PROCEDIMENTO OPERACIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTO OPERACIONAL"

Transcrição

1 Página: 1/7 Classificação: ( ) Provisão de (X) Aplicação de ( ) Manutenção de ( ) Desenvolvimento de ( ) Monitoração de ÍNDICE 1 OBJETIVO 2 ABRANGÊNCIA 3 REFERÊNCIA 4 DEFINIÇÕES 5 S E RESPONSABILIDADES 6 REGISTROS E DOCUMENTOS 7 INDICADORES DE DESEMPENHO 8 ANEXOS Revisão Alteração Elaborado por: Aprovado por: CPPRS 13/05/13 Gabinete do Coordenador / /

2 Página: 2/7 1 OBJETIVO Padronizar o procedimento para a análise e descrição de cargos com o objetivo de apoiar a provisão de pessoal, a capacitação, o desenvolvimento e a avaliação de desempenho 2 ABRANGÊNCIA CRH e Subsetoriais de recursos humanos 3 REFERÊNCIAS - Descrição de cargos do Hospital do Servidor Público, das Clínicas e rede privada - Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) Portaria Ministério do Trabalho e do Emprego MTE nº 397/2002 editora EDIPRO - Lei Complementar 1193/2013 carreira do médico - Lei Complementar 1157/2011 área de saúde - Lei Complementar 1080/2008 área administrativa - Resolução da Comissão de Residência Médica - Site da Coordenadoria de - Chiavenatto, Idalberto Gestão de Pessoas ao Novo Papel dos nas Organizações 6 Ed Ed Rio de Janeiro, OC (Fluxograma) Órgão Competente 4 DEFINIÇÕES - GLOSSÁRIO Descrever os procedimentos de uma Análise e Descrição de cargos, utilizando os parâmetros abaixo: Análise de cargo: significa detalhar os conhecimentos, habilidades, capacidades do cargo e determinar os requisitos físicos e mentais, as responsabilidades, as condições em que o trabalho deve ser feito, além de se preocupar com as especializações do cargo em relação ao que o candidato deverá ter para ocupar o cargo Cargo: são os meios através dos quais a instituição aloca e utiliza seus recursos humanos para alcançar seus objetivos Criação de cargo: instituir na organização as tarefas a ser executada pelo ocupante do cargo

3 Página: 3/7 Descrição de cargo: significa relacionar de maneira breve as tarefas, deveres e as responsabilidades do cargo, estabelecendo o conteúdo de cada tarefa a ser executada pelo o ocupante do mesmo Pré-requisito do cargo: são as regras (formação, titulação) instituídas para o acesso ao cargo pretendido Tarefa: é um conjunto de elementos necessários para que o profissional desempenhe as suas tarefas dentro da instituição 5 S E RESPONSABILIDADES Esse procedimento contempla três sub-processos: Criação de Cargo, Análise de Cargo e Desenho do Cargo descritos abaixo, de responsabilidade do Centro de Planejamento dos Processos de Recrutamento e Seleção (CPPRS) 51 CRIAÇÃO DE CARGOS: Na Secretaria de Estado da (SES) os cargos são criados em decorrência de Legislação, Decretos, Leis Complementares, Resoluções, reestruturações ou criações de novos setores Inicialmente para efetuar a análise e descrição para um cargo novo, o CPPRS promove pesquisa de mercado em cargos análogos, seguindo a metodologia abaixo: - Entrevista dentro e fora da instituição, sendo realizada com o ocupante do cargo ou dirigente da área; - Questionário a ser preenchido pelos mesmos de acordo com a natureza do serviço, dentro dos parâmetros de: escolaridade, formação técnica, experiência necessária, o desempenho das funções, áreas de atuações, habilidades, descrição comportamental, capacitação, desenvolvimento e avaliação de desempenho Os dados coletados permitem desenhar o cargo atrelando a missão da SES, a partir dos seguintes passos: - identificação de necessidades: para o desenho do cargo a Unidade deverá formar o perfil adequado do ocupante do cargo e as atribuições que deverão ser desempenhadas pelo profissional, de forma sumária e específica - justificativa da criação do cargo: a formalização do documento se baseia na Legislação vigente, na estrutura da unidade, nas tarefas a serem desenvolvidas, na composição dos setores, na identificação da parte técnica e operacional do serviço, nos requisitos necessários para o cargo e o déficit de profissionais competentes para a sua realização (Anexo I)

4 Página: 4/7 - identificação das tarefas: Essa etapa é feita da seguinte forma: a) A tarefa é identificada junto à área, considerando a natureza, o tipo e a complexidade do serviço, bem como os conhecimentos, as habilidades e as atitudes (CHA) necessárias para desempenhá-las b) Os meios e recursos necessários, isto é, os equipamentos e materiais a serem utilizados para desempenhar a tarefa são determinados com base na pesquisa de mercado O desenho do cargo somente se efetivará com a aprovação do responsável pela Unidade para publicação no Diário Oficial do Estado e disponibilizado no site da CRH Os dados coletados permitem analisar as informações necessárias para o desenho do cargo (vide item 54), focando nas questões: O que, como e por que o ocupante faz (Anexo II), a partir dos seguintes passos: I Identificação de tarefas: atividades a serem desempenhadas pelo ocupante; II Identificação de recursos: através de máquinas, equipamentos, materiais, dados e informações; III Identificação da necessidade do cargo: objetivo do cargo no setor, avaliação de metas e resultados a serem atingidos 52 PROPOSTA DE CRIAÇÃO DO CARGO: Após a conclusão das etapas anteriores, faz-se necessário a formalização por meio de processo montado pelo CPPRS contendo: ofício - objetivando a criação do cargo, justificativa e minuta das análises e descrição do cargo novo, a ser encaminhado ao Gabinete do Coordenador para apreciação 53 ANALISE DE CARGO EXISTENTE: A análise de cargos inicia-se com a averiguação da existência ou não do mesmo O CPPRS é responsável pela atualização bianual do cargo existente na SES A revisão de cargo existente poderá ocorrer mediante mudanças na instituição e no seu conteúdo decorrente de: - Legislação (Decretos, Leis Complementares, Resoluções, etc); - Exercício Profissional (Conselhos de Classes, etc) - Instruções da Secretaria da Educação, DETRAN, MEC, etc Essa revisão é feita mediante pesquisa de mercado utilizando as ferramentas: Entrevista ou Questionário com relação ao cargo análogo, referente à escolaridade, formação técnica, experiência necessária, o desempenho das funções, áreas de atuações, habilidades, descrição comportamental, capacitação, desenvolvimento e avaliação de desempenho, atrelando a missão da SES

5 Página: 5/7 Os dados coletados permitem analisar as informações necessárias para a descrição do cargo, focando nas questões: O que, como e por que o ocupante faz (Anexo III), a partir dos seguintes passos: a) Identificação de novas tarefas ou exclusão de outras: ocorre em face de reestruturação do serviço, novos deveres e obrigações, incorporação de novos métodos de trabalho assimilados pelo mercado, no sentido de atender às necessidades da instituição; b) Identificação de novos meios/recursos ou exclusão de outros: em face da incorporação ou exclusão de tarefas, novas habilidades, modernização do mercado, novas metas e resultados a serem atingidos, etc A análise de cargo serve para mapear todo o trabalho realizado dentro da instituição O programa serve para produzir subsídios para o recrutamento e seleção de pessoas, identificar a necessidade de treinamentos, programas de treinamentos e principalmente critérios para avaliação de desempenho 54 DESENHO PARA CARGO NOVO E EXISTENTE: O desenho do cargo inicia-se com a conclusão das informações efetuadas após o mapeamento da análise do cargo que dará subsídio para a elaboração do perfil do mesmo O desenho do cargo produz subsídios para a área de recrutamento e seleção de pessoas identificar o perfil do cargo, atividades, competências técnicas, humanas e da instituição, requisitos exigidos pelo cargo frente ao candidato para que possa ingressar no serviço público Para tanto, devem ser seguidos, os passos abaixo: 1 Cargo existente sem desenho: a) Pesquisa de Legislações vigentes (Leis, Decretos, CBO, etc); b) Entrevista com o Dirigente da área e ocupante do cargo; c) Questionário a ser preenchido de acordo com a natureza do serviço; Para a composição das atribuições devem ser respondidas as três questões fundamentais: o que o ocupante faz, como faz (equipamentos ou materiais) e por que faz (necessidade da tarefa), a partir dos seguintes passos: I Identificação dos requisitos: conhecimento, escolaridade, formação acadêmica, formação técnica, experiência, cursos, etc; II - Identificação das tarefas e atribuições: são as atividades a serem exercidas dentro da especificação necessárias do cargo

6 Página: 6/7 III - Competências: atitudes e habilidades, que é a descrição comportamental exigida para o cargo; IV - Necessidade de treinamento: dependendo do cargo ou da área de atuação, alguns procedimentos obrigatórios devem ser preliminarmente treinados O formato do desenho do cargo inclui, também, o título do cargo, o sumário das atividades a serem desempenhadas e as principais responsabilidades do mesmo (Anexo IV) 2 Avaliação da Unidade: Após a elaboração do desenho do cargo faz-se necessário a avaliação da proposta por parte das Unidades da SES Para tanto, o CPPRS estabelece as Unidades Piloto de acordo com as suas especificidades (Geral, Ambulatorial, Maternidade, Psiquiatrico, Infantil, etc), para avaliação, indicando ou não, possíveis alterações para incorporação na proposta e devolve ao CPPRS 3 Análise do CPPRS: O CPPRS analisa as propostas recebidas para rever ou validar o esboço do desenho do cargo, encaminhando em seguida para o CONSELHO DE CLASSE que: a) Validará o desenho do cargo devendo ser disponibilizado no site da CRH ou publicado no Diário Oficial do Estado b) Reprovará o desenho do cargo, devendo o CPPRS reavaliar e adequar as alterações indicadas e submetê-las novamente para reanálise do referido Conselho de classe Se aprovado deverá ser disponibilizado no site da CRH e, se exigido em legislação, publicado no Diário Oficial do Estado 6 REGISTROS E DOCUMENTOS 61 Site da CRH ou Diário Oficial do Estado, com as devidas atualizações a cada 2 (dois) anos de vigência ou a qualquer alteração que surgir 7 INDICADORES DE DESEMPENHO 71 % DE CONCURSO COM PERFIL ADEQUADO DO CARGO 72 % DE PROFISSIONAIS QUE ESTÃO ATUANDO DENTRO DO PERFIL DO CARGO 73 % DE CARGOS ANALISADOS, DESCRITOS E REVISADOS

7 Página: 7/7 8 ANEXOS Anexo 1 Justificativa da criação do cargo Anexo 2 Formulário de coleta de dados para análise de cargos Anexo 3 Formulário de coleta de dados para desenho de cargos Anexo 4 Formulário de desenho do cargo Anexo 5 Fluxograma de análise de cargos Anexo 6 Fluxograma de desenho de cargos

8 Página: 1/13 Anexo I FORMULÁRIO DE JUSTIFICATIVA DA CRIAÇÃO DE CARGO

9 Página: 2/13 CRIAÇÃO DO CARGO 1 NOME DO CARGO: 2 JUSTIFICATIVA: (detalhar o motivo da proposta de criação de cargos): 3 ESPECIFICIDADES DO CARGO: 31 Legislação vigente; 32 Tarefas a serem desenvolvidas; 33 Requisitos necessários para o cargo; 34 Perfil do ocupante do cargo; 35 Identificação da parte técnica e operacional do serviço 4 ESPECIFICIDADE DA UNIDADE SOLICITANTE: 41 Enquadramento do cargo na estrutura da unidade 5 CONCLUSÃO DA PROPOSTA: 6 ASSINATURA DO RESPONSÁVEL:

10 Página: 3/13 Anexo II FORMULÁRIO DE COLETA DE DADOS PARA ANÁLISE DE CARGO

11 Página: 4/13 FORMULÁRIO DE COLETA DE DADOS (Identificação de tarefas, recursos e necessidade do cargo do ocupante do cargo) NOME: CARGO: DEPARTAMENTO: SETOR: SUPERIOR MEDIATO: SUPERIOR IMEDIATO: OBJETIVOS: INSTRUÇÕES: O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS DIÁRIAS O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS PERIÓDICAS (SEMANAIS, QUINZENAIS, MENSAIS) O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS OCASIONAIS (SEMESTRAIS, ANUAIS, EVENTUAIS) O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ CITE MÁQUINAS E/OU EQUIPAMENTOS QUE UTILIZA PARA EXECUTAR O TRABALHO assinatura do servidor assinatura do superior imediato assinatura do superior mediato

12 Página: 5/13 ANEXO III FORMULÁRIO DE COLETA DE DADOS PARA DESENHO DO CARGO

13 Página: 6/13 FORMULÁRIO DE COLETA DE DADOS (Identificação de novas tarefas, meios/recursos do ocupante do cargo ou exclusão) NOME: CARGO: DEPARTAMENTO: SETOR: SUPERIOR MEDIATO: SUPERIOR IMEDIATO: OBJETIVOS: INSTRUÇÕES: O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS DIÁRIAS O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS PERIÓDICAS (SEMANAIS, QUINZENAIS, MENSAIS) O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ TAREFAS OCASIONAIS (SEMESTRAIS, ANUAIS, EVENTUAIS) O QUE FAZ COMO FAZ POR QUE FAZ CITE MÁQUINAS E/OU EQUIPAMENTOS QUE UTILIZA PARA EXECUTAR O TRABALHO assinatura do servidor assinatura do superior imediato assinatura do superior mediato

14 Página: 7/13 ANEXO IV FORMULÁRIO DE DESENHO DO CARGO

15 Página: 8/13 FORMULÁRIO DE DESENHO DO CARGO TITULO DO CARGO: CÓDIGO CBO/2002 CÓDIGO CRH/SES ESPECIALIDADE: ÁREA DE ATUAÇÃO: DESCRIÇÃO SUMÁRIA: ATRIBUIÇÕES: FORMAÇÃO ESCOLAR MÍNIMA NECESSÁRIA: FORMAÇÃO TÉCNICA E EXPERIÊNCIA NECESSÁRIA: HABILIDADES NECESSÁRIAS: DESCRIÇÃO COMPORTAMENTAL: S EM QUE DEVEM SER TREINADOS NOS PRIMEIROS TRÊS MESES DE ATIVIDADE S EM QUE DEVEM SER TREINADOS APÓS UM ANO: PROGRAMA BÁSICO PARA CONCURSO PÚBLICO: ELABORADO POR: COLABORAÇÃO DE:

16 Página: 9/13 REVISADO POR: VALIDADO EM: REFERÊNCIAS:

17 Página: 10/13 ANEXO V FLUXOGRAMA DA ANÁLISE DE CARGOS

18 Página: 11/13 ANÁLISE DE CARGOS INÍCIO DEMANDA PROATIVA NÃO FATO GERADOR EXTERNO CPPRS SIM MOMENTO DA REVISÃO (2 ANOS) PESQUISAR O MERCADO O CARGO É COMPATÍVEL COM A MISSÃO DA SES NÃO SIM JUSTIFICAR A CRIAÇÃO DO CARGO DESENHAR O CARGO - IDENTIFICAR A TAREFA (O QUE FAZ?) - DETERMINAR MEIOS/ RECURSOS UTILIZADOS (COMO FAZ?) - JUSTIFICAR A NECESSIDADE DO CARGO (PORQUE FAZ?) PROPOR CRIAÇÃO DO CARGO POR LEI CARGO EXISTENTE NÃO FIM - IDENTIFICAR A TAREFA (O QUE O OCUPANTE FAZ?) ENCAMINHAR AO GABINETE DO COORDENADOR - DETERMINAR MEIOS/RECURSOS UTILIZADOS (COMO O OCUPANTE FAZ?) SIM - JUSTIFICAR A EXISTÊNCIA DO CARGO (POR QUE O OCUPANTE FAZ?) ANALISAR O MERCADO (FORMAÇÃO) COM FONA NA MISSÃO DA SES, ATENDENDO A LEGISLAÇÃO VIGENTE ANALISAR O CARGO DESENHAR O CARGO FIM

19 Página: 12/13 ANEXO VI FLUXOGRAMA DO DESENHO DO CARGO

20 Página: 13/13 DESENHO DO CARGO ANÁLISE DO CARGO EXISTE O DESENHO DO CARGO NÃO PESQUISAR FUNDAMENTO LEGAL (LEIS, DECRETO, CBO) NÃO IDENTIFICAR PRÉ REQUISITOS DO CARGO E ATRIBUIÇÕES POR MEIO DE MECANISMOS APROPRIADOS OC UNIDADE PILOTO CPPRS SIM SUBMETE A PROPOSTA PARA AVALIAÇÃO DA UNIDADE ANALISA AS ALTERAÇÕES E INCORPORA NA PROPOSTA ESTÁ ATUALIZADO? (2 ANOS) ANALISA A PERTINÊNCIA DA PROPOSTA INDICA ALTERAÇÕES NECESSARIAS SIM SIM OK? NÃO FIM CONSOLIDA AS INFORMAÇÕES PARA ELABORAR OU REVER O ESBOÇO DO DESENHO DO CARGO INDICA ALTERAÇÕES NECESSARIAS ENVIA PARA VALIDAÇÃO DO ÓRGÃO COMPETENTE NÃO OK? SIM DISPONIBILIZA COMO PARÂMETRO FIM

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS O Incentivo à Qualificação é um benefício, na forma de retribuição financeira, calculado sobre o padrão de vencimento percebido pelo servidor,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 3. OBJETO DA CONTRATAÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA 3. OBJETO DA CONTRATAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica TERMO DE REFERÊNCIA 1. REFERÊNCIA Projeto OEI/BRA 09/001 Fortalecimento Institucional das Secretarias Municipais de Educação

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. PROFI Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 16/03/2014.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº 008/2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM 08 DE MAIO DE 2015 Dispõe sobre a metodologia

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 Regulamenta os critérios de concessão, no âmbito da UFBA, da gratificação por encargos de cursos e concursos e dá outras providencias.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ Centro de Educação Aberta e a Distância CEAD Coordenação do curso de Administração / EaD Rua Olavo Bilac, 1148 Centro Sul

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS

CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS CHAMADA PÚBLICA IPEA/PNPD Nº012/2013 - SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR TERMO DE REFERÊNCIA 028/2010 1 NÚMERO E TÍTULO DO PROJETO Projeto OEI/BRA/10/002 - Atualização dos Processos de Gestão e Avaliação de Políticas e

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA EDITAL GABINETE/DEPEN BRA/14/011 Contratação de Consultoria Nacional Especializada para Formulação de Modelo de Gestão de Inteligência Penitenciária BRASÍLIA, AGOSTO DE 2015 TERMO

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Consolidação da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior.

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Comissão de Capacitação dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação

Universidade Federal de São Paulo Comissão de Capacitação dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação REGULAMENTO INTERNO PARA SELEÇÃO DE INSTRUTORES, TUTORES E COORDENADORES Este regulamento interno estabelece as normas para seleção de instrutores, tutores e coordenadores para os módulos de capacitação

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 15/2014

EDITAL FAPEMIG 15/2014 EDITAL FAPEMIG 15/2014 PROGRAMA DE ATRAÇÃO DE ESTUDANTES DO MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY - MIT PARA INTERCÂMBIO EM EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA EM MINAS GERAIS A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

Minuta de Termo de Referência

Minuta de Termo de Referência Minuta de Termo de Referência Contratação de serviço para elaboração do mapeamento, análise, propostas e implantação de melhorias nos processos de trabalho da Coordenadoria Geral de Licenciamento Ambiental

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 8 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes e as atividades relativas à identificação, avaliação e desenvolvimento da competência das pessoas, por meio de ações de treinamento e conscientização.

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DOCENTE

PLANO DE CARREIRA DOCENTE PLANO DE CARREIRA DOCENTE 2013 1 ÍNDICE CAPÍTULO I Do Regulamento 03 CAPÍTULO II Das Atribuições do Magistério no Ensino Superior 03 CAPÍTULO III Do Corpo Docente 04 CAPÍTULO IV Da Organização do Quadro

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 08/2014

PROCESSO SELETIVO Nº 08/2014 Página 1 de 6 PROCESSO SELETIVO Nº 08/2014 O Serviço Social do Comércio Sesc Administração Nacional, Instituição de Direito Privado, torna público que, nos termos das Resoluções Sesc nº 1163 de 2008 e

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 023/2014 11/05/2014

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 023/2014 11/05/2014 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 023/2014 11/05/2014 O SESI Serviço Social da Indústria torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas, observados os requisitos mínimos

Leia mais

Programa Nacional de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas Progestão

Programa Nacional de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas Progestão GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL - SEDAM Coordenadoria de Recursos Hídricos - COREH Programa Nacional de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO 1 - DEFINIÇÃO 1.1 - Acidente de trabalho Qualquer prejuízo à saúde ou integridade física do trabalhador ocorrida no trabalho ou em decorrência do trabalho. 1.1.1 - Acidente Típico Acidente que ocorre numa

Leia mais

EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP.

EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP. EDITAL CEPeD/UNIFAFIBE Nº01/2015:PESQUISADORES FUNADESP. CHAMADA PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS DE PESQUISA DO CEPeD/UNIFAFIBE A SEREM APOIADOS COM BOLSAS DA FUNADESP Estão abertas 4 (quatro) vagas para

Leia mais

EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017.

EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017. EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017. I - OBJETIVO DO PROGRAMA 1. O Programa objetiva apoiar a estruturação dos laboratórios

Leia mais

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 016/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ALTO IMPACTO O Projeto BRA/06/032 comunica que

Leia mais

REGIMENTO DA COMISSÃO PERMANENTE DE PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS MÉDICO HOSPITALARES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO

REGIMENTO DA COMISSÃO PERMANENTE DE PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS MÉDICO HOSPITALARES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO COMISSÃO PERMANENTE DE PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES REGIMENTO DA COMISSÃO PERMANENTE DE PADRONIZAÇÃO DE MATERIAIS MÉDICO

Leia mais

EDITAL Nº /2014. 1.3. É vedada a efetivação de mais de uma inscrição em nome do mesmo candidato, em função diferente.

EDITAL Nº /2014. 1.3. É vedada a efetivação de mais de uma inscrição em nome do mesmo candidato, em função diferente. EDITAL Nº /2014 A PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA, através da Secretaria de Esporte e Lazer, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com a Lei Municipal nº 053/2007 e o Decreto Municipal

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ESTUDOS E DE COOPERAÇÃO DEPARTAMENTO DE COOPERAÇÃO INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Informação preparada pelos Professores Daniela

Leia mais

A Diretora Geral da Faculdade do Guarujá, no uso de suas atribuições legais, após reuniões com os coordenadores de Curso RESOLVE

A Diretora Geral da Faculdade do Guarujá, no uso de suas atribuições legais, após reuniões com os coordenadores de Curso RESOLVE PORTARIA N.º 03/2010 Guarujá, 8 de fevereiro de 2010. Estabelece procedimentos para a realização dos Estágios obrigatórios definidos nos projetos pedagógicos dos cursos, nos termos regimentais. A Diretora

Leia mais

Pró Reitoria de Extensão Universitária. Reitoria

Pró Reitoria de Extensão Universitária. Reitoria EDITAL N 004/2015 PROEX/Central de Cursos de Inovação e da UNESP Apoio para Cursos de em temas ambientais Seleção de propostas de cursos de extensão universitária em temas ambientais no âmbito da PROEX

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS

REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS REGULAMENTO OPERACIONAL DA CENTRAL DE REGULAÇÃO CENTRAL DE CONSULTAS E EXAMES ESPECIALIZADOS Aprovado através da Resolução nº 06/CMS/2010, de 09 de março de 2010, Ananindeua PA Capítulo I DO CADASTRAMENTO

Leia mais

Divulgação do edital 26/03 Inscrições 29/03 a 29/04 Avaliação dos documentos 03/05

Divulgação do edital 26/03 Inscrições 29/03 a 29/04 Avaliação dos documentos 03/05 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS/UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE - PGCS/UFT EDITAL DE SELEÇÃO N. 01/2010 O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014 Estabelece regras e critérios de execução e monitoramento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO SEDPAC Nº 15/2015 CRITÉRIOS PARA HABILITAÇÃO PARA ENTIDADES E INSTITUIÇÕES PARA INTEGRAR O COMITRATE

ANEXO RESOLUÇÃO SEDPAC Nº 15/2015 CRITÉRIOS PARA HABILITAÇÃO PARA ENTIDADES E INSTITUIÇÕES PARA INTEGRAR O COMITRATE ANEXO RESOLUÇÃO SEDPAC Nº 15/2015 CRITÉRIOS PARA HABILITAÇÃO PARA ENTIDADES E INSTITUIÇÕES PARA INTEGRAR O COMITRATE Dispõe dos critérios de habilitação e da comprovação da regularidade da personalidade

Leia mais

INFORMATIVO GERAL CURSO ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS. 1. Apresentação

INFORMATIVO GERAL CURSO ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS. 1. Apresentação INFORMATIVO GERAL CURSO ELABORAÇÃO DE PROJETOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS 1. Apresentação Com as relações comerciais globalizadas é imperativo que as organizações tenham foco onde pretendem chegar. Para tanto,

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS 1) OBJETO Escolha de instituição pública ou privada, sem fins lucrativos, para desenvolvimento de estudo do Planejamento da Força de Trabalho e

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Administração é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 026

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 026 1/7 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão dos Indicadores 02 Revisão geral do documento 03 Item 4.1: Foi inserida uma aprovação final da Diretoria após o Gestor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública EDITAL Nº 003/2015 - PPGGP PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO PÚBLICA TURMA 2015/2 A Coordenação do torna público que estarão abertas as inscrições no Processo

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Saúde Pública Gabinete do Secretário

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Saúde Pública Gabinete do Secretário Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Saúde Pública Gabinete do Secretário RESIDÊNCIA MÉDICA/2016 EDITAL Nº. 002/2015 - CRH/SESAP O Secretário de Estado da Saúde Pública no uso

Leia mais

PROTOCOLO DE COMPROMISSO

PROTOCOLO DE COMPROMISSO PROTOCOLO DE COMPROMISSO PROTOCOLO DE COMPROMISSO QUE A FACULDADE CASA DO ESTUDANTE - FACE, MANTIDA PELA SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DE ARACRUZ LTDA E REPRESENTADA PELO DIRETOR ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA APRESENTA

Leia mais

Análise do perfil de cargos de comando da SES/SP

Análise do perfil de cargos de comando da SES/SP Relatório parcial de pesquisa Análise do perfil de cargos de comando da SES/SP Coordenador: Pesquisadores: Arnaldo Sala Adriana Rosa Linhares Carro Aniara Nascimento Correa Paulo Henrique D Ângelo Seixas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA CEFTRU/UNB N 0001/2015 O Diretor do Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes (Ceftru), órgão da Universidade de Brasília-UnB, no uso de suas atribuições torna público

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC de São José do Rio Pardo Código: 150 Código: 150 Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Avenida Vicente Simões, 1111 Bairro Nova Pouso Alegre 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone:

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA EM CURSOS SUPERIORES E SUBSEQUENTES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA EM CURSOS SUPERIORES E SUBSEQUENTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS OSÓRIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA ACADÊMICA

Leia mais

Saiba mais sobre o histórico do Projeto Gestão por Competências no Ministério da Saúde.

Saiba mais sobre o histórico do Projeto Gestão por Competências no Ministério da Saúde. GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE O projeto Gestão por Competências teve início no Ministério da Saúde (MS) em setembro de 2009. Esse modelo de Gestão de Pessoas foi implantado

Leia mais

Norma de Procedimento

Norma de Procedimento PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA Código Secretaria Municipal de Administração Assessoria de Planejamento Organizacional Assunto CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO/RENOVAÇÃO/RESCISÃO DE TERMO DE COMPROMISSO 1. Finalidade:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS GUIA PREENCHIMENTO FORMULÁRIO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRENCHIMENTO DO FORMULÁRIO Com o objetivo de facilitar o preenchimento

Leia mais

Esta política define:

Esta política define: Esta política define: OBJETIVO ABRANGÊNCIA DEFINIÇÕES SOLICITAÇÃO DE CONTRATAÇÃO E APROVAÇÕES RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ADMISSÃO SALÁRIO ADMISSIONAL INTEGRAÇÃO OBJETIVO Definir uma política

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 19/1041/2013 PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA NA MODALIDADE PRODUTO 1. NÚMERO E TÍTULO DO PROJETO PROJETO UNESCO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA PROFESSOR VISITANTE DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ (PPV-UTFPR)

REGULAMENTO DO PROGRAMA PROFESSOR VISITANTE DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ (PPV-UTFPR) Resolução 18/2015 - COPPG Institui e Regulamenta, na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, o PROGRAMA PROFESSOR VISITANTE DA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ para a contratação por tempo

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI/ES N 003/2013 06/01/2013

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI/ES N 003/2013 06/01/2013 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI/ES N 003/2013 06/01/2013 O SESI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas observados os requisitos

Leia mais

FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA NUAPE COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA NUAPE COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA DIRETORIA DE ENSINO NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA NUAPE COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Teresina 2015 DIRETORIA

Leia mais

Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas

Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas Relatório Percepção das Consultoras acerca do cenário e práticas de Gestão de Pessoas (RH) do Tribunal de Contas (Produto 2) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO

Leia mais

EDITAL nº 162/2010 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA DO IPA EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE

EDITAL nº 162/2010 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA DO IPA EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE EDITAL nº 162/2010 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA DO IPA EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE A Coordenadoria de Graduação do Centro Universitário Metodista, do IPA, e a Gestão de Pessoas, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Capacitação. Sistemática de Avaliação de Desempenho - AD

Capacitação. Sistemática de Avaliação de Desempenho - AD Capacitação Sistemática de Avaliação de Desempenho - AD Introdução Referencial legal Conceitos básicos da sistemática de avaliação de desempenho Objetivos e benefícios da avaliação de desempenho Quem está

Leia mais

Fanor - Faculdade Nordeste

Fanor - Faculdade Nordeste Norma 025: Projeto de Avaliação Institucional Capítulo I Disposições Gerais A avaliação institucional preocupa-se, fundamentalmente, com o julgamento dos aspectos que envolvem a realidade interna e externa

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO 1ª Versão 2 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO 2

Leia mais

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE AVISO ETENE/FUNDECI - 07/2007 APOIO A ELABORAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE

Leia mais

EDITAL DE CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO NA UFSCAR PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016

EDITAL DE CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO NA UFSCAR PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 EDITAL DE CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO NA UFSCAR PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 JUSTIFICATIVA Em consonância com o Regimento Geral de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade Federal de São Carlos

Leia mais

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL 4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL 4.1. Planejamento Estratégico No período foram efetuadas atividades objetivando revisar a orientação estratégica do TCE-SC e o alinhamento de suas atividades

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 23/2014

PROCESSO SELETIVO Nº 23/2014 Página 1 de 8 PROCESSO SELETIVO Nº 23/2014 O Serviço Social do Comércio Sesc Administração Nacional, Instituição de Direito Privado, torna público que, nos termos das Resoluções Sesc nº 1163 de 2008 e

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Alimentos é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO N.º / 2015

CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO N.º / 2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Av. Paranjana, 1700 - Campus do Itaperi - 60740-000 Fortaleza-Ceará-Brasil Fone (Fax): (085) 3101-9924

Leia mais

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Economia

Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Economia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ECONOMIA Padrões de Qualidade para Cursos

Leia mais

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNESP - 2015

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNESP - 2015 EDITAL PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNESP - 2015 VAGAS: 06 (quatro) vagas Público Alvo: Alunos regularmente matriculados no curso de

Leia mais

SECRETARIA DO DESEVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA

SECRETARIA DO DESEVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA Programa de Mestrado Acadêmico Saúde e Envelhecimento da Famema EDITAL Nº 002/2014 Homologado pelo Conselho de Pós-graduação em 14 de fevereiro de 2014 Processo Seletivo para Mestrado Acadêmico Saúde e

Leia mais

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL.

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Período 2015/2016 O Diretor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral,

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. ACADÊMICO 2014

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. ACADÊMICO 2014 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. ACADÊMICO 2014 Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até

Leia mais

PLANO INSTITUCIONAL DE CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

PLANO INSTITUCIONAL DE CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PLANO INSTITUCIONAL DE CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O objetivo primordial do Plano Institucional de Capacitação de Recursos Humanos

Leia mais

EDITAL PROEN Nº 43/2015

EDITAL PROEN Nº 43/2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL PROEN Nº 43/2015 Dispõe sobre

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº XXXX DE XX DE XXXXXX DE 201X ALTERA A LEI Nº 6720, DE 25 DE MARÇO DE 2014, QUE INSTITUI PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

EDITAL Nº 001/2013 TERMO DE REFERÊNCIA N 007 PROJETO PNUD BRA/05/021 PERFIL 007

EDITAL Nº 001/2013 TERMO DE REFERÊNCIA N 007 PROJETO PNUD BRA/05/021 PERFIL 007 EDITAL Nº 001/2013 TERMO DE REFERÊNCIA N 007 PROJETO PNUD BRA/05/021 PERFIL 007 1. Função no Projeto Produzir informe técnico com recomendações sobre alternativas de financiamento para empreendedorismo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL PROCESSO SELETIVO nº. 27/2015/DEAD EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Secretaria-Executiva. Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Secretaria-Executiva. Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria-Executiva Diretoria de Projetos Internacionais - DPI CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto TERMO DE REFERÊNCIA Projeto Agência: PNUD

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE TERMO DE REFERÊNCIA Suporte Técnico Especializado em Licitações Pleno

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 041/2013 08/12/2013

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 041/2013 08/12/2013 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 041/2013 08/12/2013 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas observados

Leia mais

EDITAL SGP Nº 001/2014 CADASTRAMENTO INTERNO DE INSTRUTORES PARA MINISTRAR CURSOS DE CAPACITAÇÃO. PLANO DE CAPACITAÇÃO/2014 DA UNIVASF.

EDITAL SGP Nº 001/2014 CADASTRAMENTO INTERNO DE INSTRUTORES PARA MINISTRAR CURSOS DE CAPACITAÇÃO. PLANO DE CAPACITAÇÃO/2014 DA UNIVASF. EDITAL SGP Nº 001/2014 CADASTRAMENTO INTERNO DE INSTRUTORES PARA MINISTRAR CURSOS DE CAPACITAÇÃO. PLANO DE CAPACITAÇÃO/2014 DA UNIVASF. A Secretária de Gestão de Pessoas, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

EDITAL Nº 002 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 002 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS CONGONHAS DIRETORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO, PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL EDITAL N 12 BRA/14/011 Contratação de consultoria nacional especializada para produção de subsídios visando ao fortalecimento das ações de saúde

Leia mais

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional. 1 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1.1 Introdução O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 052/2015 04/10/2015

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 052/2015 04/10/2015 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 052/2015 04/10/2015 O SESI Serviço Social da Indústria divulga a realização de processo seletivo com o propósito de formar banco de cadastro de profissionais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Nutrição é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

COGESP/SEPOG/PMF II REUNIÃO

COGESP/SEPOG/PMF II REUNIÃO II REUNIÃO Agenda Horário Assunto Palestrante 8h às 9:30h Apresentação da Proposta de Lei de Capacitação da PMF e da proposta do Plano de Capacitação da Rede de Gestão de Pessoas - RGP 9:30h às 10h Apresentação

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº 08/2014 - PROCESSO SELETIVO PARA CONSULTORES PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES PARA A EXECUÇÃO DO PROJETO DE IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

Atenção: Recomenda-se a leitura atenta de todo o Edital antes de realizar a inscrição.

Atenção: Recomenda-se a leitura atenta de todo o Edital antes de realizar a inscrição. EDITAL DE PRÉ-INSCRIÇÃO DE CANDIDATOS PARA OS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM REGULAÇÃO, PRECEPTORIA E GESTÃO DA CLÍNICA- IEP/HSL, MS, CONASS E CONASEMS PARA SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DA SECRETARIA DE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 493/09 ALTERA A LEI MUNICIPAL Nº 302/05 - PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

ANEXO I RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA EBSERH Nº 008/2012

ANEXO I RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA EBSERH Nº 008/2012 56 ANEXO I RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA EBSERH Nº 008/2012 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA Número: 008 Data: 24/9/2012 Relator: JEANNE LILIANE MARLENE MICHEL Diretoria de Gestão de Pessoas Reunião:

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 001/2015 11/01/2015

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 001/2015 11/01/2015 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 001/2015 11/01/2015 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas de Docentes

Leia mais

O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares

O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares O Uso da Inteligência Competitiva e Seus Sete Subprocessos nas Empresas Familiares O uso da Inteligência Competitiva como processo para monitorar tecnologias, legislação, ambiente regulatório, concorrência,

Leia mais

EDITAL UTRAMIG Nº 02/2015 CHAMAMENTO PÚBLICO DE DISCENTES PARA INGRESSO NO CURSO TÉCNICO DE RECURSOS HUMANOS DA UTRAMIG-UNIDADE UBERLÂNDIA

EDITAL UTRAMIG Nº 02/2015 CHAMAMENTO PÚBLICO DE DISCENTES PARA INGRESSO NO CURSO TÉCNICO DE RECURSOS HUMANOS DA UTRAMIG-UNIDADE UBERLÂNDIA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL FUNDAÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO DE MINAS GERAIS UTRAMIG EDITAL UTRAMIG Nº 02/2015 CHAMAMENTO PÚBLICO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - NUTRIÇÃO/ CCS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN

RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN RESOLUÇÃO Nº 08/03-COUN Estabelece o Regimento Interno do Núcleo de Educação a Distância (NEAD) da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Paraná, no uso de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR NA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR NA MODALIDADE PRODUTO Ministério da Educação - MEC Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES TÍTULO DO PROJETO: Aperfeiçoamento institucional com vistas à melhoria dos programas, processos, projetos

Leia mais