A empresa na palma da mão Os novos meios de comunicação como ferramenta das Relações Públicas 20/04/2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A empresa na palma da mão Os novos meios de comunicação como ferramenta das Relações Públicas 20/04/2008"

Transcrição

1 A empresa na palma da mão Os novos meios de comunicação como ferramenta das Relações Públicas 20/04/2008 Tito Lívio Cavalcante Cartaxo* 1 INTRODUÇÃO Estamos na era da informação e da mobilidade, morada de uma nova modalidade de consumidores, que buscam incansavelmente por informações sobre assuntos diversos, tomando suas decisões de modo racional, fazendo com que o encanto gerado pela propaganda tradicional perca sua força. Hoje, existem milhões de consumidores, expondo na Internet suas experiências com produtos de todas as marcas, preenchendo lacunas deixadas pelas empresas, que não participam deste meio. Já não é mais suficiente, apenas ver um comercial na TV. Insatisfeitos com o que foi apresentado nos curtos trinta segundos, os consumidores correm para seus computadores, celulares e outros aparelhos de comunicação móvel e pesquisam sobre o produto, em fóruns, websites, chats, blogs e etc., para, a partir daí tomarem sua decisão e efetuarem a compra. As empresas estão se deparando a novos formatos de mídia, novas formas de contato, de interação, entre ela e os públicos. Os formatos antigos de comunicação institucional, bem como de promoção de marca e produtos, não funcionam tão bem neste meio, como funcionam nos meios tradicionais. Isso fez com que o setor de relações públicas, se destacasse diante dos demais, suprindo a demanda por informações sucintas, reais e com alta relevância, assumindo assim, a função de mediador nas novas formas de comunicação empresarial. O que o presente estudo pretende destacar, é como os profissionais de comunicação, em especial os relações públicas, podem fazer uso destes novos formatos de mídia e relacionamento entre a empresa e seus públicos, para gerar benefícios competitivos e agregar valor a marca. 2 RELAÇÕES PÚBLICAS DESBRAVANDO NOVOS MUNDOS Ás relações públicas vem evoluindo continuamente, seguindo os avanços dos meios de comunicação, contudo, sua evolução não tem se mostrado pro-ativa aos acontecimentos tecnológicos e comunicacionais. Temos então uma função primordial para empresa, agindo de forma pacífica, caminhando apenas com respostas e não lançando perguntas aos novos meios de comunicação. Tanto as empresas como os profissionais da área, deveriam travar batalhas no topo da onda evolutiva, utilizar seus conceitos para gerar novas formas de abordagem empresarial, novos meios de comunicação entre a empresa e seus públicos de interesse. É necessário utilizar as relações públicas como ferramenta de desenvolvimento e crescimento empresarial, como mediador de relações duradouras e estáveis. Segundo França (1997, p.03): Sem entrar nos primórdios da atividade de relações públicas, pode-se dizer que nasceu a partir de graves conflitos sociais, num país democrata, para melhorar negócios e não só apaziguar ânimos autoritários de empresários americanos. (...) Vinda para o Brasil, à área aqui se implantou por meio das lições de professores ingleses e americanos, conquistando uma elite intelectual e executiva que

2 cuidou de organizá-la e difundi-la junto aos órgãos governamentais e as empresas privadas. Todo mundo sabe que foi a São Paulo Tramway Light and Power Co. que introduziu a atividade no Brasil (...) em 21 de julho de 1954 fundou-se a Associação Brasileira de Relações Públicas e a atividade foi disciplinada em 11 de dezembro de 1967 pela Lei n Como vivíamos o período do militarismo, era evidente que uma profissão que luta pela livre iniciativa e pela democracia não teria muito campo para se manifestar e desenvolver. Isso talvez explique o fato de relações públicas ter permanecido no Brasil até hoje como uma atividade tímida, voltada, na maioria das vezes, para a política interna de comunicação das empresas e para as atividades de mídia, evitando, assim, a sua exposição a posicionamentos públicos que a pudessem comprometer. Talvez esse fator de repressão na sua criação tenha mesmo tornado a profissão um pouco apática, tenha tornado a função passiva. Na mesma época em que Fabio França escreveu este relato, ele já impulsionava e chamava a todos os profissionais e empresas a rever o uso das relações públicas pelas empresas. Relatando que: As coisas mudaram. Diante de um mundo em transformação, é hora de a categoria assumir corajosamente a sua profissão e tentar traçar-lhe seus novos caminhos, mais amplos, conscientes de que relações públicas é uma atividade de liberdade, de liderança e da atualidade. Conquistar um novo paradigma democrático de ação é o desafio que exige dos profissionais o conhecimento do que vem sucedendo nas estruturas da maioria das organizações. (FRANÇA, 1997, p.03). As relações públicas é vista como uma atividade de liberdade, atual e de liderança por: estar sempre a ouvir todos os públicos ligados à organização; buscar novas formas de convívio entre a empresa e seus públicos; e procurar sempre o caminho mais sábio, a trilha mais segura por onde deve percorrer a organização, em sua busca por um envolvimento que transcende o ato da compra, que vai além dos contatos promocionais. Nenhuma empresa pode satisfazer os interesses de determinado grupo em detrimento de outro, se a mesma pretende manter boas relações com todos. Desta forma deverão ser considerados os interesses de todos os grupos. Isso exige muita habilidade da administração, a fim de que um grupo não seja tratado de maneira desigual em relação a outro e, assim, um não seja prejudicado em razão do favorecimento de outro. Por possuir este caráter de mediador imparcial, a profissão de relações públicas carrega consigo um espírito de honestidade, e esta honestidade não é apenas um adjetivo, significa que suas ações são passíveis de confiança, são atos sinceros e de boa fé, transmitidos aos empregados, fregueses, fornecedores e à comunidade. As relações públicas procuram fazer uma organização adotar aquilo que, num homem, é reconhecido como boa moral. 2.1 Relações públicas nas organizações

3 A velocidade das mudanças que ocorrem em todos os campos impele a um novo comportamento institucional das organizações perante a opinião pública. Hoje as organizações assumem novas posturas na sociedade, não existe mais a empresa absoluta e indispensável que reinava nas décadas passadas. Elas passaram a se preocupar mais com as relações sociais, com os acontecimentos políticos e com os fatos econômicos mundiais. E, nesse contexto, a atuação das relações públicas será fundamental, pois caberá a essa atividade a função de uma auditoria social. Isto é, terá de saber avaliar as reações da opinião pública para traçar as estratégias de comunicação. Resumindo esse novo contexto Kunsch (1997) fala que, isso significa que as organizações não podem se pautar por uma política de indiferença, fechando-se para o que ocorre no mundo. Elas têm de assumir posturas cada vez mais claras, definidas e precisas. E isto só é possível com a comunicação, que deve receber delas o espaço merecido em suas estruturas formais. Por cobrir todo o contexto empresarial, podemos verificar a sua atuação da atividade em vários segmentos da empresa, tendo como ponto de partida a criação de uma filosofia global, corporativa integrada para orientar e dar sentido a todos os relacionamentos organizacionais. Abaixo veremos alguns enfoques da profissão, relacionados por França (1997, pp ). a) O enfoque filosófico ou de linha de princípios Pode ser chamado de enfoque doutrinário, de caráter universal, do estabelecimento de uma filosofia de ação, que fundamenta todos os princípios operacionais da atividade e sua ética. Esse enfoque constitui a essência da atividade e a autoriza a agir em todos os setores da sociedade, em todos os relacionamentos da empresa com seus públicos. Estabelece todo o seu corpo de doutrina e a torna diferente de qualquer outra atividade correlata. b) O enfoque Institucional Possuidora de um corpo de doutrina uniforme, coesa, relações públicas é uma atividade que pode agir em todos os campos sociais e em todas as organizações, defendendo-as junto à opinião pública pelo estabelecimento de estratégias que as levem a conseguir o cumprimento de sua missão, a atingir seus objetivos e metas. É importante lembrar que a preocupação com o público interno não esgota o conceito de relações públicas, que tem seu campo próprio nas ações junto aos públicos externos, em suas interfaces com os vários setores da sociedade, oficiais ou privados. c) O enfoque mercadológico É preciso entender que toda a política de relacionamento das organizações modernas está voltada para as atividades de marketing. Essa tendência manifesta-se na importância dada ao cliente, nas oportunidades de negócios em qualquer mercado do mundo, na importância da qualidade para o intercâmbio comercial, na importância da qualidade para o intercâmbio comercial, na importância das Normas ISO 9000, na eliminação de barreiras do comércio internacional. Disso resulta que relações públicas não é uma atividade puramente institucional. É também uma atividade mercadológica na medida em que estabelece as melhores formas de relacionamento com o mercado e, ao mesmo tempo, cria melhores oportunidades de vendas, gerando um "clima de negócios", de compreensão, de aceitação da empresa e de seus produtos pela projeção que relações públicas faz de um conceito positivo da empresa, de seus produtos e de seus negócios.

4 d) O enfoque estratégico Nesse momento é que entra a necessidade de planejar estrategicamente a atividade de relações públicas, que não pode ficar fora do planejamento estratégico global das empresas. É hora de, como fizeram as empresas, definir sua visão, sua missão, objetivos profissionais, funções, políticas, estratégias, planos de ação e suas formas legais de apresentação. Executar essa tarefa implica: definir a posição da atividade em relação ao cenário mercadológico global de hoje (análise situacional); conhecer suas linhas de atuação e as formas que oferece de atendimento ao público de interesse (análise operacional); estabelecer com segurança o potencial de ação da atividade e de atendimento à demanda do mercado por ela (análise organizacional e mercadológica); planejar corretamente suas ações em benefício da organização com o objetivo de poder contar com os recursos financeiros para realizar as tarefas propostas. Como se concretizará essa análise? Fazendo o mesmo questionamento exigido pelo planejamento estratégico: onde estamos com a atividade? (Identificação da realidade). Para onde queremos levá-la? (Estudo da expectativa). Para onde devemos conduzí-la? (Verificação da conjuntura). Para onde estamos indo? (Exame da realidade encontrada). Resta saber a forma com que organizaremos a atividade para ser bem-sucedida: como chegar onde projetamos a nossa ação? E concluindo: que tipo de atividade, de profissionais queremos ser? Aqui reside a estratégia, a definição do novo posicionamento da atividade diante da conjuntura atual. e) O enfoque público Os assuntos públicos envolvem todas as ações dedicadas aos relacionamentos com áreas governamentais em todos os seus níveis, com organismos oficiais e a administração pública, com os temas políticos, jurídicos e similares. Incluem também os acontecimentos que movimentam a opinião pública, seja pela sua magnitude ou pelo impacto que causam às organizações, às personalidades neles envolvidos ou à própria sociedade. f) O enfoque internacional Num mundo globalizado, as relações internacionais de negócios entre grandes organizações e entre organismos governamentais tornam-se cada vez mais freqüentes e, às vezes, altamente controversas. É um campo novo que se amplia para o exercício da atividade de relações públicas, ainda pouco explorado pela categoria. A organização da empresa, independentemente do setor público ou privado, qualquer um de seus níveis de departamentalização nos encaminha ao reconhecimento de uma necessidade de relacionamento com os vários tipos de públicos, ou seja, com o ambiente exterior; de tal sorte que a política de negócios, essencial à sociedade capitalista, se complementa com uma política de relações públicas. As atividades de relações públicas são um campo interdisciplinar representando, ao mesmo tempo, um instrumento da administração e da comunicação social. Podemos dizer que relações públicas constituem uma função de gerência, e dentre suas responsabilidades encontramos: segmentar a Opinião Pública em "públicos" classificados de acordo com o relacionamento que mantêm com a entidade, ou seja, identificar e classificar os grupos de pessoas que têm interesses comuns com a entidade; avaliar as atitudes desses "públicos" com relação à forma de atuar da entidade; e

5 informar esses "públicos" quanto aos aspectos de sua política operativa, no que possa interessar-lhes, e quanto ao desenvolvimento das atividades da entidade no meio comunitário. Assim, compreendemos que as relações públicas se manifestam principalmente na criação e divulgação de informação empresarial, e para cada público deve usar um tipo de mensagem que o atinja, com uma linguagem específica. Pois, a comunicação que alcança algum interesse ou característica especial da audiência influi mais na opinião do que as comunicações de massa, geral e indiferenciada. Por isso, a comunicação dirigida a uma audiência específica é mais eficaz que a dirigida a um público geral. 2.2 O círculo social da organização Em suas atividades diárias, as empresas estabelecem relacionamentos com diferentes tipos de público, e cada um deles, deve ser tratado como segmento de fundamental importância para o seu crescimento e bom posicionamento no mercado e na sociedade. Não se deve enaltecer um público específico, e desprezar outro que a priore possa parecer de menor importância no contexto empresarial. Todos os públicos que tem contato direto ou indireto com a empresa tem valor, e a existência de uma comunicação bem estruturada e administrada entre as partes, poderá render ótimos benefícios para a empresa. Quanto aos públicos de uma empresa, segundo Wey (1986, pp ), podemos classificá-los pelas áreas de relacionamento, abrangendo os dois grandes grupos de público externo e público interno. I Públicos externos Comerciais Revendedores, clientes diretos, consumidores, fornecedores e entidades de classe. Financeiros Bancos, estabelecimentos de crédito, grupos financeiros e agentes Governamentais Órgãos federais, estaduais e municipais dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Comunitários Grupos organizados, de ação ou de pressão (sociais, religiosos, estudantis, culturais, minorias, etc.) Educacionais Corpos docente e discente de nível universitário, secundário e fundamental. Mídias Imprensa, rádio, TV, cinema e Internet e etc. II Público Interno Empregados Empregados da empresa e seus familiares. O levantamento dos públicos é fundamental para as empresas, desta forma podese estabelecer políticas, metas e meios para atingir individualmente cada tipo de público presente no seu círculo social, da melhor maneira possível, estabelecendo uma comunicação íntima e pessoal com cada segmento. Assim tanto o seu crescimento no mundo dos negócios quanto na sociedade da qual faz parte será visível e saudável. Elevando a marca a patamares diferenciados no mercado. 2.3 Ferramentas empresariais das relações públicas Os fatos, as cifras, as capacidades, os resultados povoam as comunicações empresariais, que são frutos da colaboração objetiva existente entre o engenheiro, o administrador, o publicitário e o profissional de relações públicas.

6 Todos trabalhando para que a empresa atinja seu objetivo e alcance a sustentabilidade comercial e posicionamento de prestígio no mercado, que só torna-se possível mediante ações bem coordenadas e administradas. Para estabelecer e administrar essa comunicação com os diversos públicos membros do círculo social da organização, as relações públicas utilizam vários artifícios e ferramentas de comunicação, algumas delas exclusivas desse departamento, a fim de engajar todos os segmentos no proposto pelo setor. Hebe Wey, em seu livro O processo de relação públicas, (pp. 67; 69-70; 72-73; 80-81), apresenta todas as ferramentas tradicionais das relações públicas. As quais apresentamos de forma sucinta abaixo. a) Folhetos e Anúncios institucionais A propaganda institucional constitui um importante instrumento de relações públicas e deve fazer parte de um bem organizado programa. É um dos meios mais eficazes de se contar a história de uma companhia. O principal uso da propaganda de relações públicas é divulgar ao público a história da organização, dos seus recursos, das suas políticas e programas e dos seus empregados. Com os anúncios institucionais, a relação empresa-opinião pública determina sua linha e sua filosofia. Para a grande empresa a comunicação institucional não está diretamente ligada às imposições do consumo e aos modismos, mas segue e acompanha o desenvolvimento tecnológico da empresa. Os folhetos institucionais são uma apresentação, têm a função de cartão de visita da empresa. Os folhetos institucionais, assim como os press kits contam a história da empresa e de seus produtos, constituem a literatura sobre a empresa. b) Jornal ou Revista empresarial As publicações empresariais servem a uma organização, apresentam matérias detalhadas, de interesse da empresa, e que não seriam encontradas nas seções de economia dos jornais informativos. Divulgam informações sobre a política da empresa, sobre seus produtos, seus trabalhos e suas perspectivas. É nas revistas ou jornais periódicos que a empresa demonstra sua realidade. Essas publicações são um ponto de contato entre seus produtos e a cultura, entre o setor mercadológico e a informação. Elas transmitem suas idéias e valores e também fatos internos de utilidade pública. c) Folhetos e Catálogos Técnicos O Departamento de Relações Públicas, atuando junto ao Departamento de Marketing, elabora folhetos e catálogos técnicos, dando as especificações e possibilidades de cada produto fabricado. Auxiliam o vendedor e possibilitam maior clareza para o comprador. A par das informações técnicas o objetivo é fornecer dados visando um conhecimento maior da empresa e assim constituindo sua imagem e seu conceito. d) Discursos Às vezes um executivo faz um discurso ou pronunciamento e aborda questões de política empresarial, que podem ser mal interpretadas. E fica surpreso e magoado ao descobrir, mais tarde, que um repórter de jornal não entendeu suas declarações. Ele compreende, então, porque razão a boa técnica de relações públicas recomenda que cada pronunciamento público seja acompanhado de material escrito. Assim, a preparação dos textos de pronunciamentos e de discurso, tanto para o público interno, como para rádio e TV, cabe geralmente ao pessoal de relações públicas. e) Os quadrinhos na empresa

7 Mesmo com a massificação do ensino, a alfabetização da sociedade é um fenômeno relativamente recente e que vastas camadas da população ainda não assimilaram. É o caso dos operários que, mesmo sabendo ler, não agüentam a leitura de textos compactos. Muitos se restringem às páginas esportivas dos diários, fartamente ilustradas e aos quadrinhos. Tendo em vista essa realidade, as empresas se utilizam dos quadrinhos nos seus jornais, a fim de transmitir mensagens de segurança e normas de instruções aos empregados. f) Audiovisuais O filme industrial é um dos momentos da política informativa de uma empresa, seja dirigido ao público interno, ou ao público externo, amplo e heterogêneo. É um investimento econômico da própria empresa interessada, o que reduz a escolha individual do diretor, que fica quase sem disponibilidade crítica e por não ser comercializado, diminui a finalidade lucrativa, que é estímulo para qualquer realização cinematográfica. O filme industrial é um instrumento destinado a manter o passo com a realidade: uma realidade sempre diferente e mutável, problemática e desconcertante, que leva a uma oportuna integração na vida da comunidade, recebendo e indagando os seus problemas. g) Divulgação e contatos com a Imprensa As atividades específicas dos Departamentos de relações públicas variam e diferem muito entre si, de acordo com a natureza e o volume dos negócios. Serão consideradas, em seguida, as atividades normalmente desenvolvidas por esses Departamentos. A atividade considerada de maior importância por várias empresas, é o trabalho de divulgação, ou seja, notícias empresariais incluídas nos noticiários informativos dos vários meios de comunicação de massa. Para serem publicadas, as matérias sobre a empresa devem conter notícias, isto é, despertar o interesse de vários segmentos do público, ou do público em geral. Quanto maior e mais ramificada for a empresa, maior interesse suas notícias irão despertar, pois envolverão maior número de pessoas e maior volume de dinheiro e deve-se lembrar sempre, que as grandes quantidades são sempre notícias jornalísticas. Notícias empresariais de rotina alimentam a grande imprensa cotidianamente e vários jornais possuem espaço reservado para esse fim. O Departamento de relações públicas apresenta a versão oficial da empresa sobre qualquer assunto e principalmente quando surge algum problema na empresa, que poderá interferir negativamente sobre a opinião pública. Além do noticiário empresarial, há um tipo de informação que acompanha os eventos especiais, que pode-se dizer tratar-se de literatura sobre a empresa, pois esgota o assunto. Vê todos os ângulos e fornece subsídios para que os jornalistas elaborem reportagens sobre a empresa, ou sobre seus produtos, ou sobre algum acontecimento importante da empresa. Esses são os chamados press kits que, às vezes, também são distribuídos nas coletivas de imprensa, convocadas pela empresa. Nas coletivas, quando são convidados jornalistas de vários jornais, é feito um comunicado, sempre seguido de uma informação por escrito. Há ainda o esforço de conseguir fazer publicar ou ir ao ar entrevistas com diretores da empresa, sempre que envolver interesse para o público. Entrevistas são um dos melhores meios de divulgação, pois pode ser enfatizado o aspecto humano, e o ouvinte se lembrará mais do que ouviu. Há necessidade de se cuidar do bom relacionamento com os jornalistas e fornecerlhes as informações que desejam considerando-os um público e não usá-los apenas como intermediários para se conseguir matérias publicadas.

8 A presença freqüente de um produto, nos meios de comunicação de massa, não somente como anúncio, mas como notícia, tendo o endosso do veículo de comunicação, torna o produto mais importante, destacando-o dos concorrentes e faz com que o produto se torne moda. Essa é a vantagem da divulgação jornalística. Outra vantagem é o alargamento da faixa de público atingido. O noticiário de imprensa pode alcançar outros setores, além do público consumidor, fazendo com que a mensagem chegue também a outros consumidores em potencial. h) Feiras e Exposições Atualmente, nas feiras e mostras o produto mais exposto é a informação. A combinação de soluções arquitetônicas, elementos cenográficos e demonstrações tecnológicas, constitui o complexo veículo de comunicação entre os expositores e o grande público, entre as novidades mercadológicas e a afirmação publicitária, entre produtores e operadores especializados. As feiras apresentam as mensagens de vanguarda como um sinal das tendências do que as empresas elaboram, situando-se na perspectiva econômica e social geral da sociedade. O desenvolvimento de uma indústria e o lançamento de seus produtos estão ligados ao aparato de comunicação montado sobre realizações gráficas, publicitárias e editoriais, stands em feiras, cada vez mais bem cuidados, para alcançar o público consumidor. i) Eventos especiais e Promoções O setor de Promoções é um dos setores mais trabalhosos de um Departamento de relações públicas, cujas funções são extremamente diversificadas e geralmente mobilizam muita gente. Esse setor além de organizar almoços, jantares, coquetéis, contratar bufes, também organiza shows, contrata cantores; promove desfiles de modas; faz promoções beneficentes e sorteios. Recepcionam visitantes, aluga carros, organiza programas turísticos, faz reservas de hotéis, organiza atividades para as esposas de executivos visitantes, supervisiona cardápios, cuida da segurança de visitantes VIPS. Cabe, geralmente, ao setor de Promoções inaugurar novas unidades da empresa; fazer encontros, congressos e convenções, cuidar da decoração, da aparelhagem de som; organizar seminários e conferências; colaborar no lançamento de produtos; supervisionar a montagem de stands e displays; controlar fornecedores; orientar recepcionistas. É ainda este setor que promove competições esportivas; concursos de todos os tipos; promove exposições de artes plásticas; faz promoções de cunho cultural. Faz merchandising promovendo artistas; filmes do circuito comercial e peças de teatro. Escolhe presentes especiais para clientes VIPS, escolhe e distribui brindes, manda confeccionar camisetas, pastas, canetas, bloquinhos, bonés, objetos promocionais, chaveiros referentes ao evento. Promove eventos especiais para o público infantil, com distribuição de sorvetes e kits. O setor pode se envolver com acontecimentos mais inusitados como promover um barco à vela, numa regata, em Pernambuco; alugar rapidamente uma limusine, ou camas elásticas; conseguir tradutor simultâneo para quatro idiomas; organizar uma festa de São João para os funcionários e clientes VIPS e etc. Enfim, é este o setor que cuida das fascinantes e complexas atividades de relações públicas e realiza alguns milagres diariamente. É de responsabilidade deste setor, desde o desembarque de uma personalidade, sua segurança, até o tipo de salada que deve acompanhar sua refeição. Todas estas ferramentas apresentadas são utilizadas pelo setor de relações públicas para promover suas ações junto aos diversos públicos de interesse da empresa, informado-os sobre os diversos assuntos pertinentes à organização e promovendo a marca de forma sucinta e confiável.

9 2.4 Consultoria e Assessoria de Relações Públicas Ha algumas décadas os departamentos de relações públicas eram partes integrantes do organograma empresarial. Entretanto com o avanço e crescimento da atividade, seus campos de atuação se expandiram, novas funções foram criadas, e muitas empresas especializadas na aplicação das relações públicas surgiram. Hoje, encontramos muitas empresas sem departamentos exclusivos de relações públicas no seu organograma, que por motivos diversos, preferiram contratar empresas especialistas na atividade de relações públicas, que vão lhe prestar consultorias e assessorar, podendo até construir um melhor trabalho dentro da empresa, do quê o que um possível departamento interno de relações públicas faria. Abaixo veremos de forma resumida, a descrição apresentada por Hebe Wey, em seu livro O processo de relações públicas, (1986, pp ; ), dos tipos de serviços que estas Consultorias e Assessorias desenvolvem ou podem desenvolver para a empresa. a) Consultorias As consultorias de relações públicas geralmente iniciam seus serviços com um diagnóstico do conceito da empresa e prestam um assessoramento junto à presidência da empresa, para assuntos de comunicação social, orientando suas políticas de comunicação e modos de ação e apresentam sugestões para criar programas de comunicação com seus vários públicos. A partir do diagnóstico, fornecem consultoria permanente às empresas, sobre os vários assuntos de comunicação. Outro tipo de atuação das Consultorias de relações públicas é fornecer treinamento e estágio para funcionários de clientes. Esse tipo de serviço é realmente significante para o cliente, pois sem perda de tempo e sem destacar funcionários de seu Departamento de relações públicas, terá um ou mais elementos devidamente treinados e preparados para as funções. Existem Consultorias de relações públicas que fazem com seus clientes uma encenação simulada treinamento do executivo para a apresentação de solicitações em organismos oficiais como o Conselho de Desenvolvimento Industrial, Ministérios, Secretarias e Sindicatos Patronais. Algumas Consultorias promovem a criação de Departamentos internos de relações públicas em empresas, orientando a escolha de futuros funcionários, às vezes indicando seus próprios estagiários. Supervisionam a implantação gradual dos serviços, de acordo com as necessidades do cliente, transferindo gradualmente tarefas executadas por ela, para o Departamento interno recém implantado. Com relação ao delicado relacionamento entre a empresa e o pessoal de imprensa, a Consultoria de relações públicas organiza a realização de coletivas de imprensa; supervisiona a elaboração de press kits; organiza entrevistas para TV e jornais com diretores da empresa; promove reuniões com jornalistas e eventos de congraçamento de fim de ano para todo o pessoal dos meios de comunicação de massa. As pessoas dos meios de comunicação de massa são vistas pelas consultorias como um público específico e não apenas como intermediários dos canais de comunicação. A Consultoria de relações públicas coordena e supervisiona as publicações empresariais sugerindo e preparando textos para folhetos institucionais e coordenando a execução de serviços fotográficos para a ilustração dos mesmos. Prepara a literatura sobre a empresa e supervisiona a elaboração de filmes e audiovisuais institucionais e/ou científicos. As atividades de relações públicas em apoio às áreas de marketing são organizadas pela Consultoria de relações públicas, em termos de campanhas de relações públicas feitas paralelamente às campanhas publicitárias por ocasião de lançamento de novos produtos. Esse tipo de procedimento, isto é, campanhas paralelas também é usado quando há eventual queda de vendas ou para a empresa conseguir novos segmentos de consumidores.

10 A Consultoria de relações públicas pode atuar em apoio ao Departamento interno de relações públicas, Relações Industriais, Recursos Humanos ou Departamento Pessoal coordenando programas de comunicação interna, incluindo a publicação de jornais e/ou revistas internas (house organs); avisos sobre assuntos de interesse dos empregados; murais; interpretação sobre políticas salariais, abrangendo salários, promoções e benefícios empresariais. Coordena também programas de integração, junto aos clubes e organizações de funcionários. Os programas de relações com a comunidade muitas vezes são sugeridos pela Consultoria de relações públicas e geralmente constam de doações a entidades filantrópicas e assistenciais; promoção de concursos junto à comunidade e participação da empresa em festas e comemorações cívicas. A promoção de eventos artísticos e culturais, assim como o lançamento de artistas também tem boa receptividade comunitária. b) Assessorias Paralelamente às Consultorias de Relações Públicas, que desenvolvem tarefas bastante abrangentes para seus clientes, há as Assessorias de Relações Públicas especializadas, assim chamadas por desempenharem determinado tipo de serviço. Não são propriamente Consultorias, pois desempenham atividades inerentes a área específicas. Há aquelas que se dedicam principalmente a eventos, desenvolvendo e executando os projetos de eventos das áreas institucionais, como congressos, exposições e congraçamentos com públicos internos e externos. Promovem também os eventos das áreas de marketing das empresas, como seminários, palestras, convenções, feiras e lançamentos. Essas Assessorias preparam e organizam festas de confraternização (principalmente as de fim de ano); reuniões e recepções com almoços, jantares e coquetéis. Providenciam a reserva de restaurantes, bufes, decoração, flores, instalação de som, etc. Há Assessorias que cuidam da parte turística, organizam as viagens, providenciando hospedagem, traslados, condução para grupos (carros, ônibus, barcos, aviões). Recepcionam e acompanham visitantes do exterior e organizam programas sociais para os acompanhantes. Algumas Assessorias são especializadas em feiras e cuidam da montagem e instalação de stands; do treinamento das recepcionistas; do material impresso ou brindes a serem distribuídos ao público em geral; dos pres kits para os jornalistas; e da recepção dos convidados VIPs. O material gráfico empresarial geralmente fica subdividido entre as Assessorias de relações públicas e as Agências Publicitárias, incluindo desde a criação, elaboração dos textos, escolha das fotos, diagramação, até a arte final. E a parte gráfica propriamente dita, com fotolitos, chapas e impressão, é feita por terceiros. Quase todas as Assessorias de relações públicas trabalham com contatos governamentais, nos três níveis, federal, estadual e municipal. Este trabalho de relações governamentais sob o ponto de vista da empresa muitas vezes é desenvolvido por pessoas das mais variadas áreas. As pessoas que se dedicam às relações governamentais, em âmbito federal, desenvolvem suas atividades em Brasília e no Rio, mais devido aos bons relacionamentos pessoais que adquiriram, do que devido a uma formação profissional. Seu trabalho envolve desde o acompanhamento da tramitação de papéis e processos em organismos oficiais, até atividades que podem ser comparadas ao papel desempenhado pêlos lobbyists, nos Estados Unidos da América. Outras Assessorias de relações públicas trabalham com imagem individual, cuidando do entrosamento da pessoa na sociedade e melhorando ou criando sua imagem, às vezes, a partir do próprio visual da pessoa. Seja através da representação por departamento interno ou por meio de contratação de empresas especializadas, a atividade de relações públicas deve estar presente em todos os níveis organizacionais.

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

A pluralidade das relações públicas

A pluralidade das relações públicas A pluralidade das relações públicas Carolina Frazon Terra Introdução Sétima colocada no ranking "As profissões do futuro" segundo a Revista Exame de 13 de abril de 2004, as relações públicas se destacam

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. CÓDIGO DE CONDUTA

NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. CÓDIGO DE CONDUTA NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. CÓDIGO DE CONDUTA APRESENTAÇÃO Este é o Código de Conduta da Net Serviços de Comunicação S.A. e de suas controladas ( NET ). A NET instituiu este Código de Conduta norteado

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de Metas das Comunicações de Marketing: Criação de consciência informar os mercados sobre produtos, marcas, lojas ou organizações. Formação de imagens positivas desenvolver avaliações positivas nas mentes

Leia mais

Produto da Divisão Marketing

Produto da Divisão Marketing Marketing para o Terceiro Setor Produto da Divisão Marketing OBJETIVO Dispor ao mercado de entidades relacionadas ao Terceiro Setor, um leque de atividades relacionados ao marketing e comunicação voltados

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa Educação Corporativa Liderança Estratégia Gestão O que é Educação corporativa? Educação corporativa pode ser definida como uma prática coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento tendo

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo 7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo A COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar no marketing emitir mensagem para alguém emitir mensagem para o mercado

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

PORTFÓLIO / PRESENTATION

PORTFÓLIO / PRESENTATION PORTFÓLIO / PRESENTATION prazer, agência blue sua agência mineira com atuação nacional e comunicação 360. somos loucos por resultados e queremos fazer com que seu negócio vire uma grande história de sucesso!

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1.1. TÍTULO: Viagens de Estudos e Visitas Técnicas Internacionais

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Jeito de Ser Índice 3 Introdução 3 Carta do Presidente 3 Missão do Grupo Marisa 3 Valores do Grupo Marisa 3 Código de Conduta Ética v Áreas de Relacionamento Colaboradores Fornecedores

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada Wesley Antônio Gonçalves 1 RESUMO O MEC, ao apontar padrões de qualidade da função de coordenador de

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa:

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa: 31 6 COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Um dos principais objetivos da comunicação institucional é o estabelecimento de relações duradouras com os seus públicos. Isso é possível através de ações personalizadas

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS

FIDELIZAÇÃO: DICAS PARA SEUS CLIENTES VOLTAREM E COMPRAREM MAIS Como conquistar e manter clientes Marketing de Relacionamento Visa a orientar como utilizar as ferramentas do marketing de relacionamento para aumentar as vendas e fidelizar clientes. Público-alvo: empresários

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br A COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA...... deve ser elaborada a partir do quadro sociocultural do consumidor alvo COMUNICAÇÃO

Leia mais

Comunicação Integrada de marketing.

Comunicação Integrada de marketing. Comunicação Integrada de marketing. - COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO - 4 A s - 4 C s Comunicação: é a transmissão de uma mensagem de um emissor para um receptor, de modo que ambos a entendam da mesma maneira.

Leia mais

PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO. Fatima Gouvêa

PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO. Fatima Gouvêa PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO Fatima Gouvêa Comunicação = papel estratégico MISSÃO Gerar e tornar disponível conhecimento relevante e formar profissionais qualificados, devolvendo à sociedade o investimento

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS

DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS DICAS DE COMO PARTICIPAR DE FEIRAS VITÓRIA 2004 Dicas de como participar de feiras Introdução As feiras são eventos ricos em oportunidades de negócios. São ambientes privilegiados para o incremento das

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Propaganda Qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

Módulo 1. Introdução à Disciplina

Módulo 1. Introdução à Disciplina Módulo 1. Introdução à Disciplina Você conhece o Marketing ele está à sua volta em todos os locais. Você vê os resultados do Marketing na grande quantidade de produtos disponíveis no shopping center, nos

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS:

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: O QUE É PRECISO PARA SER UM CORRETOR DE SUCESSO gerenciador e site imobiliário Introdução O perfil do corretor de imóveis de sucesso Aprimorando os pontos fracos Conclusão

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética SUMÁRIO CONCEITO OBJETIVO ABRANGÊNCIA PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTOS CONFLITOS DE INTERESSE CONFIDENCIALIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESERVAÇÃO

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing

Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing Estratégias de Comunicação Ferramentas Utilizadas para Comunicação de Marketing Profa. Waléria Macaciel Comunicação de marketing É o meio pelo qual as empresas buscam informar, persuadir e lembrar os consumidores,

Leia mais