Crescimento das receitas totais no 2T12 e no 1S12 de 13%, em comparação com o mesmo período do ano anterior

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Crescimento das receitas totais no 2T12 e no 1S12 de 13%, em comparação com o mesmo período do ano anterior"

Transcrição

1 Release de Resultados do 2T12 e 1S12 Mensagem da Administração No segundo trimestre de 2012 crescemos 13% nas receitas totais, principalmente impusionados pelo desempenho dos produtos Auto da marca Itaú (+12%) e da Azul (+16%), grande parte em função dos reajuste de preços necessários para contemplar o cenário atual. No produto Saúde os prêmios auferidos subiram mais de 18%, resultado do desempenho de pequenas e médias empresas e do produto Odontológico. No segmento Patrimonial, as vendas dos produtos de Residência foram superiores a 19%, dando continuidade a tendência de crescimento. Também crescemos significativamente em outros negócios (não seguros), em particular a receita com operações de crédito aumentou quase 60%, devido ao crescimento do faturamento e carteira do cartão de crédito. O lucro do trimestre sem os efeitos do intangível cresceu 40% (2T12 x 2T11), atingindo R$ 143 milhões, a despeito da queda do CDI médio no período (2,1% no 2T12 vs. 2,6% no 2T11). O retorno sobre o patrimônio alcançou 14,5%, 3 p.p. maior, principalmente em função do desempenho do resultado financeiro, que atingiu 128% do CDI (ex Previdência), contribuindo com R$231 milhões (+26%). Neste contexto, nossa estratégia de alocação de ativos financeiros funcionou compensando parcialmente a queda nos juros, através de posições pré-fixadas, em juro real e inflação. O desempenho operacional foi impactado pelo aumento da sinistralidade total, principalmente do produto Auto da marca Porto (56,6% no 2T12 e 53,3% no 2T11), explicado pelo aumento da frequencia de furto e roubo no país, sobretudo na cidade de São Paulo. Reajustamos os preços, adequamos as regras de subsrição de riscos, intensificamos as instalações de rastreadores de veículos com o objetivo de conter o aumento da sinistralidade. De fato, a sinistralidade no 2T12 já apresenta redução (vs 1T12). Por outro lado, o indíce de despesas administrativas de seguros reduziu 1,8 p.p., resultado dos nossos esforços para melhorar a eficiência operacional. Entendemos que o aprimoramento de processos e investimentos em tecnologia são fundamentais para a competividade e a diferenciação da Empresa. Também inauguramos 9 centros médicos, 7 centros automotivos (CAPS), 5 centros de atendimento rápido de sinistro (CARS) e lançamos novos produtos. Destes destacamos o plano empresarial de saúde da operadora PortoMed; o produto Porto Seguro Auto Sênior para pessoas a partir de 60 anos; o Alarmes Monitorados Pós Pago, produto inovador que cobra do cliente somente quando utilizado. Adicionalmente, lançamos o negócio Porto Seguro Serviços Avulsos, que permite a qualquer cliente, mesmo sem ter seguro na Companhia, a contratação de serviços para veículos, residências e pets, incluindo serviços de conveniência, como serviços de portador(portoboy), inspeção veicular com motorista, leva e traz para revisão de carros, instalação de ornamentos decorativos entre outros. Nesse trimestre ganhamos o prêmio de empresa mais amada pelos consumidores, publicado pela revista Consumidor Moderno e realizado pela Shopper Experience, fato que nos orgulha e que reflete nosso compromisso com a excelência de atendimento aos nossos clientes. Assim, estamos otimistas e investindo no potencial do mercado brasileiro, acreditando na nossa capacidade de oferta de produtos e serviços com qualidade, sempre alicerçados na parceria com nossos corretores de seguros, funcionários, prestadores de serviços e acionistas. Principais Destaques Crescimento das receitas totais no 2T12 e no 1S12 de 13%, em comparação com o mesmo período do ano anterior Aumento de 10% nos prêmios auferidos de seguros no trimestre e semestre (2012 x 2011) Lucro Líquido sem Business Combination no 2T12 de R$ 143 milhões (+39%) e R$ 290 milhões no 1S12 (+13%) ROAE de 14,5% no 2T12 e 14,8% no 1S12 (sem Business Combination) Índice combinado de seguros foi de 100,7% no 2T12, principalmente impactado pelo aumento da sinistralidade total de 60,3% no 2T12, (porém 1,3 p.p. melhor que a sinistralidade no 1T12 de 61,6%) O Índice Combinado Ampliado, considerando o resultado financeiro, atingiu 91,5% no trimestre, uma melhora de 0,9 p.p. em comparação com o mesmo período do ano anterior O Resultado Financeiro atingiu R$ 231 milhões no 2T12, crescimento de 26% (vs. 2T11) - Rentabilidade (ex previdência) foi de 2,67% (128% do CDI) e rentabilidade total atinge 3,25%(156% do CDI) no trimestre Teleconferência de Resultados do 2T12 (quinta-feira 09 de agosto de 2012) Reunião Apimec 1 Português: 09:30h (horário de Brasília) / 08:30 (horário de NY) Segunda-feira, 13 de agosto de 2012 às 18:00h Inglês : 11:00h (horário de Brasília) / 10:00h (horário de NY) Local: Fortaleza - CE

2 Principais Resultados Receitas Totais (R$ Bilhões) 13% 4,8 0,8 13% 5,4 1,0 Demais Negócios 2,4 13% 2,7 0,4 0,5 2,0 2,2 4,0 4,4 Prêmios 2T11 2T12 1S11 1S12 Distribuição Receita Total (%) Distribuição de Prêmios (%) 1,6 2,1 2,9 4,1 3,0 4,8 7,7 8,6 Outros Previdência Negócios Financeiros 4,4 4,2 4,1 2,9 7,1 7,7 8,3 9,0 10,1 10,9 Pessoas DPVAT Outros 83,7 81,6 Resultado Financeiro 66,0 65,3 Patrimonial Saúde Prêmios de Seguros Auto 2T11 2T12 2T11 2T12 Lucro Líquido (R$ Milhões) Rentabilidade Sobre o Patrimônio (ROAE) - % ,2 11,5 14,5 10,6 14,0 14,8 11, % 13% 2T11 2T12 Var.% 1S11 1S12 Var.% Com Business Combination % % Sem Business Combination % 39% 39% % 8,3 3,3 0,8 2T11 2T12 Var.p.p 1S11 1S12 Var.p.p Com Business Combination 8,3 11,5 3,2 10,6 11,6 1,0 Sem Business Combination 11,2 14,5 3,3 14,0 14,8 0,8 2

3 Destaques Operacionais e Financeiros 2T12 vs. 2T11 e 1S12 vs. 1S11 Receitas (valores em R$ milhões) PRÊMIOS AUFERIDOS 2T12 2T11 Var.% 1S12 1S11 Var.% Porto Seguro Auto 821,6 779,2 5, , ,1 1,6 Azul Seguros Auto 268,6 231,5 16,0 552,8 489,7 12,9 Itaú Auto e Residência - Auto 370,9 330,1 12,4 759,3 651,2 16,6 Total Auto 1.461, ,8 9, , ,0 7,3 Total Saúde (Saúde + Odonto) 242,8 205,1 18,4 479,1 401,7 19,3 Pessoas 94,9 89,8 5,7 182,4 164,2 11,1 Patrimoniais - Porto Seguro e Azul Seguros 97,3 84,8 14,7 188,0 165,8 13,4 Patrimoniais - Itaú Auto e Residência 104,9 84,0 24,9 174,4 153,4 13,7 Total Patrimonial 202,2 168,8 19,8 362,4 319,2 13,5 DPVAT 65,0 83,2 (21,9) 178,1 179,6 (0,8) Riscos Financeiros 73,4 61,7 19,0 142,9 116,4 22,8 Transportes 31,6 29,1 8,6 60,8 55,5 9,5 Porto Seguro Uruguay 23,1 16,8 37,5 46,5 35,5 31,0 Prêmios Seguros - VGBL 40,0 33,2 20,5 77,7 63,1 23,1 Outros Seguros 3,6 4,4 (18,2) 7,2 9,2 (21,7) Total de Prêmios Auferidos 2.237, ,9 10, , ,4 9,6 Total de Prêmios Ganhos 2.142, ,4 6, , ,0 7,4 Total Receitas (PGBL + VGBL) Previdência 80,3 69,3 15,9 159,0 136,3 16,7 RECEITAS DE OUTROS NEGÓCIOS Receitas de Prestação de Serviço - Monitoramento 17,4 16,4 6,1 36,2 31,7 14,2 Receitas de Prestação de Serviço - Consórcio 43,5 39,4 10,4 85,8 74,4 15,3 Receitas de Operação de Crédito 79,6 50,7 57,0 148,0 95,6 54,8 Receitas de Prestação de Serviços - Serviços 10,7 6,5 64,6 21,3 11,8 80,5 Receitas de Prestação de serviços - Atendimento 18,9 9,2 105,4 37,2 17,1 117,5 Receitas de Prestação de serviços - Portopar 5,4 9,3 (41,9) 10,8 17,6 (38,6) Outras Receitas 10,2 6,0 70,0 19,2 11,0 74,5 Total Receita Outros Negócios 185,7 137,5 35,1 358,5 259,2 38,3 Resultado Financeiro de Seguros 203,8 170,3 19,7 420,5 359,8 16,9 Resultado Financeiro - Outros 27,3 13,1 108,4 72,0 30,5 136,1 Resultado Financeiro 231,1 183,4 26,0 492,5 390,3 26,2 Receita Total 2.694, ,9 12, , ,1 12,6 Índices (%) SINISTRALIDADE 2T12 2T11 Var. p.p 1S12 1S11 Var. p.p. Porto Seguro Auto 56,6 53,3 3,3 57,7 53,8 3,9 Azul Seguros Auto 73,8 76,0 (2,2) 75,8 75,7 0,1 Itaú Auto e Residência - Auto 69,7 69,5 0,2 69,0 69,9 (0,9) Total Auto 63,3 61,5 1,8 64,0 61,8 2,2 Saúde (Saúde + Odonto) 77,9 75,9 2,0 75,3 72,9 2,4 Pessoas 34,6 33,6-1,0 35,9 32,7-3,2 Patrimoniais - Porto Seguro e Azul Seguros 33,4 41,5 (8,1) 35,1 47,7 (12,6) Patrimoniais - Itaú Auto e Residência 30,8 26,3 4,5 32,7 28,3 4,4 Total Patrimonial 32,2 34,4 (2,2) 34,0 38,9 (4,9) Sinistralidade Total 60,3 59,2-1,1 61,0 59,7-1,3 DESPESA DE COMERCIALIZAÇÃO Despesas com amortização de custos de aquisição diferidos Seguros 21,0 20,2 0,8 20,6 19,9 0,7 DESPESA ADMINISTRATIVAS Despesas Administrativas - Seguros 16,3 18,1 (1,8) 16,3 17,4 (1,1) Despesas Tributos - Seguros 2,6 2,6-2,5 2,6 (0,1) DESPESA ADMINISTRATIVAS E OPERACIONAIS Despesas Administrativas e Outras Receitas/Despesas Operacionais - Seguros 16,8 18,0 (1,2) 16,5 16,9 (0,4) MARGEM E RENTABILIDADE 2T12 2T11 Var. p.p 1S12 1S11 Var. Índice Combinado - Seguros (incluindo Outras Receitas/Despesas Operacionais) var.p.p. 100,7 100,0 0,7 100,6 99,1 1,5 Índice Combinado Ampliado - Seguros var. p.p. 91,5 92,4 (0,9) 91,6 91,4 0,2 Patrimônio Líquido IFRS c/ Business Combination¹ (R$ milhões) var. % 4.811, ,7 239, , ,7 239,8 Patrimônio Líquido IFRS s/ Business Combination¹ (R$ milhões) var. % 3.995, ,5 273, , ,5 273,4 Lucro Líquido IFRS c/ Business Combination (R$ milhões) var.% 136,5 94,3 44,8 274,5 237,8 15,4 Lucro Líquido IFRS s/ Business Combination (R$ milhões) var.% 143,1 103,3 38,5 290,1 255,8 13,4 Rentabilidade do Patrimônio (ROAE%) IFRS c/ Business Combination (%) var.p.p. 11,5 8,3 3,2 11,6 10,6 1,0 Rentabilidade do Patrimônio (ROAE%) IFRS s/ Business Combination (%) var. p.p. 14,5 11,2 3,3 14,8 14,0 0,8 Lucro por Ação IFRS c/ Business Combination (R$) var.% 0,42 0,29 44,8 0,85 0,73 16,4 Lucro por Ação IFRS s/ Business Combination (R$) var.% 0,44 0,32 37,5 0,89 0,78 14,1 Quantidade de Ações² (valores em milhares) var. % (0,8) (1,0) ¹Excluindo a participação dos minoritários ²Média Ponderada 3

4 Resultado Operacional - Seguros Índice Combinado de Seguros % (com outras receitas e despesas operacionais -DO) Tributos - Seguros D.A + D.O* -Seguros Comissionamento -Seguros Sinistralidade 100,0 98,7 100,0 100,6 100,7 2,6 2,6 2,6 2,5 2,6 18,0 15,8 16,6 16,2 16,8 20,2 21,2 21,6 20,3 21,0 59,2 59,1 59,2 61,6 60,3 * Refere-se a Outras Receitas Operacionais e Outras Despesas Operacionais O Índice Combinado do 2T12 x 2T11 foi 0,7 p.p. maior, devido ao aumento da sinistralidade total em 1,1 p.p. e das despesas de comissionamento de seguros em 0,8 p.p. no período. A sinistralidade total cresceu principalmente em função da elevação dos sinistros de automóvel e saúde. O aumento do índice de comissionamento de seguros ocorreu devido a mudança do mix de portfólio, com crescimento das receitas de produtos com comissionamento maior (Patrimonial e Riscos Financeiros). Índice Combinado Ampliado de Seguros % 92,4% 89,5% 92,6% 91,6% 91,5% O Índice Combinado Ampliado no 2T12, incluindo o resultado financeiro de seguros, foi 0,9 p.p. melhor do que o 2T11 devido a um maior resultado financeiro, (9,1% do prêmio no 2T12 vs. 8,4% no 2T11), compensado parcialmente pelo menor desempenho operacional no período. 4

5 Seguros Seguro Auto Porto Seguro Auto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 821,6 779,2 5,4 1583,8 1558,1 1,6 Prêmio Ganho (R$ milhões) 794,2 793,7 0,1 1590,6 1572,8 1,1 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 56,6 53,3 3,3 57,7 53,8 3,9 Veículos Segurados - Frota (mil) , ,7 Azul Seguro Auto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 268,6 231,5 16,0 552,8 489,7 12,9 Prêmio Ganho (R$ milhões) 266,3 251,0 6,1 524,8 491,4 6,8 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 73,8 76,0 (2,2) 75,8 75,7 0,1 Veículos Segurados - Frota (mil) , ,5 Itaú Seguros Auto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 370,9 330,1 12,4 759,3 651,2 16,6 Prêmio Ganho 387,7 356,6 8,7 764,0 704,9 8,4 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 69,7 69,5 0,2 69,0 69,9 (0,9) Veículos Segurados - Frota (mil) , ,0 Os prêmios auferidos da carteira de automóveis da Porto Seguro atingiram R$ 822 milhões no 2T12, um aumento de 5% em relação ao 2T11, impulsionado pelo reajuste de preços no período e aumento no volume de veículos segurados. A sinistralidade foi impactada pelo aumento da frequência de furto e roubo em todas as regiões do país, especialmente na região Sul e Sudeste. Além disso, obtivemos uma menor receita de salvados devido a recente queda de preços dos veículos. Os prêmios auferidos da Azul Seguros atingiram R$ 269 milhões no 2T12, crescimento de 16% em relação ao 2T11, devido ao reajuste de preços e aumento no número de veículos segurados. A sinistralidade reduziu 2,2 p.p. atingindo 73,8%, basicamente pelo reflexo do reajuste de preços, dos ajustes nos critérios de seleção de riscos e da instalação de rastreadores em veículos específicos. A carteira de auto da Itaú Auto e Residência atingiu R$ 371 milhões no 2T12, 12% maior que o 2T11, fruto dos reajustes de preços e incremento no número de veículos segurados. A sinistralidade no trimestre permaneceu praticamente estável variando 0,2 p.p. Apesar disso, a sinistralidade do produto foi moderadamente afetada pelo aumento da frequência de furto e roubo no segmento individual ,8 231,5 330,1 Prêmios Prêmios Auferidos (R$ milhões) (R$ milhões) 1.506, ,5 261,0 269,6 384,8 423,5 779,2 860,2 849,4 762,2 821,6 Frota Segurada (milhares) Porto Itaú Azul Sinistralidade 1.434, ,1 284,2 268,6 388,4 370,9 Porto Itaú Azul Sinistralidade TOTAL AUTO 61,5% 61,2% 60,7% 64,7% 63,3% Porto 53,3% 54,9% 56,2% 58,8% 56,6% Itaú 69,5% 62,4% 59,8% 68,3% 69,7% Azul 76,0% 79,6% 76,2% 77,7% 73,8% 5

6 Seguros Seguro Saúde Seguro Saúde Empresarial 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 234,3 200,1 17,1 462,8 392,2 18,0 Prêmios Ganhos (R$ milhões) 234,4 200,2 17,1 462,9 392,3 18,0 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 78,7 76,3 2,4 76,1 73,3 3,8 Vidas Seguradas -Total(mil) , ,8 No segmento de seguro saúde os prêmios totalizaram R$ 234 milhões no 2T12, 17% acima que o 2T11, decorrente dos reajustes de preços praticados no período. A sinistralidade atingiu 78,7% no 2T12, um aumento de 2,4 p.p. em função do aumento da inflação médica e da elevação das frequências de utilização no período, principalmente pelo aumento de 14% das internações hospitalares. Os preços estão sendo reajustados na renovação dos contratos do produto saúde para adequar a sinistralidade e refletir a nova realidade do risco. Além disso, a estratégia da Porto Saúde adotada para construção dos centros médicos, que realizarão exames e consultas de diversas especialidades, busca um maior controle dos custos e redução da sinistralidade, ao mesmo tempo que disponibiliza conveniência/conforto aos clientes. Embora os dados do setor no 2T12, não estejam disponíveis na ANS (Agência Nacional de Saúde), no trimestre anterior (1T12) a sinistralidade do Produto Porto Saúde teve um desempenho melhor que a média do mercado (-7 p.p). Prêmio (R$ milhões) e Vidas Seguradas (milhares) - Saúde Sinistralidade - Saúde 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0-214,8 221,8 228,5 234, , ,9% 80,7% 76,3% 78,7% 73,4% Prêmio Auferido Vidas Seguradas Seguro Odontológico Seguro Odontológico 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 8,5 5,0 70,0 16,3 9,5 71,6 Prêmios Ganhos (R$ milhões) 8,5 5,0 70,0 16,3 9,5 71,6 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 54,9 57,4 (2,5) 52,5 55,7 (3,2) Vidas Seguradas -Total(mil) , ,4 Os prêmios no segmento de odontológico totalizaram R$ 9 milhões no 2T12, 70% acima de 2T11, decorrente do aumento de 55% de vidas emitidas e da mudança de mix com produtos de ticket médio maior. A sinistralidade atingiu 54,9%, um decréscimo de 2,5 p.p devido principalmente à redução de frequência de utilização. A medida que a carteira de clientes vai se tornando mais madura a tendência é que a frequência de utilização do plano se estabilize em patamares inferiores ao início das operações. Prêmio ( R$ milhões) e Vidas Seguradas (milhares) - Odontológico 9,0 8, , ,0 7, , , , , , ,0 80 3,0 60 2,0 40 1, Prêmio Auferido Vidas Seguradas Sinistralidade - Odontológico 57,4% 58,6% 58,0% 54,9% 50,0% 6

7 Seguros Seguro Patrimonial Empresarial Porto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 56,1 53,3 5,3 106,4 101,3 5,0 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 34,4 48,9 (14,5) 35,9 51,9 (16,0) Condomínio Porto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 4,2 3,6 16,7 7,9 6,6 19,7 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 18,7 42,5 (23,8) 48,0 57,7 (9,7) Residência Porto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 24,4 20,4 19,6 50,0 42,2 18,5 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 30,7 42,5 (11,8) 33,9 32,6 1,3 Outros Porto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 12,6 7,5 68,0 23,7 15,7 51,0 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 39,1 11,3 27,8 29,7 24,1 5,6 Total Patrimonial Porto 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 97,3 84,8 14,7 188,0 165,8 13,4 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 33,4 41,5 (8,1) 35,1 47,7 (12,6) Itaú Auto e Residência Residência 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 104,9 84,0 24,9 174,4 153,4 13,7 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 30,8 26,3 4,5 32,7 28,3 4,4 Total Patrimonial (com Itaú Auto e Residência) 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 202,2 168,8 19,8 362,4 319,2 13,5 Prêmios Ganhos (R$ milhões) 171,2 155,8 9,9 341,3 149,5 128,3 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 32,2 34,4 (2,2) 34,0 38,9 (4,9) O total de prêmios auferidos com seguro patrimonial foi de R$202 milhões no 2T12, 20% acima do 2T11, decorrente sobretudo do aumento nos prêmios dos produtos de Residência da Itaú e da marca Porto. No produto Residencial do Itaú foram realizadas campanhas de incentivo no canal bancário, o que culminou em um melhor resultado das vendas. A sinistralidade total alcançou 32,2% no 2T12, 2,2 p.p. menor, explicado pela redução da sinistralidade do produto Residência da Porto, decorrente de ajustes dos critérios de seleção de riscos e da mudança de mix da carteira (residências de risco menor). Por outro lado, esta melhoria foi compensada pela maior sinistralidade do produto Itaú Residência, devido ao aumento de frequência na utilização dos serviços de assistência 24h e da inflação de serviços (fornecedores). Esse efeito deverá ser mitigado através do reajuste de preços nos próximos contratos. Apesar deste aumento, a sinistralidade pode ser considerada baixa e dentro das expectativas. Além disso, ocorreu uma maior sinistralidade de outros produtos da Porto, principalmente nos segmentos de Agronegócio e Riscos Diversos, que apresentaram uma maior frequência no período. 2,1 2,1 4,4 Condomínio Porto 6,2 12,1 12,1 31,6 27,7 49,8 51,9 2T11 Participação na Carteira Patrimonial (%) Outros Porto Residência Porto Empresarial Porto Residência Itaú 2T12 7

8 Seguros e Previdência Seguro de Pessoas Pessoas 2T12 2T11 Var.%/p.p 1S12 1S11 Var.%/p.p Prêmios Auferidos (R$ milhões) 94,9 89,8 5,7 182,4 164,2 11,1 Prêmios Ganhos (R$ milhões) 88,1 79,2 11,2 174,6 153,5 13,7 Sinistralidade (%)- Var (p.p.) 34,6 33,6 1,0 35,9 32,7 3,2 Vidas Seguradas (mil) , ,2 Os prêmios auferidos totalizaram R$ 95 milhões de reais no 2T12, um aumento de 6%, em função do crescimento do número de vidas seguradas, compensado parcialmente pela redução do prêmio médio devido a mudança de mix da carteira com produtos de ticket médio menor (maior crescimento de seguros de acidentes pessoais que aumentaram a participação em 2,6 p.p. na carteira no período). O crescimento da sinistralidade em 1,0 p.p. no trimestre é explicado principalmente pelo aumento na quantidade de sinistros do produto PME (pequenas e médias empresas), particularmente nas indústrias com atividades de maior risco. Participação na Carteira Pessoas % 5,9 5,3 18,4 21,0 19,8 23,7 32,2 2T11 22,6 24,2 27,0 2T12 Prestamista Acidentes Pessoais Outros Vida Individual Vida Coletivo Previdência Previdência e VGBL 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Contribuições de Previdência (R$ milhões) 40,3 36,1 11,6 81,3 73,2 11,1 Prêmios VGBL (R$ milhões) 40,0 33,2 20,5 77,7 63,1 23,1 Total de Previdência (R$ milhões) 80,3 69,3 15,9 159,0 136,3 16,7 Reservas Matemáticas (R$ milhões) 1.972, ,9 20, , ,9 20,9 Total de Participantes Ativos (mil) , ,1 A arrecadação total de produtos de Previdência atingiu R$ 80 milhões no 2T12, aumento de 16% em relação ao 2T11, impulsionada pelo crescimento do número de participantes ativos e pelo aumento da contribuição média no período (5% no PGBL, 6% no VGBL). As reservas matemáticas atingiram R$2 bilhões no fim do trimestre, com expressivo crescimento de 21%. Evolução de Ativos sob Gestão (R$ bilhões) *Participantes Ativos (mil) e Receitas Totais (R$ milhões) 1,8 2,0 2,1 2,2 2,4 90,0 80,0 70,0 60,0 50, ,3 75, ,2 78, , , , , ,0 20 0,0 0 Prêmios e Contribuições Participantes Ativos 8 * Rendas de Contribuições de Previdência + Prêmios de VGBL

9 Despesas Administrativas e Receitas e Despesas Operacionais - Seguros Despesas Administrativas - Seguros Despesas Administrativas - Seguros Valores em R$ milhares 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Administrativas diversas , ,7 Publicidade (37,5) (14,3) Participação nos lucros , ,7 Subtotal , ,6 Pontos de incentivo ¹ (100,0) (100,0) Total de Despesas Administrativas - Seguros (1,3) ,5 Total de Despesas Administrativas - Seguros - Desc. Participação nos lucros (4,1) ,3 ¹ Em agosto de 2011, foi encerrado o repasse dos pontos de incentivo do cartão Porto Visa As despesas administrativas de seguros (desconsiderando participação nos lucros e pontos de incentivo) totalizaram, no 2T12, R$ 350 milhões, um decréscimo de 0,9% sobre o montante de R$ 353 milhões no 2T11. Essa redução deve-se a melhoria de eficiência operacional através dos esforços da companhia para aprimoramento de processos e contenção de despesas. Índice de Despesas Administrativas Seguros 18,1% 16,2% 17,9% 16,4% 16,3% Os investimentos realizados para otimização de processos e sistemas já começaram a contribuir para a redução das despesas. Isso faz parte da nossa estratégia, que objetiva ganhos contínuos de produtividade nos próximos anos. O indíce de despesas administrativas de seguros atingiu 16,3% no 2T12, demostrando uma queda de 1,8 p.p. em relação ao 2T11. No semestre a redução foi de 1,0 p.p. Outras Receitas e Despesas Operacionais - Seguros Outras Despesas /Receitas Operacionais Seguros Valores em R$ milhões 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Outras Receitas Operacionais - Seguros 100,0 113,6 (12,0) 220,6 226,9 (2,8) Outras Despesas Operacionais - Seguros (110,9) (110,4) 0,5 (228,0) (208,5) 9,4 Total de Outras Receitas (Despesas) Operacionais (10,9) 3,2 (440,6) (7,4) 18,4 (140,2) Índice (vs prêmio) Var p.p 0,5 (0,2) 0,7 0,2 (0,5) 0,7 Outras receitas operacionais - seguros totalizaram R$ 100 milhões no 2T12, decréscimo de 12 % sobre o montante de R$ 113 milhões no 2T11, principalmente relacionado a redução das receitas com emissão de apólices devido a mudança da regulamentação em vigor reduzindo o valor de cobrança de R$ 100,00 para R$ 60,00 (Circular Susep n 432, maio/12). Outras despesas operacionais - seguros atingiram R$ 111 milhões no 2T12, aumento de 0,5% em relação ao 2T11, permanecendo praticamente estável no período. 9

10 Outros Negócios Resultado Operacional Resultado operacional Outros Negócios (não seguros) Demonstrativo de Resultados Sintéticos - Não Seguros* valores em R$ mil 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Receitas de Operações de Créditos , ,7 Receitas de Prestação de Serviços , ,7 RECEITA TOTAL , ,4 Custo de Intermediação Financeira (10.365) (9.878) 4,9 (22.215) (18.350) 21,1 Provisão para Devedores Duvidosos (financeiras) (14.318) (10.354) 38,3 (29.761) (20.599) 44,5 Custo dos Serviços Prestados (17.627) (10.683) 65,0 (34.861) (18.899) 84,5 Tributos (18.441) (14.936) 23,5 (36.478) (28.214) 29,3 Despesas de Comercialização (14.665) (14.315) 2,4 (31.854) (25.828) 23,3 Outras Receitas/Despesas Operacionais , ,4 Despesas Administrativas (87.687) (61.979) 41,5 ( ) ( ) 56,3 RESULTADO OPERACIONAL , (1,6) Resultado Financeiro e Patrimonial , ,3 RESULTADO ANTES DOS IMPOSTOS , ,6 Imposto de Renda e Contribuição Social (12.721) (14.969) (15,0) (24.918) (28.164) (11,5) Participação nos Resultados (4.212) (1.869) 125,4 (7.302) (4.042) 80,7 LUCRO LÍQUIDO , ,9 PL , ,5 ROAE 26,3% 23,3% 3,0 21,6% 23,1% (1,5) * Refere-se às empresas não seguradoras excluídos efeitos da Holding Distribuição de Receitas Outros Negócios (em %) * Participação de Outros Negócios no Lucro Total % 4,3 5,4 4,7 5,8 6,7 6,8 10,2 2,9 11,9 9,4 Outras Receitas Prestação de Serviços - outras Atendimento 0,5 p.p. 28,7 23,4 Gestão de Ativos 36,9 42,9 Alarmes Monitorados Consórcio 23,6% 24,1% Operação de Crédito 2T11 2T12 2T11 2T12 * Em relação ao Lucro Total (sem Business Combination) As receitas totais de outros negócios (não seguros) atingiram R$ 184 milhões no 2T12, 33% maior em relação ao 2T11, intensificado principalmente pelo aumento nas receitas das operações de crédito (cartão de crédito + financiamento). A rentabilidade sobre o patrimônio (ROAE), consolidada dos outros negócios, atingiu 26,3%, um acréscimo de 3,0 p.p. explicado, sobretudo pelo desempenho da empresa Portoseg (operações de crédito e financiamento). 10

11 Outros Negócios Crédito e Financiamento Operações de Crédito 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var.%/p.p Receita de Operações de Crédito(R$ milhões) 79,6 50,7 57,0 148,0 95,6 54,8 Provisão para Devedores Duvidosos da Carteira (%) 4,0 4,0 0,0 4,0 4,0 0,0 Clientes de Financiamento (unidades mil) , ,0 Cartão de Crédito (unidades mil) , ,3 As receitas com operações de crédito totalizaram R$ 80 milhões no 2T12, um aumento de 57%, decorrente do crescimento do número de clientes e dos gastos médios do produto cartão de crédito e da elevação na quantidade de clientes de financiamento. A inadimplência (acima de 90 dias) no trimestre alcançou 4,5%, bem abaixo da média de mercado que atingiu 8% (fonte: Banco Central). A inadimplência tem se mantido estável nos últimos 5 trimestres. A carteira total de crédito atingiu R$ 1,8 bilhão ao final do 2T12, sendo que a maior parte é formada por operações parceladas a vencer do produto cartão de crédito. Carteira de Operações de Crédito (R$ milhões) * % Cartão de Crédito - a vencer (R$) Financiamento e Refinanciamento (R$) 800 Cartão de Crédito - rotativo (R$) T T12 * Posição no fim de cada período Cartão de crédito (unidade milhares)* Inadimplência acima de 90 dias ,0% 7,0% 6,0% 5,0% 4,5% 4,6% 4,7% 4,6% 4,5% 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% Outros Negócios * Cartões aptos para uso 11

12 Outros Negócios Consórcio Consórcio 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Receita com Prestação de Serviços (R$ milhões) 43,5 39,4 10,4 85,8 74,4 15,3 Consorciados Ativos (mil) , ,9 As receitas com prestação de serviços de consórcio totalizaram R$ 44 milhões no 2T12, um aumento de 10%, basicamente em função do crescimento no número de consórcios de veículos. A partir de dezembro de 2011 o Bacen determinou que também são considerados clientes ativos os consorciados de grupos em andamento que quitaram toda a dívida, decisão que alterou o critério de contagem no número de consorciados. Receita Total (R$ milhões) e Consorciados Ativos (mil) 50,0 45,0 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 41,3 39,4 40,8 42,3 43, Receita Consorciados Ativos Proteção e Monitoramento Proteção e Monitoramento 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Receita com Prestação de Serviços e Equipamentos (R$ milhões) 17,4 16,4 6,1 36,2 31,7 14,2 Clientes Ativos (mil) , ,4 As receitas com prestação de serviços e vendas de equipamentos de monitoramento aumentaram 6% no 2T12, totalizando R$ 17 milhões, em função principalmente do aumento em 15% no número de clientes, parcialmente compensado pela mudança de mix, com produtos de ticket médio menor (equipamentos de monitoramento sem fio e DAF). Receita Total (R$ milhões) e Clientes Ativos (mil) 20,0 18,0 16,0 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 18,8 17,6 16,4 16,9 17, Receita Clientes Ativos

13 Resultado Financeiro Receitas Financeiras Líquidas Receitas Financeiras 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Aplicações Financeiras - Ex-Previdência 145,4 141,1 3,0 326,1 292,6 11,4 Aplicações Financeiras - Previdência (*) 91,3 29,2 212,8 182,9 79,3 130,7 Total Aplicações Financeiras 236,7 170,3 39,0 509,0 371,9 36,9 Outras Receitas 85,7 83,3 2,9 168,8 157,5 7,2 Total Receitas Financeiras 322,4 253,6 27,1 677,8 529,4 28,0 (*) Receitas de ativos próprios e terceiros. Despesas Financeiras 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Operações de Previdência 55,2 29,3 88,2 113,4 71,0 59,7 Outras Despesas 36,2 40,9 (11,5) 72,0 68,1 5,7 Total Despesas Financeiras 91,4 70,2 30,1 185,3 139,1 33,2 Resultado Financeiro 2T12 2T11 Var. % 1S12 1S11 Var. % Resultado Financeiro Total 231,1 183,4 26,0 492,5 390,3 26,2 As receitas financeiras no 2º trimestre de 2012 foram de R$ 322 milhões, o que representou um aumento de R$ 69 milhões ou crescimento de 27% em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado financeiro cresceu R$ 48 MM (+26%). No 2º trimestre, a receita total da carteira de aplicações financeiras (R$ 8,4 bilhões) foi de R$ 237 milhões, o que representou uma rentabilidade de 3,25% (156% do CDI). Excluindo recursos previdenciários, a carteira resultante (R$ 6,1 bilhões) apresentou valorização de 2,67% (128% do CDI) produzindo uma receita financeira de R$ 145 milhões. Em relação à rentabilidade da carteira de aplicações financeiras, excluindo recursos previdenciários, o resultado no 2º trimestre foi favorecido pelos ativos prefixados e papéis atrelados à inflação, beneficiados pela queda dos juros.também geramos valor através da gestão ativa, com base na alocação fundamentada em cenários vs. preços de ativos. Nossa alocação produziu uma relativa compensação (rendimento acima do CDI) em um ambiente de CDI médio menor (2,1% no 2T12 vs. 2,6% no 2T11). Tal alocação é decorrente de uma estratégia de investimento que busca consistência de retornos nominais. Evolução da Rentabilidade Utilização de Risco (ex previdência) 13

14 Resultado das Aplicações Financeiras Carteira de Investimentos 14

15 Investimentos (CAPEX) CAPEX por tipo (R$ milhões) R$ 103 MM R$ 94 MM 14 Móveis/ Equipamentos / Veículos 13 (7%) Desenvolvimento de Sistemas Infra-estrutura Tecnológica (Hardware e Software) Imóveis 2T11 2T12 Neste trimestre os investimentos totais foram reduzidos em 7%, principalmente devido a redução de alocação de recursos em imóveis, que favoreceu os gastos com aluguel, reformas e benfeitorias ao invés da compra. Os investimentos em imóveis reduziram 31% no comparativo com o mesmo trimestre do ano anterior, atingindo R$ 46 milhões (49% dos investimentos totais). Destacamos os principais projetos :. Construção do novo edifício no complexo matriz; Desenvolvimento de sistemas (SAP, CRM, entre outros); Construção do novo data Center; Expansão dos centros médicos. 15

16 Desempenho Histórico da Porto Seguro S.A. Desempenho PSSA3 vs. Ibovespa** - últimos 12 meses Variação Histórica* PSSA3 x Ibov % PSSA3 IBOVESPA * Desde IPO (novembro de 2004) até junho de 2012 PSSA3 IBOVESPA (14%) (28%) ** De 1 de julho de 2011 a 30 de junho de 2012 Rentabilidade Informações Porto Seguro S.A. 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 24,4% 1,1 35,1% 2,0 1,8 25,1% 1,9 1,8 1,3 19,6% 1,0 15,4% 16,6% 12,9% 14,5% 11,2% T11 2T12 0,3 40,0% 35,0% 30,0% 25,0% 20,0% 15,0% 10,0% 0,4 5,0% 0,0% Informações sobre a Porto Seguro S.A. CNPJ / BM&Fbovespa PSSA3 Setor Seguros Cotação de Fechamento em 30/06/ ,11 Cotação mínima (LTM)- 27/06/12 16,60 Cotação máxima (LTM)- 05/07/11 23,80 Quantidade de Ações em Circulação (milhões) 93,9 Valor de Mercado (R$ bilhões) em 30/06/2012 5,6 Price Book Value (30/06/2012) 1,4 ROAE (1) EPS (2) Distribuição de Dividendos 60,0% 50,0% 9,6% 50,0% 40,0% 40,0% 30,0% 32,3% 32,3% 30,4% 31,6% 31,4% 7,3% 4,5% 3,8% 20,0% 3,0% 10,0% 3,2% 1,9% 0,0% Payout (3) Dividend Yield (4) *Dividendos + JCP Líquido / Lucro Líquido Ajustado 12,0% 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% Cobertura de Analistas Banco / Corretora Analista Telefone Barclays Capital Henrique Caldeira 55 (11) Banco Fator Iago Whately 55 (11) Bradesco Carlos Firetti 55 (11) BTG Pactual Marcelo Henriques 55 (11) Deutsche Bank Mario Pierry 55 (11) Goldman Sachs Carlos Macedo 55 (11) HSBC Paulo Ribeiro 1 (212) JP Morgan Saul Martinez 1 (212) Lopes Filho João Augusto Frota Salles 55 (21) Merril Lynch Jorf Friedemann 55 (11) Morgan Stanley Jorge Kury 1 (212) Santander Henrique Navarro 55 (11) UBS Philip Finch 44 (20) Credit Suisse Victor Schabbel 55 (11) (1) Rentabilidade Sobre o Patrimônio Líquido Médio (Sem Business Combination) (2) Lucro por Ação em R$ (Sem Business Combination) (3) Total de Dividendos pagos (Dividendos + Juros sobre o Capital Próprio Líquido de Impostos) dividido pelo Lucro Líquido Ajustado (4) Rentabilidade dos Dividendos em relação ao Preço da Ação ( Total Dividendos pagos dividido pelo Preço da Ação no último dia do exercício) 16

17 Balanço Patrimonial PORTO SEGURO S.A. BALANÇOS PATRIMONIAIS (Valores expressos em milhares de reais) Jun/2012 Consolidado Dez/2011 ATIVO Caixa e equivalentes de caixa Ativos financeiros Ativos financeiros ao valor justo através do resultado Ativos financeiros disponíveis para a venda Empréstimos e recebíveis Prêmios a receber de segurados Operações de crédito Títulos e créditos a receber Ativos de resseguro Imposto de renda e contribuição social diferidos Impostos e contribuições a recuperar Ativos não financeiros mantidos para venda Outros ativos Custos de aquisição diferidos Ativos intangíveis Outros ativos intangíveis Propriedades imobiliárias de investimento Ativo imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO Passivos de contratos de seguro Débitos de operações de seguro e resseguro Passivos financeiros Impostos e contribuições a recolher Impostos de renda e contribuição social diferidos Provisões Dividendos e JCP a pagar Outros passivos PATRIMÔNIO LÍQUIDO Total do patrimônio líquido Capital social Ações em tesouraria (24.252) (59.782) Reservas Lucros acumulados Dividendos propostos Participação dos acionistas não controladores TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

18 Demonstrativo de Resultados PORTO SEGURO S.A. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Valores expressos em milhares de reais) 2T12 2T11 1S12 1S11 RECEITAS Prêmios de seguros auferidos e contribuição de plano de previdência: - Seguros Previdência privada (-) Prêmios de resseguros cedidos (10.242) (8.248) (16.393) (14.430) Prêmio líquido emitido Receitas de operações de crédito Receitas de prestação de serviços Outras receitas operacionais - seguros Outras receitas operacionais - outros Receitas com imóveis de renda DESPESAS - Seguros (84.727) (12.276) ( ) (25.896) - Produtos de previdência (40.913) (59.244) (81.200) (95.500) Variação das provisões técnicas ( ) (71.520) ( ) ( ) Sinistros retidos bruto ( ) ( ) ( ) ( ) Benefícios de planos de previdência (2.132) (1.891) (3.876) (3.386) (-) Recuperações de resseguradores (-) Recuperações de salvados e ressarcimentos Despesas com sinistros e benefícios creditados, líquidas ( ) ( ) ( ) ( ) Amortização de custos de aquisição diferidos ( ) ( ) ( ) ( ) Custos de aquisição - outros (15.156) (15.697) (31.431) (28.650) Despesas Administrativas - seguros ( ) ( ) ( ) ( ) Despesas Administrativas - outros ( ) ( ) ( ) ( ) Despesas com Tributos - seguros (54.463) (52.893) ( ) ( ) Despesas com Tributos - outros (18.475) (14.969) (36.545) (28.281) Custos dos serviços prestados (17.627) (10.683) (34.861) (18.899) Outras despesas operacionais - seguros ( ) ( ) ( ) ( ) Outras despesas operacionais - outros (57.419) (30.360) ( ) (59.191) ( ) ( ) ( ) ( ) LUCRO/(PREJUÍZO) OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO (19.433) (25.933) (52.748) 511 Receitas financeiras - seguros Receitas financeiras - outros Despesas financeiras - seguros (91.042) (68.613) ( ) ( ) Despesas financeiras - outros (285) (1.555) (518) (3.178) LUCRO OPERACIONAL LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (75.895) (63.153) ( ) ( ) Corrente ( ) (87.323) ( ) ( ) Diferido LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO Atribuível a: - Acionistas da companhia Acionistas não controladores em controladas (699) 29 (932) Taxa Efetiva IR e CS sobre o Resultado antes dos Impostos 35,9% 40,1% 37,8% 39,1%

19 Fluxo de Caixa DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA O PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2012 E 31 DE DEZEMBRO DE 2011 (Em milhares de reais) Jun/12 Dez/11 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO Depreciações Amortizações Resultado na venda de imobilizado (6.175) Lucro líquido ajustado (Aumento) redução dos ativos Ativos financeiros ao valor justo através do resultado ( ) ( ) Ativos financeiros disponíveis para a venda (10.548) Prêmios a receber de segurados (92.868) Operações de crédito ( ) ( ) Títulos e créditos a receber (14.578) ( ) Ativos de resseguro (2.975) Imposto de renda e contribuição social diferidos (55.665) ( ) Impostos e contribuições a recuperar (53.681) Ativos não financeiros mantidos para venda (36.121) Outros ativos (60.274) ( ) Custos de aquisição de contratos diferidos (1.091) (61.977) ( ) ( ) Aumento (redução) dos passivos Passivos de contratos de seguro Débitos de operações de seguro e resseguro Passivos financeiros (34.224) Impostos e contribuições a recolher (14.438) Impostos de renda e contribuição social diferidos (10.554) (24.104) Provisões Outros passivos (86.474) Outras variações Ajustes de instrumentos financeiros (692) Participação dos acionistas não controladores CAIXA LÍQUIDO GERADO/(APLICADO) NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS ( ) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Alienação de imobilizado (2.252) Aquisição de imobilizado ( ) ( ) Aplicação no intangível (49.229) (62.502) CAIXA LÍQUIDO APLICADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS ( ) ( ) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Ações em tesouraria (24.252) (59.782) Distribuição de juros sobre capital e dividendos ( ) ( ) CAIXA LÍQUIDO APLICADO NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO ( ) ( ) AUMENTO/(REDUÇÃO) NAS DISPONIBILIDADES ( ) DISPONIBILIDADE NO INÍCIO DO PERÍODO DISPONIBILIDADE NO FINAL DO PERÍODO AUMENTO/(REDUÇÃO) NAS DISPONIBILIDADES ( )

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Neste contexto alcançamos um ROAE de 15,2% e continuamos otimistas com o potencial de crescimento dos mercados onde atuamos.

Neste contexto alcançamos um ROAE de 15,2% e continuamos otimistas com o potencial de crescimento dos mercados onde atuamos. Release de Resultados do 1T12 Mensagem da Administração Obtivemos no primeiro trimestre de 2012 um crescimento satisfatório em nossas receitas totais (12%), com destaque para o aumento dos prêmios do produto

Leia mais

Release de Resultados do 1T15

Release de Resultados do 1T15 No primeiro trimestre de 2015 o lucro líquido foi 50% superior ao resultado do mesmo período do ano anterior, fruto de um melhor desempenho operacional e financeiro. As receitas totais e os prêmios de

Leia mais

Release de Resultados do 2T13 e 1S13

Release de Resultados do 2T13 e 1S13 Release de Resultados do 2T13 e 1S13 Mensagem da Administração No segundo trimestre e primeiro semestre do ano alcançamos um satisfatório desempenho operacional que combinou crescimento de prêmios com

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011 01/03/2011 às 09:30h Agenda 4T11e 2011 Principais Realizações e Destaques em 2011 Receitas, Lucro Líquido e Retorno sobre Capital Desempenho dos principais

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 1T12

Reunião Pública dos Analistas 1T12 Reunião Pública dos Analistas Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados em 2011 Principais Realizações e

Leia mais

Press Release Novembro/07

Press Release Novembro/07 Press Release Novembro/07 Lucro Líquido de R$395,4 milhões ou R$ 5,14 por ação, de Janeiro a Novembro de 2007. São Paulo, 02 de janeiro de 2008 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Apresentação Corporativa 2015

Apresentação Corporativa 2015 Apresentação Corporativa 2015 Agenda Visão Geral da Indústria de Seguros Evolução do Mercado Segurador Ambiente Competitivo Fatores Chave de Crescimento e Rentabilidade Quem Somos Nossos Negócios Estratégia

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 4T11

Reunião Pública dos Analistas 4T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 4T11 Porto Seguro Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Porto Seguro Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01665-9 PORTO SEGURO S.A. 02.149.205/0001-69 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DFP - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PADRONIZADAS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/12/26 Divulgação Externa Legislação Societária O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 3T11

Reunião Pública dos Analistas 3T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 3T11 Porto Seguro História e Posição A empresa se desenvolveu e atingiu posição de liderança em Auto e Residência, e conta com forte estrutura operacional e de distribuição

Leia mais

Conferência Telefônica de Resultados do 1T08. 12 de maio de 2008

Conferência Telefônica de Resultados do 1T08. 12 de maio de 2008 Conferência Telefônica de Resultados do 12 de maio de 2008 Perspectivas para 2008 Aumento de de 38,7% 31,6% no no número de de empregos formais em em relação ao a primeiro dezembro trimestre de 2006; de

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Press Release 2T15 12/08/2015

Press Release 2T15 12/08/2015 Press Release 2T15 12/08/2015 Sumário 1. Destaques do período... 4 2. Sumário de resultados... 5 3. Receita bruta... 6 3.1 Produtos de bancassurance... 6 3.1.1 Vida... 7 3.1.2 Habitacional... 7 3.1.3 Prestamista...

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 1T11

Reunião Pública de Analistas 1T11 Reunião Pública de Analistas 1T11 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Líder nacional em seguro de residência Empregados Diretos Porto S/A Sucursais

Leia mais

4T12 RESULTADO TRIMESTRAL. Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. 27/FEV/13

4T12 RESULTADO TRIMESTRAL. Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. 27/FEV/13 Crescimento Forte e Consistente em Prêmios. Melhoria nos Resultados. R$10,6 bilhões em prêmios de seguros no ano, crescimento de 12,5%, incluindo crescimento de 8,3% no 17,8% de crescimento em prêmios

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

Porto Seguro S.A. Março 2007

Porto Seguro S.A. Março 2007 Porto Seguro S.A. Março 2007 Porto Seguro em Resumo Porto Seguro em Resumo Fundação Ranking de Grupos Líder Segmento Auto no Brasil R$ bilhões Prêmios Auferidos em 2006 Funcionários diretos Sucursais e

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD PRESS RELEASE Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD Segunda-feira, 3/5/2004 Divulgação dos Resultados do 1 º trimestre 2004 O Banco Bradesco apresentou Lucro Líquido de R$ 608,7 milhões no 1 º

Leia mais

Atualização Janeiro 2005

Atualização Janeiro 2005 Atualização Janeiro 2005 A Indústria Visão Geral da Indústria Prêmios Auferidos (R$) (1) 2.400.000.000 2.300.000.000 2.200.000.000 2.100.000.000 2.000.000.000 1.900.000.000 jan/04 fev/04 mar/04 abr/04

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar.

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. 0 0 Participação da Indústria no PIB - Internacional Prêmios/PIB em % (2004) 1 1 A Indústria de Seguros no Brasil Desde a implantação do Plano Real,

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Relações com Investidores DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13

Relações com Investidores DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13 Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13 Relações com Investidores Miguel Longo Junior Diretor de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brasilinsurance.com.br Teleconferência dos Resultados

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado.

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado. Carlos Macedo, Goldman Sachs: Bom dia. Obrigado pela oportunidade. Duas perguntas, a primeira se refere à sinistralidade em seguro de saúde. Na página sete do release, vocês falam de uma despesa extraordinária

Leia mais

Resultados do 2T08 PSSA3

Resultados do 2T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Perspectivas Perspectivas para o para segundo 2008 semestre de 2008 A Aumento criação de de empregos 31,6% no formais número até de empregos junho foi o formais maior desde em relação

Leia mais

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 São Paulo, 11 de maio de 2015 - A Abril Educação S.A. (BM&FBOVESPA: ABRE3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2015 (1T15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais

Porto Seguro S.A. Receitas Totais Porto Seguro S.A. Porto Seguro S.A. Receitas Totais R$ m ilhões 2006 2005 Variação Receitas Totais 4.548,1 3.849,9 18,1% (R$ milhões) 4.548,1 3.849,9 2.384,6 2.758,5 3.232,4 2002 2003 2004 2005 2006 CAGR

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007

Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro S.A. Conferência Telefônica de Resultados 2T2007 e 1S2007 Porto Seguro 1º Semestre de 2007 Avanço de 13,5% na Receita Total*; Aumento de 12,0% no total de Prêmios Auferidos*; Melhora de 1,9

Leia mais

PORTO SEGURO S.A. Companhia Aberta. CVM nº 01665-9. CNPJ/MF nº 02.149.205/0001-69 NIRE 35.3.0015166.6 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

PORTO SEGURO S.A. Companhia Aberta. CVM nº 01665-9. CNPJ/MF nº 02.149.205/0001-69 NIRE 35.3.0015166.6 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PORTO SEGURO S.A. Companhia Aberta CVM nº 01665-9 CNPJ/MF nº 02.149.205/0001-69 NIRE 35.3.0015166.6 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 29 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE EDITAL

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3

Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3 Resultados do 4T08 e 2008 PSSA3 Questões Onde queremos chegar? Como vamos chegar? Onde estamos? Como estamos indo? 2 Mercado Segurador Brasileiro Expanção Geográfica: Oportunidade de Crescimento Queremos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 Barueri, 29 de Julho de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09

Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09 Apresentação dos Resultados do 2T09 e 1S09 Comentários 2T09 Evolução dos prêmios auferidos no 2T09 em relação ao 2T08; Evolução da frota segurada; Sinistralidade das carteiras de automóvel na Azul Seguros

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

4T14. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A

4T14. Análise do Desempenho. BB Seguridade Participações S.A 4T14 Análise do Desempenho BB Seguridade Participações S.A Este Relatório faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultado e estratégias

Leia mais

Marisa Lojas S.A. e Controladas

Marisa Lojas S.A. e Controladas Marisa Lojas S.A. e Controladas Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Resultados do 3T08 PSSA3

Resultados do 3T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Porto Seguro Fundação Mudança de controle Líder Segmento Auto no Brasil Grupos Seguradores Funcionários diretos Sucursais e escritórios no Brasil Principais cidades 2 Estrutura Societária

Leia mais

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas Blumenau, 07 de maio de 2008 Cia. Hering (Bovespa: HGTX3), uma das maiores empresas de varejo e design de vestuário do Brasil, divulga os resultados do 1º trimestre de 2008 (1T08). As informações operacionais

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da SUHAI Seguros S.A. relativas ao semestre findo em, apuradas

Leia mais

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9 Receita Líquida¹ no 1T16 atinge R$69,6 milhões, alta de 24,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED)

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED) SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED) 3º RELATÓRIO DE ANÁLISE E ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS SUPERVISIONADOS RIO DE JANEIRO, 30 DE NOVEMBRO DE 2015 1.

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%)

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%) o Margem Bruta atinge 42% no 3T07 e distribuição de proventos chega a R$ 40 milhões nos 9M07. 3T07 Cotação (31/10/07) ETER3 R$/ação 8,46 US$/ação 4,83 Base Acionária (31/10/07) Total 72.555.934 Free Float

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Resultados 2T14 e 1S14 Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Belo Horizonte, 5 de agosto de 2014 - A Companhia

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

Cetip S.A. Mercados Organizados Cetip S.A. Mercados Organizados

Cetip S.A. Mercados Organizados Cetip S.A. Mercados Organizados Cetip S.A. Mercados Organizados Cetip anuncia os resultados do 4º trimestre de 2013 - Receita líquida de R$ 242,3 milhões, EBITDA ajustado de R$ 166,2 milhões, lucro líquido ajustado de R$ 130,7 milhões.

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T12

Divulgação de Resultados 1T12 Divulgação de Resultados 1T12 17 de maio de 2012 Palestrantes Bruno Padilha Presidente do Conselho de Administração Tuca Ramos - Presidente Luis Eduardo Fischman Diretor Financeiro e de RI José Ricardo

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Atendendo aos dispositivos legais, estatutários e à regulamentação do mercado de valores mobiliários, a administração da Brasil Brokers Participações S.A. vem submeter à apreciação de V.Sas. nossos comentários

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

Divulgação do Balanço 1º Semestre 2007

Divulgação do Balanço 1º Semestre 2007 1º Semestre 2007 Balanço Patrimonial ATIVO jun-07 jun-06 Var R$ Var % Circulante e realizável a longo prazo 64.448,1 48.889,2 15.558,9 32% Disponibilidades 1.231,1 665,7 565,4 85% Aplicações interfinanceiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação Institucional Setembro 2013

Apresentação Institucional Setembro 2013 Apresentação Institucional Setembro 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina* Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da

Leia mais

DESTAQUES DO ANO. Receita Líquida de R$ 662,5 milhões, 15,9% acima de 2013. Geração de caixa operacional de R$ 95,5 milhões e CAPEX de R$ 12,5 milhões

DESTAQUES DO ANO. Receita Líquida de R$ 662,5 milhões, 15,9% acima de 2013. Geração de caixa operacional de R$ 95,5 milhões e CAPEX de R$ 12,5 milhões Blumenau SC, 11 de fevereiro de 2015 A Cremer S.A. (BM&FBovespa: CREM3), fornecedora de produtos para cuidados com a saúde nas áreas de primeiros socorros, cirurgia, tratamento e higiene, anuncia seus

Leia mais

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14

AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 AUMENTO DE 13,8% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$817 MILHÕES NO 3T14 Barueri, 28 de Outubro de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do terceiro trimestre

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T05

Divulgação de Resultados 3T05 Localiza Anuncia EBITDA de R$70,8 milhões no 3T05 Receita Líquida cresce 49,1% e EBITDA cresce 31,1% Belo Horizonte, 8 de novembro de 2005 - A Localiza Rent A Car S.A. (Bovespa: RENT3), a maior rede de

Leia mais

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013 Rio de Janeiro, 08 de novembro de 2013. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013 1. Desempenho Operacional Consumo de Energia Total (GWh) (Cativo + Livre) - Trimestre 1,7% 5.486 840 5.581

Leia mais

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A.

VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 VITAL ENGENHARIA AMBIENTAL S.A. Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório dos Auditores

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO SUB 1 1 2 CIRCULANTE 1 2 1 DISPONÍVEL 1 2 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 1 Caixa 1 2 1 2 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2 1 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2

Leia mais

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD PRESS RELEASE Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos

Leia mais

Porto Seguro S.A. Conference Call 3T06

Porto Seguro S.A. Conference Call 3T06 Porto Seguro S.A Conference Call 3T06 1 Ranking Brasileiro de Seguros Terceira maior Companhia 19,9% 14,9% 8,4% 7,6% 6,9% 5,4% 3,7% Bradesco Sul América Porto Seguro Unibanco Itaú Mapfre Tokio Marine Obs:

Leia mais

SUL AMÉRICA S.A. E CONTROLADAS

SUL AMÉRICA S.A. E CONTROLADAS SUL AMÉRICA S.A. E CONTROLADAS C.N.P.J. Nº 29.978.814/0001-87 RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Prezados Senhores Acionistas: Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Contábeis da Sul América

Leia mais

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015.

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Bruno Carobrez Diretor de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com Investidores (55 11) 3175-2920

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S/A Versão : 1. Composição do Capital 1

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - BRASIL INSURANCE PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S/A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Derivativos e outras receitas não ligadas a volumes direcionaram o crescimento na receita total Crescimento do lucro líquido ajustado 1 resultou,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 15 Rendimentos a distribuir 412 366 Aplicações financeiras de renda fixa 28 8

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

Resultados 2T14. Lucro Bruto atinge R$ 88 MM no 2T14, 21,5% da receita líquida (26,0% no 2T13).

Resultados 2T14. Lucro Bruto atinge R$ 88 MM no 2T14, 21,5% da receita líquida (26,0% no 2T13). Resultados 2T14 Resultados 2T14 Fleury ON (Bovespa FLRY3) (Bloomberg FLRY3 BZ; Thomson FLRY3-BR) Debêntures: BRFLRYDBS007, BRFLRYDBS015 e BRFLRYDBS023 Em 30 de Junho de 2014: Total de Ações 156.293.356

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013

Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013 Centauro Vida e Previdência S/A Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2013 Direitos Autorais Centauro Vida e Previdência S.A.. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste documento pode ser reproduzida,

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 7. Demonstrações de resultado abrangente 11 Demonstrações Financeiras Consolidadas em 31 de Dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras consolidadas Conteúdo Relatório da diretoria 3 Parecer avaliação atuarial 5 Relatório dos auditores independentes

Leia mais