NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o"

Transcrição

1 NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o

2 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003

3 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas até o o pp resen te mm oo mm en to estã o o divididas em do is asp ec to s, qq uu ais sej am :: Levantamento sobre as fontes que dd ii sp oni bi ll ii zz am ii nd ii cc ad ores na área dd e ed uc açãa ã o. Levantamento BB ii bl ii og ráfir cc o: pp ubl ii cc açõa õ es que dd ii sc utem a ii mp ortâ nc ii a dd a ed uc açãa ã o e ex ternal ii dd ad es pp osi ti vas (( mai s esp ec ii fi cc amente: bem-estar estar e cc resc ii mento ec onô mi cc o)..

4 M EE Sobre o item (1), até o momento, identificamos as seguintes fontes (via Internet): FF uu nn ã o o SS EE SS EE EE cc ã o o (( GG oo o o EE SS ãã o o PP )) SS MM uu nn EE cc ã oo SS DD,, TT o o SS oo (( PP MM SS P P )) M EE cc ã oo II NN EE PP UU NN EE SS CC OO BB cc o o MM uu nn CC EE PP II BB GG EE - daçã AD - ec retaria stadu al de du açãa do stado de au lo vern - ec retaria ic ip al de du açãa - ec retaria do esen vo lvim lidariedade en to rab alh e - in istério da du açãa an dial - AL -

5 G Tipos de Indicadores Disponíveis Tipos de Indicadores Disponív v eis (na maior pp art e e,, os ind ic ad ore s s ap re ss ee nt am os ss ee gg uu int ee s s cc ort ee s s :: ss érie s s Pré-E E ss cc oo ll a a,, EE nn ss ii nn o o FF uu nn dd aa mm ee nn tt aa l l,, EE nn ss ii nn o o MM éd d ii o o,, 33 º G ra u u,, ff aix a ee tt ária, raça, a, EE ss tt ad os,, MM uu nic íp p ios )) :: TT ax a dd e e MM at rícr c uu ll a GG rau dd e e EE ss cc ol arid ad e e (anos dd e e ee ss tt uu dd o) TT ax a dd e e EE vv as ãã o EE ss cc ol ar Núme ro dd e e AA ll uu nos (E ss cc ol as PP úb b ll ic as e e PP riv ad as )) TT ax a dd e e AA nal ff ab ee tt is mo II nd ic ad ore s s ss ob re AA tt ras o EE ss cc ol ar Índ ic e e dd e e RR ee pp ee tt êê nc ia

6 Levantamento Bibliográfico: publicações que discutem a importância da educação e externalidades positivas GG ee oo gg rr aa ff ii a a dd a a EE dd uu cc aa ã o o nn o o BB rr aa ss ii l l (( )),, MM ii nn ii ss tt r ii o o dd a a EE dd uu cc aa ã oo AA tt ll aa s s dd a a EE xx cc ll uu ss ãã o o SS oo cc ii aa l l nn o o BB rr aa ss ii l l (( vv oo ll uu mm ee s s 11 e e 22 )),, SS ee cc rr ee tt aa rr ii a a dd o o DD ee ss ee nn vv oo ll vv ii mm ee nn tt o o,, TT rr aa bb aa ll hh o o e e SS oo ll ii dd aa rr ii ee dd aa dd e e,, PP MM SS P P,, e e SS PP OO SS AA TT I I,, AA ll dd aa z a a.. (( )).. MM aa pp a a dd a a EE xx cc ll uu ss ãã o o // II nn cc ll uu ss ãã oo ss oo cc ii aa l l nn a a cc ii dd aa dd e e dd e e SS ãã o o PP aa uu ll o o.. SS P P.. PP UU C C // SS P P,, PP oo ll ii s s.. SS DD TT S S // PP MM SS P P.. (( )).. DD ee ss ii gg uu aa ll dd aa dd e e ee m m SS ãã o o PP aa uu ll o o :: O O II DD H H.. SS ãã o o PP aa uu ll o o,, SS ee cc rr ee tt aa rr ii a a dd o o DD ee ss ee nn vv oo ll vv ii mm ee nn tt o o,, TT rr aa bb aa ll hh o o e e SS oo ll ii dd aa rr ii ee dd aa dd e e,, mm ii mm ee oo KK LL II KK SS BB EE RR G G,, BB ee rr nn aa rr dd o o.. (( )).. HH aa cc ii aa UU nn a a EE cc oo nn oo mm ii a a cc oo m m RR oo ss tt rr oo HH uu mm aa nn o o,, FF uu nn dd o o dd e e CC uu ll tt uu rr a a,, MM x ii cc o o.. DD EE MM O O,, PP ee dd rr o o.. (( )).. PP oo bb rr ee zz a a dd a a PP oo bb rr ee zz a a,, SS ãã o o PP aa uu ll o o,, EE d d.. VV oo zz ee ss BB RR AA GG A A,, T T.. M M.... EE tt AA ll ll i i.. (( )).. n dd ii cc ee s s dd e e SS uu ss tt ee nn tt aa bb ii ll ii dd aa dd ee MM uu nn ii cc ii pp aa l l :: O O DD ee ss aa ff ii o o dd e e MM ee nn ss uu rr aa r r ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o CC EE DD EE PP LL AA R R // UU FF MM G G,, nn m ee rr o o çã çã ér íz éx Ín úm

7 D e p D D D m Levantamento Bibliográfico: publicações que discutem a importância da educação e externalidades positivas FERREIRA, A. B.. Et Al ll i i. (( )). CC rr ee ss cc ii mm ee nn tt o o Ec oo nn ôô mm ii cc o o e e Ac uu mm uu ll aa çã ã o o dd e e cc aa pp ii tt aa l l HH uu mm aa nn o o :: UU mm a a aa nn ál l ii ss e e ss oo bb rr e e a a rr ee ll aa çã ã o o dd e e cc aa uu ss aa ll ii dd aa dd e e ii n n TT ee xx tt oo s s pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o, CC ED EP LAR/ UU FM G G, nn úm ee rr o o SS IM ÕÕ ES, M M.C. (( )) CC rr ee ss cc ii mm ee nn tt o o Ec oo nn ôô mm ii cc o o, Ed uu cc aa çã ã o o e e D ii ff ee rr ee nn tt ee s s NN ív v ee ii s s dd e e Es cc oo ll aa rr ii dd aa dd e e :: An ál l ii ss e e ee mm p ír r ii cc a a dd e e uu m m cc oo nn jj uu nn tt o o dd e e pp aa ís s ee s s dd a a OO CC DD E ii n n V V En cc oo nn tt rr o o dd e e Ec oo nn oo mm ii ss tt aa s s dd e e Lín n gg uu a a PP oo rr tt uu gg uu ee ss a a. RAM OO S S, L. && BARRO S S, R.P.B. (( )). A NN oo tt e e TT ee mm pp oo rr aa l l Ev oo ll uu tt ii oo n n oo f f TT hh e e Re ll aa tt ii oo nn ss hh ii p p bb ee tt ww ee ee n n WW aa gg ee s s aa nn d d Ed uu cc aa tt ii oo n n aa mm oo nn g g Br aa zz ii ll ii aa n n PP rr ii mm e Ag e e MM aa ll ee s s :: // ii n n TT ee xx tt oo pp aa rr aa D ii ss cc uu ss ss ãã oo IP EA. BARRO S S, R.P.B. (( )). In cc oo mm e e In ee qq uu aa ll ii tt y y ii n n Ed uu cc aa tt ii oo n n aa nn d d CC hh ii ll dd rr ee n n s s SS cc hh oo oo ll ii nn g g ii n n Br aa zz ii l l ii n n TT ee xx tt oo pp aa rr aa DD ii ss cc uu ss ss ãã oo IP EA. BARRO S S, R.P.B. (( )). Re gg ii oo nn aa l l DD ii ss pp aa rr ii tt ii ee s s ii n n Ed uu cc aa tt ii oo n n WW ii tt hh ii n n Br aa zz ii l l :: tt hh e e Ro ll e e oo f f QQ uu aa ll ii tt y y oo f f Ed uu cc aa tt ii oo n n ii n n TT ee xx tt oo pp aa rr aa D ii ss cc uu ss ss ãã oo IP EA. BARRO S S, R.P.B. (( )). UU nn ee qq uu aa l l OO pp pp oo rr tt uu nn ii tt y y tt o o SS uu rr vv ii vv e e, Ed uu cc aa tt ii oo n n aa nn d d Re gg ii oo nn aa l l DD ii ss pp aa rr ii tt ii ee s s ii n n Br aa zz ii l l ii n n TT ee xx tt oo aa rr aa D ii ss cc uu ss ss ãã oo IP EA.

8 Levantamento Bibliográfico: publicações que discutem a importância da educação e externalidades positivas BB AA RR RR OO S S,, R R.. P P.. B B.. (( )).. II mm pp aa cc tt o o dd e e TT rr êê s s II nn oo vv aa çõ õ ee s s II nn ss tt ii tt uu cc ii oo nn aa ii s s nn a a EE dd uu cc aa çã ã o o BB rr aa ss ii ll ee ii rr a a ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o.. BB AA RR RR OO S S,, R R.. P P.. B B.. && CC AA RR VV AA LL HH O O,, M M.. (( )).. DD ee ss aa ff ii oo s s PP aa rr a a a a PP oo ll ít t ii cc a a SS oo cc ii aa l l BB rr aa ss ii ll ee ii rr a a ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o II PP EE A A.. BB AA RR RR OO S S,, R R.. P P.. B B.. && MM EE NN DD OO NN ÇA A,, R R.. (( )).. EE vv oo ll uu çã ã o o dd o o BB ee mm -E E ss tt aa r r e e dd a a DD ee ss ii gg uu aa ll dd aa dd e e nn o o BB rr aa ss ii l l dd ee ss dd e e ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o II PP EE A A.. BB AA RR RR OO S S,, R R.. P P.. B B.. && MM EE NN DD OO NN ÇA A,, R R.. (( )).. II nn vv ee ss tt ii mm ee nn tt oo s s ee m m EE dd uu cc aa çã ã o o e e DD ee ss ee nn vv oo ll vv ii mm ee nn tt o o EE cc oo nn ôô mm ii cc o o ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o II PP EE A A.. BB AA RR RR OO S S,, R R.. P P.. B B.. ee tt AA ll ll i i (( )).. PP ee ll o o ff ii m m dd aa s s DD éc c aa dd aa s s PP ee rr dd ii dd aa s s :: EE dd uu cc aa çã ã o o e e DD ee ss ee nn vv oo ll vv ii mm ee nn tt o o SS uu ss tt ee nn tt aa dd o o nn o o BB rr aa ss ii l l ii n n TT ee xx tt o o pp aa rr a a DD ii ss cc uu ss ss ãã o o II PP EE A A..

9 D Projetos Desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação (São Paulo) - PP rr oo jj ee tt o o MOVA DD ii gg ii tt aa l l :: tt rr aa tt aa -s s e e dd e e uu m m pp rr oo jj ee tt o o dd e e aa ll ff aa bb ee tt ii zz aa çã ã o o dd ii gg ii tt aa l l dd e e aa dd uu ll tt oo s s,, qq uu e e ss e e pp rr oo pp õõ e e a a pp oo ss ss ii bb ii ll ii tt aa r r a a oo cc uu pp aa çã ã o o ee ss tt rr aa tt ég g ii cc a a dd e e ee ss pp aa ço o s s,, dd e e oo rr gg aa nn ii zz aa çã ã o o dd e e cc ll aa ss ss ee s s ss oo cc ii aa ii s s e e dd e e ss ee uu s s ss uu bb -g g rr uu pp oo s s.. - PP rr oo jj ee tt o o MÃ O NN A MAS SS A: cc oo nn vv êê nn ii o o ff ii rr mm aa dd o o ee nn tt rr e e a a AA cc aa dd ee mm ii a a BB rr aa ss ii ll ee ii rr a a dd e e CC ii êê nn cc ii aa s s e e a a AA cc aa dd ee mm ii e e dd ee ss SS cc ii ee nn cc ee ss dd e e I I II nn ss tt ii tt uu tt dd e e FF rr aa nn cc e e.. TT aa l l pp rr oo jj ee tt o o pp rr ee tt ee nn dd e e dd ee ss ee nn vv oo ll vv ee r r o o ee nn ss ii nn o o ee xx pp ee rr ii mm ee nn tt aa l l dd e e cc ii êê nn cc ii aa s s.. - PP rr oo jj ee tt o o EE DD UU CC AÇÃA Ã O EE SS PP EE CC II AL :: pp rr oo gg rr aa mm a a dd ee ss ee nn vv oo ll vv ii dd o o pp aa rr a a pp oo rr tt aa dd oo rr ee s s dd e e dd ee ff ii cc ii êê nn cc ii a a pp oo r r mm ee ii o o dd e e EE ss cc oo ll aa s s MM uu nn ii cc ii pp aa ii s s dd e e EE dd uu cc aa çã ã o o EE ss pp ee cc ii aa l l EE MM EE EE ss e e dd e e SS aa ll a a dd e e AA tt ee nn dd ii mm ee nn tt o o aa oo s s PP oo rr tt aa dd oo rr ee s s dd e e NN ee cc ee ss ss ii dd aa dd ee s s EE ss pp ee cc ii aa ii s s SS AA NN PP NN E E.. - PP rr oo jj ee tt o o RÁD II O EE SS CC OL A: pp rr oo pp õõ ee -s s e e a a oo ff ee rr ee cc ee r r à rr ee dd e e MM uu nn ii cc ii pp aa l l dd e e EE nn ss ii nn o o dd a a CC ii dd aa dd e e dd e e SS ãã o o PP aa uu ll o o cc aa pp aa cc ii tt aa çã ã o o pp aa rr a a aa tt uu aa çã ã o o ee m m ss ii ss tt ee mm a a cc oo mm uu nn ii cc aa cc ii oo nn aa ll aa bb ee rr tt o o.. AA ll ém m dd ii ss ss o o,, vv ii ss a a à pp aa rr tt ii cc ii pp aa çã ã o o dd oo s s mm ee mm bb rr oo s s dd a a cc oo mm uu nn ii dd aa dd e e ee ss cc oo ll aa r r,, aa tt rr aa vv és s dd e e uu mm a a aa dd ee qq uu aa dd a a aa pp rr oo xx ii mm aa çã ã o o ee nn tt rr e e oo s s cc aa mm pp oo s s dd a a CC oo mm uu nn ii cc aa çã ã o o e e EE dd uu cc aa çã ã o o,, nn o o qq uu e e dd ii z z rr ee ss pp ee ii tt o o aa o o ee mm pp rr ee gg o o dd aa s s nn oo vv aa s s tt ee cc nn oo ll oo gg ii aa s s nn o o ee nn ss ii nn o o (( ee ss pp ee cc ii aa ll mm ee nn tt e e rr ád d ii o o )),, dd e e mm aa nn ee ii rr a a cc rr ít t ii cc a a,, cc rr ii aa tt ii vv a a e e tt rr aa nn ss vv ee rr ss aa l l a a cc uu rr rr íc c uu ll o o..

10 A m : Projetos Desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação (São Paulo) - PP ro jj eto INFORMÁT T IC A A EE DD UU CC AA TT IV A A : tem cc oo mm o o pp rin cc ip al mm eta desen vo lver nn oo vas ff oo rm as e téct c nn ic as de en sin o o e ap ren dizag em e dif eren tes ff oo rm as de lidar cc oo m m a in ff oo rm açãa ã o o e cc oo m m o o cc oo nn hh ec im en to,, sem ig nn oo rar o o im pp ac to e as pp oo ssib ilidades das nn oo vas tec nn oo lo gg ias. - PP ro jj eto MOV A :: MM oo vim en to de Alf ab etizaçã ã o o de JJ oo ven s e Adu lto s nn a cc idade de SS ãã o o PP au lo,, cc oo m m o o cc oo mm pp ro mm isso de dim in uu ir radic alm en te o o nn úm ero de an alf ab eto s ab so lu to s do mm uu nn ic íp p io..

11 Alguns dados sobre Educação Município de São Paulo

12 Resultado Município de São Paulo Educação Matrícula Inicial na Educação Infantil Total Matrícula Inicial na Educação Infantil Municipal Matrícula Inicial na Educação Infantil Particular Matrícula Inicial na Pré-Escola - Rede Particular Fundação SEADE

13 Resultado Município de São Paulo Educação Matrícula Inicial na Pré-Escola - Total Matrícula Inicial na Pré-Escola - Rede Estadual Matrícula Inicial na Pré-Escola - Rede Municipal Matrícula Inicial na Pré-Escola - Rede Particular Matrícula Inicial na Educação Infantil Total Matrícula Inicial na Educação Infantil Municipal Matrícula Inicial na Educação Infantil Particular Fonte: Fundação SEADE

14 Resultado Município de São Paulo Educação Matrícula Inicial no Ensino Fundamental - Total Taxa de Evasão de Ensino Fundamental Total (Em %) 3,05 3,26 Taxa de Aprovação de Ensino Fundamental Total (Em %) 93,65 92,46 Taxa de Reprovação de Ensino Fundamental Total (Em %) 3,3 4,28 Matrícula Inicial na Educação Infantil Total Matrícula Inicial na Educação Infantil Municipal Matrícula Inicial na Educação Infantil Particular Concluintes do Ensino Fundamental Total Fonte: Fundação SEADE

15 Município de São Paulo Educação Matrícula Inicial no Ensino Médio - Total Taxa de Evasão de Ensino Fundamental Total (Em %) 3,05 3,26 Taxa de Aprovação do Ensino Médio Total (Em %) 85,47 83,28 Taxa de Evasão do Ensino Médio Total (Em %) 9,02 10,17 Taxa de Reprovação do Ensino Médio Total (Em %) 5,51 6,54 Concluintes do Ensino Médio Total Fonte: Fundação SEADE

16 Município de São Paulo Educação Matrícula na Educação Superior - Total Concluintes da Educação Superior - Total

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Programa de Avaliação de Desempenho dos Técnico-Administrativos em Educação da UFJF

Manual de Identidade Visual. Programa de Avaliação de Desempenho dos Técnico-Administrativos em Educação da UFJF Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e Variações Manual de Identidade Visual Apresentação e

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual ÍNDICE APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO MANUAL 1ASSINATURA ESCALA DE CORES TIPOGRAFIA DE APOIO 2APLICAÇÃO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL PEÇAS GRAFICAS 2.1 Arejamento/Proteção 2.2 Redução

Leia mais

Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª

Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª Projeto de Lei n.º 359/XII/2ª Procede à 7.ª alteração da Lei n.º 5/2004, de 10 de Fevereiro, que estabelece o regime jurídico aplicável às redes e serviços de comunicações eletrónicas e aos recursos e

Leia mais

Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER I DESAFIO DO DIA

Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER I DESAFIO DO DIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A I Conteúdo: - Alfabeto - letras k, w, y e vogais - Uso do dicionário 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A I Habilidades:

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª

PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 514/XII/3.ª ESTABELECE QUE A TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM PASSA A SER PAGA DIRETAMENTE PELAS OPERADORAS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS E PREVÊ SANÇÕES PARA O

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O LEI COMPLEMENTAR Nº 273, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012. Altera o art. 59 da Lei nº 386, de 17 de fevereiro de 1993, e dá outras providências. O PREFEITO DE PALMAS Faço saber que a Câmara Municipal de Palmas

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

A Rede de Autodefesa da Cisco Fevereiro de 2005 Enio Alves, Gerente de Soluçõ es enio. alves@ c isc o. c om C isc o Sy stem s CISCO CONFIDENCIAL NÃ O R EP R ODU Z IR OU COP IAR G OO MM A R e d e c o m

Leia mais

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES.

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. E a marca HEAVYLOAD transmite essa confiança e, também, cria essa percepção! Em cada momento

Leia mais

Apresentação... 02. Introdução... 04. Marca... 05. Grid de construção... 06. Reserva de integridade... 07. Marca completa e simplificada...

Apresentação... 02. Introdução... 04. Marca... 05. Grid de construção... 06. Reserva de integridade... 07. Marca completa e simplificada... M a n u a l d e I d e n t i d a d e V i s u a l M a n u a l d e I d e n t i d a d e V i s u a l Manual de Identidade Visual Índice Apresentação................................... 02 Introdução.....................................

Leia mais

CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA

CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA Distúrbios Relativos à QE 1,5 Tensão [PU] 1 0,5 0-0,5-1 -1,5 Tempo CURSO: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA WWW.ENGEPOWER.COM TEL: 11 3579-8777 PROGRAMA DO CURSO DE: QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA DIRIGIDO

Leia mais

N ORMA DE P ROCEDIMENTOS E XTERNA

N ORMA DE P ROCEDIMENTOS E XTERNA CONSELHO DIRECTIVO N ORMA DE P ROCEDIMENTOS E XTERNA CLASSIFICAÇÃO-N.º/VERSÃO:PGR-27/01 ENTRADA EM VIGOR: 17-10-2008 DATA DE APROVAÇÃO: 23-10-2008 Âmbito: PRODER E PRORURAL 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS 2 1.1

Leia mais

P RO J E T O E S P E C I A L : A R E S T / F AZ E N D A S E N H O R J E S U S

P RO J E T O E S P E C I A L : A R E S T / F AZ E N D A S E N H O R J E S U S P RO J E T O E S P E C I A L : A R E S T / F AZ E N D A S E N H O R J E S U S P ET A g r o n o m i a U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e L a v r a s U F L A / M G 1 R e s u m o J a m a i s c o n

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA 001

TERMOS DE REFERÊNCIA 001 TERMOS DE REFERÊNCIA 001 CONSULTORIA TÉCNICA PARA PREPARAR INFORMAÇÕES PARA SUBISIDIAR O MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS COM O ODM #7 1. Objetivo Contratação

Leia mais

EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s e R e f l e x õ e s Dagmar Aparecida Trautmann E s t a D i s s e r t a ç ã o f o i j u l g a d a a d e

EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s e R e f l e x õ e s Dagmar Aparecida Trautmann E s t a D i s s e r t a ç ã o f o i j u l g a d a a d e UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA P RO G RAM A DE P Ó S-G RADUAÇ Ã O EM CIÊ NCIA DA CO M P UTAÇ Ã O D a g m a r A p a r e c i d a T r a u t m a n n EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s

Leia mais

½ x. ½ x. Manual de identidade visual

½ x. ½ x. Manual de identidade visual Manual de identidade visual SUMÁRIO. Introdução... 02 Primeira Marca Fase Sport... 03 Nova Marca Fase Sport... 04 Evolução da Marca... 05 Composição da Marca... 06 Formação da Marca... 07 Construção da

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 313/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 313/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 313/XII Exposição de Motivos O XIX Governo Constitucional implementou, ao longo da presente legislatura, importantes e significativas reformas no setor da administração local, em que

Leia mais

Por que um Manual da Marca

Por que um Manual da Marca Manual da Marca Por que um Manual da Marca A marca é a identidade da empresa. Construída a partir de valores e princípios praticados ao longo do tempo, a marca expressa compromissos, inspira confiança,

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual 2013 Introdução A MARCA A identidade Visual Corporativa da Cral foi elaborada com a finalidade de promover a padronização da aplicação da Marca, do padrão de pintura Cral em

Leia mais

B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 )

B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 ) B e n j a m i n C o n s t a n t B o t e l h o d e M a g a l h ã e s ( 1 8 3 6 / 1 8 9 1 ) B e n ja m i n C o n s t a n t, c o m o c o s t u m a s e r r e f e r i d o, é c o n s i d e r a d o c o m o o

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

Sumário. manual da marca Pet Pois

Sumário. manual da marca Pet Pois Sumário. ois Pet Pet Poi ois Pet Pet Poi ois Pet Pet Poi ois Pet Manual da Marca. Pet Poi Marca. conceito. Marca composta pela representação sintética de uma garrafa PET, onde um círculo preenchido com

Leia mais

Sumário. Introdução 02. Símbolo 03. Definição cromática. Alfabeto padrão. Variante de uso ANEXO

Sumário. Introdução 02. Símbolo 03. Definição cromática. Alfabeto padrão. Variante de uso ANEXO Sumário Introdução 02 Símbolo 03 Definição cromática Alfabeto padrão Variante de uso 04 05 06 Dominante horizontal Dominante central Diagramas de construção Usos preferenciais de cores Reduções Exemplo

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS

INSTRUÇÕES GERAIS ÍNDICE APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO MANUAL 1 2 3 4 5 INSTRUÇÕES GERAIS APLICAÇÃO APLICAÇÃO APLICAÇÃO ORIGINAIS DIGITAIS ASSINATURAS ESCALA DE COR TIPOGRAFIA TIPOGRAFIA DE APOIO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL PEÇAS

Leia mais

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental

O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental O trabalho com textos na alfabetização de crianças do 1º e 2º anos do ensino fundamental Izac Trindade Coelho 1 1. I n t r o d u ç ão Ai de mim, ai das crianças abandonadas na escuridão! (Graciliano Ramos)

Leia mais

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011 Oferta Significado 2011 Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão Setembro 2011 Data para submissão das Candidaturas: Até 10 de Outubro 2011 Financiamento Formação Geral Micro

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m

E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a. A n t o n i o P a i m E v o lu ç ã o d o c o n c e i t o d e c i d a d a n i a A n t o n i o P a i m N o B r a s i l s e d i me nt o u - s e u ma v is ã o e r r a d a d a c id a d a n ia. D e u m mo d o g e r a l, e s s a c

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 1. PLANO DIRETOR Com o intuito de gerenciar, planejar, avaliar e recompensar, criando e mantendo um ambiente profissional e positivo na organização, passamos a seguinte análise e plano de ação. *Obs.:

Leia mais

NIVELAMENTO MATEMÁTICA 2012

NIVELAMENTO MATEMÁTICA 2012 NIVELAMENTO MATEMÁTICA 202 Monitor: Alexandre Rodrigues Loures Monitor: Alexandre Rodrigues Loures SUMÁRIO. LOGARITMOS... 3.. Mudança de base... 3.2. Propriedades dos logaritmos... 4 2. DERIVADAS... 4

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano L e i M u n i c i pa l n. º 2 1 0 7, d e 0 5 d e J u l h o d e 1 9 9 9. Dispõe s o b r e a d i v i s ã o d o ter r i t

Leia mais

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação Brasília, Março de 2010 I Conferência da ANAMBA e Encontro Regional Americano do EMBA COUNCIL São Paulo, 08 a 10 de março de 2010 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO TÓPICOS O SNPG e a necessidade

Leia mais

Registro de descartes de lixo

Registro de descartes de lixo s de Lixo: A B C D E Plásticos; Restos de comida; Lixo doméstico (produtos de papel, trapos, vidro, metais, garrafas, louça, etc.); Óleo de cozinha; Cinzas de incinerador; F G H I Lixo operacional; Resíduos

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Manual Resumido Identidade Corporativa Projeto Piatam

Manual Resumido Identidade Corporativa Projeto Piatam Manual Resumido Identidade Corporativa Projeto Piatam Fevereiro de 2007 Manaus - Amazonas Ao Usuário Este documento contém os objetivos da marca Piatam com as regras básicas de sua utilização e aplicação.

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

RESOLUÇÃO PPGECEA/UEFS N 02/2008

RESOLUÇÃO PPGECEA/UEFS N 02/2008 U N II V EE R S II D A D EE EE S TT A D U A LL D EE FF EE II R A D EE S A N TT A N A Autorizada pelo Decreto Federal N o 77.496 de 27/04/76 Reconhecida pela Portaria Ministerial N o 874/86 de 19/12/86

Leia mais

Melhores P rát i c as p ara S eg u ran ça d e R ed es Andrey Lee E ng enh ei ro de S i s t em S erv i c e Pro v i ders a s G T S - 0 9 3 0 / M a i o / 2 0 0 7 2 0 0 7 C i s c o S y s t e m s, I n c. A

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Processos de trabalho. Vigilância epidemiológica hospitalar do Câncer

Processos de trabalho. Vigilância epidemiológica hospitalar do Câncer Processos de trabalho Vigilância epidemiológica hospitalar do Câncer Núcleo Hospitalar de Epidemiologia Hospital Nossa Senhora da Conceição Hospital da Criança Conceição Fonte:www.einstein.br Processos

Leia mais

Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato

Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato ANEXO III AO EDITAL PÚBLICO DE AQUISIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE ACL 5-1-2014 Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato a) Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Tipo 3NP 1 3K 3NJ4

Leia mais

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD.

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. I.E.S. ANDRÉS DE VANDELVIRA J. G a r r i g ó s ÍNDICE 1 COMBINAR CORRESPONDENCIA... 2 2. CREACIÓN DE ÍNDICES EN MICROSOFT

Leia mais

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho?

1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS 681 1ª PERGUNTA: Na sua opinião, como deve ser a formação do trabalhador para o atual mercado de trabalho? ANEXO 4 - ANÁLISE DE CONTEÚDO ALUNOS SUJEITO UNIDADE DE CONTEXTO UNIDADE

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A D E E D U C A Ç Ã O CENTRO EDUCACIONAL DE NITERÓI

F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A D E E D U C A Ç Ã O CENTRO EDUCACIONAL DE NITERÓI F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A D E E D U C A Ç Ã O CENTRO EDUCACIONAL DE NITERÓI DIREÇÃO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM TURMA:. ALUNO: PROFº:

Leia mais

DESCRIÇÃO FINALIDADE FLUXOGRAMA DE FUNCIONAMENTO

DESCRIÇÃO FINALIDADE FLUXOGRAMA DE FUNCIONAMENTO MANUAL DO USUÁRIO DESCRIÇÃO O SR5 Evolution permite ligar vários amplificadores e crossovers sequencialmente, evitando o surto inicial gerado na alimentação quando todo o sistema de som é ligado simultaneamente.

Leia mais

#$ -.,./0*$/1 2 3,*45 $. 6 /768/. $ 2.95,* :;< 6$ $ -.,./0 *$/1 +=. $6 >.=7 2 3.=45.$ $ 1,? " 2= $.9.5!!< 2 #$45 6-= $,? <" 2= $>A 9. $ = = 5.

#$ -.,./0*$/1 2 3,*45 $. 6 /768/. $ 2.95,* :;< 6$ $ -.,./0 *$/1 +=. $6 >.=7 2 3.=45.$ $ 1,?  2= $.9.5!!< 2 #$45 6-= $,? < 2= $>A 9. $ = = 5. !"!"#$ %&!$'#(%)"&!'&*)+),#)&!-+.$#)/ %&! #$% $ &' 0123 ()**+,+,*& #$ -.,./0*$/1 2 3,*45 $. 6 /768/. $ 2.95,* :;< 6$ $ -.,./0 *$/1 +=. $6 >.=7 2 3.=45.$ $ 1,? " 2= $.9.5!!< 2 3@ #$45 6-= $,?

Leia mais

PORTO DE SALVADOR - S U L D A Á F R I C A *

PORTO DE SALVADOR - S U L D A Á F R I C A * R O TA S D E N AV E G A Ç Ã O N O L O N G O C U R S O - M E R C O S U L - C O S TA O E S T E D A A M É R I C A D O S U L - A M É R I C A C E N T R A L E C A R I B E - G O L F O D O M É X I C O - C O S

Leia mais

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&'

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&' ! " #$$# ! " #$$# %! ' () #' (( * + ), (# -. / 0# () -. 1 234 3 5 3 0' (0 -. 1 1 6$ (7-. 1 - - 6,!" # 8( #( - 1 80 ## -!+ 8, #) -. ') #0 -. 1 ', #0( -. '' #0# - ($$ #0) - ($# $!"% ($, )(-! 9 (#$ )#- %

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

promotoria (futura ocupação) promotoria fazenda pública assessoria assessoria assessoria PLC 003Z PLC 003P PLC 001G PLC 005A PLC 001F

promotoria (futura ocupação) promotoria fazenda pública assessoria assessoria assessoria PLC 003Z PLC 003P PLC 001G PLC 005A PLC 001F sala reunião escritório analista jurídico ( fazenda pública) I.S..15 PLC 004B PLC 003BB fazenda pública fazenda pública (futura ocupação) (futura ocupação) PLC 003AA coordenação fazenda pública PLC 003Z

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

CONTRATO Nº 229/ 2014

CONTRATO Nº 229/ 2014 CONTRATO Nº 229/ 2014 Prestação de Serviços de Consultoria especializada em gestão na área de planejamento estratégico e mapeamento de processos. Que fazem entre si de um lado a Prefeitura Municipal de

Leia mais

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana Mundo Geo Connect Seminário Geotecnologia na Gestão Municipal Sessão Desafios para as Prefeituras: o CTM como instrumento de política fiscal e urbana São Paulo, 16 de junho de 2011 Cadastro Territorial

Leia mais

Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo da Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa do Consumidor

Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo da Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa do Consumidor Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo a Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa o Consumior Câmara os Deputaos Praça Poeres Consultoria Legislativa Anexo

Leia mais

1 2 9, i n c i s o I I, d a C F ; e a r t i g o 5 º, i n c i s o V, a l í n e a s a e

1 2 9, i n c i s o I I, d a C F ; e a r t i g o 5 º, i n c i s o V, a l í n e a s a e P O R T A R I A n 2 0 1, d e 1 8 d e j u l h o d e 2 0 1 3. A P r o c u r a d o r a d a R e p ú b l i c a q u e e s t a s u b s c r e v e, e m e x e r c í c i o n a P r o c u r a d o r i a d a R e p ú

Leia mais

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o C ic lo d e D e b a te s : "1 C liq0 u e Ap a ra n eo d ita s r do eo s tilo Ed o ssta u b tí tu lo to m e s tre d o Id o s o E lia n a M á

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 398, DE 23 DE MARÇO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 398, DE 23 DE MARÇO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 398, DE 23 DE MARÇO DE 2010. Regulamenta a Lei nº 11.934, de 5 de maio de 2009, no que se refere aos limites à exposição humana a campos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO. Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO SOLO Prof. Dr. Reges Heinrichs UNESP - Dracena 2010 Introdução Inicialmente: realizada de forma subjetiva e empírica como referência o desenvolvimento da vegetação. Atualmente:

Leia mais

INDÍGENAS NO BRASIL PRECONCEITO CONTRA INDÍGENAS

INDÍGENAS NO BRASIL PRECONCEITO CONTRA INDÍGENAS Capítulo 3 PRECONCEITO CONTRA INDÍGENAS Concordância com afirmações sobre indígenas Os í nd io s vivem mais d e aco rd o co m a nat ureza d o q ue o s b ranco s 75 15 3 432 Os í nd io s p ro t eg em mais

Leia mais

TRT-00290-2014-079-03-00-7 RO

TRT-00290-2014-079-03-00-7 RO Primeira Turma Publicacao: 14/11/2014 Ass. Digital em 11/11/2014 por CLEBER LUCIO DE ALMEIDA Relator: CLA Revisor: LOLR PODER JUDICIÁRIO R e c o r r e n t e : A L I S S O N C A R V A L H O B O R G E S

Leia mais

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G

G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o. U n i v e r s i d a d e F e d e r a l d e C a m p i n a G r a n d e U F C G M E T O D O L O G I A U T I L I Z A D A P E L O P E T C O M P U T A Ç Ã O D A U F C G P A R A M I N I S T R A R C U R S O S DE I N F O R M À T I C A B À S I C A G r u p o P E T C o m p u t a ç ã o C u

Leia mais

P R O J E Ç Õ E S. Produção Vendas Interna Importação Exportação Emprego ,1% -10,7% 6,2% -3,7% ,3% 2,0% 3,5% 5,0% 15.

P R O J E Ç Õ E S. Produção Vendas Interna Importação Exportação Emprego ,1% -10,7% 6,2% -3,7% ,3% 2,0% 3,5% 5,0% 15. BOLETIM TENDÊNCIAS DE CURTO PRAZO ANÁLISE GERAL J ANEIRO. 2017 L i d e r a d a p e l a i n d ú s t r i a T ê x t i l, a p r o d u ç ã o i n d u s t r i a l da c a d e i a de T ê x ti l & V e s t u á r

Leia mais

Guia de Atualização Release FoccoERP 2014

Guia de Atualização Release FoccoERP 2014 Guia de Atualização Release FoccoERP 2014 02/06/2014 Índice ÍNDICE... 2 APRESENTAÇÃO... 3 INTRODUÇÃO... 4 PROCESSO DE INSTALAÇÃO... 4 ATUALIZANDO UM SEGUNDO AMBIENTE... 25 Página 2 de 26 Apresentação Este

Leia mais

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

!"!#""" MESTRADO EM TEOLOGIA. Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#""./

!!# MESTRADO EM TEOLOGIA. Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#./ !"!#""" $%&&' MESTRADO EM TEOLOGIA Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#""./ 0!"!#""" 1223445, 26,),7)2 8 9:;28 87767 26,;2

Leia mais

FICHA CADASTRAL DA EFPC PARA INSCRIÇÃO NO QUADRO SOCIAL

FICHA CADASTRAL DA EFPC PARA INSCRIÇÃO NO QUADRO SOCIAL 11 )) IIN FFO RRM AA ÇÇÕ EE SS GG EE RR AA II SS Nome Completo: CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Nome Reduzido: CAGEPREV Endereço: AV. TREZE DE MAIO, 1116 SALAS 904/905 FÁTIMA Cidade:

Leia mais

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m

2. A C l a s s i f i c a ção M S C 01 H i s t o r y a n d b i o g r a p h y 03 M a t h e m a t i c a l l o g i c a n d f o u n d a t i o n s 05 C o m Áreas Científicas do Departamento de Matemática Docu mento de trab al h o 1. Introdução O D e p a r t a m e n t o d e M a t e m á t i c a e st á or g a n i z a d o e m q u a t r o S e c ç õ e s: S 8 1

Leia mais

A PESQUISA EM MELHORAMENTO DE SOJA PARA O OESTE DA BAHIA

A PESQUISA EM MELHORAMENTO DE SOJA PARA O OESTE DA BAHIA A PESQUISA EM MELHORAMENTO DE SOJA PARA O OESTE DA BAHIA Histórico do Programa 1975 a 1996 100% convencional 1996 a 2005 convencional e RR1 2005 a 2008 RR1, convencional e cultivance 2008 a 2014 RR1, Intacta,

Leia mais

ESTUDO DE CASO LOJA DE PEÇAS MOTOPEÇAS

ESTUDO DE CASO LOJA DE PEÇAS MOTOPEÇAS ESTUDO DE CASO LOJA DE MOTO 1. Objetivo 1.1. Construção do modelo lógico de dados corporativo da empresa Motopeças através de: 1.1.1. elaboração do modelo lógico de dados dos subsistemas de Controle de

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Matriz de Avaliação de Matemática

Matriz de Avaliação de Matemática Matriz de Avaliação de Matemática A prova de matemática do TRLQ (Teste de Raciocínio Lógico Quantitativo) tem por objetivo avaliar o preparo das pessoas que a realizam para cursar programas de ensino que

Leia mais

Design de aplicativos moveis

Design de aplicativos moveis Design de aplicativos moveis Os dispositivos móveis mais comuns : S m a r t p h o n e ; P D A ; Te l e m ó v e l ( pt) / C e l u l a r ( br); C o n s o l e p o r t á t i l ; U l t r a M o b i l e P C ;

Leia mais

ROTEIRO AVALIAÇÕES GLOBAIS / 2ª ETAPA INFANTIL III - MANHÃ/TARDE - EDUCAÇÃO INFANTIL

ROTEIRO AVALIAÇÕES GLOBAIS / 2ª ETAPA INFANTIL III - MANHÃ/TARDE - EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL III - MANHÃ/TARDE - EDUCAÇÃO INFANTIL 17/06 NATUREZA -CORPO HUMANO; -ÓRGÃO DO SENTIDO; -FENÔMENOS DA NATUREZA(MEIO AMBIENTE). 20/06 LINGUAGEM -COMPREENSÃO DO TEXTO; -COORDENAÇÃO MOTORA; -ESCRITA

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

! " #! $! %! " & ' ( )!! " * + " *, %

!  #! $! %!  & ' ( )!!  * +  *, % ! " #! $! % "! &' ( )!! " * + " *, % ! " # $ %!"#$%#&'()%#*&+ *', #%!-").%",')/&%001 #2% '.32"!'.)%#%2'%%4"'&)'#.)* *.'*#' 2)%#&"'&)' *'!&%5'/65*#'& &*#78% 2*5#%#2)'29:* #;!')*

Leia mais

Nossa identidade Um manual completo de normas

Nossa identidade Um manual completo de normas Nossa identidade Um manual completo de normas Versão 1.0 Novembro 2010 2010, Laureate International Universities SUMÁRIO Parte 1 - Bem vindo 03 Laureate International Universities 04 Parte 2 - Aplicação

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

< ()& : 555>?

< ()& : 555>? P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r r t r Pr r sé rt r P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r ss rt çã r s t rt s r q s t s r t çã tít str t r r

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS DE IDENTIDADE VISUAL DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS DE IDENTIDADE VISUAL DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA MANUAL DE NORMAS GRÁFICAS DE IDENTIDADE VISUAL DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ÍNDICE UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Introdução Composição Grelha de Construção Símbolo Logótipo Horizontal Logótipo

Leia mais

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 1 Índice CAPÍTULO I Séries Internacionais e Nacionais 2003 a 2012 6 Fluxos Turísticos Internacionais 7 O Turismo na Economia Nacional 16 O Alojamento Turístico

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO METODOLOGIA DE ALINHAMENTO ESTRATÉGICO: Metodologia de alinhamento estratégico por painéis de contribuição, com apoio de mapas mentais, do TRT da 8ª Região (Método APCMM/TRT8) Belém PA 2013 METODOLOGIA

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR Diário da República, 1.ª série N.º 163 21 de agosto de 2015 6231 mediante acordo dos respetivos titulares, solicitar a integração parcial ou total e ou a redistribuição das respetivas potências. 3 O pedido

Leia mais

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0 1 3 پ0 7 _ پ0 7 _ پ0 7 _ & 4 7 A. ز E 7 1 j j پ0گ7? 4 n #_ n _ L? Mi - nha ca -sa e -ra ve - ha nپ0ٹ0o po - di - a su - por - tar پ0ˆ7. _ eu me 4 پ0 7 پ0 8 & E 7 G 6 /A A _.. nnn_ n پ0ˆ7_ j j j j G j پ0گ7

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL Abril 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR ELÉTRICO Junho 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Os textos agora propostos para consulta pública carecem ainda de aperfeiçoamentos

Leia mais