TRANSDISCIPLINARIDADE NA PRÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA CONCEIÇÃO COSTA E SILVA 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRANSDISCIPLINARIDADE NA PRÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA CONCEIÇÃO COSTA E SILVA 1"

Transcrição

1 TRANSDISCIPLINARIDADE NA PRÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O PROJETO DIGA SIM À PAZ NA ESCOLA ESTADUAL CONCEIÇÃO COSTA E SILVA 1 Cintiara Maia 2 Nadson Castro 3 ; Joseane Leão 4 Virginia Albuquerque 5 RESUMO: O presente resumo visa relatar a experiência do projeto: Transdisciplinaridade na Prática Diga Sim à Paz!, desenvolvido pelos mestrandos do Programa de Mestrado em Educação Agrícola/ PPGEA/ UFRRJ, nos meses de outubro a novembro de 2012, junto à comunidade escolar da Escola Estadual Conceição Costa e Silva, localizada no bairro Equatorial, em Boa Vista, Roraima. O projeto teve como tema gerador a Violência, cujo objetivo foi promover e disseminar uma cultura de paz, já que a escola enfrenta diversos problemas relacionados ao assunto. Como metodologia professores, alunos e gestores desenvolveram diversas atividades de forma integrada e colaborativa como: produção e recital de poesias, concurso de paródias, exposição de maquetes, produção e apresentação de peças teatrais e danças, realização de oficinas e palestras, nas quais os alunos, mediados pelos professores, atuaram como protagonistas, incentivando-se, assim, o desenvolvimento e a manutenção de uma cultura de paz. Como ação afirmativa decidiu-se não utilizar o termo violência no título do projeto. Diante dos resultados positivos a comunidade escolar afirma sentir-se motivada a dar continuidade a projetos baseados na teoria da transdisciplinaridade. PALAVRAS-CHAVE: transdisciplinaridade - projeto - violência cultura de paz. INTRODUÇÃO O estudo sobre a transdisciplinaridade reveste-se de fundamental importância não só para estudantes da área da educação, mas das diversas áreas do conhecimento por tratar-se da perfeita interação entre os conteúdos, permitindo o diálogo e a troca de conhecimentos e experiências. A saber, a discussão sobre a transdisciplinaridade não é recente. Em 1994, durante o Primeiro Congresso Mundial da Transdisciplinaridade, realizado em Portugal, foi 1 Relato de experiência sobre atividade prática da disciplina Transdisciplinaridade, ministrada pelas professoras Akiko Santos e Cristina Santos/ Mestrado em Educação Agrícola do PPGEA/UFRRJ. 2 Mestranda do PPGEA/ Docente da área de Química do IFRR/ 3 Mestrando do PPGEA/ Docente da área de Educação Física do IFRR/ 4 Mestranda do PPGEA/ Docente da área de Educação do IFRR/ 5 Mestranda do PPGEA/ Jornalista do IFRR/

2 elaborada a Carta de Transdisciplinaridade, que em 15 artigos, apresentou os princípios desta teoria. De acordo com Santos (2005), a transdisciplinaridade é uma nova abordagem científica e cultural, uma nova forma de ver e entender a natureza, a vida e a humanidade. Ela busca a unidade do conhecimento para encontrar um sentido para a existência do Universo, da vida e da espécie humana. A autora acrescenta que: Esse novo olhar da transdisciplinaridade traz ainda um desafio maior: o de transitar pela diversidade dos conhecimentos (biologia, antropologia, física, química, matemática, filosofia, economia, sociologia). Isso requer espírito livre de preconceitos e de fronteiras epistemológicas rígidas. [...] A transdisciplinaridade exige também uma postura de democracia cognitiva (todos os saberes são igualmente importantes), superando o preconceito introduzido pela hierarquização dos saberes. (SANTOS, 2009, p. 25) Diante de tal relevância, a proposta da disciplina Transdisciplinaridade, do Curso de Mestrado em Educação Agrícola da UFRRJ, ministrada pela referida autora, foi desenvolver um projeto em uma unidade de ensino que contemplasse tema atual e envolvesse toda a comunidade acadêmica e/ou parte dela e, cujo planejamento, culminasse em um evento no qual o eixo norteador tivesse como fundamento a transdisciplinaridade. O local escolhido foi a Escola Estadual Conceição Costa e Silva, localizada no bairro Equatorial, zona periférica da capital, que apresenta altos índices de violência e conflitos sociais. Com cerca de 800 alunos e 90 servidores, entre equipe pedagógica e de apoio, a escola funciona nos turnos matutino e vespertino, oferecendo apenas o ensino fundamental, do 1 ao 9 ano. METODOLOGIA O projeto foi desenvolvido em seis etapas distintas descritas a seguir. Em outubro de 2012 foi realizada a primeira reunião com a equipe gestora da escola, quando foram apresentadas as propostas do trabalho transdisciplinar, com o intuito de levantar as ações e/ou projetos já desenvolvidos pelos professores, os quais seriam enriquecidos, bem como aprimorados com o apoio dos mestrandos do PPGEA. Ainda no mês de outubro, mediante a anuência da gestão escolar, foi realizada uma reunião com os professores e equipe pedagógica durante a qual foi apresentada a proposta de ação, que foi recebida com bastante entusiasmo pelos docentes.

3 Como tema gerador do projeto elegeu-se a Violência, uma vez que a comunidade escolar a vivencia em suas mais variadas formas: bullying, depredação do meio ambiente, preconceitos, falta de cuidado com o ambiente escolar, falta de humanização nas relações interescolares e outras. Após a definição do tema, os professores das diversas disciplinas, de forma integrada e com o apoio da equipe pedagógica planejaram as atividades a serem desenvolvidas com os alunos do 6 ao 9 ano, do turno vespertino, já que são as turmas consideradas mais problemáticas, com grande número de jovens em situação de risco. Os encontros de integração e culminância do Projeto: Diga Sim à Paz!, aconteceram no mês de novembro, divididos em quatro momentos, sempre no pátio da escola, caracterizado como espaço de socialização e integração. O objetivo era discutir e refletir acerca de temas relacionados à manutenção de uma cultura de paz, por meio da humanização das relações interescolares, a saber: 1 Encontro Dia do Meio Ambiente Vamos Cuidar do que é Nosso! Neste primeiro momento priorizou-se o desenvolvimento de atividades voltadas para a conscientização acerca da importância de se preservar o meio ambiente natural e o ambiente escolar, por meio de palestras, exposições de desenhos, mostra de maquetes e peças teatrais. 2 Encontro Dia da Inclusão O Legal é Ser Diferente! Com esta ação pretendeu-se colocar em evidência a importância da aceitação do outro, com suas limitações físicas, psicológicas, sociais, econômicas e que, mesmo aqueles que não possuem nenhum tipo de deficiência, também possuem limitações, por meio de relatos de experiências e oficinas. 3 Encontro Dia da Cultura Por uma Diversidade Cultural! As atividades deste terceiro encontro visaram à integração, socialização e promoção da cultura como um bem comum, do qual todos podem usufruir, por meio de apresentações de dança, recital de poesias, concurso de paródias. 4 Encontro Dia da Família A Escola é de Todos Nós! Neste dia a escola preparou-se para receber os pais e a comunidade do entorno para mais um momento de reflexão (acerca do papel da família na educação dos filhos), descontração e integração, por meio de dinâmicas e palestras.

4 Como produto final dos encontros produziu-se um vídeo documentário de... minutos, intitulado: Transdisciplinaridade na Prática, para compor o acervo da instituição e ser apresentado em eventos relacionados ao tema. RESULTADOS E DISCUSSÕES Cientes da proposta de se trabalhar o tema violência de forma integrada, colaborativa e transdisciplinar, a comunidade da Escola Estadual Conceição Costa e Silva não poupou esforços, e desenvolveu atividades que superaram as expectativas dado o envolvimento de todos e os resultados positivos relacionados à mudanças de comportamento e adoção de hábitos mais saudáveis no ambiente escolar. Figura 1 e 2 Fotos Reunião com equipe pedagógica/ professores e Oficina de Inclusão Figura 3 e 4 Fotos Concurso de Paródia e Recital de Poesias

5 Figuras 5 e 6 Fotos Peças Teatrais dos alunos e convidados Figuras 7 e 8 Fotos Palestra sobre Inclusão e Peça Teatral Fonte: Erick Vieira/CCS/Reitoria. Como percebemos nas imagens dispostas acima, a transdisciplinaridade esteve presente: nas oficinas, nas peças teatrais, nas apresentações de dança, no concurso de paródia, no recital de poesias e nos demais momentos de integração de gestores, professores, alunos e pais, os quais vivenciaram experiências inovadoras e enriquecedoras. CONCLUSÕES Ao concluirmos o Projeto: Diga Sim à Paz!, percebemos que, apesar da dificuldade que a comunidade escolar demonstrava em explicar o significado da palavra transdisciplinaridade, na prática, professores e alunos da Escola Estadual Conceição Costa e Silva já sabiam muito sobre o conceito. Diante dos resultados positivos a comunidade escolar demonstrou sentir-se motivada a dar continuidade a projetos baseados nesta

6 importante teoria que revela-se por meio da prática de atividades integradoras que proporcionam novos e valiosos conhecimentos. AGRADECIMENTOS Aos servidores e alunos da Escola Estadual Conceição Costa e Silva pela receptividade e colaboração com este trabalho. REFERÊNCIAS CHRAIM, Albertina de M. Família e escola: A arte de aprender para ensinar. 1 Ed. São Paulo: Wak, CRESPO, Lia. Educação inclusiva: O que o professor tem haver com isso? Disponível em acesso em 03 de fevereiro de LIMA, Priscila A. Educação inclusiva e igualdade social. Minas Gerais: Avercamp, MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma. Reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, SANTOS, Akiko. SOMMERMAN, Américo. (Orgs) Complexidade e Transdisciplinaridade: em busca da totalidade perdida. Porto Alegre: Sulina, O que é transdisciplinaridade? Publicado no periódico Rural Semanal, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, I parte: na semana de 22/28 de agosto de 2005; II parte: na semana de 29/04 de setembro de ZAGURY, Tania. Escola sem conflito: A parceria com os pais. 1 Ed. São Paulo: Editora Record, 2002.

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/ VAGAS DO EDITAL 13/2016/PROEX

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/ VAGAS DO EDITAL 13/2016/PROEX CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2017 - VAGAS DO EDITAL 13/2016/PROEX 1. Tipo de chamada (conforme item 3.2 do edital) Chamada INTERNA, destinada a servidores (efetivos ou substitutos/temporários) e aposentados do

Leia mais

SEMANA CULTURAL, DO LIVRO E DA BIBLIOTECA 03 a 07 de novembro de 2008

SEMANA CULTURAL, DO LIVRO E DA BIBLIOTECA 03 a 07 de novembro de 2008 DIA 03/11/2008 SEGUNDA-FEIRA 11:00 hs Publicação dos contos inscritos no concurso na Intranet BIO para votação popular. Simultaneamente, uma banca escolhida pela Comissão de Biblioteca fará a avaliação

Leia mais

O curso de Engenharia Civil - UNINORTE tem a duração de cinco anos. Oferecido nos turnos matutino, vespertino e noturno, está focado em sanar as

O curso de Engenharia Civil - UNINORTE tem a duração de cinco anos. Oferecido nos turnos matutino, vespertino e noturno, está focado em sanar as O curso de Engenharia Civil - UNINORTE tem a duração de cinco anos. Oferecido nos turnos matutino, vespertino e noturno, está focado em sanar as dificuldades que ameaçam o mercado de construção, como por

Leia mais

CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016

CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016 CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016 Meta Prioritária 1: Integração do Trabalho Pedagógico Objetivo geral: Integrar os diferentes setores do campus visando à adequação do atendimento às necessidades pedagógicas

Leia mais

ANEXO 2 ATIVIDADES ACAD ÊMICAS. Atividade

ANEXO 2 ATIVIDADES ACAD ÊMICAS. Atividade ANEXO 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES ACAD ÊMICAS C.H. Aferida Avaliador UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES CIENTÍFICAS C.H. Aferida* Avaliador* UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ATIVIDADES CULTURAIS

Leia mais

TOTAL CRÉDITOS ACUMULADOS

TOTAL CRÉDITOS ACUMULADOS NOME DO ALUNO = RA = Turno = ( ) Matutino ( ) Noturno DATA DE ENTREGA = (NÃO PREENCHER O QUADRO ABAIXO) Iniciação à Pesquisa Iniciação ao Ensino Atividades de Participação e/ou Organização de Eventos Atividades

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012

ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 1 ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 CARGO/ÁREA Relação de Cargos e Vagas Cargos de Nível Superior PERFIL QUANT. TOTAL VAGAS CADASTRO DE RESERVA REMUNERAÇÃO Cargo 1: Administrador

Leia mais

No entanto, não podemos esquecer que estes são espaços pedagógicos, onde o processo de ensino e aprendizagem é desenvolvido de uma forma mais lúdica,

No entanto, não podemos esquecer que estes são espaços pedagógicos, onde o processo de ensino e aprendizagem é desenvolvido de uma forma mais lúdica, PROJETO TECENDO CIDADANIA: PROJETO DE APOIO AO ESTUDO DOS TEMAS TRANSVERSAIS Autores: Leonardo Cristovam de JESUS, aluno do IFC Campus Avançado Sombrio e bolsista do projeto. Ana Maria de MORAES, Pedagoga

Leia mais

Ensino da Língua e Cultura Mirandesa. A ideia, o projeto e a prática letiva

Ensino da Língua e Cultura Mirandesa. A ideia, o projeto e a prática letiva Ensino da Língua e Cultura Mirandesa A ideia, o projeto e a prática letiva A Ideia O mirandês é um legado cultural, veículo de identidade, instrumento de comunicação e memória coletiva do extremo nordeste

Leia mais

C O N C U R S O P Ú B L I C O. Cargos, Vagas Oferecidas, Carga Horária e Salário Base

C O N C U R S O P Ú B L I C O. Cargos, Vagas Oferecidas, Carga Horária e Salário Base Cargos, Vagas Oferecidas, Carga Horária e Salário Base LOCALIDADE: PREFEITURA MUNICIPAL DE CAUCAIA CE 1 Agente de Suporte a Fiscalização Ensino Médio completo e CNH 20 1 60 Analista de Planejamento e Gestão

Leia mais

AULA 1. Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito

AULA 1. Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito AULA 1 Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito 1 MANTOAN, Mª Teresa Egler. Inclusão Escolar O que é? Por quê? Como fazer? 1ª ed. São

Leia mais

Quadro 2: ATIVIDADES DE PARTICIPAÇÃO E/OU ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS: ATÉ 60 (SESSENTA) HORAS PARA O CONJUNTO DE ATIVIDADES

Quadro 2: ATIVIDADES DE PARTICIPAÇÃO E/OU ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS: ATÉ 60 (SESSENTA) HORAS PARA O CONJUNTO DE ATIVIDADES QUADRO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Quadro 1: ATIVIDADES DE ENSINO E DE PESQUISA: ATÉ 120 (CENTO E VINTE) HORAS PARA O CONJUNTO DE ATIVIDADES CCLETE032 Monitoria Um período letivo de monitoria. CCLETE033

Leia mais

1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações

1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações 1 - Educação Pré- Escolar (Despacho n.º 5220/97, de 4 de agosto) 2-1.º Ciclo do Ensino Básico (DL n.º 139/2012, de 5 de julho, com as alterações introduzidas pelo DL n.º 91/2013, de 10 de julho) 3-2.º

Leia mais

PROVA DISCURSIVA. CESPE/UnB SEDU/ES

PROVA DISCURSIVA. CESPE/UnB SEDU/ES CESPE/UnB SEDU/ES PROVA DISCURSIVA Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO DE TEXTOS

Leia mais

CALENDÁRIO ACADÊMICO 2014 CAMPUS MANAUS-CENTRO

CALENDÁRIO ACADÊMICO 2014 CAMPUS MANAUS-CENTRO JANEIRO 1 1 2 3 4 2 5 6 7 8 9 10 11 3 12 13 14 15 16 17 18 4 19 20 21 22 23 24 25 5 26 27 28 29 30 31 01 Confraternização Universal - FERIADO 02 a 31 FÉRIAS DOCENTES/2014 13 a 17- Envio à PROEN das Propostas

Leia mais

Orientações Técnicas Centro de Referência de Assistência Social CRAS (2009)

Orientações Técnicas Centro de Referência de Assistência Social CRAS (2009) Orientações Técnicas Centro de Referência de Assistência Social CRAS (2009) Caderno do Cras capítulo 6 Equipe de Referência do CRAS A equipe de referência do CRAS é constituída por profissionais responsáveis

Leia mais

NOTAS DE CORTE UFS Instituição Local da oferta Curso Turno. AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (Bacharelado)

NOTAS DE CORTE UFS Instituição Local da oferta Curso Turno. AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (Bacharelado) NOTAS DE CORTE 2015 Instituição Local da oferta Curso Turno Nota de Corte AGROECOLOGIA (Tecnológico) Matutino 589,93 ALIMENTOS (Tecnológico) Matutino 580,24 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) Noturno 600,34

Leia mais

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE MELHORIA. Biénio e AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO PLANO DE MELHORIA Biénio 2016-2017 e 2017-2018 AVALIAÇÃO EXTERNA DO AGRUPAMENTO Índice Introdução... 2 Orientações para a ação... 3 Plano de Ação 1... 4 Plano de Ação 2... 5 Plano de Ação 3... 6 Plano

Leia mais

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período JANEIRO Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período Receção dos alunos e diálogo sobre as férias de Natal Elaboração de um texto sobre as mesmas Prof./Educ. e Responsáveis Dia de Reis Comemoração desta

Leia mais

FAMALICÃO INCLUSIVO. 1º Encontro do Grupo de Auto Representantes de Vila Nova de Famalicão

FAMALICÃO INCLUSIVO. 1º Encontro do Grupo de Auto Representantes de Vila Nova de Famalicão FAMALICÃO INCLUSIVO 1º Encontro do Grupo de Auto Representantes de Vila Nova de Famalicão FAMALICÃO INCLUSIVO Reuniões com os Serviços de Psicologia e Orientação FAMALICÃO INCLUSIVO Diagnóstico Local no

Leia mais

Seleção para OFICINEIROS/2017 ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA DE JABOATÃO

Seleção para OFICINEIROS/2017 ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA DE JABOATÃO Seleção para OFICINEIROS/2017 ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA DE JABOATÃO O Espaço Criança Esperança de Jaboatão (ECEJ) abre a seleção 2017 para Oficineiros habilitados a desenvolverem atividades de: Pedagogia

Leia mais

AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA AO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA A realidade da escola de 1º ciclo contempla especificidades, quer por razões históricoculturais quer pela tradição de monodocência, quer ainda pela especificidade da

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA XII Mostra de Trabalhos da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - 2015 Equoterapia: luz da vida Barbacena,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO QUADRO DE FORMAÇÕES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO QUADRO DE FORMAÇÕES PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO QUADRO DE FORMAÇÕES 2011 FORMAÇÃO RESPONSÁVEL CARGA HORÁRIA PERIODO HORÁRIO VAGAS PUBLICO ALVO LOCAL 1 Reunião

Leia mais

Calendário Reitoria 2016

Calendário Reitoria 2016 Calendário Reitoria 2016 fevereiro 2016 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Carnaval 10 Quarta Feira de Cinzas 11 12 13 RECESSO ACADÊMICO RECESSO ACADÊMICO RECESSO ACADÊMICO 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 CONUNI

Leia mais

Orientação Estágio Probatório 2016 Diretores. Diretoria de Ensino Guarulhos Sul

Orientação Estágio Probatório 2016 Diretores. Diretoria de Ensino Guarulhos Sul Orientação Estágio Probatório 2016 Diretores Diretoria de Ensino Guarulhos Sul Nos termos de: ESTÁGIO PROBATÓRIO DECRETO 52.344/07 DISPÕE SOBRE ESTÁGIO PROBATÓRIO INTEGRANTES DO QUADRO DO MAGISTÉRIO DA

Leia mais

DIAS FESTIVOS E FERIADOS

DIAS FESTIVOS E FERIADOS DIAS FESTIVOS E FERIADOS DATA 04/02 05/02 08, 09,10/02 19/03 24 e 25/03 21/04 01/05 26/05 07/09 12/09 13/09 12/10 15/10 02/11 14/11 15/11 20/11 30/11 08/12 FERIADO Fundação da cidade de Macapá Facultado

Leia mais

NORMAS - MOSTRA DE ENSAIOS FOTOGRÁFICOS FRONTEIRAS CONTEMPORÂNEAS

NORMAS - MOSTRA DE ENSAIOS FOTOGRÁFICOS FRONTEIRAS CONTEMPORÂNEAS Normas para envio de propostas de apresentação de Ensaios Fotográficos e Mostra de filmes A Comissão Organizadora do II SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOCIEDADE E FRONTEIRAS; 4º ENCONTRO NORTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

ANEXO IV AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012

ANEXO IV AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 1 ANEXO IV AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 Distribuição das vagas dos PNE s nos Municípios MUNICIPIO CARGO PERFIL QTD TOTAL VAGAS CADASTRO RESERVA ALVORADA ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2013/01 DISCIPLINA: DIREITO PENAL IV PROFESSOR: JOVACY PETER FILHO TURMA: 6º DM / EN UNIDADE DE

Leia mais

RELATÓRIO DE AÇÕES DO NAPNEE

RELATÓRIO DE AÇÕES DO NAPNEE RELATÓRIO DE AÇÕES DO NAPNEE (Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais). O Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais NAPNEE, órgão de natureza consultiva

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 032 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº. 032 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº. 032 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre aprovação do Calendário Acadêmico 2016 da Universidade Estadual de Roraima - UERR. O PRESIDENTE DO DA, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

INSTITUTO NOROESTE DE BIRIGUI RELATÓRIO PEDAGÓGICO E ADMINISTRATIVO REFERENTE AO MÊS DE FEVEREIRO DE 2014

INSTITUTO NOROESTE DE BIRIGUI RELATÓRIO PEDAGÓGICO E ADMINISTRATIVO REFERENTE AO MÊS DE FEVEREIRO DE 2014 INSTITUTO NOROESTE DE BIRIGUI RELATÓRIO PEDAGÓGICO E ADMINISTRATIVO REFERENTE AO MÊS DE FEVEREIRO DE 2014 EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL I Acompanhamento do curso de capacitação da Mind Lab (15

Leia mais

INFÂNCIA. PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016

INFÂNCIA. PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016 INFÂNCIA PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano Letivo 2015/2016 Plano aprovado em reunião de Direção de 24 de setembro de 2015 Plano elaborado e proposto pelo Corpo Docente em reunião de 14 de setembro de 2015

Leia mais

Relatório de Avaliação do Programa Escola da Família 2º Semestre/2010. Raquel Maria Rodrigues PCOP Programa Escola da Família. Oficina Pedagógica

Relatório de Avaliação do Programa Escola da Família 2º Semestre/2010. Raquel Maria Rodrigues PCOP Programa Escola da Família. Oficina Pedagógica Diretoria de Ensino Região Guarulhos Norte Relatório de Avaliação do Programa Escola da Família 2º Semestre/2010 Raquel Maria Rodrigues PCOP Programa Escola da Família Oficina Pedagógica Guarulhos, Dezembro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 155, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2016. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 293ª Reunião Extraordinária, realizada em 19 de dezembro de 2016,

Leia mais

APÊNDICE A Plano Político Pedagógico da Escola de Pais

APÊNDICE A Plano Político Pedagógico da Escola de Pais APÊNDICE A Plano Político Pedagógico da Escola de Pais Apresentação e Justificativa A exclusão é parte do convencional na coletividade humana. A discriminação tem origem em preconceitos antigos gerados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 003, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 332ª Reunião Ordinária, realizada em 23 de fevereiro de 2015, R

Leia mais

PONTUAÇÃO PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL DE DOCENTES (Aprovada na 207ª Reunião do Conselho da Unidade do IM, em 25/09/2009)

PONTUAÇÃO PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL DE DOCENTES (Aprovada na 207ª Reunião do Conselho da Unidade do IM, em 25/09/2009) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA Av. Bento Gonçalves 9500 - Agronomia - 91509-900 Porto Alegre - RS - BRASIL Tel: (051) 3308-6189/3308-6225 FAX: (051) 3308-7301 e-mail:

Leia mais

LITERATURA E ARTE NA ESCOLA: A LEITURA INSERIDA NO COTIDIANO

LITERATURA E ARTE NA ESCOLA: A LEITURA INSERIDA NO COTIDIANO LITERATURA E ARTE NA ESCOLA: A LEITURA INSERIDA NO COTIDIANO 1 NASCIMENTO, Kaline da Silva; OLIVEIRA, Luana Vitória de Queiroz; SILVA, Jakellyne Felipe da; SANTOS, Lucinalva Azevedo dos; 2 SANTOS, Anita

Leia mais

Atividades no COINES 2016 O INES de Portas Abertas

Atividades no COINES 2016 O INES de Portas Abertas Atividades no COINES 2016 O INES de Portas Abertas TURNO TÍTULO Vagas para sorteio externo OFICINA: O INTÉRPRETE DE LIBRAS NO TEATRO. 12 MINICURSO: LITERATURA SURDA: ESTRATÉGIAS TRADUTÓRIAS DE INCORPORAÇÃO

Leia mais

Colégio São Francisco de Assis Educar para a Paz e o Bem Província do SS. Nome de Jesus do Brasil.

Colégio São Francisco de Assis Educar para a Paz e o Bem Província do SS. Nome de Jesus do Brasil. Colégio São Francisco de Assis Educar para a Paz e o Bem Província do SS. Nome de Jesus do Brasil. Senhores pais ou responsável: Iremos iniciar as matrículas das atividades extracurriculares. INÍCIO DAS

Leia mais

CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Coordenação de Curso

CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Coordenação de Curso QUADRO GERAL DE DISCIPLINAS/HORÁRIOS/PROFESSORES - SEMESTRE LETIVO DE 2015 (17 PÁGINAS) PERÍODO 2015 / NOTURNO SALA 06 19:00 ÀS 19:50H RESPONSABILIDADE SOCIAL E ÉTICA ANDRÉ ARISTÓTELES CONTABILIDADE BÁSICA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 142, DE 18 DE SETEMBRO DE 2014 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 329ª Reunião ordinária, realizada em 18 de setembro de 2014, R E

Leia mais

EXCLUSIVO!!! CONCURSO PÚBLICO CONFIRMADO!!! PREFEITURA DE BELÉM ESTÁ CONCLUINDO O PROCESSO DE ESCOLHA DA BANCA ORGANIZADORA.

EXCLUSIVO!!! CONCURSO PÚBLICO CONFIRMADO!!! PREFEITURA DE BELÉM ESTÁ CONCLUINDO O PROCESSO DE ESCOLHA DA BANCA ORGANIZADORA. TURMAS DO CURSO EXEMPLO (BELÉM E CIDADE NOVA): EXCLUSIVO!!! CONCURSO PÚBLICO CONFIRMADO!!! PREFEITURA DE BELÉM ESTÁ CONCLUINDO O PROCESSO DE ESCOLHA DA BANCA ORGANIZADORA. A PREFEITURA DE BELÉM está realizando

Leia mais

Ref.: Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP feitas até a data pela Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão

Ref.: Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP feitas até a data pela Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão São Paulo, 28 de maio de 2012 Ref.: Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP feitas até a data pela Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão Caros Membros da Congregação,

Leia mais

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS INTRODUÇÃO SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS Thialy Thaís da Silva Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) thialy_thais@hotmail.com As Salas de Recursos Multifuncionais (SRMF) foram instituídas pelo Programa

Leia mais

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011 Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: António Inácio e António Montezo Ano Lectivo 2010/2011 CALENDARIZAÇÃO ACTIVIDADES OBJECTIVOS ARTICULAÇÃO INTERDISCIPLINAR PÚBLICO-ALVO

Leia mais

DIRETRIZES PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ACG s) DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA FACULDADE HORIZONTINA

DIRETRIZES PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ACG s) DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA FACULDADE HORIZONTINA DIRETRIZES PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ACG s) DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA FACULDADE HORIZONTINA HORIZONTINA SETEMBRO/2008 O aluno do Curso de Ciências Econômicas da Faculdade Horizontina, deverá,

Leia mais

30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre

30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre 30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre trinta anos compartilhando experiências 18 a 22 de julho de 2016 abertura: 18 de julho, 19h O Atelier Livre, através do Festival de Arte Cidade de Porto Alegre

Leia mais

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio APÊNDICES Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Araraquara Curso de Química - Licenciatura

Leia mais

PROJETO EDUCAR EDIÇÃO Folias de Reis na Escola

PROJETO EDUCAR EDIÇÃO Folias de Reis na Escola PROJETO EDUCAR EDIÇÃO 2016 Folias de Reis na Escola OBJETIVOS DO PROJETO Introduzir e apresentar a Educação Patrimonial a professores e alunos da Educação Básica: Conhecer e Preservar; Apresentar as Folias

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PROJETOS DE EXTENSÃO - PBAEX. Anexo V

RELATÓRIO FINAL DE PROJETOS DE EXTENSÃO - PBAEX. Anexo V RELATÓRIO FINAL DE PROJETOS DE EXTENSÃO - PBAEX REGISTRO PROEX N /2015 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CÂMPUS: Boa Vista - Centro Anexo V TÍTULO PROJETO: Capacitação dos alunos das Escolas Públicas Estaduais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE Complementa a Resolução nº 04/05-CEPE que estabelece normas de concurso público para a carreira do magistério superior na Universidade Federal do Paraná, fixando a tabela de pontuação

Leia mais

Escola Secundária da Portela

Escola Secundária da Portela Universidade de Lisboa Introdução à Prática Profissional I Escola Secundária da Portela Filipa Burgo Inês Almeida 21 de Janeiro de 2011 Localização Avenida das Escolas, nº20 Portela de Sacavém 2685-202,

Leia mais

Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. OBJETIVO GERAL REFERENTE A INSTRUMENTAÇAO PEDAGÓGICA

Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. OBJETIVO GERAL REFERENTE A INSTRUMENTAÇAO PEDAGÓGICA Projeto: O CANTO E O BATUQUE QUE VEM DE DENTRO DE MIM. Profissional: Erick Luiz Vilela de Souza Atividade: Educação Musical Período de realização: fevereiro a dezembro de 2010 Setor: NAC Coordenadora:

Leia mais

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS E TRABALHOS EM CONCURSOS PÚBLICOS DE PROVAS E TÍTULOS DO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS E TRABALHOS EM CONCURSOS PÚBLICOS DE PROVAS E TÍTULOS DO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS E TRABALHOS EM CONCURSOS PÚBLICOS DE PROVAS E TÍTULOS

Leia mais

ANEXO I CARGOS DA ÁREA DE ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

ANEXO I CARGOS DA ÁREA DE ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE LEI Nº xxxx DE 2016 Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Assistência Social da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos e dá outras providências.

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Ribeirão Pires 2016 Missão da FIRP

Leia mais

ANEXO VI. A que se referem os artigos 7º e 9º da Deliberação CEETEPS 34, de

ANEXO VI. A que se referem os artigos 7º e 9º da Deliberação CEETEPS 34, de ANEXO VI A que se referem os artigos 7º e 9º da Deliberação CEETEPS 4, de 7--017. ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL DOCENTE DAS FACULDADES DE TECNOLOGIA FATECS E ESCOLAS TÉCNICAS ETECS Formação e Atividades Diversas

Leia mais

Calendário da Graduação para o Ano Letivo CMN 1º SEMESTRE DE 2014

Calendário da Graduação para o Ano Letivo CMN 1º SEMESTRE DE 2014 Calendário da Graduação para o Ano Letivo CMN 1º SEMESTRE DE 2014 Os períodos destinados às Reuniões Pedagógicas serão determinados, posteriormente, em calendário específico da Unidade de Educação, com

Leia mais

Informativo. Meio Ambiente. Rede AICA. Percurso: Junho 2017

Informativo. Meio Ambiente. Rede AICA. Percurso: Junho 2017 Informativo Rede de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente Rede AICA Junho 2017 www.redeaica.org.br facebook/redeaica (27) 3338-5575 Percurso: Meio Ambiente C om o tema: Meio Ambiente, o percurso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE LETRAS E ARTES ESCOLA DE TEATRO DEPARTAMENTO DE ENSINO DO TEATRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE LETRAS E ARTES ESCOLA DE TEATRO DEPARTAMENTO DE ENSINO DO TEATRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE LETRAS E ARTES ESCOLA DE TEATRO DEPARTAMENTO DE ENSINO DO TEATRO Processo Seletivo Simplificado para professor Substituto (Edital No. 36,

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação DANÇA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADORA Rosana Aparecida Pimenta

UFV Catálogo de Graduação DANÇA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADORA Rosana Aparecida Pimenta UFV Catálogo de Graduação 2013 115 DANÇA Bacharelado e Licenciatura COORDENADORA Rosana Aparecida Pimenta rosana.pimenta@ufv.br 116 Currículos dos Cursos UFV Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Bacharelado

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2015. ANEXO 1 - Cargos, Número de Vagas, Cargas Horárias, Salários Mensais, Auxílio Alimentação e Pré-requisitos.

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2015. ANEXO 1 - Cargos, Número de Vagas, Cargas Horárias, Salários Mensais, Auxílio Alimentação e Pré-requisitos. CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2015 ANEXO 1 - s, Número de, Cargas Horárias, Salários Mensais, e Pré-requisitos. A - s de Nível Fundamental Ajudante Geral 2 40h R$ 968,96 R$ 330,00 Ensino fundamental completo.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA REITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA REITORIA EDITAL INTERNO Nº 20/2013 CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMADORA

Leia mais

COLÉGIO DE SÃO BENTO RJ

COLÉGIO DE SÃO BENTO RJ COLÉGIO DE SÃO BENTO RJ SEMINÁRIO EDUCAÇÃO - FGV Práticas Pedagógicas e Inovações em Instituições de Ensino Básico: A experiência do Colégio de São Bento. HISTÓRIA O Colégio de São Bento tem raízes profundas,

Leia mais

Projecto aler

Projecto aler Área de incidência Estratégia para envolver toda a escola Actividades para envolver toda a comunidade educativa profissional contínuo Relações interdisciplinares Projecto aler+ 2010-2011 Lançamento Uma

Leia mais

Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel

Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel Teatro para todos EMEIEF Prof. Ernesto Marcondes Rangel Professor(es) Apresentador(es): Plinio de Oliveira Macedo Junior Realização: Foco do Projeto O fazer teatral é uma ferramenta pedagógica de grande

Leia mais

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude.

Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. Uma iniciativa da câmara municipal do porto e da fundação da juventude. ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA PROGRAMA EMPREENDE JOVEM Objetivos Para quem Iniciativas PLATAFORMA EMPREENDEJOVEM MOVE YOUR WAY @ PORTO

Leia mais

I PROGRAMA DOCTV CPLP

I PROGRAMA DOCTV CPLP DOSSIER DE IMPRENSA I PROGRAMA DOCTV CPLP I ANTECEDENTES O DOCTV CPLP surge na sequência de experiências bem sucedidas de âmbito nacional DOCTV Brasil e transnacional DOCTV Ibero-América lançadas pelo

Leia mais

OUTUBRO. Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb

OUTUBRO. Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb MATUTINO: TODAS AS TURMAS NOTURNO: 1º E 2º PERÍODO DE ADMINISTRAÇÃO, 2º PERÍODO DOS CURSOS IPATINGA DE BIOMEDICINA, ED. FISICA LIC. E BACH., ENGENHARIAS E PSCICOLOGIA E TURMAS A PARTIR DO 3º PERÍODO. 1ª

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS SECRETARIA DOS CONSELHOS SUPERIORES CONSELHO COORDENADOR DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO NORMAS PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL À CLASSE ESPECIAL DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO DE 1º E º GRAUS. Regulamenta e normatiza a progressão funcional à Classe Especial da Carreira do magistério de 1º e º Graus

Leia mais

CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ

CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ CURSO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS A HABILITAR À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MEDIAÇÃO NOS JULGADOS DE PAZ 1. OBJECTIVOS Esta formação de Mediação no âmbito da MEDIAÇÃO NO ÂMBITO DOS JULGADOS DE PAZ visa dotar

Leia mais

A GASTRONOMIA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL

A GASTRONOMIA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Turismo e Hospitalidade Laboratório Gastronômico VIII A GASTRONOMIA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis ANEXO À PORTARIA Nº 149/2012-D UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Letras UNESP Câmpus de Assis REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA TÍTULO I

Leia mais

EDIÇÃO N.º 007/2017. Unidade: Campus Boa Vista Zona Oeste. Publicado em 24 de fevereiro de Portarias n.º 030 a 036

EDIÇÃO N.º 007/2017. Unidade: Campus Boa Vista Zona Oeste. Publicado em 24 de fevereiro de Portarias n.º 030 a 036 EDIÇÃO N.º 007/2017 Unidade: Campus Boa Vista Zona Oeste Portarias n.º 030 a 036 Presidente da República: Michel Temer Ministro da Educação: José Mendonça Bezerra Filho Secretário de Educação Profissional

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N.º 9.996, de

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N.º 9.996, de UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N.º 9.996, de 02.05.2006 QUADRO DE VAGAS DISTRIBUIDAS POR CURSOS E TURNOS O Concurso Vestibular 2017 da UESB objetiva

Leia mais

EDITAL Nº 01 CONCURSO PARA ESCOLHA DE NOME DA BIBLIOTECA IFES CAMPUS ARACRUZ

EDITAL Nº 01 CONCURSO PARA ESCOLHA DE NOME DA BIBLIOTECA IFES CAMPUS ARACRUZ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS ARACRUZ Avenida Morobá, 248 Morobá 29192-733 Aracruz ES 27 3256-0958 EDITAL Nº 01 CONCURSO PARA ESCOLHA DE NOME DA BIBLIOTECA IFES CAMPUS

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO

CURSO DE CAPACITAÇÃO CURSO DE CAPACITAÇÃO 1. TÍTULO SURDEZ E LIBRAS ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS 2. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Nome do proponente: Lourena Cristina de Souza Barreto Campus/IFG: Goiânia Oeste 3. ÁREAS DE CONHECIMENTO

Leia mais

Sistema OCB/AM FECOOP NORTE - OCB/AM - SESCOOP/AM CALENDÁRIO 2016 I SEMESTRE

Sistema OCB/AM FECOOP NORTE - OCB/AM - SESCOOP/AM CALENDÁRIO 2016 I SEMESTRE CALENDÁRIO 2016 I SEMESTRE JANEIRO DE 2016 08 a 14 - Módulo Informática: Aprendiz Cooperativo II -Turma A e B. 11 a 31 - Cursos por demandas de Cooperativas: Cooperativismo básico. 13 - Vídeo Conferência

Leia mais

O Fundador Robert Bosch

O Fundador Robert Bosch O Fundador Robert Bosch Robert Bosch (1861 1942) Meu objetivo é, além do alívio da necessidade, atuar, acima de tudo, na elevação das forças morais, sanitárias e mentais... Serão promovidas: saúde, educação,

Leia mais

ANEXO I Tabela de Pontuação das Atividades do Relatório Anual de Atividades Docente

ANEXO I Tabela de Pontuação das Atividades do Relatório Anual de Atividades Docente ANEXO I Tabela de Pontuação das Atividades do Relatório Anual de Atividades Docente 1. ENSINO PONTOS 1.1 Hora-aula semanal que conduza à obtenção de crédito (até 12 ) 10 1.2 Hora-aula, que conduza à obtenção

Leia mais

Programa de Fomento à Economia Solidária em São Carlos. Reynaldo Norton Sorbille

Programa de Fomento à Economia Solidária em São Carlos. Reynaldo Norton Sorbille Programa de Fomento à Economia Solidária em São Carlos Reynaldo Norton Sorbille reynaldo.sorbille@gmail.com ASPECTOS ESTRATÉGICOS DA POLÍTICA PÚBLICA DE FOMENTO A ECONOMIA SOLIDÁRIA * O desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Baseando-se no Regulamento dos Cursos de Graduação da UFF e na Instrução de Serviço PROAC n.º 02, o Colegiado do Curso de Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente

Leia mais

Inscrição pelo portal do UniCEUB

Inscrição pelo portal do UniCEUB Data Atividade Inscrição pelo portal do UniCEUB Horário Local Exposição de banners científicos dos 1º e 7º semestres do período matutino Não Das 8h às 9h30 Hall do bloco 09 13 de maio, quarta-feira Palestra

Leia mais

COMO FORAM AS EDIÇÕES

COMO FORAM AS EDIÇÕES COMO FORAM AS EDIÇÕES ANTERIORES? 0 Iniciativas Registadas Iniciativas Registadas Em 0 "Um Dia com os Media" - dia de Maio na Antena! "Um dia com os Media" na ESCS "Um dia com os Media" na FCSH "Um dia

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CÂMARA TÉCNICA DO PATRIMONIO CULTURAL

PLANO DE TRABALHO CÂMARA TÉCNICA DO PATRIMONIO CULTURAL PLANO DE TRABALHO CÂMARA TÉCNICA DO PATRIMONIO CULTURAL DIRETRIZ: FORMAÇÃO / ARTICULAÇÃO/ DESENVOLVIMENTO CRIAR/ INSTITUIR O SISTEMA MUNICIPAL DE PATRIMONIO CULTURAL GUILHERMINA AÇÃO RESPONSÁVEL COMO INÍCIO

Leia mais

NOSSA CIDADE, NOSSA SAÚDE

NOSSA CIDADE, NOSSA SAÚDE MUDANÇA INSPIRA MUDANÇA O QUE É A VIRADA SUSTENTÁVEL Inspirada na Virada Cultural de São Paulo é provavelmente a maior reunião de atrações culturais e recreativas ligadas aos temas de sustentabilidade

Leia mais

ANEXO IV - QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA PROVA DE TÍTULOS CONCURSO DOCENTE. Versão Complementar 1

ANEXO IV - QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA PROVA DE TÍTULOS CONCURSO DOCENTE. Versão Complementar 1 Candidato: ANEXO IV - QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA PROVA DE TÍTULOS CONCURSO DOCENTE Versão Complementar 1 QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA PROVA DE TÍTULOS CONCURSO DOCENTE Edital CCS nº 08/16

Leia mais

Objetivo: Apresentar o Caderno V de modo a compreender sua concepção metodológica a partir de oficinas.

Objetivo: Apresentar o Caderno V de modo a compreender sua concepção metodológica a partir de oficinas. Pacto Nacional Para o Fortalecimento do Ensino Médio Encontro de Planejamento Professor Formador de IES Duílio Tavares de Lima 03/2015 CADERNO 5 - Áreas de conhecimento e integração curricular Tema: Apresentação

Leia mais

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Projeto Brasil misturado Duração: 01/11/12 a 30/11/12 Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Culminância: Dia 30 de novembro Característica: Projeto interdisciplinar, envolvendo

Leia mais

DISCIPLINAS OPTATIVAS OFERECIDAS PELO DEPARTAMENTO DE INTERPRETAÇÃO PARA O 1º SEMESTRE DE 2015.

DISCIPLINAS OPTATIVAS OFERECIDAS PELO DEPARTAMENTO DE INTERPRETAÇÃO PARA O 1º SEMESTRE DE 2015. 1 SALA LABORATÓRIO DE MULTIMÍDIA DENISE TELLES N. HOFSTRA TERÇA: 19 às 23 horas Anexo Sala Nelly Laport Entrevista + Pré-projeto 10 alunos Investigação de processos criativos em Multilinguagens e Multimídia,

Leia mais

Programas de Atendimento aos Estudantes

Programas de Atendimento aos Estudantes Programas de Atendimento aos Estudantes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP Câmpus Guarulhos 1. Integração dos Ingressantes O atendimento ao estudante no IFSP Guarulhos

Leia mais

AÇÃO OBJETIVO INÍCIO TÉRMINO SITUAÇÃO. apresentação dos projetos UCA que serão desenvolvidos durante o ano de Capacitar o professor de forma

AÇÃO OBJETIVO INÍCIO TÉRMINO SITUAÇÃO. apresentação dos projetos UCA que serão desenvolvidos durante o ano de Capacitar o professor de forma Plano de Ação do NTE NOVA ANDRADINA quanto ao acompanhamento, oficinas, formação diversas referente ao Programa um Computador por aluno UCA da EE PADRE ANCHIETA. AÇÃO OBJETIVO INÍCIO TÉRMINO SITUAÇÃO Acompanhamento

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2016 / 2017 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO DISCIPLINA: Docente Técnico de Turismo Ambiental e Rural Turismo e Técnicas de Gestão António José Borralho Ramalho N.º TOTAL DE MÓDULOS

Leia mais

PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE. Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira.

PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE. Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira. PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira. 2010 DIRETRIZES Disseminação da cultura da inclusão no âmbito do IFC através de projetos, assessorias

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE DIREÇÃO GERAL

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE DIREÇÃO GERAL RESOLUÇÃO Nº 01/2011/CEFID Regulamenta as Atividades Complementares nos Cursos de Graduação do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina. O Presidente do Conselho

Leia mais