Rio de Janeiro, janeiro de 2007.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rio de Janeiro, janeiro de 2007."

Transcrição

1 INTERNO ORACLE DEVELOPER 6i REPORTS Rio de Janeiro, janeiro de As informações contidas neste documento pertencem à Value Team Brasil S/C Ltda e ao destinatário do documento. Cópia, publicação ou distribuição não-autorizada deste material são práticas estritamente proibidas e podem ser ilegais. Value Team Brasil S/C Ltda V A L U E P A R T N E R S G R O U P Rua da Cadenlária Tel º andar Fax Rio de Janeiro RJ - Brasil

2 CAPÍTULO 1: O ORACLE DEVELOPER 6I... 1 SOBRE O PACOTE...1 RESUMINDO...2 SOBRE A FERRAMENTA...3 CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6I... 4 CONCEITOS INICIAIS...4 O NAVEGADOR DE OBJETOS (OBJECT NAVIGATOR)... 5 EXPANDIR OU CONTRAIR...6 CRIAR OU DELETAR...6 EXECUTAR, IMPRIMIR E MENSAGEM...7 ABRIR E SALVAR...7 LOCALIZAR...8 NAVEGANDO NA HIERARQUIA...8 PAINÉIS DO NAVEGADOR...8 ALTERANDO O NOME DE UM ELEMENTO...8 O MENU DO REPORT BUILDER...9 CRIANDO UMA APLICAÇÃO...9 ESTABELECENDO CONEXÃO COM O BANCO DE DADOS...9 ESTILO DO RELATÓRIO...9 QUERY BUILDER - TABELAS...10 QUERY BUILDER DIÁLOGO PRINCIPAL...11 QUERY BUILDER COLUNAS...11 QUERY BUILDER SQL...12 QUERY BUILDER DEFININDO UMA COLUNA...13 QUERY BUILDER ORDENANDO O RESULTADO...13 QUERY BUILDER ALIAS...14 QUERY BUILDER - INCLUINDO UMA RESTRIÇÃO...14 PASTA CAMPOS(FIELDS)...15 PASTA TOTAIS (TOTALS)...15 PASTA ETIQUETAS (LABELS)...16 PASTA GABARITO (TEMPLATE)...16 CAPÍTULO 3: O DATA MODEL COMPONENTES DE UM RELATÓRIO O EDITOR DO MODELO DE DADOS A PALETA DE FERRAMENTAS...18 A BARRA DE FERRAMENTAS...19 A BARRA DE STATUS...19 CRIANDO UMA CONSULTA CONSULTA (QUERY)...20 GRUPO (GROUP)...21 COLUNAS DO BANCO DE DADOS...22 CRIANDO UM LAYOUT CRIANDO UM GRUPO DE QUEBRA RELACIONANDO DADOS CRIANDO UM RELATÓRIO A PARTIR DE UMA VARIÁVEL CURSOR...28 CAPÍTULO 4: SUMÁRIOS E FÓRMULAS SUMÁRIOS DETERMINANDO A FREQÜÊNCIA DE IMPRESSÃO...29 DETERMINANDO A FUNÇÃO DO SUMÁRIO...31 DETERMINANDO A COLUNA ORIGEM DO SUMÁRIO...31 QUANDO ZERAR O SUMÁRIO...32 DETERMINANDO O GRUPO DE TOTALIZAÇÃO...33 FÓRMULAS DETERMINANDO A FREQÜÊNCIA DE IMPRESSÃO...34 DETERMINANDO O TIPO DE RETORNO...34 DETERMINANDO A FUNÇÃO DA FÓRMULA...35 ÍNDICE I

3 CAPÍTULO 5: PARÂMETROS CONCEITUAÇÃO...37 PARÂMETROS DE SISTEMA BACKGROUND...37 COPIES...37 CURRENCY...37 DECIMAL...37 DESFORMAT...37 DESNAME...38 DESTYPE...38 MODE...38 ORIENTATION...38 PRINTJOB...38 THOUSANDS...38 PARÂMETROS DE USUÁRIO BIND REFERENCE...39 LISTA DE VALORES...40 LEXICAL REFERENCE...42 CRIANDO UMA TELA DE PARÂMETROS USANDO UM CRIADOR AUTOMÁTICO...44 CAPÍTULO 6: OS PRIMEIROS OBJETOS DO LAYOUT INTRODUÇÃO QUADROS DE REPETIÇÃO (REPEATING FRAMES) CAMPOS (FIELDS) BOILERPLATES...51 CAMADAS DE IMPRESSÃO FREQÜÊNCIA DE IMPRESSÃO ELASTICIDADE CAPÍTULO 7: O EDITOR DO LAYOUT MODEL A JANELA DO EDITOR DE LAYOUT WORKSPACE...58 BARRA DE TÍTULO (TITLE BAR)...58 RÉGUAS (RULERS)...58 GUIAS...58 GRID...58 LINHA INDICATIVA DE SITUAÇÃO (STATUS LINE)...59 AS BARRAS DE FERRAMENTAS A BARRA DE FERRAMENTAS HORIZONTAL SUPERIOR...60 A BARRA DE FERRAMENTAS HORIZONTAL INFERIOR (BARRA DE ESTILO)...61 A BARRA DE FERRAMENTAS VERTICAL OU PALETA DE FERRAMENTAS...62 MANIPULANDO OBJETOS NO EDITOR DE LAYOUT CRIANDO OBJETOS...64 MOVER OBJETOS...64 REDIMENSIONANDO UM OBJETO...64 REDIMENSIONANDO DIVERSOS OBJETOS...64 ALINHANDO OBJETOS...64 OBTER AS PROPRIEDADES DE UM OBJETO...65 MANIPULANDO BOILERPLATES NO EDITOR DE LAYOUT BOILERPLATE DE TEXTO...65 BOILERPLATE GRÁFICO...65 AÇÕES COMUNS AOS OBJETOS DE LAYOUT ATRIBUINDO FONTE...66 MODIFICANDO A LINHA...66 ALINHAMENTO E ESPACEJAMENTO...66 SELEÇÃO DE UM OU VÁRIOS OBJETOS...66 OPERAÇÕES...66 GRUPANDO OBJETOS...67 ÍNDICE II

4 NAVEGANDO PELAS DIVERSAS PARTES DE UM RELATÓRIO...68 MÚLTIPLOS LAYOUTS...69 INCLUINDO DATA / HORA E NUMERAÇÃO DE PÁGINA...70 IMPORTANDO ARQUIVOS PARA O LAYOUT ADICIONANDO UM BOILERPLATE POR UM ARQUIVO DE LIGAÇÃO (LINKED FILE)...71 CAPÍTULO 8: PL/SQL NO RELATÓRIO CONCEITOS INICIAIS...72 EDIÇÃO DE PL/SQL INDENTAÇÃO AUTOMÁTICA...73 INDENTAÇÃO MANUAL...73 CORES...73 SELEÇÃO...73 CÓPIA E MOVIMENTAÇÃO DE TEXTOS...73 SPLIT DA ÁREA DE EDIÇÃO...74 IMPRESSÃO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO...74 OPÇÃO DESFAZER...74 PALETA DE SINTAXE PL/SQL INTRÍNSECA FILTROS DE GRUPO (GROUP FILTERS)...75 GATILHOS DE VALIDAÇÃO (VALIDATION TRIGGERS)...76 FÓRMULA (FORMULA)...77 GATILHOS DE FORMATO (FORMAT TRIGGER)...77 PL/SQL INTERNA PL/SQL EXTERNA ROTINAS ARMAZENADAS NO BANCO DE DADOS...80 ROTINAS ARMAZENADAS EM BIBLIOTECAS (LIBRARIES)...81 GATILHOS DE RELATÓRIO (REPORT TRIGGERS) EMPACOTAMENTO DA LÓGICA DATABASE TRIGGERS CAPÍTULO 9: MAIS OBJETOS DO LAYOUT INTRODUÇÃO VISUALIZANDO AS INFORMAÇÕES DE ANCORAGEM ÂNCORAS (ANCHORS) QUADROS (FRAMES) BOTÕES (BUTTONS) CAPÍTULO 10: PACOTES EMBUTIDOS O NÓ PACOTES EMBUTIDOS SRW...92 OLE DDE...92 ORA_FFI...93 ORA_DE...93 ORA_PROF ORA_NLS...95 TEXT_IO...95 TOOL_ENV...96 TOOL_RES TOOL_ERR...96 STPROC...97 LIST...97 DEBUG...97 STANDARD ÍNDICE III

5 CAPÍTULO 11: VARIÁVEIS NO REPORT BUILDER INTRODUÇÃO VARIÁVEIS LOCAIS COLUNA DE ESPAÇO RESERVADO (PLACEHOLDER) VARIÁVEIS DE PACOTE PARÂMETROS CAPÍTULO 12: FORMATAÇÃO DINÂMICA CONCEITOS INICIAIS ALGUMAS ROTINAS DO PACOTE SRW COR CAPÍTULO 13: CARACTERÍSTICAS GERAIS PREFERÊNCIAS PASTA GERAL PASTA ACESSAR PASTA ASSISTENTES PASTA VALORES DE RUNTIME PASTA DEFINIÇÕES DE RUNTIME ESTUDANDO O MÓDULO RELATÓRIO (REPORT) JANELA DE FORM DE PARÂMETROS (PARAMETER FORM WINDOW) ESCAPES DE RELATÓRIO (REPORT ESCAPES) MODO CARACTER (CHARACTER MODE) CAPÍTULO 14: DISTRIBUINDO E DELIMITANDO CAPACIDADE DE DISTRIBUIÇÃO USO DE DELIMITADORES USANDO O REPORT BUILDER USANDO A LINHA DE COMANDO CAPÍTULO 15: RELATÓRIOS MATRICIAIS CONCEITOS SIMPLE MATRIX COM UMA QUERY SIMPLE MATRIX COM TRÊS QUERIES SIMPLE MATRIX COM SUMÁRIO NESTED MATRIX CROSS PRODUCT MASTER/DETAIL MODELO DE DADOS LAYOUT MATRIX BREAK MODELO DE DADOS LAYOUT CAPÍTULO16: O ORACLE 8I E O REPORT BUILDER 6I SUPORTE A LARGE OBJECTS (LOBS) SUPORTE A OBJETOS DO ORACLE CARACTERÍSTICAS DE PERFORMANCE PERFORMANCE COM O ORACLE SUPORTE AO PL/SQL INTEGRAÇÃO COM FERRAMENTAS DE SUPORTE A DECISÃO CAPÍTULO 17: O MÓDULO LIBRARY INTRODUÇÃO CRIANDO UMA BIBLIOTECA (LIBRARY) ASSOCIANDO UMA BIBLIOTECA A UMA APLICAÇÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE ARMAZENAMENTO CAPÍTULO 18: GABARITOS (TEMPLATES) ÍNDICE IV

6 DESCRIÇÃO A ESTRUTURA DE UM GABARITO MODELO DE DADOS PL/SQL NO GABARITO LAYOUT AS SEÇÕES DO CORPO SEÇÃO DEFAULT SEÇÃO DE SOBREPOSIÇÃO (OVERRIDE SECTION) PROPRIEDADES DE UMA SEÇÃO GRUPO LAYOUT GRUPO ESPAÇAMENTO GRUPO ESTILO PROPRIEDADES DO NÓ CABEÇALHO DA SEÇÃO PROPRIEDADES DO NÓ CORPO DA SEÇÃO PROPRIEDADES DO NÓ SUMÁRIO DA SEÇÃO MONTANDO UM GABARITO (TEMPLATE) SEÇÃO DEFAULT CABEÇALHOS(HEADINGS) CORPO (BODY) SUMÁRIOS (SUMMARY) USANDO O GABARITO CRIADO CAPÍTULO 19: INTERPRETER DESCRIÇÃO A JANELA DE DEPURAÇÃO MARCANDO UM PONTO DE INTERRUPÇÃO BREAKPOINT TRIGGER ACOMPANHANDO UMA DEPURAÇÃO DEPURANDO COM UM PONTO DE INTERRUPÇÃO CAPÍTULO 20: HTML / PDF DESENVOLVENDO UM RELATÓRIO PARA WEB O PREVISUALIZADOR DA WEB HTML PAGE STREAMING NAVEGAÇÃO FORMATO DOS ARQUIVOS GERADOS PARÂMETRO EXEMPLO USANDO SCRIPT DEFAULT EXEMPLO USANDO NOSSO SCRIPT OUTRAS ROTINAS DO PACOTE SRW CHART HYPERLINKS CAPÍTULO 21: INTERFACE FORMS REPORT USANDO O REPORT BUILDER A PARTIR DO FORM BUILDER ACIONANDO UM REPORT A PARTIR DO FORM ÍNDICE V

7 CAPÍTULO 1: O ORACLE DEVELOPER 6I Neste curso estudaremos a ferramenta de desenvolvimento Report Builder 6i que faz parte do pacote de ferramentas para desenvolvimento chamado Oracle Developer 6i. Iniciaremos nosso estudo com informações sobre este pacote, em seguida informações gerais sobre a ferramenta ora em estudo e, na seqüência, trabalharemos com a ferramenta em diversos exemplos e exercícios. Sobre o Pacote O Report Builder faz parte do mesmo pacote de desenvolvimento de sistemas que o Form Builder. O nome deste pacote, como sabemos, é Oracle Developer 6i. Resumiremos as ferramentas que compõem este pacote: Form Builder É a ferramenta para a construção de aplicações online para acesso e atualização de uma base de dados Oracle. Report Builder É a ferramenta para a construções de relatórios que façam acesso a uma base de dados Oracle. Os relatórios podem ser construídos em uma diversidade de formatos desde tabular (como uma tabela) até matricial, passando por etiqueta, carta, formulário, master/detail ou uma combinação de estilos. Procedure Builder É a ferramenta que nos auxilia no desenvolvimento de programas PL/SQL, tanto no ambiente cliente (em bibliotecas de programas compartilhadas por aplicações Forms ou Reports) quanto no ambiente servidor (criação de procedures, functions, packages e database triggers), permitindo uma depuração passo a passo das aplicações criadas. Graphics Builder É a ferramenta que permite que visualizemos os dados do banco de dados de forma gráfica. Os produtos gerados por esta ferramenta podem ser utilizados em aplicações Forms ou Reports. Project Builder Esta é uma ferramenta integradora e organizadora. Permite que associemos as diversas aplicações que componham um projeto de desenvolvimento em uma hierarquia manipulável. Projetos são associações de arquivos com as ferramentas usadas para editá-los. Estes arquivos podem ser de qualquer tipo : forms, reports, displays (gráficos), módulos de 3GL, documentação e scripts de teste. O grupamento e visualização de todos os componentes de um projeto é apenas uma das vantagens. A ferramenta permite também ações coletivas, como por exemplo uma compilação. Query Builder É uma ferramenta auxiliar na construção de consultas ao banco de dados. Possui uma interface gráfica e intuitiva que nos permite rápida e facilmente a montagem de queries para a recuperação de informações. CAPÍTULO 1: O ORACLE DEVELOPER 6.0-1

8 Schema Builder Esta ferramenta nos auxilia na criação, cópia, modificação e remoção de objetos (e relacionamentos) do banco de dados. Translation Builder Esta é uma ferramenta para suporte e gerenciamento no processo de conversão de aplicações Oracle para uma das linguagens suportadas. Suporta a conversão de arquivos do tipo.fmb,.ogd,.rdf,.res e.msg. RESUMINDO O pacote Oracle Developer 6i contém ferramentas que abrangem todas as áreas necessárias ao desenvolvimento de um sistema: aplicações online, batch, relatórios, gráficos e, ainda, uma ferramenta para controle do ambiente. CAPÍTULO 1: O ORACLE DEVELOPER 6.0-2

9 Sobre a Ferramenta Ao desenvolvermos um relatório, em qualquer ferramenta, claramente identificamos duas áreas principais de trabalho: a parte de obtenção dos dados e a parte de especificação do layout. A ferramenta que estudaremos a seguir possui estas duas área ou estes dois conceitos bastante bem definidos, o que nos facilitará bastante o estudo. Da mesma forma que o Form Builder, o Report Builder não é uma ferramenta isolada, é composta de vários executáveis com finalidades diversas. Destacaremos aqueles que mais afetam o nosso estudo: Report Builder 6i (RWBLD60.EXE) - Este é o aplicativo para desenvolvimento e compilação individual de um relatório. Gera arquivos de quatro categorias: RDF / REP (fonte e executável Report), SQL (fonte de uma consulta externa), PLL (PL/SQL Library) e TDF (Template). Report Compiler 6i (antigo Convert RWCON60.EXE) - Este aplicativo permite a conversão de relatórios construídos em Reports 2.5 ou 3.0 para Report 6i (versão atual), convertendo a PL/SQL versão 1.0 ou 2.3 para a versão 8. Permite também a compilação em batch de lotes de programas e, finalmente, a conversão da forma de armazenamento (fonte de relatório armazenado no banco de dados para fonte, template ou executável de relatório em disco; fonte no disco para fonte armazenado no banco de dados). Os fontes tanto podem ser de relatórios quanto de bibliotecas. Report Runtime 6i (RWRUN60.EXE) Este é o aplicativo para execução dos relatórios desenvolvidos (Reports e Libraries PL/SQL). Durante este curso trataremos da construção, compilação e teste de relatórios. Desta forma trabalharemos basicamente com o Report Builder e o Report Runtime. O curso será todo desenvolvido através de exemplos distribuídos aos alunos. CAPÍTULO 1: O ORACLE DEVELOPER 6.0-3

10 CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6I Conceitos Iniciais A ferramenta Report Builder é capaz de construir quatro tipos de módulos diferentes: Módulo Report Que consiste do relatório em si, contendo áreas para obtenção dos dados, definição do layout, parâmetros, etc. O fonte de um módulo Report possui a extensão RDF e o executável REP. Consulta SQL Externa Que consiste de um comando de SQL Select armazenado externamente ao relatório e que pode ser utilizado como fonte de obtenção de dados para mais de um relatório. O arquivo contendo este comando possui a extensão SQL. Módulo PL/SQL Library Que consiste de um conjunto de programas PL/SQL que podem ser compartilhados por diversas aplicações Report ( ou Form ) que executam no ambiente. Possui apenas um tipo de arquivo cuja extensão é PLL. Módulo Template Que consiste de um esqueleto de relatório a ser utilizado como origem para diversos relatórios padronizados da instalação. É um gabarito utilizado como origem para outros relatórios. Durante este estudo trataremos de cada um destes módulos individualmente a fim de analisarmos suas características e usos. Ativando o Report Builder Para acionarmos a execução do Report Builder, devemos usar o botão Iniciar do Windows, pasta Programas, pasta Oracle Developer 6i e escolher a opção Report Builder. A primeira tela apresentada contém um conjunto de opções para iniciarmos a construção dos relatórios sob o grupo "Projetando" e um outro conjunto de opções de apresentação da ferramenta sob o grupo "Fixando na memória". Antes de construirmos nosso primeiro relatório veremos como navegar dentro da ferramenta. Por este motivo escolheremos a opção Desenvolver um novo relatório manualmente. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-4

11 O Navegador de Objetos (Object Navigator) Ao escolhermos a opção Criar um novo relatório manualmente, nos é apresentada uma tela com duas janelas: uma janela do Editor de Relatórios Modelo de Dados e uma segunda janela chamada de Navegador de Objetos ou Object Navigator. Estudaremos, inicialmente, o Navegador de Objetos, que nos dá uma visão de todos os componentes da ferramenta e das aplicações criadas. Fecharemos, portanto, a janela do Editor de Relatórios Modelo de Dados e nos concentraremos na janela do Navegador. A cada objeto criado por esta ferramenta daremos o nome genérico de Módulo, portanto, um relatório será tratado ou considerado um módulo (ou aplicação) assim como uma biblioteca de programas de PL/SQL. Na figura acima, se encontram presentes os nós principais do navegador : Relatórios (Reports) subordinado a este nó estarão os módulos de relatório que viermos a desenvolver. Na figura acima aparece uma aplicação de nome Sem Título. Observe que o nó Relatórios está preenchido com o símbolo ( - ) indicando que o nó está expandido. O nó do módulo Sem Título está preenchido com o símbolo ( + ), indicando que o nó está contraído, ou seja, existem elementos subordinados a este nó que não estão visíveis. Gabaritos (Templates) subordinado a este nó estarão os módulos de Gabarito (Template) que viermos a desenvolver. Na figura não existe nenhum módulo aberto ( o nó está vazio ). Portanto, não tem nenhum símbolo preenchendo o nó. Consultas SQL Externas (External Query) subordinado a este nó incluiremos comandos de SQL Select armazenados em arquivos. Estes comandos Select podem ser compartilhados por diversos relatórios, caracterizando uma origem de dados e diversos layouts. Não incluímos ainda nenhum módulo subordinado a este nó. Bibliotecas PL/SQL (PL/SQL Libraries) subordinado a este nó estarão os módulos de bibliotecas de PL/SQL que viermos a desenvolver. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-5

12 Na figura anterior também não existe nenhum módulo aberto, portando o nó está vazio. Ações de Depuração (Debug Action) e Stack nestes nós não serão cadastrados módulos. Serão incluídas ações temporárias, criadas para efeito de depuração. Pacotes Embutidos (Built-in Packages) subordinado a este nó existem diversos pacotes (packages) contendo diversas rotinas que poderemos utilizar no desenvolvimento da aplicação. Observe que este nó está contraído ( + ). Objetos do Banco de Dados (Database Objects) subordinado a este nó serão visualizados os diversos objetos do banco de dados que o usuário ao qual estamos conectados tem acesso. Atualmente o nó está vazio pois não estabelecemos, ainda, conexão com o banco. A seguir veremos as diversas ações que podemos realizar no Navegador de Objetos. Se você já estudou o Form Builder não encontrará diferenças nas ações Expandir ou Contrair, porém, verifique as ações Criar ou Deletar. EXPANDIR OU CONTRAIR Para expandir um nó ou contraí-lo basta que pressionemos o mouse sobre o símbolo + (para expandi-lo) ou sobre o símbolo (para contrai-lo). A figura ao lado representa o navegador da figura anterior com o nó Sem Título expandido. Esta mesma ação pode ser feita com os botões expandir e contrair da barra de ferramentas. A figura ao lado apresenta os botões que realizam as ações de expansão e contração na barra de ferramentas. Como teste utilize o botão de Expandir Tudo sobre o nó Pacotes Embutidos. Você verificará que a expansão se dará em todos os nós subordinados ao nó principal. Todos serão expandidos simultaneamente. A ação inversa é obtida com o botão Contrair Tudo. CRIAR OU DELETAR Diferentemente do Form Builder, no Report Builder nem todos os objetos podem ser criados no navegador. Para determinados objetos devemos utilizar o editor adequado para sua manipulação. Quando o objeto puder ser criado pelo Navegador, o botão Criar (presente na Barra de Ferramentas) ficará habilitado. Caso contrário ficará desabilitado. Na figura ao lado mostramos os botões Criar e Deletar habilitados. Para realizarmos esta ação basta que selecionemos o nó ou um objeto do mesmo tipo daquele que desejamos criar e pressionemos o botão Criar. Como teste selecione o nó Consultas SQL Externas (corresponde a um elemento do tipo SQL) e pressione o botão Criar. Você observará que será criado um novo módulo de nome Sem Título (2). CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-6

13 Outra forma de realizar a mesma operação é realizarmos um click duplo sobre o nó que desejamos criar um elemento. Teste sobre o nó Parâmetros de Usuário (subordinado ao nó Modelo de Dados do relatório). Com estes testes verificamos que podemos manipular com mais de um módulo ao mesmo tempo usando a ferramenta, uma vez que criamos Sem Título e Sem Título (2). Isto se aplica a todos os nós principais (Reports, Gabaritos, SQL Externas e Libraries). Porém, enquanto não tivermos prática no desenvolvimento de aplicações com esta ferramenta trabalharemos com um módulo por vez. Para removermos um elemento, devemos selecioná-lo e pressionar a ferramenta Deletar ou pressionar o botão Del do teclado. EXECUTAR, IMPRIMIR E MENSAGEM A execução do módulo Report ativo, ou seja, aquele em que temos algum elemento selecionado ocorre quando pressionamos o botão Executar, o botão Imprimir ou o botão Mensagem. Na figura ao lado apresentamos os três botões ligados à execução da aplicação. Quando pressionamos um dos três botões de execução, acionamos o Report Runtime para execução da aplicação corrente. A diferença entre os três é que o botão Executar apresenta a saída no vídeo por default, o botão Imprimir apresenta a saída na impressora por default e o botão Mensagem envia o resultado do relatório através de para os usuários. ABRIR E SALVAR Este último conjunto de botões realiza ações sobre os módulos. A ação se dá de acordo com o elemento que tivermos selecionado no momento. Por exemplo, se tivermos selecionado um módulo Report ou qualquer elemento subordinado a ele e pressionarmos o botão Salvar efetuaremos a salva do módulo corrente e se pressionarmos o botão Abrir serão apresentados outros arquivos com extensão RDF (Report) para que façamos a escolha daquele que desejamos abrir. Como exemplo vamos salvar o módulo atual. Uma vez que o Report Builder pode ser salvo tanto no banco de dados quanto no disco e é a primeira vez que salvamos este módulo, o Report Builder apresenta um diálogo para que indiquemos o meio de armazenamento. Quando optamos por disco, o Report Builder apresenta um novo diálogo para que determinemos o diretório onde efetuaremos a salva e o nome desejado para o módulo. A partir do momento que definirmos o diretório e o nome do módulo, o Report Builder não mais apresentará este diálogo nas próximas vezes que pressionarmos o botão Salvar. Como teste salve o módulo ativo com o nome de Teste. Observe após a salva que no navegador o nome do módulo é alterado para teste. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-7

14 LOCALIZAR Podemos usar o pesquisador do Navegador para encontrar elementos e nós dentro do Navegador. Para iniciarmos uma busca devemos digitar a string que desejamos procurar no campo Localizar que fica posicionado no canto superior direito da janela do Navegador. A cada caracter que digitamos o Report Builder movimenta o cursor para o próximo elemento que as letras digitadas sejam compatíveis. Por exemplo, selecionemos o módulo Teste. Ao posicionarmos o cursor sobre o campo Localizar e digitarmos a letra A, o Report Builder posicionará o cursor sobre o nó After Report (nó subordinado a Gatilhos do Relatório). Quando necessário podemos utilizar as duas lanternas posicionadas ao lado do campo Localizar para efetuar uma busca para frente ou para trás. NAVEGANDO NA HIERARQUIA Da lado esquerdo da janela do Navegador existe um campo que apresenta o nome do elemento atualmente selecionado. Ao abrirmos a lista deste campo, verificaremos que ele contém todos os ancestrais hierarquicamente superiores em relação ao objeto selecionado. Ele apresenta a árvore de subordinação do elemento selecionado. Podemos selecionar qualquer elemento desta hierarquia, bastando que façamos a seleção do elemento desejado, clicando o mouse sobre o nome do elemento na lista. PAINÉIS DO NAVEGADOR Podemos dividir o navegador em múltiplos painéis horizontalmente ou verticalmente. Para tal devemos pressionar e arrastar o mouse sobre o ponto de divisão horizontal ou vertical mostrado na figura ao lado. Só podemos dividi-lo num sentido (vertical ou horizontal) de cada vez. Podemos realizar múltiplas subdivisões, desde que num mesmo sentido. ALTERANDO O NOME DE UM ELEMENTO A modificação do nome de qualquer elemento poderá ser feita através de sua janela de propriedades, porém esta ação também pode ser feita no navegador. Devemos efetuar um click simples no nome do elemento selecionado para que seja habilitada a digitação no próprio local. Observe na figura ao lado que algumas letras da palavra parame estão selecionadas e parte da palavra foi removida. Compare com o nome completo do nó no campo referente à hierarquia (canto superior esquerdo da janela do Navegador). Para efetivarmos a modificação basta pressionarmos o mouse sobre qualquer outro nó para que seja encerrado o estado de digitação. Se desejarmos desistir devemos pressionar a tecla Esc para encerrar desfazendo as modificações. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-8

15 O MENU DO REPORT BUILDER Muitas das ações realizadas com os botões estão presentes nos menus apresentados pelo Report Builder. Freqüentemente realizaremos uma ação já conhecida com um menu em vez de utilizarmos o botão correspondente. Durante o estudo usaremos as ações à medida que forem sendo necessárias. CRIANDO UMA APLICAÇÃO Para esta primeira aplicação utilizaremos o Assistente de Relatórios para nos auxiliar na construção. Verifique novamente a figura do item "Ativando o Report Builder", o Assistente de Relatórios corresponde à primeira opção do diálogo Bem Vindo ao Report Builder. Uma vez que já não estamos mais com este diálogo ativo, usaremos a opção Assistente de Relatórios do menu Ferramentas para acionar o assistente desejado. ESTABELECENDO CONEXÃO COM O BANCO DE DADOS Antes de acioná-lo, porém, devemos estabelecer conexão com o banco de dados. No menu Arquivo (File) escolha a opção Conectar (Connect) para que o diálogo de conexão seja apresentado. Neste diálogo devemos informar o código do usuário e sua senha além da string de conexão com o banco de dados (no nosso caso todos os campos devem ser preenchidos com Desenv). Agora sim, com a conexão estabelecida acionaremos o Assistente de Relatórios (Report Wizard), presente no menu Ferramentas (Tools). ESTILO DO RELATÓRIO A primeira tela apresentada está presente na figura abaixo. Neste diálogo são apresentadas diversas opções de relatório. Como teste, sem pressionar o botão próximo, marque uma opção de cada vez e observe no painel à esquerda um exemplo do estilo de relatório correspondente. Durante nosso estudo teremos oportunidade de testar todos os estilos. Iniciemos, então, com o estilo Tabular. Em seguida, pressione o botão próximo. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER 6.0-9

16 No segundo diálogo somos questionados sobre o tipo de consulta a ser criada. São apresentadas duas opções: Instrução SQL ou Consulta Express. Se optarmos por Consulta Express, será apresentado um diálogo para que façamos a conexão com o servidor Express. Neste diálogo poderemos informar dados para a conexão (UserId, Password e Id do Express) e dados para a autenticação no servidor Express (Domínio, UserId e Password). Após o preenchimento destas informações outro diálogo será apresentado contendo: Os bancos disponíveis atualmente ( para que façamos a escolha de um deles para associação). As dimensões disponíveis para que façamos a escolha daquelas que desejamos selecionar. Além de outras informações a serem preenchidas passo a passo para a montagem do relatório. Uma vez que não estamos estudando o Oracle Express, interromperemos a seqüência de análise deste desenvolvimento. Ficamos, apenas, com a informação de que o Report Builder já é capaz de desenvolver relatórios para o produto Oracle Express, certamente conhecido dos desenvolvedores para Data Warehouse. Sendo assim, optaremos por Instrução SQL e seguiremos pressionando o botão Avançar. O terceiro diálogo, referente aos dados (observe os botões abaixo da área de digitação) nos possibilita três opções: Podemos digitar o comando Select que contenha os dados desejados no espaço Instrução de Consulta. Podemos acionar o Query Builder para a construção passo a passo do comando SQL ao pressionarmos o botão Consultar Builder. Podemos desenvolver este relatório a partir de uma consulta previamente armazenada em um arquivo.sql existente no disco, pressionando o botão Importar Consulta de SQL. Esta opção utiliza uma Consulta SQL Externa (External Query). QUERY BUILDER - TABELAS Uma vez que estamos estudando e testando, utilizaremos o botão do Query Builder para a construção da consulta passo a passo. A figura ao lado nos mostra o primeiro diálogo apresentado pelo Query Builder. Neste diálogo devemos indicar de que objetos desejamos obter dados. Na parte superior do diálogo devemos indicar se os objetos de onde virão os dados são: Tabelas (Tables), Views, Snapshots, Sinônimos (Synonyms) ou uma combinação de tipos diferentes (podemos marcar mais de uma opção simultaneamente). Na parte central é apresentada uma lista com três opções: Desenv (que é o usuário ao qual estabelecemos conexão), <Local>(se estivermos trabalhando com um banco de dados local - Pesronal) e Bancos de Dados (se estivermos pretendendo a conexão a um banco de dados da rede). Se os objetos pertencerem ao usuário Desenv, eles serão apresentados na caixa de diálogo inferior. Se desejarmos obter dados de objetos pertencentes a outros usuário do banco local (ou atual), devemos escolher a opção <Local> (ou o banco de dados ao qual você estiver conectado). Neste caso a caixa de diálogo inferior apresentará a lista de usuários e você poderá selecionar aquele que interessa. A opção Bancos de Dados (Databases), quando selecionada, mostrará a lista de objetos Database Links presentes no banco de dados atual que permitirão a conexão com outros bancos (não exploraremos esta opção neste material). CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER

17 QUERY BUILDER DIÁLOGO PRINCIPAL Suponhamos que desejássemos criar um Join entre a tabela de Funcionário e a de Departamento. Neste caso selecionaremos a tabela Depto e pressionaremos o botão Incluir (Include). Em seguida selecionaremos a tabela Func e pressionaremos, novamente, o botão Incluir (Include). Estas operações que fizemos separadamente podem ser realizadas de uma única vez se mantivermos a tecla CTRL pressionada enquanto selecionamos as tabelas desejadas. Para encerrar este diálogo, pressione o botão Fechar (Close). A tela apresentada corresponde ao diálogo principal do Query Builder. Observe que aparecem em cinza os dois relacionamentos existentes entre as tabelas selecionadas. Este diálogo principal se subdivide em duas áreas: Do lado direito encontra-se a área de objetos selecionados. Do lado esquerdo se encontra a área de restrições da consulta. Além das áreas, esta janela apresenta uma barra de ferramentas superior com todas as ações disponíveis no Query Builder. Testaremos as funções e utilizaremos os botões da barra passo a passo. Até este momento, apesar de termos selecionado as tabelas Func e Depto, ainda não estabelecemos quais as colunas farão parte desta consulta. QUERY BUILDER COLUNAS Para selecionarmos as colunas que farão parte da consulta, temos duas opções: Efetuar um click duplo sobre a coluna apresentada no desenho (lado direito do painel) ou click simples sobre o retângulo à esquerda do nome da coluna. Pressionar o botão seqüência de colunas (column sequence) da barra de ferramentas. Selecionaremos via click a coluna nm_depto da tabela Depto. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER

18 Concentremos nossa atenção na imagem da tabela Depto apresentada na página anterior. Nesta imagem encontramos: Do lado direito a indicação do tipo de coluna: Alfanumérica (símbolo A), Numérica (símbolo contendo os números 7, 8 e 9), Data (símbolo contendo o número 31). Do lado esquerdo o indicador (checado ou não checado) de coluna selecionada (click duplo sobre uma das colunas para que este indicador apareça). Do lado direito da coluna cd_depto_ctb aparece uma seta curva, indicando que esta coluna representa um auto relacionamento na tabela (sabemos que cd_depto_ctb possui relacionamento com a coluna cd_depto). Do lado esquerdo do nome do objeto um símbolo indicando que se trata de uma tabela ( T ). Ainda do lado esquerdo do nome do objeto aparece o indicador (checado ou não checado) para tabela. Pressionaremos a seguir o botão Seqüência de Colunas (Column Sequence), destacado na barra de ferramentas da figura da página anterior, para escolher as colunas cd_mat e nr_cargo. A figura anterior nos mostra o diálogo para escolha das colunas que serão incluídas na cláusula Select do comando. Do lado esquerdo aparecem as colunas disponíveis. Observe que as colunas que possuem o mesmo nome nas duas tabelas já aparecem prefixadas com o nome do owner (usuário) e do objeto. Para incluirmos uma coluna no comando Select, devemos selecioná-la no lado esquerdo e pressionar o botão Copiar (Copy). Se quisermos retirar uma coluna da lista devemos selecioná-la no lado direito e pressionar o botão Remover(Remove). Se desejarmos que o comando Select seja apresentado em uma determinada ordem, devemos selecionar as colunas na ordem desejada. QUERY BUILDER SQL Para que possamos acompanhar o comando Select que está sendo gerado passo a passo, podemos pressionar o botão Show SQL (da barra de ferramentas). Observe que os relacionamentos entre as duas tabelas são incluídos a partir do momento que escolhermos colunas das duas tabelas. Nosso próximo passo será adicionar uma concatenação das colunas nome e sobrenome do funcionário. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER

19 QUERY BUILDER DEFININDO UMA COLUNA Para esta tarefa usaremos o botão Definir Coluna (Define Column) da barra de ferramentas (este botão está ao lado direito do botão Seqüência de Colunas - Column Sequence usado anteriormente). No diálogo apresentado existem dois locais para preenchimento de informação: No campo colunas definidas (defined columns) devemos incluir um texto que corresponderá ao nome da coluna criada (ou seja um alias). No campo definidas como (defined as) devemos escrever a expressão associada (no nosso caso nm_func nm_sobrenome). Neste diálogo existem, ainda, dois botões para auxílio na montagem da expressão: Colar coluna (paste column) se clicarmos neste botão será apresentada a lista das colunas para seleção, basta você selecionar a coluna da lista e ok. Colar func..(paste function) se clicarmos neste botão será apresenta a lista de funções de sql que poderemos utilizar na expressão montada. Para efeito de teste, escreveremos então quatro expressões: Concatenação de nome e sobrenome, já explicada acima. Formatação de data de nascimento, ou seja, to_char(dt_nasc, dd/mm/yyyy ). Formatação de data de admissão, ou seja, to_char(dt_adm, dd/mm/yyyy ). Formatação de sexo, ou seja, decode (in_sexo, f, feminino, m, masculino, indeterminado ) Para criarmos uma nova coluna sem sair deste diálogo, devemos pressionar o botão Definir (Define), portanto, mãos à obra. O resultado destas quatro novas colunas está apresentado no diálogo ao lado. Quando você fechar este diálogo observará que as quatro colunas foram acrescentadas à lista de colunas da tabela Func (com um indicador de função), porém não apresentam o símbolo indicativo de que estão selecionadas. Faça um click duplo sobre cada uma delas. Para cada uma marcada, a coluna original, presente na expressão também será considerada selecionada. Antes de prosseguir verifique novamente o comando Select montado. QUERY BUILDER ORDENANDO O RESULTADO Desejamos que o relatório seja ordenado por data de nascimento em ordem decrescente, isto é, do mais novo para o mais velho. Para que o diálogo que estabelece a ordenação seja acionado devemos clicar no botão Classificar (Sort) da barra de ferramentas (ao lado direito do botão Definir Coluna). No diálogo apresentado, do lado esquerdo, estão listadas todas as colunas disponíveis para ordenação. Selecionamos, então, a coluna dt_nasc e pressionamos o botão Copiar (Copy). Para determinar que a ordenação seja descendente, selecionamos a coluna dt_nasc do lado direito do diálogo e marcamos a opção Descendente (Descending). Em seguida dê OK e verifique o comando SQL. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER

20 QUERY BUILDER ALIAS O comando SQL apresentado já está suficientemente complexo. Para limparmos um pouco este comando, incluiremos alias para as tabelas a fim de diminuir a qualificação das colunas. Portanto pressione o botão Rename Table (passe o mouse lentamente sobre a barra de ferramentas para que o nome do botão seja apresentado). Quando você abrir este diálogo, na janela superior aparecerá o nome da tabela para a qual você definirá o Alias. Na parte inferior do diálogo você deve escrever D (para Depto), pressionar o botão Define. Em seguida selecione a tabela Func e escolha como alias a letra F. Na parte central aparecerá o alias escolhido para cada uma das tabelas. Dê OK. Antes de seguir, verifique novamente o comando Select. Ficou melhor, não? QUERY BUILDER - INCLUINDO UMA RESTRIÇÃO Nosso próximo passo será incluir uma restrição. Usaremos, então a área esquerda do Diálogo Principal. Para uma melhor visualização desta sintaxe, aumente o tamanho desta área da tela, da seguinte forma: Na parte inferior da tela existe uma marca preta ao lado do botão (seta para esquerda) da barra de rolagem. Clique sobre esta marca e arraste-a para a direita para aumentar a área à esquerda. Para iniciar a montagem da restrição, clique sobre a área de texto (corresponde ao retângulo presente nesta área de desenho). Observe que na barra de ferramentas do lado direito, diversos botões foram habilitados. Estes botões serão utilizados para a montagem da restrição. Nosso objetivo é incluir duas restrições: cd_mat > 20 e cd_depto = D11 Como primeiro passo usaremos o botão Paste Column da barra de ferramentas para obter a coluna cd_mat. Em seguida escreveremos > 20 na linha de texto. Para incluir a segunda restrição pressionaremos a tecla Enter e uma nova caixa de restrição será aberta. Como próximo passo selecionaremos a coluna cd_depto (pressione o botão Paste Column) e digitaremos o restante da restrição. Quando clicarmos novamente na primeira restrição, o operador AND será acrescido (automaticamente) para ligar as duas condições. O resultado é apresentado na figura abaixo. CAPÍTULO 2: A FERRAMENTA REPORT BUILDER

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Word 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU $,'(GR5HSRUW0DQDJHU Neste capítulo vamos abordar o ambiente de desenvolvimento do Report Manager e como usar os seus recursos. $FHVVDQGRRSURJUDPD Depois de instalado o Report Manager estará no Grupo de

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

MS-Excel 2010 Essencial (I)

MS-Excel 2010 Essencial (I) MS-Excel 2010 Essencial (I) Carga Horária: 20 horas Objetivos: Este curso destina-se a todos os profissionais que atuam nas áreas financeiras e administrativas, e que necessitem agilizar os seus cálculos,

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Montar planilhas de uma forma organizada e clara.

Montar planilhas de uma forma organizada e clara. 1 Treinamento do Office 2007 EXCEL Objetivos Após concluir este curso você poderá: Montar planilhas de uma forma organizada e clara. Layout da planilha Inserir gráficos Realizar operações matemáticas 2

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle PL/SQL Developer é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) que foi especialmente destinado ao desenvolvimento de programas armazenados em

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Mic crosoft Excel 201 0 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 4 Interface... 4 Guias de Planilha... 5 Movimentação na planilha... 6 Entrada de textos e números... 7 Congelando painéis... 8 Comentários nas Células...

Leia mais

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho.

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho. Conceitos básicos e modos de utilização das ferramentas, aplicativos e procedimentos do Sistema Operacional Windows XP; Classificação de softwares; Principais operações no Windows Explorer: criação e organização

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instruções para Uso do Software VISIO Fevereiro/2006 Instruções para uso do Visio... 03 Instruções para Uso do Software VISIO 2 Instruções para uso do Visio O Visio 2003...

Leia mais

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados

WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB - 1 - WecDB Consulta Web Facilitada ao Banco de Dados WecDB (Web Easy Consultation Database) é uma ferramenta para criação e disponibilização de consultas à Bancos de Dados na Internet. É composto

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO SUMÁRIO 01 - INTRODUÇÃO 02 - INICIANDO O WORD 03 - INSERIR TEXTO 04 - SALVAR UM DOCUMENTO 05 - FECHAR UM DOCUMENTO 06 - INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 07 - ABRIR UM DOCUMENTO 08 - SELECIONAR TEXTO 09 - RECORTAR,

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDA- SA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDA- SA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDA- SA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC SUMÁRIO 1 - Tela de Login...03 2 - Caixa de Entrada...04 3 - Escrever Mensagem...06 4 - Preferências...07 4.1 - Configurações Gerais...07 4.2 - Trocar Senha...07 4.3

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

FOXIT READER 6.0 Guia Rápido. Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1. Leitura... 5. Trabalhar em PDFs... 8. Comentários... 10. Formulários...

FOXIT READER 6.0 Guia Rápido. Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1. Leitura... 5. Trabalhar em PDFs... 8. Comentários... 10. Formulários... Sumário Sumário... II Use o Foxit Reader 6.0... 1 Instalar e desinstalar... 1 Abrir, Criar, Fechar, Salvar e Sair... 1 Definir o estilo da interface e da aparência... 4 Veja todas as diferentes ferramentas...

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Excel 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Adicionar comandos à Barra de Ferramentas

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal.

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal. MANUAL DO SISCOOP Sumário 1 Menu de Navegação... 3 2 Gerenciar País... 5 3- Gerenciamento de Registro... 8 3.1 Adicionar um registro... 8 3.2 Editar um registro... 10 3.3 Excluir um registro... 11 3.4

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

Manual Usuário Sistema Audatex

Manual Usuário Sistema Audatex Manual Usuário Sistema Audatex Conhecimento global. Foco local. www.audatex.com.br / www.solerainc.com Versão 1.0 Histórico das versões VER DATA AUTOR DESCRIÇÃO DA MODIFICAÇÃO 2.0 24.08.2010 MT Versão

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Manual do Painel Administrativo

Manual do Painel Administrativo Manual do Painel Administrativo versão 1.0 Autores César A Miggiolaro Marcos J Lazarin Índice Índice... 2 Figuras... 3 Inicio... 5 Funcionalidades... 7 Analytics... 9 Cidades... 9 Conteúdo... 10 Referência...

Leia mais

Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0

Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0 Sistema Hospitalar - Módulo Auditoria v.1.0 Manual do usuário Versão 01.02 [Este template faz parte integrante do Processo de Desenvolvimento de Sistemas da DTI (PDS-DTI) e deve ser usado em conjunto com

Leia mais

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com. Manual de uso 1. ACESSO AO SISTEMA LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.br Após acessar o link acima, favor digitar seu LOGIN

Leia mais

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3 ÍNDICE Sobre o módulo de CRM... 2 1 Definindo a Campanha... 3 1.1 Incluir uma campanha... 3 1.2 Alterar uma campanha... 4 1.3 Excluir... 4 1.4 Procurar... 4 2 Definindo os clientes para a campanha... 4

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint Serviço Técnico de Informática Curso Básico de PowerPoint Instrutor: Tiago Souza e Silva de Moura Maio/2005 O Microsoft PowerPoint No Microsoft PowerPoint, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Manual do Módulo SAC

Manual do Módulo SAC 1 Manual do Módulo SAC Índice ÍNDICE 1 OBJETIVO 4 INICIO 4 SAC 7 ASSOCIADO 9 COBRANÇA 10 CUSTO MÉDICO 10 ATENDIMENTOS 11 GUIAS 12 CREDENCIADO 13 LIVRETO 14 BUSCA POR RECURSO 15 CORPO CLÍNICO 16 MENU ARQUIVO

Leia mais

BASE 2.0. Conhecendo BrOffice.org Base 2.0 Básico

BASE 2.0. Conhecendo BrOffice.org Base 2.0 Básico BASE 2.0 1 Autor: Alessandro da Silva Almeida alessandroalmeida.teledata@ancine.gov.br Elaborado em : Final Janeiro de 2006. Licença: O manual segue os termos e condições da Licença Creative Attribution-NonCommercial-ShareAlike

Leia mais

Apostila de Word 2013

Apostila de Word 2013 Iniciando o word 2013...01 Regras Básicas para digitação de um texto...02 Salvando um arquivo com senha...02 Salvando um arquivo nas nuvens (OneDrive).... 02 Verificando a ortografia e a gramática do texto...

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Power Point. Autor: Paula Pedone

Power Point. Autor: Paula Pedone Power Point Autor: Paula Pedone INTRODUÇÃO O POWER POINT é um editor de apresentações, pertencente ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de apresentações através da

Leia mais

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor.

Logo abaixo temos a Barra de Menus que é onde podemos acessar todos os recursos do PHP Editor. Nessa aula iremos estudar: A anatomia da janela do PHP Editor Iniciando o servidor Web O primeiro exemplo de PHP Anatomia da janela do PHP Editor Barra de Títulos: É a barra azul que se encontra na parte

Leia mais

Microsoft Power Point - Manual de Apoio

Microsoft Power Point - Manual de Apoio Microsoft Power Point - Manual de Apoio Pág. 1 de 26 Apresentação e introdução O ambiente de trabalho do Power Point. Abrir, guardar e iniciar apresentações. Obter ajuda enquanto trabalha. Principais barras

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 CURITIBA 2015 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007... 3 JANELA PRINCIPAL... 3 1 - BOTÃO OFFICE... 4 2 - FERRAMENTAS DE ACESSO

Leia mais

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 13/AGO/2012 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Seguem abaixo as novas funcionalidades e melhorias do MyABCM e um resumo de como utilizar essas funcionalidades. 1. Nova funcionalidade para aplicação de fatores de

Leia mais

Sistema Protocolo, Tramitação e Arquivamento de Processos Manual do Usuário

Sistema Protocolo, Tramitação e Arquivamento de Processos Manual do Usuário SERVIÇO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ARQUIVO CENTRAL Sistema Protocolo, Tramitação e Arquivamento de Processos Manual do Usuário Belém Pará Fevereiro 2000 Sumário Introdução... 3 Acesso ao Sistema...

Leia mais

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Versão 30/06/2014 FOR Segurança Eletrônica Rua dos Lírios, 75 - Chácara Primavera Campinas, SP (19) 3256-0768 1 de 12 Conteúdo A cópia total ou parcial

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Professor Paulo Najar www.aprenderdigital.com.br

Professor Paulo Najar   www.aprenderdigital.com.br ~ 1 ~ O QUE É O BROFFICE? Broffice.org é o nome de um conjunto de programas de escritório livre (free software), disponível na internet gratuitamente (no site www.broffice.org) que oferece ferramentas

Leia mais

Arquivos e Pastas. Instrutor Antonio F. de Oliveira. Núcleo de Computação Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro

Arquivos e Pastas. Instrutor Antonio F. de Oliveira. Núcleo de Computação Eletrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro Arquivos e Pastas Duas visões do Windows Explorer A Hierarquia do Explorer Aparência das pastas Personalizando o Explorer Manipulação de Arquivos e pastas Uso de atalhos Visões do Windows Explorer Para

Leia mais

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado.

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. , ()! $ Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. Uma estratégia muito utilizada para organizar visualmente informações numéricas

Leia mais

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes:

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes: Introdução ao SPSS Essa serie de aulas sobre SPSS foi projetada para introduzir usuários iniciantes ao ambiente de trabalho do SPSS 15, e também para reavivar a memória de usuários intermediários e avançados

Leia mais

Tutorial do programa

Tutorial do programa 1 Tutorial do programa I. Guia Rápido 1. Clique no produto. 2. Clique na pasta de imagens. 3. Clique em preenchimento auto. 4. Verificar pedido. 5. Finalizar pedido. 6. Fazer pagamento / Entrega. 7. Fazer

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes

Menu Utilitários. Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Atualização do Banco de Dados Atualização e organização dos arquivos existentes Rotina responsável pelo rastreamento de possíveis arquivos não indexados, danificados ou inexistentes. Este processo poderá

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

Visualização dos resultados de uma consulta

Visualização dos resultados de uma consulta (Query Builder View Data) Este guia apresenta instruções passo a passo para utilizar a tela de visualização dos resultados de uma consulta (Query Builder View Data). Ele ensina como: Ver os resultados

Leia mais

Descobrindo e analisando. Qlik Sense 1.0.3 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Descobrindo e analisando. Qlik Sense 1.0.3 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Descobrindo e analisando Qlik Sense 1.0.3 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik,

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais