Manguezais da região do recôncavo da Baía de Guanabara: revisita através dos mapas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manguezais da região do recôncavo da Baía de Guanabara: revisita através dos mapas"

Transcrição

1 Rst d stã Cst Intd #(#):#-#8 (2010) Núm Es 2, Mnuzs d Bs (2010) Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-#8 (2010)...m nês Mnuzs d ã d ôn d Bí d unb: st tés ds ms In d O s1 RESUMO Os mnuzs d ôn d bí d unb sntm tumnt, útm dut snt d mnuzs m ntínu, d 85% d tt, d ã tân d Bí d unb, ut dnsmnt ud st t d ssstm tân d tnsçã, nt m t m. Est tbh bjtu nt dds ts qu dmnstssm ss d dmnuçã hstó ds mnuzs n ã studd. Nss sntd, m ntds tnt dds s, çã d ts ntméts m d ssçã dt d mns d stét. O tbh nu, m bs nsss nmçõs ts qu n dsss mnuzs qunt d 2,3 zs tu. s-h: mnuzs, t, snsmnt mt, bí d unb ABSRAC h mns unb B snt t snt th st snnt dubt mns n ntnuus, und 85 % th tt, ths tt, n dns ud b ths t st tnstn sstm, btwn th s nd th nd. hs wk md t jn th dt tht dmnstt th hst ss dutn mns n th studd n. In ths dtn, t hd bn td suh h dt, tn th ms nd dt sstn stt ms. h wk nuds, bsd n ths th nmtn tht th n mns ws qunt t but 2,3 tms th unt n. Kwds: Dtmnt d Ans mbnt, UFF- Unsdd Fd Fumnns, 1

2 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) 1. INRODUÇÃO 5- M d Bí d unb. C Lht d R d Jn, 1935, s n 1/35000, dtd m bs m s (1992). 5- Cssçã Dt ds mnuzs d ôn d Bí d unb, m bs m mns M/Lndst 5 d Cssçã Dt d AA d umm, m bs m n ME/Lndst 7 d Qund d hd ds nzds, ã st d bí d unb m su m t ud, stns, s, bjs mnuzs. O ss d uçã dss ã, sutu, n dsss 500 ns, n qus xtnçã dsss ssstms, mut tdmnt nhds n mund nt, m d t mtân d d bís stus. Os mnuzs mnsnts n ã d ôn d bí d unb, sndnt à x tân ds munís d Mé, umm, Itbí Sã nç, qu nsttum AA umm, um tumnt, d 69 Km2 m dss nís d sçã, sntnd 85% ds mnuzs mnsnts m td bí (IRES,1992). Rntmnt, nd m 2006, um x d d 8 Km2, d su ms td, dtd m Estçã Eó, ESEC unb. A squs bjtu dmnst ss d uçã dstuçã hstó sd st ssstm, tés d suzçã d dnts ntns d dumntçã t xstnt ( ) d ns d std mbnt d btu t mnsnt, btd ssçã d mns d stét ds sés MSS M/LANDSA ( ). 3. MEODOLOIA Aós dtzçã, dumntçã t utzd, justd dtmnt, utznd-s m COREL DRAW, sã 12. Os ms m dsnhds m s ún, xmdmnt 1/ , m d n mçã su ds dnts ntns, tés ds dss íds hstós s sntds. Ess just bsu-s nmnt m mçã dds, nús ubns, stds t. qu m dntds ns dss bss ts n ds dss íds mds. Os ms dts sndm sutds sstmts, btds tés d ssmnt d mns bts d sé M/LANDSA 4, 5 7. Rsst-s n ntnt qu m sutd nss dçã, btd utznd-s ntã, mm d sns MSS (Mutst Snn Sstm) d LANDSA 3, ssm d d Est mmnt s ntã, d m n, qu std d btu t tés d suçã st dsnbzd st t d sstm bt d du d suí tst, m mntçã d AA umm, uj dt ntu m O sstm d ssçã utzd, mnt dtmnd tés d tbhs d m ds m ts és n s 1/ /8.000 (FUNDREM) d msm n d n bt utzd, u sj, MAERIAIS E MEODOLOIA N squs, m utzds s sunts ms bss ts d dnts és nts, ém d ssçã dt d ns btds stét dntds su: 1- M ds Mnuzs d Rôn d Bí d unb m 1500, s n 1/ , dtd m bs m AMADOR (1997). 2 - Ct d B d R Mu, DNOS (1898), s n 1/100 m, dtd m bs m IRES (1992). 3 - Sçã d Cts ts, IBE DS , s n 1/50 m, dtd m bs m IRES (1992). 4- M d Us d s hstó d ôn d Bí d unb. s (1985) dtd d Mnds, RESULADOS A u 1, btd sçã, nsã d ss ntçã, d m bss ts dsmnds ntmnt. O m sntd n u 1 é d dm snót, dd nd dnç d nçã, -2-

3 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) téns ss d bçã dsss nmçõs ts. Smnt sçã d bss ts, sçã d ts 1/50000 d 1976 é ssí d b xmçã ds s mds. Um ut mmnt utzd squs, Bxd d unb -Us d S Hstó sntd u 2 su, tt s dss s duts qu s sudm t d n ds ns 1700 té mds ds ns 50, j n séu XX. Atés dst dumntçã nzd nmnt MENDES (1950), ntnd-s qu ss d dmnuçã d ud s mnuzs studds, n-s d m ms dnt nd n n d sé. XVII, m n Fu 1. Euçã hstó ds mts ds mnuzs d Rôn d Bí d unb: íd Fu 2- M Hstó d Us d btu d s nt: s (1985), dtd m bs m Mnds (1950) -3-

4 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) d n d çú, substtuíd t d séu XIX, utu d é j n ní d séu XX tutu. Esss s duts, sm tnd nmnt md xt dmndm nds bs d nstutu d dnm d ã qu m mut, ntm n dmnuçã d ud mnuzs ssstms ssds. Ess stuçã duu té mds d sé. XX, qund ss ã j m ddên dutst, d sç uts s ms ntns mçm s bndnds. A t d n d déd ds 40, sã s çõs d uçã, zds j xtnt DNOS (Dtmnt Nn d Obs Snmnt) tés d ntnss bs d tçã dnm qu dnm d mn ms dnt, s mts dsss mnuzs d ã d ôn d Bí d unb, tu Á d tçã Ambnt d umm. A u 3 su, snt um njunt d ts sttuíds t d ts btds tés d tms és m bõs õs. A sçã m snt um sussã d mmnts qu sntm um tudd, utzçã d ts és m nt d sus sttuçõs. A m bs, ud d d mt d xtnt DNOS, tt t d ã d ôn, ms smnt b d Mu, n mnn d u d d td ã hd d Bí d unb. Ess ã n ds nds jts d nnh, tçã dnm mmntds DNOS qu m s d bs n u, t su ní t d n d sé. XIX. A bs n utzd, dsnh zd m 1933, m bs n n d 1898, hm tnçã sm tén t utzd n Fu 3. Sçã d ts ms btds sttuçã d ts és. -4-

5 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) bmnt ní d sã d su nçã, qu m j sntd, s tnd s mnús d um jt d nnh. As ts és utzds, m btds âms nstds m bõs. Ess ss utzd nd m ut bs duzd m 1922 msm DNOS, um m ntmét qu utzu tén d hshumnt snt qu nã hu s utzd nst sçã, dd t dnsdd d nmçõs sntds, qu dut su dtzçã dsnh, ém d qub un mdd n njunt ds sntçõs utzds. A ên, nst s, dd m d C. Lht d n ét d 1935, tmbém nnd t d utzçã d ts és, snd nst s, dthmnt d tn ns d jts hdéts dmndds ã mttn d R d Jn, ntã m n xnsã. A t dí, sã s çõs d uçã, m dnmnd nus squsds, qu sndm bs d tçã dnm zds j xtnt DNOS (Dtmnt Nn d Obs Snts), qu n n d déd d 40, dnm s mts dsss mnuzs n ã d ôn d Bí d unb. Fz t tmbém dss b d sntçõs ts, um sçã duçã d njunt d ts ts qu bm ã n s d 1/50.000, hs: Bí d unb (1982), M (1970) Itbí(1974) tós ( 1975), nnds Dt d Sç d xét (DS) Fundçã Insttut Bs d (IBE), n dã tmét nó qu tumnt, m dtmnt, snd substtuíd tmt dt ssbdds téns nds ss à çã d ns m mutbnds m suçõs ns d sm-dth. N ní d déd d 80, nt d sdd, tnd SBC (Sdd Bs ss d Cên) du-s ní s sçõs qu umnm n dt d çã d AA d umm m Os ms msm ts és nmts mtm tã smnt tç s mts dsss ssstms sm ssbdd d qu-s mbntmnt. A t d 1981, du-s n, d m n n Bs, sé d mmnts mntmnt d mnuzs utznd-s mns bts mutsts, n s tés d sstm MSS/ Lndst. Est sstm bt, d suçã nmn d 80 mts, nt ss d 1/ m bm ní d dsmnçã d s, m btu t us d s d um md. O Sstm d Cssçã n utzd, mst 6 sss d btu t d mnuz. A nd dtd st ssçã, s bsu n Sstm d Cssçã dt, st nmnt IRES (1985), utznd m nt n d nmçã, n d sé MSS/ Lndst d d A utzçã ds duts d sé M/Lndst t d 1986, m suçã nmn d 30 mts, mtu qu sstm ssss s nsttuíd d 12 sss tmts IRES (1992). Ess ní d suçã st mtu ntã, dsn um Índ Ftsntét bsd ns ssts sts ds çõs mds qu m nds m um Cnt d Á F, btd tbhs d m. A u 4 su, snt sutds btds j m suçã d 30 mts nd m um íd bstnt ít d dsmtmnt ds mnuzs d umm. Ess íd ndu m nd s d tó qu ntã nt, tznd snts ds d s uds mnuzs. Um dmnt st n mtd dss mmnt é dmtçã sçã ds mts d nsdd m mnuz snd- 4.1 Cssçã Dt d mns bts A t d ní d déd d 70, n Bs, nmnt ós çã d INE (Insttut Nn d squss Ess) d dsnbzçã m s mund d ns bts d sé Lndst, nmnt nhd s ERS ( Eth Rsus Stt), du-s ní à bzçã d jts d mmnt mntmnt tmts m êns n btu t, xnd s -5-

6 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) d x d ntn djnt tnt d t m qunt d u. A t mn usd st sstm d ssçã: sd, nd, m nçã, td, t., bsu-s n ní d qu, s bsqus d mnu mnsnts nst undd d nsçã, nã sndm ququ dã d znmnt n, m st m studs nts (DANSEREAU, 1946 uts) dstd m Aúj M (1978). Mnu sd Ess ss snt s çõs d mnu d dmín ds tês sés bós ns (Rhzh mn, Ann shun Lunu ms) qu um nmnt õs d nj d mszn. Cm s qu hm nç tu nt 8 15 mts, d (dâmt à tu d t) nt 7,5 25 ntímts dnsdd d ndídus ht. Ess ss snt dss u nd é ssí dnt Fu 4. Cssçã Dt ds mnuzs d Rôn d Bí d unb. Cns LANDSA d

7 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) bsqus u s sds d Ann shun d té 18m d tu 41m d DA m m sçõs d bsqus óxm dd m Mé. m ms snt mnu dnt m dçã t m m sçõs às mns d s m u Cbu. Mnu Rnd S Exst Ess ss snd çõs d dmín ds tês sés bós qu hj um s ntmnt dsmtds. Asntm tu méd nt 5,5 7,0m, d nt 5 7m dnsdd nd nt ndídus ht, sntnd t dnsdd, dss ms u mns u u s xst nt. Est ss é dmnnt m tms d xtt bó m td mnuz d umm. S sçõs ms ntmnt dsmtds s uns d nj xtn nmnt n ã d Funh d m Sã nç. A u 5 tb I sntm sutds dss ss d mntmnt qu t d suçõs dnmnds d tíssm suçã m s sntds s stéts ds sés Ikns, Quk Bd nd n dst n d stét Chnês/ Bs, CBERS II b, stã snd tuzds, ntnd um n sstm d ssçã dt, m ní d dth mtí m suçõs ss mns qu 4 mts. Ess ssçã n mmnt d us d s d d t m djnt,dnt ds mts d AA. Mnu m Rnçã Ess ss snd çõs m dmín d um u ut sé bó, und s d mnuz dsmtd ms ntmnt. As sés sntm ndídus m tu méd nt 3,0 3,8m, d nt 2,5 3,0m dnsdd nd nt ndídus ht, sntnd dnsdd mut t, dss u nnhum s xst nt. Est ss st bstnt snt té d 25 ns ts dnd m ms td às s d bsqus nds. Mnu Atd 1 5. CONCLUSÃO Cm dmnstd squs zd, xtmmnt duzd n ud mnuzs ssstms ts dd ss d uçã d t nt d Bí d unb. D n d mnuzs qu bm ã d ôn d Bí d unb, ttds m t t hstó squsd, stm d 40%. Ess dut su z, snt 85% d mnuz m x ntínu mnsnt m td d bí. É ss ã qu bí b 70% d ntbuçã d u d tés d s m: Mu/u, uí, Cbu uxndb. Cm dmnstm studs nts, sss mnuzs, s d ss hstó d su dstuçã, nd dsmnhm sus unçõs bss d t ntu d sdmnts, bç, dut d mté ân n d quíssm tun, sns dt qudd d d m td bí ém d mntnd d ntns d mís qu dí tm su sustnt mnt nôm. Sçõs d mnuz uds sés nss, nmnt Hsbus nmbunss, Asthum uum míns. Asntnd substt td s xst dnt. Em sçõs óxms nnt ds s uí Cbu djêns, sss çõs stã snts h ms d 4 déds nm dmnstd mns ts és squsds. Mnu Atd 2 Fçõs busts sss, míns, u s xst dnt. Esss çõs sã bstnt snts às mns d Cbu us quômts nts d su dsu n bí. Mnu Atd 3 Sçõs ttmnt uds míns, smnt nçds nds més. Sçõs bstnt dssss m td mnuz ms d -7-

8 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) Fu 5. Us d S Cbtu Vt d AA d umm. -8-

9 s Rst d stã Cst Intd / Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-# (2010) Mnds, R. S. (1950) - sns utus d Bxd Fumnns. s Dutd.. Unsdd d Sã u. Sã u, 240. s, I. O. (1986) - Mmnt d mnuzs d ôn d Bí d unb, RJ, tés d téns d snsmnt mt. Dsstçã. Insttut d squss Ess, Sã Jsé ds Cms, 86. s, I.O. (1992) - Mntmnt d mnuzs d AA umm, RJ, tés d çã d dds d tmss d dân d M/ LANDSA. s d Dutd, Unsdd d Sã u. Sã u, 149. BIBLIORAFIA Amd, (1980) - Undds sdmnts nzós d ôn d Bí d unb. Ans d Adm Bs d Cêns. R d Jn,. 52, n.4, Auj, D.S.D. & M, N. C. (1979) - Os mnuzs d ôn d Bí d unb. FEEMA, R d Jn.82. IBAMA (2003). Lntmnt d ts, d nun, d un ntmnçã ó ds mnuzs d AA umm, RJ. Rtó tén. R d jn,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça,

Quem são? Um refugiado é toda pessoa que devido a temores de ser perseguida por motivos de raça, g u f R d Qum ã? Um fugd é td p qu dvd tm d pgud p mtv d ç, lgã, ncnldd, p ptnc dtmnd gup cl p u pnõ plítc, ncnt f d pí d u ncnldd nã p u nã qu c à ptçã d tl pí. Ou qu, ccnd d ncnldd tnd f d pí nd tv u

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

Contribuição ao conhecimento e à conservação da planície costeira de Guaratiba Baía de Sepetiba, Rio de Janeiro - Brasil

Contribuição ao conhecimento e à conservação da planície costeira de Guaratiba Baía de Sepetiba, Rio de Janeiro - Brasil Rst d stã Cst Intd #(#):#-#8 (2010) Núm Es 2, Mnuzs d Bs (2010) Jun Inttd Cst Zn Mnmnt #(#):#-#8 (2010)...m nês... www.h.t/ www..n.b Cntbuçã nhmnt à nsçã d ní st d utb Bí d Stb, R d Jn - Bs Cntbutn t knwd

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Farmacêutico na Política

Farmacêutico na Política REVIST DO CONSELHO REGIONL DE FRMÁCI DO ESTDO DE MINS GERIS Nº 30 - JULHO / GOSTO DE 2012 Fê Pí Pã d ês s õs â d á í 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 BRNCO CORRIGE CONFIRM Sd Ss Rs Cs R d Fá d Esd d Ms Gs R S, 28 -

Leia mais

ATIVIDADE DE SALA (02)

ATIVIDADE DE SALA (02) COLÉGIO PLÍNIO LEITE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º Píd/2014 6º ANO ESCOLAR - ENSINO FUNDAMENTAL Nm: Pfss (): ATIVIDADE DE SALA (02) Tum: º: D: / / VALOR:... Mds ppss p suu d T Mus ds gs dés d suu d T bsvm-s m

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

Atum grelhado com cogumelos e legumes

Atum grelhado com cogumelos e legumes Atm ghdo om ogmos gms Qm dss dt s s ht? Ess smn nts do nv sov mn m oo Ms nm o sso om m! Ontm no jnt mos m doso tm, om ogmos s stdos, svdos om nos snf ogânos! É s sms! E fo m dí! Ingdnts: Atm fso ( 2 osts

Leia mais

Instituto de Física USP. Física Moderna I. Aula 29. Professora: Mazé Bechara

Instituto de Física USP. Física Moderna I. Aula 29. Professora: Mazé Bechara Institut d Físic USP Físic Mdn I Aul 9 Pfss: Mzé Bch Aul 9 O átm d hidgêni n ti d Schding 1. A sluçã d átm d H n ti d Schding. Cmpçã cm s sultds d Bh.. Os stds dgnds m ngi: stds d msm ngi divss móduls

Leia mais

Dicas de Restaurante - Porto, Portugal

Dicas de Restaurante - Porto, Portugal Ds d Rstnt - Poto, Potg Poto é m dd, n, hmos, h d t A omd d Poto fo m ss, todos os gs om fom dms. Ms o ntnd, s dds do not d Potg, gstonom é nd ms vozd no stnt do ís. Como não osso f d todos os gs, vo nd

Leia mais

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada.

Tratamento hidrófilo do permutador com produção e velocidade do ciclo de descongelamento melhorada. 05W APRESENTAÇÃO - CARATERÍSTICAS 04 SA CA/MCA SP/MSP MB/XB MC MD/XD XC Cbu -ã ã áu T hóf u uã g h M 2 gu áx ê u x -15 C A fu, u x u bx (DC-INVERTER -15ºC) Cfguã ub b z u u gé T G F ó uã é ã qu fã bóg

Leia mais

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM Messinki Tuote LVI-numero Pikakoodi PUSERRUSLIITIN EM 1551002 XV87 PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM 35 MM 10X

Leia mais

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague 1 Sm. 23.13ª 13 Então, s dspôs Dv om os ss homns, ns ssntos, sírm d Q s form sm rmo rto. Z 1 Sm 27.1-3 1 Dss, porém, Dv onso msmo: Pod sr q m d vnh prr ns mãos d S; nd há, pos, mhor pr mm do q fr pr trr

Leia mais

Vieiras com palmito pupunha ao molho de limão

Vieiras com palmito pupunha ao molho de limão Vs o to nh o oho d ão Oá, ss ntd fo ns dos tos fz s gost. Aé d nd dd, obnção d sbos sson té os s xgnts. A t s dfí v s onsg vs fss. Ingdnts: 1 to nh; 3 dúzs d vs; s nt t; d do. Modo d fz: t s tbhos é bs

Leia mais

Í n d i c e. I n t r o d u ç ã o C o m o e u c o n f i g u r o o S P A 9 3 2? I n f o r m a ç

Í n d i c e. I n t r o d u ç ã o C o m o e u c o n f i g u r o o S P A 9 3 2? I n f o r m a ç Í I t ç ã C m f g S P A 9 3 2? I f m ç õ s R l s Itçã Est tg é m m m sé p xl stlçã, tblshtg mtçã pts Cs Smll Bsss (tg Lksys Bsss Ss). Q. Cm fg SPA932? R. O SPA932 é m sl tmt 32-btt p SPA962. C SPA932 f

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Vamos analisar o seguinte circuito trifásico: Esta aula:! Sistemas Trifásicos equilibrados com Transformador ideal

Vamos analisar o seguinte circuito trifásico: Esta aula:! Sistemas Trifásicos equilibrados com Transformador ideal EA6 Circuits FEEC UNCAMP Aul 6 Est ul:! Sistms Trifásics quilibrds cm Trnsfrmdr idl Nst ul nlisrms um sistm trifásic quilibrd cm trnsfrmdr Cm sistm é quilibrd, pdms nlisr circuit trifásic trtnd pns d um

Leia mais

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo

Folhas de Cálculo. O EXCEL como Folha de Cálculo Flh d Clul O qu é: U Flh d Clul é, dç, u ju d élul qu u glh u bl qu d l- vé d xõ lóg /u O qu : Ogzç ç d bl l d vl; F, í,, qu jud xu lul lx; Auzç d, vé d gç u d ódg d lul u d uld; Rç g d ç; d bl ulzd çõ

Leia mais

Ladrão é ferido e outro preso em troca de tiros

Ladrão é ferido e outro preso em troca de tiros j G www DÇÃ: GÂN - G TÇ- JN D f D N ã f G 9 f q N (9) N ( k Gâ) ã f í çã G (D) j új çã G : f G G Gâ ç-f ç D ç ô ç fâ É f q ç ô f T! ã ã f ã xê ã f f f q êx D G ê N j f ã ê Hj ç j q f f f ç ê f ç! N q N

Leia mais

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld i~éé هê pلا o~ا cêëن~ضëëي نن~êة aلëيêلâي vêâ~هاة cêةاê~ض~هاةë êâ~هاة M m~êيلëي êةنëةه _لر~ننيلننâ~éليةنOلêلâينلهàةêه~ T OT _لر~نن _لر~نن نêا~ضOEâ~éليةنOFKاçإ

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios sluçõs Ecícis MTEMÁTI IV LOO 0 nhcimnts lgébics pítul 0 Funçõs Tignmétics 0 p.( p-)( p-b).( p- c), n + b+ c 8+ + p 8 8.0...9..... LOO 0 0 D + D sn cs tg 0 + 0... sn +.,8.,8. sn 0. +,.,8. +, cm. sn 0 0

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO Prf. Dr. Rbr Vdés Pus PPGED/FACED/UFU rbrpus@fcd.ufu.br MOMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS Mpmnt Cstr cm Ap d Imgns d Stélts THEOS 1 Glbrt Pssnh Rbr, glbrt.pssnh@gml.cm Artur Wllcx ds Snts, rturwllcx@gml.cm Ubrtn d Suz Ds Junr, ubrtn.ds.junr@gml.cm Agrdcmnts: Rbr Brn, Gfísc/UFF UNIFESP Ls Unvrsdd

Leia mais

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis Arznnt d Snt d Milh Rcipint Rutilizávi Miz Sd Strg In Rubl Cntinr SANAZÁRIO, Ann Chritin 1. kinzri@yh.c.br; COELHO, Fábi Cunh 1. fclh@unf.br; VIEIRA, Hnriqu Durt 1. hnriqu@unf.br; RUBIM, RqulL Filh 1.

Leia mais

ARMAZÉNS GERAIS ASPECTOS LEGAIS, VANTAGENS E SERVIÇOS

ARMAZÉNS GERAIS ASPECTOS LEGAIS, VANTAGENS E SERVIÇOS ARMAZÉNS GERAIS ASPECTOS LEGAIS, VANTAGENS E SERVIÇOS D i r e t o r E x e c u t i v o d a T O P L O G P o r R o d o l p h o C a r i b e A r m a z é n s g e r a i s s ã o e s t a b e l e c i m e n t o s

Leia mais

2 Propriedades geométricas de curvas parametrizadas no R 4

2 Propriedades geométricas de curvas parametrizadas no R 4 2 Propriedades geométricas de curvas parametrizadas no R 4 Nesse capítulo trataremos dos conceitos básicos de geometria diferencial referentes à curvas parametrizadas no R 4. 2.1 Curvas Parametrizadas

Leia mais

É tempo de bola! Projetos temáticos

É tempo de bola! Projetos temáticos Projetos temáticos ÇÃ NNT scola: Nome: ata: / / Turma: É tempo de bola! STTV m tempo de opa do undo, os alunos se sentem motivados a buscar informações sobre os jogos, os países e as seleções participantes.

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

Cilindros Heavy Duty - Série 3400

Cilindros Heavy Duty - Série 3400 Catálogo 1001-8 BR Informações técnicas Índice Cilindros Características técnicas Diâmetros 1 1/2", 2", 2 1/2", 3 1/4" e 4" Tipo Dupla e simples ação Faixa de pressão Faixa de temperatura Fluido Até 17

Leia mais

㐀 䌀伀一吀䄀 嘀伀䰀唀䴀䔀 䤀 䤀 吀漀洀漀 䤀 䴀愀瀀愀猀 搀攀猀攀渀瘀漀氀 瘀椀 搀漀猀㨀 䜀漀瘀攀爀 渀漀 刀攀最椀 漀渀愀氀 㐀 䌀伀一吀䄀 䜀漀瘀攀爀 渀漀 刀攀最椀 漀渀愀氀 Í VL, T T Ã TÓ 24 S SVLVS V L Á T Ã TÓ 24: S 1 : TS S SVÇS TS, LSSÇÃ Ó 3 : SVLVT S SSS: V L 41 - SSBL

Leia mais

Norton R. Caetano Patrícia C. Genovez Roberto D. Estrada

Norton R. Caetano Patrícia C. Genovez Roberto D. Estrada NÁS SPC STTÍSTC MTG CNSTUÇÃ ÍNC XCUSÃ/NCUSÃ SC : TV À Á UBN SÃ JSÉ S CMPS- SP (CNS BG 1991) SPT - 02 /09 /97 Norton. Caetano Patrícia C. Genovez oberto. strada SUMÁ 1 NTUÇÃ 2 BJTVS 3 MTG 3.1 GSSÃ N PC

Leia mais

Chotes. Música na escola: exercício 12

Chotes. Música na escola: exercício 12 Chts Músic n scl: xcíci 12 Chts Aut: Aut scnhci, cnçã flclóic Rgiã: Ri Gn Sul Fix: 12 Anj: Nil Azv Pvt Músics: Cls Rbt Olivi pin Nil Azv Pvt clints sx lt Cnts: lic Alid Pi Guilh Cnciçã Sntn Eily Ryn Buin

Leia mais

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES posti De Mtemátic GEOMETRI: REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL, PRISMS E PIRÂMIDES posti de Mtemátic (por Sérgio Le Jr.) GEOMETRI 1. REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL 1. 1. Reções métrics de um triânguo retânguo. Pr

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores Manual de Procedimentos!" ESTRUTURA DESTE MANUAL &'( ) *+,-./0-1 *+,2 % *+,3-445-"-4 6 *+,"-47.2-4 8 *+,4349!.4 : ; 4';

Leia mais

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito

O (doce) lanche. brasileira. Um retrato inédito O (d) l ç bl U éd É VITL çã U bíl N lb vl d l q q d f q ff d d d v lld q d l q v q x qd.tb q q lb.f q d.offd f q dl b d d x f d qbx q qq bl dl d b x d vl dl l q q q ll d v. N f dl d q q xd d blb f x f

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a A n t o n i o P a i m N o B r a s i l s e d i me nt o u - s e u ma v is ã o e r r a d a d a c id a d a n ia. D e u m mo d o g e r a l, e s s a c

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

"# # $ % & ' (' ) * + ', -#(

# # $ % & ' (' ) * + ', -#( WinPto v9.0 ! "# # $ % & ' (' ) * + ', -#( -#". / 0 00 1 02 " '3' 0 ' 0 "# 3 4 ' 2 1 2 & ( 5 64 7 8 95 14 8 4:5 5 '; < 9 50 "#! 5 4 5* $%( 5 & ( (&=9 0 1/ < 9 2 4: > 64 " 4 (" * 9? @ *5 @ ; ) *5 $.% 4

Leia mais

A S N O V A S R E G R A S D E F A C T U R A Ç Ã O

A S N O V A S R E G R A S D E F A C T U R A Ç Ã O i I N F O R M A Ç Ã O F I S C A L N º 3 J a n e i r o 2 0 1 3 A S N O V A S R E G R A S D E F A C T U R A Ç Ã O N o s e g u i m e n t o d a L e i d o O r ç a m e n t o d o E s t a d o p a r a 2 0 1 2 e,

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

1 2 9, i n c i s o I I, d a C F ; e a r t i g o 5 º, i n c i s o V, a l í n e a s a e

1 2 9, i n c i s o I I, d a C F ; e a r t i g o 5 º, i n c i s o V, a l í n e a s a e P O R T A R I A n 2 0 1, d e 1 8 d e j u l h o d e 2 0 1 3. A P r o c u r a d o r a d a R e p ú b l i c a q u e e s t a s u b s c r e v e, e m e x e r c í c i o n a P r o c u r a d o r i a d a R e p ú

Leia mais

7 * ": ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P " 7 "! M * : : # M

7 * : ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P  7 ! M * : : # M 7 ": ) : : I 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O P " 7 "! M : : # M # Q 7 97 8 ! # # I ) H3"K # : R : : 9 M ) # 9# Q ; : 9 : IM Q ; 9M O H8 7B3B K : 9 ) 4 4; 9 < : ) 9 # : M :!# ; : N : " 3 S T! S U # I T S # H3"K

Leia mais

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««=======================

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««======================= œ» EM NOME O PI Trnscçã Isbel rc Ver Snts Pe. Jãzinh Bm & # #6 8 j. j... Œ. ll { l l l l n me d Pi e d Fi lh ed_es & #. 2. #. _. _ j.. Œ. Œ l l l j {.. l. pí t Sn t_ mém Sn t_ mém LÓRI O PI Trnscçã Isbel

Leia mais

Cilindros Heavy Duty Séries 3400 e 3520

Cilindros Heavy Duty Séries 3400 e 3520 HEAVY DUTY SÉRIES 3400 E 3520 INTRODUÇÃO Séries 3400 e 3520 Descrição são dispositivos que transformam a energia do fluido (ar comprimido) em movimento, em energia mecânica, atuando linearmente. Estão

Leia mais

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos.

Mackenzie Voluntario. Caro apoiador, Redes sociais: 8668 de 30/11/1981), que atua em solo brasileiro há 141 anos. C, O Mkz Vlá é m j sl Mkz, sm fs lvs (D º 8668 3/11/1981), q m sl bsl há 141 s. Iml m 24, m m l fl ssblz, mblz g s s ss gs, gss, lbs, fsss, ls, gs ls, fs, s, mgs fmls m mvm xmçã s ms q bgm s ss m, lém

Leia mais

!"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!

!#$%& '( &)*$+,-& '( +!,& .!(,()/'& & (.!/0()/& '( (&1!23 '& ()/!& '( 34)*3, +0),( /+!3,' )35(!,3''( ('(!$ '&,.6! !"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!3/& ")/& *&0&!(7+3,3/&."!*3"$."!" " &#/()8-& '& 1!"+ '( "*%"!($ (0 (&1!"23"!3()/"'&!!$9+'3&+3:;")&/($$3

Leia mais

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ«

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ« PROSSOR L M: Trz d átim R. rvh & # m _ Ó Œ bm cm c ri nh n si & # Ó Œ du c tm _ bém. Ns s n, qu ri ri n t, d, ju v cê tm d ns & # 2 4 _ V cê é u m grn d mi g pr fs s r qu ri d qu ns qur tn t ms tr ns s

Leia mais

Resultados 4T14 13 de fevereiro de 2014

Resultados 4T14 13 de fevereiro de 2014 Resultados 4T14 13 de fevereiro de 2014 12h00 (Brasília) / 09h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s t a a p r e s e n t a ç ã

Leia mais

Sobre a obra: Sobre nós:

Sobre a obra: Sobre nós: Sobre a obra: A presente obra é disponibilizada pela equipe do ebook espírita com o objetivo de oferecer conteúdo para uso parcial em pesquisas e estudos, bem como o simples teste da qualidade da obra,

Leia mais

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV s GUSTAVO HENRIQUE SAUER DE ARRUDA PINTO ADVOGADO EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA i VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV -4 ' c ri r O -4 ' -4 t-3 PROCESSO N 1003345-80.2002.8.26.0100

Leia mais

Salada de atum com sorbet de limão

Salada de atum com sorbet de limão Sd d t o sobt d ão Ess sd fo dos A vão os ngdnts o odo d fz: - Rú: só t o to bsâo, zt td d s; - At sdo: oo ç d t nt n fgd nt, dxndo 10 sgndos d do f b o dnto; - Lss d êndos: oo fgd nt o fo d zt té do;

Leia mais

QUADRO DE PILARES Escala: 1/20. Arranque de pilares. Escala 1/50. PLANTA DO PISO 0 Escala: 1/100. Piso 0 - MASSAME O piso 0 será executado em massame

QUADRO DE PILARES Escala: 1/20. Arranque de pilares. Escala 1/50. PLANTA DO PISO 0 Escala: 1/100. Piso 0 - MASSAME O piso 0 será executado em massame M 22.07.2016,G,,M,60119 a) 3,25m 0,30m QU PLS scala: 1/20 a) e acordo com o relatório geológico prevê-se uma profundidade de 2m relativamente à cota do terreno actual rranque de pilares scala: 1/50 PLNT

Leia mais

PABX (32) Av. Jesus Candian, B. Mangueira Rural - CEP Ubá - MG

PABX (32) Av. Jesus Candian, B. Mangueira Rural - CEP Ubá - MG X () 59-5050 v. Jesus Candian, -. angueira Rural - C 500-000 - bá - G -mail: qualidade@moveisnovohorizonte.com.br RIR G TS T.: 55mm RG.: 00mm R.: 50mm CRT NSS ÁGIN N CK INK D (QR CD) ICH TÉCNIC RDT 00%

Leia mais

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

Unidut Curvo com Janela (UJ)

Unidut Curvo com Janela (UJ) Unidut Reto (UR) Para emendas de eletrodutos rígido com rígido. Unidut Cônico (UC) Para terminal de eletroduto rígido ou flexível tipo Sealtubo. Reto (UR) Versátil (URV) Abrigada Ao Tempo Abrigada 15 1/2

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N*

MATRIZES. Matriz é uma tabela de números formada por m linhas e n colunas. Dizemos que essa matriz tem ordem m x n (lê-se: m por n), com m, n N* MTRIZES DEFINIÇÃO: Mtriz é um tl d númros formd por m linhs n coluns. Dizmos qu ss mtriz tm ordm m n (lê-s: m por n), com m, n N* Grlmnt dispomos os lmntos d um mtriz ntr prêntss ou ntr colchts. m m m

Leia mais

PROJETO FIC IFES PRONATEC

PROJETO FIC IFES PRONATEC NTTT FAL PÍT ANT AMP NVA VNA Mg y 799 Lz 29830-000 N Vé 27 3752-4300 PJT F F PNAT NTFAÇÃ - Ax A p N Vé N Vé - 30/06/204 04//203 2 - N Tí g Ag N 20/05/987 PF 7265577-40 M p 788725 - @fb g A Açã Lçã Ap p

Leia mais

Unidut Cônico (UC) para terminal de eletroduto rígido ou flexível tipo Sealtubo (S.P.T.F. ou Tecnoflex) 1 1/4 a 2 2 1/2" a 4" Abrigada Ao tempo 1/2

Unidut Cônico (UC) para terminal de eletroduto rígido ou flexível tipo Sealtubo (S.P.T.F. ou Tecnoflex) 1 1/4 a 2 2 1/2 a 4 Abrigada Ao tempo 1/2 Unidut Reto (UR) para emendas de eletrodutos rígido c/ rígido brigada o tempo / UR 0- URT 0- UR 0- URT 0- UR 00- URT 00- / UR 0- URT 0- / UR - URT - UR 0- URT 0- / UR - URT - UR 00- URT 00-00 UR 0- URT

Leia mais

Catálogo Rhino - Linha Hidráulica 45. Série R6. Dupla ação. Pressão de trabalho: 160 bar Diâmetros: 25 ~200 mm

Catálogo Rhino - Linha Hidráulica 45. Série R6. Dupla ação. Pressão de trabalho: 160 bar Diâmetros: 25 ~200 mm Catálogo Rhino - Linha Hidráulica 45 Dupla ação Pressão de trabalho: 160 bar Diâmetros: 25 ~200 mm 46 Catálogo Rhino - Linha Hidráulica Especificações Norma ISO 6020/2, DIN 24554, NF E 48.016 Pressão de

Leia mais

PROJETO FIC IFES PRONATEC

PROJETO FIC IFES PRONATEC MNT A AÇÃ NTTT FAL PÍT ANT AMP NVA VNA Mg y 799 Lz 29830-000 N Vé 27 3752-4300 PJT F F PNAT NTFAÇÃ - p p N Vé N Vé - 30/06/204 29/0/204 2 - p N Vâ Mq N 02/05/988 PF 23983487-09 AP 9362 q@fb g A Açã Lçã

Leia mais

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique Em áb, 5 mç 2016 Dtqu Ft: Ln Bit Sã ffu Liz uniz Cmnt Sh Lui Hniqu OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 2 3 Sh LuiHniqu O mnt Sh hi Suz Lui Hniqu Bini Hnói fi liz n i 24 jni. Amig fmili fm

Leia mais

TABELA CAMPANHA SALARIAL 2007 1-6

TABELA CAMPANHA SALARIAL 2007 1-6 BS TBL CMPNH SLL 1-6 STD TVDD PS 2006 BNFCS 2006 PLT NDMNT PS JUSTD CSCM MPTNT MNS GS BH / Uberlândia Vig. Patrimonial $ 790,00 $ 821,60 + Tíquete efeição: $ 53,00 7,00% cordo fechado: 4% + Plano de Saúde:

Leia mais

REDES DE NOVA GERAÇÃO. m a i o r q u a l i d a d e, m a i s r a p i d e z, mais inovação;

REDES DE NOVA GERAÇÃO. m a i o r q u a l i d a d e, m a i s r a p i d e z, mais inovação; R E D E S D E N O V A G E R A Ç Ã O D E S A F I O e O P O R T U N I D A D E A P D C, 3 1 D E M A R Ç O D E 2 0 0 9 A S O N A E C O M A C R E D I T A Q U E A S R d N G S Ã O U M A O P O R T U N I D A D

Leia mais

Sistemas Solares Passivos na Arquitectura em Portugal

Sistemas Solares Passivos na Arquitectura em Portugal Univsidd Técnic d Lisbo Fculdd d Aquitc Anxos Cílo II (2.1) Ts d Doutomnto Sistms Sols Pssivos n Aquitc m Pogl Os Envidçdos nos Edifícios Rsidnciis m Lisbo Máci Cistin Pi Tvs Ointdo: Douto Héld José Pdigão

Leia mais

MAPA DE ACOMPANHAMENTO DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2016

MAPA DE ACOMPANHAMENTO DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2016 MP D CMPNHMNT DS NGCÇÕS CLTVS 2016 BS STD TVDD PS 2015 PLT 2016 NDMNT 2016 PS 2016 DSTT FDL Vig. Patrimonial $ 1.693,62 Vig. Banco Brasil $ 2.268,74 Vig. Banco Central $ 3.305,76 de $ 28,00 e $ 125,00

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO RECURSOS HUMANOS Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE FÍSICA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: 02/04/2011 Nota: Professor: Antonio Márcio Valor da Prova: 40 pontos Assinatura do responsável:

Leia mais

B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 )

B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 ) B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 ) B e n ja m i n C o n s t a n t, c o m o c o s t u m a s e r r e f e r i d o, é c o n s i d e r a d o c o m o o

Leia mais

/HYDQWDUÃDOJXQVÃWHPDVÃUHODWDUÃH[SHULrQFLDVÃHPÃWRUQRÃGHVVHVÃWHPDVÃGHEDWrORVÃDSRQWDGRÃ VXDÃGLPHQVmRÃHÃSRVVLELOLGDGHVÃGHÃWUDEDOKRVÃEXVFDÃGHÃXPÃGLDJQyVWLFRÃSDUDÃFRPSUHHQGHUÃ RÃFRPSOH[RÃGHQWURÃGHÃXPDÃUHDOLGDGHÃUHVJDWDQGRÃRÃFRWLGLDQRÃLQtFLRÃGDÃSUREOHPDWL]DomR

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. é, sem úv, o lmento refero e mutos ulsts. Estm-se que o onsumo áro no Brsl sej e, mlhão e s, seno o Esto e São Pulo resonsável or % esse

Leia mais

Análise de Componentes Principais

Análise de Componentes Principais PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA CPGA-CS Aálse Multvd Alcd s Cêcs Agás Aálse de Comoetes Pcs Clos Albeto Alves Vell Seoédc - RJ //008 Coteúdo Itodução... Mt de ddos X... 4 Mt de covâc S... 4 Pdoção com méd eo

Leia mais

Cilindro Hidráulico Série 3L

Cilindro Hidráulico Série 3L Cilindro Hidráulico Catálogo 2102-1 BR Março 2003 Garantia Certificação Termo de garantia A Parker Hannifin Ind. e Com. Ltda, Divisão Hidráulica, doravante denominada simplesmente Parker, garante os seus

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

04) A posição de um objeto movendo-se ao longo do eixo x é dada por x = 3t - 4t² + t³, onde x está em metros e t em segundos.

04) A posição de um objeto movendo-se ao longo do eixo x é dada por x = 3t - 4t² + t³, onde x está em metros e t em segundos. Código: FISAP Disciplina: Física Aplicada Preceptores: Marisa Sayuri e Rodrigo Godoi Semana: 27/04/15 Lista 3- Movimento Retilíneo 01) A distância média da Terra ao Sol é igual a 150 milhões de quilômetros.

Leia mais

Análise de Sistemas em Tempo Contínuo usando a Transformada de Laplace

Análise de Sistemas em Tempo Contínuo usando a Transformada de Laplace Análise de Sistemas em Tempo Contínuo usando a Transformada de Laplace Edmar José do Nascimento (Análise de Sinais e Sistemas) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do

Leia mais

LAY-OUT CARTÃO SALÁRIO

LAY-OUT CARTÃO SALÁRIO LAY-OUT CARTÃO SALÁRIO 1 Registro Header O sistema exige um header por Empresa. No arquivo (Empresa /Banco) para inclusão, alteração, exclusão e transferência de pagamentos, a empresa deverá manter a estrutura

Leia mais

EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1985-2005

EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1985-2005 EVOLUÇÃO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL Nacional e Importado - Período de 1985-25 NACIONAL IMPORTADO Ano VENDAS PART % EVOL % VENDAS PART % EVOL % VENDAS EVOL % 1985 1.359.54 89,62% -1,3% 157.476

Leia mais

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b]

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b] Interl Deinid Se é um unção de, então su interl deinid é um interl restrit à vlores em um intervlo especíico, dimos, O resultdo é um número que depende pens de e, e não de Vejmos deinição: Deinição: Sej

Leia mais

J U R I S P R U D Ê N C I A F I S C A L A R B I T R A L ( 3. º E 4. º T R I M E S T R E S D E 2 0 1 2 )

J U R I S P R U D Ê N C I A F I S C A L A R B I T R A L ( 3. º E 4. º T R I M E S T R E S D E 2 0 1 2 ) i J a n e i r o d e 2 0 1 3 J U R I S P R U D Ê N C I A F I S C A L A R B I T R A L ( 3. º E 4. º T R I M E S T R E S D E 2 0 1 2 ) TAX & BUSINESS P r e t e n d e - s e, c o m a p r e s e n t e I n f o

Leia mais

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G«

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G« œ œ 1) Oh! egri (bertur) est d mr Mis de Priir ucristi ( "Liturgi I" Puus) Letr e Músic: Ir. Miri T. King (x) ======================== & 2 º 4.. œ œ. œ œ. œ _.. = m ======================== &.... = gri

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

BLOCO Nº 2 JORNAIS, BOLETINS, PANFLETOS D a N º 1. H i n o N a c i o n a l e H i n o d a I n t e r n a c i o n a l? 0 1 C U T N a c i o n a l 2. M o d i f i c a ç õ e s d o E s t a t u t o p r o p o s

Leia mais

MATRIZES. Em uma matriz M de m linhas e n colunas podemos representar seus elementos da seguinte maneira:

MATRIZES. Em uma matriz M de m linhas e n colunas podemos representar seus elementos da seguinte maneira: MATRIZES Definiçã Chm-se mtriz d tip m x n (m IN* e n IN*) td tel M frmd pr númers reis distriuíds em m linhs e n cluns. Em um mtriz M de m linhs e n cluns pdems representr seus elements d seguinte mneir:

Leia mais

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc.

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc. Aul Métodos Esttísticos sticos de Apoio à Decisão Aul Mônic Brros, D.Sc. Vriáveis Aletóris Contínus e Discrets Função de Probbilidde Função Densidde Função de Distribuição Momentos de um vriável letóri

Leia mais

Opcional Viton: -10 C a 180 C 3 estilos disponíveis com rosca métrica ou polegadas Tipos especiais sob encomenda

Opcional Viton: -10 C a 180 C 3 estilos disponíveis com rosca métrica ou polegadas Tipos especiais sob encomenda Cilindro Hidráulico CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Dimensões de Montagem do cilindro de acordo com a norma NFPA e ANSI B93 15-1981 Diâmetros de Cilindros 1.½ 2 2.½ 3.¼ 4 e 5 Diâmetros das Hastes dos Pistões

Leia mais

LINHA MERCEDEZ-BENZ. REF. Nº ORIGINAL APLICAÇÃO Nº de Pás. RI-001 3432007124 608/708/812/912/914/Toyota 6

LINHA MERCEDEZ-BENZ. REF. Nº ORIGINAL APLICAÇÃO Nº de Pás. RI-001 3432007124 608/708/812/912/914/Toyota 6 CAMINHÕES/ÔNIBUS LINHA MERCEDEZ-BENZ RI-001 3432007124 608/708/812/912/914/Toyota 6 RI-001-1 3432007124 608/708/812/912/914/Toyota 7 RI-001-2 3432007124 608/708/812/912/914/Toyota 8 RI-002 3442057006 1113

Leia mais

2.3 DFMs irredutíveis

2.3 DFMs irredutíveis 2.3 DFMs irredutíveis Definição: Duas matrizes polinomiais N(s) e D(s) com o mesmo número de colunas são coprimas à direita se seus m.d.c.s são unimodulares. Lema 2. (Identidade de Bezout): Duas matrizes

Leia mais

ESTADO ATIVIDADE PISO 2015 PERCENTUAL ACORDADO EM 2016 PISO DISTRITO FEDERAL Vig. Patrimonial R$ 1.693,62 Acordo fechado de 11,5%.

ESTADO ATIVIDADE PISO 2015 PERCENTUAL ACORDADO EM 2016 PISO DISTRITO FEDERAL Vig. Patrimonial R$ 1.693,62 Acordo fechado de 11,5%. DT BS STD TVDD PS 2015 PCNTUL CDD M 2016 PS 2016 DSTT FDL Vig. Patrimonial $ 1.693,62 cordo fechado de 11,5%. $ 1888,39 Vig. Banco Brasil $ 2.268,74 $ 2529,65 GÁS Patrimonial Vigilante $ 1.104,86 cordo

Leia mais

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS 1) VAMOS CLBRAR Autor:Piter di Laura/Maria duarda/carlos Tocco Intro: /# D9 A/C# /B A/C# /# D9 TODOS RUNIDOS NA CASA D DUS COM CANTOS D ALRIA RAND LOUVOR VAMOS CLBRAR OS FITOS DO SNHOR SUA BONDAD QU NUNCA

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

O dipolo infinitesimal (Hertziano) é um elemento de corrente de comprimento l tal que l << λ (critério usual: l < λ/50).

O dipolo infinitesimal (Hertziano) é um elemento de corrente de comprimento l tal que l << λ (critério usual: l < λ/50). Cpítuo : O dipoo infinitsim O dipoo infinitsim (tzino) é um mnto d cont d compimnto t qu

Leia mais