IBRI Instituto Brasileiro de Relações com Investidores

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IBRI Instituto Brasileiro de Relações com Investidores"

Transcrição

1

2 IBRI Instituto Brasileiro de Relações com Investidores COMUNICAÇÃO TRANSPARÊNCIA RELAÇÕES COM INVESTIDORES I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM PROFISSIONAL DE RI II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR III GOVERNANÇA CORPORATIVA EM RI IV DIVULGAÇÃO E TRANSPARÊNCIA 2

3 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI, É PRECISO POSSUIR: FÁCIL COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO LÍNGUAS INGLÊS E ESPANHOL HABILIDADE BOA MEMÓRIA OU BOM CRM NEGOCIAÇÃO SABER ARGUMENTAR SEM CRIAR ANTIPATIAS CONHECIMENTO EM FINANÇAS E CONTABILIDADE MARKETING CORPORATIVO 3

4 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI NOÇÕES DE ECONOMIA NOÇÕES DE POLÍTICA NACIONAL E INTERNACIONAL CONHECIMENTOS DE SOCIOLOGIA, PSICOLOGIA, GEOGRAFIA OUTROS CONHECIMENTOS FILOSOFIA, ARQUITETURA, CULTURAS DIVERSAS (INGLESA, FRANCESA, AMERICANA, GREGA, ROMANA ETC.) 4

5 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI BOM COMPORTAMENTO E ORATÓRIA TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO COMPETÊNCIAS PARA CONCEDER UMA ENTREVISTA BOA APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO 5

6 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI COMPORTAMENTO E ORATÓRIA NUNCA CHEGUE ATRASADO AO COMPROMISSO FAÇA A LIÇÃO DE CASA SAIBA QUE TIPO DE INVESTIDOR ELE REPRESENTA TREINE MUITO A ORATÓRIA PROCURE FALAR AO ESPELHO PARA TREINAR O QUE FAZER EM CASO DE DESESPERO? 6

7 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO TENHA SEMPRE À MÃO O BOOK DE INFORMAÇÕES ENTENDA A PERGUNTA ANTES DE MAIS NADA NUNCA NEGOCIE SEM SABER EXATAMENTE O POSICIONAMENTO DO OUTRO NEGOCIAÇÃO É UM JOGO DE XADREZ, GANHA QUEM SOUBER MOVIMENTAR AS PEÇAS CERTAS NO TEMPO CERTO COMO SE SAFAR DE SITUAÇÕES DESSE TIPO 7

8 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI COMPETÊNCIAS PARA CONCEDER UMA ENTREVISTA SAIBA ANTES: O TEMA DA ENTREVISTA QUANTO TEMPO ELA VAI DURAR ONDE ELA SERÁ SE EM PORTUGUÊS OU INGLÊS SE PESSOALMENTE, POR TELEFONE OU VIRTUAL 8

9 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI APRESENTAÇÕES EM PÚBLICO CHEGUE COM ANTECEDÊNCIA TENHA BOA APRESENTAÇÃO PESSOAL TREINE MUITO ANTES DA APRESENTAÇÃO SAIBA CONTROLAR O TEMPO 9

10 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI SAIBA DEIXAR A PERGUNTA VIR SAIBA PROVOCAR PERGUNTAS JAMAIS PERGUNTE VOCÊ ENTENDE O QUE EU ESTOU FALANDO? EM CONFERÊNCIAS, RESPEITE O TEMPO DO PALESTRANTE SEGUINTE SEMPRE, AO FINAL DA APRESENTAÇÃO, DEIXE SEU 10

11 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI Acionistas majoritários Investidores buy side Analistas sell side Público em geral e investidores PF Com quem o RI se comunica? Na verdade, não é só com o investidor, também com... Colaboradores, gerentes e diretores Clientes Fornecedores Imprensa 11

12 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI OBJETIVOS DA RELAÇÃO COM INVESTIDORES IMPACTAR POSITIVAMENTE O VALOR DE MERCADO DA EMPRESA, AMPLIFICANDO A CREDIBILIDADE DA COMPANHIA REDUZIR SEUS CUSTOS DE CAPITAL 12

13 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DE RI NAS EMPRESAS RI é uma atividade estratégica destinada a estreitar o relacionamento entre a companhia aberta e o universo de investidores, ou seja, o Mercado de Capitais, a fim de obter uma precificação justa para os ativos da companhia ações ou dívidas. Combinando atividades de comunicação corporativa, finanças e marketing e fornecendo ao mercado informações relevantes e precisas sobre o desempenho da empresa, relacionando-o com o dos competidores e com a economia local e global, a atividade permite à companhia participar mais do processo de formação de preços de suas ações. Além disso, mantém um canal de comunicação de mão dupla com o mercado financeiro, o que permite a ela aprimorar constantemente sua credibilidade. Conduzido eficientemente, o RI pode, em longo prazo, elevar o valor de mercado da companhia, enquanto reduz os custos de capital. O público-alvo do profissional de RI é o mercado financeiro, seja ele profissional (instituições) ou investidor individual. José Marcos Treiger Relações com Investidores 13

14 I O QUE É NECESSÁRIO PARA SER UM BOM PROFISSIONAL DE RI OBJETIVOS DA RELAÇÃO COM INVESTIDORES ESTRATÉGICO MÃO DUPLA PREVISÃO DO FUTURO TRABALHO DO RI ESTÁ MUITO MAIS ALÉM DE LEVAR O ACIONISTA A APENAS ENTENDER O BALANÇO DA COMPANHIA CRÍTICAS À ESTRATÉGIA EMPRESARIAL, INVESTIMENTOS EM ANDAMENTO, CONCORRÊNCIA, OUTRAS INFORMAÇÕES DO SETOR, M&A, OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO PAPEL DE OMBUDSMAN FUTURO: FLUXO DE CAIXA E DIVIDENDOS 14

15 RI = Benefícios da comunicação estratégica Faça a empresa perder dinheiro e serei compreensivo. Faça a empresa perder credibilidade e serei impiedoso. Warren Buffett 15

16 II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR O SETOR EM QUE A EMPRESA ATUA A EMPRESA E O SEU NEGÓCIO SEU INTERLOCUTOR 16

17 II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR SETOR EM QUE A EMPRESA ATUA QUAL O SEGREDO DESSE SETOR? QUAIS OS RISCOS DE SE ESTAR NELE? COMO ELE EVOLUIU NOS ÚLTIMOS 20 ANOS? ELE VAI CRESCER A QUE TAXA NOS PRÓXIMOS 20 ANOS? ELE É REGULAMENTADO? COMO ELE SERÁ AFETADO PELA CRISE GLOBAL? 17

18 II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR A EMPRESA E O SEU NEGÓCIO AQUI A COISA PEGA! CULTURA QUAL É O ÂMAGO DO NEGÓCIO? QUAL O ESTILO DE GOVERNANÇA? QUAIS SÃO OS DRIVERS DO NEGÓCIO? COMO ESTÁ ESTRUTURADA A ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA? O DONO MANDA? O COLEGIADO CONTROLA? O CONSELHO É ATUANTE? POSSUI ÁREA DE GESTÃO DE RISCOS? 18

19 II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR SEU INTERLOCUTOR ELE É A CEREJA DO BOLO! COM QUEM SE VAI FALAR? INVESTIDORES INSTITUCIONAIS BRASILEIROS ESTRANGEIROS INVESTIDORES INDIVIDUAIS BRASILEIROS ESTRANGEIROS NO CASO DE ADR III 19

20 II CONHECIMENTO DO SETOR EMPRESA INVESTIDOR FORMAÇÃO DO PREÇO OBJETIVO DA EMPRESA NO MERCADO DE CAPITAIS ESTRUTURA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA PROGRAMA DE RI 20

21 III - GOVERNANÇA CORPORATIVA FORMAÇÃO DO PREÇO CURTO X LONGO PRAZO PROJEÇÕES RESPONSABILIDADES AJUSTES DAS EXPECTATIVAS 21

22 III - GOVERNANÇA CORPORATIVA OBJETIVO DA EMPRESA NO MERCADO DE CAPITAIS PERPETUAÇÃO SOLUÇÃO DE SÓCIOS ESTRUTURA DE CAPITAL AQUISIÇÕES ENCHER O BOLSO DOS SÓCIOS MAJORITÁRIOS EXPECTATIVAS DE LUCROS FUTUROS 22

23 III - GOVERNANÇA CORPORATIVA ESTRUTURA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA NA EMPRESA RECENTES INTERFERÊNCIAS NO MERCADO PAPEL DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO AS RELAÇÕES COM O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA E SERVIÇOS DE CLASSIFICAÇÃO DELA 23

24 III - GOVERNANÇA CORPORATIVA ESTRUTURA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REGULAMENTOS POLÍTICAS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM INVESTIDORES SOLUÇÕES PARA SITUAÇÕES DE ESTRESSE 24

25 III - GOVERNANÇA CORPORATIVA PROGRAMA DE RI LONGO PRAZO CONTRIBUIÇÃO ESTRATÉGICA COMITÊ DE POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO 25

26 IV DIVULGAÇÃO E TRANSPARÊNCIA DIVULGAÇÃO TRANSPARÊNCIA 26

27 IV DIVULGAÇÃO E TRANSPARÊNCIA DIVULGAÇÃO PRINCIPAIS DOCUMENTOS DE DIVULGAÇÃO DO RI TRANSPARÊNCIA POLÍTICA DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES POLÍTICA DE GUIDANCE POLÍTICA DE DIVIDENDOS 27

28 IV DIVULGAÇÃO E TRANSPARÊNCIA DIVULGAÇÃO PRINCIPAIS DOCUMENTOS DE DIVULGAÇÃO DO RI DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E DFP FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA ITR FATOS RELEVANTES SISTEMA IPE AGO AGE AVISO DE CONVOCAÇÃO COMPLIANCE 28

29 IV DIVULGAÇÃO E TRANSPARÊNCIA TRANSPARÊNCIA POLÍTICA DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES POLÍTICA DE GUIDANCE POLÍTICA DE DIVIDENDOS 29

30 Baixo nível TRANSPARÊNCIA Alto nível Matriz de confiança e criação de valor Aperfeiçoar a comunicação com o mercado Acessibilidade e ferramentas de RI Permite acesso, mas ainda é impessoal. Ênfase em atendimento e não em relacionamento Interatividade e relacionamentos Credibilidade, confiança, transparência e compromisso Compliance Informa o mínimo necessário/obrigatório Inteligência de mercado Identificação de gaps e obtenção de insights Tática INTELIGÊNCIA Estratégica Compreender como a comunidade financeira determina o valor e o risco da companhia 30

31

6º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas

6º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas 6º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas Abril de 2003 O que muda na Comunicação das Empresas com o Mercado com o novo Código Civil SÉRGIO TUFFY SAYEG

Leia mais

RESUMO DA APRESENTAÇÃO

RESUMO DA APRESENTAÇÃO RESUMO DA APRESENTAÇÃO Cenário RI e Comunicação Corporativa DNA comum Foco comum Aspectos determinantes para um bom investimento Intermediárias na comunicação Informação comum a públicos distintos Cases

Leia mais

3 Dicas Poderosas Para Investir Em Ações. "A única maneira de fazer um grande trabalho é. amar o que você faz." Steve Jobs. Por Viva e Aprenda 2

3 Dicas Poderosas Para Investir Em Ações. A única maneira de fazer um grande trabalho é. amar o que você faz. Steve Jobs. Por Viva e Aprenda 2 "A única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que você faz." Steve Jobs Por Viva e Aprenda 2 Por Viva e Aprenda Declaração De Ganhos Com O Uso De Nossos Produtos A empresa O Segredo Das Ações"

Leia mais

BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS: COMO APROVEITAR ESTA OPORTUNIDADE?

BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS: COMO APROVEITAR ESTA OPORTUNIDADE? BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS: COMO APROVEITAR ESTA OPORTUNIDADE? Agradecimento Parte dos slides apresentados por cortesia e autorização da Ò CAMINHO DO CRESCIMENTO NOVOS BENEFÍCIOS PARA EMPRESAS E INVESTIDORES

Leia mais

CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI)

CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº xx, de XX de XXXXXXX de 2011.

Leia mais

ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES

ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESTUDO DE PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA EMPRESA PETROLEO BRASILEIRO S.A. COM ÊNFASE EM RELAÇÕES COM

Leia mais

RELAÇÕES COM INVESTIDORES E GERAÇÃO DE VALOR: UM ESTUDO COMPARATIVO DAS PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DA ÁREA DE RI E INVESTIDORES NO BRASIL SALIM ALI

RELAÇÕES COM INVESTIDORES E GERAÇÃO DE VALOR: UM ESTUDO COMPARATIVO DAS PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DA ÁREA DE RI E INVESTIDORES NO BRASIL SALIM ALI RELAÇÕES COM INVESTIDORES E GERAÇÃO DE VALOR: UM ESTUDO COMPARATIVO DAS PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DA ÁREA DE RI E INVESTIDORES NO BRASIL SALIM ALI A atividade de Relações com Investidores está...intimamente

Leia mais

As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17. KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados

As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17. KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados As principais competências que farão a diferença para os líderes 2016-17 KM Coaching Desenvolvendo Performance para Aumento de Resultados Katya Mangili Atua como Coach de Carreira e Liderança. É sócia

Leia mais

Seminário: Melhores Práticas de Divulgação de Informações

Seminário: Melhores Práticas de Divulgação de Informações Seminário: Melhores Práticas de Divulgação de Informações O Papel Pró-ativo do Profissional de RI Apresentadora : Doris Wilhelm Data: 09/12/03 COTEMINAS / RI - Doris Wilhelm 1 Profissional de RI Relações

Leia mais

Relações com Investidores

Relações com Investidores Programa ToP Treinando os Professores Comitê de Educação da CVM Relações com Investidores Camila Mation Anker Diretora do IBRI Instituto Brasileiro de Relações com Investidores RI da Eternit 18 janeiro

Leia mais

COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA. Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução. Prof. João Carlos Firpe Penna

COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA. Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução. Prof. João Carlos Firpe Penna COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução Prof. João Carlos Firpe Penna Panorama da comunicação Até anos 1980 -Transformação lenta - Rádio, TV, jornais em

Leia mais

VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll

VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll VALUE BASED MANAGEMENT (Gerenciamento Baseado no Valor - GBV) - PARTE ll! Como implantar com sucesso?! Quais os passos para sua implantação?! O foco na criação de valor para o acionista. Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

Matriz Curricular - Unidade I. Disciplina de Formação Geral e Créditos C. H. Pré-requisitos

Matriz Curricular - Unidade I. Disciplina de Formação Geral e Créditos C. H. Pré-requisitos MATRIZ CURRICULAR ORGANIZADA POR UNIDADES CURRICULARES Matriz Curricular - Unidade I Disciplina de Formação Geral e Créditos C. H. Pré-requisitos Humanística Português Instrumental 3.1.0.0.0 60 Psicologia

Leia mais

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro As contas externas do país registraram a seqüência de cinco anos de superávits em transações correntes entre 2003 e 2007, proporcionando a ocorrência de

Leia mais

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas da direção da companhia. As palavras "antecipa",

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A. I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições utilizadas na presente Política de Divulgação têm os significados que lhes são atribuídos

Leia mais

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar especial gestão Padrão exclusivo para sua empresa nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes. A frase consagrada de Albert Einstein não poderia ser mais clara: quer

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. CURSO: Secretariado Executivo MODALIDADE: Semestral ANO DE IMPLANTAÇÃO: 2007 Implantação gradativa

MATRIZ CURRICULAR. CURSO: Secretariado Executivo MODALIDADE: Semestral ANO DE IMPLANTAÇÃO: 2007 Implantação gradativa MATRIZ CURRICULAR CURSO: Secretariado Executivo MODALIDADE: Semestral ANO DE IMPLANTAÇÃO: 2007 Implantação gradativa 1º. SEMESTRE Filosofia I 02 36 Informática I 04 72 Língua Espanhola I 02 36 Língua Inglesa

Leia mais

A experiência da CPFL com treinamento interno para reduzir riscos de vazamento. Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores

A experiência da CPFL com treinamento interno para reduzir riscos de vazamento. Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores A experiência da CPFL com treinamento interno para reduzir riscos de vazamento Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores Desde 1997, a CPFL Energia tem desenvolvido uma estratégia de crescimento

Leia mais

Código de Ética - Ultra

Código de Ética - Ultra Código de Ética - Ultra Ética na gestão - Equidade, transparência e responsabilidade - Cumprimento das leis - Desenvolvimento sustentável Ética nos relacionamentos - Acionistas e investidores - Colaboradores

Leia mais

Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI. Geraldo Soares

Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI. Geraldo Soares Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI Gestão de Base Acionária Targeting Formador de Mercado Acompanhamento de Mercado com Analistas Estudos de Percepção Geraldo Soares Boas Vindas Geraldo Soares Ferramentas

Leia mais

Unidade Ribeirão Preto -SP

Unidade Ribeirão Preto -SP Unidade Ribeirão Preto -SP Gestão Estratégica de Controladoria O papel da controladoria na gestão estratégica de uma empresa Curriculum Luís Valíni Neto Técnico Contábil Administrador de Empresas pela

Leia mais

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital 2 Crescimento do Agronegócio Brasileiro Fluxo de caixa/custos Evolução da Gestão Vendas Futuras 90/00 Evolução de Comercialização Produtividade

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO a) a própria Globex; b) acionistas controladores, diretos ou indiretos; c) diretores estatutários; d) membros

Leia mais

Oferta Pública. Mercado de Capitais

Oferta Pública. Mercado de Capitais Oferta Pública Mercado de Capitais Oferta Pública Para ter suas ações negociadas na Bolsa, as empresas precisam abrir o capital. O primeiro procedimento para a empresa abrir o capital é entrar com o pedido

Leia mais

CEG Centro de Estudos em Governança Corporativa da FIPECAFI

CEG Centro de Estudos em Governança Corporativa da FIPECAFI CEG Centro de Estudos em Governança Corporativa da FIPECAFI Prof. Marcelo de Aguiar Coimbra Graduado e Mestre em Direito pela USP/Doutorando pela Universidade de Colônia, Alemanha Coordenador do Grupo

Leia mais

MBA Executivo em Saúde

MBA Executivo em Saúde ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX: (11) 3711-1000 MBA EXECUTIVO

Leia mais

Gestão dos stakeholders para a construção de vantagem competitiva l 5. Introdução l l

Gestão dos stakeholders para a construção de vantagem competitiva l 5. Introdução l l Sumário Capítulo l Introdução l l Capítulo 2 Gestão dos stakeholders para a construção de vantagem competitiva l 5 2. l Introdução l 6 2.2 A construção da vantagem competitiva 8 2.3 Classificação dos stakeholders

Leia mais

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues Faccat Faculdades Integradas de Taquara Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Disciplina: Planejamento e Assessoria em Comunicação Profª Me. Taís Vieira ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 1: Casos Recentes no Brasil

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 1: Casos Recentes no Brasil SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 1: Casos Recentes no Brasil o O interesse das pessoas físicas e investidores estrangeiros o A relação demanda x oferta das aberturas

Leia mais

Ano X - nº 146 - Edição de 02 de Março de 2009

Ano X - nº 146 - Edição de 02 de Março de 2009 Ano X - nº 146 - Edição de 02 de Março de 2009 Agende-se 2 de Abril - IBRI prepara Seminário TI e o Mercado de Capitais O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) e a revista Executivos

Leia mais

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização:

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização: www.significa.com.br 3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil 2006 realização: Método e amostra Pesquisa quantitativa Entrevistas telefônicas Questionário estruturado Período

Leia mais

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Oficina de Comunicação Apex-Brasil O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Relacionamento com a Mídia - Demonstrar o papel das entidades como fonte; - Cultivar postura de credibilidade;

Leia mais

Governança Corporativa ao Alcance de Todos

Governança Corporativa ao Alcance de Todos Autor: Charles Holland* Governança Corporativa ao Alcance de Todos Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa IBGC, governança corporativa são as práticas e os relacionamentos entre acionistas/quotistas,

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012

RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012 RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012 São Paulo, fevereiro de 2013. 2 ÍNDICE Apresentação Pag. 3 Função Reativa Dados consolidados do ano de 2012 Pag. 4 Função Pró-ativa Uma retrospectiva de 2012

Leia mais

Ano X - nº 144 - Edição de 14 de Janeiro de 2008

Ano X - nº 144 - Edição de 14 de Janeiro de 2008 Ano X - nº 144 - Edição de 14 de Janeiro de 2008 Agende-se: Março de 2009 O IBRI e a revista Executivos Financeiros preparam a segunda edição do Seminário TI e o Mercado de Capitais. O evento acontecerá

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA REVISANDO O CÁLCULO DO EVA QUAIS AS VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA MÉTRICA EVA? COMO FAZER OS AJUSTES NA AVALIAÇÃO DOS S / INVESTIMENTOS?

Leia mais

PrimeGlobal PGBR. Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos. Diferença PrimeGlobal

PrimeGlobal PGBR. Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos. Diferença PrimeGlobal PrimeGlobal PGBR Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos Somos uma empresa de auditoria, consultoria e impostos, criada á partir da junção de importantes empresas nacionais,

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação ao portador Desde 1990 este tipo de ação não existe mais. Esse tipo de ação não trazia o

Leia mais

Gestão dos Pequenos Negócios

Gestão dos Pequenos Negócios Gestão dos Pequenos Negócios x Rangel Miranda Gerente Regional do Sebrae Porto Velho, RO, 20 de outubro de 2015 A Conjuntura Atual Queda na produção industrial Desemprego Alta dos juros Restrição ao crédito

Leia mais

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Menu Cenário Menu + + Cenário RI hoje: uma operação indiferenciada Comunicação muito limitada com foco quase

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento Apresentação: O Programa TOP é uma iniciativa conjunta das instituições que formam o Comitê Consultivo de Educação, criado pela Deliberação CVM n 498/06, que tem os seguintes objetivos: - propor e apoiar

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Versão 2015.2 Editada em julho de 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo da Política...3 2. Abrangência...3 3. Princípios...3 4. Das Diretrizes Estratégicas...4 5. Da Estrutura

Leia mais

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso 54 TEXTO MARIA BEATRIZ VACCARI ARTE IVAN VOLPE

Leia mais

FORMAÇÃO EM COACHING PROFISSIONAL & LÍDER COACH

FORMAÇÃO EM COACHING PROFISSIONAL & LÍDER COACH CHEGOU A HORA DE VOCÊ SE TORNAR UM COACH! CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING 4 ING AGORA, COMO CONSEGUIR É A QUESTÃO! A vida nunca está parada, existe sempre movimento, um fluxo que nos leva na direção

Leia mais

Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS 23-2-2015 Carlos Tavares 1. Quando falamos em governo das sociedades e no papel da respectiva regulação, a primeira questão que se nos depara

Leia mais

Pré-Vestibular Social ECONOMIA

Pré-Vestibular Social ECONOMIA Pré-Vestibular Social Grupo SOA Suporte à Orientação Acadêmica ECONOMIA Com certeza você já ouviu falar da taxa Selic, IGP-M, inflação, taxa referencial, PIB e de outros indicadores econômicos, mas nunca

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Investment Research Contest. Como preparar um relatório

Investment Research Contest. Como preparar um relatório Investment Research Contest Como preparar um relatório Agenda Buscando Informações Estruturando o Raciocínio A Importância do Valuation Tese de Investimento Comparáveis e Múltiplos As Etapas do Relatório

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados do 2T08 Trisul (TRIS3 BZ) 15 de agosto de 2008

Transcrição da Teleconferência Resultados do 2T08 Trisul (TRIS3 BZ) 15 de agosto de 2008 Operadora: Bom dia, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência de resultados do 2T08 da Trisul. Hoje nós temos a presença do Sr. Jorge Cury Neto, Diretor-Presidente, Sr. Marco Antônio Mattar,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 71-CEPE/UNICENTRO, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Controladoria e Finanças, modalidade regular, a ser ministrado no Campus de Irati, da UNICENTRO. O REITOR

Leia mais

Col t e i e mprensa 30/julh lh / o 2007 /2007

Col t e i e mprensa 30/julh lh / o 2007 /2007 Coletiva de Imprensa 30/julho/2007 /2007 1 CODIM Comitê de Orientação para Divulgação de Informações ao Mercado Criado com o objetivo de ser uma nova e eficiente ferramenta de trabalho para o aperfeiçoamento

Leia mais

SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL

SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL Em busca de uma agenda positiva SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL Uma das maiores bolsas do

Leia mais

Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas

Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas 1 Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas Nilza Maria Silva de Oliveira Gerente da Superintendência de Acompanhamento de Empresas (SEP) Praia, Cabo Verde

Leia mais

CODIM. PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 18, de 09 de Setembro de 2015.

CODIM. PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 18, de 09 de Setembro de 2015. CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRAPP - ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD - ANEFAC APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 18, de 09 de

Leia mais

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha Relações com Investidores Thiago Almeida Ribeiro da Rocha I IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores "...é uma associação sem fins econômicos,... criada em junho de 1997 com o objetivo

Leia mais

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo Índice 1. Definições... 2 2. Objetivos e Princípios... 3 3. Definição de Ato ou Fato Relevante... 4 4. Deveres e Responsabilidade... 5 5. Exceção à Imediata Divulgação... 7 6. Dever de Guardar Sigilo...

Leia mais

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2013 Bom dia a todos e obrigado por participarem

Leia mais

13/11/2015. Introdução & Considerações Gerais. Governança, Transparência e Relações com Investidores são inseparáveis

13/11/2015. Introdução & Considerações Gerais. Governança, Transparência e Relações com Investidores são inseparáveis Introdução & Considerações Gerais Governança, Transparência e Relações com Investidores são inseparáveis José Marcos Treiger 1 2 Abertura de Capital na Estratégia Empresarial Conceito de Companhia Aberta

Leia mais

A Companhia está vinculada à arbitragem na Câmara de Arbitragem do Mercado, conforme Cláusula Compromissória constante do seu Estatuto Social.

A Companhia está vinculada à arbitragem na Câmara de Arbitragem do Mercado, conforme Cláusula Compromissória constante do seu Estatuto Social. CALENDÁRIO DE S CORPORATIVOS Denominação ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. Social Endereço da Sede Av. Embaixador Abelardo Bueno, nº 199 6 andar Barra da Tijuca Rio de Janeiro RJ CEP: 22.775-040 Endereço na www.estacioparticipacoes.com

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1º Termo 2º Termo Comunicação e Expressão I 36 Comunicação e Expressão II 36 Direito

Leia mais

Financial Services. Precisão competitiva. Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros

Financial Services. Precisão competitiva. Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros Financial Services Precisão competitiva Metodologias específicas e profissionais especializados na indústria de seguros Nossa experiência na indústria de seguros A indústria de seguros vem enfrentando

Leia mais

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio 1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO Mauricio Sampaio Definições e Conceitos Visão Missão Administração Estratégica Planejamento Estratégico

Leia mais

02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP

02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP 02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP Eventos Oficiais: 0 A Saúde Rompendo Paradigmas para o Crescimento Sustentável Profissionalização na Gestão da Saúde Suplementar Governança Corporativa no

Leia mais

Rita/João Abril -2014

Rita/João Abril -2014 Rita/João Abril -2014 Conteúdo Programático (Qui)10/04 Estratégia de gerenciamento de pessoas com foco em resultado e gestão por competências Rita (Qui)17/04 - Conceitos de liderança, equipes eficazes,

Leia mais

Certificações Deloitte Programa de Inteligência em Riscos

Certificações Deloitte Programa de Inteligência em Riscos Certificações Deloitte Programa de Inteligência em Riscos Certificação Deloitte A Deloitte é referência mundial em soluções integradas em todas as indústrias e vem atendendo as demandas corporativas em

Leia mais

MBA em Gestão Financeira e Tributária da Empresa - 2015/1

MBA em Gestão Financeira e Tributária da Empresa - 2015/1 MBA em Gestão Financeira e Tributária da Empresa - 2015/1 DESCRIÇÃO Data de Início: 10/04/2015 Dias das aulas: Preferencialmente, às sextas-feiras, das 18h30min às 22h30min, e aos sábados das 8h30min às

Leia mais

1 Avalie a demanda para os produtos e serviços da franquia em questão!

1 Avalie a demanda para os produtos e serviços da franquia em questão! 10 Dicas para Comprar uma Franquia Comprar uma franquia tem se tornado o negócio do momento e atraído muitos empresários a pensar sobre o assunto e decidir entre abrir um negócio com temática própria ou

Leia mais

Banco Itaú Holding Financeira S.A.

Banco Itaú Holding Financeira S.A. Banco Itaú Holding Financeira S.A. O Site de Relações com Investidores como ferramenta de divulgação Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores Dezembro de 2003 Exigências do Mercado de

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR

CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR FUNDOS DE INVESTIMENTO BRASÍLIA DF 2015 CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR 2015 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta

Leia mais

PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL versus VALOR DE MERCADO Cálculo do patrimônio líquido pelo valor de mercado

PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL versus VALOR DE MERCADO Cálculo do patrimônio líquido pelo valor de mercado UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 37 PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL versus VALOR DE MERCADO Cálculo do patrimônio líquido pelo valor de mercado Autor: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

Agenda. Visão Sistêmica. Visão Sistêmica. Responsabilidade Social. Responsabilidade Social 29/10/2008

Agenda. Visão Sistêmica. Visão Sistêmica. Responsabilidade Social. Responsabilidade Social 29/10/2008 Agenda e responsabilidade: público, privado e terceiro Prof. Costa de Sousa Internet: paginas.terra.com.br/informatica/ptarso Blog: ptarsosousa.blogspot.com Visão Sistêmica Conclusão 2 Visão Sistêmica

Leia mais

Boletim de carreiras:

Boletim de carreiras: Boletim de carreiras: as oportunidades que você deixa de aproveitar quando não sabe falar Inglês! Falar Inglês, há muito tempo, deixou de ser desejável para se tornar obrigatório nas grandes empresas.

Leia mais

Para se tornar um FRANQUEADO. www.helpdigitalti.com.br

Para se tornar um FRANQUEADO. www.helpdigitalti.com.br OS PRIMEIROS PASSOS OS PRIMEIROS PASSOS Para se tornar um FRANQUEADO www.helpdigitalti.com.br PROCURO UMA FRANQUIA MAS NÃO SEI POR ONDE COMEÇAR Para se tornar um franqueado é necessário avaliar se OS SEUS

Leia mais

PREVIPSEMC INVESTINDO EM PROFISSIONALIZAÇÃO AINDA NESTA EDICÃO

PREVIPSEMC INVESTINDO EM PROFISSIONALIZAÇÃO AINDA NESTA EDICÃO PREVIPSEMC Novembro/2012 - Ano VIII - Número 30 Informativo do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Cabedelo http://www.ipsemc.pb.gov.br/ INVESTINDO EM PROFISSIONALIZAÇÃO Ipsemc sedia

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

SOBRE A AUTORA. Alcançou sua independência financeira através da Internet, conseguindo já no primeiro mês de blog R$ 1.215,67.

SOBRE A AUTORA. Alcançou sua independência financeira através da Internet, conseguindo já no primeiro mês de blog R$ 1.215,67. SOBRE A AUTORA Leticia Pietras tem 17 anos, é Empreendedora digital, fundadora do blog www.empreendedora-digital.com. Alcançou sua independência financeira através da Internet, conseguindo já no primeiro

Leia mais

Ajudando você a fazer a diferença!

Ajudando você a fazer a diferença! Diretores da Lannes Consulting Luciano Lannes Consultor Organizacional e Palestrante com foco no Trabalho em Equipe e o processo de aprendizagem organizacional, visa o desenvolvimento empresarial e a educação

Leia mais

Google imagens. Gestão de pessoas II. Kirlla Cristhine Almeida Dornelas, Doutora em Psicologia Docente

Google imagens. Gestão de pessoas II. Kirlla Cristhine Almeida Dornelas, Doutora em Psicologia Docente Google imagens Missão, valores e visão na gestão Gestão de pessoas II Kirlla Cristhine Almeida Dornelas, Doutora em Psicologia Docente O gestor ESTRATÉGICO de pessoas ѱ O gestor de pessoas tem de utilizar

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers O economista Otaviano Canuto discute os obstáculos estruturais que atrasam a inovação na economia brasileira, e aponta possíveis soluções.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Entrevista ao Jornalista Paulo Henrique

Leia mais

Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços

Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços Cota maio 6 meses 2015 Desde o início PL médio 12 meses* PL* Canepa I FIC FIA 1,20392779 0,16% 6,36% 13,50% 20,39% 33.230

Leia mais

Apresentação Geral - 2014

Apresentação Geral - 2014 Apresentação Geral - 2014 - Introdução - Quando usar Gestores Interinos - O Ciclo de Vida do Gestor Interino - Serviços na América Latina Introdução O que é Interim Management? É a prestação temporária

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília AVALIAÇÃO DA ADOÇÃO DE BPM NO BRASIL: ERROS, APRENDIZADOS E BOAS PRÁTICAS Leandro Jesus INVESTIR EM PROCESSOS:

Leia mais

Tratados e Acordos Internacionais na Área Cultural

Tratados e Acordos Internacionais na Área Cultural Perfil do Administrador Cultural Conhecimentos Básicos no Campo da Administração Cultural Planejamento Estratégico È a base e o início do trabalho do Administrador Cultural. O conhecimento dos objetivos,

Leia mais

PORTIFÓLIO SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL. Atualizado em Setembro/2014

PORTIFÓLIO SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL. Atualizado em Setembro/2014 PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL Atualizado em Setembro/2014 Sobre a Meridional A Meridional Inteligência Empresarial é uma empresa de consultoria e assessoria em gestão com atuação

Leia mais

Fundação: Sócio-Fundador: Sócia-Diretora Administrativa: Atuação Principal: São Paulo:

Fundação: Sócio-Fundador: Sócia-Diretora Administrativa: Atuação Principal: São Paulo: Fundação: Sócio-Fundador: Sócia-Diretora Administrativa: Atuação Principal: São Paulo: 05/07/1988 Marcelo Ponzoni Cristiane Lança Ponzoni São Paulo e Ribeirão Preto Sede Própria com 700m2 C O M U N I C

Leia mais

A importância do comprometimento com a Responsabilidade Social e o com a preservação do Meio Ambiente 1

A importância do comprometimento com a Responsabilidade Social e o com a preservação do Meio Ambiente 1 A importância do comprometimento com a Responsabilidade Social e o com a preservação do Meio Ambiente 1 Fernanda Dias Franco 2 Resumo: O presente artigo busca discutir a importância do comprometimento

Leia mais

www.significa.com.br 5ª Pesquisa Anual "Atitude de marca nas maiores empresas do Brasil Realização Significa. Todos os direitos reservados.

www.significa.com.br 5ª Pesquisa Anual Atitude de marca nas maiores empresas do Brasil Realização Significa. Todos os direitos reservados. www.significa.com.br 5A. PESQUISA ANUAL ATITUDE DE MARCA NAS MAIORES EMPRESAS DO BRASIL 2008 O que é atitude de marca AGIR ANTES DE FALAR TODA INTERAÇÃO DE UMA MARCA COM SEUS PÚBLICOS POR MEIO DE CAUSAS

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES 1. Os termos e expressões relacionados abaixo, quando utilizados nesta Política, terão o seguinte significado: 1.1.

Leia mais

9ª Oficina: Responsabilidade Social Corporativa da Mineração e o Desenvolvimento Regional

9ª Oficina: Responsabilidade Social Corporativa da Mineração e o Desenvolvimento Regional 9ª Oficina: Responsabilidade Social Corporativa da Mineração e o Desenvolvimento Regional PALESTRA IV: A INSERÇÃO DAS AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL CONDICIONANTES

Leia mais

EDITORIAL LÍDER DO FUTURO

EDITORIAL LÍDER DO FUTURO InformEstrela Informativo da Cerâmica Estrela. Caderno Fevereiro2012 Ano V EDITORIAL LÍDER DO FUTURO A liderança tem assumido ao longo dos tempos diversas características, ou seja, se estampado em vários

Leia mais

Modelo de Gestão CAIXA. 27/05/2008 Congresso CONSAD de Gestão Pública

Modelo de Gestão CAIXA. 27/05/2008 Congresso CONSAD de Gestão Pública Modelo de Gestão CAIXA 1 Modelo de Gestão - Conceito Um Modelo de Gestão designa o conjunto de idéias, princípios, diretrizes, prioridades, critérios, premissas e condições de contorno tomadas como válidas,

Leia mais