VISUAL MERCHANDISING METRICS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VISUAL MERCHANDISING METRICS"

Transcrição

1 VISUAL MERCHANDISING METRICS

2 GRUPO TOOLBOX EM #s 4 LIVROS 4,000 LIVROS VENDIDOS EM 4 ANOS 600 ARTIGOS E ENTREVISTAS PUBLICADAS NO BRASIL 50 MIL LOJAS AUDITADAS POR ANO 90 PALESTRAS ASSISTIDOS POR MAIS DE 2500 EXECUTIVOS NO BRASIL E EXTERIOR 300 EXECUTIVOS TREINADOS EM TRADE E SHOPPER MKT 15 EMPREGADOS E CENTENAS DE COLABORADORES EM 400 CIDADES DO PAÍS

3 CLIENTES ATUAIS Proprietary & Confidential THE TOOLBOX GROUP

4 EXPERIÊNCIA COM AS MARCAS

5 NÃO SE PODE DESENVOLVER O QUE NÃO É MEDIDO

6 TEST AND LEARN COM MÉTRICAS OBJETIVO É OTIMIZAR INVESTIMENTOS DIMINUIR CICLO DE APRENDIZADO TER MAIS CONTROLE SOBRE RESULTADOS NO PONTO DE VENDAS

7 TEST AND LEARN SÃO EXPERIMENTOS BEHAVIORAL ECONOMICS: UM PEQUENO ESTÍMULO PODE MUDAR MUITA COISA TENDÊNCIA MUNDIAL

8 PRIMEIRO CRIE HIPÓTESES DIGAMOS QUE VOCE QUEIRA POR EXEMPLO ENCORAJAR S PESSOAS A PARAR DE JOGAR LIXO NA RUA. VOCE PODERIA: A) ENTREGAR FOLHETOS COM ORIENTAÇÕES B) PAGAR CATADORES PARA PEGAREM O LIXO E JOGAREM NO CESTO -46% C) PINTAR PEGADAS VERDES NA CALÇADA, ORIENTANDO ONDE ESTÁ O CESTO DE LIXO MAIS PRÓXIMO

9 NO PONTO DE VENDA DEVEMOS MEDIR E PERGUNTAR MEDIR COMPORTAMENTO TRÁFEGO: NA PORTA, NO CORREDOR, NA GÔNDOLA, NO CHECKOUT TEMPO: PARA OLHAR, PARA NAVEGAR, PARA SELECIONAR, PARA DECIDIR VISIBILIDADE: QUANTOS VIRAM O ESTÍMULO? ENGAJAMENTO: QUANTO E ONDE AS PESSOAS INTERAGIRAM COM O ESTÍMULO? CONVERSÃO: QUAL É O IMPACTO DE UMA VARIÁVEL QUALQUER EM VENDAS/ROI? PERGUNTAR RECALL: QUANTOS SE LEMBRAM? EMOÇÃO: A PERCEPÇÃO/OPINIÃO/INTENÇÃO MUDOU?

10 ALGUNS FAZIAM ISSO MUITO ANTES DO BIG DATA KRAFT FOODS EUA: DEPTO DE TEST AND LEARN VERIFICA EFICIÊNCIA DE PROMOTORES, HORÁRIOS DE ENTREGAS, CROSS MERCHANDISING, ETC. EBAY: TESTA MUDANÇAS NO WEBSITE E APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS KMART (VAREJISTA EUA): TESTA LAYOUT DE LOJAS (STORE IN STORE) FOOD LION SUPERMERCADOS (EUA): TESTA IMPACTO DE DISPLAYS

11 (adaptado a partir de: Harvard Business Review por Thomas H Davenport, 02-09) Test & LearnTOOLBOXTM Biblioteca de aprendizado Desenvolva um resumo de cada teste: hipóteses, dimensões do teste, resultados-chave, interações, estratégias de ROLLOUT e resultados Use nomenclatura de negócios para facilitar a busca e torne os outputs acessíveis na empresa Enconrage a cultura de teste e aprendizado 6) Roll out Acompanhe o rollout e verifique os resultados iniciais Incentive o compartilhamento de informações entre os gestores envolvidos em cada ponto de venda 5) Planeje Rollout Estude os atributos dos grupos testados para determinar se o rollout deve ser geral ou por segmento de pontos de venda Equilibre a complexidade do roll out com a facilidade de implementação Biblioteca de aprendizado 4) Análise do teste Assegure-se de que os incrementais são válidos Use ferramentas de software para análise de dados complexos dos testes múltiplos e grupos de controle Avalie a necessidade de testes mais aprofundados Examine o máximo de atributos possíveis para ver como as variáveis-chave interagem 1 3 1) Definindo hipóteses: Tenha certeza de que as hipóteses possam: ser testadas, trazer retorno substancial e se a confirmação da hipótese sugere uma decisão ou ação efetiva ou (caso negativo, não vá adiante) 2 2 ) Desenhando o experimento Assegure um número de PDVs de testes e de controle com alguma representatividade Use simulação para explorar múltiplas estratégias criando grupos de controle Prolongue o período de testes se as métricas forem altamente variáveis 3) Execução do teste Discuta com os experts e pessoas do ponto de venda os pontos que podem ter saído errado/afetado o resultado Instrua o pessoal de campo para que reportem e controlem variáveis estranhas e remova da amostra pontos problemáticos Ajuste os planos de forma a compensar os executores afetados negativamente pelos testes (ex. Varejistas/vendedores)

12 DÚVIDA O QUE ACONTECE QUANDO ITENS SAUDÁVEIS ESTÃO NAS PRATELEIRAS MAIS VISÍVEIS EM UMA CANTINA ESCOLAR E JUNK FOOD NAS DE CIMA? ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO FORAM 13% MAIS SUSCETÍVEIS A ESCOLHER FRUTAS E 23% MAIS SUSCETÍVEIS PARA ESCOLHER VEGETAIS EM ESTUDO DE 2013 Fonte: Smarter lunchrooms makeover study - ESTUDO FEITO PELA CORNELL UNIVERSITY EM 2013

13 DÚVIDA PLANOGRAMA POR BLOCOS + ADEQUAÇÃO DE SORTIMENTO POR FORMATO DE LOJA FUNCIONA?

14 VOLUME DE CATEGORIA L NO NOVO PLANOGRAMA CRESCE 8PP A MAIS DO QUE CONTROLE SELL OUT $ Região ANTES DEPOIS VARIAÇÃO Piloto ,32 24% Controle % +14pp Em unidades, o crescimento na Área Piloto é 8pp maior do que Controle SELL OUT VOLUME (UN.)* Região ANTES DEPOIS VARIAÇÃO Piloto , ,15 27% Controle , ,17 19% +8pp *Variação % dos períodos: antes (maio à Julho de 2011) e depois (agosto à outubro de 2011). (peso) Fonte: TOOLBOXTM

15 DÚVIDA QUAL É O IMPACTO EM SELL-OUT DE AGRUPAR OS PRODUTOS EM UMA SOLUÇÃO PARA O SHOPPER?

16 DÚVIDA DIGITAL SIGNAGE FUNCIONA NO PONTO EXTRA?

17 RESULTADOS: LEVANTAMENTO DE VENDAS X CONTROLES PRÉ TESTE FASE DE TESTE VS SEM TERMINAL COM TERMINAL Controle RYOBI 1 TERMINAL+TV % 50% TERMINAL - SEM TV % BEHR PAINT TERMINAL + TV % -1% TERMINAL - SEM TV % Fonte: Smart Revenue EUA,

18 DÚVIDA QUANDO UM PRODUTO ESTÁ NO ESPAÇO SECUNDÁRIO, QUANTO DAS VENDAS DA LOJA SE ORIGINAM A PARTIR DESSE PONTO?

19 PRINCIPAL: Primário Candy-bags/bars 0% 12% Carbonated Beverages 0% 29% Cookies & Crackers 1% 35% H&B - Oral Care 0% 10% Bread 0% 17% Service Bakery 1% 26% Bottled Waters 1% 24% Chips2% 20% Non-carbonated Beverages 0% 13% 31% Service Deli 42% Spices,Seasonings 1% 11% 30% Paper Products 1% 22% 16% Grocery Deli 6% 18% 14% Juice, Drinks - DG 0% 17% 21% Produce 6% 24% 8% Baby Food 8% 3% 25% Salad Dressings 4% 19% 13% Meat - Fresh 35% Peanut Butter, Jams, Jellies, Spreads2% 7% 22% Pet Food 31% Pizza/Snacks/Hors d'oeuvres 1% 20% 10% Coffee 3% 7% 21% Laundry 21% 6% 3% Dairy - Milk 29% Breakfast Cereal 12% 7% 10% Beer 3% 9% 16% Frozen Dinners & Entrees 4% 14% 9% Dairy - Yogurt 27% Prepared Food, Canned - RTS 6% 8% 8% Canned Vegetables 7% 8% 6% Household Cleaning 7% 10% 4% Prepared Food - dry mixes 10% 7% 4% Dairy - Cheese 21% Canned Soup 9% 6% 4% H&B - Body Soap & Cleansers 4% 3% 10% Canned Seafood 16% Dried Pasta 16% Canned Fruit 13% H&B - Shampoo & Conditioners 11% PROMO: Secundário pontas de gôndolas, lobby, etc. 37% 41% 67% 49% 40% 64% 56% 44% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Fonte: TNS Sorensen EUA 2008 cedido por Herb Sorensen, PHD Gondola Both A/O Locations

20 RELEVÂNCIA E CONTEXTO AUMENTAM IMPACTO FONTE: HERB SORENSEN TNS CEDIDO PELO AUTOR SOM ATRATIVO recordação de imagens emocionais/ estímulo vendas aumentaram 47%!

21 DÚVIDA QUAL É O MIX IDEAL DE AÇÕES DE PDV QUE MAXIMIZAM MEU RETORNO?

22 IMPLEMENTAÇÃO QUE FUNCIONA EXIGE ESFORÇO COORDENADO DE VM COM POLÍTICA COMERCIAL FONTE TOOLBOX / RB ESPAÇO EXTRA APENAS= IMPACTO NEUTRO CROSS MERCHANDISING APENAS= +1.54% ESPAÇO DE GÔNDOLA RECOMENDADO= + 2,5% DISPLAY APENAS= +6% POLÍTICA DE PREÇOS(ABAIXO/ DENTRO DO RECOMENDADO)= +11% DISPLAY + PREÇO = +16% Tudo= +21%

23 DÚVIDA QUE TIPO DE IMAGEM É MAIS RELEVANTE PARA O SHOPPER?

24 SEQUÊNCIA TEMPO OLHANDO

25 DÚVIDA QUE TIPO DE MENSAGEM É MAIS RELEVANTE PARA O SHOPPER?

26 QUAL MENSAGEM DE COMUNICAÇÃO ELES CONSIDERAVAM MAIS IMPORTANTE NA LOJA RESULTADO: 1. LOCALIZAÇÃO DOS ITENS, FACILIDADE DE ACESSO 2. POLÍTICAS DA LOJA 3. OFERTAS ESPECIAIS 4. INFORMAÇÕES DE COMO UTILIZAR 5. BRANDING 6. PROMOÇÕES DA LOJA FONTE: ADAMS EUA

27 DÚVIDA ONDE UM POP MATERIAL É MAIS LEMBRADO?

28 << VOCE SE LEMBRA DE ONDE VIU? >> ONDE OS SHOPPERS MAIS LEMBRAM DE TER VISTO MATERIAL POP EM UMA LOJA? 80,7% Na ponta de gôndola 50,2% Assim que eu entro na loja 42,0% No meio do corredor perto da categoria de produto 41,7% Na gôndola, onde o produto está disposto 22,7% No checkout Fonte: Promotion Effectiveness, estudo de Clayton/Curtis/Cottrell

29 DÚVIDA EM QUE LOCALIDADE UM MATERIAL POP GERA MAIS ENGAJAMENTO?

30 DÚVIDA ESCANEIE O QR

31 DÚVIDA REINVENÇÕES DE CATEGORIAS ( RENOVAÇÕES DE AMBIENTAÇÃO + SEGMENTAÇÃO) FUNCIONAM? Kraft&Dannon/ USA Reinvenção do corredor de refrigerados reduziu rejeição dos shoppers aumentando fluxo na área e penetração da categoria nas compras Fonte: Shopper Marketing Official News Publication June/2011

32

33 DÚVIDA QUAL É O MELHOR DESIGN DE LOJA?

34 Aumento de 25 % de vendas Antes era status, agora é prazer, nova comunicação para a nova geração e não para baby boomers. Fonte: pg 279 a 281 M. Gobé Emotional Branding (Emotional Brand Sensory Plataform)

35 DÚVIDA A LARGURA DOS CORREDORES AFETA AS VENDAS?

36 ATENÇÃO! O CUSTO DE TESTAR DEVE SER MENOR DO QUE LUCRO POTENCIAL NIELSEN P.R.I.S.M - FRACASSO LANÇAMENTO: 2007 PELA NIELSEN O PRODUTO: ERA PARA SER O IBOPE (TV) DO PONTO DE VENDA COMO FUNCIONAVA: UM CONJUNTO DE SENSORES E CÂMERAS EM LOJAS DO WM CAPTURAVA IMAGENS DE SHOPPERS E IDENTIFICAVA SE ELES HAVIAM VISTO O MATERIAL POP. O QUE MEDIA: STORE TRAFFIC COMPLIANCE UNDUPLICATED IMPRESSIONS = IN-STORE MARKETING METRIC (FOCO EM DIGITAL SIGNAGE) QUEM PAGOU A CONTA: 3M, COCA-COLA, KELLOGG'S, MILLER BREWING, PROCTER & GAMBLE, THE WALT DISNEY COMPANY, ALBERTSONS, KROGER, WALGREENS AND WAL-MART POR QUE DEU ERRADO: O CUSTO DO TESTE SUPEROU O BENEFÍCIO

37 TEST & LEARN MINDSET A CABEÇA PARA TESTAR E APRENDER CRIE A CULTURA DE EXPERIMENTAÇÃO (TEST & LEARN) FOMENTE O COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES, ALÉM DO USO E RETROALIMENTAÇÃO DA BIBLIOTECA DE APRENDIZADO SAIBA LIDAR COM OS FRACASSOS E SUCESSOS ESTABELEÇA CRITÉRIOS DE SUCESSO ANTES DO INÍCIO DO EXPERIMENTO FAÇA PILOTOS DE APLICAÇÃO E USE O MODELO NO ROLL-OUT ATÉ QUE O MODELO SEJA EXAURIDO (LUCRO ADICIONAL < CUSTO DE IMPLEMENTAÇÃO)

38 AUMENTANDO AS CHANCES DE SUCESSO (ANTES DE PRODUZIR AS PEÇAS) SIMULAR IMPACTO VISUAL COM EYE TRACKING ESCOLHER ELEMENTOS E CORES QUE ATRAEM A VISÃO COLOQUE O VM EM UM CONTEXTO QUE FAÇA SENTIDO PARA O SHOPPER CRIAÇÃO ESCOLHA AS MENSAGENS QUE TERÃO MAIOR PODER DE CONVENCIMENTO INTEGRE A COMUNICAÇÃO NO PDV COMO COMPLEMENTO AO PRE-SHOP

39 AUMENTANDO AS CHANCES DE SUCESSO (ANTES DE PRODUZIR AS PEÇAS) CALCULE CORRETAMENTE O NÚMERO DE PEÇAS E O TIMING DE TROCA (DURABILIDADE NO PDV) SE FOR UMA MARCA DE BENS DE CONSUMO, INVISTA NOS CANAIS COM MELHOR ROI PRIMEIRO NÃO DESCUIDE DO MANUSEIO, TRANSPORTE E DA EXECUÇÃO NO PDV PLANEJAMENTO & EXECUÇÃO

40 A EXECUÇÃO É A ÚNICA ESTRATÉGIA QUE O SHOPPERENXERGA! OBRIGADO! RAFAEL D ANDREA Contatos : Site :

41

42 Economy of Scale December 24, 2010 Since 2007, Kraft Foods has been conducting tests of shopper marketing programs through its In-Market Testing for Growth (IMTG) unit. The knowledge gleaned from IMTG has allowed the company to generate incremental sales by strengthening programs that work while weeding out the ones that don't. "We can quantify dollar amounts to every initiative and determine how it's working in real time in the store," says Crystal Pinkston, consumer insights manager at Kraft, Northfield, Ill. It's Pinkston's job to marshal her team of just four staffers around the implementation of test concepts that may arise from anywhere within the sales or marketing divisions of the company. "The methodology is not new, but we've been applying it more strategically on a larger scale," she says. Pinkston presented two (disguised) IMTG case studies at the Shopper Marketing Expo in October. Generally speaking, the first test involved making adjustments in delivery schedules and increasing merchandising hours to exploit historical purchasing patterns in a single product category. The second test, in another category, aimed to maximize revenue during the holiday selling season by reducing out-of-stocks. In the first test, Kraft knew that days X, Y and Z were historically the biggest sales days for a particular category. Looking to optimize its delivery schedule and grow sales, it conducted three test legs: A) It added an incremental delivery on day X to a group of retailers; B) It shifted a delivery to day X for those stores; C) It provided merchandising support (i.e., hours) from additional workers so that sales reps were free to make additional deliveries. Kraft expected a 2% incremental sales lift on legs A and B. For leg C, it simply wanted to see no negative impact of shifting merchandising duties from sales reps to employees less familiar with stocking shelves and setting up displays at those stores. Leg A provided the 2% lift. However, in Leg B, shifting the delivery day created additional disruptions in the system. As a result, the sales impact was flat. "That was a surprise," says Pinkston. "We thought that whatever additional merchandising support we could provide would create a lift." Even more surprising, the stores that received the additional merchandising hours showed a 3.8% sales lift and performed better in non-promotional weeks. That result produced an actionable insight for Kraft. "Shifting merch hours is something we can implement in our stores quickly and easily," notes Pinkston. By segmenting the test results using Spectra data, Kraft learned that the program performed better in crowded urban centers and among middle- and low-income consumers. It also evaluated the program over an eight-week and 12-week period, and found that Leg C improved over time. "Our hypothesis was that as the merchandisers became more familiar with the stores and what we were asking them to do, we were getting more benefit for the program," says Pinkston. "Because they didn't have the constraints that the sales reps had, they were able to achieve better quality merchandising and make sure things were in place." In the second test, Kraft evaluated a program that had been in place for two years. One of its brands partnered with a DSD network to maximize product availability on shelf during holiday drive weeks by providing retail incentives to sales reps and by placing instantly redeemable coupons on the products. Tests compared stores where these incentives were in place versus those where they were not implemented. The test found no statistically significant lift for any of the holiday periods, with the majority of sales coming during the last eight weeks of the program. "We found that consumers were pantry-loading during the holidays, which meant that our hypothesis about out-of-stocks being a barrier to sales was not true," says Pinkston. "The takeaway is that our team should re-direct funds from the [incentive] program toward other brand-building activities. Also, we recommended that they channel the product inventories to come in early to be consistent with that holiday peak and the fact that consumers were pantry-loading." The ability to distinguish claimed and actual results has paid big dividends for Kraft, says Pinkston. "We've been able to test on a small scale and make adjustments before making significant investments in a program." Source: Shopper Marketing Magazine

SHOPPER MARKETING. Cap. 5: CRIANDO A ORGANIZAÇÃO CENTRADA NO SHOPPER

SHOPPER MARKETING. Cap. 5: CRIANDO A ORGANIZAÇÃO CENTRADA NO SHOPPER SHOPPER MARKETING Cap. 5: CRIANDO A ORGANIZAÇÃO CENTRADA NO SHOPPER Shopper Marketing: A nova Estratégia Integrada de Marketing para a Conquista do Cliente no Ponto de Venda. São Paulo: Atlas, 2011. Autores:

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

SEMINÁRIO GVCEV: COMPORTAMENTO DO SHOPPER NO VAREJO

SEMINÁRIO GVCEV: COMPORTAMENTO DO SHOPPER NO VAREJO SEMINÁRIO GVCEV: COMPORTAMENTO DO SHOPPER NO VAREJO Comportamento do Shopper nas Classes Populares Prof. Dr. Leandro Guissoni EAESP/FGV Agenda Uma revolução em Shopper Marketing Shopper de Classes Populares

Leia mais

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA SUMÁRIO VOLUME 1 "Dentro de você existe um Universo em permanente construção." Paulo Roberto Gaefte Lesson One Review 07 Lesson Two Days of the week 24 Lesson Three School Subjects 30 My Dictionary 38

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

Em um Brasil em transformação como o Distribuidor pode ser o aliado preferencial da indústria e de seu cliente?

Em um Brasil em transformação como o Distribuidor pode ser o aliado preferencial da indústria e de seu cliente? Em um Brasil em transformação como o Distribuidor pode ser o aliado preferencial da indústria e de seu cliente? 7 de agosto 2012 Leonardo Curado, Diretor Comerial, J&J Brasil TRANSFORMAÇÃO Os desafios

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

Guia prático de como montar um planograma eficiente. www.pdvativo.com.br

Guia prático de como montar um planograma eficiente. www.pdvativo.com.br Guia prático de como montar um planograma eficiente www.pdvativo.com.br 1. INTRODUÇÃO 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO

Leia mais

SHOPPER MARKETING Cap. 1: O QUE É SHOPPER MARKETING?

SHOPPER MARKETING Cap. 1: O QUE É SHOPPER MARKETING? Shopper Marketing: A nova Estratégia Integrada de Marketing para a Conquista do Cliente no Ponto de Venda. São Paulo: Atlas, 2011. Autores: Rafael D Andrea, Matheus Alberto Cônsoli, Leandro Angotti Guissoni

Leia mais

Inglês 17 Past Perfect

Inglês 17 Past Perfect Inglês 17 Past Perfect O Past Perfect é um tempo verbal utilizado quando temos duas ações que ocorreram no passado, porém uma delas ocorreu antes da outra. When you called, she had just received the bad

Leia mais

Comportamento do Shopper no Varejo

Comportamento do Shopper no Varejo Seminário GVcev Comportamento do Shopper no Varejo Case Dafiti Malte Huffmann A Dafiti traz alegria na hora de comprar We deliver fashion & lifestyle products conveniently and accessibly at one click This

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais

Enquadramento. Análise e prospeção das vendas em ecommerce (mundial) EUA - E-COMMERCE

Enquadramento. Análise e prospeção das vendas em ecommerce (mundial) EUA - E-COMMERCE E-COMMERCE nos EUA EUA - E-COMMERCE Enquadramento Análise e prospeção das vendas em ecommerce (mundial) http://www.statista.com/statistics/261245/b2c-e-commercesales-worldwide/ EUA - E-COMMERCE Enquadramento

Leia mais

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa;

PRESENT PERFECT. ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS: 1. Não existe este tempo verbal na Língua Portuguesa; 2. Associa-se o Present Perfect entre uma ação do passado que tenha uma relação com o presente; My life has changed

Leia mais

booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues:

booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues: booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues: What would be the impact of additional traffic on car delays? Would adding Simulação

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC

The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos. David Acheson, MD Leavitt Partners LLC The Challenges of Global Food Supply Chains Os Desafios da Cadeia Global de Alimentos David Acheson, MD Leavitt Partners LLC Outline Esboço Factors Driving Changes Fatores que impulsionam as mudanças Challenges

Leia mais

Seu Tempo é Precioso. Volume I. Charlles Nunes

Seu Tempo é Precioso. Volume I. Charlles Nunes APRENDA INGLÊS EM CASA Seu Tempo é Precioso Volume I Charlles Nunes Aprenda Inglês em Casa ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 LESSON 1... 5 LESSON 2... 10 LESSON 3... 16 LESSON 4... 21 2 Charlles Nunes APRESENTAÇÃO

Leia mais

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Rafael de Souza Lima Espinha Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo

Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo Agenda 1) Mudanças no Ambiente - A evolução do Varejo - A evolução da Indústria - A evolução Consumidor 2) Trade Marketing: Resposta ao Novo Cenário 3) Modelos

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo Mídias Sociais Fatos e Dicas para 2013 Esteja preparado para um ano digital, social e interativo NESTE E-BOOK VOCÊ VAI ENCONTRAR: 1 - Porque as mídias sociais crescem em tamanho e em importância para o

Leia mais

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS 127 MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS VISUAL MODELING OF SOFTWARE FOR COMMUNICATION MANAGEMENT IN PROJECT MANAGEMENT Ricardo Rall 1 Arilson José

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Compartilhando Energia Humana. Sharing Human Energy

Compartilhando Energia Humana. Sharing Human Energy Compartilhando Energia Humana Sharing Human Energy A Chevron Brasil tem como estratégia e valor um plano de investimento social voltado para o incentivo à qualificação profissional e ao empreendedorismo

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

Eventos Internacional

Eventos Internacional Eventos Internacional Site Inspection Novembro 2014 Apoio Elisabete Sorrentino, Cintia Hayashi Evento: ESOMAR Latin American Conference Entidade Apoiada: World Association of Research Professionals -ESOMAR-

Leia mais

SUMMARY 9 STORES 10 PUBLICITY 11 PITSTOPS 12 MEDIA CLIPPING 13 INSTAGRAM 14 FACEBOOK 15 RESULTS

SUMMARY 9 STORES 10 PUBLICITY 11 PITSTOPS 12 MEDIA CLIPPING 13 INSTAGRAM 14 FACEBOOK 15 RESULTS SUMMARY The biggest event of fashion, art, tecnology and culture of Barra da Tijuca. It was with this maxim that was born RIO DESIGN EXPERIENCE, an unprecedented Marketing Campaign where event and promotion

Leia mais

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education *5148359301* PORTUGUESE 0540/03 Paper 3 Speaking Role Play Card One 1 March 30 April 2013 No

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira Slide do Prof. Silvio

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

O SEU NEGÓCIO ESTÁ NA MODA Your Business is in fashion

O SEU NEGÓCIO ESTÁ NA MODA Your Business is in fashion O SEU NEGÓCIO ESTÁ NA MODA Your Business is in fashion Fazemos parte do processo de retalho de moda com o objetivo de aumentar as suas vendas Desde a fundação em 1980 que somos um operador ativo e inovador,

Leia mais

COMO PATROCINAR / HOW TO SPONSOR

COMO PATROCINAR / HOW TO SPONSOR INTERNATIONAL MONEY TRANSFER CONFERENCES BRASIL 2014 27 th to 28 th March, 2014 (pre-conference 26 th ) Hotel Golden Tulip / Paulista Plaza - São Paulo, SP - Brasil www.imtcbrasil.com COMO PATROCINAR /

Leia mais

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP Know-how setorial e global pré-configurado Índice 1.Disponibilidade dos pacotes SAP Best Practices 2.Efetuar

Leia mais

Processo de exportação de perecíveis aos EUA. (Frederico Tavares - Gerente de Comércio Internacional, UGBP: Union of Growers of Brazilian Papaya)

Processo de exportação de perecíveis aos EUA. (Frederico Tavares - Gerente de Comércio Internacional, UGBP: Union of Growers of Brazilian Papaya) Processo de exportação de perecíveis aos EUA (Frederico Tavares - Gerente de Comércio Internacional, UGBP: Union of Growers of Brazilian Papaya) World Production of Tropical Fruit World production of tropical

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

Uma Revolução nas Bebidas. 12 de Maio de 2006

Uma Revolução nas Bebidas. 12 de Maio de 2006 Uma Revolução nas Bebidas 12 de Maio de 2006 Situação Mercado em 2003 Mercado estável de aproximadamente 650 milhões de litros com marcas bem estabelecidas e com um Líder forte 50,0 45,0 45,7 44,7 45,1

Leia mais

Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital

Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital Faça você mesmo: Do Projeto 3D às Ferramentas de Fabricação Digital Raul Arozi Moraes Technical Specialist AUBR-63 Inovação e Colaboração Móvel Sobre a Autodesk +10 milhões usuários em mais de 800,000

Leia mais

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03 UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education PORTUGUESE 0540/03 Paper 3 Speaking/Listening Role Play Card One No Additional Materials are

Leia mais

ATIVIDADES AVALIATIVAS DE INGLÊS DO PRIMEIRO BIMESTRE ENGLISH ACTIVITIES OF THE FIRST TERM

ATIVIDADES AVALIATIVAS DE INGLÊS DO PRIMEIRO BIMESTRE ENGLISH ACTIVITIES OF THE FIRST TERM GOVERNO DO CEARÁ EEM MENEZES PIMENTEL ENSINO MÉDIO / HIGH SCHOOL SÉRIE/GRADE: TURMA/GROUP: ALUNO 1: ALUNO 2: ATIVIDADES AVALIATIVAS DE INGLÊS DO PRIMEIRO BIMESTRE ENGLISH ACTIVITIES OF THE FIRST TERM PACOTI

Leia mais

Ano: 2012 Turma: 7.1 e 7.2

Ano: 2012 Turma: 7.1 e 7.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2012 Disciplina: Inglês Professora: Viviane Ano: 2012 Turma: 7.1 e 7.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them?

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them? GUIÃO A Prova construída pelos formandos e validada pelo GAVE, 1/7 Grupo: Chocolate Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas 1º Momento Intervenientes

Leia mais

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems João Barreto and Paulo Ferreira Distributed Systems Group INESC-ID/Technical University Lisbon, Portugal www.gsd.inesc-id.pt Bandwidth remains

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person?

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person? Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014 GUIÃO A Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho 1.º Momento Intervenientes e Tempos

Leia mais

Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework

Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework Doing Business in Brazil : Pathways to success, Innovation and Access under the Legal Framework BY FABIANO ANDREATTA L E G A L A F F A I R S M A N A G E R E L I L I L L Y D O B R A S I L L T D A. * A s

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group:

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group: Present Perfect: FOOD for THOUGHT Colégio de Aplicação UFRGS Name: Group: Present Perfect Simple Os Perfect Tenses são formados com o presente simples do verbo to have (have / has), que, neste caso, funciona

Leia mais

quarta-feira, 21 de novembro de 12

quarta-feira, 21 de novembro de 12 31.outubro.2012 Email Marketing na Era do Mobile First Está Preparado? Ricardo Longo ricardo@ftips.mobi @ricolongo quarta-feira, 21 de novembro de 12 O que eu estou fazendo aqui? quarta-feira, 21 de novembro

Leia mais

Core Security Technologies Foco de Mercado e Uma Visão Geral Ajudando as empresas a comprovarem a segurança dos seus sistemas de informação.

Core Security Technologies Foco de Mercado e Uma Visão Geral Ajudando as empresas a comprovarem a segurança dos seus sistemas de informação. Core Security Technologies Foco de Mercado e Uma Visão Geral Ajudando as empresas a comprovarem a segurança dos seus sistemas de informação. May 2008 Pense como o inimigo pensa Teste seus sistemas para

Leia mais

Processo Seletivo 2013-2 - Inglês. Para a primeira questão, os critérios de correção foram definidos como seguem, abaixo:

Processo Seletivo 2013-2 - Inglês. Para a primeira questão, os critérios de correção foram definidos como seguem, abaixo: 1) Gabarito oficial definitivo - Questão 1 Para a primeira questão, os critérios de correção foram definidos como seguem, abaixo: Quando o candidato redigiu: (Because) gut microbe may fight obesity and

Leia mais

Como dizer quanto tempo leva para em inglês?

Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Você já se pegou tentando dizer quanto tempo leva para em inglês? Caso ainda não tenha entendido do que estou falando, as sentenças abaixo ajudarão você a entender

Leia mais

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior Modelagem e Simulação de Incêndios Fire dynamics Carlos André Vaz Junior INTRODUÇÃO Fire dynamics is a very quantitative and mathematically complex subject. The term fire dynamics came into common use

Leia mais

NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

Teoria Económica Clássica e Neoclássica

Teoria Económica Clássica e Neoclássica Teoria Económica Clássica e Neoclássica Nuno Martins Universidade dos Açores Jornadas de Estatística Regional 29 de Novembro, Angra do Heroísmo, Portugal Definição de ciência económica Teoria clássica:

Leia mais

Interactive Internet TV Architecture Based on Scalable Video Coding

Interactive Internet TV Architecture Based on Scalable Video Coding Interactive Internet TV Architecture Based on Scalable Video Coding Pedro Gomes Moscoso Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia de Redes de Comunicações Presidente: Orientador: Co-Orientador:

Leia mais

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Agenda Agenda Futuro da produção farmacêutica Future of pharmaceutical production Compressão como principal ponto no processo de

Leia mais

Apenas nos primeiros seis meses

Apenas nos primeiros seis meses 16 Capa S u P e r m e r c a d o m o d e r N o agosto 2010 Por Fernando Salles salles@lund.com.br Novos A opinião do consumidor Apenas nos primeiros seis meses deste ano foram lançados no Brasil 6.315 produtos,

Leia mais

Tendências da pesquisa acadêmica na àrea de Marketing

Tendências da pesquisa acadêmica na àrea de Marketing Tendências da pesquisa acadêmica na àrea de Marketing Wagner A. Kamakura Ford Motor Company Professor of Global Marketing Duke University Outline A Pesquisa academica na area de Marketing O Marketing como

Leia mais

Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco

Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco Antonio Donatelli Desenvolvendo relacionamento com clientes

Leia mais

@georgeguimaraes. Integração Discreta. melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração

@georgeguimaraes. Integração Discreta. melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração @georgeguimaraes Integração Discreta melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração @georgeguimaraes George Guimarães co-fundador da Plataformatec entrega de projetos Posicionamento único

Leia mais

Logistics / Supply Chain

Logistics / Supply Chain Deixar descongelar o produto durante cerca de 60minutos Colocar o creme no saco de pasteleiro Efectuar um corte inclinado até meio da bola, na sua parte superior (logo a seguir á emenda) Cortar o bico

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO NA CRIAÇÃO DE SEU BLOG: RELATO DE CASO

A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO NA CRIAÇÃO DE SEU BLOG: RELATO DE CASO 1 A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO NA CRIAÇÃO DE SEU BLOG: RELATO DE CASO Lívia Porto Zocco 1, Maria Cristina Manduca Ferreira 2, Paula de Oliveira Almeida Moraes 3, Leopoldina

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL ZUMBI DOS PALMARES

COLÉGIO ESTADUAL ZUMBI DOS PALMARES COLÉGIO ESTADUAL ZUMBI DOS PALMARES NATANY VIEIRA DE SOUZA PLANO DE NEGÓCIO: LOJA ESPECIALIZADA AO JEANS COLOMBO 2013 NATANY VIEIRA DE SOUZA PLANO DE NEGÓCIO: LOJA ESPECIALIZADA AO JEANS Trabalho de Conclusão

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

Lição 24: Preposições de tempo. Como usar preposições de tempo.

Lição 24: Preposições de tempo. Como usar preposições de tempo. Lesson 24: Prepositions of Time (in, on, at, for, during, before, after) Lição 24: Preposições de tempo Como usar preposições de tempo. Reading (Leituras) I was born in 2000. (Eu nasci em 2000.) We work

Leia mais

Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise. - Carlos Paz Professor Associado ISG -

Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise. - Carlos Paz Professor Associado ISG - Novos Economistas 2012 Saídas Profissionais em Tempo de Crise - Carlos Paz Professor Associado ISG - Agenda Introdução O Tempo de Crise Debate sobre saídas profissionais Conclusões 2 Accenture Accenture:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 APRESENTAÇÃO ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão NBR 5410:1997 NBR 5410:2004

Leia mais

Marketing e qualidade em atendimento no Novotel

Marketing e qualidade em atendimento no Novotel 57 Marketing e qualidade em atendimento no Novotel Ana Carolina Prado Marques* Lidiane Aparecida Souza da Silva* Fabiana Gonçalves Artigas** Teodomiro Fernandes da Silva*** Resumo: O Novotel Campo Grande

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

UBIQUITOUS COLLABORATION. http://www.trprocess.com

UBIQUITOUS COLLABORATION. http://www.trprocess.com UBIQUITOUS COLLABORATION http://www.trprocess.com Our Company TR PROCESS SMART PROCESS EXPERTS A expressão Smart Process Application, como utilizamos hoje, foi definida e utilizada em seus relatórios pelos

Leia mais

Your Time is Precious BOOK ONE. www.second-language-now.com

Your Time is Precious BOOK ONE. www.second-language-now.com LEARN PORTUGUESE AT HOME Your Time is Precious BOOK ONE Learn Portuguese at Home TABLE OF CONTENTS LESSON 1...3 LESSON 2...8 LESSON 3...14 LESSON 4...19 LESSON 5...21 LESSON 6...27 LESSON 7...29 LESSON

Leia mais

Engenharia de Requisitos. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br

Engenharia de Requisitos. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br Engenharia de Requisitos Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br O Documento de Requisitos Introdução The requirements for a system are the descriptions

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

julho 2011 www.sm.com.br

julho 2011 www.sm.com.br www.sm.com.br Uma publicação do Grupo Lund ano 42 nº 7 julho 2011 DOIS (BONS) PROGRAMAS DE FIDELIDADE COMO DECIDIR O MELHOR NÍVEL DE ESTOQUE MÍDIA DIGITAL A TV QUE FAZ DINHEIRO UNILEVER DEFINE MIX DE 80

Leia mais

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP

Leia mais

17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011. 17º Estudo Anual de Marcas Próprias

17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011. 17º Estudo Anual de Marcas Próprias 17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011 Agenda Qual o desempenho da marca própria no mundo? Marca Própria, produto de qualidade e preço? Qual o desempenho da marca própria no Brasil? Quem é o shopper de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PROCISA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PROCISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PROCISA THALES FREDERICO RIBEIRO FONSECA O SIGNIFICADO DAS VIVÊNCIAS E PERCEPÇÕES DE PACIENTES

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook

Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook Marketing Digital de resultado para Médias e Pequenas Empresas Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook Ferramentas e experimentos para conseguir melhores resultados

Leia mais

Types of Investments: Equity (9 companies) Convertible Notes (10 companies)

Types of Investments: Equity (9 companies) Convertible Notes (10 companies) IMPACT INVESTING WE STARTED... A Venture Capital Fund Focused on Impact Investing Suport: Financial TA Criterias to select a company: Social Impact Profitabilty Scalability Investment Thesis (Ed, HC,

Leia mais

Lição 40: deve, não deve, não deveria

Lição 40: deve, não deve, não deveria Lesson 40: must, must not, should not Lição 40: deve, não deve, não deveria Reading (Leituras) You must answer all the questions. ( Você deve responder a todas as We must obey the law. ( Nós devemos obedecer

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE INGLÊS. Exercise 1. a) Complete o quadro abaixo com as formas do verbo To Be, no tempo Presente Simples.

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE INGLÊS. Exercise 1. a) Complete o quadro abaixo com as formas do verbo To Be, no tempo Presente Simples. ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE INGLÊS Exercise 1 a) Complete o quadro abaixo com as formas do verbo To Be, no tempo Presente Simples. I You He She It We You They b) Reescrevas a s frases a seguir nas formas

Leia mais

Trade Marketing Estratégico ou Tático. Tania Zahar Miné

Trade Marketing Estratégico ou Tático. Tania Zahar Miné Trade Marketing Estratégico ou Tático Tania Zahar Miné Agenda Mercado - Farmácias Trade Marketing Consumidor e shopper Desafios e oportunidades Farma Mercado Farmácias Números do setor Canal em crescimento

Leia mais

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening )

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web Barueri, / / 2009 Trimestre: 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) NOTA: ACTIVITY ONE: Put the verses in order according to what

Leia mais

Modelamento Banco de Dados e modelos de tendencia

Modelamento Banco de Dados e modelos de tendencia Modelamento Banco de Dados e modelos de tendencia NOTA: Cada barra representa o grau de partidas de uma determinada origem de um conhecido percurso. Por exemplo, em Dezembro o fator sazonal para Chicago

Leia mais

manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil

manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil Topic on this manual is about the greatest of those manualdepsiquiatriainfantil manual de psiquiatria infantil might have lots 1000s of different

Leia mais

Lean e Data Science para levar o turismo brasileiro a outro patamar

Lean e Data Science para levar o turismo brasileiro a outro patamar Lean e Data Science para levar o turismo brasileiro a outro patamar Bruno Pereira CTO do HotelUrbano em 2014 Trabalha com métodos ágeis desde de 2007 Fundador e CEO da Rivendel Tecnologia Lean Startups/Innovation

Leia mais

As Novas Formas de Financiamento da Economia

As Novas Formas de Financiamento da Economia As Novas Formas de Financiamento da Economia Francisco Fonseca Vice-Presidente ANJE 2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS - LISBOA O que são? Formas alternativas de financiamento incluem

Leia mais