ESTRUTURAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES"

Transcrição

1 O TRATAMENTO MÉDICO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Clínica Médica com área de atuação em Endocrinologia e Cardiologia Sanitarista pela UFRJ. Equipe CETOM - Centro de Tratamento para a Obesidade Mórbida Hospital Quinta D or Instituto Flumignano de Medicina Rio de Janeiro RJ 2012

2 ESTRUTURAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES É necessário: a) Reunir todas as informações possíveis, inclusive com familiares. b) Analisar e documentar: - Perfil psicológico. - Perfil neurológico - Inventário dos alimentos ingeridos. - Usar questionários pré-elaborados. - Avaliar detalhes e gravidade dos sintomas. - Analisar os exames médicos complementares. c) Considerar que o tratamento é um processo dinâmico e multidisciplinar. (médicos, psicólogos, nutricionistas, etc)

3 TESTES PARA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE TRANSTORNOS ALIMENTARES BITE Teste de Investigação Bulímica de Edimburgo - que permite identificar comedores compulsivos e obter dados sobre aspectos cognitivos e comportamentais da bulimia nervosa. EAT-26 Teste de Atitudes Alimentares - que avalia os riscos de se desenvolver comportamento e atitudes típicos de pacientes com anorexia nervosa. ECAP - ESCALA DE COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA que tem como objetivo de estudar especificamente o comportamento do comer compulsivo. QEWP-R - Questionário sobre Padrões de Alimentação e Peso BSQ - Questionário de Imagem Corporal

4 CLÍNICA DA ANOREXIA NERVOSA O paciente recusa-se a manter o peso corporal mínimo para a idade e altura, ou IMC < 17,5. Tem pavor de engordar mesmo estando abaixo do peso mínimo. Apresentar conflito emocional na interpretação da forma do corpo distorção da imagem corporal. Freqüentemente a doença inicia-se na adolescência e apresenta comorbidades comuns como sintomas depressivos, ansiosos, fobia social e transtornos de personalidade. Quando a doença encontra-se descompensada apresenta alevado risco de complicações como a desnutrição e o suicídio. Subtipos : 1) Restritivo - não há episódios de compulsão ou purgação. 2) Compulsiva períodos de compulsão e purgação.

5 ANOREXIA NERVOSA Com distúrbio da imagem corporal ANOREXIA DEPRESSIVA Sem distúrbio da imagem corporal

6 CLÍNICA DA BULIMIA Há episódios recorrentes de compulsão alimentar com ingestão de grande quantidade de alimentos em curto espaço de tempo seguido de sentimento de descontrole e culpa e há ações compensatórias, que pode ser de purgação vômitos, uso de laxativos, diuréticos, enemas ou sem purgação como jejuns prolongados, exercícios exagerados etc. A auto-crítica do paciente é centrada na própria forma física, que em geral o peso é normal ou sobrepeso. Queixam-se de fome apresentam comorbidades comuns como abuso de álcool, drogas, transtorno bipolar do humor etc. 2 subtipos: 1) Com purgação uso de vômitos, diuréticos, laxantes, enemas etc. 2) Sem purgação jejuns, exercícios excessivos.

7 CLÍNICA DO TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA Ocorre episódios recorrentes de compulsão alimentar para ingestão de grandes quantidades de alimentos sem fome, rápido, muitas vezes sozinho, escondido, com importante sentimento de angústia, depressão e culpa, sem mecanismos compensatórios de purgação, que culminam em obesidade grave. Ocorre mais em mulheres do que em homens, inicia frequentemente após a adolescência. Os doentes possuem autocrítica depreciativa, com sintomas depressivos ou ansiosos e este transtorno alimentar pode ser responsável por 25% dos casos de obesidade, que justificam sucessivos fracassos nas dietas para emagrecimento..

8 Transtorno Alimentar Compulsivo MANUEL URIBE 40 anos Kg 2005 Mexicano, com níveis hormonais, colesterol, pressão e glicemia dentro da normalidade. Foi abandonado pela esposa e se refugiou na casa da mãe. Até 1992 pesava 130 quilos, mas depois reconhece que comeu mais do que o normal. "Depois, parei de comer carboidratos e carnes, e comecei a comer mais verduras, tentando emagrecer, mas continuei engordando", acrescentou.

9 CLÍNICA DA ORTHOREXIA Dr. Bratman ( )relata as seguintes caracterísitcas do orthorético: 1) Gasta mais de três horas por dia pensando em comida saudável. 2) Planeja, com detalhes, o cardápio do dia seguinte. 3) Tem mais prazer pelo virtuoso aspecto de sua comida do que o prazer propriamente dito.. 4) Acha que sua qualidade de vida está relacionada com a qualidade de seus alimentos. 5) É rígido e crítico sobre seu comer. 6) Tem uma baixa opinião das pessoas que não observam com atenção os aspectos saudáveis dos alimentos. 7) Prefere comer corretamente em casa declinando cada vez mais do convívio com amigos e família. 8) Sente muita culpa quando come incorretamente.

10 CLÍNICA DA VIGOREXIA A vigorexia se caracteriza pelo excesso de preocupação em ter um corpo forte. Os portadores desse transtorno exercitam-se em excesso e constantemente medindo sua musculatura para verificar se já obtiveram resultados. Apesar de fortes ainda sim se consideram fracos. Quase sempre usam suplementos alimentares anabolizantes e até mesmo esteróides, mesmo que saibam que isto possa prejudicar a saúde. Esta doença é mais comum nos homens,mas também há casos em mulheres. Não se conhece a prevalência mas observa-se que está cada vez mais comum. Diferente do fisiculturismo.

11 CLÍNICA DA DIABEREXIA Caracteriza pela omissão da medicação necessária ao controle do diabetes com o objetivo de emagrecer por preocupação da forma corporal. Não se conhece a prevalência. Distribuição de transtornos alimentares em indivíduos com diabetes melito do tipo 1 e do tipo 2: descrição de dois casos

12 A TRÍADE DA MULHER ATLETA Nomenclatura criada em 1992 pelo Colégio Americano de Medicina Esportiva, caracteriza-se por AMENORRÉIA, DISTÚRBIO ALIMENTAR e OSTEOPOROSE. Nesta tríade há o balanço energético negativo, aparência magra e perda de densidade mineral óssea. A dieta apropriada e a redução dos exercícios físicos resulta no retorno da mestruação. A distúrbio comportamental repercute no sistema hipotalâmico que reduz a secreção hormonal feminina, as gonadotrofinas. Não se conhece a prevalência mas acomete as atletas jovens e observa-se que está cada vez frequente.

13 OBJETIVOS DO TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES 1)Compreensão da etiologia. 2) Ações de alívio dos sintomas imediatos 3)Ações na reduções das perdas. 4)Tratamento multidisciplinar a longo prazo. ACOMPANHAMENTO A LONGO PRAZO: Muitas vezes o paciente anoréxico pode tornar-se bulímico em algum momento do tratamento. Mais raramente pode também evoluir para uma compulsão alimentar. Tal deslocamento de sintomas significa que algumas resistências psicológicas foram quebradas e novos recursos compensatórios foram ajustados pelo paciente. Isto exige muita atenção dos terapeutas pois a instabilidade dos sintomas indica maior gravidade dos transtornos alimentares.

14 QUADRO COMPARATIVO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES ANOREXIA Paciente muito magro, que se vê acima do peso. Não se alimenta o suficiente e pode ou não ter sintomas purgativos. Pode ter períodos de compulsão. Freqüentemente iniciase na adolescência BULIMIA Paciente com peso normal ou acima, alimenta-se aparentemen te normal, com períodos freqüentes de compulsão com sintomas purgativos ou compensatóri os. TRANSTORNO PERIÓDICO Com sobrepeso ou obesidade, sem sintomas purgativos ou compensatórios. Incia-se freqüentemente pós adolescência. Auto crítica depreciativa com sintomas depressivos e ansiosos. Atribuise como causa de 25% da obesidade. Fracassos das dietas. ORTOREXIA Peso normal ou abaixo. Obstinado pela alimentação que ele julga saudável. Pensamento obsessivo na saúde. VIGOREXIA Peso normal e com musculatura hipertrofiada. Alimenta-se visando o aumento da força muscular. Pensamento obsessivo na aparência física. Freqüente uso de anabolizantes.

15 O TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES - Ações culturais - - Campanha publicitária contra anorexia - Milão - Itália em 2007 Foto de Oliviera Toscani, ex- colaborador da Benetton, financiada por uma marca de roupas e apoiado pelo governo.

16 O TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES Equipe multidisciplinar - Ações nutricionais - 1) Oferecer Informações nutricionais tendo o foco dos distúrbios afetivos, do humor, da saciedade e da auto-crítica. 2) Compensações nutricionais das deficiências. 3) Acompanhamento a longo prazo da nutrição. - Ações psicoterapêuticas - 1) Analisar e compartilhar as soluções dos conflitos psicopatológicos com o objetivo de aliviar as tensões da economia psicológica. 2) Prevenir ou amenizar a repetição sistemática do sintomas dos transtornos alimentares. 3) Acompanhamento a longo prazo da evolução da doença. 4) Prevenir recaídas.

17 AÇÕES MÉDICAS NO TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES 1) Analisar e diagnosticar o nível do comprometimento bioquímico cerebral nos sintomas compulsivos, ansiosos e depressivos do metabolismo cerebral. 2) Compensar com medicação os sintomas emocionais extremos que dão causa a transtorno alimentar. 3) Analisar a repercussão dos distúrbios nutricionais no metabolismo sistêmico e tratar as complicações orgânicas instaladas decorrentes dos transtornos alimentares. 4) Acompanhamento a longo prazo.

18 DINÂMICA PSICOSSOMÁTICA DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES

19 O CÉREBRO O cérebro é estruturado em setores funcionais sendo que os neurônios tem baixa capacidade de regeneração e grande plasticidade com neurogênese. O funcionamento cerebral recebe uma ordenação genética e é influenciado pelos fatores psicológicos e ambientais.

20 SINAPSES A sinapse é a junção entre os neurônios que transmitem a informação pelos feixes nervosos. A intensidade destas reações químicas modulam as respostas neurológicas a demanda solicitada. Os principais neurotransmissores são a serotonina, dopamina e noradrenalina

21 O tratamento farmacológico é decidido pela avaliação individual do paciente, na gravidade e tipo dos sintomas, com a finalidade de diminuir a depressão, a compulsão e a ansiedade.

22 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES Não existe ainda medicamentos específicos para os transtornos alimentares. TOPIRAMATO É um anticonvulsivante aprovado para tratamento da epilepsia e profilaxia da enxaqueca. O mecanismo de ação é nos receptores GABA. FLUOXETINA É um antidepressivo que inibe a captação de serotonina. SIBUTRAMINA : É um controlador do apetite através da inibição da recaptação de serotonina e da noradrenalina que reduz o ganho do peso corporal por uma dupla ação: diminui a ingestão calórica pelo aumento das respostas à saciedade pós-ingestão e aumenta o gasto de energia pelo aumento da taxa metabólica. CITALOPRAN - é um inibidor altamente seletivo da recaptação de serotonina com potente ação antidepressiva. Evolução para Escitalopran Lexapro ainda em estudos controlados para os transtorrnos alimentares. SERTRALINA - é um antidepressivo inibidor altamente seletivo da recaptação de serotonina particularmente útil no tratamento da bulimia nervosa. BUPROPIONA aprovado para a depressão e terapia antitabágica. É um inibidor duplo da recapçãp da dopamina e da noradrenalina.

23 DESEMPENHO versus ANSIEDADE COMPULSÃO Ansiedade é uma vivência universal representada pela reação adaptativa frente a percepção de algum perigo iminente que ameace a integridade física ou psíquica a curto prazo. A cognição ansiosa é a ameaça que a perda representa. A ansiedade é acompanhada por vários sintomas que incluem cefaléia, dispnéia, náuseas, vômitos, diarréia, palpitações, anorexia, polifagia etc...

24 EFEITOS SISTÊMICOS DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES

25 O MAIS FREQUENTE TRANSTORNO ALIMENTAR A O B E S I D A D E OBESIDADE é definida como excesso de tecido adiposo a ponto de acarretar danos ao sistema orgânico. Em média, isto ocorre quando a gordura corpórea está acima de 25% para os homens e 30% para as mulheres. DIAGNÓSTICO : Através da medição da gordura corpórea. MÉTODOS : Peso x Altura; prega cutânea; imersão, condutividade, impedância, tomografia, ultrasom, ressonância magnética e outros.

26 I.M.C. INDICE DE MASSA CORPÓREA IAC INDICE DE ADIPOSIDADE CORPORAL IMC = peso dividido pelo quadrado da altura. Exemplo : 75 Kg e 1,75m = 75 / 3,06 = 24,50 (NÃO USA A CA) A OMS estabelece : magro = menor que 18 / normal = 18 a 25 / obesidade grau 1 = 25 a 30 / obesidade grau 2 = 30 a 40 / obesidade grau 3 = acima de 40 / superobesidade = acima de 50. IMC = peso / altura² IAC = dividir a circunferência do quadril pela altura vezes a raiz quadrada da altura. Desse resultado, subtrai-se 18. (NÃO USA O PESO) Homens, resultados entre 8 e 20 indicam uma quantidade de adiposidade normal. De 21 a 25 quer dizer que a pessoa está com sobrepeso. Já resultados acima de 26 indicam que a pessoa está com obesidade. Mulheres: normal entre 21 e 32; de 33 a 38 indica sobrepeso; acima disso a pessoa é obesa IAC = CQ / altura x raiz quadrada da altura 18

27 OBESIDADE VISCERAL

28 SÍNDROME METABÓLICA SÍNDROME METABÓLICA Obesidade / hipertensão diabetes / dislipidemia Peso 115 Kg. Alt : 1,55 IMC : 50 (grau 3)

29 I.M.C. X I.A.C. IMC = peso (kg) / altura (m) ao quadrado IAC = Circunferência do quadril / (altura x Altura) - 18 O IMC não deve ser calculado para menores de 18 anos e nem para atlestas. O IAC conseguiu prever com precisão a gordura corporal nos casos acima de 20%; nos casos de gordura de 25% a 30%, a precisão foi total, erro de 0% na estimativa. Apenas nos casos de adiposidade abaixo de 10% a equação não foi tão precisa, indicando um erro de 17,4% a mais de gordura. De acordo com os autores do estudo, a fórmula ainda precisa de ajustes e deve ser testada em outros grupos étnicos.que desenvolver mais o músculo.

30 ADIPOSIDADE VISCERAL x OBESIDADE SUBCUTÂNEA

31 CAUSAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença genética em que fatores ambientais como sedentarismo e dieta inadequada favorecem o seu aparecimento. É doença pois encurta a vida assim como é fator de risco para comorbidades. A genética carrega a arma e o ambiente aperta o gatilho

32 ETIOLOGIA DA OBESIDADE AVALIAR: - Fatores predisponentes genéticos, ambientais e patológicos que podem estar desempenhando papel expressivo no desequilíbrio energético determinante do excesso de peso. - taxa de metabolismo basal, - os limites da saciedade, - as taxas hormonais, - os estresses oxidativos e inflamatórios, - as instabilidades do humor, - as síndromes compulsivas, depressivas e ansiosas, - resposta metabólica aos fatores ambientais, - hábitos alimentares e a atividade física. Portanto, a obesidade é a resultante de fatores poligênicos complexos e um ambiente obesogênico.

33 FUNDAMENTOS DAS CAUSAS DA OBESIDADE - Memória metabólica: - hábitos históricos da evolução humana. O organismo humano vem originalmente de um processo histórico de atividades físicas intensas necessárias para a sobrevivência. Correr atrás da caça, colher os alimentos, construir habitação etc... O corpo da idade da pedra modifica-se mais lentamente enquanto o amodificação do ambiente é mais rápida.. - Causas genéticas : - metabolismo basal, doenças hormonais etc - Estilo de vida sedentária. - Estilo de alimentação. - Cultura familiar,das etnias e das nações.

34 OBESIDADE E GENÉTICA O gene PER 2 causa o mal-estar associado à fome e os roncos no estômago : O gene Per 2" está ativo tanto no cérebro como no restante do corpo e é relacionado com difusão dos sinais de fome, o aumento da temperatura corporal, os "roncos" do estômago e um mal-estar geral com a sincronização das horas das refeições. Este gene é responsável pelo círculo circadiano e pode influir de maneira indireta sobre o peso corporal. Fonte : Urs Albrecht e Etienne Challet. - Universidade de Freiburg e do centro universitário Louis Pasteur - publicado pela revista Current Biology Gene FTO está relacionado à obesidade. Pessoas com apenas uma cópia da variação "gorda" do FTO tiveram risco 30% maior de serem obesas comparadas àquelas sem nenhuma cópia da variação do gene. As que tinham duas cópias do gene mudado tinham risco 70% maior, e, além disso, eram três quilos mais gordas do que pessoas sem nenhum gene. Isso pode explicar porque duas pessoas diferentes podem comer os mesmos alimentos e fazer a mesma quantidade de exercícios, enquanto uma delas pode ter mais dificuldades para perder peso do que a outra. Fonte : Universidade britânica de Oxford - Publicado pela Revista Science

35 O B E S I D A D E x M O R T A L I D A D E

36 COMORBIDADES AGRAVADAS PELA OBESIDADE - ISTO EXPLICA A MORTALIDADE ELEVADA DOS OBESOS -

37

38 ANÁLISE DO CONJUNTO BIOQUÍMICO - Síndrome Metabólica _

39 ESTUDO SISTÊMICO E METABÓLICO DO OBESO

40

41

42

43 TRATAMENTO DA OBESIDADE 1) Controle do ambiente obesogênico. 2) Controle dos fatores calóricos. - Dietas - Exercícios 1) Diagnóstico metabólico. 2) Diagnóstico psicológico humor. 3) Diagnóstico nutricional. 4) Tratamento medicamentoso: - Anorexígenos (dietilpropiona/fempreporex) - Sacietógenos (sibutramina) - Inibidores da absorção da gordura. (Orlistat) - Liraglutida (obesidade + DM2)

44 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO PARA OBESIDADE - Anorexígenos (dietilpropiona/fempreporex/mazindol) Agem por via noradrenérgicas e diminuem o apetite, aumenta a PA, reduz o sono e a sensação de cansaço, euforia etc... Proibidos pela ANVISA desde Sacietógenos (sibutramina) Agem inibindo a recaptação da serotonina, aumenta a saciedade após a ingestão de comida e aumento da taxa metabólica. (Proibidos pelo FDA e pelo EMA desde 2011, no Brasil sob controle da ANVISA). - Inibidores da absorção da gordura: (Orlistat) - Agem inibindo a lipase intestinal reduzindo em até 30% a absorção de gorduras. - Análogos do hormônio intestinal GLP-1 (Victoza / Byetta) com indicação para diabéticos obesos. - Outros : fluoxetina, bupropiona, topiramato. (humor)

45 PROPAGANDA ANTI-ÉTICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA NA MÍDIA x ABESO:...Achamos, no mínimo, temerária a propaganda do uso indiscriminado deste medicamento para emagrecer. Está provocando uma verdadeira corrida aos consultórios médicos para a prescrição da medicação... Isto ocorreu recentemente com o Rimonabanto (Acomplia ) a pílula da barriga... Isto não pode voltar a acontecer... A SBD condena propagandas como esta, com um alto grau de sensacionalismo, aproveitando populações portadoras de problemas de saúde que podem levar a baixa estima, e por serem ávidos de soluções, se transformam num público fácil de serem persuadidos. Matérias como esta prestam um desserviço aos pacientes...

46 Lucro trimestral da Novo Nordisk aumenta 17% 31/11/ O lucro da Novo Nordisk subiu 17% no terceiro trimestre, para os 4,2 mil milhões de coroas dinamarquesas (800 milhões de dólares), devido às vendas do Victoza e produtos de insulina. A receita total neste período cresceu 6% para os 16,5 mil milhões de coroas dinamaquesas (3,15 mil milhões de dólares), acima das expectativas dos analistas, que apontavam para 16,4 mil milhões de coroas dinamarquesas (3,13 mil milhões de dólares), citou o Firstword. A empresa adiantou que as vendas trimestrais do Victoza mais que duplicaram comparadas com o mesmo período do ano passado, que subiram dos 700 milhões de coroas dinamarquesas (133 milhões de dólares) para os 1,6 mil milhões de coroas dinamarquesas (305 milhões de dólares), 10% acima das estimativas dos analistas.

47 METANÁLISES MEDICAÇÃO (Número de estudos) Semanas Perda de peso Sibutramina (29) 52-4,45 (-5,29 a -3,62) Orlistat (22) 52-2,75 (-3,31 a -2,20) Fluoxetina (9) ,14 a -14,5 Dietilpropiona (13) 6 a 52-3,0 (-11,0 a 1,6) Liraglutide (5) 20-3,00 Fonte: Li e colaboradores (2005)

48 CIRURGIA BARIÁTRICA Cirurgia anatômica EFEITOS METABÓLICOS Cirurgia Metabólica

49 A cirurgia bariátrica é indicada após falha do tratamento clínico no mínimo por 2 anos em indivíduos com IMC > 40 ou > que 35 com comorbidades. É o tratamento mais eficaz para a redução e manutenção do peso a longo prazo.

50 HORMÔNIOS INTESTINAIS - INCRETINAS GRELINA saciedade ENCRETINAS INCRETINAS GLP-1 / GIP Melhoram a função das células beta Melhoram a secreção da insulina Diminuem a secreção do glucagon Diminuem a fome

51 A CIRURGIA BARIÁTRICA É CAPAZ DE... - Promover e manter a perda do peso dos obesos grau III. - Normalização da glicemia na grande maioria dos diabéticos. -Podem reduzir a secreção da Grelina que diminui a fome. -Aumenta a Adiponectina que melhora a sensibilização da ação insulínica. -Aumenta a secreção das incretinas, que são os hormônios intestinais que aumentam com o estímulo alimentar, promovem a secreção da insulina e diminuem a secreção do glucagom, regeneram a células produtoras da insulina e portanto, melhoram o metabolismo da glicose. - Diminui a resistência insulínica devido a redução da gordura visceral.

52 A cirurgia bariátrica prova ser a mais eficiente terapia para o diabetes mellitus tipo 2. Pories W J et al. (1995) Ann. Surg. 222 :

53 RESULTADOS METABÓLICOS DA CIRURGIA BARIÁTRICA META ANÁLISE 1999 A estudos com pacientes (derivação, bypass, gastroplastia, banda gástrica) diabéticos 74,8% remissão 85, 4% remissão ou melhoria Dislipidemia : 70% melhoria Hipertensão arterial : 78,5 % melhoria Apnéia do sono : 83,6% melhoria Bushwald H et al. (2004) JAMA 292 : 1724 : 1732

54 RESULTADOS METABÓLICOS DA CIRURGIA BARIÁTRICA (2) Estudo de Greenville EUA, 165 diabéticos operados pelo bypass gástrico e 83% permaneceram em remissão do DM2 em 14 anos de acompanhamento. (Pories WJ, MacDonald KG, Morgan EJ, at al. Am J Clin Nutr. 1992; 55:582-5S) Swedish Obesity Study (SOS) comparou um grupo de pacientes operados com outro não operado. Após dois anos de seguimento, os dados indicaram prevalência de 8% de diabéticos nos não operados e 1% no grupo operado. Dez anos após, 24% no grupo não operado e 7% no operado. (Sjostrom L, Lindroos AK, Peltonen M, at al. N Engl J M. 2004; 351: )

55 EFICÁCIA DA CIRURGIA BARIÁTRICA A perda significativa de peso após a cirurgia bariátrica proporciona redução do risco relativo de morte igual a 89%. Fonte: Annais of Surgery, 2004; 240(3): Surgery Decreases Long-term Mortality, Morbidity and Health Care in Morbidly Obese Patients. Pesquisa com modelo observacional de dois estudos de coorte, com 1035 pacientes submetidos a cirurgia bariátrica entre 1986 a 2000 no McGil University Health Centre Canadá. Grupo controle com pacientes com obesidade mórbida não submetidos a cirurgia bariátrica. Redução média de 67,1% do excesso do peso.

56 RISCOS DA CIRURGIA BARIÁTRICA - A mortalidade varia de 0,2 a 2%. - Pós-operatório imediato : embolias e hemorragia. - Pós-operatório tardio : deiscência da sutura, fístulas, estenoses, infecções, hérnia e torção da alça intestinal. - A longo prazo : Deficiências vitamínicas e minerais, síndrome de dumping ou hiperosmolar, dilatação esofagiana.

57 NOVAS PROPOSTAS PARA INDICAÇÃO DA CIRURGIA BARIÁTRICA A INDICAÇÃO DEVE CONSIDERAR : - IMC igual e maior que 30 Kg/m2; - As comorbidades clínicas ; - Os antecedentes familiares; - As repercussões psicológicas; - As repercussões sócio-econômicas. Estas considerações, anuídas por uma equipe médica multidisciplinar, podem determinar uma melhor indicação desta cirurgia do que simplesmente o IMC.

58 A obesidade é uma síndrome multifatorial, com pré-disposição genética, influenciada pelos fatores emocionais e ambientais, sendo o estilo de vida um fator relevante, mas não dominante. OBRIGADO

A SAÚDE DO OBESO Equipe CETOM

A SAÚDE DO OBESO Equipe CETOM A SAÚDE DO OBESO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Médico endocrinologista e sanitarista Equipe CETOM Centro de Estudos e Tratamento para a Obesidade Mórbida. Diretor do Instituto Flumignano de Medicina

Leia mais

Os efeitos endocrinológicos na cirurgia da obesidade.

Os efeitos endocrinológicos na cirurgia da obesidade. Os efeitos endocrinológicos na cirurgia da obesidade. Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Médico endocrinologista e sanitarista Equipe CETOM Centro de Estudos e Tratamento para a Obesidade Mórbida. Diretor

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA Obesidade 300 mil mortes / ano; 100 bi dólares / ano; O excesso de peso (IMC >25) acomete de 15% a 60% da população de todos os países civilizados. EUA...

Leia mais

O B E S I D A D E INSTITUTO DE MEDICINA FLUMIGNANO -CIRURGIA BARI TRICA - 2005 -

O B E S I D A D E INSTITUTO DE MEDICINA FLUMIGNANO -CIRURGIA BARI TRICA - 2005 - O B E S I D A D E -CIRURGIA BARI TRICA - 2005 - INSTITUTO DE MEDICINA FLUMIGNANO Registro no Conselho Regional de Medicina nº 52.1063219 - Núcleo de Tratamento do Obeso - - Rio de Janeiro - www.flumignano.com

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA GORDURA BRANCA X MARROM SINDROME METABÓLICA RESISTÊNCIA INSULÍNICA HIPERINSULINISMO ÍNDICE GLICÊMICO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan & EQUIPE MULTIDISCIPLINAR MEDICINA

Leia mais

Obesidade e Transtornos Alimentares

Obesidade e Transtornos Alimentares Obesidade e Transtornos Alimentares NECPAR Maringá 26 e 27 de Julho de 2013 Transtornos Alimentares (TA) Características Gerais: Severas perturbações no comportamento alimentar, que trazem sérios comprometimentos

Leia mais

Os transtornos alimentares e especialmente a obesidade na saúde pública mundial

Os transtornos alimentares e especialmente a obesidade na saúde pública mundial Os transtornos alimentares e especialmente a obesidade na saúde pública mundial Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Médico endocrinologista e sanitarista Equipe CETOM Centro de Tratramento para a Obesidade

Leia mais

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Transtornos Alimentares Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Anorexia Nervosa Anorexia sem fome Comportamento obstinado e propositado a perder peso Medo intenso de aumento de peso Alteração da imagem

Leia mais

DISTÚRBIOS ALIMENTARES

DISTÚRBIOS ALIMENTARES CLÍNICA PEDIÁTRICA VER CRESCER DISTÚRBIOS ALIMENTARES Castelo Branco DISTÚRBIOS ALIMENTARES Conjunto de doenças provocadas por alterações significativas nos hábitos alimentares diários, tanto por ingestão

Leia mais

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado!

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado! OBESIDADE MÓRBIDA Este documento é original e não pode ser modificado! SENTE-SE SOLITÁRIO? PESO IDEAL E IMC Peso ideal: altura X altura X 25 = Exemplo: 1.72 X 1.72 X 25 = 74 kg Excesso de peso : 89 kg

Leia mais

BULIMIA TRANSTORNOS ASSOCIADOS

BULIMIA TRANSTORNOS ASSOCIADOS BULIMIA Dando continuidade ao nosso estudo sobre BULIMIA NERVOSA daremos ênfase a outros tipos de transtorno que muitas vezes são associados a BULIMIA, a características mais evidentes desse transtorno

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...156

RESUMOS SIMPLES...156 155 RESUMOS SIMPLES...156 156 RESUMOS SIMPLES CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 159 CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 157 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 159 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 157 GARCIA JUNIOR, JAIR RODRIGUES...

Leia mais

3. Cópia dos resultados dos principais exames clínicos e os relacionados à obesidade Hemograma Glicemia Colesterol Triglicérides T3 T4 TSH

3. Cópia dos resultados dos principais exames clínicos e os relacionados à obesidade Hemograma Glicemia Colesterol Triglicérides T3 T4 TSH Cirurgia de Obesidade Mórbida Documentação Necessária Para solicitar a análise de Cirurgia de Obesidade ao Economus, é imprescindível o envio da relação completa dos documentos descritos abaixo: 1. Solicitação

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

Resposta Técnica 02/2015

Resposta Técnica 02/2015 Resposta Técnica 02/2015 Data: 10/02/2015 Solicitante: Dr. Sérgio Henrique Cordeiro Caldas Fernandes Juiz de direito da 23ª Vara Cível Comarca de Belo Horizonte Processo: 1682880-83.2014.8.13.0024 Ré:

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

Tabagismo e Transtornos Alimentares: como identificar e tratar, antes,

Tabagismo e Transtornos Alimentares: como identificar e tratar, antes, Tabagismo e Transtornos Alimentares: como identificar e tratar, antes, durante e após a cessação: Hospital Universitário Clementino Fraga Filho Serviço de Psiquiatria e Psicologia Médica Programa de Pesquisa

Leia mais

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos NUTRIÇÃO e PATOLOGIAS ASSOCIADAS Doenças do Comportamento Alimentar Saúde e Bem Estar ATITUDES AMBIENTE FISIOLOGIA SAÚDE HEREDITARIEDADE ECONOMIA CULTURA ALIMENTAÇÃO 2 Implicações Clínicas Doenças por

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE Adolescência 11 aos 20 anos Mudanças: Amadurecimento biológico Sexual Psicológico Social Características Adolescência Mudança de interesses Conflitos com a família Maior

Leia mais

Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba

Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba Terapia Cognitivo-Comportamental dos Transtornos Alimentares Psicologia- Ulbra/Guaíba Profa. Mestre Cláudia Galvão Mazzoni Fabiana Lima Rosinski Lisiane Botelho Ferreira Patrícia dos Santos Silveira Resumo:

Leia mais

DE BEM COM O PESO... DE BEM COM A VIDA...

DE BEM COM O PESO... DE BEM COM A VIDA... DE BEM COM O PESO... DE BEM COM A VIDA... INSTITUTO ABESO Dr. Jean Ricardo Nicareta Cirurgia do Aparelho Digestivo Cirurgia Bariátrica Endoscopia Digestiva GUARAPUAVA - PR PORQUE AS PESSOAS GANHARAM PESO

Leia mais

TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES: ANOREXIA NERVOSA E BULIMIA NERVOSA.

TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES: ANOREXIA NERVOSA E BULIMIA NERVOSA. TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DOS TRANSTORNOS ALIMENTARES: ANOREXIA NERVOSA E BULIMIA NERVOSA. Daniela Dornsbach Koszeniewski¹ Flávia Souza de Freitas¹ Rosieli Ribarski Bortolotti¹ RESUMO Este artigo

Leia mais

BULIMIA. Prof. Rodrigo Pimentel Coordenador de Ed. Física e Esportes BULIMIA NERVOSA

BULIMIA. Prof. Rodrigo Pimentel Coordenador de Ed. Física e Esportes BULIMIA NERVOSA BULIMIA Nunca foi tão intensa a discussão sobre distúrbios alimentares e o poder do alimento para curar ou adoecer. Entre muitos assuntos ligados a alimentação estão: Obesidade, Hipertensão e Osteoporose

Leia mais

A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade

A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade A contribuição da Psicologia no Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade Thaís Cristina Simamoto* Thaís Silva Luiz* A obesidade mórbida é uma doença crônica metabólica que combina grandes chances de

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

OBESIDADE. Prof. Marta E. Malavassi

OBESIDADE. Prof. Marta E. Malavassi Prof. Marta E. Malavassi SOBREPESO E OBESIDADE DIAGNÓSTICO A combinação de massa corporal e distribuição de gordura é, provavelmente, a melhor opção o diagnóstico do sobrepeso e obesidade. Mais recentemente,

Leia mais

Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas,

Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas, 8 Remédios para Emagrecer Evandro Murer Especialista em Teorias e Métodos de Pesquisa em Educação Física, Esportes e Lazer na UNICAMP Os Remédios para Emagrecer são quase todos à base de Anfetaminas, que

Leia mais

CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE

CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE APRESENTAÇÃO Índice A obesidade pode ser considerada um dos maiores problemas de saúde pública no século XXI. Um levantamento recente realizado pelo Ministério da

Leia mais

CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE

CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE CIRURGIA BARIÁTRICA MANUAL DO PACIENTE APRESENTAÇÃO A obesidade pode ser considerada um dos maiores problemas de saúde pública no século XXI. Um levantamento recente realizado pelo Ministério da Saúde

Leia mais

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Psicofármacos:Transtorno

Leia mais

Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(8). Edição 43

Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(8). Edição 43 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(8). Edição 43 Bárbara Luisa Aguiar Dias 1 Jordanny Santana de Sousa 1 Francisco Gilson Alves dos Santos 1 Márcia Andrea Lial

Leia mais

DRUNKOREXIA: VOCÊ SABE O QUE É ISSO?

DRUNKOREXIA: VOCÊ SABE O QUE É ISSO? DRUNKOREXIA: VOCÊ SABE O QUE É ISSO? Mileni Araújo Servilla graduanda em Psicologia pela AEMS Alini Daniéli Viana Sabino Mestre em Ciências pela FFCLRP/USP Coordenadora e Docente do Curso de Psicologia

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO TRANSTORNOS ALIMENTARES: ANOREXIA E BULIMIA Mariana Camargo Nascimento

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Como tratar OBESIDADE E TRANSTORNOS ALIMENTARES na TCC

Como tratar OBESIDADE E TRANSTORNOS ALIMENTARES na TCC Como tratar OBESIDADE E TRANSTORNOS ALIMENTARES na TCC Vanessa Ponstinnicoff CRP 06/85252 Especialista em Obesidade e Emagrecimento Terapeuta Cognitivo-comportamental Formação no Beck Institute Philadelphia

Leia mais

Psicologia do Emagrecimento/ Programa RAFCAL. Módulo I. Curso de Capacitação Programa RAFCAL

Psicologia do Emagrecimento/ Programa RAFCAL. Módulo I. Curso de Capacitação Programa RAFCAL Módulo I Dom Alberto Gonçalves, 66 Mercês Curitiba Paraná CEP: 80.510-340. Curso de Capacitação Programa RAFCAL 1 Rua: Programa RAFCAL Reeducação Afeto Cognitiva do Comportamento Alimentar Prezadas (os)

Leia mais

Rua Rio Grande do Norte 57 sala 407 Bairro Santa Efigênia Belo Horizonte MG. Telefone: (31) 3226-7997 www.nutricio.com.br

Rua Rio Grande do Norte 57 sala 407 Bairro Santa Efigênia Belo Horizonte MG. Telefone: (31) 3226-7997 www.nutricio.com.br Esta é uma publicação da Nutrício Reeducação Alimentar e Emagrecimento que tem por objetivo fornecer informações a respeito dos cuidados nutricionais pré e pós cirúrgicos. As informações contidas neste

Leia mais

Os Transtornos Alimentares no Brasil e no mundo.

Os Transtornos Alimentares no Brasil e no mundo. Os Transtornos Alimentares no Brasil e no mundo. Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Clínica Médica com área de atuação em Endocrinologia e Cardiologia Sanitarista pela UFRJ. Equipe CETOM - Centro de Tratamento

Leia mais

24 motivos. academia. para entrar na

24 motivos. academia. para entrar na para entrar na academia Mais um ano se inicia e com ele chegam novas perspectivas e objetivos. Uma das principais promessas feitas é deixar o sedentarismo de lado e entrar na academia! Nesta época é comum

Leia mais

A CIRURGIA BARIÁTRICA COMO ALTERNATIVA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE

A CIRURGIA BARIÁTRICA COMO ALTERNATIVA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE A CIRURGIA BARIÁTRICA COMO ALTERNATIVA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE 2013 Nara Saade de Andrade Psicóloga graduada pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais Charlisson Mendes Gonçalves Mestrando

Leia mais

Programa de Controle de Peso Corporal

Programa de Controle de Peso Corporal 15 Programa de Controle de Peso Corporal Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde na UNICAMP principal objetivo de desenvolver este tema com os alunos

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

obesidade é uma condição médica crônica de etiologia multifatorial, seu tratamento envolve vários tipos de abordagens.

obesidade é uma condição médica crônica de etiologia multifatorial, seu tratamento envolve vários tipos de abordagens. Cirurgia Bariátrica obesidade é uma condição médica crônica de etiologia multifatorial, seu tratamento envolve vários tipos de abordagens. (Appolinário JC, Abuchaim ALG, Coutinho W et al. Transtornos alimentares

Leia mais

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ CUSTO ENERGÉTICO DA GRAVIDEZ CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO FETAL SÍNTESE DE TECIDO MATERNO 80.000 kcal ou 300 Kcal por dia 2/4 médios 390 Kcal depósito de gordura- fase

Leia mais

Élsio Paiva Nº 11 Rui Gomes Nº 20 Tiago Santos Nº21. Disciplina : Área de Projecto Professora : Sandra Vitória Escola Básica e Secundária de Fajões

Élsio Paiva Nº 11 Rui Gomes Nº 20 Tiago Santos Nº21. Disciplina : Área de Projecto Professora : Sandra Vitória Escola Básica e Secundária de Fajões Élsio Paiva Nº 11 Rui Gomes Nº 20 Tiago Santos Nº21 Disciplina : Área de Projecto Professora : Sandra Vitória Escola Básica e Secundária de Fajões Introdução ; O que é a obesidade? ; Índice de massa corporal

Leia mais

Transtornos Alimentares

Transtornos Alimentares Transtornos Alimentares Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle Anorexia?/Bulimia?/Vigorexia? O que é??? Alguem já acompanhou um caso de Anorexia, Bulimia ou Vigorexia?? 1 Objetivos Definir os conceitos de

Leia mais

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada.

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada. 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AVALIAÇÃO

Leia mais

Aspectos emocionais e interdisciplinares

Aspectos emocionais e interdisciplinares Aspectos emocionais e interdisciplinares Obesidade Mórbida A obesidade mórbida é definida como aumento do peso corporal, às custas de tecido adiposo(gordura), 45kg acima do peso considerado ideal, ou Índice

Leia mais

Alimentação Equilibrada. Roda dos Alimentos. Obesidade. Anorexia / Bulimia

Alimentação Equilibrada. Roda dos Alimentos. Obesidade. Anorexia / Bulimia Alimentação Equilibrada Roda dos Alimentos Obesidade Anorexia / Bulimia SOMOS AQUILO QUE COMEMOS... Um povo bem alimentado é um povo saudável, com grande capacidade de trabalho e bom nível de vida; Um

Leia mais

05/05/2014 NOTA TÉCNICA

05/05/2014 NOTA TÉCNICA Data: 05/05/2014 NOTA TÉCNICA 82/2014 Medicamento Material Solicitante Juiz Renato Luís Dresch Procedimento 4ª Vara da Fazenda Pública Municipal Cobertura Processo número: 0847203-25.2014 TEMA: Cirurgia

Leia mais

OBESIDADE Pense Magro

OBESIDADE Pense Magro OBESIDADE Pense Magro Leda Maria Moysés Nóbile Psicóloga- 06/74184 Mestre em Ciências da Saúde Psicobiologia-Unifesp Doutoranda em Ciências da Saúde Psiquiatria- Unifesp Especialista em Dependência Química

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

Doenças do Comportamento. Alimentar

Doenças do Comportamento. Alimentar Doenças do Comportamento Sinais de alarme: Alimentar Diminuição da ingestão alimentar Ingestão de grandes quantidades de alimentos Aumento do consumo de água Omissão de refeições Restrição da qualidade

Leia mais

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Infância -Promoção e consolidação dos hábitos alimentares - Incremento das necessidades nutricionais para

Leia mais

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS UNIVERSIDADE DE UBERABA LIGA DE DIABETES 2013 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS PALESTRANTES:FERNANDA FERREIRA AMUY LUCIANA SOUZA LIMA 2013/2 CRITÉRIOS PARA ESCOLHA

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

AS MODERNAS INSULINAS

AS MODERNAS INSULINAS AS MODERNAS INSULINAS II Congresso para Diabéticos promovido pela Aliança de Atenção ao Diabetes do Rio de Janeiro - Foto molecular da insulina humana - Izidoro de Hiroki Flumignan - médico endocrinologista

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

FÁRMACOS ANTIOBESIDADE

FÁRMACOS ANTIOBESIDADE FÁRMACOS ANTIOBESIDADE Nutrição 2015/1 Profa Marilia Z. P. Guimarães O peso da população brasileira Classes de anorexígenos Ação central x periférica Os de ação central são ainda subdivididos em: Es;mulantes

Leia mais

Ela te enlouquece? Conheça mitos e verdades sobre a TPM 27/04/ 2015. Ibmed.com.br. Postado por Redação IBMED

Ela te enlouquece? Conheça mitos e verdades sobre a TPM 27/04/ 2015. Ibmed.com.br. Postado por Redação IBMED Ela te enlouquece? Conheça mitos e verdades sobre a TPM Postado por Redação IBMED 1) Toda Mulher tem TPM. MITO Nem toda mulher sofre com Tensão Pré-Menstrual e há algumas, muito poucas, que não exibem

Leia mais

Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES

Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES 5.5.2009 Alterações Metabolismo Carboidratos DIABETES Introdução Diabetes Mellitus é uma doença metabólica, causada pelo aumento da quantidade de glicose sanguínea A glicose é a principal fonte de energia

Leia mais

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan;

Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; 1 Reeducação Alimentar na prevenção da Obesidade Professores: Ivo André Polônio; Edi Carlos Iacida; Ângela Cesira Maran Pilquevitch; Silvia Trevisan; Janaina Lopes; Eveline Batista Rodrigues; Cristiane

Leia mais

Dieta engorda e é gatilho para transtorno alimentar, diz nutricionista

Dieta engorda e é gatilho para transtorno alimentar, diz nutricionista O fim de ano chega, e logo vem aquela preocupação com o ganho de peso provocado pelas delícias natalinas. Quando começar a dieta? Se depender da nutricionista Sophie Deram a resposta é: nunca! Na contramão

Leia mais

Assistência Farmacêutica na Depressão

Assistência Farmacêutica na Depressão Definição Assistência Farmacêutica na Depressão Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, envolvendo o abastecimento de medicamentos

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

5ª Etapa. Cartilha Pela Saúde da Família

5ª Etapa. Cartilha Pela Saúde da Família 5ª Etapa Cartilha Pela Saúde da Família Índice Imunização...3 Distúrbio Alimentar na Criança e Adolescente...4 Os cuidados com a alimentação e a pele do idoso...6 Câncer de Mama...7 Câncer de Próstata...8

Leia mais

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana Enquadramento A alimentação garante a sobrevivência do ser humano Representa uma fonte de

Leia mais

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA 48/2014 Solicitante Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Processo número: 1.0421.14.000078-5/001 TEMA: Cirurgia bariátrica em paciente com obesidade mórbida Data: 19/03/2014 Medicamento Material

Leia mais

Administrando o Stress: o coração agradece

Administrando o Stress: o coração agradece Administrando o Stress: o coração agradece Lucia E. Novaes Malagris Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro Presidente da Associação Brasileira de Stress Mortalidade - Brasil - Óbitos por

Leia mais

Tipos de Diabetes. Diabetes Gestacional

Tipos de Diabetes. Diabetes Gestacional Tipos de Diabetes Diabetes Gestacional Na gravidez, duas situações envolvendo o diabetes podem acontecer: a mulher que já tinha diabetes e engravida e o diabetes gestacional. O diabetes gestacional é a

Leia mais

Mas, vou te dizer algo muito importante, e gostaria muito que você levasse muito a sério o que direi!

Mas, vou te dizer algo muito importante, e gostaria muito que você levasse muito a sério o que direi! Na minha luta contra a balança, os remédios para emagrecer sempre apareceram no meu caminho como uma alternativa para acabar com os meus quilinhos extras e melhorar a minha aparência, sempre com a promessa

Leia mais

Veículo: Data: Editoria: AGOSTO 2010

Veículo: Data: Editoria: AGOSTO 2010 AGOSTO 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADES AGOSTO/2010 Iniciamos as atividades do mês de agosto respondendo a demandas de textos para revista Hebraica. A assessoria produziu um texto sobre a experiência de emagrecimento

Leia mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE 01 CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença crónica que se caracteriza pelo excesso de gordura corporal e que atinge homens, mulheres e crianças de todas as etnias e idades. A sua prevalência

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 417/2014 Encefalopatia Alcoólica

RESPOSTA RÁPIDA 417/2014 Encefalopatia Alcoólica RESPOSTA RÁPIDA 417/2014 Encefalopatia Alcoólica SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.1606-4 DATA 25/07/2014 Ao NATS, SOLICITAÇÃO

Leia mais

Hormônio do Crescimento

Hormônio do Crescimento Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Hormônio do Crescimento O Hormônio do Crescimento Humano é um dos muitos hormônios que tem sua produção

Leia mais

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2 RESUMO: O presente estudo

Leia mais

DISTÚRBIOS ALIMENTARES

DISTÚRBIOS ALIMENTARES DISTÚRBIOS ALIMENTARES Adolescência Período da vida entre a infância e a idade adulta. Fase decisiva na vida do ser humano. Fase de experiências, mudanças físicas, psicológicas e emocionais, que são avaliadas

Leia mais

Programa Slim. Emagrecimento SLIM FORM. 2 a Etapa Diagnóstico. 3 a Etapa Tratamento. 1 a Etapa Avaliação

Programa Slim. Emagrecimento SLIM FORM. 2 a Etapa Diagnóstico. 3 a Etapa Tratamento. 1 a Etapa Avaliação for Kids Programa Slim for Kids Programa voltado para escolas, alunos e pais visando a melhora na alimentação, controle da obesidade, saúde e qualidade de vida. Formada por uma equipe multidisciplinar

Leia mais

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O QUE É ANDROPAUSA? Problemas hormonais surgidos em função da idade avançada não são exclusivos das mulheres. Embora a menopausa seja um termo conhecido

Leia mais

O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )?

O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )? O QUE É A TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL ( TPM )? Introdução A famosa TPM, também conhecida como síndrome da tensão pré-menstrual, é um termo que se refere a um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

Intervenção Nutricional em Cirurgia Bariátrica

Intervenção Nutricional em Cirurgia Bariátrica Curso Grannutrille Cirurgia Bariátrica: como atuar efetivamente em equipe Intervenção Nutricional em Cirurgia Bariátrica Rachel Horta Freire nutricionista@rachelfreire.com.br Intervenção Nutricional em

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

Teresa Branco COMO VENCER A FOME EMOCIONAL

Teresa Branco COMO VENCER A FOME EMOCIONAL Teresa Branco COMO VENCER A FOME EMOCIONAL CONTEÚDOS INTRODUÇÃO 7 COMO LER ESTE LIVRO 13 PRIMEIRA PARTE :: FOME EMOCIONAL E O AUMENTO DO PESO > Capítulo 1 :: PORQUE AUMENTAMOS DE PESO? 17 SEGUNDA PARTE

Leia mais

Emagreça! Manual prático com informações atuais para emagrecer e melhorar a saúde. Dr. Waldirson Morais Coelho

Emagreça! Manual prático com informações atuais para emagrecer e melhorar a saúde. Dr. Waldirson Morais Coelho Emagreça! Manual prático com informações atuais para emagrecer e melhorar a saúde Dr. Waldirson Morais Coelho Emagreça! Manual prático com informações atuais para emagrecer... 3 2002. Coelho, Waldirson

Leia mais

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma

Em pleno novo milênio nossa sociedade aparece com uma 8 Epidemiologia da Atividade Física & Doenças Crônicas: Diabetes Dênis Marcelo Modeneze Graduado em Educação Física Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde-UNICAMP Em pleno

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Os erros que te impedem de emagrecer!

Os erros que te impedem de emagrecer! Os erros que te impedem de emagrecer! Os 20 erros que comprometem o seu emagrecimento Este artigo é de total responsabilidade e criação de GWBrasil. Acesse e saiba mais: http://goworkoutbrasil.com 1. Não

Leia mais

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Apesar de ainda não existir cura definitiva para esse problema de saúde crônico, uma diferenciação entre essa patologia e a sensibilidade ao glúten

Leia mais

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h)

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementário: Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementa: Organização Celular. Funcionamento. Homeostasia. Diferenciação celular. Fisiologia

Leia mais

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP Estudo da forma e função dos Psicofármacos Psicofármacos / Psicotrópicos

Leia mais

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia).

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia). diabetes Quando Acidente a glicemia vascular (glicose cerebral no sangue) (tromboses), sobe, o pâncreas uma das principais O que Quais é a diabetes? as complicações associadas à diabetes? produz causas

Leia mais

"ANÁLISE DO CUSTO COM MEDICAMENTOS E DO RISCO CARDIOVASCULAR EM PACIENTES MORBIDAMENTE OBESOS ANTES E APÓS A REALIZAÇÃO DA CIRURGIA BARIÁTRICA"

ANÁLISE DO CUSTO COM MEDICAMENTOS E DO RISCO CARDIOVASCULAR EM PACIENTES MORBIDAMENTE OBESOS ANTES E APÓS A REALIZAÇÃO DA CIRURGIA BARIÁTRICA "ANÁLISE DO CUSTO COM MEDICAMENTOS E DO RISCO CARDIOVASCULAR EM PACIENTES MORBIDAMENTE OBESOS ANTES E APÓS A REALIZAÇÃO DA CIRURGIA BARIÁTRICA" SHOSSLER ¹, T.S.; FREITAS ¹, G.; LOPES ², E.; FRASNELLI ¹,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PROFESSOR PRESENCIAL

ORIENTAÇÕES PARA O PROFESSOR PRESENCIAL ORIENTAÇÕES PARA O PROFESSOR PRESENCIAL Componente Curriculares Educação Física Professores Ministrantes: Kim Raone e Marcus Marins Série/ Ano letivo: 2º ano/ 2014 Data: 26/03/2014 AULA 5.1 Conteúdo: Doenças

Leia mais