A INFLUÊNCIA DO MARKETING VERDE NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INFLUÊNCIA DO MARKETING VERDE NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO"

Transcrição

1 A INFLUÊNCIA DO MARKETING VERDE NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA Karina Lúcia Benites Pereira RESUMO O mundo está passando por um processo de mudança, onde questões ambientais estão sendo de extrema importância. O consumidor atual não admite mais comprar produtos de empresas que agridem o meio ambiente. Devido a essa grande repercussão dessa questão ambiental, surge-se um novo conceito de Marketing denominado Marketing Verde, onde a empresa se preocupa em não agredir o ambiente em seu processo de produção e a passar informações sustentáveis de seus produtos aos seus clientes. Através de revisão bibliográfica, o objetivo deste artigo é discutir o quanto o Marketing Verde pode influenciar no processo de decisão de compra do consumidor. Palavras-chave: Marketing Verde, meio ambiente e processo de decisão de compra 1. INTRODUÇÃO A busca por uma melhor qualidade de vida, fez com que as pessoas passassem a preocupar-se mais com o meio em que vivem e em maneiras sustentáveis de praticar suas atividades do dia-a-dia. Isso fez com que os consumidores se tornassem mais preocupados e exigentes com os produtos que consomem. Muitas empresas visionárias já preocupam-se há muito tempo com as questões ambientais e procuram fabricar seus produtos através de medidas sustentáveis que causem o menor impacto possível no ambiente. Muitos consumidores já não adquirem mais produtos de empresas que agridem o meio ambiente efetuando desmatamentos em florestas, poluição de rios, e até mesmo deixando de comprar alimentos de empresas que não se preocupam com o sofrimento do animal na hora do abate. Devido a esse novo consumidor no mercado, surgiu um novo conceito de marketing conhecido como Marketing Verde, ecológico ou ambiental, onde a empresa não se preocupa apenas em vender o seu produto, mas também no 1

2 impacto que o mesmo causará no ambiente, seja em seu processo de fabricação, seja após o seu consumo. Nos dias atuais, pode-se verificar grandes empresas mudando os seus hábitos, pode-se citar hipermercados que estão trocando suas sacolas plásticas pelas sacolas retornáveis de pano, roupas sendo fabricadas utilizando o material sintético no lugar do couro, produtos que após o término pode-se reutilizar a embalagem comprando apenas um novo refil, entre outros. A Câmara Municipal de São Paulo aprovou na data de 17 de maio de 2011, o texto substitutivo ao Projeto de Lei 496/2007, o qual proíbe a distribuição e venda de sacolas plásticas no comércio do município de São Paulo. Tem como objetivo incentivar o uso de sacolas retornáveis, também conhecidas como Ecobags. As empresas serão obrigadas a exibir placas informativas, com as dimensões de 40 centímetros por 40 centímetros, com os dizeres "Poupe recursos naturais! Use sacolas reutilizáveis". Existem outras cidades que também já proibiram a utilização da sacola plásticas em seus estabelecimentos comercias. Na cidade do Rio de Janeiro a utilização é proibida desde julho de 2010 e Belo Horizonte desde abril de 2011 e, agora a cidade de São Paulo. Há também outras cidades em que ainda não houve a proibição através de lei, mas algumas empresas já se conscientizaram e não utilizam mais as sacolas plásticas. Se o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab sancionar a lei, esta será implementada até 31 de dezembro de 2011 e o seu não cumprimento acarretará multa entre R$ 50 e R$ 50 milhões. A fiscalização da aplicação da lei será feita pela Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. O que abordarda-se-á nesse artigo é o quanto o uso do Marketing Verde pode influenciar o consumidor em seu processo de compra, em sua decisão pelos produtos da empresa e a responsabilidade que a empresa adquire ao usar esse tipo de marketing, visto que, uma empresa que utiliza o marketing verde não deve preocupar-se apenas com a venda de seus produtos, mas também com as questões ambientais em geral. O artigo foi elaborado através do método de revisão bibliográfica abordando os principais autores que estudam sobre os assuntos como Kotler, Armstrong, Dias, Maslow, Vilela Junior e Demajorovic. 2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1 Introdução De acordo com Kotler (2003), ao fazer uma compra, o comprador passa por um processo de decisão que consiste em reconhecimento da necessidade, busca por informações, avaliação das alternativas, decisão de compra e comportamento pós compra. Figura 1: Processo de decisão do comprador Fonte: Kotler; Armstrong, 2003, p.136 2

3 Durante o reconhecimento da necessidade, o consumidor percebe uma necessidade ou um problema que poderia ser resolvido através da compra de um produto ou serviço que esteja disponível no mercado. O próximo passo é a busca por informação a cerca do produto como qualidade, diferentes valores existentes no mercado, diferentes tipos de materiais em que o produto desejado é confeccionado entre outras informações. Após essa etapa avalia-se as alternativas, verifica-se as marcas e modelos existentes no mercado e procura-se qual adapta-se melhor ao seu perfil, bem como qual o melhor a ser comprado. Então surge o comportamento pós-compra onde existirá a satisfação pelo produto adquirido ou insatisfação o que será de grande importância para a empresa, onde o consumidor efetuou a compra, uma vez que, caso o mesmo compre um produto e se sinta satisfeito, ele irá repassar para as pessoas que vivem em seu meio social: o quanto foi satisfatório adquirir tal produto; enquanto caso ocorra a insatisfação, a empresa será prejudicada, visto que o consumidor passará uma imagem negativa do produto adquirido. 2.2 O comportamento do consumidor na decisão de compra Deve-se ressaltar que ao comprar um produto o consumidor leva em conta seus fatores culturais, sociais, pessoais e psicológicos, ou seja, o consumidor é levado até o produto pela sua cultura ou pelo meio em que vive. Por exemplo, para muitos um produto muito desejado pode ser um computador de última geração, para outra pessoa pode ser apenas um computador simples. Tudo depende do meio em que a pessoa vive, pois como no exemplo acima, uma pessoa que utilize muito o computador, seja no trabalho, casa ou até mesmo esteja efetuando uma graduação nessa área o mais viável para ele seja um computador de última geração, enquanto para uma pessoa de baixa renda que só deseja utilizar o computador poucas horas por dia, um computador simples já será suficiente. Pode-se verificar que, embora todos os consumidores passem pelo processo de decisão de compra, cada um possui uma maneira diferente de tomar a sua decisão de compra, pois cada indivíduo leva em consideração os seus valores culturais, sociais, pessoais e psicológicos e salienta-se que não existem dois indivíduos iguais no mundo. Cada um possui a sua maneira de pensar, de analisar o que será melhor para ele e leva em conta todos esses sentimentos no ato da sua decisão de compra pelo produto desejado. Figura 2: Fatores que influenciam o comportamento do consumidor Fonte: Kotler; Armstrong, 2003, p.119 3

4 Kotler e Armstrong (2003), informam que a cultura é o principal determinante dos desejos e do comportamento de uma pessoa, pois é através da cultura que a pessoa vive, que ela adquiri seus valores, seus desejos e suas percepções. Diante disso, os profissionais de marketing, sempre estão atentos as mudanças culturais para verificarem se seus produtos estão sendo desejados pelo mercado ou se devem investir em estudos que possam ajudar na criação de novos produtos e serviços. Kotler (1998) salienta que toda cultura se divide em subculturas, que fornecem identificação mais específica e socialização para os seus membros. Pode-se citar como exemplos de subcultura as diferentes religiões e grupos raciais. O fator social é quando a pessoa vai solicitar opinião das pessoas que conhece sobre o produto que deseja adquirir, vai verificar se alguém já o possui, se é bom, entre outros. Nesta etapa estão incluídos seus amigos e família. Segundo Kotler e Keller (2006), os membros que constituem o grupo primário da família, ou seja, os pais, são o grupo de maior influência. No fator pessoal verifica-se o quanto há a necessidade do produto no momento, analisa-se se há necessidade imediata de aquisição do mesmo ou se pode-se prorrogar o prazo de compra. Kotler e Armstrong (2003), informam também que as decisões dos compradores são influenciadas pelas suas características pessoais, como sua idade, ocupação, situação financeira e personalidade. a)idade: Kotler (1998), informa que as necessidades e os desejos das pessoas mudam ao longo de suas vidas. Um produto que seja um sonho de consumo para um jovem hoje, daqui a 10 anos o mesmo pode não desejar mais tal produto e o seu sonho de consumo ser outro, ou seja, houve mudança de comportamento devido ao aumento de sua idade. b)ocupação: Nada mais é do que a profissão do consumidor. O trabalho que a pessoa executa, exerce influência direta sobre a sua decisão de compra. Se um consumidor tem um alto cargo em uma empresa, conseqüentemente buscará comprar produtos de melhor qualidade e preços mais elevados. c)situação financeira: Outro aspecto de grande impacto na decisão de compra é a questão financeira. Uma pessoa com um alto salário procurará por melhores produtos e serviços. d)personalidade: Conforme informado anteriormente, cada indivíduo é único e possui uma personalidade distinta. Sendo assim, um produto que é bom para uma pessoa, pode ser ruim para a outra e vice-versa. E o fator psicológico que é o quanto o produto poderá melhorar a vida da pessoa, um bom exemplo é a troca de um carro por um mais moderno e/ou confortável e mais econômico. Através de todas as informações obtidas, pode-se verificar que o trabalho do profissional de marketing é algo complexo e que exige grande conhecimento de seus consumidores. Diante disso deve-se verificar quanta influência o marketing verde poderá acarretar nessa decisão de compra. 2.3 Uma breve definição de Marketing 4

5 Para questionar-se o quanto o Marketing Verde poderá influenciar na decisão de compras do consumidor, precisa-se primeiramente definir-se o que é Marketing. Um processo administrativo e social pelo qual indivíduos e grupos obtem o que necessitam e desejam, por meio da criação, oferta e troca de produtos e valor com outros. (KOTLER e ARMSTRONG, 2003, p.3). Quando uma empresa aplica o marketing não se deve pensar que a mesma está apenas pensando em fazer propaganda de seu produto e posteriormente a sua venda, pois nos tempos modernos em que se vive, as empresas estão altamente preocupadas em satisfazerem os seus consumidores para que os mesmos tornemse os seus clientes, ou seja, para que voltem a comprar seus produtos. Percebe-se com esse pensamento, que os próprios clientes efetuarão o marketing da empresa uma vez que, comunicando-se em seu meio social, o mesmo passará informações do quanto o produto que adquiriu é de boa qualidade e o quanto ficou satisfeito. A função do marketing, mais do que qualquer outra nos negócios, é lidar com os clientes. Entender, criar, comunicar e proporcionar ao cliente valor e satisfação constituem a essência do pensamento e da prática do marketing moderno(kotler; ARMSTRONG, 2003, p. 3). 2.4 Mudanças de comportamento do consumidor Com o passar dos anos, depara-se com grandes catástrofes ambientais, como: tsunamis, furações, chuvas ácidas, entre outras. Percebe-se que não se possui mais as estações do ano bem definidas como antigamente. Existem dias de verão em que há a necessidade de se usar blusas de frio e dias de inverno em que tem-se 30º de temperatura.devido a esses fatos, as preocupações com o meio ambiente assumiram proporções maiores do que existia há tempos atrás. A questão a ser discutida é: será que algumas dessas catástrofes não estão associadas ao o que o homem vem fazendo com a natureza, como por exemplo, desmatamento das florestas que impossibilitam a fotossíntese das plantas que ajudam a eliminar o CO² da camada de ozônio, suas chaminés, filtros inadequados que despejam no ar toda a poluição de suas fábricas? Dias (2009) defende que essa mudança de comportamento com relação a conscientização ambiental que pode-se verificar no século XX, ocorreu de acordo com o aumento das denúncias sobre os problemas de contaminação do meio ambiente. Maslow apud Kotler (2003), afirma com base na Teoria da Hierarquia das Necessidades, que as necessidades do consumidor elevaram-se para um patamar mais sofisticado: o da auto-realização, vivendo numa sociedade de informação, onde o mesmo sofre as influências do mercado global que existe atualmente, e onde tem consciência de seus direitos e de seus deveres e responsabilidades. Em virtude disso, esse novo consumidor deseja comprar produtos que lhe satisfaça, mas que também possuam em si valores de natureza ideológica sintonizados com suas crenças e seu novo modo de vida. 5

6 Figura 3: Hierarquia das Necessidades de Maslow Fonte: Kotler; Armstrong, 2003, p.119 Devido a essa mudança de comportamento do consumidor, o Marketing Verde tem sido um assunto de grande repercussão e as empresas estão buscando um posicionamento favorável junto aos seus consumidores. Posicionamento esse que é de grande valor para a empresa, uma vez que uma empresa que se preocupa com o meio ambiente, conseqüentemente já possui uma vantagem com relação às outras empresas que ainda não se conscientizaram sobre a importância da responsabilidade ambiental. O que também influenciou o processo de mudança de comportamento do consumidor foram os surgimentos de Organizações Não Governamentais, mais conhecidas como ONGs que conseguiram mostrar às pessoas a importância da preservação ambiental para um futuro próspero. O surgimento de ONGs poderosas, associado aos avanços na esfera da tecnologia da informação, permite que os casos de irresponsabilidade social figurem em primeiro plano, incrementando-se assim o risco para a reputação das empresas. A comunidade empresarial reconhece que a reputação é um ativo valioso, porque afeta a relação da empresa com seus clientes, empregados e investidores (UNCTAD apud DIAS, 2009 p. 25). Uma empresa que utiliza o marketing verde conseqüentemente deverá se preocupar mais com a questão ambiental e também conscientizará seus clientes sobre a importância de se adotar medidas ambientais adequadas, afinal esse é o mundo que as crianças de hoje terão no futuro. 6

7 2.5 O que é o Marketing Verde A preocupação com o meio ambiente surgiu em meados dos anos 60, quando inciou-se protestos pós segunda guerra, contra a utilização de combustíveis fósseis, produtos químicos e contra o aumento do processo de industrialização e seu impacto no ambiente. O termo Marketing Verde surgiu nos anos 70, quando iniciou-se a preocupação com o meio ambiente. Foi neste período que surgiram as diversas ONGs ecológicas e os movimentos ambientalistas. Segundo Kotler (2002), Marketing Verde é o estudo dos aspectos positivos e negativos das atividades de marketing em relação a poluição, ao esgotamento de energia e ao esgotamento dos recursos não renováveis. Polonski apud Vilela Junior e Demajorovic (2006), enseja que o Marketing Verde nada mais é do que as atividades que são efetuadas para facilitar troca de informação e satisfação do consumidor possuindo o mínimo de impacto negativo sobre o meio ambiente. Kotler (2002), afirma que no Marketing Verde, os consumidores esperam encontrar qualidade ambiental nos produtos que desejam adquirir. Através dessa afirmação, pode-se verificar que nenhum esforço por parte das empresas tem sentido, se os consumidores insistirem em ainda consumirem os produtos que agridam a natureza. Já Dias (2009), salienta que o Marketing Verde baseia-se em um processo de gestão integral e que ele é o responsável pela identificação, antecipação e satisfação do consumidor, que espera através do mesmo que o processo de produção dos produtos seja produtivo para a empresa, satisfatório para o cliente e sustentável e responsável com o meio ambiente. Coddington apud Dias (2009), entende que o Marketing Verde é aquele que possui em seu desenvolvimento relação com a responsabilidade ambiental da empresa e até mesmo uma oportunidade de desenvolvimento para a mesma que estará criando o seu diferencial no mercado com seus produtos verdes e que, antes do processo de Marketing Verde, as empresas devem já terem começado os seus processos de preocupação e responsabilidade com o meio ambiente, pois de nada adianta uma empresa possuir produtos verdes apenas com a intenção de vendê-los mais rapidamente no mercado. Vilela Junior e Demajorovic (2006), defendem que Marketing Verde é, em essência, um ajuste das estratégias mercadológicas de empresas às exigências de um novo tempo no qual os consumidores desejam, mais que produtos. O Marketing Verde não pode ser considerado somente um conjunto de técnicas voltadas para projetar e comercializar produtos que não prejudiquem o meio ambiente; é também uma forma de articular as relações entre o consumidor, a empresa e o meio ambiente. Assim, ao se adotar uma filosofia de Marketing Verde, deve-se ter em mente essa concepção macro do processo, onde a compreensão da importância da preservação do meio ambiente esteja impregnada em toda a organização, incluindo o comportamento cotidiano das pessoas que a intregam( DIAS, 2009, p. 142). 7

8 Ainda seguindo Weldford aput Dias (2009), o Marketing Verde ocorre quando a empresa fornece informações ao consumidor de como o seu produto pode ser utilizado de uma maneira melhor, mais consciente, passando-lhe informações do que deve fazer como a embalagem ou até mesmo com o produto quando o mesmo for inutilizado (no caso pode-se citar as pilhas e baterias), sobre a reciclagem, o que geraria uma mudança no comportamento e na conscientização ambiental do consumidor. Não é suficiente falar a linguagem verde; as companhias devem ser verdes. Longe da questão de apenas fazer publicidade que muitos comerciantes perceberam originalmente, a abordagem satisfatória de preocupação ambiental requer um esverdeamento completo que vai fundo na cultura corporativa. Somente por intermédio da criação e implementação de políticas ambientais fortes e profudamente valorizadas é que a maioria dos produtos e serviços saudáveis podem ser desenvolvidos. É só por meio da criação de uma ética ambiental que abranja toda a empresa que estratégias de marketing podem ser executadas (OTTMAN apud DIAS, 2009, p. 142). Diferente do que ocorreu no passado, quando os consumidores eram escolhidos pelas marcas, hoje são os consumidores que escolhem as marcas, as empresas e os produtos que desejam comprar e, devido a enorme variedade existente no mercado, pode-se dizer que o Marketing Verde pode-se também ser utilizado para a empresa como uma estratégia de marketing e de diferencial no mercado mas, precisa-se deixar claro que, isso será apenas uma conseqüência de todo o esforço e investimento na melhoria da qualidade de seus produtos e na preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade. Os consumidores de hoje possuem muito mais meios de comunicação do que existiam em tempos atrás. Hoje, é possível facilmente verificar se uma empresa que informa que é ambientalmente responsável realmente está falando a verdade pois conforme já salientado anteriormente, esse é um tema de grande abrangência e não é admitido mais empresas que omitam a verdade sobre seus produtos aos consumidores em geral O que é um produto verde? De acordo com DIAS (2009), um produto verde é aquele que possui as mesmas funções dos produtos comuns, porém causam um dano inferior ao meio ambiente durante o seu ciclo de vida. Existem certificações e rotulagens ambientais que são conhecidos como selos verdes que acompanham o produto demonstrando que o mesmo foi produzido causando um menor impacto no ambiente e também de maneira sustentável. Seguindo informações de Dias (2009), para verificar se os produtos que possuem selos verdes não são fraudes, deve-se seguir os princípios abaixo relacionados: 8

9 a)deve-se verificar a todo momento, para confirmar-se a sua autenticidade; b)serem concedidos por empresas de idoneidade reconhecida; c)não devem criar barreiras comerciais; d)deve-se recorrer a ciência para verificar-se suas condições ambientais; e)sempre deve-se levar em consideração todo o ciclo de vida do produto; e f)estar sempre pensando na melhoria do produto; O produto verde possui um preço mais elevado do que o produto comum, porém os consumidores preferem algumas vezes pagar um pouco mais caro em um produto e levar para a sua casa tendo a consciência de que está agindo socialmente responsável. 2.6 Empresas Reativas, Próativas e Propositivas Segundo Kotler (2003), existem três fatores motivacionais que influenciam na implantação do Marketing Verde, os quais são classificados como reativo, próativo e propositivo. As empresas reativas atendem às preocupações ambientais de seus clientes, somente para evitarem multas, processos ambientais e para satisfazerem os ambientalistas, ou seja, preocupam-se com as questões ambientais apenas porque caso isso não ocorra, a mesma será prejudicada, perdendo os seus clientes e conseqüentemente, tendo dificuldade de posicionamento no mercado.(kotler, 2003). Empresas reativas são empresas que infelizmente não se preocupam com as questões ambientais, elas apenas seguem as normas para evitarem serem prejudicadas no mercado.(kotler, 2003). Infelizmente a maioria das empresas ainda são apenas empresas reativas, que seguem as normas ambientais apenas para não serem punidas e perderem os seus consumidores e o direito da venda de seus produtos ao mercado. Já as empresas próativas, são aquelas que têm capacidade de trabalhar de maneira eficaz, tem a capacidade de enxergarem nessa grande mudança de comportamento do consumidor uma oportunidade de crescimento em seus negócios, investem altos valores para transformarem seus produtos em verdes.(kotler, 2003). De acordo com Vilela Junior e Demarojovic (2006), as empresas propositivas são aquelas que incorporaram o valor ambiental em seus processos de fabricação e em sua cultura por acharem que esta deveria ser a maneira correta de se trabalhar e não por pressão legal ou para obter lucros e benefícios. Pode-se verificar que o ideal seria se todas as empresas que existem fossem propositivas, pois assim, estariam incorporando uma atitude verde porque desejam fazer o melhor ao meio ambiente, aos seus consumidores e à sociedade em geral e não estariam apenas seguindo normas e imposições legais. Se todas as empresas pensassem dessa maneira, não haveria necessidade da criação das leis que proíbem a agressão ao meio ambiente, mas infelizmente esse ainda é um processo longo e de grande trabalho. 9

10 CONCLUSÃO Conclui-se que o processo de decisão de compra pelo qual o consumidor passa antes de adquirir um produto é um pouco complicado e complexo, pois existem diversos fatores que podem interferir nessa decisão de compra, fazendo com que o mesmo mude de opinião ou até mesmo desista da compra. Também deve-se levar em consideração os diferentes tipos de cultura e subcultura, pois são os fatores que mais influenciam nessa decisão. O consumidor tornou-se altamente exigente, e isso fez com que as empresas investissem altos valores em seus departamentos de marketing, tanto para verificar o que o mercado deseja como também para aumentar a aceitação dos produtos que já possuem no mercado. Hoje, é comum na hora de adquirir um produto, que esse processo de decisão de compra, seja ainda mais extenso devido a grande diversidade de produtos que se possuí a disposição no mercado. Pode-se optar por diversos modelos, cores, preços, entre outros fatores. Também deve-se levar em consideração que com o avanço e com a facilidade do acesso a internet, no processo de decisão de compras a pessoa não procura referências do produto e da empresa apenas em seu meio social, mas também procura informações na internet, verificando opiniões sobre os produtos a serem adquiridos, lugares diferentes em que poderá comprar os mesmos e se realmente é o que deseja. Essa facilidade de informação também contribuiu para que as empresas repensassem em sua maneira de cuidar do meio ambiente, visto que uma empresa que o prejudica e o destrói na fabricação de seus produtos, seja poluindo rios ou o ar, rapidamente ficará conhecida na mídia e será muito prejudicada no mercado. O mundo realmente precisa de socorro, as árvores estão sendo destruídas, os peixes estão morrendo, o homem acha que pode tudo para conseguir o progresso mas já está sentindo as conseqüências disso, portanto, imaginem a geração futura. Através das análises efetuadas para o desenvolvimento do artigo, acredita-se que realmente o Marketing Verde pode influenciar na decisão de compra, pois além dos consumidores terem se tornando ambientalmente mais responsáveis, tem-se grandes empresas e governo também preocupados com essa questão. Um bom exemplo que se pode citar mais uma vez é a proibição do uso de sacolas plásticas. Claro que sempre existirão as pessoas que irão ao mercado e na hora do embalo da mercadoria para levar para a casa, ainda irão solicitar que cada produto comprado seja colocado em uma sacola, pois a mesma utiliza como lixinho da cozinha em sua casa, mas o que importa é que existe uma grande quantidade de pessoas que, se interessam em ler esse artigo e podem fazer a diferença. O novo consumidor leva sim em conta a conseqüência que o seu produto adquirido irá impactar no ambiente, e as empresas que usam o Marketing Verde estão à frente das demais que ainda não se preocupam com essa questão uma vez que, uma empresa que utiliza tal marketing, na maioria das vezes já está consciente ambientalmente de sua responsabilidade em preservar o meio em que se vive e procurar maneiras sustentáveis de praticar a sua atividade. O mundo mudou, as pessoas mudaram e as empresas precisam continuar mudando se desejarem permanecerem no mercado com sucesso. Empresas que agridem o meio ambiente estão sendo multadas, estão perdendo os seus clientes e sem clientes uma empresa não consegue sobreviver. 10

11 O Marketing Verde ainda é algo novo nas empresas brasileiras, mas com o avanço dos movimentos de causas ambientais futuramente todas as empresas utilizarão o mesmo em suas diversas formas: criando produtos verdes, informando o consumidor adequadamente a maneira de reciclagem do produto, criando postos de coleta de produtos que sejam recicláveis, entre outros. Percebe-se também que o ideal seria se todas as empresas tivessem atitudes propositivas, ou seja, que desejassem melhorar o processo de fabricação de seus produtos por vontade própria, pensando no benefício que essa atitude estaria trazendo para as pessoas e para o meio ambiente, e não que agissem como a maioria que, só mudam as suas atitudes quando se vêem obrigadas pelo governo ou pelo consumidor que deixa de comprar os seus produtos. As empresas brasileiras já descobriram que o Marketing Verde é de extrema importância para os seus negócios, pois cria uma imagem positiva, e também pode gerar economia, uma vez que ela poderá reciclar seus produtos para produzir produtos novos ao mercado e conseqüentemente gerará uma redução de custos. Essa imagem positiva no mercado, além do objetivo principal que é a preservação ambiental, ainda poderá facilitar na obtenção de empréstimos bancários. Ainda é necessário que ocorra mais mudanças e conscientização, tanto das empresas, quando das pessoas com relação à questão de que depende-se do ambiente em que se vive e que, se o destruir as conseqüências serão catastróficas e irreversíveis, mas o importante é que uma parte dessa mudança já foi iniciada e está obtendo sucesso e desenvolvimento. Ser consumidores conscientes é utilizar o Marketing Verde das empresas para adquirir produtos ambientalmente corretos, os chamados produtos verdes. Comprar apenas de empresas que causem o menor impacto possível no meio ambiente e que se preocupem com o futuro e o futuro do planeta e das futuras gerações. REFERÊNCIAS DIAS, Reinaldo. Gestão Ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5ª. ed. São Paulo: Atlas, Marketing para o século XXI. 12. ed. São Paulo: Futura, Administração de Marketing. 12. ed. São Paulo:, Pearson, KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall,

12 KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 9. ed. São Paulo: Pretice Hall, VILELA JUNIOR, Alcir; DEMAJOROVIC Jacques, Modelos e Ferramentas de Gestão Ambiental: Desafios e Perspectivas para as organizações. São Paulo, Senac,

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA SUSTENTABILIDADE EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA Fabíola Santos Silva 1 Márcio Santos Godinho 1 Sara Floriano 1 Vivian Alves de Lima 1 Akira Yoshinaga 2 Helio Rubens Jacintho Pereira Junior 2 RESUMO Este trabalho

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio Ambiente 4 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURAIS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando,

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL Autor: Adalberto de Carvalho Júnior CPFL Paulista, uma empresa do Grupo CPFL Energia RESUMO A promoção do entendimento do indivíduo com relação a sua

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Marketing Ambiental. Abril, 2011

Marketing Ambiental. Abril, 2011 Baseado em: Marketing Ambiental, de Joaquim Caetano, Marta Soares, Rosa Dias, Rui Joaquim e Tiago Robalo Gouveia, Plátano Editores, 2008 Abril, 2011 O ambiente de hoje Ao longo das últimas décadas têm

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

Funções do processo de certificação florestal

Funções do processo de certificação florestal Funções do processo de certificação florestal Celso Foelkel www.celso-foelkel.com.br O que queremos com a certificação? um certificado? um aval para vender melhor? melhorar a imagem institucional? diminuir

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR.

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Jonas da Silva Santos Universidade do Estado da Bahia UNEB DEDC XV jonasnhsilva@hotmail.com jonas.ss@inec.org.br

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

O homem transforma o ambiente

O homem transforma o ambiente Acesse: http://fuvestibular.com.br/ O homem transforma o ambiente Vimos até agora que não dá para falar em ambiente sem considerar a ação do homem. Nesta aula estudaremos de que modo as atividades humanas

Leia mais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais MARKETING DE VENDAS Alcioni João Bernardi Prof. Ivanessa Felicetti Lazzari Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Processos Gerenciais (EMD0130) Prática do Módulo IV 27/11/12 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Flávio Luiz de Azevedo BRAYNER Paulo Gustavo Sabino RAMOS Patrícia Verônica de Azevedo BRAYNER Resumo: Atualmente a Tecnologia da Informação

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS

Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS Programa de Capacitação em Gestão da Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento PETROBRÁS OFICINA 2 Professora: Izabel Portela izabel@institutoiris.org.br Novembro - 2007 1 M A R K E T I N G

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares

FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares Faculdade de ciências e tecnologia do maranhão-facema Caxias/MA pedroftb@hotmail.com.br/coor.educacaoambiental@facema.edu.br

Leia mais

PROJETO SEGURANÇA NA REDE

PROJETO SEGURANÇA NA REDE PROJETO SEGURANÇA NA REDE COMO ELABORAR UM RELATÓRIO CIENTÍFICO Um relatório científico serve para comunicar os resultados finais e de um trabalho laboratorial de investigação, de estudo, de pesquisa,

Leia mais

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão

Problema ou Oportunidade. Processo de Decisão Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Processo de Decisão INFLUÊNCIA DO AMBIENTE Cultura Classes Sociais Valores Étnicos Família Situação DIFERÊNÇAS INDIVIDUAIS Recursos do cliente Auto conceito Problema

Leia mais

Modelo de Resposta Simples. Estímulo Organismo Resposta

Modelo de Resposta Simples. Estímulo Organismo Resposta AULA 5 Marketing Questões abordadas Como as características do comprador influenciam seu comportamento de compra? Quais fatores psicológicos influenciam as respostas do comprador ao programa de marketing?

Leia mais

CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI

CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI RESUMO Consumo é o ato de a sociedade adquirir algo para atender as suas necessidades e seus desejos. Quando a pessoa compra de uma forma para

Leia mais

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Vitor Seravalli Diretoria Responsabilidade Social do CIESP Sorocaba 26 de Maio de 2009 Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é uma forma de conduzir

Leia mais

Introdução. Introdução

Introdução. Introdução Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Introdução O propósito do marketing e satisfazer as necessidades e desejos dos clientes-alvo. Dessa forma, a análise do comportamento do consumidor visa identificar

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES Ítalo Camilo da Silva Nogueira Mestrando em Desenvolvimento Regional (mídias sociais), docente na Faculdade Nossa Senhora Aparecida/FANAP-GO.

Leia mais

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência Administração de As responsabilidades da área de (MINADEO, 2008) - Investigar novos nichos de mercado - Identificar o perfil do cliente - Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

Leia mais

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 Renato Francisco Saldanha SILVA² Ailton EUGENIO 3 Resumo Muitas empresas mostram ser

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 05 Disciplina: Planejamento Estratégico de Marketing Unidade I: Introdução ao Planejamento Estratégico Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 4º. ADM 2. Visão, Valores, Políticas,

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO Cláudia Nabarro Munhoz 1 A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um problema de cada cidadão e algo que pede decisões e ações diárias,

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE 546 A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE Irene Caires da Silva 1, Ana Carlina Toni Pereira 2, Carlile Serafim Pestana 2, Fernando Henrique Grigoletto dos Santos 2, Henrique

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO

O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA RESUMO O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DECISÃO DE COMPRA Letícia Fernanda Giareta le.giareta@hotmail.com RESUMO Este artigo fundamenta-se numa pesquisa qualitativa que teve por objetivo identificar

Leia mais

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II 10/08/2007 SUMÁRIO Conceitos... 2 1. Missão... 2 2. Negócio... 3 3. Visão... 3 4. Valores... 5 5. Cenários...

Leia mais

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a Importância da Imagem Pessoal na Profissão Profa Elaine C. S. Ovalle Todo ser humano tem necessidade de se destacar naquilo que realiza. O maior responsável pelo desenvolvimento pessoal é o próprio indivíduo.

Leia mais

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo.

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza sociedade: questões ambientais. Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. 2 CONTEÚDO

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Introdução Ao Marketing

Introdução Ao Marketing Introdução Ao Marketing O que é Marketing? Isso não é Marketing Muitas pessoas pensam em marketing apenas como vendas e propaganda e isso não causa nenhuma surpresa; Entretanto, vendas e propaganda constituem

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: Marketing Aplicado aos Negócios Código: Série: 3ª Série Obrigatória ( x ) Optativa ( ) CH Teórica: CH Prática: CH Total: 80 horas Período Letivo: 2015 Obs: Objetivo Geral: Apresentar

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Desenvolvimento Sustentável Social Econômico Ambiental Lucro Financeiro Resultado Social

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Marketing Turístico e Hoteleiro

Marketing Turístico e Hoteleiro 1 CAPÍTULO I Introdução ao Marketing Introdução ao Estudo do Marketing Capítulo I 1) INTRODUÇÃO AO MARKETING Sumário Conceito e Importância do marketing A evolução do conceito de marketing Ética e Responsabilidade

Leia mais

TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO.

TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO. TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SUSTENTABILIDADE; Um olhar para o mundo que queremos.

SUSTENTABILIDADE; Um olhar para o mundo que queremos. PROJETO ANUAL 2016 SUSTENTABILIDADE; Um olhar para o mundo que queremos. Tema: Sustentabilidade Eixo temático: Um olhar para o mundo que queremos Subtemas: Ética do Cuidado Atitudes Sustentáveis Recursos

Leia mais

Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada

Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada Objetivos da aula: Esta aula proporcionará ao aluno da disciplina de Marketing em Administração de Call Center compreender o sentido e a importância

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global Os 10 Princípios Universais do Pacto Global O Pacto Global advoga dez Princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

Versão Compacta dos Indicadores de Sustentabilidade da Abap

Versão Compacta dos Indicadores de Sustentabilidade da Abap Versão Compacta dos Indicadores de Sustentabilidade da Abap 1 2 Versão Compacta dos Indicadores ABAP de Sustentabilidade. Ficou muito mais simples e rápido preencher o formulário. Contamos com a sua colaboração.

Leia mais

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Design Estratégico Vamos ver neste final de semana... Criatividade e inovação, design e sociedade contemporânea.

Leia mais

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis A Produção de Empreendimentos Sustentáveis Arq. Daniela Corcuera arq@casaconsciente.com.br www.casaconsciente.com.br A construção sustentável começa a ser praticada no Brasil, ainda com alguns experimentos

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011 Pesquisa IBOPE Ambiental Setembro de 2011 Com quem falamos? Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas telefônicas. Objetivo geral Identificar

Leia mais

Desmistificando o Marketing Sérgio Luis Ignácio de Oliveira

Desmistificando o Marketing Sérgio Luis Ignácio de Oliveira Desmistificando o Marketing Sérgio Luis Ignácio de Oliveira Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre o autor... 15 Prefácio... 17 Capítulo 1 Desmistificando o Marketing... 20 Mas o que é Marketing?...20

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carolina K. Souza Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Departamento de Engenharia de Produção, Campus universitário

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

Ekaterina Akimovna Botovchenco Rivera

Ekaterina Akimovna Botovchenco Rivera 1 Ekaterina Akimovna Botovchenco Rivera USO DE ANIMAIS ESTÁ CERCADO DE : aspectos emocionais questões religiosas aspectos culturais dilemas morais 2 INFLUÊNCIADO POR: filósofos cientistas protetoras meio

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

Psicologia Dos Preços: Integrando a Perspectiva do Cliente na Decisão de Preços.

Psicologia Dos Preços: Integrando a Perspectiva do Cliente na Decisão de Preços. Psicologia Dos Preços: Integrando a Perspectiva do Cliente na Decisão de Preços. Verônica Feder Mayer, D.Sc. A estratégia de preços é um assunto de grande relevância para os gestores, afinal o preço é

Leia mais

A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE

A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE Erica Grayce de Souza Silva 1 Hélio Rubens Jacintho Pereira Júnior 2 José Antonio Bueno 3 RESUMO O

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo

PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC. Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC Carmen Figueiredo PARA SEMPRE CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FSC 1ª edição 2005 Realização Apoio CRÉDITOS Produção Ethnos estratégias socio ambientais - ethnosconsultoria@uol.com.br

Leia mais

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações Ítalo Camilo da Silva Nogueira Faculdade Nossa Senhora Aparecida /GO - italocamilo@hotmail.com Karlla Junara Cintra Azambuja Soares

Leia mais

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR QUALIDADE DO ATENDIMENTO NO SISTEMA BANCÁRIO BRASILEIRO Wolter Francisco Neves Liberato de Matos Júnior ESPERA FELIZ

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL: UMA FORMA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL CONTEMPORÂNEA

CADASTRO AMBIENTAL RURAL: UMA FORMA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL CONTEMPORÂNEA CADASTRO AMBIENTAL RURAL: UMA FORMA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL CONTEMPORÂNEA Cíntia Camilo Mincolla 1 Luiza Rosso Mota 2 1 INTRODUÇÃO Um dos maiores fatores contribuintes para o dano ambiental é a vida humana,

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Motivação para o Desempenho Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Heitor Duarte asbornyduarte@hotmail.com Márcio Almeida marciobalmeid@yahoo.com.br Paulo F Mascarenhas

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOBRE SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM UMA EMPRESA DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA

DIAGNÓSTICO SOBRE SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM UMA EMPRESA DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA DIAGNÓSTICO SOBRE SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM UMA EMPRESA DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA Isabel Cristina Farias QUIRINO 1, Vera Lúcia Meira de Morais SILVA 2, Lígia Maria Ribeiro LIMA

Leia mais

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES A G E N D A 2007 as 4 SÉRIES ÍNDICE Proposta da ONU... 04 Compromisso do Brasil... 05 Cada cidade responsável por sua agenda 21... 07 Dia internacional da Água... 09 Dia do Meio Ambiente... 12 Dia da Árvore...

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE Definições de sustentabilidade sustentar - suster 1. Impedir que caia; suportar; apoiar; resistir a;

Leia mais

ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável. Educação Infantil

ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável. Educação Infantil ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável Educação Infantil Objetivos Gerais : 1. Instigar a sensibilização para os problemas relacionados à saúde do planeta,

Leia mais