FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software"

Transcrição

1 FAPS: Ferramenta para apoiar Avaliações Integradas de Processos de Software Marcello Thiry 1 2, Christiane Gresse von Wangenheim 1 2, Alessandra Zoucas 12, Leonardo Reis Tristão 1 1 (II-MPS.BR) Incremental Tecnologia em Informática Ltda. Caixa Postal 7009 CEP Florianópolis, SC Brasil 2 Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI ) Centro de Educação São José São José SC Brazil {marcello.thiry, gresse, alessandra.zoucas, Resumo. Este trabalho apresenta uma ferramenta para apoiar uma avaliação integrada de processos de software que reúne os requisitos de modelos e normas de referência reconhecidos nacional e internacionalmente como os modelos MPS.BR, CMMI e a norma ISO/IEC em um único processo de avaliação. A ferramenta desenvolvida quando aplicada deve permitir que uma organização realize uma avaliação alinhada com os requisitos de todos os modelos e norma supracitados simultaneamente. 1. Introdução O mercado de software tem buscado definir e manter seus processos para desenvolver sistemas com mais qualidade [CURTIS, 2000]. Assim, espera-se que o produto correto seja desenvolvido, mantendo os prazos estabelecidos, orçamentos confiáveis, e desta forma, obter um diferencial com maior produtividade e competitividade. Visando estabelecer uma forma de alcançar esta meta, foram desenvolvidas abordagens para apoiar a melhoria dos processos de desenvolvimento de software como, por exemplo, a realização de um programa de melhoria. Programas de melhoria visam implementar boas práticas definidas em normas e modelos de referência. Dentre elas, pode-se citar os modelos de referência MPS.BR [SOFTEX, 2007a] e CMMI [SEI, 2006a], além da norma ISO/IEC [ ]. Muitas vezes, no início, durante e no final de um programa de melhoria são executadas seções de avaliação de conformidade dos processos de software da unidade organizacional foco da melhoria, também chamadas de GAP analysis. Estas seções de avaliação buscam identificar e registrar a capacidade atual dos processos em relação a um modelo de referência. Desta forma, é possível verificar não apenas a aderência da organização em relação a um modelo ou norma, mas a evolução de sua melhoria, salientando pontos fortes e fracos para orientar a continuação do trabalho de implementação. Tipicamente, estas avaliações analisam a implementação dos processos em conformidade a apenas uma norma ou modelo de referência. Visando executar um processo de avaliação que atenda modelos reconhecidos nacionalmente e internacionalmente em paralelo, foi desenvolvido o MARES-INT [WANGENHEIM et al, 2005], o qual é um modelo de avaliação, contendo diretrizes para a aplicação e

2 adaptação na prática, que integra os modelos de referência do CMMI, ISO/IEC e o MR-MPS. Além disso, o MARES-INT também estabelece um método de avaliação com guias de adaptação que pode ser utilizado para a melhoria de processo no contexto de diferentes tipos de avaliação (avaliação de contextualização e/ou avaliação detalhada), em empresas de diferentes portes e em conformidade com os requisitos de uma avaliação alinhada e satisfazendo os requisitos de métodos de avaliação como o CMMI (ARC) V1.2 [SEI, 2006b], com a ISO/IEC e com o MA-MPS [SOFTEX, 2007b]. O uso adequado do MARES-INT possibilita realizar avaliação de processos de forma integrada podendo reduzir seu esforço e duração e aumentar valor dos resultados. 2. Avaliação Integrada Geralmente, durante a execução de um processo de avaliação de conformidade, há um esforço relevante com a gerência de documentos, tanto na fase preparatória, de coleta de dados, como na documentação dos resultados. Ocorre que muitos dados são utilizados em mais de um documento, contendo informações interrelacionadas, que tipicamente são redigitadas. Em uma avaliação integrada o volume destas informações aumenta consideravelmente. Portanto, é relevante o desenvolvimento de trabalhos que venham apoiar a gerência dos documentos relacionados consumidos ou produzidos durante uma avaliação e que semi-automatize procedimentos quando possível. Atualmente, não existe uma ferramenta que suporte uma avaliação alinhada ao MPS.BR e a outro modelo de referência simultaneamente. Logo, uma ferramenta que tenha um mecanismo de avaliação integrada e que suporte o trabalho das equipes de avaliação pode contribuir para a agilidade e gerenciamento e processo de tomada de decisão. Uma ferramenta alinhada com mais de um modelo de referência permitirá a realização de avaliações integradas, onde os artefatos coletados na fase preparatória de uma avaliação poderão ser reutilizados para evidenciar a execução de práticas de um segundo e terceiro modelo de referência, sem a necessidade de serem coletados novamente. Isto oferecerá maior flexibilidade e abrangência para a equipe de avaliação. Esta ferramenta também poderá apoiar o trabalho de uma equipe de avaliação na condução de avaliações recorrentes em uma mesma unidade organizacional, onde os artefatos coletados para a primeira avaliação de um determinado projeto ficarão armazenados no banco de dados da ferramenta e não precisarão ser coletados novamente para a realização de avaliações futuras. Além de apoiar a equipe avaliadora, a ferramenta permitirá também que a própria organização possa realizar avaliações periodicamente e orientar seu processo de melhoria. Também é esperado que com a ferramenta adequada, uma equipe de avaliação possa ser composta por avaliadores com menos experiência e ainda assim, obter resultados relevantes. Além disso, o suporte computacional oferecerá um controle histórico mais detalhado da seqüência de avaliações, permitindo um acompanhamento efetivo no processo de melhoria de uma determinada empresa.

3 3. A Ferramenta FAPS Uma ferramenta para apoiar a avaliação integrada de processos de software foi desenvolvida pela equipe do LQPS (Laboratório de Qualidade de Software) da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí) em cooperação com a II-MPS.BR Incremental Tecnologia Ltda. A ferramenta FAPS (Ferramenta de Avaliação de Processos de Software) foi desenvolvida considerando o método de avaliação MA-MPS, os requisitos estabelecidos no CMMI-ARC e na parte 2 da ISO/IEC Desta forma, a avaliação integrada suporta os modelos MPS.BR, CMMI e norma ISO/IEC 15504, respectivamente. O modelo CMMI e a norma ISO/IEC15504 foram considerados pelo seu reconhecimento internacional. O modelo MPS.BR foi também considerado porque além de ter sido desenvolvido de forma compatível ao modelo e norma supracitados é nacionalmente reconhecido e está também alinhado à realidade das MPEs (Micro e Pequenas Empresas) de software brasileiras. Com o uso da FAPS, é possível obter, de modo semi-automático, a conformidade de uma avaliação realizada com base na norma ou modelo escolhido em relação a outro modelo. Também, é possível ter apoio no gerenciamento dos documentos utilizados durante uma avaliação e auxílio para avaliações recorrentes em uma mesma unidade organizacional. A ferramenta FAPS permite a reutilização de evidências coletadas e de resultados da avaliação de um dos modelos e norma suportados pela ferramenta. Após uma avaliação, a FAPS permite que um controle histórico da seqüência de avaliações de uma mesma unidade organizacional seja armazenado. Isto auxilia a manter baselines do processo, que posteriormente podem vir a ser comparadas estabelecendo um parâmetro de quanto de melhoria os processos de software adquiriram com o trabalho de implementação. A FAPS permite que somente usuários cadastrados façam login no sistema e que apenas os avaliadores de uma determinada avaliação tenham acesso aos dados da avaliação conduzida por eles. Portanto, a FAPS gerencia o acesso à sua base de dados permitindo que sejam definidos perfis e privilégios. A FAPS disponibiliza um cadastro para empresas, unidades organizacionais, projetos, equipes de avaliadores e ainda as avaliações em si. A figura 1 apresentada a seguir ilustra uma visão geral da FAPS.

4 Figura 1: FAPS visão geral Após efetuar os cadastros mencionados anteriormente (preparação inicial), a unidade organizacional pode iniciar o cadastramento das evidências. Na figura 2, podese visualizar 4 evidências cadastradas para o resultado GPR17 do processo Gerência de Projetos do MPS.BR. Neste exemplo, está sendo considerado o nível G de maturidade. Os processos com seus respectivos resultados são apresentados na parte esquerda da tela, assim como os atributos de processo também com seus resultados. O usuário pode selecionar qualquer resultado para visualizar as evidências a ele relacionadas. Na parte superior da tela, é apresentado o resultado selecionado com seu detalhamento. A estrutura central é similar àquela encontrada nas planilhas de avaliação do MA-MPS e do SCAMPI. Além da coluna para descrever a evidência, existem colunas para indicar o tipo de evidência (direta, indireta ou afirmação) e a fonte da evidência. Depois, pode-se verificar a existência da coluna organizacional e uma coluna para cada projeto cadastrado (o número de projetos pode ser variável). As evidências cadastradas são também armazenadas em um repositório (lateral direita da tela), permitindo sua reutilização em outros resultados. Durante a avaliação apoiada pela FAPS, é possível alterar a cor das colunas organizacional e projetos. A cor branca significa que a evidência ainda não foi avaliada, a cor verde indica que a evidência foi julgada adequada, a cor amarela indica alguma fraqueza na evidência e a cor vermelha é usada para indicar que a evidência não está adequada. A figura 2 mostra como as cores podem ser alteradas em cada célula da planilha. Na parte inferior da tela, é possível visualizar duas áreas distintas. No lado esquerdo, é possível armazenar os achados (pontos fortes, fracos e oportunidades de melhoria). Além destes relacionados com os resultados, a FAPS permite ainda cadastrar achados sobre o modelo/norma ou sobre aspectos gerais da organização. No lado direito, há uma legenda com a indicação das cores, com os nomes dos projetos associados a P1,

5 P2, etc. No cadastro de um projeto, é possível indicar se ele está concluído ou não. Esta informação é mostrada aqui ao lado da sigla do projeto. A legenda também inclui a descrição das siglas utilizadas nas fontes das evidências. Figura 2: Tela de evidências e avaliação (exemplo com o resultado esperado GPR17 do MPS.BR) Para auxiliar a edição das evidências, é possível também selecionar múltiplas evidências para exclusão. Este recurso é usado tipicamente após uma avaliação inicial no caso do MA-MPS ou em uma avaliação de readiness no caso do SCAMPI. Dando seqüência ao processo de avaliação, a equipe de avaliadores pode registrar também na FAPS a caracterização de cada resultado e processo sendo avaliado. Este registro é apresentado a seguir na figura 3 que mostra a tela de caracterização de processo.

6 Figura 3:Tela de caracterização de processo. A FAPS também possibilita que o usuário faça consultas combinadas entre avaliadores cadastrados, avaliações já conduzidas e planejadas, empresas, projetos e unidades organizacionais cadastradas e ou avaliadas. O resultado parcial ou final de uma avaliação pode ser visualizado a qualquer momento por meio da opção Resumo da Avaliação. Apesar do exemplo aqui apresentado ser referente ao modelo MR-MPS, é possível também criar uma avaliação CMMI ou ISO/IEC Uma vez que a FAPS permite editar os perfis de capacidade de processo, é possível ainda utilizar uma avaliação com representação contínua. Ou seja, os avaliadores podem selecionar os processos que desejam avaliar, bem como o grau de capacidade esperado em cada processo. Além das funcionalidades apresentadas anteriormente, a FAPS disponibiliza o conteúdo dos modelos de referência MR-MPS e CMMI e da norma ISSO/IEC Também gera relatórios em formato Adobe PDF com os dados da avaliação como, por exemplo, nome da empresa, unidade organizacional, projetos avaliados, método de avaliação escolhido, equipe de avaliação, bem como data e resultado da avaliação. Um segundo relatório também pode gerado contendo as evidências de cada resultado esperado, e de todos os processos do nível de maturidade que está sendo avaliado. 4. Próximos passos Embora a infra-estrutura para a avaliação integrada já faça parte da FAPS, falta ainda desenvolver o módulo que apresente os resultados nos diferentes modelos e norma. Atualmente, isso só é possível por acesso direto aos dados da ferramenta. Um relatório que apresenta o resultado integrado está em desenvolvimento. Outra funcionalidade prevista é a preparação da apresentação dos resultados da avaliação, incluindo a caracterização dos processos, pontos fortes, pontos fracos e

7 oportunidades de melhoria diretamente pela ferramenta ou via relatório. Desta forma, o avaliador líder não precisará repassar as informações para uma apresentação específica, utilizando diretamente a FAPS. A validação das funcionalidades da ferramenta FAPS está sendo iniciada com aplicações práticas de avaliação executadas pelas equipes do LQPS e da Incremental Tecnologia para apoiar avaliações de conformidade com os modelos MPS.BR, CMMI e com a norma ISO/IEC 15504, com a geração de resultados de avaliações integradas. A ferramenta FAPS foi construída com uma concepção stand-alone, não havendo a necessidade de estar conectada à rede. Embora este requisito seja relevante para permitir que os avaliadores possam realizar avaliações em qualquer lugar, sem a necessidade de acessar a rede da organização avaliada, os resultados das avaliações acabam ficando espalhados, dificultando a análise de resultados históricos. O registro histórico permite o acompanhamento efetivo sobre a evolução dos processos, oferecendo indicadores de melhoria da organização. Neste sentido, estamos elaborando um novo projeto busca construir uma infra-estrutura computacional para reunir todos os resultados das avaliações realizadas e disponibilizar as informações via um portal Web da organização. O objetivo não é somente oferecer a centralização das informações, mas criar um ambiente com indicadores de melhoria que possam ser utilizados para apoiar a medição efetiva da melhoria. 5. Conclusão A ferramenta desenvolvida é significativa no contexto de MPEs brasileiras, oferecendo suporte para a realização de avaliação de processos de software e avaliações integradas. Ela permite que as avaliações sejam executadas de forma mais adequada, flexível e abrangente. A ferramenta desenvolvida tem como foco apoiar a organização das atividades de avaliação de processos de software, gerenciar os documentos gerados no processo de avaliação de processos de software, facilitando o trabalho dos avaliadores. O objetivo do desenvolvimento da FAPS não foi apenas apoiar equipes de avaliação, mas também equipes de implementadores, uma vez que, durante a implementação de um programa de melhoria é fundamental o acompanhamento da evolução da organização em relação à aderência dos processos que estão sendo implementados. Desta forma, os implementadores poderão identificar novas ações de melhoria a partir de informações quantitativas. Um piloto de avaliação com o apoio da ferramenta foi conduzido pela equipe da Incremental nas dependências do LQPS e os resultados iniciais foram satisfatórios. Embora a validação da ferramenta esteja no início, já é possível identificar uma tendência de adequação para apoiar a condução de avaliações de processos de software. Vale ressaltar que a FAPS também foi desenvolvida para ser usada pela unidade organizacional em avaliação, uma vez ela permite o cadastramento prévio de todas as evidências e links. A metáfora para este cadastramento foram as planilhas dos métodos SCAMPI [SEI, 2006c] e MA-MPS [SOFTEX, 2007b]. Com a divulgação e disponibilização desta ferramenta é esperado que as atividades do processo de avaliação demandem menos esforço da equipe de avaliação. Também se espera que a própria organização consiga realizar avaliações periódicas na

8 unidade organizacional foco da melhoria de processos de software, para nortear seu processo de melhoria. Utilizada adequadamente, a FAPS poderá colaborar com o aumento da aplicabilidade dos modelos MPS.BR e CMMI e da norma ISO também em MPEs de software contribuindo para o aumento da competitividade das MPEs de software brasileiras no mercado nacional e internacional. 6. Referências CURTIS, B. The global pursuit of process maturity. IEEE Software, jul./ago ISO/IEC ( ). ISO/IEC 15504: Information Technology Process Assessment. Part 1 to Part 5. ISO/IEC International Standard. SOFTWARE ENGENEERING INSTITUTE (SEI) CMMI for Development, Version 1.2, CMMI-DEV v1.2, CMU/SEI 2006-TR-008, Technical Report, Software Engineering Institute, August 2006a, Disponível em: 008.pdf SOFTWARE ENGENEERING INSTITUTE (SEI). Appraisal Requirements for CMMI, Version 1.2 (ARC, V1.2). Software Engeneering Institute, Carnegie Mellon University, Pittisburg, Pennsylvania, 2006b. SOFTWARE ENGENEERING INSTITUTE (SEI). Standard CMMI Appraisal Methos for Process Improvement (SCAMPI[SM]) A, Version 1.2: Method Definition Document. Software Engeneering Institute, Carnegie Mellon University, Pittisburg, Pennsylvania, 2006c. SOFTEX (2007a) MPS.BR - Guia Geral, versão 1.2, Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX). Junho, Disponível em: SOFTEX (2007b) MPS.BR - Guia de Avaliação, versão 1.1, Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX). Junho, Disponível em: WANGENHEIM, C.; THIRY, M.; ZOUCAS, A.; SALVIANO, C.; Modelo de Avaliação Integrado CMMI-SE/SW, ISO/IEC 15504, e MPS.BR. Working Paper LQPS, UNIVALI, São José, 2005.

FAPS: Ferramenta de suporte à avaliação de processos de software alinhada aos modelos CMMI e MPS.BR

FAPS: Ferramenta de suporte à avaliação de processos de software alinhada aos modelos CMMI e MPS.BR FAPS: Ferramenta de suporte à avaliação de processos de software alinhada aos modelos CMMI e MPS.BR PBQP Software - Ciclo 2008 EQPS 2009 Manaus Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com Christiane Gresse

Leia mais

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 Marcello Thiry 1 2, Christiane Gresse von Wangenheim 1 2, Alessandra Zoucas 1 2 1 (II-MPS.BR) Incremental

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software André Mesquita Rincon Instituto de Informática/Universidade Federal de Goiás (UFG) Goiânia GO Brasil Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas/Fundação

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao nível F do MR-MPS V1.2 IV Workshop de Implementadores W2-MPS.BR 2008 Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com Christiane von

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Rumo ao CMMI-SW Nível 2 para micro, pequenas e médias empresas

Rumo ao CMMI-SW Nível 2 para micro, pequenas e médias empresas Rumo ao CMMI-SW Nível 2 para micro, pequenas e médias empresas EQPS Manaus Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com Christiane von Wangenheim gresse@gmail.com Alessandra Casses Zoucas alessandrazoucas@gmail.com

Leia mais

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail. Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura O Modelo Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Agenda O que é? Motivação Organização do MPS.BR Estrutura

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channelem implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channelem implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channelem implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2,3 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM

CLEVERSONTPP@GMAIL.COM UM BREVE DESCRITIVO DO MODELO MPS-BR (MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE BRASILEIRO) E SUAS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO CLÉVERSON TRAJANO PRÉCOMA PORTES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI.

MPS.BR. O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. MPS.BR O MPS.BR é um programa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. A proposta MPS.BR nasceu com base nos moldes CMMI. ISO - 12207 para desenvolvimento de software. ISO - 15504 para avaliação

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro l MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. Modelo MPS 3. Programa MPS.BR: Resultados Alcançados (2004-2008) e Resultados Esperados (2004-2010) 4. MPS.BR Lições Aprendidas

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001.

Leia mais

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQP SW Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Categoria 2.36: Métodos de Gestão Soltin - Soluções

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) SUMÁRIO 1. Introdução 2. Implantação do Programa MPS.BR: 2004 2007 3. Consolidação do Programa MPS.BR: 20082010 4. Conclusão Kival Weber Coordenador

Leia mais

15504MPE - Desenvolvendo um Método para Avaliação de Processos de Software em MPEs Utilizando a ISO/IEC 15504

15504MPE - Desenvolvendo um Método para Avaliação de Processos de Software em MPEs Utilizando a ISO/IEC 15504 15504MPE - Desenvolvendo um Método para Avaliação de Processos de Software em MPEs Utilizando a ISO/IEC 15504 Alessandra Anacleto Christiane Gresse von Wangenheim Rafael Savi Clenio F. Salviano Situação

Leia mais

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev

Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Artigos técnicos selecionados Relato da Experiência do Processo de Institucionalização do Modelo CMMI na Dataprev Rosana Fernandes Osório, Guilherme Tavares Motta Coordenação Geral de Qualidade de Software

Leia mais

Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV

Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV Estudo de caso para implantação do modelo MR-MPS-SV Giovani Hipolito Maroneze 1, Jacques Duílio Branches 1 1 Departamento de Computação Universidade Estadual de Londrina (UEL) Caixa Postal 10.001 86.057-970

Leia mais

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário

Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL. Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Reutilização no MPS.BR e no projeto Cooperativa MPS.BR SOFTSUL Porto Alegre, Agosto de 2008. Sumário Apresentação Programa MPS.BR Reutilização no MPS.BR Gerência de reutilização Desenvolvimento para reutilização

Leia mais

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI

Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Spider-Appraisal: Uma Ferramenta de Apoio à Avaliação Integrada do MPS.BR e CMMI Jñane Neiva Sampaio de Souza 1, Pedro Afonso Aviz 2, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1,2 1 Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Agenda. Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com. Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com. Clênio F. Salviano clenio.salviano@cti.gov.

Agenda. Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com. Marcello Thiry marcello.thiry@gmail.com. Clênio F. Salviano clenio.salviano@cti.gov. Técnicas para Engenharia de Modelos de Capacidade de Processo de Software II Workshop Internacional en Ingeniería de Software Avanzada (II International Workshop ) IWASE, Alessandra Zoucas alessandra.zoucas@gmail.com

Leia mais

Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma ISO/IEC 15504 (SPICE)

Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma ISO/IEC 15504 (SPICE) Programa Brasileiro de EQPS, Campinas, SP Qualidade e Produtividade 16 e 17 de Setembro de 2004 Projeto 2.32 Consolidação da Metodologia para Avaliação de Processos de Software de MPEs Baseada na Norma

Leia mais

Mapeamento GRH. 1. Introdução

Mapeamento GRH. 1. Introdução Mapeamento GRH 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem duas finalidades principais: a) Averiguar semelhanças e diferenças entre modelos, normas e guias de boas práticas para gestão de recursos

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Apresentação PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA APLICADA Qualidade de software WILIAN ANTÔNIO ANHAIA DE QUEIROZ O que é qualidade? A Norma ISO8402 define Qualidade

Leia mais

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho

MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho l MPS.BR: Melhoria de Processo do Software Brasileiro e dos Resultados de Desempenho SUMÁRIO 1. Introdução Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR Resultados Esperados, Resultados Alcançados e

Leia mais

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software

Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Avaliação e Melhorias no Processo de Construção de Software Martim Chitto Sisson Centro Tecnológico Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis SC Brasil martim@inf.ufsc.br Abstract. This

Leia mais

Ferramenta Web para Gerência de Requisitos e de Projetos em Conformidade com o Modelo de Referência do MPS.BR

Ferramenta Web para Gerência de Requisitos e de Projetos em Conformidade com o Modelo de Referência do MPS.BR Ferramenta Web para Gerência de Requisitos e de Projetos em Conformidade com o Modelo de Referência do MPS.BR Instituto Centro-Oeste de Desenvolvimento de Software Cristiano Lehrer cristiano@icodes.org.br

Leia mais

Melhoria do Processo de Software MPS-BR

Melhoria do Processo de Software MPS-BR Melhoria do Processo de Software MPS-BR Fabrício Sousa Pinto fabbricio7@yahoo.com.br O que é Qualidade? O problema da gestão da qualidade não é que as pessoas não sabem a respeito dela. O problema é que

Leia mais

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos;

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos; Versão 1.1 - Última Revisão 16/08/2006 Porque estudar um Modelo de Maturidade? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM M P S. B R : M E L H O R I A D E P R O C E S S O D O S O F T W A R E B R A S I L E I R O A

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais.

Quem Somos CMM/ CMMI. ISO 9000 PNQ ISO 12207 ISO 15504 ITIL Outros modelos. Gestão Sistêmica da. Alinhamento às Diretrizes Organizacionais. Quem Somos Missão Promover a melhoria e a busca da excelência na gestão organizacional e o aperfeiçoamento contínuo dos processos dos nossos clientes, por meio de modelos e padrões de qualidade adequados

Leia mais

Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas

Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas Propondo um Método de Avaliação de Processo de Software em Micro Empresas Incubadas Kênia Karim Pickler 1, Christiane Gresse von Wangenheim 1, Clenio Figueiredo Salviano 2 1 Universidade do Vale do Itajaí

Leia mais

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F:

MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: MPS.BR A EXPERIÊNCIA E OS BENEFÍCIOS EM IMPLANTAR O MODELO NOS NÍVEIS G E F: um estudo de caso. Rodrigo Pereira Assunção 1 Fabrício Pires Vasconcellos 2 RESUMO: Muitas empresas têm buscado no modelo de

Leia mais

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW

Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW Aplicando Avaliações de Contextualização em Processos de Software Alinhados ao CMMI-SE/SW Christiane Gresse von Wangenheim 1, Kênia Karim Pickler 1, Marcello Thiry 1, Alessandra Casses Zoucas 1, Clenio

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE Autoria: Natércia Ponte Nogueira, Andreia Rodrigues, Adriano Albuquerque, Alessandro Câmara RESUMO.

Leia mais

FERRAMENTA COLABORATIVA PARA APOIO ÀGESTÃO DO CONHECIMENTO EM INICIATIVAS MPS

FERRAMENTA COLABORATIVA PARA APOIO ÀGESTÃO DO CONHECIMENTO EM INICIATIVAS MPS USES Grupo de Pesquisa em Usabilidade e Engenharia de Software FERRAMENTA COLABORATIVA PARA APOIO ÀGESTÃO DO CONHECIMENTO EM INICIATIVAS MPS Luiz Leandro Fortaleza Gleison Santos Tayana Uchôa Conte Roteiro

Leia mais

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa

Modelos de Maturidade: MPS.BR. Aécio Costa Modelos de Maturidade: MPS.BR Aécio Costa Criado em 2003 pela Softex para melhorar a capacidade de desenvolvimento de software nas empresas brasileiras. Objetivo: Impulsionar a melhoria da capacidade de

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil Programa MPS.BR e Modelo MPS: A Evolução da Qualidade de Software no Brasil 1. Qualidade de Software: motivação para o foco no processo, características dos processos de software e abordagens para melhoria

Leia mais

Definição do Framework

Definição do Framework Definição do Framework 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem por finalidade apresentar o mapeamento dos processos de Definição de Processo Organizacional e Avaliação e Melhoria do Processo dos

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia Geral Este guia contém a descrição geral do Modelo MPS e detalha o Modelo de Referência (MR-MPS) e as definições comuns necessárias para seu entendimento

Leia mais

Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional

Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional (AMP) Alinhada ao MPS.BR e PGQP Isabel Albertuni isabel.albertuni@qualita.inf.br Graduada em Análise de Sistemas pela FARGS em 2008. Autora de artigos na

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Planejamento e Gerenciamento Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Pessoas, Produto, Processo e Projeto; Gerência de

Leia mais

Uma Abordagem para a Modelagem Colaborativa de Processos de Software em Micro e Pequenas Empresas

Uma Abordagem para a Modelagem Colaborativa de Processos de Software em Micro e Pequenas Empresas Uma Abordagem para a Modelagem Colaborativa de Processos de Software em Micro e Pequenas Empresas Marcello Thiry 1, Christiane Gresse von Wangenheim 1, Alesandra Zoucas 1, Kênia Pickler 1 1 Laboratório

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista

Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista Computer on the Beach 2015 - Artigos Completos 169 Diagnóstico de Processos em Organizações Intensivas em Software Usando um Sistema Especialista Chaiene M. da Silva Minella¹, Marcello Thiry¹, Anita da

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral MPS de Software

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral MPS de Software MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia Geral MPS de Software Este guia contém a descrição geral do Modelo MPS e detalha o Modelo de Referência MPS para Software (MR-MPS-SW) e as definições

Leia mais

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil

Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil l Programa MPS.BR e Modelo MPS: Contribuições para a Evolução da Qualidade de Software no Brasil SUMÁRIO 1. Introdução: Programa MPS.BR e Modelo MPS 2. Programa MPS.BR: Resultados Esperados, Resultados

Leia mais

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro

MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro MPS.BR Melhoria de Processo do Software Brasileiro SUMÁRIO: Introdução: Objetivo e Metas do MPS.BR (Propósito, Subprocessos e Resultados) Resultados Alcançados Dez2003 Set2006 Conclusão: MPS.BR Um Programa

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Edison A. M. Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos Prof. Ricardo J. Rabelo Conteúdo Introdução & Problemática

Leia mais

Método para aplicação de modelos de melhoria e avaliação do processo de desenvolvimento de software em sistemas críticos de segurança.

Método para aplicação de modelos de melhoria e avaliação do processo de desenvolvimento de software em sistemas críticos de segurança. Método para aplicação de modelos de melhoria e avaliação do processo de desenvolvimento de software em sistemas críticos de segurança. Eng. Christian Becker Bueno de Abreu Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Análise dos Requisitos de Software Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução Tipos de requisitos Atividades Princípios da

Leia mais

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Mariano Montoni, Cristina Cerdeiral, David Zanetti, Ana Regina Rocha COPPE/UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2

APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2 APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2 Renan J. Borges 1, Késsia R. C. Marchi 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí, PR Brasil renanjborges@gmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

Processo de Avaliação da Transparência Organizacional

Processo de Avaliação da Transparência Organizacional Processo de Avaliação da Transparência Organizacional Kizzy Macedo Benjamin 1, Claudia Cappelli 1, Gleison Santos 1 1 PPGI- Programa de Pós-Graduação em Informática Departamento de Informática Aplicada

Leia mais

Uma Implementação do Processo de Medição usando a Spider-MPlan

Uma Implementação do Processo de Medição usando a Spider-MPlan Uma Implementação do Processo de Medição usando a Spider-MPlan Simone Nayara Costa Carneiro 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação Instituto de Ciências Exatas e Naturais Universidade

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: GERÊNCIA DE

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli 1 Roteiro da Apresentação 1. Introdução e Objetivos 2.

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Laboratório de Tecnologia de Software LTS www.ufpa.br/lts Rede Paraense de Pesquisa em Tecnologias de Informação

Leia mais

Modelo de Qualidade CMMI

Modelo de Qualidade CMMI Modelo de Qualidade CMMI João Machado Tarcísio de Paula UFF - Campus Rio das Ostras Resumo Este trabalho tem como objetivo explicar de forma simples o que é e como funciona o modelo de qualidade CMMI,

Leia mais

Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis

Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis Uma Implementação do Processo de Garantia da Qualidade usando a Spider-QA, a Spider-CL e o Mantis Rodrigo Araujo Barbalho 1, Marília Paulo Teles 2, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1,2 1 Faculdade de Computação

Leia mais

Project Builder: uma Ferramenta de Apoio a Implementação do Processo Gerência de Projetos do MPS.BR

Project Builder: uma Ferramenta de Apoio a Implementação do Processo Gerência de Projetos do MPS.BR Project Builder: uma Ferramenta de Apoio a Implementação do Processo Gerência de Projetos do MPS.BR Bernardo Grassano, Eduardo Carvalho, Analia I.F. Ferreira, Mariano Montoni bernardo.grassano@projectbuilder.com.br,

Leia mais

Integração de Projetos Ágeis XP com o MPS.BR Nível G

Integração de Projetos Ágeis XP com o MPS.BR Nível G Integração de Projetos Ágeis com o MPS.BR Nível G Marcelo Stanga Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) São Miguel do Oeste SC - Brasil marcelostanga@gmail.com Resumo. Neste artigo, aborda-se

Leia mais

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR Fonte: http://www.softex.br/mpsbr/_home/default.asp Apostilas disponíveis no site 1 NORMAS: NBR ISO NBR ISO/IEC CMM SPICE Continuação... 2 NORMAS VISÃO GERAL NBR

Leia mais

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 2: Fundamentação para Implementação do Nível F do MR-MPS-SW:2012

MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia de Implementação Parte 2: Fundamentação para Implementação do Nível F do MR-MPS-SW:2012 MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro Guia de Implementação Parte 2: Fundamentação para Implementação do Nível F do MR-MPS-SW:2012 Este guia contém orientações para a implementação do nível

Leia mais

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR

CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR CERTIFICAÇÃO BRASILEIRA DE MELHORIA DE PROCESSO DE SOFTWARE: O MPS.BR Leonardo Galvão Daun Universidade Estadual de Maringá leonardo.daun@gmail.com Profª Drª Sandra Ferrari Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G 1082 X Salão de Iniciação Científica PUCRS UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G Agner Macedo Paiva, Bernardo Copstein (orientador) FACIN, PUCRS, Centro

Leia mais

Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming

Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming Viabilidade do Desenvolvimento de Software Baseado no Modelo MPS.BR com a Metodologia Extreme Programming T. M. R. Dias 1 ; G. F. Moita 2 ; M. P. Silva 3 ; B. Ferreira 1 ; A. M. Silva 1 1 IFMG Instituto

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Avaliação do processo de desenvolvimento de software em um Órgão da Justiça

Avaliação do processo de desenvolvimento de software em um Órgão da Justiça Avaliação do processo de desenvolvimento de software em um Órgão da Justiça RESUMO Este artigo tem como objetivo relatar a avaliação do processo de desenvolvimento de software em um Órgão da Justiça utilizando

Leia mais

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Visão Geral e Navegação Tutorial Atualizado com a versão 3.9 Copyright 2009 por JExperts Tecnologia Ltda. todos direitos reservados. É proibida a reprodução deste manual sem autorização prévia

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Recursos e Cronograma

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Recursos e Cronograma Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Recursos e Cronograma Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Recursos; Pessoal; Software; Hardware; Outros recursos;

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais