ELBI ELÉTRICA INDUSTRIAL LTDA. Data ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 1 de 8 PARTICIPANTES NOME EMPRESA ASSINATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ELBI ELÉTRICA INDUSTRIAL LTDA. Data 17-08-11. ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 1 de 8 PARTICIPANTES NOME EMPRESA ASSINATURA"

Transcrição

1 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 1 de 8 JOSÉ FRANCISCO JOSÉ CARLOS MÁRCIO FLÁVIO LEANDRO EDUARDO WENDER CHRISÓSTOMO ALINE M O DUARTE ASSUNTOS ABORDADOS: 1- RESULTADOS DA AUDITORIA INTERNA N.13: 1.1- Planejamento 50 Auditoria no SGQ Este planejamento executado no dia 12/08/2011. Pontos positivos destacados: 3.1- SGQ estabelecido e implementado; 3.2- Todos os documentos da qualidade estão devidamente controlados; 3.3- Os registros da qualidade estão conforme os requisitos estabelecidos pela ISO 9001; 3.4- Política e Objetivos da Qualidade são divulgados e há o entendimento dos colaboradores; 3.5- Melhoria das questões de competência, conscientização e treinamento (com Investimento em pessoal capacitado, qualificado e comprometido com o sistema de gestão da qualidade) Evidenciado na contratação da Analista de Qualidade: Aline Melhoria do ambiente de trabalho (mais organização e limpeza) Evidência: Treinamento de Pessoal no Programa Viver 5S Melhoria na identificação e rastreabilidade dos serviços e produtos; 3.8- Melhoria na identificação dos produtos de propriedade do cliente; e 3.9- Melhoria na detecção e implementação das ações corretivas e preventivas Planejamento 51 PARTICIPANTES NOME EMPRESA ASSINATURA Controle DMM e Desenvolvimento de Produto (retrofit) - Este planejamento foi executado no dia 12/08/2011. Pontos positivos destacados: Todos os documentos da qualidade estão controlados; Os registros da qualidade estão conforme os requisitos estabelecidos pela ISO 9001; Política e Objetivos da Qualidade são divulgados e há o entendimento dos colaboradores envolvidos; e O pessoal que afeta a qualidade do produto está consciente sobre sua importância para que os objetivos da qualidade sejam cumpridos Planejamento 52

2 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 2 de 8 EB-CAM OS e EB-CAM OS (Documental Engenharia)- Este planejamento foi executado entre os dias 12/08/2011 Pontos positivos destacados: Todos os documentos da qualidade estão controlados; Os registros da qualidade estão conforme os requisitos estabelecidos pela ISO 9001; Política e Objetivos da Qualidade são divulgados e há o entendimento dos colaboradores; e O pessoal que afeta a qualidade do produto está consciente sobre sua importância para que os objetivos da qualidade sejam cumpridos. 2- REALIMENTAÇÃO DO CLIENTE Não foram registradas reclamações por parte do cliente, todas as correções foram realizadas in loco em função do dinamismo das obras. De todas as 31 ordens de serviços finalizadas referente ao 1º semestre de 2011, 4 formulários foram respondidos pelos clientes e em todos os casos ficamos acima da meta estabelecida de 70% de satisfação. 3- DESEMPENHO DE PROCESSO E CONFORMIDADE DO PRODUTO - INDICADORES 4.1- Satisfação do cliente: META: 70% RESULTADO: 80% Em todas as pesquisas respondidas e encaminhadas à, não obtivemos resultados abaixo da meta estabelecida, porém ressalta-se a necessidade de um novo indicador para comparar a eficiência da pesquisa de satisfação do cliente, ou seja, comparar se a quantidade de pesquisas respondidas representa uma amostragem que proporcione confiabilidade para o monitoramento do desempenho deste processo Satisfação dos colaboradores META: 00 RESULTADO: 00 N/A Optou-se por realizar nova pesquisa somente em setembro, pois estaremos com a equipe estabilizada. No momento turn-over está alto devido a finalização de várias de OS s Margem de lucro A alta direção (CAD) avaliou o indicador dos lucros apurados neste período e comunicou que os valores atenderam, em média, as expectativas da empresa. Foram avaliados os resultados pontualmente das ordens de serviços finalizadas neste período de apuração (1º/2011) e ressaltase que apenas quatro (04) ordens de serviço não atenderam a meta proposta pelo departamento comercial. Foi acordado que a identificação/verificação da eficácia dos objetivos propostos será realizada no final do ano através de avaliação do resultado dos dois semestres em reunião do CAD. Caso os objetivos do ano não tenham sido alcançados, será aberta SAC para identificação e correção.

3 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 3 de H/H Produção A alta direção (CAD) avaliou o indicador de H/H produção apurado neste período e comunicou que os valores atenderam as expectativas da empresa, onde não foram observadas discrepâncias na relação META x EFETIVO. Foram avaliados os resultados pontualmente das ordens de serviços finalizadas neste período de apuração (1º/2011), e ressalta-se que nenhuma ordem de serviço afetou os objetivos propostos H/H Engenharia A alta direção (CAD) avaliou o indicador de H/H engenharia apurado neste período e comunicou que os valores atenderam as expectativas da empresa, onde não foram observadas discrepâncias na relação META x EFETIVO. Foram avaliados os resultados pontualmente das ordens de serviços finalizadas neste período de apuração (1º/2011), e ressalta-se que nenhuma ordem de serviço afetou os objetivos propostos. 4- AÇÕES CORRETIVAS E PREVENTIVAS o Ações corretivas As principais ações corretivas foram: SAC50(11/08/2011) Não identificada atualização/manutenção do controle de treinamentos situado em Z:\S G Q\Treinamento\Controle de Treinamentos. Existência de 2 ícones iguais em locais diferentes no sistema, ocasionando a atualização de uma e a desatualização do original. Tratamento: Atualização da pasta Controle de treinamentos situado em Z:\S G Q\Treinamento\Controle de Treinamentos. Eliminação do controle "cópia" gerada em outra pasta, e orientação aos demais responsáveis. SAC51(10/09/2011) Identificada ausência de atualização da Avaliação de Eficácia, conforme PS-010-R08 item 5.4 no Banco de dados situado Z:\S G Q na pasta Controle da Qualidade. Tratamento: Atualizar banco de dados de Avaliação de Eficácia. Gerar pasta contendo avaliações digitalizadas. Prazo para finalizar atualização 10/09/2011. SAC52(16/08/2011) - Foi evidenciado pelo Analista da Qualidade, que os "Perfis Funcionais" existentes não estão conforme o requisito da norma ISO 9001:2008, onde os colaboradores devem ser competentes com base em educação, treinamento, habilidade e experiência. Necessidade de atualização devido a criação de novas funções. Tratamento: Os perfis funcionais foram revisados, atualizados e solicitados aos gestores (gerências e CAD) que avaliassem os perfis. SAC53(10/09/2011) - Identificada ausência de atualização da Ficha Profissional, conforme PS- 010-R08 item 5.3. no Banco de dados situado Z:\S G Q na pasta Controle da Qualidade. Tratamento: Disponibilizado/designado e orientado profissional para execução da atualização, Prazo para finalizar atualização 10/09/2011.

4 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 4 de 8 SAC54(28/09/2011) - Identificada ausência de atualização da Ficha de Treinamento, conforme PS-010-R08 item 5.6 no Banco de dados situado Z:\S G Q na pasta Controle da Qualidade. Tratamento: Disponibilizada/designada e orientada profissional para execução da atualização, Prazo para finalizar atualização Prazo para finalizar atualização 10/09/2011. SAC55 Documentos não estão sendo controlados na pasta física da OS Conforme PS-017-R01, item 5.4.Tabela 01 Nas OS's EB-CAM OS e EB-CAM OS. Foi aberta a SAC 55 para resolução do problema encontrado. SAC56 Falha na execução do Item "Controle de Registros" "Não encontrado os registros de treinamento introdutório dos funcionários Aline e Luiz Carlos. Controle de registro do treinamento introdutório não possui padrão. Foi aberta a SAC 56 para resolução do problema encontrado. SAC57 Falha na execução do Item alinea "a" "Competência, treinamento e conscientização."perfil funcional Coordenador de Suprimentos não condiz com as evidências da pasta do colaborador (ausência comprovante de escolaridade e experiência). Foi aberta a SAC 57 para resolução do problema encontrado. o Ações preventivas As principais ações preventivas foram: SAP47 Foi gerada na última auditoria externa, observação que solicita a organização a adequação da Política da Qualidade conforme requisito normativo 5.3 alínea a. Tratamento: Elaborada campanha interna "Uma Política a Nossa Cara" junto aos colaboradores através de s e anúncios em Quadro de Gestão da qualidade, colhendo opiniões sugestões para elaboração de uma nova Política. Foi estabelecido pela organização que a atual Política a Qualidade atende o requisito da Norma 5.3 alínea "a" - "A alta direção deve assegurar que a Política da qualidade seja apropriada ao PROPÒSITO da organização" e não "apropriada ao NEGÒCIO da organização". A Política será alterada então dentro do prazo da re-certificação evidenciando melhoria contínua. 3.2-SAP48 Foi gerada na última auditoria externa, observação que evidencia que atualmente a interação de processos disponibilizada pela empresa não atende requisito normativo alínea c Interação entre os Processos. Tratamento: Realizado mapeamento dos processos através de entrevistas, estudo de procedimentos reais os relacionando com os procedimentos ideais e procedimentos implementáveis. SAP49 Foi gerada na última auditoria externa, observação que solicita avaliação para a exclusão do item da Norma, para os processos de soldagem.. Tratamento: Não identificada necessidade de inclusão do item 7.5.2, visto que no processo solda realizada não interfere na qualidade o produto. SAP50 - Identificada necessidade de pequena reforma e aplicação do programa de Viver 5S na SEDE e instalação anexo de forma a organizar e padronizar colocação de materiais vindos das obras finalizadas, para conservação, além da melhor visualização (imagem) da empresa,

5 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 5 de 8 conforme Itens 6.3, 6.4 e Tratamento: Reunida frente de trabalho (mão-de-obra disponível) pelo colaborador Luiz Fernando Lobo, para executar os 5S, no anexo da empresa de forma a deixar o ambiente de trabalho e a instalação apta a receber os materiais que chegam das obras de forma a conservá-los para futuro aproveitamento, Padronizado no local forma de armazenamento. SAP51 Foi evidenciado que atualmente não existe controle dos materiais de escritório, para se evitar falta de materiais e estoques desnecessários. Tratamento: Elaborada ficha de controle e pasta para recolher assinatura, quantidade, material retirado e saldo em estoque. Pessoal orientado do procedimento e designada colaboradora Sandra ara realizar o controle. SAP52 - Foi evidenciado que atualmente o DDS não é praticado pelos colaboradores da unidade Sede. Os motivos alegados foram indisponibilidade de alguns colaboradores ara executar e desmotivação em relação ao assunto. Tratamento: Foi retomado em 20/06/11, com tema sobre "O que é DDS", ministrado pela técnica de Segurança/Estagiária Ana Karolina Kalil com a presença de vários colaboradores. A lista de presença foi assinada por todos e está no departamento de segurança. Atendendo a Melhoria Continua da Qualidade SAP53 - Foi evidenciado atualmente, necessidade treinamento tratando de conscientização, organização e trabalho em equipe. Tratamento: Criado pela Analista da Qualidade, o programa Viver 5S e implantado no TBI- Assim todo novo colaborador será treinado imediatamente após seu ingresso na empresa, e os demais colaboradores, serão treinados em seus locais de trabalho SAP54 - Foi evidenciado que atualmente a proporção dos logotipos de Certificação do Bureau Veritas e, não atende ao padrão estabelecido no Manual de Uso de Marcas, enviado pelo órgão certificador. Tratamento: Enviado para endereço disponibilizado pela Elbi, solicitando autorização para o uso dos logotipos em uma proporção aproximada. Autorização concedida por encaminhada autorização e procedimento a todos os colaboradores. SAP55 - Foi evidenciado que o logotipo bem como a frase apresentada no site da, não atendem ao padrão estabelecido no Manual de Uso de Marcas, enviado pelo órgão certificador. Tratamento: Contato com moderador do site, e realizadas as devidas alterações. SAP56 - Foi evidenciado necessidade de implantação de um sistema de conscientização de coleta seletiva mais eficiente e visual na Sede.

6 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 6 de 8 Tratamento: Serão concebidas novas lixeiras e colocadas em local acessível, incluindo o lixo orgânico e lixo de copos descartáveis, além de anexar em cada local, cartazes identificando a funcionalidade de cada cor. SAP57 Atualizar controle de PS s, IT s e Demais materiais enviados às obras, incluindo número seqüencial para garantir rastreabilidade, atendendo item Tratamento: Serão enviados materiais, PS s e IT s á obra EB-CAM OS com número seqüencial e observação de cópia controlada. Será executada regularmente substituição das cópias com alterações, eliminando permanência de documentação obsoleta. SAP58 Identificada falta de motivação dos colaboradores, desânimo, falta de perspectiva. Tratamento: Criados programas diários de motivação via mensagem. Envio de mensagens, textos e frases motivacionais de reflexão e de impacto. São os programas Um Bom Dia Motivado e Sexta Motivacional SAP59 Foi identificada necessidade de uma Política ambiental para complementar o plano de conscientização da coleta seletiva e evidenciar o comprometimento da empresa com relação aos impactos ambientais. Tratamento: Gerada, implantada e divulgada em quadro de Gestão à Vista a Política Ambiental da Elbi. SAP60 Foi identificado descontentamento e desmotivação acentuada dos colaboradores em geral, o que contrária item 5.3 da norma ISO onde a empresa se compromete conforme Política atual a " Valorização dos colaboradores". Tratamento: Execução de palestra motivacional com o máximo de colaboradores liberados pelas obras distribuição de material didático sobre saúde e alimentação aos colaboradores com custo de 50% do valor cobrado pela empresa (A Elbi arcou com os outros 50%, gerando assim satisfação entre os colaboradores que se interessaram pelo material). SAP61 Identificada necessidade de cronograma de campanhas mensais de conscientização e prevenção, com palestrantes e material didático em obra V&M EB-CAM OS. Trata-se de um dos requisitos do cliente. Tratamento: Elaboração de cronograma/agenda para realização de eventos mensais em obra. O cronograma terá prazo de 6 meses ou duração à obra. 5- NÃO CONFORMIDADES 4.1- RNC17 (aberto em 21/07/11) Foi evidenciado pelo gerente administrativo Leandro Souza, erro na geração de ART do cliente V&M Mineração- EB-CAM OS. Onde constava nos campos de nº de contrato e nº de CNPJ - Numeração divergente aos números identificados no contrato de fornecimento oficial da empresa em questão, impossibilitando a oficialização e assinatura por parte do cliente. Ação 1: Substituir ART, alterando as numerações em questão e levar ao cliente para

7 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 7 de 8 assinatura. Responsáveis: Daniel Araújo Prazo: 22/07/11 ART: substituída por ART: Ação2: Promover treinamento referente ao item 5.4- PS-017-R00. Responsáveis: Aline Duarte Prazo: 20/09/11 6- ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES ORIUNDAS DE ANÁLISES CRÍTICAS ANTERIORES A contratação do profissional especializado para assumir o SGQ foi realizada com sucesso. Foram realizadas Alterações nos PS s: 001-R13, 002-R07, 003-R10, 005-R14, 006-R10, 007- R08, 008-R07, 010-R09, 011-R08, 012-R06, 013-R05, 014-R08, 015-R04, 016-R01 e 017-R MUDANÇAS QUE PODEM AFETAR O SGQ Foram realizadas Alterações no MQ-001-R08 onde foi incluído Macrofluxo dos Processos atendendo Observação realizada na última Auditoria Externa Realizada. O analista da qualidade revisou na documentação do SGQ (MQ, PS). Foi retomado o DDS na sede. Foi elaborado o TBI Treinamento Básico Introdutório, para os módulos Qualidade 2.1 Viver 5S proporcionando aos colaboradores recém contratados um entendimento/conscientização sobre o programa. 8- RECOMENDAÇÕES PARA MELHORIA Atualizar (revisar) instruções técnicas. Implementar metas para os indicadores já praticados bem como a análise de tendência. Implementar novos indicadores de desempenho para os demais processos que afetam a qualidade do produto bem como os objetivos da qualidade. Atualização do módulo de Compras no sistema E-SOFT para implementação do monitoramento de fornecedores com o retorno de Thiago Neves. Melhoria do sistema com relação ao controle de registros facilitando a rastreabilidade.. 9- NECESSIDADES DE RECURSOS 9.1- Através de sugestões propostas pelos colaboradores e análise da alta direção percebe-se a necessidade de treinamento e capacitação para os seguintes quesitos: Levar Palestras Motivacionais e outras à obras; Gestão de pessoas/liderança de equipes; Capacitação técnica específica por função; Treinamento na NBR ISO 9001:2008; Treinamento nas normas regulamentadoras exigíveis em detrimento de cada função (NR) A construção da nova Sede está em andamento. 10- MELHORIA DO PRODUTO EM RELAÇÃO AOS REQUISITOS DO CLIENTE

8 ATA REUNIÃO DA ANÁLISE CRÍTICA N. 13 Páginas 8 de Implementar indicador de desempenho para monitorar a quantidade de pesquisas de satisfação do cliente respondidas em relação ao número de ordens de serviços finalizadas Através da comunicação interna efetiva percebeu-se uma melhoria significativa no desempenho das atividades realizadas pelos colaboradores, tendo em vista os elogios e críticas positivas recebidas pelos colaboradores através de suas reivindicações..

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 Revisão:14 Folha:1 de17 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1 POLÍTICA DA QUALIDADE... 3 2.2 OBJETIVOS DA QUALIDADE... 4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A QUALIDADE...

Leia mais

AUDITORIAS INTERNAS DA QUALIDADE

AUDITORIAS INTERNAS DA QUALIDADE Elaborado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto Aprovado por José Carlos de Andrade Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 04/05/2005 - Emissão inicial 1 16/11/2005 7 Modificação

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta Pág. Nº 1/13 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

Mobilização Obras. 4. RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES Função Atividade. Gerente/ Gestor

Mobilização Obras. 4. RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES Função Atividade. Gerente/ Gestor Elaborado por Aline Duarte Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 24/08/2012 - Emissão inicial 1 18/10/2012 1. OBJETIVO 5.2

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS

UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS Elaborado por Bruno Ferreira da Cruz Visto: Aprovado por Leandro Eduardo Souza Visto: Alterado por Thiago Neves Visto: CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 28/03/2014 - Emissão

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná Ministério da Saúde/ Diretoria de Coordenação e Articulação do Sistema Nacional - DSNVS Apresentaçã ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012 Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril

Leia mais

Garantia da qualidade em projeto de construção e montagem eletromecânica

Garantia da qualidade em projeto de construção e montagem eletromecânica Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos - Turma nº 151 30 de novembro 2015 Garantia da qualidade em projeto de construção e montagem eletromecânica Renata Maciel da Silva renata.maciel55@gmail.com

Leia mais

Controle de Documentos da Qualidade. Descrição 0 15/07/2010 - Emissão inicial

Controle de Documentos da Qualidade. Descrição 0 15/07/2010 - Emissão inicial Pág.: 1/19 Controle de alterações Revisão Data Local da Revisão Descrição 0 15/07/2010 - Emissão inicial Item 5.5 Unificação dos itens 5.5.2 e 5.5.4, em função da exclusão da lista de Distribuição de documentos

Leia mais

PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H

PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H PRINCIPAIS FALHAS EM AUDITORIAS DO PBQP-H PARA COMEÇAR......A VERSÃO 2012 VERSÃO 2012 A versão 2012 do SiAC incluiu alguns requisitos, antes não verificados em obras. São eles: 1. Indicadores de qualidade

Leia mais

Relatório de Atividade Técnica

Relatório de Atividade Técnica RUA DESEMBARGADOR JÚLIO GUIMARÃES, 275 SAÚDE -SÃO PAULO -BR-SP CEP: 04158-060 CNPJ: 46.995.494/0001-92 Telefone: (11) 5058-6066 Pessoa de Contato: ALMO BRACCESI (almo@betta.com.br) Tipo: Auditoria de Manutenção

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL 1. Introdução O Falcão Bauer Ecolabel é um programa de rotulagem ambiental voluntário que visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação da conformidade do produto com

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER 1. Introdução A Certificação do Selo Ecológico Falcão Bauer possui caráter voluntário e visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação do diferencial ecológico apresentado

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PS-AM-GQ-004 01/08/2014

CONTROLE DE COPIA: PS-AM-GQ-004 01/08/2014 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática para planejamento, execução e registrosdas auditorias internas da Qualidade, determinar formas de monitoramento das ações corretivas,verificando o atendimento aos

Leia mais

Gestão da Qualidade. Marca. ANÁLISE CRÍTICA DA QUALIDADE Ata de Reunião. 005-2011 Ordinária 31/10/2011 09:00 Marca Sistemas de Computação

Gestão da Qualidade. Marca. ANÁLISE CRÍTICA DA QUALIDADE Ata de Reunião. 005-2011 Ordinária 31/10/2011 09:00 Marca Sistemas de Computação Gestão da Qualidade Marca GQM F03 Página: 1 de 2 ANÁLISE CRÍTICA DA QUALIDADE Ata de Reunião Reunião nº Tipo: Data: Hora: Local: 005-2011 Ordinária 31/10/2011 09:00 Marca Sistemas de Computação Membros

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO PBQP-H SiAC

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO PBQP-H SiAC 1 ICQ BRASIL OCS Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade, credenciado pelo INME- TRO para certificações de terceira parte. 2 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Este regulamento fornece diretrizes

Leia mais

RSQM-DO-028-02-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO

RSQM-DO-028-02-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO PGMQ - TV O que é OCC? Organismos de Certificação Credenciado (Acreditado) pelo INMETRO Conduzem e concedem a certificação de conformidade, com base em normas nacionais, regionais, internacionais ou regulamentos

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE SUMÁRIO

MANUAL DA QUALIDADE SUMÁRIO / Aprovação: Edison Cruz Mota MANUAL DA QUALIDADE Código: MQ Revisão: 13 Página: 1 de 16 Data: 15/12/2011 Arquivo: MQ_13.doc SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1. POLÍTICA DA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO Nº 14/2014

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO Nº 14/2014 PROCESSO SELETIVO PÚBLICO Nº 14/2014 A Agência de Desenvolvimento e Inovação Inova Sorocaba, Organização Social, sediada na Av. Itavuvu, 11.777 Parque Tecnológico, CEP 18.078-005, Sorocaba SP, torna público

Leia mais

Edital de Candidatura

Edital de Candidatura PROCESSO SELETIVO DE EXECUTORES EDITAL N.º 01/2014 Edital de Candidatura Processo Seletivo de Executores - 1º Semestre de 2014 Considerações iniciais A Estat Júnior - Estudos Aplicados à Estatística Consultoria

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Página: 1/17

MANUAL DA QUALIDADE Página: 1/17 MANUAL DA QUALIDADE Página: 1/17 Rev. Descrição Data Elaborado Aprovado Aprovado Aprovado 6 7 8 9 Modificados os seguintes itens: 4.1 atualizado o Organograma. 4.2.2.2 e 4.2.2.3 mencionado o envio de cópias

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO, E PRESERVAÇÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS NOS CANTEIROS DE OBRA.

RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO, E PRESERVAÇÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS NOS CANTEIROS DE OBRA. Elaborado por Aline Duarte Visto Aprovado por Márcio Flávio Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 09/04/005 - Emissão inicial 1 1/09/005 6/06/006 3 19/01/010 4 09/01/01

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE ATO NORMATIVO Nº 01, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o Normativo de Pessoal EMPREGO DE LIVRE PROVIMENTO E DEMISSÃO DE NÍVEL SUPERIOR, EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR E EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DS Documento de Suporte

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DS Documento de Suporte DIAGRAMA DE PROCESSOS DS. 10 01 1 / 27 Solicitação das unidades para elaboração, revisão ou cancelamento de documentos ou registros; Mudança no modo de realização dos processos; Tratamento de nãoconformidades;

Leia mais

Auditoria Interna. Revisão Data Descrição 0 08/10/2010 - Emissão inicial

Auditoria Interna. Revisão Data Descrição 0 08/10/2010 - Emissão inicial Pág.: 1/23 Controle de alterações Revisão Data Descrição 0 08/10/2010 - Emissão inicial 1 16/05/2012 Item 7 Anexo 2 Alteração nos requisitos de competência do auditor interno e auditor líder, no que concerne

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO IX GRUPO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA

Leia mais

Mensagem do Presidente

Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente A PISOAG DO BRASIL está no mercado desde 1980, atuando com empresas nacionais e internacionais dos mais diversos segmentos, com qualidade, tecnologia e o elevado padrão de responsabilidade

Leia mais

Ação Corretiva ação tomada para garantir que a não-conformidade real ou reclamação de cliente procedente volte a se manifestar.

Ação Corretiva ação tomada para garantir que a não-conformidade real ou reclamação de cliente procedente volte a se manifestar. : CONTROLE DE AÇÕES CORRETIVAS E PÁGINA: 1 de 7 1.0 OBJETIVO: Eliminar as causas das não-conformidades reais ou potenciais, identificadas por meio dos seguintes processos: Pesquisas de satisfação dos clientes,

Leia mais

Tabela 1 - Tempo total em número de dias de uma auditoria (mínimo) Tr a b a l h a d o r e s Nível A Nível B 100% IAF AI AS AR 60% IAF AI AS AR Fase 1

Tabela 1 - Tempo total em número de dias de uma auditoria (mínimo) Tr a b a l h a d o r e s Nível A Nível B 100% IAF AI AS AR 60% IAF AI AS AR Fase 1 Tabela 1 - Tempo total em número de dias de uma auditoria (mínimo) Tr a b a l h a d o r e s Nível A Nível B 100% IAF AI AS AR 60% IAF AI AS AR Fase 1 Fase 2 Fase 1 Fase 2 De 1 a 5 1,5 1,0 1,0 1,0 1,0 1,0

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Versão: 07 Folha: 1 de 6 Processo: Recrutamento & Seleção, Movimentação e Treinamento de Pessoal Alterar logomarca 1. OBJETIVO: Identificar as competências necessárias para as funções que compõe a grade

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Art. 3º Para efeito deste Regulamento são adotadas as seguintes definições:

Art. 3º Para efeito deste Regulamento são adotadas as seguintes definições: Portaria SES-RS nº 767 DE 13/08/2015 Norma Estadual - Rio Grande do Sul Publicado no DOE em 26 ago 2015 Aprova os critérios e procedimentos para o recolhimento de alimentos, inclusive in natura, bebidas

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO INTERNO Nº 03/2013

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO INTERNO Nº 03/2013 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO INTERNO Nº 03/2013 A Diretora de Recursos Humanos do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde IABAS, no uso das atribuições conferidas pela Legislação em vigor, considerando

Leia mais

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Prof. MARCELO COSTELLA FRANCIELI DALCANTON ISO 9001- INTRODUÇÃO Conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade; Desenvolve

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

Procedimento Sistêmico Nome do procedimento: Tratar Não Conformidade, Incidentes e Acidentes Data da Revisão 18/01/12

Procedimento Sistêmico Nome do procedimento: Tratar Não Conformidade, Incidentes e Acidentes Data da Revisão 18/01/12 1/ 11 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento Adequação de seu conteúdo para sistema ISO 9001:2008 e alteração de nomenclatura. 01 Deixa de ser chamado de PO (Procedimento Operacional)

Leia mais

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Ana Carolina Oliveira Santos Carlos Eduardo Sanches Da Silva Resumo: O sistema de custos

Leia mais

AQUISIÇÃO E AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS E PRODUTOS

AQUISIÇÃO E AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS E PRODUTOS Elaborado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto Aprovado por José Carlos de Andrade Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 05/03/2005 - Emissão inicial 1 27/05/2005 5.3

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 Página 1 de 21 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8.

Leia mais

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor Ban Ki-Moon Secretario Geral Nações Unidas New York NY 10017 USA Guarulhos, 09 de Abril de 2012 Sr. Secretario Geral, Gostaria de comunicar que a Pisoag do Brasil Ltda, apoia os Dez Principios do Pacto

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PROCEDIMENTO VERSÃO Nº ATA Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA 08 20/06/2013 28/06/2013 LOGÍSTICA FSL DANIEL DE SOUZA SANTIAGO FSL SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo INTERNO Nº 003/2015

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo INTERNO Nº 003/2015 TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Comunicado de Processo Seletivo INTERNO Nº 003/2015 O SESI Piauí, assessorado pelo IEL, torna pública a realização do Processo Seletivo Interno nº 003/2015 destinado a

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE GESTÃO DA COORDENAÇÃO DA Primeira 1/12 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Silvia Helena Correia Vidal Aloísio Barbosa de Carvalho Neto

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0009-2014. CARGO: Engenheiro de Segurança do Trabalho MANAUS. SESI - Amazonas

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0009-2014. CARGO: Engenheiro de Segurança do Trabalho MANAUS. SESI - Amazonas COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0009-2014 CARGO: Engenheiro de Segurança do Trabalho MANAUS SESI - Amazonas O Departamento de Gestão de Pessoas do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO HENRIQUE SANTILLO PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Responsáveis: Ludmilla Sequeira Barbosa e Rosana

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PÁGINA: 1/11 OBJETIVO DEFINIR O MÉTODO DE FUNCIONAMENTO DA, VISANDO MANTER AS MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E AS INSTALAÇÕES DA. DE FORMA A GARANTIR A QUALIDADE DO PRODUTO DENTRO DO ESPECIFICADO

Leia mais

Manual de Gestão Integrado MGI Elaborado por: Representante

Manual de Gestão Integrado MGI Elaborado por: Representante 1/32 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 01 Alteração do nome onde passa a ser chamado de e a devida adequação os requisitos das normas ISO 14001:2004

Leia mais

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV. PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015 AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.: CK AX0003/00-Q5-RL-1001-15 2 ÍNDICE PÁG. 1 - INTRODUÇÃO...

Leia mais

1.1. Estabelecer uma sistemática de avaliação individual de desempenho para os empregados da ABDI.

1.1. Estabelecer uma sistemática de avaliação individual de desempenho para os empregados da ABDI. de 9. OBJETIVO.. Estabelecer uma sistemática de avaliação individual de desempenho para os empregados da ABDI.. APLICAÇÃO.. Este procedimento se aplica a todos os empregados da ABDI.. DEFINIÇÕES.. Avaliação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS EDITAL Nº 02/2016

PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS EDITAL Nº 02/2016 PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS EDITAL Nº 02/2016 Campinas, 28 de fevereiro de 2016 Edital de Candidatura Processo Seletivo de Membros - 1º Semestre de 2016 Considerações iniciais A Estat Júnior - Consultoria

Leia mais

Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA).

Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA). Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA). Programas de Certificação Ambiental HOJE EM DIA as empresas estão VIVNCIANDO um ambiente de incertezas e sofrem pressões constantes

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. São Paulo SP Maio-2014

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. São Paulo SP Maio-2014 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE POLOS DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP Maio-2014 Maria Cristina Mendonça Siqueira Universidade Cidade de S.Paulo Cruzeiro do Sul Educacional- cristina.mendonca@cruzeirodosul.edu.br

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Qualidade SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Qualidade SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. * Revisão geral para atendimento à NBR ISO/IEC 17021-1:2015. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação 1 - Objetivo

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS NOCIVAS 1 - OBJETIVO

GESTÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS NOCIVAS 1 - OBJETIVO ITEM PÁGINA 1 OBJETIVO 1 2 DEFINIÇÃO DOS TERMOS 2 3 REFERÊNCIAS (NORMAS/ LEGISLAÇÃO/ REQUISITOS APLICÁVEIS). 2 4 RESPONSABILIDADES E ATIVIDADES PARA CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS. 3 5 ANÁLISE LABORATORIAL 4

Leia mais

2.1. As inscrições estarão abertas no período de 10 de fevereiro a 05 de maio de 2014.

2.1. As inscrições estarão abertas no período de 10 de fevereiro a 05 de maio de 2014. EDITAL Nº 01/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO A Universidade Federal do Tocantins UFT, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação PROPESQ, torna pública a abertura de inscrições para selecionar candidatos

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL Página: 1/7 Classificação: ( ) Provisão de (X) Aplicação de ( ) Manutenção de ( ) Desenvolvimento de ( ) Monitoração de ÍNDICE 1 OBJETIVO 2 ABRANGÊNCIA 3 REFERÊNCIA 4 DEFINIÇÕES 5 S E RESPONSABILIDADES

Leia mais

Auditoria de Segurança e Saúde do Trabalho da SAE/APO sobre Obra Principal, Obras Complementares, Obras do reservatório e Programas Ambientais

Auditoria de Segurança e Saúde do Trabalho da SAE/APO sobre Obra Principal, Obras Complementares, Obras do reservatório e Programas Ambientais 1 / 10 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Saúde e Segurança do Trabalho por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Gerência de Saúde e Segurança do Trabalho GSST,

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 O Diretor do Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes (Ceftru), órgão da Universidade de Brasília-UnB, no uso de suas atribuições torna público

Leia mais

Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM

Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM* (*organismos geneticamente modificados) 2ª Edição - Maio 2015 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DEFINIÇÃO DO ESCOPO...

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE REGULAMENTO TAQUARITINGA / 2015 1 Sumário NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE...3 1- Formas de acesso...3 2- Estímulos à permanência...4 3- Apoio Psicopedagógico, Orientação Pedagógica

Leia mais

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA

1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5. TERMINOLOGIA Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 04/11/2014 Verificado por Cristiane Muniz em 04/11/2014 Aprovado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 19/11/2014 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 1 APRESENTAÇÃO As exposições sujeitas ao risco de crédito são grande parte dos ativos da COOPERFEMSA, por isso, o gerenciamento do risco dessas exposições é fundamental para que os objetivos da Cooperativa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA Edital n.º 04/2012- NESC/UFRN Regulamenta o processo de admissão de alunos para o curso de Especialização

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2016 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

EDITAL Nº. 001/2016 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 18ª COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VALTER NUNES DE ALENCAR CÓDIGO DA ESCOLA: 23244720 CNPJ: 07.954.514/0721-18 ARARIPE

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO 11ª EDIÇÃO

REGULAMENTO DO PRÊMIO MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO 11ª EDIÇÃO REGULAMENTO DO PRÊMIO MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO 11ª EDIÇÃO 1. O Prêmio 1.1. O Prêmio Melhores Práticas de Estágio, iniciativa do Fórum de Estágio da Bahia, de periodicidade anual, é destinado a identificar

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO EM SISTEMAS EVOLUTIVOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PBQP-H SUMÁRIO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO EM SISTEMAS EVOLUTIVOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PBQP-H SUMÁRIO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS Página: 1 de 15 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 2. GERAL 3. SOLICITAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO 4. DOCUMENTAÇÃO DA QUALIDADE DA ORGANIZAÇÃO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS

Leia mais

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Em vigor a partir de 01/04/2016 RINA Via Corsica 12 16128 Genova - Itália tel. +39 010 53851 fax +39 010 5351000 website : www.rina.org Normas

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Ambientais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Aspectos e Impactos Ambientais PÁG. 1/8 1. OBJETIVO Definir a sistemática para identificação e avaliação contínua dos aspectos ambientais das atividades, produtos, serviços e instalações a fim de determinar quais desses tenham ou possam

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO WORKFLOW DIGITAL ENTENDENDO A PÓS-PRODUÇÃO

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO WORKFLOW DIGITAL ENTENDENDO A PÓS-PRODUÇÃO REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO WORKFLOW DIGITAL ENTENDENDO A PÓS-PRODUÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do Porto Digital

Leia mais

PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014

PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014 1 PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014 APROVA A METODOLOGIA DE INFORMATIZAÇÃO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Núcleo de Educação a Distância UAB/UFU

Universidade Federal de Uberlândia Núcleo de Educação a Distância UAB/UFU CHAMADA PÚBLICA 02/2010 Processo Seletivo simplificado para contratação de tutores a distância temporários. O Núcleo de Educação a Distância NEAD da Universidade Federal de Uberlândia em parceria com o

Leia mais

Cargo / Função: Assessor de Planejamento e Gestão da Qualidade

Cargo / Função: Assessor de Planejamento e Gestão da Qualidade Relatório de Boas Práticas Nome da empresa: COMPANHIA AGUAS DE JOINVILLE Responsável pela prática: Thiago Zschornack Cargo / Função: Assessor de Planejamento e Gestão da Qualidade Telefone fixo: (47)2105-1727

Leia mais

Implantação da Qualidade nos Serviços de Referência

Implantação da Qualidade nos Serviços de Referência Supremo Tribunal Federal Implantação da Qualidade nos Serviços de Referência LILIAN JANUZZI VILAS BOAS GESTÃO DA QUALIDADE Conceito: Modelo gerencial que incentiva as organizações a analisar os requisitos

Leia mais

Regimento Interno do Sistema

Regimento Interno do Sistema Identificação: R.01 Revisão: 05 Folha: 1 / 14 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma planta de produção com o SELO

Leia mais

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ

EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ EDITAL Nº 135 /2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS PARA INSTALAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DO CEFET- MG NASCENTE ARAXÁ O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base [informe a unidade/complexo] Anexo 1 do PGS-3209-46-63 Data - 07/10/2013 Análise Global: - [informe o número e data da análise] p. 1/27 Sumário

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 004/2016 22/01/2016

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 004/2016 22/01/2016 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 004/2016 22/01/2016 O SESI Serviço Social da Indústria torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas, observados os requisitos mínimos

Leia mais

O perfil do tutor deverá estar de acordo com os seguintes quadros de distribuição de vagas.

O perfil do tutor deverá estar de acordo com os seguintes quadros de distribuição de vagas. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - CEAD Nº01/2014 Seleção Simplificada de Tutores Presenciais modalidade Educação a Distância Programa Universidade Aberta do Brasil UAB 2014 Seleção Simplificada de Tutores

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - CEAD Nº 009/2013 Seleção Simplificada de Tutores Presenciais modalidade Educação

Leia mais

Serviço Social do Comércio Departamento Regional em Roraima

Serviço Social do Comércio Departamento Regional em Roraima PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO SESC 007/2013 Serviço Social do Comércio O SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DE RORAIMA, tendo sua sede na Av. Nossa Senhora da Consolata, 1529, Centro, na cidade

Leia mais

OBSERVADOR. Segurança Brigada de Emergência: A importância do trabalho realizado em caso de incêndios p.02

OBSERVADOR. Segurança Brigada de Emergência: A importância do trabalho realizado em caso de incêndios p.02 OBSERVADOR ano 44 n 511 maio de 2015 Segurança Brigada de Emergência: A importância do trabalho realizado em caso de incêndios p.02 Empresa Recursos Humanos Conheça o novo formato da área p.04 Agrícola

Leia mais

Plano de Gestão de Logística Sustentável

Plano de Gestão de Logística Sustentável Abril 2013 Plano de Gestão de Logística Sustentável Abril 2013 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 4 3 Implementação e avaliação 4 4 Planos de ação 5 5 Cronogramas 28 6 Inventário de materiais 46 7 Referências

Leia mais

Embora a condução de análise crítica pela direção

Embora a condução de análise crítica pela direção A análise crítica pela direção como uma ferramenta para a melhoria de desempenho A análise crítica pela direção é um requisito obrigatório para as organizações certificadas pela norma NBR ISO 9001 e para

Leia mais

BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO

BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO Versão 5 Outubro de 2015 INDICE 1 Introdução 2 Utilização das Marcas de Conformidade no Produto 3 Utilização das

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS EDITAL Nº 001/14 PROEN/DE, de 17 de fevereiro de 2014. PROGRAMA

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002.

Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002. 1 Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002. Norma NBR ISO 9001:2000 Esta norma é equivalente à ISO 9001:2000.

Leia mais