SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE NUMERAÇÃO"

Transcrição

1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO 1. INTRODUÇÃO Quando mencionamos sistemas de numeração estamos nos referindo à utilização de um sistema para representar uma numeração, ou seja, uma quantidade. Sistematizar algo seria organizar, colocar em ordem, submeter à determinadas regras. Um sistema de numeração seria uma forma de organizar a representação de um número. Exemplo: Quando contamos algo ou expressamos algum valor, utilizamos no dia a dia um sistema de numeração, que é o sistema decimal. Para isto seguimos a organização dos números, pois eles obedecem à uma certa ordem, e uma das regras é utilizar somente os caracteres 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 combinados, obedecendo à ordenação, para formar dos números. Mas existem inúmeros sistemas de numeração, pois existem diversas formas de se representar um número. Um chinês que tem dois carros, para transmitir a informação de que o número de carros que ele possui é dois, se expressa de um modo diferente de um americano que tenha os mesmos dois carros mas as formas que ambos utilizam para representar a quantidade de carros tem pontos em comum: são dois sistemas de numeração. O exemplo de um sistema de numeração diferente seria utilizar os seguintes caracteres: 0, 1, 2, 3, C, %,} para representar os números. Ordenando estes caracteres do mesmo modo que o sistema decimal, a contagem neste sistema seria feita na seguinte ordem: 1, 2, 3, C, %, }, 10, 11, 12, 13, 1C, 1%... O equivalente ao número 10 no sistema decimal seria representado pelo número 13 neste sistema, o número 11 seria 1C, assim por diante. A representação de um número em um sistema de numeração diferente muda, para um mesmo valor, assim como as operações com números nestes novos sistemas podem ser readequadas. Estas diferenças entre os sistemas de numeração são utilizadas como ferramenta de cálculo e projeto em diversas áreas, como a computação. Quando desejamos registrar um valor de tensão igual a trinta e quatro vírgula cinquenta e dois volts, usamos os caracteres 3, 4, 5, e 2 dispostos numa certa ordem: 34,52 volts. Esta representação é conhecida como notação posicional do valor observado, onde a importância de cada caracter depende da sua posição em relação aos demais caracteres. Os caracteres tem maior significação no sentido da direita para a esquerda. No caso, os caracteres 3 e 2 são, respectivamente, o de maior e menor significação Base Os sistemas de numeração foram criados pelo homem com o objetivo de quantificar as grandezas relacionadas às suas observações. Tais sistemas foram desenvolvidos através de símbolos, caracteres e do estabelecimento de regras para a sua representação gráfica. Ao conjunto destes símbolos ou caracteres chamamos de base ou raiz do sistema, r. A base de um sistema de numeração é o número decimal no qual um sistema de numeração se utiliza para indicar uma quantidade e geralmente é o número de caracteres diferentes utilizados para compor o sistema. O sistema decimal é dito de base 10 por utilizar somente 10 caracteres diferentes para representar os números (os dígitos de 0 à 9) e a quantidade real representada pelos números tem como base o valor 10. Por exemplo, na contagem do sistema decimal, após o número 9, já utilizamos todos os caracteres diferentes disponíveis, que são 10 (observe que o caractere 0 também está incluído) e um número maior que 9 é representado utilizando uma convenção que atribui um significado numérico quantitativo à posição ou lugar ocupado por um dígito. Cada posição ocupada por um caractere no número possui um peso diferente, como no exemplo abaixo: 3004 = 3 x x x x 10 0 Cefet/PR Cornélio Procópio 1

2 O mesmo artíficio é utilizado em outros sistemas de numeração, ou seja, cada caractere que compoe um número possui um peso de potências do valor da base e que variam de acordo com a posição ocupada pelo caractere no número, no caso do sistema decimal, potências de 10. Do exemplo exposto anteriormente (com o sistema 0, 1, 2, 3, C, %, }), o valor da base é 7 porque 0, 1, 2, 3, C, %, } são um conjunto de 7 caracteres diferentes que posso utilizar para compor um número neste sistema e a quantidade que os números representam são expressas com base no valor 7. O número 31}C representa uma quantidade igual à que número no sistema decimal? 31}C = 3 x x } x C x 7 0 como 3 = 3 10 no sistema decimal, 1 = 1 10, } = 6 10, C = 4 10, concluímos: 31}C = 3 x x x x }C = De acordo com o interesse do estudo em controle de máquinas e pela utilidade em diversas áreas, daremos ênfase ao sistema de numeração binário (base 2). Obs.: Quando utilizamos sistemas de numeração diferentes, procura-se adotar uma convenção para a indentificação de números com bases de numeração diferentes. Exemplo: = o número no sistema de base 2 é igual ao número 28 no sistema decimal. 2. O SISTEMA DECIMAL DE NUMERAÇÃO Os números decimais são os mais utilizados atualmente, de nosso conhecimento. Uma representação posicional no sistema decimal pode ser desenvolvida numa forma polinomial que envolve um somatório de potências de 10. Como exemplo, o número três mil e quatro: 3004 = 3 x x x x 10 0 É comum utilizarmos como índice, à direita do dígito menos significativo na representação posicional, para identificar a base de representação. No caso da base decimal, este índice pode ser omitido. Os circuitos ditos analógicos processam informações usando o sistema decimal. 3. O SISTEMA BINÁRIO DE NUMERAÇÃO O sistema de numeração de base 2 é chamado de sistema binário (dois), pois utiliza somente dois dígitos: 0 e 1. Todos os números são representados conforme o posicionamento e a quantidade destes dois dígitos. A contagem segue o mesmo raciocínio utilizado no sistema decimal: após o último dígito, incrementa-se uma posição à esquerda e a posição à direita é zerada, repetindo-se toda a sequência de números anterior: 1, 10, 11, 100, 101, 110,... Os números acima geralmente são chamados de números binários. Para evitar confusão com o sistema de numeração decimal, lemos dígito por dígito no sistema binário: 10=hum,zero; 1101=hum,hum,zero,hum. Podemos expressar um número fracionário no sistema binário, utilizando a vírgula binária: 1,1001; 0,0001; 1101,0101,... Este sistema pode ser utilizado para representar 2 estados de um elemento: uma lâmpada (acesa ou apagada), uma chave (aberta ou fechada), uma fita magnética (variação ou Cefet/PR Cornélio Procópio 2

3 não na magnetização), na genética (presença ou ausência de genes),... pois nos cálculos teóricos, o sistema binário é o mais utilizado para facilitar a manipulação dos dados. Qualquer algarismo ou dígito de número binário é denominado de bit (binary digit). Exemplo: bits Conversão do sistema binário para o sistema decimal Uma representação posicional no sistema binário pode ser desenvolvida numa forma polinomial que envolve um somatório de potências de 2. Assim, o equivalente decimal do número binário é obtido da representação polinomial do número na base 2, através do processamento da soma decimal. Exemplo 1: Conversão do número binário para decimal: 1- O primeiro dígito da direita para a esquerda do número binário multiplica a potência de 2 0, o segundo dígito da direita para a esquerda multiplica 2 1, o terceiro dígito à direita multiplica 2 2, e assim por diante: 0 x 2 0 = 0 x 1 = 0 1 x 2 1 = 1 x 2 = 2 0 x 2 2 = 0 x 4 = 0 0 x 2 3 = 0 x 8 = 0 1 x 2 4 = 1 x 16 = 16 1 x 2 5 = 1 x 32 = A soma destas multiplicações resulta no número decimal: = 50 Assim: = Exemplo 2: = 1 x x x x x x x x x x x x x x = = Podemos representar um número decimal fracionário por um número binário, como no exemplo abaixo: 111, = 1 x x x x x x x , = , , , = 7, Para a representação de números negativos pode-se utilizar o sinal -. Outro método utilizado na prática é o acréscimo de um dígito binário à esquerda do número para indicar este sinal, ou seja, para indicar se o número é negativo ou não. Os números binários compostos desta maneira são chamados números binários com sinal ou números de magnitude com sinal pois o primeiro dígito representa o sinal e os dígitos restantes significam a magnitude do número. Geralmente o dígito 0 indica um número positivo e 1 indica um número negativo. Exemplo: = Cefet/PR Cornélio Procópio 3

4 dígito que indica um número negativo 2.2. Conversão do sistema decimal para o sistema binário: Efetua-se uma operação aproximadamente inversa à conversão de binário para decimal, utilizando o método das divisões sucessivas: divide-se sucessivamente o número decimal por 2 até resultar em um número menor que 2 e os restos destas divisões juntamente com o último resultado formarão o número binário. Este mesmo método pode ser usado para outros sistemas de numeração de base diferente de 2, como o sistema hexadecimal, cuja base é 16. Exemplo 1: Conversão do número decimal 1029 para o sistema binário. 1- Divide-se o número por 2, que é a base do sistema binário. O resto desta divisão será o último dígito do número binário O resultado desta divisão é dividido novamente por 2, e o resto será o penúltimo dígito do número binário. O resultado é dividido sucessivas vezes por 2, até a última divisão em que o resultado for 0 ou 1. O resultado da última divisão será o primeiro dígito do número binário _ _ _ _ 0 8 2_ restos das divisões sucessivas: = Exemplo 2: Conversão do número decimal para binário _ _ Cefet/PR Cornélio Procópio 4

5 restos das divisões sucessivas: = O Sistema Octal O sistema de numeração de base 8 e que utiliza os caracteres de 0 à 7 do sistema de numeração decimal, na respectiva ordem, é chamado de sistema octal. Este sistema era mais utilizado antigamente, pois é uma simplificação do sistema binário: 3 dígitos binários eram substituídos por 1 dígito no sistema octal, porque o valor máximo de um número de 3 dígitos binários é 111, ou seja, 7. que é o número máximo de caracteres diferentes utilizados pelo sistema octal (base 8). Atualmente, o sistema octal entrou em desuso pela utilização cada vez maior da informática e de circuitos eletrônicos digitais, que utilizam somente números binários. Em substituição ao sistema octal é utilizado o sistema hexadecimal. 3. O SISTEMA HEXADECIMAL DE NUMERAÇÃO O sistema hexadecimal de numeração pode representar quatro bits do sistema binário por um dígito (o número máximo obtido com quatro dígitos binários é 16 10, que é a base do sistema hexadecimal) utilizando os dígitos de 0 à 9 do sistema decimal e representando os números de 10 à 15 pelos caracteres A, B, C, D, E, F. A contagem no sistema hexadecimal se processa da seguinte forma: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, A, B, C, D, E, F, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 1A, 1B,... Exemplo de números binários: A 16 = F 16 = BBC 16 = Conversão do sistema hexadecimal para o sistema decimal Uma representação posicional no sistema hexadecimal pode ser desenvolvida numa forma polinomial que envolve um somatório de potências de 16. Executa-se um processo semelhante à conversão dos números binários para decimal. Exemplo 1: Conversão do número A01 hexadecimal para decimal. 1- O primeiro dígito da direita para a esquerda do número hexadecimal multiplica a potência de 16 0, o segundo dígito da direita para a esquerda multiplica 16 1, o terceiro dígito à direita multiplica 16 2, e assim por diante. Caso exista um dígito maior que 9, converte-lo para decimal e mutiplicar normalmente: 1 x 16 0 = 1 x 1 = 1 0 x 16 1 = 0 x 16 = 0 A x 16 2 = A x 256 = 10 x 256 = A soma destas multiplicações resulta no número decimal: = 2561 Assim: A01 16 = Cefet/PR Cornélio Procópio 5

6 Exemplo 2:BF20 16 = B x F x x x 16 0 BF20 16 = 11 x x x x 1 BF20 16 = BF20 16 = Exemplo 3:600CD 16 = 6 x x x C x D x CD 16 = 6 x x x x x 1 600CD 16 = Conversão do sistema decimal para o sistema hexadecimal Utiliza-se o método das divisões sucessivas: divide-se sucessivamente o número decimal por 16 até resultar em um número menor que 16 e os restos destas divisões juntamente com o resultado da última divisão formarão o número hexadecimal. Exemplo 1: Conversão do número decimal 4096 para hexadecimal = Exemplo 2: Conversão do número 3748 decimal para hexadecimal = E = A = EA Conversão do sistema binário para hexadecimal A conversão de um número binário para hexadecimal pode ser feita de forma indireta pelos métodos de conversão anteriores: converte-se do sistema binário para o decimal e depois do decimal para o sistema hexadecimal. Porém, uma conversão direta do sistema binário para o sistema hexadecimal pode ser efetuada substituindo-se quatro dígitos binários por um dígito hexadecimal, pois com quatro dígitos binários obtenho no máximo o número 16, que é a base do sistema hexadecimal. Exemplo 1: Conversão do número em binário para o sistema hexadecimal. 1 - Obtenho os quatro últimos dígitos do número binário: Converto diretamente para hexadecimal: = = D Com isto, obtenho o último dígito do número hexadecimal: D Repetir o mesmo método para os dígitos restantes do número binário: 1 2 = Unindo os dois dígitos, obtenho o número em hexadecimal: = 1D 16 Exemplo 2: Conversão do número em binário para o sistema hexadecimal = = A = 2 16 Cefet/PR Cornélio Procópio 6

7 1 2 = = 12A 16 A conversão de hexadecimal para binário pode ser feita de forma indireta: converte-se de hexadecimal para decimal e de decimal para binário. Uma forma direta pode ser executada do modo contrário ao anterior: converte-se em quatro dígitos binários cada dígito hexadecimail. O último dígito do número hexadecimal fornece o valor dos quatro últimos dígitos do número binário. Exemplo 3: Conversão do número CDF hexadecimal para o sistema binário. F 16 = = D 16 = = C 16 = = CDF 16 = Exemplo 4: Conversão do número 1002 hexadecimal para o sistema binário = = = = E = Cefet/PR Cornélio Procópio 7

Introdução à Engenharia de

Introdução à Engenharia de Introdução à Engenharia de Computação Tópico: Sistemas de Numeração José Gonçalves - LPRM/DI/UFES Introdução à Engenharia de Computação Introdução O número é um conceito abstrato que representa a idéia

Leia mais

Sistemas de Numeração. Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola

Sistemas de Numeração. Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola Sistemas de Numeração Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola Introdução Em sistemas digitais o sistema de numeração binário é o mais importante, já fora do mundo digital o sistema decimal é o mais

Leia mais

Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial. Sistemas Digitais. Exercícios de Apoio - I. Sistemas de Numeração

Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial. Sistemas Digitais. Exercícios de Apoio - I. Sistemas de Numeração Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial Sistemas Digitais Exercícios de Apoio - I Sistemas de Numeração CONVERSÃO ENTRE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Conversão Decimal - Binário Números Inteiros

Leia mais

Aula 6. Sistemas de Numeração. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 6. Sistemas de Numeração. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 6 Sistemas de Numeração SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Sistemas de Numeração 1. SISTEMA DECIMAL Composto por 10 símbolos ou numerais; Base 10 0, 1, 2, 3, 4,

Leia mais

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Introdução à Computação A Informação e sua Representação (Parte III) Prof.a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo joseana@computacao.ufcg.edu.br

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Disciplina de Lógica Computacional Aplicada. Prof. Dr.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Disciplina de Lógica Computacional Aplicada. Prof. Dr. Índice 1. SISTEMAS NUMÉRICOS 1.1 Caracterização dos Sistemas Numéricos 1.2 Sistemas Numéricos em uma Base B Qualquer 1.2.1 Sistema de Numeração Decimal 1.2.2. Sistema de Numeração Binário 1.2.3 Sistema

Leia mais

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Representação da Informação Um dispositivo eletrônico, armazena e movimenta as informações internamente

Leia mais

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos.

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos. Objetivos 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos Revisar o sistema de numeração decimal Contar no sistema de numeração binário Converter de decimal para binário e vice-versa Aplicar operações aritméticas

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Profs. M.Sc. Lucio M. Duarte e Ph.D. Avelino Zorzo 1 Faculdade de Informática - PUCRS 1 REPRESENTAÇÃO DE DADOS Acredita-se que a criação de números veio com

Leia mais

Aula 3 - Sistemas de Numeração

Aula 3 - Sistemas de Numeração UEM Universidade Estadual de Maringá DIN - Departamento de Informática Disciplina: Fundamentos da Computação Profª Thelma Elita Colanzi Lopes thelma@din.uem.br Aula 3 - Sistemas de Numeração O ser humano,

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Sistema Binário Hardware de Computadores O sistema binário é um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades são representadas, utilizando-se como base as cifras: zero e um (0 e 1). Os computadores

Leia mais

o o o o Visão Geral da Disciplina Sistemas de Numeração Exercícios Resumo da Aula

o o o o Visão Geral da Disciplina Sistemas de Numeração Exercícios Resumo da Aula Circuitos Digitais - 574 Nardênio Almeida Martins Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Informática Introdução o o o o Visão Geral da Disciplina Sistemas de Numeração

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Um numeral é um símbolo ou grupo de símbolos que representa um número em um determinado instante da evolução do homem. Tem-se que, numa determinada escrita ou época, os numerais diferenciaram-se

Leia mais

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação Codificação 1. Introdução A unidade básica de memória é o digito binário (bit). Para representar diferentes em memória é necessário que o bit armazene pelo menos 2 valores. A informação pode ser armazenada

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Teresina-PI Tecnologia em Redes de Computadores. Arquitetura de Computadores Prof. Nathan Saraiva

Faculdade de Tecnologia de Teresina-PI Tecnologia em Redes de Computadores. Arquitetura de Computadores Prof. Nathan Saraiva Faculdade de Tecnologia de Teresina-PI Tecnologia em Redes de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Nathan Saraiva Tópicos Introdução Valor analógico x valor digital Sistema Analógico X Sistema

Leia mais

Deste modo, por razões tecnológicas e conceituais, os números binários e a álgebra boole-ana formam a base de operação dos computadores atuais.

Deste modo, por razões tecnológicas e conceituais, os números binários e a álgebra boole-ana formam a base de operação dos computadores atuais. 25BCapítulo 2: Números e Aritmética Binária Os computadores armazenam e manipulam a informação na forma de números. Instruções de programas, dados numéricos, caracteres alfanuméricos, são todos representados

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Representação da Informação para seres humanos Números (1,2,3,4...) Letras (a,a,b,b,c,c...) Sinais de pontuação (:,;...) Operadores aritméticos (+,-,x,/) Representação da Informação

Leia mais

3 Sistemas de Numeração:

3 Sistemas de Numeração: 3 Sistemas de Numeração: Os computadores eletrônicos têm como base para seu funcionamento a utilização de eletricidade. Diferente de outras máquinas que a presença ou ausência de eletricidade apenas significam

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Sistema de Numeração Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Sistemas Numéricos Principais sistemas numéricos: Decimal 0,

Leia mais

CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234

CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234 FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234 2 a Série de Exercícios - Resolução Sistemas de Numeração

Leia mais

Sistemas de Numerações.

Sistemas de Numerações. Matemática Profº: Carlos Roberto da Silva; Lourival Pereira Martins. Sistema de numeração: Binário, Octal, Decimal, Hexadecimal; Sistema de numeração: Conversões; Sistemas de Numerações. Nosso sistema

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Aula 03: Sistemas de numeração Sistemas de numeração Sistemas de Numeração: conceitos, bases de numeração, número e numeral. Necessidade de representação em outras bases de

Leia mais

Sistemas de numeração e conversão de bases Conversões;bit e byte (conceituação)

Sistemas de numeração e conversão de bases Conversões;bit e byte (conceituação) Sistemas de numeração e conversão de bases Conversões;bit e byte (conceituação) Cálculo de conversão de bases para responder às questões pertinentes à execução das especificações nas configurações de sistemas,

Leia mais

O número é algo abstrato que representa a idéia de quantidade, expressos através de símbolos previamente acordados.

O número é algo abstrato que representa a idéia de quantidade, expressos através de símbolos previamente acordados. Sistemas Numéricos Nos primórdios os homens primitivos não tinham a necessidade de contar, porém este conceito foi se transformando com o decorrer da história, o surgindo a escrita e do comércio nas civilizações

Leia mais

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves Aritmética Binária e Complemento a Base Bernardo Nunes Gonçalves Sumário Soma e multiplicação binária Subtração e divisão binária Representação com sinal Sinal e magnitude Complemento a base. Adição binária

Leia mais

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275 A. Sistemas de Numeração. Para se entender a linguagem do computador (o Código de Máquina), é necessário conhecer um pouco da teoria dos números. Não é uma tarefa tão difícil quanto pode parecer. Sabendo-se

Leia mais

Números base 2, 8, 10, 16. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Números base 2, 8, 10, 16. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Números base 2, 8, 10, 16 Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Números binário, decimal, octal, hexadecimal Conversões entre bases Números

Leia mais

ELETRÔNICA. Changed with the DEMO VERSION of CAD-KAS PDF-Editor (http://www.cadkas.com). INTRODUÇÃO

ELETRÔNICA. Changed with the DEMO VERSION of CAD-KAS PDF-Editor (http://www.cadkas.com). INTRODUÇÃO 0010100111010101001010010101 CURSO DE 0101010100111010100101011101 1010011001111010100111010010 ELETRÔNICA 1010000111101010011101010010 DIGITAL INTRODUÇÃO Os circuitos equipados com processadores, cada

Leia mais

Lista de Exercícios Sistemas de Numeração

Lista de Exercícios Sistemas de Numeração Lista de Exercícios Sistemas de Numeração 1- (Questão 5 BNDES Profissional Básico Análise de Sistemas - Suporte ano 010) Um administrador de sistemas, ao analisar o conteúdo de um arquivo binário, percebeu

Leia mais

PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE. Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br

PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE. Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br Processamento de Dados Etapas do Processamento de Dados Dado: inserido no computador Processamento: organização, transformação

Leia mais

Curso: Técnico de Informática Disciplina: Redes de Computadores. 1- Apresentação Binária

Curso: Técnico de Informática Disciplina: Redes de Computadores. 1- Apresentação Binária 1- Apresentação Binária Os computadores funcionam e armazenam dados mediante a utilização de chaves eletrônicas que são LIGADAS ou DESLIGADAS. Os computadores só entendem e utilizam dados existentes neste

Leia mais

ICC - Aula 6. Ivan da Silva Sendin. November 17, 2014. Bits, portas logicas, flip-flops,... Numeros e Simbolos Exercicios

ICC - Aula 6. Ivan da Silva Sendin. November 17, 2014. Bits, portas logicas, flip-flops,... Numeros e Simbolos Exercicios ICC - Aula 6 Ivan da Silva Sendin November 17, 2014 Só existem 10 tipos de pessoas: as que entendem números binários e as que não entendem Bits 0 e 1 portas logicas operadores lógicos Circuitos f : {0,

Leia mais

Capítulo 1 Erros e representação numérica

Capítulo 1 Erros e representação numérica Capítulo 1 Erros e representação numérica Objetivos Esperamos que ao final desta aula, você seja capaz de: Pré-requisitos Identificar as fases de modelagem e os possíveis erros nelas cometidos; Compreender

Leia mais

Bases Numéricas e Conversão. DCC 122 - Circuitos Digitais

Bases Numéricas e Conversão. DCC 122 - Circuitos Digitais Bases Numéricas e Conversão DCC 122 - Circuitos Digitais Objetivos Bases numéricas utilizadas em sistemas computacionais. Conversões: DECIMAL BINÁRIO HEXADECIMAL Sistemas de Numeração Não posicional Ex.

Leia mais

Exemplo de Subtração Binária

Exemplo de Subtração Binária Exemplo de Subtração Binária Exercícios Converta para binário e efetue as seguintes operações: a) 37 10 30 10 b) 83 10 82 10 c) 63 8 34 8 d) 77 8 11 8 e) BB 16 AA 16 f) C43 16 195 16 3.5.3 Divisão binária:

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1S/2004 Representação de Dados e Aritimética Computacional Roteiro Números inteiros sinalizados e nãosinalizados Operações

Leia mais

Aula 2: Conversão entre Bases, Aritmética

Aula 2: Conversão entre Bases, Aritmética Aula 2: Conversão entre Bases, Aritmética Circuitos Digitais Rodrigo Hausen CMCC UFABC 25 de janeiro de 2013 http://compscinet.org/circuitos Rodrigo Hausen (CMCC UFABC) Aula 2: Conversão entre Bases, Aritmética

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Departamento de Informática Sistemas de Numeração Notas de estudo Alberto José Proença Luís Paulo Santos 18-Fev-05 1. Sistemas de numeração e representação de inteiros 1.1. Sistemas de numeração 1.2. Conversão

Leia mais

NOTAÇÃO CIENTÍFICA. a) 82.500 c) 243.000.000.000 e) 0,00045 g) 0,000 000 0004. b) 15.000.000 d) 1.030.000.000 f) 0,000 000 003 h) 0, 000 000 000 15

NOTAÇÃO CIENTÍFICA. a) 82.500 c) 243.000.000.000 e) 0,00045 g) 0,000 000 0004. b) 15.000.000 d) 1.030.000.000 f) 0,000 000 003 h) 0, 000 000 000 15 1 NOTAÇÃO CIENTÍFICA Os números muito grandes ou muito pequenos podem ser escritos através de um produto n da forma x 10, onde 1 x < 10 e n Z. Denominamos essa representação de notação científica. Distância

Leia mais

Jeandervall. Roteamento

Jeandervall. Roteamento Roteamento Configurar um roteador parece um tanto quanto complicado, porem não é uma tarefa impossível. O detalhe é que é preciso tomar muita a atenção na ora de configurar as rotas. Recomenda-se que antes

Leia mais

Conversão de Bases e Aritmética Binária

Conversão de Bases e Aritmética Binária Conversão de Bases e Aritmética Binária Prof. Glauco Amorim Sistema de Numeração Decimal Dígitos Decimais: 0 2 3 4 5 6 7 8 9 Potências de base 0 0 0 2 0 0 3 4 0 0 00 000 0 000 Sistema de Numeração Binário

Leia mais

COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS. 1.0 Representação

COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS. 1.0 Representação COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS.0 Representação O sistema de numeração decimal é o mais usado pelo homem nos dias de hoje. O número 0 tem papel fundamental, é chamado de base do sistema. Os símbolos 0,,, 3, 4, 5,

Leia mais

1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos

1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos 1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos 1. Introdução O que é cálculo numérico? Corresponde a um conjunto

Leia mais

AULA 10 REPRESENTAÇÃO NUMÉRICA O

AULA 10 REPRESENTAÇÃO NUMÉRICA O FISP 1/11 AULA 10 REPRESENTAÇÃO NUMÉRICA O conceito de bit binary digit bit Um bit representa a menor parte de uma informação, que pode ser armazenada na memória do computador. Um bit pode assumir apenas

Leia mais

ANALÓGICA X DIGITAL. Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica. Eletrônica Digital

ANALÓGICA X DIGITAL. Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica. Eletrônica Digital ANALÓGICA X DIGITAL Vamos começar essa aula estabelecendo os dois tipos de eletrônica: Eletrônica Analógica Eletrônica Digital ANALÓGICA X DIGITAL A eletrônica analógica é caracterizada por um sinal que

Leia mais

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL Introdução Números decimais Números binários positivos Adição Binária Números negativos Extensão do bit de sinal Adição e Subtração Overflow Aritmético Circuitos Aritméticos

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dos dispositivos

Leia mais

Circuitos Digitais Cap. 5

Circuitos Digitais Cap. 5 Circuitos Digitais Cap. 5 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Objetivos Aritmética Digital Adição Binária Subtração Binária Representação de números com sinal Complemento de 2 Negação Subtração como soma

Leia mais

Operações aritméticas

Operações aritméticas Circuitos Lógicos Operações aritméticas Prof.: Daniel D. Silveira Horário: 4a.f e 6a.f de 10h às 12h 1 Adição binária A soma binária ocorre da mesma forma que a decimal:» A operação sobre os dígitos na

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS

FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS LICENCIATURA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DISCIPLINA DE INFORMÁTICA BÁSICA - 1º ANO SETEMBRO

Leia mais

No microfone, sua saída pode assumir qualquer valor dentro de uma faixa de 0 à 10mV. 1 - Sistemas de numeração

No microfone, sua saída pode assumir qualquer valor dentro de uma faixa de 0 à 10mV. 1 - Sistemas de numeração 1 - Sistemas de numeração Lidamos constantemente com quantidades. Quantidades são medidas monitoradas, gravadas, manipuladas aritmeticamente e observadas. Quando lidamos com quantidades, é de suma importância

Leia mais

Representação Binária de Números

Representação Binária de Números Departamento de Informática Notas de estudo Alberto José Proença 01-Mar-04 Dep. Informática, Universidade do Minho Parte A: Sistemas de numeração e representação de inteiros A.1 Sistemas de numeração

Leia mais

Curso de Hardware Aula 01 Tema: Sistema de Medidas Por: Edmilson de Oliveira Reis Revisado em: 02/03/2012

Curso de Hardware Aula 01 Tema: Sistema de Medidas Por: Edmilson de Oliveira Reis Revisado em: 02/03/2012 Curso de Hardware Aula 01 Tema: Sistema de Medidas Por: Edmilson de Oliveira Reis Revisado em: 02/03/2012 Unidades de Medida de Armazenamento Esses detalhes refletem na quantidade de informação armazenada

Leia mais

Unidade: Arquitetura de computadores e conversão entre

Unidade: Arquitetura de computadores e conversão entre Unidade: Arquitetura de computadores e conversão entre Unidade bases I: numéricas 0 Unidade: Arquitetura de computadores e conversão entre bases numéricas 1 - Conceitos básicos sobre arquitetura de computadores

Leia mais

1 - Processamento de dados

1 - Processamento de dados Conceitos básicos sobre organização de computadores 2 1 - Processamento de dados O que é processamento? O que é dado? Dado é informação? Processamento é a manipulação das informações coletadas (dados).

Leia mais

Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação

Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação 2. Introdução Em todas as fórmulas usadas a seguir, B representa a base do sistema de numeração, n representa a quantidade de dígitos disponíveis para

Leia mais

Aula 6 Aritmética Computacional

Aula 6 Aritmética Computacional Aula 6 Aritmética Computacional Introdução à Computação ADS - IFBA Representação de Números Inteiros Vírgula fixa (Fixed Point) Ponto Flutuante Para todos, a quantidade de valores possíveis depende do

Leia mais

Laboratório - Uso da calculadora do Windows com endereços de rede

Laboratório - Uso da calculadora do Windows com endereços de rede Laboratório - Uso da calculadora do Windows com endereços de rede Objetivos Parte 1: Acesso à Calculadora do Windows Parte 2: Converter entre os sistemas numéricos Parte 3: Converter endereços IPv4 de

Leia mais

Fundamentos em Informática (Sistemas de Numeração e Representação de Dados)

Fundamentos em Informática (Sistemas de Numeração e Representação de Dados) 1 UNIVERSIDADE DO CONTESTADO / UnC CAMPUS CONCÓRDIA/SC CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Fundamentos em Informática (Sistemas de Numeração e Representação de Dados) (Apostila da disciplina elaborada pelo

Leia mais

Fundamentos de Hardware

Fundamentos de Hardware Fundamentos de Hardware Unidade 2 Unidades de Medida Curso Técnico em Informática SUMÁRIO UNIDADES DE MEDIDAS DE ARMAZENAMENTO... 3 CONVERTENDO AS UNIDADES DE MEDIDAS... 4 BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIAS...

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Prof. Msc. Antonio Carlos Souza Aula 2 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Entendendo o computador Trilha: Informação Analógico x digital Representação digital de grandezas

Leia mais

Fabio Bento fbento@ifes.edu.br

Fabio Bento fbento@ifes.edu.br Fabio Bento fbento@ifes.edu.br Eletrônica Digital Sistemas de Numeração e Códigos 1. Conversões de Binário para Decimal 2. Conversões de Decimal para Binário 3. Sistema de Numeração Hexadecimal 4. Código

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Aula 01 Introdução Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011.1 1 Processamento de dados 2 Organização de Computadores 3 Sistemas de Numeração Processamento de dados Processamento

Leia mais

PC Fundamentos Revisão 4

PC Fundamentos Revisão 4 exatasfepi.com.br PC Fundamentos Revisão 4 André Luís Duarte...mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão.is

Leia mais

Cálculo Numérico. ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab. Ricardo Antonello. www.antonello.com.br

Cálculo Numérico. ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab. Ricardo Antonello. www.antonello.com.br Cálculo Numérico ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab Ricardo Antonello www.antonello.com.br Conteúdo Erros na fase de modelagem Erros na fase de resolução Erros de arredondamento Erros de

Leia mais

Sistemas de Numeração. » WHAT WOULD LIFE BE WITHOUT ARITHMETIC, BUT A SCENE OF HORRORS? «Sydney Smith, 1835. Sistemas Posicionais

Sistemas de Numeração. » WHAT WOULD LIFE BE WITHOUT ARITHMETIC, BUT A SCENE OF HORRORS? «Sydney Smith, 1835. Sistemas Posicionais Sistemas de Numeração» WHAT WOULD LIFE BE WITHOUT ARITHMETIC, BUT A SCENE OF HORRORS? «Sydney Smith, 835 Os valores existem no mundo, independentemente da sua representação São representações igualmente

Leia mais

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM. Conceitos Básicos ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM. Conceitos Básicos ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM Conceitos Básicos 1-1 BITs e BYTEs Bit = BInary digit = vale sempre 0 ou elemento básico de informação Byte = 8 bits processados em paralelo (ao mesmo tempo) Word = n bytes (depende do processador em questão)

Leia mais

REVISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE INTEGRAÇÃO DO MERCOSUL CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM TRANSPORTES TERRESTRES

REVISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE INTEGRAÇÃO DO MERCOSUL CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM TRANSPORTES TERRESTRES UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE INTEGRAÇÃO DO MERCOSUL CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM TRANSPORTES TERRESTRES REVISÃO Disciplina: Cálculo e Estatística Aplicada Professor: Dr. Fábio Saraiva da

Leia mais

Informática Sistemas de Numeração. Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa lessavaleria@gmail.com Valeria-lessa@uergs.edu.br

Informática Sistemas de Numeração. Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa lessavaleria@gmail.com Valeria-lessa@uergs.edu.br Sistemas de Numeração Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa lessavaleria@gmail.com Valeria-lessa@uergs.edu.br Outros Sistemas de Numeração Já sabemos que existem outros tipos de sistemas de numeração, além

Leia mais

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina Circuitos Digitais Cap. 1 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Circuitos Digitais Tópicos Digitais I- Engenharia Elétrica -UFPI Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia

Leia mais

Aula 9. Introdução à Computação. ADS IFBA www.ifba.edu.br/professores/antoniocarlos

Aula 9. Introdução à Computação. ADS IFBA www.ifba.edu.br/professores/antoniocarlos Aula 9 Introdução à Computação Ponto Flutuante Ponto Flutuante Precisamos de uma maneira para representar Números com frações, por exemplo, 3,1416 Números muito pequenos, por exemplo, 0,00000001 Números

Leia mais

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar.

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. 1 O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. Tópicos: 2 Números Binários Unidades de Medida de Informação Arquitetura Básica Hardware Software Periféricos de Entrada Periféricos de saída

Leia mais

COMPUTAÇÃO I. Prof. Fernando L. B. Ribeiro

COMPUTAÇÃO I. Prof. Fernando L. B. Ribeiro COMPUTAÇÃO I Prof. Fernando L. B. Ribeiro TECNOLOGIA QUE PRECEDEU OS COMPUTADORES DIGITAIS ÁBACO CHINÊS - O Ábaco Chinês, criado no século s XIV e ainda hoje utilizado, é um dispositivo manual para ADIÇÃO,

Leia mais

Laboratório I Aula 1

Laboratório I Aula 1 Laboratório I Aula 1 Prof. Msc. Anderson da Cruz Cronograma Apresentações Professor Unisinos Alunos Disciplina Matéria 2 2 Professor Formação Acadêmica Formado em Segurança da Informação Mestrado em Computação

Leia mais

Sistemas Posicionais. Sistemas de Numeração. Sistemas Posicionais (2) Representação Digital Informação

Sistemas Posicionais. Sistemas de Numeração. Sistemas Posicionais (2) Representação Digital Informação Sistemas Posicionais Sistemas de Numeração O sistema posicional é utilizado devido à facilidade com a qual é possível fazer cálculos Tente encontrar um algoritmo para multiplicar, em numeração romana,

Leia mais

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Prof. Dr. Sergio Pilling (IPD/ Física e Astronomia) I Representação dos números, aritmética de ponto flutuante e erros em máquinas

Leia mais

Aritmética com Maple:

Aritmética com Maple: Aritmética com Maple: Capítulo 2 Objetivos: 1.Revisar os sistemas decimais e convertendo números para outras bases. 2.Usar Maple para converter números binários e hexadecimais para outras bases. 3.Distinguir

Leia mais

Exemplo de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. 16V E3. Fig. 1 circuito resistivo CC

Exemplo de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. 16V E3. Fig. 1 circuito resistivo CC Neste material é apresentado um exemplo simples de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. Os comandos apresentados neste tutorial servem também para o Octave. Os nomes das varáveis

Leia mais

Aula 7. Codificadores e Decodificadores. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 7. Codificadores e Decodificadores. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 7 Codificadores e Decodificadores SEL 44 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Códigos/Decodificadores CÓDIGOS: l Conjunto organizado de sinais em que a informação é transformada

Leia mais

Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br TUTORIAL ENDEREÇAMENTO IP

Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br TUTORIAL ENDEREÇAMENTO IP Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br TUTORIAL ENDEREÇAMENTO IP Ronaldo A. Bueno Filho Skype: ronaldobf e-mail: ronaldobf@linkway.com.br Data: 08/12/2006

Leia mais

2. Representação Numérica

2. Representação Numérica 2. Representação Numérica 2.1 Introdução A fim se realizarmos de maneira prática qualquer operação com números, nós precisamos representa-los em uma determinada base numérica. O que isso significa? Vamos

Leia mais

Critérios de Avaliação. Sobre a Disciplina. Por que estudar Arquitetura? SIM NÃO 20/04/2011. 02 provas. 01 trabalho

Critérios de Avaliação. Sobre a Disciplina. Por que estudar Arquitetura? SIM NÃO 20/04/2011. 02 provas. 01 trabalho Profa. Mariana Monteiro Universidade Estadual do Norte do Paraná Campus Luiz Meneghel Curso: Sistemas de Informação 3º Semestre mariana@uenp.edu.br Ementa Introdução à matéria Sistemas Numéricos Histórico/Gerações

Leia mais

Computadores e Programação

Computadores e Programação Computadores e Programação 2007 2008 Orlando Oliveira, Helmut Wolters adaptado a partir duma apresentação de Fernando Nogueira, José António Paixão, António José Silva orlando@teor.fis.uc.pt, helmut@coimbra.lip.pt

Leia mais

Representação de Dados

Representação de Dados Representação de Dados Propriedades Domínio - Valores que um tipo de dado pode assumir; Gama de variação - N.º de valores que um dado pode assumir; Precisão Distância entre dois valores consecutivos Operações

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA COMPUTADOR QUANTO AO TIPO COMPUTADOR SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO o Analógico o Digital o Híbrido o Hardware (parte física)

Leia mais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais Circuitos Combinacionais Sistemas digitais Agenda } Codificador X Decodificador } Código BCD 8421, código BCH, código 9876543210 } Display de 7 segmentos } Multiplexador X Demultiplexador } Comparadores

Leia mais

Colégio Metrópole. Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial

Colégio Metrópole. Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial Colégio Metrópole Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial Eletrônica Digital Professor: David Maciel 1 Colégio Metrópole VIASHOPPING BARREIRO - 4º Piso Inverno Tel.: 3322-8941 e-mail: metropole@colegiometropole.com.br

Leia mais

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador Capítulo 2 Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador 2.0 Índice 2.1 Sistemas Numéricos 2 2.1.1 Sistema Binário 2 2.1.2 Sistema Octal 3 2.1.3 Sistema Hexadecimal 3 2.2 Operações

Leia mais

Cálculo numérico. ln 1 = 0. Representação numérica. Exemplo. Exemplos. Professor Walter Cunha. ln 1. I s

Cálculo numérico. ln 1 = 0. Representação numérica. Exemplo. Exemplos. Professor Walter Cunha. ln 1. I s Representação numérica Cálculo numérico Professor Walter Cunha Um conjunto de ferramentas ou métodos usados para se obter a solução de problemas matemáticos de forma aproximada. Esses métodos se aplicam

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL CURSO DE ELETRÔNICA DIGITAL CURSO DE. Newton C. Braga INTRODUÇÃO

ELETRÔNICA DIGITAL CURSO DE ELETRÔNICA DIGITAL CURSO DE. Newton C. Braga INTRODUÇÃO 0010100111010101001010010101 CURSO DE ELETRÔNICA DIGITAL CURSO DE 0101010100111010100101011101 1010011001111010100111010010 ELETRÔNICA 1010000111101010011101010010 DIGITAL INTRODUÇÃO Os circuitos equipados

Leia mais

Instituto Politécnico. Curso: Tec. Redes de Computadores. Disciplina: Organização de Computadores. Prof.: Fábio Lucena Veloso

Instituto Politécnico. Curso: Tec. Redes de Computadores. Disciplina: Organização de Computadores. Prof.: Fábio Lucena Veloso Instituto Politécnico Curso: Tec. Redes de Computadores Disciplina: Organização de Computadores Prof.: Fábio Lucena Veloso Curso: Tec. Análise de Sistemas Disciplina: Organização de Computadores Prof.:

Leia mais

Resistores. Para que servem os resistores?

Resistores. Para que servem os resistores? Resistores Esta aula irá descrever os resistores de valores fixos e comentar algumas de suas aplicações mais importantes nos circuitos elétricos/eletrônicos. Para que servem os resistores? Na prática,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Aula Prática Bit stuffing, CRC e IP 1 Introdução 1.1 Framing O nível de ligação de dados utiliza o serviço fornecido

Leia mais

APOSTILA 1 CONVERSÃO DE BASES Prof. Murilo Parreira Leal, M.Sc. Arquitetura e Organização de Computadores Circuitos Digitais

APOSTILA 1 CONVERSÃO DE BASES Prof. Murilo Parreira Leal, M.Sc. Arquitetura e Organização de Computadores Circuitos Digitais 1 HISTÓRICO 1.1 Dispositivos Mecânicos ÁBACO (Mesopotâmia 3.500 A.C.) O ábaco é um antigo instrumento de cálculo, formado por uma moldura com bastões ou arames paralelos, dispostos no sentido vertical.

Leia mais

CIRCUITOS LÓGICOS APOSTILA

CIRCUITOS LÓGICOS APOSTILA Engenharia Elétrica 4º / 5 Semestre Conceitos ásicos Sistemas de Numeração ritmética Digital Álgebra ooleana Simplificação de Expressões ooleanas Minimização de Funções ooleanas CIRCUITOS LÓGICOS POSTIL

Leia mais

CAPÍTULO II COLETANDO DADOS EXPERIMENTAIS

CAPÍTULO II COLETANDO DADOS EXPERIMENTAIS CAPÍTULO II COLETANDO DADOS EXPERIMENTAIS II.1 A Comunicação em Ciência e Tecnologia A comunicação torna-se ainda mais perfeita, mais objetiva, se a questão envolver a definição da igualdade ou não de

Leia mais

METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES

METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES Prof. Fagner Ferraz 1 Algarismos significativos Os algarismos significativos são os algarismos que têm importância na exatidão de um número, por exemplo, o número 2,67 tem

Leia mais

PROGRAMADOR JAVA. Aula 0 20 semanas. Instrutor : Léo Billi Email : leo.billi@gmail.com

PROGRAMADOR JAVA. Aula 0 20 semanas. Instrutor : Léo Billi Email : leo.billi@gmail.com Aula 0 20 semanas Instrutor : Léo Billi Email : leo.billi@gmail.com Bem-vindos Para que não sabe, quer dizer iniciantes. Noobs Informática A arte de processar dados A História A História A arte de processar

Leia mais

TCP/IP O guia definitivo para cálculos

TCP/IP O guia definitivo para cálculos ENTENDENDO O CÁLCULO DE SUB-REDES IP por Eduardo Parise Para que seja possível a comunicação entre máquinas em uma mesma rede é necessário que cada uma possua um endereço IP exclusivo naquela rede. Um

Leia mais

Módulo 3: multisim 7 Circuitos Digitais

Módulo 3: multisim 7 Circuitos Digitais Módulo 3: multisim 7 Circuitos Digitais Esta é a terceira parte do trabalho sobre o MultiSIM 7 e é dirigida para o estudo de circuitos eletrônicos digitais básicos, desta forma os instrumentos e componentes

Leia mais