Serviço Nacional de Aprendizagem Rural SENAR-AR/CE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serviço Nacional de Aprendizagem Rural SENAR-AR/CE"

Transcrição

1 Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROGRAMA AGRINHO: TEMA SAÚDE Qual a importância da discussão da saúde para nossa comunidade? A população da nossa comunidade tem problemas de saúde? Quais? Essa população tem consciência desse problema? Que soluções vêm sendo buscadas? Que contribuições trará o Agrinho para diminuir os problemas na região? Como os alunos do ensino fundamental podem discutir esse tema? Como o tema saúde está presente na escola? O SENAR- Ceará no desenvolvimento do Programa Agrinho, em 2014, retoma o estudo do tema transversal - SAÚDE. O objetivo do SENAR é enriquecer a qualidade de vida no campo, acreditando ser a criança e o adolescente, os agentes multiplicadores deste processo. Com esta visão de experiência realizada pelo professor, na participação do Programa Agrinho, tem a intenção, ora de preparar as crianças numa atitude crítica da realidade e na construção de hábitos e comportamentos no exercício da cidadania, ora na participação da escola no Concurso da Experiência Pedagógica. Uma das ações que podemos fazer para trabalhar um tema de forma interdisciplinar é elaborar um projeto didático, desenvolvido na escola com a busca de um intercambio entre escola-família, comunidade populacional e institucional, que irá propiciar o desenvolvimento de seu trabalho envolvendo disciplinas variadas. Caso os professores, gestor escolar e alunos optem em participar do concurso Experiência Pedagógica, tem por inscrição o envio deste projeto, do relatório e dos materiais anexos (ver roteiro do relatório). O projeto em sendo um recurso didático tem a estrutura abaixo apresentada: 1- Identificação do projeto: nome da escola, nomes dos professores, séries e turmas que realizaram atividades, tempo de duração do projeto. Informar também o nome do município e a localidade na qual está inserida a escola. 2- Tema: O tema é o título do projeto que demonstra, de forma ampla, qual a problemática que vai ser trabalhada. 3- Sub -tema É a prioridade de maior importância relacionada com o tema selecionado para ser desenvolvido. 4- Justificativa - É o porquê do desenvolvimento do tema selecionado e a contribuição do projeto na solução do problema, ressaltando qual a sua relevância para o aluno e a comunidade, bem como qual a dimensão de impacto que se espera obter em benefício da escola e da comunidade. 5- Objetivo Geral Define qual a intenção, o que se objetiva alcançar, o que esperamos atingir e qual o produto final a ser produzido. 6- Objetivos Específicos Neste espaço serão descritas, em forma verbal, as aprendizagens que os alunos devem alcançar. E mais, este é o momento em que se vivencia a interação dos campos de conhecimentos, das disciplinas envolvidas na temática do projeto. 7- Metodologia Neste item registram-se as atividades a serem realizadas, citando o assunto a ser abordado. Quanto maior a diversidade e a quantidade de atividades, os resultados apresentarão melhor qualidade. 8- Avaliação A avaliação retrata o alcance dos propósitos previstos no objetivo do projeto, porém, neste espaço coloca- se a previsão de como acontecerá a avaliação. Os aspectos a serem avaliados são: o que e quando avaliar, quem são os parceiros a serem avaliados e para que avaliar o projeto. Nesta avaliação os resultados por serem de mudanças de comportamentos e atitudes, deve-se citar quais as atividades e os aspectos que vão ser utilizados. 9- Cronograma Definir neste item o período em meses, das principais atividades previstas à elaboração e à execução do projeto. 10- Recursos - Enumerar os recursos humanos, materiais e financeiros necessários para a execução do projeto. 11- Culminância - Esta atividade é o evento de divulgação dos resultados do projeto de cada turma, da comunidade e das Instituições parceiras. Os recursos e as atividades apresentadas devem estar de acordo com a criatividade e as possibilidades da escola. Neste momento é necessário envolver a escola, a família e a comunidade como resposta a mobilização social e envolvimento no projeto. SIMULAÇÃO DE UM PROJETO DIDÁTICO 1- Identificação do Projeto Tema: Criança saudável aprende mais Subtema: Alimentação Nome da Escola: Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental São Jerônimo Localidade: Boa Esperança Baturité - Gestores: João Fernandes e Marieta Severo Professores Responsáveis: Fernanda Montenegro, José Wilker, Osvaldo Cruz, Valesca Melão. Ano: 2º ao 5º ano e/ou 6º ao 9º ano Duração do projeto: 70 dias. 1

2 2- Justificativa Durante muitos anos acompanham-se, nas pequenas e grandes comunidades, o desenvolvimento físico das crianças e o hábito alimentar baseado em produtos sem nutrientes, cheios de corantes e sal. Percebemos que as crianças e adolescentes da escola desprezam os alimentos servidos na merenda escolar, trocando-os por alimentos industrializados que nem um pouco contribuem para o seu bom desenvolvimento físico. Percebemos também algumas conseqüências da má alimentação, como: carie dentárias, obesidade, baixo desempenho físico. Mesmo com o desenvolvimento de outros projetos voltados para área de saúde, dos textos voltados para o tema disponíveis nos livros didáticos, da merenda escolar estar mais variada, da insistência dos pais em melhorar os hábitos alimentares, não observamos mudança de hábitos dos educandos de nossa escola. Por este motivo propomo-nos a desenvolver este projeto com a intenção de provocar uma reflexão crítica, tanto nas crianças, quanto na escola, e nas famílias, sobre o tema, ora em questão. As atividades serão realizadas em todas as turmas de forma que cada uma seja responsável por uma ou mais ação, envolvendo assim toda a escola no projeto. O que se busca é uma possibilidade que sensibilize os educandos a alterarem seus hábitos alimentares e melhorem sua qualidade de vida. 3- Objetivo Geral Incentivar os educandos a modificarem seus hábitos alimentares aderindo a alimentação saudável. 4- Objetivos específicos Reconhecer o valor nutritivo das frutas, legumes e verduras; Investigar as conseqüências da má alimentação no desenvolvimento físico de crianças e adolescentes; Distinguir os componentes alimentares dos alimentos preferidos dos educandos. 5- Metodologia a) Produção de textos sobre o tema Alimentação Infantil. b) Elaboração de histórias em quadrinhos, poesias e cordéis sobre alimentação saudável. c) Palestra para educandos e pais, desenvolvida pelo integrante do programa Saúde da Família. d) Leitura e Interpretação de dados encontrados em artigos de jornais e/ou revistas sobre o tema. e) Elaboração e apresentação em tabelas e gráficos de dados levantados em pesquisas de opinião sobre o tema. f) Realização de entrevistas com as famílias do entorno da escola e da comunidade escolar sobre os alimentos naturais da região g) Entrevista com os habitantes mais velhos da comunidade e sobre os hábitos alimentares do passado. h) Pesquisas em livros, revistas e filmes a influência dos alimentos no desenvolvimento físico e mental de crianças e jovens. i) Pesquisa nos rótulos dos produtos; j) Elaboração de receitas em sala de aula ou pesquisada junto à família, na elaboração de alimentos saudáveis. 6- Avaliação a) Reuniões quinzenais para avaliar o desenvolvimento do projeto e replanejar caso seja necessário. b) Organização de um instrumental para ouvir a opinião dos pais e da comunidade nos trabalhos em que participaram com ideias ou presenças. c) Preenchimento pelos alunos do instrumental de auto avaliação. d) Roda de conversa para comentar os resultados do projeto e estabelecer os propósitos futuros da temática. e) Observação do comportamento alimentar, dos educandos. 7- Cronograma Atividades Mês M J A S O Elaboração do Projeto X Desenvolvimento das estratégias na sala de aula - X X X - Realização de palestra para educandos e pais. - X - X - Realização de atividades extra - classe - X X X - Culminância/ fechamento do relatório - X - Envio do projeto e relatório da Experiência Pedagógica SENAR X 2

3 8- Recursos a) Humanos: Busca de parcerias com outras secretarias, Igrejas, e diversas instituições que estejam envolvidas com o tema. b) Materiais/ Financeiros Fotografias/ Filmagens Materiais didáticos Impressões...etc. 9- Culminância Organizar um dia D na escola convidando profissionais da área de Saúde e de outras instituições para falarem sobre a importância da orientação a pais e alunos acerca do tema alimentação saudável. Os educandos apresentarão as atividades desenvolvidas ao longo do projeto. Fazer um painel expondo os registros escritos produzidos sobre o tema. Distribuir um folder com a produção dos alunos sobre propostas atividades do lar a ser desenvolvido pelas crianças e adolescentes e, também, a legislação que regulamenta o trabalho infantil. Na oportunidade, utilizar a arte com atividades de apresentação de teatro, de dança e de musicalidade para tornar mais criativa à apresentação das estratégias desenvolvidas no projeto. 10- Bibliografias (Opcional) Manual do Professor JACHINOSKI, A. C. P. et.al. : Manual do Professor Saúde. Ed. Única. Paraná p. Cartilhas do Programa Agrinho PINTO. A. C. ; JACHINOSKI, A. C. P. : Cartilha do Aluno Saúde 2º ao 5º ano. Ed. Única. Paraná p. PINTO. A. C. ; JACHINOSKI, A. C. P. : Cartilha do Aluno Saúde 6º ao 9º ano. Ed. Única. Paraná p. ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DO PROJETO DIDÁTICO SUGESTÃO O relatório do Projeto é uma prestação de contas do que foi feito na execução daquilo que foi projetado. Deve haver o cuidado de relatar todas as atividades realizadas, detalhando como aconteceu cada atividade. Observe a coerência entre o que foi planejado e está no projeto e o que realmente aconteceu e está sendo relatado. Devemos também observar a colocação de comprovante de cada atividade, como: fotos, atividades realizadas pelos alunos (uma cópia de cada atividade), lista de assinaturas com foto do evento no caso de palestras e seminários, questionário das entrevistas, fotos de cartazes e painéis, material concreto que comprove o que foi feito. Partes do Relatório 1. IDENTIFICAÇÃO A mesma feita no Projeto. 2. OBJETIVOS (GERAL e ESPECÍFICOS) São os mesmos descritos no projeto. A sua apresentação no relatório faz-se necessária para a comparação entre o resultado previsto e o realizado. 3. DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 3.1 INTRODUÇÂO - O registro deste item deve ser iniciado com alguns parágrafos de contextualização: pontos de destaque da prática pedagógica, dificuldades encontradas, reprogramação do projeto (causas e resultados) e a descrição do espaço escolar, como um ambiente sociocultural e um breve comentário sobre a comunidade na qual a escola está inserida. 3.2 ATIVIDADES EXECUTADAS - Escrever, detalhadamente, as atividades da execução do projeto colocando uma cópia das atividades desenvolvidas no projeto, para efeito de comprovação. Explanar cada atividade realizada, colocando o título, a data, a metodologia, os recursos utilizados, a turma que realizou a atividade, a participação dos alunos /comunidade e os resultados alcançados. O conteúdo das ações é o que está previsto nos objetivos específicos. 3.3 AVALIAÇÂO - É o espaço no qual se mede o atingimento dos objetivos geral e os específicos, as observações e os registros das mudanças de comportamento, dos alunos e da comunidade, verbalizadas e das práticas demonstradas. 3

4 3.4 CONCLUSÃO - Fazer uma síntese dos pontos de destaque, como ocorre uma culminância e apresentar propósitos para o futuro próximo e para a extensão da ação na escola/comunidade do projeto desenvolvido. RELATÓRIO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA- SIMULAÇÃO DE UM RELATÓRIO 1- Identificação do Projeto Tema: Criança saudável aprende mais Subtema: Alimentação Nome da Escola: Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental São Jerônimo Localidade: Boa Esperança Baturité - Gestores: João Fernandes e Marieta Severo Professores Responsáveis: Fernanda Montenegro, José Wilker, Osvaldo Cruz, Valesca Melão. Série: 2º ao 9º ano Duração do projeto: 70 dias 2- Objetivos 2.1 Objetivo Geral Incentivar os educandos a modificarem seus hábitos alimentares aderindo a alimentação saudável. 2.2 Objetivos específicos Reconhecer o valor nutritivo das frutas, legumes e verduras; Investigar conseqüências da má alimentação no desenvolvimento físico de crianças e adolescentes Distinguir os componentes alimentares dos alimentos preferidos dos educandos. 3 DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 3.1 Introdução A Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental São Jerônimo desenvolveu, neste ano, o Projeto Agrinho, com o Tema: Criança Saudável aprende mais. Isto porque muito preocupa os pais e a escola, os hábitos alimentares que os educandos vêm desenvolvendo, influenciados pelo consumismo e a mídia. As dificuldades dos pais em estar constantemente ao lado dos filhos e as guloseimas disponíveis nos comércios com fortes apelos da mídia, tem feito crianças, adolescentes e jovens abandonar a alimentação mais natural disponível na comunidade. Executar o projeto foi um momento importante, pois reuniu todas as turmas da escola e seus profissionais em busca de um só objetivo, modificar os hábitos alimentares dos educandos aderindo a alimentação saudável. O Projeto foi desenvolvido em três meses, com ações uma vez por semana, em turmas diferenciadas e em diversos momentos e espaços. Nas aulas cotidianas da escola, nas aulas de Educação Física e no Mais Educação. Nas atividades envolvemos a família e a comunidade conforme comprovamos através do relato das atividades e dos comprovantes apresentados a seguir. As metodologias utilizadas foram muito variadas, com a adoção de práticas como: palestras, aulas de campoentrevistas na comunidade e na escola, aulas expositivas, pesquisas, produção textual nos diversos gêneros, encenações de teatro, músicas, arte visual. Estabeleceu - se parcerias, por ser uma situação/problema no coletivo, com outras secretarias municipais, Igrejas, Sindicatos, ONG e outras Instituições representadas na comunidade. Vale ressaltar o referencial teórico usado por professores e educandos pautou-se nas leituras comentadas na Cartilha do Agrinho, consultas feitas na Internet e em outras fontes bibliográficas, até mesmo textos contidos na manual do professor. O envolvimento da comunidade se deu pelas famílias, quando se ouvem as suas memórias sobre a alimentação de suas infâncias, e a participação nas atividades desenvolvidas pela escola. Quanto à culminância do projeto foi uma oportunidade de expressar o trabalho da escola, a experiência do registro de uma prática pedagógica, na qual objetivou momentos de alcance de finalidades do projeto, além de ser um espaço de a escola abrir as portas à comunidade, na divulgação da aprendizagem dos alunos, com uma atividade festiva diferente das reuniões de pais. 3.3 Atividades Executadas Detalhamos aqui todas as atividades realizadas a partir da reunião dos professores para examinar a possibilidade de adesão ao programa Agrinho por todas as turmas e as propostas de temas que serão apresentadas aos educandos para saber a opinião dos mesmos. Todas as turmas da escola aderiram ao Projeto estabelecendo ações conjuntas como, por exemplo: Nas turmas do 4º ano realizamos Produção de textos sobre o tema Alimentação Saudável. A produção dos textos foi realizada a partir do planejamento realizado em conjunto pelos professores, que escolheram juntos a metodologia para produção dos textos, recursos materiais e o tempo em que seria realizada a atividade, conforme plano disponibilizado a seguir... 4

5 Os professores do 2º e 3º ficaram responsáveis em contactar com a nutricionista da Prefeitura e convida - lá para fazer uma palestra para os alunos e depois outra palestra para os pais e a comunidade. Após a palestra das crianças elas fizeram desenhos que ressaltavam aquilo que elas aprenderam na palestra, os desenhos foram expostos no pátio na hora da palestra que foi ministrada aos pais. O plano da atividade está detalhado a seguir, assim como um dos desenhos realizados pelos alunos: [...] A direção da escola também fez contato com a Equipe do Programa Saúde da Família para falar sobre o valor nutritivo de alimentos disponíveis na comunidade e da importância dos mesmos no desenvolvimento físico e mental de todos. A palestra foi ministrada durante a reunião de família e escola quando na demonstração dos boletins do bimestre, os alunos fizeram marcadores de livros com orientações sobre alimentação saudável para que fosse entregue aos presentes na palestra. [Fotos do palestrante e de momentos da palestra, alguns marcadores de livros colados em uma folha de papel ofício...] Detalhamento de todas as atividades realizadas, de preferência em ordem cronológica chegando à culminância. 3.4 Avaliação O processo vivenciado foi avaliado ao final de cada atividade, tendo como indicadores, a participação, a formulação dos conceitos adquiridos, as vivências coletivas e a representação da mudança de comportamento. Os instrumentos utilizados para a avaliação foram, a observação e o registro quantitativo e qualitativo das ações, sendo o registro um instrumento importante à análise e à reorganização da prática educativa e mais, de objeto de divulgação e de confirmação dos resultados obtidos. Observam-se como aspectos positivos no desenvolvimento do projeto, a participação ativa dos alunos, com o apoio logístico da comunidade escolar, na demonstração das ações desenvolvidas, utilizando as artes como linguagem, e as tecnologias como memória e recursos didáticos. Ressalta-se o engajamento dos parceiros na participação das atividades e na culminância do projeto. A valorização das famílias e do poder público, presentes nos momentos de divulgação dos resultados do projeto. No entanto, alguns pontos dificultaram um melhor desenvolvimento do projeto, como, o projeto não estava incluso no plano anual da escola, para que se possa fazer uma ação multidisciplinar e uma integração maior com outros projetos afins, mesmo assim, a autoavaliação dos alunos demonstrou mais pontos positivos do que as dificuldades. E como propósitos, esperamos que, em 2015, a escola cresça na qualidade com vivências que contribuam para uma aprendizagem mais expressiva. 3.5 Conclusão Sabe-se que comportamentos são atitudes caracterizadas, individualmente, no entanto, no ambiente social se converte num ato coletivo. Sendo assim, precisa de tempo, espaço e construção de conhecimento para transformar- se em cultura. Portanto, pode-se afirmar que os resultados obtidos estão coerentes com os objetivos propostos no projeto, embora precisem de uma vivência mais efetiva e de maior intensidade nas ações, para uma percepção precisa de mudança de comportamento. Vivenciando um projeto abraçado por toda escola podemos perceber que a escola ficou mais unida após a realização do Projeto e constatou sua força quando deseja fazer algo. Observamos como ganho a melhoria da relação da gestão com os professores, a união das turmas e a participação da família em momentos importantes da escola, reconhecendo-se como entes importantes no desenvolvimento de seus filhos e na aprendizagem dos mesmos. No discurso oral de educadores, pais e alunos, já observamos a estimulação de todos da escola na busca de gerir os conceitos apreendidos. A motivação gerada pelo interesse dos parceiros permite reconhecer uma consistência na continuidade, os propósitos verbalizados e registrados nos trabalhos produzidos pelos alunos apresentam o projeto como um recurso didático de maior precisão na medição de resultados e a interação escola/comunidade de forma clara percebeu se uma satisfação na apresentação das atividades. Com este contexto, reconhece-se a necessidade de incorporar no currículo da escola, de forma presente, as temáticas referentes ao cotidiano do aluno. E mais as instituições que fizeram uma parceria efetiva no suporte do projeto, proporcionaram a escola possibilidades de uma aprendizagem, além do conteúdo programático. A ideia de se trabalhar com áreas de conhecimento interligadas e utilizando se uma metodologia por projetos constata-se uma aprendizagem que desenvolve competências/habilidades. [Acrescentar outros anexos que considerarem importante para enriquecer o relatório] 5

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

Projeto Pedagógico. por Anésia Gilio

Projeto Pedagógico. por Anésia Gilio Projeto Pedagógico por Anésia Gilio INTRODUÇÃO Esta proposta pedagógica está vinculada ao Projeto Douradinho e não tem pretenção de ditar normas ou roteiros engessados. Como acreditamos que a educação

Leia mais

Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre Tchau!

Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre Tchau! UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRNDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA Disciplina EDU 03080 Pesquisa em Educação Professora: LILIANA MARIA PASSERINO Deu pra ti Baixo astral Vou pra Porto Alegre

Leia mais

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Gisllayne Rufino Souza UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo

Leia mais

Alternativa berço a berço

Alternativa berço a berço Alternativa berço a berço Nível de Ensino/Faixa Etária: Ensino Fundamental Final Áreas Conexas: Ciências, Língua Portuguesa Consultor: Robson Castro RESUMO Sobre o que trata a série? O documentário traz

Leia mais

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Tema VIDA EFICIENTE: A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO PLANETA Cronograma Orientações Pré-projeto Metodologia Relatório

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO PARTICIPATIVO

Leia mais

Hábitos saudáveis na creche

Hábitos saudáveis na creche 11 Hábitos saudáveis na creche Elvira Bezerra Pessoa: elvirabe@gmail.com Patrícia Edióne da Silva Graduada edionne.jp@hotmail.com Adeilson Paulino de Barros UEPB 1.INTRODUÇÃO No Brasil o atendimento á

Leia mais

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA...

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... JUSTIFICATIVA Desde o nascimento a criança está imersa em um contexto social, que a identifica enquanto ser

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO INFANTIL: EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL NECY MINERVINO DE CARVALHO NA CIDADE DE OLHO D' ÁGUA-PB

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO INFANTIL: EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL NECY MINERVINO DE CARVALHO NA CIDADE DE OLHO D' ÁGUA-PB EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO INFANTIL: EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL NECY MINERVINO DE CARVALHO NA CIDADE DE OLHO D' ÁGUA-PB Keudma Richelle Tiburtino Costa 1, Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 Bem - vindo ao Prêmio Professores do Brasil! FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 O processo de inscrição foi pensado para ajudá-lo a refletir sobre práticas de ensino e aprendizagem desenvolvidas

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO Neste ciclo, o projeto é desenvolvido de forma integrada, a partir de um tema as áreas de conhecimento do currículo escolar devem contribuir com seus conteúdos e metodologias no

Leia mais

Dia da família na escola. 13 de março de 2010

Dia da família na escola. 13 de março de 2010 1 Dia da família na escola 13 de março de 2010 Sugestões de atividades Desde 2009, o Amigos da Escola tem incentivado às escolas participantes do projeto a tornar os dias temáticos em dias da família e

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT Projeto Institucional - Faculdades Atibaia FAAT Parceria entre o Ensino Superior e a Escola Pública na formação inicial e continuada

Leia mais

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE Adriana Noviski Manso - PUCPR Beatriz Ferreira da Rocha - PUCPR Romilda Teodora Ens - PUCSP/PUCPR Resumo O presente relato

Leia mais

FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA

FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA Introdução A Escola e outros espaços educativos, como ONGs, movimentos sociais, pastorais e sindicatos vêm, através de

Leia mais

ESTA ESCOLA É O BICHO E ME ADOTA

ESTA ESCOLA É O BICHO E ME ADOTA mascotes ESTA ESCOLA É O BICHO E ME ADOTA me adota? Secretaria Especial dos Direitos Animais Ação educativa 2016-2º ciclo (final), 3º ciclo e Ensino Médio: MASCOTES ESTA ESCOLA É O BICHO E ME ADOTA Organizadora:

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA

ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA ÁGORA, Porto Alegre, Ano 4, Dez.2013. ISSN 2175-37 EDUCAR-SE PARA O TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE RESPEITO À VIDA Luciane de Oliveira Machado 1 INTRODUÇÃO Este artigo apresenta o projeto de educação para o

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA PRÁTICA DE LEITURA SIMULTÂNEA: FORMANDO COMPORTAMENTO LEITOR

RELATO DE EXPERIÊNCIA DA PRÁTICA DE LEITURA SIMULTÂNEA: FORMANDO COMPORTAMENTO LEITOR RELATO DE EXPERIÊNCIA DA PRÁTICA DE LEITURA SIMULTÂNEA: FORMANDO COMPORTAMENTO LEITOR Cristina Marico Matsubara Prefeitura do Município de São Paulo cr.matsubara@gmail.com Emilio Celso de Oliveira Prefeitura

Leia mais

PROJETO DE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL 2016 VIII FEIRA DE PROFISSÕES JK

PROJETO DE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL 2016 VIII FEIRA DE PROFISSÕES JK PROJETO DE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL 2016 TEMA: O PROFISSIONAL EMPREENDEDOR EM UM ENTENDIMENTO GLOBAL Local: Unidade do Guará Data: 20/08/2016 (sábado) Horário: início 08h término: 11h30 Data: 20/08/2016 (sábado)

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO 1. Identificação e caracterização Título do Projeto Nome do Prof(s) Coordenador(es) do Projeto Centro Laboratório Período Início Término Término previsto

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO Justificativa O conhecimento contemporâneo apresenta, entre outras características, as do crescimento acelerado,

Leia mais

NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO

NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO PROJETO SORRISO NA ESCOLA EDUCAÇÃO, ARTE E CULTURA BOM JESUS DO SUL PR, FEVEREIRO DE 2011. NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA

Leia mais

A ARTE E A EXPRESSÃO CORPORAL NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1

A ARTE E A EXPRESSÃO CORPORAL NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 A ARTE E A EXPRESSÃO CORPORAL NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 Ingrid Dos Santos Gonçalves 2, Sarai De Fátima Silveira De Souza 3, Andrisa Kemel Zanella 4. 1 projeto de extensão

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

SIMPÓSIO SOBRE ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO PAUTA

SIMPÓSIO SOBRE ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO PAUTA SIMPÓSIO SOBRE ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO PAUTA 14h - Início Das 14h às 14h15 - Abertura dos trabalhos com o Presidente do Conselho, Luiz Tadeu Pessutto e Secretária

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO Resumo HOÇA, Liliamar Universidade Positivo liliamarh@up.com.br MORASTONI, Josemary- Universidade Positivo

Leia mais

CONCURSO AGRINHO EDUCAÇÃO ESPECIAL

CONCURSO AGRINHO EDUCAÇÃO ESPECIAL CONCURSO AGRINHO EDUCAÇÃO ESPECIAL CONCURSO EDUCAÇÃO ESPECIAL CATEGORIA Desenho TEMA: As coisas que ligam o campo e a cidade e nosso papel para melhorar o mundo. O concurso é dirigido aos alunos com necessidades

Leia mais

PARTE 1 Identificação da Experiência

PARTE 1 Identificação da Experiência PARTE 1 Identificação da Experiência NOME DA INSTITUIÇÃO/ESCOLA/REDE: Escola Municipal Professora Maria Irene Vicentini Theodoro Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos. ENDEREÇO:

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1

MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1 MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1 Resumo Claudenici Aparecida Medeiros da Silva Universidade Federal do Pará Campus de Marabá Pólo de Canaã dos Carajás nici_medeiros@hotmail.com

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges

Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges Município/Escola Bandeirantes/ Ernesto Solon Borges Ações desenvolvidas (maio a novembro/2013)

Leia mais

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA INICIANDO A CONVERSA APROFUNDANDO O TEMA Por que ensinar gêneros textuais na escola? Registro

Leia mais

II Educom Sul. Educomunicação e Direitos Humanos Ijuí RS 27 e 28 de junho de 2013

II Educom Sul. Educomunicação e Direitos Humanos Ijuí RS 27 e 28 de junho de 2013 Mídias Na Educação: Perspectiva De Mudança 1 Sali Wanir Antonini 2 Márcia Elenir Vicente Duarte 3 Lucciane Elias 4 Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Hilda Köetz da 8ª CRE do RS São Pedro

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Horta Educativa

Mostra de Projetos 2011. Horta Educativa Mostra de Projetos 2011 Horta Educativa Mostra Local de: Cornélio Procópio. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: Escola Municipal João Paulo II - Educação Infantil e

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR PROJETO LER (Leitura, Escrita e Redação) Ana Paula Correia Taperoá - PB 2014 Ana Paula Correia PROJETO LER

Leia mais

Combate à dengue. 1. Justificativa. Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba

Combate à dengue. 1. Justificativa. Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba Combate à dengue Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba O projeto Combate à dengue será desenvolvido no Colégio Municipal Centro Educacional de Tremedal (CET), localizado na cidade de Tremedal (BA), com

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências Universidade Federal de Itajubá Título da dissertação: OS MANUAIS DOS PROFESSORES DOS LIVROS DIDÁTICOS

Leia mais

PROJETO PELA CULTURA DA PAZ

PROJETO PELA CULTURA DA PAZ PROMOTORIA DE JUSTICA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE DA COMARCA DE ITABIRA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSIO NOVA ERA SECRETARIA MUNICIPAL DE ITABIRA PODERES EM AÇÃO PELA EDUCAÇAO II ENCONTRO INTERSETORIAL

Leia mais

Faculdade Sagrada Família

Faculdade Sagrada Família Faculdade Sagrada Família DISCIPLINA: Gestão Escolar 4º período de Pedagogia Prof Ms. Marislei Zaremba Martins Texto: Equipe da Área de Educação Formal - Instituto Ayrton Senna A gestão da educação precisa

Leia mais

5. Considerações Finais

5. Considerações Finais 5. Considerações Finais No fim, realizada a viagem do mais complexo (ainda abstrato) ao mais simples e feito o retorno do mais simples ao mais complexo (já concreto) a expressão (...)passa a ter um conteúdo

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica 30/07 Sessão de Experiência Pedagógica INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II UM CAMINHO DE PESQUISA Profª Drª Cleuza Pelá (Escola Cidade Jardim SP) Introdução Quando o Projeto de Minimonografia

Leia mais

Vilma Aparecida Gomes

Vilma Aparecida Gomes Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola Vilma Aparecida Gomes Mestre em Lingüística pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora de Língua Portuguesa da Escola de Educação

Leia mais

12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA

12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA 12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA Resumo O presente trabalho tem como objetivo relatar uma experiência desenvolvida no Programa

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA.

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. Rosângela de Fátima Cavalcante França* Universidade Federal de Mato Grosso do Sul RESUMO Este texto apresenta de forma resumida

Leia mais

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS APRENDER BRINCANDO INVESTIDAS DA PRÁTICA EDUCACIONAL EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES JUNTO AO PROGRAMA INTEGRAÇÃO AABB COMUNIDADE, UMA EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS E JOVENS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DA CIDADE DE

Leia mais

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO A inclusão é uma realidade mundial. Desde a Declaração de Salamanca em

Leia mais

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS IDENTIFICAÇÃO O presente projeto de intervenção está sendo desenvolvido na Escola Municipal Professor

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

AULA 07. Profª Matilde Flório. Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...)

AULA 07. Profª Matilde Flório. Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) AULA 07 Profª Matilde Flório Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) Concurso PMSP- 2011 Reflexões Gerais para as dissertativas (recorte...) FÁBRICA DE IDÉIAS PEDAGÓGICAS

Leia mais

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins.

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. RIO VERDE GO 2010 Identificação: EMEF José do Prado Guimarães. Série:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES INTRODUÇÃO Bruna Barreto da Costa Cristina Faria de Souza Moreira Rafael Lima da Cruz Laudicéia Soares Urbano Embora a existência de creches

Leia mais

HORTA ESCOLAR RECURSO PARA SE DISCUTIR A EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Lizyane Lima Borges 1 Pedro Henrique de Freitas 2 Regisnei A. de Oliveira Silva 3.

HORTA ESCOLAR RECURSO PARA SE DISCUTIR A EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Lizyane Lima Borges 1 Pedro Henrique de Freitas 2 Regisnei A. de Oliveira Silva 3. HORTA ESCOLAR RECURSO PARA SE DISCUTIR A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Lizyane Lima Borges 1 Pedro Henrique de Freitas 2 Regisnei A. de Oliveira Silva 3. 1 Universidade Federal de Goiás-Jataí/ lizyanelima31@hotmail.com

Leia mais

TRABALHOS CIENTÍFICOS: REGULAMENTO

TRABALHOS CIENTÍFICOS: REGULAMENTO TRABALHOS CIENTÍFICOS: REGULAMENTO As VI Jornadas Luso- Brasileiras de Nutrição Oncológica pretendem proporcionar uma oportunidade para que todos os profissionais e investigadores interessados possam contribuir

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO BÁSICO: PROJETO AMBIENTE LIMPO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO BÁSICO: PROJETO AMBIENTE LIMPO EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO BÁSICO: PROJETO AMBIENTE LIMPO Autor: Dassayanne dos Santos Vasconcelos¹, Co-autores:Carlos de Oliveira Bispo¹; Jonathan Alisson dos Santos Souza¹; Prof. Marcos Lopes de Sant

Leia mais

Projeto Interdisciplinar

Projeto Interdisciplinar 0 Plano de Trabalho Docente 2013 Projeto Interdisciplinar ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Ensino Médio x Ensino Técnico Série/Módulo: 2º A,B,C,D Título Educação Ética e Cidadã Professor(es)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

CURSO DE BACHAREL EM CIÊNCIAS MILITARES

CURSO DE BACHAREL EM CIÊNCIAS MILITARES CURSO DE BACHAREL EM CIÊNCIAS MILITARES Autores: MAJOR PM Windson Jeferson Mendes de Oliveira e Prof. Carlos José Giudice dos Santos Curso de Formaçã ção de Oficiais da PMMG 2 ano PLANEJAMENTO DE AULAS

Leia mais

LER E PERTENCER. Justificativa:

LER E PERTENCER. Justificativa: 1 LER E PERTENCER Justificativa: A Biblioteca Pública João XXIII possui mais de 70 anos de existência e funcionando desde 1981 no prédio da Casa da Cultura de Bom Jardim¹. O que durante um tempo foi uma

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO

EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO EXPLICAÇÕES SOBRE A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO Elementos Textuais: INTRODUÇÃO: Introduzir significa apresentar. Descrever o trabalho baseando-se nas seguintes colocações: o quê fez, por que

Leia mais

ENTRADA E SAÍDA DAS CRIANÇAS NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL INTERAGIR

ENTRADA E SAÍDA DAS CRIANÇAS NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL INTERAGIR ESCOLA INTERAGIR ENTRADA E SAÍDA DAS CRIANÇAS NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL INTERAGIR ANDREA CRISTIANE MARASCHIN BRUSCATO PORTO ALEGRE, 2011 A criatividade de uma nação está ligada à capacidade de pensar,

Leia mais

Projeto Jornal Educativo Municipal

Projeto Jornal Educativo Municipal Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Santa Bárbara de Goiás Secretaria Municipal da Educação Santa Bárbara de Goiás - GO Projeto Jornal Educativo Municipal Santa Bárbara de Goiás Janeiro/2013 Estado

Leia mais

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - MIOSÓTIS Daniella Mac-Dowell

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRRETOS - UNIFEB PROJETO INTEGRADO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRRETOS - UNIFEB PROJETO INTEGRADO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRRETOS - UNIFEB PROJETO INTEGRADO BARRETOS, MARÇO DE 2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRRETOS - UNIFEB PROJETOS INTERDISCIPLINARES

Leia mais

Retomar as avaliações feitas e montar um quadro que reflita o cenário do trabalho com a leitura hoje nas suas escolas.

Retomar as avaliações feitas e montar um quadro que reflita o cenário do trabalho com a leitura hoje nas suas escolas. Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da tarde Pauta de encontro Olá coordenadoras, mais uma vez estaremos

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS BOA VISTA/ CENTRO ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS BOA VISTA/ CENTRO ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE ETENSÃO PBAE / EDIÇÃO 2016 CAMPUS BOA VISTA/ CENTRO ANEO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / DA ATIVIDADE DE ETENSÃO PBAE 2016 01. Título do Projeto (Re) Educação

Leia mais

TELEVISANDO O FUTURO. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

TELEVISANDO O FUTURO. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) TELEVISANDO O FUTURO Mostra Local de: Maringá Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Instituto GRPCOM Cidade: Área de Abrangência:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARANÁ SENAR-AR/PR PROGRAMA APRENDIZAGEM DE ADOLESCENTES E JOVENS

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARANÁ SENAR-AR/PR PROGRAMA APRENDIZAGEM DE ADOLESCENTES E JOVENS SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARANÁ SENAR-AR/PR PROGRAMA APRENDIZAGEM DE ADOLESCENTES E JOVENS Rua Mal. Deodoro, 450 17º - Centro Curitiba - PR CEP 80.010-910 - Fone

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante)

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo.

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo. Prêmio Sinepe 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo tempo Apresentação do Projeto Um pouco de História do Colégio Batista

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAGÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PRÊMIO PROFESSOR DO ANO 2011. Capítulo I: Do regulamento

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAGÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PRÊMIO PROFESSOR DO ANO 2011. Capítulo I: Do regulamento PREFEITURA MUNICIPAL DE BAGÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PRÊMIO PROFESSOR DO ANO 2011 Capítulo I: Do regulamento ART 1 - O evento Prêmio Professor do Ano é uma promoção da SECRETARIA MUNICIPAL DE

Leia mais

TRAProhe TRATR MANUAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR. Curso Superior Tecnológico de Gestão em Finanças. Currículo 2009-2

TRAProhe TRATR MANUAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR. Curso Superior Tecnológico de Gestão em Finanças. Currículo 2009-2 TRATR TRAProhe MANUAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR Curso Superior Tecnológico de Gestão em Finanças Currículo 2009-2 Coordenador Geral: Coordenador do Curso: Centro de Excelência no Ensino: Alexandre Miserani

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

UnP. fazendo e compartilhando a gente aprende mais

UnP. fazendo e compartilhando a gente aprende mais DIRETRIZES DO ALUNO Olá, você está fazendo parte de um projeto de melhoria acadêmicoaction! Neste material você encontrará todas as pedagógica: o Edu Action informações necessárias para entender como esse

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO Curso: Pedagogia PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Disciplina: Pedagogia de Projetos Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito de projeto. Concepções

Leia mais

Projeto Grêmio em Forma. relato de experiência

Projeto Grêmio em Forma. relato de experiência Projeto Grêmio em Forma relato de experiência Instituto Sou da Paz Organização fundada em 1999, a partir da campanha dos estudantes pelo desarmamento. Missão: Contribuir para a efetivação, no Brasil, de

Leia mais

Avaliação-Pibid-Metas

Avaliação-Pibid-Metas Bolsista ID: Claines kremer Avaliação-Pibid-Metas A Inserção Este ano o reingresso na escola foi diferente, pois já estávamos inseridas na mesma há praticamente um ano. Fomos bem recepcionadas por toda

Leia mais

Assistência Social. Casa dos Irmãos Samaritanos

Assistência Social. Casa dos Irmãos Samaritanos Assistência Social Casa dos Irmãos Samaritanos Justificativa Carência de oferta de atividades recreativas e culturais na localidade. Pela análise da ficha social, bem como pelas visitas domiciliares, verificamos:

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA

Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA Creche Municipal Prof. Rafael Rueda PROJETO 1º BIMESTRE CONSTRUINDO A IDENTIDADE E AUTONOMIA Diretora: Simone de Oliveira Sousa Coordenadora: Zilmari Barbalho Araujo Educadores: Ana Paula Pereira, Demilson

Leia mais

Luzinete André dos Santos LER, INTERPRETAR E PRATICAR A MATEMÁTICA

Luzinete André dos Santos LER, INTERPRETAR E PRATICAR A MATEMÁTICA Luzinete André dos Santos LER, INTERPRETAR E PRATICAR A MATEMÁTICA Iraquara Bahia 2006 Luzinete André dos Santos LER, INTERPRETAR E PRATICAR A MATEMÁTICA Projeto de Intervenção Pedagógica a Faculdade de

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO.

PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. PROJETOS DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: DO PLANEJAMENTO À AÇÃO. LETICIA VICENTE PINTO TEIXEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS). Resumo É sabido o quanto é grande o esforço das escolas em ensinar a leitura

Leia mais

INTERAÇÃO E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM COMPARTILHADO E COLABORATIVO NUM FÓRUM DE DISCUSSÃO

INTERAÇÃO E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM COMPARTILHADO E COLABORATIVO NUM FÓRUM DE DISCUSSÃO 1 INTERAÇÃO E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM COMPARTILHADO E COLABORATIVO NUM FÓRUM DE DISCUSSÃO 05/2005 050-TC-C5 Fabiana Martins Vilela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO

PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO ANO: 7 ano

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores O CURSO DE EXTENSÃO DA UNIRIO EDUCAÇÃO INFANTIL: ARTE, CORPO E NATUREZA : RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB 1 Cláudia Patrícia Fernandes dos Santos, UFCG 2 Marcondes Fernando Pereira Carvalho, UFCG 3 Edson de

Leia mais

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 Resumo Este artigo aborda o projeto TV Cedro Rosa, desenvolvido na Escola Municipal de

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Campus Nilópolis Ana Paula Inacio Diório AS MÍDIAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira Projeto de trabalho Toda criança tem um repertório de conhecimentos

Leia mais

Educação Integral Desafios para a implementação

Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral: uma demanda da sociedade Enfrentamento da desigualdade social: Garantia de direitos Ampliação das redes de proteção para crianças e adolescentes

Leia mais

EMEB. "ADELINA PEREIRA VENTURA" PROJETO: DIVERSIDADE CULTURAL

EMEB. ADELINA PEREIRA VENTURA PROJETO: DIVERSIDADE CULTURAL EMEB. "ADELINA PEREIRA VENTURA" PROJETO: DIVERSIDADE CULTURAL Cuiabá/2015 Escola: Adelina Pereira Ventura. Cuiabá, 15 de Setembro de 2015. Professora: Suzana Garcia de Arruda Coordenadora: Regina Pereira

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS E/OU PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIDADES VILA VELHA / VITÓRIA / SERRA A REDE DOCTUM torna público à comunidade acadêmica de todas as suas unidades a abertura do processo

Leia mais

GEOMETRIA VIRTUAL: UMA PROPOSTA DE ENSINO PARA OS ANOS INICIAIS

GEOMETRIA VIRTUAL: UMA PROPOSTA DE ENSINO PARA OS ANOS INICIAIS GEOMETRIA VIRTUAL: UMA PROPOSTA DE ENSINO PARA OS ANOS INICIAIS Francimar Gomes de Oliveira Júnior Universidade Federal do Mato Grosso do Sul francirrio@gmail.com Bruna Samylle Pereira de Oliveira Universidade

Leia mais