Release de Resultados do 1T10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Release de Resultados do 1T10"

Transcrição

1 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) / Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar Campos Elíseos São Paulo, S.P Brasil CEP: Fone: (0xx11) / Teleconferência de Resultados do 1T10 Data: Quinta-Feira, 06 de maio de 2010 > Português 11h30 (horário de Brasília) / 10h30 (horário de NY) Tel.: (11) Código: Porto Seguro e Replay: (11) Código: Porto Seguro > Inglês 13h30 (horário de NY) / 14h30 (horário de Brasília) Tel.: +1 (973) e Código: Replay: +1 (706) e Código: Reunião APIMEC Data: Sexta-Feira, 07 de Maio de 2010 às 18h Naoun Plaza Hotel SHS Qd.5 BI - Brasília - DF. (estacionamento no local) Destaques do 1T10 Lucro Líquido de R$ 130,9 milhões no 1T10. Despesas administrativas e tributos de seguros somadas atingiram 17,8%. Crescimento dos prêmios auferidos de 42,5% no 1º trimestre de Resultado financeiro atingiu 139,0% do CDI no 1T10. Sinistralidade do Saúde de 66,2% no 1T10. Sinistralidade total de 60,0% no 1T10 Índice combinado de seguros do trimestre de 97,9%. OBR SOBRE A PORTO SEGURO A Porto Seguro está entre as principais seguradoras do Brasil. Atuante nesse mercado desde 1945 oferece por meio de suas subsidiárias ampla gama de produtos de seguro: automóvel, saúde, empresarial, vida e previdência, patrimonial e transportes. É líder no segmento de seguro de automóveis e residência, e terceira no ranking de saúde empresarial, suas principais linhas de produto. 1

2 Release de Resultados do 1T10 Mensagem da Administração Tivemos um trimestre marcado pela recuperação das margens de seguros. Mesmo com uma maior freqüência de sinistros provocados pelas fortes chuvas na Grande São Paulo, conseguimos manter o índice de sinistralidade em níveis adequados, principalmente pela recuperação do seguro Saúde, e rapidez para tratamento dos veículos Salvados. As despesas de Comercialização e Administrativas recuaram, mostrando uma melhoria operacional da Companhia. O Resultado Financeiro atingiu 139% do CDI (incluindo previdência), número acima de nossas expectativas. A PDD de cartão de crédito está em declínio e esperamos bons resultados deste produto. Outras Despesas Operacionais reduziram devido a menor despesas com rastreadores anti-furto. A integração com a ISa+r está dentro do planejado, onde a área comercial já foi estruturada para atendimento dos Corretores e Agências. As áreas de apoio estão em fase avançada de integração e as adaptações de processos e sistemas nas Agências estão começando a ser realizadas. Com este cenário, estamos otimistas com a expectativa de resultado para o ano. Prêmios Auferidos (R$ milhões) Porto Seguro com ISa+r 1.261,0 42,5 % 1.796,6 Prêmios Auferidos (R$ milhões) Porto Seguro sem ISa+r 1.261,0 11,7 % 11,6% 1.407,9 1T09 1T10 1T09 1T10 * Lucro Líquido (R$ milhões) Porto Seguro com ISa+r 130,9 Lucro Líquido (R$ milhões) Porto Seguro sem ISa+r 88,6 % 15,7 % 80,2 69,4 69,4 1T09 1T10 1T09 1T10 *O aumento de 88,6% no lucro líquido no 1T10 em relação ao 1T09 é decorrente, principalmente: (i) da contabilização do resultado da ISa+r; (ii) do crescimento de 42,5% dos prêmios auferidos; (iii) e de uma redução de 2,4 p.p das despesas administrativas e tributos. O resultado é parcialmente compensado por um aumento de 1,0 p.p. na sinistralidade total. 2

3 Release de Resultados do 1T10 Rentabilidade Sobre o Patrimônio Porto Seguro com ISa+r (ROAE% - anualizado) 14,3 2,6 p.p. 16,9 Rentabilidade Sobre o Patrimônio Porto Seguro sem ISa+r (ROAE% anualizado) 15,1 0,8 p.p. 14,3 1T09 1T10 1T09 1T10 Distribuição dos Prêmios Auferidos (%) 1T10 com ISa+r 1T10 sem ISa+r 1T Auto Saúde Vida Patrimonial DPVAT Outros 3

4 Destaques Operacionais e Financeiros 1T10 vs. 1T09 Consolidado Receitas (valores em R$ milhões) 1T10 1T09 Var.% Prêmios Auferidos Porto Seguro Auto 720,7 641,9 12,3 Azul Seguros Auto 201,4 152,4 32,2 ISa+r - Auto 327,7 - - Total Auto 1.249,8 794,3 57,3 Saúde 156,2 173,5 (10,0) Pessoas 66,7 66,3 0,6 Patrimoniais 72,8 63,6 14,5 Patrimoniais - Isa+r 61,0 - - Total Patrimonial 133,8 63,6 110,4 DPVAT 81,5 64,7 26,0 Outros 66,6 64,0 4,1 Porto Seguro Del Uruguay 16,5 14,5 13,8 Prêmios Auferidos Segmento VGBL 25,5 20,1 26,9 Total de Prêmios Auferidos 1.796, ,0 42,5 Contribuições de Planos de Previdência 31,0 30,7 1,0 Receita Prestação de Serviços Monitoramento 13,1 15,2 (13,8) Receita de Prestação de Serviços - Consórcio 30,5 26,6 14,7 Receita de Operações de Crédito 41,7 29,3 42,3 Outras Receitas 16,8 7,1 136,6 Resultado Financeiro 187,5 155,4 20,7 Receita Total 2.117, ,3 38,8 Informações Adicionais (valores em R$ milhões) 1T10 1T09 Var.% Total de Prêmios Ganhos 1.772, ,2 47,9 Resultado Financeiro de Seguros 171,7 144,6 18,7 Índices (%) 1T10 1T09 Var. p.p. Sinistralidade Porto Seguro Auto 56,7% 53,3% 3,4 Azul Seguros Auto 71,3% 75,9% (4,6) ISa+r - Auto 67,8% - - Total Auto 62,1% 57,4% 4,7 Saúde 66,2% 69,0% (2,8) Pessoas 31,4% 32,7% (1,3) Patrimoniais 53,2% 51,9% 1,3 Patrimoniais - ISa+r 30,0% - 30,0 Total Patrimonial 41,4% 51,9% (10,5) Sinistralidade Total 60,0% 59,0% 1,0 Despesas de Comercialização Seguros 20,1% 22,0% (1,9) Despesas Administrativas Seguros 15,7% 17,5% (1,8) Despesas com Tributos Seguros 2,1% 2,7% (0,6) Despesas Administrativa e Tributos Seguros 17,8% 20,2% (2,4) Índice Combinado - Seguros 97,9% 101,2% (3,3) Índice Combinado Ampliado - Seguros 89,2% 90,3% (1,1) Patrimônio Líquido (valores em R$ milhões) Var. % 3.259, ,3 60,2 Lucro Líquido (valores em R$ milhões) Var. % 130,9 69,4 88,6 Rentabilidade do Patrimônio (ROAE%) 16,9 14,3 2,6 Lucro por Ação (valores em R$) Var. % 0,40 0,30 32,8 Quantidade de Ações (valores em milhares)

5 Destaques Operacionais e Financeiros 1T10 vs. 1T09 Desconsiderando ISa+r Receitas (valores em R$ milhões) 1T10 1T09 Var.% Prêmios Auferidos Porto Seguro Auto 720,7 641,9 12,3 Azul Seguros Auto 201,4 152,4 32,2 Total Auto 922,1 794,3 16,1 Saúde 156,2 173,5 (10,0) Pessoas 66,7 66,3 0,6 Patrimoniais 72,8 63,6 14,5 DPVAT 81,5 64,7 26,0 Outros 66,6 64,0 4,1 Porto Seguro Del Uruguay 16,5 14,5 13,8 Prêmios Auferidos Segmento VGBL 25,5 20,1 26,9 Total de Prêmios Auferidos 1.407, ,0 11,7 Contribuições de Planos de Previdência 31,0 30,7 1,0 Receita Prestação de Serviços Monitoramento 13,1 15,2 (13,8) Receita de Prestação de Serviços - Consórcio 30,5 26,6 14,7 Receita de Operações de Crédito 41,7 29,3 42,3 Outras Receitas 16,8 7,1 136,6 Resultado Financeiro 129,5 155,4 (16,7) Receita Total 1.670, ,3 9,5 Informações Adicionais (valores em R$ milhões) 1T10 1T09 Var.% Total de Prêmios Ganhos 1.347, ,2 12,4 Resultado Financeiro de Seguros 113,7 144,6 (21,4) Índices (%) 1T10 1T09 Var. P.P Sinistralidade Porto Seguro Auto 56,7% 53,3% 3,4 Azul Seguros Auto 71,3% 75,9% (4,6) Total Auto 59,8% 57,4% 2,4 Saúde 66,2% 69,0% (2,8) Pessoas 31,4% 32,7% (1,3) Patrimoniais 53,2% 51,9% 1,3 Sinistralidade Total 59,6% 59,0% 0,6 Despesas de Comercialização Seguros 20,2% 22,0% (1,8) Despesas Administrativas Seguros 17,0% 17,5% (0,5) Despesas com Tributos Seguros 2,9% 2,7% 0,2 Despesas Administrativa e Tributos Seguros 19,9% 20,2% (0,3) Índice Combinado - Seguros 99,7% 101,2% (1,5) Índice Combinado Ampliado - Seguros 91,9% 90,3% 1,6 Patrimônio Líquido (valores em R$ milhões) Var. % 2.232, ,3 9,7 Lucro Líquido (valores em R$ milhões) Var. % 80,2 69,4 15,7 Rentabilidade do Patrimônio (ROAE%) 15,1 14,3 0,8 Lucro por Ação (valores em R$) Var. % 0,35 0,30 16,7 Quantidade de Ações (valores em milhares)

6 Destaques Operacionais e Financeiros 1T10 vs. 1T09 Resultado das Operações de Seguros (Consolidado) Resultado das Operações de Seguro Consolidado Valores em R$ milhões (com ISa+r) 1T10 1T09 Var. % Prêmios Ganhos 1.772, ,2 47,9 Sinistros Retidos (1.063,8) (706,7) 50,5 Variação das Provisões Técnicas - Seguros (19,7) (56,5) (65,1) Prêmio de Resseguros Cedidos (4,7) (6,3) (25,4) Despesas Administrativas e Tributos - Seguros (316,2) (242,2) 30,6 Resultado Financeiro - Seguros 171,7 144,6 18,7 Índice Combinado % 101,2 100,0 98,5 95,1 97,9 99,7 20,2 19,6 19,6 19,1 17,8 19,9 22,0 21,8 20,5 20,5 20,1 20,2 59,0 58,6 58,4 55,5 60,0 59,6 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 1T10* (sem ISa+r) D.A e Tributos - Seguros Comissionamento - Seguros Sinistralidade 6

7 Automóvel Porto Seguro Auto 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhões) 720,7 641,9 12,3 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 56,7 53,3 3,4 Veículos Segurados (mil) ,6 Azul Seguros Auto 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhões) 201,4 152,4 32,2 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 71,3 75,9 (4,6) Veículos Segurados (mil) ,8 Itaú Seguros Auto 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhões) 327,7 - - Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 67,8 - - Veículos Segurados (mil) Seguro Auto Consolidado Sinistralidade % Prêmios Auferidos Auto (R$ milhões) 57,3 % 1.249,8 4,7p.p. 62,1 794,3 922,1 59,8 61,9 % 16,1% 57,4 2,4 p.p Frota Segurada 2,151 2,411 12,1% 3,483 1T09 1T10 sem ISa+r 1T10 com ISa+r 1T09 1T10 sem ISa+r 1T10 com ISa+r 1T09 1T10 sem ISa+r 1T10 com ISa+r Os prêmios auferidos da carteira de automóveis da Porto Seguro atingiram R$ 720,7 milhões no 1T10, 12,3% maior que os R$ 641,9 milhões observados no 1T09. Este aumento decorre, principalmente, do crescimento de 8,6% no número de veículos segurados, e do reajuste de preços ao longo do período. O aumento de 3,4 p.p na sinistralidade da Porto Seguro Auto no 1T10, em relação ao 1T09, decorre principalmente do grande volume de chuvas ao longo do trimestre,especialmente na grande SP; Os prêmios auferidos no segmento de automóveis da Azul Seguros atingiram R$ 201,4 milhões no 1T10, 32,2% maior que os R$ 152,4 milhões registrados no 1T09. Este aumento decorre principalmente do crescimento de veículos segurados de 22,8%, e do reajuste de preços ao longo do período, que também foi responsável pela redução de 4,6 p.p na sinistralidade; Os prêmios auferidos da carteira de automóveis da ISa+r (Itaú Seguros de Auto e Residência S.A.) atingiram R$ 327,7 milhões com uma sinistralidade de 67,8%. 7

8 Saúde Seguro Saúde 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhões) 156,2 173,5 (10,0) Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 66,2 69,0 (2,8) Vidas Seguradas (mil) (3,3) Os prêmios no segmento de seguro saúde totalizaram R$ 156,2 milhões no 1T10, 10,0% menor do que no 1T09, decorrente principalmente da redução de 3,3% na quantidade de vidas seguradas e do cancelamento de apólices deficitárias; A sinistralidade atingiu 66,2% no 1T10, 2,8, p.p. menor do que no 1T09, decorrente principalmente da diminuição nas freqüências de utilização e da eliminação de apólices deficitárias. % Sinistralidade -Saúde 69,0% 85,0% 79,0% 71,4% 66,2% 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 8

9 Patrimonial Patrimonial Empresarial 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 43,1 31,4 37,3 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 51,7 48,2 3,5 Condomínio 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 3,2 3,3 (3,0) Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 80,5 78,4 2,1 Residência Porto 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 20,9 22,1 (5,4) Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 59,9 61,2 (1,3) Outros 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 5,6 6,8 (17,6) Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 25,6 21,0 4,6 Total Patrimonial Porto 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 72,8 63,6 14,5 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 53,2 51,9 1,3 ISa+r Residência 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 61,0 - - Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 30,0 - - Total Patrimonial com Isa+r 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhares) 133,8 63,6 110,4 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 41,4 51,9 (10,5) Os prêmios auferidos com seguro patrimonial atingiram R$ 133,8 milhões no 1T10, 110,4% acima dos R$63,6 milhões registrados no 1T09, decorrente, principalmente da carteira da ISa+r, e do aumento de 37,3% dos prêmios auferidos de seguros empresariais. A sinistralidade total alcançou 41,4 % no 1T10, 10,5 p.p menor que no 1T09, devido principalmente a carteira de seguros residências da ISa+r. 9

10 Pessoas Seguro de Pessoas 1T10 1T09 Var. % Prêmios Auferidos (R$ milhões) 66,7 66,3 0,6 Sinistralidade (%) - Var (p.p.) 31,4 32,7 (1,3) Vidas Seguradas (mil) ,3 Os prêmios auferidos totalizaram R$ 66,7 milhões de reais no 1T10, com uma aumento de 0,6% em relação ao 1T09, devido principalmente ao aumento do número de vidas seguradas; A redução de sinistralidade de 1,3 p.p no trimestre, foi principalmente devido a redução da freqüência de sinistros no período. Previdência e VGBL (R$ milhões) 1T10 1T09 Var. % Contribuições de Previdência (R$ milhões) 31,0 30,7 1,0 Prêmios VGBL (R$ milhões) 25,5 20,1 26,9 Reservas Matemáticas (R$ milhões) 1.279, ,6 21,2 Total de Participantes Ativos (mil) ,3 As contribuições com plano de previdência totalizaram R$ 31,0 milhões no 1T10, com aumento de 1,0% em relação aos R$ 30,7 milhões registrados no 1T09, decorrente, principalmente do aumento do número de participantes ativos. Os prêmios de VGBL totalizaram R$ 25,5 milhões no 1T10, com aumento de 26,9% em relação aos R$ 20,1 milhões registrados no 1T09, decorrente principalmente do aumento no volume de participantes ativos. 10

11 Outros Negócios Consórcio 1T10 1T09 Var. % Receita com Prestação de Serviços (R$ milhões) 30,5 26,6 14,7 Consorciados Ativos (mil) ,7 As receitas com prestação de serviços de Consórcio totalizaram R$ 30,5 milhões no 1T10, com aumento de 14,7% em relação aos R$ 26,6 milhões registrados no 1T09, decorrente, principalmente do aumento de 10,7 % no número de consorciados ativos, que atingiu 57 mil no 1T10. Proteção e Monitoramento 1T10 1T09 Var. % Receita com Prestação de Serviços (R$ milhões) 13,1 15,2 (13,8) Clientes Ativos (mil) ,3 As receitas com prestação de serviços de monitoramento totalizaram R$ 13,1 milhões no 1T10, com redução de 13,8% em relação aos R$ 15,2 milhões registrados no 1T09, devido principalmente à queda de receita decorrente da descontinuidade de uma das operações. Operações de Crédito (Portoseg) 1T10 1T09 Var. % Receita com Prestação de Serviços (R$ milhões) 41,7 29,3 42,3 As receitas com operações de crédito totalizaram R$ 41,7 milhões no 1T10, com aumento de 42,3% em relação aos R$ 29,3 milhões registrados no 1T09, decorrente, principalmente do aumento de 67,4% na operação de cartão de crédito, compensado parcialmente pela redução de 5,4% nos financiamentos e refinanciamentos. 11,7% Carteira de Operações de Crédito R$ milhões) 440,4 394,4 (5,4%) 302,1 285,9 67,4% 154,5 92,3 11 Cartão de Crédito Financiamento e Refinanciamento 1T09 1T10 Total da Carteira de Operações de Crédito

12 Despesas Administrativas Despesas Administrativas Consolidado Valores em R$ milhares 1T10 1T09 Var. % Pessoal Próprio ,9 Serviços de Terceiros ,9 Localização e Funcionamento ,7 Publicidade ,2 Outros ,6 Total de Despesas Administrativas ,1 As despesas administrativas consolidadas aumentaram 34,1% no 1T10, quando comparado com 1T09, em decorrência, principalmente da incorporação da ISa+r; Despesas Administrativas sem ISa+r Valores em R$ milhares 1T10 1T09 Var. % Pessoal Próprio ,6 Serviços de Terceiros ,2 Localização e Funcionamento ,5 Publicidade ,4 Outros ,4 Total de Despesas Administrativas ,3 As despesas administrativas sem ISa+r aumentaram 13,3% no 1T10, quando comparado com 1T09, em decorrência, principalmente; (i) do aumento de 12,6 % das despesas com pessoal próprio em virtude do crescimento de 5,0% por acordo coletivo, e do aumento de 4% no quadro de funcionários; (ii) do aumento de 21,2% referente as despesas com terceiros; (iii) do aumento de 44,4 % das despesas com publicidade. Despesas Administrativas e Tributos 20,2% 19,6% 19,6% 19,1% 17,8% 19,9% 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 1T10 sem ISa+r O índice de despesas administrativas consolidado no 1T10, atingiu 17,8%, redução de 2,4 p.p em relação ao 1T09, decorrente de esforços de melhoria operacional, e da incorporação da ISa+r. 12

13 Outras Despesas/Receitas Operacionais Outras Receitas/Despesas Operacionais Outras Despesas /Receitas Operacionais Consolidado Valores em R$ milhares 1T10 1T09 Var. % Outras Receitas Operacionais 99,7 61,2 62,9 Outras Despesas Operacionais (110,8) (87,8) 26,2 Total de Outras Receitas (Despesas) Operacionais (11,1) (26,6) (58,3) Outras receitas operacionais consolidadas registraram um aumento de 62,9% e outras despesas operacionais consolidadas registraram um aumento de 26,2%, principalmente devido a incorporação da ISa+r; Outras Despesas /Receitas Operacionais sem ISa+r Valores em R$ milhares 1T10 1T09 Var. % Outras Receitas Operacionais 83,9 61,2 37,1 Outras Despesas Operacionais (86,8) (87,8) (1,1) Total de Outras Receitas (Despesas) Operacionais (2,9) (26,6) (89,1) Outras receitas operacionais registraram um aumento de 37,1 %, decorrente principalmente do aumento das receitas de custo de apólice, e do aumento de outras receitas referentes a transações de cartão de crédito; Outras despesas operacionais reduziram 1,1% no 1T10 em relação ao trimestre anterior. 13

14 Resultado das Aplicações Financeiras Carteira de Investimentos Receitas Financeiras/Despesas Financeiras Receitas Financeiras 1T10 1T09 Var. % Aplicações Financeiras - Ex-Previdência 79,7 107,3 (25,7) Aplicações Financeiras - Previdência 54,5 40,1 35,9 Outras Receitas 51,6 51,2 0,7 Aplicações Financeiras - Isa+r 45,3 - - Outras Receitas - Isa+r 17,6 - - Total Receitas Financeiras 248,6 198,6 25,2 Despesas Financeiras 1T10 1T09 Var. % Operações de Previdência 39,0 23,7 64,6 Operações Isa+r 4,9 - - Outras Despesas 17,2 19,5 (11,9) Total Despesas Financeiras 61,1 43,2 41,4 Resultado Financeiro 1T10 1T09 Var. % Resultado Financeiro - Ex-ISa+r 129,5 155,4 (16,6) Resultado Finaceiro Total 187, ,7 O resultado financeiro no primeiro trimestre de 2010 foi de aproximadamente R$ 188 milhões, o que representou um aumento de R$ 32 milhões ou crescimento de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desconsiderando a contribuição da ISa+r, o resultado financeiro foi de aproximadamente R$ 130 milhões, o que representou uma redução de R$ 26 milhões ou uma queda de 17% em relação ao mesmo período do ano anterior. 14

15 Resultado das Aplicações Financeiras Carteira de Investimentos A receita total da carteira de aplicações financeiras (R$ 6,8 bilhões) foi de aproximadamente R$ 179 milhões no trimestre, o que representou uma rentabilidade 2,81% ou de 139% do CDI. Excluindo recursos previdenciários, a carteira resultante (R$ 5,4 bilhões) apresentou valorização de 2,37% ou 117% do CDI, produzindo uma receita financeira de R$ 125 milhões.os resultados foram atingidos principalmente pela exposição a títulos prefixados, consistente com o nosso cenário macroeconômico. Por outro lado, em termos nominais, as receitas financeiras foram negativamente impactadas pelo menor CDI médio no trimestre (vs 1 Trim/2009). 15

16 Glossário Comissões: Despesas de comercialização e distribuição devidas a corretores, instituições financeiras e outras seguradoras. Índice combinado: Quociente obtido pela soma das despesas operacionais com seguros relacionadas a sinistros, comercialização, administrativas e tributos, comparadas com os prêmios ganhos. Representa a relação entre o total de despesas operacionais com seguros e o total de receitas operacionais com seguros. Índice combinado ampliado: Representa a relação entre o total de despesas operacionais com seguros da seguradora e o total de receitas operacionais mais receitas financeiras líquidas com seguros. Índice DA: Quociente obtido pela soma das despesas administrativas com seguros mais tributos com seguros, dividida pelo total de prêmios ganhos. Índice de comissão: Quociente obtido pela divisão do total das despesas de comercialização com seguros pelo total de prêmios ganhos. Índice de sinistralidade: Quociente obtido pela divisão do total de sinistros retidos pelo total de prêmios ganhos. P.P. : pontos percentuais Prêmio: Contraprestação devida pelo segurado à seguradora. Prêmios auferidos: Prêmios totais subscritos durante certo período. Prêmios ganhos: A parcela de prêmios de seguro correspondente à parcela já decorrida do período de cobertura da apólice. Provisões: Passivo contabilizado pelas seguradoras e resseguradoras para refletir o custo estimado de pagamentos de indenização, benefícios e despesas correlatas. Resseguro: Operação pela qual a seguradora cede parte de determinado risco a alguma resseguradora. Retenção: A quantia ou parcela de risco que uma seguradora assume por sua própria conta. Riscos Vigentes não Emitidos (RVNE): valor estimado dos prêmios de riscos vigentes cujas apólices ainda não foram emitidas. Sinistro: Fato cuja ocorrência dá ao segurado o direito de receber indenização paga pela seguradora. Subscrição: Processo pelo qual uma companhia de seguro ou resseguro analisa as propostas apresentados para cobertura de seguro ou resseguro e determina se irá fornecer, no todo ou em parte, a cobertura solicitada por um prêmio acordado. SUSEP: Superintendência de Seguros Privados VGBL: Vida Gerador de Benefício Livre: produto destinado a formação de poupança resgatável. Este comunicado pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da Porto Seguro. Estas são apenas projeções e, como tal, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração da Porto Seguro em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o plano de negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira, entre outros fatores, além dos riscos apresentados nos documentos de divulgação arquivados pela Porto Seguro na CVM e estão, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio. 16

17 Balanço Patrimonial Ativo PORTO SEGURO S.A BALANÇOS PATRIMONIAIS (Valores expressos em milhares de reais) Consolidado 1T10 4T09 1T09 ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades Aplicações financeiras Prêmios emitidos Despesas de comercialização diferidas Operações de crédito Títulos e créditos a receber Dividendos e juros a receber Impostos e contribuições Demais contas a receber Despesas de resseguro e retrocessão Outros valores e bens NÃO CIRCULANTE Realizável a longo Prazo Aplicações financeiras Imposto de renda e contribuição social diferidos Impostos e contribuições Operações de crédito Depósitos judiciais Demais contas a receber Despesas de comercialização diferidas Investimentos: Ágio na aquisição de investimentos Outros investimentos Investimentos no IRB - Brasil Resseguros S.A Imóveis destinados à renda Imobilizado Intangível TOTAL DO ATIVO

18 Balanço Patrimonial Passivo PORTO SEGURO S.A BALANÇOS PATRIMONIAIS (Valores expressos em milhares de reais) Consolidado PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1T10 4T09 1T09 CIRCULANTE Contas a pagar Depósitos interfinanceiros Recursos de aceites e emissão de títulos Obrigações por empréstimos Provisão de férias e encargos Impostos e contribuições Juros sobre o capital próprio e dividendos a pagar Depósitos de terceiros Comissões sobre prêmios emitidos Outros débitos de seguros a pagar Provisão técnicas de Seguros e Previdência IRB - Brasil Resseguros S.A PASSIVO NÃO CIRCULANTE Exigível a longo prazo: Contas a pagar Obrigações por empréstimos Imposto de renda e contribuição social diferidos Provisão técnicas de Seguros e Previdência Obrigações legais Contingências Trabalhistas e Cíveis Receita diferida RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS PARTICIPAÇÃO DE MINORITÁRIOS PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Ações em Tesouraria Reservas de capital Reserva de reavaliação Ajustes com títulos e valores mobiliários Ajustes de avaliação patrimonial 118 (189) (2.936) Reserva de lucros Lucros Acumulados TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

19 Demonstrações de Resultados PORTO SEGURO S.A DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EM 31 DE MARÇO DE 2010 E DE 2009 (Valores não auditados expressos em milhares de reais) 1T10 1T09 Var. % Receitas ,9 Prêmios de seguros auferidos ,5 Contribuições de planos de previdência ,8 Receitas de prestações de serviços - monitoramento (13,9) Receitas de prestações de serviços - consórcio ,6 Receitas de prestações de serviços - crediporto ,7 Receitas de prestações de serviços - integração ,5 Receitas de prestações de serviços - serviços ,9 Receitas de prestações de serviços - atendimento n.a. Receitas de prestações de serviços - outras ,5 Operações de Crédito ,7 Outras Receitas ,7 Receitas Financeiras - Seguros ,0 Receitas Financeiras Líquidas - Outras ,4 Receitas com Imóveis de Renda (48,7) Despesas ( ) ( ) 34,6 Prêmios de Resseguros Cedidos (4.727) (6.309) (25,1) Variação das Provisões Técnicas de Seguros (19.661) (56.450) (65,2) Variação das Provisões Técnicas de Previdência (31.724) (32.023) (0,9) Sinistros Retidos ( ) ( ) 50,5 Benefícios de Planos de Previdência (1.749) (1.209) 44,7 Custos dos Serviços Prestados - Monitoramento (6.809) (7.423) (8,3) Custos dos Serviços Prestados - Integração (943) (842) 12,0 Custos dos Serviços Prestados - Serviços (18) (1) 1.700,0 Despesas de intermediação financeira (8.106) (8.744) (7,3) Provisão para devedores duvidosos - Financeiras (18.053) (14.880) 21,3 Despesas de Comercialização - Seguros ( ) ( ) 34,0 Despesas de Comercialização - Outras (10.934) (9.415) 16,1 Despesas Administrativas - Seguros ( ) ( ) 32,4 Despesas Administrativas - Outras (40.044) (27.104) 47,7 Despesas com Tributos - Seguros (37.827) (32.787) 15,4 Despesas com Tributos - Outras (9.566) (6.559) 45,8 Outras Receitas (Despesas) Operacionais - Seguros (28.651) (31.842) (10,0) Outras Receitas (Despesas) Operacionais - Outras ,1 Despesas Financeiras - Seguros (60.864) (42.995) 41,6 Resultado das Operações ,3 LUCRO ANTES DOS IMPOSTOS E PARTICIPAÇÕES ,3 Imposto de Renda (45.401) (24.887) 82,4 Contribuição Social (27.987) (9.521) 194,0 Participação nos Lucros (15.753) (10.100) 56,0 LUCRO ANTES DA PARTICIPAÇÃO DE MINORITÁRIOS ,8 PARTICIPAÇÃO DOS MINORITÁRIOS (51) (28) 82,1 19 LUCRO LÍQUIDO DO TRIMESTRE ,8

20 Fluxo de Caixa DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS TRIMESTRE FINDOS EM 31 DE MARÇO DE 2010 E DE 2009 (Em milhares de reais) Consolidado 1T10 1T09 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS LUCRO LÍQUIDO DO TRIMESTRE Ajuste de exercícios anteriores - - Depreciações Amortizações Resultado na venda de imobilizado (57) 230 Lucro líquido ajustado (Aumento) redução dos ativos Variação aplicações ( ) ( ) Variação prêmios emitidos (31.747) Variação das despesas de comercialização diferidas 743 (6.882) Variação das operações de créditos (8.788) (32.461) Variação de títulos e créditos a receber (83.795) Variação de dividendos a receber - - Variação de impostos e contribuições (19.847) (7.856) Variação das demais contas a receber (21.785) Variação de outros valores e bens (13.646) (12.801) Variação de imposto de renda e contribuição social diferidos (21.805) (28.872) Variação de despeas de resseguro e retrocessão (7.424) Variação de depósitos judiciais (6.479) (7.688) ( ) ( ) Aumento (redução) dos passivos Variação de contas a pagar (34.674) Variação dos depósitos interfinanceiros Variação dos recursos de aceites e emissão de títulos (32.816) Variação das obrigações por empréstimos (4.284) Variação de férias e encargos Variação de impostos e contribuições Variação de depósitos de terceiros Variação de comissões sobre prêmios emitidos (9.481) Variação de outros débitos a pagar (23.381) (4.087) Variação de provisões técnicas seguros e previdência Variação de imposto de renda e contribuição social diferidos Variação das obrigações legais Variação das contingências trabalhistas e cíveis (1.305) (1.254) Variação de ajustes com títulos e valores mobiliários Variação de minoritários CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS) ATIVIDADES OPERACIONAIS FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Juros sobre capital e dividendos recebidos - - Alienação de imobilizado Alienação de investimentos - - Aquisição de imobilizado (19.753) (31.466) Aquisição de investimentos - - Aplicação no intangível (4.514) (1.876) CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS (APLICADO NAS) ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS (23.159) (31.698) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Ações em tesouraria - - Distribuição de juros sobre capital e dividendos - - CAIXA LÍQUIDO APLICADO NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS - - AUMENTO (DIMINUIÇÃO) NAS DISPONIBILIDADES DISPONIBILIDADE NO INÍCIO DO PERÍODO DISPONIBILIDADE NO FINAL DO PERÍODO AUMENTO (DIMINUIÇÃO) NAS DISPONIBILIDADES

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011 01/03/2011 às 09:30h Agenda 4T11e 2011 Principais Realizações e Destaques em 2011 Receitas, Lucro Líquido e Retorno sobre Capital Desempenho dos principais

Leia mais

Press Release Novembro/07

Press Release Novembro/07 Press Release Novembro/07 Lucro Líquido de R$395,4 milhões ou R$ 5,14 por ação, de Janeiro a Novembro de 2007. São Paulo, 02 de janeiro de 2008 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 1T11

Reunião Pública de Analistas 1T11 Reunião Pública de Analistas 1T11 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Líder nacional em seguro de residência Empregados Diretos Porto S/A Sucursais

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais Porto Seguro S.A. Porto Seguro S.A. Receitas Totais R$ m ilhões 2006 2005 Variação Receitas Totais 4.548,1 3.849,9 18,1% (R$ milhões) 4.548,1 3.849,9 2.384,6 2.758,5 3.232,4 2002 2003 2004 2005 2006 CAGR

Leia mais

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro 1º Semestre de 2007 Avanço de 13,5% na Receita Total*; Aumento de 12,0% no total de Prêmios Auferidos*; Melhora de 1,9

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 3T11

Reunião Pública dos Analistas 3T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 3T11 Porto Seguro História e Posição A empresa se desenvolveu e atingiu posição de liderança em Auto e Residência, e conta com forte estrutura operacional e de distribuição

Leia mais

Porto Seguro S.A. Conference Call 3T06

Porto Seguro S.A. Conference Call 3T06 Porto Seguro S.A Conference Call 3T06 1 Ranking Brasileiro de Seguros Terceira maior Companhia 19,9% 14,9% 8,4% 7,6% 6,9% 5,4% 3,7% Bradesco Sul América Porto Seguro Unibanco Itaú Mapfre Tokio Marine Obs:

Leia mais

Neste contexto alcançamos um ROAE de 15,2% e continuamos otimistas com o potencial de crescimento dos mercados onde atuamos.

Neste contexto alcançamos um ROAE de 15,2% e continuamos otimistas com o potencial de crescimento dos mercados onde atuamos. Release de Resultados do 1T12 Mensagem da Administração Obtivemos no primeiro trimestre de 2012 um crescimento satisfatório em nossas receitas totais (12%), com destaque para o aumento dos prêmios do produto

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Release de Resultados do 2T13 e 1S13

Release de Resultados do 2T13 e 1S13 Release de Resultados do 2T13 e 1S13 Mensagem da Administração No segundo trimestre e primeiro semestre do ano alcançamos um satisfatório desempenho operacional que combinou crescimento de prêmios com

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 4T11

Reunião Pública dos Analistas 4T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 4T11 Porto Seguro Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Porto Seguro Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados

Leia mais

Resultados do 2T08 PSSA3

Resultados do 2T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Perspectivas Perspectivas para o para segundo 2008 semestre de 2008 A Aumento criação de de empregos 31,6% no formais número até de empregos junho foi o formais maior desde em relação

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

Conferência Telefônica de Resultados do 1T08. 12 de maio de 2008

Conferência Telefônica de Resultados do 1T08. 12 de maio de 2008 Conferência Telefônica de Resultados do 12 de maio de 2008 Perspectivas para 2008 Aumento de de 38,7% 31,6% no no número de de empregos formais em em relação ao a primeiro dezembro trimestre de 2006; de

Leia mais

Release de Resultados do 1T15

Release de Resultados do 1T15 No primeiro trimestre de 2015 o lucro líquido foi 50% superior ao resultado do mesmo período do ano anterior, fruto de um melhor desempenho operacional e financeiro. As receitas totais e os prêmios de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/26 Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER

Leia mais

Resultados do 3T08 PSSA3

Resultados do 3T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Porto Seguro Fundação Mudança de controle Líder Segmento Auto no Brasil Grupos Seguradores Funcionários diretos Sucursais e escritórios no Brasil Principais cidades 2 Estrutura Societária

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 1T12

Reunião Pública dos Analistas 1T12 Reunião Pública dos Analistas Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados em 2011 Principais Realizações e

Leia mais

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica Resultados 2010 Resultados 2010 Crescimento expressivo A SulAmérica registrou lucro líquido de R$ 614 milhões, que corresponde a uma elevação de 48,5% em relação a 2009 Conjuntura econômica O ano de 2010

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3

Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3 Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3 Questões Onde queremos chegar? Como vamos chegar? Onde estamos? Como estamos indo? 2 Mercado Segurador Brasileiro Expanção Geográfica: Oportunidade de Crescimento Queremos

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

Crescimento das receitas totais no 2T12 e no 1S12 de 13%, em comparação com o mesmo período do ano anterior

Crescimento das receitas totais no 2T12 e no 1S12 de 13%, em comparação com o mesmo período do ano anterior Release de Resultados do 2T12 e 1S12 Mensagem da Administração No segundo trimestre de 2012 crescemos 13% nas receitas totais, principalmente impusionados pelo desempenho dos produtos Auto da marca Itaú

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09

Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09 Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09 Comentários 2T09 Evolução dos prêmios auferidos no 2T09 em relação ao 2T08; Evolução da frota segurada; Sinistralidade das carteiras de automóvel na Azul Seguros

Leia mais

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A.

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. www.itauunibancori.com.br www.portoseguro.com.br/ri As Companhias A Porto Seguro S.A. continuará listada no Novo Mercado da BM&Fbovespa (PSSA3);

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL Simulação para avaliação da viabilidade econômica e retorno do capital investido para a implantação de Resseguradora

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS)

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS) São Paulo, 30 de outubro de 2014 Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) (em IFRS) Lucro líquido cresce 66% no 3T14 e totaliza R$42 milhões Vendas líquidas crescem 18% no trimestre EBITDA cresce 44%,

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar.

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. 0 0 Participação da Indústria no PIB - Internacional Prêmios/PIB em % (2004) 1 1 A Indústria de Seguros no Brasil Desde a implantação do Plano Real,

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO 1-2 ALCANCE E APRESENTAÇÃO 3 8 DEFINIÇÕES 9 CARACTERÍSTICAS DAS

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO R$ CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 Disponibilidades 1.222.288,96 946.849,34 Mensalidades a receber 4.704.565,74 4.433.742,86 Endosso para terceiros 1.094.384,84

Leia mais

Agora gostaríamos de passar a palavra à Companhia. Por favor, podem prosseguir.

Agora gostaríamos de passar a palavra à Companhia. Por favor, podem prosseguir. Operadora: Bom dia a todos. Sejam bem-vindos à teleconferência da Porto Seguro S.A. para a discussão dos resultados referentes ao 1T10. Estão presentes no evento os senhores Fabio Luchetti, Vice-Presidente

Leia mais

4T12 RESULTADO TRIMESTRAL. Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. 27/FEV/13

4T12 RESULTADO TRIMESTRAL. Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. 27/FEV/13 Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. R$10,6 bilhões em prêmios de seguros no ano, crescimento de 12,5%, incluindo crescimento de 8,3% no 17,8% de crescimento em prêmios

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes SAFRA VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 30.902.142/0001-05 Submetemos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A.

LOCALIZA RENT A CAR S.A. Informações Trimestrais 30 de setembro de 2013 Localiza LOCALIZA RENT A CAR S.A. CNPJ/MF 16.670.085/0001-55 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado RESULTADOS DO 1T11 CAPTAÇÃO RECORDE com mais de 73 mil novos alunos (24% acima do 1T10) Aumento de 21% no EBITDA, que totalizou R$48 milhões, e ganho de 1,9 p.p. na Margem, que atingiu 17,4% no 1T11 Rio

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2015 (em IFRS)

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2015 (em IFRS) São Paulo, 07 de maio de 2015 Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) (em IFRS) DESTAQUES 1T15 Ganho de participação de mercado no 1T15 Receita líquida basicamente estável em R$2,3 bilhões EBITDA 5,5%

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos e 2010 e do exercício findo

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS N ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponível Aplicações Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas Aplicações

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013 . São Paulo, 06 de agosto de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015

16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015 16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015 Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO. Aracaju - SE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O CIRCULANTE 160.805.445 138.417. BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO A T I V O 2008 2007 CIRCULANTE 160.805.445 138.417.550 DISPONIBILIDADES 19.838.758 6.355.931 Caixa e bancos 2.931.388 3.021.874 Aplicações de liquidez imediata 16.907.370

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Porto Seguro S.A. Março 2007

Porto Seguro S.A. Março 2007 Porto Seguro S.A. Março 2007 Porto Seguro em Resumo Porto Seguro em Resumo Fundação Ranking de Grupos Líder Segmento Auto no Brasil R$ bilhões Prêmios Auferidos em 2006 Funcionários diretos Sucursais e

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A.

Safra Vida e Previdência S.A. Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações Contábeis Referentes aos Períodos Findos em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes ÍNDICE

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/26 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Divulgação de Resultados Quarto Trimestre de 2014

Divulgação de Resultados Quarto Trimestre de 2014 Divulgação de Resultados Quarto Trimestre de 2014 Barueri, 04 de março de 2014. Apresentação de Resultados 4T14 A Tempo Participações S.A. (BM&FBovespa: TEMP3; Reuters: TEMP3.SA; Bloomberg: TEMP3 BZ),

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes 3 SAFRA SEGUROS GERAIS S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 06.109.373/0001-81 Submetemos à

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

Tributos sobre o Lucro Seção 29

Tributos sobre o Lucro Seção 29 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01901-1 EMPR. CONCESS. DE RODOVIAS DO NORTE S.A. 02.222.736/0001-30 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13)

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13) LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais