UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO ALEX MAIA VIANA IMPLANTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA UM EFETIVO PLANO DE DISPONIBILIDADE E RECUPERAÇÃO DE DADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO ALEX MAIA VIANA IMPLANTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA UM EFETIVO PLANO DE DISPONIBILIDADE E RECUPERAÇÃO DE DADOS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO ALEX MAIA VIANA IMPLANTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA UM EFETIVO PLANO DE DISPONIBILIDADE E RECUPERAÇÃO DE DADOS NOS AMBIENTES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO BRASIL SÃO PAULO ABRIL DE 2013

2 ALEX MAIA VIANA IMPLANTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA UM EFETIVO PLANO DE DISPONIBILIDADE E RECUPERAÇÃO DE DADOS NOS AMBIENTES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO BRASIL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Nove de Julho como requisito parcial para a obtenção do título MBIS Master Business Information Systems do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Segurança da Informação sob a orientação do Prof. Dr. Koiti Egoshi. SÃO PAULO ABRIL DE 2013

3 ALEX MAIA VIANA IMPLANTAÇÃO DE PROCEDIMENTOS PARA UM EFETIVO PLANO DE DISPONIBILIDADE E RECUPERAÇÃO DE DADOS NOS AMBIENTES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO BRASIL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Nove de Julho como requisito parcial para a obtenção do título MBIS Master Business Information Systems do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Segurança da Informação sob apreciação da seguinte Banca Examinadora. São Paulo, de de. BANCA EXAMINADORA Prof. Dr. Koiti Egoshi Prof. Msc. Giocondo Marino Antonio Gallotti

4 DEDICATÓRIA À minha amada esposa, Sra. Daiane Silva Lopes Viana e ao nosso lindo e agraciado filhinho Pedro Alex Lopes Viana, a qual Deus nos abençoou neste ano com seu nascimento, e que futuramente poderá usufruir deste singelo trabalho caso opte por atuar na mesma área que seu Pai.

5 AGRADECIMENTOS Primeiramente louvo ao Senhor Deus e Pai por todas as maravilhas que realizou na humanidade, conforme a sua fiel Palavra relata, pelo fôlego de vida que me proporciona, e pelo seu eterno amor para com a minha vida e de minha família. Em seguida quero tornar público a minha gratidão e obediência aos meus pais, Sr. Alcides Pereira Viana (in memoriam) e a Sra. Marina Ferreira Maia Viana, a qual foram os corresponsáveis pela formação do meu caráter, me transferindo seus princípios conforme Deus lhes permitiu. Aos meus familiares, quero também expressar minha gratidão, aos primos, primas, tios e tias a qual tenho um sentimento especial por cada um; pelos avós e avôs que se dedicaram inteiramente às suas famílias; por minha sogra, atenciosa e querida mulher de Deus, pelo meu respeitável sogro e pelos meus cunhados maravilhosos que abençoam a minha vida até hoje; e aos meus padrinhos, Sr. Francisco Pereira da Silva e Sra. Maria Ferreira Maia. Reconheço toda a ajuda que meus pais receberão destes durante minha infância e adolescência, e ao suporte que minha família recebe até a atualidade. Não deixarei de citar meu único irmão de sangue, Maxwell Maia Viana, a qual sinto grande amor. Logo no início da minha mocidade, já sabia da responsabilidade que estava sobre meus ombros: ser um bom exemplo de homem para meu irmão Max. Quero concluir agradecendo à Sra. Daiane Silva Lopes Viana, minha amada, querida, linda, e desejada esposa, a qual esteve ao meu lado desde o início de minha carreira acadêmica, durante a graduação, e nesta fase de especialização, sempre contribuindo com seu amor, paciência, compreensão, companheirismo, conselhos, com seus deliciosos jantares que preparou enquanto me dedicava aos estudos, inclusive com os socorros que me prestou através de suas habilidades de enfermeira, me proporcionando segurança em momentos difíceis com a saúde diante das enfermidades. Muito obrigado também por ter me proporcionado sentir a sensação única que é de ser Pai, segundo a onipotência e permissão divina. Agradeço ao Senhor Jesus por ter me agraciado abundantemente através da vida dela e agora com a presença do Pedrinho. Espero retribuir o amor que recebo desta prudente e valorosa mulher nos próximos anos da sua vida, meu amor, minha linda Day. A amo muito. Muito obrigado a todos.

6 Qualquer evento que interrompe as atividades do negócio cuja origem seja a perda de informação ou a indisponibilidade do acesso à mesma de forma inesperada, este é classificado como um desastre. (António Serrano e Nuno Jardim)

7 RESUMO As áreas de tecnologia podem promover altos riscos e fortes impactos ao negócio e suas corporações com a ausência de um Plano de disponibilidade e recuperação de dados, principalmente com a maneira de que as informações dos Serviços de TIC são monitoradas e armazenadas. Além da possiblidade da existência de riscos e impactos para as corporações, o aumento da complexidade e exigência das áreas de negócio, clientes e fornecedores, também cobram cada vez mais uma relação mais estreita entre as área de Negócio com as diferentes células de TIC. Este efetivo Plano de recuperação de dados visa através das boas práticas de mercado, normas de padronização, e metodologias, fornecer uma proposta de um efetivo Plano de recuperação de dados para as organizações, independentemente de seu segmento, a fim de elevarem a capacidade da infraestrutura, fornecerem um nível sustentado de disponibilidade a um custo compatível e aceitável pelo negócio, além de garantir que os serviços prestados pela TIC estejam à disposição quando solicitados. Palavras-Chave: Backup, Gerenciamento de Disponibilidade, Gestão da Continuidade, Guarda de mídias, Monitoramento, Plano de Recuperação de Dados, Recuperação de Desastres, Restore, Segurança da Informação, Tecnologia da Informação e Comunicação.

8 ABSTRACT The areas of Information Technology and Communications can promote high risks and high impacts to business and corporations with the absence of a plan availability and data recovery, especially with the way that the information of IT services are monitored and stored. Besides the possibility of the existence of risks and impacts for corporations, the increasing complexity and demands of the business areas, customers and suppliers also charge an increasingly closer relationship between the business area with the different cells of the Technology Information and Communication. The current work aims through good market practices, standardization rules, and methodologies, provide a proposal for an effective disaster recovery plan for organizations, regardless of its segment in order to raise the capacity of the infrastructure, provide a level sustained availability at a cost compatible and acceptable to the business, and ensure that the services provided by Information Technology and Communications are available upon request. Keywords: Availability Management, Backup, Continuity Management, Data Recovery Plan, Disaster Recovery, Guard media, Information Security, Information Technology and Communication, Monitoring, Restore.

9 LISTA DE FIGURAS Figura 2.1 Console de Administração do Microsoft Exchange Server Figura 2.2 Interface do usuário da solução Microsoft Lync Figura 2.3 Console de Administração do VSphere Vmware ESX Figura 2.4 Cenário de Web seguro protegido pelo Forefront TMG Figura 2.5 Interface simples de acesso ao servidor de arquivos Microsoft Figura 2.6 Benefícios oferecidos pela solução Microsoft SharePoint Figura 2.7 Active Directory Gerenciamento, Segurança e Interoperabilidade Figura 2.8 Interface do Software Automatos Service Manager Figura 3.1 Descrição do Processo Gerenciamento da Disponibilidade Figura 3.2 Conexões de processos com Gerenciamento da Disponibilidade Figura 5.1 Fita LTO Linear Tape-Open... 80

10 LISTA DE TABELAS Tabela 4.1 Segmentos e seus custos com Downtimes Tabela 4.2 Exemplos de Ferramentas de Comunicações em Projetos Tabela 5.2 Exemplos de controles e medidas preventivas Tabela 5.2 Gerações das mídias LTO Linear Tape Open... 81

11 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas AOFO Advanced Open File Option API Application Programming Interface COBIT Control Objectives for Information and related Technology EDB Exchange Database ERP Enterprise Resource Planning GRT Granular Recovery Technology IBM International Business Machines ISACA Information Systems Audit and Control Association ISO International Organization for Standardization ITIL Information Technology Infrastructure Library LTO Linear Tape Open MTTF Mean time to failure/tempo médio de falha MTTR Mean time to repair/tempo médio de reparo OGC Office of Government Commerce PMBOK Project Management Body of Knowledge PMI Project Management Institute RAID Redundant Array of Independent Disks RALUS Remote Agent for Linux and UNIX Servers RAWS Remote Agent for Windows Systems RMAN Recovery Manager SAN Storage Area Network SGCS Sistema de Gerenciamento do Conhecimento do Serviço TIC Tecnologia da Informação e Comunicação UPS Uninterruptible Power Supply VPN Virtual Private Network VSS Volume Shadow Copy Service

12 SUMÁRIO DEDICATÓRIA... 4 AGRADECIMENTOS... 5 EPÍGRAFE... 5 RESUMO... 7 ABSTRACT... 8 LISTA DE FIGURAS... 9 LISTA DE TABELAS LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS SUMÁRIO INTRODUÇÃO GOVERNANÇA CORPORATIVA E TIC HISTÓRICO DEFINIÇÃO SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO SEGMENTAÇÃO DAS ÁREAS CENTRAL DE SUPORTE MONITORAMENTO LABORATÓRIO DE TIC ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INFRAESTRUTURA DE REDES TELECOMUNICAÇÕES PROJETOS... 21

13 GOVERNANÇA DE TIC AUDITORIA ADMINISTRATIVO DE TI PADRÕES SÃO PARTE DA SOLUÇÃO INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE SISTEMAS DE TIC NO BRASIL SOLUÇÕES E APLICABILIDADE CORREIO ELETRÔNICO MENSAGEIRO INSTANTANEO VIRTUALIZAÇÃO PROTEÇÃO PARA REDE LOCAL E PUBLICAÇÃO DE SERVIDORES NA INTERNET SERVIDOR DE ARQUIVOS COLABORAÇÃO E INTRANET BANCO DE DADOS SERVIÇOS DE DIRETÓRIO AUTOMAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DE TIC ENTERPRISE RESOURCE PLANNING FERRAMENTAS DE ADMINISTRAÇÃO MANUTENÇÃO CIVIL SEGURANÇA PATRIMONIAL... 34

14 3 GERENCIAMENTO DA DISPONIBILIDADE E MONITORAMENTO OBJETIVO IMPACTO NO NEGÓCIO PLANO DE DISPONIBILIDADE DISPONIBILIDADE CONFIABILIDADE SUSTENTABILIDADE OFICIOSIDADE OU FUNCIONALIDADE DO SERVIÇO SEGURANÇA: RECURSOS FINANCEIROS A INVESTIR INDISPONIBILIDADE TOLERÁVEL PROCESSOS ORGANIZACIONAIS GERENTE DE DISPONIBILIDADE PLANO DE RECUPERAÇÃO DE DADOS HABITUALIDADE DO BACKUP CARACTERÍSTICAS DE EMPREGABILIDADE EM TIC ESTRATÉGIA, PROCESSOS E NEGÓCIO GESTÃO DA CONTINUIDADE NECESSIDADE DE UM PLANO DE RECUPERAÇÃO RECUPERAÇÃO DE DADOS DEFINIÇÕES, APROVAÇÕES E DOCUMENTAÇÃO ATUALIZAÇÕES E REVISÕES DOS PROCESSOS GESTÃO DO CONHECIMENTO EQUIPE DE RECUPERAÇÃO ENSAIOS, TESTES E SIMULAÇÕES INVENTARIO DE HARDWARE E SOFTWARE... 53

15 4.4.7 RECURSOS NA INFRAESTRUTUA DE TIC FERRAMENTAS DE COMUNICAÇAO PROJETOS PERMISSÕES FÍSICAS E LÓGICAS FERRAMENTAS E SOLUÇÕES TÉCNICAS, FERRAMENTAS E SOLUÇÕES ANÁLISE DE RISCO INFRAESTRUTURA SITES BACKUP E REPLICAÇÃO DA INFORMAÇÃO CLUSTERS REMOTE VAULTING FAULT TOLERANT HOT- SWAPABLE E RAID HOT SITE SOFTWARE DE BACKUP SOLUÇÕES PARA PROTEÇÃO DE DADOS SYMANTEC BACKUP EXEC MÍDIAS MAGNÉTICAS CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS GLOSSÁRIO... 87

16 15 INTRODUÇÃO Atualmente existe uma forte cobrança sob as áreas de tecnologia para que juntamente com seus serviços, forneçam valores agregados para o negócio, reduzindo os investimentos, e mantendo um alto nível de disponibilidade da informação. Este efetivo Plano de recuperação de dados possui como objetivo principal, apresentar com muita simplicidade, as considerações e sugestões da vasta e humilde experiência do autor, juntamente com as boas práticas extraídas das principais metodologias internacionais, normas de padronização e frameworks utilizados por corporações no Brasil, para que sirva de proveito a fim de atender melhor as expectativas das áreas de negócio, promovendo uma relação estreita entre as áreas, evitando cobranças excessivas com a criação, desenvolvimento, implantação e atualização de um efetivo Plano de recuperação de dados, ou seja, de um conjunto de atitudes documentadas e controladas que fornecem a garantia da recuperação de qualquer informação da empresa a qual tenha sido perdida através de um desastre natural, falha de componente eletrônico, e até mesmo de erros humanos. Antes e durante o desenvolvimento deste trabalho, foi realizado a leitura e análise de um conjunto de livros, manuais, notícias, e artigos, de profissionais especialistas em segurança, e por empresas provedoras de soluções da área, para que este efetivo Planos de recuperação de dados possua também embasamento cientifico e prático no decorrer de seus capítulos. Tais obras foram referenciadas na bibliografia. Para alcançar este objetivo, este foi dividido em cinco capítulos, a qual possuem o seguinte conteúdo e estrutura: Capítulo 1 Governança Corporativa e TIC Este capítulo busca apresentar a importância e como é composto uma estrutura organizacional de departamentos de TIC dentro das organizações no Brasil. Capítulo 2 Sistemas de TIC no Brasil Este capítulo descreve de forma sucinta os principais produtos e serviços que os fornecedores de TIC oferecem

17 16 atualmente e sua aplicabilidade, a qual necessitam de uma efetiva estratégia de proteção de dados. Capítulo 3 Gerenciamento da Disponibilidade e Monitoramento Uma abordagem sobre a gestão deste importante processo extraído das boas práticas a fim de oferecer níveis diferenciados de disponibilidade justificáveis de acordo com os diferentes requisitos de negócio, além de exibir características de uma equipe de monitoramento. Capítulo 4 Plano de Recuperação de Dados Capítulo este que abordará como criar um plano de recuperação de dados, descrevendo todos os detalhes necessários, inclusive a citação de algumas técnicas recomendadas nos frameworks descritos nas referências bibliográficas. Capítulo 5 Ferramentas e Soluções Este capítulo tratará da parte prática e execução, descrevendo estratégias humanas para uma efetiva proteção de dados, ferramentas de backup, soluções e características de clusters e failover para alta disponibilidade, guarda de mídias, recursos de infraestrutura de energia, climatização e de sistemas contra incêndios, entre outros recursos de TIC, juntamente com os requisitos necessário para uma análise de risco e análise da necessidade de cada solução ou ferramenta.

18 17 1 GOVERNANÇA CORPORATIVA E TIC 1.1 HISTÓRICO Os últimos cinquenta anos das corporações no mundo marcaram esta época com diversos acontecimentos e histórias desastrosas. Desde pessoas intencionadas ao benefício próprio interligado diretamente ao prejuízo da empresa, desastres naturais como desabamento de prédios, inundações, terremotos e outros, até a falência involuntária, devido problemas na economia ou de investimos com resultados não esperados. Mudanças constantes também marcaram os últimos anos, pois para manter sua existência, estabilidade, e competitividade, as corporações se esforçaram para se adequar às novas exigências do mercado, diretrizes atualizadas do sistema financeiro mundial, entre outros fatores que afetam diretamente ou indiretamente as corporações no mundo. 1.2 DEFINIÇÃO Governança Corporativa é um conjunto de melhores práticas de administração conforme padrões geralmente adotados no mundo inteiro, visando melhores negócios. A necessidade é transparência, prestação de contas aos executivos ou acionistas, equidade, e responsabilidade corporativa. (EGOSHI, 2009). Objetivos da Governança Corporativa: 1. Sucesso da corporação, alinhado interesses da Propriedade sobre o Controle. 2. Controle da corporação pelos titulares da Propriedade, mediante um trabalho conjunto e compartilhado entre Conselho de Administração (CA), Conselho Fiscal (CF), Auditoria Independente (AI) e Diretoria Executiva da corporação. 3. Salvaguarda de interesses de todos os stakeholders. (EGOSHI, 2009). Os padrões são geralmente encontrados nas leis, normas, tratados, convênios, portarias, procedimentos e boas práticas. (EGOSHI, 2008). Adiante será detalhado alguns destes padrões, normais e boas práticas, dentre elas está NBR de 1990 que trata dos critérios para uma segura armazenagem de dados.

19 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Atualmente as mudanças são cada vez mais constantes e rápidas. A cada ano que se passa, ocorre uma aceleração com a necessidade de atualização de estratégias, políticas, valores, normas e objetivos, de cada corporação, pois o que funcionou nos últimos dez anos e que atendeu todas as expectativas muito bem na época aplicada, é totalmente inválida para a o período atual, pois o mercado pode mudar completamente em significantes dez anos. (SERRANO E JARDIM, 2007). Esta é a sociedade da informação. A TIC possui uma grande força e capacidade de introdução nesta demanda, e as corporações se tornaram interdependentes dos recursos da TIC, pois o fator principal deste âmbito são as atividades manuais do ser humano. Embora o ser humano não possua toda a expertise de gerir, processar, armazenar e apresentar toda a informação de que a corporação necessita, os Sistemas da Informação também não são capazes de disponibilizar a informação exigida por si só, ambos são totalmente interdependentes. A Tecnologia da Informação e seus Sistemas estão cada vez mais presentes em nossas vidas, em todos os lugares ouvimos falar de novos recursos que a Tecnologia nos oferece, e até mesmo sentimos a necessidade da Tecnologia em alguma área de nossa vida a fim de facilitar nosso cotidiano, sejam em nossas residências, creches, escolas e universidades, órgãos públicos, e principalmente no meio corporativo, independente do segmento: industrial, financeiro, hoteleiro, alimentício, engenharia, comunicação, propaganda e publicidade, meio ambiente, moda, segmentos ligados à saúde e medicina, educação e treinamento, entre outros. 1.4 SEGMENTAÇÃO DAS ÁREAS Atualmente um ambiente de TIC de uma corporação no Brasil, independentemente de seu segmento, exige profissionais com capacidades específicas a qual são responsáveis por manter e administrar os recursos da TIC, ou seja, prestar o devido o suporte aos recursos e aos indivíduos que fazem uso dos mesmos, como também no desenvolvimento e implantação dos novos recursos e sistemas que o negócio e sua corporação venham exigir. Geralmente um ambiente de TIC é composto ou segmentado por diversos setores ou células, a qual as responsabilidades se dividem entre: Estagiários,

20 19 Assistentes, Analistas, Técnicos, Administradores, Programadores e Desenvolvedores, Arquitetos, Projetistas, Auditores de TIC, inclusive Coordenadores e Gestores de suas respectivas áreas. Células estas divididas geralmente entre: Central de Suporte, Monitoramento, Laboratório de TIC, Administração de Sistemas, Administração de Banco de Dados, Desenvolvimento de Sistemas, Infraestrutura de Redes, Telecomunicações, Projetos, Governança, Qualidade, Auditoria, e Administrativo de TIC. A fim de esclarecer cada um destes setores de TIC, segue um descritivo sobre cada um destes, suas responsabilidades e profissionais: CENTRAL DE SUPORTE Composto geralmente por Assistentes e Analistas, a Central de Suporte, Service Desk, Help Desk, enfim, responsável pelo atendimento aos indivíduos que fazem uso dos recursos de TIC, ou seja, os usuários. Este atendimento é geralmente realizado através de telefone, rádio, chat, , ou até mesmo por Sistemas de Interação que permitem que o usuário registre sua própria solicitação em uma Interface de fácil entendimento, geralmente Web. Neste primeiro atendimento, geralmente grande parte dos incidentes é solucionada, e aqueles não solucionados são escalados ou direcionados para outras áreas MONITORAMENTO Podendo ser chamado também de NOC, Network Operation Center, este geralmente é composto por Analistas de Monitoramento a qual atuam sob escala 24 por 7 (24 horas, 7 Dias por semanas), a fim de não deixar a Sala vazia, utilizando os sistemas de alarmes que monitoram a Infraestrutura de Redes, Servidores, Sistemas e Telecomunicações, e também responsável pelo acionamento e escalonamento para demais células da TIC ou até mesmo empresas externas prestadoras de serviços, a qual normalmente ocorre com os fabricantes de equipamentos e operadoras de telecomunicações. Possui forte interação com a área de Infraestrutura de Redes, podendo estar a baixo da mesma gestão.

21 LABORATÓRIO DE TIC Em algumas corporações o Laboratório de TIC faz parte da Central de Suporte, em outras, este é administrado separadamente, recebendo também como título Field Service ou Suporte Nível 2. Neste setor podemos encontrar Assistentes, Analistas de Suporte e Técnicos de Informática a qual são responsáveis pelo atendimento pessoal, ou seja, aqueles profissionais que se deslocam até o local onde o usuário ou o recurso de TIC se encontra. Este possui inclusive um local dedicado para a manutenção dos computadores e demais recursos de TIC que fazem parte de seu escopo ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS Podendo ser chamado também de simplesmente Área de Sistemas ou Suporte Nível 3, esta é responsável pelo suporte especializado dos Sistemas Corporativos e pela manutenção diária que estes exigem, seja este um Sistema desenvolvido internamente ou adquirido no mercado. Esta célula também recebe incidentes escalados a partir dos demais Níveis de Suporte, como por exemplo, da Central de Suporte. Neste setor encontramos Analistas de Sistemas e Administradores de Sistemas ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS O Setor de Banco de dados geralmente fica sob a responsabilidade da mesma gestão da área de Sistemas, porém em empresas de grande parte, esta é dividida em setores diferentes. Composta por Analistas de Banco de Dados e Dba s, Database Administrators, como eles preferem serem chamados, é responsável pela implantação, administração, manutenção, e suporte a qualquer tipo de banco de dados hospedado nos servidores da corporação. Esta célula possui uma forte interação com as áreas de Sistemas, Desenvolvimento e Infraestrutura, devidas suas dependências das mesmas DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS A célula de Desenvolvimento de Sistemas é composta por Programadores, Desenvolvedores, Analistas de Negócios e às vezes Arquitetos de Softwares. Estes profissionais são solicitados pelos Gestores e pelas áreas de Negócios da corporação a fim de criarem novos Sistemas de TIC ou adquirirem a melhor solução de mercado, para atender uma nova necessidade, um novo requisito de negócio, um novo setor,

22 21 um novo processo organizacional, ou até mesmo a fim de facilitar e automatizar as atividades de alguma área específica. Dependendo da situação e da empresa, a área de Desenvolvimento pode ser solicitada por demais células da TIC a fim de apoiar na solução de algum problema, principalmente a área de Administração de Sistemas INFRAESTRUTURA DE REDES Composto por Analistas de Infraestrutura, Administradores de Redes, e até por Arquitetos de Infraestrutura, o setor de Infraestrutura de Redes, como o próprio nome já descreve, é responsável pela implantação de novos, manutenção e administração dos equipamentos que compõem a rede, seja esta LAN ou WAN, como roteadores, switches, firewalls, servidores, access points, cabeamento estruturado. Este grupo de profissionais também recebe incidentes escalonados pelas demais células da TIC e até possui interação com a área de Infraestrutura Civil, responsável pela Elétrica e Ar Condicionado da corporação TELECOMUNICAÇÕES Em pequenas empresas, a área de Telecomunicações, fica sob a responsabilidade da mesma coordenação de Infraestrutura de Redes, porém normalmente nas médias e grandes empresas, é tratado como uma célula individual. Composta por Assistentes e Analistas de Telecomunicações, Técnicos em Telefonia, esta fica responsável por todos os equipamentos que fornecem o serviço de telecomunicações a corporação, como Centrais de PABX, Voice Gateways, rádios aparelhos de telefone portáteis, e o seu respectivo cabeamento. Também recebe incidentes de demais área da TIC, principalmente da Infraestrutura de Redes PROJETOS Em grandes corporações e com processos organizacionais maduros, a área de Projetos localiza-se fora do restrito contexto de TIC, e acaba fazendo a gestão dos Projetos de toda empresa, independente do segmento, desde Civil, Elétrica, inclusive TIC. Porém se não há investimento para tal processo, não está errado que a área de Projetos fique abaixo da Gestão de TIC, sendo responsável apenas pelos Projetos para a área. Composto por Analistas de Projetos ou Projetistas e Gerentes de Projetos, está área possui total interação com as demais áreas de Especialistas e Nível 3, principalmente com os Analistas e Administradores de Nível Sênior, como também com seus respetivos Arquitetos e Gestores.

23 GOVERNANÇA DE TIC Esta nova área do segmento de TIC ainda é rara nas corporações, porém já está provada a necessidade de sua existência em todo ambiente de TIC. Composto por Assistentes ou Analistas de Processos, especialistas em políticas, metodologias, padrões e boas práticas de mercado, nacionais e internacionais, a célula de Governança visa administrar o cotidiano dos processos organizacionais de TIC como Gestão de Mudanças, Gestão de Incidentes, Gestão de Liberações e qualquer outro processo que a empresa venha implantar e utilizar no seu ambiente de TIC. Responsável também por monitorar se os profissionais estão aplicando políticas, detectar oportunidades e sugerir melhorias nos processos, a fim de facilitar e automatizar as tarefas, inclusive de preparar o ambiente de TIC para futuras Auditorias Externas AUDITORIA Composta exclusivamente por Auditores, normalmente conectado a Alta Administração, ou seja, respondem direto a Presidência ou Diretoria, conforme a hierarquia da corporação. No setor de Auditoria, devido sua ligação estreita com o corpo executivo e conforme políticas estabelecidas pela governança corporativa de uma organização, os profissionais deste possuem uma determinado nível de acesso nos departamentos a fim de verificarem como os processos estão sendo conduzidos, ou seja, como os profissionais estão trabalhando e agindo diante dos processos, normas e políticas. Hoje em dia se faz necessário que pelo menos um dos Auditores seja um especialista em tecnologia, a fim de realizar auditorias internas em cada célula do ambiente, a fim de prepara-las para qualquer uma possível Auditoria Externa, e também a fim de tornar a TIC rentável e justificável para o negócio, inclusive torná-la compliance com as políticas da estratégia da corporação e regulamentações mandatórias dos órgãos a qual está sujeita, conforme o segmento de atuação ADMINISTRATIVO DE TI Atualmente no setor de TIC deve possuir profissionais da área administrativa, geralmente Assistentes Administrativo, para que seja responsável pelas aquisições realizadas pela TIC, interação do departamento com demais departamentos da corporação e pela administração das finanças dos setores, principalmente quando a empresa faz o uso correto de Centro de Custos.

24 PADRÕES SÃO PARTE DA SOLUÇÃO Devido à complexidade de um ambiente de TIC, a esta extensa quantidade de células e profissionais, o ambiente como um todo se torna dificultoso de ser administrado e prestar a devida manutenção a todos os recursos da TIC. Por este motivo, atualmente é notório e comprovado a necessidade da utilização de processos organizacionais específicos para TIC a fim de facilitar, otimizar, e automatizar as rotinas cotidianas. Existem diversas instituições e associações de empresas no mundo que dispõem de metodologias, normas de padronização, e boas práticas disponíveis e livres para serem utilizadas nos ambientes de TIC de qualquer empresa, independente do seu segmento. Abaixo será relacionado os padrões mais comuns de serem encontradas nas organizações dentro do âmbito de tecnologia: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION Organização Internacional para Padronização ISO é a entidade internacional que consolida as demais organizações de 170 países responsáveis pela padronização, aprovação e atualização de normas em todos os campos técnicos. Segundo Wikipédia (2012), segue abaixo algumas entidades responsáveis pela ISO por país: Alemanha: Deutsches Institut für Normung e.v. (DIN); Angola: Instituto Angolano de Normalização e Qualidade (IANORQ); Brasil: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT); Estados Unidos: American National Standards Institute (ANSI); Moçambique: Instituto Nacional de Normalização e Qualidade (INNOQ); Portugal: Instituto Português da Qualidade (IPQ). Como exemplo, a norma NBR trata dos critérios de segurança física referente ao armazenamento de dados a qual se aplica também a guarda de mídias de backup. Esta fixa condições ambientais necessárias para cada tipo de mídia, seja na guarda, no transporte, bem como nas situações de emergência. Para discos rígidos e fitas magnéticas, a temperatura que condiz com as condições ideais de armazenamento é de 17ºC a 23ºC, e 5ºC a 32ºC para o transporte. Nesta mesma norma é estabelecido que a porcentagem da umidade relativa seja de +45%/55% no armazenamento e 20%/60% no transporte (ABNT, 1990).

25 INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY Segundo OGC (2007), ITIL é um conjunto de boas práticas que pode ser utilizado parcialmente ou na sua totalidade, dependendo da maturidade da empresa, na operação e manutenção dos serviços de TIC. O ITTIL foi desenvolvido no final dos anos 1980 pela Central Computer and Telecommunications Agency e atualmente está sob a custódia da OGC da Inglaterra. O ITIL busca promover a gestão com foco no cliente e na qualidade dos serviços de TIC e oferece uma descrição detalhada sobre importantes práticas de checklists, tarefas e procedimentos que um departamento de TIC pode customizar conforme suas necessidades CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY Segundo ISACA (2012), COBIT é um conjunto de boas práticas, voltado para área de Gestão em TIC, composto por recursos como modelo de sumário executivo, framework, controles, mapas de auditoria, ferramentas para implantação e principalmente, técnicas de gerenciamento. Gestores recomendam o uso do COBIT como meio de aperfeiçoar os investimentos de TIC, melhorando o retorno sobre o investimento, fornecendo métricas para avaliação dos resultados e fatores críticos para o sucesso, além de ser independente de plataformas, do tipo de negócio, e da participação que o Departamento de Tecnologia possui nos processos organizacionais da corporação PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE Segundo PMI (2012), instituição autor do PMBOK Guide, aborda boas práticas utilizadas por diversos profissionais no mundo, como também as normas adotadas pelo Instituto a fim de estabelecer uma linguagem comum entre os profissionais de Gerenciamento de Projetos. O guia não deve ser encarado como uma norma ou resolução, pelo contrário, são sugestões bem sucedidas de profissionais para profissionais, para que sirva como modelo referência em outros projetos, a qual pode ser usado parcialmente ou em sua totalidade, em qualquer projeto, conforme suas características.

26 25 2 SISTEMAS DE TIC NO BRASIL 2.1 SOLUÇÕES E APLICABILIDADE No Brasil, as empresas dispõem da utilização de diversas tecnologias e soluções que melhor lhe atendam, conforme os requisitos do seu negócio levando em consideração o orçamento, contudo, o que ocorre na maioria destas empresas de médio e principalmente de grande porte, é a escolha por aquisição de soluções do mercado internacional, ou seja, de softwares e equipamentos a qual são utilizados por empresas do mundo inteiro, a qual geralmente não são desenvolvidos no Brasil. Estaremos equivocados se generalizarmos e concluirmos o porquê isso ocorre, mas podemos citas alguns exemplos onde em cada empresa encontramos particularidades. Dentre os mais diversos motivos está: Valor agregado ao nome do proprietário ou desenvolvedor da solução Confiabilidade na segurança e estabilidade do produto Compatibilidade e integração com soluções de terceiros Profissionais no mercado que conhecem e dominam determinada tecnologia Custo na aquisição e suporte Case de sucesso nacional ou internacional Inclusive influência da alta administração (Presidência, Diretoria ou Gerência) Levando em consideração os pontos acima citados, relacionei algumas das principais soluções do mercado optadas pelas empresas do Brasil para disporem no seu ambiente de TIC. Os principais fornecedores de soluções mais conhecidas e utilizadas no Brasil e no mundo, já possuem ciência sobre a importância da segurança com relação à informação mediante as falhas e desastres, portanto a maioria destas já possuem suas próprias soluções e estratégias de Backup e Restore, e consequentemente as ferramentas e soluções de Backup que serão apresentadas posteriormente, possuem total integração com as soluções, mesmo sendo de fornecedores diferentes. E, outras palavras, quando uma ferramentas de terceiros é utilizada para fazer backup de uma solução de mensageria, portal, ou banco de dados,

27 26 quem na verdade está realizando o backup é o própria agente da solução propriamente dita, porém através da interface de gerenciamento da solução de backup, que obviamente lhe oferece alguns diferencias a qual serão apresentados adiante. Segue uma breve descrição sobre as soluções, fornecedores, e sua aplicabilidade dentro das organizações de pequeno, médio e grande porte CORREIO ELETRÔNICO Como ferramentas de mensageria, as quais dispõem dos recursos de correio eletrônico, agenda, gestão de tarefas e contatos: Microsoft Exchange Server Lotus Domino Figura 2.1 Console de Administração do Microsoft Exchange Server Fonte: Microsoft TechNet

28 MENSAGEIRO INSTANTANEO Ainda no contexto de mensageria, comunicadores se fazem necessários para aperfeiçoar a comunicação de seus colaboradores. A solução Lync Server da Microsoft, por exemplo, além do chat, ele possui recursos de compartilhamento de documentos, planilhas, apresentações, e até videoconferências com multiusuário, inclusive com localidade distantes, desde que possua link de comunicação entre as redes de computadores: Microsoft Office Communications e Microsoft Lync Server Asterix Sistema VOIP baseado em Linux e software cliente Figura 2.2 Interface do usuário da solução Microsoft Lync Fonte: Alex Maia Viana Ambiente de Homologação

29 VIRTUALIZAÇÃO Referente à infraestrutura flexível e elástica de sistemas operacionais para as aplicações e banco de dados, a virtualização de servidores se faz necessária, principalmente nesta época quando se fala muito em computação em nuvem, segurança e conformidade e cada vez com exigências de melhores níveis de desempenho, flexibilidade, armazenamento e disponibilidade (SYMANTEC, 2012). Segue as principais soluções de virtualização de servidores: Microsoft Hyper-V VMware ESX (vsphere) Xen Server Figura 2.3 Console de Administração do VSphere Vmware ESX Fonte: Communities Vmware (2010)

30 PROTEÇÃO PARA REDE LOCAL E PUBLICAÇÃO DE SERVIDORES NA INTERNET A fim de disponibilizar, monitorar e gerenciar o acesso à Internet e seu conteúdo, bloqueios e acesso em sites ou portas TCP, além da detecção e prevenção de ataques e invasões, existem as soluções de segurança de rede baseadas em software e sistema operacional para Firewall, Proxy de Internet: Microsoft ISA Server somente Firewall e Proxy Microsoft Forefront TMG Firewall, Proxy e features de detecção e prevenção contra ameaças IPTABLES Firewall baseado em Unix/Linux SQUID Proxy de Internet baseado em Unix/Linux Figura 2.4 Cenário de Web seguro protegido pelo Forefront TMG 2010 Fonte: Microsoft TechNet SERVIDOR DE ARQUIVOS Para o clássico, efetivo e seguro armazenamento e compartilhamento de arquivos entre colaboradores e departamentos: Distributed File System Servidor de Arquivos distribuído - File Server Microsoft baseado em Volumes NTFS File Server Linux baseado em Samba

31 30 Figura 2.5 Interface simples de acesso ao servidor de arquivos Microsoft Fonte: Alex Maia Viana Ambiente de Homologação COLABORAÇÃO E INTRANET Sistemas para Portais de Colaboração, Integração entre as unidades de negócio e seus processos organizacionais, plataformas de suporte a aplicações Web para Intranet e Extranet, gestão de documentos, e toda a devida segurança e controle de acesso à informação da corporação: SharePoint Services Microsoft SharePoint Portal Server Portal desenvolvido com PHP ou linguagem da preferência

32 31 Figura 2.6 Benefícios e conexões oferecidas pela solução Microsoft SharePoint Fonte: My Hosting BANCO DE DADOS Plataformas de Banco de dados são necessárias para o armazenamento de informações, tabelas e relacionamentos, de tal forma que em conjunto oferecem um sentido diferente a mesma informação, além do desempenho e integração que as soluções de Database oferecem. Tais soluções proprietárias são requisitos para diversos Sistemas de Informação disponíveis no mercado, inclusive soluções citadas neste capítulo: Microsoft SQL Server Oracle IBM DB2

33 SERVIÇOS DE DIRETÓRIO Da mesma maneira que um banco de dados é exigido pelos Sistemas de Informação, os Serviços de Diretório se faz necessário para o controle de acesso, autenticação, confidencialidade, além de facilitar a gestão da segurança dos sistemas, e demais softwares de terceiros que possuem integração: Microsoft Active Directory Linux Open LDAP Figura 2.7 Microsoft Active Directory Ponto focal do Gerenciamento, Segurança e Interoperabilidade de toda a Infraestrutura de TI - Fonte: Tom s Hardware (2011) AUTOMAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DE TIC Presente em uma grande fatia das empresas que proveem Serviços de Gestão em TIC para organizações de segmentos diversos, os Sistemas de Gestão que ajudam no cumprimento dos processos organizacionais de TIC e para a Automatização de sua Infraestrutura: Microsoft System Center HP Service Manager Automatos

34 33 Figura 2.8 Interface do usuário do Software ASM Automatos Service Manager Fonte: Automatos ENTERPRISE RESOURCE PLANNING Presente em média e grandes empresas, os Sistemas de Gestão Empresarial ERP facilitam o processo de coordenação entre diferentes componentes da corporação, proporcionando maior integração entre os departamentos: SAP Soluções RM TOTVS

35 FERRAMENTAS DE ADMINISTRAÇÃO Essencial e presente em todo ambiente de Infraestrutura de TIC, Redes de computadores e servidores, são as ferramentas de suporte, administração, e monitoramento de servidores: DHCP Server Sistema e protocolo de rede utilizado para atribuição de endereçamento IP automático pela rede DNS Server Sistema e protocolo para resolução de nomes de domínio para endereços IP SNMP Server Sistema e protocolo utilizado na coleta de informações para monitoramento de rede e servidores VPN Server Solução utilizada para acesso remoto em sistemas e servidores, proporcionando a possibilidade do trabalho à distância, desaparecimento de postos de trabalhos presenciais e redução de custos MANUTENÇÃO CIVIL Opcional em pequenas empresas, porém fundamentais nas empresas que possuem edifícios e áreas expansivas, os Sistemas proprietários para o devido Gerenciamento da Infraestrutura e Manutenção Civil: Ar Condicionado Hidráulica Elétrica e Nobreak SEGURANÇA PATRIMONIAL Também opcional, contudo importante para a segurança física de qualquer corporação, são os Sistemas proprietários para segurança, monitoramento de câmeras e acesso físico. Segue alguns exemplos de mercado: Telematica Sistema de controle de acesso físico e catracas Geo Vision Sistema de monitoramento e gravação de imagens Posteriormente serão apresentadas as diferentes estratégias de backup, e a integração que cada uma destas ferramentas possui com as soluções de backup, segundo os seus fabricantes declaram em seus sites e artigos técnicos.

36 35 3 GERENCIAMENTO DA DISPONIBILIDADE E MONITORAMENTO 3.1 OBJETIVO O objetivo da Gerência da disponibilidade é fornecer o nível recomendado de capacidade da infraestrutura de TIC a fim de entregar o nível de disponibilidade conforme os requisitos da corporação e de sua estratégia, a um custo justificável, realizando o devido controle através de um planejamento contínuo, monitoramento e melhorias. (PROCERGS, 2006) É comum ouvirmos declarações de profissionais de que os recursos de TIC devem estar sempre disponíveis. Essa afirmação não é simples e está errada. Somente empresas de segmentos específicos possuem condições para justificar um nível alto de disponibilidade dos seus Sistemas de TIC, porém nunca chegarão ao 100%. Exemplos: Hospitais, bancos, lojas virtuais, entre outros. Custos como altos salários de especialistas para este grupo de empresas é facilmente justificado, pois o negócio e/ou o produto final, dependendo dos recursos tecnológicos 24 horas por dia, 7 dias por semana. 3.2 IMPACTO NO NEGÓCIO Por este e outros motivos, a disponibilidade dos recursos de TIC impacta diretamente no sucesso dos negócios e essa dependência nunca esteve tão presente. Atualmente estamos em um ponto em que, se houver interrupção nos serviços fornecidos pelas áreas de TIC, o negócio também é interrompido e dinheiro é perdido. (MAGALHÃES; PINHEIRO, 2007) A demanda de clientes e o negócio cresce no mercado de uma forma correspondente a exploração dos recursos de tecnologia, as quais dispõem de alternativas inovadoras que proporcionam maior facilidade e flexibilidade aos seus clientes ou usuários finais. São estes os diferenciais utilizados na conquista de novos clientes e inclusive para a conservação dos já existentes. (CAVALCANTE, 2008)

37 PLANO DE DISPONIBILIDADE Uma corporação disposta a iniciar uma efetiva Gerência da disponibilidade deverá iniciar criando um plano de disponibilidade onde todas as informações sobre os recursos de TIC são reunidas e apresentadas aos proprietários do negócio, normalmente diretores ou presidentes, para que estes em conjunto com os gestores de tecnologia analisem o investimento necessário para manter cada nível diferente de disponibilidade para cada serviço, e juntos decidirem onde será aplicada a mais nova tecnologia disponível, onde será utilizado os servidores redundantes que garantem o chaveamento dos serviços em poucos segundos, ao contrário de um único servidor que necessita ser reiniciado caso aconteça uma falha, onde será instalado os softwares e soluções de mercado que possibilitam a agregação de dois ou mais servidores para oferecer uma ou mais aplicações no ar, a fim de elevar o nível de disponibilidade, entre outros recursos tecnológicos que dispõem deste benefício da área de TIC. (OGC, 2007) Em outras palavras, uma implantação de Gestão de disponibilidade com sucesso depende de uma clara documentação dos requisitos do cliente e do negócio. Conforme a biblioteca de melhores práticas para entrega dos serviços de TIC (OGC, 2007), o processo de gestão de disponibilidade está baseado em 5 pesos, são eles: Disponibilidade, Confiabilidade, Sustentabilidade, Oficiosidade, e Segurança.

38 37 Figura 3.1 Descrição do Processo Gerenciamento da Disponibilidade Fonte: ITIL Service Delivery Book, DISPONIBILIDADE Segundo o guia de boas práticas ITIL (2001), disponibilidade de um serviço usado para executar sua função em determinado período, em outras palavras, disponibilidade que é medida em porcentagem, é a habilidade que um serviço possui de exercer sua função acordada. Em caso de falhas, o serviço passa do estado "operacional" para o estado "em reparo". Quando o reparo é concluído, o serviço retorna ao seu estado operacional. Sendo assim, o serviço apresenta um tempo médio até apresentar uma nova falha (MTTF) e um tempo médio durante o reparo (MTTR). Sua disponibilidade é a combinação de diversos MTTFs e MTTRs, e este é calculado à medida que ocorrem novas falhas e consequentemente reparos. Em outras palavras, a disponibilidade é a relação entre o tempo de vida útil e o tempo total, podendo ser representado pela fórmula MTTF / MTTF + MTTR (MEDINA, 2011).

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

utilização da rede através da eliminação de dados duplicados integrada e tecnologia de archiving.

utilização da rede através da eliminação de dados duplicados integrada e tecnologia de archiving. Business Server Backup e recuperação abrangentes criados para a pequena empresa em crescimento Visão geral O Symantec Backup Exec 2010 for Windows Small Business Server é a solução de proteção de dados

Leia mais

Hospedagem Virtualizada

Hospedagem Virtualizada Conheça também Desenvolvimento de sistemas Soluções de Segurança Soluções com o DNA da Administração Pública Há 43 anos no mercado, a Prodesp tem um profundo conhecimento da administração pública e também

Leia mais

Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho

Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho Virtualização Microsoft: Data Center a Estação de Trabalho Estudo de Caso de Solução para Cliente Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho Visão

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3.

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Dentro do enfoque geral em conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições de Governança de TI - Tecnologia da Informação, bem como

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

ITIL. Information Technology Infrastructure Library

ITIL. Information Technology Infrastructure Library Information Technology Infrastructure Library 34929 - Daniel Aquere de Oliveira 34771 - Daniel Tornieri 34490 - Edson Gonçalves Rodrigues 34831 - Fernando Túlio 34908 - Luiz Gustavo de Mendonça Janjacomo

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Windows 2008 Server Construído sob o mesmo código do Vista Server Core (Instalação somente

Leia mais

Apresentação da Empresa e seus Serviços.

Apresentação da Empresa e seus Serviços. Apresentação da Empresa e seus Serviços. 1 Conteúdo do Documento Sobre a MSCTI... 3 Portfólio de Serviços... 4 O que a consultoria MSCTI faz?... 5 Outros Serviços e Soluções... 6 Certificações... 7 Clientes

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração.

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração. Cobit e ITIL GOVERNANÇA, GP - RISCO, GP PROJETOS - PMP, SEGURANÇA DAIANA BUENO OUTUBRO 20, 2010 AT 8:00 3.496 visualizações Atualmente, as empresas estão com seus processos internos cada vez mais dependentes

Leia mais

As Service Management Functions - SMFs

As Service Management Functions - SMFs As Service Management Functions - SMFs Última revisão feita em 13 de Setembro de 2007. Objetivo Estamos de volta com mais um artigo da nossa série, nesta sexta parte pretendo apresentar para vocês o conceito

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões Symantec 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões O 7 permite a padronização das operações de backup e recuperação em ambientes físicos e virtuais com menos recursos e menos riscos, pois oferece

Leia mais

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio ESTRUTURA E ASPECTOS 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio A 3S Networks surgiu com a proposta de oferecer as mais avançadas soluções tecnológicas a empresas dos setores privado e público, atuamos

Leia mais

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI ITIL Overview Gestão de Serviços de TI Sobre a ILUMNA Atuando na área Gerenciamento de Serviços em TI (ITSM) desde 1997, a ILUMNA presta serviços de Consultoria, Educação e Tecnologia, com o objetivo de

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Dedicação e eficácia em T.I.

Dedicação e eficácia em T.I. Dedicação e eficácia em T.I. QUEM SOMOS A CRTI Solutions é uma empresa jovem no mercado de tecnologia, que se preocupa com as necessidades de seus clientes, buscando sempre soluções inovadoras com rapidez

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

PERGUNTAS FREQÜENTES: Proteção de dados Perguntas freqüentes sobre o Backup Exec 2010

PERGUNTAS FREQÜENTES: Proteção de dados Perguntas freqüentes sobre o Backup Exec 2010 Que produtos estão incluídos nesta versão da família Symantec Backup Exec? O Symantec Backup Exec 2010 oferece backup e recuperação confiáveis para sua empresa em crescimento. Proteja mais dados facilmente

Leia mais

Analista de Service Desk Júnior / Pleno / Senior. Arquiteto de Projeto PL. Analista de Operações Técnicas. Analista Field Service

Analista de Service Desk Júnior / Pleno / Senior. Arquiteto de Projeto PL. Analista de Operações Técnicas. Analista Field Service Analista de Service Desk Júnior / Pleno / Senior - Superior completo ou cursando Tecnologia da Informação, Engenharia da Computação, Ciência da Computação ou áreas correlatas. - Conhecimento das funções

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br 2 A Biblioteca ITIL: Information Technology Infrastructure Library v2 Fornece um conjunto amplo,

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança.

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança. EMC Consulting Estratégia visionária, resultados práticos Quando a informação se reúne, seu mundo avança. Alinhando TI aos objetivos de negócios. As decisões de TI de hoje devem basear-se em critérios

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais

ITIL. Conteúdo. 1. Introdução. 2. Suporte de Serviços. 3. Entrega de Serviços. 4. CobIT X ITIL. 5. Considerações Finais ITIL Conteúdo 1. Introdução 2. Suporte de Serviços 3. Entrega de Serviços 4. CobIT X ITIL 5. Considerações Finais Introdução Introdução Information Technology Infrastructure Library O ITIL foi desenvolvido,

Leia mais

UPAEP Otimiza Serviços de TI a 17.000 Usuários com Soluções CA Technologies

UPAEP Otimiza Serviços de TI a 17.000 Usuários com Soluções CA Technologies CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2013 UPAEP Otimiza Serviços de TI a 17.000 Usuários com Soluções CA Technologies CUSTOMER LOGO HERE EMPRESA Fundada em 1973, no México, a UPAEP oferece importantes serviços

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial Governança de Tecnologia da Informação parte 2 Fonte: Mônica C. Rodrigues Padrões e Gestão de TI ISO,COBIT, ITIL 3 International Organization for Standardization d -

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

Plano de Governança de Tecnologia de Informação

Plano de Governança de Tecnologia de Informação Plano de Governança de Tecnologia de Informação Julho/2012 Junho/2014 1 Universidade Federal Fluminense Superintendência de Tecnologia da Informação Fernando Cesar Cunha Gonçalves Superintendência de Tecnologia

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos.

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos. ITIL V3 Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender o gerenciamento de riscos. Porquê Governança? Porque suas ações e seus requisitos

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Consolidação inteligente de servidores com o System Center

Consolidação inteligente de servidores com o System Center Consolidação de servidores por meio da virtualização Determinação do local dos sistemas convidados: a necessidade de determinar o melhor host de virtualização que possa lidar com os requisitos do sistema

Leia mais

Portfólio de Serviços Dominit 2016

Portfólio de Serviços Dominit 2016 Portfólio de Serviços Dominit 2016 A Dominit é uma empresa nacional que atua como integradora de soluções de tecnologia da informação. Temos como diferencial a proposta de parceria para nossos clientes

Leia mais

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo:

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo: INFRAESTRUTURA Para que as empresas alcancem os seus objetivos de negócio, torna-se cada vez mais preponderante o papel da área de tecnologia da informação (TI). Desempenho e disponibilidade são importantes

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Engenharia de Negócios 1 Agenda 1 Sobre a TIVIT 2 IT Outsourcing 3 Parceria TIVIT & Symantec 4 Projeto

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura maneiras

Leia mais

Proteção de dados otimizada através de um console para sistemas físicos e virtuais, inclusive para o WMware e Hyper-V.

Proteção de dados otimizada através de um console para sistemas físicos e virtuais, inclusive para o WMware e Hyper-V. Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Small Business Server Edições Premium e Standard Proteção de dados e recuperação de sistemas completa para o Microsoft Windows Small Business Server Visão geral O

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

ITIL V3 GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

ITIL V3 GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS ITIL V3 GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO ITIL V3 1.1. Introdução ao gerenciamento de serviços. Devemos ressaltar que nos últimos anos, muitos profissionais da

Leia mais

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade...

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Reduzir custo de TI; Identificar lentidões no ambiente de TI Identificar problemas de performance

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Me. Elvis Pontes

Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Me. Elvis Pontes Unidade II TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Me. Elvis Pontes Conceitos e Componentes de Software Software (SW) são: os programas de computador; é a parte intangível do computador, representada pelos programas,

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

Plano de Recuperação de Desastre em TI

Plano de Recuperação de Desastre em TI Plano de Recuperação de Desastre em TI Edgar T. Monteiro The LatAm Healthcare IT Summit - 2014 >> AGENDA Blue Solutions na Saúde Ameaças para a TI em HeathCare Disaster Recovery >> Blue Solutions 10 anos

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

Proposta ITIL V3 HAND S ON. Apresentação Executiva. ITIL V3 Hand s ON

Proposta ITIL V3 HAND S ON. Apresentação Executiva. ITIL V3 Hand s ON ITIL V3 HAND S ON Apresentação Executiva 1 Os treinamentos de ITIL Hand s On, abordam os processos da gestão de serviços de TI do ITIL v3 e são recomendados e necessários, para quem quer ser tornar um

Leia mais

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br ITIL Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Objetivo Prover uma visão geral sobre Gerenciamento de Serviços de TI: Conceito; Desafios; Estrutura; Benefícios;

Leia mais

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved

Conhecimento em Tecnologia da Informação. Catálogo de Serviços. Conceitos, Maturidade Atual e Desafios. 2012 Bridge Consulting All rights reserved Conhecimento em Tecnologia da Informação Catálogo de Serviços Conceitos, Maturidade Atual e Desafios 2012 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Esta publicação tem por objetivo apresentar

Leia mais

Informe técnico: Proteção de dados Clientes e agentes do Veritas NetBackup 6.5 Plataforma do Veritas NetBackup - Proteção de dados de próxima geração

Informe técnico: Proteção de dados Clientes e agentes do Veritas NetBackup 6.5 Plataforma do Veritas NetBackup - Proteção de dados de próxima geração Plataforma do Veritas NetBackup - Proteção de dados de próxima geração Visão geral O Veritas NetBackup oferece um conjunto simples porém abrangente de clientes e agentes inovadores para otimizar o desempenho

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS BÁSICOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Gestão de Armazenamento

Gestão de Armazenamento Gestão de Armazenamento 1. Introdução As organizações estão se deparando com o desafio de gerenciar com eficiência uma quantidade extraordinária de dados comerciais gerados por aplicativos e transações

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 ISO/IEC 20000:2005 Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 André Jacobucci andre.jacobucci@ilumna.com +55 11 5087 8829 www.ilumna.com Objetivos desta Apresentação

Leia mais

Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007.

Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007. Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007. Objetivo Com o quarto artigo da nossa série teremos a oportunidade de entender como funcionam os quadrantes do Modelo de

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS 1.1. PERFIL DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA: 1.1.1.DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará

Leia mais

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Projeto Corporativo Missão: Oferecer soluções corporativas em Tecnologia da Informação, fornecendo e integrando produtos e serviços profissionais de alta

Leia mais

Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve

Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve Proteção de ambientes Microsoft Hyper-V 3.0 com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura

Leia mais

Symantec Backup Exec 2012

Symantec Backup Exec 2012 Melhor Backup para todos Data Sheet: Backup e recuperação após desastres Visão geral O é um produto integrado que protege ambientes físicos e virtuais, simplifica o backup e a recuperação após desastres

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE Perfil O Grupo Teksid é o maior em fundição de autopeças do mundo, com capacidade produtiva

Leia mais

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON.

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Portifólio Missão Atender as necessidades de nossos clientes e garantir o retorno de seus investimentos, implementando os melhores serviços

Leia mais

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br Vagas Holden TI: Analista de Desenvolvimento Java Sênior Consultor SAP FI DBA SQL Server DBA Oracle

Leia mais

Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios

Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios IBM Global Technology Services White Paper IBM Resiliency Services Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios Escolha o provedor de serviços gerenciados certo para mitigar riscos à reputação

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20

Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20 Avaliação da plataforma de armazenamento multiprotocolo EMC Celerra NS20 Relatório elaborado sob contrato com a EMC Corporation Introdução A EMC Corporation contratou a Demartek para realizar uma avaliação

Leia mais

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi Administração de Ativos de TI Prof. André Montevecchi Introdução a ITIL Em um mundo altamente competitivo, de mudanças constantes e inesperadas, é preciso ter flexibilidade e agilidade suficientes para

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Atividade: COBIT : Entendendo seus principais fundamentos

Atividade: COBIT : Entendendo seus principais fundamentos SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS FLORIANO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PERÍODO

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

CA ARCserve Backup. Visão geral

CA ARCserve Backup. Visão geral INFORME DE PRODUTO: CA ARCSERVE BACKUP R12.5 CA ARCserve Backup CA ARCSERVE BACKUP, O PRODUTO DE ALTA PERFORMANCE, LÍDER DA INDÚSTRIA DE PROTEÇÃO DE DADOS, COMBINA TECNOLOGIA INOVADORA DE ELIMINAÇÃO DE

Leia mais

Symantec NetBackup 7.1 Clients and Agents Complete protection for your information-driven enterprise

Symantec NetBackup 7.1 Clients and Agents Complete protection for your information-driven enterprise Complete protection for your information-driven enterprise Visão geral O Symantec NetBackup oferece uma seleção simples e abrangente de clientes e agentes inovadores para otimizar a performance e a eficiência

Leia mais

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Fernando Riquelme i Resumo. A necessidade por criar processos mais eficientes,

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização Hoje a virtualização de servidores e desktops é uma realidade não só nas empresas, mas em todos os tipos de negócios. Todos concordam

Leia mais

Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve

Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve Proteção de ambientes VMware vsphere/esx com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura

Leia mais

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao 1 Tópicos Especiais Novembro - 2008 2 Referências

Leia mais