HAT Programação Auditoria Pós x. abril de Versão: 2.0

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HAT Programação Auditoria Pós. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0"

Transcrição

1 HAT Programação Auditoria Pós 12.1.x abril de 2015 Versão: 2.0

2 1

3 Sumário 1 Introdução Visão do Processo Serviço Dataset Formulário Principal AuditoriaPos Arquitetura do Formulário HTML Auditorias_v Processo Configuração de Processos Itens importantes Aba Informações Gerais Aba Versão Aba Workflow Graphical Designer Aba Avançado Formulário Regras de Triagem Arquitetura do Formulário HTML Config_Auditorias Cadastrar Usuário/Colaborador Cadastro de Colaborador Cadastro de Grupos de Usuários

4 1 Introdução Este manual apresentará as informações necessárias para o desenvolvimento de novas funcionalidades ao processo de Auditoria Pós na ferramenta ECM. Para melhor compreendimento do processo acesse os dois manuais a seguir: 2 Visão do Processo O processo Auditoria Pós tem início por meio do programa api-regras-auditoria-movimentos.p. Esse programa é executado após a criação ou alteração de um documento do Revisão de Contas. Considera-se, também, como sendo uma alteração qualquer sobre um movimento. A api-regras-auditoria-movimentos.p valida o documento / movimentos contra as regras cadastradas no programa ViewControlProcessRulesMain e caso uma regra seja atendida a api executa ação determinada pela regra. Existem duas ações possíveis: Liberação Automática ou Pendente de Auditoria. A primeira valida automaticamente os movimentos para pagar e os libera para o faturamento, todas as glosas são validadas nesse processo. A última, através da api-ecmintegration.p, inicializa o processo no ECM por meio de uma chamada ao WebService WorkflowEngineService. Maiores detalhes podem ser obtidos no documento Guia de Referência Utilização de Webservices.pdf disponível na pasta de instalação do TOTVS ECM. Na chamada do Webservice WorkflowEngineService, a API envia as seguintes informações nos seguintes campos: Campos que possuem a chave do Documento em Auditoria: cd_unidade cd_unidade_prestadora cd_transacao nr_serie_doc_original nr_doc_original nr_doc_sistema 3

5 Campo mensagem a ser exibida na lista de tarefas: ds_anexo_principal Esse campo possui o código do prestador executante / principal. E informações que identificam o lote de importação caso exista. Campo indicador da ação da regra: papel_workflow Indica se a regra envia para auditoria Administrativa, Médica ou Enfermagem. Campos enviam uma cópia das informações referentes à Guia de Autorização, Documento e Movimentos: tmp_guiautor tmp_docrecon tmp_moviproc tmp_movimen_proced_compl tmp_mov_insu tmp_movimen_insumo_comp Os campos recebem essas informações, pois quando o processo é inicializado a primeira ação realizada é processar a atividade de Triagem essa atividade utiliza-se desses campos possibilitando a verificação das regras de triagem e assim enviar para o Grupo de Auditoria desejado. Todos os campos enviados na chamada do Webservice são automaticamente atribuídos nos campos, do formulário HTML, cujo tipo é hidden e o valor da propriedade name corresponde com o nome da variável acima. Quando o Webservice é invocado, internamente o ECM cria uma ficha com o registro que armazena as informações dessa execução, atribui os valores aos campos enviados e em seguida, executa o evento beforestateentry cadastrado no processo. Esse evento verifica a etapa em que o processo se encontra e executa a ação correspondente a cada etapa. Após, o evento afterstateentry é executado. Esse evento inicializa a variável historymovto do formulário de forma a indicar em qual etapa o processo se encontra. Essa informação é utilizada pelo formulário para que o mesmo saiba quais funcionalidades devem estar disponíveis naquele momento. Nesse momento temos uma tarefa cadastrada e pendente para o grupo de Auditoria correspondente. 4

6 Por padrão os grupos de auditoria são: AuditoriaMedica. AuditoriaAdministrativa. AuditoriaEnfermagem. Reanalise. Porém, esses grupos podem ser modificados conforme a regra de triagem informada. Quando o usuário entra na tarefa para a realização da auditoria, o formulário por meio dos Datasets, chamado o serviço do appserver cadastrado e executa a procedure desejada da fachada fchsauecmposauditory.p para obter as informações desejadas. 3 Serviço O cadastro de Serviço acessado no menu Painel de Controle/Serviço permite a configuração dos dados de conexão com o AppServer utilizado. No caso desse projeto, esse serviço deve ser cadastrado obrigatoriamente com o nome Auditoria pois esse nome é utilizado em todos os Datasets do projeto. Esse cadastro utiliza-se do cadastro de Ambientes para associar as bibliotecas Java que devem ser utilizadas para a conexão com o AppServer correspondente. Além disso, nesse cadastro, deve-se realizar o upload do jar contendo as classes do Proxygen que comunicará com o programa progress desejado, no caso o arquivo datasul-healthcareintegration-ecmauditory-proxygen snapshot.jar disponível em <Diretório Programas>\ecm\Auditorias\public_html\proxygen\. 5

7 No campo URL deverá ser informado a url de conexão com o AppServer seguindo o seguinte modelo Appserver://<servidor>:<porta>/<serviço>. No campo Objeto Remoto deverá ser informado o valor com.datasul.ems.healthcare.integration.ecmauditory. ECMPosAuditory. Maiores detalhes podem ser obtidos no documento Guia de Integração ECM.pdf disponível na pasta de instalação do TOTVS ECM. Importante Quando ocorrer uma alteração nas tabelas temporárias ou alterada a assinatura de uma procedure do programa Fchsauecmposauditory.p. Será necessário gerar novamente o Proxygen dessa fachada e realizado o upload do mesmo nesse cadastro. 6

8 4 Dataset O cadastro de Datasets acessado através do menu Painel de Controle / Dataset é responsável por fornecer o acesso as funções disponibilizadas por meio dos Serviços. Os processos e os formulários para obter acesso as informações utilizam-se dos Datasets para chamar as rotinas progress via AppServer. Para o processo de Auditoria deve-se cadastrar os seguintes datasets, o conteúdo dos mesmos encontra-se disponível em <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\datasets\ : ApplyAuditoryRestriction - Simula a aplicação de uma Glosa Fracionada. ChangeMoviment - Simula a Troca de um movimento. GetAuditoryAssociatedGuides - Pesquisa as guias associadas a guia principal GetAuditoryBenefsModule - Pesquisa os Módulos do Beneficiário. GetAuditoryBenefsRealizationHistory - Pesquisa o Histórico de Realizações do Beneficiário. GetAuditoryGuideHistory - Pesquisa o Histórico da Guia. GetAuditoryRestriction - Pesquisa as Glosas referente ao Movimento GetAuditoryValues - Realiza a pesquisa das informações da conta que está em Auditoria. GetCoverage - Pesquisa os módulos de cobertura do beneficiário. GetMoviments - Pesquisa os movimentos para realizar a troca do movimento. Realiza pesquisa de procedimento ou insumo ou tipo de insumo. GetProvider - Pesquisa os Prestadores. GetRestrictions - Pesquisa a Glosa do sistema. GetUnity - Pesquisa as unidades. RollbackReleased - Realiza o bloqueio dos movimentos SaveDocument - Efetiva a persistência ou simulação das informações. ValidateRestriction - Realiza a validação de Glosa. Todo o Dataset é formado pela assinatura function createdataset (fields, constraints, sortfields) padrão. Essa função por padrão deve retornar um objeto do tipo Dataset. Por meio da função DatasetBuilder.newDataset() existente na API pode-se criar o Dataset a ser retornado ao formulário. O dataset funciona como uma temp-table, por meio da função addcolumn pode-se definir os campos da temp-table e por meio da função addrow é possível adicionar um registro ao mesmo. Para realizar a chamada ao AppServer deve-se utilizar os seguintes comandos que fazem a conexão com o mesmo: 7

9 var servico = ServiceManager.getService("Auditoria"); var servicehelper = servico.getbean(); var remoteobj = servicehelper.createmanagedobject("fchsauecmposauditory"); remoteobj.fchsearchrecords ( <Parâmetros da procedure>); A passagem de parâmetros deve seguir respeitando o tipo existente no proxygen. Assim como na camada Java do TOTVS 11, o proxygen retorna um objeto do tipo ResultSetHolder e que deve possui os campos da temporária progress e seus valores devem ser obtidos lendo-os na ordem determinada pela tabela temporária. Exemplo: while (rs.next()) { var obj = new Object(); obj.errorsequence = "" + rs.getobject("errorsequence"); obj.errornumber = "" + rs.getobject("errornumber"); obj.errordescription = "" + rs.getobject("errordescription"); obj.errorparameters = "" + rs.getobject("errorparameters"); obj.errortype = "" + rs.getobject("errortype"); obj.errorhelp = "" + rs.getobject("errorhelp"); obj.errorsubtype = "" + rs.getobject("errorsubtype"); list.push(obj); } O valor recebido pela função progress é adicionado ao objeto Dataset que será enviado à tela. Como as funções progress retornam diversas temporárias sendo que algumas contendo mais do que um valor, utilizamos o Dataset da seguinte forma: 8

10 Utilizamos um campo do Dataset para indicar qual conjunto de informação nos referimos e atribuímos ao campo à informação no formato JSON por meio do comando JSON.stringify. O formato JSON é muito utilizado em sistemas WEB como substituto ao XML nas chamadas ajax por ser mais leve para trafegar informação. Maiores informações referentes ao padrão JSON podem ser obtidos em Observação: Toda a vez que um ocorre uma mudança de proxygen, os Datasets que utilizam a temporária ou função alterada necessitam ser modificados pra que possa contemplar as alterações. 5 Formulário Principal AuditoriaPos Processo acessado através do menu Documentos/Navegação de Documentos. Todo o Processo de Workflow necessita de um formulário base para a sua execução e armazenamento das informações. Um formulário é uma página html que utiliza-se de recursos de javascript, css e imagens para fornecer uma melhor experiência aos usuários. No ECM um formulário é um fichário que contém em seu interior todos os componentes html (página html, scripts javascripts, css e imagens) utilizados pelo formulário. Para fins de organização, recomendamos que no diretório raiz seja criada uma pasta Formulários e dentro dela seja criada uma pasta Auditoria. No interior da pasta Auditoria deve-se criar um fichário com o nome Formulário Processo Auditoria. Deve ser realizado o upload dos seguintes arquivos existentes na pasta <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\ : auditorycontroller.js auditorias_v2.html ajax-loader.gif jquery.js knockout js html5.js json2.js html5.js 9

11 bootstrap-tooltip.js accounting.min.js bootstrap.css docs.css bootstrap-affix.js bootstrap-alert.js bootstrap-button.js bootstrap-carousel.js bootstrap-collapse.js bootstrap-dropdown.js bootstrap-modal.js bootstrap-popover.js bootstrap-responsive.css bootstrap-scrollspy.js bootstrap-tab.js bootstrap-transition.js bootstrap-typeahead.js respond.min.js Deverá realizar o upload das imagens contidas no diretório <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\imgs\ : message.png treatment.png undo.png trash.png money_add.png package_medical.png via_acesso_diferente.png via_acesso_mesma.png via_acesso_principal.png anestesista_not.png anestesista.png auxiliar.png demais.png 10

12 insumo.png principal.png procedimento.png apply.png glyphicons-halflings.png glyphicons_367_expand.png glyphicons_369_collapse_top.png up.png down.png _list-error.png Gnome-Document-Open-Recent-32.png Dialog-Apply-32.png Gnome-Dialog-Warning-32.png clock_32.png clock_down_48.png contract_clock_48_hot.png diagnostic.png info_24.png ok_24.png warning.png Add-Files-To-Archive-32.png Add-Files-To-Archive-Blue-32.png Add-Files-To-Archive-Yellow-32.png 11

13 Após realizado o upload o arquivo auditorias_v2.html deve ser marcado como Principal. Apenas esse arquivo deve estar marcado como Principal os demais devem estar marcados como Anexo. 12

14 13

15 Na etapa 3 Descrição Principal das Fichas, deve-se selecionar o campo ds_anexo_principal. O conteúdo desse campo será apresentado como o valor de uma coluna na lista de tarefas. 14

16 15

17 Na etapa 6 Eventos, deve-se adicionar o evento displayfields. O conteúdo desse evento está no arquivo displayfields.js. Esse evento é importante, pois atribui ao formulário o um indicador para que o mesmo saiba se está sendo apenas consultado ou se deve abrir em modo de edição, ou seja, para que a auditoria seja realizada. Isso é utilizado para bloquear as ações que podem ser realizadas no formulário quando o mesmo é apenas visualizado. Exemplo: Quando um usuário consulta a tarefa sem assumi-la, o formulário não deve permitir que seja feita qualquer alteração. 6 Arquitetura do Formulário HTML Auditorias_v2 O formulário HTML é composto por: Framework Visual Bootstrap na versão (http://getbootstrap.com/2.3.2/) - Esse framework disponibiliza recursos visuais que embelezam o formulário e facilitam o desenvolvimento das telas. Biblioteca Javascript jquery (http://jquery.com/) - essa biblioteca é rica em recursos que facilitam a manipulação dos componentes HTMLs. Biblioteca Knockout (http://knockoutjs.com/) - essa biblioteca possibilita utilizarmos o conceito MVVM (Model View View- Model). Esse padrão possibilita criarmos Data-Binding com a tela, ou seja, quando o valor é alterado no model o mesmo é atualizado automaticamente na tela e vice-versa. Detalhes sobre o padrão podem ser obtidos em (http://imasters.com.br/artigo/18900/desenvolvimento/entendendo-o-pattern-model-view-viewmodel-mvvm/). Biblioteca ecm_datasets.js ou vcxmlrpc.js Bibliotecas fornecidas pelo ECM que possibilitam realizar chamadas aos Datasets por meio do formulário javascript. A biblioteca vcxmlrpc.js foi depreciada devido a bugs e por orientação da Equipe do ECM devemos utilizar a biblioteca ecm_datasets.js. Script auditorycontroller.js Esse script contém todas as funções javascripts necessárias para que as informações possam ser manipuladas em tela. Esse script utiliza-se dos frameworks citados acima para controlar o formulário. Quando é realizado o upload de um formulário html ao ECM, o mesmo analisa todos os campos do tipo input que existam no mesmo e, caso seja adicionado novos ou a ordem dos mesmos for alterada ou ainda algum campo seja removido o ECM detecta que ocorreu uma alteração e gera uma nova versão desse formulário. Desta forma, as solicitações já existentes não irão sofrer nenhuma alteração. Apenas as próximas solicitações é que receberão os campos novos. As pequenas alterações realizadas no formulário como, por exemplo, modificar cores, adicionar chamadas a funções js, data-binding a campos já existentes não fazem com que uma nova versão do formulário seja gerada. As alterações realizadas no arquivo auditorycontroller.js não fazem com que uma nova versão do formulário seja gerada. Apenas alterações no arquivo auditorias_v2.html podem a vir gerar uma nova versão interna do formulário no ECM. 16

18 7 Processo A Importação de Processos é acessada através do menu Processos / Importação de Processos. Esse processo possibilita importar o processo configurado e que fora exportado. Por meio desse cadastro é possível importar o processo disponibilizado na pasta <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\processo\ auditoriapos.xml Esse processo permite importar novos processos assim como sobrepor processos já existentes pelo que deseja importar. 8 Configuração de Processos Nesse processo acessado através do menu Processos / Configuração de Processos podemos modificar os processos já cadastrados ou ainda criar novos processos. 17

19 8.1 Itens importantes Aba Informações Gerais Código: Código único do processo. Descrição: Descrição do processo. Ativo?: Indicador que habilita o processo. Categoria: Permite informar a categoria do processo a fim de determinar um agrupador na tela. 18

20 8.1.2 Aba Versão Versão: Esse campo indica qual a versão do processo que está sendo alterada. Para alterar a versão corrente de um processo, clique em Nova Versão, no qual possibilitará editar o processo. Para que as alterações realizadas estejam disponíveis clique em Liberar Versão. Quando uma solicitação é aberta ela surge numa versão de processo e encerrase nessa mesma versão. Então, quando gerada uma nova versão do processo, apenas as próximas solicitações sofrerão as alterações realizadas. Fichário: Código do Fichário (formulário) a ser utilizado pelo processo. 19

21 8.1.3 Aba Workflow Graphical Designer Essa tela permite o desenho do processo seguindo o padrão BPM. Constitui-se o processo como um conjunto de atividades interligadas conforme a necessidade. Cada atividade possibilita informar as Instruções e que aparecerão ao usuário quando a solicitação estiver nessa atividade. O campo Mecanismo de Atribuição permite informar a forma em que a atividade será atribuída, ou seja, pode ser atribuída a um usuário específico, a um grupo de usuários, a um papel de usuário. 20

22 8.1.4 Aba Avançado Essa aba adicionará os eventos de formulários que possibilita a realização de controles e validações sobre o fluxo conforme a necessidade. Na sub-aba Propriedades deve existir a propriedade AutomaticTasks informando o código de sequência das atividades que deverão ser automáticas, ou seja, que não necessitam de ação do usuário no formulário. A sub-aba Eventos possibilita o cadastro dos eventos de controle do processo. No processo auditoriapos, os eventos utilizados são afterstateentry e beforestateentry. Os conteúdos desses eventos já são preenchidos quando o processo é importado/sobreposto. Mas está disponibilizado na pasta <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\eventos\. Os arquivos javascripts desse diretório estão nomeados de acordo com o nome do evento utilizado. Maiores detalhes podem ser obtidos no documento Guia de Referência Customização de Workflow.pdf disponível na pasta de instalação do TOTVS ECM. Após ter importado o processo auditoriapos.xml e verificado se os eventos foram importados, devemos liberar a versão do processo para que o mesmo fique disponível para uso. Esse processo jamais poderá ser inicializado diretamente pelo TOTVS ECM. A solicitação é gerada pelo ERP TOTVS devido a ação de uma das regras de auditoria sobre algum documento/movimento. 21

23 Por padrão o processo de Auditoria Pós utiliza os seguintes grupos de auditorias: AuditoriaMedica Grupo dos Auditores Médicos. AuditoriaEnfermagem Grupo dos Auditores Enfermeiros. AuditoriaAdministrativa Grupo dos Auditores Administrativos. Reanalise Grupos dos Auditores de Reanalise. De acordo com a regra de auditoria, o sistema automaticamente, durante o processamento da atividade Triagem verifica o tipo da regra e encaminha para a atividade correspondente de acordo com a seguinte regra: Se o tipo da regra for Administrativa encaminha para a tarefa Auditoria Administrativa associando aos usuários do grupo AuditoriaAdministrativa. Se o tipo da regra for Médica encaminha para a tarefa Auditoria Médica associando aos usuários do grupo AuditoriaMedica Se o tipo da regra for Enfermagem encaminha para a tarefa Auditoria Enfermagem associando aos usuários do grupo AuditoriaEnfermagem. Os grupos de reanálise somente é utilizado quando a atividade do processo é encaminhada para uma tarefa de Reanálise. A partir desse momento o ECM está configurado para receber e gerenciar as tarefas de auditoria. As solicitações geradas a partir do ERP TOTVS 11 serão apresentadas na Central de Tarefas do usuário acessada através do menu Documentos/Central de Tarefas. 22

24 A lista de Tarefas a concluir agrupa as tarefas assumidas pelo usuário logado e estão pendentes de seu parecer. A lista Tarefas em pool apresentam as tarefas conforme os grupos que o usuário participa. Desta forma, o usuário pode encontrar uma tarefa referente ao grupo de auditoria que participa e assume a tarefa. Quando um usuário assume a tarefa, a mesma é enviada para a lista de Tarefas a concluir do mesmo. Observações: Para que o cliente possa customizar os grupos de usuários de auditoria criando grupos específicos de usuários para auditar determinados prestadores deve-se então criar uma parametrização de Regra de Direcionamento das Auditorias. 9 Formulário Regras de Triagem Processo acessado através do menu Documentos/Navegação de Documentos. O controle das regras de direcionamento das auditorias se dá por meio de regras cadastradas nas fichas. As fichas são registros de parametrização oriundos de um formulário. Um formulário é uma página html que utiliza-se de recursos de javascript, css e imagens para fornecer uma melhor experiência aos usuários. No ECM um formulário é um fichário que contém em seu interior todos os componentes html (página html, scripts javascripts, css e imagens) utilizados pelo formulário. Para fins de organização, recomendamos que no diretório raiz seja criada uma pasta Formulários e dentro dela seja criada uma pasta Auditoria. No interior da pasta Auditoria deve-se criar um fichário com o nome Regras de 23

25 Configuração de Triagem para Auditoria, deverá ser realizado o upload dos seguintes arquivos existentes na pasta <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\ : config_auditorias_controller.js config_auditorias.html ajax-loader.gif jquery.js knockout js html5.js json2.js html5.js bootstrap-tooltip.js accounting.min.js bootstrap.css docs.css bootstrap-affix.js bootstrap-alert.js bootstrap-button.js bootstrap-carousel.js bootstrap-collapse.js bootstrap-dropdown.js bootstrap-modal.js bootstrap-popover.js bootstrap-responsive.css bootstrap-scrollspy.js bootstrap-tab.js bootstrap-transition.js bootstrap-typeahead.js respond.min.js Deverá ser realizado o upload das imagens contidas no diretório <Diretorio Programas>\ecm\Auditorias\public_html\imgs\ : message.png treatment.png undo.png trash.png 24

26 25 money_add.png package_medical.png via_acesso_diferente.png via_acesso_mesma.png via_acesso_principal.png anestesista_not.png anestesista.png auxiliar.png demais.png insumo.png principal.png procedimento.png apply.png glyphicons-halflings.png glyphicons_367_expand.png glyphicons_369_collapse_top.png up.png down.png _list-error.png Gnome-Document-Open-Recent-32.png Dialog-Apply-32.png Gnome-Dialog-Warning-32.png clock_32.png clock_down_48.png contract_clock_48_hot.png diagnostic.png info_24.png ok_24.png warning.png Add-Files-To-Archive-32.png Add-Files-To-Archive-Blue-32.png Add-Files-To-Archive-Yellow-32.png

27 Após realizado o upload, o arquivo config_auditorias.html deverá ser marcado como Principal. Apenas esse arquivo deve estar marcado como Principal os demais devem estar marcados como Anexo. 26

28 Para o campo Descrição recomendamos que seja utilizado o nome Regras de Configuração de Triagem para Auditoria. No campo Nome do Serviço de Dados deverá ser atribuído obrigatoriamente o valor config_auditorias_modelo como nome do serviço. 27

29 Recomendamos que o campo cd_prestador_principal seja utilizado para descrição das fichas. Após isso clique em Confirmar para concluir o processo de inclusão do formulário. Nesse ponto teremos a seguinte estrutura: Clique sobre a pasta Regras de Configuração de Triagem para Auditoria em seu interior adicione uma nova ficha. O sistema apresentará a seguinte tela para inclusão de regra de Triagem: 28

30 A regra permite especificação do grupo de auditoria que deseja ser utilizado conforme o Prestador Principal e o Prestador Executante. Ou seja, quando o Prestador Principal for o informado e o Prestador Executante for o informado a regra será aplicada e irá sobrepor os grupos padrões pelos informados nessa parametrização. Marque a opção Ativar para habilitar a regra. Para salvar a regra deve-se concluir clicando no V existente no canto superior direito. 10 Arquitetura do Formulário HTML Config_Auditorias O formulário HTML é composto por: Framework Visual Bootstrap na versão (http://getbootstrap.com/2.3.2/) - Esse framework disponibiliza recursos visuais que embelezam o formulário e facilitam o desenvolvimento das telas. Biblioteca Javascript jquery (http://jquery.com/) - Essa biblioteca é rica em recursos que facilitam a manipulação dos componentes HTMLs. Biblioteca ecm_datasets.js ou vcxmlrpc.js Bibliotecas fornecidas pelo ECM que possibilitam realizar chamadas aos Datasets por meio do formulário javascript. A biblioteca vcxmlrpc.js foi depreciada devido a bugs e por orientação da Equipe do ECM devemos utilizar a biblioteca ecm_datasets.js. Script config_auditorias_controller.js Esse script contém todas as funções javascripts necessárias para controlar os zooms para os grupos disponíveis no ECM. 29

31 11 Cadastrar Usuário/Colaborador 11.1 Cadastro de Colaborador Esse cadastro acessado em Painel de controle/ Colaboradores possibilita gerenciar as informações de um usuário além de permitir associá-lo aos grupos o qual o mesmo irá pertencer. 30

32 31

33 11.2 Cadastro de Grupos de Usuários Esse cadastro é acessado em Painel de Controle / Grupos de Usuários possibilita o cadastro dos grupos pelos quais os usuários irão pertencer. Os grupos podem ser utilizados nos processos como um mecanismo de atribuição. Por padrão o processo de AuditoriaPós utiliza os seguintes grupos de auditorias: AuditoriaMedica Grupo dos Auditores Médicos. AuditoriaEnfermagem Grupo dos Auditores Enfermeiros. AuditoriaAdministrativa Grupo dos Auditores Administrativos. Reanalise Grupos dos Auditores de Reanalise. SegundaOpiniao Grupo dos Auditores de Segunda Opinião. 32

Auditoria Pós - Programação

Auditoria Pós - Programação Auditoria Pós - Programação Julho - 2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Visão do Processo... 3 3. Serviço... 4 4. Dataset... 6 5. Formulário Principal AuditoriaPos... 8 6. Arquitetura do Formulário HTML

Leia mais

Material de Apoio Configuração Auditoria Pós

Material de Apoio Configuração Auditoria Pós Material de Apoio Configuração Auditoria Pós Julho - 2014 Índice 1. Introdução... 3 2. Ambiente... 3 3. Serviço... 4 4. Dataset... 6 5. Formulário... 6 6. Processo... 12 6.1 Importação de Processos...

Leia mais

Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos (Parte 1)

Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos (Parte 1) Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos () Março - 2014 Índice Título do documento 1. Auditoria de Movimentos (ECM) Introdução:... 3 2. Grupos de Usuário (ECM):... 3 3. Colaboradores... 4 4. Configuração

Leia mais

Integração Backoffice HCM x ECM

Integração Backoffice HCM x ECM Integração Backoffice HCM x ECM Fevereiro/2015 Sumário 1. Integração HCM x ECM... 3 2. Pré-Requisitos da Integração dos Produtos... 4 3. Parametrização da Integração no Produto, Origem... 7 4. Parametrização

Leia mais

HMR Marketing Receptivo. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0

HMR Marketing Receptivo. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0 HMR Marketing Receptivo 12.1.x abril de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Papéis e Usuários... 3 3 Fluxo Geral do HMR... 6 4 Manter Parâmetros Marketing Receptivo... 7 5 Manter Categoria de

Leia mais

Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR

Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR Agosto/2014 Índice Título do documento 1. Objetivo... 3 2. Papéis e Usuários... 3 3. Fluxo Geral do HMR... 5 4. Manter Parâmetros Marketing Receptivo... 5 5.

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS Manual de Instalação Tempro Software StavTISS Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 4.

Leia mais

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office Treinamento Módulo Escritório Virtual Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office 1. Atualização do sistema Para que este novo módulo seja ativado,

Leia mais

Manual de Utilização ZENDESK. Instruções Básicas

Manual de Utilização ZENDESK. Instruções Básicas Manual de Utilização ZENDESK Instruções Básicas Novembro/2013 SUMÁRIO 1 Acesso à ferramenta... 3 2 A Ferramenta... 4 3 Tickets... 8 3.1 Novo Ticket... 8 3.2 Acompanhamentos de Tickets já existentes...

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013

Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013 Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013 Sumário 1. Ambiente Group Shopping... 3 2. Alteração na Tela de Contratos e Controle de Edições... 7 3. Propagação de Contratos... 10 4. Configuração de Impressora

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

TOTVS Série 1 Varejo (Simples) - Módulo e-commerce

TOTVS Série 1 Varejo (Simples) - Módulo e-commerce Novo Módulo disponível no TOTVS S1 Varejo: permissão de utilização através de licença específica. Mesmo não adquirindo a licença de uso do módulo ele continuará presente na tela do usuário. 1 Na opção

Leia mais

Integração com o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Integração com o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Integração com o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Integração com o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Página 2 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1. O Moodle... 4 1.2. Objetivo da integração...

Leia mais

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5 ÍNDICE 1. PRIMEIRO ACESSO AO SITE... 3 2. MAPA DO SITE... 4 2.1. Funcionalidades... 5 3. ENVIO DE COBRANÇAS ELETRÔNICAS... 5 3.1. Solicitações... 7 3.1.1. Internação... 7 3.1.2. Prorrogação... 8 3.1.3.

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL CERBERUS Manual do sistema HISTÓRICO DA REVISÃO Data Versão Descrição Autor 07/08/2014 1.0 Criação do documento Antonio Rogério da Costa Silva LISTA DE FIGURAS

Leia mais

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4 Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência Versão 12.1.4 Sumário 1. Descrição... 3 2. Pré-requisitos... 4 3. Etapas da instalação/atualização... 8 1. Iniciando a aplicação de instalação/atualização...

Leia mais

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 índice Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 Passo 3: Recursos disponíveis 4 Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 Pesquisa de histórico

Leia mais

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP PMAT Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações Manual 1 Índice 1. O que é o Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações PMAT... 3 2. Acessando o sistema pela primeira vez Download... 3 3. Fluxogramas

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento Junho - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 3 2. Introdução... 3 3. Painel de Classificação de Risco... 4 3.1. Configurando a Unidade... 5 3.2. Cadastrando Agenda para Médicos Plantonistas...

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Introdução A emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica traz ao cliente TTransp a possibilidade de documentar eletronicamente as operações de serviço prestadas

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual da GVDASA Sistemas e toda a informação nele contida é confidencial. Nenhuma parte deste

Leia mais

Boletim Técnico. Empresa. Vagas. Central de Estágio. Desenvolvimento/Procedimento. Acesse Atividades Acadêmicas Estágio Empresa

Boletim Técnico. Empresa. Vagas. Central de Estágio. Desenvolvimento/Procedimento. Acesse Atividades Acadêmicas Estágio Empresa Boletim Técnico Central de Estágio Produto : TOTVS Educacional 11.83.52 Processo : Central de Estágio Subprocesso : Não se aplica Data da publicação : 12/11/2013 A funcionalidade de Central de Estágio

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

Anote aqui as informações necessárias:

Anote aqui as informações necessárias: banco de mídias Anote aqui as informações necessárias: URL E-mail Senha Sumário Instruções de uso Cadastro Login Página principal Abrir arquivos Área de trabalho Refine sua pesquisa Menu superior Fazer

Leia mais

Manual Ilustrado - Gestão e Manutenção de Boletos

Manual Ilustrado - Gestão e Manutenção de Boletos Manual Ilustrado - Gestão e Manutenção de Boletos Julho - 2014 Índice 1. Gestão de Boletos... 3 1.1. Consultando Geração de Boletos... 3 1.2. Parametrização de Geração de Boletos... 4 1.2.1. Adicionando

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MODULO OPERACIONAL

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MODULO OPERACIONAL MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MODULO OPERACIONAL TISS 3.02.00 Setembro 2015 - Versão 3 Índice Passo 1: Visão Geral... 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online?... 3 Passo 3: Quais são os Recursos Disponíveis...

Leia mais

O Patch 11.82.36 [BIBLIOTECA RM e TOTVS RM PORTAL] e 11.82.36 [TOTVS Gestão Hospitalar], disponíveis na Central de Download do Portal do Client.

O Patch 11.82.36 [BIBLIOTECA RM e TOTVS RM PORTAL] e 11.82.36 [TOTVS Gestão Hospitalar], disponíveis na Central de Download do Portal do Client. Prescrição de Soroterapia Produto : CorporeRM - TOTVS Hospitalar (Prontuário) Chamado : R_SAU003/SOC121 Data da publicação : 16/07/15 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : SQL Server Oracle Implementada

Leia mais

Dois novos relatórios estão disponíveis nesta versão do Imobiliária 21. São eles: Devedores e Imóvel por Área. Veja abaixo como emitir cada um.

Dois novos relatórios estão disponíveis nesta versão do Imobiliária 21. São eles: Devedores e Imóvel por Área. Veja abaixo como emitir cada um. Sumário Este documento de versionamento contém: 1. Inclusão dos relatórios: Devedores e Imóvel por Área. 2. Inclusão do campo Código de Município no cadastro de cidade. 3. Publicação de boletos de proprietário

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1 Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente Versão 1.1 Sumário Sistema de Relacionamento com Cliente 3 1 Introdução... ao Ambiente do Sistema 4 Acessando... o Sistema 4 Sobre a Tela... do Sistema

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Integração Backoffice Originação de Grãos x umovme

Integração Backoffice Originação de Grãos x umovme Agosto/2014 Sumário Título do documento 1. Contexto de Negócio (Introdução)... 3 2. Sistemas Envolvidos... 3 3. Integração... 3 4. Escopo... 4 5. Pré-requisitos Instalação/Implantação/Utilização... 4 5.1.

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste 1 - Informações Gerais 1.1 - Compatibilidade O Sistema Lisura é um sistema web, o que significa que ele poderá funcionar em qualquer computador que esteja

Leia mais

Manual do AP_Conta. Manual do AP_Conta. Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

Manual do AP_Conta. Manual do AP_Conta. Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS 2014 Manual do AP_Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS 0 Sumário 1. Sobre esse manual... 3 2. Habilitando e Configurando o AP_Conta... 4 3. Habilitação e Licenciamento...

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

manual Sistema de Gestão de Contribuições

manual Sistema de Gestão de Contribuições manual Sistema de Gestão de Contribuições Conteúdo 1. Login 4 2. Home 5 3. Informações básicas 3.1. Menus 6 3.2. Números e status 7 3.3. Ações 8 4. Ambientes da ferramenta 4.1. Sindicato 13 4.2. Empresas

Leia mais

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo Manual Documentação de Arquivos Tela Classificação de Arquivo Objetivo e orientações iniciais Registro das classificações dos arquivos: título e unidade organizacional responsável. Menu: Documentação Classificação

Leia mais

Manual Usuário Sistema Audatex

Manual Usuário Sistema Audatex Manual Usuário Sistema Audatex Conhecimento global. Foco local. www.audatex.com.br / www.solerainc.com Versão 1.0 Histórico das versões VER DATA AUTOR DESCRIÇÃO DA MODIFICAÇÃO 2.0 24.08.2010 MT Versão

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

Passos para migração para o Protheus 11.5 HelpDesk Framework Protheus - Janeiro/2013

Passos para migração para o Protheus 11.5 HelpDesk Framework Protheus - Janeiro/2013 Passos para migração para o Protheus 11.5 HelpDesk Framework Protheus - Janeiro/2013 1. Preparando a versão atual para migração: 1.1. Prepare uma base teste, efetuando CÓPIA FRIA (todos os serviços parados)

Leia mais

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência

NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W. Atividade Descrição Versão Abrangência NOVIDADES DA VERSÃO 2.10 DO SANKHYA-W Atividade Descrição Versão Abrangência Nota de complemento Geração de nota de complemento através do Sankhya-W. Informações da Sankhya/Jiva no Os e-mails de NF-e enviados

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS 1) Clique duas vezes no arquivo ControlGasSetup.exe. Será exibida a tela de boas vindas do instalador: 2) Clique em avançar e aparecerá a tela a seguir: Manual de Instalação

Leia mais

Manual do sistema SMARsa Web

Manual do sistema SMARsa Web Manual do sistema SMARsa Web Módulo Gestão de atividades RS/OS Requisição de serviço/ordem de serviço 1 Sumário INTRODUÇÃO...3 OBJETIVO...3 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo gestão de atividades...4

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3 ÍNDICE Sobre o módulo de CRM... 2 1 Definindo a Campanha... 3 1.1 Incluir uma campanha... 3 1.2 Alterar uma campanha... 4 1.3 Excluir... 4 1.4 Procurar... 4 2 Definindo os clientes para a campanha... 4

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web MANUAL OPERACIONAL PTU Web Versão 8.0 24/08/2011 ÍNDICE Índice... 2 PTU Web... 4 O que é o PTU Web?... 4 Como acessar o PTU Web?... 4 Listagem de arquivos enviados e recebidos... 5 Unimeds disponíveis

Leia mais

Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador

Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador Histórico de alterações Data Versão Autor Descrição 23/11/2012 1 Criação do documento. 2 1. Introdução... 4 2. Funcionalidades

Leia mais

Módulo Publicações Publicações On Line. Módulo Publicações

Módulo Publicações Publicações On Line. Módulo Publicações Módulo Publicações Elaborado por: Julio Cesar Cavalheiro PÁG. 1/8 Índice 1. Objetivo... 3 2. Parametrização... 3 3. Baixando as Publicações... 4 4. Atribuindo processos aos Dados Baixados... 5 5. Status

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Boletim Técnico. : 26/12/2013 Data da revisão : 02/01/14 Banco(s) de Dados

Boletim Técnico. : 26/12/2013 Data da revisão : 02/01/14 Banco(s) de Dados Integração GFE X TMS Produto : Data da criação País(es) : Todos Microsiga Protheus SIGAGFE, Gestão de Frete Embarcador P11 Chamado : M_GFE002/1830 : 26/12/2013 Data da revisão : 02/01/14 Banco(s) de Dados

Leia mais

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral Índice 03 Capítulo 1: Visão Geral 04 Capítulo 2: Conta de Usuário 04 Criação 08 Edição 09 Grupo de Usuários 10 Informações da Conta 12 Capítulo 3: Download do Backup Online Embratel 16 Capítulo 4: Cópia

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão

Leia mais

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento SEBRAE-GO 1 Sumário Introdução... 3 1) Acesso ao Sistema... 4 1.1. LOGIN... 4 1.2. ALTERAR SENHA... 7 1.3. RECUPERAR SENHA...

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Projeto SIGA-EPT Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Versão setembro/2010 Requisição de Almoxarifado Introdução Requisição é uma solicitação feita

Leia mais

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Manual do Usuário Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Índice 1. Visão Geral... 3 2. Acessar o sistema... 3 3. Módulo Inicial... 6 3.1. Cabeçalho do sistema... 6 3.2. Fale Conosco... 6 3.3. Meu Cadastro...

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas 2014 V.1.0 SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Contas Médicas SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Módulos CONTAS MÉDICAS Capa

Leia mais

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2 Manual de Utilização COPAMAIL Zimbra Versão 8.0.2 Sumário ACESSANDO O EMAIL... 1 ESCREVENDO MENSAGENS E ANEXANDO ARQUIVOS... 1 ADICIONANDO CONTATOS... 4 ADICIONANDO GRUPOS DE CONTATOS... 6 ADICIONANDO

Leia mais

Módulo e-rede VirtueMart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede VirtueMart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede VirtueMart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Permissões 4 4.2 Instalação

Leia mais

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia Wordpress - Designtec Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia 1 Índice Acessando o painel administrativo... 3 Gerenciamento de edições... 3 Gerenciamento de artigos... 3 Publicando mídias...

Leia mais

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage...

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... 12 Apresentação O Pitstop foi desenvolvido pela Interact com o objetivo

Leia mais

Boletim Técnico. Criação de formulário dinâmico para o módulo WEB. Produto : TOTVS Web, 11.8.0.0

Boletim Técnico. Criação de formulário dinâmico para o módulo WEB. Produto : TOTVS Web, 11.8.0.0 de formulário dinâmico para o módulo WEB Produto : TOTVS Web, 11.8.0.0 Chamado : P118SSTWEB\REQ168 Data da publicação : 17/10/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Oracle Esta melhoria depende de execução

Leia mais

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014)

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014) Versão 1.15 Portal StarTISS Portal de Digitação e Envio do Faturamento Manual de Utilização Versão 1.15 (Agosto/2014) Conteúdo 1. CONTATOS... 1 2. REQUISITOS NECESSÁRIOS... 1 3. ACESSANDO O PORTAL STARTISS...

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 A U T O R I Z A D O R W E B B I O M E T R I A GUIA DE INSTALAÇÃO Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 UTILIZANDO A BIOMETRIA... 4 INSTALAÇÃO... 5 CADASTRO DA DIGITAL...15

Leia mais

Manual. Sistema Registro Digital

Manual. Sistema Registro Digital Sistema Registro Digital Manual Sistema Registro Digital Elaborado pela GTI - JUCEMG À Junta Comercial do Estado Belo Horizonte, MG - Março de 2014 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Primeiro passo: Acesso

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

1. NOVIDADES DO NÚMERO ÚNICO DE PROCESSO. 1.1 Resolução nº 65 do CNJ. 1.2 Conversão do Número do Processo. 1.3 Novos ícones

1. NOVIDADES DO NÚMERO ÚNICO DE PROCESSO. 1.1 Resolução nº 65 do CNJ. 1.2 Conversão do Número do Processo. 1.3 Novos ícones 1. NOVIDADES DO NÚMERO ÚNICO DE PROCESSO 1.1 Resolução nº 65 do CNJ 1.2 Conversão do Número do Processo 1.3 Novos ícones 1 Tela Antiga Tela Nova 2 2. NOVIDADES DA VISUALIZAÇÃO DAS FILAS DE TRABALHO 2.1

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8. março de 2015. Versão: 2.0

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8. março de 2015. Versão: 2.0 TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8 março de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivos... 4 2 Introdução... 4 3 Cadastros... 5 3.1 Cadastro de Departamentos do Laboratório...

Leia mais

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN Guia de Capacitação Concessão de Cotas Financeiras Versão 1.0 outubro 2012 MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN MÓDULO: PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA INSTRUTOR: CARLOS ALBERTO PEREIRA LIMA COLABORADORES

Leia mais

Pag: 1/20. SGI Manual. Controle de Padrões

Pag: 1/20. SGI Manual. Controle de Padrões Pag: 1/20 SGI Manual Controle de Padrões Pag: 2/20 Sumário 1 Introdução...3 2 Cadastros Básicos...5 2.1 Grandezas...5 2.2 Instrumentos (Classificação de Padrões)...6 3 Padrões...9 3.1 Padrão Interno...9

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

Manual de Utilização Chat Intercâmbio

Manual de Utilização Chat Intercâmbio Manual de Utilização Chat Intercâmbio 1 INDICE 1 Chat Intercâmbio... 6 1.1 Glossário de Termos Utilizados.... 6 1.2 Definições de uma Sala de Chat... 7 1.3 Como Acessar o Chat Intercâmbio... 8 1.4 Pré-requisitos

Leia mais

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso Manual do Usuário SCA - Sistema de Controle de Acesso Equipe-documentacao@procergs.rs.gov.br Data: Julho/2012 Este documento foi produzido por Praça dos Açorianos, s/n CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (51)

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Novidades da Versão 3.0.0.30

Novidades da Versão 3.0.0.30 Novidades da Versão 3.0.0.30 Alteração Equipamento Unidade Instalação Inserida informação Telemetria na Tela de Alteração de Equipamento Unidade de Instalação (326). A informação Roaming Internacional

Leia mais

WorkFlow WEB Caberj v20150127.docx. Manual Atendimento Caberj

WorkFlow WEB Caberj v20150127.docx. Manual Atendimento Caberj Manual Atendimento Caberj ÍNDICE CARO CREDENCIADO, LEIA COM ATENÇÃO.... 3 ATENDIMENTO... 3 FATURAMENTO... 3 ACESSANDO O MEDLINK WEB... 4 ADMINISTRAÇÃO DE USUÁRIOS... 5 CRIANDO UM NOVO USUÁRIO... 5 EDITANDO

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais