminino.. (2) 2 Idade: 3 Estado Civil: - Solteiro (1) - Casado.. (2) - União de Facto (3) - Divorciado..... (4) - Separado..... (5) - Viúvo...

Leia mais

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano 1. Se tem a bola, passar a um companheiro liberto 2.

Leia mais

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior ATLETISMO Osvaldo Tadeu da Silva Junior OBJETIVO DA DISCIPLINA Conhecer, compreender e analisar os processos de ensino aprendizagem e treinamento das corridas; Conhecer, compreender e analisar os processos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência Prática 3º Ciclo do Ensino Básico 2014/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado em Conselho Pedagógico de 06

Leia mais

APOSTILA DE VOLEIBOL

APOSTILA DE VOLEIBOL APOSTILA DE VOLEIBOL O voleibol é praticado em uma quadra retangular dividida ao meio por uma rede que impede o contato corporal entre os adversários. A disputa é entre duas equipes compostas por seis

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Mário Santos Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 9º Turma: A Nº Alunos: 21 Aula Nº: 11 e 12 Aula U.D. Nº: 7 e 8 de 10 Instalações: Pavilhão Data: 13-10-2009 Hora: 12h15min Duração: 75 minutos Unidade

Leia mais

O que é Defesa Pessoal?

O que é Defesa Pessoal? DEFESA PESSOAL O que é Defesa Pessoal? Habilitação de tácticas e técnicas sistematizadas e acessíveis a qualquer pessoa pelo treino, dotando-a de mecanismos necessários e suficientes a parar qualquer acção

Leia mais

7 ANO APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

7 ANO APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA FABRÍCIO RAMALHO DA COSTA GERSON APARECIDO DE SOUZA JUNIOR ISMAEL FRANCO DE SOUZA MARCOS PAULO DA SILVA COSTA RUBENS VAZ COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DE GOIÁS POLIVALENTE

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL DOCUMENTO DE APOIO 7º ANO BREVE HISTÓRIA DA MODALIDADE O Futsal surge no final do século XX, na década de 90,

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula Parte Introdutória Plano de aula Etapa: 4ª Etapa Unidade de Ensino: 12ª UE Aula nº: 53 e 54 Ana Lares Data: 11/05/2015 14/05/2015 Turma: 7ºano Duração da aula: 45 90 Nº previsto de alunos: 28 Material:

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO DO 10ºANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS ANO LETIVO

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO DO 10ºANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS ANO LETIVO COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS AULAS PREVISTAS Cooperar com os companheiros para o alcance do objetivo dos Jogos Desportivos Coletivos, realizando com oportunidade e correção as ações técnico-táticas elementares

Leia mais

Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira FUTEBOL (DE 11)

Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira FUTEBOL (DE 11) Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira Ano Letivo 2016/2017 FUTEBOL (DE 11) O QUE É O FUTEBOL? É um jogo desportivo coletivo praticado por duas equipas de 11 jogadores. O jogo é dirigido

Leia mais

CONTEÚDO: REGRAS BÁSICAS DO BASQUETEBOL

CONTEÚDO: REGRAS BÁSICAS DO BASQUETEBOL CONTEÚDO: REGRAS BÁSICAS DO BASQUETEBOL O jogo de basquetebol: O basquetebol é jogado por duas (2) equipes de cinco (5) jogadores cada. O objetivo de cada equipe é marcar pontos na cesta dos adversários

Leia mais

MATERIA DE EDUCAÇÃO FISICA DE VOLEIBOL EM

MATERIA DE EDUCAÇÃO FISICA DE VOLEIBOL EM MATERIA DE EDUCAÇÃO FISICA DE VOLEIBOL EM FUNDAMENTOS O saque ou serviço marca o início de uma disputa de pontos no voleibol. Um jogador posta-se atrás da linha de fundo de sua quadra, estende o braço

Leia mais

352)(6625 5(1$72 2/,9(,5$ Documento da Modalidade BADMINTON ',6&,3/,1$ '( EDUCAÇÃO FÍSICA

352)(6625 5(1$72 2/,9(,5$ Documento da Modalidade BADMINTON ',6&,3/,1$ '( EDUCAÇÃO FÍSICA Documento da Modalidade BADMINTON EDUCAÇÃO FÍSICA COMPONENTE TÉCNICA 1. POSIÇÃO FUNDAMENTAL Esta posição, também denominada de posição básica, coloca o jogador numa posição de espera dinâmica que lhe permite

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 28 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

07/05/2013. VOLEIBOL 9ºAno. Profª SHEILA - Prof. DANIEL. Voleibol. Origem : William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette

07/05/2013. VOLEIBOL 9ºAno. Profª SHEILA - Prof. DANIEL. Voleibol. Origem : William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette VOLEIBOL 9ºAno Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem : William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette GRECO, 1998 1 Caracterização: O voleibol é um jogo coletivo desportivo, composto por duas equipes, cada uma

Leia mais

FLAGBOL. Profº Paulo Fernando Mesquita Junior

FLAGBOL. Profº Paulo Fernando Mesquita Junior FLAGBOL Profº Paulo Fernando Mesquita Junior Nascido a partir de uma variação mais suave do futebol americano, o Flagbol começou a desenvolver-se como modalidade esportiva no início dos anos 40, em bases

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE ATLETISMO

UNIDADE DIDÁCTICA DE ATLETISMO ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE ATLETISMO DOCUMENTO DE APOIO 6º ANO Caracterização da Modalidade O atletismo pode ser dividido em cinco sectores:

Leia mais

Voleibol. Origem e Regras Origem

Voleibol. Origem e Regras Origem Origem e Regras Origem Originariamente designado por minonette, o jogo foi inventado em 1895, no estado de Massachusetts, EUA, por William G. Morgan, como resposta ao recém-criado basquetebol. Objetivo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 5º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM 5.º Ano Ginástica

Leia mais

CAPÍTULO. 9.2 Atividades para a prática. Raquete. cap9.2.indd 1 27/05/13 18:25

CAPÍTULO. 9.2 Atividades para a prática. Raquete. cap9.2.indd 1 27/05/13 18:25 9 CAPÍTULO Raquete 9.2 Atividades para a prática cap9.2.indd 1 27/05/13 18:25 cap9.2.indd 2 27/05/13 18:25 APRENDIZAGEM TÁTICA ESTRUTURAS FUNCIONAIS ESPORTES DE RAQUETE PRINCIPIANTE BASQUETEBOL ATIVIDADES

Leia mais

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes Aula Teórica História do Basquetebol Em 1891, o director da secção de Educação Física do Springfield College (USA), pediu o Professor James Naismith para criar um actividade que satisfizesse o interesse

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE BASQUETEBOL

UNIDADE DIDÁCTICA DE BASQUETEBOL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE BASQUETEBOL DOCUMENTO DE APOIO 6º ANO CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE O basquetebol é um jogo desportivo colectivo, pr

Leia mais

BASQUETEBOL. Professor Márcio SISTEMAS DE JOGO DEFENSIVO. Defesa individual

BASQUETEBOL. Professor Márcio SISTEMAS DE JOGO DEFENSIVO. Defesa individual POSICIONAMENTO DOS JOGADORES EM QUADRA E SUAS FUNÇÕES Pivôs: são os jogadores mais altos da equipe, pois têm como objetivo pegar rebotes, tanto na área defensiva como na ofensiva. Os pivôs, geralmente,

Leia mais

Avaliação N2 do 1º trimestre Disciplina: Educação Física

Avaliação N2 do 1º trimestre Disciplina: Educação Física Centro Educacional Sesc Cidadania Ensino Fundamental Anos Finais Goiânia, / /2017. 7º ano Turma: nº Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): Valéria de Paula Silva Valor: 10,0 Nota Instruções 1- Utilize somente

Leia mais

Seleção Escolar de Voleibol 2015

Seleção Escolar de Voleibol 2015 Seleção Escolar de Voleibol 2015 CLÁUDIO LOPES PINHEIRO 1972 1974 1977 1982 1985 1987 1992 1993 1996 1997 2004 2005 2007 2009 2012 2013 2015 Aloísio Aroudo/Eric/Miguel Gilberto Jorge Barros Leão Marco

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26 Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Educação Física Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26 3º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita e prática 1. Objeto de avaliação O presente

Leia mais

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011 PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES Leiria, 12 de Novembro de 2011 Índice Objectivos do Treino -Gerais - Específicos - Prioritários Meios de Treino - Exemplos Objectivos do Treino GERAIS Gosto pelo

Leia mais