A Exposição de Objetos como meio de comunicação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Exposição de Objetos como meio de comunicação"

Transcrição

1 Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi A Exposição de Objetos como meio de comunicação Objetivo Analisar como se dá a influência da exposição dos objetos nos meios de comunicação. Tópicos 1. Exposição de objetos 2. Compreender as percepções de um produto 1. Exposições de objetos Um objeto, algo só do universo do designer, passa a ser dividido com o consumidor, pois sem ele nada acontece. E não é só o objeto de design, criado pelo designer, mas é a cultura deste designer agregada ao ambiente e às necessidades do consumidor que criam um novo universo no qual estão inseridos dois mundos que se completam e complementam. Hoje, vitrinas, lojas, espaços comercias, shoppings, etc. não são lugares onde nos dirigimos só para compras ou trabalho, são instalações de diversão. Por isso, não é só lançar um produto e vendê lo, é trazer para o consumidor uma experiência! A partir disso então podemos nos perguntar: Onde estão os limites e as similitudes entre vivência, experiência e prazer? Quando loja vale só por si? Ela existe só? Ou ela é um conjunto de objetos, visões, design e arquitetura, ligados a uma marca ou uma simbiose de tudo? Agora, a percepção é: Varejo versus instalação...varejo versus exposição...varejo versus evento. Quando tecnologia, cenografia e materiais criam efeitos especiais para cada produto, em que se adiciona a teatralização da compra, é que temos um universo novo, cujo ritual quer se expressar de maneira adequada às

2 necessidades do consumidor e no qual se insere o visual merchandising, que, por sua vez, faz uso do marketing sensorial. A tenção! ruídos, toques e temperaturas são esteticamente importantes O barulho do fechar um celular faz alguma diferença na escolha deste produto? O tocar da embalagem no qual seu presente está sendo embrulhado muda seu conceito de uma loja? O cheiro de uma etiqueta traz algo de inovador? A temperatura de um vaso lembra algo? O odor exagerado de uma loja de cosmética atrapalha sua compra? Para cada uma destas perguntas há uma resposta precisa. A indústria começa a refletir sobre todas estas questões e como o consumidor se comporta frente a tantas possibilidades. E é claro que para vender um produto cada uma dessas perguntas pode ser respondida. E tem mais: o foco de cada empresa está na qualidade do produto em si, rodeado de todos os efeitos colaterais de percepção que agem ainda com uma postura de seu marketing. 2. Compreender as percepções de um produto A batida de uma porta de carro que se fecha, o ronco de um motor, o crocante de um biscoito, a delicadeza de uma meia, a frieza de um vidro, toque de uma caneta são percepções/emoções a serem estudadas. Para cada sensação, existente pelo menos 200 termos que podem se adaptar à situação, por exemplo, uma caneta pode ser escorregadia, resistente, arredondada, pontuda, flexível, pesada além de suas qualidade específicas como escrever com linhas grossas ou finas, ásperas ou lisas e assim por diante. Vejam que existem inúmeras qualidades para especificar um produto, e é a busca na até a exaustão dessas qualidades que nos permite alcançar o ideal do que pode ser uma caneta. O mesmo para a sua apresentação, ou seja, a vitrina, para sua embalagem e para seu lançamento. É uma cadeia de palavras e sugestões que irão criar o universo de tal caneta. A importância da cor A cor é sempre uma qualidade de identificação. No entanto, acoplada à cor e à matéria, vem a função prática e a função estética do objeto que fará com que o consumidor queira tocá lo, envolvê lo, carregá lo, etc. Se na década de 70 todos queriam a cafeteira verde limão, o espremedor de laranja, laranja ou a torradeira vermelha, hoje a cor vem inserida à matéria, como produto inteiro em que forma e cor agem juntos. Não só nos objetos, mas também em tudo que usamos: o vermelho da Coca, o azul da Pepsi e do Omo, o amarelo da Hertz e da Zoomp ou vermelho da Avis e da Tam, as cores ácidas da Apple e assim por diante.

3 A cor carrega consigo a subjetividade do produto, o que leva a uma percepção particular para o consumidor que age conforme tal cor se relaciona para ele com tal produto. A sola preta de um tênis específico para andar dá a qualidade de força e resistência de um pneu e, assim, o consumidor acha que as qualidades e especificidades do produto se tornam inteligíveis. A forma A forma de um produto tem características cheias de simbologias como o oval dá a idéia de distinção e flexibilidade muito utilizado nos perfumes; o triângulo, harmonia, movimento e agressividade; o retângulo, elegância, estabilidade e dinamismo. Todos os elementos visuais do produto e do ambiente servem para qualificar objetos, revelar ambientes e incitar o consumidor a distrair se nos espaços comerciais. Isso implica em que o consumidor é o ponto de partida de qualquer ação do marketing, pois é sua ação subjetiva que vai fazê lo decidir por sua ação de compra. As compras futuras devem gerar o mesmo prazer ou diversão do que ir ao teatro, ao museu ou a uma partida de futebol. Tudo é show! Quais são as facetas deste consumidor versus lojista, que também consome que também quer ver o show? Atmosfera, glamour, clima, serviço este é o engajamento para criar ambientes ideais, não é mais o que se compra, mas o que se experimenta. Introduzir descontinuidades valorizantes no interior de um sistema contínuo surgem experimentos no capital cultural dos atores. Existe uma desconexão entre: gosto versus educação. Pois uma pessoa pode ser eclética ou gostar de música clássica e sanduíche do Mac Donald s, são diferenças culturais de universos diferentes que criam situações temáticas que abrem novas perspectivas do imaginário social. Quando restaurantes como Planet Hollywood (dos astros do cinema) ou lojas da Nike (com os jogadores de basquete) mostram que existe uma tematização no conceito da construção de conteúdos e estratégias de estetização daquele universo através de uma forte dimensão visual e que a tematização se agrega ao consumo, como os malls/ shoppings (artigo Fortune). Shoppings são corredores de lojas que progressivamente criam uma identidade própria, pontuando um tema imaginário no seu espaço de acordo com o gosto coletivo da região: o carro, a casa, o estilo de vida. As marcas comerciais exploram melhor esta fragmentação pública e esquecem um pouco a história do status social. Por sua vez, as marcas selecionam seu público: com grande poder aquisitivo, com exigência por formas e com poder de compra e que procura encontra um traço de identidade visual e de trabalho estético explícito. Tanto é que malls e shopping se dedicam exclusivamente ao seu público regional e sua estética. A estética, a tendência e o multicultural só encontrados em todos os objetos de consumo de panela a computador. Uma pesquisa formal, o traço de um designer, a originalidade, a diferença na cor, a criatividade, a não banalidade tudo justifica o seu consumo. Se todas as marcas aproveitarem esta fragmentação do gosto e a demanda de formas esteticamente satisfatórias como fazem as marcas de luxo, o sucesso

4 parece mais fácil. Claro que os valores estéticos só cresceram ou só encontraram o grande público porque saíram dos conceitos tradicionais, renovaram e provocaram a estética burguesa, desenvolvendo com temáticas coerentes para conquistar um público que buscava novas estéticas na efemeridade dos produtos. Prada com seu minimalismo, Dior com suas provocações, Louis Vuitton com sua elegância liberada, Dolce & Gabbana com sua sensualidade e Chanel com seu classicismo moderno. A lógica e o poder da estética na cultura de massa criam a primeira democratização da arte, como patrimônio liberado e como prática social ampla. Veja o enorme fluxo de pessoas que se dirigem a uma exposição sem a menor idéia do que irão ver, quem os chama? O marketing. Há uma banalização das obras de arte de um lado e de outro a possibilidade do acesso, porque não? Isso vem a ser não só um fenômeno de moda, mas reflete uma evolução profunda do sistema produtivo: a caça e a pesca são atividades de lazer de uma sociedade rural; a bricolagem é uma atividade de uma sociedade trabalhadora da indústria; a pintura em porcelana, a cerâmica, o artesanato de jóias são atividades de uma sociedade terceirizada e pós industrial e são atividades que visam cultivar o espírito, desenvolver o poder criativo que existe em toda e qualquer pessoa. Assim o culto do individualismo faz nascer o paradigma da estética: a cultura do indivíduo leva ao culto do pessoal, da busca do eu; a expressão do eu; a subjetividade do eu; na identificação e manipulação criativa no registro artístico. O paradigma estético é um meio privilegiado de liberar homens e mulheres ocidentais dos carmas do passado e de viver a sua própria vida como uma obra de arte ou um objeto de design, o que se torna aos poucos uma prática da cultura de massa. Até no campo espiritual há um reconciliamento da sensibilidade e da racionalidade, entre a valorização da subjetividade individual e o respeito à coletividade entre a ação instrumental e a contemplação sonhadora. Se a cultura pós moderna leva a incitação à prática artística e à sensibilidade estética, o registro visual e o desenvolvimento de uma cultura visual são fatores estimulantes à apreciação de formas significativas: TV, outdoors, fotos, revistas, filmes, propagandas, packaging, jogos de vídeo, Internet moldam nosso novo olhar. Para quem trabalha com a comunicação visual, é preciso ter consciência da dimensão expressiva, do conteúdo e da forma de todo enunciado. É com a semiótica e com os estudos de Greimas, Hjelmslev e Floch que pesquisaram exatamente o plano de expressão e os mecanismos da significação, que se pode afirmar a sofisticação dos dispositivos formais nos conteúdos finais, usufruindo destes estudos na análise de qualquer tipo de imagem. Com o crescimento do poder do paradigma estético chega se ao domínio dos significantes da cultura atual. O papel estratégico adquirido pela manipulação dos símbolos transforma a comunicação nos espaços atuais. A virtualização dos ambientes faz necessário criar formas conceituais dotadas de uma forte dimensão expressiva, nada mais é simplesmente uma coisa. A complexidade dos espaços sociais e a falta de visibilidade propõem uma chamada para sistemas de tradução, a procura de chaves para a leitura de um espaço social porque cada indivíduo tem que se construir, negociar, modificar sua imagem ou sua identidade em função de situações, das oportunidades e de seus próprios projetos e desejos. O papel das aparências, a difusão da forma moda, o culto do individual o parecer como nas práticas sociais fazem crescer o poder do paradigma da estética e podemos considerá las como nascente expressiva para a apresentação construção de

5 um sujeito individual e é isto que as marcas de luxo aproveitam, a razão de ser da estética tanto para os próprios indivíduos como para os outros. A imaginação nasce com a individualização devido a comunicação e as migrações. Portanto representação e distância se transformam em ações concretas tanto no indivíduo como no ambiente para criar um mundo possível e uma realidade social. Por isso a necessidade de temas, cenários, narrativas e de imaginação para criar esses mundos possíveis. Com isso a estetização dos objetos, dos corpos, da comunicação, dos ambientes permite a presença do imaginário em qualquer parte e para qualquer produto: um computador é um objeto que brilha, uma capa de revista é um quadro, um logo de uma marca é o símbolo de uma tribo e a entrada do metro é a entrada para um conto ou uma tragédia. Numa sociedade dominada pela abstração, a virtualização, a cultura de signos, a economia do simbólico, o paradigma estético e a expressão perfeita do ethos pósmoderno, pois libera a cultura de massa e com isso o consumo se torna a única coisa terrena, palpável. Para cada simulacro, há um consumo possível e esta é a lógica do consumo. 3. Saiba Mais Para saber mais sobre o assunto: w w w.vitrina.com.br w w w.vitrimagem.com 4. Bibliografia ALLERES, D. Luxo...estratégias marketing. São Paulo, ed FGV, SEMPRINI, A. L'objet comme procès et comme action. Paris, L'Hartmattan, A nalyser la communication. Paris, L'Hartmattan, KLEIN, N. No logo. Ed. Alfred Kopf, Toronto, 2000.

Fotos Projetos e Cia Clientes. A imagem. A imagem

Fotos Projetos e Cia Clientes. A imagem. A imagem A imagem A imagem 1 A imagem Mas o que leva a compra pela imagem? Necessidade do produto Compulsão mediante a um estímulo, que vai de encontro direto aos desejos. 1- Afetivos 2- Financeiros 3- Sociais

Leia mais

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de VITRINAS 1 INTRODUÇÃO Elegantes e essenciais, as vitrinas são elementos versáteis criados nas mais diversas versões e representam o ponto chave para apresentação do produto a ser vendido nos mais diferentes

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi

Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi Marketing Sensorial Objetivo Definir pelos sentidos e pelo mercado o que significa marketing sensorial Tópicos 1. I ntrodução 2. A plicação P rática 1. Introdução

Leia mais

Moda Online: Como compradores afluentes compram artigos de luxo

Moda Online: Como compradores afluentes compram artigos de luxo Moda Online: Como compradores afluentes compram artigos de luxo Um estudo sobre o papel do mundo digital no caminho de compra de brasileiros afluentes O que investigamos Como os compradores brasileiros

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO Iluminação de Lojas Destacar uma vitrine, a arquitetura da fachada, os produtos e a decoração dos espaços internos tornando as lojas atraentes aos olhos do público, já não é possível sem a elaboração de

Leia mais

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo 5 Conclusão Para melhor organizar a conclusão desse estudo, esse capítulo foi dividido em quatro partes. A primeira delas aborda as significações do vinho e como elas se relacionam com o aumento de consumo

Leia mais

DATA: 07/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CLIENTE PALESTRANTE: FREDERICO GORGULHO

DATA: 07/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CLIENTE PALESTRANTE: FREDERICO GORGULHO DATA: 07/05/2015 ARENA DO CONHECIMENTO TEMA: EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CLIENTE PALESTRANTE: FREDERICO GORGULHO Acompanhamento, Avaliação e Feedback A motivação é um dos pilares para o progresso pessoal

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL AS ATIVIDADES RÍTMICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Profª Doutora Daisy Barros Especialização em Ginástica Rítmica e Dança Ritmo é vida e está particularmente ligado à necessidade do mundo moderno. Cada indivíduo,

Leia mais

Temporada de Inverno

Temporada de Inverno Temporada de Inverno Campos do Jordão faz jus ao glamouroso título de Suíça Brasileira quando chega o inverno. Seu clima inigualável, mais frio que a média brasileira, sua arquitetura tardia baseada em

Leia mais

Você sabe o que a Eletromar faz?

Você sabe o que a Eletromar faz? Você sabe o que a Eletromar faz? Linha Bauhaus 2 Faz parte da sua Vida. Um detalhe de originalidade e tecnologia, um mini-quadro de arte contemporânea, inspirado na harmonia da natureza. Um conceito, uma

Leia mais

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso.

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso. RESUMO Email Marketing: Pós-Graduação em Arquitetura Contemporânea 1 Silvia Fernanda Santos de SENA 2 Thiago Jerohan Albuquerque da Cruz 3 Fernando Israel FONTANELLA 4 Universidade Católica de Pernambuco,

Leia mais

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais Técnicas Visuais Aplicadas Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 Clareza Organizações visuais unificadas.facilidade

Leia mais

Técnicas de Exposição de Produtos CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar O produto deve atrair, seduzir, mexer com os sentidos

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

O Guia Emocional das. Cores

O Guia Emocional das. Cores O Guia Emocional das Cores 84,7% dos consumidores acham que a cor é mais importante que muitos outros fatores ao escolher um produto. 1% decidem pelo som ou pelo cheiro 6% decidem pela textura 93% das

Leia mais

MANUAL DO ALUNO INTENSIVOS RETAIL DESIGN PARCERIA:

MANUAL DO ALUNO INTENSIVOS RETAIL DESIGN PARCERIA: MANUAL DO ALUNO INTENSIVOS RETAIL DESIGN PARCERIA: Conteúdo Multidisciplinar O mercado de Design de Interiores atravessa um período de transformação importante e novas oportunidades surgem para repensar

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1 1 1 INTRODUÇÃO AO DESIGN DE MODA Terminologias e conceitos da área. Contextualização e processo de moda. Mercado. Ciência e. 2 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO Leitura analítica e crítica. Gêneros textuais.

Leia mais

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto Módulo 6. O Produto Para os consumidores a existência de uma multiplicidade de produtos expostos no mercado, cheio de características e adicionais, é de encher os olhos. A livre concorrência possibilita

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

Curso de Web Design MÓDULO I. Programação Visual 13 ACTIVE BRASIL

Curso de Web Design MÓDULO I. Programação Visual 13 ACTIVE BRASIL MÓDULO I Programação Visual 13 ACTIVE BRASIL AULA 1 INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO VISUAL Objetivos: Na primeira aula de nosso curso, você entrará em contato com um novo mundo de curiosidades e criatividade,

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado

O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado Todo estabelecimento comercial deve chamar a atenção do consumidor e despertar nele o interesse

Leia mais

Atividades Extraclasse

Atividades Extraclasse Atividades Extraclasse No Marista Conceição, o estudante aprende e desenvolve habilidades dentro e fora da sala de aula, por meio de atividades esportivas, artísticas, culturais, científicas e de solidariedade.

Leia mais

Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO Este estudo mostra o desenvolvimento da criação

Leia mais

O que os olhos não veem, a lente registra

O que os olhos não veem, a lente registra O que os olhos não veem, a lente registra E.E. Profº Adelaide Maria de Barros Sala 5 sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Maria Aparecida Oliveira Brito Aline Loures Realização: Foco A Eletiva de Fotografia

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições Sementes para a Criatividade É uma acção de formação constituída por duas oficinas, uma de escrita criativa e outra de artes plásticas, em que se prevê: a criação de uma narrativa ilustrada que será submetida

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex REVISÃO GESTALT Viviane Aiex 1. Leitura Visual do Objeto pelas Leis da Gestalt 1) Unidades: que são os elementos que configuram a forma; 2) Segregação: que é o ato se separar, perceber ou identificar as

Leia mais

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro Universidade Federal do Rio de Janeiro O que é lazer? Quando atuamos no âmbito do lazer podemos destacar dois

Leia mais

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL JOÃO GOULART INTRODUÇÃO A arte apresenta uma forma de

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL DA PGR PROJETO PARA AQUISIÇÃO DE COLETORES PARA COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL DA PGR PROJETO PARA AQUISIÇÃO DE COLETORES PARA COLETA SELETIVA Programa de Gestão Ambiental da PGR PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL DA PGR PROJETO PARA AQUISIÇÃO DE COLETORES PARA COLETA SELETIVA Brasília, abril de 2007 Considerações Gerais Finalmente a questão ambiental

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Urbanismo CARREIRA EM ARQUITETURA E URBANISMO Os arquitetos recebem uma formação geral que lhes permite trabalhar em diversos campos: em projetos de construções, de

Leia mais

Objetivo Geral Desenvolver um mobiliário urbano para estacionar bicicletas com segurança e praticidade em vias públicas.

Objetivo Geral Desenvolver um mobiliário urbano para estacionar bicicletas com segurança e praticidade em vias públicas. Objetivo Geral Desenvolver um mobiliário urbano para estacionar bicicletas com segurança e praticidade em vias públicas. Objetivos Específicos Identificar necessidades e desejos do pública alvo. Levantar

Leia mais

Objetivo geral Lançar no mercado baiano de Arquitetura e Decoração um showroom que pretende reunir o que há de melhor em marcas e fornecedores.

Objetivo geral Lançar no mercado baiano de Arquitetura e Decoração um showroom que pretende reunir o que há de melhor em marcas e fornecedores. Apresentação O circuito da alta decoração e arquitetura da capital baiana está prestes a ganhar um novo e requintado espaço para mostras e exposições. A proposta do Empório FG, localizado na Praia do Buracão,

Leia mais

Raquel Almeida Correia, DIAD Público, 6 de Outubro de 2006 (excerto)

Raquel Almeida Correia, DIAD Público, 6 de Outubro de 2006 (excerto) De pequenino se enche o carrinho Raquel Almeida Correia, DIAD Público, 6 de Outubro de 2006 (excerto) As crianças aprendem cada vez mais cedo a reconhecer e a eleger as suas marcas favoritas. E as marcas

Leia mais

Dicas de decoração de residencial de alto padrão

Dicas de decoração de residencial de alto padrão Dicas de decoração de residencial de alto padrão Como decorar apartamentos amplos, de 130 e 157m 2, sem exagerar e aproveitar todos os espaços de maneira funcional? Brookfield Incorporações e Anastassiadis

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

Animação Efeito3D AtorVirtual

Animação Efeito3D AtorVirtual Cadbury Adams Nokia AESP AESP Amarula Speedo Animação Efeito3D AtorVirtual +55 11 3167-2533 Rua Jesuíno Arruda, 797-9º andar Itaim-Bibi A Empresa Somos um estúdio de animação focado em agências de marketing

Leia mais

1 Do lixo ao luxo que antes era descartado agora pode ir O parar no centro da sua sala. Designers do mundo todo se movimentam e criam produtos que além de elegantes, requintados e funcionais respeitam

Leia mais

BLACK MÚSICA ANIMADA. FADE IN: Close de imagens variadas dos produtos da Drama Queen Make Up, mostrando suas diferentes cores, formas e texturas.

BLACK MÚSICA ANIMADA. FADE IN: Close de imagens variadas dos produtos da Drama Queen Make Up, mostrando suas diferentes cores, formas e texturas. 1 Roteiro para Institucional CLIENTE: Drama Queen Make Up PEÇA: Introdução ao treinamento/5 TÍTULO: Você faz parte desse time! ROTEIRISTA: Simone Teider VIDEO BLACK FADE IN: Close de imagens variadas dos

Leia mais

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO Paulo Secches Officina Sophia Realização organização O QUE FUNCIONA E O QUE NÃO FUNCIONA NA COMUNICAÇÃO DE VAREJO Julho / 2012 TRÊS QUESTÕES-CHAVE A Comunicação

Leia mais

PAD II PROGRAMA DE APOIO AO DOCENTE MÓDULO 1 COMO ESTABELECER OBJETIVOS EDUCATIVOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PROF. CLAUDIO ZAKI DIB DOMÍNIO AFETIVO

PAD II PROGRAMA DE APOIO AO DOCENTE MÓDULO 1 COMO ESTABELECER OBJETIVOS EDUCATIVOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PROF. CLAUDIO ZAKI DIB DOMÍNIO AFETIVO DOMÍNIO AFETIVO 5.0 Caracterização por um valor ou um complexo de valor mais complexo 4.0 Organização 3.0 Valorização 2.0 Resposta 1.0 Recepção mais simples 1.0 - RECEPÇÃO Estar consciente de (ou prestar

Leia mais

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013 OBSERV ATÓRIO Outro dia, por mais uma vez, decidi que freqüentaria a uma academia. Como acabei de me mudar de casa, busquei no Google maps do meu celular por Academia e de imediato diversos pontinhos vermelhos

Leia mais

ÍNDICE. Introdução...3. Como escolher sapatos infantis?...4. Como escolher sapatos femininos?...5. Como escolher sapatos masculinos?...

ÍNDICE. Introdução...3. Como escolher sapatos infantis?...4. Como escolher sapatos femininos?...5. Como escolher sapatos masculinos?... 1 ÍNDICE Introdução...3 Como escolher sapatos infantis?...4 Como escolher sapatos femininos?...5 Como escolher sapatos masculinos?...8 Conclusão... 10 Sobre a Agittus... 11 Introdução A vida corrida que

Leia mais

Beats Pill. Conheça a Beats Pill

Beats Pill. Conheça a Beats Pill Beats Pill Conheça a Beats Pill Não seja escravo do seu aparelho de som Ambiente Externos e Viagens Negócios Lar Você pode levar a Pill nas próximas férias para poder amplificar suas músicas favoritas.

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Artes, Design e Moda

Universidade. Estácio de Sá. Artes, Design e Moda Universidade Estácio de Sá Artes, Design e Moda A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970,

Leia mais

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia:

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia: A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS NOSSO CURRÍCULO Adotamos uma pedagogia: - que faz da escola uma instância efetiva de assimilação crítica, sistemática e integradora do saber e da cultura geral; - que trata os

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2013 ( ) ENSINO ( ) PESQUISA ( X ) EXTENSÃO 1. Título: Pintura Mural Releituras Romero Brito Área temática: Inclusão Social 2. Responsável pelo Projeto: ( ) Discente ( X )

Leia mais

DuPont Corian Residencial CORIAN TRANSFORMA A SUA CASA EM UM AMBIENTE ELEGANTE E DE BEM-ESTAR.

DuPont Corian Residencial CORIAN TRANSFORMA A SUA CASA EM UM AMBIENTE ELEGANTE E DE BEM-ESTAR. DuPont Corian Residencial CORIAN TRANSFORMA A SUA CASA EM UM AMBIENTE ELEGANTE E DE BEM-ESTAR. Design, inovação, imaginação UM MATERIAL INIGUALÁVEL, INOVADOR E VERSÁTIL. HOMOGÊNEO, HIGIÊNICO E RESISTENTE,

Leia mais

consulta participativa de opinião

consulta participativa de opinião consulta participativa de opinião Interesses e perspectivas dos jovens da Brasilândia, Cachoeirinha e Freguesia do Ó CONSULTA PARTICIPATIVA DE OPINIÃO: INTERESSES E PERSPECTIVAS DOS JOVENS DA BRASILÂNDIA,

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 12º Encontro - 26/03/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - CÁLCULOS PARA LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS -

Leia mais

Apresentação para Representantes. www.puro3d.com.br

Apresentação para Representantes. www.puro3d.com.br Apresentação para Representantes www.puro3d.com.br Puro 3D - Resumo Somos focados em desenvolver Games, Vídeos, Sites, Maquete Virtual, Transmídia, Produtos, Protótipos 3D, Design e Comerciais para Empresas

Leia mais

Ricardo Mayer Palestras e Workshops

Ricardo Mayer Palestras e Workshops Ricardo Mayer Palestras e Workshops Tel: 55 8455 2022 E-mail: estudioricardomayer@gmail.com Site: estudioricardomayer.com.br Apresento esse conjunto atividades que foram formatadas ao longo dos últimos

Leia mais

GENTE EDUCADA, CIDADE BONITA. Modelo de Projeto para Leopoldina Minas Gerais. Projeto de Atividades. 1º Edição

GENTE EDUCADA, CIDADE BONITA. Modelo de Projeto para Leopoldina Minas Gerais. Projeto de Atividades. 1º Edição GENTE EDUCADA, CIDADE BONITA Projeto de Atividades 1º Edição Modelo de Projeto para Leopoldina Minas Gerais 1. INTRODUÇÃO A educação atualmente não pode se restringir apenas ao ambiente escolar, o estudante

Leia mais

A sociolo. Valquíria Padilha Departamento de Administração, Universidade de São Paulo

A sociolo. Valquíria Padilha Departamento de Administração, Universidade de São Paulo Templo de culto à mercadoria, o modelo do shopping center, como o conhecemos hoje, nasceu nos Estados Unidos na década de 1950. São espaços privados, objetivamente planejados para a supremacia da ação

Leia mais

CRIATIVIDADE no design de joias

CRIATIVIDADE no design de joias INOVAÇÃO & CRIATIVIDADE no design de joias Ida Elisabeth Benz designer de joias& pesquisadora sobre inovação e design no curso de doutorado em design PUC-Rio Inovação e criatividade Éfácil associar criatividade

Leia mais

OBSERV ATÓRIO. mcf*(penso) março/abril 2013

OBSERV ATÓRIO. mcf*(penso) março/abril 2013 OBSERV ATÓRIO Em um momento onde as marcas tentam explorar novas possibilidades para atrair a atenção de seus clientes, as plataformas digitais começam a ganhar força e a chamar atenção dos especialistas

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

O marketing olfativo no varejo!

O marketing olfativo no varejo! O marketing olfativo no varejo! Regina Devecchi Perfumista O Marketing Olfativo no varejo. Os departamentos de marketing das empresas buscam a cada dia novas maneiras de atrair seus clientes e torná-los

Leia mais

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto:

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto: PROJETO ANIMAIS 1. Tema: O mundo dos animais Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração: 01/06

Leia mais

O Cliente ao alcance do mouse!

O Cliente ao alcance do mouse! Capítulo 11 e-crc uma importante ferramenta de marketing A minha vivência, como consultor, pôs a descoberto duas das grandes dores de cabeça dos empresários a prospecção e comunicação com clientes. Todos,

Leia mais

RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES

RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES RIO 2016 & AS TRÊS GRAÇAS: AS MUITAS FACES EM UMA MESMA IMAGEM Maria da Glória Weissheimer Professora-Tutora Externa Marinilse Netto Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Curso Artes Visuais

Leia mais

COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES

COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES COMO O ADMINISTRADOR DE EMPRESAS FAMILIARES PODE CONSEGUIR A FIDELIZAÇÃO DE SEUS CLIENTES Adm. Sandra Regina da Luz Inácio, PhD E o que é NeuroEconomia? O objetivo é atingir nosso Cérebro, a maioria das

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE IMAGEM PESSOAL NO AMBIENTE DE TRABALHO. Amanda Medeiros Cecília Aragão

CONSTRUÇÃO DE IMAGEM PESSOAL NO AMBIENTE DE TRABALHO. Amanda Medeiros Cecília Aragão CONSTRUÇÃO DE IMAGEM PESSOAL NO AMBIENTE DE TRABALHO Amanda Medeiros Cecília Aragão Mais importante do que a roupa é a vida que se vive dentro da roupa. A gente é mais bonita quando está feliz. Quem se

Leia mais

Quantas vezes, entramos num restaurante, ou numa loja e dizemos: Ih! Não deve ser bom, está vazio!!!!

Quantas vezes, entramos num restaurante, ou numa loja e dizemos: Ih! Não deve ser bom, está vazio!!!! POLUIÇÃO VISUAL E PAISAGEM URBANA: QUEM LUCRA COM O CAOS? Heliana Comin Vargas(*) Camila Faccioni Mendes(**) Publicado no Portal do Estado de São Paulo. www.estadao.com.br/ext/eleicoes/artigos31/08/2000

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS Uma empresa que tem orgulho de iluminar! CATÁLOGO DE PRODUTOS 1 PROJETORES ESTAMPADOS - LANÇAMENTO A Tec & Luz está com novidades em sua linha de produtos. Conheça a nova linha de Projetores Estampados

Leia mais

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Donald Hugh de Barros Kerr Júnior 1 Como pensar em ensino de arte e contemporaneidade, sem perceber as transformações que

Leia mais

4 O Programa de Design Integrado do Ponto de Venda (PDV)

4 O Programa de Design Integrado do Ponto de Venda (PDV) 111 4 O Programa de Design Integrado do Ponto de Venda (PDV) Dentre os projetos de design que participam do programa do PDV de marcas de moda estão os projetos de: produto e moda, merchandising visual,

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

FASHION COLOR REPORT INVERNO 2O13

FASHION COLOR REPORT INVERNO 2O13 FASHION COLOR REPORT INVERNO 2O13 FASHION COLOR REPORT FALL 2013 - SEMANA DE MODA DE NEW YORK FEVEREIRO 7 14, 2O13 - pantone.com.br/fashion-color-report-fall-2013.html FASHION COLOR REPORT INVERNO 2O13

Leia mais

Barroco Local / Espaço, Versalhes

Barroco Local / Espaço, Versalhes Barroco Local / Espaço, Versalhes O local Os palcos: a corte, a igreja, a academia O palco no reinado de Luís XIV Os palcos : a Corte, a Igreja e a Academia. A morada do rei - A Corte - tornou-se por isso

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE OBJETIVOS GERAIS Conhecimento da Arte enquanto auto expressão e conhecimento, apreensão e comunicação

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

Dicas para seu Cartão de Visita

Dicas para seu Cartão de Visita O Cartão de Visita O cartão de visita é um pequeno cartão contendo os dados de contato de uma pessoa ou corporação. Para muitos, ele é a primeira ferramenta de marketing. Após um contato profissional,

Leia mais

Titulo Ver e olhar: dois pólos que instrumentalizam a construção da significação no design de moda

Titulo Ver e olhar: dois pólos que instrumentalizam a construção da significação no design de moda Titulo Ver e olhar: dois pólos que instrumentalizam a construção da significação no design de moda Autor Lourdes Maria Puls Introdução As imagens são utilizadas como meio de comunicação e expressão cultural

Leia mais

Pinacoteca do Estado de São Paulo: proposta de estudo publicitário para um museu de arte estatal 1

Pinacoteca do Estado de São Paulo: proposta de estudo publicitário para um museu de arte estatal 1 Pinacoteca do Estado de São Paulo: proposta de estudo publicitário para um museu de arte estatal 1 Ana Grazielle de Sá ALMEIDA 2 André da Rocha PINA 3 Diego Felipe Cezar ESTEVES 4 Rodrigo Barreto BEZERRA

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

PROJETO DE DESIGN GRÁFICO PARA O LANÇAMENTO DO CD DA BANDA COPACABANA CLUB 1

PROJETO DE DESIGN GRÁFICO PARA O LANÇAMENTO DO CD DA BANDA COPACABANA CLUB 1 PROJETO DE DESIGN GRÁFICO PARA O LANÇAMENTO DO CD DA BANDA COPACABANA CLUB 1 Isabelle IMAY 2 Isabelle HUNDSDORFER 3 Paulo Negri FILHO 4 Centro Universitário Internacional Uninter, Curitiba, PR RESUMO Trabalho

Leia mais

Desejos Ocultos 1. Natalia Araújo Sosa 2 Laura Elise de Oliveira Fabrício 3 Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, RS.

Desejos Ocultos 1. Natalia Araújo Sosa 2 Laura Elise de Oliveira Fabrício 3 Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, RS. Desejos Ocultos 1 Natalia Araújo Sosa 2 Laura Elise de Oliveira Fabrício 3 Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, RS. RESUMO A fotografia pertence ao mundo das imagens como representações visuais.

Leia mais

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES RELATÓRIO Oficina de fotografia e vídeo com celulares como ferramenta de inclusão visual através de tecnologias acessíveis, percepção do território, construção

Leia mais

CONTATOS: FASHION TEEN

CONTATOS: FASHION TEEN CONTATOS: FASHION TEEN End: QI 13 Bloco E Loja 08 Lago Sul Brasília DF Tel: + 55 61.3366.2277/ 61.8533.2515 E-mail: contato@fashionteen.com.br Web: www.fashionteen.com.br APRESENTAÇÃO CURSO FASHIONTEEN

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO 2015 Design de Interiores Contemporâneo

PÓS-GRADUAÇÃO 2015 Design de Interiores Contemporâneo Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Durafloor é um sistema completo de piso laminado de alta resistência, para uso interno, desenvolvido com a mais alta tecnologia e garantia Duratex.

Durafloor é um sistema completo de piso laminado de alta resistência, para uso interno, desenvolvido com a mais alta tecnologia e garantia Duratex. Durafloor é um sistema completo de piso laminado de alta resistência, para uso interno, desenvolvido com a mais alta tecnologia e garantia Duratex. Ideal para ambientes comerciais e residenciais. É rapidamente

Leia mais

Currículo Referência em Música Ensino Médio

Currículo Referência em Música Ensino Médio Currículo Referência em Música Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Projeto CAPAZ Banana Republic Posicionamento no Mercado

Projeto CAPAZ Banana Republic Posicionamento no Mercado 1 Introdução Ao assistir à aula você compreendeu o posicionamento da Banana Republic no mercado, a visão da marca e o público alvo no mercado internacional e brasileiro. Teve acesso a informações sobre

Leia mais

Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com.

Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com. Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com.br Design Novarejo... Olhares do mundo sobre a América Latina:

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014 Atividades Pedagógicas Agosto 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO IV A GRUPO IV B GRUPO IV C GRUPO IV

Leia mais

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática.

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática. O USO DO MATERIAL CONCRETO NO ENSINO DA MATEMÁTICA Francisca Marlene da Silva Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Déborah Almeida Cunha Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Aline Araújo da Silva Graduanda-FECLESC/UECE

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS. 1º Período 18 de Setembro a 17 de Dezembro [Aulas previstas: 89]

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS. 1º Período 18 de Setembro a 17 de Dezembro [Aulas previstas: 89] COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS PLANIFICAÇÃO 1º PERÍODO DESENHO A 10º ANO Domínio Perceção visual Expressão gráfica Comunicação visual Calendarização

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

instantânea. Karl Lagerfeld

instantânea. Karl Lagerfeld SPFW a semana instantânea. da moda Karl Lagerfeld Traduzindo para o português: veja agora e compre agora. Não mais coleções que demoram 3 meses para chegar as lojas desde o dia do desfile de lançamento.

Leia mais

Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já.

Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já. 1 Porque ter um site? Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já. Em um mundo globalizado, ter um site na internet não é mais um luxo para poucos, e sim uma regra geral para empresas

Leia mais

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto?

O que é esse produto? Qual é a marca do produto? Que quantidade de produto há na embalagem? Em que país foi feito o produto? RÓTULOS Rótulo é toda e qualquer informação referente a um produto que esteja transcrita em sua embalagem. O Rótulo acaba por ser uma forma de comunicação visual, podendo conter a marca do produto e informações

Leia mais