governo do estado de são paulo Camareira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "governo do estado de são paulo Camareira"

Transcrição

1 governo do estado de são paulo Camareira 1

2 emprego Turismo e hospitalidade Camareira 1

3

4 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin Governador SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Rodrigo Garcia Secretário Nelson Baeta Neves Filho Secretário-Adjunto Maria Cristina Lopes Victorino Chefe de Gabinete Ernesto Masselani Neto Coordenador de Ensino Técnico, Tecnológico e Profissionalizante

5 Concepção do programa e elaboração de conteúdos Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Coordenação do Projeto Juan Carlos Dans Sanchez Equipe Técnica Cibele Rodrigues Silva, João Mota Jr. e Raphael Lebsa do Prado Fundação do Desenvolvimento Administrativo Fundap Wanderley Messias da Costa Diretor Executivo Márgara Raquel Cunha Diretora de Políticas Sociais Coordenação Executiva do Projeto José Lucas Cordeiro Equipe Técnica Ana Paula Alves de Lavos, Emily Hozokawa Dias e Laís Schalch Textos de Referência Selma Venco, Clélia La Laina, Dilma Fabri Marão Pichoneri e Paula Marcia Ciacco da Silva Dias Gestão do processo de produção editorial Fundação Carlos Alberto Vanzolini Antonio Rafael Namur Muscat Presidente da Diretoria Executiva Alberto Wunderler Ramos Vice-presidente da Diretoria Executiva Gestão de Tecnologias aplicadas à Educação Direção da Área Guilherme Ary Plonski Coordenação Executiva do Projeto Angela Sprenger e Beatriz Scavazza Gestão do Portal Luiz Carlos Gonçalves, Sonia Akimoto e Wilder Rogério de Oliveira Gestão de Comunicação Ane do Valle Gestão Editorial Denise Blanes Equipe de Produção Assessoria pedagógica: Ghisleine Trigo Silveira Editorial: Adriana Ayami Takimoto, Airton Dantas de Araújo, Amanda Bonuccelli Voivodic, Beatriz Chaves, Beatriz Ramos Bevilacqua, Bruno de Pontes Barrio, Camila De Pieri Fernandes, Carolina Pedro Soares, Cláudia Letícia Vendrame Santos, Lívia Andersen França, Lucas Puntel Carrasco, Mainã Greeb Vicente, Patrícia Pinheiro de Sant Ana, Paulo Mendes e Tatiana Pavanelli Valsi Direitos autorais e iconografia: Aparecido Francisco, Beatriz Blay, Fernanda Catalão, Juliana Prado, Olívia Vieira da Silva Villa de Lima, Priscila Garofalo, Rita De Luca e Roberto Polacov Apoio à produção: Luiz Roberto Vital Pinto, Maria Regina Xavier de Brito, Valéria Aranha e Vanessa Leite Rios Diagramação e arte: Jairo Souza Design Gráfico CTP, Impressão e Acabamento Imprensa Oficial do Estado de São Paulo Agradecemos aos seguintes profissionais e instituições que colaboraram na produção deste material: Fabiana Zichia, Leticia Coscelli, Linson Hotel, Maristela de Souza Goto Sugiyama, Melissa Galdino de Souza, Quality Suites Imperial Hall, Robson Alexandre Divino, Roseli Mendes e Transamérica Prime The World

6 Caro(a) Trabalhador(a) Estamos felizes com a sua participação em um dos nossos cursos do Programa Via Rápida Emprego. Sabemos o quanto é importante a capacitação profissional para quem busca uma oportunidade de trabalho ou pretende abrir o seu próprio negócio. Hoje, a falta de qualificação é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelo desempregado. Até os que estão trabalhando precisam de capacitação para se manter atualizados ou quem sabe exercer novas profissões com salários mais atraentes. Foi pensando em você que o Governo do Estado criou o Via Rápida Emprego. O Programa é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, em parceria com instituições conceituadas na área da educação profissional. Os nossos cursos contam com um material didático especialmente criado para facilitar o aprendizado de maneira rápida e eficiente. Com a ajuda de educadores experientes, pretendemos formar bons profissionais para o mercado de trabalho e excelentes cidadãos para a sociedade. Temos certeza de que iremos lhe proporcionar muito mais que uma formação profissional de qualidade. O curso, sem dúvida, será o seu passaporte para a realização de sonhos ainda maiores. Boa sorte e um ótimo curso! Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

7 Caro(a) Trabalhador(a) Você está iniciando um curso que lhe proporcionará formação na ocupação de camareira, arrumadeira ou, ainda, camareiro ou arrumador, profissionais requisitados especialmente, mas não exclusivamente, por hotéis. Neste curso, vamos nos referir à camareira, devido à grande quantidade de mulheres que trabalham nessa função, ficando subentendidas as demais denominações. A área de trabalho é a de turismo e hospitalidade, em franco crescimento no País e com boas perspectivas de obtenção de emprego no presente e no futuro próximo. A proposta, neste curso, é que você possa aperfeiçoar seus conhecimentos prévios e adquirir algumas técnicas e determinados conhecimentos que um profissional precisa dominar para ter um bom desempenho nesse campo de atuação. Na Unidade 1, você fará uma viagem à história do turismo e da hospitalidade, em especial do surgimento da hotelaria no Brasil. Na Unidade 2, será apresentada a classificação dos hotéis em estrelas e suas características de acordo com os serviços prestados, segundo a legislação que rege o setor. O universo de trabalho das camareiras e as histórias reais de algumas delas, com suas trajetórias de vida pessoal e profissional, é o que você verá na Unidade 3. Na Unidade 4, o assunto será a comunicação e sua importância na área de turismo e hospitalidade, quando você terá a oportunidade de praticar a leitura e a escrita. Na Unidade 5, você estudará as características e as atribuições da ocupação descritas no documento oficial do Ministério do Trabalho e Emprego, a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Você também discutirá a importância do hóspede para o estabelecimento hoteleiro, as normas típicas do setor e outros procedimentos que devem ser seguidos para um bom convívio no ambiente profissional. Esperamos que você aproveite o curso, dedicando-se com interesse e compromisso, e, assim, possa prosseguir confiante e mais preparado na sua jornada em busca de um trabalho. Bons estudos!

8 Sumário Unidade 1 9 As viagens e a hotelaria Unidade 2 27 Classificação dos meios de hospedagem Unidade 3 35 A história da ocupação de camareira Unidade 4 53 A comunicação na ocupação de camareira Unidade 5 77 O campo de atuação da camareira

9 São Paulo (Estado). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Via Rápida Emprego: turismo e hospitalidade: camareira, v.1. São Paulo: SDECT, il. - - (Série Arco Ocupacional Turismo e Hospitalidade) ISBN: (Impresso) (Digital) 1. Ensino Profissionalizante 2. Turismo e Hospitalidade Qualificação Técnica 3. Camareira Mercado de Trabalho I. Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia II. Título III. Série. FICHA CATALOGRÁFICA Tatiane Silva Massucato Arias - CRB-8/7262 CDD: CD

10 U n i da d e 1 As viagens e a hotelaria Giraudon/Bridgeman Art Library/Keystone Vincent van Gogh. O quarto em Arles, Óleo sobre tela, 57,5 cm x 74 cm. Museu d Orsay, Paris, França. Você é capaz de imaginar quando, pela primeira vez, um ser humano deixou a própria habitação e, deslocando-se no que seria sua primeira viagem, necessitou de condições favoráveis para descansar, alimentar-se, proteger-se ou apenas passar a noite, por exemplo, em outro lugar que não a sua casa? Ou, em lugar de casa, talvez fosse melhor falarmos em caverna? Para termos uma ideia de quando isso aconteceu, precisamos recuperar a história da humanidade, pois se acredita, atualmente, que o ser humano surgiu em um continente e, com o passar do tempo, foi migrando em várias direções até espalhar-se por todos os cantos do planeta. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 9

11 Science & Society Picture Library/Getty Images Os primeiros homens eram nômades, isto é, não tinham moradia fixa, deslocando-se sempre de um lugar para outro em busca de alimento. Se focalizarmos apenas o continente americano, por exemplo, a teoria mais difundida é a de que o homem primeiro ocupou o norte da América, continuou seu movimento migratório em direção ao sul, atingiu a América Central e, por fim, a América do Sul, chegando até o extremo sul do continente. Tribos nômades: homem puxa animal capturado. Ao fundo, um grupo no lago remando numa canoa. Anônimo. Diorama da Children s Gallery, c Museu de Ciência de Londres, Inglaterra. Ilustrações: Encyclopaedia Britannica/UIG/Bridgeman Art Library/Keystone Homo erectus. Homo sapiens. Há evidências de que o Homo erectus viveu na atual África, sendo depois suplantado pelo Homo sapiens. Este, há cerca de 100 mil anos, teria se disseminado pelo resto do planeta, com exceção da Antártida. Alguns antropólogos defendem que, nas Américas, essa colonização ocorreu entre 18 e 20 mil anos atrás: o homem, de origem mongol, oriundo da Ásia, teria atingido as Américas pela Beríngia, região que hoje é o Estreito de Bering, e as Ilhas Aleutas, entre o noroeste da América do Norte e o nordeste da Ásia, e que, à época, não estava submersa pelo oceano. Entretanto, Niède Guidon (1933- ), renomada arqueóloga brasileira, encontrou no Parque Nacional Serra da Capivara, no Piauí, evidências de que a presença humana nessa região remonta a 60 mil anos, o que contraria outras teorias sobre a colonização do continente. Nesse sítio, há vestígios do que ela acredita terem sido fogueiras e pedras trabalhadas por seres humanos, mas opositores de Niède afirmam que as peças apontadas por ela apenas sofreram ação de fenômenos naturais. 10 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

12 Durante essa trajetória, o homem foi hospedando-se por certo tempo em locais que lhe permitissem garantir segurança, alimentação e repouso, buscando, possivelmente, condições mais confortáveis. Milhares de anos mais tarde, ele percebeu que era possível preestabelecer locais e instalações, assim como serviços que garantissem essas condições em seus deslocamentos. Tais motivações, portanto, eram diferentes daquelas da primeira viagem humana. As primeiras hospedarias Quando se fala em viagem, associam-se, quase involuntariamente, as ideias de turismo e de hospitalidade. Para alguns historiadores, a hospedagem, como atividade econômica do setor terciário de comércio e serviços, teria se iniciado no século VII (7) a.c. (antes de Cristo), em razão de um evento que hoje ocorre a cada quatro anos: as Olimpíadas. IBGE Você sabia? O termo hospitalidade surgiu no Império Romano. Hospitium era o lugar (hospedagem ou pousada) em que viajantes poderiam encontrar abrigo e alimentação deriva de hospes (hóspede). O stabulum (estábulo) acomodava também as montarias e as tabernae (tabernas) vendiam produtos locais, comidas, bebidas e em geral situavam-se à beira das estradas, fora dos povoados. Fonte: Confederação Nacional do Comércio (CNC). Breve história do turismo e da hotelaria. Rio de Janeiro: CNC, Disponível em: <http://www.cnc.org.br/sites/ default/files/arquivos/breve historicodoturismoedahotelaria. pdf>. Acesso em: 28 jun Mapa de parte da Europa com destaque para a Grécia, país onde nasceram as Olimpíadas. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Atlas geográfico escolar. 5. ed. Rio de Janeiro: IBGE, p. 43. [Mantida a grafia original.] Naturalmente, essas pessoas necessitavam de hospedagem, de alimentação e de outros serviços na cidade e também em outros locais ao longo do percurso, e os que viajavam com o objetivo de assistir aos jogos estavam, sem dúvida, praticando turismo. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 11

13 Em Olímpia, na época, teriam sido edificados balneários e uma enorme estalagem, com área em torno de 10 mil metros quadrados. Ruínas de Olímpia, Grécia Antiga. Com a realização dos jogos, foram sendo criadas estruturas próprias para atender àquelas demandas, e o mesmo ocorreria séculos depois, já no Império Romano do Ocidente (27 a.c. [antes de Cristo]-476 d.c. [depois de Cristo]). Outro exemplo para compreendermos formas mais antigas e rudimentares de abrigar os viajantes e as mercadorias que transportavam, apesar de não ser da região da Itália, são os caravançarás, do Oriente Médio. Bridgeman Art Library/Keystone Walter Zerla/Easypix Richard Dadd. Caravançará em Mylasa, Turquia, Óleo sobre tela, 21,3 cm x 30,5 cm. Centro de Arte Britânica, Yale, EUA. 12 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

14 A expansão do império levava à construção de inúmeras vias para interligação dos locais conquistados, permitindo o transporte e o comércio entre si, e também tornando necessária a criação de estruturas de apoio aos viajantes, mercadores, militares etc. Assistir aos circos e às lutas de gladiadores ou frequentar balneários motivavam inúmeras viagens, e a rede de vias construída estendeu-se pelo império. A Via Appia, que ligava Roma ao sudeste da Itália, era uma dessas estradas. Por essa razão, acredita-se que desse fato surgiu a frase: Todos os caminhos levam a Roma. Marco Scataglini/Easypix Via Appia, antiga estrada de Roma. Novos modos de hospedagem Com a propagação do cristianismo, houve o aumento das peregrinações, muitas em direção à Igreja do Santo Sepulcro, erguida em Jerusalém no ano 326 d.c. (depois de Cristo) pelo imperador Constantino ( d.c. [depois de Cristo]). No século VI (6), elas dirigiam-se também a Roma, daí o termo romeiro. Nessa época, as ordens religiosas mantinham abrigos para viajantes, pobres e doentes, os chamados hospitais, muitos deles junto a mosteiros. Com o aumento das viagens, esses locais tornaram-se incapazes de atender todos os necessitados e terminaram por se dividir entre os abrigos para os enfermos, os hospitais, e os abrigos para os demais, os albergues. A hospedagem, que era gratuita, por caridade, depois passou a ser cobrada, como forma de manter as instalações e os serviços oferecidos. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 13

15 Ruínas do antigo Hospital del Rey, fundado por Afonso VIII (8 o ), em Atualmente faz parte do campus da Universidade de Burgos, Espanha. Em 1282, foi criada, em Florença, na Itália, a primeira associação que reunia proprietários de estabelecimentos de hospedagem, uma sociedade de donos de pousadas. IBGE Xavier Florensa/Easypix Mapa de parte da Europa com destaque para a Itália. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Atlas geográfico escolar. 5. ed. Rio de Janeiro: IBGE, p. 43. Antes disso, em 1254, já vigoravam leis de regulamentação dos serviços de hospedagem na França. Dois séculos mais tarde, em 1446, esse fato se deu na Inglaterra. Aí, no século XVI (16), os hospedeiros (hostelers, em inglês) passaram a ser considerados hoteleiros (innholders). 14 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

16 As viagens dos povos antigos ocorreram, como vimos, por causa de espetáculos, lazer, negócios, fé e novas motivações que surgiram no decorrer do tempo. Durante o Renascimento, no século XVI (16), muitas viagens tinham objetivo artístico- -cultural, visto que as manifestações artísticas se multiplicavam na Europa. Roma e Florença passaram a ser destinos privilegiados pelas elites. Atividade 1 Renascimento Em dupla, no laboratório de informática, façam uma pesquisa sobre o Renascimento. 1. O que foi? 2. Quando e onde surgiu? 3. Por que recebeu esse nome? 4. Quais artistas se destacaram nesse período? A modernização da hotelaria O desenvolvimento das ferrovias na Europa, no início do século XIX (19), e o surgimento das embarcações movidas a vapor, na segunda metade desse século, fizeram com que a estrutura de hospedagem, boa parte concentrada à beira das estradas, também se instalasse no entorno das estações de trem e dos portos. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 15

17 Uma nova hotelaria então surgiria, primeiramente na Europa e, mais tarde, nos Estados Unidos da América (EUA), deixando de ser privilégio de nobres e aristocratas e passando a atender todos que podiam pagar por ela. Amenities: Palavra inglesa. Produtos de higiene pessoal oferecidos gratuitamente aos hóspedes pelo hotel. Esse novo conceito de hospedagem, como local de conforto acessível a todos que tivessem dinheiro, foi bem representado pelo hotel Tremont House, inaugurado em 1829 na cidade estadunidense de Boston. Ele apresentava como diferencial quartos privados, com portas e fechaduras, para solteiros e para casais (até então eram quartos coletivos), além de ser o primeiro hotel a fornecer sabonetes como cortesia a seus hóspedes, inaugurando, assim, o conceito de amenities (fala-se amênitis ). Boston Public Library Hotel Tremont House, c Boston, EUA. Demolido em As mudanças na hotelaria, portanto, não se restringiram a alterações físicas em hotéis; elas primaram por um novo diferencial, novos padrões de atendimento, com dignidade, respeito e privacidade. Nos anos 1920, nos Estados Unidos da América, Henry Ford ( ) partiu do princípio de que a produção em massa devia vir acompanhada de consumo em massa. 16 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

18 Assim, criou um modelo de carro popular e, com o apoio de estratégias de marketing, passou a associar a ideia de bem-estar à de lazer. A construção de mais estradas para automóveis deu espaço, também, ao surgimento de vários hotéis e das viagens conhecidas como stop go stop, que significa ao pé da letra pare, vá, pare. Na década de 1950, o desenvolvimento hoteleiro atingiu seu ápice com o estabelecimento de importantes redes hoteleiras em todo o mundo. Surgimento da hotelaria no Brasil Se você não se lembra dessa parte da nossa história quem foram os bandeirantes, reveja o Caderno do Trabalhador 5 Conteúdos Gerais Repassando a história, que trata dessa questão. Disponível em: <http://www.viarapida.sp.gov. br>. Acesso em: 11 jun No Brasil, a ação das bandeiras perdurou do final do século XVI (16) até o início do XVIII (18), tendo contribuído para o comércio de escravos, para a descoberta de ouro e pedras preciosas e para a criação de locais de hospedagem no interior do País. Em torno de alguns deles, com o decorrer do tempo, surgiram povoamentos, que se desenvolveram e se tornaram cidades. Jean-Baptiste Debret. Mercado da rua do Valongo, Litogravura, prancha 23 do segundo volume da obra Viagem pitoresca ao Brasil. Fundação Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro, RJ Você sabia? Mesmo após a Proclamação da Independência, em 1822, que tornou o Brasil independente de Portugal, o trabalho escravo continuou a existir em nosso País. Apesar das mudanças que estavam acontecendo em todo o mundo e que também influenciavam o desenrolar da política e da economia brasileiras, foram necessários mais de 60 anos para que essa prática fosse abolida, em C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 17

19 Mapa das rotas percorridas pelas bandeiras. ARRUDA, José Jobson de A. Atlas histórico básico. 17. ed. São Paulo: Ática, p. 39. Em 1808, a transferência da corte portuguesa para o Rio de Janeiro e a Abertura dos Portos provocaram grandes alterações na estrutura de hospedagem das estalagens ou casas de pasto do século XVIII (18). Até então, valores da cultura portuguesa eram sinônimo de prestígio social, e um deles era o dever cristão e a tradição de receber os hóspedes com regalias nos próprios domicílios. Inúmeras residências possuíam quartos de hóspedes, o que tornava a atividade hoteleira comercialmente pouco rentável. Os pobres e os viajantes sem contato com moradores, bem como os religiosos em viagem, eram acolhidos em instituições religiosas. Com a chegada da corte, a cidade do Rio de Janeiro se tornou a capital e o centro da vida política e econômica do País, com grande movimentação de pessoas e mercadorias em seu porto. O consequente incremento comercial, político, científico, artístico etc., além de investimentos financeiros internacionais, induziu a criação de muitos estabelecimentos voltados à hospedagem. 18 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

20 A própria instalação da corte de Portugal, que trouxe ao País cerca de 10 mil pessoas, provocou alterações, ainda que o príncipe regente tenha expulsado de casa os proprietários das melhores residências para abrigar membros de sua comitiva. A porta desses imóveis foi sinalizada com as iniciais P.R. (de príncipe regente ), o que para o povo significava prédio roubado ou ponha-se na rua. Proprietários de edifícios os transformaram, abrindo lojas, em muitas das quais se instalaram cafés, comandados principalmente por franceses, e criando acomodações para hospedagem nos andares superiores, que conviviam com os albergues já existentes. Essas estruturas, porém, não ofereciam as mesmas condições de conforto e hospedagem que as mantidas no exterior. Mansões, muitas delas antes ocupadas por nobres, foram transformadas em hotéis de luxo, aproveitando o fato de estarem, na maioria, afastadas do centro, privilegiando suas características de requinte, sua inserção em regiões menos ocupadas, com cenário paisagístico atraente etc. O transporte até essas áreas se fazia por meio de tração animal, com rotas de bondes e diligências. Diligência: Veículo puxado por cavalo para transporte de pessoas, bagagens etc. Ainda no início do século XIX (19), o termo hotel, do francês hôtel, passou a ser utilizado para designar outros estabelecimentos voltados ao ato de hospedar. Um hotel que se tornaria famoso é o Hotel Pharoux, inaugurado em 1817, que iniciou como restaurante e somente dois anos mais tarde criou acomodações para hospedagem. Fundação Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro, RJ Friedrich Pustkow. Hotel Pharoux, vistas do Rio de Janeiro, século XIX (19). Coleção Pustkow, Fundação Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro (RJ). C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 19

21 O Hotel da Itália, em 1835, bem como outros hotéis, posteriormente, passou a apresentar bandas de música e a promover os primeiros bailes carnavalescos em suas dependências, oferecendo nova alternativa para as elites do Rio de Janeiro e para a atividade do setor. Na Europa, o suíço César Ritz ( ) é considerado o pai da hotelaria moderna, pois criou alguns dos principais conceitos para hotéis de luxo na França, quando ocupou cargos de destaque no gerenciamento de importantes estabelecimentos. Os principais conceitos propostos por Ritz dizem respeito a quartos amplos, toaletes conjugados aos quartos e instalação da recepção do hotel de maneira a centralizar todo o atendimento ao cliente. Em 1898, ele fundou o primeiro hotel que leva seu nome em Paris, na França, rapidamente transformado em rede, com filiais em cidades turísticas como Londres (Inglaterra) e Madri (Espanha). Directphoto.org/Alamy Glow Images Hotel Ritz. Paris, França. 20 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

22 Ao mesmo tempo, no Brasil, alguns hotéis já se destacavam. O setor se beneficiou, em São Paulo, com a criação, em 1867, da São Paulo Railway Company, mais tarde Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, voltada para o transporte do café para exportação, e, algumas décadas adiante, com a construção do Hotel Terminus, com 250 apartamentos, e do Hotel Esplanada, ambos já na década de Anúncio da São Paulo Railway Company. Jornal A Província de São Paulo, 19 mar p. 3. Arquivo/AE Hélio Nobre/Museu Paulista Arquivo/AE Anúncio do Hotel Terminus. Jornal O Estado de S. Paulo, 26 jun Hotel Terminus, c C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 21

23 Você sabia? Para se hospedarem em casas de família em São Paulo no século XIX (19), as pessoas deveriam apresentar uma carta de recomendação. Ficar nas casas particulares era uma alternativa para escapar das difíceis condições de higiene e acomodação oferecidas pelas hospedarias da época. Para saber mais, visite o site do Arquivo Histórico Municipal. Disponível em: <http://www. arquiamigos.org.br/info/info24/ i-estudos.htm>. Acesso em: 11 jun Arquivo/Agência O Globo No Rio de Janeiro, no entanto, faltavam hotéis na virada do século XIX (19) para o XX (20). O problema era tão grande que o governo, em 1907, decidiu isentar de impostos por sete anos os cinco primeiros grandes hotéis que fossem construídos. Em 1908, foi inaugurado na cidade o Hotel Avenida, seguido pelo Copacabana Palace, em Hotel Avenida, Rio de Janeiro (RJ). Em 1908, surgiu em Buffalo, nos Estados Unidos da América, o Statler Hotel, considerado o primeiro hotel moderno, pois já dispunha de portas corta-fogo, fechaduras em todas as portas e interruptor de luz ao lado delas, banheiro privativo nos apartamentos, água corrente, espelho de corpo inteiro, geladeira, telefone etc. Seu proprietário criou um slogan famoso: A room and a bath a dollar and a half ( Um quarto e um banheiro por um dólar e meio ). Nome Como se fala Significado room rum quarto bath/bathroom béf/béf rum banho/banheiro half réf metade, meio 22 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

24 Na década de 1920, como já ocorrido anos antes no Rio de Janeiro, a hotelaria conseguiu incorporar-se à vida da elite paulistana. O Esplanada, situado atrás do Theatro Municipal de São Paulo, com 250 apartamentos e instalações luxuosas em seus três restaurantes e salão de chá, transformou-se em ponto de encontro de artistas, homens de negócio e intelectuais. No Rio, o Hotel Glória, aberto em 1922, teria sido o primeiro a adotar os serviços de governança, contratando uma governanta de origem portuguesa. Já o Copacabana Palace, de 1923, constituiria um marco na área ao introduzir o estilo europeu de administração hoteleira. Hotel Glória, na época de sua inauguração. Rio de Janeiro (RJ). Fundação Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro, RJ Você sabia? Em 1960, chegou ao Brasil a romena Colette Lupo Pico, que se tornou bastante conhecida por implantar a governança em estabelecimentos da rede Intercontinental de Hotéis, no Rio de Janeiro. O primeiro hotel dessa rede, inaugurado em 1960 na mesma cidade, teve uma governanta italiana, Lídia Mazzoni. Outra governanta estrangeira, Ilze Dreher, alemã, foi a primeira a se destacar em São Paulo ao trabalhar em um dos dois principais hotéis da cidade naquela época. Anos depois, transferiu-se para outro de maior porte, à frente de um sistema de governança de padrão internacional. A década de 1920 foi marcada, ainda, pelo surgimento da Sociedade Brasileira de Turismo (posteriormente Touring Club do Brasil), que desempenhou importante papel na divulgação do turismo no País, ao ser nomeada pelo governo federal como instituição de fomento ao turismo na América do Sul, vindo a constituir-se no primeiro órgão oficial de turismo brasileiro e de companhias de aviação, que igualmente promoveram e favoreceram as viagens e, em consequência, o turismo e a hotelaria. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 23

25 A instalação de cassinos no Brasil abriu espaço para a criação de inúmeros hotéis-cassinos, que geraram empregos diretos e indiretos no setor. No entanto, com a proibição dos jogos de azar, em 1946, pelo governo federal, houve uma avalanche de falências de hotéis, entre eles o Hotel Quitandinha, localizado em Petrópolis (Rio de Janeiro), e o Grande Hotel, em Águas de São Pedro (São Paulo). Para aprofundar seus conhecimentos sobre a história da hotelaria e obter mais informações da área, você pode consultar outras fontes, como o livro de Luiz Gonzaga Godoi Trigo, Viagem na memória: guia histórico das viagens e do turismo no Brasil (São Paulo: Senac São Paulo, 2002), e o site da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Disponível em: <http://www.cnc.org.br>. Acesso em: 11 jun Acervo Senac Grande Hotel. Águas de São Pedro (SP). Datas importantes para o turismo no Brasil: criação de associações e empresas 1936 Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih) 1945 Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que criaria, em 1955, o Conselho de Turismo e a Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares 1953 Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav) 1958 Comissão Brasileira de Turismo (Combratur) 1966 Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), voltada ao planejamento e à execução da Política Nacional de Turismo 24 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

26 Datas importantes para o turismo no Brasil: criação de associações e empresas 2002 Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil, para representar os interesses do setor hoteleiro na regulamentação e criação de normas para o setor 2004 Câmara Empresarial do Turismo, com vistas a modernizar o setor Fontes: Confederação Nacional do Comércio (CNC). Breve história do turismo e da hotelaria. Rio de Janeiro: CNC, Disponível em: <http://www.cnc.org.br/sites/default/files/arquivos/brevehistoricodoturismoedahotelaria.pdf>; Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). História. Rio de Janeiro: CNC, Disponível em: <http://www.cnc.org.br/cnc/ sobre-cnc/historia>; Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB). Disponível em: <http://www.fohb.com.br>. Acessos em: 28 jun Atividade 2 Para entender os motivos das viagens Em grupo de até cinco pessoas, reflitam sobre as motivações para viagens na atualidade, respondendo às seguintes questões. 1. Quais são as necessidades dos viajantes ou hóspedes? 2. Quais são as condições ideais de hospedagem? 3. Compartilhem com a turma as respostas que vocês discutiram. C a m a r e i r a 1 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e 25

27 Atividade 3 Informações importantes para minha formação profissional Nesta Unidade, você conheceu alguns aspectos do surgimento do setor de turismo e hospitalidade. Faça um resumo das principais informações que considerou importantes para sua formação profissional. Giraudon/Bridgeman Art Library/Keystone Félix Edouard Vallotton. A criança doente (Helene Chatenay), Óleo sobre tela, 74 cm x 100 cm. Acervo particular. 26 Arco Ocupacional T u r i s m o e Hospita l i d a d e C a m a r e i r a 1

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL

O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL O SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM E A HOTELARIA NO BRASIL Anna Carolina do Carmo Castro Larissa Mongruel Martins de Lara RESUMO: O presente estudo tem por objetivo explicar a

Leia mais

governo do estado de são paulo Mordomo e Governanta

governo do estado de são paulo Mordomo e Governanta governo do estado de são paulo Mordomo e Governanta 1 emprego Turismo e hospitalidade Mordomo e Governanta 1 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin Governador SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO,

Leia mais

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Merielle Barbosa Lobo Pró-Saúde Hospital Materno Infantil Tia Dedé Tocantins Brasil merielle.hmitd@prosaude.org.br A ORIGEM DA ATIVIDADE HOTELEIRA O hotel

Leia mais

HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR

HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR HOTELARIA CLÁSSICA X HOTELARIA HOSPITALAR Palestrante: Marilia Mills CONCEITOS Hotelaria Clássica é a reunião de serviços com características próprias e que tem por finalidade oferecer hospedagem, alimentação,

Leia mais

Estrada Real é Nossa vai dar descontos em restaurantes. Passaporte ER chega ao Caminho do Sabarabuçu. Programa do IER treina condutores dos parques

Estrada Real é Nossa vai dar descontos em restaurantes. Passaporte ER chega ao Caminho do Sabarabuçu. Programa do IER treina condutores dos parques Ano 1 Nº 3 Informativo Estrada Real é Nossa vai dar descontos em restaurantes Pág. 02 Novo portal do Instituto Estrada Real é lançado Pág. 03 Passaporte ER chega ao Caminho do Sabarabuçu Pág. 05 Programa

Leia mais

Receita infalível para uma boa viagem

Receita infalível para uma boa viagem Receita infalível para uma boa viagem Para que a tão sonhada viagem de férias não se transforme em um pesadelo, alguns cuidados básicos devem ser tomados. Pensando no seu conforto e na sua segurança nesse

Leia mais

governo do estado de são paulo Recepcionista de hotel

governo do estado de são paulo Recepcionista de hotel governo do estado de são paulo Recepcionista de hotel 1 emprego Turismo e hospitalidade Recepcionista de hotel 1 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin Governador SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

PROJETO: 8 - AMPLIAÇÃO DA REDE HOTELEIRA PARA COPA DO MUNDO 2014.

PROJETO: 8 - AMPLIAÇÃO DA REDE HOTELEIRA PARA COPA DO MUNDO 2014. PROJETO: 8 - AMPLIAÇÃO DA REDE HOTELEIRA PARA COPA DO MUNDO 2014. Objetivo: Acompanhar trabalhos de ampliação do número de leitos na rede hoteleira na cidade de Curitiba. Justificativa: A cidade de Curitiba

Leia mais

DESEMPENHO DO SETOR DE TURISMO EM ALAGOAS, PARA SETEMBRO DE 2015

DESEMPENHO DO SETOR DE TURISMO EM ALAGOAS, PARA SETEMBRO DE 2015 DESEMPENHO DO SETOR DE TURISMO EM ALAGOAS, PARA SETEMBRO DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Gerência de Estatística e Indicadores Os resultados do turismo no estado

Leia mais

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O cirurgião dentista Robinson Shiba, proprietário da rede China In Box, em 1992 deixava de exercer sua profissão como dentista para inaugurar a primeira

Leia mais

Diferenças entre o mundo rural e o urbano.

Diferenças entre o mundo rural e o urbano. Oficina Urbanização Esta oficina tem como objetivo analisar uma das principais características do mundo atual; a vida em cidades. Pretendemos compreender a evolução das cidades na história e como se configuram

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO Esta Carta de Compromisso expressa o propósito de seus signatários anfitriões cariocas e os agentes profissionais que os representam de oferecer hospedagem

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

viajantes e comércio. Os comerciantes até poderiam ser hóspedes em potencial, mas estavam

viajantes e comércio. Os comerciantes até poderiam ser hóspedes em potencial, mas estavam 52 2.5 HOTELARIA NO BRASIL: UMA PERSPECTIVA Durante muito tempo o setor hoteleiro brasileiro ficou estagnado, devido à falta de viajantes e comércio. Os comerciantes até poderiam ser hóspedes em potencial,

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

- Sinal de transito agora só em Angra comentou Sandrinha, minha esposa.

- Sinal de transito agora só em Angra comentou Sandrinha, minha esposa. Angra dos Reis Agosto 2013 Depois da viagem a Londres, Lisboa, Praga e Genebra, esta seria a primeira travessia marítima que eu iria participar. Como o pessoal do grupo Maratonas Aquáticas tinha conseguido

Leia mais

Hotel das Paineiras - Varanda. Hotel das Paineiras

Hotel das Paineiras - Varanda. Hotel das Paineiras Hotel das Paineiras - Varanda Hotel das Paineiras Em janeiro de 1882, o Imperador D. Pedro II Unidos. Nesse dia, o imperador Pedro II e da Estrada de Ferro do Corcovado. O prédio concedeu aos engenheiros

Leia mais

b) Guarda bagagens e objetos de uso pessoal dos hóspedes, em local apropriado; c) Conservação, arrumação e limpeza das instalações e equipamentos.

b) Guarda bagagens e objetos de uso pessoal dos hóspedes, em local apropriado; c) Conservação, arrumação e limpeza das instalações e equipamentos. saída; Meios de Hospedagem Os meios de hospedagem oferecerão ao hóspede, no mínimo: I- Alojamento, para uso temporário do hóspede, em unidades habitacionais(uh) específicas a essa finalidade; II - serviços

Leia mais

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA

Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Série: 1ª Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

ESTRADA REAL. Melhor época

ESTRADA REAL. Melhor época ESTRADA REAL Bem-vindo(a) ao Brasil do século XVIII. Era ao longo destes caminhos que as coisas aconteciam durante os 100 anos em que este foi o eixo produtivo mais rico do jovem país que se moldava e

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 3

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 3 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 3 5 Nome: Data: Unidade 3 the bridgeman art library/grupo keystone abadia de woburn 1. Analise a imagem e identifique os símbolos do reinado de Elizabeth

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO. Coordenação Geral Rosiane Rockenbach MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Luiz Eduardo Barretto Filho Secretaria Executiva Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Diretor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 66 Discurso na solenidade de comemoração

Leia mais

3-5 TURISMO. Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria.

3-5 TURISMO. Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria. Anuário Estatístico do Município de Belém-2012 3-5 TURISMO 1 3-5 TURISMO Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria.

Leia mais

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO

FICHA TÉCNICA EQUIPE DO MINISTÉRIO DO TURISMO MINISTÉRIO DO TURISMO Ministro do Turismo Pedro Novais Lima Secretário Executivo Frederico Silva da Costa Secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Colbert Martins da Silva Filho Secretária

Leia mais

O PERFIL DOS VISITANTES DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES FIFA 2013 NO RIO DE JANEIRO

O PERFIL DOS VISITANTES DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES FIFA 2013 NO RIO DE JANEIRO O PERFIL DOS VISITANTES DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES FIFA 2013 NO RIO DE JANEIRO OBSERVATÓRIO DO TURISMO DO RIO DE JANEIRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE RIO DE JANEIRO, JUNHO DE 2013 O PERFIL DOS VISITANTES

Leia mais

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE www.redeadm.com.br Fortaleza-CE 03 Conhecendo a RAH. Seu hotel, flat ou condomínio em ótimas mãos. Com a RAH Rede Administradora Hoteleira, você tem à sua disposição uma empresa que garante a melhor administração

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

Ver também Túnel do Canal da Mancha.

Ver também Túnel do Canal da Mancha. Estrada de ferro, Sistema de transporte sobre trilhos, que compreende a via permanente e outras instalações fixas, o material rodante e o equipamento de tráfego. É também chamado ferrovia ou via férrea.

Leia mais

A civilização romana se localizou na parte continental pela península nsula Itálica e na parte insular pelas ilhas de Córsega, C Sicília banhada

A civilização romana se localizou na parte continental pela península nsula Itálica e na parte insular pelas ilhas de Córsega, C Sicília banhada Geografia e Povoamento A civilização romana se localizou na parte continental pela península nsula Itálica e na parte insular pelas ilhas de Córsega, C Sardenha e Sicília banhada pelos mares Mediterrâneo,

Leia mais

BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL)

BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL) BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL) Resumo A série apresenta a formação dos Estados europeus por meio da simbologia das cores de suas bandeiras. Uniões e cisões políticas ocorridas ao longo

Leia mais

Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle!

Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle! Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle! Estamos prontos para acolher cada um de vocês e juntos realizarmos uma excelente formação acadêmica com nossa experiência de mais de 300 anos de educação

Leia mais

1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas.

1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas. C O N H E C E R P E S S O A S U n i d a d e 1 5 U N I D A D E 1 1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas. 1. Os meus colegas estão insatisfeitos com o trabalho. 2. Fui com um amigo à agência de

Leia mais

História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem

História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem A trajetória A cada período da trajetória, em cada contexto social em que se inseriu, a publicidade encontrou a sua maneira de dizer, dialogando

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA

A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA A IMPORTÂNCIA DAS VIAGENS NA NOSSA VIDA PARA SABERMOS VER MELHOR A VIDA PERCEBERMOS O NOSSO PAPEL NO MUNDO PARA ENTENDERMOS O PRESENTE PARA SABERMOS COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI VINDOS

Leia mais

No ritmo da criação OPORTUNIDADE

No ritmo da criação OPORTUNIDADE Shutterstock POR BRUNO MORESCHI No ritmo da criação Nosso país ainda caminha a passos lentos quando o assunto é economia criativa. Mas as incubadoras podem ajudar a recuperar o tempo perdido Da música

Leia mais

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO ANA MARIA MAGALHÃES ISABEL ALÇADA [ ILUSTRAÇÕES DE CARLOS MARQUES ] O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO COLEÇÃO SEGUROS E CIDADANIA SUGESTÃO PARA LEITURA ORIENTADA E EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália.

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália. Esta ficha é parte integrante dos materiais de Arteteca:lendo imagens, do Programa Endesa Brasil de Educação e Cultura (PRONAC 09-7945). 41 para olhar pensar, imaginar... e fazer The Bridgeman Art Library

Leia mais

IDENTIFICANDO O HÓSPEDE EM PONTA GROSSA ATRAVÉS DO MÉTODO DE PESQUISA DE DEMANDA

IDENTIFICANDO O HÓSPEDE EM PONTA GROSSA ATRAVÉS DO MÉTODO DE PESQUISA DE DEMANDA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X) TRABALHO (

Leia mais

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados)

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) Plano de Negócio MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) O Projeto 04 Cenário Econômico A Demanda Concorrência Estratégia Comercial Operação Rentabilidade O Empreendedor 06

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso na cerimónia comemorativa

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 1. Localização (discriminação): Municípios de Viçosa do Ceará, Ipú, Tianguá, Ubajara, São Benedito, Carnaubal e Guaraciaba do Norte. (Total de

Leia mais

QUEM SOMOS intercâmbio

QUEM SOMOS intercâmbio Inglaterra Mini Programa HIGH SCHOOL QUEM SOMOS intercâmbio O Number One Intercâmbio possui mais de 15 anos de mercado oferecendo as melhores opções de viagem para você e sua família, seja a lazer, trabalho

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

Informações Gerais. 34 parceiros de mídia e publicidade. 220 expositores. + de 500 marcas. + de 20 mil m 2. 35 mil visitantes

Informações Gerais. 34 parceiros de mídia e publicidade. 220 expositores. + de 500 marcas. + de 20 mil m 2. 35 mil visitantes O Evento A PHOTOIMAGE BRASIL, maior feira de imagem da América Latina, reuniu mais de 35 mil participantes ligados ao segmento e provou nesta sua 22ª edição que soube se adaptar às rápidas mudanças do

Leia mais

Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares

Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares Como chegar Gestão Curiosidades Estatísticas Festas Populares Geografia História Tradição Util Pública Centro urbano Além da oferta municipal, com clima agradável, incontáveis rios, cachoeiras e vilas

Leia mais

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822).

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822). 1. (Enem 2014) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades

Leia mais

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO 1999 I. ÁREA ESTATÍSTICA / LINHAS GERAIS DA ACTIVIDADE ESTATÍSTICA NACIONAL 1998-2001 O Conselho Nacional

Leia mais

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil

Israel Operadora. Autoridade no Turismo Religioso. Peregrinações Religiosas no Brasil Israel Operadora Autoridade no Turismo Religioso Peregrinações Religiosas no Brasil Nossa Especialidade A Israel Operadora, empresa do Grupo Skill Supertravel é especializada em turismo religioso. Com

Leia mais

Proposta para a apresentação ao aluno. Apresentação Comunidade 1

Proposta para a apresentação ao aluno. Apresentação Comunidade 1 Introdução Você iniciará agora uma viagem ao mundo da História. Anote tudo que achar interessante, os patrimônios que conhece, as dúvidas que tiver e, depois, debata em sala de aula com seus colegas e

Leia mais

UVV POST Nº61 11 a 17/08 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

UVV POST Nº61 11 a 17/08 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional ESTÁGIO CURRICULAR E MONITORIA DE ENSINO Estão abertas inscrições para alunos regularmente matriculados

Leia mais

ENCONTRO DE 35 ANOS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE SANTOS PRIMEIRA E SEGUNDA TURMAS

ENCONTRO DE 35 ANOS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE SANTOS PRIMEIRA E SEGUNDA TURMAS ENCONTRO DE 35 ANOS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE SANTOS PRIMEIRA E SEGUNDA TURMAS PROGRAMAÇÃO OFICIAL E OPCIONAL: 19/06/2015 Sexta feira ALMOÇO (opcional) Ciceroneados por nosso Amigo Bráz Antunes Mattos

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II 1 HISTÓRIA 6º ANO ENS. FUNDAMENTAL II PROFESSOR (A): SEBASTIÃO ABICEU NOME: Nº QUESTÃO 01: O que a História estuda? Responda com suas palavras. QUESTÃO 02: O que são fontes históricas? QUESTÃO 03: Dê exemplos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL 5 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ROTEIRO DA UNIDADE 05 FINALIDADE: Com esta UE você terminará de estudar

Leia mais

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Ponta do Calabouço e adjacências: história, memória e patrimônio nos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro CHAMADA PÚBLICA DE TRABALHOS A faixa de terra

Leia mais

PROGRAMA BENCHMARKING EM TURISMO 2010

PROGRAMA BENCHMARKING EM TURISMO 2010 PROGRAMA BENCHMARKING EM TURISMO 2010 PROGRAMA BENCHMARKING EM TURISMO Iniciativa: SEBRAE, Ministério do Turismo e EMBRATUR Parceira Executora: ABAV PROGRAMA BENCHMARKING EM TURISMO O Programa tem como

Leia mais

Projeto Providência. Criança Esperança apoia projeto que é exemplo de esforço e dedicação em benefício de crianças e adolescentes carentes

Projeto Providência. Criança Esperança apoia projeto que é exemplo de esforço e dedicação em benefício de crianças e adolescentes carentes ações de cidadania Criança Esperança apoia projeto que é exemplo de esforço e dedicação em benefício de crianças e adolescentes carentes Com o apoio da UNESCO, por meio do Programa Criança Esperança, a

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Prefeitura cria Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana

Prefeitura cria Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana Prefeitura cria Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana Porto Maravilha inicia obra de restauração do Centro Cultural José Bonifácio, casarão histórico que integra pontos de

Leia mais

VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15

VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15 FECOMÉRCIO VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15 Natal tem as diárias mais baratas entre as capitais do NE, diz Secretário de Turismo - Notícias - Turismo - Nominuto.com Arquivo FD/Turismo Em nossa

Leia mais

A LENDA DO CAFÉ. Autoria desconhecida. Pastor Kaldi e suas cabras. 600 d.c. Museu Nacional da Etiópia.

A LENDA DO CAFÉ. Autoria desconhecida. Pastor Kaldi e suas cabras. 600 d.c. Museu Nacional da Etiópia. / / A LENDA DO CAFÉ Autoria desconhecida. Pastor Kaldi e suas cabras. 600 d.c. Museu Nacional da Etiópia. Autoria desconhecida. Pastor Kaldi e suas cabras. 600 d.c. Museu Nacional da Etiópia. Não há evidência

Leia mais

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Arlindo de Figueiredo Filho. São José dos Campos SP. Agosto de 2011

CENTRO HISTÓRICO EMBRAER. Entrevista: Arlindo de Figueiredo Filho. São José dos Campos SP. Agosto de 2011 CENTRO HISTÓRICO EMBRAER Entrevista: Arlindo de Figueiredo Filho São José dos Campos SP Agosto de 2011 Apresentação e Formação Acadêmica O meu nome é Arlindo de Figueiredo Filho, estou no momento..., completei

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

PORTUGAL PROGRAMA I Co-financiamento Co-financiamento www.rdtours.com

PORTUGAL PROGRAMA I Co-financiamento Co-financiamento www.rdtours.com Co-financiamento DIA 1 - LISBOA Chegada ao Aeroporto de Lisboa e translado para o hotel. Tempo livre para os primeiros contatos com esta maravilhosa Capital Europeia, conhecida pela sua luminosidade única

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem 1º Semestre 2013 O Cadastur Registro Hotel, Hotel histórico, hotel de lazer/resort,

Leia mais

Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle!

Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle! Estimados acadêmicos, Bem-vindos ao Unilasalle! Estamos prontos para acolher cada um de vocês e juntos realizarmos uma excelente formação acadêmica com nossa experiência de mais de 300 anos de educação

Leia mais

A CLASSIFICAÇÃO HOTELEIRA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS MEIOS DE HOSPEDAGEM.

A CLASSIFICAÇÃO HOTELEIRA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. A CLASSIFICAÇÃO HOTELEIRA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS MEIOS DE HOSPEDAGEM. ROIM, Talita Prado Barbosa. Bacharel em Turismo Faculdade de Ciências Humanas FAHU/ACEG Garça

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril Descobrimento do Brasil. Pintura de Aurélio de Figueiredo. Em 1500, há mais de 500 anos, Pedro Álvares Cabral e cerca de 1.500 outros portugueses chegaram

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J )

A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J ) A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J ) A palavra hospital origina-se do latim hospitalis, que significa "ser

Leia mais

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes All You Zombies Wendel Coelho Mendes Versão Portuguesa, Brasil Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959 Esse conto é minha versão sobre a verdadeira história de All You Zombies,

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia Nome: Ano: 2º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências Humanas Disciplina:

Leia mais

Os aparelhos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) se tornaram

Os aparelhos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) se tornaram GPS Os aparelhos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) se tornaram ferramentas importantes para nos localizarmos com mais facilidade. Agora imagine que você pudesse ter um GPS que, além de lhe fornecer

Leia mais

Inventos e Inventores

Inventos e Inventores BIP Inventos e Inventores agosto/2007 O ser humano é, por natureza, curioso. E essa curiosidade aliada à necessidade de tornar a vida mais prática e confortável fez, e faz, com que uma infinidade de produtos

Leia mais

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA Viviane Santos Salazar 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O mercado Crescimento da demanda por hospedagem Copa do Mundo Olimpíadas Qual a representatividade

Leia mais

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: LISTZ MADRUGA VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA:

Leia mais

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Sumário Prefácio: Os hospitais não são essenciais Introdução: O sistema hospitalar mudou, mas continua o mesmo! Imagem pública

Leia mais

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul.

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. CHIPRE Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. Ocupa uma posição estratégica no Mediterrâneo Oriental próxima das grandes

Leia mais

Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim. Na Zona Su na Zona Norte é quem tem menos recursos.

Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim. Na Zona Su na Zona Norte é quem tem menos recursos. Rio, de norte a sul Aproximando o foco: atividades RESPOSTAS Moradores da Zona Norte e da Zona Sul O din-dim 1. Ouça Kedma e complete as lacunas: Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais din-dim.

Leia mais

DIREITOS DESRESPEITADOS - A nefasta alta-programada do INSS

DIREITOS DESRESPEITADOS - A nefasta alta-programada do INSS DIREITOS DESRESPEITADOS - A nefasta alta-programada do INSS Divulgamos aqui no site uma matéria especial do Programa Frantástico, da Rede Globo, veiculada neste domingo (20/02) sobre a chamada alta-programada

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

R$ 95,00 por pessoa DESTINATION MANAGEMENT COMPANY PASSEIO DE JEEP PELA FLORESTA DA TIJUCA

R$ 95,00 por pessoa DESTINATION MANAGEMENT COMPANY PASSEIO DE JEEP PELA FLORESTA DA TIJUCA PASSEIO DE JEEP PELA FLORESTA DA TIJUCA Floresta da Tijuca é a maior Floresta urbana do mundo localizada em região de Mata Atlântica que fica a 10 minutos do centro do Rio de Janeiro. Nosso passeio inclui

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

PORTO ALEGRE A cidade que tem alegria até no nome vai surpreender você! Conheça os diferenciais que podem fazer de seu evento um enorme SUCESSO!

PORTO ALEGRE A cidade que tem alegria até no nome vai surpreender você! Conheça os diferenciais que podem fazer de seu evento um enorme SUCESSO! PORTO ALEGRE A cidade que tem alegria até no nome vai surpreender você! Conheça os diferenciais que podem fazer de seu evento um enorme SUCESSO! Congresso Brasileiro de Mastologia 2017 Porto Alegre Candidata

Leia mais

Histórico da Evolução Hoteleira. Dos Primórdios ao Mundo Globalizado. Os primórdios

Histórico da Evolução Hoteleira. Dos Primórdios ao Mundo Globalizado. Os primórdios Histórico da Evolução Hoteleira Dos Primórdios ao Mundo Globalizado Os primórdios O surgimento da Indústria Hoteleira no mundo tem algumas teorias diferenciadas. Para muitos autores, o marco inicial da

Leia mais

BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95

BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95 BRASIL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOIS LAJEADOS LEI MUNICIPAL Nº 460/95 INSTITUI O PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO A CONSTRUÇÃO OU AMPLIA- ÇÃO DE EDIFICAÇÃO COM FINALIDADE HOTELEIRA,

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

CONFEITARIA COLOMBO. Rio de Janeiro

CONFEITARIA COLOMBO. Rio de Janeiro CONFEITARIA COLOMBO Rio de Janeiro A Confeitaria Colombo é a memória viva da belle époque do Rio de Janeiro antigo, situada na rua Gonçalves Dias e foi fundada em 1894 pelos portugueses Joaquim Borges

Leia mais