PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 2 A 16 DE JUNHO DE 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 2 A 16 DE JUNHO DE 2014"

Transcrição

1 ANO III / Nº 89 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 2 A 16 DE JUNHO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Em Chapadão do Sul, o algodão safra está próximo a ser colhido; algumas propriedades iniciaram a desfolha (Figura 1), e estas estão usando inseticidas para controle do bicudo, como acordado entre os produtores para redução da população da praga no final do ciclo. O clima está favorável para a operação de desfolha e uso de maturadores (faixa de temperatura que varia de 23 a 33 C), durante este início do mês de junho. Foto 1. Lavoura de algodão desfolhada pronta para colher. O uso do inseticida junto com a desfolha tem se mostrado necessário nos casos em que as vistorias realizadas em lavouras detectam a presença de bicudo na fase de larva, pupa e adultos (Fotos 2 e 3), mesmo com a cultura já em fase final. 1

2 Foto 2 e 3. Pupa de bicudo em maçã preste a abrir, e em capulho aberto. Outro ponto importante a ser enfatizado para esta fase de pré-colheita é o extremo cuidado com o transporte dos fardões de algodão em caroço da lavoura para as algodoeiras; na safra passada foi adotado pela maioria dos responsáveis pelo transporte o uso das proteções laterais que minimizaram a queda de produto nas margens das rodovias e estradas vicinais, diminuindo assim as plantas voluntárias de algodão que hospedam pragas e doenças. Seguem abaixo, nas fotos 4 e 5, os modelos de proteção utilizado nos transmódulos. Foto 4. Proteção lateral no transmódulo, feita de chapa, para minimizar a queda de algodão em caroço nas estradas. Foto 5. Proteção lateral no transmódulo, feita com lona (bag), para reduzir o risco de sujar as estradas e rodovias. 2

3 Durante este período apenas duas propriedades repassaram a leitura das armadilhas instaladas na fazendas para coleta de mariposas, a média de captura de ficou em 8 e de Spodoptera 2. Núcleo 1 Chapadão do Sul (Mariposas capturadas por noite) Período das leituras: 02/06/14 a 16/06/2014 Fazenda Armadilha DELTA Heliothis Armadilha LUMINOSA Spodoptera Chrysodeixis includens Outras CAMPO BOM - MINUANO I,II,III - CATLÉIA - 10,5 INDAIÁ CARLÃO - BOM JESUS / RIO GRANDE - GÁVEA - LAGOA VERMELHA - MÉDIA #DIV/0! 8 #DIV/0! 2,0 #DIV/0! #DIV/0! - (não tem armadilha) ; células em branco não foi informado Núcleo 2 Costa Rica e Alcinópolis Eng. Agr. Robson Carlos dos Santos Nesta última semana, iniciou-se no município de Costa Rica a colheita do algodão safra (Foto 6). Até o momento apenas uma propriedade começou a operação de colheita na região. Com o início da colheita, é necessário ficar atentos com transporte adequado dos fardões para as algodoeiras, não deixando cair algodão em caroço às margens das rodovias, pois o mesmo em condições favoráveis pode germinar e servir de hospedeiro para pragas e doenças. Foto 6. Início da colheita algodão safra 2013/14 na região do Baús. Neste Núcleo, a maioria do algodão safra já está na fase de capulho, forma que expressa à fase final do ciclo da cultura. As maiorias das propriedades da região já começaram o processo de desfolha do algodoeiro. A principal praga do algodoeiro na região é o bicudo, e visando reduzir a população deste inseto no final de safra, os produtores deste Núcleo estão usando inseticidas no momento da desfolha (Foto 7), como acordado no Grupo Técnico. 3

4 Foto 7. Pulverizador realizando aplicação de desfolhante na região do Baús. Com a ausência de precipitações, o acúmulo de poeira nas estradas e carreadores das propriedades está inevitável; por isso, algumas propriedades adotam medidas mitigadoras do problema, como molhar carreadores e estradas privativas das fazendas ou interditá-las para tentar preservar e/ou manter a qualidade da fibra do algodoeiro (Fotos 8, 9 e 10). Foto 8 e 9. Carreadores interditado para evitar contaminação da pluma por poeira através do transito de veículos. Foto 10. Plantas de algodão completamente coberta por poeira. 4

5 Os primeiros talhões semeados com algodão safrinha estão com aproximadamente 150 DAE. Até o momento apresentam bom desenvolvimento e bom potencial produtivo. Nas últimas semanas foi observado um aumento significativo de reboleiras com sintomas de mofo-branco neste cultivo mais tardio; alguns cotonicultores relataram que foi necessário realizar três aplicações de fungicidas para conter a doença. Outro patógeno presente principalmente nos algodões safrinha é o fungo Botrytis, ele se manifesta preferencialmente em estruturas reprodutivas, levando-as à queda e/ou apodrecimento (Fotos 11 e 12). Foto 11 e 12. Sintomas de doenças em estruturas reprodutivas do algodoeiro. Os índices médios de captura nas armadilhas luminosas da semana ficaram em 2,93 mariposas de Spodoptera., 1,14 de Chrysodeixis includens, 4,29 de, 0,07 de Heliothis e 0,75 de outras espécies. Já nas armadilhas do tipo Delta, a média ficou em 0,21 MNH. Segue abaixo tabela com os índices de captura por fazenda. Núcleo 2 Costa Rica e Alcinópolis (Mariposas capturadas por noite) Fazenda Período das leituras: 02/06/14 a 16/06/2014 Armadilha DELTA Heliothis Armadilha LUMINOSA Spodoptera Chrysodeixis includens Outras PÉROLA DO PLANALTO - 0, NOVA FRANÇA 0,7 0,25 0 1,5 1,5 0,75 JARDIM DAS OLIVEIRAS 0,035 1,5 0,5 1,5 0 0 SÃO PAULO 0, GUARA/BAÚS 0,16 1, ABC/GARROTE - 4, ,5 0 CONQUISTA 0,125 1,5 0 0,5 0 1,5 PLANALTO - MÉDIA 0,21 4,29 0,07 2,93 1,14 0,75 - (não tem armadilha) ; células em branco não foi informado 5

6 Núcleo 3 Centro e Sul (São Gabriel a Naviraí). Eng. Agr. Guilherme Foizer Na Região Central, onde na próxima semana está previsto o início da desfolha do algodão (se o clima estiver favorável), notou-se que, diante do grande volume precipitado durante a abertura das maçãs do baixeiro, houve perdas significativas em algumas áreas, devido ao apodrecimento das maçãs (Foto 13). De outro lado, há áreas com bom potencial produtivo, como pode-se observar no município de Bandeirantes, onde existem talhões que estão com 96 maçãs por metro linear (espaçamento de 90 cm), segundo responsável técnico da propriedade. excesso de umidade. Foto 13. Maçãs do baixeiro apodrecidas em função do No momento, o algodão safra da Região está passando por um grande e preocupante problema, uma vez que quase 100% deste cultivo de safra está prestes a ser desfolhado, e, com as fortes chuvas que estão ocorrendo nos últimos dias, as plumas dos capulhos vem perdendo qualidade (Foto 14), tendo, consequentemente, o seu valor depreciado. Por esse motivo, os produtores devem atentar-se para que as plumas não fiquem mais do que o necessário no campo, realizando as operações de manejo de colheita de modo efetivo. precipitações. Foto 14. Plumas perdendo qualidade com as constantes 6

7 Todos os produtores e responsáveis estão orientados e compromissados a manter o rigor no controle do bicudo até a colheita, inclusive com tratamento na desfolha e na destruição da soqueira. Também, há o compromisso de realizar o enlonamento no transporte do algodão em caroço e caroço do algodão das unidades de beneficiamento e eliminar todo e qualquer tipo de planta tiguera de algodão. Os cotonicultores da Região Sul já estão com todas as soqueiras roçadas e destruídas. No entanto, os produtores devem ficar atentos com a germinação das sementes que ficaram no campo, principalmente as que possuem a tecnologia RR, já que depois de instalada a soja o controle destas se torna muito difícil, e poderão servir de abrigo para os bicudos no período de entressafra (Fotos 15 e 16). Lembrando que, os produtores que não respeitarem corretamente o vazio sanitário ficarão sujeitos às penalidades definidas pela legislação. Foto 15 e 16.Soqueira bem destruída, mas que precisa de atenção com a sementeira. Os índices médios de captura nas armadilhas luminosas da semana ficaram em 5 mariposas de Spodoptera., 3,5 de Chrysodeixis includens, 2,33 de, e 0 de Heliothis. Fazenda Núcleo 3 Centro e Sul (Mariposas capturadas por noite) Período das leituras: 02/06/14 a 16/06/2014 Armadilha DELTA Heliothis Armadilha LUMINOSA Spodoptera Chrysodeixis includens Outras SANTA ROSA - BOM FUTURO - RECANTO - 1,5 0 7,5 5,5 SERRA - SANTO ANTONIO - MONTE AZUL ,5 TAQUARY - 3,5 0 5,5 1,5 CACHOEIRA - MÉDIA #DIV/0! 2,33 0,00 5,00 3,50 #DIV/0! - (não tem armadilha) ; células em branco não foi informado 7

8 Observação: Durante os dias 4 e 5 de junho o Programa Fitossanitário do Algodoeiro de Mato Grosso do Sul recebeu a visita do Dr. Eleusio Curvelo Freire, que auditou as atividades realizadas no Programa, a pedido do IBA (Instituto Brasileiro do Algodão), financiador do trabalho da Ampasul. do Sul. Fotos 17. Eng. Agr. Eleusio C. Freire, doutor em Melhoramento de Plantas, auditando lavoura de algodão em Chapadão O Pesquisador Eleusio C. Freire fez diagnóstico de lavouras em São Gabriel do Oeste, Bandeirantes e Chapadão do Sul. Devidamente acompanhado pelos agrônomos do Programa, verificou o desenvolvimento dos cultivos nas propriedades visitadas e ações realizadas pela Ampasul, tais como acompanhamento dos monitoramentos realizados nas armadilhas luminosas e Delta, as quais são registradas as observações semanais de capturas, fez acompanhamento de pulverizações de produtos fitossanitários, monitoramento de pragas e doenças, também verificou a metodologia e recebimento dos dados do trabalho realizado na coleta de matérias para mapeamento de nematoides nas áreas produtoras de algodão, e a transferência de informações realizadas nas visitas juntamente com a Equipe Técnica das propriedades. Visite nossa página no facebook ( e nosso site ( Redação: Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes (Coordenador Técnico da Ampasul), Eng. Agr. Guilherme Foizer (Monitor Técnico da Ampasul) e Eng. Agr. Robson Santos (Monitor Técnico da Ampasul) 8

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 115. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 115. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 01 A 13 DE JULHO DE 2015 INFORMATIVO Nº 115 1 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes A primeira quinzena do mês de julho iníciou

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 76 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014 No decorrer desta semana a Ampasul promoveu o Tour do Algodão módulo Doenças, passando por

Leia mais

Núcleo 1 Chapadão do Sul

Núcleo 1 Chapadão do Sul Ano II 15 de abril de 2013. Relatório semanal de 08 a 15 de abril de 2013. Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Semana com períodos diurno nublado e com precipitações na maior parte

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 23 DE FEVEREIRO A 9 DE MARÇO DE 2015 INFORMATIVO Nº 108 1 Neste período foi realizada mais uma rodada de reuniões dos GTA (Grupo de Trabalho do

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ANO III / Nº 80 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ALERTA PARA O CONTROLE DO BICUDO DO ALGODOEIRO A presença do bicudo foi relatada e identificada

Leia mais

CIRCULAR TÉCNICA. Vazio sanitário do algodoeiro em Mato Grosso: principais pontos da Instrução Normativa 001/2016 do INDEA-MT

CIRCULAR TÉCNICA. Vazio sanitário do algodoeiro em Mato Grosso: principais pontos da Instrução Normativa 001/2016 do INDEA-MT CIRCULAR TÉCNICA Nº24 / 2016 Julho de 2016 Publicação periódica de difusão científica e tecnológica editada pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e dirigida a profissionais envolvidos com o

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Novembro/2013

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Novembro/2013 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Novembro/2013 Núcleo 1. Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

BOAS PRÁTICAS FITOSSANITÁRIAS DO ALGODÃO

BOAS PRÁTICAS FITOSSANITÁRIAS DO ALGODÃO Informativo Nº 148 Primeira Quinzena de Maio de 2017 BOAS PRÁTICAS FITOSSANITÁRIAS DO ALGODÃO Núcleo 1 Chapadão do Sul e Cassilândia As lavouras de algodão safra (Foto 1) está com 145 a 160 DAE (dias após

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL ANO III / Nº 70 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 01 A 13 DE JANEIRO DE 2014 Este Relatório apresenta algumas informações negativas para a situação fitossanitária do algodão

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015.

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015. Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Março/2015. Núcleo 1 Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013.

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. Ano II 20 de maio de 2013. Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. A Ampasul participou do 11º Encontro dos cotonicultores da região de Paranapanema/SP e pode ver que naquela região os produtores

Leia mais

Marcio de Souza Coordenador de Projetos e Difusão de Tecnologias do IMAmt

Marcio de Souza Coordenador de Projetos e Difusão de Tecnologias do IMAmt Estratégias utilizadas para melhoria da eficiência no controle do Bicudo no Mato Grosso Marcio de Souza Coordenador de Projetos e Difusão de Tecnologias do IMAmt Fatores que contribuíram para aumento populacional

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 128. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 128. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 24 DE FEVEREIRO A 06 DE MARÇO DE 2016 INFORMATIVO Nº 128 1 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O algodão safra no município

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 112. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 112. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 20 DE ABRIL A 17 DE MAIO DE 2015 INFORMATIVO Nº 112 1 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Na Região de Chapadão do Sul,

Leia mais

MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL

MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL MELHORES PRATICAS DE MANEJO DO ALGODÃO NO BRASIL Eleusio Curvelo Freire - Cotton Consultoria Wat sap 83-981555398 POR QUE USAR MELHORES PRATICAS DE MANEJO NO BRASIL? ASPECTOS TECNICOS Reduzir disparidades

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 113. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 113. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 18 A 31 DE MAIO DE 2015 INFORMATIVO Nº 113 1 A utilização de tecnologias de aplicação como gotas oleosas, como UBV (Ultra Baixo Volume) e BVO

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA: REALIDADE E DESAFIOS. Engº Agrº Antonio Carlos Santos Araújo

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA: REALIDADE E DESAFIOS. Engº Agrº Antonio Carlos Santos Araújo PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA: REALIDADE E DESAFIOS Engº Agrº Antonio Carlos Santos Araújo DIRETORIA ABAPA BIÊNIO 2016/2017 CONSELHO DIRETOR Júlio Cézar Busato Luiz Carlos Bergamaschi Paulo Massayoshi

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Janeiro/2014

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Janeiro/2014 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2013/2014 levantamento divulgado em Janeiro/2014 Núcleo 1: Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015.

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015. Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2014/2015 levantamento divulgado em Agosto/2015. Núcleo 1: Matrinchã, Jussara e região (Artur Pagnoncelli).

Leia mais

Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê

Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê Estratégias de colheita e beneficiamento para fibra de alta qualidade Engº Agrônomo Édio Brunetta Dir. Agroindustrial Grupo Itaquerê Introdução: A qualidade da fibra do algodão é influenciada direta e

Leia mais

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA Revisão de 16/06/2014 Programa baseado no Manejo Integrado de Pragas MIP 1. Controle Cultural Delimitação do vazio sanitário, calendário de

Leia mais

ESTRATÉGIAS E AÇÕES PARA O CONTROLE DE BICUDO NA BAHIA Programa Fitossanitário da Abapa

ESTRATÉGIAS E AÇÕES PARA O CONTROLE DE BICUDO NA BAHIA Programa Fitossanitário da Abapa ESTRATÉGIAS E AÇÕES PARA O CONTROLE DE BICUDO NA BAHIA Programa Fitossanitário da Abapa Engº Agrº Júlio Cézar Busato Presidente Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) HISTÓRICO SAFRAS E PRODUTIVIDADES

Leia mais

Boas Práticas Agrícolas no MS. Eng. Agrônomo Rubem Cesar Staudt. Astecplan Ltda

Boas Práticas Agrícolas no MS. Eng. Agrônomo Rubem Cesar Staudt. Astecplan Ltda Boas Práticas Agrícolas no MS Eng. Agrônomo Rubem Cesar Staudt Astecplan Ltda Atua desde 1997, na região dos Chapadões MS e GO; Atende áreas no MS ( Sede ), GO e MT; Foco em algodão, soja e milho; Área

Leia mais

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica

É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica É POSSÍVEL TER SUCESSO NA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NÃO BT? Eng.º Agr.º Ezelino Carvalho GBCA / EQUIPE Consultoria Agronômica 10º Congresso Brasileiro de Algodão Foz do Iguaçu - PR, Setembro/2015 OBJETIVOS Discutir

Leia mais

A densidade de semeadura, em sistemas de produção SUE, normalmente está na ordem de a plantas por hectare, com uma distância entre sul

A densidade de semeadura, em sistemas de produção SUE, normalmente está na ordem de a plantas por hectare, com uma distância entre sul Sistemas de Produção de Algodão em Sulco Ultra-Estreito: Uma opção para o Brasil? Juan A. Landivar Delta and Pine Land Internacional Uberlândia, Brasil Os custos para a produção de algodão continuam aumentando

Leia mais

RESUMO DE NÚCLEOS REGIONAIS NOVEMBRO/2015

RESUMO DE NÚCLEOS REGIONAIS NOVEMBRO/2015 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de algodão em Goiás, safra 2015/2016. Levantamento divulgado em novembro/2015, referente a outubro/2015. Núcleo 1: Matrinchã

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013. ANO II / Nº56 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DO MS BALANÇO GERAL SAFRA 2012/2013 RELATÓRIO SEMANAL DE 23 A 30 DE SETEMBRO DE 2013. Uma safra inteira se passou desde o início dos trabalhos do Programa Fitossanitário

Leia mais

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera*

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* A história do algodão tecnificado no oeste da Bahia,

Leia mais

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco Página 1075 PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1 Jefferson Luis Anselmo 1 ; Denis Santiago da Costa; Thiago Zago Leonel; Fábio da Silva

Leia mais

Controle químico de doenças fúngicas do milho

Controle químico de doenças fúngicas do milho INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 152/2017 6 de abril de 2017 Controle químico de doenças fúngicas do milho Com base nas recomendações da Embrapa Milho e Sorgo, a Aprosoja orienta seus associados sobre o controle

Leia mais

AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA DIRETORIA DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL DDSV. Luís Eduardo Magalhães, BA 30 de Julho de 2013

AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA DIRETORIA DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL DDSV. Luís Eduardo Magalhães, BA 30 de Julho de 2013 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA DIRETORIA DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL DDSV Panorama do Bicudo do Algodoeiro no Oeste da Bahia Safra 2012/2013 Luís Eduardo Magalhães, BA 30 de Julho de 2013 AGÊNCIA

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS NO CONTROLE DA LAGARTA CURUQUERÊ (ALABAMA ADENSADO DO ALGODOEIRO EM MATO GROSSO. Daniele Romano 1 ; Paulo Bettini 2.

AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS NO CONTROLE DA LAGARTA CURUQUERÊ (ALABAMA ADENSADO DO ALGODOEIRO EM MATO GROSSO. Daniele Romano 1 ; Paulo Bettini 2. Página 100 AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS NO CONTROLE DA LAGARTA CURUQUERÊ (ALABAMA ARGILLACEA) E FALSA-MEDIDEIRA (PSEUDOPLUSIA INCLUDENS) NO SISTEMA DE CULTIVO ADENSADO DO ALGODOEIRO EM MATO GROSSO Daniele

Leia mais

INSETOS-PRAGA NO BRASIL: LAGARTA-PRETA

INSETOS-PRAGA NO BRASIL: LAGARTA-PRETA INSETOS-PRAGA NO BRASIL: LAGARTA-PRETA BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Soluções para um Mundo em Crescimento ÍNDICE Contexto Ocorrência Abrangência nacional Características Curiosidades Alerta 01 02 03 05 09 10

Leia mais

REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE

REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE Página 256 REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE Adriano Moraes Rezende¹ (Fundação Goiás /adrianomoares@fundacaogo.com.br), José Ednilson

Leia mais

VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO. Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão

VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO. Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão VIABILIDADE FITOTÉCNICA DO ALGODÃO ADENSADO Valdinei Sofiatti Pesquisador da Embrapa Algodão O sistema de cultivo adensado Consiste no plantio de algodão em fileiras com espaçamentos menores de 0,76 metros

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO Propostas de ações de manejo da Helicoverpa armigera

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO Propostas de ações de manejo da Helicoverpa armigera PROGRAMA FITOSSANITÁRIO Propostas de ações de manejo da Helicoverpa armigera Grupo Gestor Grupos Técnicos PROPOSTAS 1. Calendário de Plantio e Vazio Sanitário Safra 2013/2014 Cultura / Sistema 2013 agosto

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Núcleo 1 Matrinchã, Jussara e região. Os trabalhos estão concentrados

Leia mais

PALESTRA FINOVAd. Defesa Sanitária Vegetal

PALESTRA FINOVAd. Defesa Sanitária Vegetal PALESTRA FINOVAd Defesa Sanitária Vegetal Defesa Sanitária Vegetal Engº Agrº Adalberto A. Fioruccci IAGRO Nova Andradina O que é defesa sanitária vegetal? Ações de vigilância, fiscalização e educação sanitária

Leia mais

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Requisitos para o cultivo de algodoeiro GlyTol LibertyLink, além de boas práticas de manejo integrado de plantas daninhas. Cap 1: Descrição do Produto

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1740

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1740 Página 1740 AVALIAÇÃO DE DIFERENTES POPULAÇÕES DE ALGODÃO NO SISTEMA DE PLANTIO ADENSADO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES / BA 1 *Cleiton Antônio da Silva Barbosa 1 / cleiton.barbosa@circuloverde.com.br; Pedro Brugnera

Leia mais

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS 6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS Prejuízos: -Competição por água; -Competição por luz; -Competição por nutrientes; -Hospedeiros de pragas e doenças; -Interferência na operação de colheita. Período de competição:

Leia mais

Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde, GO

Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde, GO RELATÓRIO TÉCNICO PARCIAL DE PRATICABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA DO NOCTOVI NO MANEJO DE LEPDOPTERA NA CULTURA DA SOJA Projeto AGRO 05 006 - ISCA Tecnologias. 1 - TÍTULO: Aplicações sucessivas de NOCTOVI

Leia mais

Ações e atuação da Abapa 2016

Ações e atuação da Abapa 2016 Ações e atuação da Abapa 2016 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Assembleia Geral; Conselho Diretor/Diretor Executivo; Apoio Institucional; Departamento técnico; Laboratórios; Centro de Treinamento Departamento

Leia mais

Instrução Normativa AGRODEFESA nº 8 DE 06/11/2014

Instrução Normativa AGRODEFESA nº 8 DE 06/11/2014 Instrução Normativa AGRODEFESA nº 8 DE 06/11/2014 Norma Estadual - Goiás Publicado no DOE em 11 nov 2014 Dispõe sobre ações e medidas fitossanitárias que visem à prevenção e controle da Ferrugem Asiática

Leia mais

Altitude 840 m Precipitação mm Temperatura 13 a 28 o C

Altitude 840 m Precipitação mm Temperatura 13 a 28 o C Altitude 840 m Precipitação 1.800 mm Temperatura 13 a 28 o C EQUIPE DE PESQUISA 03 Eng. Agr. Dr. 02 Eng. Agr. MS. 05 Eng. Agr. 02 Técnicos. 08 Auxiliares de Pesquisa. 20 Estagiários. CAMPO DE PROVA DA

Leia mais

Informativo Junho/2009 n. 03. Primavera do Leste, 4 de julho de Pesquisador: Alberto Boldt

Informativo Junho/2009 n. 03. Primavera do Leste, 4 de julho de Pesquisador: Alberto Boldt Informativo Junho/2009 n. 03 Primavera do Leste, 4 de julho de 2009. Pesquisador: Alberto Boldt Programa de melhoramento do IMA relatado no dia de campo em Nova Ubiratã: Programa de Melhoramento de Soja:

Leia mais

Módulo 2. Conceitos do MIP

Módulo 2. Conceitos do MIP Módulo 2 Conceitos do MIP O que fazer para conter essa praga? A solução não está no MIP por cultura! MIP Soja Identificação das Pragas e dos Inimigos Naturais Monitoramento Tomada de decisão MIP Algodão

Leia mais

Relato: Evolução da Ferrugem Asiática da Soja (Phakopsora pachyrhizi) em Goiás e Distrito Federal. Safras 2001/02 a 2006/07.

Relato: Evolução da Ferrugem Asiática da Soja (Phakopsora pachyrhizi) em Goiás e Distrito Federal. Safras 2001/02 a 2006/07. SEAGRO, AGENCIARURAL, AGRODEFESA, MAPA, EMBRAPA Soja, EMBRAPA Cerrados, CTPA, FAEG, OCB-GO, UFGo, UEG,Universidade de Rio Verde- FESURV, FIMES, ULBRA, AEPAGO, Uni-Anhanguera Relato: Evolução da Ferrugem

Leia mais

Desafios técnicos para máxima produtividade do algodoeiro no sul do MA e sudoeste do PI

Desafios técnicos para máxima produtividade do algodoeiro no sul do MA e sudoeste do PI Desafios técnicos para máxima produtividade do algodoeiro no sul do MA e sudoeste do PI Haroldo Cornelis Hoogerheide Engenheiro Agrônomo, MSc. Solos e Nutrição de Plantas Consultor técnico para Insolo

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES NO CERRADO DA BAHIA RESULTADOS - SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES NO CERRADO DA BAHIA RESULTADOS - SAFRA 2014/2015 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES NO CERRADO DA BAHIA RESULTADOS - Eleusio Curvelo Freire Cotton Consultoria 1 - PROJETO ADOÇAO DE NOVAS CULTIVARES NO CERRADO DA BAHIA Metodologia: UD em fazendas e avaliação conjunta

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 191

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 191 Página 191 FLUTUAÇÃO POPULACIONAL DAS PRAGAS DO ALGODOEIRO NO SISTEMA DE PLANTIO CONVENCIONAL VERSUS SISTEMA DE PLANTIO ADENSADO 1 Sandra Maria Morais Rodrigues 1 ; Pierre Jean Silvie 2 ; Valdemir Lima

Leia mais

PLANTANDO ALGODÃO EM 2005

PLANTANDO ALGODÃO EM 2005 PLANTANDO EM 2005 LUCIANO SAMARA Técnico agrícola Bacharel em Direito MBA gestão empresarial FGV Mestrando OHIO University -USA SEMENTES 13 PONTOS LOCALIZAÇÃO COSTA RICA MS ALTO TAQUARI - MT FONE 66 496

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 4 O 12º Levantamento de Safras da Conab, divulgado em 11 de setembro de 2015, consolidou os dados sobre produção, área e produtividade de algodão

Leia mais

Novas Tecnologias que trarão Renda Sustentável ao produtor: Algodão Adensado

Novas Tecnologias que trarão Renda Sustentável ao produtor: Algodão Adensado Novas Tecnologias que trarão Renda Sustentável ao produtor: Algodão Adensado Eng. Agr. Edson R. de Andrade Junior Pesquisador IMAmt edsonjunior@imamt.com.br Dr. Jean Louis Belot Pesquisador IMAmt jeanbelot@imamt.com.br

Leia mais

Boletim Técnico. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

Boletim Técnico. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Boletim Técnico FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Oferece aos produtores a possibilidade de controle de lagartas e das plantas daninhas. A associação das tecnologias GlyTol TwinLink

Leia mais

AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL

AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL R. reniformis AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL Rafael Galbieri Pesquisador do IMA (rafaelgalbieri@imamt.com.br) RESUMO Quais são as doenças; Análise nos últimos 10 anos; Possíveis

Leia mais

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil Presidência/213 Brasília, 04 de dezembro de 2013. Excelentíssimo Sr. Sérgio De Marco Presidente da Câmara Setorial do Algodão As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia

Leia mais

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil Presidência/213 Brasília, 04 de dezembro de 2013. Excelentíssimo Sr. Sérgio De Marco Presidente da Câmara Setorial do Algodão As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia

Leia mais

Manejo dos ácaros do gênero Brevipalpus em citros e cafeeiro

Manejo dos ácaros do gênero Brevipalpus em citros e cafeeiro Manejo dos ácaros do gênero Brevipalpus em citros e cafeeiro Brevipalpus phoenicis era uma espécie associada com a transmissão de viroses em citros, café, maracujá e plantas ornamentais. Pesquisas recentes

Leia mais

HERBICIDAS NA CULTURA DO ALGODÃO NO BRASIL

HERBICIDAS NA CULTURA DO ALGODÃO NO BRASIL V CONGRESSO BRASILEIRO DE ALGODÃO SALA ESPECIALIZADA: PLANTAS DANINHAS Observação: Esta folha não deverá ser incluída nos anais, é apenas a referencia do arquivo para sala especializada acima especificada,

Leia mais

Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Mesa Redonda- Sala 4 BIOTECNOLOGIAS NO ALGODOEIRO: EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS : EFICIÊNCIA, CUSTOS, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS 1- Transgenias disponíveis, variedades, problemas e perspectivas

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL José Lopes Ribeiro (1), Eleusio Curvelo Freire 2), Francisco José Correia Farias 2), Francisco Pereira de Andrade

Leia mais

Bayer Sementes FiberMax

Bayer Sementes FiberMax Bayer Sementes FiberMax Coord. Desenvolvimento Técnico Sementes FiberMax Planta Forte Sementes ao Botão Floral Semente: É um chip que carrega as características genéticas. Indutor de Produtividade. Características

Leia mais

7. Manejo de pragas. compreende as principais causadoras de danos na citricultura do Rio Grande do Sul. Mosca-das-frutas sul-americana

7. Manejo de pragas. compreende as principais causadoras de danos na citricultura do Rio Grande do Sul. Mosca-das-frutas sul-americana Tecnologias para Produção de Citros na Propriedade de Base Familiar 63 7. Manejo de pragas Dori Edson Nava A cultura dos citros possui no Brasil mais de 50 espécies de artrópodes-praga, das quais pelo

Leia mais

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE A IRGA 424 apresenta como diferencial o alto potencial produtivo, responde muito bem ao manejo e às altas adubações. Origem: cruzamento IRGA 370-42-1-1F-B5/BR IRGA 410//IRGA

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP

Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo. Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Experiências na Aplicação da Supressão do Bicudo Guido Aguilar Sanchez Holambra Agrícola - Paranapanema, SP Holambra Agrícola Assessoria e Consultoria S/C Ltda Nome Função MSc Guido Aguilar Sanchez A.

Leia mais

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO

MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO MANEJO DA MANCHA DE RAMULÁRIA E MOFO BRANCO Luiz Gonzaga Chitarra Fitopatologista Embrapa Algodão Luiz.chitarra@embrapa.br ASPECTOS GERAIS MANCHA DE RAMULARIA Causada pelo fungo Ramularia areola Atk.;

Leia mais

Acompanhamento de Safra Milho /2015

Acompanhamento de Safra Milho /2015 Acompanhamento de Safra Milho - 2014/2015 Entre os dias 24 de agosto e 03 de setembro foram visitadas propriedades distribuídas entre trinta (30) municípios, dentre eles: São Gabriel do Oeste, Rio Verde

Leia mais

PREÇO DO ALGODÃO EM MT SUPERA DESEMBOLSO DA SAFRA 15/16

PREÇO DO ALGODÃO EM MT SUPERA DESEMBOLSO DA SAFRA 15/16 PREÇO DO ALGODÃO EM MT SUPERA DESEMBOLSO DA SAFRA 15/16 O preço do algodão em pluma em janeiro operou acima dos custos para a safra 2015/16 em Mato Grosso, segundo cálculos realizados pelo Cepea. Já na

Leia mais

Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt

Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt Rosangela C. Marucci 1, Simone M. Mendes 2, José M.

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1311

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1311 Página 1311 BRS 335 CULTIVAR DE ALGODÃO DE CICLO E PORTE MÉDIOS PARA CULTIVO NO ESTADO DA BAHIA. 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Camilo de Lelis Morello 2 ; Luis Gonzaga Chitarr 2 ; Nelson Dias Suassuna 2

Leia mais

AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA. Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia

AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA. Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia AMOSTRAGEM DE PRAGAS EM SOJA Beatriz S. Corrêa Ferreira Entomologia INSETICIDAS CONTROLE BIOLÓGICO FEROMÔNIOS MANIPULAÇÃO GENÉTICA DE PRAGAS VARIEDADES RESISTENTES A INSETOS (plantas modificadas geneticamente)

Leia mais

Laudo de Praticabilidade e Eficiência Agronômica

Laudo de Praticabilidade e Eficiência Agronômica A GRAVENA-Manejo Ecológico de Pragas Ltda., como entidade de pesquisa, é credenciada pelo Ministério da Agricultura para pesquisa e ensaios experimentais com agrotóxicos, conforme PORTARIA 61, publicada

Leia mais

5.9 Controle de Pragas e Doenças

5.9 Controle de Pragas e Doenças 5.9 Controle de Pragas e Doenças 1 5.9.1 Medidas gerais de controle de pragas 2 a) Métodos Legislativos -Realizado pelo serviço de vigilância sanitária; - Consiste na fiscalização de portos, aeroportos,

Leia mais

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1 TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1. Introdução Silvio Moure Cicero Instalação de campos de produção de sementes requer planejamento muito criterioso: diferentes espécies requerem técnicas especiais;

Leia mais

BRS 336 CULTIVAR DE ALGODÃO COM ALTA QUALIDADE DE FIBRA PARA CULTIVO NO CERRADO E SEMI-ÁRIDO DO BRASIL. 1 INTRODUÇÃO

BRS 336 CULTIVAR DE ALGODÃO COM ALTA QUALIDADE DE FIBRA PARA CULTIVO NO CERRADO E SEMI-ÁRIDO DO BRASIL. 1 INTRODUÇÃO Página 1316 BRS 336 CULTIVAR DE ALGODÃO COM ALTA QUALIDADE DE FIBRA PARA CULTIVO NO CERRADO E SEMI-ÁRIDO DO BRASIL. 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Camilo de Lelis Morello 2 ; Luis Gonzaga Chitarr 2 ; Nelson

Leia mais

Qualidade: Caminho para a competitividade

Qualidade: Caminho para a competitividade Qualidade: Caminho para a competitividade PRINCIPAIS PROBLEMAS NOS PROCESSOS DE: 1) Produção; 2) Colheita Mecanizada; 3) Beneficiamento; 4) Industrialização; 5) Comercialização e Exportação do Algodão

Leia mais

2005-Entressafra

2005-Entressafra Ferrugem Asiática no Estado do Mato Grosso - Safra 2006-2007 Relato Eng. Agr. Fabiano Victor Siqueri fabianosiqueri@fundacaomt.com.br (66) 3439-4100 Rondonópolis - MT Londrina - PR, 26 de Junho de 2.007

Leia mais

CIRCULAR TÉCNICA. Destruição química da soqueira em variedades de algodoeiro resistentes ao glifosato

CIRCULAR TÉCNICA. Destruição química da soqueira em variedades de algodoeiro resistentes ao glifosato CIRCULAR TÉCNICA Nº17 / 2015 Maio de 2015 Publicação periódica de difusão científica e tecnológica editada pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e dirigida a profissionais envolvidos com o cultivo

Leia mais

AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ DIRETORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA GERÊNCIA DE SANIDADE VEGETAL CICLO DE REUNIÕES CONJUNTAS CSM/PR

AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ DIRETORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA GERÊNCIA DE SANIDADE VEGETAL CICLO DE REUNIÕES CONJUNTAS CSM/PR AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ DIRETORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA GERÊNCIA DE SANIDADE VEGETAL CICLO DE REUNIÕES CONJUNTAS CSM/PR Foz do Iguaçu 21/06/2017 DISTRIBUIÇÃO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PARANÁ

Leia mais

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS DE ALGODÃO NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO Wanderley Katsumi Oishi Consultor Agrícola Quality Cotton Cons. Agronômica Ltda. Cenário do Manejo das Variedades Transgênicas

Leia mais

Considerações sobre a situação do cancro cítrico e a mudança da legislação que regula o controle da doença em São Paulo

Considerações sobre a situação do cancro cítrico e a mudança da legislação que regula o controle da doença em São Paulo Considerações sobre a situação do cancro cítrico e a mudança da legislação que regula o controle da doença em São Paulo Franklin Behlau CANCRO CÍTRICO: NOVA ABORDAGEM Desfolha Lesões em frutos Queda de

Leia mais

MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16

MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16 MIP - Unidades de Referência (UR) e Resultados do Monitoramento da Safra Soja 2015/16 Eng. Agr. Ms. Fernando Teixeira de Oliveira InsJtuto Emater Andirá-PR 43 3538-4504 E-mail: fernandoliveira@emater.pr.gov.b

Leia mais

Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados. Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados

Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados. Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados Ameaças Fitossanitárias Segundo a Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA), 150 Pragas Quarentenárias

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 2 oletim grometeorológico Embrapa grossilvipastoril, Sinop, MT Março, 2017 companhamento da 1 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio lberto Zolin, Embrapa grossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EXPERIÊNCIA DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA Uso de rede social na assistência técnica rural.. Dezembro 2015 1 1. Contextualização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS

APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS APRESENTAÇÃO DO PROJETO OBJETIVOS REDUZIR A ASSIMETRIA DE INFORMAÇÃO NO MERCADO AVALIAR AS CONDIÇÕES DA SAFRA 2014/15 DE SOJA E MILHO NO BRASIL APRESENTAÇÃO DO PROJETO FORMATO 95 MIL KM PERCORRIDOS 135

Leia mais

AÇÃO DE INSETICIDAS SOBRE O PERCEVEJO CASTANHO Scaptocoris castanea Perty, 1833 (HEMIPTERA: CYDNIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO *

AÇÃO DE INSETICIDAS SOBRE O PERCEVEJO CASTANHO Scaptocoris castanea Perty, 1833 (HEMIPTERA: CYDNIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO * AÇÃO DE INSETICIDAS SOBRE O PERCEVEJO CASTANHO Scaptocoris castanea Perty, 833 (HEMIPTERA: CYDNIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO * Crébio José Ávila, Sérgio Arce Gómez 2. () Embrapa Agropecuária Oeste, Rodovia

Leia mais

ELIMINAÇÃO DAS MAÇÃS INDESEJADAS DO ALGODOEIRO NO SISTEMA ADENSADO EM PRIMAVERA DO LESTE MT INTRODUÇÃO

ELIMINAÇÃO DAS MAÇÃS INDESEJADAS DO ALGODOEIRO NO SISTEMA ADENSADO EM PRIMAVERA DO LESTE MT INTRODUÇÃO ELIMINAÇÃO DAS MAÇÃS INDESEJADAS DO ALGODOEIRO NO SISTEMA ADENSADO EM PRIMAVERA DO LESTE MT Edson R. de Andrade Junior (Pequisador IMAmt edsonjunior@imamt.com.br) Resumo O objetivo deste trabalho foi avaliar

Leia mais

Boletim Agrometeorológico

Boletim Agrometeorológico 1 Boletim Agrometeorológico Início da 1 a safra 2016/2017 em Mato Grosso Cornélio Alberto Zolin, Embrapa Agrossilvipastoril, cornelio.zolin@embrapa.br Jorge Lulu, Embrapa Agrossilvipastoril, jorge.lulu@embrapa.br

Leia mais

SMR Cancro Cítrico São Paulo COORDENADORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. Eng. Agr. DSc. Marlon Peres da Silva

SMR Cancro Cítrico São Paulo COORDENADORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. Eng. Agr. DSc. Marlon Peres da Silva SMR Cancro Cítrico São Paulo COORDENADORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA Eng. Agr. DSc. Marlon Peres da Silva Temas Abordados 1. Instrução Normativa nº 37, de 05/09/2016 (MAPA); 2. Capítulo IV Área Sob Sistema

Leia mais

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 CREDENZ é a Bayer inteira voltada para o seu negócio. Credenz é a marca de sementes da Bayer que já nasceu trazendo toda a credibilidade que a marca Bayer tem, e

Leia mais

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1044

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1044 Página 1044 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FUNGICIDA TIOFANATO METÍLICO-CIPROCONAZOLE NO CONTROLE DA MANCHA DE RAMULÁRIA (RAMULARIA AREOLA) EM ALGODOEIRO Luiz Gonzaga Chitarra (Embrapa Algodão / chitarra@cnpa.embrapa.br),

Leia mais

Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa. r José Carlos Cruz 1. INTRODUÇÃO

Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa. r José Carlos Cruz 1. INTRODUÇÃO CRUZ, 1987 J.C. SEMEADURA DO MILHO 1. INTRODUÇÃO Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa r José Carlos Cruz O milho é a cultura mais largamente plantada no Brasil, com cerca de

Leia mais

OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS

OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS Josué Grah - SLC Agricola - Coordenador de Planejamento e Pesquisa SLC AGRICOLA Quem somos? Safra

Leia mais

02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES

02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES 02 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DAS SEMENTES O estabelecimento inicial de uma lavoura depende essencialmente do potencial fisiológico das sementes utilizadas na semeadura. A porcentagem, velocidade e uniformidade

Leia mais