Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico"

Transcrição

1 I. INTRODUÇÃO Ba gang 8 Princípios de Diagnóstico Para se fazer qualquer tratamento em M.T.C, que seja mais do que meramente sintomático, é preciso um diagnóstico correto da disfunção em curso. O diagnóstico etiológico tem uma importância inegável, pois permite o controle do agente agressor diretamente ou por meio de uma terapêutica associada; como exemplo, uma alimentação desregrada ou um descontrole emocional. Mas para uma ação terapêutica que consiga harmonizar energeticamente o organismo, deve-se conhecer, do ponto de vista da M.T.C, a natureza da doença, sua localização no organismo e a reação deste organismo a ela; dados que se obtém através de cuidadosa análise e síntese dos dados obtidos por meio dos quatro métodos tradicionais de diagnóstico. Uma avaliação sindrômica incorreta, feita por uma observação parcial ou dissociada do Pensamento Fisiopatológico Tradicional leva a um tratamento que pode ser não apenas ineficiente como responsável pelo agravamento de uma doença. Por isso é necessário avaliar e pesar cuidadosamente cada sinal e sintoma colhido. Os Oito Princípios Diagnósticos (Ba Gang) são os primeiros passos para a avaliação de qualquer doença pois permitem avaliar as características gerais da doença e a resposta orgânica a ela e devem ser complementados por outros diagnósticos, que verificam a localização da doença nos Zang-Fu, Canais e Colaterais, etc., para permitir um tratamento eficiente. Os Oito Princípios são: 1. Tipo ou Qualidade da doença: Yin ou Yang (é o parâmetro principal; todos os sintomas e sinais podem ser classificados desta maneira); 2. Profundidade da doença: Externa (Biao) ou Interna (Li); 3. Natureza da doença: Calor (Re) ou Frio (Han); 4. Força da doença x Capacidade Defensiva: Excesso (Shi) ou Insuficiência (Xu). Qualquer que seja a complexidade evolutiva da doença ou de suas manifestações, esta sempre poderá ser classificada dentro dos Oito Princípios Diagnósticos, que aparecerão sempre associados entre si, dentro dos parâmetros referidos (Yin, Interna, Frio e Insuficiência; por exemplo) e que podem sofrer mudanças de acordo com a evolução clínica; uma síndrome Externa pode se aprofundar ou uma síndrome de Frio se transformar em Calor, ou mesmo pode ser simulada uma manifestação oposta ao aspecto real da doença. Deste modo, fica muito óbvia a necessidade de reavaliação do paciente a cada ação terapêutica, para ajustar o tratamento à fase evolutiva da doença em questão. II. PROFUNDIDADE DA DOENÇA Os parâmetros Externo ou Superficial (Biao) e Interno ou Profundo (Li) tentam determinar a profundidade da doença no momento do exame e sua tendência evolutiva em relação a estes parâmetros. Considera-se Externa (Superficial) toda doença que envolve pele (epiderme e derme), tendões, músculos e canais; Interna é toda doença que atinge órgãos (Zang-Fu), vasos sangüíneos, ossos, medula, Qi profundo, etc. Quanto à Profundidade, a doença pode evoluir:

2 2 1. Aprofundamento de doença Externa, que passa a ser Interna e não mais Externa; 2. Aprofundamento de doença Externa que ainda conserva aspectos Externos; 3. Manutenção da doença a nível Externo; 4. Doença apenas Interna que surge por desequilíbrio Yin/Yang interno; ataque direto ao interior por agente Externo (alimentação incorreta, por exemplo, atingindo o Estômago-Baçopâncreas); 5. Doença Interna que se superficializa. A doença Externa só se aprofunda se há uma fraqueza da energia defensiva que permite este aprofundamento ou por um tratamento incorreto. Podemos considerar que tenha componente profundo, para efeito terapêutico, como uma doença Interna, devido à importância do interior do organismo e à necessidade de sua preservação. 1. Síndrome Externa ou Superficial: Geralmente é causada por agressão à Superfície do organismo por um dos 6 Excessos ou Energias Perversas, ou por um traumatismo; se a energia defensiva é forte, permanece onde está, mas também pode ser o estágio precoce das doenças exógenas. Tem como característica um início geralmente súbito, com incubação curta e evolução rápida. Sintomas mais comuns: Febre; Transpiração espontânea; Temor ao Frio ou ao Vento; Irritação; Cefaléia; Dolorimentos pelos membros e corpo; Cervicalgia; Pulso flutuante ou superficial; Calafrios; Pouca ou nenhuma alteração da saburra; Tosse; Obstrução nasal e coriza. Fisiopatologicamente, tais sintomas se explicam pelo bloqueio da circulação de Energia Defensiva (Wei Qi) pelos excessos de Xie Qi que se localizam na pele e no tecido muscular; da congestão do Wei Qi surge a febre, de aspecto superficial. Como a regulação dos poros e o aquecimento dos músculos estão dificultados pelo bloqueio da Energia Defensiva, surge temor ao Vento e ao Frio. A pele é governada pelo Pulmão, que tem sua abertura no nariz; se a circulação energética da pele é agredida por fatores externos (Xie Qi) há obstrução da função de dispersão e descendência do Pulmão, com obstrução nasal, coriza, irritação na garganta e tosse. (Não se deve confundir, entretanto, com o quadro de aprofundamento da doença com lesão do Zang Pulmão). A perturbação da circulação superficial de energia pelos canais e colaterais leva aos dolorimentos pelo corpo, mialgia e sensação de cansaço nos membros; se há bloqueio das partes altas dos canais pode surgir cefaléia. Calafrios são sinais de doença Superficial, com Wei Qi fraco. Quando há bloqueio das vias respiratórias altas, o Qi Defensivo está baixo, quando há perspiração (transpiração com febre), é sinal de Wei Qi forte, tentando dispersar os Agentes Externos. 2. Síndrome Interna ou Profunda: É quando a doença está localizada no Interior do corpo (órgão, víscera, Qi Profundo, sangue, ossos, medula). Toda doença que tiver algum componente Interno deve ser considerada como tal, para efeito terapêutico. A doença Interna apresenta uma sintomatologia multiforme que corresponde ao órgão, víscera ou setor do organismo atingido. Em termos gerais, se diferencia da doença Externa pelos sintomas: Externa Interna

3 3 Recente, com febre com temor ao Antiga, crônica, febre sem temor ao Frio; Frio; Pouca ou nenhuma alteração de Alteração da saburra ou do corpo da saburra; língua; Pulso superficial; Pulso profundo. A doença Externa se interioriza quando a Energia Defensiva é insuficiente, quando a Energia Nociva está em grande excesso ou quando o tratamento for incorreto. Por exemplo: um paciente que apresente, numa doença Superficial, febre baixa com temor ao Frio: na evolução, desaparece o temor ao Frio que é substituído por temor ao Calor, aumento da febre, desejo de líquidos frescos, língua vermelha com saburra amarela e urina concentrada, o que expressa a interiorização da doença e sua transformação em Calor Interno; houve agravamento do quadro. Ao contrário, um paciente que apresente sinais de Calor Interno com agitação, tosse, expectoração amarelada, opressão torácica, que após febre intensa e elevada, transpira copiosamente e diminui a agitação e o mal estar acompanhados de um eritema, apresentou uma superficialização da doença, o que significa melhora. A doença Interna também pode se superficializar quando houver aumento da resistência orgânica ou um tratamento adequado. 3. Outras Formas: As doenças podem também abranger o Interior e o Exterior ao mesmo tempo, formando as chamadas síndromes combinadas que são encontradas em: III. Ataque simultâneo ao Interior e ao Exterior; Interiorização de uma doença ainda com sintomas Externos; Superficialização de uma doença ainda com sintomas Internos; Doença Superficial com ataque simultâneo ao Interior: como na ingestão de alimentos inadequados por um paciente que já apresenta uma síndrome Externa; Deve-se ter sempre em conta que as doenças tanto Internas como Externas sempre se manifestam associadas a Calor, Frio, Excesso ou Insuficiência. NATUREZA DA DOENÇA O Frio (Han) e o Calor (Re) são os princípios que determinam a Natureza da doença; são as manifestações materiais dos excessos de Yin e Yang: o Frio expressa uma insuficiência de Yang Qi ou ataque de Frio e o Calor representa o inverso. A doença polimorfa pode apresentar síndromes de Frio ou de Calor isoladas, emaranhadas, transformações de um em outro ou mesmo formas enganadoras, com a aparência da natureza oposta. Tais naturezas se associam a outros princípios de acordo com a profundidade e resistência orgânica, para formar síndromes complexas. 1. Síndrome de Frio: Expressa uma redução da atividade do organismo por redução de Yang (predomínio relativo de Yin) ou por um ataque do Frio Exógeno. Sintomas mais comuns: Sensação de Frio com temor ao Ausência de sede;

4 Frio; Busca o calor; Pulso Tenso e Retardado (Lento); Rosto esbranquiçado ou azulado; Urina e secreções claras e volumosas; Língua com saburra brilhante, Lábios pálidos e úmidos. úmida e branca; Encolhido, com pernas dobradas; 4 Pode ser causada pelo ataque do frio exógeno ou por uma doença crônica que reduz o Yang Qi, que não pode mais conter o Frio, que transborda, dando os sintomas de Frio e contração que são aliviados pelo Calor. Os líquidos orgânicos, preservados, aumentam de volume. O pulso se torna Lento porque se reduz o Yang Qi, que impulsiona o sangue. Caso haja lesão do Baço pelo Frio ou insuficiência de Yang no Baço, a sua função de transportetransformação fica perturbada, levando à fezes pastosas com pedaços de alimentos não digeridos. 2. Síndrome de Calor: Representa o aumento da atividade funcional do organismo por excesso de Yang, insuficiência de Yin ou ataque pelo Calor Perverso Exógeno. Sintomas mais comuns: Febre com busca por frescor; Agitação; Sede; Oligúria com urina escassa; Desejo de bebidas geladas; Pulso Rápido; Obstipação seca; Língua vermelha, saburra amarela e seca. Rosto e olhos vermelhos; Causado por penetração de Calor Exógeno, congestão e excitação dos sentimentos que se transformam em Fogo, alimentação desregrada que se transforma em Calor e cansaço sexual que diminui o Yin Jing (Energia dos Rins); o resultado são os sintomas de Calor e de consumo de líquidos; o Calor sobe e penetra no Coração, a circulação se acelera. Comparando os sintomas, temos: Frio Calor Temor ao frio; Temor ao calor; Melhora pelo calor; Melhora pelo frio; Ausência de sede; Sede por líquidos frios; Rosto branco ou azulado; Rosto avermelhado; Extremidades frias; Extremidades quentes; Poliúria clara; Oligúria concentrada; Secreções claras e abundantes; Secreções escuras e escassas; Fezes líquidas ou pastosas; Obstipação seca; Pulso lento, tenso e profundo; Pulso rápido e superficial; Língua pálida; Língua vermelha; Saburra branca, húmida e brilhante; Saburra amarela e seca. 3. Outras formas: a) Formas Emaranhadas: Calor no Alto, Frio Embaixo: síndrome mista entre Calor e Frio, com desequilíbrio entre os Yang e Yin Qi, causando Calor no alto do corpo com abundância de Yang e Frio embaixo com abundância de Yin. Exemplo: opressão torácica, angústia, vontade de vomitar (Calor no alto), dores abdominais que são aliviadas pelo Calor e fezes líquidas (Frio embaixo).

5 Frio na Superfície, Calor no Interior: pode ocorrer por ataque de Vento-Frio num paciente com Calor interno ou pela penetração de Frio exógeno que se transforma em Calor no organismo antes do Frio externo haver desaparecido. Por exemplo: uma pessoa com dilatação abdominal, agitação, sede, língua com revestimento amarelo por Calor interno que sofre agressão de Frio externo levando a febre com temor ao Frio, corpo dolorido, etc. Calor Superficial com Frio Interno: por um ataque de Vento-Calor a um paciente que apresenta Frio interno ou por iatrogenia devido a uma ação terapêutica intempestiva, tentando refrescar o interior do organismo. b) Transformação: Passagem do Frio ao Calor: transformação gradativa de uma síndrome Frio em síndrome Calor, com o desaparecimento dos sintomas de Frio. Podemos exemplificar com um paciente com febre, temor ao frio, lassidão, ausência de sudorese, língua com saburra branca, pulso Superficial e Tenso (sintomas de Frio) que, com a penetração do Frio no organismo e sua transformação em Calor, desaparece o temor ao Frio e surgem agitação ansiosa, sede e saburra amarela na língua (sintomas de Calor). Passagem do Calor ao Frio: ocorre da mesma forma, por exemplo, num paciente com hipertermia acentuada que após sudorese profunda (com perda de Yang e perda de líquidos por diarréia e vômitos, surgem sinais de Frio, como extremidades frias, face esbranquiçada, pulso Profundo e Lento). Quando o Frio se transforma em Calor, há Zheng Qi (Energia Vital) suficiente, com bastante Yang Qi, para transformar o Xie Qi (agente externo) em Calor; quando o Calor se transforma em Frio, ao contrário, significa potência da energia agressora (Xie Qi) em relação a um organismo fraco, com esgotamento de energia e, conseqüentemente, do Yang Qi orgânico evoluindo para o Frio. c) Formas enganadoras: Aparecem nos estágios críticos das doenças; a natureza aparente é oposta à natureza real. Exemplo: paciente com extremidades frias, febre com temor ao Calor, pulso Rápido e Forte, agitação, sede e desejo de bebidas frescas, garganta seca e mau hálito, disenteria quente, oligúria, língua vermelha com revestimento amarelo e seco. Se levarmos em conta apenas a febre com extremidades frias, poderemos supor que a síndrome é de Frio, ao contrário do que demonstra os outros sintomas; o bloqueio impede o Yang Qi de atingir as extremidades levando a uma abundância de Yang que empurra o Yin para a periferia. As formas ditas enganadoras quanto à natureza, na verdade só serão capazes de enganar aqueles que não colherem adequadamente os sinais e sintomas, principalmente os que se guiam pelos membros, pele e cor do rosto sem considerar adequadamente o pulso, língua, etc. 5 IV. RELAÇÃO ENTRE A FORÇA DA DOENÇA E A ENERGIA DO ORGANISMO O Vazio (Xu) e a Plenitude (Shi) permitem avaliar a relação entre a Energia Perversa agressora (Xie Qi) e a Energia Correta do organismo (Zheng Qi). As doenças são multiformes e podem se manifestar de diferentes formas: 1. Vazio de Zheng Qi: Ocorre quando há insuficiência de Zheng Qi que pode se manifestar como Vazio de Yang, Vazio de Yin, Vazio de Qi ou de Sangue, o que além dos sintomas de Vazio, permite a agressão da energia perversa; surge uma redução na função orgânica, insuficiência de fator antipatogênico e coordenação dificultada entre Yin e Yang. São sintomas de falta de Yang Qi com perda da capacidade de aquecer, transportar e reter:

6 6 Pele descorada e/ou ressecada; Obinubilação (Mente confusa); Dispnéia; Transpiração espontânea e diurna; Corpo e membros frios; Incontinência de urina e fezes. Sintomas de falta de Yin e Sangue; há mais retenção de sangue e falta umidificação: Palpitação; Calor em palmas, solas e precórdio (Peito) Os chineses chamam de Calor nos 5 centros; Ansiedade e agitação. Pela falta de Qi e sangue onde os vasos estão vazios: Astenia; Pulso Xu. O Vazio pode ser causado por uma insuficiência de energia congênita (Jing Qi) ou falta de energia adquirida por descontrole alimentar, descontrole emocional que atinja o Qi e Sangue, excessos sexuais que dispersam o Qi Original dos Rins, por doença crônica que consuma a energia ou erro terapêutico que disperse o Qi. 2. Excesso de Xie Qi: Quando há acúmulo de energia perversa (Xie Qi) com sintomas que vão depender da localização da Plenitude. Apesar do ataque de energia exógena, o organismo pode ainda resistir à agressão, sendo a plenitude um estágio agudo na luta entre o Zheng Qi e o Xie Qi; não há, neste caso, ainda impedimento de função orgânica. Sintomas mais comuns: Surgem quando o agente nocivo localiza-se no estômago e intestinos com bloqueio do Qi dos órgãos: Dilatação abdominal dolorosa; Dor agravada pela pressão; Fezes secas e duras, constipação; Micção difícil. Quando o excesso nocivo perturba o Coração, atingindo o Espírito (Shen): Agitação; Confusão mental; Por vezes, delírio verbal. Quando o agente patogênico se localiza no Pulmão: Polipnéia ruidosa; Abundância de mucosidade; Opressão torácica. São sinais de plenitude de energia: Febre (que é resultado da luta entre o fator antipatogênico e o agente agressor); Pulso cheio e forte; Língua com saburra espessa e viscosa.

7 As possíveis causas são a penetração de fator exógeno no organismo, disfunção de órgãos ou bloqueio metabólico causando bloqueios de circulação e a estagnação e formação no organismo de produtos patológicos tais como mucosidades e humores, sangue ou edemas. 3. Outras formas: a) Emaranhamento: Associação, no mesmo período, de Excesso de energia perversa e Vazio de energia correta; é importante saber-se o que está predominando para tomar uma atitude terapêutica adequada: Vazio com predomínio de plenitude: deve-se primeiro dispersar; Plenitude com predomínio de vazio: primeiro tonificar; Vazio e plenitude iguais: dispersar e tonificar ao mesmo tempo (Harmonização). b) Formas Evolutivas: Plenitude evoluindo para o Vazio: geralmente conseqüência de erro ou insucesso terapêutico; a doença se prolonga e o agente patogênico vai lentamente desaparecendo (ou não), mas vai havendo diminuição de Qi e surgem os sintomas de Vazio. Exemplo: Início de Plenitude-Calor (hipertermia, sede, pulso Grande e Acelerado, transpiração); após um tratamento ineficaz, a doença persiste, levando à perda de líquidos orgânicos e fraqueza de Qi (consumidos pelo Calor-Plenitude) com os sintomas de Vazio (emagrecimento, rosto branco e seco, anorexia e ausência de sede, enfraquecimento, respiração superficial, língua com pouca saburra, pulso Fino e sem força). Vazio evoluindo para a Plenitude: quando o Zheng Qi está fraco, o Xie Qi pode se espalhar mais facilmente; os sinais de Plenitude vão suceder ao Vazio. Por redução do Qi do Baço e Pulmão, o transporte-transformação e difusão estão defeituosos, com o acúmulo de edemas e humores criando secundariamente uma síndrome de Plenitude. c) Formas Enganadoras: Exemplos: Plenitude com aparência de Vazio: acúmulo de Calor e muco no Estômago e Intestinos, que acarretam uma obstrução dos canais e redução da circulação de Qi e sangue, levando a sintomas de Vazio como obinubilação mental, corpo e membros frios, pulso profundo e lento mas com voz forte, respiração ruidosa e pulso forte à pressão. Vazio simulando Plenitude: os pontos cruciais para determinar a realidade do quadro são a observação da vitalidade, o aspecto da língua, do pulso, a constituição do doente e a evolução da doença. Há, freqüentemente, associação das síndromes de Vazio com Frio e de Plenitude com Calor. V. TIPO OU QUALIDADE GERAL DA DOENÇA: São os princípios gerais entre os Oito, abrangendo todos os outros permitindo discernir e resumir os aspectos da doença, usando-se para isso a polaridade Yin-Yang. Yang: sintomas de hiperatividade, expansão, excitação, calor, vermelhidão; Yin: sintomas de hipoatividade, retração, inibição, frio, palidez. Além desses aspectos gerais, existem síndromes disfuncionais de Yin e Yang que podem acontecer no todo do organismo ou em um órgão isolado: 7

8 8 1. Vazio de Yin e Yang: Produzem síndrome de descontrole do princípio oposto: Vazio de Yin leva à produção de Calor, pois o Yang transborda: emagrecimento, boca seca, vertigens, insônia, oligúria, constipação, língua sem saburra, pulso fino (sintomas de insuficiência de Yin), calor nas palmas, solas e precórdio. Hipertemia, sudorese noturna, língua vermelha e pulso rápido (sintomas de Calor Vazio). Vazio de Yang leva à um transbordamento do Yin, que se representa por Frio e Umidade: astenia, respiração superficial, deita com pernas dobradas, sonolência (sinais de Vazio de Qi), temor ao Frio com sensação de frio, lábios pálidos, úmidos; não tem sede, palidez, urina clara e abundante, fezes pastosas e edemas (sinais de Yin descontrolado). 2. Desaparecimento de Yin e Yang: Estágios críticos da evolução de doenças e surgem nas hipertermias importantes, transpiração profusa, vômitos incoercíveis, disenterias graves e perda volumosa de sangue. Como o Yin e o Yang se sustentam e estão unidos, quando o Yin se esgota, o Yang Qi perde o apoio e se dispersa; se o Yang desaparece, o Yin nada tem para reproduzir e chega ao fim; portanto, ambos ao final desaparecem, nesta síndrome. Desaparecimento de Yin (líquidos Yin esgotados) leva à pele quente, mãos e pés ardentes, sede com desejo de bebidas frescas, transpiração quente e viscosa, pulso fino, rápido e apressado, sem força à pressão. Desaparecimento de Yang (Yang Qi escapando) causa pele e membros frios, extremidades geladas, ausência de sede ou desejo de bebidas frias, deita-se com as pernas dobradas, há obinubilação, sudorese abundante e fria, que surge gota a gota; pulso fraco quase parando. 3. Síndromes Associadas: Quando se estudam os princípios agrupados aos pares e os respectivos sintomas, trata-se obviamente, de uma simplificação; a coleta de anamnese e o exame do paciente mostram uma série de dados que devem ser agrupados, muitos deles se superpondo quanto a determinados parâmetros, e resultando num diagnóstico sindrômico completo, com a associação de todos os princípios. Para exemplificar, temos: Plenitude de Superfície: após um ataque por agente patogênico externo com Yang Qi concentrando-se na superfície do corpo, com luta entre Zheng e Xie Qi, ocorrendo superficialmente no invólucro muscular com os poros tapados; além de outros sintomas de plenitude, surge ausência de transpiração, lassidão, cefaléias, pulso superficial e tenso; geralmente surge por ataque de Frio externo. Vazio de Superfície: pode surgir após um ataque de Vento de origem externa, que se infiltra, bloqueando o Qi no invólucro de corpo e desarmonizando o Yin e o Wei, o que abre os poros e relaxa o invólucro com temor ao Vento, sudorese espontânea e pulso lento. Pode surgir também após uma fraqueza do Qi do Baço e do Pulmão, quando o Wei Qi não consegue fechar o invólucro muscular, com a derme frouxa e poros abertos: transpiração freqüente, facilitando o ataque exógeno. Plenitude-Frio: excesso de Frio exógeno que esgota o Yang Qi: Sensação de frio; Constipação; Membros frios; Mucosidade; Temor ao frio; Polipneia;

9 Ventre dolorido e distendido; Língua com saburra branca, espessa, viscosa; Dor e resistência à pressão; Pulso profundo, lento e cheio. 9 Vazio-Frio: diminuição do Yang Qi do corpo: Temor ao frio; Urina clara e abundante; Membros frios; Respiração curta; Dores abdominais; Falta de força; Melhora pela pressão; Pulso pequeno, retardado, sem força; Diarréia; Língua com saburra fina e branca. Plenitude-Calor: excesso de Calor exógeno: Febre alta, Calor, sede; Dilatação abdominal; Confusão, agitação; Dor abdominal que piora pela pressão; Fezes ressecadas; Urina concentrada. Língua vermelha, saburra grossa e Pulso superficial, acelerado e cheio amarela; Vazio-Calor: diminuição do Yin Qi no corpo: Febre alta; Boca e garganta secas; Sudorese noturna; Pulso fino, acelerado; Emagrecimento; Língua vermelha com pouca saburra. Calor nas extremidades e tórax; A seguir, exemplos de classificação pelos Oito Princípios: a) Paciente, após oito horas de ingestão de uma caldeirada de frutos do mar, passa a apresentar cólica abdominal crescente com distensão e dor à pressão, diarréia líquida com sensação de queimação no ânus, tenesmo, muco, pus e algum sangue nas fezes, náusea, epigastralgia e vômitos, cefaléia pulsátil, face e olhos vermelhos, agitação, febre, língua com saburra amarela espessa, pulso Rápido e Acelerado. É uma síndrome Interna, de Excesso, Calor e Yang.; b) Paciente acordou durante uma noite fria e com vento, saiu das cobertas para averiguar a origem de um ruído no seu quintal. Ao acordar, notou que a face direita estava paralisada, não conseguindo fechar completamente o olho direito, a boca e com desvio da face para o lado oposto; não apresentava outros sintomas; a língua tinha uma fina saburra branca e o pulso era Superficial. Síndrome Externa, Excesso, Frio e Yin; c) Criança com história de episódios freqüentes de dispnéia do tipo asmático, com muita secreção clara, desde lactente, algo agitada, face pálida, voz baixa e rouca, sudorese diurna e a qualquer esforço, com piora da falta de ar quando corre ou faz qualquer exercício, ou se expõe ao Frio ou Umidade; língua aumentada de volume, com pouca saburra e cor pálida, pulso Profundo e Fraco, pele fria. Síndrome Interna, Insuficiência, Frio e Yin.

OITO PRINCÍPI P O I S

OITO PRINCÍPI P O I S OITO PRINCÍPIOS TEM COMO FUNÇÃO IDENTIFICAR, ATRAVÉS DOS DADOS OBTIDOS DO PACIENTE: A LOCALIZAÇÃO DA DESARMONIA A NATUREZA DA DESARMONIA AS CONDIÇÕES DOS FATORES PATOGÊNICOS E DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO

Leia mais

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG)

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) O Pulmão (FEI) 11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) 1 O Pulmão (FEI) QI Pulmão (FEI) tem a função de dirigir o QI e a Respiração. O QI do ar junta-se

Leia mais

Dor segundo a Medicina Chinesa

Dor segundo a Medicina Chinesa XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais Dor segundo a Medicina Chinesa Introdução Definição A IASP- International Association for the Study of Pain (Associação Internacional

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS Aplicação dos 8 princípios Aplicável em todos os casos, para doenças interiores e exteriores Divisão : Exterior-Interior Calor-Frio: Calor por

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc. Gastrite, Úlcera, Diarréia, Prisão de ventre (constipação) Cólica, Vermes. Anamnese: Tipo de dor ou desconforto:

Leia mais

PADRÕES DO FÍGADO (GAN)

PADRÕES DO FÍGADO (GAN) PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A ESTAGNAÇÃO DE FÍGADO SE MANIFESTA PRINCIPALMENTE NESTA REGIÃO, EM AMBOS OS LADOS.

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07 QUESTÃO 17 Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Há 3.000 anos, agulhas de bronze e a pedra bian eram usadas como

Leia mais

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo FADIGA, NEURASTENIA ou TRANSTORNOS SOMATOFORMES Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo Sinais e sintomas relatados por pacientes com fadiga

Leia mais

Interrogatório DOR. No CD Rom

Interrogatório DOR. No CD Rom Interrogatório No CD Rom - Um artigo complementar sobre a importância do Interrogatório na MTC. - Modelo de Ficha de Avalição de pacientes. Imprima Frente e Verso. ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR

Leia mais

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Om muni muni maha muni sakya muni soha Om tare tutare turê soha... 1 Pulsologia Chinesa os vinte e oito pulsos patológicos" Delvo Ferraz da Silva 2 Teorias de

Leia mais

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO

ELABORAR UM QUESTIONÁRIO INTERROGATÓRIO ANAMNESE ELABORAR UM QUESTIONÁRIO DIRECIONAR AS PERGUNTAS INICIALMENTE TOMANDO POR BASE OS 8 CRITÉRIOS, SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS, ZANG FU E ETIOPATOGENIA. DEIXAR QUE O PACIENTE JUSTIFIQUE

Leia mais

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga

8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga CENTRO DE PESQUISA E ESTUDO DA MEDICINA CHINESA DIREÇÃO: Prof. Dr. YSAO YAMAMURA 8 Princípios ou 8 regras Apostila elaborada pela Dra. Maria Valéria D Avila Braga A identificação dos padrões de acordo

Leia mais

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1 LOMBALGIA Segundo Bernard Auteroche instituto de acupuntura tradicional 1 instituto de acupuntura tradicional 2 Fisiologia Energética n A MTC, através da acupuntura, nos ensina que o corpo humano é recoberto

Leia mais

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA Teoria da Acupuntura ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA A Medicina Tradicional Chinesa tem obtido um desenvolvimento através do tempo, pelo menos a 3000 anos. A Acupuntura promove diversas funções, ela controla

Leia mais

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS

CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES ENERGÉTICOS CURSO DE FITOTERAPIA TRADICIONAL CHINESA FÓRMULAS MAGISTRAIS CHINESAS PADRÕES ENERGÉTICOS SP 05/07/09 1 Oito princípios: Exterior: Cefálico Cefaléia capacete, costalgia Pulso superficial Face inespecífica

Leia mais

Etiopatogenia na Medicina Chinesa

Etiopatogenia na Medicina Chinesa Etiopatogenia na Chinesa Prof. Eduardo Alexander Doutor em Saúde Coletiva - IMS/UERJ edu.alexander@gmail.com www.grandetriade.com.br Rio de Janeiro 2009 Quadro Resumo Racionalidades Médicas Racionalidades

Leia mais

Etiopatogenia e Fisiopatologia

Etiopatogenia e Fisiopatologia ETFP 1 Etiopatogenia e Fisiopatologia O corpo humano tem a capacidade de resistir a diversos fatores patógenos para manter o equilíbrio relativo entre o interior do corpo e o mundo exterior. Esta capacidade

Leia mais

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende

Métodos Diagnósticos na MTC. Prof. Thiago Resende Métodos Diagnósticos na MTC Prof. Thiago Resende Observações da Forma do Corpo Existem cinco diferentes maneiras de se classificar: Yin e Yang Cinco Elementos (Constitucional) Influências pré e pós natais

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Centro Brasileiro de Acupuntura Acupuntura Aplicada a Ginecologia e Obstetrícia Prof.: Marcelo Brum Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Aparelho Genital Feminino: Abrange: Útero; Ovários; Trompas

Leia mais

5. No último ano, alguma vez notou alterações da cor da sua pele, como vermelho, branco ou arroxeado?

5. No último ano, alguma vez notou alterações da cor da sua pele, como vermelho, branco ou arroxeado? Appendix 1. Portuguese version of COMPASS 31 1. No último ano, alguma vez sentiu-se fraco ou estonteado (sensação de tontura) ou teve dificuldade em pensar logo após se levantar de uma posição sentada

Leia mais

Quinta Edição/2015 Quinta Região de Polícia Militar - Quarta Companhia Independente

Quinta Edição/2015 Quinta Região de Polícia Militar - Quarta Companhia Independente GRIPE X RESFRIADO GRIPE e RESFRIADO são as mesmas coisas? Não. A gripe é uma doença grave, contagiosa, causada pelo vírus Influenza (tipos A,B e C) e o resfriado é menos agressivo e de menor duração, causado

Leia mais

O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras. O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras?

O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras. O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras Professora: Debora Clinicamente é a aplicação de termoterapia, usando-se pedras aquecidas de efeito permanente e alternando com pedras extremamente frias.

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se, sendo a força vital responsável pela

É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se, sendo a força vital responsável pela FARMACOTÉCNICA HOMEOPÁTICA AULA 4: SAÚDE E DOENÇA Professora Esp. Camila Barbosa de Carvalho FORÇA VITAL É o que mantém o organismos em harmonia. Sem ela, o organismo não age, não sente e desitegra-se,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Ficha No.: Data: Nome: Data Nasc.: Naturalidade: Estado civil: Filhos: Endereço: Profissão: Fone(s): 1. Queixa Principal (QP): 2. História da Moléstia

Leia mais

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA Instituto Bioethicus Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA A arte da palpação é de extrema importância dentro do exame semiológico da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa e a

Leia mais

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento,

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, fome e sede constantes, vontade de urinar diversas vezes,

Leia mais

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança.

S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Síndromes do Baço Deficiência do Qi do Baço S/s cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança. Pulso- vazio. Língua pálida e flácida, marcas de dentes.

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE É INSEPARÁVEL DO QI, JÁ QUE O QI PROPORCIONA VIDA AO XUE, SEM O QUAL ELE SERIA UM FLUIDO INERTE XUE DERIVA EM SUA MAIORIA DO

Leia mais

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça,

Leia mais

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Acupuntura na Osteoartrose Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Osteoartrose 1 Osteoartrose Outras denominações ; Artrose; Doença Articular Degenerativa; Artrite Degenerativa. 2 É a doença articular mais

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Montelucaste Generis 10 mg Comprimidos Montelucaste de sódio Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento -Conserve este folheto. Pode

Leia mais

CIRCULAÇÃO-SEXO Meridiano do PERICÁRDIO (MP) ou Mestre do Coração (MC) Estação: Verão Horário: 19 às 21 h Elemento: Fogo Yin CARACTERÍTICAS GERAIS Também conhecido como Mestre do Coração (MC), possui 9

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos. Amlodipina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos. Amlodipina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos Amlodipina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais: Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc; Gastrite; Úlcera; Diarréia; Prisão de ventre (constipação / obstipação); Cólica (intestinal); Vermes.

Leia mais

Fernanda Bento dos Santos

Fernanda Bento dos Santos Fernanda Bento dos Santos Protetor do Coração:Invasões de fatores patogênicos exteriores Residência da Mente:Problemas mental-emocionais Centro do Tórax :doença do canal Três fatores principais que diferenciam

Leia mais

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré câncerigenas Os sinais de aviso de Câncer de Pele Câncer de Pele PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré-cancerosas, incluindo melanoma, carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular. Estas lesões

Leia mais

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Revisão da neurofisiologia da dor, Revisão da fisiopatologia

Leia mais

AV2. Formulário 2. Autópsia verbal. Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade

AV2. Formulário 2. Autópsia verbal. Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Análise de Situação de Saúde Formulário 2 Autópsia verbal Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade AV2 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Orientação para pacientes com Hérnia Inguinal. O que é uma hérnia abdominal? Hérnia é a protrusão (saliência ou abaulamento) de uma víscera ou órgão através de

Leia mais

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença?

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Ansiedade = falta de confiança na vida No senso comum, ansiedade é igual a aflição, angústia, nervosismo, perturbação

Leia mais

Gripe H1N1 ou Influenza A

Gripe H1N1 ou Influenza A Gripe H1N1 ou Influenza A A gripe H1N1 é uma doença causada por vírus, que é uma combinação dos vírus da gripe normal, da aviária e da suína. Essa gripe é diferente da gripe normal por ser altamente contagiosa

Leia mais

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA FECUNDAÇÃO: ovócito + espermatozóide multiplicação celular durante os primeiros dias o embrião tem forma arredondada (fase de mórula) por volta do 12 º dia, vai passando para uma

Leia mais

Acupuntura e o Diafragma

Acupuntura e o Diafragma Observações sobre Acupuntura e o Diafragma Mikael Ikivesi Tao Tao Project (Finlândia) http://kiinalainenlaaketiede.fi/taotao Tradução e Adaptação para Português Leo Silveira Projeto Medicina Chinesa Clássica

Leia mais

Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza

Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza 1 O que é o Novo Tipo de Influenza É o nome dado à doença causada pela presença do vírus da influenza A/H1N1, de origem suína, no corpo humano. Diz-se

Leia mais

Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica)

Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica) Folheto informativo: Informação para o utilizador Rocephin 500 mg/2 ml pó e solvente para solução injetável Ceftriaxona (na forma de Ceftriaxona Sódica) Leia com atenção todo este folheto antes de começar

Leia mais

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS INTRODUÇÃO Um grande grupo muscular, que se situa na parte posterior da coxa é chamado de isquiotibiais (IQT), o grupo dos IQT é formado pelos músculos bíceps femoral, semitendíneo

Leia mais

INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C)

INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C) INVENTÁRIO DE SINTOMATOLOGIA DEPRESSIVA (AVALIADO POR CLÍNICOS) (IDS-C) NOME: DATA: Faça um círculo na resposta de cada item que melhor descreva seu paciente nos últimos 7 dias. 1. Insônia Inicial: 0 Nunca

Leia mais

1. PODEMOS ENGOLIR CHICLETE?

1. PODEMOS ENGOLIR CHICLETE? 1. PODEMOS ENGOLIR CHICLETE? O hábito de mascar chicletes não é muito saudável. Primeiro, seus dentes ficam expostos ao açúcar, que é um dos agressores que os dentistas mais respeitam na formação de placas

Leia mais

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE ANSIEDADE A ansiedade é uma reação ligada ao instinto de sobrevivência frente a situações e momentos de medo, perigo ou de tensão, que prepara a pessoa para o que poderá

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR SINGULAIR 4 mg Granulado montelucaste Leia com atenção todo este folheto antes da sua criança tomar este medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter

Leia mais

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL

Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL Autor: Alberto Bastos Fisioterapeuta Acupunturista. ARTRITE REUMATOIDE SEGUNDO A MEDICINA CHINESA E A TERAPÊUTICA NATURAL A artrite reumatóide é uma doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada

Leia mais

OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO

OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO OS SENTIDOS: O TATO, O PALADAR, O OLFATO, A AUDIÇÃO E A VISÃO PROF. ANA CLÁUDIA PEDROSO ATRAVÉS DOS SENTIDOS TEMOS A CAPACIDADE DE PERCEBER O AMBIENTE EXTERNO AO NOSSO ORGANISMO. ISSO É POSSÍVEL DEVIDO

Leia mais

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal [Digite texto] Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária Padrões de Desarmonia do Movimento Metal Prof a. Márcia Valéria Rizzo Scognamillo marciascognamillo@yahoo.com.br Junho de 2011 Geral I.

Leia mais

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares A artrite reumatoide não é o único desafio na vida dos pacientes. Mas muitos problemas

Leia mais

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência:

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência: Kit informativo Gripe Sazonal A gripe Sazonal é uma doença respiratória infeciosa aguda e contagiosa, provocada pelo vírus Influenza. É uma doença sazonal benigna e ocorre em todo o mundo, em especial,

Leia mais

O DIAFRAGMA. 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado.

O DIAFRAGMA. 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado. Respiração O DIAFRAGMA 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado. Sofre ação tônica do sistema nervoso simpático

Leia mais

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR Referências Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais (Capítulos 26 e 29) Paulo Dalgalarrondo Manual

Leia mais

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao TRATAMENTO PARA MIOMA INSTITUTO Long Tao Mioma Uterino DEFINIÇÃO: É UM TUMOR BENIGNO QUE SURGE QUANDO UMA CÉLULA DO ÚTERO DA MULHER COMEÇA A SE MULTIPLICAR DE FORMA DESORDENADA. Definição na MTC: O mioma

Leia mais

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml Esalerg gotas Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ESALERG GOTAS (desloratadina)

Leia mais

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca DOENÇAS RESPIRATÓRIAS Professora: Sabrina Cunha da Fonseca Os locais de trabalho têm oferecido, cada vez mais, ambientes poluídos por diversos elementos, gasosos e sólidos, presentes no ar como gases e

Leia mais

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E O que não é assimilado pelo organismo O que o organismo não assimila, isto é, os materiais inúteis ou prejudiciais ao seu funcionamento, deve ser eliminado.

Leia mais

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas?

Questionário. 1. Sentiu na semana anterior ao AVC algum/alguns dos seguintes sintomas? Questionário Este questionário consta de um conjunto de perguntas que servirão de base à elaboração de um estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um AVC, tipos de infecção

Leia mais

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Embalagens contendo 10 cápsulas. USO ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula contém:

Leia mais

RAPILAX. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Solução Oral Gotas 7,5 mg/ml picossulfato de sódio

RAPILAX. Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Solução Oral Gotas 7,5 mg/ml picossulfato de sódio RAPILAX Kley Hertz S/A Indústria e Comércio Solução Oral Gotas 7,5 mg/ml picossulfato de sódio RAPILAX picossulfato de sódio APRESENTAÇÃO Solução oral contendo: 7,5 mg/ml de picossulfato de sódio em frasco

Leia mais

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância MINISTÉRIO DA SAÚDE AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância Curso de Capacitação Identificar o Tratamento Módulo 3 2.ª edição revista Série F. Comunicação e Educação em Saúde Brasília

Leia mais

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DIAGNÓSTICO NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA A base do diagnóstico da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), está na observação dos sinais e sintomas do paciente, uma vez que eles refletem a condição dos Sistemas

Leia mais

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos.

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos. BULA DO PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Paralon Relaxante Muscular e Analgésico clorzoxazona 200 mg e paracetamol 300 mg Comprimidos APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de

Leia mais

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO TIPO I AR YANG SUPREMO TAI YANG Características físicas: fronte larga, brilho intenso nos olhos, tórax bem desenvolvido (devido a hiperplasia do parênquima pulmonar), ombro largo, cintura proporcionalmente

Leia mais

dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL

dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE dicloridrato de cetirizina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO Solução oral 1mg/mL Embalagem

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR SINGULAIR 10 mg comprimidos revestidos por película montelucaste Leia com atenção todo este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve este folheto.

Leia mais

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS Center-AO Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa Universidade Federal de São Paulo Departamento de Ortopedia e Traumatologia Disciplina de Ortopedia Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura ATM CERVICALGIAS

Leia mais

Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas

Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas Apostila de Fitoterapia- Noções Básicas Histórico 2000 a.c- Medicina era praticada por mulheres da tribo do Norte Asiático- Xamãs Arqueologia fez a conexão das Feiticeiras com a Medicina 600 a.c.- Medicina

Leia mais

TRABALHO - Curso de Fitoterapia e Bioenergética

TRABALHO - Curso de Fitoterapia e Bioenergética TRABALHO - Curso de Fitoterapia e Bioenergética Renato Pereira Lima São Paulo 24 de setembro de 2009-09-24 O que é Homeopatia? Homeopatia é uma terapia alternativa que cura as doenças usando doses mínimas

Leia mais

Cólera e Escarlatina

Cólera e Escarlatina Cólera e Escarlatina Nome do Aluno Daiane, Lisandra e Sandra Número da Turma 316 Disciplina Higiene e Profilaxia Data 30 de Maio de 2005 Nome da Professora Simone Introdução O presente trabalho irá apresentar

Leia mais

GUTTALAX picossulfato de sódio Solução oral 7,5 mg

GUTTALAX picossulfato de sódio Solução oral 7,5 mg GUTTALAX picossulfato de sódio Solução oral 7,5 mg GUTTALAX SOLUÇÃO PACIENTE Guttalax picossulfato de sódio abcd APRESENTAÇÃO Solução oral 7,5 mg/ml: frasco com 20 ml. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina Leia atentamente este folheto antes de tomar Livazo. Conserve este folheto.

Leia mais

DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido

DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido Homehealth provider DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido www.airliquide.com.br O que é DPOC? O paciente com DPOC doença pulmonar obstrutiva crônica possui falta de ar e tosse porque seus pulmões e suas vias

Leia mais

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES 1 Copyright 2014 por Publicado por: Diabetes & Você Autora: Primeira edição: Maio de 2014 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostila pode

Leia mais

Folheto informativo: informação para o utilizador. Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina

Folheto informativo: informação para o utilizador. Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina Folheto informativo: informação para o utilizador Pregabalina Jaba 300 mg cápsulas Pregabalina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento, pois contém informação importante

Leia mais

cloridrato de loperamida Laboratório Globo Ltda. comprimidos 2 mg

cloridrato de loperamida Laboratório Globo Ltda. comprimidos 2 mg cloridrato de loperamida Laboratório Globo Ltda. comprimidos 2 mg cloridrato de loperamida Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos de 2 mg em embalagem com 12 e 200 comprimidos.

Leia mais

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 Gestos que Salvam O que fazer? EM CASO DE EMERGÊNCIA O QUE FAZER Número Europeu de Emergência LIGAR PARA O NÚMERO EUROPEU

Leia mais

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA A doença não é uma Entidade mas uma condição flutuante do corpo do paciente, uma batalha entre a substância da doença e a tendência natural do corpo

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Optiray 160 mg Iodo/ml, Solução injectável ou para perfusão

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Optiray 160 mg Iodo/ml, Solução injectável ou para perfusão FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Optiray 160 mg Iodo/ml, Solução injectável ou para perfusão Substância activa: Ioversol Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Magnevist 469 mg/ml solução injetável Gadopentato de dimeglumina (ácido gadopentético, sal de dimeglumina) Leia atentamente este folheto antes de utilizar

Leia mais

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado.

Caso 1. nda. Pulso Flutuante e lentificado. Caso 1 Paciente com dor e limitação de movimento do pescoço o háh um dia. Acompanha cefaléia occipital, dores pelo corpo, tosse, secreção nasal clara e febre baixa sem transpiração. Língua nda. Pulso Flutuante

Leia mais

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães O Tui Na como método terapêutico e de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães Shiatsu Técnica japonesa; An Fa; Trabalha em uma

Leia mais