OITO PRINCÍPI P O I S

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OITO PRINCÍPI P O I S"

Transcrição

1 OITO PRINCÍPIOS

2 TEM COMO FUNÇÃO IDENTIFICAR, ATRAVÉS DOS DADOS OBTIDOS DO PACIENTE: A LOCALIZAÇÃO DA DESARMONIA A NATUREZA DA DESARMONIA AS CONDIÇÕES DOS FATORES PATOGÊNICOS E DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO ESTABELECE O PRINCÍPIO DE TRATAMENTO

3 OS OITO PRINCÍPIOS SÃO: EXTERIOR / INTERIOR CALOR / FRIO EXCESSO / DEFICIÊNCIA YANG / YIN

4 EXTERIOR INTERIOR REFERE-SE À LOCALIZAÇÃO DA DOENÇA E SUA SEVERIDADE

5 EXTERIOR REFERE-SE AO GRAU DE PROFUNDIDADE DA LOCALIZAÇÃO DA DOENÇA EXTERIOR REFERE-SE A: TECIDO SUBCUTÂNEA GLÂNDULAS SUDORÍPARAS MÚSCULOS ESQUELÉTICOS JING-LUO

6 INDICA NORMALMENTE, SINAIS E SINTOMAS DE INVASÃO DE FATORES PATOGÊNICOS CLIMÁTICOS NA SUPERFÍCIE DO CORPO GERALMENTE AS MANIFESTAÇÕES SÃO AGUDAS, DE COMEÇO REPENTINO E DURAÇÃO CURTA RESULTA EM OBSTRUÇÃO DO WEI QI IMPEDINDO SEU FUNCIONAMENTO NORMAL

7 DE MANEIRA GERAL, QUANDO OCORRE FEBRE E AVERSÃO AO FRIO SIMULTANEAMENTE, INDICAM UMA INVASÃO DE FPE QUANDO UMA CONDIÇÃO DE INTERIOR SE INICIA COM A INVASÃO DE FPE, O SINTOMA MAIS IMPORTANTE QUE MARCA A MUDANÇA DE EXTERIOR PARA A FASE DE INTERIOR É O DESAPARECIMENTO DA AVERSÃO AO FRIO E O INÍCIO DA AVERSÃO AO CALOR

8 CALOR EXTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: LEVE AVERSÃO AO VENTO FRIO DOR DE GARGANTA SEDE LEVE FEBRE E SUDORESE LÍNGUA: CORPO VERMELHO, FINA, COBERTURA SECA PULSO: RÁPIDO E SUPERFICIAL (FLUTUANTE) TRATAMENTO: REFRESCAR LIBERAR O EXTERIOR

9 FRIO EXTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: ACENTUADA AVERSÃO AO FRIO DOR DE CABEÇA DOR GENERALIZADA FEBRE BRANDA SEM SUDORESE LÍNGUA: FINA, REVESTIMENTO ÚMIDO PULSO: LENTO, DURO E SUPERFICIAL (FLUTUANTE) TRATAMENTO: AQUECER LIBERAR O EXTERIOR

10 EXCESSO EXTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: SEM SUOR DOR DE CABEÇA DOR NO CORPO LÍNGUA: NORMAL OU VERMELHA PULSO: DURO E SUPERFICIAL (FLUTUANTE) TRATAMENTO: LIBERAR O EXTERIOR

11 DEFICIÊNCIA EXTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: SUOR AO PEQUENO ESFORÇO AVERSÃO AO FRIO DISPNÉIA AO FAZER EXERCÍCIO APETITE POBRE PERDA DE FEZES LÍNGUA: PÁLIDA PULSO: LENTO E SUPERFICIAL (FLUTUANTE) TRATAMENTO: ESTIMULAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DO WEI QI

12 INTERIOR SINDROMES INTERNAS ESTÃO ASSOCIADAS A DISFUNÇÕES DE: QI XUE ZANG-FU OSSOS MEDULA

13 CAUSADOS POR: FPE QUE SE APROFUNDAM PARA O INTERIOR ATAQUES DIRETOS DE FPE AOS ZANG-FU DISFUNÇÕES DO ZANG-FU DEVIDO A DISFUNÇÕES DO ZANG-FU DEVIDO A FATORES INTERNOS

14 GERALMENTE : VISTAS EM ESTÁGIOS MÉDIOS OU TARDIOS DAS DOENÇAS FEBRIS ETIOLOGIAS COMPLICADAS CONDIÇÕES SEVERAS CONDIÇÕES DE CURSO LONGO FATORES EMOCIONAIS HÁBITOS DE VIDA ALIMENTAÇÃO, CANSAÇO

15 CALOR INTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: COMPLEIÇÃO VERMELHA OU ONDAS DE RUBOR FEBRIL AVERSÃO AO CALOR SEDE AGITAÇÃO PREFERÊNCIA POR BEBIDA À COMIDA MICÇÃO CURTA COM URINA ESCURA E CONCENTRADA SANGUE NAS FEZES OU DIARRÉIA COM MAU CHEIRO OU CONSTIPAÇÃO LÍNGUA: VERMELHA E COM COBERTURA AMARELA PULSO: RÁPIDO E PROFUNDO TRATAMENTO: LIMPAR O CALOR INTERNO (PURGAÇÃO)

16 FRIO INTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: COMPLEIÇÃO BRANCA E SOMBRIA AVERSÃO AO FRIO FRIAGEM NAS PERNAS SEM SEDE OU PREFERÊNCIA POR BEBIDAS MORNAS DOR ABDOMINAL QUE MELHORA COM AQUECIMENTO MICÇÃO LONGA OU URINA CLARA FEZES FINAS E CLARAS PERDA DE FEZES OU DIARRÉIA LÍNGUA: PÁLIDA OU BRANCA PULSO: PROFUNDO, LENTO E ESCONDIDO TRATAMENTO: AQUECER O INTERIOR

17 EXCESSO INTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: ABDOME CHEIO DISTENSÃO COM DESCONFORTO EXACERBADA PELA PRESSÃO CONSTIPAÇÃO LÍNGUA: FINA COM COBERTURA PEGAJOSA PULSO: PROFUNDO E CHEIO TRATAMENTO: ATACAR A CAUSA (FATOR PATÓGENO)

18 DEFICIÊNCIA INTERIOR PRINCIPAIS SINAIS: FALTA DE FORÇA E FADIGA RESPIRAÇÃO CURTA VOZ BAIXA PALPITAÇÃO DISTRAÇÃO MENTAL APETITE REDUZIDO FEZES FINAS LÍNGUA: REVESTIMENTO FINO OU AUSENTE PULSO: FINO, FRACO E PROFUNDO TRATAMENTO: SUPLEMENTAÇÃO DO QI

19 DIFERENÇA ENTRE SÍNDROMES INTERNAS E EXTERNAS SÍNDROMES EXTERNAS NORMALMENTE FORMADAS POR FPE PRESENÇA DE CALAFRIO COM AVERSÃO AO FRIO E AO VENTO SÃO DE IMPORTÂNCIA CRUCIAL SÍNDROMES INTERNAS, SE OCORRER FEBRE, NÃO VEM ACOMPANHADA DE CALAFRIO, NEM AVERSÃO AO FRIO E AO VENTO

20 FRIO CALOR INDICAM BASICAMENTE A NATUREZA DA DOENÇA

21 CALOR MANIFESTAÇÃO DA LESÃO PROVOCADA PELO: CALOR PERVERSO EXCESSO DE YANG DEFICIÊNCIA DE YIN HIPERATIVIDADE DAS FUNÇÕES VITAIS DO CORPO

22 CALOR CAUSADA FREQUENTEMENTE PELA LESÃO DO CALOR PERVERSO EXÓGENO POR EMOÇÕES RETIDAS QUE LEVAM À ESTAGNAÇÃO, CONVERTENDO-SE EM FOGO EXCESSO ALIMENTOS, CUJO ACÚMULO CONVERTE-SE EM CALOR DEFICIÊNCIA DE YIN E HIPERATIVIDADE DO YANG, DEVIDO AO EXCESSO DE ATOS SEXUAIS, QUE DESGASTA EXCESSIVAMENTE A ESSÊNCIA YIN

23 CALOR DEVIDO AO EXCESSO DE YANG, OBSERVA-SE CALOR NO CORPO E GOSTO PELO FRIO O FOGO (CALOR) LESA O YIN E CONSOME OS LÍQUIDOS ORGÂNICOS - SECURA FALTA DE LÍQUIDOS ORGÂNICOS MANIFESTA-SE O DESEJO DE TOMAR BEBIDAS FRIAS

24 CALOR CALOR PERTURBA MENTE E CORAÇÃO - AGITAÇÃO CALOR NOS INTESTINOS FALTA ÁGUA CONSTIPAÇÃO OU FEZES SECAS LÍNGUA VERMELHA COM SABURRA AMARELA SINTOMA DE CALOR SABURRA SECA CONSUMO DE LÍQUIDO ORGÂNICO PULSO RÁPIDO HIPERATIVIDADE YANG FAZ SANGUE CIRCULAR VELOZMENTE

25 CALOR POR EXCESSO (CHEIO) MANIFESTAÇÕES DE EXCESSO DE YANG PRINCIPAIS SINAIS: SEDE SENSAÇÃO DE CALOR INQUIETUDE MENTAL FACE VERMELHA FEZES RESSECADAS URINA ESCASSA E ESCURA LÍNGUA: VERMELHA COM REVESTIMENTO AMARELO PULSO: RÁPIDO, CHEIO COM AUMENTO REPENTINO E ESCORREGADIO

26 OUTRAS INDICAÇÕES DE CALOR: QUALQUER ERUPÇÃO VERMELHA DA PELE QUE ESTEJA QUENTE - URTICÁRIA QUALQUER SENSAÇÃO DE QUEIMAÇÃO CISTITE, ESTÔMAGO QUALQUER SANGRAMENTE EM GRANDE QUANTIDADE DE SANGUE VERMELHO ESCURO INDICA CALOR NO SANGUE QUALQUER CONDIÇÃO DE AGITAÇÃO OU COMPORTAMENTO MANÍACO

27 CALOR POR EXCESSO (CHEIO) CAUSAS: CONSUMO EXCESSIVO DE ALIMENTOS DE ENERGIA QUENTE (CARNE VERMELHA, TEMPEROS, ALCOOL) TENSÃO EMOCIONAL TENDE A CAUSAR ESTAGNAÇÃO DE QI O QI ESTAGNADO TENDE A ORIGINAR CALOR TRANSFORMAÇÃO DE UM FATOR PATOGÊNICO QUE PENETRA NO INTERIOR E TRANSFORMA-SE EM YANG OU CALOR FOGO OU OUTROS PATÓGENOS YANG TRATAMENTO CLAREAR O CALOR DRENAR FOGO

28 CALOR POR DEFICIÊNCIA (DEFICIÊNCIA DE YIN) SURGE DA DEFICIÊNCIA DE YIN SE A ENERGIA YIN ESTIVER DEFICIENTE POR LONGO PERÍODO, O YIN É CONSUMIDO E O YANG FICA RELATIVAMENTE EM EXCESSO PRINCIPAIS SINAIS: SENSAÇÃO DE CALOR À TARDE OU NOITE BOCA SECA, COM VONTADE DE BEBER EM PEQUENOS GOLES GARGANTA SECA À NOITE SUOR NOTURNO CALOR DAS CINCO PALMAS FEZES RESSECADAS URINA ESCASSA E ESCURA LÍNGUA: VERMELHA COM POUCA COBERTURA, E COM PONTA ENROLADA PARA BAIXO PULSO: RÁPIDO, VAZIO, FINO E FLUTUANTE

29 CALOR POR DEFICIÊNCIA CAUSAS: (DEFICIÊNCIA DE YIN) DEFICIÊNCIA DE YIN R BASE DE TODA ENERGIA YIN DO CORPO PODE AFETAR: YIN C INQUIETUDE MENTAL E INSÔNIA YIN F IRRITABILIDADE E CEFALÉIA YIN P RUBOR MALAR E TOSSE SECA EXCESSO DAS CINCO EMOÇÕES CONSUMO DE JIN YE E YIN ASSOCIADOS A DOENÇAS CRÔNICAS TRATAMENTO NUTRIR YIN CLAREAR CALOR

30 CALOR FALSO FALSO CALOR EXTERIOR FRIO INTERIOR FRIO PATÓGENO FORTE ESTAGNADO NO INTERIOR, REPELINDO YANG PARA O EXTERIOR PESSOA QUE APRESENTA CONDIÇÃO DE FRIO E É ATACADA POR CALOR EXTERIOR HÁ SINTOMAS DE INVASÃO EXTERIOR DE CALOR FEBRE COM AVERSÃO AO FRIO, DOR DE GARGANTA, SEDE PORÉM SINTOMAS DE FRIO INTERIOR PREFERÊNCIA POR LÍQUIDOS QUENTES OU MORNOS, URINA CLARA

31 FRIO MANIFESTAÇÃO DA LESÃO PROVOCADA PELO: FRIO PERVERSO DEFICIÊNCIA DE YANG EXCESSO DE YIN FRAQUEZA DAS ATIVIDADES VITAIS DO CORPO

32 FRIO CAUSADA FREQUENTEMENTE PELA INVASÃO DO FRIO PERVERSO EXÓGENO PELA LESÃO INTERNA OU POR UMA DOENÇA PROLONGADA, QUE CONSOME EM DEMASIA A ENERGIA YANG, LEVANDO À PLENITUDE INTERNA DE YIN PERVERSO ENERGIA YANG INSUFICIENTE OU LESADA PELO FRIO PERVERSO EXÓGENO, PODE NÃO CONSEGUIR AQUECER O CORPO OBSERVA-SE PORTANTO, TEMOR AO FRIO, GOSTO PELO CALOR, MEMBROS FRIOS E DEITA- SE ENCOLHIDO (DEVIDO AO EXCESSO INTERNO DE FRIO)

33 FRIO LÍQUIDOS ORGÂNICOS NÃO SÃO LESADOS POR ISSO NÃO SENTE SEDE URINA, ESCARRO, MUCO, SALIVA E OUTRAS SECREÇÕES FICAM CLARAS E FRIAS DEVIDO A DEFICIÊNCIA DE YANG QUE NÃO AQUECE OS LÍQUIDOS ORGÂNICOS SE O FRIO LESA BP, DEVIDO À DEFICIÊNCIA DE YANG DO BP, OCORRE DISFUNÇÃO DE TRANSFORMAR E TRANSPORTAR AS FEZES TORNAM-SE MOLES LÍNGUA PÁLIDA, COM SABURRA BRANCA E ÚMIDA, PELA DEFICIÊNCIA DE YANG E FRIO UMIDADE PULSO PROFUNDO, LENTO PELA DEFICIÊNCIA DE YANG, FICA SEM FORÇA SUFICIENTE PARA IMPULSIONAR A CIRCULAÇÃO DO SANGUE

34 FRIO POR EXCESSO (CONGESTÃO DO FRIO MANIFESTAÇÕES: MEMBROS FRIOS PATÓGENO) SENSAÇÃO DE FRIO AUSÊNCIA DE SEDE FACE PALIDA DOR ABDOMINAL AGRAVADA POR PRESSÃO VONTADE DE BEBER LÍQUIDOS MORNOS FEZES AMOLECIDAS URINA ABUNDANTE E CLARA LÍNGUA: COBERTURA BRANCA E PEGAJOSA PULSO: LENTO, ESCORREGADIO E EM ARAME

35 FRIO POR EXCESSO (CONGESTÃO DO FRIO PATÓGENO) O FRIO CONTRAI E OBSTRUI, COM FREQUÊNCIA, CAUSA DOR DOR ESPECIALMENTE EM ABDOME É MANIFESTAÇÃO FREQUENTE DE FRIO POR EXCESSO FRIO POR EXCESSO ORIGINA-SE DO EXCESSO DE YIN INVASÃO DE PATÓGENOS YIN, DE FRIO OU UMIDADE CAUSA: CONSUMO EXCESSIVO DE ALIMENTOS CRUS OU FRIOS, LEVANDO À ESTAGNAÇÃO E OBSTRUÇÃO, PRODUZINDO FRIO INTERIOR TRATAMENTO: AQUECER LIBERAR EXCESSO DE FRIO

36 FRIO POR DEFICIÊNCIA (DEBILIDADE DO YANG QI) ORIGINA-SE DA DEFICIÊNCIA DE YANG PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES: SENSAÇÃO DE FRIO MEMBROS FRIOS FACE PÁLIDA URINA ABUNDANTE, CLARA LÍNGUA PÁLIDA COM COBERTURA BRANCA E FINA PULSO PROFUNDO E LENTO

37 FRIO POR DEFICIÊNCIA (DEBILIDADE DO YANG QI) CAUSA: DEFICIÊNCIA DE YANG EXCESSO DE CANSAÇO TRABALHO FÍSICO EXCESSIVO, ATIVIDADE SEXUAL EXCESSIVA DOENÇA CRÔNICA, PREJUDICANDO YANG DIETA CONSUMO INADEQUADO DE ALIMENTOS QUENTES TRATAMENTO: AQUECER O YANG

38 FALSO FRIO (FALSO FRIO EXTERIOR, CALOR INTERIOR) OCORRE QUANDO UMA PESSOA APRESENTA CONDIÇÃO PRE-EXISTENTE DE CALOR INTERIOR, SENDO INVADIDO POR FRIO EXTERIOR OU CALOR PATÓGENO INTERIOR, RETENDO O YANG QUE NÃO CONSEGUE ALCANÇAR OS MEMBROS E A SUPERFÍCIE

39 FALSO FRIO (FALSO FRIO EXTERIOR, MANIFESTAÇÕES: CALOR INTERIOR) INTOLERÂNCIA AO FRIO MEMBROS FRIOS DIARRÉIA URINA ESCURA E ESCASSA GARGANTA SECA PREFERÊNCIA POR LÍQUIDOS FRIOS

40 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR A) RELAÇÃO ENTRE FRIO, CALOR E PROFUNDIDADE: FRIO OU CALOR EXTERNO FRIO OU CALOR INTERNO

41 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR B) TRANSFORMAÇÃO DO FRIO EM CALOR E VICE-VERSA: 1. PACIENTE AGREDIDO PELO FRIO PERVERSO EXÓGENO SINAIS DE SÍNDROME DE FRIO (FEBRE, TEMOR AO FRIO) COM A EVOLUÇÃO, FRIO PENETRA NO INTERIOR E CONVERTE-SE EM CALOR DESAPARECEM OS SINTOMAS DE FRIO APARECEM SINTOMAS DE CALOR (AGITAÇÃO, SEDE)

42 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR 2. PACIENTE COM FEBRE ALTA TRANSPIRA MUITO E VÔMITO EXCESSIVO PERDE YANG NO SUOR OU COM OS LÍQUIDOS ORGÂNICOS OBSERVA-SE EM SEGUIDA, SINAIS DE FRIO (MEMBROS FRIOS, ROSTO PÁLIDO)

43 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR EM GERAL: SINDROME DE FRIO CONVERTE-SE EM CALOR QUANDO O CORPO TEM RESISTÊNCIA SUFICIENTE E TEM HIPERATIVIDADE DE ENERGIA YANG SINDROME DE CALOR CONVERTE-SE EM FRIO QUANDO A RESISTÊNCIA NÃO PODE VENCER FATOR PATOGÊNICO, DESGASTA A ENERGIA YANG

44 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR C) COEXISTÊNCIA ENTRE FRIO E CALOR FRIO NO EXTERIOR E CALOR NO INTERIOR CALOR NO EXTERIOR E FRIO NO INTERIOR POR EX: DEF YANG BP E FOGO F OBSERVAM-SE SINTOMAS CONTRADITÓRIOS DE CALOR E FRIO: PODE SENTIR FRIO E TER FACE VERMELHA E SENTIR SEDE

45 OUTRAS CATEGORIAS DE ACORDO COM FRIO-CALOR FRIO NA PARTE SUPERIOR DO CORPO E CALOR NA INFERIOR OU VICE-VERSA POR EX: CALOR SUPERIOR IRRITABILIDADE, GOSTO AMARGO FRIO INFERIOR FEZES AMOLECIDAS, URINA PÁLIDA E PROFUSA

46 EXCESSO DEFICIÊNCIA REFERE-SE A PRESENÇA OU AUSÊNCIA DE FATORES PATOGÊNICOS E AS FORÇAS DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO

47 EXCESSO ESTE PADRÃO REFERE-SE: AOS EXCESSOS DOS FATORES PATOGÊNICOS QI CORRETO (ZHENG QI) E QI DEFENSIVO (WEI QI) NORMAIS QUANDO A RESISTÊNCIA DO CORPO ESTÁ EM CONDIÇÕES PERFEITAS, LEVA A UM CONFLITO INTENSO ENTRE O FATOR PATÓGENO E O WEI QI, PRODUZINDO OS SINAIS E SINTOMAS CLÍNICOS CARACTERÍSTICOS DESTA SÍNDROME

48 EXCESSO CLINICAMENTE ESTES SINAIS E SINTOMAS SÃO ENCONTRADOS EM ENFERMIDADES NO ESTÁGIO INICIAL OU MEDIANO, COM FATORES CLIMÁTICOS ASSOCIADOS À ESTAGNAÇÃO DE QI, XUE E ESTAGNAÇÃO DE ALIMENTOS

49 EXCESSO SINAIS E SINTOMAS CARACTERÍSTICOS DE EXCESSO: EXCITAÇÃO COMPLEIÇÃO AVERMELHADA TRANSPIRAÇÃO PROFUSA SEDE FEBRE FORTE DOR ABDOMINAL E DISTENSÃO QUE PIORA COM PRESSÃO URINA ESCURA E ESCASSA CONSTIPAÇÃO PULSO CHEIO, RÁPIDO E LARGO LÍNGUA VERMELHA COM COBERTURA AMARELA

50 EXCESSO DE QI EXCESSO DO QI DO FEI PRINCIPAIS SINAIS: TAQUIPNÉIA DIFICULDADE DE INALAÇÃO E EXALAÇÃO (COM SINAIS DE SOFRIMENTO RESPIRATÓRIO MOSTRANDO TENSÃO NA BOCA) BUSCA DE POSIÇÃO ORTOPNEICA COM DIFICULDADE PARA DEITAR LINGUA VERMELHA, COBERTURA PEGAJOSA PULSO ESCORREGADIO E TENSO TRATAMENTO: DRENAR O FEI

51 EXCESSO DE QI EXCESSO DO QI DO WEI PRINCIPAIS SINAIS: DISTENSÃO ABDOMINAL ACIDEZ ERUCTAÇÃO FÉTIDA REGURGITAÇÃO DE COMIDA ÁCIDA CONSTIPAÇÃO OU DIARRÉIA AQUOSA LÍNGUA COM COBERTURA GROSSA PULSO CHEIO E ESCORREGADIO TRATAMENTO: HARMONIZAR O WEI

52 EXCESSO DE XUE PRINCIPAIS SINAIS: DISTENSÃO ABDOMINAL MASSA BLOQUEIO MENSTRUAL LÍNGUA PÚRPURA-VERMELHA PULSO GRANDE E AGITADO TRATAMENTO: DISPERSAR ESTASE E CIRCULAR XUE DISSOLVER A DUREZA

53 EXCESSO DE CALOR INTERNO PRINCIPAIS SINAIS: SECREÇÃO PULMONAR PURULENTA FEBRE COM SEDE DISPNÉIA TOSSE DOR NO PEITO OBSTRUÇÃO PELO TANYIN LÍNGUA CORPO VERMELHO COM COBERTURA FINA E AMARELA PULSO ESCORREGADIO, FORTE E RÁPIDO TRATAMENTO: CLAREAR O CALOR DRENAR O FEI

54 EXCESSO DE FRIO INTERNO PRINCIPAIS SINAIS: ESPASMO INTESTINAL CONTRAÇÃO E/OU DOR ABDOMINAL GEMIDOS E GRUNHIDOS COMPLEIÇÃO CIANÓTICA COM FRIO NAS EXTREMIDADES LÍNGUA BRANCA COM COBERTURA FINA PULSO PROFUNDO, DURO E FORTE TRATAMENTO: AQUECER O CENTRO DISSIPAR O FRIO

55 DEFICIÊNCIA ESTE PADRÃO REFERE-SE: À DEFICÊNCIA DE ZHENG QI E NÃO AO EXCESSO DE FATORES PATÓGENOS O FATOR PATÓGENO É FRACO MAS A RESISTÊNCIA DO CORPO É MUITO MENOR CLINICAMENTE ENCONTRAMOS UM PACIENTE DE CONSTITUIÇÃO FRACA EM ESTÁGIO TARDIO DA ENFERMIDADE OCORRE TAMBÉM EM DOENÇAS CRÔNICAS

56 DEFICIÊNCIA SINAIS E SINTOMAS CARACTERÍSTICOS DE DEFICIÊNCIA: COMPLEIÇÃO PÁLIDA VOZ BAIXA E FRACA FRIO NAS EXTREMIDADES INTOLERÂNCIA AO FRIO SUDORESE ESPONTÂNEA ABDOME DOLORIDO E FLÁCIDO, QUE MELHORA COM PRESSÃO E CALOR DIARRÉIA URINA CLARA E PROFUSA PULSO FRACO E PROFUNDO LÍNGUA PÁLIDA COM COBERTURA BRANCA, FINA OU VERMELHA NA DEFICIÊNCIA DE YIN

57 DEFICIÊNCIA DE QI YANG COMPLEIÇÃO SOMBRIA E ESBRANQUIÇADA FRAQUEZA FADIGA DO ESPÍRITO SUOR ESPONTÂNEO FALTA DE ENERGIA NA VOZ VOZ BAIXA MÁ TRANFORMAÇÃO DA COMIDA INGERIDA LÍNGUA PÁLIDA E ALARGADA

58 DEFICIÊNCIA DE QI YANG DEFICIÊNCIA DE QI PRINCIPAIS SINAIS: RESPIRAÇÃO CURTA FALTA DE FORÇA LINGUA LEVEMENTE PÁLIDA E TRÊMULA PULSO VAZIO E PROFUNDO TRATAMENTO: ESTIMULAR O QI

59 DEFICIÊNCIA DE QI YANG DEFICIÊNCIA DE YANG PRINCIPAIS SINAIS: AVERSÃO AO FRIO MICÇÃO LONGA COM URINA CLARA DIARRÉIA COM COMIDA APARENTE LINGUA ÚMIDA E PÁLIDA PULSO LENTO E PROFUNDO TRATAMENTO: AQUECER O YANG

60 DEFICIÊNCIA DE XUE E YIN MOLEZA TONTEIRA INSÔNIA PALPITAÇÃO COBERTURA DA LÍNGUA FINA PULSO FINO

61 DEFICIÊNCIA DE XUE PRINCIPAIS SINAIS: COMPLEIÇÃO PÁLIDA E ESBRANQUIÇADA UNHAS ESBRANQUIÇADAS FORMIGAMENTO NAS EXTREMIDADES VISÃO TURVA MEMÓRIA DEBILITADA CABELO SECO INSÔNIA MENSTRUAÇÃO ESCASSA OU AMENORRÉIA LÍNGUA PÁLIDA E FINA PULSO FINO OU AGITADO, PROFUNDO TRATAMENTO: SUPLEMENTAR O XUE

62 DEFICIÊNCIA DE YIN PRINCIPAIS SINAIS: AUMENTO DO FLUXO DE FOGO GARGANTA E FARINGE SECAS SUOR NOTURNO EMISSÃO SEMINAL LÍNGUA VERMELHA PULSO FINO, RÁPIDO E FLUTUANTE TRATAMENTO: ENRIQUECER O YIN

63 YIN YANG EM SENTIDO GERAL, CONSISTE NO RESUMO DOS OUTROS SEIS

64 YIN E YANG SÃO UMA GENERALIZAÇÃO DOS OUTROS SEIS PRINCÍPIOS INTERIOR, DEFICIÊNCIA E FRIO SÃO DE NATUREZA YIN EXTERIOR, EXCESSO E CALOR SÃO DE NATUREZA YANG

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS Aplicação dos 8 princípios Aplicável em todos os casos, para doenças interiores e exteriores Divisão : Exterior-Interior Calor-Frio: Calor por

Leia mais

Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico

Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico I. INTRODUÇÃO Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico Para se fazer qualquer tratamento em M.T.C, que seja mais do que meramente sintomático, é preciso um diagnóstico correto da disfunção em curso. O diagnóstico

Leia mais

PADRÕES DO FÍGADO (GAN)

PADRÕES DO FÍGADO (GAN) PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A ESTAGNAÇÃO DE FÍGADO SE MANIFESTA PRINCIPALMENTE NESTA REGIÃO, EM AMBOS OS LADOS.

Leia mais

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO INTERROGATÓRIO ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR AS PERGUNTAS INICIALMENTE TOMANDO POR BASE OS 8 CRITÉRIOS, SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS, ZANG FU E ETIOPATOGENIA. DEIXAR QUE O PACIENTE JUSTIFIQUE

Leia mais

Interrogatório DOR. No CD Rom

Interrogatório DOR. No CD Rom Interrogatório No CD Rom - Um artigo complementar sobre a importância do Interrogatório na MTC. - Modelo de Ficha de Avalição de pacientes. Imprima Frente e Verso. ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc. Gastrite, Úlcera, Diarréia, Prisão de ventre (constipação) Cólica, Vermes. Anamnese: Tipo de dor ou desconforto:

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07 QUESTÃO 17 Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Há 3.000 anos, agulhas de bronze e a pedra bian eram usadas como

Leia mais

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG)

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) O Pulmão (FEI) 11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) 1 O Pulmão (FEI) QI Pulmão (FEI) tem a função de dirigir o QI e a Respiração. O QI do ar junta-se

Leia mais

Etiopatogenia e Fisiopatologia

Etiopatogenia e Fisiopatologia ETFP 1 Etiopatogenia e Fisiopatologia O corpo humano tem a capacidade de resistir a diversos fatores patógenos para manter o equilíbrio relativo entre o interior do corpo e o mundo exterior. Esta capacidade

Leia mais

Dor segundo a Medicina Chinesa

Dor segundo a Medicina Chinesa XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais Dor segundo a Medicina Chinesa Introdução Definição A IASP- International Association for the Study of Pain (Associação Internacional

Leia mais

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA FÓRMULAS MAGISTRAIS CHINESAS PADRÕES ENERGÉTICOS SP 05/07/09 1 Oito princípios: Exterior: Cefálico Cefaléia capacete, costalgia Pulso superficial Face inespecífica

Leia mais

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO)

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) OU FLUIDOS ORGÂNICOS JIN = ÚMIDO = ALGO LÍQUIDO YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) JIN - FLUIDOS YE - LÍQUIDOS PUROS, CLAROS, AQUOSOS, DILUÍDOS TURVOS,

Leia mais

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL A artrite reumatóide é uma doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada

Leia mais

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal [Digite texto] Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária Padrões de Desarmonia do Movimento Metal Prof a. Márcia Valéria Rizzo Scognamillo marciascognamillo@yahoo.com.br Junho de 2011 Geral I.

Leia mais

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Centro Brasileiro de Acupuntura Acupuntura Aplicada a Ginecologia e Obstetrícia Prof.: Marcelo Brum Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Aparelho Genital Feminino: Abrange: Útero; Ovários; Trompas

Leia mais

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança.

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Síndromes do Baço Deficiência do Qi do Baço S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Pulso- vazio. Língua pálida e flácida, marcas de dentes.

Leia mais

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado.

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado. Caso 1 Paciente com dor e limitação de movimento do pescoço o háh um dia. Acompanha cefaléia occipital, dores pelo corpo, tosse, secreção nasal clara e febre baixa sem transpiração. Língua nda. Pulso Flutuante

Leia mais

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao TRATAMENTO PARA MIOMA INSTITUTO Long Tao Mioma Uterino DEFINIÇÃO: É UM TUMOR BENIGNO QUE SURGE QUANDO UMA CÉLULA DO ÚTERO DA MULHER COMEÇA A SE MULTIPLICAR DE FORMA DESORDENADA. Definição na MTC: O mioma

Leia mais

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Revisão da neurofisiologia da dor, Revisão da fisiopatologia

Leia mais

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça,

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Om muni muni maha muni sakya muni soha Om tare tutare turê soha... 1 Pulsologia Chinesa os vinte e oito pulsos patológicos" Delvo Ferraz da Silva 2 Teorias de

Leia mais

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE É INSEPARÁVEL DO QI, JÁ QUE O QI PROPORCIONA VIDA AO XUE, SEM O QUAL ELE SERIA UM FLUIDO INERTE XUE DERIVA EM SUA MAIORIA DO

Leia mais

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA A base do diagnóstico da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), está na observação dos sinais e sintomas do paciente, uma vez que eles refletem a condição dos Sistemas

Leia mais

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga CENTRO DE PESQUISA E ESTUDO DA MEDICINA CHINESA DIREÇÃO: Prof. Dr. YSAO YAMAMURA 8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga A identificação dos padrões de acordo

Leia mais

Etiopatogenia na Medicina Chinesa

Etiopatogenia na Medicina Chinesa Etiopatogenia na Chinesa Prof. Eduardo Alexander Doutor em Saúde Coletiva - IMS/UERJ edu.alexander@gmail.com www.grandetriade.com.br Rio de Janeiro 2009 Quadro Resumo Racionalidades Médicas Racionalidades

Leia mais

Prof. Henrique Adam Pasquini

Prof. Henrique Adam Pasquini Segundo a MTO Prof. Henrique Adam Pasquini RSRSRSRSRSRS... Prof. Henrique Adam Pasquini 2 INSPEÇÃO DA LÍNGUA MTC A Língua é o broto do Coração. Embriologia A Língua e o coração se originam de um mesmo

Leia mais

Fernanda Bento dos Santos

Fernanda Bento dos Santos Fernanda Bento dos Santos Protetor do Coração:Invasões de fatores patogênicos exteriores Residência da Mente:Problemas mental-emocionais Centro do Tórax :doença do canal Três fatores principais que diferenciam

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais: Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc; Gastrite; Úlcera; Diarréia; Prisão de ventre (constipação / obstipação); Cólica (intestinal); Vermes.

Leia mais

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1 LOMBALGIA Segundo Bernard Auteroche instituto de acupuntura tradicional 1 instituto de acupuntura tradicional 2 Fisiologia Energética n A MTC, através da acupuntura, nos ensina que o corpo humano é recoberto

Leia mais

CIRCULAÇÃO-SEXO Meridiano do PERICÁRDIO (MP) ou Mestre do Coração (MC) Estação: Verão Horário: 19 às 21 h Elemento: Fogo Yin CARACTERÍTICAS GERAIS Também conhecido como Mestre do Coração (MC), possui 9

Leia mais

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo FADIGA, NEURASTENIA ou TRANSTORNOS SOMATOFORMES Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo Sinais e sintomas relatados por pacientes com fadiga

Leia mais

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA Instituto Bioethicus Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA A arte da palpação é de extrema importância dentro do exame semiológico da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa e a

Leia mais

Célia Regina Whitaker Carneiro 2012. crwcarneiro@terra.com.br

Célia Regina Whitaker Carneiro 2012. crwcarneiro@terra.com.br Célia Regina Whitaker Carneiro 2012 crwcarneiro@terra.com.br - TEORIA DO YIN/YANG - TEORIA DOS CINCO MOVIMENTOS - TEORIA DOS ZANG FU 6 pares de Canais de Energia Principais: 5 pares de Zang/Fu que compõem

Leia mais

Fatores Patogênicos Externos Os Fatores Climáticos

Fatores Patogênicos Externos Os Fatores Climáticos Os Fatores Climáticos: Vento, Frio, Calor, Umidade Secura, Fogo O Vento: O Vento como líder dos fatores climáticos. (Passagem da Medicina Magico Ritualística para a Medicina Clássica) Yi Jing Vento: O

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Ficha No.: Data: Nome: Data Nasc.: Naturalidade: Estado civil: Filhos: Endereço: Profissão: Fone(s): 1. Queixa Principal (QP): 2. História da Moléstia

Leia mais

Acupuntura e Pediatria Funcional Prof. Jean Luís de Souza Diretor do IPGU Presidente da FEDUC Presidente da SOBRAFISA Massagem Pediátrica Dinastia Sui Tang (581-907 DC) Dinastia Song (960-1644) é que a

Leia mais

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas?

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas? Questionário Este questionário consta de um conjunto de perguntas que servirão de base à elaboração de um estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um AVC, tipos de infecção

Leia mais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais Medicina Tradicional Chinesa Histórico Antes de 2000 a.c Origem

Leia mais

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA A Doença Diarréica Aguda (DDA) é reconhecida como importante causa de morbimortalidade no Brasil, mantendo relação direta com as: precárias condições de

Leia mais

Síndrome dos seis meridianos

Síndrome dos seis meridianos Síndrome dos seis meridianos CAMADAS 1ªTAE YANG (ID B) SUPERFICIAL 2ªCHAO YANG (VB TR) MÉDIO 3ªYANG MING (E IG) PROFUNDO 4ªTAE YIN (P BP) SUPERFICIAL 5ªCHAO YIN (C R) MÉDIO 6ªTSIUE YIN (F CS) PROFUNDO

Leia mais

6/3/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/3/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Homem, 52 anos. Fome e sede frequentes há 3 anos Micções frequentes e perda de peso. Refere preferência por comidas substanciosas e álcool. Glicemia em jejum 150 (Glicosuria+)

Leia mais

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO TIPO I AR YANG SUPREMO TAI YANG Características físicas: fronte larga, brilho intenso nos olhos, tórax bem desenvolvido (devido a hiperplasia do parênquima pulmonar), ombro largo, cintura proporcionalmente

Leia mais

NEOPRAZOL. (omeprazol)

NEOPRAZOL. (omeprazol) NEOPRAZOL (omeprazol) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Cápsula 20mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: NEOPRAZOL omeprazol APRESENTAÇÕES Cápsula 20mg Embalagens com 14 ou 28 cápsulas VIA

Leia mais

Dietoterapia. Dietoterapia. Dietoterapia 14/11/2014. Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Medicina Tradicional Chinesa

Dietoterapia. Dietoterapia. Dietoterapia 14/11/2014. Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Medicina Tradicional Chinesa Alimentação Natural para cães segunda MVTC Quais são as 5 bases da Medicina Tradicional Chinesa? Carolina C. T. Haddad ACUVET Congresso Paulista de Especialidades Outubro/ 2014 Medicina Tradicional Chinesa

Leia mais

OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO

OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO ATRAVÉS DOS SENTIDOS TEMOS A CAPACIDADE DE PERCEBER O AMBIENTE EXTERNO AO NOSSO ORGANISMO. ISSO É POSSÍVEL DEVIDO

Leia mais

A Vesícula Biliar (DAN)

A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) 44 pontos bilaterais Natureza YANG Elemento Madeira Acoplado ao Fígado (GAN) A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) é considerada uma víscera de comportamento particular,

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

omeprazol Biosintética Farmacêutica Ltda. cápsulas 20 mg

omeprazol Biosintética Farmacêutica Ltda. cápsulas 20 mg omeprazol Biosintética Farmacêutica Ltda. cápsulas 20 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO omeprazol Medicamento genérico Lei nº 9.787, de

Leia mais

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende Métodos Diagnósticos na MTC Prof. Thiago Resende Observações da Forma do Corpo Existem cinco diferentes maneiras de se classificar: Yin e Yang Cinco Elementos (Constitucional) Influências pré e pós natais

Leia mais

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA PRINCIPAIS SÍNDROMES Autor - Wanderley Rocha Casalecchi PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS: SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A

Leia mais

Olá, amigo! Nós somos os seus rins e gostaríamos que nos conhecesse melhor!

Olá, amigo! Nós somos os seus rins e gostaríamos que nos conhecesse melhor! Olá, amigo! Nós somos os seus rins e gostaríamos que nos conhecesse melhor! É essencial que aprenda a nos manter saudáveis, porque o funcionamento de todos os órgãos do seu corpo, depende de nós! Estamos

Leia mais

CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS. Métodos Diagnósticos. Center Fisio - IMES 1

CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS. Métodos Diagnósticos. Center Fisio - IMES 1 CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS Métodos Diagnósticos 1 Métodos Diagnósticos Muitos métodos diagnósticos já foram descritos e discutidos em capítulos anteriores, como exemplo

Leia mais

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Acupuntura na Osteoartrose Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Osteoartrose 1 Osteoartrose Outras denominações ; Artrose; Doença Articular Degenerativa; Artrite Degenerativa. 2 É a doença articular mais

Leia mais

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Embalagens contendo 10 cápsulas. USO ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula contém:

Leia mais

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE ANSIEDADE A ansiedade é uma reação ligada ao instinto de sobrevivência frente a situações e momentos de medo, perigo ou de tensão, que prepara a pessoa para o que poderá

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções.

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. Possuímos dois rins que têm cor vermelho-escura, forma de grão de feijão e medem cerca de 12 cm em uma pessoa adulta.localizam-se na parte posterior

Leia mais

www.medicinachinesaclassica.org

www.medicinachinesaclassica.org Ombralgias e Dorsalgias Leituras selecionadas no 黄 帝 内 经 - Huangdi Neijing Pesquisa de Ephraim Ferreira Medeiros Projeto www.medicinachinesaclassica.org Teoria Geral Su Wen Cap. 7 阴 阳 别 论 "A doença do

Leia mais

Principais propriedades físicas da água.

Principais propriedades físicas da água. BIOQUÍMICA CELULAR Principais propriedades físicas da água. Muitas substâncias se dissolvem na água e ela é comumente chamada "solvente universal". Por isso, a água na natureza e em uso raramente é pura,

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Quando ocorre uma Onda de Calor emitem-se Alertas: Amarelo ou Vermelho, com menos e mais gravidade, respectivamente. Devem adoptar-se cuidados

Leia mais

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA FECUNDAÇÃO: ovócito + espermatozóide multiplicação celular durante os primeiros dias o embrião tem forma arredondada (fase de mórula) por volta do 12 º dia, vai passando para uma

Leia mais

Dieta da Banana Mini-Curso. 1 Copyright 2009 http://dietasobcontrole.org - Todos os Direitos Reservados.

Dieta da Banana Mini-Curso. 1 Copyright 2009 http://dietasobcontrole.org - Todos os Direitos Reservados. 1 Como começar: Sem demora Sem gastos Sem perda de tempo Sumário 1. Só comendo bananas de manhã? 2. Este método de dieta considera o tempo de descanso do estômago e intestino. 3. Uma boa noite de sono

Leia mais

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA Teoria da Acupuntura ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA A Medicina Tradicional Chinesa tem obtido um desenvolvimento através do tempo, pelo menos a 3000 anos. A Acupuntura promove diversas funções, ela controla

Leia mais

Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas

Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas Histórico 2000 a.c- Medicina era praticada por mulheres da tribo do Norte Asiático- Xamãs Arqueologia fez a conexão das Feiticeiras com a Medicina 600 a.c.- Medicina

Leia mais

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca DOENÇAS RESPIRATÓRIAS Professora: Sabrina Cunha da Fonseca Os locais de trabalho têm oferecido, cada vez mais, ambientes poluídos por diversos elementos, gasosos e sólidos, presentes no ar como gases e

Leia mais

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS Center-AO Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa Universidade Federal de São Paulo Departamento de Ortopedia e Traumatologia Disciplina de Ortopedia Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura ATM CERVICALGIAS

Leia mais

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO "A saúde é o resultado não só de nossos atos como também de nossos pensamentos." (Mahatma Gandhi) SHIATSU TERAPIA Terapia

Leia mais

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck)

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck) Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos

Leia mais

Sobre o Processo de Morrer

Sobre o Processo de Morrer Sobre o Processo de Morrer Se você nunca viu alguém morrendo, poderá ter medo do que acontecerá, mas o momento de morte é normalmente sereno. Este folheto tem o objetivo de ajudá-lo. Encontre mais informações

Leia mais

Hipotireoidismo. O que é Tireóide?

Hipotireoidismo. O que é Tireóide? Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Hipotireoidismo O que é Tireóide? É uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo

Leia mais

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento,

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, fome e sede constantes, vontade de urinar diversas vezes,

Leia mais

OS BIOTIPOS DO AYURVEDA E SUA INFLUÊNCIA SOBRE O CARÁTER E A PERSONALIDADE

OS BIOTIPOS DO AYURVEDA E SUA INFLUÊNCIA SOBRE O CARÁTER E A PERSONALIDADE 1 OS BIOTIPOS DO AYURVEDA E SUA INFLUÊNCIA SOBRE O CARÁTER E A PERSONALIDADE Marcos Teixeira Elias RESUMO Este artigo apresenta de maneira sintética a compreensão do ayurveda acerca das diferenças constitucionais

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar algumas

Leia mais

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares A artrite reumatoide não é o único desafio na vida dos pacientes. Mas muitos problemas

Leia mais

INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C)

INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C) INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C) NOME: DATA: Faça um círculo na resposta de cada item que melhor descreva seu paciente nos últimos 7 dias. 1. Insônia Inicial: 0 Nunca

Leia mais

Termo de conscientização

Termo de conscientização Termo de conscientização A cirurgia de obesidade é uma cirurgia de grande porte e é realizada apenas por razões estritas em pacientes obesos mórbidos, com pouquíssimas exceções. Seu cirurgião reserva-se

Leia mais

CURSO: Cuidador de Idoso

CURSO: Cuidador de Idoso CURSO: Cuidador de Idoso Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente 2 1 3 Bem vindos 4ª aula 4 Mãos As mãos do cuidador são suas maiores, melhores e mais usadas ferramentas. Por isso devem estar SEMPRE

Leia mais

Folheto informativo: informação para o utilizador. Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina

Folheto informativo: informação para o utilizador. Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina Folheto informativo: informação para o utilizador Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento, pois contém informação importante

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 500 mg de policarabofila base. Embalagens com 30 comprimidos revestidos.

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 500 mg de policarabofila base. Embalagens com 30 comprimidos revestidos. MUVINOR policarbofila cálcica APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 500 mg de policarabofila base. Embalagens com 30 comprimidos revestidos. USO ORAL USO ADULTO (ACIMA DE 12 ANOS DE IDADE) COMPOSIÇÃO

Leia mais

Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico.

Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico. Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico. Título Original Stagnation, Depression, Constraint, and Stasis: Terminological Clarification Por Jason Blalack www.chinesemedicinedoc.com

Leia mais

É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se, sendo a força vital responsável pela

É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se, sendo a força vital responsável pela FARMACOTÉCNICA HOMEOPÁTICA AULA 4: SAÚDE E DOENÇA Professora Esp. Camila Barbosa de Carvalho FORÇA VITAL É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se,

Leia mais

LEPONEX clozapina ATENÇÃO

LEPONEX clozapina ATENÇÃO LEPONEX clozapina ATENÇÃO Leponex pode causar agranulocitose (diminuição do número das células de defesa do sangue). Seu uso deve ser limitado a pacientes: com esquizofrenia que sejam não responsivos ou

Leia mais

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR Referências Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais (Capítulos 26 e 29) Paulo Dalgalarrondo Manual

Leia mais

Aula 13: Distúrbios gastrointestinais

Aula 13: Distúrbios gastrointestinais Aula 13: Distúrbios gastrointestinais Distúrbios gastrointestinais Distúrbios gastrointestinais são aqueles que afetam todo o tubo gastrointestinal e órgãos anexos; Os mais frequentes são: azia, gastrite,

Leia mais