AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Ficha No.: Data: Nome: Data Nasc.: Naturalidade: Estado civil: Filhos: Endereço: Profissão: Fone(s): 1. Queixa Principal (QP): 2. História da Moléstia Atual (HMA):

2 3. Inspeção 3.1. Língua: ( ) Pálidaeseca(def. Xue) ( ) Comsaburra branca(friointerno) ( ) Pálidaeúmida(def. Yang Qi) ( ) Comsaburraamarela(calorinterno) ( ) Vermelha(calor,def. YinQi) ( ) Semsaburra(Insuficiênciade Qido E) ( ) Vermelhacomáreasavermelhadas(estagnaçãode Xue) ( ) Denteada(umidade,def. Qido BP) ( ) Ulceradaevermelha(ascensãodefogodoC) ( ) Inchada(umidadeemBP) ( ) Com fissuras (calor excessivo, def.yinqi dor) ( ) Púrpuraouviolácea(estasede Xue) Obs: 3.2. Compleição: Geral ( ) Yin ( ) Yang Aspectogeraldocorpo(forma,postura,locomoção,astenia): Cordapele ( ) Facebrilhante(normal) ( ) Faceesverdeadaouazulada(estagnaçãode Qi do F, dor grave) ( ) Faceopaca(def. Qi) ( ) Faceescurecida(def.deR) ( ) Facepálida(def. Qi e Xue,def. Qi doc,frio) ( ) Peleseca(def. Qi e meridianos) ( ) Faceamarelada(EeBP) ( ) Peleúmida(def. Yin Qii) ( ) Face avermelhada (ascensão do fogo do F, calor) Expressão do rosto:

3 3.2.5 Cabeçaecabelos: Olhos ( brilho, aspecto, coloração, movimentos, edema de pálpebras): Nariz (deformidades, secreções): Orelhas(coloração,brilho,aspectointerior): Lábios, dentes, gengiva, garganta (cor, umidade, forma, ulceração, morfologia): Pele (alterações da cor, textura, cicatrizes, alterações morfológicas): Obs: 4. Auscultação 4.1. Fala ( ) Falaalta (síndromedeexcesso,calor) ( ) Poucafala(síndromedef.iciência, Qi perverso frio ou lesão interna) ( ) Falabaixo(síndromededef.,frio) ( ) Semfala(friointerno,lesãointerna) ( ) Falaincoerente(debilidadedoC) ( ) Afoniasúbita(estasede Qi dop,obstrução de Qi do P) ( ) Falamuito(def.Yin doc) ( ) Rouquidão,afoniagradual(def. Yin Qi do P e R) ( ) Gagueira(obstruçãodoscolateraispor Qi perverso vento/fleugma) Obs: 4.2. Respiração ( ) Respiraçãofraca(def. Qi docep) ( ) Respiraçãoforçada(flegma, Qi perverso umidadeemp) ( ) Faltadear(def.Qi dop) ( ) Dispnéia(estase de Qido P) ( ) Suspiro(estasedo Qi do F) ( ) Tosse rouca (Qi perverso vento-friooufrio/flegmanop) ( ) Tosseseca(Qiperversosecura,def. Yin dop) ( ) Tosseclara(Qi perverso vento/calor ou flegma/calor no P) Obs: 5. Interrogatório 5.1. Transpiração ( )Suapouco(normal) ( ) Suorfrio(def.Yang Qi) ( )Nãosua(Qiperverso frio, def. Yang Qi,def. Xue) ( ) Suamuito(Qiperversovento/calor) ( ) Suornasmãosepés(debilidadedosR) ( )Suornacabeça(def. YinQi,calornoE) ( ) Suornoturno(def. Yin Qi, calorinterno)

4 Horário: Obs: 5.2. Sono ( ) Dormebem ( )Insônia ( )Muitosono ( )Pouco sono ( )Sonhos Obs: 5.3. Emoções ( ) Medo ( ) Preocupação/Pensamentoexcessivo ( ) Raiva/Irritabilidade ( ) Ansiedade ( )Tristeza ( )Alegria Obs: 5.4. Alimentação ( ) Come muito (calor no E) ( ) Comepouco(def. Qi do BP, calor/umidade em BP, retenção de alimentos no E) ( ) Semapetite(vaziode Qi em BP e E) ( ) Prefere alimentos quentes (síndrome de frio) ( ) Preferealimentosfrios(síndromedecalor) Obs: 5.5. Sabores ( )Salgado(def. Qi do R) ( ) Picante(def. Qi dop) ( ) Azedo/ácido(estagnaçãode Qido F) ( )Doce(def. Qi dobp) ( ) Amargo(def. Qi do C) Obs: 5.6. Sede ( ) Semsede(plenitudee Qiperverso frio/umidade em BP) ( ) Poucasede (def. Yang Qi,, estagnação em meridianos, acúmulo de frio no E) ( ) Muitasede(calorinterno) ( ) Preferênciapor águagelada(calorinterno) Obs: 5.7. Disfunções gastro-intestinais ( ) Hallitose (retenção de alimentos no E) ( ) Azia(Qi do E em ascensão) ( ) Náuseas (enjôos) (Qi perversocalor-umidade em E) ( ) Gastrite(Qiperverso calor em E) ( ) Constipação (Qi perversocaloremig)

5 ( ) Diarréia(Qi perverso calor ou frio/umidade) Obs: 5.8. Excreções ( ) Diarréiaseguidadealívio(def. Yang Qi do R ) ( ) Fezescommuco(Qiperverso umidade/frio no IG) ( ) Diarréia com alimentos não digeridos (def. QideBP) ( ) Fezessecas(calorinterno/def.Yin Qi) ( ) Fezesretidas(excessode YinQi do R) ( ) Fezes comsangue(qi perverso calor no IG) ( ) Fezesfinascomágua(Qiperversoumidade/frioemBPeE) ( ) Escura (Qi perversocaloremreb) ( ) Incontinência/solta(def.Qi dor,afundamentodo Qi do BP) ( ) Clara (Qi perversofrio) ( ) Com sangue/retenção(qiperverso calor/umidade em B) ( )Muita(def. YangQi dor, Qiperversocalor/umidadeemB) ( )Enuresenoturna (def.de Qi dor,disf.deb) ( ) Pouca(síndromedecalor) ( ) Noctúria(def. Yang Qi do R) Obs: 5.9. Menstruação ( ) Cicloprolongadoeescasso comcoloraçãoclara(def.de QieXue, Qi perversofrio) ( ) Menorragia/ciclodiminuídocommuitosangue e coloração escura (estagnação de sangue, calor no sangue, def. Qi de BP,hiperatividadedo YangQi dof) ( ) Metrorragia/Irregular(estagnaçãoe Qi perversocalor em Xue) ( ) Dismenorréia/cólicas(estagnaçãode Qi e Xue do F) ( ) Amenorréia(def. Qi + Xue, def.xue do F) ( ) Leucorréia comcorrimentobranco,eaquoso (def.de Yang Qi do BP e do R) ( ) Leucorréia espessa com cor amarela e odor desagradável (Qi perverso umidade-calor emta inferior) Obs: Órgão dos sentidos Olhosevisão ( ) Fraca (estagnação de Qido F,def.de Yin Qi na B e R) ( ) Turva (Qi perversovento,def. Xuedo F). ( ) Vermelhidão(fogo,ascensãodo Yang Qi do F) ( ) Secura(vaziode YinQi dof) ( ) Lacrimejamento (Qi perverso vento) OuvidoseAudição ( ) Zumbido(def. Yin Qina B e R, vento) ( ) Prurido(coceira)

6 ( ) Fraca(def. Yin Qi da B e R,) ( ) Surdez(def.sanguenoC,def,Yin Qi na B e R). ( ) Surdezsúbita(fogonoF) Narizeolfato ( ) Fraco(def. Yin Qi dosp, Qiperverso vento/frio) ( ) Anosmia(debilidadedeIG) ( ) Coriza/mucosidade (Qi perverso calor no P) ( ) Prurido(Qi perverso vento no P) ( ) Obstrução (Qi perverso vento no P) Tato ( ) Fraco(def. Qi do C) Boca e gosto ( ) Lábiosazulados(estasedeXue do C) ( ) Lábios pálidos (Qi perversofrio/umidadeembp) ( ) Lábiosbrancos(def.deYin Qi exue do C) ( ) Salivação(Qiperverso umidade em BP) ( ) Secura (Xie em P e Wei Qi) ( ) Garganta seca (subida do Fogo do F) ( ) Bocaamarga(Qi perverso calor/umidade em F e VB) ( ) Sangramentos(def.de Qi do BP) 6. Algias 6.1. Coluna ( )Cervical ( ) Torácica ( ) Lombar ( ) Cervicalcomirradiaçãoparamembrossuperiores Obs: 6.2. Algias periféricas em membros superiores e inferiores Dores musculares ( ) Tendinites(estagnaçãode Qi ( ) Dor migratória muscular (Qi perverso vento) ( ) Espasmoagudo,facada,pontada,inflamação (VaziodeYinQi, Qiperversocalor) ( ) Câimbras(def. Xue dof) ( ) Contraturas, queimação, contínua e profunda (Qi perversofrio,vaziode Yang Qi) Doresarticulares(Síndrome Bi) ( ) Bi errante: dor nas articulações das extremidades com limitação de movimento (Qi perverso vento) ( ) Bi fixa: dor localizada com dormência e sensação de peso (estagnação de Qi e Xue, Qi perverso frio/umidade) ( ) Bi dolorida : dor aliviada com calor agravada pelo frio (Qiperverso frio) ( ) Dores migratórias (Qi perverso vento, disfunção de VB)

7 ( ) Bi febril: com vermelhidão, inchaço e sensibilidade local (Qi perverso vento/frio/umidade se transformam em calor ) Localização de dor/ Observações: 6.3. Abdome ( ) Dores epigástricas (Qi perversofrionoe) ( ) Dornohipocôndriotipopontada(estasede Qi do F) Obs: 6.4. Tórax ( ) Dores (alterações patológicas do C e P) ( ) Opressão (Qi perverso frio e umidade no P) Obs: 6.5. Dores de cabeça ( ) Frontal(retençãodealimentosnoE) ( ) Temporal(hiperatividadede YangQi do F, calor/umidade de F e VB) ( ) Orbital(def. XuedoF) ( ) Occipital(distúrbiodeBeID) Obs: 7. Palpação 7.1. Pulsologia Direita(Yin) Esquerda(Yin) METAL - P FOGO C TERRA - BP MADEIRA - F FOGO - CS ÁGUA - R Direita(Yang) METAL IG TERRA - E FOGO - TA Esquerda(Yang) FOGO ID MADEIRA VB ÁGUA B

8 7.2. Pele (temperatura, umidade, edemas): 7.3. Temperatura de mãos e pés: 7.4.Abdome (umidade da pele, dores à palpação, grau de firmeza, edemas, massas abdominais: 7.5. Sensibilidade nos pontos e no trajeto dos meridianos: 8. Teste Neuromuscular Bioenergético (Constitucional, O-Ring Test, Cinesiologia Aplicada): 9.Cincoelementos 10.Diagnósticoenergético: 11. Tratamento:

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc. Gastrite, Úlcera, Diarréia, Prisão de ventre (constipação) Cólica, Vermes. Anamnese: Tipo de dor ou desconforto:

Leia mais

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança.

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Síndromes do Baço Deficiência do Qi do Baço S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Pulso- vazio. Língua pálida e flácida, marcas de dentes.

Leia mais

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS Aplicação dos 8 princípios Aplicável em todos os casos, para doenças interiores e exteriores Divisão : Exterior-Interior Calor-Frio: Calor por

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Centro Brasileiro de Acupuntura Acupuntura Aplicada a Ginecologia e Obstetrícia Prof.: Marcelo Brum Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Aparelho Genital Feminino: Abrange: Útero; Ovários; Trompas

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais: Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc; Gastrite; Úlcera; Diarréia; Prisão de ventre (constipação / obstipação); Cólica (intestinal); Vermes.

Leia mais

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal [Digite texto] Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária Padrões de Desarmonia do Movimento Metal Prof a. Márcia Valéria Rizzo Scognamillo marciascognamillo@yahoo.com.br Junho de 2011 Geral I.

Leia mais

ARTROSES ARTRITES OSTEO... HÉRNIA ARTRALGIAS...OSES...ITES ETC.

ARTROSES ARTRITES OSTEO... HÉRNIA ARTRALGIAS...OSES...ITES ETC. ORTOPEDIA & REUMATO MTC ARTROSES ARTRITES OSTEO... HÉRNIA ARTRALGIAS...OSES...ITES ETC. CAUSAS CLÍNICAS OCIDENTE CAUSAS CLÍNICAS ORIENTE 1. VENTO 2. FRIO 3. CALOR 4. UMIDADE 5. TRAUMA ORTOPEDIA & REUMATO

Leia mais

RYODORAKU. Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN

RYODORAKU. Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN RYODORAKU Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN SIGNIFICADO DO RYODORAKU Ryo significa boa, Do conduzir e Raku linha ou canal. Caminhos Permeáveis (Linha de boa eletrocondutividade). É um

Leia mais

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Revisão da neurofisiologia da dor, Revisão da fisiopatologia

Leia mais

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações Acupuntura Acupuntura e Traumatologia e Traumatologia É o estudo das patologias próprias do sistema esquelético, causadas principalmente por traumatismos utilizando a especialidade de acupuntura como recurso

Leia mais

OITO PRINCÍPI P O I S

OITO PRINCÍPI P O I S OITO PRINCÍPIOS TEM COMO FUNÇÃO IDENTIFICAR, ATRAVÉS DOS DADOS OBTIDOS DO PACIENTE: A LOCALIZAÇÃO DA DESARMONIA A NATUREZA DA DESARMONIA AS CONDIÇÕES DOS FATORES PATOGÊNICOS E DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO

Leia mais

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA A base do diagnóstico da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), está na observação dos sinais e sintomas do paciente, uma vez que eles refletem a condição dos Sistemas

Leia mais

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende Métodos Diagnósticos na MTC Prof. Thiago Resende Observações da Forma do Corpo Existem cinco diferentes maneiras de se classificar: Yin e Yang Cinco Elementos (Constitucional) Influências pré e pós natais

Leia mais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais Medicina Tradicional Chinesa Histórico Antes de 2000 a.c Origem

Leia mais

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA Instituto Bioethicus Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA A arte da palpação é de extrema importância dentro do exame semiológico da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa e a

Leia mais

Vasos Maravilhosos. Dr. Juliano C. Franceschi

Vasos Maravilhosos. Dr. Juliano C. Franceschi Vasos Maravilhosos Dr. Juliano C. Franceschi Vasos Maravilhosos Vaso Concepção (Ren( Mai) Yin Vaso Penetrador (Chong Mai) Vaso Yin de Conexão (Yin Wei Mai) Vaso Yin do Calcanhar (Yin Qiao Mai) Yang Vaso

Leia mais

Métodos de Diagnóstico na MTC. Profa.Alessandra Barone Briani Fernandes Prof. Archangelo Padreca Fernandes

Métodos de Diagnóstico na MTC. Profa.Alessandra Barone Briani Fernandes Prof. Archangelo Padreca Fernandes Métodos de Diagnóstico na MTC Profa.Alessandra Barone Briani Fernandes Prof. Archangelo Padreca Fernandes As formas de diagnóstico na MTC são baseadas na análise de condições externas que refletem as desarmonias

Leia mais

MÉTODO DE SELEÇÃO DE PONTOS MÉTODO LOCAL DISTANTE

MÉTODO DE SELEÇÃO DE PONTOS MÉTODO LOCAL DISTANTE MÉTODO DE SELEÇÃO DE PONTOS MÉTODO LOCAL DISTANTE Como selecionar pontos? Critérios para selecionar pontos Que critérios são esses? Lembrete Diagnóstico pronto antes!!! QP Diagnóstico Principio de tratamento

Leia mais

Dietoterapia. Dietoterapia. Dietoterapia 14/11/2014. Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Medicina Tradicional Chinesa

Dietoterapia. Dietoterapia. Dietoterapia 14/11/2014. Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Medicina Tradicional Chinesa Alimentação Natural para cães segunda MVTC Quais são as 5 bases da Medicina Tradicional Chinesa? Carolina C. T. Haddad ACUVET Congresso Paulista de Especialidades Outubro/ 2014 Medicina Tradicional Chinesa

Leia mais

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS Center-AO Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa Universidade Federal de São Paulo Departamento de Ortopedia e Traumatologia Disciplina de Ortopedia Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura ATM CERVICALGIAS

Leia mais

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO)

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) OU FLUIDOS ORGÂNICOS JIN = ÚMIDO = ALGO LÍQUIDO YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) JIN - FLUIDOS YE - LÍQUIDOS PUROS, CLAROS, AQUOSOS, DILUÍDOS TURVOS,

Leia mais

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Acupuntura na Osteoartrose Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Osteoartrose 1 Osteoartrose Outras denominações ; Artrose; Doença Articular Degenerativa; Artrite Degenerativa. 2 É a doença articular mais

Leia mais

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA FÓRMULAS MAGISTRAIS CHINESAS PADRÕES ENERGÉTICOS SP 05/07/09 1 Oito princípios: Exterior: Cefálico Cefaléia capacete, costalgia Pulso superficial Face inespecífica

Leia mais

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA PRINCIPAIS SÍNDROMES Autor - Wanderley Rocha Casalecchi PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS: SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A

Leia mais

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO "A saúde é o resultado não só de nossos atos como também de nossos pensamentos." (Mahatma Gandhi) SHIATSU TERAPIA Terapia

Leia mais

Título Resumido. Poço (Jing)

Título Resumido. Poço (Jing) Analgesia Tendinomuscular pelo Ponto Poço (Jing) Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Dr. Reginaldo de Carvalho

Leia mais

CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS. Métodos Diagnósticos. Center Fisio - IMES 1

CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS. Métodos Diagnósticos. Center Fisio - IMES 1 CENTER FISIO - IMES INSTITUTO MINEIRO DE ESTUDOS SISTÊMICOS Métodos Diagnósticos 1 Métodos Diagnósticos Muitos métodos diagnósticos já foram descritos e discutidos em capítulos anteriores, como exemplo

Leia mais

6/3/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/3/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Homem, 52 anos. Fome e sede frequentes há 3 anos Micções frequentes e perda de peso. Refere preferência por comidas substanciosas e álcool. Glicemia em jejum 150 (Glicosuria+)

Leia mais

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG)

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) O Pulmão (FEI) 11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) 1 O Pulmão (FEI) QI Pulmão (FEI) tem a função de dirigir o QI e a Respiração. O QI do ar junta-se

Leia mais

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao TRATAMENTO PARA MIOMA INSTITUTO Long Tao Mioma Uterino DEFINIÇÃO: É UM TUMOR BENIGNO QUE SURGE QUANDO UMA CÉLULA DO ÚTERO DA MULHER COMEÇA A SE MULTIPLICAR DE FORMA DESORDENADA. Definição na MTC: O mioma

Leia mais

Dor segundo a Medicina Chinesa

Dor segundo a Medicina Chinesa XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais Dor segundo a Medicina Chinesa Introdução Definição A IASP- International Association for the Study of Pain (Associação Internacional

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07 QUESTÃO 17 Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Há 3.000 anos, agulhas de bronze e a pedra bian eram usadas como

Leia mais

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA A doença não é uma Entidade mas uma condição flutuante do corpo do paciente, uma batalha entre a substância da doença e a tendência natural do corpo

Leia mais

Prof. Henrique Adam Pasquini

Prof. Henrique Adam Pasquini Segundo a MTO Prof. Henrique Adam Pasquini RSRSRSRSRSRS... Prof. Henrique Adam Pasquini 2 INSPEÇÃO DA LÍNGUA MTC A Língua é o broto do Coração. Embriologia A Língua e o coração se originam de um mesmo

Leia mais

XI Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientas EBRAMEC - CIEFATO

XI Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientas EBRAMEC - CIEFATO XI Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientas EBRAMEC - CIEFATO Material elaborado pela Direção e Coordenação da EBRAMEC Direção Geral: Reginaldo de Carvalho Silva Filho Coordenação

Leia mais

ENERGIAS. Prof. Msc. Jean Luís s de Souza

ENERGIAS. Prof. Msc. Jean Luís s de Souza ENERGIAS Prof. Msc. Jean Luís s de Souza IPGU- Unisaúde Bibliografia O aparecimento e o desenvolvimento de uma doença a será o reflexo da luta entre o correto (reto) e o o perverso (nocivo) Força a do

Leia mais

Fatores Patogênicos Externos Os Fatores Climáticos

Fatores Patogênicos Externos Os Fatores Climáticos Os Fatores Climáticos: Vento, Frio, Calor, Umidade Secura, Fogo O Vento: O Vento como líder dos fatores climáticos. (Passagem da Medicina Magico Ritualística para a Medicina Clássica) Yi Jing Vento: O

Leia mais

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO INTERROGATÓRIO ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR AS PERGUNTAS INICIALMENTE TOMANDO POR BASE OS 8 CRITÉRIOS, SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS, ZANG FU E ETIOPATOGENIA. DEIXAR QUE O PACIENTE JUSTIFIQUE

Leia mais

Interrogatório DOR. No CD Rom

Interrogatório DOR. No CD Rom Interrogatório No CD Rom - Um artigo complementar sobre a importância do Interrogatório na MTC. - Modelo de Ficha de Avalição de pacientes. Imprima Frente e Verso. ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR

Leia mais

Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico

Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico I. INTRODUÇÃO Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico Para se fazer qualquer tratamento em M.T.C, que seja mais do que meramente sintomático, é preciso um diagnóstico correto da disfunção em curso. O diagnóstico

Leia mais

Profa. M árcia a L uz

Profa. M árcia a L uz Profa. Márcia Luz MERIDIANO PRINCIPAL DO CORAÇÃO Elemento: Fogo - Imperial Horário: 11:00 às13 13:00 hs. Estação: Verão YIN TA ID CS C BP E O Meridiano do Coração se abre na língua e se espelha na face.

Leia mais

CIRCULAÇÃO-SEXO Meridiano do PERICÁRDIO (MP) ou Mestre do Coração (MC) Estação: Verão Horário: 19 às 21 h Elemento: Fogo Yin CARACTERÍTICAS GERAIS Também conhecido como Mestre do Coração (MC), possui 9

Leia mais

PADRÕES DO FÍGADO (GAN)

PADRÕES DO FÍGADO (GAN) PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A ESTAGNAÇÃO DE FÍGADO SE MANIFESTA PRINCIPALMENTE NESTA REGIÃO, EM AMBOS OS LADOS.

Leia mais

Etiopatogenia e Fisiopatologia

Etiopatogenia e Fisiopatologia ETFP 1 Etiopatogenia e Fisiopatologia O corpo humano tem a capacidade de resistir a diversos fatores patógenos para manter o equilíbrio relativo entre o interior do corpo e o mundo exterior. Esta capacidade

Leia mais

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas.

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Cartilha Doenças e Complicações de Verão Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Devido às condições climáticas, diversas são as doenças

Leia mais

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1 LOMBALGIA Segundo Bernard Auteroche instituto de acupuntura tradicional 1 instituto de acupuntura tradicional 2 Fisiologia Energética n A MTC, através da acupuntura, nos ensina que o corpo humano é recoberto

Leia mais

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO)

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) A TEORIA DE JING-LUO ESTUDA AS ALTERAÇÕES FISIOPATOLÓGICAS DOS CANAIS E COLATERAIS E A RELAÇÃO ENTRE ESTES E OS ÓRGÃOS INTERNOS DO CORPO JING-LUO É O NOME DADO AO CONJUNTO

Leia mais

DISTÚRBIOS URINÁRIOS DISTÚRBIOS URINÁRIOS

DISTÚRBIOS URINÁRIOS DISTÚRBIOS URINÁRIOS DISTÚRBIOS URINÁRIOS 1 Calor: Fígado Coração (ID) Tr.Aquecedor Deficiência Yin Rins Estagnação Estagnação Qi Fígado Deficiência T.Aq. Deficiência Yang Rins/ Baço Estagnação Umidade Bexiga Distúrbios Urinários

Leia mais

Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Carolina C. T. Haddad ACUVET Congresso Paulista de Especialidades Outubro/ 2014

Alimentação Natural para cães segunda MVTC. Carolina C. T. Haddad ACUVET Congresso Paulista de Especialidades Outubro/ 2014 Alimentação Natural para cães segunda MVTC Carolina C. T. Haddad ACUVET Congresso Paulista de Especialidades Outubro/ 2014 Quais são as 5 bases da Medicina Tradicional Chinesa? Medicina Tradicional Chinesa

Leia mais

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado.

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado. Caso 1 Paciente com dor e limitação de movimento do pescoço o háh um dia. Acompanha cefaléia occipital, dores pelo corpo, tosse, secreção nasal clara e febre baixa sem transpiração. Língua nda. Pulso Flutuante

Leia mais

A Vesícula Biliar (DAN)

A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) 44 pontos bilaterais Natureza YANG Elemento Madeira Acoplado ao Fígado (GAN) A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) é considerada uma víscera de comportamento particular,

Leia mais

MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2

MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2 MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO P1 NA PARTE SUPERIOR LATERAL DA PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2 P2 P3 NA PARTE SUPERIOR LATERAL DA PAREDE TORÁCICA ANTERIOR, ACIMA DA

Leia mais

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO TIPO I AR YANG SUPREMO TAI YANG Características físicas: fronte larga, brilho intenso nos olhos, tórax bem desenvolvido (devido a hiperplasia do parênquima pulmonar), ombro largo, cintura proporcionalmente

Leia mais

ANAMNESE ACUPUNTURA. OLHOS: ü Com brilho: Mente e Jing saudáveis ü Sem brilho: Mente afetada e Jing debilitado

ANAMNESE ACUPUNTURA. OLHOS: ü Com brilho: Mente e Jing saudáveis ü Sem brilho: Mente afetada e Jing debilitado ANAMNESE ACUPUNTURA FACE: ü Clara e úmida: Qi do Estômago intacto (independe da cor) ü Opaca e seca: Qi do Estômago exaurido (independe da cor) ü Cor verde: Padrão de Fígado; Vento Interior; Vento exterior;

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIABETES MELLITUS CORAÇÃO: Doença arterial coronariana e risco de infarto do miocárdio RINS: Nefropatia CÉREBRO: Acidente vascular cerebral

Leia mais

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães O Tui Na como método terapêutico e de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães Shiatsu Técnica japonesa; An Fa; Trabalha em uma

Leia mais

Canais Distintos Dr. Iriê Tadashi. Prof. Roberto Lalli www.tecnicasjaponesa.blogspot.com rlterapeuta@gmail.com

Canais Distintos Dr. Iriê Tadashi. Prof. Roberto Lalli www.tecnicasjaponesa.blogspot.com rlterapeuta@gmail.com Canais Distintos Dr. Iriê Tadashi Prof. Roberto Lalli www.tecnicasjaponesa.blogspot.com rlterapeuta@gmail.com Canais Distintos Tecnica superficial De 2mm a 5mm de inserção Agulhas mais finas 0,20 X 30mm

Leia mais

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo Acupuntura do Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho Silva Filho Introdução Apresentação

Leia mais

TRATAMENTO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA POR ACUPUNTURA

TRATAMENTO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA POR ACUPUNTURA IVANI PERIN BRANCO TRATAMENTO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA POR ACUPUNTURA Trabalho de Conclusão apresentada ao Curso de Especialização em Acupuntura do CIEPH Centro Integrado de Estudos e Pesquisas

Leia mais

Síndrome dos seis meridianos

Síndrome dos seis meridianos Síndrome dos seis meridianos CAMADAS 1ªTAE YANG (ID B) SUPERFICIAL 2ªCHAO YANG (VB TR) MÉDIO 3ªYANG MING (E IG) PROFUNDO 4ªTAE YIN (P BP) SUPERFICIAL 5ªCHAO YIN (C R) MÉDIO 6ªTSIUE YIN (F CS) PROFUNDO

Leia mais

Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC. Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012

Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC. Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012 Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012 Sistema Vestibular Introdução Função: transmitir a informação do ouvido interno até o cérebro

Leia mais

Profª Ms. Jean Luis de Souza. Acupuntura Em ortopedia

Profª Ms. Jean Luis de Souza. Acupuntura Em ortopedia Profª Ms. Jean Luis de Souza Acupuntura Em ortopedia ACUPUNTURA EM ORTOPEDIA DORES CRÔNICAS NECESSIDADES DE MAIORES DOSES DE MEDICAMENTO. SOMADOS AOS EFEITOS COLATEAIS. CONFIANÇA CONTATO PESSOAL MÃO DE

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CORPO ENERGÉTICO 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL INTRODUÇÃO: O corpo energético humano, às vezes chamado de corpo etéreo permeia e cerca o corpo físico sólido. É a soma dos campos de

Leia mais

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL A artrite reumatóide é uma doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada

Leia mais

Medicina Tradicional Chinesa

Medicina Tradicional Chinesa Medicina Tradicional Chinesa Os Chineses acreditam que a vida e a saúde estão relacionadas diretamente ao fluxo de energia pelo corpo: "CHI". A doença se manifesta quando a energia é bloqueada. A MTC se

Leia mais

OS CINCO ELEMENTOS Os cinco elementos, madeira, fogo, terra, metal e água abarcam todos os fenômenos da natureza. Trata-se de um simbolismo que se aplica também ao homem. Nei Jing. Os chineses dividiram

Leia mais

DEFICIÊNCIA DO QI DO SHEN (RIM)

DEFICIÊNCIA DO QI DO SHEN (RIM) LOMBO-CIATALGIA Causas na Medicina Ocidental: Processo inflamatório local radicular, traumatismos, processos degenerativos, compressão, tumores, tensão ligamentar, osteoartrites (osteófitos), herniação

Leia mais

pontos dos meridianos REM MAI e CHONG MAI, além de outros. Assinale o Zang Fu (Órgãos e Vísceras) mais estimulado neste caso: Questão : 1

pontos dos meridianos REM MAI e CHONG MAI, além de outros. Assinale o Zang Fu (Órgãos e Vísceras) mais estimulado neste caso: Questão : 1 Questão : 1 Paciente de 75 anos procurou a acupuntura em função de um diagnóstico confirmado de Câncer de Pulmão. Queixa-se de dor intercostal intensa, mesmo apesar do uso de morfinomiméticos e profundo

Leia mais

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas?

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas? Questionário Este questionário consta de um conjunto de perguntas que servirão de base à elaboração de um estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um AVC, tipos de infecção

Leia mais

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares.

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Dengue Dengue Agente Infectante Arbovirus Vetor / Transmissão Picada do mosquito Aedes Aegypti Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Profilaxia

Leia mais

RETIFICAÇÕES DIVERSAS

RETIFICAÇÕES DIVERSAS Circular 340/2014 São Paulo, 10 de Junho de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) RETIFICAÇÕES DIVERSAS Diário Oficial da União Nº 109, Seção 1, terça-feira, 10 de junho de 2014 Prezados Senhores, Segue para

Leia mais

Deficiência de Vit. B1, B2 e B3, alimentos ricos nestes nutrientes

Deficiência de Vit. B1, B2 e B3, alimentos ricos nestes nutrientes Deficiência de Vit. B1, B2 e B3, alimentos ricos nestes nutrientes 13/06/2005 José de Felippe Junior Vamos mostrar os sinais e sintomas das deficiências das principais vitaminas e sais minerais. Estes

Leia mais

Diagnóstico da dor segundo a Medicina Tradicional Chinesa

Diagnóstico da dor segundo a Medicina Tradicional Chinesa Diagnóstico da dor segundo a Medicina Tradicional Chinesa Na Medicina Tradicional Chinesa a dor é compreendida como conseqüência da interrupção de processos biológicos. A normalidade desses processos depende

Leia mais

SHIATSUTERAPIA APLICADA ÀS ENFERMIDADES. As alterações dos Meridianos Energéticos originam-se de 4 fatores:

SHIATSUTERAPIA APLICADA ÀS ENFERMIDADES. As alterações dos Meridianos Energéticos originam-se de 4 fatores: SHIATSUTERAPIA APLICADA ÀS ENFERMIDADES A Shiatsuterapia atua com eficiência em relação às Desarmonias Energéticas que comprometem a homeostase orgânica. É importante tratar o Todo. Em uma doença podem

Leia mais

PADRÕES DE DESARMONIA DO PI

PADRÕES DE DESARMONIA DO PI PADRÕES DE DESARMONIA DO PI DEFICIÊNCIA DE QI DO PI ETIOLOGIA DIETA IRREGULAR DOENÇAS DE LONGA DURAÇÃO SINAIS E SINTOMAS PERDA DE APETITE DISTENÇÃO ABDOMINAL PÓS- PRANDRIAL PERDA DE FEZES FACE OPACA FADIGA

Leia mais

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE É INSEPARÁVEL DO QI, JÁ QUE O QI PROPORCIONA VIDA AO XUE, SEM O QUAL ELE SERIA UM FLUIDO INERTE XUE DERIVA EM SUA MAIORIA DO

Leia mais

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga CENTRO DE PESQUISA E ESTUDO DA MEDICINA CHINESA DIREÇÃO: Prof. Dr. YSAO YAMAMURA 8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga A identificação dos padrões de acordo

Leia mais

巴 西 中 医 学 院 bāxī zhōngyī xuéyuàn

巴 西 中 医 学 院 bāxī zhōngyī xuéyuàn CRONOBIOLOGIA CHINESA Luci Aquemi Hayashi Machado Luci.hayashi@onda.com.br Nei Su Wen (Questões Simples) os ritmos impostos pelas horas, dias, meses, anos, influenciam todos os seres vivos, inclusive os

Leia mais

PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU)

PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU) 1 PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU) PONTOS DE ACÚMULO (XI) PONTOS DE REUNIÃO (HUI) 1- PONTOS FONTE (YUAN)

Leia mais

Meridiano do Estômago Wei (Yang Ming) Localização e Indicação dos acupontos Meridiano do Estômago. Meridiano do Estômago

Meridiano do Estômago Wei (Yang Ming) Localização e Indicação dos acupontos Meridiano do Estômago. Meridiano do Estômago Localização e Indicação dos acupontos Meridiano do Estômago Mariana Aya Hashizume Qualittas nov/2011 Meridiano do Estômago Wei (Yang Ming)! Inicia-se no ponto E1 próximo ao olho, dirigindo-se aos lábios,

Leia mais

OMENAX. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg

OMENAX. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg OMENAX Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg tratar dispepsia, condição que causa acidez, azia, arrotos ou indigestão. Pode ser usado também para evitar sangramento do trato gastrintestinal

Leia mais

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA FECUNDAÇÃO: ovócito + espermatozóide multiplicação celular durante os primeiros dias o embrião tem forma arredondada (fase de mórula) por volta do 12 º dia, vai passando para uma

Leia mais

CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS. Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista

CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS. Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista Cinco Elementos e as Emoções Elemento Madeira Estação do Ano: Primavera Propriedade:

Leia mais

SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS QI, XUE E JIN YE

SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS QI, XUE E JIN YE SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS QI, XUE E JIN YE Elaborado por Denise Darin MEDICINA OCIDENTAL X MEDICINA ORIENTAL A Medicina Ocidental está baseada na estrutura. * A Medicina Oriental (Medicina Tradicional Chinesa)

Leia mais

AULA DE 5 ELEMENTOS, MANOBRAS E MERIDIANOS CURSO DE TERAPIAS CORPORAIS

AULA DE 5 ELEMENTOS, MANOBRAS E MERIDIANOS CURSO DE TERAPIAS CORPORAIS AULA DE 5 ELEMENTOS, MANOBRAS E MERIDIANOS CURSO DE TERAPIAS CORPORAIS YIN ~ YANG YANG EXTROVERSÃO INQUIETAÇÃO VOZ ALTA, FALANTE INSÔNIA AÇÃO YIN INTROVERSÃO APATIA VOZ BAIXA, SILÊNCIO SONOLÊNCIA ANÁLISE

Leia mais