Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE VOTO-VISTA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE VOTO-VISTA"

Transcrição

1 Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR º / Representante: Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Representada: Microsoft Informática Ltda. Relator: Conselheiro Abraham Benzaquen Sicsú Voto-vista: Conselheiro Ricardo Villas Bôas Cueva VOTO-VISTA Pedi vista dos autos para verificar se necessário proceder à instrução complementar sugerida pela Procuradoria-Geral do CADE. I Histórico A presente averiguação preliminar teve origem no processo administrativo nº /98-31, em cujo acórdão determinou-se à SDE a abertura de averiguações preliminares para apurar os efeitos sobre a concorrência das práticas denunciadas pela Representante [Paiva Piovesan Engenharia & Informática Ltda.] às fls. 1941/2007 e 2046/2049 dos autos (impedir o desenvolvimento de softwares de terceiros). O aludido processo foi instaurado contra a Microsoft, para apurar: a) se as práticas comerciais da Representada, entre as quais a venda do pacote de aplicativos Microsoft Office for Small Busines, ou outro pacote de aplicativos, constitui-se em operação de venda casada excluindo concorrentes do mercado; b ) se a transação efetivada com o Banco do Brasil e com a Caixa Econômica Federal foi restritiva à entrada de outros concorrentes; c) se há dificuldades criadas pela Microsoft nas distribuidoras com o objetivo de prejudicar ou excluir concorrentes (nota técnica da Inspetoria Geral, acolhida pelo Secretário de Direito Econômico). Não obstante tenha decidido pelo arquivamento, o CADE determinou, além da abertura da vertente AP, o envio dos autos ao MPF e ao TCU para verificação de eventual ilegalidade na aquisição, pelos bancos oficiais acima mencionados, do aplicativo financeiro Money. As denúncias referidas no acórdão, trazidas aos presentes autos (fls. 102 a 172), podem ser assim resumidas: a Microsoft estaria impedindo o acesso à sua tecnologia, tanto no que toca ao programa de instalação, quanto no se refere a componentes web. A nova ferramenta de instalação de aplicativos no sistema Windows 2000 não permitiria a tradução das instruções de instalação para o português, o que constituiria abuso de posição dominante. Já os componentes que permitem a produção de páginas da internet, anteriormente distribuídos livremente para os desenvolvedores e disponíveis em ferramentas de desenvolvimento como o

2 Visual Basic e o Visual C++, teriam sido deslocados para o programa Office, o que forçaria sua aquisição, em estratégia anticoncorrencial similar à utilizada com o Internet explorer nos EUA. A nota técnica da SDE que precedeu a instauração da averiguação preliminar (fls. 185/187) resume, ainda, petição apresentada pela Paiva Piovesan (fls. 173/184), segundo a qual a Microsoft, em razão de sua posição dominante, viria reduzindo a independência de aplicativos em relação ao sistema operacional Windows, bem como incorporando aplicativos à suíte Office. Assim, a incorporação do Internet Explorer ao Windows teria dificultado a operação do aplicativo Finance, posto que obrigaria os usuários a instalar o navegador em seus computadores. Ademais, a Microsoft teria dificultado o desenvolvimento do Finance ao incorporar ao Office os web components antes disponíveis em outros aplicativos. Além disso, o aplicativo Money 2005, em inglês, capturaria os arquivos OFX, tornando-os indisponíveis a outros gerenciadores financeiros. Por fim, a Microsoft não mais disponibilizaria os componentes gráficos nas últimas versões de seus aplicativos, o que levaria aplicativos concorrentes a terem aparência defasada em relação a seus próprios aplicativos. Em seus esclarecimentos (fls. 228/254), a representada sustenta que o software Visual Studio contém uma ferramenta para a instalação de softwares de terceiros, denominada Package and Deployment Wizard, que permaneceria em funcionamento e não teria sido substituída por outra ferramenta, de nome Visual Studio Installer, lançada em 1999, para o mercado corporativo, nos idiomas falados nos três maiores mercados da Microsoft, inglês, alemão e japonês. Nenhuma reclamação teria sido registrada nos cerca de 60 países em que a empresa atua, pois a apresentação do Visual Studio Installer nessas três línguas teria atendido a razões técnicas. Além disso, o Visual Studio Installer não deteria poder de mercado: os concorrentes Installshield for Windows Ins aller, t Wise for Windows Installer e Veritas Install contavam, respectivamente, com participações de 70%, 15% e 10% do mercado. Assim, a Paiva Piovesan poderia migrar para outros produtos ou criar seu próprio programa de instalação. Quanto à inclusão do controle de geração de gráficos para a internet no pacote Office, a Microsoft argumenta que a Paiva Piovesan não especifica dentre os requisitos para a utilização do Finance a presença dos aplicativos Internet Explorer ou Microsof Office. Além disso, não teria havido migração de nenhum componente do Visual Basic ou do Visual C++ com o lançamento do Windows As ferramentas Office Web Components teriam sido criadas para utilizar os recursos do pacote Office, facilitando a visualização de dados para usuários desse programa. A publicação de informações na internet não dependeria do uso do formato Office, pois há inúmeros programas concorrentes que criam diversos tipos de gráficos. Assim, a Paiva Piovesan poderia usar aplicativos de terceiros ou desenvolver sua própria ferramenta. A Microsoft sustenta, ainda, não haver qualquer dependência do Finance ao Internet Explorer. A conexão com os bancos pode ser feita por qualquer outro browser ou por acesso discado. Quanto aos arquivos de extensão OFX, alega que o Money não é comercializado no Brasil desde 2000 e que não haveria dificuldade para o usuário associar tais arquivos ao Finance. De todo modo, sempre seria possível desinstalar o software Money. No tocante às supostas dificuldades em incluir o Finance em integradores OEM como Compaq, HP e Dell, não exerceria qualquer influência na opção dessas empresas. 2

3 Relativamente à evolução da interface gráfica, diz que as ferramentas de desenvolvimento são dependentes do sistema operacional, cujo aprimoramento ocorre anteriormente à adaptação das ferramentas, o que explicaria o lapso temporal entre os dois. O Visual Studio 2005, contudo, já apresentaria a possibilidade de criação de interface visual tridimensional. De qualquer modo, os os recursos gráficos de um novo sistema operacional são disponibilizados quando de seu lançamento, por meio das Application Program Interfaces (APIs) internas. Assim, embora os novos recursos visuais ainda não estivessem disponíveis para utilização através do Visual Basic, existem outros fornecedores de software que criam produtos com interface visual equivalente ou até mais atrativas do que os próprios produt os da Microsoft, como acentuou a Paiva Piovesan (fls. 252). Valendo-se unicamente dos esclarecimentos prestados pela representada, a SDE concluiu inexistirem indícios de infração à ordem econômica (fls. 368/369): 18. O programa Visual Studio Installer não possui poder de mercado, existem diversas outras alternativas para a criação de guais de insalação de softwares e a localização do software em apenas três idiomas é economicamente razoável. Não, há, port anto, qualquer indício de infração à ordem econômica. 19. Da mesma forma, não há que se falar em venda casada com relação ao Office Web Components. Se houvesse venda casada, a mesma também estaria presente quando da inclusão de ferramentas gráficas no sistema operacional. Além disso, restou claro que se trata de uma funcionalidade adicional que, além de estar relacionada ao suíte da Microsoft, pode ser obtida por inúmeros outros softwares de terceiros ou desenvolvidos pela própria autora de denúncia. Não há qualquer indício que a conduta tenha tido objeto ou efeito anticoncorrencial. 20. Com relação à associação de arquivos, trata-se de prática não rara entre produt ores de software quem quando da instalação de seu produto, modificam a associação das extensões dos arquivos. A mudança na associação, contudo, é facilmente desfeita pelo próprio usuário que, contra tal prática pode simplesmente remover o software que provocou t ais alterações no sistema. 21. Finalmente, não existem quaisquer indícios de que a menção feita pelos bancos à marca Money tenha relação coma a representada, nem que tal menção possa ser considerada anticompetitiva. Da mesma forma a não integração do programa Finance à distribuição OEM não pode, na ausência de qualquer indício, ser atribuída a uma prática anticompetitiva de terceiro. Por fim, não há elementos lógicos para atribuir conduta infringente à inovação na interface gráfica do Windows, confor me relatado. À nota técnica da SDE seguiram-se manifestações das partes e parecer da ProCADE (580/584), no qual se sugere a realização de instrução complementar, para que sejam esclarecidas as questões de ordem técnica em informática aventadas ao longo da instrução. 3

4 Não obstante, considerando suficientes os elementos de prova analisados, opinou a Procuradoria pelo arquivamento do feito. Em seu voto, o i. Conselheiro-Relator, após realizar alguns testes operacionais, que comprovaram que a retirada do browser Internet Explorer não afeta o normal funcionamento do Finance (fls. 315), acolheu a nota técnica da SDE, o parecer da ProCADE e a manifestação oral do representante do Ministério Público Federal para concluir pelo arquivamento da averiguação preliminar. II Mérito Como se viu, a averiguação preliminar foi aberta para investigar possível prática, pela Microsoft, consistente em impedir o desenvolvimento de software de terceiros, especificamente no que tange: a) ao programa de instalação Visual Studio Installer e b) às ferramentas Office Web Components, que passaram a integrar o pacote Office. O primeiro foco das investigações foi devidamente esclarecido pelo i. Conselheiro Sicsú, que, em seu cuidadoso voto, demonstrou que o aplicativo Visual Studio Installer, a par de deter participação marginal no mercado de programas de instalação, não retirou a funcionalidade do programa da Microsoft que o precedeu, o qual continuou a existir. Ademais, não há qualquer obrigação legal de que o software seja apresentado em língua portuguesa. Da ótica concorrencial, não se vislumbra qualquer indício de prática infrativa, pois o desenvolvedor de software pode escolher entre os vários programas existentes no mercado ou, ainda, desenvolver um programa próprio de instalação. Nesse ponto, é importante lembrar que a ProCADE deixou claro que as insinuações de que as empresas concorrentes do Visual Studio Installer seriam controladas ou de algum modo influenciadas pela Microsoft jamais foram substanciadas pela Paiva Piovesan, em manifesto abuso do direito de petição (fls. 582, item 11). Além disso, em reunião realizada no Plenário do CADE no último dia 18, com a presença dos Conselheiros Furquim e Schuartz, o Sr. Rodrigo Paiva não logrou demonstrar que a janela de instalação em inglês de que hoje dispõe a Paiva Piovesan constitua efetivamente prejuízo à concorrência. Na simulação de instalação do Finance em seu notebook, o Sr. Paiva demonstrou apenas que a moldura que cerca o contrato de licenciamento do software, no caso, o programa Finance, aperece em inglês, inclusive os botões que permitem ao usuário concordar ou não com os termos do contrato, mas não que o próprio contrato, redigido em português, estivesse impedido de aparecer, na língua em que redigido, no quadro inserido na moldura para esse fim. Esse problema, contudo, já foi resolvido com a aquisição do programa Install Shield para a instalação do Finance Como se lê no anexo I do memorial apresentado ontem pela Paiva Piovesan, o Finance 2002 ainda utilizava a tecnologia antiga de instalação de softares disponível na ferramenta e desenvolvimento da Microso ft. Esta tecnologia, apesar de funcionar nos Windows 2000 ou superiores, não aproveitava das novas tecnologias que permitiam uma isntalação facilitada do produto e que não provocavam constantes conflitos entre softwares. Por isso, continua o memorial, ao lançar o Finance 2004 a Paiva Piovesan se viu obrigada a adquirir a ferramenta de geração de instalação InstallShield, pois a Microsoft não disponibilizou a possibilidade de tradução em português o que chegou a prometer no processo 4

5 do CADE. Mas a própria empresa lista, dentre as vantagens do novo procedimento de instalação, a maior celeridade, a desnecessidade de reiniciar o Windows e a utilização de tecnologia disponível a partir do Windows 2000, que evita o conflito entre softwares aplicativos. Do mesmo modo, o Relator, ao proceder a teste operacional do Finance, em computador de seu gabinete, constatou que o programa pode ser utilizado com outro browser que não o Internet Explorer. A propósito, tal conclusão não foi contraditada na aludida reunião realizada no dia 18. Nela, o Sr. Paiva disse que o Internet Explorer, em sua versão atual, não pode ser desinstalado, apenas desativado. Mas, ainda que simplesmente desativado, não impede o funcionamento do Finance com outro browser, como ele próprio demonstrou. O inconveniente para o usuário do Finance, portanto, seria apenas o de ter de utilizar um programa de acesso à internet que não o fornecido pela Microsoft, o que não parece ser razão suficiente para que prossigam as investigações. Quanto a esses dois pontos, portanto, entendo que os elementos trazidos aos autos são suficientes para arquivar a averiguação preliminar. O mesmo ocorre em relação ao segundo foco da AP. O deslocamento de ferramentas de desenvolvimento do Windows para o Office, com a criação das ferramentas Office Web Components, parece de fato tornar mais cara para o desenvolvedor independente de software a atualização da interface gráfica de seus programas. Como demonstrado exemplificativamente pelo Sr. Paiva na mencionada reunião, os botões interativos do Finance, em sua última versão, continuam a apresentar a mesma aparência dos botões do Windows 2000; adaptá-los para o Windows XP implicaria custos adicionais para adquirir cada um dos botões. Isso, contudo, não impede que o Finance continue a funcionar, ainda que com aparência defasada em relação ao Windows XP. Ademais, como bem salientado pelo Procurador-Geral (fls. 582, item 14), a Paiva Piovesan não se ocupou em uma linha sequer em refutar o argumento da Representada de que existem produtos alternativos no mercado para suprir suas necessidades, limitando-se a alegar (...) que não se fala aqui de produtos alternativos de mercado, mas se questiona o direito que a Microsoft diz ter de monopolizar a plataforma e, em conseqüência, os programas gerados para a plataforma. Assim como não se refutou a existência de produtos alternativos, também não se afastou a alegação da representada de que as novas ferramentas constituem inovação tecnológica em benefício do consumidor. Com efeito, a Microsoft justifica o lançamento de novas versões de aplicativos pelas seguintes razões: (i) evolução de tecnologias de hardware; (ii) aumento da complexidade dos ambientes computacionais envolvidos; (iii) aumento da complexidade das redes de computadores que exige um maior nível de preocupação com recursos de segurança da informação; (iv) aumento na complexidade das necessidades dos usuários; (v) aumento dos padrões de interoperabilidade e de processos de compliance em maior número e mais complexos; e, por último, (vi) aumento dos padrões exigidos de qualidade de produtos de software para atendimento a necessidades dos usuários (...) (fls. 565). Se é certo que tais justificativas não podem ser aceitas com a única motivação para a constante e periódica inovação tecnológica, já que é possível imaginar, em hipótese, que a inovação constitua estratégia da firma dominante para extrair renda de monopólio e/ou 5

6 excluir concorrentes, não é menos certo que, do ponto de vista antitruste, como reconhecido em outras jurisdições, deve-se perquirir se, mesmo em cenários de relativo fechamento de mercado, a utilidade para os consumidores do deslocamento de componentes para um aplicativo ou para o sistema operacional não é superior àquela auferida antes do deslocamento. Cabe, portanto, ao aplicador do direito antitruste sopesar os possíveis efeitos anticompetitivos da inovação tecnológica e os possíveis benefícios para o consumidor dela advindos. Havendo indícios suficiente de prática anticoncorrencial, tal sopesamento deve ser precedido de análise técnica. Inexistindo tais indícios, parece inútil prosseguir com a investigação. No caso, a representada apresentou justificativas plausíveis dos benefícios decorrentes da integração de componentes ao pacote Office e repeliu as demais imputações feitas pela Paiva Piovesan de modo que também pareceu afastar a necessidade de instrução complementar, razão por que voto pelo arquivamento da averiguação preliminar. É o voto. Brasília, 24 de maio de RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA Conselheiro 6

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA Data: 09 de janeiro de 2006 Protocolado: 08012.002034/2005-24 Natureza: Averiguação Preliminar Representante: Conselho Administrativo de Defesa Econômica Representada:

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR nº 08012.002034/2005-24 Representante: Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE Representado: Microsoft

Leia mais

Senhor Procurador-Geral,

Senhor Procurador-Geral, rirr- _ "-"'0":"'IIWI Parecer Procade nº 75/2006 ADVOCACIA-GERAL DAUNIÂO \ ~ PROCURADORIA~RALFEDERAL ~ \ PROCURADORIA FEDERAL - CADE Averiguação Preliminar n 08012.002034/2005-24 Representante: Conselho

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE `s ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE PARECER ProCADE Nº 133/2006 AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR Nº 08012.010596/2004-61 REPRESENTANTES:AMADEUS GLOBAL TRAVEL DISTRIBUTION

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos Processo Administrativo nº. 08012.002153/2000-72 Representante: Associação dos Médicos de Santos Representada: Comitê de Integração de Entidades Fechadas de Assistência à Saúde CIEFAS, Associação Beneficente

Leia mais

AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR

AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR nº 08012.001271/2001-44 Representante: Procon/SP. Representada: SKF do Brasil Ltda. Advogado(s): Rogério Domene,

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE PARECER ProCADE Nº416/2005 1 AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR Nº 08012.003521/2004-23 REPRESENTANTE: GENERAL ELECTRIC DO BRASIL LTDA

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Averiguação Preliminar nº 08012.005335/2002-67 Representantes: Editora Nova Atenas Ltda. e Ponto da Arte Editora Ltda. Representado:

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 3.231, DE 2004 Dispõe sobre os direitos de propriedade intelectual e direitos do consumidor relativos a programas de computador,

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012.011090/2004-79 Requerentes: Itaucard Financeira S.A. Crédito, Financiamento e Investimento e Rio Elba

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA. Protocolado: 08012.000515/2003-33.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA. Protocolado: 08012.000515/2003-33. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA Protocolado: 08012.000515/2003-33. Natureza: Averiguação Preliminar. Representante: Alexandre Soares Coelho.

Leia mais

ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE

ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL CADE PARECER PROCADE Nº 066/2007 AVERIGUAÇÃO PRELIMINARº 08700.001.179/1999-22 REPRESENTANTE: Conselho Administrativo de Defesa

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA GABINETE DO CONSELHEIRO LUÍS FERNANDO R. VASCONCELLOS. Processo Administrativo nº 08012.004025/2000-63

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA GABINETE DO CONSELHEIRO LUÍS FERNANDO R. VASCONCELLOS. Processo Administrativo nº 08012.004025/2000-63 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE GABINETE DO CONSELHEIRO LUÍS FERNANDO R. VASCONCELLOS Processo Administrativo nº 08012.004025/2000-63 Representante: MCA do Brasil

Leia mais

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco P R O M O Ç Ã O

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco P R O M O Ç Ã O Inquérito Civil Público n. º 1.26.000.001436/2004-96 Promoção de arquivamento n. º -2012/MPF/PRPE/AT P R O M O Ç Ã O Trata-se de inquérito civil público instaurado, nesta Procuradoria da República, com

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos Averiguação Preliminar nº. 08012.000696/2000-20 Representante: Sr. Nilton

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 FileMaker Pro 13 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 2007-2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL - CADE PARECER PROCADE Nº 027/2007 VERSÃO PÚBLICA ATO DE CONCENTRAÇÃO Nº 08012.003890/2004-16 REQUERENTE(S): BRASIL TELECOM S.A.

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012.008423/2006-44 Requerentes: International Business Machine Corporation e Filenet Corporation Advogados:

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE RELATÓRIO

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE RELATÓRIO Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012.000098/2006-71 Requerentes: Gedas Aktiengesellschaft e T-Systems International GmbH Advogados: Carlos

Leia mais

Manual de Instalação da leitora de SmartCard Teo by Xiring

Manual de Instalação da leitora de SmartCard Teo by Xiring Manual de Instalação da leitora de SmartCard Teo by Xiring Versão especial p/ Banrisul e Infoestrutura 14 / Maio / 2008. Conteúdo: 1. Windows Vista 2. Windows XP, 2000 e 2003-Server 3. Windows 98 4. Windows

Leia mais

CA Desktop Migration Manager

CA Desktop Migration Manager CA Desktop Migration Manager Notas da versão do CA DMM 12.9 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS. O que era o MS-DOS? Como funcionava o MS-DOS? 26/09/2015

O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS. O que era o MS-DOS? Como funcionava o MS-DOS? 26/09/2015 O Inicio TODAS AS VERSÕES DO WINDOWS Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br Também temos ciência de que as primeiras versões do Windows não passavam de uma interface gráfica

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE PROCESSO ADMINISTRATIVO nº 08001.006599/2000-03 Representante: CPI-Medicamentos. Representadas: Baxter do Brasil e Fresenius Medical

Leia mais

Guia de Solução de Problemas do HASP

Guia de Solução de Problemas do HASP Guia de Solução de Problemas do HASP 1 Escritório corporativo: Trimble Geospatial Division 10368 Westmoor Drive Westminster, CO 80021 EUA www.trimble.com Direitos autorais e marcas registradas: 2005-2013,

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE PROCESSO ADMINISTRATIVO nº 08012.006733/97-08 Representante: Empresa Folha da Manhã S/A. Advogados: Taís Borja Gasparian, Samuel Mac

Leia mais

OMT-G Design. Instalação por pacotes

OMT-G Design. Instalação por pacotes OMT-G Design A plataforma Eclipse OMT-G Design não é um software independente, é um plug-in que se utiliza dos mecanismos de extensão do Eclipse que por sua vez é um ambiente de desenvolvimento de software.

Leia mais

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL (M-003) EXPEDIENTE: TC - 005074.989.14-6. REPRESENTANTE: CONTE & CONTE COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA. REPRESENTADA: PREFEITURA

Leia mais

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 FileMaker Pro 14 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 2007-2015 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Guia Rápido de Licenciamento do SQL Server 2012

Guia Rápido de Licenciamento do SQL Server 2012 Guia Rápido de Licenciamento do SQL Server 2012 Data de publicação: 1 de Dezembro de 2011 Visão Geral do Produto SQL Server 2012 é uma versão significativa do produto, provendo Tranquilidade em ambientes

Leia mais

PROCESSO ADMINISTRATIVO nº 08012.005981/2002-24. CONSELHEIRO-RELATOR: Ricardo Villas Bôas Cueva

PROCESSO ADMINISTRATIVO nº 08012.005981/2002-24. CONSELHEIRO-RELATOR: Ricardo Villas Bôas Cueva PROCESSO ADMINISTRATIVO nº 08012.005981/2002-24 REPRESENTANTE: Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo SINOG ( SINOG ) ADVOGADO: não consta dos autos. REPRESENTADA: Uniodonto de Manaus/AM

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos EUA. As informações

Leia mais

CA Desktop Migration Manager

CA Desktop Migration Manager CA Desktop Migration Manager Notas da Versão Release 12.8 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada Documentação),

Leia mais

MQSeries Everyplace. Leia-me primeiro G517-7010-00

MQSeries Everyplace. Leia-me primeiro G517-7010-00 MQSeries Everyplace Leia-me primeiro G517-7010-00 MQSeries Everyplace Leia-me primeiro G517-7010-00 Primeira Edição (Junho de 2000) Esta edição se aplica ao MQSeries Everyplace Versão 1.0 e a todos os

Leia mais

Configuração Simplificada com o Windows 2000 Professional

Configuração Simplificada com o Windows 2000 Professional Sistema Operacional Configuração Simplificada com o Windows 2000 Professional Documento técnico Novas funcionalidades no Windows 2000 Professional facilitam a inclusão de novos dispositivos, o gerenciamento

Leia mais

Norton 360 Online Guia do Usuário

Norton 360 Online Guia do Usuário Guia do Usuário Norton 360 Online Guia do Usuário Documentação versão 1.0 Copyright 2007 Symantec Corporation. Todos os direitos reservados. O software licenciado e a documentação são considerados software

Leia mais

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 04 Word Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Editor de Texto - Word Microsoft Office Conjunto de aplicativos para escritório que contém programas

Leia mais

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers Conteúdo 1. Introdução...1 2. Requisitos obrigatórios...1 3. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers...2 3.1 Antes da

Leia mais

PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013.

PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013. PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013. ACRESCENTA À ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO DISPOSITIVOS DE ACESSO, O PADRÃO TECNOLÓGICO CONFIGURAÇÃO MÍNIMA

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

NOTA: POR FAVOR, NÃO TENTE INSTALAR O SOFTWARE ANTES DE LER ESTE DOCUMENTO.

NOTA: POR FAVOR, NÃO TENTE INSTALAR O SOFTWARE ANTES DE LER ESTE DOCUMENTO. INSITE BOLETIM DE INSTALAÇÃO Página 2: Instalando o INSITE Página 7: Removendo o INSITE NOTA: POR FAVOR, NÃO TENTE INSTALAR O SOFTWARE ANTES DE LER ESTE DOCUMENTO. A INSTALAÇÃO OU O USO INCORRETOS PODEM

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO Prof. Me. Eduardo Fernando Mendes Fundamentos da tecnologia da informação Os conteúdos abordados neste módulo são: Componentes da Tecnologia

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Origem: PRT 2ª Região Interessado(s) 1: Ministério Público do Estado de São Paulo Promotoria de Justiça do Consumidor Interessado(s) 2: ABENDE Associação Brasileira de

Leia mais

RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO

RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO IMPUGNANTE: DOMÍNIO INFORMÁTICA PROCESSO Nº.: 20120836 Recebia tempestivamente as razões de impugnação ao Edital da Concorrência nº 02/2012, que tem por objeto o REGISTRO DE PREÇOS

Leia mais

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente Servidor Lista de Preparação de OpenLAB do Data Local Store A.02.01 Objetivo do Procedimento Assegurar que a instalação do Servidor de OpenLAB Data Store pode ser concluída com sucesso por meio de preparação

Leia mais

Leia antes de utilizar. Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados. Guia de Instalação

Leia antes de utilizar. Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados. Guia de Instalação Leia antes de utilizar Sistema de Software de Desenho de Bordados Personalizados Guia de Instalação Leia este guia antes de abrir o pacote do CD-ROM Obrigado por adquirir este software. Antes de abrir

Leia mais

Microsoft e seu Monopólio do mercado de software

Microsoft e seu Monopólio do mercado de software UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Microsoft e seu Monopólio do mercado de software Computadores e Sociedade I SSC-207 São Carlos Maio/2010 Alunos: André Toshio

Leia mais

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers

GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers Conteúdo 1. Introdução...1 2. Requisitos obrigatórios...1 3. Instalação do Nokia Connectivity Cable Drivers...2 3.1 Antes da

Leia mais

INSTALAÇÃO DOS NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS

INSTALAÇÃO DOS NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS GUIA DE CONSULTA RÁPIDA PARA INSTALAÇÃO DOS NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS 1/6 Copyright 2003-2004 Nokia. Todos os direitos reservados. Conteúdo 1. INTRODUÇÃO...3 2. REQUISITOS DO SISTEMA...3 3. INSTALAÇÃO

Leia mais

ESCLARECIMENTO EM PROCESSO LICITATÓRIO NA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº09/2010/TRE/MT.

ESCLARECIMENTO EM PROCESSO LICITATÓRIO NA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº09/2010/TRE/MT. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO ESCLARECIMENTO EM PROCESSO LICITATÓRIO NA MODALIDADE PREGÃO ELETRÔNICO Nº09/2010/TRE/MT. Procedimento administrativo nº146412009 Seguem abaixo

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o Office 2010 OPK Integradores de Sistemas

Perguntas e Respostas sobre o Office 2010 OPK Integradores de Sistemas Perguntas e Respostas sobre o Office 2010 OPK Integradores de Sistemas 1. Por que eu executo o arquivo em lotes oemsetup do OPK na janela do prompt de comando e recebo a seguinte mensagem de erro? Resposta:

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004 1. As Partes A Reclamante é Citrix Systems,

Leia mais

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Este tutorial visa preparar o computador com os softwares necessários para a utilização dos sistemas de visualização

Leia mais

Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luiz Carlos Delorme Prado

Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luiz Carlos Delorme Prado Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Luiz Carlos Delorme Prado Processo Administrativo n.º 08012.000429/2003-21 Representante: SMS - Assistência

Leia mais

Índice de ilustrações

Índice de ilustrações Sumário 1Dez novos recursos do windows 8...2 1.1Interface Metro...2 1.2Internet Explorer 10...4 1.3Gerenciador de Tarefas...5 1.4Painel de Controle...5 1.5Interface Ribbon...6 1.6Menu Iniciar...7 1.7Windows

Leia mais

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar.

São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. São programas de computador utilizados para realizar diversas tarefas É a parte lógica do computador, o que faz o computador realmente funcionar. Quais são eles? Vários outros programas 1 Sistema Básico

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA. UNIDADE GESTORA: Câmara Municipal de São José

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA. UNIDADE GESTORA: Câmara Municipal de São José TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA 134 Fls. PROCESSO Nº: REP-14/00211406 UNIDADE GESTORA: Câmara Municipal de São José RESPONSÁVEL: Sanderson Almeci de Jesus INTERESSADO:

Leia mais

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Projecto SDAC 2010 Sistema Operativo Open Source Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Disciplina: Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Professores: Catarina Santos/Paulo Guimarães

Leia mais

Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos

Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos Ministério da Justiça CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA CADE Gabinete do Conselheiro Luís Fernando Rigato Vasconcellos Averiguação Preliminar 08012.006665/2001-99 Representante: Sindicato dos

Leia mais

Documentação significa as especificações, a documentação do usuário, os manuais e os guias técnicos entregues com o software da CA.

Documentação significa as especificações, a documentação do usuário, os manuais e os guias técnicos entregues com o software da CA. Política e Termos de Suporte da CA 1. Visão Geral O Suporte para softwares da CA consiste em assistência operacional e suporte técnico oferecidos pela CA, a seu critério razoável, durante o prazo estabelecido

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Ricardo Villas Bôas Cueva

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE Gabinete do Conselheiro Ricardo Villas Bôas Cueva PROCESSO ADMINISTRATIVO: Nº 08012.004860/2000-01 REPRESENTANTE: Delegacia de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (DECON/DF). REPRESENTADOS: AMV Mota Distribuidora de Gás-ME, AN de Faria Sousa Distribuidora

Leia mais

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse tutorial

Leia mais

GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO

GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO Versão 2.0 07.02.2012 e-academy Inc [CONFIDENCIAL] SUMÁRIO GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO... 3 PRINCIPAIS RECURSOS INCLUÍDOS NO SDM... 4 Sistemas operacionais suportados...

Leia mais

Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital

Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital Guia de instalação SafeSign 3.0.11 e leitora Omnikey Cardman 3x21 para Windows Vista 32 bits Certificado Digital Contato: certificacaodigital@aasp.org.br Telefone: 55 11 3291 9200 2 Guia de instalação

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Instalando o Internet Information Services no Windows XP

Instalando o Internet Information Services no Windows XP Internet Information Services - IIS Se você migrou recentemente do Windows 95 ou 98 para o novo sitema operacional da Microsoft Windows XP, e utilizava antes o Personal Web Server, deve ter notado que

Leia mais

NOÇÕES DE INFORMÁTICA:

NOÇÕES DE INFORMÁTICA: NOÇÕES DE INFORMÁTICA: CONFORME ITEM 1 DO EDITAL 1. Ambientes Windows XP e Windows 7 CONCEITOS BÁSICOS: Hardware: refere-se a todo equipamento físico de informática. Software: refere-se a parte lógica

Leia mais

Introdução 13/06/2012. Software Livre

Introdução 13/06/2012. Software Livre Software Livre Introdução Software Livre, software de código aberto ou software aberto é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo

Leia mais

Desvendando o licenciamento

Desvendando o licenciamento Desvendando o licenciamento 1 Licenças de legalização Para empresas de todos os portes, que estejam enfrentando problemas devido à utilização de softwares falsificados ou não originais, existem licenças

Leia mais

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI

ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI ICE INSTITUTO CUIABADO DE EDUCAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 4º SEMESTRE RECURSOS HUMANOS CARLOS EDUARDO JULIANI SOFTWARE LIVRE E SOFTWARE PROPRIETARIO Software Livre. O software livre foi desenvolvido,

Leia mais

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P03.001 Revisão v. 2014 2. PUBLICAÇÃO Órgão IplanRio Diretoria DOP Diretoria de Operações Setor GSA - Gerência de Suporte e Atendimento 1 de 6 epingrio@iplanrio.rio.rj.gov.br

Leia mais

INSTALAÇÃO DE NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS

INSTALAÇÃO DE NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS GUIA DE CONSULTA RÁPIDA DA INSTALAÇÃO DE NOKIA CONNECTIVITY CABLE DRIVERS 1/6 Copyright 2003-2004 Nokia. Todos os direitos reservados. Conteúdo 1. INTRODUÇÃO...3 2. REQUISITOS DO SISTEMA...3 3. INSTALANDO

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB Marcelo Rodrigo da Silva Ribeiro 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcelo.rodrigo@live.com,

Leia mais

GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO Guia de referência 2013-07-30 Confidencial Versão 2.2

GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO Guia de referência 2013-07-30 Confidencial Versão 2.2 GERENCIADOR DE DOWNLOAD SEGURO Guia de referência 2013-07-30 Confidencial Versão 2.2 SUMÁRIO Gerenciador de Download Seguro... 2 Principais recursos incluídos no SDM... 3 Sistemas operacionais suportados...

Leia mais

SafeSign. Guia de instalação

SafeSign. Guia de instalação Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. 2012 Pré-Requisitos para a instalação Aplicativo SafeSign Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos seguintes

Leia mais

W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç ã o p a r a s u p o r t a r a p l i c a ç õ e s c r í t i c a s

W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç ã o p a r a s u p o r t a r a p l i c a ç õ e s c r í t i c a s Av Eng. Luiz Carlos Berrini 1645, 8 andar, 04571-000 Brooklin Novo, São Paulo SP Brazil. Tel: 55 11 5508-3400 Fax: 55 11 5508 3444 W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012.011178/2005-71 Requerentes: Axalto Holding N.V. e Gemplus International S.A. Advogados: André Marques

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-server Versão: 4.5 Versão do Doc.: 1.0 Autor: César Dehmer Trevisol Data: 13/12/2010 Aplica-se à: Clientes e Revendas Alterado por: Release Note: Detalhamento de Alteração

Leia mais

Operador de Computador. Informática Básica

Operador de Computador. Informática Básica Operador de Computador Informática Básica Instalação de Software e Periféricos Podemos ter diversos tipos de software que nos auxiliam no desenvolvimento das nossas tarefas diárias, seja ela em casa, no

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

SMART Sync 2010 Guia prático

SMART Sync 2010 Guia prático SMART Sync 2010 Guia prático Simplificando o extraordinário Registro do produto Se você registrar o seu produto SMART, receberá notificações sobre novos recursos e atualizações de software. Registre-se

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PTM de Sorocaba / 15ª Região Suscitante: Dra. Guiomar Pessotto Guimarães PTM de Araçatuba/15ª Região Suscitada: Dra. Ana Carolina Marinelli Martins - PTM de Sorocaba/15ª Região Assunto: Conflito

Leia mais

HP Mobile Printing para Pocket PC

HP Mobile Printing para Pocket PC HP Mobile Printing para Pocket PC Guia de Iniciação Rápida O HP Mobile Printing para Pocket PC permite imprimir mensagens de e-mail, anexos e arquivos em uma impressora Bluetooth, de infravermelho ou de

Leia mais

Guia de instalação e ativação

Guia de instalação e ativação Guia de instalação e ativação Obrigado por escolher o memoq 2013, o melhor ambiente de tradução para tradutores freelance, agências e empresas de tradução. Este guia orienta o usuário no processo de instalação

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA PROCURADORIA-GERAL DO CADE Gabinete do Procurador-Geral

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA PROCURADORIA-GERAL DO CADE Gabinete do Procurador-Geral Gabinete do Procurador-Geral Despacho n.º 125/2006/PG/CADE Data: 01 de dezembro de 2006 Autos n.º: 08012.006636/97-43 Natureza: Processo Administrativo Representante: Procuradoria do CADE Representada:

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: Interessado(s) 1: Interessado(s) 2: Assunto(s): PRT 17ª Região Justiça Global Vale S/A Igualdade de Oportunidades e Discriminação nas Relações de Trabalho 06.03.02. 06.03.04. RECURSO ADMINISTRATIVO.

Leia mais

Após a operação: Capital Social da Próxima:

Após a operação: Capital Social da Próxima: Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012.005543/2007-71 Requerentes: Datasul S/A e Próxima Software e Serviços S/A. Advogados: Fabíola Carolina

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Dell SupportAssist para PCs e Tablets Guia do utilizador

Dell SupportAssist para PCs e Tablets Guia do utilizador Dell SupportAssist para PCs e Tablets Guia do utilizador Notas, avisos e advertências NOTA: Uma NOTA indica informações importantes para melhor utilizar o computador. AVISO: Um AVISO indica potenciais

Leia mais