Consolidação. Uma única instância mundial. Microsoft Dynamics AX 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Consolidação. Uma única instância mundial. Microsoft Dynamics AX 2009"

Transcrição

1 Consolidação Microsoft Dynamics AX 2009 Uma única instância mundial Consolidação de camadas GLS para o Brasil, a China, a Índia, o Japão e a Tailândia Setembro de 2008

2 Sumário Introdução...5 Camadas do aplicativo Microsoft Dynamics AX... 5 Camadas GLS... 5 Informações específicas a país/região...5 Brasil...5 Recursos consolidados para o Brasil... 5 Texto da transação... 6 Tipos de documentos fiscais... 6 Códigos de classificação fiscal... 6 Tipo do produto... 6 Parâmetros brasileiros... 6 Tipo de estabelecimento... 6 Numeração cronológica da nota fiscal... 6 Impostos brasileiros sobre vendas... 6 Devolução de mercadorias vendidas... 8 Notas fiscais de compra complementares... 8 Compra de ativos fixos... 8 Tipos de operações de venda... 8 Operações de venda... 9 Vendas da Suframa...10 Vendas ao usuário final...10 Cancelamento de notas fiscais...10 Notas fiscais complementares de venda...10 Venda de ativos fixos...10 CFOP (código da operação fiscal)...10 Matriz de impostos...11 Informações fiscais, sobre a transportadora e sobre comércio exterior...11 Transportadora nas notas fiscais...11 Texto legal...11 Retenção de imposto...11 Taxa de juros e multas...12 Configurador...12 Remessa e retorno de pagamentos eletrônicos...12 Formato do endereço...12 Bordero...12 Cheque...13 Layout do cheque...13 Vários métodos de pagamento...13 Conta de transição...13 Gerenciamento de impressão...13 Livro diário...13 Razão analítico...13 Resumo do balancete...13 Custos de absorção...13 Ajustar impostos por item...13 Alterações nos diários para impostos brasileiros...14 Novas opções de atualização de resumo...14 Nota fiscal eletrônica para a cidade de São Paulo UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

3 Códigos de impostos e outras informações do SPED...14 Informações do livro fiscal...14 Recursos descontinuados para o Brasil...15 Estrutura hierárquica de contas...15 CST (código da situação do imposto)...15 Recurso multissite...15 Dimensão da filial...15 Aumente o nome EDT de 60 para Aumente o texto da transação EDT de 25 para China...16 Parâmetros novos e modificados para a China...16 Recursos consolidados para a China...16 Alteração na interface do usuário chinesa...16 Estrutura da árvore da conta...17 Sistema de comprovante chinês...17 Mostrar débitos e créditos negativos...17 Várias contas de controle de cliente/fornecedor...17 Copiar e reverter um comprovante...17 Aprovação de diário...17 Fechamento mensal (verificação de validade)...17 Consultas do diário-razão financeiro...17 Consulta de saldo do cliente/fornecedor estendido...18 Relatórios financeiros...18 Reconciliação bancária...18 Integração com o sistema fiscal...18 Recursos descontinuados...18 Alteração na interface do usuário chinesa, seqüência de nome e formato de endereço...18 Japão...19 Parâmetros novos e modificados para o Japão...19 Recursos consolidados para o Japão...19 Era japonesa...19 Importar CEPs...20 Campos Kana...20 Formato de banco JBA (Japanese Bankers Association)...20 Permitir somente valor de débito e crédito positivo...20 Comprovante de diário de conta T...20 Endosso da LDC de clientes para pagamento a um fornecedor...20 Relatório de imposto de consumo...20 Demonstrativo financeiro...21 Notas fiscais consolidadas...21 Nota fiscal consolidada para transações com base em remessas...21 Condição de pagamento e controle de data de vencimento...21 Tailândia...22 Parâmetros novos e modificados para a Tailândia...22 Recursos consolidados para a Tailândia...22 Retenção de imposto...22 Recursos da Tailândia mesclados na camada SYS...22 IVA não realizado...22 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 3

4 Índia...23 Parâmetros novos e modificados para a Índia...23 Recursos consolidados para a Índia...24 Imposto sobre vendas da Índia...24 IVA (imposto sobre valor agregado)...24 Imposto embutido...25 Imposto sobre serviços...25 Imposto alfandegário...26 Encargos diversos...26 Transferência de estoque...26 TDS (imposto descontado na fonte)...27 TCS (imposto recolhido na fonte)...27 Designer de fórmulas...27 Formulários de consulta definidos pelo usuário...28 Relatórios estatutários para impostos diretos...29 Demonstrativos financeiros...29 Depreciação de acordo com a Lei das Empresas...29 Depreciação de acordo com a Lei do Imposto de Renda...30 Recursos descontinuados para a Índia...30 Anexando guias de remessa a uma nota fiscal...30 Outras observações para a Índia UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

5 Introdução Camadas do aplicativo Microsoft Dynamics AX As camadas do aplicativo Microsoft Dynamics AX constituem uma hierarquia de níveis no código-fonte do Microsoft Dynamics AX, o que permite aos desenvolvedores modificar e personalizar instalações estendendo os objetos do aplicativo com a modificação de suas camadas. Isso ajuda a proteger a solução padrão durante a implementação e a personalização, o que permite solucionar problemas mais facilmente e atualizar produtos de forma mais rápida e segura, simplificando a atualização de personalizações existentes. A tecnologia de camadas de aplicativo é um dos pilares do Microsoft Dynamics AX. Ela ajuda a tornar a solução flexível, dinâmica e mais fácil de atualizar. Camadas GLS Uma camada GLS é uma das camadas de aplicativo dentro do Microsoft Dynamics AX. Trata-se da camada na qual foi mantida a maior parte das funcionalidades específicas a país/região. No Microsoft Dynamics AX 4.0, a funcionalidade específica a país/região foi consolidada para existir na camada SYS ou em camadas GLS separadas. Na solução Microsoft Dynamics AX 2009, as camadas GLS individuais para a China, o Brasil, a Índia e a Tailândia foram mescladas para criar uma única e consolidada camada GLS. Esse procedimento facilitará implantações multinacionais do Microsoft Dynamics AX. As camadas GLS restantes para a Turquia, a Rússia e a Europa Central e Oriental serão mescladas na camada GLS consolidada após o lançamento do Microsoft Dynamics AX Este documento apresenta informações para parceiros sobre os tópicos a seguir relativos à funcionalidade de cada país/região que estava anteriormente em uma camada GLS separada: Lista de novos parâmetros e chaves de configuração Descrição de alterações em recursos Recursos consolidados Recursos que foram mesclados na camada SYS Recursos descontinuados e justificativa Áreas adicionais de esclarecimento, conforme necessário Informações específicas a país/região Brasil Observação: não há novos parâmetros nem chaves de configuração para o Brasil, e nenhum recurso foi mesclado na camada SYS. Recursos consolidados para o Brasil As descrições a seguir referem-se aos recursos que foram originalmente desenvolvidos para o Brasil e incluídos na camada GLS consolidada do Microsoft Dynamics AX Alguns textos de etiqueta e de ajuda foram alterados devido à consolidação das camadas GLS. Observação: a menos que de outra forma observado, nenhuma alteração foi feita nos recursos anteriores do Microsoft Dynamics AX UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 5

6 Texto da transação Uma nova seqüência de caracteres %7 foi adicionada às seqüências existentes no formulário Texto da transação. A seqüência de caracteres %7 é usada em transações de compra ou venda de clientes ou fornecedores. Tipos de documentos fiscais Os documentos fiscais, como as notas fiscais, são aqueles oficialmente aceitos em qualquer transação comercial entre empresas no Brasil. O tipo de documento fiscal classifica o tipo de documento fiscal envolvido nas transações de compra e venda entre empresas. Ele é usado para definir a seqüência numérica, a série e o layout de uma nota fiscal. Códigos de classificação fiscal O Governo brasileiro emite um código de classificação fiscal para todas as mercadorias com incidência do IPI. O código de classificação fiscal possui oito dígitos que devem ser impressos em todas as notas fiscais para a movimentação de todas as mercadorias com incidência do IPI. Todos os produtos, importados ou fabricados no Brasil, possuem uma classificação fiscal e uma porcentagem do IPI definida pela TIPI (tabela de incidência do imposto sobre produtos industrializados). É possível atribuir um código de classificação fiscal aos tipos de itens Item e BOM. Os itens Serviço não possuem essa classificação. Você pode criar códigos de classificação fiscal e anexá-los aos itens no formulário Itens e também no nível da transação. Tipo do produto No Brasil, os produtos devem ser classificados com base na finalidade de sua compra. Por exemplo, os produtos podem ser comprados para autoconsumo, revenda e outras finalidades. Com a classificação do tipo de produto, é possível calcular o imposto ICMS diferencial sobre produtos que são comprados de outros estados. Você pode definir o tipo de produto para cada item. Parâmetros brasileiros É possível configurar parâmetros para certos recursos brasileiros no formulário Parâmetros brasileiros, incluindo parâmetros de ativos fixos, notas fiscais complementares, tipo de produto para uso e consumo, ID de texto a ser impresso nas notas fiscais de venda da Suframa e numeração cronológica da nota fiscal. É possível também ativar o uso de todos os recursos brasileiros para a empresa. Tipo de estabelecimento Você pode definir tipos de estabelecimento para a empresa, o cliente e o fornecedor. Numeração cronológica da nota fiscal De acordo com a lei brasileira, as notas fiscais devem ser numeradas seqüencialmente e em ordem cronológica de acordo com a data de emissão do tipo de documento fiscal. A numeração das notas fiscais em ordem cronológica permite flexibilidade para emitir notas fiscais em uma data anterior à data do sistema. Impostos brasileiros sobre vendas De acordo com as exigências legais brasileiras, é necessário configurar e calcular impostos sobre vendas. Estes são os tipos de impostos recorrentes no Brasil: IPI, PIS, ICMS, COFINS, ISS, IRRF-PJ e INSS. Também são comuns os seguintes tipos de operações de compra: Compra de serviços Ao comprar serviços, você pode calcular e reter os impostos sobre serviços, com base no tipo de serviço e na categoria do fornecedor, por exemplo, uma pessoa, uma empresa ou um estrangeiro. Se o serviço for comprado de uma empresa, os impostos PIS, COFINS e ISS serão calculados sobre a nota fiscal, com a retenção do PIS, do COFINS, do ISS, do CSLL, do INSS e do IRRF. Os impostos retidos são deduzidos do valor a pagar ao fornecedor. 6 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

7 Compra de eletricidade O crédito do imposto ICMS sobre a compra de eletricidade varia conforme os regulamentos estaduais. As empresas podem reclamar o crédito do ICMS sobre o valor total gasto na compra de eletricidade ou sobre o valor gasto em tal compra para sua área fabril. A compra de eletricidade é isenta de IPI. Compra de serviços de frete As empresas podem reclamar o crédito do ICMS sobre a compra de serviços de frete. A compra de serviços de frete é isenta de IPI. Compra para fins de industrialização e comercialização Existem duas categorias de empresas brasileiras: de manufatura e de comercialização. O tratamento fiscal é baseado na finalidade das compras dessas empresas. O crédito do imposto IPI não está disponível para empresas que fazem compras com a finalidade de revendê-las para comercialização. Portanto, o crédito do IPI estará disponível para a empresa manufatureira se as compras forem feitas para fins de produção e se a revenda for feita para fins de industrialização. O crédito do IPI não está disponível para empresas de comercialização porque as compras são feitas para a revenda de comercialização. Compra de mercadorias com faturamento antecipado A compra de mercadorias com faturamento antecipado é feita em duas fases: na primeira fase, a nota fiscal é emitida sem o movimento físico e financeiro do estoque e somente o saldo do fornecedor é atualizado; na segunda fase, quando ocorre a entrega real das mercadorias, as transações de estoque e de ICMS são geradas. O tipo de operação de compra selecionado é importante nessa operação. Transferência de mercadorias entre depósitos É possível registrar a transferência de mercadorias entre dois depósitos da mesma empresa, como uma típica transação de compra e venda. Um depósito em trânsito é usado para essa operação. O depósito em trânsito é o depósito intermediário para o qual as mercadorias de um depósito são movidas, sendo em seguida movidas do depósito intermediário para o depósito de destino. Depósitos em trânsito também são usados para controlar os itens da empresa fora do estabelecimento, assim como para controlar itens de outras empresas dentro do estabelecimento. Devolução de mercadorias enviadas para fins de industrialização sob base contratual Bens e serviços enviados sob base contratual para fins de industrialização são isentos de ICMS e IPI. A empresa pode tratar esse recebimento como uma remessa simbólica ou como uma remessa real sem o cálculo de impostos. Para uma remessa simbólica, não há movimento de estoque; entretanto, para uma remessa real, é necessário registrar o movimento do estoque. Essa operação também é tratada como uma transferência entre depósitos. Devolução de mercadorias não vendidas pelos vendedores As empresas que empregam vendedores para vendas de porta em porta devem emitir notas fiscais com IPI e ICMS no caso de mercadorias entregues fora do estabelecimento. A remessa de mercadorias para um vendedor é registrada mediante uma ordem de venda; sua compra é registrada mediante uma ordem de compra. Se o vendedor vender algumas mercadorias, uma nova ordem de venda será registrada. A devolução da remessa feita a um vendedor requer o registro de uma ordem de compra das mercadorias devolvidas pelo vendedor que usa o depósito em trânsito. Essa operação é similar a uma transferência de estoque entre depósitos. UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 7

8 Devolução da remessa para depósito fechado Essa operação é para empresas que usam um depósito geral para armazenar o estoque. Os estoques gerais distribuídos por diferentes locais seguem os regulamentos da respectiva unidade ou estado federativo. Se a empresa tiver uma estrutura de vendas que use um depósito geral, deverá enviar à entidade fiscal estadual uma solicitação de autorização para a operação e seus respectivos formulários de controle. No Brasil, não é possível circular mercadorias sem os devidos documentos fiscais. A devolução do depósito geral pode ser real ou simbólica. A remessa real tem movimento de mercadorias e cálculo de impostos; a remessa simbólica não tem movimento de estoque nem impostos. Entrada de mercadorias como aluguel, amostra grátis, demonstração e reparo No Brasil, os termos e condições para o recebimento de mercadorias com base no aluguel (comodato) são regidos pelo contrato entre o fornecedor e a empresa. As mercadorias são consideradas empréstimos gratuitos ou pagos e serão devolvidas após determinado período. Não há incidência de impostos sobre essa operação. Uma empresa só pode receber amostras grátis de seus fornecedores sem qualquer obrigação fiscal se as mercadorias forem fabricadas com a finalidade de distribuição como amostra grátis. A empresa deverá pagar IPI e ICMS se as amostras grátis não forem fabricadas com a finalidade de distribuição como amostra grátis. As mercadorias recebidas para fins de demonstração são tratadas como compras normais. A empresa não terá obrigação fiscal de IPI e ICMS se as mercadorias recebidas para fins de demonstração forem devolvidas ao fornecedor dentro de 60 dias após o recebimento. Não há incidência tributária quando as mercadorias são recebidas para reparos porque, sob tal condição, as mercadorias têm uma permanência temporária na empresa que presta esse tipo de serviço. Devolução de mercadorias vendidas A devolução de mercadorias vendidas é registrada por meio de uma nova nota fiscal de compra com transações similares àquelas na nota fiscal de venda original. Há dois tipos de devoluções de venda: Compra de mercadorias para uso e consumo A base de cálculo do ICMS deve incluir o IPI e encargos de frete, se houver, sobre a compra feita para uso e consumo. Compra de mercadorias de fornecedor não tributável É necessário imprimir a nota fiscal de entrada de compras feitas de um fornecedor não tributável. Notas fiscais de compra complementares É possível criar uma nota fiscal complementar para ajustar uma nota fiscal gerada com preços e valores de IPI ou ICMS incorretos. Os tipos de operações de compra padrão para gerar as notas fiscais complementares de preço, IPI e ICMS devem ser definidos no formulário Parâmetros brasileiros. Compra de ativos fixos Há dois tipos de ativos fixos comprados por uma empresa: tangíveis (tipo de item Item) e intangíveis (tipo de item Serviço). No Brasil, as empresas são qualificadas para um crédito equivalente a 1/48 por mês sobre o ICMS que é pago para a compra de um ativo fixo. O crédito do ICMS está disponível no mês seguinte à compra do ativo fixo. Tipos de operações de venda No Brasil, as operações de venda são amplamente classificadas nas seguintes três categorias: Padrão com estoque Ocorre o movimento físico e financeiro do estoque. As contas de saldo do cliente, de imposto e de estoque são atualizadas. Um exemplo é a transação de venda de um item. Padrão sem estoque Não há movimento de estoque. As contas de saldo do cliente e de imposto são atualizadas. Um exemplo é a transação de venda de um serviço. 8 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

9 Fora do padrão com estoque O movimento físico e financeiro do estoque ocorre sem impacto sobre as contas do cliente. As contas de estoque são atualizadas. Um exemplo é o envio de mercadorias para fins de demonstração ou doação para caridade. Operações de venda No Brasil, são comuns os seguintes tipos de operações de venda: Venda de serviços Durante a venda de serviços, é possível calcular e recuperar os impostos sobre serviços com base no tipo de serviço e na categoria do cliente, que pode ser uma pessoa, uma empresa ou um estrangeiro. Vendas com entrega futura No Brasil, a compra de mercadorias com faturamento antecipado é feita em duas fases: na primeira fase, a nota fiscal é criada para o pagamento recebido. Não há nenhum movimento de estoque nesse estágio; na segunda fase, quando ocorre a entrega real das mercadorias, as transações de estoque e de ICMS são geradas. Vendas com faturamento antecipado Uma venda com faturamento antecipado permite aceitar um pagamento antecipado ou um adiantamento de salário de um cliente e emitir uma nota fiscal de venda posteriormente, durante a entrega real da mercadoria. Conforme os contratos de negociação de preço estabelecidos com um cliente, você pode receber pagamentos antecipados sem entregar as mercadorias. A nota fiscal de venda é emitida somente na entrega real das mercadorias. Não há impostos nem movimentos físicos ou financeiros de estoque no estágio de pagamento antecipado. Transferência de mercadorias entre depósitos É possível registrar a transferência de mercadorias entre dois depósitos da mesma empresa, tal qual uma típica transação de venda e compra. Um depósito em trânsito é usado para essa operação. O depósito em trânsito é o depósito intermediário para o qual as mercadorias são movidas. Elas serão movidas posteriormente para o depósito de destino. Depósitos em trânsito também são usados para controlar os itens da empresa fora do estabelecimento, assim como para controlar itens de outras empresas dentro do estabelecimento. Mercadorias enviadas para fins de industrialização sob base contratual No Brasil, bens e serviços enviados para fins de industrialização, que devem ser fabricados sob base contratual, são isentos de ICMS e IPI. As mercadorias enviadas para o fim contratual são registradas mediante uma ordem de venda, e uma ordem de compra é criada quando as mercadorias são devolvidas. Essa operação também é tratada como uma transferência entre depósitos. Para registrar a devolução de mercadorias enviadas para fins de industrialização, duas ordens de compra são necessárias: uma para devolver o item; outra para dar entrada no serviço. Venda de mercadorias para vendedores As empresas que empregam vendedores para vendas de porta em porta devem emitir uma nota fiscal com IPI e ICMS para mercadorias entregues fora do estabelecimento. A remessa de mercadorias para um vendedor é registrada mediante uma ordem de venda; sua compra é registrada mediante uma ordem de compra. Se o vendedor vender as mercadorias, uma nova ordem de venda será gerada. Remessa para depósito fechado A transferência de estoque de um depósito fechado para outro depósito é regida pelos regulamentos estaduais. UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 9

10 Mercadorias enviadas como aluguel, amostra grátis, demonstração e reparo No Brasil, as empresas que oferecem aos clientes bônus em mercadorias para evitar devoluções de venda devem pagar imposto sobre a remessa dessas mercadorias. Os bônus em mercadorias são dados aos clientes sem nenhum custo para evitar devoluções de mercadorias danificadas enviadas a eles. A empresa deve pagar ICMS e IPI sobre a remessa de bônus em mercadorias. Uma empresa só poderá fornecer amostras grátis aos seus clientes sem qualquer obrigação fiscal se as mercadorias forem fabricadas com a finalidade de distribuição como amostra grátis. A empresa deverá pagar IPI e ICMS se as amostras grátis não forem fabricadas com a finalidade de distribuição como amostra grátis. Mercadorias enviadas para fins de demonstração são tratadas como venda normal. A empresa não terá obrigação fiscal de IPI e ICMS se as mercadorias enviadas para fins de demonstração forem devolvidas dentro de 60 dias do envio. Não há incidência de imposto quando as mercadorias são enviadas para reparo ou conserto porque, sob tais condições, as mercadorias têm uma permanência temporária na empresa que presta esse tipo de serviço. Devolução de mercadorias compradas A devolução de mercadorias compradas é registrada por meio de uma nova nota fiscal de venda com transações similares às da nota fiscal de compra original. Uma nota fiscal deve ser gerada para registrar a transação de devolução da compra. Exportação de bens e serviços Os bens exportados são isentos de impostos, mas o ISS recai sobre a exportação de serviços. Vendas da Suframa No Brasil, as vendas feitas aos clientes pela Suframa são isentas de ICMS e IPI. É possível também obter a isenção do PIS e COFINS sobre essas vendas. Vendas ao usuário final A base de cálculo do ICMS deve incluir o IPI e encargos de frete, se houver, sobre a venda feita para um usuário final do produto ou serviço. Cancelamento de notas fiscais É necessário imprimir a nota fiscal cancelada e cada nota fiscal cancelada deve ter o mesmo número que o número da nota fiscal de venda original. Notas fiscais complementares de venda É possível criar uma nota fiscal complementar para ajustar uma nota fiscal gerada com preços e valores de IPI ou ICMS incorretos. Os tipos de operações de venda padrão para gerar as notas fiscais complementares de preço, IPI e ICMS devem ser definidos no formulário Parâmetros brasileiros. Venda de ativos fixos A venda de ativos fixos é isenta de ICMS e IPI. CFOP (código da operação fiscal) O CFOP classifica os tipos de transações que são criadas em uma organização. O CFOP é composto de quatro dígitos, onde o primeiro dígito define se a operação é dentro do estado, fora do estado ou fora do país. O segundo dígito indica o tipo de transação, como compra ou venda, e os dois últimos dígitos definem a finalidade da operação, como uso e consumo e revenda. É necessário especificar o CFOP para transações que usem os tipos de itens Item e BOM. É possível criar os códigos CFOP e definir o código CFOP para uma transação. Você também pode definir o código CFOP padrão para um tipo de operação de venda ou compra no formulário Matriz de CFOP. 10 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

11 Matriz de CFOP A matriz de CFOP permite determinar o CFOP a ser usado em uma transação de venda ou compra. É possível definir o CFOP padrão para um tipo de operação de venda e compra usando a matriz de CFOP. É necessário criar códigos CFOP e grupos de CFOP antes de criar a matriz de CFOP. Processo de identificação de CFOP Identificação de CFOP nas linhas da ordem A identificação de CFOP na linha da ordem é baseada no endereço do cliente ou fornecedor e no endereço de entrega especificado na linha da ordem. Se você alterar o endereço de entrega na linha da ordem na guia Endereço ou usando a opção Endereço Alternativo (Configuração > Endereço alternativo), o código CFOP ou a lista de códigos CFOP será exibida no campo CFOP com base no novo endereço de entrega. Identificação de CFOP em ordens de entrega direta Se você criar uma entrega direta usando o formulário Ordem de venda (botão Contas a receber > Ordem de venda > Funções na linha da ordem > Criar entrega direta), o CFOP será identificado para o cabeçalho e as linhas da ordem de compra correspondente. Qualquer alteração feita no endereço da ordem de venda com entrega direta altera o endereço na ordem de compra automaticamente. O CFOP é identificado no cabeçalho e nas linhas da ordem de compra respectivamente. Matriz de impostos É possível configurar uma matriz para identificar o grupo de impostos sobre venda e o grupo de impostos sobre vendas do item para usar em uma transação. Informações fiscais, sobre a transportadora e sobre comércio exterior De acordo com os regulamentos brasileiros, é necessário definir certas informações fiscais, sobre a transportadora e sobre comércio exterior nos níveis da empresa, do fornecedor e das transações. Observação: os campos de informações sobre a transportadora no Microsoft Dynamics AX 2009 padrão estão disponíveis na guia Entrega. Transportadora nas notas fiscais Em versões anteriores, a transportadora era implementada como adição à funcionalidade padrão. No Microsoft Dynamics AX 2009, as informações sobre a transportadora são adicionadas ao conhecimento de embarque padrão em contas a receber, sendo que informações sobre especificações da transportadora estão disponíveis em contas a pagar. Texto legal É possível definir o texto da nota fiscal de venda e da nota fiscal de recebimento a ser impresso em notas fiscais de venda e de compra. A lei brasileira requer a impressão de texto para certas transações. O texto legal apresenta informações adicionais sobre a nota fiscal. Retenção de imposto Você pode calcular a retenção de imposto como uma porcentagem do valor do pagamento em um mês. É possível também exibir os pagamentos, incluindo a retenção de imposto paga a um fornecedor em um mês, no formulário de consulta Pagamentos de retenção de imposto. Observação: as seguintes alterações nesse recurso estão no Microsoft Dynamics AX 2009: Alterações na UI devido a pagamentos centralizados Alterações na UI aplicadas às linhas do diário de pagamentos de contas a receber, e criação e edição de pagamentos de cliente UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 11

12 Taxa de juros e multas Você pode aplicar taxa de juros e multas sobre pagamentos atrasados de clientes e fornecedores. Os valores da taxa de juros e da multa aplicáveis a um pagamento podem ser calculados quando você recebe um pagamento de um cliente ou quando faz um pagamento a um fornecedor. Observação: as seguintes alterações nesse recurso estão no Microsoft Dynamics AX 2009: Alterações na UI devido a pagamentos centralizados Alterações na UI aplicadas às linhas do diário de pagamentos de contas a receber, e criação e edição de pagamentos de cliente Configurador O configurador é um utilitário de configuração de interface de arquivo que pode ser usado para gerar os dois tipos de formatos de arquivo a seguir. Formatos de arquivos de exportação para suítes de relatórios de terceiros De acordo com as leis federais, estaduais e municipais no Brasil, os relatórios específicos ao mercado e a mídia magnética gerada pelas empresas devem apresentar informações referentes às operações fiscais. É possível gerar arquivos de exportação usando uma estrutura de arquivos simples para as informações fiscais. Formatos de arquivos de exportação e de retorno para pagamentos eletrônicos O pagamento eletrônico é um serviço comum prestado pelos bancos brasileiros para receber ou enviar pagamentos de/para clientes ou fornecedores. Cada banco tem um formato para gerar pagamentos eletrônicos. É possível gerar diferentes formatos de arquivos de exportação e de retorno de pagamentos eletrônicos que são usados para trocar informações entre a empresa e os bancos. Você pode criar layouts de arquivo com uma estrutura de arquivos simples ou com uma estrutura de arquivos complexa para gerar os arquivos de remessa e de retorno de pagamentos eletrônicos. Remessa e retorno de pagamentos eletrônicos O pagamento eletrônico é um método usual de pagamento usado pelos bancos e empresas brasileiras para se comunicar entre si usando arquivos magnéticos. O processo geral de pagamento eletrônico e os layouts dos arquivos magnéticos são estabelecidos pela FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) no Brasil. É possível usar pagamentos eletrônicos para fazer pagamentos ao fornecedor e para receber pagamentos de clientes. Observação: a seguinte alteração nesse recurso está no Microsoft Dynamics AX 2009: Alterações devido a restrições a pagamentos centralizados Formato do endereço A formatação de endereço foi modificada para aceitar os novos campos a seguir em vários formulários: Distrito, Número de rua e Complemento do endereço. Observação: a seguinte alteração nesse recurso está no Microsoft Dynamics AX 2009: Alterações na UI referentes ao novo formulário de endereços e uma grade adicionada aos formulários existentes Bordero Bordero é um método de pagamento usado para gerar um lote de pagamentos ao fornecedor e imprimi-lo no relatório Bordero. O relatório Bordero é enviado ao banco responsável por pagar as contas listadas no relatório. 12 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

13 Cheque É possível gerar um cheque para vários fornecedores. Layout do cheque Você pode criar diferentes layouts de cheque para diferentes bancos no Brasil. Vários métodos de pagamento É possível configurar vários métodos de pagamento no mesmo diário de pagamentos de Contas a pagar e de Contas a receber no Brasil. A geração de pagamentos deve ser realizada de acordo com determinado método de pagamento. Conta de transição O uso de contas de transição quando se vai agendar pagamentos já está disponível no Brasil. Gerenciamento de impressão Você pode definir a impressora de destino para imprimir o original e a cópia dos documentos de compra, dos documentos de venda e dos cheques. Observação: a seguinte alteração nesse recurso está no Microsoft Dynamics AX 2009: Alterações devido a alterações no gerenciamento da impressora padrão Livro diário É possível gerar um relatório Livro diário para registrar transações diárias. As Juntas Comercias declaram que esse relatório deve registrar transações diárias em diferentes volumes, e cada volume deve ter, no máximo, 500 páginas. Os números dos volumes e das páginas do relatório devem estar em ordem seqüencial. Por exemplo, o Volume I incluiria as Páginas 1-500, e o Volume II incluiria as Páginas Razão analítico No Brasil, as empresas tributadas sobre o lucro real devem manter um relatório de razão analítico que é enviado à Junta Comercial para verificação. Esse relatório apresenta informações detalhadas sobre as transações registradas em todas as contas de um determinado período. Esse relatório fornece detalhes sobre as contas do relatório Livro diário. Resumo do balancete Você pode gerar um relatório de balancete resumido de determinado período. O relatório inclui os detalhes de um número de conta contábil, o nome da conta, o saldo anterior ou inicial e o saldo atual ou de fechamento. Custos de absorção De acordo com a legislação brasileira, é obrigatório calcular e lançar os custos diretos e indiretos incorridos nas ordens de produção de um período financeiro. Os custos reais de produção são conhecidos ao final de um período financeiro. O método de custo de absorção envolve a distribuição dos custos totais de produção entre os produtos fabricados durante o período financeiro. Ajustar impostos por item Quando uma nota fiscal é lançada, é possível ajustar os impostos sobre vendas de acordo com o código do imposto. Conforme a legislação brasileira, os ajustes de impostos são calculados e apresentados no documento da Nota Fiscal de acordo com o item. UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 13

14 Alterações nos diários para impostos brasileiros Os diários foram modificados para adicionar campos para cálculos de impostos e faturamento de transações. Além de lançar notas fiscais ao criar ordens de compra, agora você pode lançar notas fiscais nos formulários Diário geral, Diário de notas fiscais de fornecedores, Registro de nota fiscal de fornecedor e Grupo de notas fiscais excl. lançamento, que possuem cálculos de impostos brasileiros. Esse tipo de operação é útil quando é necessário lançar notas fiscais que não fazem parte de um processo de ordem de compra, como despesas de compras adicionais, ou quando você lança notas fiscais padrão que não precisam de aprovação ou cujo pagamento pode ser efetuado por débito direto, como a compra de um serviço público, por exemplo, eletricidade. As notas fiscais lançadas no Diário geral não são automaticamente integradas aos livros fiscais. Novas opções de atualização de resumo Para obter informações resumidas sobre relatórios e notas fiscais de ordens de venda e de compra, selecione os respectivos dados nos formulários de parâmetros de resumo de ordens de venda e de compra. Nota fiscal eletrônica para a cidade de São Paulo Os serviços NF-e aplicados à cidade de São Paulo são obrigatórios para todas as empresas de serviços com receita igual ou superior a reais em Essas empresas devem emitir uma notificação fiscal, via site da prefeitura, para notificar os departamentos fiscais do governo sobre o fluxo de seus ganhos e pagamentos na jurisdição da cidade de São Paulo. Códigos de impostos e outras informações do SPED O SPED Fiscal é um relatório mensal enviado ao governo brasileiro por mídia magnética. Ele contém as seguintes informações fiscais e contábeis referentes à empresa: Notas fiscais de compra e venda Dados mestre de clientes, fornecedores e itens Dados mestre de planos de contas e comprovantes do razão geral Compras e depreciação de ativos fixos Pagamentos de clientes e fornecedores Resumos de impostos do período Conforme as legislações brasileiras Ato Cotepe 35/2005 e 70/2005, relatórios fiscais requerem layouts de arquivos específicos. Como os formatos de arquivo devem ser gerados usando software de terceiro, foram adicionados campos adicionais ao Microsoft Dynamics AX. Alguns campos foram modificados para acomodar como os impostos são configurados e calculados de acordo com as exigências brasileiras. Os campos Código da situação do imposto, Valor fiscal do ICMS e Valor fiscal de IPI nos formulários Ordem de compra e Ordem de venda foram removidos da linha de itens das ordens, e os novos campos Origem da tributação, Código de tributação e Valor fiscal foram adicionados. As informações sobre valor fiscal que foram previamente usadas somente para o IPI e o ICMS foram estendidas para incluir códigos de impostos adicionais. Você pode especificar o tipo de imposto que requer a configuração do código de tributação e pode definir o código de tributação e informações sobre o valor fiscal individualmente para cada imposto aplicado a cada item. É possível definir também o CFPS (código da operação fiscal de serviços) no nível de cabeçalho das ordens. Informações do livro fiscal De acordo com a lei brasileira, as empresas devem reportar informações sobre as seguintes obrigações fiscais ao Governo brasileiro: Notas fiscais de venda e de compra lançadas Transações de estoque Compra e depreciação de ativos fixos 14 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

15 Informações contábeis Cálculos e informações sobre impostos Informações sobre clientes, fornecedores e itens Essas informações são apresentadas ao governo usando dois tipos de mídia: Papel Existem vários tipos de livros fiscais com conteúdo fiscal, dependendo das informações incluídas no livro. Arquivos Existem vários arquivos eletrônicos que também contêm conteúdo fiscal a ser enviado ao Governo brasileiro. Um software fiscal de terceiro, que inclui o layout de propriedade exigido pelo governo, está disponível para que se possa integrar os livros e arquivos a serem enviados ao Governo brasileiro. Para acomodar as informações adicionadas pelo outro software quanto às exigências fiscais, foram feitas algumas modificações no Microsoft Dynamics AX, por exemplo, o tamanho dos campos foi aumentado para que você possa configurar as informações exigidas pelo relatório fiscal. Recursos descontinuados para o Brasil Estrutura hierárquica de contas Descontinuado, nenhum XPO estará disponível. CST (código da situação do imposto) Descontinuado devido à nova configuração do Ato Cotepe/SPED fiscal. Nenhum XPO estará disponível. Recurso multissite O multissite não está disponível para as empresas brasileiras porque um site não é considerado uma entidade legal e os impostos brasileiros não são aplicados no nível do Brasil. Dimensão da filial De acordo com os regulamentos fiscais brasileiros, as empresas com mais de uma filial podem manter contas descentralizadas ou centralizadas. As empresas que seguem o sistema descentralizado podem consolidar as contas que são mantidas em cada filial e apresentá-las como um único conjunto de contas da empresa. As empresas podem apresentar seus relatórios fiscais por filial. As empresas com filiais que mantêm um sistema de contabilidade centralizado dentro da mesma empresa não podem usar esse sistema. Uma nova dimensão intitulada Filial pode ser adicionada para atender a essa exigência. No Microsoft Dynamics AX 2009, foi adicionado um recurso de site que representa um endereço físico da empresa, que pode ser uma fábrica, um centro de distribuição ou uma filial. O site é vinculado a uma dimensão financeira central, selecionada em todas as dimensões financeiras disponíveis no Microsoft Dynamics AX 2009 (Departamento, Centro de Custos, Finalidade). Entretanto, essa opção só estará disponível quando o recurso multissite estiver ativado. Opcionalmente, é possível adicionar uma nova dimensão para manter as informações sobre a filial, mas se essa dimensão for aplicada, será considerada uma personalização. Observação: o XPO só está disponível para fazer a atualização dos usuários para o Microsoft Dynamics AX UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 15

16 Aumente o nome EDT de 60 para 80 O nome EDT foi aumentado de 60 para 80. Após o aumento ser aplicado, será considerado uma personalização. Observação: o XPO só é fornecido para evitar problemas de atualização para o Microsoft Dynamics AX Aumente o texto da transação EDT de 25 para 60 O texto da transação EDT foi aumentado de 25 para 60. Após o aumento ser aplicado, será considerado uma personalização. Observação: o XPO só é fornecido para evitar problemas de atualização para o Microsoft Dynamics AX China Observação: não há novos parâmetros nem chaves de configuração para a China, e nenhum recurso foi mesclado na camada SYS. Parâmetros novos e modificados para a China A tabela a seguir exibe os parâmetros novos e modificados no Microsoft Dynamics AX 2009 para a China. Nome do recurso Parâmetro Quando foi introduzido Descrição da alteração Consulta de saldo do cliente/fornecedor estendido Consulta de saldo do cliente/fornecedor estendido Microsoft Dynamics AX SP 2 N/A Relatórios jurídicos chineses Relatório jurídico asiático Microsoft Dynamics AX SP 2 O texto da etiqueta foi alterado para Relatório jurídico asiático. Recursos consolidados para a China As descrições a seguir referem-se aos recursos que foram originalmente desenvolvidos para a China e incluídos na camada GLS consolidada do Microsoft Dynamics AX Alguns textos de etiqueta e de ajuda foram alterados devido à consolidação das camadas GLS. Observação: a menos que de outra forma observado, nenhuma alteração foi feita nos recursos anteriores do Microsoft Dynamics AX. Alteração na interface do usuário chinesa O nome e o endereço de uma pessoa devem ser inseridos e exibidos em caracteres chineses de forma específica. Por exemplo, nomes chineses formatados como Sobrenome Nome não possuem nomes do meio e o formato de endereço deve exibir todo o endereço em uma única linha. É possível inserir nomes, endereços e números em caracteres chineses. O uso de símbolos e caracteres chineses especiais também é aceito. Observação: o formato da seqüência de nome introduzido no Microsoft Dynamics AX SP2 foi descontinuado no Microsoft Dynamics AX Você pode definir uma seqüência de nome como Sobrenome - Nome - Nome do meio no diretório, mas somente o sobrenome e o nome serão usados, o nome do meio ficará em branco. 16 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

17 Estrutura da árvore da conta De acordo com as exigências legais chinesas, todas as empresas com fins lucrativos devem exibir as contas em uma estrutura de árvore configurando os níveis, o tamanho e o controle do plano de contas. Todas as empresas com fins lucrativos devem exibir o número da conta e o nome da conta nos diários, em formulários de consulta e em relatórios. É possível usar a estrutura de árvore de conta para configurar o plano de contas de acordo com o CAS (normas chinesas de contabilidade). Sistema de comprovante chinês De acordo com as exigências legais chinesas, é necessário criar um comprovante para todo diário lançado, sendo que devem ser guardados por 15 anos. É possível imprimir um comprovante e também um diário lançado. Você pode usar comprovantes de agendamento para lançar tipos de transações de recebimento, pagamento e transferência. Mostrar débitos e créditos negativos De acordo com o ASBFS (especificação de funções básicas de software de contabilidade) chinês, os campos de valor de débito e de crédito devem ser exibidos em duas colunas separadas, e as entradas revertidas devem ser inseridas em valores negativos e exibidas em vermelho. Várias contas de controle de cliente/fornecedor Na China, deve haver pelo menos quatro contas contábeis de primeiro nível categorizadas para um cliente e um fornecedor. Trata-se de contas de controle. Todas as transações de clientes e fornecedores no diário são lançadas nessas contas. Copiar e reverter um comprovante É possível copiar transações de um comprovante existente e reverter as transações de um comprovante lançado incorretamente. Você pode executar estas duas ações: Copiar as transações de um comprovante lançado para um novo comprovante. Copiar e reverter as transações de um comprovante lançado incorretamente para um novo comprovante. Aprovação de diário Os comprovantes do diário devem ser aprovados por outro usuário antes do lançamento. Você não pode aprovar um diário que você mesmo criou. Fechamento mensal (verificação de validade) As empresas com fins lucrativos só podem ter um período contábil aberto, mas é possível abrir um período depois de ele ter sido fechado para fazer as entradas manuais necessárias nos diários do período. Você pode executar verificações de validade antes de finalizar ou fechar um período contábil. Consultas do diário-razão financeiro As principais consultas do diário-razão financeiro são chamadas de registros de contas. De acordo com o Sistema Contábil Chinês e com o Princípio da Administração de Contas Arquivadas, todos os registros de contas devem ser impressos em determinado formato e devem ser armazenados por 15 dias, com os respectivos comprovantes e relatórios. De acordo com o CBAJS (especificação básica de trabalho contábil chinês), um registro de contas deve ter vínculos com outros registros de contas. UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 17

18 Consulta de saldo do cliente/fornecedor estendido As consultas de saldo de cliente e fornecedor incluem as seguintes alterações: É possível exibir ou ocultar a moeda estrangeira e os subtotais nos layouts do relatório. Você pode detalhar as funções de consulta, por exemplo, do saldo à transação detalhada. O layout do relatório foi alterado. Uma grade foi adicionada à estrutura de tópicos; colunas desnecessárias no relatório anterior foram removidas. Relatórios financeiros De acordo com o CAS, há quatro demonstrativos financeiros principais externos que são usados pelas empresas com fins lucrativos na China: Balanço, Demonstrativo de lucros e perdas, Relatório de impostos e Demonstrativo de fluxo de caixa. Diferentes indústrias usam diferentes layouts para gerar esses demonstrativos financeiros. Observação: o parâmetro Relatórios jurídicos chineses na Contabilidade que foi adicionada ao Microsoft Dynamics AX SP 1 foi alterado no Microsoft Dynamics AX 2009 para Relatórios jurídicos asiáticos, para que o recurso também esteja disponível para instalações no Japão. Reconciliação bancária É necessário efetuar a reconciliação bancária da empresa diária ou semanalmente. Muitos bancos na China fornecem aos clientes relatórios eletrônicos de reconciliação. Você pode importar os demonstrativos bancários eletrônicos para o Microsoft Dynamics AX e concluir a reconciliação bancária de forma manual e automática. Integração com o sistema fiscal É possível selecionar notas fiscais individuais ou notas fiscais em lote para exportar para um único arquivo de saída que seja XML ou texto. Uma nota fiscal pode ser exportada somente uma vez, a menos que seja cancelada. Isso evita a criação de notas fiscais duplicadas e também integra o sistema ERP ao sistema fiscal. Recursos descontinuados Alteração na interface do usuário chinesa, seqüência de nome e formato de endereço Descontinuado, nenhum XPO estará disponível. 18 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

19 Japão Observação: não existem chaves de configuração para o Japão, nenhum recurso foi mesclado na camada SYS e nenhum recurso foi descontinuado. Parâmetros novos e modificados para o Japão A tabela a seguir exibe os parâmetros novos e modificados no Microsoft Dynamics AX 2009 para o Japão. Nome do recurso Parâmetro Quando foi introduzido Descrição da alteração Relatório de imposto de consumo Relatórios de impostos de consumo Microsoft Dynamics AX SP 2 O parâmetro foi movido para a guia Imposto sobre vendas no formulário Parâmetros da contabilidade (Tabela TaxParameters). Demonstrativo financeiro Relatório jurídico asiático Microsoft Dynamics AX SP 2 O texto da etiqueta foi alterado para Relatório jurídico asiático. Nota fiscal consolidada para transações com base em remessas Usar nota fiscal consolidada para transações com base em remessas Microsoft Dynamics AX 2009 O parâmetro é novo no Dynamics AX 2009 e está localizado no formulário Parâmetros de contas a receber. Condição de pagamento e controle da data de vencimento Usar o calendário de feriados Microsoft Dynamics AX 2009 O parâmetro é novo no Dynamics AX 2009 e está localizado no formulário Informações sobre a empresa. Condição de pagamento e controle da data de vencimento Controle da data de vencimento de feriado Microsoft Dynamics AX 2009 O parâmetro é novo no Dynamics AX 2009 e está localizado no formulário Parâmetros de contas a receber. Recursos consolidados para o Japão As descrições a seguir referem-se aos recursos que foram originalmente desenvolvidos para o Japão e incluídos na camada GLS consolidada do Microsoft Dynamics AX Alguns textos de etiqueta e de ajuda foram alterados devido à consolidação das camadas GLS. Observação: a menos que de outra forma observado, nenhuma alteração foi feita nos recursos anteriores do Microsoft Dynamics AX. Era japonesa A Era japonesa representa o nome do imperador reinante com o total de anos de seu reinado e o caractere kanji para o ano, seguido pelo mês e pela data. A data japonesa é exibida no formato AAMMDD. Esse recurso adiciona novas funções globais: date2japaneseera e japaneseerastr2date. UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL 19

20 Importar CEPs Você pode baixar os arquivos de CEP mais recentes do site da autoridade postal japonesa. É possível salvar o arquivo e importar os CEPs para o Microsoft Dynamics AX. Campos Kana Os nomes em Kanji são caracteres japoneses originários de caracteres chineses, e Kana é o guia fonético usado para entender os nomes em Kanji. Você pode definir os campos Kana de nomes em Kanji para empresas, clientes, fornecedores, funcionários e contatos no Microsoft Dynamics AX. Observação: no Microsoft Dynamics AX 2009, os campos Kana também são exibidos no novo formulário Catálogo de endereços global. Formato de banco JBA (Japanese Bankers Association) O formato de banco JBA é usado por muitos bancos no Japão para a EFT (transferência eletrônica de fundos). É possível importar e exportar dados de qualquer banco no Japão que use esse formato. Observação: se você usar o recurso de pagamentos centralizados no Microsoft Dynamics AX 2009, as seguintes restrições são aplicáveis: A importação de arquivo só pode ser efetuada para uma única empresa. Portanto, será criado um único diário de pagamentos. É possível usar as linhas para liquidar transações associadas a várias empresas. Mesmo se as linhas do pagamento em um diário de pagamentos estiverem associadas a várias empresas, o arquivo do banco será exportado de forma que o pagador será a empresa para a qual o diário de pagamentos está sendo criado. Permitir somente valor de débito e crédito positivo Você pode restringir a entrada de valores negativos e permitir somente valores de débito e crédito positivos no Diário geral. Comprovante de diário de conta T É possível inserir valores de crédito e de débito no diário de conta T em uma única linha. Pode haver diferentes linhas de débito e de crédito para uma mesma transação. O formato do diário de conta T só é ativado para o Diário geral. Endosso da LDC de clientes para pagamento a um fornecedor Você pode usar LDCs (letras de câmbio) de um cliente para fazer pagamentos de bens e serviços a um fornecedor. Relatório de imposto de consumo A autoridade fiscal japonesa requer que todas as empresas arquivem um relatório de imposto de consumo, que consiste em um formulário oficial de imposto de consumo e em uma planilha. É possível imprimir o formulário de imposto oficial e usar a planilha de cálculo para calcular os valores exigidos no formulário de imposto oficial. Observação: para ativar esse recurso no Microsoft Dynamics AX 2009, marque a caixa de seleção Relatórios de imposto de consumo na guia Imposto sobre vendas no formulário Parâmetros da contabilidade. Esse parâmetro foi adicionado à guia Geral no Microsoft Dynamics AX SP2, mas agora foi movido para a guia Imposto sobre vendas. 20 UMA ÚNICA INSTÂNCIA MUNDIAL

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Material de Apoio SEB - Contas a Pagar Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Conteúdo CONFIGURAÇÃO... 3 Cadastro de Fornecedores... 3 Métodos de Pagamento...

Leia mais

Manual do Módulo. MerchNotas

Manual do Módulo. MerchNotas Manual do Módulo MerchNotas Bento Gonçalves (RS), Agosto de 2010 Índice 1. Introdução... 4 2. Menu Entrada de Notas... 5 2.1. Entrada de Notas (F11)... 5 2.2. Entrada de Notas NFe (F12)... 8 2.3. Apuração

Leia mais

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável SisGEF DISTRIBUIDOR DE MEDICAMENTO Roteiro de Implantação Cliente: Data Início: Nº 01ª Parte Dados Gerais, Segurança e Outros Menu Data Responsável 01 Instalação do Sistema e Identificação da Estação PCM

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Í n d i c e Julho, 2010 Introdução... 2 1. Acerto dos cadastros de Clientes e de Produtos... 4 1.1. Cadastros Básicos - Cadastro de Clientes... 4 1.2. Cadastros Básicos Cadastro

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 1 ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 5. CADASTRO OPERAÇÕES FISCAIS (CFOP)...7 6. GERAR SINTEGRA...8 7. CONTROLE DE

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP 1. Certificado Digital - Antes de mais nada você precisa possuir um certificado digital

Leia mais

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF)

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF) 1 Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão SEM Impressora de cupom fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa...3 2. Configurações dos Parâmetros......3 3. Cadastro de cliente...4

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira.

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira. AUDITORIA FINANCEIRA Processo de uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Contas a Pagar 2

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Contas a Pagar 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável 01 Configuração do Sistema Todas as Máquinas:

Cliente: Processos. Nº 02ª Parte Configuração Geral Menu Data Responsável 01 Configuração do Sistema Todas as Máquinas: SisGEF FÁBRICA COMERCIAL Roteiro de Implantação Cliente: Data Início: Nº 01ª Parte Dados Gerais, Segurança e Outros Menu Data Responsável 01 Instalação do Sistema PCM Sistemas 02 Cadastro e Identificação

Leia mais

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração... Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...3 2.1.2.Contabilização de Notas Fiscais...4 2.1.3.Agrupamento...4

Leia mais

Roteiro de Cadastros - GESTOR

Roteiro de Cadastros - GESTOR Página1 INDICE 1. MODULO EMPRESA 1.1. CADASTRO DE USUARIO --------------------------------------------------------------------- 4 1.2. CADASTRO DA EMPRESA --------------------------------------------------------------------

Leia mais

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL TREINAMENTO Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares para

Leia mais

Manual do sistema Hiper

Manual do sistema Hiper Manual do sistema Hiper Versão 2.4 Data da última atualização 30/04/2012 1 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS... 6 LISTA DE Siglas... 10 Primeiros passos... 11 Configurando as conexões com o banco de dados... 11

Leia mais

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE CADASTROS 2 CADASTROS Tabela de Conteúdo Cadastro de Clientes 4 Cadastro de Produtos 5 1 Cadastro... de Produtos Básico 5 2 Cadastro... de Produtos Básico + Grade de Produtos 7 3 Cadastro... de Produtos

Leia mais

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12 IMPORTAÇÃO DE NF-E (ENTRADA) SUMÁRIO Importação de Notas pelo Arquivo XML... 2 Parametrização dos Produtos... 4 Parametrização de Código de Situação Tributária (CST)... 5 CST de ICMS... 5 CST de IPI...

Leia mais

1. Controle de exercício

1. Controle de exercício 1 1. Controle de exercício Para realizar lançamentos e emitir relatório o módulo Contabil obriga a criação de exercícios, que na verdade representam os anos de atividade da empresa. Confira algumas dicas

Leia mais

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076 Gestor Empresarial - Financeiro Release Versão 1.076 Maio/2013 Produto : AeroSoft Gestor Empresarial - Financeiro Versão : v1.076 Data Liberação : 21/04/2013 A seguir são apresentadas as novas funções

Leia mais

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos:

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos: A sua Solução de Gestão Empresarial O Precision é a solução de Gestão Empresarial de baixo custo que a Maggiore Sistemas disponibiliza para pequenas e médias empresas. Desenvolvido e comercializado em

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Evolution Folha de Pagamento Cálculo automático de INSS, IRRF, FGTS, Controle de período aquisitivo de férias e faltas não insalubridade, periculosidade, pensão alimentícia,

Leia mais

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0 1 REA Relatório Explicativo de Alterações SSPlus (8.0) Autor : Alana Trindade Criado em 08/09/2015 Impresso Arquivo REA Relatório Explicativo de Alterações Versão 8.0.114 a 2 CONTEÚDO COMPRAS...5 81872

Leia mais

MÓDULO COMERCIAL. OBJETIVO: Feito para gerenciar entrada e saída de notas, caixa, estoque. SAÍDAS clique na aba que deseja cadastrar ou

MÓDULO COMERCIAL. OBJETIVO: Feito para gerenciar entrada e saída de notas, caixa, estoque. SAÍDAS clique na aba que deseja cadastrar ou MÓDULO COMERCIAL OBJETIVO: Feito para gerenciar entrada e saída de notas, caixa, estoque. SAÍDAS clique na aba que deseja cadastrar ou consultar. Em Devolução de Compras, usado para realizar uma devolução

Leia mais

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New 1 Roteiro passo a passo Módulo Vendas Balcão Sistema Gestor New Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão com uso de Impressora fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa......3

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Roteiro passo a passo Módulo Faturamento Sistema Gestor New Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New 1 INDICE

Leia mais

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New INDICE 1 1. CADASTRO DE USUÁRIOS...1 2. MODULO EMPRESA...4 2.1. Cadastro da Empresa...4 2.2. Parâmetros da Empresa...4 3. MÓDULO

Leia mais

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software NeXT ERP Manual do usuário Resumo das principais funcionalidades Dezembro/2009 NeXT Software Página 1 de 33 Índice Iniciando NeXT ERP...3 Tela inicial...3 Interface padrão do NeXT ERP...3 Interface - Cadastro

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014)

MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014) MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014) www.tiranota.com.br para empresas optantes do SIMPLES NACIONAL By Luiz Resende www.acontabilidade.com.br LEGENDA Algumas siglas usadas neste manual NFE = Nota

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 15 Layout 18 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

Configuração Empresa/Filial

Configuração Empresa/Filial Configuração Empresa/Filial Para definir as configurações (Parâmetros) de cada empresa ou filial cadastrada no sistema, proceda da seguinte forma: Acesse o módulo Administrativo. Clique no menu Cadastros

Leia mais

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015 Neste bip Configuração para Contabilização Automática... 1 Vale Transporte... 2 Como Programar Reajuste Salarial... 3 Contabilização da Folha... 4 Configuração para Contabilização Automática O cadastro

Leia mais

Ser referência de excelência nas soluções de consultoria e desenvolvimento de sistemas de informação, superando as expectativas dos clientes.

Ser referência de excelência nas soluções de consultoria e desenvolvimento de sistemas de informação, superando as expectativas dos clientes. DOMPER CONSULTORIA E SISTEMAS LTDA Rua Dr. Flores, 273 Sala 30-1 andar Ed. Frozzi CEP: 95.200-000 - Vacaria RS Fone (54) 3232-6119 / (54) 3232-8484 / (54) 3232-1471 CNPJ: 08.020.035/0001-02 IE: 154/0101158

Leia mais

Microsoft Dynamics Treinamento SPED (Sistema Público de Escrituração Digital)

Microsoft Dynamics Treinamento SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) Microsoft Dynamics Treinamento SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) Training Materials for Microsoft Dynamics Your use of this content is subject to your current services agreement índice INTRODUÇÃO

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e SELECIONE A EMPRESA EMISSORA DA NFE CLIQUE EM INICIAR TELA DE AVISOS FAÇA A LEITURA DOS AVISOS E CLIQUE EM FECHAR EMISSÃO DA NOTA FISCAL

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA Sistema Nota Fiscal Eletrônica Sil Tecnologia LTDA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1. CONHECENDO OS COMANDOS DO SISTEMA 5 1.1 Tela Inicial do Sistema 5 1.2 Navegador de registros 6 1.3 Filtro de Registros 6 2. TELA

Leia mais

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014 Neste bip Como converter o arquivo CAGED para acerto... 1 Novo modo de alterar senha de operador... 2 Novo recurso no lançamento [+ planilha]... 2 13 parcela final e SEFIP... 3 Como converter o arquivo

Leia mais

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br PARÂMETROS DE LANÇAMENTOS PARAMETRIZAÅÇO PARA O MÉDULO LANÅAMENTOS NO SISTEMA ARQUIVO > LANÅAMENTOS > PARÑMETROS E CONFIGURAÅÖES PREENCHIMENTO DAS GUIAS: 1. GUIA IMPOSTOS: a) Contas relacionadas à apuração

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

Ello Master & Ello Gerencial PRINCIPAIS RECURSOS

Ello Master & Ello Gerencial PRINCIPAIS RECURSOS Recursos Ello & Ello PRINCIPAIS RECURSOS SPED Compra Legal Sintegra Consulta preço Consignação Controle de entregas Pedido a fornecedor Ordem de produção (produtos produzidos/indústria) Entradas simplificada

Leia mais

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Página 1 de 9 Este é um dos principais módulos do SIGLA Digital. Utilizado para dar entrada de produtos no estoque, essa ferramenta segue a seguinte

Leia mais

Neste bip. Férias Coletivas. Você Sabia? Edição 53 Janeiro de 2015

Neste bip. Férias Coletivas. Você Sabia? Edição 53 Janeiro de 2015 Neste bip Férias Coletivas... 1 Configurar Tarefas Automáticas... 2 Pedido de Rescisão e Interrupção do Aviso Prévio... 3 Cadastro NIS em Lote... 3 Erro ao Gerar a Depreciação de Um Período... 5 Férias

Leia mais

Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis

Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis Módulo Cadastro SIGLA Digital Relação de Controles de Acesso Página 1 de 22 Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis Agenda Telefônica Cadastro simplificado de telefones. Tem

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Esclarecimentos Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Afim de sanar as dúvidas mais frequentes e possíveis diferenças de valores ou informações no relatório de Apuração de ICMS do sistema

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Adicionais. Grupo Acert - 1

Adicionais. Grupo Acert - 1 MÓDULOS Adicionais Grupo Acert - 1 ÍNDICE 1 - ESTOQUE 1.1- Balanço de Estoque 03 2 - FATURAMENTO/FINANCEIRO 2.1- Pagamento Eletrônico (Fornecedores) 2.2- Plug-in Cheque Custódia 06 07 3 - FISCAL e CONTÁBIL

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

ÍNDICE. 3 FATURAMENTO v5681 - RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. Todos Direitos Reservados.

ÍNDICE. 3 FATURAMENTO v5681 - RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. Todos Direitos Reservados. FATURAMENTO RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo. Este

Leia mais

ISSWEB Contribuintes de Outro Município FIORILLI SOFTWARE

ISSWEB Contribuintes de Outro Município FIORILLI SOFTWARE Manual do Sistema de ISS ISSWEB Contribuintes de Outro Município FIORILLI SOFTWARE Manual do Sistema de ISS 1 CONTEÚDO 1. Menu Contribuintes 1.1 Página Inicial... 2 1.2 Dados Gerais... 2 1.3 Trocar Contribuinte...

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS...

1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS... Lista de CFOP's Sumário: 1. Lista de CFOP s... 3 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO... 3 2.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DE OUTROS ESTADOS... 7 3.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

Índice ...48...48. Módulo Empresa... Módulo Fiscal... ...8...8. Módulo Folha...28. Módulo Contabil... Integração Contabil...62...

Índice ...48...48. Módulo Empresa... Módulo Fiscal... ...8...8. Módulo Folha...28. Módulo Contabil... Integração Contabil...62... 1 2 Índice Módulo Empresa......4...4 Módulo Fiscal......8...8 Módulo Folha......28 Módulo Contabil......48...48 Integração Contabil......62...62 3 4 5 1. Cadastro de empresa Antes de iniciar os trabalhos

Leia mais

Acesso do sistema. Para acessar o sistema, basta dar dois cliques neste ícone ou ir pelo menu Iniciar, como mostra na figura abaixo.

Acesso do sistema. Para acessar o sistema, basta dar dois cliques neste ícone ou ir pelo menu Iniciar, como mostra na figura abaixo. Manual do usuário Acesso do sistema Página 1 Veja que em sua área de trabalho irá aparecer o ícone do Sistema. Para acessar o sistema, basta dar dois cliques neste ícone ou ir pelo menu Iniciar, como mostra

Leia mais

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY A DEAK Sistemas define como Treinamentos Básicos In Company a apresentação dos diversos módulos que compõem o ERP aos usuários. O Objetivo é apresentar cada módulo do ERP através de suas telas, campos

Leia mais

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco.

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. Sistema integrado para emissão de nota fiscal eletronica NF-e Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. OmegaBYTE Informática Fones (51) 37375070 (51)

Leia mais

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco.

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. Sistema integrado para emissão de nota fiscal eletronica NF-e Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. OmegaBYTE Informática Fones (11) 4458-0022 (11)

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Inscrição 1

2013 GVDASA Sistemas Inscrição 1 2013 GVDASA Sistemas Inscrição 1 2013 GVDASA Sistemas Inscrição 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido)

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Parametrizar a empresa como Lucro Presumido. 1 - Regime de Competência Qual o Regime de apuração adotado? 2 - Regime de Caixa Qual será a forma

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?...

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... 4 COMO CONFIGURAR O CNAB... 5 CADASTRO DE BANCOS... 5 PARAMETROS DO CNAB...

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Entrada. Decimais. Fornecedor DIEF DIEF Página: /0 do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial Final Valor Fixo "N" de Nota (...) Constante "00000" Sistema (...) Valor Fixo "" 9 0 4 4 0 4 4 0 44 44 4 46 4 4

Leia mais

Manual Operacional Versão 2.2

Manual Operacional Versão 2.2 1 Manual Operacional Versão 2.2 2 SUMÁRIO 1) Assistente de configuração 4 2) Módulo Geral 9 2.1) Administradora 9 2.2) Empresa 9 2.3) Grupo de Empresa 12 2.4) Responsável 13 2.5) CEP 13 2.6) Configurações

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais.

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais. Página: / do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial das Notas Fiscais Final das Notas Fiscais Valor Fixo "N" da Nota Constante "00000" Sistema Valor Fixo "" 0 0 0 6

Leia mais

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 - COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 - Compra

Leia mais

Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g

Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g Esta listagem apresenta as operações de acesso de acordo com o módulo do Trade Solution onde elas causam impacto. Se a operação

Leia mais

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 O sistema T-Car-Win está sendo atualizado para a versão 1.15.5. Esta versão tem o objetivo de agregar as seguintes funcionalidades ao sistema: Possibilidade

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 2013 GVDASA Sistemas Caixa AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Movimentação de Contas Sumário 1 MOVIMENTAÇÃO DE CONTAS...3 2 CONTAS A RECEBER...8 2.1 Lançamento Contas a Receber...9 2.2 Baixa Contas a Receber...11 3 CONTAS A PAGAR...13

Leia mais

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação

Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação Tabela de CFOP - Código Fiscal de Operações e Prestação 1.000 - ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 - COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1.101 - Compra

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS

NORMAS E PROCEDIMENTOS 1. DESCRIÇÃO DO SERVIÇO Instruções para preenchimento da Declaração de Operações Tributáveis - DOT que deverá ser entregue pela internet, com transmissão pelo programa Transmissão Eletrônica de Documentos

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR!

Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR! Já Pensou em um Sistema de Gestão? Então Pense no GESTOR! Conheça as vantagens de ter o sistema Gestor, como sua melhor ferramenta de trabalho! Clique sobre a imagem para mais detalhes Para mais detalhes

Leia mais

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática 1 A Rotina de lançamento de Notas Fiscais de Serviço foi alterada, agora os

Leia mais

!!!!!!!!!! NF-e. Manual do Usuário

!!!!!!!!!! NF-e. Manual do Usuário NF-e Manual do Usuário ÍNDICE CADASTROS NECESSÁRIOS PARA EMISSÃO DE NFE... 3 CADASTRO DE PRODUTOS... 3 CFOP... 5 PERFIL TRIBUTÁRIO... 7 CADASTRO DE CLIENTES... 9 CADASTRO DE FORNECEDOR... 10 CADASTRO DE

Leia mais

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil.

Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Página 1 de 17 Layout 19 Através deste layout, você poderá gerar arquivos para serem importados nos Módulos Contabilidade e Escrita Fiscal do Domínio Contábil. Faça isto 1. O arquivo está dividido em 3

Leia mais

THOTAU Sistema Integrado de Gestão Empresarial Funcionalidades Disponíveis Essencial Profissional Empresarial Completo Controle de Pessoas X X X X

THOTAU Sistema Integrado de Gestão Empresarial Funcionalidades Disponíveis Essencial Profissional Empresarial Completo Controle de Pessoas X X X X Controle de Pessoas --- Cadastro de Usuários do Sistema --- Cadastro de Funcionários, Vendedores e Terceiros --- Cadastro de Clientes, Fornecedores, Representantes e Transportadores --- Classificações

Leia mais

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk 1 Conteúdo Introdução:... 3 CAMINHO:... 4 Inclusão e inicio do PEDIDO DE VENDAS... 5 DETALHES

Leia mais

Manual do Processo de Controladoria

Manual do Processo de Controladoria Manual do Processo de Controladoria Apresentação MV Sumário Processo de Controladoria 5 Leia-me primeiro... 5 Contas a Pagar -... Provisionamento 7 Validar Dados da Nota Fiscal... 11 Registro no Contas

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

Guia do Sistema de ISS - Contribuintes Nota Avulsa

Guia do Sistema de ISS - Contribuintes Nota Avulsa Manual do Sistema de ISS 1 Guia do Sistema de ISS - Contribuintes Nota Avulsa Na página inicial do sistema de ISSWEB são apresentados quatro menus: Início, Acesso ao Sistema, Credenciamento e Consultas.

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

Faturamento Finanças Controle de Crédito Sintegra Cobrança Eletrônica. Clientes / Fornecedores Comercial Expedição Estoque Compras

Faturamento Finanças Controle de Crédito Sintegra Cobrança Eletrônica. Clientes / Fornecedores Comercial Expedição Estoque Compras MÓDULO Básico ÍNDICE Clientes / Fornecedores Comercial Expedição Estoque Compras 03 04 05 06 07 Faturamento Finanças Controle de Crédito Sintegra Cobrança Eletrônica 08 09 10 10 11 Esta apresentação exemplifica

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05 1 Apresentação O presente manual tem o objetivo de apresentar o sistema Fortes Compras e Estoque, instruindo o usuário sobre as funcionalidades do sistema, seus benefícios e especificidades. Nele pode

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital Página 1 de 15 Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital O cadastro de produtos permite organizar as informações relativas a produtos e serviços, como grupo, marca, peso, unidades e outros, que

Leia mais

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais...

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais... Sumário UNICO...... 3 Cadastros... 4 Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5 Produtos...... 6 Serviços...... 6 Outros...... 6 Vendas... 7 Notas Fiscais... 7 Estoque...8 Financeiro......

Leia mais

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços

1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES - CFOP - SAÍDA Sumário 1. Introdução 2. Grupos 3. CFOP Das Saídas de Mercadorias, Bens ou Prestações de Serviços 1. INTRODUÇÃO Neste trabalho, dando continuidade

Leia mais

Síntese de fluxo de máquinas e implementos

Síntese de fluxo de máquinas e implementos Síntese de fluxo de máquinas e implementos Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Objetivo... 3 Parâmetros para utilização do processo... 3 Cadastro

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais