PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE"

Transcrição

1 COLEGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL Rua Haroldo Hamilton, 271 Centro - CEP Fone/Fax PLANO DE TRABALHO DOCENTE Professor: Joel Soriano Muniz Turma: 2º Ano do Ensino Médio Disciplina de Língua Portuguesa Ano: 2014 O discurso como prática social. CONTEÚDO ESTRUTURANTE OBJETIVOS Desenvolver no aluno a capacidade de ler e interpretar textos diversos (literários ou não). Desenvolver o uso da língua escrita em situações discursivas por meio de práticas, além do contexto de produção de textos de forma correta e argumentativa. Relacionar a literatura e sua função, dentro do contexto histórico através da estética recepcional. Reconhecer as funções gramaticais propostas. Ler e discutir livros de autores de alguns períodos literários. Desenvolver trabalhos individuais e em grupos, buscar informações, relatar oralmente trabalhos desenvolvidos. JUSTIFICATIVA Utilização da linguagem oral e escrita conforme seu contexto de uso, dominando a norma padrão e proceder à leitura eficaz de diferentes gêneros verbais e não verbais. PRIMEIRO BIMESTRE CONTEÚDOS POR BIMESTRE Estética Romântica. Romantismo em Portugal. Projeto literário do Romantismo. Os primeiros românticos. A tradição do Romantismo. Romantismo no Brasil. Primeira geração: Literatura e nacionalidade. Segunda geração: idealização, paixão e morte. Os ultrarromânticos. Casimiro de Abreu. Alvares de Azevedo. Relação morfossintática: forma e função. Forma linguística. Função linguística. O estudo das classes de palavras (substantivo, adjetivo, pronome, artigo, numeral, interjeição, verbo, advérbio, preposição e conjunção). Relações entre as palavras. Estudo das relações, funções e estruturas. Os enunciados da língua. A frase nos contextos persuasivos.

2 Produção: Crônicas. SEGUNDO BIMESTRE A tradição da segunda geração romântica. O fascínio da morte. Terceira geração: a poesia social. O condoreirismo. Projeto literário da terceira geração. Poesia social. O romance urbano. Joaquim Manuel de Macedo. José de Alencar. O romance romântico. Relação morfossintática: forma e função. Forma linguística. Função linguística. O estudo das classes de palavras (substantivo, adjetivo, pronome, artigo, numeral, interjeição, verbo, advérbio, preposição e conjunção). Relações entre as palavras. Estudo das relações, funções e estruturas. Os enunciados da língua. A frase nos contextos persuasivos. Produção: Biografia. Texto enciclopédico. TERCEIRO BIMESTRE O romance indianista. A prosa indianista. A tradição do indianismo. O romance regionalista. O teatro romântico. O regionalismo. Os sertões brasileiros. A comédia de costumes. A tradição do romance regionalista. Realismo. Realismo em Portugal e no Brasil. Antero de Quental. Machado de Assis. Relação morfossintática: forma e função. Forma linguística. Função linguística. O estudo das classes de palavras (substantivo, adjetivo, pronome, artigo, numeral, interjeição, verbo, advérbio, preposição e conjunção). Relações entre as palavras. Estudo das relações, funções e estruturas. Os enunciados da língua. A frase nos contextos persuasivos. Produção: Carta argumentativa. QUARTO BIMESTRE Naturalismo. A ciência e a literatura. O projeto literário do naturalismo. Aluísio de Azevedo. Raul Pompeia. Parnasianismo. Os parnasianos brasileiros. A lapidação da forma. Simbolismo. Simbolismo português e o brasileiro. Cruz e Souza. A poesia africana de língua portuguesa. Relação morfossintática: forma e função. Forma linguística. Função linguística. O estudo das classes de palavras (substantivo, adjetivo, pronome, artigo, numeral, interjeição, verbo, advérbio, preposição e conjunção). Relações entre as palavras. Estudo das relações, funções e estruturas. Os enunciados da língua. A frase nos contextos persuasivos.

3 Produção: Artigo de opinião. ENCAMINHAMENTO METODOÓGICOS Comentários sobre fatos objetivos, fatos conhecidos pelos alunos dos temas abordados nos gêneros textuais. Citação de todos os textos que contenham algum tipo de relação com o texto principal. Expressão de ideias e pontos de vistas de temas em questão por parte dos alunos. Exploração dos assuntos gramaticais em situações de uso efetivo, observando-os nos mais variados tipos de textos, atividades com frases, exemplos dos próprios alunos, retirar de textos e exercícios estruturais. Resgate da autoestima através de mensagens, frases e vídeos que incentivem a sonhar e buscar a valorização. Pesquisa sobre os temas e gêneros textuais abordados e dos fatos, sem omitir informações básicas. A prática de leitura de diferentes gêneros. Leitura de informação explicita e implícita nos textos. Leitura e estudo da literatura com a seleção de obras que contemplem os diversos movimentos literários. Leitura de vários gêneros textuais para a observação das relações dialógicas. Apresentação de textos produzidos pelos alunos. Dramatização de textos literários ou de própria produção dos alunos. Narração de fatos reais e fictícios. Seleção de discurso de outros, como: filme, entrevista, cena de novela, programa, debate, mesa redonda, reportagem. Discussão sobre o tema a ser produzido. Seleção do gênero, finalidade, interlocutores. Produção textual. Revisão textual. Reestrutura e reescrita textual de produções dos alunos. Leitura, análise e discussão de poesias para verificar os diferentes suportes composicionais, o conteúdo temático, a intencionalidade, a ideologia, as marcas linguísticas, demarcar as vozes presentes e seus efeitos. RECURSOS DIDÁTICOS Vídeos na TV-Pendrive. Livro didático. Livros de literatura. Filmes sugeridos pelas unidades do livro didático. Quadro. Giz. Cópias de textos. Cópias de atividades. CDs. Rádio. DVDs. Internet. Dicionários. Jogos. Caça-Palavras. Palavras-cruzadas. Laboratório de Informática. Máquinas Digitais. Data show. AVALIAÇÃO CRITÉRIOS A avaliação será feita através do registro do processo de aprendizagem em geral e individual da turma de modo a verificar o progresso do aluno nas suas produções escritas e orais nas atividades em sala de aula, e na sua capacidade de resolvê-las. Mantendo um registro próprio do aluno que o mesmo possa verificar o que assimilou do conteúdo apresentado. AVALIAÇÃO INSTRUMENTOS A avaliação será feita de forma continua através de avaliações escritas sobre os conteúdos trabalhados. Trabalho individual extraclasse e em grupos. Atividades de interpretação e análise linguística em textos impressos, fragmentos de obras literárias, poesias dos livros didáticos e outros. Realização de interpretação oral e declamação de poemas. A recuperação paralela será de todas as atividades trabalhadas no bimestre. Seminários. Produções relacionadas ao gênero estudado. A recuperação será feita em seguida às atividades, focando recuperação de conteúdo. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

4 . Muito além da por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola, Diretrizes. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, CÂMARA, Jr. Joaquim M. Manual de expressão oral e escrita. 21 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, GERALDI: João Vanderlei. O texto em sala de aula. São Paulo, Ática, GIL NETO: Antônio. A produção de textos na escola. São Paulo, Loyola, KOCH, Ingedore. Interação pela Linguagem. São Paulo, Contexto, MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. São Paulo, Brasiliense, PARANÁ. Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Diretrizes Curriculares da Educação Básica Língua Portuguesa. Paraná, Sites da internet de acordo com o tema proposto para aula.

5 COLEGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL Rua Haroldo Hamilton, 271 Centro - CEP Fone/Fax PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 IDENTIFICAÇÃO PROFESSORA: JOEL SORIANO MUNIZ DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA TURMA: 1º ANO Este é o Plano de Trabalho Docente para o trabalho da Língua Portuguesa para as turmas de 1ºs anos, organizado de acordo com o programa dos conteúdos registrados no PPP (Projeto Político Pedagógico) e PPC (Proposta Pedagógica Curricular) desta Instituição de Ensino para o ano letivo de O discurso como prática social. CONTEÚDO ESTRUTURANTE OBJETIVOS Levar o educando a desenvolver a capacidade e a habilidade de ler e interpretar textos diversos com os variados gêneros textuais, os quais transitam do literário ao não literário. Direcionar o aluno a fazer uso da língua escrita em situações discursivas veiculada por práticas além do contexto da produção de textos. Apresentar a literatura e sua função dentro do contexto histórico social valorizando a estética da recepção. Orientar os alunos a reconhecer as funções gramaticais propostas e fazer uso dos recursos gramaticais e argumentativos adequado a cada situação. Direcioná-los a aprender a ler e discutir com propriedade livros de diferentes épocas e ou escolas literárias. Ampliar a gama de capacidade que os alunos já adquiriram em sua trajetória escolar levandoos à pratica e elaboração de trabalhos individuais e, ou em grupos, com segurança e domínio, podendo assim relatar gráfica e oralmente com eficácia os trabalhos desenvolvidos. JUSTIFICATIVA A elaboração da PDP e sua aplicação objetiva a aquisição da linguagem oral e escrita, sendo ela padrão ou não, conforme o contexto de uso levando em conta os avanços significativos da linguística nos últimos anos. Dominar a norma padrão e realizar a leitura eficaz de diferentes gêneros verbais e não verbais. Com a compreensão e aquisição da linguagem oral e gráfica adequada a cada situação histórico social e o conhecimento da origem da própria história apresentada aos alunos através da literatura. Os mesmos poderão dominar as diferentes situações em que são acometidos, quer seja ela de forma verbal ou não verbal. O curso ressaltará os seguintes aspectos: leitura, análise, interpretação e produção de textos, além de aspectos gramaticais relevantes para o desenvolvimento e utilização da língua portuguesa em sua variante padrão.

6 CONTEÚDOS BÁSICOS PRIMEIRO BIMESTRE Introdução à literatura: Arte, literatura e seus agentes, Linguagem literária. Linguagem: - linguagem e variação lingüística. - Oralidade e escrita. - A dimensão discursiva da linguagem. Produção textual: O discurso: - Discurso e texto. - A interlocução e o contexto. - Os Gêneros do discurso. SEGUNDO BIMESTRE Gêneros literários: - Épico. Lirico. - Dramático. - Literatura é expressão de uma época. Linguagem e sentido: - A construção do sentido. - Efeitos de sentido. Produção textual: Os gêneros do discurso: - Definição e evolução dos gêneros do discurso. - Narração e descrição. TERCEIRO BIMESTRE Uma viagem no tempo: - Primeiras leituras. - Literatura na Idade Média. Humanismo. - Classicismo. Recursos estilísticos: - Figuras de linguagem. A gramática e suas partes. - A estrutura das palavras.. Produção textual: Exposição e injunção: - Reportagem. - Textos instrucionais. QUARTO BIMESTRE A literatura no período colonial: - Primeiras visões do Brasil. Barroco. Arcadismo. Formação de palavras: - Composição e outros processos. - Prefixação e sufixação.

7 Produção textual: Argumentação: - Textos publicitários. - Resenha. ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS. ORALIDADE Orientar os alunos sobre o contexto social de uso do gênero a ser trabalhado; definir a postura diante dos colegas; refletir a respeito das características textuais (composição do gênero, as marcas linguístico-enunciativas); organizar a sequência da apresentação Observar a argumentação do aluno seu ponto de vista, além disso o professor deve orientar sobre a adequação da linguagem ao contexto, trabalhar com os turnos de fala, com a interação entre os participantes Ao narrar um fato (real ou fictício), o professor poderá abordar a estrutura da narrativa, refletir sobre o uso de gírias e repetições, explorar os conectivos usados na narração, que apesar de serem marcadores orais, precisam estar adequados ao grau de formalidade/informalidade dos textos, entre outros pontos. Além disso, pode-se analisar a linguagem em uso em outras esferas sociais, como: em programas televisivos (jornais, novelas, propagandas); em programas radiofônicos; no discurso do poder em suas diferentes instâncias: público, privado, enfim, nas mais diversas realizações do discurso oral. Em cenas de novelas, filmes, programas humorísticos e outros, tem-se como explorar a sócio linguística, o professor pode estimular o aluno a perceber se há termos, expressões, sotaques característicos de alguma região, classe social, idade e como estes sotaques ou marcas dialetais são tratados. Além disso, pode solicitar que os alunos transcrevam um trecho de uma cena de novela e analisem, por exemplo, as falas das personagens em momentos de conflito, verificando se apresentam truncamento, hesitações, o que é comum em situações de conflito real. ESCRITA Ampliadas e adequadas de acordo com o contexto: inicialmente, essa prática requer que tanto o professor quanto o aluno planejem o que será produzido: é o momento de ampliar as leituras sobre a temática proposta; ler vários textos do gênero solicitado para a escrita, a fim de melhor compreender a esfera social em que este circula; delimitar o tema da produção; definir o objetivo e a intenção com que escreverá; prever os possíveis interlocutores; pensar sobre a situação em que o texto irá circular; organizar as ideias; em seguida, o aluno escreverá a primeira versão sobre a proposta apresentada, levando em conta a temática, o gênero e o interlocutor, selecionará seus argumentos, suas ideias; enfim, tudo que fora antes planejado, uma vez que essa etapa prevê a anterior (planejar) e a posterior (rever o texto); depois, é hora de reescrever o texto, levando em conta a intenção que se teve ao produzi-lo: nessa etapa, o aluno irá rever o que escreveu, refletir sobre seus argumentos, suas ideias,

8 verificar se os objetivos foram alcançados; observar a continuidade temática; analisar se o texto está claro, se atende à finalidade, ao gênero e ao contexto de circulação; avaliar se a linguagem está adequada às condições de produção, aos interlocutores; rever as normas de sintaxe, bem como a pontuação, ortografia, paragrafação. Se for preciso, tais atividades devem ser retomadas, analisadas e avaliadas (diagnosticadas) durante esse processo. Ressalta-se que, no percurso da produção de texto do aluno, outras práticas de escrita podem acontecer para, então, chegar ao gênero pretendido, por exemplo: se a proposta for produzir uma notícia, o professor poderá encaminhar leituras de notícias, solicitar comentários escritos sobre o fato para os alunos ou resumos, a fim de trabalhar com a síntese de um assunto; em seguida, pode definir um tema para a produção da notícia, indicar a pesquisa sobre a temática e requerer entrevistas sobre o caso para compor a notícia. Nesse caminho, serão trabalhados: a opinião do aluno, o resumo, a pesquisa, a entrevista e a notícia; gêneros orais e escritos diferenciados que colaborarão com o objetivo que se tem: a produção de notícia. Por meio desse processo, que vivencia a prática de planejar, escrever, revisar e reescrever seus textos, o aluno perceberá que a reformulação da escrita não é motivo para constrangimento. O ato de revisar e reformular é antes de mais nada um processo que permite ao locutor refletir sobre seus pontos de vista, sua criatividade, seu imaginário. O refazer textual pode ocorrer de forma individual ou em grupo, considerando a intenção e as circunstâncias da produção e não a mera higienização do texto do aluno, para atender apenas aos recursos exigidos pela gramática. O refazer textual deve ser, portanto, atividade fundamentada na adequação do texto às exigências circunstanciais de sua produção. Para dar oportunidade de socializar a experiência da produção textual, podemos utilizarmonos de diversas estratégias, como: afixar os textos dos alunos no mural da escola, promovendo um rodízio dos mesmos; reunir os diversos textos em uma coletânea ou publicálos no jornal da escola; enviar cartas do leitor (no caso dos alunos) para determinado jornal; encaminhar carta de solicitação dos alunos para a câmara de vereadores da cidade; produção de panfletos a serem distribuídos na comunidade; entre outros. Dessa forma, além de enfatizar o caráter interlocutivo da linguagem, possibilitando aos estudantes constituíremse sujeitos do fazer linguístico, essa prática orientará não apenas a produção de textos significativos, como incentivará a prática da leitura. LEITURA É preciso ter em mente que o grau de familiaridade do leitor com o conteúdo veiculado pelo texto interfere, também, no modo de realizar a leitura (ANTUNES, 2003, p. 77). Para o encaminhamento da prática de leitura, é relevante: realizar atividades que propiciem a reflexão e discussão, tendo em vista o gênero a ser lido: do conteúdo temático, da finalidade, dos possíveis interlocutores, das vozes presentes no discurso e o papel social que elas representam, das ideologias apresentadas no texto, da fonte, dos argumentos elaborados, da intertextualidade. o ensino da prática de leitura requeira um professor que além de posicionar-se como um leitor assíduo, crítico e competente, entenda realmente a complexidade do ato de ler (SILVA, 2002, p. 22). Para a seleção dos textos é importante avaliar o contexto da sala de aula, as experiências de leitura dos alunos, os horizontes de expectativas deles e as sugestões sobre

9 textos que gostariam de ler, para, então, oferecer textos cada vez mais complexos, que possibilitem ampliar as leituras dos educandos. Acredita-se que A qualificação e a capacitação contínua dos leitores ao longo das séries escolares colocam-se como uma garantia de acesso ao saber sistematizado, aos conteúdos do conhecimento que a escola tem de tornar disponíveis aos estudantes (SILVA, 2002, p. 07). Comentários sobre fatos objetivos, fatos conhecidos pelos alunos dos temas abordados nos gêneros textuais. Citação de todos os textos que contenham algum tipo de relação com o texto principal. Expressão de ideias e pontos de vistas de temas em questão por parte dos alunos. Exploração dos assuntos gramaticais em situações de uso efetivo e de observar os mais variados tipos de textos. Atividades com frases, exemplos dos próprios alunos, retirar de textos e exercícios estruturais. Resgate da autoestima através de mensagens, frases e vídeos que incentivem a sonhar e buscar a valorização do próprio eu. Pesquisa sobre os temas e gêneros textuais abordados e dos fatos, sem omitir informações básicas. A prática de leitura de diferentes gêneros. Leitura de informação explicita e implícita nos textos. Leitura e estudo da literatura com a seleção de obras que contemplem os diversos movimentos literários. Leitura de vários gêneros textuais para a observação das relações dialógicas. Apresentação de textos produzidos pelos alunos veiculado pela narração de fatos reais e fictícios. Seleção de discurso de outros, como: filme, entrevista, cena de novela, programa, debate, mesa redonda, reportagem. Discussão sobre o tema a ser produzido. Seleção dos gênero, finalidade e interlocutores. Produção textual, revisão e reestrutura e reescrita das produções dos alunos. Leitura, análise e discussão de diferentes gêneros textuais para verificar os diferentes suportes composicionais, o conteúdo temático, a intencionalidade, a ideologia, as marcas linguísticas, demarcando as vozes presentes e seus efeitos. RECURSOS DIDÁTICOS - Livro didático. - Livros de literatura. - Filmes sugeridos pelas unidades do livro didático. - Quadro. - Giz. Textos diversificados. - Internet. - Dicionários. - Laboratório de Informática. - Máquinas Digitais. Data show. - TV Pendrive. AVALIAÇÃO CRITÉRIOS Se dará por meio da observação do progresso na aquisição da aprendizagem; individual e geral da turma, nas produções escritas e orais das atividades realizadas em sala de aula, bem como na capacidade de resolvê-las. AVALIAÇÃO INSTRUMENTOS A avaliação será continua, tendo como ponto de partida as avaliações escritas, capacidade de se expressar sobre os conteúdos trabalhados. Trabalho individual extraclasse e, ou em grupos. Atividades de interpretação e análise linguística em textos impressos de diferentes gêneros. Prática de leitura. A recuperação paralela será de todas as atividades trabalhadas no bimestre. Produções relacionadas ao gênero estudado. A recuperação será feita em seguida às atividades, focando recuperação de conteúdo.

10 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, Muito além da por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola, Diretrizes. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, CÂMARA, Jr. Joaquim M. Manual de expressão oral e escrita. 21 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, GERALDI: João Vanderlei. O texto em sala de aula. São Paulo, Ática, GIL NETO: Antônio. A produção de textos na escola. São Paulo, Loyola, KOCH, Ingedore. Interação pela Linguagem. São Paulo, Contexto, MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. São Paulo, Brasiliense, PARANÁ. Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Diretrizes Curriculares da Educação Básica Língua Portuguesa. Paraná, Sites da internet de acordo com o tema proposto para aula.

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: TÉCNICO EM ALIMENTOS FORMA/GRAU: ( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua das Ameixeiras, 119 Núcleo Cristo Rei Fone/Fax: 0xx42 3624 3095 CEP 85060-160 Guarapuava Paraná grpcristorei@seed.pr.gov.br PLANO DE TRABALHO

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos (RE)DISCUTINDO AS ATIVIDADES DE LEITURA EM LIVROS DIDÁTICOS DE LINGUA PORTUGUESA SOB O VIÉS DO LETRAMENTO CRÍTICO Rosenil Gonçalina dos Reis e Silva (UFMT) rosenilreis@gmail.com Simone de Jesus Padilha

Leia mais

Elaboração de projetos

Elaboração de projetos Ano: 2013 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ARLINDO RIBEIRO Professor: ELIANE STAVINSKI PORTUGUÊS Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA Série: 2ª A e B CONTEÚDO ESTRUTURANTE: DISCURSO COMO

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS

A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS Victória Junqueira Franco do Amaral -FFCLRP-USP Soraya Maria Romano Pacífico - FFCLRP-USP Para nosso trabalho foram coletadas 8 redações produzidas

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL APRESENTAÇÃO Segundo as Diretrizes Curricular o ensino da Língua Estrangeira na Educação Básica esta pautado

Leia mais

DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA EMENTA: A Língua Portuguesa priorizará os conteúdos estruturantes (ouvir, falar, ler e escrever) tendo como fundamentação teórica o sociointeracionismo. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

UFRGS INSTITUTO DE LETRAS Curso de Especialização em Gramática e Ensino da Língua Portuguesa 8ª Edição Trabalho de Conclusão de Curso

UFRGS INSTITUTO DE LETRAS Curso de Especialização em Gramática e Ensino da Língua Portuguesa 8ª Edição Trabalho de Conclusão de Curso UFRGS INSTITUTO DE LETRAS Curso de Especialização em Gramática e Ensino da Língua Portuguesa 8ª Edição Trabalho de Conclusão de Curso REFLEXÕES SOBRE A DESCRIÇÃO DE SUBSTANTIVOS E ADJETIVOS EM LIVROS DIDÁTICOS

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1 Página 1/3 Período: 1 ENADE INGRESSANTE 0 ESTILÍSTICA 36 LITERATURA BRASILEIRA: CONTEMPORÂNEA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA: AS ÉPOCAS VITORIANA E CONTEMPORÂNEA 36 LÍNGUA

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua Marechal Floriano Peixoto, 61 Cep:84430-000 Fone/Fax:(42)34361327 e-mail: iuvalcidesmunhoz@seed.pr.gov.br Imbituva - Paraná Projeto de Leitura

Leia mais

Prova de Equivalência à Frequência de Português (Prova Oral) Informação Prova de Equivalência à Frequência. Prova 61 2014. 2.º Ciclo do Ensino Básico

Prova de Equivalência à Frequência de Português (Prova Oral) Informação Prova de Equivalência à Frequência. Prova 61 2014. 2.º Ciclo do Ensino Básico Informação Prova de Equivalência à Frequência Data: 2014.04.02 Prova de Equivalência à Frequência de Português (Prova Oral) Prova 61 2014 2.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012, de 05 de julho

Leia mais

RESUMO. Palavras-chaves: leitura; produção textual, conto. 1 INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras-chaves: leitura; produção textual, conto. 1 INTRODUÇÃO DE CONTO EM CONTO: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DOCENTE Maria Helena Cunha de Andrade SILVA RESUMO Esse trabalho relata uma experiência de leitura e produção textual realizada no decorrer do ano letivo de

Leia mais

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM língua estrangeira moderna Comparativos Curriculares SM inglês ensino médio A coleção Alive High Língua Estrangeira Moderna Inglês e o currículo do Estado de Goiás

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS.

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. Elaine Cristina Rodrigues Gomes Vidal. Gruhbas Projetos Educacionais

Leia mais

EDITAL Nº 26/2014 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

EDITAL Nº 26/2014 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA SELEÇÃO PÚBLICA PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES SUBSTITUTOS PARA A REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FORTALEZA EDITAL Nº 26/2014 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA PROVA OBJETIVA DATA: 06 DE JULHO DE 2014 DURAÇÃO:

Leia mais

OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO

OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO Luciano de Lima Costa Raquel Pessoni Tinonin Thaís Inácio Braga (G CLCA UENP/CJ) Luiz Antonio Xavier Dias (Orientador CLCA UENP/CJ) O

Leia mais

ANEXO II- TUTORES A DISTÂNCIA- VAGAS REMANESCENTES VAGA=CHAMADA EM 2014 CR= CADASTRO DE RESERVA

ANEXO II- TUTORES A DISTÂNCIA- VAGAS REMANESCENTES VAGA=CHAMADA EM 2014 CR= CADASTRO DE RESERVA 1 CURSO IE DISCIPLINA EMENTA DA DISCIPLINA HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA POLO Administração UFRRJ Direito Teoria do Direito e do Estado; Direito Constitucional; Direito Administrativo; Direito Ambiental;

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA ANEXO I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONHECIMENTOS BÁSICOS ENSINO MÉDIO - Língua Portuguesa: Compreensão e interpretação de palavra, frase ou texto, estrutura textual, coesão e coerência, recursos coesivos, ponto

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1. PERFIL DO CURSO O Curso de Pedagogia da PUC Minas, alinhado com o ideário humanista defendido pela Instituição, compromete-se com

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR

CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR 1 CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR Loraine Vidigal LISBOA Universidade Gama Filho loraine_vidigal@yahoo.com.br Resumo: O artigo apresenta

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente Curricular: Língua

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 9º ANO C Ano Letivo: 204 /205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE n 367/2005*

RESOLUÇÃO CEPE n 367/2005* RESOLUÇÃO CEPE n 367/2005* Estabelece o currículo pleno do curso de Letras- Habilitação: Bacharelado em Estudos Literários, a ser implantado a partir do ano letivo de 2006. CONSIDERANDO a lei nº 9394/96

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA INTRODUÇÃO Silvane Santos Souza(UNEB/Lusófona) No contexto atual em que a educação encontra-se inserida, surgem muitas inquietações

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas Departamento de Línguas Estrangeiras - Inglês - 3º Ciclo - 7º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1º Período - Aulas

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos PORTUGUÊS 7º ano Ano letivo 2015 2016 ORALIDADE LEITURA / EDUCAÇÃO LITERÁRIA 1º PERÍODO CONTEÚDOS

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos PORTUGUÊS 7º ano Ano letivo 2015 2016 ORALIDADE LEITURA / EDUCAÇÃO LITERÁRIA 1º PERÍODO CONTEÚDOS Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos PORTUGUÊS 7º ano Ano letivo 2015 2016 1º PERÍODO CONTEÚDOS ORALIDADE Elementos constitutivos do texto publicitário. Ouvinte. Informação. Princípios reguladores

Leia mais

Retextualização em sala de aula: Uma experiência de criação de Roteiro a partir da leitura de contos.

Retextualização em sala de aula: Uma experiência de criação de Roteiro a partir da leitura de contos. Retextualização em sala de aula: Uma experiência de criação de Roteiro a partir da leitura de contos. Maria Raquel Dias Sales Ferreira 1 RESUMO: Este trabalho se constitui em um relato e análise de um

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez.

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. PROJETO DE LEITURA E ESCRITA Era uma vez... E conte outra vez. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO TEMA; PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. INSTITUIÇÃO Escola Estadual Lino Villachá

Leia mais

APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL RESUMO

APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL RESUMO APRENDER E ENSINAR COM TECNOLOGIAS: CONSTRUÇÃO DE OBJETO MULTIMÍDIA ESCOLAR VOLTADO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Rosilãne de Lourenço Lorenzoni 1 Profª. Drª. Meri Lourdes Bezzi 2 RESUMO A construção do conhecimento

Leia mais

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA RAQUEL MONTEIRO DA SILVA FREITAS (UFPB). Resumo Essa comunicação objetiva apresentar dados relacionados ao plano

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA - CELEM

PROPOSTA PEDAGÓGICA - CELEM PROPOSTA PEDAGÓGICA - CELEM JUSTIFICATIVA Nosso estabelecimento de ensino está localizado na Região Oeste do Paraná fronteira com o Paraguai e Argentina, cuja língua oficial é o Espanhol. Muitos de nossos

Leia mais

CURRÍCULO DE PORTUGUÊS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CURRÍCULO DE PORTUGUÊS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO CURRÍCULO DE PORTUGUÊS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Eduardo Campos VICE-GOVERNADOR João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999)

A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999) A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999) Ioná Vieira Guimarães Venturi * Décio Gatti Júnior RESUMO O presente

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES Luciana Bessa Silva (bessaluciana@hotmail.com) RESUMO Como humanos, narramos nossos sentimentos, nossos desejos, nossas emoções, nossas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL REBECCA TAVARES DE MELO TOSCANO DE BRITO (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA). Resumo Nos dias atuais a prática da leitura está se tornando cada vez mais rara

Leia mais

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NA PRÁTICA ESCRITA: Trabalhando com a redação do ENEM Mayara Myrthes Henriques Santos Universidade Estadual da Paraíba, mayara.mhs@gmail.com RESUMO: O processo de ensino e aprendizagem

Leia mais

TECNOLOGIAS, EDUCAÇÃO E A CRITICIDADE DIANTE DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS, EDUCAÇÃO E A CRITICIDADE DIANTE DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Tecnologia, Educação e Inclusão TECNOLOGIAS, EDUCAÇÃO E A CRITICIDADE DIANTE DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Ângela Maria Oliveira da Cruz Silva Antonilma S. de Almeida Castro (orientadora, Mestre em Educação

Leia mais

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO)

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) Processo Avaliativo Unidade Didática PRIMEIRA UNIDADE Competências e Habilidades Aperfeiçoar a escuta de textos orais - Reconhecer

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura.

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Coleção Escola Aprendente. Matrizes Curriculares para o Ensino Médio

Coleção Escola Aprendente. Matrizes Curriculares para o Ensino Médio Coleção Escola Aprendente Matrizes Curriculares para o Ensino Médio Projeto Gráfico Jozias Rodrigues Feliciano de Magalhães Jr. Márcio Magalhães Diagramação Eletrônica Jozias Rodrigues Márcio Magalhães

Leia mais

Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges

Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges Situação do Desenvolvimento do Projeto/Avaliação Projeto Tecnológico e Midiático na EE Ernesto Solon Borges Município/Escola Bandeirantes/ Ernesto Solon Borges Ações desenvolvidas (maio a novembro/2013)

Leia mais

ISSN 1983-0157. Boletim Pedagógico da Escola SIMAVE/PROEB. Volume III. Língua Portuguesa. 5 ano do Ensino Fundamental

ISSN 1983-0157. Boletim Pedagógico da Escola SIMAVE/PROEB. Volume III. Língua Portuguesa. 5 ano do Ensino Fundamental ISSN 1983-0157 Boletim Pedagógico da Escola SIMAVE/PROEB Volume III Língua Portuguesa 5 ano do Ensino Fundamental Ficha Catalográfica MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Educação. Boletim Pedagógico

Leia mais

CARTAS DO LEITOR: A CONSTRUÇÃO DO ETHOS COMO ESPELHO DA CIDADANIA Lygia Maria Gonçalves Trouche (UFF) lymt@terra.com.br

CARTAS DO LEITOR: A CONSTRUÇÃO DO ETHOS COMO ESPELHO DA CIDADANIA Lygia Maria Gonçalves Trouche (UFF) lymt@terra.com.br CARTAS DO LEITOR: A CONSTRUÇÃO DO ETHOS COMO ESPELHO DA CIDADANIA Lygia Maria Gonçalves Trouche (UFF) lymt@terra.com.br O texto não é para ser contemplado, ele é enunciação voltada para um co-enunciador

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Escrita. Programa de extensão. Socioeducação.

PALAVRAS-CHAVE: Escrita. Programa de extensão. Socioeducação. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED COLÉGIO ESTADUAL JOANA D'ARC ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED COLÉGIO ESTADUAL JOANA D'ARC ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED COLÉGIO ESTADUAL JOANA D'ARC ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR LÍNGUA PORTUGUESA 2010 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS A língua é um sistema que se estrutura no uso e para o uso, escrito e falado, sempre contextualizado. (Autor desconhecido)

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

FAPAM Faculdade de Pará de minas Curso de Letras. Marília Andrade Chaves Reis Ribeiro

FAPAM Faculdade de Pará de minas Curso de Letras. Marília Andrade Chaves Reis Ribeiro 1 FAPAM Faculdade de Pará de minas Curso de Letras Marília Andrade Chaves Reis Ribeiro ANÁLISE DA (IN )ADEQUAÇÃO DA ORALIDADE NO UNIVERSO ESCOLAR Pará de Minas 2013 2 Marília Andrade Chave Reis Ribeiro

Leia mais

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA OS TEXTOS

Leia mais

OFICINA DE ESCRITA E REESCRITA DE TEXTOS PARA ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

OFICINA DE ESCRITA E REESCRITA DE TEXTOS PARA ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL OFICINA DE ESCRITA E REESCRITA DE TEXTOS PARA ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Profª Drª Suzana Lima Vargas UFJF suzana_lima@uol.com.br Aida do Amaral Antunes UFJF amaral.aida@yahoo.com.br Andreza de Souza

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO TÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado é um componente que integra a estrutura curricular do Curso de Tecnologia em Gestão da Tecnologia

Leia mais

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC)

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) 1 FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) IES: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA ORIENTADOR: Prof. DARTAGNAN PINTO GUEDES ÁREA CURRICULAR: EDUCAÇÃO FÍSICA DEZEMBRO 2008 LONDRINA

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO PROJETO REFORÇO ESCOLAR PORTUGUÊS E MATEMÁTICA ATRAVÉS

Leia mais

LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL EMENTAS DO CURSO 1º P LÍNGUA ESPANHOLA I LÍNGUA PORTUGUESA I ESTUDOS CLÁSSICOS LINGUÍSTICA I

LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL EMENTAS DO CURSO 1º P LÍNGUA ESPANHOLA I LÍNGUA PORTUGUESA I ESTUDOS CLÁSSICOS LINGUÍSTICA I LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL EMENTAS DO CURSO 1º P LÍNGUA ESPANHOLA I Estudo de estruturas gramaticais básicas em situações comunicativas de registros culto e coloquial. Introdução à fonética e fonologia

Leia mais

FACULDADE CANDIDO MENDES SUPERVISAO ESCOLAR CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO PRODUÇÃO DE TEXTOS POR ALUNOS DAS CLASSES INICIAIS MARIA RITA CORREIA COELHO

FACULDADE CANDIDO MENDES SUPERVISAO ESCOLAR CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO PRODUÇÃO DE TEXTOS POR ALUNOS DAS CLASSES INICIAIS MARIA RITA CORREIA COELHO FACULDADE CANDIDO MENDES SUPERVISAO ESCOLAR CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO PRODUÇÃO DE TEXTOS POR ALUNOS DAS CLASSES INICIAIS MARIA RITA CORREIA COELHO ORIENTADOR: PROFª. MARY SUE RIO DE JANEIRO 2003 2 FACULDADE

Leia mais

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto Diversos pesquisadores têm

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA DOCENTE COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: A CONFIGURAÇÃO DA COMPETÊNCIA CRÍTICA NA PRODUÇÃO DA RESENHA ESCOLAR

UMA EXPERIÊNCIA DOCENTE COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: A CONFIGURAÇÃO DA COMPETÊNCIA CRÍTICA NA PRODUÇÃO DA RESENHA ESCOLAR UMA EXPERIÊNCIA DOCENTE COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: A CONFIGURAÇÃO DA COMPETÊNCIA CRÍTICA NA PRODUÇÃO DA RESENHA ESCOLAR Hermano Aroldo Gois Oliveira (UFCG/PIBID/LETRAS); Jackson Cícero França

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO O curso de Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda, da Unochapecó, foi implantando no ano 003 com o propósito de trabalhar para

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Professora: Adriana Ribeiro Siqueira Witzel Disciplina: LEM-Inglês Ano: 6º Ano B Período : 2014

PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Professora: Adriana Ribeiro Siqueira Witzel Disciplina: LEM-Inglês Ano: 6º Ano B Período : 2014 PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Professora: Adriana Ribeiro Siqueira Witzel Disciplina: LEM-Inglês Ano: 6º Ano B Período : 2014 Conteúdos Conteúdo Básico Justificativa Encaminhamento Avaliação Referências

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO INFANTIL 1 ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Nome Completo Cargo/Função Turno 1º 2º Integral

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: : Gestão e Negócios MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Administração/Bacharelado FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x

Leia mais

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG ISSN 2316-7785 EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG Resumo Michele Bulhões de Mendonça Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCRITA: AS CONDIÇÕES DE PRODUÇÃO DE TEXTO NA SALA DE AULA RESUMO

ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCRITA: AS CONDIÇÕES DE PRODUÇÃO DE TEXTO NA SALA DE AULA RESUMO ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCRITA: AS CONDIÇÕES DE PRODUÇÃO DE TEXTO NA SALA DE AULA Cléa Suzy Batista Bezerra 1 Michelle Batista Bezerra 2 Lívia Suassuna 3 RESUMO No presente estudo, de natureza qualitativa,

Leia mais

OS LUGARES DO LEITOR, OS ESPAÇOS DE LEITURA: DAS ESCOLHAS ÀS PRÁTICAS i

OS LUGARES DO LEITOR, OS ESPAÇOS DE LEITURA: DAS ESCOLHAS ÀS PRÁTICAS i OS LUGARES DO LEITOR, OS ESPAÇOS DE LEITURA: DAS ESCOLHAS ÀS PRÁTICAS i Manuela Cunha de Souza (PPGEL/UNEB/CAPES) manuelacsouza@yahoo.com.br 1 INTRODUÇÃO Um quadro, uma fotografia, um filme, um olhar,

Leia mais

PRODUÇÃO DE TEXTO COM O GÊNERO RELATO DE MEMÓRIAS NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

PRODUÇÃO DE TEXTO COM O GÊNERO RELATO DE MEMÓRIAS NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PRODUÇÃO DE TEXTO COM O GÊNERO RELATO DE MEMÓRIAS NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA José Carlos Lourenço da Silva Universidade Estadual da Paraíba-UEPB Adriano.exatas@hotmail.com Eduardo da Silva Andrade

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO 0 Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO Margarida Fernandes de Sousa Graciano Autora: Cristiane Pereira

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 88-GR/UNICENTRO, DE 12 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Educação e Formação Empreendedora, modalidade de educação a distância, aprovado pela

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Relações de poder e usos linguísticos: desvelando outra face

Relações de poder e usos linguísticos: desvelando outra face Relações de poder e usos linguísticos: desvelando outra face Girllaynne Marques Vinícius Nicéas 1 Universidade Federal de Pernambuco A obra A norma oculta, do linguista brasileiro Marcos Bagno 2 (2003),

Leia mais

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA Escola de Ensino Médio João Barbosa Lima PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA DESPERTANDO O GOSTO PELA LEITURA E A ARTE DE ESCREVER Projeto na Sala de PCA da Área de Linguagens e Códigos PROEMI -Programa

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ANO DISCIPLINA: INGLÊS HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ANO DISCIPLINA: INGLÊS HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ASE DIVERSIFICADA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS (ASE DIVERSIFICADA) SÉRIE CH ANO DISCIPLINA: INGLÊS

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

Formação de docentes online: a experiência do Plano de Capacitação Continuada da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Formação de docentes online: a experiência do Plano de Capacitação Continuada da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Formação de docentes online: a experiência do Plano de Capacitação Continuada da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Salvador BA - maio de 2013 Adriana Santos Sousa Núcleo de Tecnologia Educacional

Leia mais

Utilizando o jornal como recurso potencializador do processo de ensino/ aprendizagem na Língua Portuguesa *

Utilizando o jornal como recurso potencializador do processo de ensino/ aprendizagem na Língua Portuguesa * Crátilo: Revista de Estudos Linguísticos e Literários (ISSN 1984-0705) Patos de Minas: UNIPAM (2): 42-48, nov. 2009 Utilizando o jornal como recurso potencializador do processo de ensino/ aprendizagem

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de:

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de: Página1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO PROFISSIONAL Cursos: Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade; Gestão e Programação de Sistemas Informáticos;

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa RESUMO Jacyene Melo de Oliveira Araújo Profª Drª UFRN- CE-SEDIS Os Estágios

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Português Instrumental

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Português Instrumental CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Português Instrumental Código: CTB - 112 Pré-requisito: - Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

MEDIADORES DE LEITURA

MEDIADORES DE LEITURA MEDIADORES DE LEITURA BERNO, Gladis Marize 1 ; BIGOLIN, Aurea 2 ; KARLINSKI, Leila Marlise Cavinato 3 ; LEAL, Joice Cinara Muniz da Silva 4 MORAES, Sidônia Regina Dal Molin de 5 ; MOURA, Adriana Ueker

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS

A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS ISSN 2177-9139 A TECNOLOGIA E A SALA DE AULA: DISCUSSÕES SOBRE A UTILIZAÇÃO PEDAGÓGICA DOS BLOGS Lidiane Schimitz Lopes lidischimitz@hotmail.com Universidade Federal de Pelotas Pelotas, RS, Brasil André

Leia mais

TEORIA E PRÁTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: OS PCN E A REALIDADE ESCOLAR Sandra da Silva Santos Bastos (UERJ) sandra_poesia@yahoo.com.

TEORIA E PRÁTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: OS PCN E A REALIDADE ESCOLAR Sandra da Silva Santos Bastos (UERJ) sandra_poesia@yahoo.com. TEORIA E PRÁTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: OS PCN E A REALIDADE ESCOLAR Sandra da Silva Santos Bastos (UERJ) sandra_poesia@yahoo.com.br 1. Introdução O papel do ensino de língua portuguesa nas escolas

Leia mais

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I Content Area Grade Quarter Língua 6ª Serie Unidade I Texto: parágrafos: descritivo/comparativo; reconto; resenha crítica, anedota, cartum, revista em quadrinhos Linguística: comunicação: elementos/códigos;

Leia mais

HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i

HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i Rozenilda Maria de Castro Silva ii O trabalho que pretendemos socializar é o Projeto Pedagógico Historiando Guaribas, de alfabetização

Leia mais

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual RESENHA CRÍTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: PRÁTICAS DE ANÁLISE E PRODUÇÃO DE TEXTOS Valdisnei Martins de CAMPOS Letras - CAC/UFG; valdis_martins@hotmail.com Erislane Rodrigues RIBEIRO Letras - CAC/UFG;

Leia mais

DO OBJETIVO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

DO OBJETIVO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (currículo: 14002011 CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO currículo: 24002011 DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º. Este documento tem por

Leia mais

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica EDUCAÇÃO E PROFESSOR DIANTE DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Resumo Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Orientadora: Profª Ms. Eliane Brito de Lima- UEPB/PMCG eliabrito@ig.com.br

Leia mais

Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos.

Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos. Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos. Daiane Pacheco-USC pedagogia - daiaspacheco@gmail.com; Carla Viviana-USC pedagogia- vivianamaximino@hotmail.com; Kelly Rios-USC

Leia mais

O Cenário (on line) nos cursos a distância NEAD/UFMT 1 : Um estudo da linguagem cognitva

O Cenário (on line) nos cursos a distância NEAD/UFMT 1 : Um estudo da linguagem cognitva O Cenário (on line) nos cursos a distância NEAD/UFMT 1 : Um estudo da linguagem cognitva Lúcia Helena Vendrúsculo POSSARI² Rosemeire Pereira de OLIVEIRA³ Universidade Federal de Mato Grosso, Mato Grosso,

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013.

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013. 122 Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos LER, ESCREVER E REESCREVER NO ENSINO MÉDIO POR MEIO DOS CLÁSSICOS DA LITERATURA BRASILEIRA José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Escrita. Reescrita. Análise linguística. Celular.

PALAVRAS-CHAVE: Escrita. Reescrita. Análise linguística. Celular. A ESCRITA EM SUPORTES DIFERENTES: FOLHA DE PAPEL E CELULAR* Ednéia Aparecida Bernardineli BERNINI (PG-UEL) 1 RESUMO: Mesmo ouvindo-se um discurso de que os alunos não leem, nem escrevem, podemos observar

Leia mais

Internet e leitura crítica das mídias para surdos

Internet e leitura crítica das mídias para surdos 1 Internet e leitura crítica das mídias para surdos FARIA, Juliana Guimarães i FARIA, Nubia Guimarães ii OLIVEIRA, Fernanda Bonfim de iii ARAUJO, Jéssie Rezende iv MARTINS, Lira Matos v OLIVEIRA, Thainã

Leia mais