Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa"

Transcrição

1 SISTEMAS DIGITAIS Ambiente de Trabalho e Portas Lógicas (Hardware) Objectivo: Este trabalho destina-se a pôr os alunos em contacto com o equipamento do laboratório, com os componentes a utilizar e com os catálogos dos fabricantes. Durante o decurso deste trabalho recorra ao auxílio do docente presente na aula sempre que precisar. Pergunte tudo o que quiser. Ele está lá para esse efeito. Para muitos de vocês, este é o primeiro contacto com um laboratório deste tipo. É normal ficar confuso no início. É desejável, porém, sair com as ideias arrumadas e com uma boa avaliação. Assim, leia e prepare o trabalho com antecedência. Tome em atenção a informação constante nos Anexos. Para este trabalho introdutório, pode utilizar uma cópia deste enunciado como relatório, e desenhar o esquema eléctrico sobre o logigrama apresentado. Os pontos. e. deverão ser feitos a individualmente (e não em grupo) antes da aula de laboratório. Considere o seguinte logigrama: - MONTAGEM DE UM CIRCUITO LÓGICO A B G F.. Determine, teoricamente, a função do circuito:.. Completar o esquema do circuito F = Para ser concretizado este circuito necessita de utilizar circuitos integrados: 74LS04 porta NOT 74LS porta OR Complete o logigrama acima com a referência dos integrados a utilizar e com a identificação dos pinos das portas de forma a obter um esquema eléctrico do circuito a montar (ver Anexo A). Para tal deve escolher quais as portas a utilizar com base na especificação do integrado, a qual pode ser obtida no catálogo. Partes relevantes deste catálogo podem ser obtidas a partir da página da cadeira

2 (veja exemplo na figura seguinte). Após este passo, estamos preparados para efectuar a montagem do circuito... Material necessário para a montagem. Base de Montagem Circuitos Integrados (confira especificações no catálogo) o 74LS04 NOT o 74LS OR Ponta de Prova, Alicate, Fios..4. Realização da montagem. Para fazer a montagem comece por inserir os integrados na breadboard da base de montagem. Leia o Anexo B para mais informação. Tenha em atenção os diferentes métodos utilizados para identificar o pino de cada integrado (recorte semi-circular ou pequeno ponto junto ao pino). Oriente os integrados de forma a que o pino fique no canto superior esquerdo. Tenha ainda em atenção que para funcionarem correctamente todos os circuitos integrados necessitam de ser alimentados (Vcc = 5V; GND = 0V). Na utilização da breadboard (e por conseguinte na realização da montagem) tenha em atenção a existência de diversas pistas horizontais. As pistas na parte superior e inferior da breadboard destinam-se às linhas de alimentação (+5V e massa). As pistas na zona central da breadboard, com as quais os pinos dos integrados irão fazer contacto após a sua inserção, destinam-se a efectuar as ligações entre as diferentes portas lógicas (o docente irá clarificar este ponto no início da aula). Note que deve ainda efectuar as ligações das entradas do circuito aos interruptores existentes na base de montagem e ligar as saídas do circuito aos indicadores lógicos também disponíveis na base..5. Ligue a base de montagem e determine experimentalmente a função do circuito. (Assuma que o indicador lógico -- LED -- aceso indica um e apagado indica um 0). Preencha a tabela de verdade da função lógica F..6. Utilização da Ponta de Prova Ligue agora os terminais de alimentação da ponta de prova à fonte. Observe o que se passa com a ponta de prova quando ela toca nos 5V, na massa e quando fica "no ar". Usando um fio pequeno como auxiliar, observe com a ponta os níveis num interruptor nas suas duas posições.

3 Atenção: Nunca force a introdução da ponta nos buracos dos breadboards. Não só não tem garantias dos resultados (pois a haver contacto com o metal interno ele é infiável), como degrada o breadboard. Que observou quando a ponta toca nos 5V, na massa e quando fica "no ar"? Que observou no terminal do interruptor? Utilizando a ponta de prova determine a tabela de verdade da função lógica G, preencha a Tabela. Tabela : Função Lógica F Tabela : Função Lógica G A B F A B G

4 ANEXO A Como obter um esquema eléctrico completo a partir de um logigrama? Um dos primeiros passos para concretizar fisicamente um circuito digital, é a transformação do logigrama do circuito num esquema eléctrico. >= Figura Exemplo de um logigrama. Um logigrama contém unicamente informação lógica. Para obter um esquema eléctrico tem que se adicionar ao logigrama um determinado conjunto de informações: As portas lógicas têm que estar identificadas com uma etiqueta que indica o Circuito Integrado a que pertencem (neste exemplo U, U e U); Deve existir uma legenda que indica o que significa a etiqueta (por exemplo U identifica uma porta lógica que está num integrado SN74LS08); Cada entrada e saída de cada porta lógica tem que estar assinalada com o número do pino do integrado que lhe corresponde fisicamente (tal como foi ensinado na primeira aula de laboratório). Deve ser preferencialmente utilizada a simbologia definida na norma IEC 67 Parte (quando se optar por desenhar o esquema eléctrico em computador utilizar-se-á obviamente a simbologia disponibilizada pelo software utilizado). A Figura indica o esquema eléctrico obtido a partir do logigrama apresentado anteriormente (Figura ). U U U - SN74LS08 U - SN74LS U - SN74LS0 U >= 4 5 U Figura O esquema eléctrico obtido a partir do logigrama da Figura. Se existirem vários integrados do mesmo tipo, têm que ser utilizadas etiquetas distintas para cada um. Por exemplo, se para além das portas indicadas no circuito da figura, forem necessárias ainda mais 5 portas Nand de entradas, então terão que se utilizar integrados 74LS00, pois cada 7400 contém 4 portas Nand. O novo 74LS00, do qual serão utilizadas portas, deverá ser chamado U4. 4

5 O desenho do esquema eléctrico (e do logigrama caso seja pedido) pode ser feito à mão ou utilizando software adequado. Se o software utilizado para o desenho não permitir colocar todas as informações indicadas, então estas terão que ser acrescentadas à mão. Assim que começarem a ser utilizados integrados mais complexos (como por exemplo contadores), deve utilizar-se simbologia normalizada, pois facilita imenso o sucesso da montagem, o que vai implicar o desenho dos circuitos à mão na maioria dos casos. O desenho do esquema eléctrico implica o acesso a determinadas informações. Como foi anteriormente indicado, essas informações podem ser encontradas nos catálogos que estão no laboratório, ou sob forma electrónica (através do Google, na página Texas Instruments, da Philips, da National, etc.). ANEXO B Passos para a montagem de um circuito no laboratório Neste anexo pretende-se mostrar os passos a dar para a montagem de um circuito a partir de um logigrama como o exemplificado na Figura :. Identificar e procurar CI s necessários (na web ou no catálogo). Acrescentar ao logigrama a informação necessária para obter um esquema eléctrico completo (ver anexo A). Começar a montagem: a. Colocar os CI s na breadboard de forma correcta (ver Figura ) e de preferência ordenados de acordo com a numeração definida no esquema eléctrico Figura Exemplo de colocação dos circuitos integrados na breadboard. 5

6 b. Definir uma linha da breadboard para ligação ao VCC e outra para ligação ao GND c. Ligar alimentações de cada CI (ver Figura 4) d. Fazer as restantes ligações a partir do esquema eléctrico Figura 4 Exemplo de colocação e alimentação dos Circuitos Integrados na breadboard. 4. Verificar a montagem 5. Ligar alimentação da base 6. Testar circuito (fazer a tabela de verdade e detectar erros por comparação com a mesma) 7. Corrigir eventuais falhas utilizando a ponta de prova (ver ANEXO C) ANEXO C: O que devo fazer se o circuito não funcionar? As falhas mais frequentes na realização de uma montagem podem ser classificadas em: Entrada/saída em aberto (devida, por exemplo, a uma ligação por um fio defeituoso); Curto-circuito a Vcc (+5V) ou GND (0V) (devido a erro de montagem); Curto-circuito entre pinos (devido a erros de montagem ou defeito na breadboard). Após verificar que todas as ligações efectuadas estão de acordo com o seu projecto, use a ponta de prova lógica que lhe é fornecida para:. Verificar as alimentações de todos os circuitos integrados (Vcc e GND). 6

7 . Detectar quais as combinações de entrada para as quais a saída não é correcta.. Forçar o circuito para uma situação de erro, selecionando uma das combinações de entrada para a qual a saída não é correcta. 4. Percorrer o circuito ponto-por-ponto, no sentido da saída errada para as entradas que a vão sistematicamente antecedendo (para cada ligação verifique se os valores lógicos nos dois extremos da ligação coincidem). 5. Tendo localizado a origem do erro, corrija-o. Verifique a existência de outros erros. Se necessário regresse ao ponto. 7

Introdução ao Laboratório

Introdução ao Laboratório SISTEMAS DIGITAIS LEIC-T, LERC, LEE Ano lectivo de 2012/2013 Trab0 Introdução ao Laboratório 1 Introdução O objectivo deste trabalho de laboratório é efectuar a adaptação ao ambiente do laboratório da

Leia mais

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital 2014.02 LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital Nome do Aluno(a) I PRIMEIROS CONTATOS COM A I.1- Introdução Na primeira parte das atividades deste roteiro o aluno entrará

Leia mais

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B Hamtronix CRD200 - Manual de Instalação e Operação Software V 2.0 Hardware Revisão B INTRODUÇÃO Índice...01 Suporte On-line...01 Termo de Garantia...01 Em Caso de Problemas (RESET)...01 Descrição do Produto...02

Leia mais

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Universidade Federal de Uberlândia Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Prof. Dr. Alan Petrônio Pinheiro Faculdade de Engenharia Elétrica Curso de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações (campus

Leia mais

Actividade 2 Intensidade da luz

Actividade 2 Intensidade da luz Actividade 2 Intensidade da luz Conceitos matemáticos Materiais Representação gráfica dos dados Comparação de previsões de dados Relações: o quadrado do inverso Origens de erro e respectivos efeitos Conceitos

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E MEDIDAS

INSTRUMENTAÇÃO E MEDIDAS INSTRUMENTAÇÃO E MEDIDAS TRABALHO N.º1 ACCIONAR DISPOSITIVOS EXTERNOS ATRAVÉS DA PORTA PARALELA Duração do trabalho 2 aulas práticas CIRCUITO 1 Objectivos Compreender o funcionamento da porta paralela

Leia mais

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Manual do Usuário Placa CLPIC Índice 1. Introdução... 03 2. Chapeado da Placa... 04 3. Conector

Leia mais

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores.

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores. Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Projecto de Arquitectura de Computadores Jogo dos Blocos (variante do Arkanoid) (Versão 1.0) 2008/2009 Índice 1 Objectivo...

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

MANUAL DO UTILIZADOR DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO MANUAL DO UTILIZADOR DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO ÍNDICE Introdução 3 1. COMO ENTRAR NA BASE DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS? 4 2. PESQUISAR 5 2.1. Pesquisa Simples 5 2.2. Pesquisa Avançada 5 3. ÍNDICES 7 4. NOVIDADES

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Sensor / Detector de Fumaça Óptico Convencional + Módulo Endereçável Código: AFDFE. (Ideal Para Utilizar em Conjunto com a Central de Alarme de Incêndio AFSLIM). O detector de fumaça código AFDFE é um

Leia mais

M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR. v1.0 REV. 10/2015

M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR. v1.0 REV. 10/2015 M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR v1.0 REV. 10/2015 00. CONTEÚDO 01. AVISOS DE SEGURANÇA ÌNDICE 01. AVISOS DE SEGURANÇA NORMAS A SEGUIR 02. O DISPOSITIVO CARACTERISTICAS TÉCNICAS ASPETO VISUAL LEGENDA

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br INFORMÁTICA AULA 11

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br INFORMÁTICA AULA 11 INFORMÁTICA AULA 11 INTERNET (CONTINUAÇÃO) Outlook EXPRESS A janela principal do Outlook Express pode ser divida basicamente em: Área de Comando (superior) - Contém a barra de botões e a barra de menus.

Leia mais

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 3. Atualizando o receptor... 8 3.1 Qual o software

Leia mais

Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador. Manual do ambiente Moodle

Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador. Manual do ambiente Moodle Curso Juventude Brasileira e Ensino Médio Inovador Manual do ambiente Moodle CURSO DE INTRODUÇÃO AO MOODLE 1. Introdução Estamos começando nossa viagem e nossa primeira parada é na unidade denominada Curso

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) http://curriculum.degois.pt Março de 2012 Versão 1.5 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador

Leia mais

Montagem da Placa do Controlador

Montagem da Placa do Controlador Montagem da Placa do Controlador A placa de circuito impresso (PCI) do controlador é fornecida com serigrafia, pelo que se torna relativamente fácil proceder à implantação dos componentes e respectivas

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

Como enviar e receber correio eletrónico utilizando o Gmail

Como enviar e receber correio eletrónico utilizando o Gmail Como enviar e receber correio eletrónico utilizando o Gmail Este módulo pressupõe que que já tenha criado uma conta de correio eletrónico no Gmail (caso já não se recorde como deve fazer, consulte o nosso

Leia mais

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto.

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto. Departamento de Engenharia Informática Modelação, Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos Requisitos para a 3ª entrega do projecto Test O Matic 10 de Maio de 2009 1 Índice 1 Índice... 1 2 Sumário...

Leia mais

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Carmen Mathias Agosto - 2009 I. CADASTRO 1. Acessar o site de treinamento (teste): http://moodle_course.unifra.br/ 2. Faça o login, clicando em acesso no lado direito superior da tela: 3. Coloque seu nome

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP Partindo de um conhecimento de comandos elétricos e lógica de diagramas, faremos abaixo uma revisão para introdução à CLP. Como saber se devemos usar contatos abertos ou fechados

Leia mais

CentreWare Web 5.8.107 e superior Agosto de 2013 702P01949. Xerox CentreWare Web Identificar e Aplicar o Firmware Patch para Escanear

CentreWare Web 5.8.107 e superior Agosto de 2013 702P01949. Xerox CentreWare Web Identificar e Aplicar o Firmware Patch para Escanear CentreWare Web 5.8.107 e superior Agosto de 2013 702P01949 Identificar e Aplicar o Firmware Patch para Escanear 2013 Xerox Corporation. Todos os direitos reservados. Xerox, Xerox e Design, CentreWare,

Leia mais

Relatório de projecto

Relatório de projecto Relatório de projecto 9ºB 2005/2006 Página 1 de 12 1) Projecto inicial O projecto proposto é fruto de uma proposta independente que se integrou num dos projectos a integrar e desenvolver na disciplina

Leia mais

Luis Filipe Baptista ENIDH/DEM 2

Luis Filipe Baptista ENIDH/DEM 2 AUTOMAÇÃO (M323) CAPÍTULO V Sistemas Combinatórios 2013/2014 Bibliografia do capítulo José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian

Leia mais

Facturação Guia do Utilizador

Facturação Guia do Utilizador Facturação Guia do Utilizador Facturação Como se utiliza 2 1 Como se utiliza Todas as opções do sistema estão acessíveis através do menu: ou do menu: O Menu caracteriza-se pelas seguintes funcionalidades:

Leia mais

1) Entendendo a eletricidade

1) Entendendo a eletricidade 1) Entendendo a eletricidade 1 2) Circuitos Modelix 2 3) Utilizando o Sistema Esquemático Modelix-G (Modelix-Grafix) 6 4) Fazendo montagens com os Circuitos Modelix 7 5) Exercícios para treinar 8 Objetivo:

Leia mais

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA Passos para Ligar 1. Verificar se o projector de Vídeo está ligado à corrente tomada do lado esquerdo do quadro, junto à porta, caso não esteja ligue a ficha tripla

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. EcclesiaSoft 2012. v.01

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. EcclesiaSoft 2012. v.01 MANUAL DE UTILIZAÇÃO EcclesiaSoft 2012 v.01 1 CONTEÚDO 1. Apresentação:... 4 2. Instalação... 5 3. Configurações iniciais... 5 4. Secretaria... 6 4.1. Criação de uma nova ficha... 8 4.2. Listagem de Pessoas...

Leia mais

Introdução ao MS PowerPoint

Introdução ao MS PowerPoint Introdução ao MS PowerPoint Pré-requisitos: Windows e Word Software utilizado: Windows xp, PowerPoint 2003 O PowerPoint é um software utilizado para criar apresentações multimédia sobre vários temas ou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 3 Latches e Flip-Flops

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 3 Latches e Flip-Flops SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 3 Latches e Flip-Flops 1. Introdução Este trabalho foi concebido para que os alunos se familiarizem com o uso de latches e flip-flop. Inicia-se

Leia mais

Índice. Índice... 1. Apresentando o Nextsite... 3. Recursos... 4. Recursos Opcionais... 6. Componentes externos... 7. Gerenciando sua conta...

Índice. Índice... 1. Apresentando o Nextsite... 3. Recursos... 4. Recursos Opcionais... 6. Componentes externos... 7. Gerenciando sua conta... Índice Índice... 1 Apresentando o Nextsite... 3 Recursos... 4 Recursos Opcionais... 6 Componentes externos... 7 Gerenciando sua conta... 8 Visualização Geral... 9 Central de mensagens... 12 Minha conta...

Leia mais

Os serviços mais conhecidos em todo o mundo são o Blogger e o WordPress. Em Portugal existem o Blogs no Sapo e o Weblog.com.pt.

Os serviços mais conhecidos em todo o mundo são o Blogger e o WordPress. Em Portugal existem o Blogs no Sapo e o Weblog.com.pt. Como fazer um Blog? Jose reis lagarto 1. O que é um blog? Um weblog ou blog é um página da Web cujas actualizações (chamadas posts) são organizado cronologicamente (como um histórico ou diário). Estes

Leia mais

Manual de Transição TWT Sítio de Disciplina para Moodle 2.6

Manual de Transição TWT Sítio de Disciplina para Moodle 2.6 Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Manual de Transição TWT Sítio de Disciplina para Moodle 2.6 Manual de utilização - Docentes DSI Outubro 2014 V2.6 ÍNDICE 1 OBJETIVO DESTE

Leia mais

Perguntas do Exame de: Segurança Básica

Perguntas do Exame de: Segurança Básica Nome candidato: Perguntas do Exame de: Segurança ásica ódigo de evento: Leia atentamente as instruções apresentadas abaixo! Este exame é constituído por 40 perguntas de escolha múltipla. E seguir a cada

Leia mais

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores.

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Ficha 1 Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Sítio: Elearning UAb Unidade curricular: FATAC - Sensores e Actuadores (DMAD 2013-14) Livro: Ficha 1 Impresso por:

Leia mais

Como fazer a Renovação de Matrícula online no Sistema Acadêmico

Como fazer a Renovação de Matrícula online no Sistema Acadêmico Como fazer a Renovação de Matrícula online no Sistema Acadêmico 1) Acesse o sistema por meio do endereço http://academico.unifal-mg.edu.br. Para navegar com segurança e aproveitar todos os recursos do

Leia mais

C D V Centros de Desmanches de Veículos Automotores, Comércio de Peças Usadas e Reciclagem de Sucatas

C D V Centros de Desmanches de Veículos Automotores, Comércio de Peças Usadas e Reciclagem de Sucatas C D V Centros de Desmanches de Veículos Automotores, Comércio de Peças Usadas e Reciclagem de Sucatas Manual de Orientações para o CDV adquirir Sistemas Emissores de Nota Fiscal Eletrônica Versão 1.3 Fevereiro

Leia mais

Guia de Candidatura. Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt

Guia de Candidatura. Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt Recomendações Gerais para Preenchimento do Formulário de Candidatura: Reunir informação: Para o correcto

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Novo projeto com NetBeans A partir de hoje, vamos trabalhar com projetos no NetBeans

Leia mais

ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF

ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF ELETROTÉCNICA ELM ROTEIRO DA AULA PRÁTICA 01 A LEI DE OHM e AS LEIS DE KIRCHHOFF NOME: TURMA: DATA: / / OBJETIVOS: Ler o valor nominal de cada resistor através do código de cores. Conhecer os tipos de

Leia mais

Unidade 3: Personalizando o Excel *

Unidade 3: Personalizando o Excel * Unidade 3: Personalizando o Excel * material do 2010* 3.0 Introdução Visto que você está fazendo este curso, você provavelmente passa ou espera passar muito tempo trabalhando com o Excel. Assim, você precisa

Leia mais

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda Versão para atualização do Gerpos Retaguarda A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível.

Leia mais

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Para a maior parte das pessoas, a ergonomia serve para fazer cadeiras mais confortáveis, mobiliário de escritório

Leia mais

COM O BROFFICE IMPRESS

COM O BROFFICE IMPRESS Unidade Unidade 5 4 Preparando Compondo suas planilhas apresentações eletrônicas com com o BrOffice o BrOffice Impress Calc UNIDADE 5 PREPARANDO SUAS APRESENTAÇÕES COM O BROFFICE IMPRESS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Electrónica Digital 2. Xilinx Webpack

Electrónica Digital 2. Xilinx Webpack Electrónica Digital 2 Xilinx Webpack (ver 5.2) Notas para iniciação (Outubro 2003) António Cunha Prefácio Este texto tem como objectivo introduzir os primeiros conceitos sobre a utilização de um CAD para

Leia mais

Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase

Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase Universidade do Minho Departamento de Informática Desenvolvimento de Sistemas de Software Trabalho de Desenvolvimento de Sistemas de Software GereComSaber 2ª Fase Luana Georgia Lopes Telha nº 49379 Luís

Leia mais

Astra LX Frases Codificadas Guia para o processo de Configuração de Frases Codificadas no Programa AstraLX.

Astra LX Frases Codificadas Guia para o processo de Configuração de Frases Codificadas no Programa AstraLX. 2011 www.astralab.com.br Astra LX Frases Codificadas Guia para o processo de Configuração de Frases Codificadas no Programa AstraLX. Equipe Documentação Astra AstraLab 24/08/2011 1 Sumário Frases Codificadas...

Leia mais

Astra ThinClient Manual de Configuração

Astra ThinClient Manual de Configuração 2011 www.astralab.com.br Astra ThinClient Manual de Configuração Guia para configuração do software Astra ThinClient. Equipe Documentação Astra AstraLab 20/07/2011 1 Sumário Configurando padrões... 3 Configurando

Leia mais

CAPÍTULO 16 ORGANIZAÇÃO DO DOSSIER DE PROJETO OBJECTIVOS. No final deste capítulo o leitor deverá estar apto a:

CAPÍTULO 16 ORGANIZAÇÃO DO DOSSIER DE PROJETO OBJECTIVOS. No final deste capítulo o leitor deverá estar apto a: CAPÍTULO 16 ORGANIZAÇÃO DO DOSSIER DE PROJETO OBJECTIVOS No final deste capítulo o leitor deverá estar apto a: Organizar um dossier de projeto nas suas diversas partes Compreender e elaborar o conteúdo

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DE AULA

DOCUMENTAÇÃO DE AULA DOCUMENTAÇÃO DE AULA L.F./2001 (revisão) A importância da documentação de uma aula prática dispensa comentários. Basta lembrar que uma aula de laboratório é um evento singular, no qual o aluno defronta-se

Leia mais

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox 1- Scilab e a placa Lab_Uino A placa Lab_Uino, é uma plataforma aberta para aprendizagem de sistemas microprocessados. Com a utilização de um firmware especifico a placa Lab_Uino é reconhecido pelo sistema

Leia mais

Portal do Projeto Tempo de Ser

Portal do Projeto Tempo de Ser Sumário Portal do Projeto Tempo de Ser O que é um Wiki?...2 Documentos...2 Localizando documentos...3 Links...3 Criando um Documento...4 Criando um link...4 Editando um Documento...5 Sintaxe Básica...5

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Disciplina de Eletricidade e Eletrónica Módulo 1 Corrente Contínua Trabalho Prático nº 2 Verificação da lei de Ohm Trabalho realizado por:

Leia mais

Sistemas Embedidos I

Sistemas Embedidos I Sistemas Embedidos I Trabalho Práctico Semestre de Inverno de 2010/2011 Autores: 30505 Telmo Pinto 31401 Nuno Cancelo 33595 Nuno Sousa Indície Introdução... 3 1ª actividade Ambiente de trabalho... 4 Ligações

Leia mais

Guia "Web Connect" MFC-J825DW MFC-J835DW DCP-J925DW. Versão 0 POR

Guia Web Connect MFC-J825DW MFC-J835DW DCP-J925DW. Versão 0 POR Guia "Web Connect" MFC-J825DW MFC-J835DW DCP-J925DW Versão 0 POR Definições de notas Ao longo deste Manual do Utilizador, é utilizado o seguinte ícone: As s indicam o que fazer se ocorrerem determinadas

Leia mais

Formador: Carlos Maia

Formador: Carlos Maia Formador: Carlos Maia Iniciar o MS Excel MS Excel - Introdução 1 Ajuda Se ainda não estiver visível a ajuda do Excel do lado direito do ecrã, basta clicar sobre Ajuda do Microsoft Excel no menu Ajuda,

Leia mais

Modem e rede local. Guia do usuário

Modem e rede local. Guia do usuário Modem e rede local Guia do usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso. As únicas garantias para produtos

Leia mais

Guia do Instalador & MANUAL DO USUÁRIO. AlbaLED Cores Piscina

Guia do Instalador & MANUAL DO USUÁRIO. AlbaLED Cores Piscina Guia do Instalador & MANUAL DO USUÁRIO AlbaLED Cores Piscina Copyright G2N Automação Indústria e Comércio Ltda. 2009. AlbaLED Cores Piscina Este Guia do Instalador e Manual do Usuário foi publicado pela

Leia mais

Detector de Veículo DV-03. Manual de Utilização. Rua Clélia, 250 São Paulo SP CEP 05042-000 F: 11 3539-3778 www.technext.com.br

Detector de Veículo DV-03. Manual de Utilização. Rua Clélia, 250 São Paulo SP CEP 05042-000 F: 11 3539-3778 www.technext.com.br Detector de Veículo DV-03 Manual de Utilização São Paulo JANEIRO / 2015 SUMÁRIO 1. Introdução... 2. Descrição do Detector de Metais... 3 2.1. O Laço Indutivo... 3 2.2. Cuidados durante a instalação do

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764. Manual do Usuário

Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764. Manual do Usuário Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764 Manual do Usuário A GPTRONICS está capacitada a fabricar produtos de excelente qualidade e oferecer todo o suporte técnico necessário, tendo como objetivo

Leia mais

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração

Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Boot Camp Manual de Instalação e Configuração Conteúdo 3 Introdução 3 Do que necessita 4 Descrição geral da instalação 4 Passo 1: Procurar actualizações 4 Passo 2: Preparar o computador Mac para o Windows

Leia mais

LEIA O MANUAL ANTES DE USAR O PRODUTO!

LEIA O MANUAL ANTES DE USAR O PRODUTO! LEIA O MANUAL ANTES DE USAR O PRODUTO! Manual de uso Interface Lumikit WiFi 2015 Lumikit Sistemas para Iluminação rev 0 15/03/2015 Lumikit Sistemas para Iluminação www.lumikit.com.br 1 Considerações importantes,

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

Sistemas e Circuitos Eléctricos

Sistemas e Circuitos Eléctricos Sistemas e Circuitos Eléctricos 1º Ano/1º Semestre EACI 1º Laboratório: Introdução ao Material de Laboratório Pretende-se nesta aula de laboratório que o aluno se familiarize com o material/equipamento

Leia mais

Tutorial :: Introdução ao VHDL em ambiente Design Works

Tutorial :: Introdução ao VHDL em ambiente Design Works Tutorial :: Introdução ao VHDL em ambiente Design Works Objectivos Familiarização com a linguagem VHDL Familiarização com a construção de modelos em VHDL utilizando o software DesignWorks. Trabalho a realizar

Leia mais

FAQ s para os Administradores do Sistema

FAQ s para os Administradores do Sistema FAQ s para os Administradores do Sistema Este documento disponibiliza FAQ s sobre vários temas. Clique sobre o tema que lhe interessa para aceder às respetivas FAQ s. FAQ s sobre a credenciação do Administrador

Leia mais

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Pré requisitos: Elaboração de questionário Formulário multimídia Publicação na internet Uso de senhas na Web Visualização condicionada ao perfil A

Leia mais

Controlo de iluminação local multifuncional

Controlo de iluminação local multifuncional Controlo de iluminação local multifuncional I Controlo de iluminação local multifuncional A nível mundial, sensivelmente 20 % do consumo total de energia diz respeito à iluminação. Dependendo do tipo de

Leia mais

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2)

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2) Manual do Usuário (Ver. 2) 1. Introdução O software RedeMB5 é uma ferramenta que permite monitorar em tempo real 247 medidores de energia ou multitransdutores digitais KRON em uma rede padrão RS-485 com

Leia mais

SISTEMA PLANO DE ENSINO - DOCENTES

SISTEMA PLANO DE ENSINO - DOCENTES SISTEMA PLANO DE ENSINO - DOCENTES 1- PÁGINA DE LOGIN DO SISTEMA E APRESENTAÇÕES INICIAIS Ao acessar o link do sistema, a seguinte página será apresentada: ACESSO AOS DOCENTES: Usar o usuário e senha do

Leia mais

BB_TRACKER. Comando de rotores TV para seguimento de satélites. Parte I

BB_TRACKER. Comando de rotores TV para seguimento de satélites. Parte I Por Carlos Miranda, CT4BB (http://www.carlosmiranda.net) Do que consta o sistema A ideia de realizar um sistema económico para seguir satélites de amador surgiu logo no momento em que andei com as antenas

Leia mais

INSTALAÇÕES DO EDIFÍCIO (Solar térmica) Manual do Utilizador

INSTALAÇÕES DO EDIFÍCIO (Solar térmica) Manual do Utilizador 2 IMPORTANTE: ESTE TEXTO REQUER A SUA ATENÇÃO E A SUA LEITURA A informação contida neste documento é propriedade da Ingenieros, S.A. e nenhuma parte dela pode ser reproduzida ou transferida sob nenhum

Leia mais

Laboratório de Arquitectura de Computadores IST - Taguspark 2008/2009 Introdução aos sistemas binários Guião 1 9 a 13 de Março 2009

Laboratório de Arquitectura de Computadores IST - Taguspark 2008/2009 Introdução aos sistemas binários Guião 1 9 a 13 de Março 2009 Laboratório de Arquitectura de Computadores IST - Taguspark 2008/2009 Introdução aos sistemas binários Guião 9 a 3 de Março 2009 (Semana 2) Objectivos Com este trabalho pretende-se que os alunos se familiarizem

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Central de Alarme Particionada

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Central de Alarme Particionada MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO AP6 Central de Alarme Particionada www.compatec.com.br 2 www.compatec.com.br 3 4. Dimensões do produto... 5. Conhecendo o seu produto... 7 5.1 Conhecendo as funções da central...

Leia mais

1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4

1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4 1 Contextualização 3 2 Administração do Joomla 5 3 Painel de controlo 6 3.1 Menu sítio 6 3.2 Menu utilizadores 7 3.3 Outras funcionalidades 8 4 Sistema de armazenamento e criação de conteúdos 9 4.1 Criar

Leia mais

Segurança. Guia do Usuário

Segurança. Guia do Usuário Segurança Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste documento

Leia mais

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 O QUE MUDOU... 3 5 COMO COMEÇAR... 4 6 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 5 7 CADASTRO DE

Leia mais

Guia de funções do SWCA (System-Wide Call Appearance, Apresentação de chamada em todo o sistema)

Guia de funções do SWCA (System-Wide Call Appearance, Apresentação de chamada em todo o sistema) Guia de funções do SWCA (System-Wide Call Appearance, Apresentação de chamada em todo o sistema) Nº do componente N0069077 Novembro de 2005 Sobre as teclas do SWCA (System-Wide Call Appearance, Apresentação

Leia mais

Processamento de Linguagens EI (2 o ano)

Processamento de Linguagens EI (2 o ano) Processamento de Linguagens EI (2 o ano) Trabalho Prático Ano Lectivo de 04/05 1 Objectivos e Organização Este trabalho prático tem como principais objectivos: aumentar a experiência de uso do ambiente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP/CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS SAU - SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP/CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS SAU - SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP/CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS SAU - SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO Perfil Self-Service Gestão Livre de Parque de Informática

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

Sistema de formação e certificação de competências

Sistema de formação e certificação de competências Sistema de Formação e Certificação de Competências Portal das Escolas Manual de Utilizador Docente Referência Projecto Manual do Utilizador Docente Sistema de formação e certificação de competências Versão

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL 12-2008 EQUIPA TIC

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL 12-2008 EQUIPA TIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL 12-2008 EQUIPA TIC OPÇÕES DE ACESSO Passo 1 Abrir o browser (Internet Explorer, Firefox ou outro) e escrever na barra de endereços mail.esmcastilho.pt ou email.esmcastilho.pt.

Leia mais

SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR

SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR SAW SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL Versão 1.0 ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR 2015 Este miniguia

Leia mais

Guia rápido de criação e gestão de um espaço no SAPO Campus

Guia rápido de criação e gestão de um espaço no SAPO Campus Guia rápido de criação e gestão de um espaço no SAPO Campus O SAPO Campus é uma plataforma online, disponível em http://campus.sapo.pt, que permite a comunicação e a colaboração entre membros de uma Instituição

Leia mais

Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores

Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Arquitecturas de Software Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores Exame 2 de Fevereiro de 2008, 9:00H 11:30H (duração 2:30H) Nome:

Leia mais

Mas para iniciar o uso do CRM é necessário efetuar algumas configurações em primeiro lugar.

Mas para iniciar o uso do CRM é necessário efetuar algumas configurações em primeiro lugar. Menu CRM O KeyInvoice tem um CRM que lhe permite efetuar, no seu programa de faturação, uma gestão de contatos, podendo converter os mesmos em Oportunidades ou Orçamentos. Este menu inclui ainda uma agenda

Leia mais

Manual MQS. Logo após colocar essas informações abrirá a página inicial do sistema:

Manual MQS. Logo após colocar essas informações abrirá a página inicial do sistema: Manual MQS Para acessar o sistema MQS na versão em PHP, basta clicar no link: www.mqs.net.br/plus. Colocar login e senha que foram fornecidos por email. Logo após colocar essas informações abrirá a página

Leia mais

1 Esfera de aço 1 Transitor BC547

1 Esfera de aço 1 Transitor BC547 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO VICENTE DO SUL ROTEIRO DE MONTAGEM DA ATIVIDADE DE AQUISIÇÃO AUTOMÁTICA DE DADOS REOMETRIA DE FLUIDOS NEWTONIANOS PROFESSOR RAFHAEL BRUM WERLANG 1.0 OBJETIVO

Leia mais

Manual do Gestor da Informação do Sistema

Manual do Gestor da Informação do Sistema Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura Informática e Computação Laboratório de Informática Avançada Automatização de Horários Manual do Gestor da Informação do Sistema João Braga

Leia mais

Ficha do professor. AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado

Ficha do professor. AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado Física 10º ano Unidade II AL 2.1 Energia cinética ao longo de um plano inclinado Autora: Fernanda Neri TI-Nspire Palavras-chave: Energia Cinética; Centro de massa; Massa; Velocidade e Forças Conservativas

Leia mais

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre.

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre. Manual de Utilizador Caderno Recursos da Unidade Curricular Gabinete de Ensino à Distância do IPP http://eweb.ipportalegre.pt ged@ipportalegre.pt Índice RECURSOS... 1 ADICIONAR E CONFIGURAR RECURSOS...

Leia mais

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 1 - Introdução O Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional, CGCO, criou, em março de 2008, uma equipe para atender à demanda de criação de novos

Leia mais

TS-12864 Display Gráfico Serial

TS-12864 Display Gráfico Serial TS-12864 Display Gráfico Serial Manual do Usuário TS-12864 - v1.1-0305 - pg 1 O display gráfico serial TS-12864 combina um módulo serial com um display gráfico de 128x64 pontos. Este conjunto recebe dados

Leia mais

IRISPen Air 7. Guia rápido. (Windows & Mac OS X)

IRISPen Air 7. Guia rápido. (Windows & Mac OS X) IRISPen Air 7 Guia rápido (Windows & Mac OS X) Este Guia rápido do utilizador ajuda-o a dar os primeiros passos com o IRISPen Air TM 7. Leia este guia antes de utilizar o scanner e o respetivo software.

Leia mais

Mantis. Solicitando suporte. Manual do Cliente

Mantis. Solicitando suporte. Manual do Cliente Mantis Solicitando suporte Manual do Cliente Telefones: 3355-1594, 3350-6917, 4053 9165 - WWW.intelidata.inf.br Página 1 2012 Sumário USANDO O MANTIS PARA SOLICITAR SUPORTE... 3 Tela de Login... 3 Minha

Leia mais