MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO EM BRANCO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO EM BRANCO"

Transcrição

1 MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO EM BRANCO Caro empreendedor, para que você possa elaborar com facilidade seu plano de negócio, utilize o manual da Etapa 2 seguindo as orientações passo a passo que estão contidas entre as páginas 06 a 11. Além do manual, deixe ao seu lado o modelo do plano de negócio correspondente ao setor da sua idéia. Este modelo o ajudará, pois está exemplificando um plano que pode ser semelhante ao seu. DADOS DA EMPRESA Nome da Empresa: Razão Social: Sócios: Endereço: Fone/Fax: CEP: Pessoa para Contato: PASSO 1 RAMO DE ATIVIDADE PASSO 2 MERCADO CONSUMIDOR PASSO 3 MERCADO CONCORRENTE Empresas Concorrentes Pontos Fortes Pontos Fracos

2 PASSO 4 MERCADO FORNECEDOR PRINCIPAIS FORNECEDORES: PRODUTOS OU SERVIÇOS FORNECIDOS: PASSO 5 PRODUTOS FABRICADOS / MERCADORIAS / SERVIÇOS PRODUTOS E SERVIÇOS OFERECIDOS PELA EMPRESA: PASSO 6 LOCALIZAÇÃO PASSO 7 PROCESSO OPERACIONAL PASSO 8 PROJEÇÃO DO VOLUME DE VENDAS Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 2

3 PASSO 9 PROJEÇÃO DE NECESSIDADE DE PESSOAL Tipo de Trabalho Número de Pessoas Qualificações Desejáveis Quem? PASSO 10 - ANÁLISE FINANCEIRA ESTUDO DE VIABILIDADE Para a realização deste passo utilize os modelos de planos. Eles o ajudarão na definição de itens e cálculos a serem realizados. 1. PROJEÇÃO DO CAPITAL NECESSÁRIO PARA COMEÇAR O NEGÓCIO Item DISCRIMINAÇÃO VALORES EM R$ Capital Total Necessário Pelos cálculos efetuados será necessário, então, um capital em torno de R$ para colocar em funcionamento a. 2. ESTIMATIVA DO RESULTADO MENSAL DA EMPRESA GASTOS MENSAIS COM PESSOAL Quant. Funções VALOR MENSAL (R$) SOMA Encargos Sociais* ( %) * Informar e calcular com o valor percentual de acordo com a lei. TOTAL Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 3

4 DESPESAS ADMINISTRATIVAS ou CUSTOS FIXOS Itens Especificação das Despesas VALOR MENSAL (R$) Total Total de Custos Fixos (CF) Quantidade Produzida ou Vendida (Q) = Custo Fixo Unitário (CFU). =. CFU =. DESPESAS DE VENDAS ou CUSTOS VARIÁVEIS Itens Especificação das Despesas VALOR MENSAL (R$) Total Total de Custos Variáveis (CV) Quantidade Produzida/Vendida (Q) = Custo Variável Unitário (CVU). =. CVU =. 3. CÁLCULO DO PREÇO DE VENDA CC = Custo de Comercialização CPU = Custo Unitário por Produção PVU = Preço de Venda Unitário Q = Quantidade Produzida/Vendida CDU = Custo Direto Unitário CDM = Custo Direto Mensal SIMPLES NACIONAL - Supersimples % CUSTO DE COMERCIALIZAÇÃO (CC) OUTRO(S) IMPOSTO(S) % (se não for Supersimples) TOTAL CC = % CC (% / 100) = Margem de Lucro = % (Margem de lucro desejada pelos sócios da empresa) Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 4

5 PVU = CPU 1 (CC + Margem de Lucro) PVU = 1 ( + ) PVU =. Então, o preço de venda de cada produto /serviço (PVU) = R$. Sintetizando, temos: MERCADORIA Quant. Mensal Preço de Venda CDU* Receita Mensal CDM** TOTAL * CDU = Custo Direto Unitário ** CDM = Custo Direto Mensal Receita Mensal = Quantidade Produzida/Vendida (Q) x Preço de Vendas Unitário (PVU) CDM = Quantidade Mensal x CDU RESULTADO MENSAL DO EMPREENDIMENTO Itens DISCRIMINAÇÃO VALOR MENSAL (R$) 1 Receita Bruta de Vendas 2 Impostos sobre a Receita (Receita x %CC) 3 Receita Líquida 4 Custo Direto Mensal 5 Lucro Bruto 6 Despesas Administrativas e/ou Vendas Lucro Operacional (lucro líquido) Chegamos assim a uma projeção de Lucro Operacional no valor de R$. 4. LUCRATIVIDADE LUCRATIVIDADE = Lucro Líquido X 100 Receita Total Lucratividade = = % Com base neste índice podemos afirmar que: para cada R$ 100,00 em vendas, a empresa obterá um lucro de R$. 5. RENTABILIDADE RENTABILIDADE = Lucro Líquido X 100 Investimento Total Obs: Investimento Total previsto de R$, conforme item 7. Rentabilidade = = % Com base neste índice podemos afirmar que, o capital investido no negócio, retorna sob a forma de lucro, a uma taxa de % ao mês. Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 5

6 6. PRAZO DE RETORNO DO INVESTIMENTO Prazo de Retorno do Investimento = Investimento Total Lucro Líquido Prazo de Retorno do Investimento = = * meses (*) se o RESULTADO não for um número inteiro, deve-se arredondá-lo para cima. Com base neste índice podemos afirmar que, em um prazo de meses, todo o capital investido pelo proprietário retornará na forma de lucros. 7. PONTO DE EQUILÍBRIO PE = Custos Fixos MCU Custo Variável Unitário (R$ + R$ *) R$ Preço de Venda Unitário (PVU) R$ Total de Custos Fixos (CF) R$ *Esse valor é o valor em porcentagem do CC sobre PVU Margem de Contribuição Unitária MCU = PVU CVU (Custo Variável Unitário) MCU = = R$ Agora sim, é possível calcularmos o Ponto de Equilíbrio. Ponto de Equilíbrio ($) PE = Custos fixos MCU PE = = Portanto, será preciso vender/produzir /mês, para pagar todas as despesas. Neste caso não haverá nem lucro nem prejuízo. *************************************************************************** Bem, agora que você já tem seu plano de negócios elaborado e já conseguiu fazer o último passo da análise financeira, já pode verificar se seu negócio tem viabilidade. Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 6

7 Seu negócio tem viabilidade? Para avaliar a saúde financeira de seu empreendimento, faça o uso de escala simples e didática. Observe os resultados percentuais que você obteve na sua lucratividade (índice anual) e na sua rentabilidade (índice mensal) e compare os índices com o que indica as tabelas a seguir: POTENCIAL DE SUCESSO - ESCALA DE VIABILIDADE ÍNDICES ANÁLISE FINANCEIRA ORIENTAÇÃO Abaixo de 10% De 11% a.a. até 20% De 21% a.a. até 29% Acima de 30% Negócio inviável Viabilidade Satisfatória Regular Viabilidade Satisfatória Boa Viabilidade Satisfatória Ótima ZONA DE PERIGO A rentabilidade e lucratividade de sua idéia de negócio ainda não atingiram o nível desejado de segurança. Reveja seus números e verifique o que pode ser ajustado ou descarte a idéia de negócio. ZONA DE SEGURANÇA - A rentabilidade e lucratividade de sua idéia de negócio atingem o nível regular de segurança. ZONA DE SEGURANÇA - A rentabilidade e lucratividade de sua idéia de negócio atingem um bom nível de segurança. ZONA DE SUCESSO - A rentabilidade e lucratividade de sua idéia de negócio atingem um ótimo nível de segurança PRÓXIMOS PASSOS Agora, que você já possui várias informações sobre a viabilidade da sua idéia de negócio, que tal colocar em prática? Desejamos que você tenha suce$$o em seu empreendimento!!!!! Negócio Certo SEBRAE SC - Modelo de Plano de Negócio em Branco 7

Plano de Negócio - Agronegócio Atividade Individual em aula 3,0 pontos

Plano de Negócio - Agronegócio Atividade Individual em aula 3,0 pontos FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO CENTRO SUL FUNDASUL FACULDADE CAMAQÜENSE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE DE AGRONEGÓCIOS Professor Paulo Nunes 1

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. Roteiro Financeiro. Prof. Fábio Fusco

PLANO DE NEGÓCIO. Roteiro Financeiro. Prof. Fábio Fusco PLANO DE NEGÓCIO Roteiro Financeiro Prof. Fábio Fusco ANÁLISE FINANCEIRA INVESTIMENTO INICIAL O investimento inicial expressa o montante de capital necessário para que a empresa possa ser criada e comece

Leia mais

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome da Empresa: Sapatos e Bolsas BACANAS. Razão Social: Sócios: Endereço: Fone/Fax: Pessoa para Contato: CEP: ETAPA 2 DESCRIÇÃO GERAL DO NEGÓCIO O que a empresa

Leia mais

Palestra Avaliação do Preço de Venda e Ponto de Equilíbrio. 1o Café com os festeiros de São Paulo WAGNER VIANA PEREIRA

Palestra Avaliação do Preço de Venda e Ponto de Equilíbrio. 1o Café com os festeiros de São Paulo WAGNER VIANA PEREIRA Palestra Avaliação do Preço de Venda e Ponto de Equilíbrio WAGNER VIANA PEREIRA Apresentação Wagner Viana Pereira Consultor financeiro do Sebrae-SP; Professor titular das Faculdades Oswaldo Cruz; Graduado

Leia mais

Universidade São Marcos

Universidade São Marcos FUNDAMENTOS DE FINANÇAS AS FLEX UNIDADE 4 - Aula 2 GESTÃO DE CUSTOS Margem de Contribuição e Ponto de Equilíbrio CENÁRIO ATUAL O Mercado cada vez mais competitivo. Preocupação dos empresários com seus

Leia mais

Formação do Preço de Venda

Formação do Preço de Venda CURSO DE ADM - 5º PERÍODO - FASF Objetivo Refletir sobre a importância de se conhecer e identificar a FORMAÇÃO DE PREÇO, como fator determinante para a sobrevivência da exploração da atividade da empresa.

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 6 Plano de Negócios Empreendedorismo de Negócios com Informática - Plano de Negócios 1 Conteúdo Sumário Executivo Apresentação da Empresa Plano de Marketing

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre o responsável pela proposta. Nome : Identidade: Órgão Emissor: CPF: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: E-mail Formação Profissional: Atribuições

Leia mais

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 4. Organizando e Administrando o Negócio

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 4. Organizando e Administrando o Negócio Programa de Auto-Atendimento Manual Etapa 4 Organizando e Administrando o Negócio Etapa 0 Acesso ao Programa. Etapa 1 Gerando Idéias de Negócio. Etapa 2 Verificando a Viabilidade do Negócio. Etapa 3 Formalizando

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE

COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 COMECE CERTO QUESTÕES FUNDAMENTAIS PARA O PLANEJAMENTO E ANÁLISE DE NOVOS NEGÓCIOS OBJETIVO DO DEBATE Apresentar

Leia mais

MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae

MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae Data: Nome da Empresa: Nome dos Proprietário(s): Endereço: Telefone: Email: 1 Empreendimento Proposto 1.1 Objetivo do Empreendimento: A empresatem por objetivo principal

Leia mais

Verificando a viabilidade do negócio

Verificando a viabilidade do negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Verificando a viabilidade do negócio Manual Etapa 2/Parte 2 Bem-vindo! Olá, caro empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto-Atendimento

Leia mais

Etapas para a preparação de um plano de negócios

Etapas para a preparação de um plano de negócios 1 Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: EMPREENDEDORISMO Turma: 5 ADN Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: O PLANO DE NEGÓCIO A necessidade de um plano de negócio

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL Braulino José dos Santos TERMINOLOGIAS Terminologia em custos Gasto Investimento Custo

Leia mais

Pessoa para Contato: João Barbosa. Rua Ceará, 1254. Belo Horizonte MG.

Pessoa para Contato: João Barbosa. Rua Ceará, 1254. Belo Horizonte MG. PLANO DE NEGÓCIO EMPRESA DO RAMO DE SERVIÇOS ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome da Empresa: Brilhante Serviços de Limpeza Razão Social: Barbosa e Rodrigues ME Sócios: João Barbosa e Jerônimo

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 2. Verificando a Viabilidade do Negócio

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 2. Verificando a Viabilidade do Negócio Programa de Auto-Atendimento Manual Etapa 2 Verificando a Viabilidade do Negócio 1 Boas Vindas! Olá, Caro Empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto- Atendimento Negócio Certo SEBRAE/SC..

Leia mais

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Apresentação Valdecir de Oliveira Pereira Diretorde Desenvolvimento valdecir@grvsoftware.com.br www.grvsoftware.com.br GRV Software

Leia mais

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Sejam bem-vindos Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Curso 5 dias 1º 2º 3º 4º 5º Curso 10 dias OBJETIVOS 1º Apresentação do curso, empreendedorismo e CCE's 2º Cenário macroeconômico,

Leia mais

Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva

Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS E A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINANCEIRO

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS E A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINANCEIRO ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS E A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINANCEIRO Potenciais interessados na análise Sócios/acionistas: extraem da análise das demonstrações financeiras os dados necessários para

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO NO PLANO DE NEGÓCIOS Prof. Ms. Marco Arbex

ELEMENTOS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO NO PLANO DE NEGÓCIOS Prof. Ms. Marco Arbex ELEMENTOS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO NO PLANO DE NEGÓCIOS Prof. Ms. Marco Arbex Alguns conceitos Custos fixos: aqueles que não sofrem alteração de valor em caso de aumento ou diminuição da produção. Independem

Leia mais

Verificando a viabilidade do negócio

Verificando a viabilidade do negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Verificando a viabilidade do negócio Manual Etapa 2/Parte 1 Bem-vindo! Olá, caro empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto-Atendimento

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE 0 6. ÍNDICES DE RENTABILIDADE Caro aluno, você já sabe todo empresário ou investidor espera que o capital investido seja adequadamente

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO

ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO MERCADO IMOBILIÁRIO O estudo de viabilidade econômica para o setor de empreendimento imobiliário representa uma consultoria completa. Com ele será possível obter

Leia mais

Gestão de Custos. Aula 6. Contextualização. Instrumentalização. Profa. Me. Marinei Abreu Mattos. Vantagens do custeio variável

Gestão de Custos. Aula 6. Contextualização. Instrumentalização. Profa. Me. Marinei Abreu Mattos. Vantagens do custeio variável Gestão de Custos Aula 6 Contextualização Profa. Me. Marinei Abreu Mattos Instrumentalização Tomar decisões não é algo fácil, por isso a grande maioria dos gestores procuram utilizar as mais variadas técnicas

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14 PLANO DE NEGÓCIO EMPRESA (inserir logo) SET/14 Índice 1 INTRODUÇÃO-Sumário Executivo 04 1.1 Identificação da Empresa 04 1.1.1 Histórico da empresa 04 1.1.2 Definição do modelo de negócio 05 1.1.3 Constituição

Leia mais

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio.

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Roteiro para apresentação do Plano de Negócio Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Abaixo encontra-se a estrutura recomendada no Empreenda! O Plano de Negócio deverá

Leia mais

NOÇÕES DE CUSTO Receita Custo (Despesa) Investimento Encaixe (Embolso) Desencaixe (Desembolso)

NOÇÕES DE CUSTO Receita Custo (Despesa) Investimento Encaixe (Embolso) Desencaixe (Desembolso) NOÇÕES DE CUSTO Receita Entrada de elementos para a empresa (dinheiro ou direitos a receber) Custo (Despesa) É todo o gasto realizado pela empresa para auferir receita Investimento É a aplicação de recursos

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Jump FI Cambial Dólar CNPJ Nº 01.789.845/0001-70 Informações referentes a 2014

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Jump FI Cambial Dólar CNPJ Nº 01.789.845/0001-70 Informações referentes a 2014 Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Jump FI Cambial Dólar CNPJ Nº 01.789.845/0001-70 Informações referentes a 2014 1. Denominação completa do fundo conforme o cadastro na CVM: Tokyo-Mitsubishi

Leia mais

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014 Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014 1. Denominação completa do fundo conforme o cadastro na CVM: Tokyo-Mitsubishi

Leia mais

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL 1. INTRODUÇÃO Este anexo objetiva apresentar as informações necessárias a orientar a LICITANTE quanto à apresentação e conteúdo da sua PROPOSTA

Leia mais

EXERCÍCIOS EXTRAS COM RESPOSTA GESTÃO DE CUSTOS

EXERCÍCIOS EXTRAS COM RESPOSTA GESTÃO DE CUSTOS EXERCÍCIOS EXTRAS COM RESPOSTA GESTÃO DE CUSTOS SUMÁRIO 1 Exercício 01...2 2 Exercício 02 - O caso da Empresa Equilibrada....4 3 Exercício 03...5 4 Exercício 04...6 5 Exercício 05...7 6 Exercício 06...9

Leia mais

LL = Q x PVu Q x CVu CF

LL = Q x PVu Q x CVu CF UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ANÁLISE FINANCEIRA 2745 CARGA HORÁRIA: 68 PROFESSOR: MSc Vicente Chiaramonte

Leia mais

Tema Nº 3 Primeiros Passos

Tema Nº 3 Primeiros Passos Tema Nº 3 Primeiros Passos Habilidades a Desenvolver: Reconhecer as etapas iniciais do empreendedorismo. Analisar o tipo de negócio, bem como sua viabilidade e demandas de recursos de novos empreendimentos.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Texto para as questões de 31 a 35 conta saldo despesa de salários 10 COFINS a recolher 20 despesas de manutenção e conservação 20 despesa de depreciação 20 PIS a recolher 30 despesas

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 2 Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você em mais uma etapa de sua viagem rumo

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1) Considere os demonstrativos a seguir: Balanço Patrimonial em 31.12.2011 Ativo Passivo Ativo Circulante R$ 252.000,00 Passivo Circulante R$ 168.000,00 Ativo Imobilizado R$ 348.000,00

Leia mais

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

MESTRE MARCENEIRO Conceitos básicos para Formação de preço na marcenaria

MESTRE MARCENEIRO Conceitos básicos para Formação de preço na marcenaria Importância da formação do preço. A intensificação da concorrência entre as marcenarias, indústria de móveis em série e lojas de móveis modulares exige, por parte dos Marceneiros, a apuração eficaz das

Leia mais

Total de meses de duração: 10 x 12 = 120 meses

Total de meses de duração: 10 x 12 = 120 meses CUSTO FIXO: É a soma de todas as despesas mensais de uma empresa que esteja funcionando, mesmo que não venda ou não preste nenhum serviço. CUSTO VARIÁVEL: são todos aqueles que variam conforme a quantidade

Leia mais

ENTENDENDO CUSTOS, DESPESAS E PREÇO DE VENDA

ENTENDENDO CUSTOS, DESPESAS E PREÇO DE VENDA ENTENDENDO CUSTOS, DESPESAS E PREÇO DE VENDA 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 CENÁRIO ATUAL O mercado cada vez mais competitivo. Preocupação dos empresários com seus custos. Política

Leia mais

ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE 1 ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE Giselle Damasceno da Silva Graduanda em Ciências Contábeis pela UFPA RESUMO Este estudo, parte da necessidade de utilização

Leia mais

QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda. HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro

QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda. HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro Somos uma empresa especializada em consultoria de FÁBRICA e CUSTOS. QUEM

Leia mais

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 PizzarIFSC - Pizzaria IFSC Pizzaria IFSC Elaborado por: Edson Watanabe Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 Tipo Empresa: Empresa nascente 1 - Sumário Executivo 1.1 - Resumo

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 Jéssica Schreiber Boniati 2, Eusélia Pavéglio Vieira 3. 1 Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso

Leia mais

Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo 20

Leia mais

Custos fixos São aqueles custos que não variam em função das alterações dos níveis de produção da empresa. Exemplo: aluguel depreciação

Custos fixos São aqueles custos que não variam em função das alterações dos níveis de produção da empresa. Exemplo: aluguel depreciação 1 Alguns conceitos de custos... gasto, despesa ou custo? Gasto: Sacrifício financeiro com que a entidade arca para a obtenção de um produto ou qualquer serviço 1. Investimento: Gasto ativado em função

Leia mais

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo.

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo. Unidade III FIXAÇÃO DOS ÍNDICES PADRÕES Matarazzo (08) afirma: A Análise de Balanços através de índices só adquire consistência e objetividade quando os índices são comparados com padrões, pois, do contrário,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO BNP PARIBAS MATCH DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO - CRÉDITO PRIVADO

DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO BNP PARIBAS MATCH DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO - CRÉDITO PRIVADO DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO CNPJ/MF: Informações referentes a 2015 1. Denominação completa do fundo conforme o cadastro na CVM: BNP PARIBAS MATCH DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO - CRÉDITO PRIVADO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016 MARATONA PROGRAMADO FIA BDR NIVEL I 21.363.225/000182 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MARATONA PROGRAMADO FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA CNPJ: 00.828.035/0001-13 Informações referentes a Novembro/2015 Esta lâmina contém um resumo das

Leia mais

Ponto de Equilíbrio Contábil

Ponto de Equilíbrio Contábil CONTABILIDADE DE CUSTOS Prof. Viviane da Costa Freitag 3. ANÁLISE CUSTO X VOLUME X LUCRO A análise da relação Custo x Volume x Lucro, busca apresentar o comportamento dos custos e do lucro em função do

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

Aula 12. Definição do Orçamento do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni

Aula 12. Definição do Orçamento do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni Aula 12 Definição do Orçamento do Plano de Marketing Profa. Daniela Cartoni Orçamento do Plano de Marketing Em paralelo ao plano de ação, é necessário que a empresa constitua um orçamento de apoio. Na

Leia mais

2.1. Giro dos Estoques O giro dos estoques geralmente mede a atividade, ou liquidez, dos estoques da empresa. Quanto maior for o valor dos estoques, maior será a necessidade de capital de giro da empresa.

Leia mais

Viabilidade de Negócios. Serviço

Viabilidade de Negócios. Serviço Viabilidade de Negócios Serviço SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO... 12 3. INVESTIMENTOS FIXOS... 17 4. GASTOS FIXOS MENSAIS... 23 5. CAPITAL DE GIRO INICIAL... 38 6. INVESTIMENTO

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Aula 11 Teoria das restrições Decisões com base no custeio variável em cenários com restrição da capacidade produtiva.

Aula 11 Teoria das restrições Decisões com base no custeio variável em cenários com restrição da capacidade produtiva. CONTABILIDADE GERENCIAL Aula 11 Teoria das restrições Decisões com base no custeio variável em cenários com restrição da capacidade produtiva. Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino da Disciplina: CONTABILIDADE

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS 1

INDICADORES FINANCEIROS 1 42 INDICADORES FINANCEIROS 1 A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing, produção,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Janeiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo Elaboração do Trabalho: valor 3,0 Apresentação : Valor 3,0 (Impressa/escrita e Slides)

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O COINVALORES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O COINVALORES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O COINVALORES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF: 01.601.389/0001-93 Informações referentes a Fevereiro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA APOSTILA DE ESTUDO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Marcelo Cauduro de Castro - Mestre mccastro@terra.com.br MINI CURRÍCULO: Marcelo Cauduro de Castro é Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Federal

Leia mais

Análise Econômica. Nívea Cordeiro

Análise Econômica. Nívea Cordeiro Análise Econômica Nívea Cordeiro 1 2011 Análise Econômica Permite levantar o montante que será gasto no empreendimento e se este dará lucro ou prejuízo. A análise econômica trabalha por competência, permitindo

Leia mais

Custos Industriais. Custo de aquisição. Custo de aquisição. Métodos de avaliação dos estoques

Custos Industriais. Custo de aquisição. Custo de aquisição. Métodos de avaliação dos estoques s Industriais Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 de aquisição O custo das mercadorias e materiais adquiridos deve incluir todos os gastos necessários para que a mercadoria ou material

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL

CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL Centro Universitário Padre Anchieta CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL Professor: Josué Centro Universitário Padre Anchieta 1. INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE DE CUSTOS Professor: Josué CAP. 1 do Livro Suficiência

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara IX DESAFIO CULTURAL DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS- 2016 Questões de CUSTOS Prof. Oscar Scherer Questão nº 01 - PONTO DE EQUILÍBRIO PONTO DE EQUILÍBRIO CONTÁBIL, ECONÔMICO E FINANCEIRO A empresa Distribuidora

Leia mais

PONTO DE EQUILÍBRIO (PE)

PONTO DE EQUILÍBRIO (PE) Exercício 01 PONTO DE EQUILÍBRIO (PE) Dados para responder as questões sugeridas: Informações: Custos Fixos: R$ 800.000,00 Custo Variável Unitário: R$ 300,00 Receita Unitária: R$ 700,00 1) O ponto de equilíbrio

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Contabilidade. Demonstrações Contábeis. Curso: Adm. Geral. Estrutura de Capital, Alavancagem e Ponto de Equilíbrio. Prof. Marcelo dos Santos

Contabilidade. Demonstrações Contábeis. Curso: Adm. Geral. Estrutura de Capital, Alavancagem e Ponto de Equilíbrio. Prof. Marcelo dos Santos Curso: Adm. Geral Prof. Marcelo dos Santos Estrutura de Capital, Alavancagem e Ponto de Equilíbrio Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE GERENCIAL. Profa. Divane Silva

Unidade II CONTABILIDADE GERENCIAL. Profa. Divane Silva Unidade II CONTABILIDADE GERENCIAL Profa. Divane Silva A disciplina está dividida em 02 Unidades: Unidade I 1. Noções Preliminares 2. Fundamentos da Contabilidade de Custos Unidade II 4. Relação Custo

Leia mais

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais)

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais) Balanços patrimoniais Ativo 2010 (não auditado) 2011 2012 2013 Novembro'14 Dezembro'14 Circulante Caixa e equivalentes de caixa 6.176.733 12.245.935 4.999.737 709.874 1.666.340 2.122.530 Contas a receber

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Identificação e análise de gargalos produtivos: impactos potenciais sobre a rentabilidade empresarial

Identificação e análise de gargalos produtivos: impactos potenciais sobre a rentabilidade empresarial Identificação e análise de gargalos produtivos: impactos potenciais sobre a rentabilidade empresarial Pedro F. Adeodato de Paula Pessoa (EMBRAPA) pedro@cnpat.embrapa.br José Ednilson de Oliveira Cabral

Leia mais

Eliminando todas as suas dúvidas sobre Margem de Contribuição

Eliminando todas as suas dúvidas sobre Margem de Contribuição Eliminando todas as suas dúvidas sobre Margem de Contribuição O que é Margem de Contribuição? Quais as técnicas para o cálculo da Margem de Contribuição? Qual a diferença entre a Margem de Contribuição

Leia mais

GASTOS VARIÁVEIS, FIXOS E SEMI-VARIÁVEIS (alguns conhecimentos indispensáveis para quem trabalha com análises econômicas e financeiras) ASSOCIADOS

GASTOS VARIÁVEIS, FIXOS E SEMI-VARIÁVEIS (alguns conhecimentos indispensáveis para quem trabalha com análises econômicas e financeiras) ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 45 GASTOS VARIÁVEIS, FIXOS E SEMI-VARIÁVEIS (alguns conhecimentos indispensáveis para quem trabalha com análises econômicas e financeiras)! Gasto variável se associa ao produto!

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30 1 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30 6. ANALISANDO O PREÇO DE VENDA DOS CONCORRENTES... 37 7. PREÇO NO COMÉRCIO COM

Leia mais

Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br

Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br 6C0N021 Contabilidade Gerencial Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br Programa da Disciplina Introdução e delimitações Importância da formação do preço de venda na gestão do lucro. Principais elementos

Leia mais

RELATÓRIOS GERENCIAIS

RELATÓRIOS GERENCIAIS RELATÓRIOS GERENCIAIS Neste treinamento vamos abordar o funcionamento dos seguintes relatórios gerenciais do SisMoura: Curva ABC Fluxo de Caixa Semanal Análise de Lucratividade Análise Financeira o Ponto

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE

ESTUDO DE VIABILIDADE ESTUDO DE VIABILIDADE REDE LOCAL / ARRANJO PRODUTIVO LOCAL / CADEIA PRODUTIVA NOME: SIGLA: ESTADO: 1º Parte - Viabilidade Econômica e Ambiental Esta é a dimensão mais importante do estudo de viabilidade

Leia mais

Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009

Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009 Avaliação da Lucratividade da Rede de Unidades Lotéricas - 2009 Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Caixa Econômica Federal Novembro/2010 Objetivos da avaliação de lucratividade das Unidades

Leia mais

Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil

Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil Plano de 5 anos para conjuntos habitacionais de famílias de 1-3 e 4-6 salários mínimos Habitação de Alta Qualidade para População de Baixa Renda Famílias auferindo

Leia mais

APP - Interatividade

APP - Interatividade APP - Interatividade "não compartilhe o seu tempo livre - viva-o" APP - Interatividade Elaborado por: Alexandre Nogueira Cunha Data criação: 24/02/2015 00:43 Data Modificação: 01/03/2015 19:13 Tipo Empresa:

Leia mais

Analise Financeira ou de Balanço

Analise Financeira ou de Balanço ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FASF- FACULDADE SAGRADA FAMÍLIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE Analise Financeira ou de Balanço Avaliação da Situação da Empresa em seus

Leia mais